Você está na página 1de 27

CONCLUSÃO Lição 01: O mistério dos Evangelhos,

Jesus é revelado em João como Filho de Deus, trazendo-nos


total confiança em Suas palavras e promessas.
Complementando Texto de Referência:
Muitos teólogos liberais têm atacado a inerência das Escrituras, Lucas – 24.44-49
bem como a natureza e a pessoa de Cristo, por isso, é VERSÍCULO DO DIA
necessário nos dedicarmos mais no estudo das Escrituras. “Porque a Palavra da Cruz é loucura para os que perecem; mas
para nós, que somos salvos, é o poder de Deus”. (1 Co 1.18)

VERDADE APLICADA
O Evangelho revela o grande amor de Deus para com a
humanidade.

LEITURA SEMANAL
Segunda – Rm 1.16 O Evangelho é o poder de Deus.
Terça – 1 Co 1.17 O Evangelho não consiste em palavras
humanas.
Quarta – 2 Co 4.4 O deus deste século cega os incrédulos
quanto ao Evangelho.
Quinta – Mc 8.34-35 O Evangelho exige renúncia.
Sexta – Mt 28.18-20 A missão da igreja em pregar o Evangelho.
Sábado – Lc 9.6 Os discípulos pregavam o Evangelho.

INTRODUÇÃO
O Evangelho consiste na vida, ministério e obra de nosso Senhor
Jesus, por isso é importante estudar e entender as revelações
de Deus para o homem. Embora os Evangelhos tenham sido
escritos por autores diferentes, a fonte é uma só: O Espírito
Santo de Deus.
Ponto Chave: “Cristo é a mensagem central dos Evangelhos”.
1. O QUE SIGNIFICA EVANGELHO?
A Palavra Evangelho vem da expressão grega que significa
“boas-novas”, dando a ideia de notícias trazidas por alguém.
No caso em questão o próprio Senhor Jesus veio trazer as
alvissareiras palavras de um Deus amoroso para o mundo,
sendo Ele mesmo a razão da existência do Evangelho.

54 1
1.1. O Evangelho implanta o Reino de Deus. Uma das 3- OS MILAGRES RATIFICAM A NATUREZA DE JESUS
mensagens que mais encontramos nos Evangelhos é sobre o Quando Jesus começou a ensinar, a multidão se maravilhava de
Reino de Deus. João Ba sta, o precursor de Jesus, pregava seus ensinamentos, pois eram revestidos de autoridade. Seus
dizendo sobre a chegada do Reino (Mt 3.2); Jesus, por diversas ensinamentos eram corroborados por milagres, que objetivam
vezes, falava sobre o Reino (Lc 17.20-21). O Evangelho não revelar o grande amor de Deus.
apenas marca uma época, mas padroniza a vida dos discípulos 3.1. O primeiro milagre
de Cristo. Nós, como discípulos de Cristo, precisamos viver e João é seletivo nos milagres, mesmo tendo outros milagres
anunciar as verdades do Reino dos Céus. Paulo chega a dizer realizados pelo Mestre, elabora seus escritos relatando apenas
que nos é imposta esta obrigação (1Co 9.16). sete milagres dos enésimos realizados por Jesus. O primeiro é
1.2. O Evangelho do arrependimento. Uma das exigências sobre a transformação da água em vinho: o texto é enfático ao
do Evangelho é a necessidade de arrependimento. A expressão dizer que Ele manifestou a Sua glória e Seus discípulos creram
grega dá-nos a ideia de uma mudança radical em nossa mente, nEle (2.11). O objetivo dos milagres de Jesus era fazer com que
fazendo-nos mudar de direção. O Evangelho de Cristo tem o as pessoas cressem que Ele era enviado do Pai, pois o termo
poder para mudar a trajetória do homem caído e distante da “creiais” é usado cerca de cem vezes no Evangelho.
glória de Deus. O verdadeiro Evangelho leva o ser humano ao Que venhamos aprender com Jesus, pois os dons de Deus não
arrependimento. Infelizmente, temos visto um pseudo evangelho são para exibicionismo, nem para promoção pessoal, mas para
tentando se infiltrar nos templos, o qual precisamos refutar. que as pessoas tenham conhecimento e a fé no verdadeiro
Paulo disse que qualquer pessoa que venha pregando outro Deus. Paulo entendeu esta verdade e disse que o Evangelho é
Evangelho, seja anátema (Gl 1.8). poder de Deus, bem como a manifestação do poder de Deus
sobre as enfermidades, fenômenos da natureza e sobre a morte.
Refletindo Que venhamos crer a todo o instante que não existe nada
“O Evangelho não é feito apenas de acontecimentos históricos, impossível para o nosso Deus.
ele tem um significado teológico e redentor”. (John Stott) 3.2. A cura de um cego de nascença
2. UMA OBRA COMPLETA A análise deste milagre operado por Jesus é interessante, pois Jesus
O maior objetivo do Evangelho é revelar o grande projeto de aproveita para corrigir um erro quanto às enfermidades, pois muitos
Deus para a humanidade. Nos quatro Evangelhos, a saber: acreditavam que uma deficiência de nascença provinha de algum
Mateus, Marcos, Lucas e João percebemos a completude da pecado de seus antepassados, ou até mesmo pecado de uma criança
História de Cristo, enfocando Suas mensagens, Seu ministério no ventre. Basta olhar a perícope de João 9 e veremos a
e principalmente o Seu sacrifício e a Sua ressurreição, resposta de Jesus. Ele foi enfático ao dizer que nem a criança e
consumando a obra da salvação. As abordagens destes quatro nem seus pais pecaram. Jesus deixa claro que Seu poder é
evangelistas coadunam entre si, destacando pontos relevantes maior do que qualquer tragédia humana ou defeito de
para o propósito em que cada livro tivera na época. nascimento, o Seu poder sobrepuja nossas expectativas.
2.1. O enfoque das narrativas. As narrativas se desenvolvem Este milagre merece enfoque também pelo método usado por
de uma maneira ímpar, deixando explícito que o objetivo de Jesus. Ele poderia ter liberado uma palavra ou tocado naquele
seus autores era fornecer subsídios ao embasamento cristão cego, mas o que o texto diz é que Jesus cuspiu na terra, fez
daquela época. Mateus foca e mostra que Cristo é o lodo e passou nos olhos daquele homem. A grande lição é que
cumprimento cabal das profecias veterotestamentárias Deus não está preso aos métodos humanos; Jesus é o Filho de
coadunando os acontecimentos ao Antigo Testamento; enquanto Deus e tem poder sobre a vida e as circunstâncias.

2 53
que os religiosos da época sentiram-se incitados a se opor a Marcos tem a visão de Cristo como servo e Senhor,
Ele e a investigá-lo, mas Jesus permanecia firme em Sua evidenciando Jesus trabalhando e operando milagres poderosos.
missão. A Bíblia diz que Jesus andou fazendo o bem a todos e curando
2.1. O uso da expressão “Eu Sou” os oprimidos do diabo (At 10.38)
Dentro da visão bíblica, este é um dos termos mais fortes, pois
quando Moisés pergunta para Deus acerca do Seu nome, a Lucas trata o Evangelho de maneira esclarecedora e minuciosa
resposta foi: “Eu Sou o que Sou”, Êx 3.14. No Evangelho de (Lc 1.3). Encontramos uma ênfase grande neste Evangelho, o
João, vemos Jesus a todo o momento usando esta expressão; Mestre Jesus como Filho do homem, já em João Jesus é
advogando para si a essência e atributo das coisas, tais como: enfatizado como o Filho de Deus, pois o evangelista João
“Eu sou o caminho, a verdade e a vida”, (14.6), “Eu sou a mostra que Jesus é o Verbo Divino. Os discursos encontrados
ressurreição” (11.25). Em um de Seus discursos, os religiosos neste Evangelho exaltam a Divindade de Cristo.
pegaram pedras para Lhe atirar, pois Jesus havia dito que Sua 2.2. A mensagem dos Evangelhos. O Evangelho, além de
existência era antes de Abraão (Jo 8.58-59). tratar da pessoa de Cristo, Seus milagres, Seu ministério, Sua
Declarar-se eterno era o mesmo que dizer que era divino. morte e Sua ressurreição, pontua assuntos relevantes, tais
Na concepção dos judeus, isto era blasfêmia e deveria ser como: novo nascimento (Jo 3), arrependimento(Mt 3), vida cristã
punido com o apedrejamento. Torna-se imprescindível aos (Mt 5, 6 e 7), salvação (Lc 19.10), remissão de pecados (Lc 24.47)
cristãos entender que Jesus era o próprio Deus, andando com e vinda futura (Mc 13).
os homens e conhecendo Suas necessidades, para assim, se Os ensinamentos de Jesus, ao mesmo tempo em que atraiam
tornar Sumo Sacerdote e interceder pelo Seu povo. as pessoas a o seguirem, causavam inveja aos religiosos da
2.2. Jesus se declara igual a Deus época, como os saduceus, fariseus e escribas. Jesus deixou
João registra um dos discursos mais profundos de Jesus, no bem claro que os fundamentos do Reino não sofreriam
qual, além de se declarar Filho de Deus, diz que é semelhante alterações, portanto, seus seguidores deveriam ser fiéis na
ao Pai. Imagine para um judeu monoteísta, convicto de que o transmissão da mensagem do Evangelho. Os discípulos de Jesus
Deus eterno é único (Dt 6.4), escutar agora um homem, filho de disseram que não poderiam deixar de falar desta mensagem
carpinteiro, dizer que é Filho de Deus. Mesmo diante de tanta (At 4.20).
incredulidade e perseguição, Jesus não cessava de revelar as
grandezas de Deus. O discurso de João 5.16-47 mostra que, de 3. A DIVISÃO DOS EVANGELHOS
maneira nenhuma Jesus agia independentemente do Pai, mas Quando estudamos os Evangelhos vemos que o Evangelho de
sempre em harmonia com Ele, pois compreendia que ambos Mateus, Marcos e Lucas retratam uma espécie da biografia de
eram um(Jo 10.30). Assim sendo, a autoridade não era Jesus, relatando pormenores de sua historicidade, por isso são
usurpada, mas outorgada pelo Pai ao Seu Filho. chamados de sinóticos. João, por sua vez, retrata mais os
Uma das maiores revelações quanto à divindade de Jesus discursos e os milagres que evidenciam a Sua Divindade.
encontra-se na resposta de Pedro, ao dizer: “Tu és o Cristo, o 3.1. Entendendo a sinoticidade dos Evangelhos. Ao
Filho do Deus vivo”. Jesus foi enfático ao dizer que Pedro não estudarmos os Evangelhos percebemos claramente que os
chegou a esta conclusão por exercício mental nem elucubração, escritos de Mateus, Marcos e Lucas apresentam similitudes
mas por intermédio de revelação do Pai (Mt 16.16-17). no conteúdo e na apresentação, por isso são considerados
Evangelhos Sinópticos. Esta expressão é derivada do grego
dando a ideia de “visão conjunta”.

52 03
É necessário frisar que, embora os evangelistas abordem 1.1. A expressão mostra a preexistência de Jesus
pontos diferentes, as passagens não se contradizem, e sim Um dos pontos-chave a ser destacado é a preexistência de
se complementam. É comum encontrarmos nos sinópticos Jesus, ou seja, Jesus era um com Deus na eternidade. Estava
ensinamentos por parábolas, genealogias, o Sermão do Monte, na criação do homem, a palavra usada em Gênesis 1.26 é clara
Escatologia e vários milagres operados pelo Messias em Seu ao dizer “façamos”. Paulo deixa relatado que, na plenitude dos
ministério terreno. tempos, Deus enviou Seu Filho, nascido de mulher (Gl 4.4). Em
3.2. João, um Evangelho diferente. O apóstolo João apresenta Lucas 10.18, encontramos Jesus dizendo que viu Satanás como
em sua narrativa os discursos de Jesus que abordam sobre sua um raio caindo do céu. Como diz Paulo, a revelação de Jesus
deidade. Os discursos relatados por João mostram o Cristo como Filho de Deus veio no tempo certo, porém, Jesus já existia
como o Filho de Deus em vários textos, encontramos Jesus antes da fundação do mundo, sendo assim, Ele é eterno.
assumindo a Sua divindade ao dizer “Eu e o Pai somos um” Quando Jesus se apresenta a João, na ilha de Patmos, Ele diz:
(Jo 10.30). “Eu sou o alfa e o ômega” (Ap 1.8).
Uma das expressões mais usadas por João em sua narrativa é 1.2. O termo expressa Sua origem
“Eu Sou”, mostrando a verdadeira essência de Cristo, por Em diversas passagens do Evangelho joanino, encontramos a
conseguinte é a mesma expressão usada pelo próprio Deus expressão “o Pai me enviou”, evidenciando a origem de Jesus.
quando Moisés lhe pergunta o nome, conforme descrito em João 3.16 diz que Deus deu Seu Filho unigênito. Portanto, a
Êxodo 3.14. Em João, não encontramos tantos milagres quanto expressão Filho de Deus mostra de onde Jesus veio. Jesus não
nos sinópticos, mas os conceitos para o veredito de que Jesus nasceu da necessidade de uma religião, mas foi enviado de
realmente é o Filho de Deus. João chegou a exclamar dizendo: Deus com uma missão específica de resgatar a humanidade.
“No princípio era o verbo, e o verbo estava com Deus, e o Jesus entra na História da humanidade através do ventre de
verbo era Deus”, Jo 1.1. Maria, porém sua origem de paternidade é Divina. A mente finita
e mortal jamais será capaz de entender o grande mistério da
CONCLUSÃO Cristologia: o verbo se fez carne e habitou entre nós (Jo 1.14).
Os Evangelhos revelam o grande amor de Deus para com o Jesus é o pão vivo que desceu do céu para saciar a fome da
mundo, ao enviar seu único Filho para resgatar a humanidade humanidade. Em Mateus 27.54 um centurião, presenciando os
perdida, por isso, não existe Evangelho sem Jesus e nem eventos que sucedera com a crucificação, exclamou:
cristianismo sem cruz. “Verdadeiramente, este era o Filho de Deus”.

Refletindo
“É impossível afirmar a existência do Pai e do Filho, sem a
pessoa do Espírito Santo”. (Bp. Primaz Manoel Ferreira).

2- A PROFUNDIDADE DOS DISCURSOS EM JOÃO


O Evangelho de João se caracteriza pela profundidade Teológicados
discursos. Apesar dos relatos de milagres, a intenção de João é
narrar as falas de Jesus que evidenciam sua divindade. O teor da
Sua revelação foi tão grande

04 51
Lição 13 – João: Jesus como Filho de Deus Lição 02: Panorama dos Sinóticos
VERSÍCULO DO DIA Texto de Referência:
“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho
unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas Lucas 2.1-7
tenha a vida eterna”. Jo 3.16
VERSÍCULO DO DIA
VERDADE APLICADA “E maravilharam-se da sua doutrina, porque os ensinava como
Os milagres e discursos de Jesus em João revelam sua tendo autoridade, e não como os escribas”. Mc 1.22
natureza divina.
VERDADE APLICADA
MOMENTO DE ORAÇÃO A harmonia existente entre os Evangelhos é percebida nos
Oremos a fim de que Jesus, o Filho de Deus, seja conhecido pormenores acerca de Cristo.
em países de extrema opressão.

LEITURA SEMANAL LEITURA SEMANAL


SEG | Cl 1.15 Jesus é a imagem do Deus invisível.
TER | Jo 1.3 Jesus o Criador de todas as coisas. SEG | Mc 2.28 – Jesus como Senhor do Sábado.
QUA | 1Jo 3.8 O Filho de Deus destrói as obras do diabo.
QUI | Fp 2.9-11 Jesus nome acima de todos os nomes. TER | Mt 22. 41-46 – Jesus Cristo, filho de Davi.
SEX | 1Jo 4.14 Jesus como enviado do Pai.
SÁB | Hb 7.3 Jesus como sacerdote eterno. QUA | Lc 2.40 – Jesus crescia em graça.
INTRODUÇÃO
A visão de João acerca de Jesus mostra a quarta face vista por QUI | Mc 5.7 – Jesus, Filho do Deus Altíssimo.
Ezequiel, cujo rosto era semelhante a águia. João descreve
Jesus como enviado de Deus e enfatiza o título, Filho de Deus. SEX | Lc 5.17 – A virtude de Deus estava sobre Jesus.
Nesta lição, veremos a importância deste termo no Evangelho
de João, bem como na comunidade da época. SÁB | Mt 8.26 – Jesus tem poder sobre as tempestades.
Ponto Chave INTRODUÇÃO
“O Evangelho de João evidencia a preexistência de Jesus”. Para a compreensão dos Sinóticos é de suma importância
entender o contexto e o objetivo de cada um dos evangelistas
1- POR QUE O TÍTULO FILHO DE DEUS? em suas respectivas narrativas, para que possamos perceber a
Sabemos que os quatro Evangelhos foram produzidos a partir grandeza da revelação vista em prismas diferentes.
de perspectivas diferentes, porém João não faz parte do grupo
dos sinóticos pelo fato de apresentar a Majestade Divina de Ponto Chave
Jesus e Sua relação como parte integrante da essência Divina. “A biografia de Jesus é a temática central nos sinóticos”.

50 05
1. ESTUDANDO O EVANGELHO DE MATEUS anda por sobre as águas (Jo 6.16-21), pois evidencia o Seu
Sabemos que Mateus era cobrador de impostos, que Jesus o domínio sobre as leis que regem o universo, suspendendo
chamou para ser um de Seus doze discípulos (Mt 9.9-13). assim, a lei da gravidade.
Portanto, o autor conviveu com Cristo, sendo assim, testemunha O que dizer da ressurreição de Lázaro? Não foi uma simples
ocular de muitos fatos de sua narrativa. ressurreição, pois ele estava morto havia quatro dias e o corpo
1.1. Data e Propósito de Mateus. A data aproximada de sua já estava em estado de decomposição (Jo 11.39). Este milagre
escrita é 58 a 68 d.C, momento este de muitas perseguições e mostra o poder de Jesus não somente sobre a morte, mas
de tensões cristãs e judaicas. Considerando tais momentos, também sobre as impossibilidades científicas. Deste modo, os
Mateus escreve objetivando mostrar Jesus não apenas como milagres relatados por João mostram o quanto Jesus é superior
Messias, mas como Filho de Davi, ou seja, aquele para quem a a tudo.
palavra alude sobre a sucessão do trono de Davi (Is 9.7). Ao 3.2. Jesus como o doador da vida
lincar os eventos de Cristo com as passagens do Antigo Em um dos discursos de Jesus, Ele usa a expressão “Eu Sou”,
Testamento, Mateus não somente mostra Cristo como para se autoproclamar como a própria vida (Jo 14.6).
cumprimento messiânico, mas também ajuda os cristãos em sua A passagem bíblica traz a expressão grega “zoe”, para expressar
defesa no embate com o judaísmo do primeiro século da época a vida em Cristo. O conceito desta expressão não representa a
cristã. vida que se acaba com a falência múltipla de órgãos, mas sim
1.2. O Conteúdo de Mateus. O Evangelho de Mateus mostra de aquela em que se perpetua na eternidade por intermédio de
forma detalhada a genealogia de Cristo; evidencia sua linhagem Jesus Cristo.
à tribo de Judá, bem como os seus discursos a céu aberto, Para João, a vida oferecida por Cristo é o cômputo de tudo que é
fazendo alusão à vida prática e a interpretação correta do concedido na salvação. É a mais alta experiência que um ser
Decálogo. Para corroborar Sua Messianidade, Mateus descreve humano pode lograr. O texto chega a dizer que Jesus veio para
cerca de 20 milagres, sendo o primeiro a cura de um leproso dar vida com abundância (Jo 10.10). A expressão abundância traz
(Mt 8 1-4), evidenciando Jesus como o remédio para a lepra, a ideia de algo transbordante, algo mais que suficiente ou
uma das piores pragas do AT (Lv 13.44-46). A não ser no início e extraordinário. Aqueles que têm Jesus como Senhor e Salvador
no final do Evangelho, Mateus não descreve eventos de forma experimentam esta vida extraordinária.
cronológica, pois sua narrativa visa mostrar que Jesus é o
Cordeiro que foi morto antes da fundação do mundo (Ap 13.8). CONCLUSÃO
Refletindo: “Os sinóticos revelam a harmonia dos Evangelhos O Evangelho do Verbo constitui uma importante fonte para o
ao relatar a biografia do Messias”. (Richard Hoover) conhecimento da deidade de Cristo.
2. MARCOS E SEU EVANGELHO
Sabemos que o autor é João Marcos, que participou da primeira Complementando
viagem missionária de Paulo, mas que desertou (At 13.13). Existem muitas religiões advogando ser a verdade e
Marcos não andou com Cristo, mas historiadores, como Eusébio, apresentando meios de salvação; outros se intitulam Messias,
afirmam que Pedro foi a fonte para a escrita do Evangelho de mas nenhum deles apresenta as credenciais bíblicas.
Marcos, provavelmente quando conviveram no início da Igreja O verdadeiro Cristo está muito além da compreensão humana,
primitiva. Este Evangelho foi escrito em Roma. mas pode ser revelado pela ação do Espírito Santo.

06 49
2.1. Ocasião da escrita 2.1. Ocasião da escrita. A provável data da escrita deste
Calcula-se que o Evangelho de João tenha sido escrito no fim do Evangelho é 67 a 68 d.C., após o martírio do apóstolo Pedro.
primeiro século da era cristã, por volta do ano 90 d.C., quando morava Este foi um dos piores momentos para os cristãos, pois as
na cidade de Éfeso. Neste momento, além das perseguições, existiam perseguições tornaram-se ferrenhas com a ascensão de Nero
muitas heresias sendo disseminadas, mormente sobre a vida de como Imperador. Diante deste cenário de morte e pavor
Cristo. João deixa bem claro sua intenção na parte final de seu constante na época dos primeiros cristãos, Marcos escreve com
evangelho, ao dizer que os milagres e relatos de Jesus tinham a
o intuito de encorajar os cristãos com o testemunho de Cristo,
intenção de relembrar aos cristãos os fundamentos cristocêntricos da
fé. O estilo literário de João é de fácil entendimento, visto ter sido que mesmo diante de uma morte cruel e injusta, obteve vitória,
escrito num ambiente gentílico, pois seus relatos das festas e dos sendo exaltado por Deus.
costumes de cunho judaico são explicados de maneira minuciosa. É necessário considerar também o objetivo evangelístico dos
2.2. Um Evangelho Apologético escritos de Marcos, pois visava alcançar pessoas que viviam
Os Evangelhos Sinópticos narram a vida de Jesus a fim de gerar fora da Palestina, e não conheciam de fato os eventos da vida,
fé na vida dos leitores, mas o Evangelho de João se caracteriza ministério e obra de Cristo, bem como o seu poder sobrenatural
pelo teor Apologético. A palavra Apologéticaé um ramo da sobre as enfermidades (Mc 1.45).
Teologia que busca a defesa da fé cristã, baseada em 2.2. A ênfase do Evangelho de Marcos. Algo interessante
pressupostos da razão. A linha adotada por João mostra a encontrado nesta narrativa é a expressão “imediatamente”,
preexistência de Cristo, bem como o projeto eterno da redenção que aparece cerca de quarenta e duas vezes em dezesseis
da humanidade no sacrifício do Cordeiro. capítulos, mostrando um Cristo em constante movimento no
João diz que Jesus é “o Cordeiro de Deus que tira o pecado do exercício de Seu Ministério nas regiões da Galileia e Jerusalém.
mundo”, Jo 1.29. Os discursos relatados por João trazem como É possível computar dezoito milagres e cinco parábolas em seus
enfoque o Verbo se tornar carne e habitar entre os homens escritos, reforçando a tônica do Evangelho da ação (Mc 6.56).
(Jo 1.14). Um dos grandes mistérios sobre a vida de Jesus está Marcos apresenta Jesus como servo. Em seu relato não
na harmonia de suas duas naturezas, a saber: a humana e a encontramos nada sobre a genealogia e o nascimento de
divina, de modo que ambas não se anulavam. O Deus Jesus. Marcos cita pouco a lei e os costumes judaicos,
Todo-Poderoso, através de Jesus podia ser tocado pelo ser reforçando a ideia de ter como destinatário os gentios,
humano, sentia fome, sede e se relacionava de maneira direta ampliando a ideia de um Evangelho universal, não circunscrito
com os homens. Era o “Emanuel, o Deus conosco”, Mt 1.23. a um povo ou extensão geográfica. Ao relatar sobre a grande
3- O CONTEÚDO DO EVANGELHO DE JOÃO comissão, Marcos é categórico ao dizer: Ide por todo o mundo
O que encontramos em João não tem muitas semelhanças com (Mc 16.15), revelando assim, que o alcance da obra de Cristo
os demais Evangelhos, pois não encontramos os discursos teria que ser mundial.
contra a vida legalista dos escribas e fariseus, nem tampouco
sobre a ética do Reino, mas nos deparamos com os eventos 3. ANÁLISE DE LUCAS E SEU EVANGELHO
essenciais da natureza e pessoa de Cristo. Lucas é conhecido como o médico amado (Cl 4.14), reconhecido
3.1. O objetivo dos milagres relatados por João como o autor do Evangelho de Lucas e de Atos dos Apóstolos.
João, na seleção dos milagres para seu Evangelho, prima em Lucas fez parte da comitiva paulina em alguns momentos e
mostrar o poder sobrenatural de Cristo sobre as impossibilidades esteve com ele até o fim de sua vida (2Tm 4.11).
humanas. A cura do filho de um nobre (Jo 4.46-54) evidencia
que o poder de Deus não está limitado ao lugar mas, uma
ordem de Jesus muda toda a situação, mesmo à distância.
48 Outro milagre que merece atenção especial é quando Jesus 07
3.1. O Contexto do Evangelho de Lucas. Ao escrever seu Evangelho, encontramos a expressão no princípio era o Verbo
tratado a Teófilo, um grego de alta patente, Lucas visa mostrar (Jo 1.1). A junção das duas passagens evidencia que o Verbo
que o Cristianismo não é mais um dos enésimos sistemas aqui era Jesus, que estava com Deus na criação. O Eterno se
religiosos que versam sobre valores teológicos criados por revelou através de Seu Filho, mostrando que Jesus é parte da
homens. A narrativa, através de um estudo acurado dos fatos, trindade e que tudo o que existe é por causa de Sua existência.
mostra Cristo como alguém que faz parte da História e que A expressão grega usada por João para Verbo (Logos), era
veio como o “Filho do homem” revelar o grande amor de Deus fonte de estudo dos filósofos na explicação da criação. João,
para a humanidade. aproveitando a oportunidade, sintetiza dizendo que Jesus era o
Provavelmente, Lucas escreve este Evangelho por volta dos Agente Divino responsável por toda a criação, sendo assim,
anos de 58 a 60 d.C., depois que se ocupou em levantar mostra a preexistência de Jesus com Deus. Ele é eterno!
informações acerca de Cristo, pois também não o conheceu
pessoalmente. Pelo momento de bastante perseguição, o 1.2. O Verbo era cheio de graça e verdade
escrito ainda serviu para solidificar a fé de muitos que sofriam A narrativa joanina afirma que o Verbo se manifestou cheio de
pela causa do Evangelho. graça e de verdade (Jo 1.14). O significado destas duas
3.2. A temática adotada por Lucas. Lucas mostra de forma expressões demonstra a missão do Verbo vivo entre os homens,
documentada o plano de salvação por meio de Jesus. O pois numa época marcada por legalismo na qual o acesso à
conceito central em torno de Cristo como membro de uma religião era privilégio de poucos, Jesus se manifesta com graça
família, tendo a sua vivência ilibada diante da sociedade, e (favor imerecido), mostrando que o grande amor de Deus não é
pelo poder do Espírito Santo, era tratado como Filho do homem. privilégio de uma classe, mas de toda humanidade. A
Em Lucas 19.10, vemos que o Filho do homem veio salvar e manifestação do Verbo se dá no âmbito da verdade, que pode
buscar o que se havia perdido. A narrativa lucana traz uma ser conceituada como a essência absoluta das coisas, para
ênfase especial sobre a bondade de Cristo no que se refere às libertar os homens de suas crendices e tradicionalismo.
mulheres, os fracos, os pobres e os que viviam à margem da Enquanto a religião escravizava e condenava, Jesus veio para
sociedade. libertar e dá vida em abundância.
Outro ponto interessante é que, em Lucas, encontramos mais
referências à oração do que nos outros Evangelhos, Refletindo
especialmente a vida em oração de Jesus, como na situação do “Em Cristo habita corporalmente toda a plenitude da divindade”.
batismo (Lc 3.21) e na ocasião em que se retirava para orar nos (Ap. Paulo de Tarso).
desertos (Lc 5.16). Jesus em quatro dimensões | Lição 12: O Evangelho do Verbo
CONCLUSÃO 2- O AUTOR E SEUS PROPÓSITOS
Os Evangelhos Sinóticos apresentam a Cristo a partir de olhares Embora o nome do autor não seja encontrado em nenhum texto
diferentes, porém, de forma contundente, relatam o grande do livro atribui-se a João, o discípulo amado, a autoria do
projeto de Deus, que é a salvação da humanidade por Evangelho, cujo intento foi fortalecer e guiar os leitores no
intermédio de seu Filho. desenvolvimento de um conceito da verdadeira natureza de
Complementando Jesus. Esta afirmativa é ratificada pela palavra “creiais”, que
Os críticos examinam pormenores dos textos sinóticos tentando ocorre cerca de cem vezes em todo o Evangelho de João.
achar contradições entre os textos, mormente os defensores da
teologia liberal, porém os textos se complementam e se ajustam
tal qual um quebra-cabeça.
8 47
Lição 12: O Evangelho do Verbo Lição 03: Panorama do Evangelho de Mateus
Texto de Referência:
VERSÍCULO DO DIA Mateus: 9.9-13
“E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória, VERSÍCULO DO DIA
como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e verdade”. “Eis que uma virgem conceberá e dará à luz um filho, e
Jo 1.14 chamá-lo-ão pelo nome de EMANUEL, que traduzido é: Deus
Conosco”. Mt 1.23
VERDADE APLICADA
O Evangelho do Verbo mostra claramente a Divindade de Jesus. VERDADE APLICADA
O Evangelho de Mateus apresenta Jesus como Messias
MOMENTO DE ORAÇÃO prometido no Antigo Testamento.
Oremos para que Deus nos revele a cada dia os mistérios do
Evangelho. MOMENTO DE ORAÇÃO
Oremos a fim de que povos e nações reconheçam Jesus como
LEITURA SEMANAL Rei dos Reis, o soberano de toda a História.
SEG | Jo 14.6 Jesus o caminho, a verdade e a vida.
TER | Jo 11.25 Jesus é a ressurreição e a vida. LEITURA SEMANAL
QUA | Jo 12.49 Jesus falava do Pai que o enviou. Segunda: Mt 1.21 O nome do Salvador será Jesus.
QUI | Jo 17.21 Jesus era um com o Pai. Terça: Mt 16.16 Jesus é o Cristo, Filho do Deus vivo.
SEX | Jo 6.33 Jesus como pão que dá vida ao mundo. Quarta: Mt 7.29 Jesus ensinava com autoridade.
SÁB | Jo 16.15 Tudo que o Pai tem, Jesus tem Quinta: Mt 12.1-8 Jesus como Senhor do sábado.
Sexta: Mt 26.15 Jesus vendido por moedas de prata.
INTRODUÇÃO Sábado: Mt 28.18 Jesus tem todo o poder.
O Evangelho de João é o mais valioso dos quatro Evangelhos,
pois seus discursos fornecem conteúdo teológico que diz INTRODUÇÃO
respeito à natureza do Cristo, Sua pessoa e o significado da fé O Evangelho de Mateus nos convida a entender a validade das
nEle. Algumas revelações descritas por João, não são profecias messiânicas, pois em todos os acontecimentos na
encontradas nos sinóticos. trajetória de Jesus percebemos o cumprimento das profecias em
mínimos detalhes.
Ponto Chave Ponto Chave
“Jesus era o próprio Deus” “O Evangelho de Mateus revela o Messias profetizado pelos
1- DEFININDO O TERMO VERBO profetas”.
Um dos temas centrais do Evangelho de João é o uso da 1. O CONCEITO MESSIÂNICO NO ANTIGO TESTAMENTO
expressão “Verbo”, no início de seu relato, a encontramos por
quatro vezes. Mas o que João tinha em mente quando usou esta No Antigo Testamento, encontramos as profecias que formam o
expressão? Qual é a verdade a ser transmitida? perfil do Messias, falando sobre Seu ofício, Seu nascimento,
1.1. O Verbo era Deus nome, ministério e a abrangência de Seu Reino. No Evangelho
É interessante ver que em Gênesis o texto inicia dizendo que, no de Mateus vemos Jesus como Rei, aquele cujo Reino será
princípio, criou Deus, céus e terra (Gn 1.1); no início do eterno.
46 09
1.1. Jesus como a semente da mulher. A primeira profecia, sacrificial de Deus tem poder para transformar e libertar pessoas.
onde começa a se desenrolar todo o fio messiânico nas Que venhamos ser testemunhas vivas do amor de Deus.
Escrituras, está registrado em Gênesis 3.15; passagem esta que fenderá ao meio, abrindo passagem para que Israel escape do
fala claramente sobre a semente da mulher que feriria a cabeça exército inimigo comandado pelo anticristo (Zc 14.4).
da serpente. Mais tarde, o profeta Isaías, vaticina que o Messias Neste dia se dará a conversão e o reconhecimento do povo
viria de uma virgem (7.14). Jesus entra na História através do judeu de que Jesus é o Messias. Esta fase da volta de Jesus
ventre de Maria, tornando-se um homem com todas as não apenas encerrará o ciclo de sete anos de grande tribulação,
características inerentes ao ser humano. Mateus registra e como também marcará o início do milênio, onde haverá 1000
conecta o nascimento de Jesus com a profecia (Mt 1.22-23). anos de paz com Cristo reinando. O Cristo, que um dia foi
Esse evento é uma evidência de que Jesus era homem também. rejeitado pelos judeus, se tornará O Desejado das Nações, e a
1.2. Jesus, o rei do trono de Davi. Encontramos nos Salmos terra se encherá do seu conhecimento. Que a cada dia mais
uma alusão ao Pacto de Deus com Davi sobre a permanência venhamos saber que o nosso Deus é Senhor da História e que
de sua descendência no trono (89.3-4). O profeta Jeremias a Sua vontade será consumada na terra.
chega a profetizar sobre o rebento de Davi (33.14-15). Quando
Jesus nasce, surge a esperança do rei libertador que voltaria a CONCLUSÃO
reinar sobre o seu povo. Sabemos, pelas Escrituras, que o O Evangelho, em sua conclusão, apresenta a principal missão da
Reino de Cristo será universal (Sl 72.8), e que as bases do seu igreja: o poder para a execução da obra e a promessa aos
trono são justiça e juízo (Sl 89.14). santos.
Em Daniel 2.44, está registrada uma profecia relatando que o
Deus dos Céus levantará um Reino que não será jamais Complementando
destruído, e este Reino não passará para outro povo. A A principal tarefa da igreja é anunciar Cristo às nações. Existem
interpretação desta profecia fala claramente sobre o Reino que países em que a perseguição é ferrenha, a ponto de pessoas
será estabelecido por Cristo quando vier com poder e grande serem executadas ao pregarem o Evangelho, e as que aceitam
glória para estabelecer seu Reino para sempre. a Jesus serem destinadas a morte.
Refletindo
“O maior erro dos discípulos de Jesus foi achar que seu Reino
era terreno e temporal”. (Sidlow Baxter)

2. A EXPECTATIVA DO REI PARA OS JUDEUS


Após o período de independência nacional com o período dos
Macabeus (164 a 65 a.C.), os judeus, agora, estavam sob o
regime de Roma. Neste ambiente conflituoso, houve a
esperança de que o Messias vinha para livrá-los do julgo do
império romano, sendo assim, um Messiaspolítico.
2.1. O Messias no Judaísmo. A expressão Messias significa
“ungido”, pois faz alusão ao rei de Israel. Esta afirmativa é
reforçada quando olhamos o período monárquico em que os
reis eram considerados ungidos.

10 45
2 – A GRANDE COMISSÃO
Jesus nos delegou um dos maiores privilégios da vida que é Em Isaías 45.1, vemos um exemplo clássico disto quando Ciro é
sermos embaixadores do céu para anunciar as verdades e as chamado de ungido. No cativeiro babilônico, a noção de
boas novas de Deus. Esta é uma tarefa que os anjos desejaram messias ganha contornos escatológicos, porém, com a
(1Pe 1.12), porém Deus confiou aos homens que, mesmo com dominação grega e romana, o messias ficou limitado a um rei
suas limitações, mostrariam não somente a graça, mas também terreno e político.
a glória e o poder de Deus.
2.1. As nações precisam ouvir de Jesus Um dos maiores problemas é quando conceituamos Cristo a
Nas passagens de Mateus e Marcos percebemos claramente que partir de nossa necessidade. Foi justamente isto que a teologia
o objetivo de Deus era o mundo. Mateus usa a expressão da prosperidade fez, criou-se um deus de Deus Senhor e
nações (28.19), enquanto Marcos usa a expressão “toda a Salvador. A Bíblia diz que Deus é o Senhor de toda a terra
criatura” (16.15). O grande objetivo aqui é mostrar que o (1Cr 29.11). Mateus salienta que este Messias sentará no trono
Evangelho deveria transpor barreiras geográficas, culturais, da Sua glória (Mt 25.31). Em Seu discurso, Jesus afirma que o
raciais e etc. Como discípulos de Jesus, precisamos Seu Reino não é deste mundo. No momento de Sua crucificação,
desempenhar a grande responsabilidade que está sobre os encontramos uma inscrição colocada em Sua cruz, que dizia:
nossos ombros: fazer discípulos de todas as nações! Jesus JESUS, REI DOS JUDEUS (Mt 27.37). Embora no presente
chegou a dizer que o campo é o mundo (Mc 13.38), e que momento, o Reino seja espiritual, retenhamos a certeza de que
poucos são os trabalhadores ante os desafios (Lc 10.2). um dia ele será real e eterno.
Que Deus levante em nossa geração pessoas cujo coração 2.2. Quem era Jesus? Mateus, em seu relato, mostra um
queime com a mensagem do Altíssimo para ir às partes mais momento em que Cristo interroga os Seus discípulos sobre a
remotas da terra, pois existem cerca de seis mil povos que ainda verdadeira identidade do Cristo (16.13-17). Esta pergunta é
não conhecem Jesus. Um dos maiores desafios missionários na feita depois de três anos andando com seus discípulos; e é
atualidade é a janela 10/40, composta aproximadamente por impressionante que, se não fosse uma ação reveladora de
sessenta e dois países com muita resistência quanto à pregação Deus, talvez os discípulos ficassem sem respostas. Precisamos
do Evangelho. Sabemos e cremos que, através da oração e do nos policiar para não correr o risco de andar com Jesus e não
jejum, Deus muda situações, por isso oremos por Missões. saber de fato quem Ele é.
2.2. O Evangelho, a mensagem central A fala de Pedro direcionada pelo Espírito de Deus é bastante
Ao apresentar sua visão acerca da comissão missionária, Lucas enfática: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus Vivo”, Mt 16.16. É,
dá maior ênfase à mensagem que deveria ser pregada em portanto, uma alusão clássica da deidade de Jesus, ou seja,
nome de Jesus, mostrando a necessidade de arrependimento Ele é o próprio Deus. No batismo de Jesus, encontramos o
para perdão dos pecados (Lc 24.47). Quando se fala de testemunho do próprio Pai, dizendo: “Este é meu Filho amado,
pregação, sabemos que o Evangelho, somente ele, é que tem em quem me comprazo”, Mt 3.17. Jesus era o cumprimento
poder para transformar vidas. Paulo chegou a dizer que a cabal de todas as profecias messiânicas. Era o Rei dos judeus
mensagem da cruz é loucura para os que perecem, mas para e se tornou o Salvador da humanidade.
nós, que somos salvos ela é o poder de Deus (1Co 1.18). Vale
salientar que o verdadeiro Evangelho se resume à vida, ao 3. CARACTERÍSTICAS DO REINO DE CRISTO
ministério, à morte e à ressurreição de Cristo. Jesus veio para oferecer a salvação a todos aqueles que
A igreja primitiva pregava este Evangelho e as pessoas ficavam aceitarem o Seu sacrifício e O confessarem como Salvador.
libertas de práticas ocultas (At 19.19), de possessão maligna Por esta razão, estabelece parâmetros em Seu Reino e exige
(At 16.16-18), e testemunharam sinais e prodígios. Jesus é o lealdade de Seus súditos todos os dias.
que as pessoas precisam conhecer, e esta história do amor
44 11
3.1 Um Reino espiritual de aplicação prática. O próprio Cristo 1- A PROMESSA DO ESPÍRITO SANTO
deixou claro que o Reino de Deus não vem com aparência Com a volta de Jesus aos céus, Ele não nos deixaria órfãos, por
exterior, mas está entre nós (Lc 17.20). Na oração do Pai Nosso, isso prometeu que enviaria o Consolador para estar conosco,
vemos o anelo do súdito pela implantação do reino de maneira bem como o revestimento de poder para continuar a obra de
visível (Mt 6.10). Assim, precisamos estar todos os dias pregação do Evangelho.
conectados com o Rei para que possamos viver de maneira 1.1. A pessoa do Espírito Santo
sábia diante de um mundo tão difícil e perverso. Em João 20.19-23, vemos Jesus se apresentando aos Seus
A aplicabilidade da palavra do Rei em nossa vida nos fortalece discípulos que, na ocasião, estavam com as portas fechadas,
a batalhar contra as hostes das trevas; é o antídoto contra o por medo dos judeus dizendo: “Recebei o Espírito Santo”.
pecado que nos rodeia de perto e as armaduras para lutar o A Terceira Pessoa da Trindade, de agora em diante, estaria com
bom combate, e assim sermos vitoriosos, levantando o os discípulos de Jesus para confortar, consolar e, em momentos
estandarte do nosso Rei Jesus. Deus estabelece parâmetros de angústia, interceder com gemidos inexprimíveis (Rm 8.26).
para nos portamos diante do Reino, um deles é descrito em Jesus voltaria para o Pai, mas através do Espírito Santo estaria
Mateus 5.48, onde somos exortados a sermos perfeitos, como presente na vida dos Seus discípulos.
o nosso Rei é Perfeito. O poder que recebemos de nosso Rei, Podemos dizer que, na pessoa do Espírito Santo, Jesus se faz
nos leva a grandes responsabilidades. presente. Jesus sabia e sabe muito bem que o novo homem, que
3.2. Um Reino onde impera o sobrenatural. O Rei dos reis, nos tornamos nEle, não consegue viver neste ambiente hostil
Jesus Cristo, rege o Seu Reino com poder e autoridade. Mateus sem a presença do Espírito Santo. Que venhamos usufruir desta
faz questão de relatar os milagres efetuados pelo Rei Jesus: presença maravilhosa todos os dias de nossa vida.
Ele ensinava com autoridade (Mt 7.29), tinha poder sobre a lepra 1.2. O Revestimento de Poder
(Mt 8.1-4), evidenciou Seu poder e domínio sobre os demônios Jesus prometeu também o revestimento de poder através do
(Mt 8.28-34), Seu poder em suspender as leis da gravidade batismo com o Espírito Santo (At 1.8). Nesta passagem, vemos
andando sobre as águas (Mt 14.22-36), bem como na que o revestimento de poder tem como objetivo transformar
multiplicação de alimentos (Mt 15.29-39). Seus discípulos em testemunhas vivas em todas as nações.
No Reino de Deus, as leis naturais são suspensas e o Além da presença do Espírito Santo em nós, Jesus nos outorgou
sobrenatural de Deus acontece, por isso, o rei exige de seus poder para enfrentarmos as oposições espirituais. Paulo diz,
súditos o exercício da fé. Hebreus 11.6 diz que sem fé é inclusive, que as armas de nossa milícia são poderosas em
impossível agradar a Deus, pois os que se aproximam de Cristo para destruição das fortalezas (2Co 10.4).
Deus precisam crer que Ele existe. Deus nos chama para viver Em Atos 2, vemos o cumprimento desta promessa e, como
um tempo sobrenatural e de milagres. Em meio as descrenças evidência, os discípulos de Jesus falaram em outras línguas
e a dúvida de muitos, somos chamados para experimentar o conforme o Espírito lhes concedia que falassem. Além desta
Reino de Deus em nossa vida. prova, foi perceptível também a mudança na vida dos discípulos,
pois pregavam com ousadia a Palavra de Deus.
CONCLUSÃO
Entender que Jesus é o nosso Rei é saber que temos um Refletindo
Senhor, que fazemos parte de um Reino Celestial e que nossa “Não existe amigo fiel mais do que Ele, companheiro que veio
vida precisa ser devotada inteiramente a Ele. do céu, só mesmo Ele, com gemidos intercede a nosso favor.

12 43
Lição 11: Jesus e as Últimas Instruções LIÇÃO 04: MATEUS E O MISTÉRIO DAS PARÁBOLAS

Texto de Referência: OBJETIVOS DA LIÇÃO


Lucas 24. 24-49
Conceituar a expressão parábolas;
VERSÍCULO DO DIA Compreender as verdades reveladas nas parábolas
“Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre Mostrar Cristo nas parábolas
vós; e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém, como em Texto de Referência
toda a Judéia e Samaria e até os confins da terra”. At 1.8 Mateus: 13.31-35

VERDADE APLICADA VERSÍCULO DO DIA


Jesus confiou a Seus discípulos a continuidade de Sua obra. “Abrirei a minha boca numa parábola; proporei enigmas da
antiguidade”. Sl 78.2
MOMENTO DE ORAÇÃO
Oremos para que Deus levante trabalhadores para a sua seara, VERDADE APLICADA
pois os desafios são enormes. As parábolas revelam verdades acerca do Reino de Deus.

LEITURA SEMANAL MOMENTO DE ORAÇÃO


SEG | 1Co 9.16 Nos é imposta a obrigação de pregar o Que Deus venha revelar para nós as verdades relativas ao
Evangelho. Seu Reino.
TER | 2Pe 3.12 Aguardando a promessa.
QUA | 2Co 5.20 Somos embaixadores de Deus. LEITURA SEMANAL
QUI | Jo 16.13 O Espírito nos guiará em toda a verdade. SEG | Rm 13.1-3 A Parábola do Semeador.
SEX | Rm 10.15 São formosos os pés dos que anunciam a paz. TER | Mt 13.24A Parábola do trigo e do Joio.
SÁB | Lc 24.49 A promessa do revestimento de poder. QUA | Mt 13.44 A Parábola do tesouro escondido.
QUI | Mt 13.45-46 A Parábola das Pérolas.
INTRODUÇÃO SEX | Mt 13.47 A Parábola da rede lançada ao mar.
Os Evangelhos, mormente os sinóticos, apresentam pelo menos SÁB | Mt 18.23-35 A Parábola do credor incompassivo.
três instruções básicas de Jesus para os Seus discípulos entre a INTRODUÇÃO
ressurreição e sua ascensão aos céus. Jesus investiu tempo em Um dos recursos mais usados por Jesus na transmissão de
Seus discípulos, pois sabia da grande tarefa que eles teriam que verdades do Reino e valores da vida cristã eram as Parábolas.
desempenhar. Através destas narrativas impregnadas de conceitos acerca do
Reino com profundidades em suas aplicações, proporcionava
Ponto Chave aos Seus seguidores a compreensão plena de Sua mensagem.
“Viver e pregar o Evangelho seria a missão de Seus discípulos”.
Ponto Chave “A revelação das verdades do Reino para os
discípulos de Jesus”.

42 13
1. CONCEITUANDO PARÁBOLAS Seu governo jamais terá fim. Querendo o homem ou não, a
Parábola é nada mais do que uma história breve do cotidiano, vontade de Deus se consolidará sobre a terra, conforme está
contada como forma de analogia para ilustrar e extrair verdades escrito em Apocalipse quando diz que “o Reino do mundo
e lições para a aplicação diária. A mesma mensagem que trazia passou a ser do nosso Senhor” (11.15). O Rei dos reis domina
esperança para os discípulos de Jesus criticava o sistema nos céus e na terra, o Seu poder não tem limite e Sua vontade é
religioso da época. boa, agradável e perfeita (Rm 12.2).
1.1. As Parábolas nos Evangelhos
Sendo as Parábolas um recurso bastante usado por Jesus no CONCLUSÃO
ensino, elas são encontradas não somente em Mateus, cujo O Reino de Deus nos mostra que a nossa vida não é regida por
número soma dezesseis, mas também em Lucas, onde leis humanas e sim pelas leis do governo soberano de Deus.
encontramos vinte Parábolas e também em Marcos com cinco Complementando
Parábolas. Este método usado por Jesus trazia lume ao coração A Antiguidade foi marcada por um período em que grandes
do ouvinte fazendo com que as verdades fossem mais facilmente cidades, civilizações e reinos surgiram. Ela também foi marcada
assimiladas. Jesus era o Mestre por excelência, e as pessoas por conflitos e guerras de expansão, pois se concentrava no
buscavam os Seus ensinamentos (Mt 7.29); e ficavam admirados poder humano: Sumérios, Assírios, Babilônicos, Caldeus, Pérsia,
com a Sua inteligência (Lc 2.47-48). Grécia e Roma antiga, entre outros. Mas, o Reino de Deus será
1.2. A razão do uso das Parábolas por Jesus regido pelo Altíssimo, onde desfrutaremos de paz e justiça.
Em Mateus 13.10-11, encontramos o próprio Cristo falando o
motivo das parábolas em Seu Ministério ao dizer aos discípulos:
“A vós é dado a conhecer os mistérios do Reino dos Céus, mas
a eles não”. Por isso o objetivo primordial da parábola era ocultar
as verdades aos que rejeitavam o plano de Deus e, ao mesmo
tempo, colocar verdades em uma forma mais fácil de ser
lembrada, evitando assim, a ofensa a pessoas hostis e que não
aceitariam a verdade de Deus. O apóstolo Paulo fala sobre esta
cegueira e sono espiritual por parte dos judeus (Rm 11.8).
Refletindo
“Jesus conseguia alcançar o coração de seus ouvintes, pois
através de histórias ensinava verdades eternas”. (Pr. João
Kolenda Lemos)
2. ENTENDENDO O REINO NAS PARÁBOLAS
Jesus, em diversas parábolas, principia a história usando a
expressão: “o Reino dos Céus é semelhante”; evidenciando
valores e verdades acerca do Reino de Deus. Por diversas vezes,
Seus discípulos pediram explicação sobre determinadas
Parábolas devido à complexidade de assimilação.
2.1. Entendendo a Parábola do Joio e do Trigo
A mensagem implícita nesta passagem tem uma verdade bem
atual, pois o joio e o trigo estarão juntos até a consumação dos
tempos.
14 41
Deus sempre se preocupou com o homem, basta ver o episódio O trigo representa as pessoas, os filhos do Reino;
em que, no Jardim do Éden, Ele vai atrás do homem para porém, o joio, representa os filhos do maligno. Não se pode
restaurar. Em Lucas 19.10, vemos que Jesus veio buscar e arrancar o joio deliberadamente, pois, corre-se o risco de
salvar os que se haviam perdido. Os discípulos de Jesus têm a arrancar o trigo também, por isso é necessário esperar o agir do
responsabilidade de pregar o Evangelho a toda a criatura Dono da seara.
(Mc 16.15), independente de raça, religião ou classe social, os Esta realidade é perceptível no Reino de Deus, que não está
perdidos precisam ser buscados para a Casa de Deus. limitado a placas denominacionais. Existem pessoas não libertas,
3.2. O Reino de Deus e a morte infiltradas no Reino, promovendo divisões, intrigas e
Uma das passagens mais contundentes acerca da vida após a disseminando heresias. O consolo que temos é que, conforme
morte é relatada por Lucas, mostrando a realidade da vida descrito em Mateus 13.41, o Filho do homem ordenará aos anjos
eterna (Lc 16.22-26). No Evangelho do Reino, encontramos que recolham tudo o
respaldo para afirmar que a vida não termina com a morte,
continua na eternidade. A passagem do rico e Lázaro mostra que causa escândalo e que comete iniquidade. Por mais que
que a maneira como vivemos determina o lugar onde viveremos existam líderes capazes, somente o supremo Pastor é capaz
na eternidade (céu ou inferno); há de se ressaltar que não existe de intervir no extermínio do joio.
o caminho alternativo. 2.2. O Reino na Parábola do credor incompassivo
Em João 3.16 vemos que, por intermédio de Jesus, o pecador A Parábola ilustra o princípio do perdão, elemento primordial no
arrependido tem direito a vida eterna. Paulo chega a dizer que o meio da comunidade cristã. Cristo revela a grandeza do perdão
Reino de Deus não é bebida nem comida, mas justiça, paz e divino, comparado com a dívida do homem. Infelizmente, o ser
alegria no Espírito Santo (Rm 14.17). É necessário que, a cada humano tem a facilidade de esquecer o dom gratuito de Deus
momento, venhamos estar preparados, pois o Filho do Homem em sua vida, permitindo que a capacidade de guardar rancor
virá como relâmpago (Lc 17.24). Paulo diz que o dia do Senhor gere raízes profundas em sua alma.
virá como um ladrão de noite (1Ts 5.2). Em Mateus 13.43, diz que No Sermão do Monte, Jesus é claro ao dizer que, se as pessoas
os justos resplandecerão como sol no Reino de Deus. não perdoarem os seus devedores, o Pai Celestial também não
perdoará os seus pecados (Mt 6.14-15). O que Cristo fez pelos
A palavra grega para reino é “Basileia”, indicando que existe um rei no homens é infinitamente maior do que qualquer ofensa que
comando. Por isso é de vital importância perceber que, na oração do eventualmente possamos sofrer. A parábola nos mostra que um
Pai Nosso, Jesus insere o desejo pelo Reino, na expressão “venha o coração perdoado precisa demonstrar graça e perdão para com
Teu Reino”. O Seu intuito era que os Seus discípulos anelassem pelo seus ofensores, mas o contrário disto pode nos levar a perder,
Reino de Deus e sua implantação. No Reino, está evidente a não somente a graça, mas também a vida eterna. O perdão faz
soberania e a vontade de Deus. A soberania é a maneira como parte não somente dos valores do Reino, mas principalmente de
Deus dirige o mundo baseado em Sua Onisciência. A visão da um coração perdoado e cheio de gratidão pelo que Jesus fez.
soberania de Deus foi profetizada por Isaías ao dizer que ele 3. JESUS REVELADO NAS PARÁBOLAS
está assentado sobre o globo da terra (40.22). O salmista Em várias parábolas contadas por Jesus, vemos claramente a
reconhece a soberania ao dizer que do Senhor é a terra e tudo alusão ao Filho do Homem e o Seu lugar no Reino. Portanto,
o que nela existe (24). Infelizmente, vivemos num mundo onde este método usado por Jesus não apenas revela valores do
os sistemas vigentes tentam excluir Deus de seus governos e Reino como também o Ministério do Filho do homem na
negócios; colocando-o à margem da História. implantação do Reino dos Céus.
A Bíblia diz que para tudo existe um tempo determinado, e, no
tempo de Deus, Sua vontade será implementada na terra e
40 15
3.1. A Parábola dos lavradores maus ressurreição e comissionamento dos Apóstolos. Aquela semente
Esta é uma das Parábolas em que Jesus enfatiza a rejeição que começou em Jerusalém se espalhou de maneira
do Seu povo no que tange ao Messias e ao projeto de Deus. sobrenatural, alcançando muitas nações.
Observe que o dono da vinha mandou duas comitivas, cujos A semente do Evangelho é a principal causa do crescimento, pois
componentes foram cruelmente apedrejados. Por último, o Evangelho é o poder de Deus (Rm 1.16). Quando estudamos
resolveu mandar seu filho, que teve o mesmo fim dos demais. a História da igreja, vemos que, mesmo diante de perseguições
É impressionante como esta história expressa bem a maneira e martírio, o Reino de Deus crescia. Tertuliano chegou a dizer
como Israel reagiu aos profetas de Deus: calando-os com a que o sangue dos mártires é a semente dos cristãos. A atuação
morte. O mesmo foi feito ao Filho do Dono da vinha, que do Reino de Deus é sobrenatural e poderosa.
simboliza o próprio Cristo, levado a vitupério pelos religiosos da 2.2. O Reino é semelhante ao fermento
época. A consequência desta rejeição e brutalidade abriu a Ao comparar o Reino de Deus como o fermento em uma massa,
porta para os gentios (Mt 21.43). O evangelista João escreveu Jesus estava enfatizando o poder de influência do Reino,
que Jesus veio para o Seu povo, mas foi rejeitado e por isso mesmo que, de maneira invisível aos olhos humanos, os efeitos
todos quantos o receberem terão o direito legal de serem feitos são profundos e abrangentes. Outra grande verdade a ser
filhos de Deus (Jo 1.11-12). Jesus é revelado nesta parábola explorada é que o fermento age se estiver dentro da massa e
como o Sacrifício Perfeito para a redenção da humanidade. não do lado de fora. A influência de transformação do Evangelho
3.2. A Parábola das dez virgens é sobrenatural. Podemos ver a maneira sobrenatural como
Esta parábola é de caráter hortativo, tanto que, no relato de Saulo foi transformado em Paulo (At 9); Em Atos 19, vemos que
Mateus, ela se encontra dentro do Sermão Profético. Jesus aqui os que eram envolvidos com artes mágicas queimaram seus
é comparado com o noivo que, ansiosamente, espera pela noiva livros na presença de todos.
para o enlace matrimonial. Dentro da escatologia bíblica, a volta Temos ainda o exemplo de Zaqueu que, após receber Jesus em
de Jesus é real e acontecerá nos ares num abrir e fechar de sua casa, estava disposto até mesmo a ressarcir as pessoas
olhos. No desenrolar da narrativa, é perceptível que a metade que foram lesadas por ele (Lc 19.8). O coração do homem é
das noivas era louca e a outra metade, prudente; e, com o onde o Evangelho trabalha de maneira silenciosa para a
atraso do noivo, todas dormiram. Infelizmente, estamos vivendo salvação e transformação das pessoas, tornando-as novas
um período da História quando muitos estão dormindo o sono criaturas (2Co 5.17).
da negligência, imersos em completo torpor espiritual. Tomemos 3- CARACTERÍSTICAS DO REINO DE DEUS
cuidado, pois foi justamente neste momento em que a voz Jesus foi categórico ao dizer que o Reino de Deus não vem
anunciou a chegada do esposo. A Parábola nos mostra que Jesus com aparência exterior (Lc 17.20); e que o homem precisa
voltará de maneira inesperada, e quem não estiver preparado empregar força para entrar nele (Lc 16.16). Lucas narra alguns
não entrará em Seu Reino (Mt 25.11- fatos que ampliam ainda mais a visão acerca do Reino de Deus
e suas características.
CONCLUSÃO 3.1. O Reino de Deus se preocupa com os perdidos
As Parábolas conduzem os ouvintes às verdades espirituais A Parábola da Ovelha Perdida e da Dracma Perdida, relatadas por
acerca do Reino de Deus e também à revelações sobre o Lucas evidenciam a preocupação de Jesus com os perdidos. Ao
Messias. saber que faltava uma ovelha, o pastor deixa as noventa e nove e vai
atrás da ovelha perdida e só retorna após achá-la. Semelhantemente,
a mulher procura a dracma perdida de maneira diligente até
achar. Para Jesus, os perdidos merecem atenção e empenho
16 em sua busca.
39
1.1. Reino de Deus ou Reino dos Céus? LIÇÃO 05: JESUS É O MESSIAS
Encontramos estas duas expressões sendo usadas pelos
Evangelistas, porém, Mateus opta por usar a expressão Reino LEITURA DIÁRIA
dos Céus tendo em vista que escreve para os judeus, por isso,
evita ao nome de Deus; e seu principal objetivo era de
SEG Mt 3:11 - Jesus batiza com o Espírito Santo e com fogo.
apresentar Jesus como cumprimento das profecias messiânicas.
Lucas usa a expressão Reino de Deus com mais veemência, TER Jo 1:29 - Jesus o Cordeiro de Deus.
pois, seu objetivo era mostrar a supremacia de Deus sobre os QUA Lc 6:5 - Jesus é o Senhor do sábado.
demais conceitos religiosos daquele tempo. Concluímos que as QUI Mq 5:2 - Jesus como Senhor de Israel.
duas expressões têm a mesma ideia, um governo de Deus SEX Ap 19:16 - Jesus como Rei dos Reis e Senhor dos Senhores.
baseado em Seus atributos, tais como soberania e justiça.
SÁB Mc 10:48 - Jesus como Filho de Davi.
1.2. O Reino na visão escatológica
Embora o Reino de Deus esteja entre os homens, sabemos que
ele se consumará de fato quando Jesus vier para estabelecer
Seu Reino milenial e, posteriormente, a implantação do novo Os títulos cristológicos encontrados nos Evangelhos atribuídos a
céu e da nova terra. Em Salmos 72, vemos que Seu domínio Jesus trazem consigo vários signiÞcados quanto a obra terrena,
será de mar a mar e o Seu julgamento terá como base a justiça. revelando o caráter de sua natureza e a profundidade pela qual
Jesus, no Sermão da Montanha, chegou a dizer que os que têm
fome e sede de justiça terão seu desejo saciado (Mt 5.6), pois o desenvolveria seu ministério.
juiz de toda a terra será Jesus Cristo. A nós, como seus #pontochave
discípulos, além de desejar ardentemente a implantação do Jesus é o Messias prometido no Antigo Testamento.
Reino, precisamos viver de acordo com os estatutos do Reino.
1 - Jesus como Senhor e Salvador
Refletindo
“Se fazemos parte do Reino de Deus, logo não temos alvedrio”. Estes dois títulos se completam, pois todos aqueles que têm
(Pr. César Roza) Jesus como Salvador precisam tê-lo como Senhor também.
Como Salvador, ele supre a necessidade humana de livramento,
2- O DESENVOLVIMENTO DO REINO DE DEUS mas como Senhor Ele é soberano da vida do seu povo.
A visão lucana a respeito do crescimento do Reino é 1.1. Jesus Cristo e o título de Senhor A expressão grega para
demonstrada através de duas parábolas, onde é possível ver o
senhor é "kyrios", dando a ideia de alguém que vive e que está
quão sobrenatural é o Reino. João Batista, o percussor de Jesus,
veio pregando e avisando que era chegado o Reino dos Céus, cercado de autoridade para governar, ou seja, está acima de
Jesus mostrou que quando o grão de trigo morre ele produz todas as coisas. Nas passagens dos Evangelhos, vemos a
muitos frutos (Jo 12.24). proclamação de que Jesus é Senhor do sábado; a ideia aqui é
2.1. O Reino comparado ao grão de mostarda mostrar que Jesus era o dono do sábado, maior que o sábado e
O que chama a atenção na Parábola do Grão de Mostrada é o
tinha o poder sobre o sábado. Num sentido mais amplo, Jesus
tamanho da semente comparado à grandiosa árvore que
cresceu, servindo de apoio para as aves do céu. Embora o se torna Senhor de nossa vida quando nos rendemos a sua
Reino tenha começado de forma pequena e sem chamar a perfeita vontade. Isaías exclama:
38 atenção, alcançou um crescimento sobrenatural com a morte, 17
Santo é o Senhor dos exércitos Lição 10: Lucas e a Visão do Reino de Deus
(Is 6:3), mostrando seu poderio e domínio sobre os poderes
terrenos. Que venhamos entender o domínio de Deus não Texto de Referência:
Lucas 17.20-37
somente sobre a história, mas também sobre a nossa vida.
VERSÍCULO DO DIA
1.2. Jesus como Salvador “Mas Jesus, chamando-os para si, disse: Deixai vir a mim os
Este é um título que encontramos em Mateus, quando acontece meninos e não os impeçais, porque dos tais é o Reino de Deus”.
a anunciação do nascimento e que seu nome seria JESUS, pois Lc 18.16
salvaria o Seu povo. A ideia do Antigo Testamento para o termo
VERDADE APLICADA
salvador é libertador do povo; então, neste sentido, Moisés foi As Leis do Reino de Deus são diferentes das leis deste mundo.
um salvador para os hebreus, quando saíram do Egito. Porém, MOMENTO DE ORAÇÃO
quando este termo é atribuído a Jesus, refere-se a uma libertação Oremos para que a vontade de Deus venha a ser concretizada
mais abrangente, para além do espaço físico. Em Lucas, vemos na terra como ela é feita nos céus.
que o Þlho do homem veio para salvar (Lc 19:10), João diz que
LEITURA SEMANAL
Deus enviou seu Þlho para salvar (Jo 3:17); estes textos SEG | Lc 11.2 Orando pela vinda do Reino.
evidenciam que a missão de Jesus era ser Salvador não apenas TER | Lc 9.62 Os que olham para trás não são aptos ao Reino.
no âmbito terreno, mas, principalmente, do ponto de vista QUA | Lc 14.11 No Reino, os humilhados serão exaltados.
espiritual. Somente Jesus é capaz de promover uma QUI | Lc 18.29-30 As recompensas do Reino.
transformação por completo no coração do ser humano. SEX | Lc 12.31 Colocando o Reino como primazia.
SÁB | Lc 14.33 O Reino exige renúncia.
Os Evangelhos apresentam a autoexistência e a preexistência de Ponto Chave
Jesus" “O personagem central do Reino não é o homem e sim Jesus
Cristo”.
Pr. Isaias Rosa
1- O QUE SIGNIFICA O REINO DE DEUS?
Uma boa definição para Reino de Deus seria um governo que
2 - Jesus visto como Profeta e Sumo Sacerdote teria Deus como Seu soberano. Na oração do Pai nosso, é
Estes dois títulos trazem grandes verdades, unindo o Antigo perceptível a necessidade de implantação do Reino de Deus.
Testamento com o Novo, pois abordam a esperança do profeta Quando o governo humano se firma com corrupções, o de Deu
escatológico, mas também apontam para o ofício sacerdotal de e estabelece com justiça.
Jesus como mediador de uma nova aliança. O escritor aos
hebreus assevera que Jesus é superior a todos os sacerdotes.

18 37
3.1. A Valorização de todas as pessoas 2.1. Profeta como Moisés O Profeta como Moisés
Sabemos muito bem que, nos tempos de Jesus, as mulheres Em primeiro lugar, precisamos entender que, em Israel, O
não eram valorizadas, os pobres e oprimidos viviam à margem Profeta (nabi), não era o que simplesmente falava em Nome de
da sociedade que, por sua vez, era massacrada por uma religião Deus, mas aquele que revelava a vontade de Deus ao povo.
elitista, formal e fria. Jesus não apenas condenou tenazmente os O texto em Deuteronômio 18:15-19, suscita em Israel a noção do
religiosos, como também mostrou o valor das mulheres e Profeta do fim dos tempos, conhecido como profeta
defendeu os menos favorecidos. No Evangelho de Lucas consta escatológico, porém Jesus vai muito além da perspectiva
quarenta e três vezes o substantivo “mulher”. Lucas faz questão Judaica. Muitos achavam que Jesus era Elias, Jeremias ou um
de frisar o grupo de mulheres que viajavam com os discípulos dos Profetas (MT 16:14); a Mulher Samaritana em seu diálogo
(8.2-3); e mulheres que estavam presentes na crucificação com Jesus, disse que ele era profeta (João 4:19). Jesus como
(23.55-56). profeta revela os mistérios do Reino de Deus aos homens,
Embora Lucas fizesse parte de uma classe média elevada, fez sendo superior a qualquer profeta veterotestamentário, pois ele
questão de mencionar sete Parábolas; destacando o paradoxo é a própria palavra, O Verbo Vivo e sempre falava com
entre os pobres e os ricos, mostrando o quanto Jesus se autoridade própria; até mesmo o povo O percebia como profeta,
preocupava e agia em prol dos que não tinham socorro. A conforme vemos em Mt 21:46. Jesus como ungido de Deus
ressurreição do filho da viúva de Naim é um exemplo do amor exercia também o Ofício Profético.
de Cristo para com as necessidades das pessoas. Paulo chegou 2.2. Um Sumo Sacerdote eterno
a dizer que Deus era poderoso para suprir todas as nossas Outro Ofício que recebia a unção no Antigo Testamento era o de
necessidades (Fp 4.19). sacerdotes. Estes eram separados para interceder pelo povo
3.2. Jesus e a dependência do Espírito Santo dando suporte espiritual em todos os rituais mosaicos. Jesus,
A grande lição encontrada no Evangelho de Lucas é a como Sacerdote, não está circunscrito a um tempo ou geração,
dependência que Jesus tinha do Espírito Santo. Em Lucas 4.1 mas foi constituído o Sacerdote Eterno! Enquanto no Antigo
percebemos que o Espírito Santo conduziu Jesus ao deserto Testamento exigia-se sangue de carneiro e animais limpos,
para ser tentado; na passagem de Lucas 4.18, Jesus cita a Jesus foi ao mesmo tempo o Sacrifício Perfeito e o Sumo
profecia de Isaías 61, reforçando a ideia do poder do Espírito Sacerdote. O filho de Deus se entregou de maneira voluntária
Santo em sua vida e ministério. Jesus sabia perfeitamente a (GL 1:4), e ele mesmo se entregou por nós (Tt 2:14). A Bíblia diz
necessidade de ser guiado pelo Espírito Santo. Lucas deixa que o nosso sacerdote, pode se compadecer por nós, pois foi
registrado o desejo de Jesus de que seus discípulos tentado, mas permaneceu ilibado. Durante seu ministério vemos
pudessem viver da mesma maneira ao dar continuidade a sua Jesus intercedendo a Deus pelos oprimidos e pecadores; e na
obra (24.49). Que venhamos consagrar nossa vida todos os oração sacerdotal, intercede pelos seus discípulos (em João 17)
dias a Deus e viver em comunhão e debaixo da unção do ponto em Cristo podemos crer e confiar as causas impossíveis.
Espírito Santo. O livro de Atos nada mais é do que a vida dos 3 - Títulos que revelam a divindade de Jesus
apóstolos sob o domínio do Espírito Santo. Os títulos usados, principalmente Jesus e, revelam a
coexistência dele com Deus, bem como sua auto-existência e
CONCLUSÃO pré-existência. A profundidade teológica desses títulos foram
O Evangelho de Lucas evidencia que Jesus se tornou parte da fundamentais na construção da teologia a respeito de Cristo.
História humana, e assim resgatar a humanidade para Deus 3.1. O Jesus Logos
com seu precioso sangue. Na narrativa do Evangelho de João, encontramos a expressão
grega “Logos” que foi traduzida por "verbo".
36 19
Uma das noções 2.1. Jesus como Salvador do mundo
dos gregos para Logos é que era uma lei suprema, que rege o A maneira como o evangelista Lucas narra os fatos mostra que
universo e que ao mesmo tempo está na razão humana. Quando a salvação é um tema proeminente em seu Evangelho, ao
João escolhe este termo, tem como objetivo revelar a expressar: “O Filho do Homem veio buscar e salvar o que se
superioridade de Cristo sobre qualquer conceito de verdade ou havida perdido” (Lc 19.10). A Missão de Jesus fica clara, a
ser supremo, Jesus é a própria verdade. O versículo que salvação de seu povo; Mateus relata que Jesus salvaria o seu
principia seu evangelho já diz tudo: No princípio era o verbo, o povo dos seus pecados (Mt 1.21). Somente o Filho do Homem
verbo estava com Deus e o verbo era Deus ( João 1:1). As tem poder para perdoar pecado e colocar o homem em
três frases revelam que Jesus existia no princípio de todas as comunhão com Deus.
coisas, co existia com Deus e que era o próprio Deus. É O mesmo escritor Lucas, em seu segundo tratado diz que em
glorificante saber que o próprio Deus na pessoa de seu filho, nenhum outro existe salvação (At 4.12).O ensinamento lucano
assumiu a forma humana para efetuar a maior obra de salvação. é corroborado pelo apóstolo Paulo, quando diz que só existe um
Paulo fala sobre a grandeza do mistério da piedade, onde o mediador entre Deus e o homem, que é Jesus Cristo, homem
Verbo se manifesta em carne (1 Tm 3:16). (1Tm 2.5). Merece destaque a inclusão no fim do versículo,
3.2. Jesus como Filho de Deus mostrando que Jesus também era homem.
Este título expressa a maneira particular e única entre o Pai e o 2.2. A genealogia de Lucas
Filho. Percebemos em algumas passagens as pessoas O propósito de Lucas em mostrar a genealogia de Jesus a partir
reivindicando a Jesus como filho de Davi. Este título mostra da vida de Maria foi para reforçar o vínculo de que ela era a sua
Jesus como sucessor do Trono davídico que jamais terá fim, mãe biológica; foi do seu ventre que Jesus nasceu. Outro ponto
porém não mostra a divindade de Cristo. No Evangelho de fundamental em sua descrição na ancestralidade de Cristo foi
João a revelação de Jesus tendo como Pai Celestial O próprio citar Adão, o primeiro homem, criado a imagem e semelhança
Deus muito clara, resultou em Sua morte (João 19:7), pois os de Deus, identificando Jesus universalmente com a História da
judeus consideravam esta afirmação uma blasfêmia humanidade. Na visão lucana é importante mostrar o liame que
(João 10:33). O filho de Deus veio trazer uma mensagem de Jesus tem com a raça humana, sendo registrado o seu
esperança e dar o direito de vida eterna à humanidade. Nós desenvolvimento como pessoa.
somos filhos de Deus por adoção através do sangue de Cristo. O fato de Jesus ter se tornado humano o capacitou a ser um
Que venhamos a olhar com diligência para esta tão grande sacerdote que se compadece de nossas fraquezas, conforme
salvação, valorizando e proclamando o inequívoco amor de registrado em Hebreus 4.15. Mais tarde, Paulo estabelecerá uma
Deus. Em sua missiva, João exalta o grande amor de Deus em comparação entre o primeiro Adão e o segundo Adão (Jesus),
nos fazer seus filhos (1 Jo 3: 1). bem como Sua contribuição efetiva no plano de salvação para a
humanidade, conforme os textos de Romanos 5.14-21.
CONCLUSÃO 3- LUCAS E SUA IMPORTÂNCIA NA VIDA CRISTÃ
Os títulos atribuídos a Jesus revelam sua messianidade e Além de relatar sobre o ministério, vida, morte e ressurreição de
missão entre os homens. Jesus, Lucas apresenta em sua narrativa ensinamentos e
atitudes que necessitam ser obedecidas e seguidas pelos
discípulos de Cristo. Uma delas é a total dependência do
Espírito Santo.

20 35
1.1. Jesus, o Filho do Homem AULA 6 O PLANO DE REDENÇÃO
No livro do profeta Ezequiel, encontramos por cerca de noventa
vezes a expressão “filho do homem” cuja espécie era humana, LEITURA DIÁRIA
referindo-se aos descendentes de Adão. Neste prisma a Segunda Ap 13:8 - O Cordeiro foi morto desde a fundação do
expressão apenas revela a vinculação de certa raça. A partir da mundo
visão lucana foi inserindo uma conotação messiânica, Terça Mt 26:66 - Jesus foi condenado réu de morte.
convertendo-a em título cristológico. No Evangelhode Lucas QuartaLc 22:44 - Jesus suou gotas de sangue.
encontramos sempre a expressão “Filho do Homem”, Quinta Mc 15:37 - Jesus e seu último suspiro no calvário.
demonstrando a missão e autoridade divina de Jesus que sendo Sexta Mt 27:29 - Os homens zombavam de Jesus.
o Deus Filho enviado pelo Deus Pai, se materializou em forma Sábado Hb 9:26 - Jesus aniquilou o pecado pelo seu sacrifício.
humana (Fp 2.5-8) para cumprir a missão do Messias aguardado
(Mt 26.45). Introdução
1.2. A autocompreensão de Jesus A história contada nos Evangelhos, não apresenta apenas a
O Evangelho de Lucas explora parte da infância e adolescência biografia de Jesus, mas sim a consumação do plano de
de Jesus com minúcias; deixando claro que Jesus, embora com Redenção por meio de Cristo. Através da morte e ressurreição
12 anos de idade, tinha consciência de sua missão, pois o texto de Jesus, a humanidade passou a ter o direito à vida eterna.
diz: “Não sabeis que convém tratar dos negócios do meu Pai?”
(Lc 2.49). o título de Filho do Homem atribuído a Jesus não está #pontochave
limitado apenas ao Messias prometido, mas também a A maior obra de Jesus foi se entregar em sacrifício pela
implantação de Seu Reino, quando virá com poder e grande humanidade.
glória (Lc 21.27). Em diversos momentos, encontramos o próprio
Jesus falando na terceira pessoa, usando a expressão “Filho do 1 - Jesus a caminho do Calvário
Homem” para relatar verdades como encontramos em A noite da quinta-feira começa movimentada e cheia de
Mateus 24.36, ao se referir sobre a vinda do Filho do Homem. decisões; seria a última noite de Jesus com seus discípulos,
por isso ele institui a Santa Ceia e depois vai ao Getsêmani
Refletindo para orar, pois a hora era chegada, ou seja, seria traído e
“Os sinóticos revelam a harmonia dos Evangelhos ao relatar a entregue para julgamento.
biografia do Messias”. (Richard Hoover). 1.1. As verdades da Santa Ceia
Jesus quis marcar a vida de seus discípulos e revelar verdades
2- LUCAS E A CONCEPÇÃO DO FILHO DO HOMEM que se perpetuariam pelos séculos através dos elementos da
A concepção de Lucas se torna clara ao ver que seu objetivo Santa Ceia: o pão representa o seu corpo, que ficaria moído e
era dar ao seu leitor completo conhecimento da verdade acerca dilacerado pelos açoites e pela lança que o transpassaria. O
de Jesus como membro da humanidade, mas que viveu uma suco da vide simboliza o sangue inocente de Jesus que seria
vida perfeita e representativa do filho do homem pelo poder do vertido no Madeiro ponto Paulo, ao orientar a igreja de Corinto
Espírito Santo. quanto a Santa Ceia (1 Co 11:23-32), foi Claro ao dizer que este
momento deve ser de comunhão e reflexão sobre o sacrifício
de Jesus. Que, a cada culto de santa ceia, venhamos renovar a
nossa esperança, sabendo que, um dia, estaremos ceando com
Cristo nas mansões Celestiais, celebrando ao cordeiro que é
digno de receber Glória e Honra pelos séculos dos séculos.
34 21
1.2. A agonia do Getsâmani Lição 09: Jesus como Filho do Homem
A própria palavra Getsêmani, que significa "prensa de azeite",
faz jus aos momentos de agonia que o Filho de Deus passara
naquele lugar. Mateus relata que Jesus começou a se angustiar Texto de Referência:
muito (Mt 26:37). O evangelista Lucas escreveu que a agonia era Lucas: 2.40-47
intensa e que o suor de Jesus se tornou em gotas de sangue VERSÍCULO DO DIA
(Mt 22:44). Neste período de oração, Jesus, não apenas sente “E deu à luz seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e
a agonia do Calvário, mas, principalmente, a associação da sua deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na
morte com o pecado, pois ele morreria pelos pecados de toda a estalagem”. Lc 2.7
humanidade, sendo uma morte substitutiva. Como se não VERDADE APLICADA
bastasse a agonia interna, ele teria que olhar, naquele mesmo A harmonia existente entre os Evangelhos é percebida nos
lugar, para o discípulo que o trairia com um beijo. Apesar do pormenores acerca de Cristo.
momento adverso, Getsêmani foi o lugar onde Jesus falou com MOMENTO DE ORAÇÃO
o pai sobre o cálice que estava prestes a beber (Mt 26:42). Oremos para que as pessoas conheçam Jesus, o Filho do
Homem que veio nos salvar.
Refletindo LEITURA SEMANAL
"Jesus sabia que o sofrimento fazia parte de Seu destino e que SEG | Lc 19.10 O Filho do Homem veio para salvar.
precisava dele para completar Sua tão importante missão". TER | Lc 6.5 O Filho do Homem é Senhor do sábado.
(Augusto Cury) QUA | Lc 9.22 A rejeição do Filho do Homem.
QUI | Lc 22.69 O Filho do Homem sentará a direita de Deus.
SEX | Lc 9.44 O Filho do Homem será entregue aos homens.
2 - Acontecimentos do Gólgota SÁB | Lc 1.32 Jesus será o Filho do Altíssimo.
Já era sexta-feira, depois de passar a noite toda em julgamento INTRODUÇÃO
e ser sentenciado à morte por crucificação de Jesus carrega a O Evangelho de Lucas é rico em detalhes e adota o título de Filho
Cruz até o monte Gólgota; ali as pessoas e a natureza do Homem para se referir ao Messias; isto traz uma série de
presenciar iam uma morte que mudaria o rumo da história, pois verdades e implicações no contexto histórico. É considerado a
o cordeiro de Deus estaria sendo sacrificado para remir a coroa dos Evangelhos sinóticos.
humanidade.
2.1. O brado de vitória: "Está consumado!" Ponto Chave
Depois de tantos Milagres, curas, sermões e convivência com “Em Lucas, compreendemos o Messias dentro da Soteriologia”.
seus discípulos chega o momento em que, no caminho do
Gólgota, apenas Simão foi constrangido a ajudar Jesus a levar 1- POR QUE A EXPRESSÃO FILHO DO HOMEM?
a cruz para cumprir o que fora dito por Isaías, Ele foi crucificado Dentro da visão de Ezequiel 1.10, o Evangelho de Lucas é
no meio de dois ladrões (Is 53:12) e o povo começou a lançar representando pelo rosto de homem, onde Lucas explora com
sortes com suas túnicas (SL 22.18). Os derradeiros momentos detalhes a obra, ministério e vida de Jesus. O título de Filho do
de Jesus na cruz foram de dor, ouvindo os escarnecedores falar Homem revela mais que um simples profeta, corrobora com a
impropérios, e como ovelha muda ele não abriu a boca para visão de Messias prometido.
revidar. Mesmo estando em situação adversa com os pés e as
mãos pregados, Jesus mostra ao mundo inteiro o amor
22 sacrificial ponto naquele momento de morte, Jesus libera uma 33
palavra de vida eterna para um dos ladrões ao dizer:
3.1. A Igreja primitiva tomou posse deste poder "Hoje
O evangelista Marcos registra as derradeiras palavras de Jesus: estarás comigo no paraíso" (Lc 23:43). Até mesmo no Cão, Pois
“E estes sinais seguiriam aos que crerem…”. Os apóstolos, no não sabiam o que estavam fazendo (Lc 23:34) embora oalvário,
exercício do ministério recebido de Jesus, viveram uma vida de percebemos o amor de Jesus ao interceder pela multid Calvário
poder e autoridade. Em Atos diz que muitos sinais e maravilhas simbolize morte, foi a maior expressão do amor de Deus para
se faziam por meio dos Apóstolos (2.43). Atos 5.15 relata que a com o homem. Finalmente, Jesus expira ao dizer: Está
sombra de Pedro curava as pessoas; Em Atos 19.12 está escrito Consumado!
que os lenços e os aventais de Paulo curavam as pessoas. A 2.2. A reação da natureza ante a morte do Criador
Igreja primitiva tomou posse das palavras de Jesus e viveu uma A expressão de Jesus "Está Consumado!" Revela o cumprimento
vida sobrenatural. Jesus confirmava a palavra pregada pelos Cabal de sua missão ao entregar sua vida em favor da
Apóstolos com sinais e prodígios. humanidade. A morte de Jesus foi tão intensa que a natureza
É espantoso ver o desenvolvimento apostólico e o progresso reagiu ao ato de crueldade contra seu Criador houve trevas
missionário da Igreja primitiva, pois, segundo a passagem de durante três horas, até mesmo o sol se recusou a testemunhar
1 Tessalonicenses 1.8, o Evangelho se espalhou de maneira aquele evento cruel; a terra tremeu e as rochas se fenderam
espantosa sobre a face da terra. A Igreja hodierna precisa viver (Mt 27:45-51). Houve também um terremoto e com ele a
e buscar mais o poder celestial, pois existem grupos e países ressurreição de alguns Santos que entraram em Jerusalém e
fechados no que tange a evangelização. Entenda que o poder foram vistos por muitos. Estes eventos levaram o Centurião e
de Deus resulta em salvação de almas. os outros que com eles guardavam a Jesus a seguinte
3.2. A necessidade dos dons espirituais hoje
Temos plena convicção de que as promessas de Cristo não conclusão:
foram apenas para os irmãos do primeiro século da era cristã, este homem realmente era o Filho de Deus. A
mas para todos aqueles que buscarem e tomarem posse de natureza precisou gritar e gemer, o sol precisou parar de brilhar
Suas promessas. O apóstolo Paulo, em sua primeira missiva à para que as pessoas pudessem entender que Jesus era o
igreja de Corinto, fala sobre os dons espirituais que Deus Messias. Aquele Centurião já havia presenciado várias
presenteou a igreja. Dentre os dons, estão o dom da fé, dons crucificações, mas nenhuma delas teve tal magnitude.
de curar e dom de operação de maravilha, que é de fundamental Sabedores que a morte de Jesus foi em nosso lugar, precisamos
importância no desempenho da obra de Deus. Que venhamos a ser gratos e testemunhar o Seu grande amor.
nos dedicar inteiramente ao chamado, vivendo uma vida de
jejum e oração, para que possamos ser instrumentos de Deus
na salvação desta nação.
Existem pessoas presas nas drogas, na marginalidade,
prostituição e no tradicionalismo de uma religião inócua;
sabemos que somente o Evangelho é capaz de remover o
coração de pedra e a cegueira espiritual e assim as pessoas
serem libertas com a verdade de Deus.

CONCLUSÃO
Os Milagres de Jesus ratificam a Sua mensagem e também
inspiram os Seus discípulos a tomarem posse das promessas
32 de Deus. 23
3 - Jesus como primogênito dos mortos
A morte, dentro da exigência do AT tem o seu valor na Alguns discípulos de Jesus, antes de sua vocação,
instauração do novo pacto. Pacto não gravado em pedras, mas eram pescadores e sabiam perfeitamente o tamanho do
sim em nosso coração pelo Sangue de Jesus. A ressurreição de temporal e a dificuldade de saírem inteiros. Eles agora tiveram a
Jesus não apenas mostra o seu poder sobre a morte, mas oportunidade de ver Seu Mestre exercendo autoridade sobre os
também a garantia de que nele teremos a vida eterna. ventos e o mar, seguindo-se uma grande bonança em alto mar.
3.1. A ressurreição de Jesus Grande foi o espanto deles que começaram a se perguntar: Que
Jesus e, em vários momentos durante seu ministério, advertiu homem é este que manda nos ventos e mares?!
os seus discípulos de que, ao terceiro dia, o Filho do homem Algumas verdades podem ser extraídas deste livramento: a
ressurgiria da morte, mas o impacto da sexta-feira ainda estava primeira é que, se Jesus está conosco, podemos descansar em
recente na mente deles e muitos haviam voltado para suas Sua vontade; a segunda lição é que não existe impedimento
antigas atividades, ou estavam com a esperança malograda. para o poder de Deus. Que venhamos descansar em Deus em
A Bíblia relata que, no primeiro dia da semana, quando as todos os instantes, sabendo sempre que o nosso socorro vem
mulheres foram ao sepulcro, a pedra estava fora do lugar e do Senhor, que fez o céu e a terra (Sl 121.2).
Jesus havia ressuscitado! Se por um lado, a crucificação foi 2.2. A multiplicação de alimentos
um dos momentos mais trágicos na vida de Jesus, por outro, a Outra operação de maravilhas que merece destaque está
ressurreição foi um Marco em Sua vida. A ressurreição de Jesus registrada em Marcos 6.30-44, onde lemos que cinco pães e dois
foi real, além de ser visto pelos seus discípulos, Paulo disse que peixinhos alimentaram quase cinco mil homens e ainda
ele foi visto por cerca de 500 pessoas (1Co 15:6), isto num sobraram doze cestos cheios. O relato nos mostra que Jesus
espaço de 40 dias após ressuscitar. A ressurreição de Jesus é a teve compaixão da multidão; um dos sentimentos mais nobres
garantia de que a morte não terá domínio sobre os salvos. que deve existir no ser humano. Movido deste sentimento, Jesus
3.2. A ascensão do Jesus aos Céus pegou os cinco pães e os dois peixinhos e os abençoou; então o
Após a ressurreição, Jesus passa quarenta dias dando as milagre aconteceu. É maravilhoso ter um Deus cujo poder não
últimas instruções aos seus discípulos, pois eles teriam que tem limite. Jesus está atento às necessidades básicas do ser
continuar a obra que Ele começara. Chegou o esoerado humano, por isso não precisa se desesperar; precisamos apenas
momento em que Jesus seria elevado às alturas, onde sentaria confiar, pois temos um Deus que faz além daquilo que pedimos
a direita de Deus. João, em Seu Evangelho, nos mostra que ou pensamos segundo o poder que em nós opera (Ef 3.20).
Jesus pede ao Pai para glorificá-lo com a mesma glória que Ele Jesus em quatro dimensões | Lição 08: Marcos e os Milagres de
tinha antes que o mundo existisse (João 17:15). Jesus agora Jesus
voltaria para o lugar de glória; habitando de maneira plena como 3- O PODER FOI DELEGADO AOS DISCÍPULOS
o Filho de Deus e a segunda pessoa da Trindade. Estêvão, Jesus deixou bem claro que Ele iria para o Pai, e aqueles que
durante o momento do seu martírio, teve a oportunidade de ver tivessem fé fariam obras maiores do que as dEle (Jo 14.12).
Jesus ao lado de Deus Pai (At 7:55). Saulo, a caminho de Como discípulos de Jesus, é necessário continuar a pregação
Damasco, teve um encontro com o Cristo ressussitado e sua do Evangelho com autoridade e poder que nos foram
vida foi mudada de forma radical (At 9). Estes exemplos concedidos por Ele (Lc 10.19).
evidenciam que Jesus está vivo e atuando na História. O
Cristianismo não está apoiado em um mito, mas sim na verdade
revelada por Deus.
CONCLUSÃO
O Sacrifício de Jesus mostra o Seu grande amor para com a
humanidade, mas a Sua ressurreição traz a esperança da vida
24 31
eterna com Deus!
07: Marcos – Jesus é o Servo 1.1. Autoridade sobre espíritos imundos
Texto de Referência: Nos registros do Evangelho de Marcos, logo no início,
Marcos 10.39-45 encontramos Jesus sendo interrompido em Seu discurso na
VERSÍCULO DO DIA Sinagoga por um homem possesso. É interessante que o próprio
“E Ele lhes disse: Vamos às aldeias vizinhas, para que eu ali demônio O reconhece como Filho de Deus. A autoridade de
também pregue, porque para isto eu vim”. Mc 1.38 Jesus é tanta que apenas uma ordem foi suficiente para a
VERDADE APLICADA libertação daquele homem. Os ensinos de Jesus são
Jesus é o servo enviado de Deus para remir a humanidade de chancelados por libertação; os que estavam presentes no recinto
seus pecados. admiravam tal autoridade. Jesus deixou bem claro que castas de
MOMENTO DE ORAÇÃO demônios saem com jejum e oração (Mt 17. 21). Como discípulos
Oremos para que os discípulos de Cristo sejam servos no de Jesus, necessitamos estar preparados e buscar revestimento
exercício eclesiástico. de Poder Divino.
LEITURA SEMANAL 1.2. Autoridade sobre as enfermidades
SEG | Mc 1.21-22 Jesus servindo em Cafarnaum. O homem natural não consegue explicar as coisas do Espírito.
TER | Jo 9.4 Jesus a serviço de Seu Pai. Marcos traz o relato da cura de um leproso, em que o milagre
QUA | Is 52.13 O servo agirá com prudência. acontece de forma imediata. Bastou um toque e uma palavra de
QUI | Fp 2.7 Jesus assumiu forma de servo. Jesus para fazer a lepra desaparecer e o homem ficar limpo.
SEX | Mc 1.32-34 Jesus a serviço da multidão. Vale salientar que, de acordo com as leis mosaicas, as pessoas
SÁB | Mc 9.35 Os discípulos precisam servir. portadoras de lepra tinham que ficar em isolamento e deveriam
INTRODUÇÃO gritar: “impuro!”, quando alguma pessoa se aproximasse delas
O Evangelho de Marcos revela o Cristocomo servo enviado de (Lv 13.45-46). Quando Jesus toca naquele homem, não estava
Deus, não somente para mostrar as grandezas do Altíssimo, apenas o curando, mas mostrando que o Filho de Deus não faz
mas também para servir as pessoas, atendê-las em suas acepção de pessoas. As curas de Jesus sempre vêm
necessidades e dar a sua vida por elas. acompanhada de restauração e salvação. O nosso Cristo tem
poder sobre as enfermidades.
Ponto Chave Refletindo
“Jesus, como servo de Deus, viveu a serviço do Reino”. “As mãos de Jesus fazem o que a medicina com toda a
tecnologia não consegue”. (Pr. Gervásio Cândido).
I- O ANTIGO TESTAMENTO FALA SOBRE O SERVO UNGIDO
O servo não tem muita importância, talvez por isso, Marcos 2- JESUS OPEROU GRANDES MARAVILHAS
tenha omitido a genealogia de Jesus, visando apresentá-lo Durante os três anos e meio de Ministério, os habitantes da
como servo. A visão de Jesus como servo pode ser percebida Palestina tiveram a oportunidade de contemplar as maravilhas
nas passagens dos profetas Isaías e Ezequiel. operadas por Jesus. Quando falamos de “maravilhas” estamos
1.1. O Profeta Ezequiel falando de intervenção divina nas leis da natureza; contrariando
Na passagem bíblica de Ezequiel 1.10, vemos a visão que a razão e a lógica humanas.
representa as quatro faces dos Evangelhos na apresentação do 2.1. Os ventos e o mar obedecem ao Seu comando
Messias. Em Marcos a figura predominante é o boi, trazendo a Os discípulos estavam acostumados a verem demônios sendo
ideia de servo, pois o boi é um animal que, literalmente, serve e expulsos, cegos enxergarem, paralíticos andarem, mas ainda
efetua trabalho que os homens muitas vezes não dariam conta. não haviam contemplado Jesus dar uma ordem ao vento e ao
30 mar. 25
Jesus é o servo de Deus que veio trabalhar em prol da Salvação
da humanidade, sabendo que estes não dariam conta de Lição 08: Marcos e os Milagres de Jesus
salvar-se, pois estavam mortos em pecados e delitos (Ef 2.1). Texto de Referência:
Jesus se tornou servo obediente até a morte de cruz, para que Marcos: 1.27-28; Marcos: 3.10-12
pudéssemos ser livres do pecado. VERSÍCULO DO DIA
1.2 O Profeta Isaías “E sentiram um grande temor e diziam uns aos outros: Mas
Existem duas passagens no livro do profeta Isaías que fazem quem é este que até o vento e o mar lhe obedecem?” Mc 4.41
alusão ao ministério do servo na vida de Jesus. Isaías 42 revela VERDADE APLICADA
que o servo é eleito, ungido e efetuará juízo entre os gentios; Os milagres efetuados por Jesus revelam Sua compaixão para
fica claro aqui a extensão universal de seu Ministério. Na com os que sofrem.
passagem de Isaías 52.13-15 percebemos as dores e a MOMENTO DE ORAÇÃO
exaltação do servo ungido. Em ambas as passagens é Oremos para que Deus venha despertar os dons espirituais no
evidente que o ministério de Jesus seria servir a humanidade. seio da Igreja.
Pelo trabalho efetuado com excelência, o servo foi exaltado a
ponto de se tornar elevado e sublime. Que a exemplo de nosso LEITURA SEMANAL
Mestre, venhamos servir com excelência, e esperar as honras SEG | Mc 2.5 Jesus cura um paralítico.
de nosso Pai Celestial e não dos homens. TER | Mc 8.22-26 Jesus cura um cego.
Refletindo QUA | Mc 7.31-37 Jesus cura um surdo e gago.
“O Filho do Homem não veio para ser servido, mas para QUI | Mc 5.41-42 Jesus cura a filha de Jairo.
servir…”. (Jesus Cristo) SEX | Mc 1.29-39 Jesus cura a sogra de Pedro.
SÁB | Mc 16.17-18 Os sinais seguirão os que crerem.
II- JESUS COMO SERVO SOFREDOR
Ao contrário de Mateus que pontua Jesus como Messias, INTRODUÇÃO
Marcos adota a visão de servo, mostrando em seus relatos o O Evangelho de Marcos enumera aproximadamente dezoito
constante movimento do servo na execução da obra de Deus, milagres que evidenciam a missão do Filho de Deus. Seu
pois, encontramos a expressão “imediatamente”, quarenta e registro não tinha por objetivo informar mas, transformar vidas.
duas vezes em todo o Evangelho de Marcos. Literalmente Jesus Na operação de sinais, Jesus revela um Deus mais próximo do
estava a serviço de seu povo operando sinais e prodígios homem.
(Mc 1.34), e ensinando sobre os mistérios do Reino (Mc 4.2).
A vida do servo não seria fácil, mas sim de sofrimento e morte. Ponto Chave
2.1. A perseguição dos escribas e fariseus “A autoridade de Jesus revela a grandeza de Sua missão”.
Jesus, no exercício de Seu ministério, cumpriu na íntegra o
ministério recebido de Deus, porém em Sua jornada sofreu
perseguição daqueles que se consideravam donos das verdades 1- DEUS UNGIU A JESUS DE NAZARÉ
de Deus. Um dos grupos que O perseguiam era o dos escribas, É notório através das profecias messiânicas que a unção de
que eram considerados mestres especializados no estudo e na Deus estava sobre Seu Filho para operar milagres de forma
aplicação da Torá. Em Marcos 13.22 vemos este grupo dizendo extraordinária. O escritor de Atos deixa registrado que Deus
que Jesus expulsava demônios por Belzebu. ungiu a Jesus de Nazaré para curar e libertar os oprimidos por
Outros que perseguiam Jesus eram os fariseus, que além de se satanás.
considerarem doutores da lei, alguns faziam parte do Sinédrio e
26 viviam uma religiosidade vazia. 29
Pelo relato de Marcos 1.27, entendemos que não era comum Em Marcos 7, este grupo
naquela época a prática de expulsar demônios, mas Jesus veio interrogou Jesus acerca do procedimento de Seus discípulos.
trazer libertação aos cativos como ênfase da mensagem do Em nossa missão de pregar o evangelho surgirão diversos
Reino. Os discípulos de Cristo precisam também exercer a opositores, mas, a exemplo de Cristo, precisamos continuar
autoridade recebida: “Eis que vos dou poder para pisar firmes na missão (2Tm 3.12).
serpentes e escorpiões e toda a força do inimigo, e nada vos 2.2. A condenação do Sinédrio
fará dano algum”, Lc 10.19. O Sinédrio nada mais era que a suprema corte dos judeus, onde
3.2 Um Ministério de Restauração e Milagres se julgava tendo como base as leis judaicas. Geralmente era
Em Isaías 53 é profetizado que o Messias tomaria as nossas formado pelo sumo sacerdote e mais 69 pessoas, entre escribas
dores e enfermidades e as levaria sobre si. Só no Evangelho de e fariseus. Eles julgaram Jesus porque Ele afirmava ser Filho de
Marcos encontramos o relato de 18 milagres efetuados pelo Deus, conforme o registro de João 19.7. Ao ser considerado
Servo do Senhor, promovendo a cura física das pessoas. Marcos culpado de morte, começaram a cuspir em Seu rosto, dar socos
diz que Seu poder era tanto que as pessoas arrojavam sobre e bofetadas (Mc 14.65). O que aconteceu com Cristo já estava
Ele para lhe tocarem (3.10). Jesus deixou este dom para a igreja vaticinado a seu respeito pelo profeta Isaías ao dizer que Sua
(1Co 12); cabe aos Seus discípulos buscar em oração e jejum e aparência estava desfigurada (Is 52.14); foi desprezado e
usá-los para a glória de Deus. homem de dores (Is 53.3); como ovelha muda não abriu a sua
Jesus também veio para restaurar os contritos (Is 61.1). Este boca (Is 53.7).
mesmo profeta diz que sobre o Reino do Servo ungido o pavio Como enviado do Pai, Jesus cumpriu cabalmente a sua missão,
que fumega não se apagará (Is 42.3). Durante Seu Ministério, mesmo diante de tantas perseguições. Jesus nos deixou o
percebemos o caráter restaurador de Jesus junto às pessoas, exemplo de servo; Paulo chegou a expressar que Ele assumiu a
promovendo alento, perdão de pecados e restauração aos forma de servo, sendo obediente até a morte, e morte de Cruz
abatidos. Jesus restaurava as pessoas de maneira holística e (Fp 2.7-8). Jesus nos deixou o exemplo, sejamos servos.
espera que Seus discípulos também proclamem o Evangelho III- O MINISTÉRIO DO SERVO
de Salvação. É interessante observar o quanto a Bíblia é coerente e
CONCLUSÃO harmoniosa no Antigo e Novo Testamento. Nos textos
Marcos deixa claro que a mensagem central de seu Evangelho é messiânicos de Isaías, lemos os relatos de como seria o
que Cristo veio para servir e resgatar a humanidade. Ministério do Servo ungido, e em Marcos vemos o cumprimento
das profecias acerca de Cristo, no que tange ao Ministério de
servo.
3.1. Um Ministério de libertação
Na passagem de Isaías 42, encontramos explicitamente que o
Servo do Senhor veio para tirar da prisão os presos, e do
cárcere os que jazem em trevas (vr 7). No relato de Marcos 5,
é perceptível o poder de Cristo na libertação dos oprimidos por
espíritos malignos; o homem gadareno era preso em cadeias e
grilhões, pois ninguém o podia amansar. Os demônios não
somente conhecem Jesus e Seu poder, como também
obedecem a Sua ordem.

28 27

Você também pode gostar