Você está na página 1de 3

Royal Raymond Rife - A Cura Proibida

A história da medicina sempre teve um íntimo contato com o que


conhecemos como sendo a medicina alternativa, entretanto para cada nova ideia, cada
nova teoria, cada novo método de cura, o chicote da medicina convencional açoitava
sem misericórdia essas novas descobertas.
Existem muitas histórias de alguns bravos homens, determinados em curar a
humanidade de forma gratuita e simples, algumas delas comprovadas cientificamente,
como a do cientista Lauerence Burton , entre outros.
Nessa matéria contaremos a história de um desses homens, uma história de
esforços e decepções que nos ensina como a indústria farmacêutica controla
deliberadamente quem vive e quem morre na atual medicina convencional.
O Dr. Rife ainda em meados de 1930 já havia descoberto uma forma a
custos baixíssimos de curar não somente o câncer, mas também as mais mortais doenças
que assolam nossa sociedade nos dias de hoje.
Sua pesquisa foi destruída, seus sócios foram desacreditados alguns
inclusive mortos em situações e circunstâncias inusitadas, após anos de perseguição o
próprio Dr.Rife morreu por uma overdose que lhe foi administrada na hospital de San
Diego, na Califórnia em 1971.
Raymond Rife foi provavelmente um dos mais brilhantes e por que não
dizer mais persistentes cientistas que já caminharam por esse planeta, premiado em mais
de 14 ocasiões pelo governo por suas pesquisas e um honrável reconhecimento médico
dado pela Universidade de Heidelberg na Alemanha.
Quando a tecnologia da época ainda não permitia, Rife, atravéz de
investimentos de alguns milionários como Henry Timken, inventou um microscópio
universal que tinha mais de 5.600 partes e que possuía uma magnitude de 60.000 vezes !
Esse inacreditável grau de magnitude lhe permitiu que fosse possível
observar os vírus e bactérias ainda vivos enquanto ele aplicava o método de MOR
( Mortal Oscillatory Resonance ).
Com isso ele foi capaz de destruir todas as formas de organismos maléficos,
incluindo organismos de origem cancerígena simplesmente usando um feixe de alta
frequência que era modulada de acordo com o organismo alvo.
Rife aplicava conhecimentos que já eram explorados em 1893 por Nikola
Tesla e seu gerador de plasma frio. A técnica de Rife se fundamentava no conhecimento
de que, cada ser no universo, vivo ou morto possui sua própria “frequência ressonante”
Conhecendo a frequência de cada organismo e aplicando a frequência
ressonante correta nesse organismo ou objeto, faria com que ele “vibrasse” até
literalmente se desintegrar. Isso pode ser facilmente observado se colocando uma
garrafa de vidro perto de uma cantora de opera, onde a vibração de suas cordas vocais
quando direcionada para uma frequência fará a garrafa se explodir em pedaços. O
mesmo principio se aplica para qualquer organismo.
É interessante notar que um microscópio de magnitude de 60.000x é algo
incrivelmente poderoso, até mesmo se comparado aos dias de hoje, um microscópio de
elétrons, por exemplo, embora ofereça uma altíssima magnitude (10.000x) apenas
consegue observar organismos já mortos. A habilidade de poder observar organismos
ainda vivos e examina-los oferece um novo patamar para desenvolvimento de curas e
diagnósticos.
Graças a esse poderoso instrumento Rife conseguiu provar que frequências
ressonantes quando aplicadas devidamente poderiam “desintegrar” os mais variados
tipos de organismos causadores do câncer entre outras doenças.
Embora Rife tenha provado que o método era eficaz e poderia curar uma
infinidade de doenças, ele foi implacavelmente perseguido, várias foram as tentativas de
desmoralizá-lo publicamente, a AMA (American Medical Association) o perseguiu sem
tréguas por toda sua vida após suas descobertas.
Rife chegou a dizer que era vitima de uma complexa e muito bem
estruturada rede conspiratória que tentava a todo custo destruir e desacreditar sua
pesquisa, a qual ele estava certo que poderia salvar vidas a custos insignificantes, o que
obviamente causou a preocupação da poderosa e multibilionária indústria farmacêutica.
Rife teve sua vida destruída, os méritos de sua pesquisa com MOR jamais
foram publicamente reconhecidas, felizmente sua pesquisa não foi totalmente destruída,
e ele não estava só, o cientista russo Geroges Lakhovsky ainda em 1924 já fazia
pesquisas usando osciladores de auta-frequência e estudos de campo com o MOR e
mais tarde desenvolveu o principio MWO ( Multi-Wave Oscillator ) que usava dois
tipos de osciladores, um transmissor e outro receptador com resultados de cura em
100% dos casos.
Em seu livro ” A Cura do Cancêr que Funcionou,1987 ” o escritor Barry
Lynes conta toda a trajetória de Royal Raymond Rife, a conspiração que tentou de todas
as formas destruir sua pesquisa e até mesmo sua própria vida.
Graças as descobertas de Royal Rife e de Geroges Lakhovsky, hoje em dia
muitos pesquisadores continuam as pesquisas com ondas de alta-frequência na cura do
câncer e da AIDS, embora continuem desacreditados e mantidos as margens da
poderosa indústria.

Mais Informações clique em:

Royal Raymond Rife


VER VÍDEO

Você também pode gostar