Você está na página 1de 5

Disciplina: Logística

1) O Brasil ao longo dos anos tem apresentado uma série de problemas relativos a
logística. Como os elementos mostrados abaixo estão sendo tratados dentro a
realidade brasileira? Justifique cada um destes elementos.

a) Transporte e distribuição;

Lidar com essa questão na realidade brasileira exige dedicação da empresa e


investimento na área de logística. O transporte no país ainda é feito em sua maior
parte por meio de rodovias, o que flexibiliza algumas questões, mas impacta em outras
por conta de ser um transporte de custo alto se não for bem utilizado.

É necessário que o governo invista em portos, aeroportos, malha ferroviária e


também melhore as condições das rodovias, porém, não dá para contarmos apenas
com a preocupação do governo. O processo logístico precisa ser feito buscando o
máximo de eficiência com os meios disponíveis, com planejamento cuidadoso de rota
e incluindo centros de distribuição nesses processos.

Um grande desafio tem sido a redução dos custos e prazos entre o estoque do
produto acabado e o cliente final. A empresa precisa ter uma estratégia bem definida
para gerar uma boa experiência ao cliente e não ter prejuízos, pois o transporte
impacta fortemente no valor do produto.

É importante sempre levar em conta também os gastos envolvidos com


estocagem e escoamento de produção. Um estoque muito alto, com baixo giro é
“dinheiro parado”, mas não ter produto para entregar em tempo hábil a seu cliente é
um risco bastante grande de perda de confiança e má experiência do cliente.

É preciso uma boa gestão logística, com planejamento de todas as etapas que
compõem o processo desde a produção até a efetiva entrega ao cliente. Hoje mais do
que nunca, visto que muitos clientes passaram a fazer suas compras via internet.

b) Investimento em tecnologia da informação;

O investimento em TI se faz cada vez mais necessário, principalmente nesse


momento de pandemia que vivemos. Grande parte dos processos das empresas
precisaram ser modificados para serem geridos de modo remoto e com o acesso aos
clientes não foi diferente. Eles pararam de ir até a loja e escolher o produto e
passaram a pedir de casa. Sem o investimento em tecnologia da informação por parte
das empresas, como sistemas de gestão e ferramentas para facilitar a execução dos
processos, é bem difícil que uma organização se mantenha.

Estamos vivenciando a era da Indústria 4.0, com inteligência artificial, com


robôs domésticos e etc. A internet das coisas já é uma realidade e auxilia diretamente
nos processos produtivos e até mesmo no monitoramento do desempenho de
veículos. A automação de processos logísticos nos traz agilidade na gestão das
informações, dos estoques, no planejamento de rotas e rastreamento de mercadorias
através de softwares, e isso melhora significativamente a relação com o cliente.

Porém, muitas empresas encontram dificuldades em investir em TI, seja pelo


alto custo de alguns softwares ou por simples negacionismo da importância destas
ferramentas.

c) Colaboradores capacitados;

Nos dias atuais existem mais colabores capacitados em logística, pois houve um grande
“boom” na área da década passada e isso motivo mais pessoas a se interessarem e
buscarem informações a respeito.

O mais importante hoje é que a empresa tenha interesse por esses profissionais e lhes
dê a devida importância. Os processos estão cada vez mais mecanizados e isso pode
levar alguns gestores a uma impressão equivocada de que não precisam de uma
pessoa para tal função.

O profissional capacitado em logística possui noções de economia, infraestrutura,


transporte, armazenagem e distribuição. Um profissional com visão crítica do mercado
e das condições que possa enxergar mais à frente, propondo soluções para lidar com
as adversidades e sempre aproveitar as oportunidades.

d) Controle do estoque;

É importante ter estoque para atender às demandas não planejadas, porém um


estoque muito alto e com pouco giro, significa dinheiro parado e sem aplicação.
Portanto é importante ter sempre em mente que o ideal é ter menos estoque, e para
isso seria necessário comprar o mais próximo da data de saída dos produtos.

Como já citado anteriormente, vivemos a era da indústria 4.0 e para a logística já é


realidade os seguintes conceitos: zero estoques, just in time, informações disponíveis
em tempo real e de fácil acesso, lead time reduzido, centros de distribuição
inteligentes.

2) Como a logística contribui para o lucro ou o prejuízo de uma empresa?

O mercado em que vivemos é extremamente competitivo e globalizado e por


esse motivo é importante ter uma boa noção do quanto os custos logísticos impactam
no preço final do produto. Vale ressaltar que os custos logísticos não significam apenas
transportes e fretes. Temos os custos de armazenagem, estoque, processamento de
pedidos, entre outros.
Por isso é fundamental atender ao principal objetivo da logística, que é
permitir que a carga chegue ao destino no tempo mais curto possível, com menor
custo e com a devida qualidade, visando sempre garantir a permanência da empresa
no mercado.
Cada vez mais o lucro ou prejuízo de alguns segmentos industriais ou
comerciais passarão pelo nível de maximização de suas operações logísticas.

3) O que é imprescindível na elaboração de uma estratégia logística?

Para a elaboração de uma estratégia logística é importante garantir que alguns


objetivos sejam atendidos, dentre eles a busca por desempenho consistente ao longo
do tempo, por contínua redução de custos, por redução nos gastos com estoques, pelo
jus-in-time contínuo, a melhoria da qualidade dos bens vendidos e por último e não
menos importante, sempre colocar o produto certo, na hora certa, no local certo e ao
menor preço.

É preciso também ter um bom conhecimento do produto, da cadeia de suprimentos,


das demandas previstas de consumo, das questões geográficas, da disponibilidade de
infraestrutura logísticas e nunca esquecer de investir em tecnologia da informação.

4) No Brasil, quais as maiores dificuldades enfrentadas pelas empresas?

Existem diversas dificuldades enfrentadas pelas empresas no país e que são


capazes de impactar significativamente seu funcionamento e até mesmo suas
permanência no mercado.
O fato de termos 90% de todo o transporte concentrado no modal rodoviário é
um grande problema, e sentimos isso na pele com a greve dos caminhoneiros. Falta
infraestrutura nas rodovias, o custo do combustível só aumenta e existem muitas
tarifas e impostos, e isso tudo eleva bastante o preço final do produto. Já para os
demais modais, falta investimento do governo.
Podemos citar também a questão do controle de estoque. Embora o assunto
seja muito citado, é uma grande dificuldade para as empresas terem uma gestão de
estoques eficiente a ponto de atender ao cliente em tempo hábil, sem deixar muito
“dinheiro parado”.
Em diversos pontos do país podemos ainda citar o alto custo pago em seguro
devido ao roubo de cargas. Esse é um item que não agrega nenhum valor e somente
consome dinheiro, mas que cada vez se faz mais necessário devido ao aumento dos
índices de violência e assaltos.

5) Manter centros de distribuição em vários pontos do País reduz custos?

Sim, dependendo da estratégia da empresa, este pode ser um diferencial competitivo


além de gerar redução de custos. Citaremos alguns dos fatores de redução:

 Frete mais baixo dos fornecedores devido as entregas serem realizadas em um


único ponto;
 Manutenção de uma estrutura própria quando se opta pela locação de
galpões;
 Redução de perdas e desperdícios de estoque por meio de processos
otimizados;
Além de diminuir a necessidade de transportar pequenos volumes por vez, mas não se
pode esquecer, no entanto, de que existirão custos para montar e manter essa
estrutura também. As organizações devem analisar seus processos logísticos de
maneira sistêmica e não levar em consideração operações isoladas.

6) Quais são as principais variáveis para desenvolvimento de projetos em regiões fluviais


do Brasil? Quais são os veículos empregados para o transporte? Em termos de
capacidade de transporte em média qual o volume transportado por cada elemento
que compõem o veículo? Quais as dificuldades da navegação fluvial no Brasil?

As principais variáveis para desenvolvimento de projetos em regiões fluviais do Brasil


são:

 A largura da hidrovia;
 A composição do fundo;
 Profundidade para poder passar grandes navios;
 Sinalização;
 A dinâmica dos ventos;
 Presença ou não de pontes e outros obstáculos (cachoeiras e corredeiras);
 Naufrágios e raios de curvaturas da rota de navegação.
Os veículos empregados para este transporte são:

 Barcaças;
 Barcos.

Uma barcaça típica mede 59,4 m × 10,7 m (195x35 pés) e pode transportar até 1.500
toneladas. Um comboio com 4 barcaças é capaz de carregar o equivalente a 200
caminhões. Todos os anos mais de 300 mil pessoas navegam de barcos pela Hidrovia
Tietê-Paraná. Muitos rios do Brasil são de planalto, por exemplo, apresentando-se
encachoeirados. Portanto, dificultam a navegação. É o caso dos rios Tietê, Paraná,
Tocantins e Araguaia. Outro motivo é o fato de os rios de planície, facilmente
navegáveis (Amazonas, São Francisco e Paraguai), se encontrarem afastados dos
grandes centros econômicos do Brasil.

7) Descreva como é praticado o transporte marítimo no Brasil.

O transporte marítimo é extremamente importante no Brasil desde o período


colonial, sendo responsável 75% do comércio internacional e proporcionando grande
participação em suas relações comerciais.

Nele são transportadas principalmente commodities agro, minerais, veículos,


máquinas e equipamentos de ponta. Cerca de 75% das trocas comerciais
internacionais brasileiras são transportadas via mar. Fatores como o alto custo de
embarque por contêiner e a falta de investimento na ampliação dos serviços limitam a
geração de novos empregos e o fortalecimento do setor de logística no mercado
brasileiro, além de elevarem o custo deste tipo de transporte.

O transporte marítimo de passageiros também existe, principalmente com


ligação entre o continente e as ilhas costeiras do Brasil.
Os tipos de transporte marítimos podem ser de Cabotagem, realizado somente
entre os portos do território nacional ou de Longo Percurso, sendo esse transporte
realizado entre portos nacionais e internacionais de maior distância.
Mesmo sendo um tipo de transporte lento, é amplamente utilizado pois
suporta grandes quantidades de cargas e variedades de produtos por um custo
relativamente baixo, quando comparado a outros meios de transporte.

8) Por que o transporte ferroviário é pouco utilizado em detrimento do modal rodoviário


no ambiente brasileiro?

Pois a malha ferroviária no Brasil é muito pequena, recebe pouco investimento


mesmo sendo uma solução mais barata para o transporte de cargas, sendo além de
tudo capaz de transportar cargas bem pesadas em um único frete.
Com poucas linhas férreas atendendo ao território nacional, fica bastante claro
o motivo de utilizarmos mais o modal rodoviário do que o ferroviário.

9) Qual é a missão de um terminal portuário?

A função de um terminal de cargas é ser um elo integrador da cadeia logística


para recepção, armazenamento e despacho de cargas. As atividades ou serviços
prestados dentro de um terminal podem também variar de acordo com as
necessidades de cada cliente.

10) Explique qual foi o principal impacto da greve dos caminheiros na cadeia de
suprimentos nacional?
A greve dos caminhoneiros impactou toda a população por conta do
desabastecimento gerado, visto que 90% dos transportes de mercadorias no Brasil são
feitos através de rodovias.
A cadeia de suprimentos no país geralmente atua com um nível de estoque
mais baixo dependendo do tipo de produto. Alguns varejistas por exemplo, são
abastecidos diariamente.
Com a interrupção das entregas de produtos a cadeia de suprimentos parou e
vimos as empresas ficarem com suas prateleiras vazias, e os produtos que ainda
restavam tiveram seus preços elevados.

Você também pode gostar