Você está na página 1de 4

Aula 35 – 22/11/2021

O Furo no Barco

Um homem foi chamado à praia para pintar um barco. Trouxe com ele tinta e
pincéis, e começou a pintar o barco de um vermelho brilhante, como fora contratado
para fazer.
Enquanto pintava, viu que a tinta estava passando pelo fundo do barco.
Percebeu que havia um vazamento e decidiu consertá-lo. Quando terminou a pintura,
recebeu seu dinheiro e se foi.
No dia seguinte, o proprietário do barco procurou o pintor e presenteou-o com
um belo cheque. O pintor ficou surpreso:
O senhor já me pagou pela pintura do barco! - disse ele.
- Mas isto não é pelo trabalho de pintura. É por ter consertado o vazamento do
barco.
- Ah! Mas foi um serviço tão pequeno... Certamente, não está me pagando uma
quantia tão alta por algo tão insignificante.
- Meu caro amigo, você não compreende. Deixe-me contar-lhe o que
aconteceu.
Quando pedi a você que pintasse o barco, esqueci de mencionar o vazamento.
Quando o barco secou, meus filhos o pegaram e saíram para uma pescaria. Eu não
estava em casa naquele momento. Quando voltei e notei que haviam saído com o
barco, fiquei desesperado, pois lembrei-me que o barco tinha um furo.
Imagine meu alívio e alegria quando os vi retornando sãos e salvos. Então,
examinei o barco e constatei que você o havia consertado! Percebe, agora, o que fez?
Salvou a vida de meus filhos! Não tenho dinheiro suficiente para pagar a sua
"pequena" boa ação.
Não importa para quem, quando ou de que maneira: mas, ajude, ampare,
enxugue as lágrimas, escute com atenção e carinho, e conserte todos os
"vazamentos" que perceber, pois nunca sabemos quando estão precisando de nós ou
quando Deus nos reserva a agradável surpresa de ser útil e importante para alguém.
Aula 36 – 29/11/2021

A Mochila e as Pedras

Um fervoroso devoto estava atravessando uma fase muito penosa de sua vida, com graves
problemas de saúde em família e sérias dificuldades financeiras. Por isso orava diariamente pedindo
que o livrassem de tamanhas atribulações.
Um dia, enquanto fazia suas preces, um anjo lhe apareceu, trazendo-lhe uma mochila e a
seguinte mensagem:
O Senhor se compadeceu da sua situação e lhe manda dizer que é para você colocar nesta
mochila o máximo de pedras que conseguir, e carregá-la com você, em suas costas, por um ano, sem
tirá-la por um instante sequer. Manda também lhe dizer que, se você fizer isso, no final desse tempo,
ao abrir a mochila, terá uma grande alegria. E desapareceu, deixando o homem bastante confuso e
revoltado.
"Como pode o Senhor brincar comigo dessa maneira? Eu oro sem cessar, pedindo a Sua
ajuda, e Ele me manda carregar pedras?" Já não me bastam os tormentos e provações que estou
vivendo? "Pensava o devoto. Mas, ao contar para sua mulher a estranha ordem que recebera do
Senhor, ela lhe disse que talvez fosse prudente seguir as determinações dos Céus, e concluiu
dizendo:
Deus sempre sabe o que faz...
O homem estava decidido a não fazer o que o Senhor lhe ordenara, mas, por via das dúvidas
resolveu cumpri-la em parte, após ouvir a recomendação da sua mulher. Assim, colocou duas pedras
pequenas, dentro da mochila e carregou-a nas costas por longos doze meses.
Findo esse tempo, na data marcada, mal se contendo de tanta curiosidade, abriu a mochila
conforme as ordens do Senhor e descobriu que as duas pedras que carregara nas costas por um ano
inteiro tinham se transformado em pepitas de ouro..., apenas duas pequenas pepitas.
Todos os episódios que vivemos na vida, inclusive os piores e mais duros de se suportar, são
sempre extraordinárias e maravilhosas fontes de crescimento.
Temendo a dor, a maioria se recusa a enfrentar desafios, a partir para novas direções, a sair do
lugar comum, da mesmice de sempre.
Temendo o peso e o cansaço, a maioria faz tudo para evitar situações novas, embaraçosas, que
envolvam qualquer tipo de conflito.
Mas aqueles que encaram para valer as situações que a vida propõe, aqueles que resolvem
"carregar as pedras", ao invés de evitá-las, negá-las ou esquivar-se delas, esses alcançam a plenitude
do viver e transformam, com o tempo, o peso das pedras que transportaram em peso de sabedoria.

Como está sua mochila?


Aula 37 – 06/12/2021

QUERIDOS ALUNOS....

O isolamento impediu qualquer tipo de contato físico, mas


mesmo a distância, cada um faz o seu papel. E por mais tenhamos
nos sentido sozinhos em meio à quarentena, sei que todos estamos
juntos nessa batalha.
Jesus não disse que a vida seria fácil ou sem tribulações, mas
disse que a jornada valeria a pena e que nós venceríamos o
mundo.
Dessa forma, a todos os meus alunos e seus pais quero
dedicar algumas palavras de agradecimento, agora que termina
mais um ano escolar. Foi um percurso longo, feito de vários
desafios, porém conseguimos remar em direção para o lado que
realmente importa.
Termino este ciclo com o sentimento de dever cumprido.
Espero que todos tenham crescido a todos os níveis, mesmo em
meio a todo esse isolamento social.
Vamos confiar em quem somos e na grande capacidade que
temos para evoluir dia após dia. E nunca percam essa sede de
conhecimento!
Desejo que alcancem o maior sucesso e que consigam
concretizar todos os sonhos.

Feliz Natal e um ano novo cheio de prosperidade!

Você também pode gostar