Você está na página 1de 31

Apresentação da disciplina –

Estruturas de Aço pt.2 - Aula 2


Construções Especiais – Prof. Guilherme Lúcio
@engcivilguilhermelucio
Peças tracionadas 2
Comportamento de peças tracionadas 3

• Onde estão?
Comportamento de peças tracionadas 4

• Onde estão?
Comportamento de peças tracionadas 5

• Quais seções usar?


• A tração tende a conformar a seção
• Não existe flambagem
• Seções sem necessidade de grande inércia
Comportamento de peças tracionadas 6

• Dimensionamento
• Ruptura na seção com furos (Regime elástico)
• Escoamento da seção bruta (Regime plástico)
Comportamento de peças tracionadas 7

• Dimensionamento
• Ruptura na seção com furos (Regime elástico)
• Escoamento da seção bruta (Regime plástico)
Comportamento de peças tracionadas 8

• Dimensionamento
• Escoamento na seção bruta (Regime elástico)

𝐴𝑔 𝑓𝑦
𝑅𝑑 =
𝛾𝑎1
• 𝑓𝑦 tensão de escoamento
• 𝛾𝑎1 Equivale 1,10 combinação normal
Comportamento de peças tracionadas 9

• Dimensionamento
• Ruptura da seção com furos (Regime plástico)

𝐴𝑛,𝑒𝑓 𝑓𝑢
𝑅𝑑 =
𝛾𝑎2
• 𝑓𝑢 tensão última
• 𝛾𝑎2 Equivale 1,35 combinação normal
Comportamento de peças tracionadas 10

• Dimensionamento
• Peças com extremidade rosquedas
𝐴𝑔 𝑓𝑦
• Barras maiores que 12mm 𝛾𝑎1
• 0,75 => Redução do diâmetro na rosca 𝑅𝑑 ≤
0,75𝐴𝑔 𝑓𝑢
𝛾𝑎2

LEMBRAM DAS
CORRENTES?
Comportamento de peças tracionadas 11

• Limitação de esbeltez
• Evitar deslocamentos não previstos

𝜆 ≤ 300
Lembrando 𝐿𝑒𝑓
𝜆≤
• i => raio de giração mínimo 𝑖
Comportamento de peças tracionadas 12
• Furos são feitos por puncionamento
• Essa técnica enfraquece a região adjacente ao furo
• Considerar o diâmetro do parafuso + 1,5mm de folga
• Mais 2mm de folga devido ao enfraquecimento
causado pela técnica
Comportamento de peças tracionadas 13

• Furos são feitos por puncionamento


• Essa técnica enfraquece a região adjacente ao furo
• Considerar o diâmetro do parafuso + 1,5mm de folga
• Mais 2mm de folga devido ao enfraquecimento
causado pela técnica

𝑑 = 𝑑 ′ + 3,5𝑚𝑚
Comportamento de peças tracionadas 14

• Rompimento nos furos

Pode romper em
outros caminhos
Comportamento de peças tracionadas 15

• Rompimento nos furos

Pode romper em
outros caminhos
Comportamento de peças tracionadas 16

• Rompimento nos furos


Comportamento de peças tracionadas 17

• Rompimento nos furos


Comportamento de peças tracionadas 18

• Rompimento nos furos


• Considera-se uma seção reduzida
Comportamento de peças tracionadas 19

• Seções que se ligam por apenas uma parte da seção


• Considerar uma redução na área efetiva
Comportamento de peças tracionadas 20

• Seções que se ligam por apenas uma parte da seção


• Considerar uma redução na área efetiva em ligações
parafusadas
𝐴𝑛,𝑒𝑓 = 𝐶𝑡 𝐴𝑛
• Usar 𝑨𝒈 em ligações soldadas
𝑒
1−
𝐶𝑡 ≥ ቐ 𝑙
0,60
Comportamento de peças tracionadas 21

• Seções que se ligam por apenas uma parte da seção


• e é a excentricidade do plano da ligação 𝑒
1−
• l é o comprimento da ligação 𝐶𝑡 ≥ ቐ 𝑙
❑Em parafusadas a distância entre o primeiro e o 0,60
último parafuso
❑Em soldadas o comprimento do cordão de solda
Comportamento de peças tracionadas 22

• Seções que se ligam por apenas uma parte da seção

𝑒
1−
𝐶𝑡 ≥ ቐ 𝑙
0,60
Comportamento de peças tracionadas 23

• Seções que se ligam por apenas uma parte da seção


Comportamento de peças tracionadas 24

• Seções que se ligam por apenas uma parte da seção


Comportamento de peças tracionadas 25

• Para seções ligadas por soldas transversais

𝐴𝑐
𝐶𝑡 =
𝐴𝑔
Área do
segmento
ligado
Comportamento de peças tracionadas 26

• Para seções ligadas por soldas transversais

𝐴𝑐
𝐶𝑡 =
𝐴𝑔
Comportamento de peças tracionadas 27
• Para seções ligadas por soldas transversais
Comportamento de peças tracionadas 28

• Cisalhamento de bloco
• Peças de chapas finas tracionadas, por uma
combinação podem romper em um bloco a partir dos
conectores
Comportamento de peças tracionadas 29

• Cisalhamento de bloco
Comportamento de peças tracionadas 30

• Cisalhamento de bloco
• Anv e Agv áreas líquida e bruta
cisalhadas 0,60. 𝑓𝑢 𝐴𝑛𝑣 + 𝐶𝑡𝑠 𝑓𝑢 𝐴𝑛𝑡
• Ant área líquida tracionada 𝛾𝑎2
𝑅𝑑 ≤
• Cts=1,0 quando a tensão em 0,60. 𝑓𝑦 𝐴𝑔𝑣 + 𝐶𝑡𝑠 𝑓𝑢 𝐴𝑛𝑡
Ant é uniforme 𝛾𝑎2
• Cts=0,50 para tensão não
uniforme
Comportamento de peças tracionadas 31

• EXEMPLO 2 Determinar esforço resistente de tração


• Perfil U152X12,2 MR250 Ag=15,5cm2
• Conectores 12,7mm

Você também pode gostar