Você está na página 1de 5

Lei 13869 de 2019

Prof. Luiz Fernando


Instagram: Professor.luiz01

1) Considerando o estabelecido na Lei n. 13.869/2019, que dispõe sobre os crimes


de abuso de autoridade; altera a Lei n. 7.960/1989, a Lei n. 9.296/1996, a Lei n.
8.069/1990, e a Lei n. 8.906/1994; e revoga a Lei n. 4.898/1965, e dispositivos do
DecretoLei n. 2.848/1940 (Código Penal) acerca dos efeitos da condenação e das
penas restritivas de direito, marque a alternativa CORRETA:
A. É efeito da condenação a inabilitação para o exercício de cargo, mandato ou função
pública, pelo período de 1 (um) a 2 (dois) anos, sem que ocorra a reincidência em crime
de abuso de autoridade.
B É efeito da condenação tornar certa a obrigação de indenizar o dano causado pelo
crime, devendo o juiz, a requerimento do ofendido, fixar na sentença o valor mínimo
para reparação dos danos causados pela infração, considerando os prejuízos por ele
sofridos.
C. É efeito da condenação a perda automática do cargo, do mandato ou da função
pública, pelo período de 1 (um) a 5 (cinco) anos, podendo ser ou não declarados na
sentença condenatória.
D. É efeito da condenação a suspensão do exercício do cargo, da função ou do
mandato, pelo prazo de 1 (um) a 3 (três) anos, com a perda dos vencimentos e das
vantagens.

2) Nos termos da Lei n. 13.869/2019 que dispõe sobre os crimes de abuso de


autoridade, marque a alternativa CORRETA:
A. Constitui crime de abuso de autoridade fotografar o conduzido com a finalidade de
alimentar bancos de dados da PMMG.
B. A Lei de abuso de autoridade admite que seja aplicado, no que couber, dispositivos
da Lei 9.099/1995 – Juizados Especiais.
C. As responsabilidades civil e administrativa são independentes da criminal, não
havendo qualquer vinculação ou efeito de uma esfera sobre a outra.
D. Configura crime de abuso de autoridade cumprir mandado de busca e apreensão
domiciliar após as 18h (dezoito horas) ou antes das 06h (seis horas).

3) Incorre em crime de abuso de autoridade o agente público que, no exercício de


suas funções, por mera satisfação pessoal:

I- adentra imóvel alheio contra a vontade do ocupante;

II- adentra imóvel alheio para prestar socorro a pessoa ferida que se encontra no interior
do imóvel;
III- coage alguém, mediante violência ou grave ameaça, a franquear-lhe o acesso a
imóvel ou suas dependências.

Considerando as assertivas acima, estão corretas:

A) I, apenas.
B) I e II, apenas.
C) I e III, apenas.
D) II e III, apenas.

4) O sujeito ativo de uma infração penal é aquele que comete o crime, praticando
a conduta descrita na lei penal incriminadora. Pode ser sujeito ativo no crime de
abuso de autoridade:

A) Quem exerce cargo, emprego ou função pública, de natureza civil, ou militar, apenas
permanentemente.

B) Quem exerce cargo, emprego ou função pública, de natureza civil, ou militar, ainda
que transitoriamente e sem remuneração.

C) Quem exerce cargo, emprego ou função pública, de natureza civil, ou militar, ainda
que transitoriamente, porém apenas se mediante remuneração.

D) Quem exerce cargo, emprego ou função pública, ou privada de natureza civil, ou


militar, ainda que transitoriamente, porém apenas se mediante remuneração.

5) A Lei de Abuso de Autoridade diz que a conduta consistente em “submeter


pessoa sob sua guarda ou custódia a vexame ou a constrangimento não
autorizado em lei” é crime de abuso de autoridade. Quanto ao crime de abuso de
autoridade, assinale a alternativa correta:

A) O funcionário público exonerado ou aposentado não pode cometer o crime de abuso


de autoridade.

B) O funcionário público exonerado ou aposentado pode cometer o crime de abuso de


autoridade em qualquer hipótese.

C) O funcionário público exonerado ou aposentado só pode cometer o crime de abuso


de autoridade se invocar seu antigo cargo praticá-lo.

D) O funcionário público exonerado ou aposentado não pode cometer o crime de abuso


de autoridade apenas se a vítima não souber da situação de aposentadoria.

6) Está preconizado no art. 2º da Lei nº 13.869/19, “é sujeito ativo do crime de


abuso de autoridade qualquer agente público, servidor ou não, da administração
direta, indireta ou fundacional de qualquer dos Poderes da União, dos Estados,
do Distrito Federal, dos Municípios e de Território, compreendendo, mas não se
limitando a”:
I. Servidores públicos e militares ou pessoas a eles equiparadas. II. Membros do
Poder Legislativo. III. Membros do Poder Executivo. IV. Membros do Poder
Judiciário. V. Membros do Ministério Público. VI. Membros dos tribunais ou
conselhos de contas.
Estão CORRETAS:

A) III, IV, V e VI.


B) I, II, V e VI.
C) I, II, III, IV e V.
D) I, II, III, IV, V e VI.

7) Acerca dos crimes contra a administração pública, à luz do disposto no Código


Penal (Decreto-Lei nº 2.848/1940 e respectivas alterações) e das leis de abuso de
autoridade e de licitações, assinale a alternativa INCORRETA.

A) Teófilo, exercente de cargo em entidade paraestatal, ao desviar bem móvel público,


em proveito alheio, está incurso nas sanções atinentes ao crime de peculato.
B) Caso Teobaldo, ocupante de cargo em comissão em autarquia municipal, revele fato
de que tem ciência em razão do cargo e que deva permanecer em segredo, responderá
pelo delito de violação de sigilo funcional, sem lhe ser aplicável a causa de aumento de
pena da terça parte, prevista no Art. 327, §2º, do CP.
C) Teórcrito, servidor público municipal, foi condenado por abuso de autoridade, nos
termos da Lei nº 13.869/2019 (Lei de Abuso de Autoridade), tendo sido reconhecida sua
reincidência em crime da mesma espécie. Assim, tem-se como efeito automático da
sentença a perda do cargo público.
D) Tito foi absolvido em processo criminal atinente à Lei nº 13.869/2019, em razão do
reconhecimento do estrito cumprimento de dever legal. A decisão prolatada pelo juízo
criminal, na hipótese, faz coisa julgada no âmbito cível e administrativo-disciplinar.

8) Analise as afirmativas a seguir:

I. Nos termos do artigo 22 da Lei nº 13.869, de 2019, invadir ou adentrar, clandestina ou


astuciosamente, ou à revelia da vontade do ocupante, um imóvel alheio ou suas
dependências, ou nele permanecer nas mesmas condições, sem determinação judicial
ou fora das condições estabelecidas em lei, é uma atitude sujeita à pena de detenção,
de 1 (um) a 4 (quatro) anos, e multa.

II. A Lei nº 13.869, de 2019, em seu artigo 15, determina que constranger a depor, sob
ameaça de prisão, uma pessoa que, em razão de função, do ministério, do ofício ou da
profissão, deva guardar segredo ou resguardar sigilo, é uma atitude sujeita à pena de
multa e reparação do dano causado.

Marque a alternativa CORRETA:

A) As duas afirmativas são verdadeiras.


B) A afirmativa I é verdadeira, e a II é falsa.
C) A afirmativa II é verdadeira, e a I é falsa.
D) afirmativas são falsas.

9) Analise as afirmativas a seguir:

I. As responsabilidades civil e administrativa são independentes da criminal, não se


podendo mais questionar sobre a existência ou a autoria do fato quando essas questões
tenham sido decididas no juízo criminal.

II. Decretar a condução coercitiva de testemunha ou investigado manifestamente


descabida ou sem prévia intimação de comparecimento ao juízo é um crime com pena
prevista de reclusão de um a quatro meses ou multa, conforme previsto no artigo 10 da
Lei Federal nº 13.869, de 2019.

III. Será admitida ação privada se a ação penal pública não for intentada no prazo legal,
cabendo ao Ministério Público aditar a queixa, repudiá-la e oferecer denúncia
substitutiva, intervir em todos os termos do processo, fornecer elementos de prova,
interpor recurso e, a todo tempo, no caso de negligência do querelante, retomar a ação
como parte principal.

Marque a alternativa CORRETA:

A) Nenhuma afirmativa está correta.


B) Apenas uma afirmativa está correta.
C) Apenas duas afirmativas estão corretas.
D) Todas as afirmativas estão corretas.

10) De acordo com a Lei 13.869/19, que dispõe sobre os crimes de abuso de
autoridade, assinale a opção correta.

A) Não constitui crime de abuso de autoridade cumprir mandado de busca e apreensão


domiciliar ás 20h.
B) Não faz coisa julgada em âmbito civil, assim como no administrativo disciplinar a
sentença penal que reconhecer ter sido ato praticado em estado de necessidade.
C) A Lei de Abuso de Autoridade não admite ação privada se a ação penai não for
intentada no prazo legal.
D) As disposições da Lei n° 9.099/1995 não se aplicam ao processo e ao julgamento
dos delitos previstos na Lei de Abuso de Autoridade.

11) Em caso de membro do Poder Legislativo eleito para mandato legislativo


praticar conduta descrita em lei como abuso de autoridade,

A) a conduta do sujeito não poderá ser enquadrada na Lei de Abuso de Autoridade,


porquanto esta alcança apenas o servidor público.
B) o sujeito poderá ser enquadrado na Lei de Abuso de Autoridade, mediante requisição
do ministro da Justiça.
C) o parlamentar estará sujeito aos ditames da Lei de Abuso de Autoridade, como
qualquer outro servidor público.
D) o sujeito não se submeterá à Lei de Abuso de Autoridade, em razão de prerrogativa
de função.
12) Com relação à recente legislação que disciplinou os crimes de abuso de
autoridade (Lei no 13.869/2019), é correto afirmar que

A) a legislação prevê apenas, como pena restritiva de direitos, a prestação de serviços


à comunidade, que poderá ser aplicada de forma autônoma ou cumulativa.
B) a inabilitação para o exercício de cargo, mandato ou função pública é considerado
um efeito automático da condenação por crime de abuso de autoridade e
independentemente de reincidência.
C) faz coisa julgada em âmbito administrativo-disciplinar, a sentença penal que
reconhecer ter sido o ato praticado em estrito cumprimento de dever legal.
D) a perda do cargo é considerada um efeito automático da condenação por crime de
abuso de autoridade e independentemente de reincidência.

GABARITO

1)B 2)B 3)C 4)B 5)A 6)D 7)C 8)B 9)C 10)A
11)C 12)C

Você também pode gostar