Você está na página 1de 6

Regime da substituição tributária: ICMS-ST

CF “Art. 150.
[...] § 7º A lei poderá atribuir a sujeito passivo de obrigação tributária a
condição de responsável pelo pagamento de imposto ou contribuição, cujo
fato gerador deva ocorrer posteriormente, assegurada a imediata e
preferencial restituição da quantia paga, caso não se realize o fato gerador
presumido.

Art. 155.
[...] §2º
[...] XII - cabe à lei complementar:
[...] b) dispor sobre substituição tributária;”
Lei Complementar nº 87/1996
“Art. 6º Lei estadual poderá atribuir a contribuinte do imposto ou a depositário a
qualquer título a responsabilidade pelo seu pagamento, hipótese em que assumirá
a condição de substituto tributário.
*Grifo nosso.

Art. 6º. § 2º A atribuição de responsabilidade dar-se-á em relação a mercadorias,


bens ou serviços previstos em lei de cada Estado.”

O nítido intuito dessa atribuição de competência à pessoa diversa do contribuinte é


facilitar e “garantir” o recolhimento do tributo, haja vista ser muito mais fácil para o
Fisco concentrar a cobrança do imposto de toda a cadeia em um “contribuinte único”.
ICMS-ST
A substituição pode ser progressiva (para frente) ou regressiva (para trás).

Substituição progressiva:
“A substituição para a frente ocorre quando a lei impõe ao substituto
tributário o dever de antecipar o pagamento do ICMS por fato gerador
futuro que, presume-se, será efetivado pelo substituído como, por
exemplo, quando um terceiro, geralmente industrial, é responsável, como
substituto, pelo tributo devido pelo comerciante atacadista ou varejista,
que revende a mercadoria por ele produzida, ocorrendo em matéria de
bebida, fumo, automóvel, combustível, etc.”
Acerca do valor, este é calculado sobre um valor arbitrado pelo Fisco.

Fonte: ROSA JUNIOR, Luiz Emygdio F. da. Manual de Direito Tributário. Rio de Janeiro: Renovar, 2009. p. 727.
ICMS-ST

Substituição regressiva:
“Substituição regressiva implica no adiamento da ocorrência do fato
gerador, que deixa de ser a saída da mercadoria do estabelecimento do
contribuinte, ocorrendo, portanto, diferimento do momento da incidência
do tributo. Essa substituição ocorre quando o substituto legal, que é
contribuinte de direito (produtor, comerciante ou industrial), adquire
mercadoria de outro contribuinte, em geral produtor de pequeno porte ou
comerciante individual, sem estrutura organizacional, responsabilizando-se
pelo pagamento do imposto devido pelo substituído e pelo cumprimento
das obrigações tributárias.”

Fonte: ROSA JUNIOR, Luiz Emygdio F. da. Manual de Direito Tributário. Rio de Janeiro: Renovar, 2009. p. 731.
Substituição tributária

venda: R$ 1.000,00 venda: R$ 1.500,00


ICMS (próprio) = R$ 180,00 MVA = 50%
ICMS-ST = R$ 90,00
(R$ 270,00 - R$ 180,00)

R$ 1.500,00 x 18% = R$ 270,00


TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

Você também pode gostar