Você está na página 1de 24

z ambezE

Comercial

ZAMBEZE
as Abertas assinaturas
uint

para 2021
às q

TABELA DE PREÇOS
Sai

período
trimestral semestral ANUal

O n d e a n a ç ã o s e r e e nc o n t r a
2.300,00mt 2.900,00mt 4.450,00mt

MAIS INFORMAÇÕES
mt
50,00
Director: Ângelo Munguambe|Editor: Egídio Plácido | Maputo, 18 de Novembro de 2021 |Ano XIV | nº 980 Cell: (+258) 82 30 73 450 | (+258) 84 56 23 544
Email: zambeze.comercial@gmail.com

Aviso de Nyusi aos novos ministros

Encarar com rigor os


desafios da actualidade
PCE recebia 400 mil e pescador 8 mil

EMATUM capoeira
pública dos patos
predadores

Aposta de José Domingos à liderança do MDM

Trazer de volta ao poleiro


os galos desistentes
2| zambeze | destaques | Quinta-feira, 18 de Novembro de 2021

PCE recebia 400 mil e pescador 8 mil

EMATUM era capoeira pública


dos altos dirigentes do Estado
-Em 100 anos não era possível pagar a divida da EMATM

Que a Empresa Moçambicana de Atum (EMATUM) foi


criada apenas para roubar o dinheiro do Estado e engordar
as contas dos seus “progenitores” ficou claro durante a audi-
ção do antigo Presidente de Conselho de Administração, An-
tónio Carlos do Rosário, no julgamento do caso das “dívidas
ocultas” que decorre na BO. Entretanto, com a audição dos
declarantes no processo, fica evidente que a EMATUM, uma
empresa que na verdade nunca existiu, era uma “capoeira
pública” que vários altos dirigentes do Estado encheram seus
bolsos, com salários de balúrdio que serviram para incre-

S
mentar ainda mais o fosso entre o pobre e o rico.

ão escandalo- mo, antiga Directora Nacional


sas, revoltantes Adjunta do Tesouro, Gregório
e humilhantes Leão, à época Director-Geral
as revelações do Serviço de Informação e
que saem da Segurança do Estado (SISE),
tenda da BO. A EMATUM foi e António Carlos do Rosário,
uma empresa que nasceu com ex-Director Nacional de Inte-
dificuldades de vária ordem, ligência Económica do SISE
desde deficiência dos barcos à e Presidente dos Conselhos de
gestão danosa. A empresa não Administração das empresas
tinha dinheiro para manter os ProIndicus, MAM e EMATUM.
barcos no mar, no entanto, os Pelo exercício simultâneo
seus dirigentes recebiam men- de funções no Estado e nas
salmente entre 180 mil a 400 empresas beneficiárias dos em-
mil meticais por mês. O pesca- préstimos ilegais, em violação
dor, aquele que ia ao mar ficar do regulamento do Sistema de
quase 20 dias na faina ganhava Administração Financeira do
uns míseros 8 mil meticais. As- Estado, o Ministério Público
sim era a vida na EMATUM! pediu ao Tribunal Administra- Raúfo Ismael Irá, António Car- Presidente da Comissão Exe- enquadrava a EMATUM, o
tivo que responsabilize finan- los do Rosário e José Manuel cutiva, Cristina Alice Valente processo da sua criação teria
ceiramente António Carlos do Gopo, todos da ProIndicus; na Matavel, Directora-Geral, e sido conduzido de forma não
Declarantes com perfil EMATUM, a PGR pediu que António Carlos do Rosário, muito comum. Algumas etapas
Rosário, Maria Isaltina Lucas
duvidoso sejam responsabilizados fi- PCA. Dos gestores da MAM, importantes foram sacrificadas
e Henriques Álvaro Gamito, à
Recorda-se que há um pro- data Assessor do Ministro das nanceiramente Maria Isaltina a PGR pede a responsabiliza- e havia consciência de que isso
cesso de pedido de responsa- Finanças. E pela gestão de fun- Lucas e Ivone Lichucha, Ad- ção do PCA António Carlos teria consequências no futuro”.
bilização financeira que deu dos provenientes das dívidas ministradoras Não Executivas; do Rosário, do Director Exe- Por exemplo, o projecto de
entrada no Tribunal Adminis- ilegais, a PGR solicitou que Agi Anluaé, Henriques Álvaro cutivo Nazir Felizardo Pas- construção de embarcações não
trativo em 2018, para a res- sejam responsabilizados Victor Gamito e Hermínio Lima Al- sades Aboobacar, e dos Ad- foi submetido à aprovação das
ponsabilização financeira dos Bernardo, PCA da ProIndicus, berto Tembe, Administradores ministradores Executivos autoridades competentes, in-
antigos gestores da EMATUM Eugénio Henrique Matlhaba, Executivos, Felisberto Manuel, Raúfo Ismael Irá e Agi Anlaué. cluindo o Ministério das Pescas.
mas até hoje este órgão ainda “A construção de embarcações
não se pronunciou sobre o as- não foi acompanhada pelas au-
Etapas importantes foram
sunto. Da lista dos 16 gestores toridades marítimas, por isso
sacrificadas
visados pelo pedido da PGR, quando chegou o primeiro lote
apenas dois (Gregório Leão e Entretanto, a EMATUM de barcos houve necessidade de
António Carlos do Rosário) es- esteve nos últimos dias no cen- fazer trabalho de adequação”.
tão a responder em processo ju- tro das atenções no julgamen- PCA António Carlos do Ro-
dicial (Processo nº 18/2019-C). to do caso das dividas ocultas. sário, que a empresa tinha, nos
Concretamente, a PGR pe- O declarante Hermínio Tembe seus activos, embarcações que
diu a responsabilização finan- disse que quando se apresentou não fazia parte do lote de pesca,
ceira dos gestores envolvidos à EMATUM em Setembro de nomeadamente os Ocean Eagles.
na autorização e emissão de 2015, foi recebido pelo então Mas em termos práticos e concre-
garantias de Estado sem nenhu- PCA António Carlos do Rosário. tos, não constatou nada que indi-
ma base legal, nomeadamente Foi nessa ocasião que Hermínio casse que a empresa tinha a com-
Manuel Chang, então Ministro Tembe ficou a saber que a em- ponente de defesa e segurança.
das Finanças, Ernesto Gove, presa, além da pesca e proces- Explicou que quando che-
na altura Governador do Banco samento do atum, tinha a com- gou à EMATUM, encontrou a
de Moçambique, Maria Isaltina ponente de defesa e segurança. empresa com dificuldades para
Lucas, antiga Directora Nacio- “Por causa da natureza clas- operar, uma vez que se encon-
nal do Tesouro, Piedade Maca- Manuel Chang Ernesto Gove sificada do sistema em que se trava em situação de falência
Quinta-feira, 18 de Novembro de 2021 | destaques | zambeze |3

técnica. “A empresa apresenta- normal seria o pelouro das opera- mente, perto de 150 embarcações
va nas suas contas capitais pró- ções fazer a solicitação e naquela estrangeiras são licenciadas para
prios negativos, muito acima altura a empresa tinha conheci- pescar o atum em Moçambique.
dos limites estabelecidos no Có- mento de que o carapau não era “Se não tivéssemos mui-
digo Comercial. Ou seja, o passi- a isca apropriada. Isso deixou- to atum em Moçambique não
vo é constituído por 500 milhões -me muito revoltado. Comprar teriam tantos barcos licencia-
de dólares que se serem da com- carapau para servir de isca do dos. A maioria frota é da União
ponente da defesa e segurança e atum é jogar o dinheiro fora”. Europeia, depois vem o Japão.
não representavam nenhum acti- O declarante disse que não Anualmente perdemos cer-
vo da empresa, além de três em- sabe qual foi o destino dado às 25 ca de 60 milhões de dólares
barcações patrulha Ocean Eagle e toneladas de carapau. Economis- com a pesca ilegal do atum”.
o respectivo equipamento, igual- ta com especialização em pescas, Hermínio Tembe come-
mente contrários ao seu objecto”. Hermínio Tembe disse que a pes- çou como administrador de
Havia necessidade de rees- ca de atum é um grande negócio: recursos humanos e mais tar-
truturar a empresa e foi feito um “É um grande negócio que vale de passou a acumular com as
novo plano de negócios que ex- a pena apostar. Mas tem de ser funções de administrador do
purgava a componente de defesa feito com rigor e disciplina para pelouro de operações. Em Maio
e segurança. “Nesse novo ensaio evitar situações como esta em de 2019, quando foi dissolvi-
de plano de negócios foi expurga- Maria Isaltina Lucas Eugénio Henrique Matlhaba que nos encontramos hoje”. O do o conselho de administração
va a componente de defesa e se- declarante explicou que a costa da EMATUM, foi nomeado
gurança e a dívida da EMATUM milhões de dólares de dívida. União Europeia. Durante o perí- moçambicana é uma das princi- director-geral da empresa e os
ficava em 96 milhões de dólares. A vida útil dos barcosé de 25 odo em que esteve a operar, de pais zonas de ocorrência do atum accionistas passaram a assumir
Subscrevi o ensaio, mas não com anos e pode riam sair das ope- Dezembro de 2014 a Abril de em todo o Oceano Índico. Anual- as funções de conselho de admi-
total conforto”. E explica as ra- rações antes de recuperação do 2016, a empresa exportou 240 nistração e de assembleia-geral.
zões: “O método de exclusão de investimento. Como gestor, as toneladas de atum para diver- Confirmou que quando
partes usado para determinado o minhas atenções estavam foca- sos países, tendo obtido recei- passou para a trabalhar para a
valor dos activos não era normal. das no plano de negócios da em- tas no valor de 500 mil euros. EMATUM continuou a recebeu
O normal seria contratar peritos presa”. Quando cheguei à em- A nível doméstico, a empresa o salário do Ministério do Mar,
credenciados para fazer a avalia- presa em 2015 operavam apenas vendeu 97 toneladas de atum e Águas Interiores e Pescas por
ção dos activos da empresa, de duas embarcações, e mais tarde facturou 12 milhões de meticais. quatro ou cinco meses. Ou seja,
modo a aferir o valor comercial o número subiu para cinco. Mas A uma pergunta do Minis- o declarante recebia da empresa
de cada embarcação. Em função a estrutura que estava montada tério Público, o declarante disse e do Estado. E justifica: “Quando
das constatações desenhar-se-ia na empresa, incluindo a mão-de- que em 2015 a área financeira foi destacado para a EMATUM,
um plano realístico de negócios”. -obra, era para 24 embarcações. da empresa, sem coordenar com o Ministro pediu-me que con-
O declarante disse que nunca “Havia uma estrutura pe- o pelouro das operações, im- tinuasse a liderar a equipa que
teve a oportunidade de trabalhar sada de custos porque a maio- portou 25 toneladas de carapau estava a reestruturar o Ministé-
com o estudo de viabilidade da ria das embarcações estava para servir de isca para a pesca rio pois, além de pescas, passa-
EMATUM e diz que o mesmo atracada. As embarcações do atum. “Foi um grande erro. va a englobar as componentes
foi concebido apenas para con- que iam à faina tinham ava- Carapau nunca serviu como isca de mar e águas interiores. Era
seguir o financiamento bancá- rias constantes, o que afectava apropriada para a pesca do atum. preciso definir novas competên-
rio. “É praticamente impossível, a produtividade da empresa”. Como pelouro das operações não cias”. Na EMATUM, Hermínio
com 24 embarcações, pescar A primeira exportação da fomos ouvidos, nem o pessoal Tembe tem um salário mensal
EMATUM foi para Uruguai e do procurement foi envolvido. O Gregório Leão
e vender atum para pagar 850 líquido de 313 mil meticais.

Barco da EMATUM custa cerca de quatro milhões de dólares


O declarante Felisber- rícia com o veleiro malgaxe
to Manuel, desempenhou as que transportou os piratas
funções de Presidente da Co- até ao Vega 5. Eles apresen-
missão Executiva (PCE) da taram-se e interrogaram-me”.
EMATUM entre 2016 e 2018. À uma pergunta da defesa,
Felisberto Manuel era di- o declarante confirmou que
rector-geral da PESCAMAR, já participou em vários pro-
a empresa de pesca baseada cessos de compra de barcos
na Beira que em Dezembro de de pesca. A última vez foi na
2010 viu uma das suas embar- PESCAMAR, empresa onde
cações, o Vega 5, sequestrada se encontra a trabalhar actu-
por piratas somalis. “Perdemos almente como director-geral.
o contacto com a embarcação “Diferentemente das em-
na manhã do dia 28 ou 29 de barcações da EMATUM que
Dezembro de 2010. Todos os são palangreiros de 23 metros,
dias, no período da manhã, a os barcos que compramos
direcção da empresa deve en- para PESCAMAR eram arras-
trar em contacto com as em- tões de 32 metros e levavam
barcações. Naquele dia não embarcação a navegar entre O declarante disse que empresa detida pelo Estado uma fábrica a bordo. Tem uma
conseguimos estabelecer con- Angoche e Nacala nas mãos os piratas estavam basea- moçambicano e por uma em- sala de processamento, placas
tacto com o Vega 5. Depois de piratas. Posteriormente, dos na Somália e agiam a presa espanhola denominada de congelação e um porão
de várias tentativas, começa- levaram a embarcação até So- mando de senhores de guer- PESCANOVA. Foi esta em- para conservar o produto con-
mos a fazer buscas, usando mália, onde foi sujeito a obras ra que comandavam o se- presa que adquiriu lanchas rá- gelado. Pescamos camarão
meios aéreos a partir das ci- de modificação. Depois vol- questro das embarcações pidas e forneceu à Marinha de e embalamos no barco. Este
dades da Beira e de Maputo”. tou ao mar para servir como e depois exigiam resgate. Guerra de Moçambique para tipo de embarcação custa cer-
A partir do quarto ou quin- barco mãe de operações de pi- “No caso do Vega 5, eles garantir a protecção de em- ca de quatro milhões de dóla-
to, a PESCAMAR decidiu fa- rataria. Mais tarde a embarca- não exigiram resgate. Uma vez barcações, o que permitiu que res”. No primeiro dia da sua
zer uma operação de buscas ção foi localizada e afundada que a embarcação tinha gran- a tripulação voltasse a operar. audição, Felisberto Manuel
mais alargada, cobrindo toda no golfo arábico em Março de de autonomia, eles usavam- “Na altura, o Serviço de disse que não entendia como
a costa moçambicana. “Aluga- 2011 pela Marinha de Guer- -na para transportar lanchas Informação e Segurança do é que os barcos da EMATUM
mos aviões na África do Sul ra Indiana. Nessa operação rápidas de ataque a navios”. Estado (SISE) foi até Beira tinham custado 22 milhões de
e um deles veio a localizar a nós perdemos 11 tripulantes”. A PESCAMAR é uma onde fez um trabalho de pe- dólares cada. (CDD/Redacção)
4| zambeze | destaques | Quinta-feira, 18 de Novembro de 2021

Nyusi com apoio de doadores para


pacificação de Cabo Delgado
A situação geral de segurança da província de Cabo Del- O terceiro projecto é exó-
gado é classificada como estável pelo Governo e pelas forças geno, desenhado pelo Gover-
estrangeiras que intervêm desde Julho contra os grupos no dos EUA para beneficiar
armados de inspiração islâmica. Nos sete distritos do nordes- cinco países da África Austral
te da província, outrora epicentro da insurgência, (Nangade, e Oriental em situação de ins-
Palma, Mocímboa da Praia, Muidumbe, Mueda, Macomia, tabilidade, sendo Moçambique
Quissanga) há uma redução significativa de ataques, persis- um dos principais candida-
tindo, no entanto, algumas bolsas de resistência nos distritos tos a beneficiar. Este projecto
de Nangade, junto à fronteira com a Tanzânia, e Macomia, deverá ser anunciado dentro

N
junto à costa. de c. dois meses pelo PR dos
EUA, Joe Biden, e terá dura-
o final da coordenação de operações, ao ção de cerca de 10 anos, com
semana pas- nível da partilha de informação valores na ordem de cente-
sada regis- e realização de reuniões men- nas de milhões de dólares.
tou-se um sais entre os comandantes de No seu conjunto, estes pro-
alerta para topo das três forças, e que pas- gramas poderão efectivar-se
possíveis ataques no distrito de sarão a incluir comandantes da no primeiro semestre de 2022,
Palma, o mais protegido pelas Missão de Formação Militar da constituindo um “balão de oxi-
Forças de Defesa e Segurança União Europeia para Moçam- génio” para o governo da Fre-
(FDS) devido aos projectos de bique (EUTM), formalmente limo liderado por Filipe Nyusi,
Gás Natural Liquefeito (GNL) activa desde 03 de Novembro. dadas as actuais dificuldades
na baía de Afungi. O alerta le- Outra preocupação das for- financeiras e perspectivas de
vou à mobilização de forças ru- ças militares é a possibilidade atraso dos principais projectos
andesas e FDS para reforçar a de utilização de dispositivos de gás natural em Cabo Del-
segurança junto à vila de Palma. explosivos improvisados (IED) gado. Depois de ter iniciado o
Apesar dos focos ainda ac- pelos insurgentes, temendo-se mandato com a descoberta das
tivos, a situação é considerada a aquisição da capacidade de “dívidas ocultas”, que levou a
sob controlo, permitindo que, fabrico de engenhos a ser de- cortes no Orçamento do Estado
materialmente, se possa pas- tonados em espaços públicos e “default”, sem acesso a crédi-
sar da actual fase de operações urbanos, numa transição da in- to externo, o regime da Frelimo
ofensivas de combate conduzi- surgência do tipo guerrilha para vem dando sinais, nomeada-
das junto das bases dos insur- terrorismo urbano. A dispersão mente através de acções de pro-
gentes para operações de pa- pelo território de grupos pro- paganda de Celso Correia, de
cificação, que envolvam mais venientes de Cabo Delgado é aproveitar os apoios externos às
actividade da polícia (PRM) um risco adicional identificado. províncias do norte para mostrar
no restabelecimento da ordem Para a próxima fase da pa- “obra” antes dos próximos actos
nas zonas recuperadas, recons- cificação de Cabo Delgado, os eleitorais, reforçando também,
trução das zonas destruídas e principais doadores ocidentais perante os parceiros externos,
acção social focada no regres- mostram-se dispostos a finan- lhões, financiados por PNUD, Desenvolvimento Integrado a sua condição de “mal neces-
so gradual dos deslocados. ciar os projectos do governo de UE, BM e outros doadores. do Norte, liderada por Celso sário”, na ausência de alterna-
Iniciada em Novembro e Filipe Nyusi. O primeiro pro- A estratégia deverá ser im- Correia, homem de confiança tiva política credível no país.
devendo prolongar-se até final jecto é o Plano de Reconstru- plementada pela Agência do do Presidente da República. (África Monitor/Zambeze)
de Fevereiro início de Marça, a ção de Cabo Delgado (PRCD),
época das chuvas deverá ter um desenhado para os distritos de
impacto maior nas forças go- Nangade, Palma, Mocímboa
vernamentais e nos contingen-
tes do Ruanda e da força militar
da Praia e Muidumbe. O plano
é de dois anos (2021-2024) e Centro de Operações
Humanitárias da SADC em Nacala
da SADC (SAMIM), dificultan- este subdivide-se em Assistên-
do a movimentação no terreno, cia Humanitária, Recuperação

E
grande parte do qual composto de Infraestruturas e Activida-
por florestas tropicais densas e de Económica e Financeira.
carente de infraestruturas (es- Está orçado em cerca de USD stá em curso a sido os países da região mais ros e Cooperação. Cabe-
tradas e pontes) para a mobili- 300 milhões, a serem desem- implementa- afectados nos últimos anos por rá ao Instituto Nacional de
dade das tropas convencionais bolsados pelos doadores, prin- ção do Centro fenómenos naturais extremos. Gestão e Redução do Ris-
terrestres. Do lado dos insur- cipalmente União Europeia de Operações O governo de Maputo já co de Desastres (INGD)
gentes, as chuvas dificultam (UE) e Banco Mundial (BM). Humanitá- reservou o terreno para o efei- operacionalizar o projecto.
a realização de ataques, mas O segundo projecto é de di- rias e de Emergência (SHOC) to e irá proceder à construção O INGD está a antecipar
podem servir para os grupos mensão regional, para todas as da Comunidade para o De- das instalações para albergar o seu envolvimento no futuro
ganharem tempo e terreno para três províncias do Norte (Nias- senvolvimento da África o SHOC quando a maioria de centro regional, tendo contra-
se reagruparem e planearem sa, Nampula e Cabo Delgado). Austral (SADC) em Nacala, 2/3 dos Estados membros da tado recentemente a Intellica,
novos ataques coordenados É uma estratégia do desenvol- na província de Nampula. SADC aprovar o projecto e empresa de consultoria detida
em 2022, tal como sucedeu em vimento do Norte que está a O centro será responsável as regras de financiamento por Celso Correia, ministro
Mocímboa da Praia, Quissan- ser desenhada pelo Governo, pela coordenação da inter- do centro através de um me- da Agricultura e Desenvolvi-
ga, Namacande (Março – Abril com apoio directo do Programa venção prévia da SADC em morando de entendimento. mento Rural e braço-direito
de 2020) e Palma (Março). das Nações Unidas para o De- desastres naturais na região. A oferta de Maputo data do Filipe Nyusi, para a gestão
Para suprir a desarticulação senvolvimento (PNUD), BM e Moçambique, Comores, Ma- de MAR., através de Ve- do sistema de contabilidade
identificada, os comandantes UE. É um projecto de quatro dagáscar, Malawi, África do rónica Macamo, ministra do Fundo de Gestão de Cala-
das FDS, SAMIM e Ruanda anos (2022-2026) com orça- Sul, Tanzânia e Zimbabwe têm dos Negócios Estrangei- midades, a cargo do INGD.
(RDF) têm vindo a reforçar a mento de até USD 1000 mi-
Quinta-feira, 18 de Novembro de 2021 |dastaques | zambeze |5

Segundo secretário-geral e candidato a lider do MDM:

Futuro da oposição depende


da organização da mesma
Elton da Graça
O Secretário-Geral do partido Movimento Democrático
de Moçambique (MDM) José Domingos cuja sua candida-
tura a presidência daquela formação política, submeteu nas
vésperas do mês de Setembro a comissão eleitoral aponta,
dentre vários desafios a consolidação da democracia interna
no seio daquela formação política que já se mostra uma reali-
dade, o resgate de membros que devido a circunstância a que
considerou desconhecidas desistiram de militar no partido,
assim como a organização da oposição, sendo que é o futuro

O
de Mocambique, no poder.

congresso que farão parte do congresso.


do Movi- José Domingos cujo seu
mento De- político é marcado pela pas-
mocrático de sagem no partido Renamo,
Mocambi- tendo posteriormente integra-
que (MDM) está marcado para do parte dos fundadores do
o dia 3 a 5 do mês de Dezem- partido MDM onde veio a ser
bro. É nesse contexto da reali- membro da comissão política
zação do congresso do MDM do partido e mais do que isso
que José Domingos secretário- ocupou o cargo de vereador
-geral e candidato a presidência no municipio da Beira, pro-
afirma que vai de cabeça ergui- víncia de Sofala considerado
da, tendo em conta que sua can- bastião daquele partido em re-
didatura basea-se na confiança lação a governação municipal.
depositada por membros da- A sua proximidade em rela-
quele partido, por lhe achar ca- ção ao falecido lider,Daviz Si-
paz de corrigir aspectos que nos mango assegurou uma popula-
últimos tempos tem concorrido ridade no seio do partido MDM
na fragilização daquela forma- vai dai que José Domingos
No entender do candi- está implantado. Mas, é pre- união quando pretende alcançar
ção política que um dia provou acredita na continuidade do pro-
dato Domingos existem va- ciso representar todos mem- o objectivo apesar de em algum
ser capaz de quebrar a tradição jecto deixado pelo então líder.
rios aspectos que precisam bros e acredita: são coisas que momento ser incompreendido
bipolar na política moçambica- “Há necessidade de cum-
de estruturação a começar do no dia dia podemos corrigir. como aquando da aprovação da
na conquistando municipios e primento de vários assuntos,
topo a base. Contudo, tudo Outrossim José Domingos lei dos órgãos descentralizados.
tranformando os mesmos para a começar pelo gênero. Por
está mercê da organização esclarece que a consolidação Neste contexto, José Do-
o bem dos seus municipes. exemplo a nossa bancada na
interna para sua concretiza- da política externaé assimido mingos que já mantém con-
“Temos que recordar que assembleia da República, o
ção obedecendo os timings. como objectivo,pois pretende versações com os partidos
foi o MDM que provou que gênero não tem muita expres-
O partido é de todos por com isso ajudar a relançar as extra-parlamentares de modo a
é possivel com base nos re- são e precisamos corrigir este
isso o lema do MDM continua representações do partido fora discutir os problemas que enfer-
cursos pagos pelos municipes cenário elevando ao expoente
sendo Moçambique para To- do país. “ É uma ofensiva di- mam o país bem como desenhar
alocar servicos para o bem máximo essa oportunidade “
dos, por isso segundo Domin- plomática nas maiores praças soluções para o próximo século.
dos mesmos, o exemplo veio começou por dizer José Do-
gos há um trabalho de fundo eleitorais da diáspora” disse Sobre os últimos acon-
da Beira, Nampula , Gurué e mingos secretário geral que
por forma a consolidar este José Domingos acrescen- tecimentos que marcaram o
Quelimane” recordou o candi- ao mesmo tempo comcorre a
lema sendo que o partido já tou ainda que concorre ao país o politico ressalvou que
dato que apontou a necessida- presidência do partido do galo.
partido confiante na vitoria e o país há várias luas que dei-
de de resgate desse perfil para
reconhece que já há membros xou de prover segurança aos
um Mocambique para todos.
a trabalharem na divulgação seus cidadãos por isso crimes
José Domingos que aponta
daquilo que são as linhas mes- como sequestros e baleamen-
alguns pontos por se corrigir
tres que irão nortear sua gover- tos dos refugiados ruandeses
diz dispor de linhas mes-
nação caso se saia vitorioso no têm estado no dia dia a ga-
tres do seu manifesto eleitoral
congresso de dezembr,tendo nhar terreno e curiosamente
como a consolidação da de-
ainda aproveitado a oportu- não tem tido esclarecimen-
mocracia interna, alias José
nidade para apelar muita cal- to o que aumenta cada vez
Domingos ressalvou que essa
ma pois o comgresso deve mais a insegurança de todos.
ideia de democracia interna
servir do momento de festa. “ Em que nível chegamos?
tem se destacado dentro do
A oposição é o futuro de Que tipo de segurança pensa
partido, sendo que para o con-
Moçambique. Mas, deve ela que o país dispõe com o en-
gresso de Dezembro três candi-
estar organizada por forma a volvimento de alguns agentes”
datos nomeadamente: Silvério
alcançar o poder que almeja, questionou aconselhando para
Rounguane , Lutero Simango
salientou José Domingos acres- quem de direito a tomar uma
incluindo ele vão esgrimindo
centando que é tradição do atitude perante um problema
seus argumentos aos actores
MDM sempre foi ,primar pela que perdura já há alguns anos
6| zambeze | opinião | Quinta-feira, 18 de Novembro de 2021

Almadina Sheikh Aminuddin Mohamad

A poluição ambiental é
um enorme perigo!
O
Senhor dos Para termos noção da gravidade da emissão de gases emitidos por demónio que com a boca aberta de toneladas de resíduos para os
p l a n e t a s da poluição ambiental, basta que grandes fábricas que lançam para ameaça engolir o Mundo inteiro. países pobres. Poluem os mares
estabeleceu com nos debrucemos nas matérias a atmosfera substâncias nocivas, É por causa da poluição que e oceanos causando a morte
grande equilíbrio abordadas em conferências mas também pelos meios de surgem profundas alterações e extinção de muitas espécies
o sistema do internacionais que desde há mais transporte movidos a combustíveis climáticas como o aquecimento marinhas que contribuem
nosso Globo, para que o verdadeiro de três décadas estão sendo fósseis, daí a degradação da global e outros perigos. para o equilíbrio ecológico.
diamante deste belo espaço onde realizadas sob a supervisão qualidade do ar que respiramos, As montanhas e os glaciares Grandes reservas florestais
vivemos - o Ser Humano - não das Nações Unidas e outras principalmente nos meios urbanos. desempenham um papel estão a desaparecer devido à
enfrentasse quaisquer perigos. organizações internacionais. Associa-se-lhe também a água importantíssimo, já que contribuem ganância desmedida, o que
Em todas as coisas do Universo Foram já organizadas várias poluída pela incúria humana, para que tenhamos água fresca contribui para a desertificação
foi estabelecido um equilíbrio. conferências internacionais bem como a poluição nos locais e uma temperatura ambiente e empobrecimento dos solos,
Por exemplo, se a distância entre em diferentes países, nas quais de trabalho ao se despejar para os amena. Nas últimas décadas, e consequentemente à fome
o Sol e a Terra sofresse alguma participaram Chefes de Estado rios, lagos e mares, substâncias devido ao aquecimento global e escassez de água potável.
alteração para mais ou para e cientistas peritos na área da nocivas à saúde humana. registou-se uma grande diminuição Mas será que perante todo
menos, seria impossível imaginar poluição ambiental. Nelas foram Devido à poluição ambiental de massas de gelo. E cientistas este cenário ainda não chegou
a vida na superfície da Terra. apresentadas resoluções para morre anualmente mais gente do afirmam que as montanhas de a hora de o Ser Humano tomar
Em 24 horas a Terra gira na a tomada imediata de medidas que devido a desastres naturais. gelo no Polo Norte estão a derreter. consciência? Muito se fala acerca
sua própria órbita, completando para conter a degradação Para além disso o Mundo enfrenta Nos últimos anos, um pouco dos problemas ambientais, mas
um círculo. Se em vez de 24 do ambiente, para além de se elevados prejuízos económicos por todo o Mundo, ocorrem na prática muito pouco se tem
horas o ciclo de rotação fosse de discutir o aquecimento global devido a práticas nocivas ao crises alimentares, o que decorre estado a fazer. Morre mais gente
30 horas, ocorreriam ventos tão e as mudanças climáticas. ambiente, cifrando-se tais prejuízos da seca severa que por sua vez no Mundo devido à agressão ao
fortes que as pessoas poderiam Da mesma forma que todos em largos milhões de dólares. decorre do degelo em muitas ambiente, do que ao terrorismo!
pensar estar a tratar-se de algum os países do Mundo condenam Isto é na verdade um regiões onde sempre existiram Fábricas poluentes e
castigo divino. E se fosse de o terrorismo e a perda de vidas grande problema mundial que grandes massas de gelo. carros de modelos antigos
apenas 20 horas, tal constituiria humanas daí resultantes, e aliás este afecta não apenas a saúde, Fala-se agora na escassez circulando nas estradas lançam
um perigo para as plantas. tem sido actualmente o principal mas também muitas outras de água em várias regiões do para a atmosfera enormes
Da mesma maneira que há um tópico nos debates, nos encontros componentes da vida humana. Mundo, o que poderá no futuro quantidades de gases poluentes.
equilíbrio real no Cosmos, existe de Chefes de Estado, bem como nas A poluição tem muito a ver ser um outro grande problema. O Isslam ensina-nos a
também um equilíbrio nas questões várias vertentes da comunicação com a pobreza, com as doenças, O derretimento de grandes preservar o ambiente e a não
ambientais no planeta Terra. social, também se deve condenar e com os prejuízos económicos. massas de gelo acarreta consigo poluirmos as reservas e fontes
E um ambiente puro, a destruição de vidas humanas Ela periga os Direitos Humanos o perigo do aumento de nível das de água. Encoraja a plantação
limpo de poluição, é uma por via da poluição ambiental. básicos como por exemplo o direito águas do mar, o que por sua vez de árvores, proibindo o seu abate
grande graça de Deus. Segundo estatísticas, milhões à vida, à saúde, principalmente pode causar tempestades e cheias, indiscriminado, particularmente
É de admirar que o ambiente de pessoas morrem devido a por via do cancro dos pulmões, pondo em perigo muitas cidades, as de fruta. Proíbe-nos todos os
puro e limpo do qual depende doenças decorrentes da poluição e à protecção das crianças e dos vilas e povoações costeiras. actos susceptíveis de perigar a
a vida do Ser Humano, esteja ambiental. E alguns analistas fracos, sendo a causadora de Apesar de todos estes perigos e saúde humana. É importante
a ser poluído e destruído pelo acham até, que o número de muitas outras doenças mortíferas. estragos causados pela poluição que protejamos as florestas.
próprio Ser Humano, esquecendo- mortes causadas pela poluição É importante que haja ar puro para ambiental, o Mundo hoje, na busca S o m o s t o d o s chamados
nos que a destruição da vida ambiental possa ser superior ao a sobrevivência do Ser Humano, do desenvolvimento industrial a reflectir no que o Qur’án
humana sob qualquer que seja de pessoas que morrem devido a pois quando fica poluído, cada vez faz ouvidos moucos aos apelos diz no Cap. 30, Vers. 41:
a forma, é um acto condenável. outras doenças mortíferas como a que uma porção de ar envenenado à preservação do meio ambiente. “O estrago apareceu na terra e
Neste momento a poluição malária, a sida e a tuberculose, que é inspirada causa várias doenças Lançam-se anualmente para no mar pelo (mal) que as mãos
ambiental tornou-se um problema geralmente ocorre não só em países como o cancro, as perturbações a atmosfera, para os mares, das pessoas adquiriram, a fim
global. E todo o Mundo está pobres do chamado III Mundo mas cardíacas e respiratórias, etc. Isto rios e lagos, milhares de de que Deus lhes faça provar (a
preocupado com isso, razão pela também em países emergentes. já para não falarmos dos seus toneladas de resíduos e outros consequência, e) algo daquilo
qual este assunto tem um lugar A poluição ambiental que causa efeitos nefastos na economia. materiais tóxicos. Os menos que praticaram, para que eles
cativo na agenda das Nações Unidas. a morte, decorre em grande medida A poluição assemelha-se ao despudorados enviam milhares possam retornar (à rectidão)”.

zambezE
FICHA TÉCNICA

FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA
FICHA TÉCNICA

FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA


FICHA TÉCNICA

FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA
FICHA TÉCNICA
FICHA TÉCNICA
FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA
FICHA TÉCNICA FICHA TÉCNICA
O n d e a n a ç ã o s e r e e nc o n t r a

Registado sob o nº 016/GABINFO-DE/2002 Director: Ângelo Munguambe | Cell: 84 562 3544 Grafismo: NOVOmedia, SARL
(E-mail: munguambe2 @hotmail.com Fotografia: José Matlhombe
Propriedade da NOVOmedia, SARL
Revisão: AM
Editor: Egídio Plácido | Cell: 82 592 4246 ou 84 771 0584
Direcção, Redacção Maquetização e Administração: (E-mail. egidioplacidocossa@gmail.com)
Av. Emília Daússe nº1100 (casa da Educação da Munhuana)
Expansão:
Alto-Maé - Maputo Redacção: Ângelo Munguambe, Egídio Plácido, Adélio Machaieie (Chefe), Cell: 84-7714280
Elton da Graça, Silvino Miranda (PBX) 82-307 3450
Cell: 82-307 3450 (PBX)
zambeze.comercial@hotmail.com Publicidade:
Colaboradores: Kelly Mwenda (Manica), Egídio Plácido
Crizalda Vilanculos, Jordane Nhane Cell: 82-5924246 | 84-7710584
Conselho de Administração egidioplacidocossa@gmail.com
Arminda Janfar Colunistas: Sheikh Aminuddin Mohamad, Cassamo Lalá,
Impressão: Sociedade do Notícias S.A
Francisco Rodolfo, Douglas Madjila, Randulani
Quinta-feira, 18 de Novembro de 2021 | opinião | zambeze |7

C assamo L alá * S obre o A mbiente R odoviário

O seguro automóvel
obrigatório
D
evido às pelos prejuízos ou danos consta no seu artº 6, que veículo se envolveu num fazer um seguro, interessa
constatações recebidos, excepto quando diz o seguinte: “Constitui acidente, penalização realçar o seguinte. Ao fazer
descritas no seja imputável ao lesado infracção punida com esta que corresponde na um seguro de automóvel
Relatório da ou a terceiro ou resulta de multa correspondente a apreensão do veículo. de responsabilidade civil,
Comissão
força maior estranha ao dois salários mínimos, Pelo facto de o actual para além de o cidadão
de Inquérito Independente
e Multidisciplinar que foi
funcionamento do veículo”. a colocação ou mero Código da Estrada não cumprir com a Lei,
nomeada para apurar as causas O Código da Estrada consentimento dado pelo mencionar uma multa está a garantir que, em
do acidente de Maluana, decidi publicado em 20/5/1954 sujeito sobre o qual impede por ausência de seguro caso de acidente, sendo
voltar a falar da importância que vigorou até ao ano a obrigação de segurar, para de responsabilidade responsável por indemnizar
e da obrigatoriedade de de 2011 sobre o seguro a circulação do veículo civil automóvel, que os prejuízos causados a
todos os veículos que de responsabilidade civil não coberto por seguro funcionaria como uma
terceiros, haverá condição
circulam nas vias públicas automóvel, no nº1 do obrigatório previsto na medida de persuasão, pode
de o fazer uma vez que a
terem um seguro de artº 57 dizia o seguinte: presente Lei”. Acontece estar a contribuir também
companhia de seguradora
responsabilidade civil. “As pessoas ou entidades que o Código da Estrada de para não desenvolver no
representa o segurado
O seguro automóvel civilmente responsáveis 1954 foi revogado quando cidadão moçambicano a
pelos acidentes de trânsito entrou em vigor o actual no cultura do seguro, uma nestas situações. Por outro
foi criado com o intuito
poderão transferir esta ano de 2011 (Decreto-Lei vez que faz acreditar que lado, o custo de um seguro
de garantir que os
responsabilidade para nº1/2011), este que passou ainda não foi estabelecida normal contra terceiros
lesados em situação de
quaisquer companhias a ser omisso quanto à multa uma sanção monetária ronda aproximadamente
acidente rodoviário
serão compensados dos de seguros devidamente a aplicar por falta de seguro. por ausência de seguro, 3600,00Mts por ano, ou
prejuízos sofridos, tendo autorizadas”. Como se Realmente, o actual o que não corresponde seja, 300 meticais por
como base o princípio pode verificar pela redacção Código da Estrada não a verdade, uma vez que mês. Assim sendo, não
geral da responsabilidade deste artigo, o seguro não estabelece uma multa por continua a vigorar a multa se justifica que muitos
estabelecida no Código era obrigatório, uma vez que ausência de seguro e, no correspondente a dois proprietários de veículos
Civil que diz o seguinte: dizia que os responsáveis seu artº 157, apenas diz salários mínimos, conforme optem por não fazer o seguro
“Aquele que, com dolo pelos acidentes o seguinte: “Os veículos o que está estabelecido na automóvel, o que pode
ou mera culpa, violar “poderão” transferir esta a motor e seus reboques, Lei 2/2003, já mencionada causar muitos dissabores
ilicitamente o direito responsabilidade para nos termos a serem neste escrito. Numa quando ocorre um
de outrem ou qualquer quaisquer companhias regulamentados, só podem estatística publicada, anos acidente, sendo necessário
disposição legal destinada a de seguros. Também não transitar na via pública atrás, ficamos a saber que ressarcir os prejuízos
proteger interesses alheios estabelecia nenhuma desde que seja efectuado aproximadamente 30% dos causados a terceiros.
fica obrigado a indemnizar multa. Posteriormente, seguro de responsabilidade veículos que circulam nas Entendo que as
o lesado pelos danos para garantir que os civil, nos termos da estradas do nosso país não companhias de seguros,
resultantes da violação”. lesados por consequência legislação específica”. A possuem seguro ou está
por serem parte interessada
Este princípio geral de um acidente causado única espécie de sanção caducado, uma constatação
no assunto, deviam
acabado de mencionar é por um veículo serão no Código da Estrada que devia merecer grande
também fazer pressão ao
secundado pelo que está indemnizados, foi por não ter seguro, está preocupação por parte
INATTER para se fazer
estabelecido também no publicada a Lei 2/2003 estabelecido no artº 162 de quem de direito.
de 21 de Janeiro, com o nº 1 alínea f) que diz o Importa esclarecer de constar no Código da
Código Civil no que se
refere à responsabilidade objectivo de fazer uma seguinte: “ O veículo deve que a obrigação de segurar Estrada uma multa para
dos condutores e revisão do Código da ser apreendido quando recai sobre o proprietário quem não possua um
proprietários de veículos Estrada nessa altura em tenha dado causa a um do veículo, exceptuando- seguro. A mesma pressão
e animais que diz o vigor (Código da Estrada acidente sem o seguro se os casos de usufruto, devia ser exercida para que
seguinte: “Todo o acidente de 1954), de modo a de responsabilidade venda com reserva de os agentes fiscalizadores
causado por veículo ou adequa-lo à realidade, civil nos termos da lei”. propriedade e regime de sejam mais pró-activos na
animal em trânsito nas estabelecendo desde então Tudo parece indicar que locação financeira, em exigência do seguro e na
vias públicas que atinja o seguro obrigatório de actualmente, com base que a referida obrigação penalização dos infractores.
qualquer pessoa na sua responsabilidade civil no Código da Estrada, a recai, respectivamente, *DIRECTOR DA
integridade física ou no seu automóvel. Foi esta Lei penalização por ausência sobre o usufrutuário, ESCOLA DE CONDUÇÃO
património dá ao lesado que na altura estabeleceu de seguro automóvel adquirente ou locatário). INTERNACIONAL
direito a indemnização uma multa, conforme só se aplica quando o Sobre as vantagens de
8| zambeze | opinião | Quinta-feira, 18 de Novembro de 2021

F r a n c i s c o R o d o lf o M aputadas

Para minimizar as causas da


carnificina nas estradas:
zz “Conselho Nacional de Viação”: Precisa-se!

R
ecente- lio Paruque promoveu Por isso, em nossa ANE, Conselhos Mu- próteses, de carrinhas
mente reuniões in loco na vila modesta opinião, o Go- nicipais e particulares). de rodas, de óculos, etc.
escre- Sede da Manhiça e en- verno de Moçambique, Do Conselho, faziam que poderiam no Con-
vemos controu algumas solu- deveria voltar a pôr o parte: o Ministro do In- selho Nacional de Via-
nestas ções localmente, a mais “Conselho Nacional de terior (Vice-Presidente), ção propor ao Conselho
tuas MAPUTADAS, no importante, o reforço das Viação” a funcionar, por causa da indisci- de Ministros, a isenção
teu ZAMBEZE, depois Brigadas de Fiscalização porque numa atitude de plina dos seus PT’s; de impostos de tudo que
de duas viagens no semi- (foram criadas novas) e diminuir os custos, fo- o Ministro das Obras diz respeito aos afecta-
-colectivo de passagei- o tapamento de buracos. ram tomadas medidas Públicas, por causa da dos (acidentados): desde
ros, aqueles que vão aco- Só que as medidas pelo Conselho de Minis- via, as fragilidades das operações especializa-
plados com um pequeno tomadas na Província tros, de acabar com as estradas, em caso de das, isenção de impos-
atrelado atrás, para a ba- de Maputo, não são ex- diversas “Comissões”. acidentes nos mesmos to dos auriculares para
gagem dos passageiros. tensivas à toda Zona ao Só que no meio da locais, pois, era este surdos, carrinhas, etc.
Indicaramos nos no Sul do Rio Save, na EN1 medida, foi incluído o órgão que determinava Provavelmente o
trajecto Maputo/Ma- (Estrada Nacional n.º “Conselho Nacional de superiormente a análi- Conselho de Ministros
xixe e vice-versa onde 1), como Maputo Cida- Viação”, que em ter- se e correção em tempo deve tomar medidas
e a que horas os moto- de, Gaza e Inhambane. mos de despesas quase atempado e oportuno; para estancar o mal, to-
ristas pararam para pa- Depois do acidente não tinham nenhumas, o Ministro de Defesa, davia, o modelo que
gar “saguate” aos PT da Manhiça, o Conselho já que o seu Secretaria- este mistério tem frotas funcionava (ou deve-
(Polícias de Transito). de Ministros, de acordo do era de acordo com o de viaturas, escolas de ria funcionar) deve ser
Os subornos são feitos com o porta-voz, Filimão Decreto, garantido pela condução entre outras; equacionado. Pois foi
à luz de dia não se preo- Suaze tem um plano para INATTER (Instituto o Ministro de Saúde, fruto de varias análise e
cupando os PT de verifi- minimizar a problemáti- Nacional dos Transpor- que é aquele que depois seminários no passado.
car seja o que fosse com o ca dos acidentes de via- tes Terrestres), que tinha dos acidentes fica com Há que referir que,
estado das viaturas, uma ção. Não deu detalhes… Conselho de Adminis- “batata quente” (mortes se o Conselho Nacional
pergunta aos passageiros Depois disso, nos tração não executivo, nas morgues, doentes li- de Viação for reativado,
“como estão a viajar” e momentos que escre- presidido pelo General geiros e graves, sendo com Secretariado pró-
outras, como é seu dever. vemos estas tuas MA- Alfiado Sitoi, extinto estes últimos “clientes” prio (poderia funcionar
Depois do “saguate” PUTADAS os órgãos recentemente e criado permanentes do ministro no INATRO) poderia
no bolso voltam ao seu de comunicação deram o INATRO (Instituto Doutor Armindo Tiago, pressionar que os Conse-
posto, sem verificarem conta de um acidente Nacional dos Trans- pois estão sempre em lhos Provinciais de Via-
seja o que for, no que à de viação em Chongo- portes Rodoviários), tratamento permanente, çãofuncionassem e estas
segurança rodoviária diz la, distrito de Inharrime, com um CAexecuti- devido às sequelas pro- presididas pelos Gover-
respeito: pneus carecas, com mortes e feridos vo, sem Direção Geral. venientes dos acidentes. nadores Provinciais).
iluminação, triângulo, graves (que o número Porquê defendemos Este ministro, no Porque depois de
lotação, excesso de ve- de óbitos está a subir). a existência do Conse- Conselho Nacional de pronto estas MAPUTA-
locidade, entre outras. Outro na Massinga… lho Nacional de Viação? Viação poderia colocar DAS foram anunciadas
Depois das nossas Dada a gravidade dos Este órgão era compos- o drama que é vivido no dois acidentes em Inharri-
MAPUTADAS verifica- feridos, muitos dos aci- to na altura da sua cria- seu Sector, com maior me, em Chongola e outro
ram-se acidentes de via- dentados não terão vida ção pelos Ministros dos sensibilidade, do que no distrito de Massinga,
ção na Manhiça, o que normal. Não vamos aqui Transportes e Comuni- os ministros dos Trans- com mortos e feridos, vol-
levou o Governador Pro- pedir que as autoridades cações que era Presi- portes e Comunicações taremos ao assunto na pró-
vincial, Júlio Paruque nos digam se as viaturas dente, porque é o Sector e das Obras Publicas e xima crónica, pois, acha-
com o seu elenco, pois envolvidas tinham segu- dos Transportes quando RecursosHídricos, que mos no dever de contribuir
15 mortos no local é no- ros contra todos os riscos, há desastre de viação (já removida as viaturas, para os órgãos decisores
ticia para abrir os noti- no sentido de salvaguar- que as viaturas, circu- volta à sua rotina. Ar- das políticas de trans-
ciários de todo o mundo. dar possíveis danos. Por- lam nas estradas que são mindo Tiago arca com a porte e estradas, o Go-
O Governador Jú- que essa é outra estória. de diversas entidades, maka, por exemplo das verno de Moçambique.
Quinta-feira, 18 de Novembro de 2021 | opinião | zambeze |9

D ouglas M adjila

Política de números Editorial


enxovalha a evolução
mental das crianças Moçambique precisa

C
ertamente as crianças de outrora não são as mes-
de uma luz no fundo
da escuridão
mas que as de hoje, até há alguns anos bastava
aos petizes considera-los como flores que jamais

M
murcham, e a única obrigação dos adultos dessa
época era simplesmente tomar conta dessas flores,
nesses cuidados constava o dever de educa-las formalmente, isso oçambique navega no meio de um turbilhão de dificul-
num contexto nacional do programa samoriano, claro incluso no dades, mas apesar desta síndrome, a vontade de vencer
das Nações Unidas, nesse âmbito de dar as crianças o que é delas não tem mãos a medir.Com o país literalmente a saque
por direito, a questão da educação formal tornou-se uma agenda em todas as direcções, e com milhares de gente a passar
incontornável, constituindo-se a partir de tudo isto um plano para das mais bizarras dificuldades, não mexer palha seria
erradicação do analfabetismo e eis que até hoje, a luta continua. assinar um certificado de incompetência ao Governo. Não dar dignidade
Nessa continuidade de fazer com que todo cidadão saiba no as pessoas e piscar o olho seria o mesmo que pactuar com a desgraça deste
mínimo ler e escrever, os canos acabaram todos apontados para majestoso povo, que nunca ou dificilmente conhece a paz séria e duradoira.
os números, desde os tempos de lá a educação vem gerindo isso,
É de saudar o ambiente que se vive actualmente no sentido de contornar os
matricular o máximo possível e mesmo por causa da gestão do
espaço escolar, aprovar o máximo possível, nesse contexto a edu- índices da criminalidade, da corrupção, dos acidentes de viação e da guerra que
cação em Moçambique tem se cingido apenas no alcance numérico. nos é movida de fora e internamente. E isto não é tarefa fácil. Exige seriedade
Mas, mudam-se os tempos e com os tempos mudam-se os objecti- do Governo, e sobretudo requer que o Presidente da República esteja atento
vos. A educação debate-se agora com novos problemas, discute-se a a todas e quaisquer manobras de diversão que possam por ventura e aventura
torto e a direito a questão da qualidade de ensino e nessa discussão surgir. Não se pode, de forma alguma, desviar as atenções a este combate,
o fulcro problemático tem sido sempre a questão numérica, é muito pois isso seria defender o roubo descarado, protagonizado por facínoras sem
aluno para muito pouca sala de aula. Esse debate está até a transbor-
vergonha na cara que pululam nas instituições deste país. A PGR, por exem-
dar de tanto se encher o ouvido da sociedade moçambicana e mesmo
assim não existe capacidade para resolve-lo, aliás tende a piorar. Pois
plo, ao ter aberto processos contra os cabritos do EMATUM e outros já deu
a sociedade cresce junto a ela crescem as necessidades e os planos a meio passo no sentido de proteger os interesses da Nação, pecando apenas
passos largos do feito muito pouco, ou então nada feito, e o resultado pelo atraso na incriminação de outros parceiros do tacho do famigerado atum.
é uma nação até ridícula de retrógrada. Mas a biologia que já atingiu
Com a visível penalização destes abutres, o Estado moçambicano
o seu estágio cómodo e se quer depende de vontades para fazer valer
a sua existência, nem se importa até em se deixar avançar na taxa está a dar um sinal claro de combate à impunidade, e lança ao mesmo
de natalidade e tais indivíduos carentes de alfabetização, crescem tempo um aviso à navegação de que ninguém está acima da lei, de que
efusivamente afogando planos da educação na sua desfocada agenda. quem procurar tirar para si o que é de todos terá a mão pesada da Lei.
Os dias são outros, as crianças são muitas e também outras mas, As riquezas do país devem servir aos que a criam com trabalho e suor. As
as entidades governativas para além de correr com o número de
famílias e todos aqueles que o escolheram para viver devem encontrar um país de
escolas a passo de camaleão, não estão a olhar por estratégias sau-
dáveis para educar, nem a aproveitar a evolução mental das novas justiça social, que dê a todos segundo o seu trabalho honesto. Que ninguém mais
crianças, estão no sentido inverso, ao invés de se aproveitar está- se aproveite do cargo que ocupa no Aparelho do Estado ou do tráfico de influên-
-se mas é a atacar as capacidades dos novos meninos. A cada dia, cias para o enriquecimento ilícito. Que a riqueza seja fruto do trabalho honesto.
em todo mundo, incluindo Moçambique, com o desenvolvimento
das tecnologias as crianças demonstram uma evolução mental alu- As forças políticas, necessárias para o desenvolvimento da nossa jovem de-
cinante que se podia aproveitar bastante no seu desenvolvimento mocracia, são também aqui chamadas a apoiar o actual combate à corrupção e
cognitivo em processos de ensino, porém, Moçambique na sua à impunidade, porque quem se sente verdadeiramente patriota tem a obrigação
miserável educação baseada apenas em números e na numeração, ética e moral de ajudar a construir um país melhor para todos. Um país de
já entalado com a falta de escolas que não consegue construi-las em
homens íntegros e solidários. Pena que os nossos deputados o sejam, apenas
quantidade necessária desde a abolição do antigo colonialismo, o
ministério da educação continua a gerir números e desta, de forma pelo umbigo, pois, na nossa óptica estes deviam juntar sinergias para projec-
tão ridícula, que deixa clarividente a regressão de todo um sistema tar um país de justiça social, virado para a solução dos problemas do povo.
nacional de educação, o adiantamento da idade escolar numa altura
A guerra que nos é movida pelos nossos irmãos no Norte já há muito devia
em que as crianças demonstram-se mais habilidosas e curiosas,
capazes de explorar coisas novas, Filipe Nyusi, Conceita Sortane ter deixado de existir. Não faz sentido! Lutarmos entre irmãos não lembra
e Manuel Bazo aplicam-nos uma estulta vacina de pendura-las ao diabo. Há mais coisas e desafios pela frente, pelo que todos os esforços
por mais tempo a espera de engrenar para aprendizagem oficial. deviam ser pensados e repensados para que possamos sentir o calor da terra
O pico desse estulto acto é o desequilíbrio etário para o qual que é de todos, e juntos enveredarmos por um caminho que nos leva à paz
esses dirigentes nem ligam, isto é, com a nova lei, crianças nas- duradoira. São de saudar os esforços, apesar de ténues, nesse sentido. É
cidas no mesmo ano entraram para escola em anos diferentes, ou de saudar a abnegação de Filipe Nyusi. Os países amigos já o disseram. É
seja, pela diferença de meses, uns começam a hora certa e outros
preciso ajudar Moçambique porque o que se passa é de lastimar e de bradar
um ano mais tarde, tudo isso para gerir números que inundaram
as escolas pela falta delas. Se faz favor dirijam com algum senti- aos céus. Afinal quem financia esta guerra? Quem com a mesma enriquece?
mento patriótico, acreditando que o país depende dessa educação. O país precisa de sossego. Político. Económico e social. O resto é cantiga!
10 | zambeze | opinião | Quinta-feira, 18 de Novembro de 2021

RANDU L ANI

Investigações Científicas Descobriram o /C/ como


Grafema que representa Um Som de Fala de uma língua, o
TXITXOPI,ou “ Debaixo de boa palavra, aí está o engano”(1)

D
epois de te processo, nomeadamen- que “por muito que o enga- guística e conceptor da Arbi- tos em CICOPI, etc. e tal.
tudo aqui- te os sectores da Cultura e no se cobre, ele mesmo se trariedade do Signo Linguís- Estas argumentações todas
lo, hou- Educação, a Universidade descobre”, e para qualquer tico. Quem se dá o tempo de apenas confirmam uma ideia
ve quem Eduardo Mondlane, a ex- um, tenha sentado num ban- ler escritos anteriores a esta óbvia, de reconhecimen-
m e s m o tinta Direcção da Educação co duma universidade ou proposta, vai perceber a lógi- to do grande equívoco, e é
se agastou com a situação e da Cidade de Maputo e os não, está claro que a ciência ca dos outros, que para dis- como diz este ditado popular
decidiu, junto de entidades peticionários, e apresentou está sendo usada debalde, tinguir o B do actual Bh, o D “Pôr carroça na frente dos
competentes, em defesa e pre- o seu relatório à IX Sessão e todos eles sabem disso. do Dh, e o V do Vh, bastava bois” e, de facto, colocou-
servação do seu património Ordinária da Assembleia da Muitos de nós sentamos colocar um acento circunfle- -se uma carroça na frente
histórico-cultural e linguís- República para debate e po- durante décadas em bancos xo ou outro em cima ou em dos bois, e se pensa que é
tico, expor todo o conjunto sicionamento concludente. O de escolas de todos os ní- baixo duma dessas letras; era melhor assim continuarmos
de procedimentos adoptados caro leitor deve estar imagi- veis a aprender a tal ciência aquela a forma encontrada porque a situação é tida
para decidir símbolos gra- nando o resto, por meio da e pouquíssimos conhecem para diferenciar o som bran- como normal por muitos.
fémicos para representar os lógica; se o sector da cultura uma ciência, com objecti- do/suave ou leve do mais for- É como sempre disse-
sons de fala do TXITXOPI e nunca se assumiu como fiel vos e métodos, que investiga te/agudo (como se se estives- mos, adoptou-se uma es-
de outras línguas moçambi- guardião dos valores identi- símbolos gráficos para re- se a pronunciar estas letras tratégia errada, uma meto-
canas do grupo Bantu. Jun- tários, incluindo as línguas, presentar sons. Todos sabe- em Português). A argumen- dologia inconveniente, uns
taram-se membros nativos da ele aparece sempre como mos que nesse domínio há tação da cientificidade do procedimentos inaplicáveis,
comunidade dos VATXOPI, convidado nestes e em outros simples e unicamente Con- /C/ apenas convém a alguns tudo por conta de uma ideia
uns de Chidenguele (Man- assuntos patrimoniais, não venções, Consensos que se neste momento, porque mui- enganadora, de que as lín-
jakaze), outros de Inharrime seria desta vez que ia apare- estabelecem entre membros tos só lá estão na onda por guas bantu são inteligíveis
e Zavala, de entre estudiosos, cer a posicionar-se do lado da mesma comunidade lin- conta de outras coisas que e por isso o seu padrão or-
clérigos, professores e outros do legítimo, do inerente ao guística. Uma simples ob- nos declinamos mencionar. tográfico deve ser o mesmo;
que se sensibilizaram com povo e sua cultura e história. servação do padrão proposto Vamos então falar do mas todos nós que temos um
esta situação e redigiram à Estas coisas todas têm para as línguas moçambica- trabalho da 8º Comissão da simples conhecimento de
Comissão de Petições, Quei- origem na Universidade Edu- nas, percebe-se total ausên- VIII Legislatura daquele ano línguas no mundo sabemos
xas e Reclamações da As- ardo Mondlane sempre em cia da ciência, no mínimo de 2019, das auscultações leva- que há tantos grupos e famí-
sembleia da República uma coordenação com o sector da coerência e racionalidade: das a cabo junto dos interve- lias de línguas inteligíveis
missiva, a solicitar um po- Educação, principalmente,o os símbolos B/Bh, D/Dh, nientes. Segundo o informe mais que as nossas, entre-
sicionamento daquele órgão da Cultura tem sido um mero V/Vh, só para citar alguns desta, anexo à resposta for- tanto cada língua tem o seu
sobre o real sentido da legis- assistente, quando devia ser exemplos, são, no dizer do mulada ao grupo peticioná- padrão ortográfico, porque
lação e demais comandos le- o patrono desta maratona. A autor de “Uma Gramática rio, todos eles convergem na a questão de codificação e
gais vigentes e vinculativos, 8º Comissão certamente sa- do TXITXOPI”, monstruo- cientificidade, nas investiga- padronização ortográfica diz
nacionais e internacionais, bia que ia confirmar o que os sidades ortográficas, porque ções científicas que geraram respeito aos donos da língua,
nomeadamente a Declara- peticionários expuseram e, é um erro grande tentarmos todos os símbolos, incluindo aos falantes nativos e verná-
ção Universal dos Direitos por uma questão de razoabi- fazer uma abstração incon- o /C/; um falou até do Alfa- culos, e esse direito não se
Linguísticos e subsidiaria- lidade político-governativa, veniente, de fazer de contas beto Fonético Internacional, delega, por isso os VATXO-
mente o Plano Estratégico também sabia que não iria que não estamos enraizados que foi usado como base da PI escrevem de acordo com
da Cultura, 2012-2022, bem contrariar aquelas argumen- nas línguas europeias, o Por- proposta padrão, outro falou a sua própria convenção e em
como uma brochura sobre a tações todas, com rótulos tuguês para o nosso caso. e falou mais de dados esta- conformidade com a delibe-
política Linguística, do ex- duma tal cientificidade que Portanto, convenciona- tísticos, de tantas crianças ração da Assembleia da Re-
tinto Ministério da Cultura. se está a tornar um dogma -se dizer que esta letra se que aprendem em CICOPI, pública – O Povo Txopi deve
A 8º Comissão fez o seu pior que as doutrinas expur- pronuncia assim e significa de centenas de professores continuar a escrever com
trabalho, à moda moderna, gadas. E isto só nos lembra isto doravante, porque assim que ensinam em CICOPI, (TX), como reconhecimento
ouvindo os envolvidos nes- um ditado popular que diz disse Saussure, o pai da lin- de milhares de livros escri- de independência e liberdade.

Comercial

Departamento Comercial
ANUNCIE NO Contactos: (+258) 82 307 3450

ZAMBEZE
847710584 ou 825924246
E-mail: zambeze.comercial@gmail.com
Quinta-feira, 18 de Novembro de 2021 |Comercial | zambeze | 11
12 | zambeze | Centrais| Quinta-feira, 18 de Novembro de 2021

Transporte de passageiros, segurança rodoviária e protecção dos direitos humanos em Moçambique

Um Estado distraído perante a


garantia do direito à vida dos cidadãos

Há muito que os cidadãos moçambicanos reclamam a existência de um corrupto e estradas, cuja degradação é sas deficiências, mas durante
melhoria das condições de transporte terrestre e segurança precário sistema de fiscaliza- lastimável e nos dias chuvo- a noite torna-se mais perigoso
rodoviária, o que passa não só pela reabilitação das estra- ção rodoviária que em muitas sos o risco de acidente é uma a circulação de uma viatura
das e respectiva sinalização e iluminação, mas também por situações está preocupada em certeza uma vez que não é sem iluminação. Mais grave
garantir que na via pública só circulem os transportes ou verificar a carta de condução e possível identificar a parte ainda, é que o Estado prete-

S
viaturas em condições, incluindo as mecânicas. o livrete da viatura senão uma da estrada asfaltada da parte riu o investimento no sistema
outra documentação da viatura completamente esburacada. de transporte de tal sorte que
ão recorrentes o Centro de Integridade Pú- ou pequenos aspectos que per- Política pública de trans- abriu espaço para que os cida-
os acidentes blica (CIP) levou a cabo um mitam a cobrança do refresco. porte e segurança rodoviária dãos sejam transportados em
de viação que trabalho de investigação que Aliás, relativamente ao con- A Política pública de trans- viaturas de caixa aberta como
ceifam vidas culminou com a denúncia do trolo da velocidade, a Polícia porte e de segurança rodoviá- se de mercadoria se tratasse.
nas estradas, esquema de corrupção para de Trânsito (PT) não encara ria, a existir, não é conhecida Todas as viaturas, sobre-
seja devido à cultura de má a obtenção de carta de con- esta fiscalização como um acto pelos cidadãos, nem é eficaz tudo os transportes públicos
condução, ou à condução sob dução no INATTER, actual transparente e de dissuasão de uma vez que os acidentes são e semi-colectivos de passa-
o efeito de álcool, o que já se INATRO. Trata-se, pois, de condução à alta velocidade e recorrentes e fundamental- geiros, bem como os camiões
mostra enraizado em Moçam- uma evidência de como os aci- fora dos parâmetros permitidos mente pelas mesmas causas. ou carinhas de transporte de
bique, seja devido à circulação dentes que ceifam várias vidas pelo Código de Estrada, mas Um aspecto particular nesta mercadorias passam diaria-
de várias viaturas em péssimas são alimentados pela prática sim como uma actividade para matéria é que os transportes mente por diferentes postos
condições, seja devido à cor- da corrupção nas instituições ganhar dinheiro pela prática públicos ou semi-colectivos de controlo, sem condições
rupção que cria espaço para de transporte em Moçambi- da corrupção uma vez que os de passageiros, bem assim os mínimas de circulação segu-
que as pessoas que não estão que. Outrossim, as principais agentes da PT procuram a todo transportes de mercadoria, são ra e a Polícia de Trânsito faz
habilitadas a conduzir condu- estradas do País, com desta- o custo se esconder para que permitidos circular em estado vista grossa, acumulando o
zam, ou para que os cidadãos que para a N1 que liga o sul não sejam vistos pelos con- de sobrelotação dada a escas- dinheiro da corrupção que re-
queiram carta de condução ao norte de Moçambique, bem dutores ou automobilistas que sez de transporte, e em más cebe para essa permissão. Em
sem frequentar a escola de como as estradas das cidades estejam a conduzir a uma velo- condições mecânicas e de con- boa verdade, essas viaturas em
condução e que sejam admiti- capitais estão praticamente cidade fora dos limites permi- servação e muitas vezes com mau estado de conservação,
das pelo mérito e não pelo di- danificadas, esburacadas, com tidos pelas normas de trânsito. deficiente iluminação, inde- com problemas mecânicos e
nheiro que pagam para a aqui- deficiente sistema de sinaliza- Não são claros ou co- pendentemente do período do de outra natureza, recebem o
sição da carta de condução. ção e iluminação, senão qua- nhecidos os planos e estraté- dia. Não que seja permitido carimbo ou vinheta de apro-
Importa aqui lembrar que se inexistente, para além da gias para a reabilitação das circular à luz do dia com es- vação pelos Centros de Ins-
Quinta-feira, 18 de Novembro de 2021 | Centrais| zambeze | 13

garantia do direito à vida plas- necessidades de uma minoria


mada no artigo 40 da Consti- que detém condições sociais e
tuição da República e nos vá- económicas adequadas e status
rios instrumentos de protecção social aceitável, em detrimen-
dos direitos humanos de que to do cidadão pacato e pobre
Moçambique é parte, com des- que constitui o grosso do povo
taque para a Declaração Uni- moçambicano. A falta de res-
versal dos Direitos Humanos, posta eficaz das autoridades
a Carta Africana dos Direitos públicas (Governo e os Muni-
Humanos e dos Povos e o Pac- cípios) relativamente à actual
to Internacional dos Direitos crise de transporte e segurança
Civis e Políticos. Negligenciar rodoviária constitui violação a
a existência de um sistema dignidade humana e do direito
de transporte temestre e se- à vida acima de tudo. A correc-
gurança rodoviária é denegar ta administração e organização
o direito à vida e a saúde dos deste sector mostra-se pertinen-
cidadãos vítimas de acidentes te e urgente à luz da protecção
de viação pela deficiente segu- dos direitos humanos e liberda-
rança rodoviária, entanto que des fundamentais. Acabar com
responsabilidade do Estado. a crise de transporte e minimi-
As autoridades no sec- zar a sinistralidade rodoviária é
tor do transporte continuam uma grande oportunidade para
pecção de Veículos existentes ou completa. Não se percebe bem materiais, deve ser im- a comportar-se como se não o gozo de outros direitos cone-
no País, num esquema de ne- a razão pela qual o Presidente putado ao Estado porque é ele houvesse crise de transporte xos ao acesso ao transporte e
gócios da máfia da corrupção. da República nomeou para o quem está a falhar no respeito e de segurança rodoviária que para a credibilização do Esta-
Os programas de conscien- cargo de Ministro dos Trans- e implementação das suas res- urge solucionar. É uma reali- do aos olhos do cidadão. Aliás,
cialização dos automobilistas portes e Telecomunicações al- ponsabilidades. O direito ao dade clara aos olhos de qual- pode aliviar o sofrimento em
são feitos de forma ad hoc e guém que já demonstrou clara-
esporádica, sobretudo quan- mente não perceber do sector
do houve um acidente grave e de matéria de governação e
muito, cujas críticas são gene- não se percebe ainda porquê
ralizadas. Ou seja, não existe o mantém no pelouro. Não se
um programa devidamente percebe a razão pela qual o Es-
estudado e implementado so- tado e/ou Governo não levada
bre a consciencialização dos a cabo uma profunda e séria
cidadãos em geral, e dos auto- reforma no sector dos trans-
mobilistas e agentes da PT em portes, atendendo a gestão e
particular, sobre a segurança funcionalidade da Adminis-
rodoviária. O Estado também tração Nacional de Estradas
aparenta não ter o controlo (ANE), o Instituto Nacional
ou fiscalização das inúmeras de Transportes Rodoviários –
escolas de condução existente INATRO, a gestão, formação
no País, nem das qualificações e funcionalidade da PT, bem
dos respectivos instrutores. como dos Centros de Inspec-
Uma autêntica República das ção de Veículos e da gestão e
Bananas, num sector de ex- funcionalidade das escolas de
trema relevância para a pre- condução. Ademais, é impor-
servação da vida e saúde dos tante que se estabeleça uma
cidadãos. O Estado permite a eficaz colaboração destas insti-
venda e publicidade de bebidas tuições entre si e com as verea-
alcoólicas ao longo da estrada, ções de transportes municipais. acesso ao transporte seguro ou quer pessoa de diligência mé- massa dos utentes dos transpor-
particularmente nos passeios O fracasso dessas refor- à circulação rodoviária segura dia que as estruturas do poder tes públicos e semi-colectivos
que acompanham a estrada, mas e a deficiente fiscalização integra o leque dos direitos so- público reflectem uma séria de passageiros (os chapas) e de
nas bombas de combustível rodoviária num contexto de ciais essenciais das sociedades desconexão de comunicação diferentes automobilistas que
e nas paragens dos transporte inúmeros acidentes, tendo em modernas e garantia de um sis- entre si e com o povo. O Go- se fazem à estrada. O Governo
público de passageiros como conta as condições das estra- tema rodoviário seguro e uma verno demonstra sinais de es- necessita de ouvir mais o seu
se de um incentivo ao consu- das, a perda das vidas e dos das formas de efectivação da tar fechado aos problemas ou povo e resolver os problemas
mo de álcool aos condutores básicos dos grupos vulnerá-
ou automobilistas se tratasse. veis, bem como garantir que
. Responsabilidade do sector chave, como o de trans-
Estado pela inseguran- porte, seja gerido por pessoas
ça rodoviária e denegação qualificadas e competentes.
do direito humano à vida Urge ainda um estudo aprofun-
Falta uma transparente dado sobre as várias respon-
prestação de contas relativa- sabilidades do Estado no que
mente à canalização dos nos- respeita ao sector transporte e
sos impostos para a reabilita- segurança rodoviária e o nível
ção das estradas e introdução de prestação de contas sobre a
de diversos mecanismos efi- actividade do Estado neste sec-
cazes para a efectiva garantia tor. Nos casos de fracasso do
da segurança rodoviária, de tal Estado no cumprimento das
modo que os cidadãos não têm suas obrigações que tem como
real conhecimento do que o consequência a perda de vidas
Estado está a fazer nas estradas por acidentes de viação devi-
para minimizar a problemá- do à insegurança rodoviária, é
ticas dos acidentes de viação preciso por em prática os com-
que tiram a vida de inúmeros petentes processos de respon-
cidadãos e os colocam numa sabilização do Estado e indem-
situação de invalidez parcial nização das vítimas. (CIP)
14 | zambeze | nACIONAL | Quinta-feira, 18 de Novembro de 2021

Campanha Anti- Adalberto Costa Júnior ofusca Lourenço

Impedir congresso da UNITA foco actual

A campanha que o regime do MPLA vem moven- reunião do BP/MPLA na qual pessoa e à sua acção. O temor que pecialmente usada para minar
do contra Adalberto Costa Júnior, com o fim deduzido João Lourenço, de forma consi- João Lourenço deixa transparecer a FPU, foi a primeira do género
de comprometer a sua apresentação às eleições gerais de derada “empenhada” se referiu a em relação a Adalberto Costa Jú- usada em toda a campanha. É cor-
2022 como “cabeça de lista” da UNITA, é apontada por tal desfecho; como algo que não nior como seu adversário político, rente a ideia de que prejudicou a
fontes consultadas como o elemento que em mais eleva- servia “os interesses do partido”; reside, em especial, na sua popula- credibilidade da justiça angolana,
da escala tem contribuído para desgastar internamen- muito fora feito para o contrariar, ridade interna – de dimensão con- como demonstração da capacida-

N
te a imagem/credibilidade do Presidente João Lourenço. conforme referiu, incluindo ini- siderada ajustada a um aglutina- de de interferência do poder polí-
ciativas por ele próprio conduzi- dor de toda a oposição ao regime. tico no sistema judiciário. A de-
os últimos referidas alas, a que contesta
das junto de figuras da UNITA. O afastamento de Adalberto sinformação mediática ou por via
dias, a campa- Adalberto Costa Júnior, é consti-
- Em Outubro, esteve na ori- Costa Júnior da presidência da das redes sociais e de alguns sites
nha tem vindo tuída por um diminuto grupo de
gem de “diligências” que leva- UNITA ocorreu por efeito de uma que difundem informação falsa,
notoriamente indivíduos supostamente “ins-
ram à produção do acórdão do operação de “lawfare” – uma mo- e até alguns meios de comunica-
a passar por trumentalizados”. A exploração
TC, neste caso influenciado pelo dalidade então usada pela primeira ção, é o género mais recorrente.
um “forcing”. O propósito da evi- mediática e propagandística que
chefe do SINSE, Fernando Miala, vez na campanha contra o mesmo. A presente fase da cam-
dência, conforme interpretações/ o regime faz do seu protagonismo
para o qual a criação da Frente Pa- Com base numa fundamentação panha contra Adalberto Costa
percepções abalizadas, é o de con- visa criar um clima psico-polí-
triótica Unida (FPU) visava pre- considerada “frouxa e incoeren- Júnior é avaliada como mais
trariar/impedir a realização, 03-04 tico desfavorável ao congresso.
parar o derrube do regime, razão te” o TC anulou o congresso do intensa que outras, anterio-
de Dezembro, de um congresso O “forcing” actual é também
que obrigava a agir celeremente. partido de 2019 que o elegeu, res. Na perspectiva do regime,
da UNITA. Atentas as circunstân- visto como “recurso” imposto pe-
O temor especial em relação o que, supletivamente, provo- a realização próxima de um
cias especiais que levaram à sua los “insuficientes” efeitos produzi-
à FPU é alimentado pela ideia cou o seu afastamento do cargo. congresso da UNITA em con-
convocação, o congresso, a ocor- dos na unidade interna da UNITA
de que a sua natureza de pla- Os danos que a campanha dições de reeleger Adalberto
rer, culminará com a “reposição” pelo acórdão do Tribunal Consti-
taforma alargada a toda a opo- contra Adalberto Costa Júnior Costa Júnior para a presidên-
de Adalberto Costa Júnior no tucional (TC) que afastou coerci-
sição ao regime, tendesse a vir tem infligido a JL são conside- cia, tendencialmente por uma
cargo de presidente da UNITA. vamente a direcção de Adalberto
suscitar a adesão não apenas de rados resultado da conjugação maior ainda mais substancial
De acordo com informações Costa Júnior. A tranquilidade que
partes da sociedade tradicional- de três factores, entre outros: que em 2019, representaria um
consistentes, o referido “forcing”, a UNITA deixou transparecer
mente conotadas com o MPLA, - É visto como “men- revés a que não deve expor-se.
cujo lançamento coincidiu tem- ante a “emergência” desfeiteou
e agora descontentes em relação tor” da campanha (de moto A ideia generalizada do
poralmente com o regresso de diferentes expectativas do regi-
a João Lourenço, mas também próprio ou agindo a conse- envolvimento de João Lou-
João Lourenço de uma viagem me – razão do referido “recurso”.
de franjas do próprio regime (fe- lho do chefe do SINSE, FM). renço na campanha faria com
ao estrangeiro, foi determinado A participação descrita
nómeno de que têm vindo a ma- - Considera-se que reve- que um tal resultado (vitória
por si próprio. As acções postas como “preponderante” de João
nifestar-se sinais concludentes). la fraqueza e falta de confiança de Adalberto Costa Júnior) o
em marcha, em geral dissimula- Lourenço na campanha con-
Supostamente ciente de que em si próprio para se bater com fragilizasse pessoalmente ante
ções, visam desestabilizar/dividir tra Adalberto Costa Júnior vem
a campanha contra Adalberto um adversário político contra o o congresso do MPLA, marca-
internamente o partido (ou pro- do antecedente e está ilustrada
Costa Júnior estaria a afectar a qual apresenta meios desiguais. do para uma semana depois. O
mover tal aparência) de modo em episódios cuja veracidade
sua imagem interna e externa, - A persistência e duração cenário de uma acrescida con-
a inviabilizar o seu congresso. é garantida por meios com ca-
em especial devido aos meios e da campanha converteu Adal- testação interna a si próprio, em
A narrativa em que a campa- pacidade de acompanhamento
métodos usados, João Lourenço berto Costa Júnior em “víti- geral baseada em argumentos
nha assenta apresenta a UNITA do “inside” da política interna:
tentou, através de um mensageiro, ma” – um dos factores da sua que põem em causa as suas ap-
como um partido dividido em - Em 2019, uma semana
aproximar-se do líder da UNITA, elevada popularidade interna. tidões como líder do partido, ten-
duas alas – uma definição con- depois da eleição de Adalber-
mas na condição de que o mesmo A acção de “lawfare” repre- deria, nesse caso, a avolumar-se.
siderada exagerada. Uma das to Costa Júnior, teve lugar uma
fizesse cessar os “ataques” à sua sentada pelo acórdão do TC, es- (África Monitor/Zambeze)
Quinta-feira, 18 de Novembro de 2021 | nacional | zambeze | 15

Vencedores do “Prémio Ciência Aberta” no contexto


da celebração do Dia Mundial da Ciência
Superior de Ciências Marinhas e cada vez mais na busca de soluções
Costeiras (ESCMC) da Universi- para os desafios actuais que o País
dade Eduardo Mondlane (UEM). enfrenta” e “Consciencializar a so-
O Júri do concurso ‘Prémio ciedade sobre a importância da ci-
Ciência Aberta’ foi presidido pelo ência e educação científica para as
Prof. Doutor António Honguane gerações futuras”, a começar por
que asseverou o facto de a compe- “jovens motivados a seguir a car-
tição em torno da Ciência Aberta reira de investigação científica”.
ter, por um lado, visado “enalte- O Acto de consagração dos ven-
cer o Papel da Ciência na promo- cedores do ‘Prémio Ciência Aberta’
ção do desenvolvimento e bem- efectivou-se no âmbito das cele-
-estar da população” e, por outro, brações centrais do Dia Mundial
“inspirar o Gosto pela Ciência nas da Ciência na Cidade de Quelima-
gerações mais novas e engrande- ne, Província da Zambézia, apoia-
cer o Papel dos cientistas, investi- das pela UNESCO e organizadas
gadores e inovadores na promoção e promovidas pelo Conselho dos
da ciência, tecnologia e inovação”. Serviços de Representação do Esta-
O Prof. António Honguane reve- do (CSRE) na Província da Zam-
lou que um dos factores que nortea- bézia, através do SPAS-Z (Serviço
ram a realização do ‘Prémio Ciência Provincial de Assuntos Sociais da
Aberta’ na Província da Zambézia Zambézia) e do Departamento de
foi o de, em pleno 10 de Novem- Ciência, Tecnologia e Inovação
bro, Dia Mundial da Ciência, “De- (DCTI), sob o lema “Construir Co-

O
safiar os cientistas a se empenharem munidades Prontas para o Clima”.

anúncio dos vencedores do ‘Pré- Comercial


mio Ciência Aberta’ aconteceu
ma manhã de 10 de Novembro,
por sinal Dia Mundial da Ciên-
cia; assinalado anualmente desde
2001 por iniciativa da UNESCO (Organização das
Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultu-
ra”. Em Moçambique, as cerimónias centrais do
Dia Mundial da Ciência evoluíram no IFPQ (Ins-
tituto de Formação de Professores, Quelimane),
na Cidade de Quelimane, Província da Zambézia.
O Acto de atribuição do ‘Prémio Ciência Aber-
ta’ foi honrado pela presença da Secretária de
Estado na Província da Zambézia, Judith Mus-
sákula Faria; pela Directora Nacional de Ciên-
cia, Tecnologia e Inovação, Eugénia Flora Cossa;
e pelo Director dos Serviços Provinciais de As-
suntos Sociais da Zambézia (SPAS-Z), Ramada-
ne Carlos José; e ainda por demais Individuali-
dades do panorama político, social, académico,
municipal e escolar da Província da Zambézia.
Foi presenciada por uma larga audiência com-
posta por pessoas ligadas à investigação, docência
universitária, inovação, vida estudantil e escolar,
e segurança e ordem pública; e que estavam dis-
postas como um mosaico de elementos “fixados”
de forma-afastada no interior da enorme Sala de
Convívio do IFPQ. Foram, assim, consideradas e
executadas medidas de prevenção da COVID-19,
ao se ter inicialmente interceptado todos os parti-
cipantes, à-entrada do IFPQ, com o dispositivo de
medição da temperatura corporal, passando-se pela
desinfecção das mãos e se concluindo com o aler-
ta de tomada da atitude de cada participante manter
o uso da máscara e o distanciamento interpessoal.
Ao ‘Prémio Ciência Aberta’ concorreram seis (6)
investigadores académicos; os quatro melhores clas-
sificados e vencedores do “Prémio Ciência Aberta
2021 na Zambézia” foram os seguintes: Prof. Dou-
tor Ali Salimo Omar Muadica, da Universidade Li-
cungo (UniLicungo) e que se saldou em primeiro
lugar. Em segundo lugar fixou-se o Prof. Doutor
David Silvestre Chabai Mudzenquerere, também
da UniLicungo. O Prof. Doutor Calisto Manuel
Máquina, da Universidade Zambeze (UniZambe-
ze), quedou-se em terceiro lugar. Em quarto lugar
ficou o Doutor Horácio Luís Respeito, da Escola
No leito do grande rio Onde o n e g ó c io se r e e nc o n t r a

Moçambique e Indonésia
estabelecem ponte comercial
Como ponto mais alto da celebração dos 30 anos da
chancelaria diplomática entre Moçambique e Indonésia,
foi ontem, quinta-feira lançada a Câmara de Comércio
Moçambique – Indonésia, com objectivo de alavancar as

S
relações comerciais entre os dois países.

ituado entre ra de negócios da agremiação


Ásia e Oceania, por forma a ampliar a escala-
o Arquipélago bilidade dos seus negócios.
da Indonésia é o Para sustentar, Bilale,
quinto território afirmou que, “Actualmen-
mais povoado do mundo, com te, as trocas comercias ente
uma economia que regista um os dois países é estimada em
PIB de cerca de um trilhão de sessenta milhões de dólares
dólares americanos, como fru- anuais e com a Câmara, pre-
to do proveito que este país tira tendemos atingir cerca de
da sua localização geo-estraté- 600 milhões por ano, atra-
gica e do seu capital humano. vés dos sectores de Recursos
Com projecção para ocupar Minerais, Energia, Teleco-
a posição de quinta maior eco- municações, Comércio, Agri-
nomia mundial é um atractivo cultura, Pescas, Imobiliária e
para o empresariado moçam- Saúde.” Concluiu o timoneiro.
bicano, que poderá ser po- No seu discurso de oca-
tencial fornecedor de matéria sião, Herry Sudradjat, Em-
prima para produtos Made in baixador da Indonésia em portação entre ambos países. ções económicas e comerciais participação de empresários mo-
Indonésia, o que incentivou a Moçambique, referiu que a Já o Embaixador de Mo- com os países amigos, em espe- çambicanos e indonésios, para
criação da Câmara de Comér- Câmara de Comércio é uma çambique na Indonésia, Bel- cial no continente asiático, com alémderepresentantesdogoverno.
cio entre as duas economias. oportunidade para empresá- miro Malate felicitou os promo- vista a atrair cada vez mais inves- A cerimónia foi caracteri-
Para Fernando Bilale, Pri- rios moçambicanos do sector tores da criação da câmara, tendo tidores assim como capitalizar o zada pela exposição do poten-
meiro Presidente da Câmara primário entrarem para cadeia sublinhado que “aparece num mercado que elas oferecem.” cial económico e cultural da
Moçambique-Indonésia, é ne- produtiva do seu país e que já momento em que o nosso gover- O evento de lança- Indonésia que também é um
cessário que os empresários existe um acordo comercial no se multiplica em esforços para mento teve lugar no Ho- destino turístico e que se evi-
nacionais aproveitem a cartei- para taxas preferências na ex- aprofundar e diversificar as rela- tel Glória e contou com a dencia pela sua biodiversidade.

Vale atinge recorde de 1 milhão


de toneladas de carvão em Outubro
A
produção da, Gerente Executivo da Ope- lhão de toneladas reforça
de carvão ração da Mina, “este é o resul- o compromisso em manter
na Mina de tado do empenho das equipas uma operação competiti-
Moatize ul- e do trabalho de revitalização va e garantir a continuida-
trapassou 1 das usinas”. Leonardo Xerinda de operacional da indústria
milhão de toneladas no último realça a segurança operacio- do carvão em Moçambique.
mês de Outubro, um resulta- nal como um elemento-chave Em linha com o seu pilar
do significativo que já não era sendo importante“ garantir estratégico do Novo Pacto
alcançado há mais de 3 anos. sempre que estamos a operar com a Sociedade e enquanto
Assim, Outubro ficou mar- de forma segura e que cada um procura conduzir um processo
cado por um forte desempe- se supera no seu ramo de ac- responsável de identificação
nho operacional da activida- tuação, pois só assim teremos de interessados no negócio de
de mineira com a produção resultados que ultrapassam carvão, a Vale manterá todos
a ultrapassar, só num mês, a nossa expectativa”, apon- os seus compromissos com a
mais de 1 milhão de tonela- ta ainda Leonardo Xerinda. sociedade e os stakeholders,
das processadas de carvão Todo o esforço e inves- incluindo obrigações assu-
metalúrgico e carvão térmico. timento empreendidos para midas relativamente a cola-
Segundo Leonardo Xerin- atingir o marco de 1 mi- boradores e comunidades.
Quinta-feira, 18 de Novembro de 2021 No leito do grande rio Onde o n e g ó c io se r e e nc o n t r a
zambeze | 17

Custas judiciais dificultam acesso à justiça


Um estudo publicado pela Associação Moçambicana de
Juízes (AMJ) revela que a complexidade do regime jurí-
dico das custas judiciais e a sua consequente imprevisibi-
lidade influenciam negativamente no acesso à justiça, por

E
parte dos cidadãos e das empresas.

laborado em a maior parte dos que reclamam,


parceria com o principalmente os que recla-
Centro de Estu- mam da carestia das custas, não
dos Sociais da sabe fazer as contas”, sublinhou.
Universidade Para justificar o seu posicio-
de Coimbra e financiado pela namento, Carlos Mondlane re-
Fundação para a Melhoria do feriu que, neste momento, “Mo-
Ambiente de Negócios (FAN), çambique tem as custas judiciais
o estudo, denominado “Justiça mais baixas, se comparado com
e Ambiente de Negócios: Uma o universo da SADC (Comuni-
Reflexão sobre os Tribunais e os dade para o Desenvolvimento da
Litígios Relacionados com o Co- África Austral), PALOP (Países
mércio e as Empresas”, aponta Africanos de Língua Oficial Por-
como fraco o domínio, no seio tuguesa) e UA (União Africana)”.
dos mandatários judiciais e de- Ainda que as pessoas não
mais funcionários dos cartórios tenham condições ou recursos, ambiente de negócios saudável”. ambiente de negócios, pois vai pacitação dos actores relevantes,
dos tribunais, das fórmulas usa- acrescentou o presidente da AMJ, Afirmou, ainda, que “O Estado contribuir para o aprimoramen- envolvimento dos grupos-alvo
das no cálculo dos preparos e na “o Estado não pode impedi-las vê na arrecadação de impostos e to da legislação e eficiência da da legislação nas acções de iden-
determinação do valor de impos- de aceder à justiça por causa da taxas a sua fonte de subsistência actuação do judiciário, com des- tificação de reformas, entre ou-
to em diferentes tipos de acções. questão dos custos. Há outros e, para tal, os tribunais também, taque para a vertente comercial. tros”, sublinhou Carlos Mesquita.
Apesar de estas constatações mecanismos alternativos à justi- em contrapartida da prestação de “O diagnóstico feito pelo es- Por seu turno, o director
fazerem jus a várias correntes ça, até porque a Constituição da serviços judiciários, contribui- tudo traz elementos substanciais executivo da FAN, Nuno Re-
da sociedade que consideram República estabelece o princípio rão para o erário público. É este e relevantes, que nos encorajam mane, afirmou que este estudo
que as custas judiciais são um do pluralismo jurídico, e a mais- valor que serve para a expansão a prosseguir com reformas mais vai permitir a reavaliação (das
impedimento para o acesso à -valia deste estudo resulta, tam- da rede de tribunais, alocação de eficazes na área comercial, uma fórmulas de cálculo) das custas
justiça, o presidente da AMJ, bém, do facto de apontar as fon- mais recursos humanos, materiais área crucial e determinante para judiciais, e, por essa via, tornar
Carlos Mondlane, diz que tal tes alternativas à justiça formal”. e tecnológicos ao sector. Importa, o desenvolvimento económico do a justiça mais acessível aos ci-
não constitui verdade, e explica: O deputado e presidente da fundamentalmente, garantir que País, que está inserido num con- dadãos e o ambiente de negó-
“O problema que se coloca Comissão do Plano e Orçamen- ninguém fique prejudicado de texto regional e continental alta- cios mais fluído e desenvolvido.
não tem tanto a ver com o facto to, António Niquice, disse que aceder à justiça por ser pobre”. mente competitivo. (…) A análise “A celeridade da administra-
de as custas serem ou não eleva- a justiça e economia não podem Na ocasião, o ministro da ao funcionamento do sistema ju- ção da justiça em Moçambique
das, mas sim com a complexida- ser vistas como entidades incon- Indústria e Comércio, Carlos dicial (em matéria civil e comer- constitui um factor que pode ser
de da legislação, que é da década ciliáveis, muito pelo contrário: Mesquita, frisou que o estudo cial) e os pontos de intervenção impeditivo ou não para a captação
de 60 do século passado, que traz “Forma-se um círculo virtuoso confirma a relevância das áreas apresentados pelo estudo acarre- de novos fundos ou investidores,
critérios muito difíceis, o que tor- em que uma sustenta a outra. de reforma prioritárias defini- tam desafios nos quais o Governo e até para a harmonia entre os
na complexo o cálculo das custas Uma justiça célere, oportuna das pelo Governo e sector pri- se revê, nomeadamente a dissemi- diversos intervenientes no am-
judiciais. Hoje, em Moçambique, e transparente é garante de um vado, no quadro da melhoria do nação dos regimes aprovados, ca- biente de negócios”, concluiu.

Politécnica gradua estudantes de Telecomunicações, Gestão


Financeira e Bancária, Psicolo-
gia, Turismo e Gestão de Em-

A
presas Turísticas, entre outros.
Dentre as três unidades or-
Universidade gânicas e estruturantes da Uni-
Politécnica, versidade Politécnica, o Institu-
a primeira to Superior de Gestão, Ciências
instituição e Tecnologias (ISGCT) vai lan-
privada de çar para o mercado de empre-
ensino superior, no país, reali- go 314 quadros, dos quais 132
za este sábado, 20 de Novem- são homens e 182 mulheres.
bro, em Maputo, no âmbito O Instituto Superior Aber-
das celebrações dos 25 anos to (ISA) contribui para a ce-
da sua existência, a XXII ce- rimónia com 144 formandos,
rimónia de graduação de 560 dos quais 48 homens e 96
estudantes formados em di- mulheres, e o Instituto Supe-
versas áreas do saber fazer. rior de Altos Estudos e Ne-
Trata-se de estudantes das gócios (ISAEN) com 102
áreas de Administração Públi- profissionais, dos quais 49
ca, Auditoria, Contabilidade, são homens e 53 mulheres.
Fiscalidade e Finanças Empre- Importa referir que está
sarias, Direito Empresarial, Es- prevista na cerimómia a pre-
tratégia e Desenvolvimento de sença do ministro da Ciência,
Negócios, Formação de Forma- Tecnologia e Ensino Supe-
dores, Gestão e Administração Humanos, Gestão Social e De- Fazem, ainda, parte deste Ciências da Educação, Ciên- rior, Daniel Nivagara, e do
em Saúde, Gestão Empresarial, senvolvimento Local e Saúde grupo graduados em Adminis- cias Jurídicas, Engenharia Ci- clérigo Dom Dinis Sengula-
Gestão Estratégica de Recursos Pública e Medicina Tropical. tração e Gestão de Empresas, vil, Engenharia Informática e ne, entres outros convidados.
18 | zambeze | economia| Quinta-feira, 18 de Novembro de 2021

Defende vice-presidente da AECMA

É preciso medidas acutilantes para


salvar os empreiteiros nacionais
A
retirada das garantias bancárias no regime entidade competente ou seja
de contratação das obras públicas, forne- nestes aspectos não se dá o
cimento de bens e prestação de serviços ao poder as entidades contratan-
estado constitui um alento aos empreiteiros tes de promover os concur-
nacionais, pois vai reduzir o sufoco da classe sos e preferir os empreiteiros
dos construtores que durante anos esteve sujeita. Quem nacionais. Outro aspecto a se
assim, o diz é o vice-presidente da Associação dos Emprei- ter em conta nesse processo é
teiros da Cidade de Maputo (AECMA), Bento Machaila que que os alvarás estão distribu-
acrescenta, que as garantias bancárias “sassiavam” os bancos ídos em classes que começam
em prejuízo do Estado que em nada ganhava nesse processo de primeira a sétima até aqui
contribuindo negativamente para a participação dos nacio- tudo bem. Contudo, sucede que
nais em obras promovidas pelo estado. Bento Machaila abor- quando se promove um con-
da sobre a necessidade de estratificar as classes de alvarás em curso, a exigência começa de
função dos limites orçamentais previstos na lei como forma quarta, quinta até sétima clas-
de evitar que empreiteiros com musculatura sufoquem os me- ses prejudicando a primeira,
nos capazes durante a participação nos concursos públicos. segunda e terceira que acabam
Acompanhe nas entrelinhas deste semanário a conversa com ficando para atrás e amputados
o número dois da Associação dos Empreiteiros da Cidade de devido a pujança dos grandes.
Maputo (AECMA).
JP-E qual o problema
nisso?
JP-O governo procedeu ro, entretanto não percebia o de
BM- O problema é que a cada
com a eliminação das garan- porquê o mesmo dinheiro deve
classe de alvará está lá patente os
tias como forma de aliviar ser dado aos bancos comerciais?
e não tardou, aconteceu. Por ou- o meu entendimento é que se seus limites orçamentais, isto é
os encargos e permitir uma
JP- Quando diz que tem tro lado levantamos situações imprima medidas acutilantes um alvará primeira classe o seu
participação dos empreitei-
dúvidas sobre acesso a obra de empresas estrangeiras que como forma de salvar a classe. limite orçamental é de até dois
ros nacionais nos concursos
que mensagem pretende de forma recorrente ganham milhões de meticais, segunda vai
públicos. Qual é o posiciona- JP-Não estão a favor dos
deixar? os concursos para execução de aos três milhões e quatrocentos e
mento da AECMA em torno empreiteiros estrangeiros a
obras de altos volumes mone- a terceira dez milhões, só que há
dessa medida? BM- O acesso a obras nos disputar com os nacionais?
tários que mesmo assim não um imbróglio que muita das ve-
dias que corre tem sido desafian-
BM- Bom no meu entendi- fazem a subcontratação do na- BM- Não estamos contra zes não se percebe. É o seguinte:
te devido ao contexto económico
mento, o assunto das garantias cional como forma de repartir o os empreiteiros estrangeiros até lança-se um concurso público-
que o país atravessa ou seja o que
bancárias vem sendo discutido há bolo. Continuando, eu acho que porque temos estado a conviver com limites até três milhões de
quero dizer é que de algum tem-
décadas e não se vislumbravam o Ministériodas Obras Públicas de forma pacífica. O que preci- meticais e a entidade contratante
po a esta parte houveram muitos
soluções até que o actual ministro Habitação e Recursos Hídricos samos é acarinhamento e esse exige alvará quarta classe, a per-
concursos lançados e a preferên-
das Obras Publicas Habitação e (MORPH)deve fazer muito acarinhar não se circunscreve gunta é, o que vai fazer o alvará
cia doméstica algo já patente no
Recursos Hídricos, João Macha- mais para melhorar a vida dos apenas em dar obra ao emprei- primeira, segunda e terceiras clas-
próprio decreto não era dada vai
tine depois de várias consultas empreiteiros nacionais que se teiro. Exemplo, os empreiteiros ses no meio de empreiteiros com
dai que maioria dos empreiteiros
aos empreiteiros através das asso- sentem cada vez ameaçados temestado a acumular prejuízos, musculatura pesada quer em ter-
ficavam ausentes desses concur-
ciações tomou a coragem, tendo devidoao privilégioque se tem esses prejuízos muitas vezes de- mos de maquinaria assim como o
sos, aliás até o ministro do pelou-
decidido pela revisão pontual do sido dado a alguns empreiteiros rivam do atraso na amortização pessoal. Maior parte empreiteiros
ro reconheceu isso num encontro
decreto 5/2016 de 8 de Março que estrangeiros. Reconhecemos das facturas pelas entidades con- nacionais dispõe de alvará quarta
organizado há meses que visava
Aprova o Regulamento de con- também que estamosnum pe- tratantes, depois que concluem e quinta classe, o que de algum
a auscultação dos problemas e
tratação de empreitada de obras ríodo de dificuldades de vária as obras veem-se obrigadas a modo é um problema tendo que
propostas – soluções para reduzir
Públicas, fornecimento de ordem em decorrência da crise esperar e são juros bancários que em conta que as classes supe-
a ausência nossa em concursos.
bens e prestação de serviços ao económica que se abala no país não param de acumular, dívidas riores concorrem em pé de desi-
Foi um debate construtivo
estado. É de louvar a iniciati- desde 2015 e isso teve conse- com fornecedores e trabalhado- gualdade com as três primeiras.
em que tivemos a oportunidade
va e que continuemos assim. quências directas não só no res. São esses e outros aspectos
de exprimir aquilo que era a nossa JP-Porquê?
sector das obras, em todos, só que no meu entender devemos
JP- O que vai mudar? dor e também propor soluções
que o sector de obras que con- ultrapassar, alias esse decreto BM- Devido ao volume de
de modo a ultrapassar essa pro-
BM- No meu entendimento tribui muito para a empregabi- estão la patentes alguns pontos obras como disse anteriormen-
blemática de ausências. Um
muda muito, uma vez que vai re- lidade dos jovens está enfrentar que quanto a mim precisam ser te. Os empreiteiros de quarta
dos problemas mais levantados
duzir os encargos a que estávamos dificuldades mormente a redu- bem aprofundados tendo que em classe disputam uma obra que
nesse debate cingia-se na elimi-
sujeitos desde o momento que ção de volume de obras dai que conta as lacunas prevalecentes. devia se privilegiar ao emprei-
nação das garantias provisorias
entrou em vigor tal medida. Con- teiro de alvará segunda clas-
JP-Quais os aspectos a
tudo, uma coisa que, a mim me se, isso porque ainda não há
rever?
inquieta é o acesso a obras mes- estratificação e assim evitar a
mo assim não podemos deixar de BM- A preferência domés- disputa entre os grandes e pe-
congratular essa grande medida tica deve se tornar realidade, quenos empreiteiros que aca-
ou seja é um meio caminho an- ou seja o decreto é ambíguo bam ficando para se sentindo
dado para aliviar os empreiteiros quanto a esseponto de margem desvalorizados, aliás sou do
das garantias que quanto a mim de preferência que no seu ar- entendimento que as entidades
não faziam sentido. Exemplo, tigo 28 define cotas para cada contratantes tenham o domínio
quando o empreiteiro concorre a um dos casos. Porém noto al- dos limites orçamentais de cada
uma obra pública, concorre ciente gumas lacunas, é que decreto alvará exigidas num concurso
de que terá um benefício- dinhei- só dá prerrogativa mediante a para execução de obras. EM
Quinta-feira, 18 de Novembro de 2021 | economia| zambeze | 19

Plataforma flutuante de produção


de gás entregue a Moçambique
O Presidente da República recebeu, há dias a plataforma
de produção de gás natural do projecto Coral Sul, produzido
pela divisão industrial da Samsung, na Coreia do Sul. A pla-
taforma, chamada Coral Sul, partiu a 16 de Novembro para

O
Cabo Delgado e vai levar 60 dias até chegar a Moçambique.

Consórcio cumprimento, 66 de largura e


Conces- 38.5 metros de profundidade. É
sionário da a primeira plataforma flutuante
Área 4 da na nossa região e tem a torre
Bacia do interna mais profunda do mun-
Rovuma, na parte offshore, re- do. É a plataforma flutuante de
gistou um dos mais históricos gás natural que mais fundo vai
momentos do seu projecto de do mundo. A nível da divisão
exploração de gás natural em industrial da Samsung, esta é
Cabo Delgado: a entrega oficial a unidade naval número 2235.
da plataforma que vai produzir O Presidente da Repúbli-
3.4 milhões de toneladas anu- ca, no seu discurso, falou da
ais a partir do próximo ano. importância deste passo para
Trata-se de uma infra- a exploração do gás natural de
-estrutura que pesa 220 mil Moçambique e, consequente-
toneladas, tem 432 metros de mente, para a economia do país.
“De um pequeno produtor, sificada e robusta”, considerou e o petróleo”, disse Jae-in.
Moçambique passará a ser um o Presidente da República. O momento da entrega foi
actor relevante de gás natu- Num momento em que o marcado pelo lançamento de
ral liquefeito. Esperamos que mundo debate a necessidade fogos de artifícios, em uma
num futuro próximo, sejam de reduzir a emissão do carbo- celebração do que é a virada
estimulados investimentos na no, o Presidente da República da história de Moçambique
infra-estrutura nacional, mais Coreana, Moon Jae-in, desta- e coube à Primeira-dama de
empregos e disponibilidade cou que o uso de gás natural Moçambique, Isaura Nyusi,
de uma fonte de combustível é o melhor caminho para a a missão de ser madrinha da
para a geração de energia do- tão falada transição energé- plataforma. Nessa qualida-
méstica e industrialização de tica. “O gás natural liquefei- de, ela fez votos solenes para
Moçambique, a petroquímica to é o meio de produção de que a unidade fabril tenha
e outros produtos, resultando energia que menos emite car- produção que se espera e que
num novo dinamismo na eco- bono para a atmosfera, quan- não tenha sobressaltos ao lon-
nomia que a queremos diver- do comparado com o carvão go dos seus 25 anos de vida.

Comercial

*Serviço de inteligência exclusivo para assinates, com publicações regulares sobre politica e economia africana
*Arquivo de inteligência sobre empresas, negócios e individualidades desde década 1980
*Relatórios a pedido (“tailoe-made”), de acordo com necessidades de pesquisa e analise de clientes individuas
(verificação de historial, “due dIIIIgence”, consultoria)

Para mas informação, contacte: Patrícia Dias, +351 936 307 183 (Tel/Whatsapp) ou patricia@africamonitor.net
20 | zambeze |Nacional| Quinta-feira, 18 de Novembro de 2021

É preciso práticas sustentáveis


para o aumento da produção agrária
realçando que a extensão agrá-
ria recrutou mais de 191 ex-
tensionistas passando a contar
com 349,facto que permitiu o
aumento de número de famílias
assistidas de 68,437 em 2020
para 80.184 no presente ano.
Entretanto, o director pro-
vincial da agricultura em Gaza,
Dalilo Latifo é do entendi-
mento que as condições para
o alcance das metas para a
presente campanha lançada
estão criadas através do pro-
grama Sustenta e os extensio-
nistas contratados e equipa-
dos. Dalilo Latifo diz que a
entrega de viatura vai ajudar
na assistência aos agricul-
tores ao nível dos distritos.
“Estamos preparados para
o alcance das metas e o distrito
de Mabalane traga resultados
para que a segurança alimen-
tar seja garantida e traga o
auto sustento que consequen-
temente vai dar a fome zero
dentro das metas previstas”
disse acrescentando que os
desafios tendo em conta que
a agricultura é uma habilida-
de que depende da queda da
precipitação e quando chove
de forma excessiva traz con-
sequências severas e quando
A Governadora da província de Gaza, Margarida Mapan- descontroladas que em nada produção em cerca de 60.400.
não há efeitos. O lançamento
dzene defende a adopção de práticas sustentáveis e adequadas abonam para o aumento da Apesar desse facto, Mapan-
da campanha agrária 21/22
às condições de solo e clima predominante naquela província produção e produtividade. dzene afirmou que a agricultura
num contexto de muito calor.
bem como a preservação do recurso água e terra. A chefe do Margarida Mapandzene cresceu em 1,2% na produção
O aumento de temperatura
executivo de Gaza aconselhou também aos agricultores a evita- lembrou ainda que os resulta- total, sendo auto suficiente na
traga melhoria em termos de
rem queimadas descontroladas, uma vez que degradam os solos dos da campanha agrária 20- produção de milho, tomate, ce-

A
precipitação e a campanha de-
e inviabilizam prática de agricultura em condições desejadas. 21 foram condicionados pela bola, batata-doce e mandioca.
corra sem sobressaltos”salientou
ocorrência de pragas e doenças, “ Na componente produção
chefe do ainda que para o sucesso da para quem o sector con-
nomeadamente a lagarta do fu- agrária, houve um crescimento
executivo campanha agrária tudo está ta com sementes adquiridas
nil de milho e a tua absoluta no de 2,1% bovinos e, 7,1% peque-
de Gaza que assente nas boas práticas agrí- através do conselho executi-
tomate, bem como a ocorrência nos ruminantes, 11,4% suínos e
falava na úl- colas evitando queimadas vo provincial e as sementes
de inundações, que afectaram a 8,2% de frangos”disse a fonte
tima semana apoio do programa Sustenta
durante o lançamento da cam- Existem mais de 60.000
panha agrária 2021/22, cujas toneladas de sementes e ar-
cerimónias de réplica decorre- rancar com a campanha. Há
ram no distrito de Mabalane, esforços envidados para
zona central daquela província que todos produtores emer-
indicou que a província sofre gentes sejam integrados.
ciclicamente os efeitos das mu- A previsão é de produ-
danças climáticas vai daí que o zir em uma área estimada em
prognóstico do clima para a pre- 580.000 hectares de área de
sente campanha agrária será re- produção. Porém quando as
alizado num quadro de regimes condições tornam-se favo-
de chuvas, com um índice mo- ráveis as comunidades au-
derado de satisfação das neces- mentam a área de produção.
sidades hídricas das culturas. Diferente da campanha
A chefe do executivo de agrária passada, Dalilo Lati-
Gaza exigiu a assistência aos fo aponta um crescimento de
produtores através da rede de 5.8% daquilo que foi o plani-
extensão, investimento em in- ficado para este ano e a me-
sumos agrícolas e meios de lhoria das condições de pre-
produção por via da linha de fi- cipitação vai ditar o aumento
nanciamento e do fomento pro- ou redução da produção. A
dutivo do programa Sustenta. cultura de bandeira para pro-
Mapandzene explicou víncia de Gaza é do arroz.
Quinta-feira, 18 de Novembro de 2021 |Desporto| zambeze | 21

Mambas vencem e salvam a honra


A selecção nacional de futebol, Mambas, recebeu em sua
casa emprestada em Cotonou, no Benin, e derrotou a sua con-
génere do Malawi por uma bola sem concorrência, em jogo
a contar para a sexta e última jornada do Grupo D, da fase
qualificação ao Campeonato do Mundo – Qatar 2022. A pri-
meira vitória de Chiquinho Conde como seleccionador dos
Mambas foi graças a um auto-golo apontado por Limbikani
Nzava que permitiu que Moçambique terminasse esta eta-
pa de apuramento na terceira posição com quatro pontos,
mais um que os Flames, porém ambas selecções falharam
o “play-off” de qualificação ao Mundial, sendo que a úni-

P
ca vaga ser disputada pelos Camarões e Costa do Marfim.
ara o jogo desta de modo a que no minuto 14
terça-feira dis- surgiu a primeira oportunida-
putado no Stade de de golo, com Witi a rematar
de l’Amitie Ge- ao ferro da baliza malawiana.
neral Mathieu Ao longo da primeira par-
Kérékou, que foi o quartel- te, Moçambique conseguiu
-general dos Mambas devido ter maior domínio territorial,
a indisponibilidade do Estádio graças à maior posse de bola,
Nacional do Zimpeto, Chiqui- mas não conseguiu trans-
nho Conde promoveu cinco formar em golo, esta ligeira
alterações no seu 11, quando vantagem que vinha tendo na anichar-se no fundo das redes Conde conseguiram segurar Sidique, Zainadine Júnior,
comparado com a partida dis- partida que estava a ser dis- para o gáudio da equipa mo- a vitória por escassa vanta- Edmilson, Reinildo, Kamba-
putada no sábado último na putada numa toada morna. çambicana que conseguia as- gem, mas suficiente para al- la (Geraldo, 67’), Shaquile
qual Moçambique perdeu para Na segunda parte veio o golo sim o golo que tanto procurou. cançar a sua primeira e única (Geny Catamo, 76’), Witi
a Costa do Marfim por 3-0. dos Mambas. Foi ao minuto 51, Os Flames reagiram pro- vitória nesta etapa de quali- (Telinho, 63’), Dominguez,
Numa assentada, Conde lan- depois de uma cobrança de um curando o golo de igualdade, ficação, naquela que é o 11º Clésio (Luís Miquissone, 63’)
çou de início os jogadores Si- livre, após falta sobre Domin- mas encontraram uma pronta triunfo em 24 confrontos e Reginaldo (Dayo António
dique e Edmilson, na defesa, guez, aparentemente inofensi- resposta da defensiva moçam- directos com o Malawi que 76’).
Shaquile, no meio-campo, e vo, o defesa Limbikani Nzava bicana que conseguiu limpar venceram 9, enquanto cinco Auto-golo: Limbikani
Clésio e Reginaldo, no ataque. (ameaçado por Reginaldo) ten- a sua área, dando mais tran- partidas entre estes países vi- Nzava (51’)
Os Mambas ganharam ta fazer um atraso de cabeça ao quilidade ao guardião Hernâ- zinhos terminaram empatadas. Acção Disciplinar: cartão
maior posse de bole, com Do- guarda-redes malawiano que ni que não foi chamado a ter amarelo para Reginaldo (48’),
minguez a gerir a equipa e a se encontrava fora dos postes intervenções de grande vulto. FICHA TÉCNICA Shaquile (53’), Hernâni (80’)
alimentar as acções ofensivas, e a bola foi caprichosamente Os pupilos de Chiquinho Moçambique: Hernâni, (LANCEMZ)

“Dominguez jogou que nem uma criança”

C
hiquinho a exibição dos seus jogadores “mais do que isso o importante estávamos havidos da vitória, zeroso e contagia a toda gen-
Conde che- e considerou que Dominguez foi ver esses rapazes a inter- certo que foi um auto-golo, te e o miúdo Shaquile Nangy
gou a sua pri- (aos 38 anos celebrados no diaa pretarem as nossas ideias em mas serve para os três pontos”. foi fantástico, mas sublinhar
meira vitória 11 de Novembro) jogou “que tão pouco tempo de uma for- O seleccionador (que na que todos eles encheram-
enquanto trei- nem uma criança”, conside- ma fantástica, claro que ain- sua apresentação disse que -me as medidas, tenho mui-
nador dos Mambas, após dois rando que o “futuro é risonho”. da faltam algumas situações no seu 11 seria Dominguez to gosto de estar com eles”.
jogos em que se estreou como Distribuindo sorrisos de por trabalhar e por assimilar”. mais 10 jogadores) confessou Após esta estreia, Chi-
timoneiro da selecção nacional “orelha em orelha”, Chiquinho Sem ser futurologista, ser “fã de todos jogadores” quinho Conde vai iniciar os
de futebol. No final do jogo em Conde começou por dizer aos Conde perspectivou que o “fu- para mais adiante destacar trabalhos de preparação dos
que Moçambique venceu por microfones da RM Desporto turo é risonho, não por ter ga- que “aquele que me enche Mambas para as eliminató-
1-0 ao Malawi, com auto-golo que “quando se ganha a cara de nho, se bem que disse que era as medidas é o Dominguez, rias de qualificação ao CAN-
de Limbikani Nzava, Conde quem ganha não é a mesma de importante ganhar por nós os pelo facto de estar a jogar que 2023 que terá lugar na Costa
mostrou-se maravilhado com quem perde”, sublinhando que 30 milhões de moçambicanos nem uma criança, isso é pra- do Marfim. (LANCEMZ)

Comercial
22 | zambeze | cultura| Quinta-feira, 18 de Novembro de 2021

A igualdade na valorização da arte


em todas escalas culturais
SILVINO MIRANDA
Por ser arte, deveriam
Wilson Brites Feliciano Eduardo (pseudónimo Kay One). valorizar aqueles que
Nascido em Cabo Delgado-Pemba, de 24 anos de idade), actu- têm boa vontade para
almente reside em Montepuez, fazendo a sua faculdade, jovem o desenvolvimento da
músico do género Rap. Primeiro, devemos educar o almo através cultura moçambicana,

P
da música e, a seguir, o corpo através da ginástica”, disse Platão. sem excepções. As vezes
ortanto, a mú- sica, eis um dos motivos que dedicamo-nosa música
sica para si, é me motiva a fazer mais ve- e quando nunca chega a
bastante im- zes sem parar por nada, ape- oportunidade de mos-
portante, na sar de que há muita falta de trar o que somos acaba-
medida em oportunidades de construir o mos desistindo porque
que educa a sociedade com as nosso próprio.Mas desde que não temos apoio moral
mensagens contidas dentro de a saúde esteja sempre, a fé do próprio governo mo-
uma determinada música, quer existira também, que um dia çambicano, sublinha
dizer, não só olhamos para o tudo vai mudar.Sempre digo:
ritmo, mas também a mensa- “Onde há esperança também
gem, apesar de que o ritmo há vida” (Kay One, 21) “ para a progressão daquele que
nos movimenta, mas a mensa- KayOne conta com álbum esta em baixo e quer progredir.
gem é mais importante, pois já disponível no mercado in- “Olhando para essa ques-
ela contribui para o desenvol- titulado “Amor, lágrimas e tão, eu acho que as oportu-
vimento cultural, isto é, atra- suor”, que teve o seu lança- nidades deveriam ser iguais
vés de uma crítica que levará mento no Dia 01 de Maio no para ambos, independen-
um certo comportamento des- blogue: Nellcy-so9dades. te da idade, género, e raça.
viado á uma reflexão melhora. Numa de suas faixas, que é A igualdade na valoriza-
“A música nos ajuda a nos “ Eu e tu”, fala de uma mulher, ção conta muito para os ar-
distrair, a eliminar alguns es- que está fora a estudar, a traba- tistas, aqueles que agradam
treses, nos a ajuda a acalmar lhar e fica lá por muito tempo e os ouvidos dos telespectado-
em dias de muita perturbação” talvez ela tenha ideia de que o res e trás reflexões através
Na verdade, a situação da que deixou pra trás deve ficar das músicas para o desen-
pandemia, nos deixa enlutados, atrás e nessa faixa repudia esse volvimento da nossa cultura.
é meio complicado para ele, pensamento e diz que ainda Por ser arte, deveriam valo-
assim como para todos. Com estamos juntos, ainda te espe- rizar aqueles que têm boa von-
a situação em que nos encon- ro, na verdade tu és a escolhi- tade para o desenvolvimento
tramos, encontra-se parado em da cultura moçambicana, sem
termos de publicação de músi- excepções. As vezes dedi-
Despertei muito cedo
cas, mas sim fazendo projec- camo-nosa música e quando
para a música acreditado
tos que servirão futuramente. nunca chega a oportunidade de
eu, se a memória não me
No entanto, é preciso agra- mostrar o que somos acabamos
falha, desde 2008, onde
decer a Deus, visto que a nível desistindo porque não temos
um dia acordei e uns
nacional assim como mundial, apoio moral do próprio gover-
dois amigos chegaram
me parece que não existem no moçambicano, sublinha.
em minha pra sairmos
muitos casos positivos. Isso O cenário de Moçambique,
dando umas brincadeiras,
quer dizer, que algo estudan- apesar da pandemia, os artistas
na verdade levaram-me
do, sendo assim, retomaremos nunca param visto que existem
a um estúdio e quando
a nossas actividades sem ne- portais digitais, os músicos se
lá chegamos deram-me
nhum problema, diz Kay One. interagem através dos mesmos
uma parte cantar e eu hu-
“Despertei muito cedo para e também, não existem tantos
mildemente nem se quer
a música acreditado eu, se a casos como antes, isso faz
sabia ler, tinha de ler e eu
memória não me falha, des- com que haja ou se faça um
decorrer.
de 2008, onde um dia acordei show pelo menos um reduzi-
e uns dois amigos chegaram do obedecendo a pandemia.
em minha pra sairmos dando da, a mulher que eu pretendo. Deus em primeiro lugar,
umas brincadeiras, na verda- Na outra faixa: “Não está através dele espero mais for-
de levaram-me a um estúdio bom” O enigma ainda con- ças em minha vida como ar-
e quando lá chegamos deram- tinua mulher, cujo ela se dis- tista, e espero que tenha aju-
-me uma parte cantar e eu hu- tancia, quer dizer, rompe o dando em algumas palavras
mildemente nem se quer sabia relacionamento, deixando para contribuir sobre alguns
ler, tinha de ler e eu decorrer. E tudo para trás inclusive filhos. aspectos culturais. Dedico
foi nesse dia que a minha vida No seu entender, o Minis- sucesso a aqueles que empe-
ou o meu ser se uniu a músi- tério da Cultura e Turismo tem nham o seu tempo trabalhan-
ca, loucamente apaixonou-se apoiado os jovens artistas, mas do duro, pois eu agradeço a
pela essa arte até hoje. E os não a todos níveis.Na verdade, todos aqueles que directos
tais amigos hoje seguiram ou- em Moçambique há escassez ou indirectamente estão pre-
tros rumos e eu ainda continuo de oportunidades para a news- sentes em minha, em minhas
com isto, porque amo-a, ela chool, ou melhor, não olham acções sejam elas de vitó-
faz parte de mim, faço a mú- com dois olhos para o Rap, ria ou perda, não importa.
sica porque amor de verdade”. mas sim outros géneros mu- O que importa que são fiéis
O amor que sinto pela mú- sicais, o que torna mais difícil a mim e as minhas músicas.
Quinta-feira, 18 de Novembro de 2021 | Cultura| zambeze | 23

Quebrar poético: O papel da resistência


poética em tempos de incerteza
SILVINO MIRANDA

O poema falado, escrito ou decalamado tem sido uma es-


tratégia que os artistas usam como forma de enfrentamento
do confinamento imposto pela pandemia da Covid˗19, visando
ao acolhimento a aderência da comunidade ao meio artístico

A
através dos meios digitais, bem como a prevenção da doença.
arte e a rein- determinadas formas artistas.
venção em Marco de Andrade que fa-
tempos difí- lou na nossa entrevista que a
ceis como os busca pelo aprimoramento da
que vivemos arte neste tempo tem sido ár-
sao considerados processos in- dua, porque tem aprendido com
dividuais e cada artista tende outros artistas a melhorar forma
a trazer a sua visão deste pro- de fazer arte e aprender mais.
cesso, portanto, é de se esperar “É uma fase em que todos es-
que o fazer artístico apresente tão abertos, antigamente entrar
determinadas subjectividade na em contacto com um escritor,
sua produção e apresentação. poeta ou declamador, impunha-
Marco de Andrade po- mváriascondições, que dificul-
eta, escritor e declamador tavam a aprendizagem e a troca
moçambicano partilha a sua de experiencias, portanto, com
experiencia sobre o contexto o advento da pandemia, temos
actual da cultura moçambi- a oportunidade de trocar ideias
cana tendo em conta o cená- e conhecimento”, sublinha.
rio de incerteza que se tem Percebe-seentão que os
vivido nos ultimos tempos. escritores são elos livres,
“O espaço da literatu- mas a pandemia serviu para
ra em tempos de dúvida e unir os elos livres e torna-
incerteza é vasto e impor- rem-se em uma única cor-
tante, porque muita gente rente. Corrente considera-
passou para confinamento, da protegida e indestrutível.
isolamento e distanciamento De Andrade sublinha fir-
social”, diz Marco de Andrade. mimente que o papel das redes
Ao mesmo tempo que sur- sociais na vida dos artistas é
gem varias questões, que na importantíssimo, porque ser-
sua ópticasão respondidas viram de ferramenta para con-
através da arte, ou seja, a arte tinuarem juntos e a trabalhar. mento, De Andrade assume ter- serem empreendedores e ex- todos a aderirem em massa a
trás um calor que neste tem- As redes sociais trouxeram -se aventurado em outros géne- plorar outras habilidades”. campanha de vacinação, não
po de distanciamento acaute- para os artistas a forma de fa- rosliterários, tendo mergulhado Para Marco de Andrade uma se esquecendo das medidas de
la e ampara muitas pessoas. zer diferente e expor as artes. na prosa e preparando uma co- das coisas que falhou desde os prevenção. Agora com a abetu-
“A literatura tem o poder de “Sem querer exagerar, sem lectânea. Agora com a abertura tempos é a falta de intercâm- ra gradual de algumas galerias,
acompanhar, distrair e divertir, redes sociais estariamos mudos de algumas galerias virão mais bio cultural. Não existe união poderemos criar algum inter-
razão pela qual as redes sociais e encheriamos a nossas salas de apresentações e numa primeira entre osprópriosmoçambica- câmbio a nível nacional, mes-
tem sido um dos caminhos para rascunhos e estaríamos estag- fase, serãoapresentaçõesgrá- nos e os internacionais, porque mo sabendo que ainda existam
que as pessoas encontrem o en- nados, porque os meios de co- tis, junto ao clube de livro em só assim é possível transpor- províncias que ainda não se
tretenimento artístico. Vários municação social nãodispõem Tete, como forma de acordar tar a culturas além fronteiras. encontram em um bom mo-
artistas que não haviam aderido de muito tempo para artistas, os instintos literários. Respei- “Acredito que a interacção mento e as actividades culturais
as redes sociais, percebeu˗se hámuita coisa que tem que tando sempre as medidas de com outras culturas e o apren- ainda decorrem a meio gás”.
que muitos artistas investiram passar e esses meios não con- prevenção contra a Covid˗19. dizado, nós estaríamos em “Épossível sim, retomamos
fortemente nas redes sociais”, seguem abraçar a todos, mas as Marco de Andrade acres- outro nível na cultura moçam- aos espectáculos, aos saraus, as
sublinha Marco de Andrade. redes sociais, vieram quebrar centa que neste tempo de in- bicana, em particular a literara- exposições, mesmo que de for-
Marco de Andrade, diz que esse silêncio. Recorremos a certeza a lição que se pode tura, mas perdemos mais tempo ma faseada, porque os artistas
os países de língua portuguesa elas desde a entrada de medidas tirar é que os artistas devem a fazer amizade, ao invés de ir sabem que de onde vem cum-
viram-se obrigados a abrirem de confinamento”, comentou. ser empreendedores, princi- para o concreto”, acrescenta. priu com todas as medidas de
as plataformas digitais para Com o isolamento social os palmente os artistas que so- Em Moçambique existe di- prevenção e se todos seguirmos
poderem partilhar os seus con- artistas tornaram-se mais nos- breviviam da arte. Este foi ficuldades de se relacionar com com a campanha de vacinação,
teúdos e dentro dessas, foram tálgicos, portanto, Marco de o momento para os artistas outros países para criar esse teremos rapidamente a aber-
partilhados conhecimentos, ex- Andrade neste tempo trabalhou despertarem e empreende- intercâmbio cultural, mas exis- tura e o espaço para compar-
periencias, o que tornou mais em três obras, uma de poesia e rem, porque o futuro é incerto. te a necessidade de incentivar tilhar o calor com o público”.
próximo a vida dos artistas mo- duas de romance. A obra poé- “Todo mundo foi surpre- este processo porque ajuda na Ao trazer essas ideias, é
çambicanos e internacionais. ticaencontrasse neste momento endido com este novo cená- ascensão do artista e da cultura preciso não deixar de lado as
Trata-seentão de uma li- nas maos da editora, mas pe- rio e aprendemos muito com moçambicana, diz de Andrade. medidas de prevencao, dis-
teratura que trás uma men- las recomendações que teve, isso, mas a lição é de acordo “Acredito que com a che- tancimento, uso correcto da
sagem de sensibilizaçãoa achou importante trabalhar com as dificuldades que en- ga da vacina e as imunizações mascara facial, condições-
comunidade, vários textos mais em alguns aspectos e as- frentamos, logo para os artis- em massa, teremos mais chan- sanitárias do local que vai
foram escritos neste sentido. sim, prevista o seu lançamento tas que olham simplesmente ces de brevemente podermos acolher ao evento, assim po-
Os artistas têm representando para meados do próximo ano. para arte como seu ganha-pão, partilhar as nossas ideias jun- demos prevenir o alastramen-
e transmitindo mensagens de Neste tempo de confina- devem mudar a sua visão e to das pessoas e aconselho a to da doença, acrescentou.
z ambezE
Comercial Comercial

Renovação de Renovação de
assinaturas assinaturas
para 2021 O n d e a n a ç ã o s e r e e nc o n t r a para 2021
Av. Emília Daússe nº1100 l Cell: 82 30 73 450 l zambeze.comercial@gmail.com l Maputo

Nyusi insta novos ministros a


imprimirem mais dinâmica na governação
Tomaram posse na semana passada o major general Cristó-
vão Chume como ministro da Defesa, em substituição de Jaime
Neto, Arsénia Felicidade Félix Massingue, como ministra do
Interior, pasta que era ocupada por Amade Miquidade, e Cons-
tantino Alberto Bacela ministro na Presidência para Assuntos

N
da Casa Civil, em substituição de Adelaide Anchia Amurane.
a hora de berania e na consolidação da
tomada de paz”, disse o chefe de Estado.
posse o che- Relativamente a nova mi-
fe de Estado nistra do Interior, a primeira
moçam- mulher a ocupar o cargo em
bicano chamou atenção aos Moçambique, Nyusi começou
novos integrados do governo por explicar que ela não ocupa
a emprestar sua força e saber o cargo simplesmente por ser
em prol do Estado. Segun- mulher mas sim por merecer.
do o estadista moçambicano “Trata-se de um quadro
no sector da defesa afirma-se cujo percurso na PRM é con-
a forja da unidade nacional, sideravelmente rico, fazendo
garante o desenvolvimento parte das primeiras mulheres
humano económico e social. generais e inclui missões e
Segundo Nyusi, na actual con- funções de comando e direc-
juntura da implementação do ção policial nas província de
plano económico-social do Nampula, Manica e Inham- país tendo sendo em presente qualificou-o como um qua- Governo e entre a Presidência
governo o Ministério da De- bene. A sua passagem pela a transparência, ética, respei- dro comprovas dadas na ges- e outras instituições do Estado
fesa Nacional é um dos pila- direcção geral de migração to pelas leis e normas vigen- tão de coisa pública, oriente a nível central e local”, dis-
res para a prevalência de um deu grande contributo para tes e uma tolerância zero a a sua acção com vista a auxi- se o presidente da República.
ambiente de paz, harmonia e encarar os desafios da ac- eventuais actos de corrupção. liar o chefe do Estado na rea- Acrescentou que a missão é
“Como órgão central do lização das suas actividades. fazer uma gestão criteriosa dos
Aparelho de Estado que plani- “Neste sentido cabe a res- recursos humanos, materiais
fica, coordena dirige e desen- ponsabilidade de orientar e e financeiros desta instituição
volve actividades nas áreas, supervisionar toda actividade tendo em conta a contenção
primeiro da ordem e seguran- do gabinete do Presidente da de custos. Assegurar que a
ça e tranquilidade públicas, República, da Casa Civil e das disciplina de cada colaborador
segundo, na identificação dos instituições subordinadas, ga- das estruturas que compõe a
cidadãos nacionais e estran- rantido a execução plena das Presidência da República seja
geiros, terceiro, no controlo suas funções. E ainda a sua fun- mais rígida. O desafio que tem
migratório, quarto na assistên- ção de assegurar a relação entre é que a presidência seja mo-
cia aos refugiados e requerente a Presidência da Republica e o delo no seu funcionamento.
de asilo, quinto, na prevenção
de riscos queimadas e incên-
dios, sexto, no acampamen-
to e salvamento de pessoas
e bens em caso de incêndios
e calamidades”, disse Nyusi.

Cristóvão Chume A presidência deve ser modelo


no seu funcionamento
tranquilidade no nosso país. tualidade”, explicou Nyusi.
“Ao sector da defesa cabe O Comandante Chefe das Falando para Constantino
igualmente a missão perena de Forças de Defesa e Segurança Bacela, indicado como ministro
defender a independência, a (FDS) acrescentou que para na Presidência para Assuntos
soberania e a integridade terri- além das missões comuns que da Casa Civil Nyusi começou
torial de Moçambique. Numa instrui ao ministro da Defesa por explicar que a presidência
altura em que o nosso país Nacional, juntamente com a é um órgão Central do Estado
enfrenta o flagelo do terroris- sua equipa e em articulação e de assistência ao Presidente
mo e extremismo violento, em sintonia com os titulares das da República no serviço das
alguns distritos da província restantes, FDS a nossa mi- suas funções constitucionais.
de Cabo Delgado, o Ministé- nistra deverá colocar os seus Sendo assim, o novo mi-
rio da Defesa assume como conhecimentos e saberes e nistro ao assumir ao convite
Constantino Bacela
instrumento na defesa da so- experiencias ao serviço do formulado, aquém o ministro

Você também pode gostar