Você está na página 1de 15

Procure se lembrar de um treino ou competição

em que você fez a sua melhor performance. Os


movimentos simplesmente fluíam. Não havia pre-
ocupação com o resultado, nem diálogo interno. O
mundo a sua volta não tinha a menor importância.
Você estava completamente focado no que esta-
va fazendo. Totalmente consciente, porém incon-
sciente ao mesmo tempo. Sensação de mínimo
esforço e total controle. Era pura felicidade, satis-
fação, diversão e máximo desempenho.

Já se sentiu assim?
Então, você estava no Flow.
“Você pode melhorar a sua performance
em até 500%, superar medos, e bloque-
ios, diminuir o nervosismo e quebrar re-
cordes. Isso não é otimismo ou
pensamento positivo.

É ciência. É Flow”.
Como a ciência explica o
estado de Flow?
Durante o estado de Flow, são liberados no corpo
e no cérebro 6 neuroquímicos diferentes ao mes-
mo tempo. Esses hormônios e neurotransmissores
aumentam a performance, dão uma sensação
incrível de poder, alegria e satisfação - o que
torna o estado de Flow mais “viciante” que
qualquer droga disponível no planeta. Claro que
psicólogos e cientistas não usam a palavra viciante
para descrever esse fenômeno, preferem o termo
autotélico.
Em seu livro Flow: The Psychology of Optimal
Experience, Mihaly Csikszentmihalyi, diz que estar
em flow significa ter uma personalidade
autotélica.

Ele definiu o termo Autotélico a partir de duas


palavras gregas: Auto = Eu / Telos= objetivo.

Significa realizar uma atividade por puro prazer,


sem expectativa de benefício futuro. Em palavras
mais simples: Fazer o que precisa ser feito, sem fo-
car no resultado do treino ou da competição. Faz-
er porque você ama. É esse o ingrediente principal
que o levará para o topo.
Como ocorre
o estado de Flow
Durante o Flow é liberado um coquetel poderoso
de neurotransmissores e hormônios no nosso
organismo.

Tudo começa pela liberação de noradrenalina e


dopamina, que por sua vez, aumentam a frequên-
cia cardíaca, e ajustam o nível de foco para a tare-
fa em execução. Ficamos como águia em busca da
presa. As ondas cerebrais mudam de beta para al-
pha, que é a mesma atividade cerebral da
meditação.

Este estado abre portas para o que é chamado de


Transient Hypofrontality.
Transient = temporário

Hypo = desacelerar, diminuir / frontality = o córtex


pré-frontal

Durante a Transient Hypofrontality, o córtex


pré-frontal é desligado fazendo com que se perca a
noção do tempo. Por isso, em estado de Flow, não
sentimos a hora passar.

O crítico interno (aquela voz que diz que você não


é capaz) fica em silêncio. Não há medo ou dúvida.
As dificuldades dão lugar ao poder do aqui e
agora.
As áreas dos lobos occipital e parietal são
desativadas e perdemos a noção de espaço
também. São liberadas endorfinas e anandamida,
diminuindo qualquer sensação de dor e
aumentando nossa capacidade de resolver
problemas de forma criativa. Agimos por instinto.
Conforme mergulhamos na frequência theta,
podem ocorrer impulsos elétricos de frequência
gamma.

Cientistas chamam esse fenômeno de “Aha


moment”, ou “eureca”, que é quando surge uma
nova ideia, solução ou descobrimento.
Conforme vamos saindo do estado de Flow, somos
inundados por serotonina e oxitocina, que reforçam
os sentimentos de paz, confiança e bem-estar.
“ O Flow melhora desempenho,
produtividade, criatividade, memória.
Acelera o aprendizado, aumenta a
.


autoconfiança e a coragem
O que acontece quando
estamos no estado de Flow:
Você não percebe o tempo passar. Pode ficar
ali por dez horas. Esquece de tudo que está a sua
volta.

Perde a noção de tempo e espaço.

O ego desaparece. Você não se importa com


o que os outros vão pensar, se vai ganhar, ou se
vai perder.

Você atinge o seu máximo potencial. Fica


mais criativo, quebra recorde, acerta um movi-
mento, faz um gol, uma cesta, uma manobra, vai
mais rápido, atinge o ápice do desempenho.
O que impede o Flow
O que atrapalha o Flow e gera stress, é fazer uma
coisa e pensar em outra.

Eu sei, você já atingiu o Flow, principalmente quan-


do o seu esporte era diversão pura. Provavelmente
começou na modalidade para fazer uma atividade
física. Permaneceu porque gostava e demonstrava
certa aptidão. Então, vieram as competições, as co-
branças e a obrigação de ‘ter que ganhar’.

O prazer deu lugar ao sofrimento. E agora,


é muito mais difícil entrar no Flow.
Quando você não aplica os gatilhos mentais que
levam ao estado de Flow, ou quando os fatores
externos impedem esses gatilhos, você não atinge
o seu máximo potencial.

Atenção: os resultados podem ser medidos diaria-


mente.

A ferramenta a seguir é baseada nos gatilhos


mentais que levam ao estado de Flow. Faça este
exercício todos os dias por 4 semanas e veja o
resultado.
https://t.me/treinamentocomamayra

Você também pode gostar