Você está na página 1de 11

Engenharia Mecânica – Máquina de Fluidos

Horizontina, Rio Grande do Sul, Brasil


Copyright © 2021 FAHOR

RELATÓRIO SOBRE TURBINAS HIDRÁULICAS

Giovane Turrra, gt002109@fahor.com.br¹; Luan Brauch Pinto, lp002912@fahor.com.br2

1
Faculdade Horizontina (FAHOR). Campus Arnoldo Schneider. Departamento de Engenharia Mecânica.

Resumo: As turbinas hidráulicas são umas das principais máquinas de fluídos que existem, são de vários tipos e
diferentes formatos, mas todas tem a mesma finalidade a geração de energia. Um exemplo de maior aplicação no
brasil e na Usina Hidrelétrica de Itaipu. Este relatório traz informações de alguns 3 diferentes tipos de turbina, mas o
foco principal é as utilizadas na Usina de Itaipu.

1. Introdução

As turbinas são máquinas que são utilizadas para converter energia hidráulica em energia
elétrica. Existem três tipos de turbinas que são as principais utilizadas na geração de energia
elétrica, são elas: turbina Francis, turbina Pelton e turbina Kaplan. Possuem diversas vantagens
como a alta eficiência na geração de energia, flexibilidade de operação, fácil manutenção, baixo
desgaste, nenhuma poluição para o meio ambiente.

2. Turbina Pelton

A turbina Pelton foi criada em 1879 pelo carpinteiro e inventor americano Lester Allan
Pelton. Seu princípio de operação reflete o da roda clássica dos antigos moinhos, modificada para
aumentar sua eficiência: a água é transportada para a tubulação, que possui um bico no final, um
tipo de gargalo que aumenta a velocidade da água direcionada. O jato de água que sai pelo bico
atinge as pás do impulsor, que têm formato de côncavo. A turbina Pelton é usada para grandes
diferenças de altura (entre 300 e 1400 metros) e cursos inferiores a 50 metros cúbicos por segundo,
para se obter velocidades mais elevadas. Como toda turbina hidráulica, a Pelton possui um
distribuidor e um receptor. Esses tipos de turbina são do tipo tangenciais e de ação parcial e podem
apresentar número de jatos de: um jato, dois, quatro ou seis jatos e principalmente de 3 jatos.
Quanto maior os números de jatos, maior será a potência gerada para uma mesma altura de queda
de água, porém terá um maior desgaste por abrasão se a água sujeira, como areia em suspensão e
menor poderá ser o tamanho do rotor, diminuindo a redução de custo por unidade de turbinas
instaladas.

As turbinas Pelton são recomendadas para serem utilizadas em quedas de água elevadas,
onde a vazão aproveitável é reduzida, onde a captação é realizada em altitudes onde o seu curso de
água ainda ser pequeno. Possuem uma fabricação, instalação e regulagem relativamente simples,
são além de empregadas em usinas de grandes potências, também são utilizadas em micro usinas,
como por exemplo fazendas onde se tem o aproveitamento de quedas e vazões bem baixas para a
geração de algumas potências em CV.
1
Engenharia Mecânica – Máquina de Fluidos
Horizontina, Rio Grande do Sul, Brasil
Copyright © 2021 FAHOR

As turbinas Pelton podem ter o posicionamento Horizontal ou vertical:

Eixo horizontal: Esses tipos de eixos geralmente são utilizados para um ou dois números de
jatos, possuem uma instalação mais econômica e também possuem uma fácil manutenção, além de
ser possível também efetuar a montagem em uma mesma árvore, dois rotores.

Eixo vertical: Esse tipo de eixo geralmente é utilizado para quatro ou seis números de jatos
sobre as pás do rotor.

Abaixo podemos observar na Figura 1 um exemplo de turbina Pelton, a quantidade das pás
no rotor, difere-se bastante da turbina Francis.

Figura 1 -Turbina Pelton

3. Turbina Kaplan

A Turbina Kaplan, projetada em 1913 pelo professor austríaco Viktor Kaplan, segue o
princípio de operação das hélices de um navio. A turbina Kaplan é uma turbina do tipo axial: o
fluxo de água faz com que as hélices girem em direção axial em relação ao eixo de rotação do
impulsor. Graças à possibilidade de ajustar o ângulo de incidência das hélices, existe a vantagem de
proporcionar um excelente desempenho na presença de pequenas diferenças de altura, mas também
com grandes variações de vazão (superiores a 200 metros cúbicos por segundo).

2
Engenharia Mecânica – Máquina de Fluidos
Horizontina, Rio Grande do Sul, Brasil
Copyright © 2021 FAHOR

Figura 2- Turbinas Kaplan

4. Turbina Francis

A turbina Francis foi desenvolvida em 1848 do engenheiro anglo-americano James B.


Francis e representa o tipo mais utilizado de turbina hidráulica. É uma turbina de reação do tipo
ação total (a água ao passar pelo rotor preenche os canais das pás simultaneamente) possuem um
fluxo centrípeto: a água atinge o impulsor por meio de um duto em espiral, e as hélices ajustáveis na
parte fixa direcionam o fluxo para as hélices do impulsor. É utilizada em casos em que
haja diferenças de altura média (de 10 a 300/400 metros) e fluxos de água de 2 a 100 metros
cúbicos por segundo. Esse modelo de turbina pode ter o posicionamento do eixo:

• De eixo vertical
• De eixo horizontal.
Quanto às velocidades do rotor, as turbinas Francis podem ser:
• Lentas (55 < ns < 120 rpm);
• Normais (120< ns <200 rpm);
• Rápidas (ou Deriaz) (200 < ns < 300);
• Extra rápidas ou ultra-rápidas (300< ns <450).

3
Engenharia Mecânica – Máquina de Fluidos
Horizontina, Rio Grande do Sul, Brasil
Copyright © 2021 FAHOR

Figura 3-Turbina Francis

As turbinas Francis, se enquadra como uma turbina de reação e que devido as características
hidrológicas do Brasil é o modelo mais utilizado no parque de geração hidrelétrica do país. Essas
turbinas alcançam as maiores potências de eixo e são utilizadas em uma ampla faixa de alturas de
queda líquida, que compreende desde pequenas alturas como por exemplo 10m até 450m. O
funcionamento da turbina ocorre quando a água ocupa completamente a cavidade destinada ao rotor
e ao fluir, transfere tanto energia de pressão quanto energia cinética às pás do rotor, devido a isso
ganha o nome de turbina de reação pois apresenta diferença de pressão entre os dois lados das pás
do rotor. Como nesse modelo de turbina todas as pás são envolvidas no processo, elas possuem
diâmetro menor que as turbinas Pelton que são impulsionadas por jatos e nem todas as pás estão
envolvidas todo tempo.

As turbinas Francis também podem ser instaladas de forma horizontal ou vertical, mas na
maioria dos casos são instaladas verticalmente e devido a isso seu fluxo de água é radial. Quando as
turbinas são instaladas horizontalmente seu fluxo se torna axial. Dependendo do valor da velocidade
específica, as turbinas Francis podem ser classificadas, quanto à configuração do escoamento no
rotor, como de baixa rotação específica (Francis lentas), de média rotação específica (Francis
normais), e de alta rotação específica (Francis rápidas e super-rápidas). Esse tipo de turbina também
pode ser classificada quanto ao tipo de instalação, como fechadas (com caixa espiral) e abertas (sem
caixa espiral) e, quanto ao número de fluxos, como duplas (um rotor duplo com tubo de sucção
duplo) e simples (um rotor simples com tubo de sucção simples). A Figura 5 ilustra o princípio de
funcionamento da turbina tipo Francis.

4
Engenharia Mecânica – Máquina de Fluidos
Horizontina, Rio Grande do Sul, Brasil
Copyright © 2021 FAHOR

Figura 4 – Esquema de funcionamento da turbina Francis

5.Velocidade das Turbinas Hidráulicas

5.1 Número de rotações

As turbinas acionam através de um eixo os geradores de energia elétrica, assim, ambos têm
o mesmo número de rotações. Porém os alternadores, pela forma que são projetados e como são
construídos, existe uma dependência entre o número de pares de pólos (p), o número de rpm(n) e a
freqüência em Hz (f) na forma:

Para f=60hz n=3600/p. Com esses dados, podemos gerar uma tabela que relaciona n e p. As
velocidades reais das turbinas, podem ser determinadas a partir da Tabela 1.

Tabela 1- número real de rpm das turbinas

5
Engenharia Mecânica – Máquina de Fluidos
Horizontina, Rio Grande do Sul, Brasil
Copyright © 2021 FAHOR

5.2 Rendimento das turbinas hidráulicas

A Figura 5 mostra o rendimento das principais turbinas hidráulicas em função da descarga.

Figura 5 – Variação do rendimento com descarga para os diversos tipos de turbina.

6. Turbina Francis na Hidrelétrica de Itaipu

A Itaipu Binacional é líder mundial em produção de energia limpa e renovável, tendo


produzido mais de 2,7 milhões de gigawatts-hora (GWh) desde o início de sua operação, em 1984.
Com 20 unidades geradoras e 14.000 MW de potência instalada, fornece 10,8% da energia
consumida no Brasil e 88,5% no Paraguai.

Em 2020, um dos anos mais secos na história da usina, a Itaipu produziu 76.382 GWh. Em 2016,
Itaipu estabeleceu sua melhor marca anual, com 103.098 GWh.

A usina de Itaipu utiliza a turbina Francis que foi desenvolvida em 1848 pelo engenheiro
anglo-americano James B. Francis.

6
Engenharia Mecânica – Máquina de Fluidos
Horizontina, Rio Grande do Sul, Brasil
Copyright © 2021 FAHOR

6.1 Custo/ benefício

As vantagens da construção de uma usina hidrelétrica são:


- Energia renovável;
- Baixo custo do megawatt;
- Forma de energia limpa, sem poluentes;
- Geração de empregos;
- Desenvolvimento econômico e sustentável;
- Aumenta a confiabilidade dos sistemas elétricos.

6.3 Casa de Força

A Casa de Força concentra os equipamentos eletromecânicos responsáveis pela produção de


energia na Itaipu. Nela estão a caixa espiral, a turbina, o gerador, o sistema de excitação e o
regulador de velocidade.

Tabela 2 – Casa de força

7
Engenharia Mecânica – Máquina de Fluidos
Horizontina, Rio Grande do Sul, Brasil
Copyright © 2021 FAHOR

Figura 6 – Sistema da casa de força coma as cotas

Veja a localização dos equipamentos e as principais cotas:

01 - Cota 40 - Fundação da barragem.


02 - Cota 92,4 - Acesso ao poço da turbina.
03 - Cota 98,5 - Serviço auxiliar da unidade - Sistema de água pura.
04 - Cota 98,5 - Sistema de excitação, acesso ao “housing” do gerador e regulador de velocidade.
05 - Cota 108 - Transformadores elevadores.
06 - Cota 108 - Piso dos geradores e salas de controle local.
07 - Cota 122 - Sistema de ventilação.
08 - Cota 127,6 - Galeria de cabos.
09 - Cota 128,2 - GIS - SF6.
10 - Cota 133,2 - Painéis principais do serviço auxiliar AC e sala dos geradores diesel.
11 - Cota 144 - Serviço auxiliar da barragem.
12 - Cota 214 - Central hidráulica das comportas.

6.4 Gerador

São 20 unidades geradoras de energia, onde metade tem a frequência de 60 Hz (10 un.) com
78 polos e 50 Hz (10un.) com 66 polos, onde a peça mais pesada é o rotor com 1.760 toneldas.

8
Engenharia Mecânica – Máquina de Fluidos
Horizontina, Rio Grande do Sul, Brasil
Copyright © 2021 FAHOR

Figura 7- Gerador

6.5 Turbina

Cada unidade geradora é composta por um gerador, uma turbina e seus auxiliares. A turbina
é formada por uma série de pás ligadas a um eixo acoplado ao gerador.

A pressão da água que entra na turbina, por meio do conduto forçado, produz um
movimento giratório do eixo, o qual, por meio de um campo magnético induzido dentro do gerador,
gera eletricidade.

Ou seja, a energia hidráulica é transformada em energia mecânica quando a água passa pela
turbina, fazendo com que esta gire. No gerador, que está acoplado à turbina, a energia mecânica é
transformada em energia elétrica.

9
Engenharia Mecânica – Máquina de Fluidos
Horizontina, Rio Grande do Sul, Brasil
Copyright © 2021 FAHOR

Figura 8 – Conjunto turbina gerador

São 20 turbinas tipo Francis, com potência nominal unitária de 715 MW. Queda líquida de
projeto 118,4 metros com velocidade em 50 Hz de 90,9 rpm e em 60 Hz de 92,3rpm. Possuem uma
vazão unitária de 690m³/s, e a peça mais pesada é o rotor com 296 toneladas.

10
Engenharia Mecânica – Máquina de Fluidos
Horizontina, Rio Grande do Sul, Brasil
Copyright © 2021 FAHOR

Figura 9 – Turbina

7. Conclusão

As turbinas são importantes em qualquer central elétrica, no caso das hidrelétricas as


turbinas são os elementos que fazem a conversão da energia potencial, presente na água, em energia
cinética e assim acionando o gerador, que por sua vez converte a energia mecânica em elétrica. No
entanto, para otimizar o rendimento de um aproveitamento hidrelétrico, é essencial a escolha da
turbina mais apropriada, bem como as especificações das dimensões da mesma.

Nesse trabalho foi possível ver alguns exemplos de turbinas hidráulicas, com foco uma
pouco mais na turbina Francis que é uma das mais utilizadas e tem exemplos de instalação na usina
de Itaipu.

8. Referências

http://www.dem.feis.unesp.br/intranet/capitulo8.pdf

http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/16537/1/PB_COELT_2018_2_17.pdf

https://www.itaipu.gov.br/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Turbina_hidr%C3%A1ulica

11

Você também pode gostar