Você está na página 1de 3

DISCURSO JOÃO DORIA

27.11.21
UNIÃO E DEMOCRACIA

Quero começar minha fala homenageando aquele que faz a diferença no nosso partido.
Quem mais nos orgulha e quem mais nos motiva. Quero homenagear você filiado militante!
Você é a nossa inspiração! Obrigado por colocar sua energia nessa luta por um Brasil
melhor.

As Prévias chegaram ao fim com 3 candidatos e 1.400.000 filiados vencedores. O PSDB sai
fortalecido. É o único partido a promover esse amplo processo democrático. O único partido
a consultar suas bases, seus filiados, políticos e dirigentes sobre quem deve liderar o
processo de mudança do Brasil. Nosso compromisso é com a democracia. E o PSDB
entende o processo democrático como uma construção que começa dentro de casa. Dentro
do partido.

A eleição foi linda. Valorosa! Não tenho dúvidas que foi difícil a decisão que cada um de
vocês teve que tomar para escolher seu candidato. Eduardo Leite e Arthur Virgílio são meus
amigos e do mesmo partido. São homens públicos do mais alto nível, qualificados para
comandar qualquer cargo que assim o desejarem. Sempre estivemos do mesmo lado. Do
lado do Brasil. Do povo brasileiro. Do lado do PSDB. A partir de agora, Eduardo, Arthur e eu
fazemos parte da mesma chapa e estaremos unidos na construção do melhor projeto para o
Brasil.

O Brasil da prosperidade, do emprego, da igualdade, da distribuição de renda e do


empreendedorismo. O Brasil do respeito às minorias, de proteção ao meio ambiente, da
livre iniciativa e do mercado. E, principalmente, do respeito à democracia e a todos os
brasileiros!
O Brasil do PSDB. Do plano de estabilização da economia, do combate à inflação e
responsabilidade fiscal do governo FHC. Dos projetos visionários de infra-estrutura de Mario
Covas. Dos programas de proteção às mulheres e negros de André Franco Montoro. Da
sensibilidade dos programas de distribuição de renda de Dona Ruth Cardoso. Do plano dos
genéricos e estruturação da saúde de José Serra. Das escolas técnicas de Geraldo
Alckmin. Da universalização do ensino básico de Paulo Renato. As bases estão todas aqui
no nosso partido, fruto da excelência dos nossos quadros que prestaram serviços
inestimáveis aos brasileiros.

Os 3 estados administrados hoje pelo PSDB no Brasil são exemplos de excelência de


gestão.

No Rio Grande do Sul, Eduardo Leite conseguiu equilibrar as contas públicas e projetar o
seu estado para um crescimento sustentável.

No Mato Grosso do Sul, nosso Reynaldo Azambuja, melhorou a infra-estrutura do Agro


negócio. E ampliou as condições logísticas do seu estado.
Em São Paulo, seguimos a tradição da boa gestão do PSDB e continuamos acelerando a
economia do estado. Fizemos as reformas necessárias que garantiram 50 bilhões de reais
em investimentos neste e no próximo ano com 8 mil novas obras gerando 200 mil
empregos. Programas de proteção às mulheres e de inclusão das minorias. Fizemos
privatizações e concessões. Nos últimos 3 anos, crescemos 4 vezes mais que a média do
Brasil. Geramos 1 em cada 3 empregos no país. Seguindo o exemplo de dona Ruth
Cardoso, criamos os maiores programas sociais existentes no Brasil atualmente.
Ampliamos de 364 para 2.030 escolas em tempo integral. Trouxemos a vacina para os
brasileiros. Vacina negligenciada pelo Governo Federal. Mas que salvou milhões de vidas
em todo Brasil e hoje nos permite vencer a pandemia e retomar a economia.

O PSDB é o grande vencedor das Prévias!

Os governos Lula e Dilma representaram a captura do estado pelo maior esquema de


corrupção do qual se tem notícia no país. A moralidade convertida em roubalheira. Fazer
políticas públicas para os mais pobres não dá direito, a quem quer que seja, de roubar o
dinheiro público. Os fins não justificam os meios. A péssima gestão da economia com Dilma
nos legou dois anos de recessão e desemprego.

Bolsonaro vendeu um sonho e entregou um pesadelo. Nosso fraterno Brasil se transformou


no Brasil da discórdia, da desunião, do conflito, da briga entre familiares e amigos, da
arrogância política. Da violência contra a democracia. Dos ataques à imprensa e a
jornalistas.

Ficamos presos numa armadilha. Um círculo vicioso. O desemprego tomou conta do país. O
Brasil não cresce, a inflação aumenta, a fome atinge 30 milhões de brasileiros, a renda
diminuiu e as reformas não avançaram.

O tempo da corrupção, da incompetência, do negacionismo, da irresponsabilidade fiscal, da


regulação da mídia e dos ataques às instituições democráticas precisa ficar para trás!

Vamos dar um basta nisso!

Vamos reconstruir o Brasil. Queremos um Brasil pujante no presente. Chega de soluços de


crescimento. Chega de perpetuar a pobreza. Vamos levar emprego, renda e educação à
população. Vamos fazer a lição de casa para atrair investimentos internacionais, com contas
sustentáveis e um orçamento com prioridades. Fazer reformas não para gerar superávit
primário, mas para gerar inclusão.

Há milhões de brasileiros vivendo na miséria. E é para eles que temos de olhar primeiro.
Com programas de transferência de renda, sem furar o teto de gastos, ensino integral para
as crianças, atendimento de saúde às famílias mais pobres e programas de geração de
emprego.

O novo Brasil que desejamos terá respeito internacional. Em primeiro lugar, por respeitar
nossos próprios cidadãos, preservar o meio ambiente, despontar na produção da ciência e
da pesquisa. O Brasil tem que liderar o processo de transição para a economia de baixo
carbono, com matriz energética sustentável, erradicação do desmatamento e agronegócio
moderno e produtivo. O Agro é aliado do meio ambiente e devem andar de mãos dadas.

Seremos o país da infraestrutura: concessões e privatizações de aeroportos, portos,


ferrovias, metroviários, rodovias, 5G. O mercado de trabalho está em transformação e nós
temos que vencer nosso déficit de produtividade. Tornar o Brasil competitivo na esfera
internacional, abrir a economia e atrair investimentos estrangeiros.

O Brasil moderno e eficiente será também o Brasil do diálogo. A transformação só é


possível por meio da boa política. E dos 3 Poderes, no ajuste fino de pesos e contrapesos,
respeitando as instituições e, acima de tudo, a transparência e a democracia.

Ninguém faz nada sozinho. Precisaremos da ajuda de todos. Da união do Brasil. Da união
do PSDB. Da união com outros líderes e partidos. Corações e mentes pelo Brasil. Vamos
em frente!

Venceremos a corrupção e a incompetência. Venceremos as trevas e o negacionismo.


Resgataremos a esperança e vamos juntos, unir o Brasil e os brasileiros.

Sim, o Brasil tem jeito!


Viva a democracia e a liberdade.
Viva o Brasil!

JOÃO DORIA
Governador de São Paulo