Você está na página 1de 4

• Sistema imunológico capaz de reconhecer complexos

proteicos e lipídicos presentes na superfície das


células → reconhecimento do que é próprio e do que
não é – que é reconhecido como corpo invasor.
• Nossas estruturas apresentam combinações
próprias que permitem sua identificação pelo
sistema imunológico. → combinações muito
características de cada indivíduo.
o Hemácias → 30 antígenos detectados.
Alguns mais reativos e outros menos
▪ Antígenos mais reativos podem
desencadear reações imunológicas
→ antígenos do sistema ABO e
sistema RH
• Antígenos são gerados a partir de grupos de alelos –
genes – que serão expressos na superfície da
hemácia
o Em casos de transfusão sanguínea, tais
antígenos serão detectados pelo s. sanguíneo
do outro indivíduo e se lhe forem estranhos
promoverão uma resposta imunológica
• Antígenos = Aglutinogênio no sangue

• Fenotipicamente temos 4 possibilidades e


geneticamente temos 6 possibilidades.
o Sangue do tipo A → expressão do • Sangue O depende de homozigose recessiva.
aglutinogênio do tipo A na superfície de suas • Sangue AB depende de homozigose dominante.
hemácias • Fator RH depende de um primeiro contato para
▪ Apresenta anticorpos contra o produção de imunoglobulinas.
antígeno B (Anti-B) • Mas quanto ao sistema ABO as aglutininas já se
o Sangue do tipo B → expressão do encontram naturalmente produzidas nos primeiros
aglutinogênio do tipo B na superfície de suas de vidas (produção de aglutininas contra o sangue
hemácias oposto).
▪ Apresenta anticorpos contra o
antígeno A (anti-A)
o Sangue do tipo O → não há expressão dos
aglutinogênios A nem B.
▪ Apresenta anticorpos contra
antígenos A e B (anti A e anti B)
o Sangue do tipo AB → expressão dos
aglutinogênios A e B.
▪ Não apresenta anti A nem Anti B
o Reação imunológica promove aglutinação das
células sanguíneas → anticorpos irão se
aderir as células sanguíneas promovendo
reações de precipitação, aglutinação e lise
celular.
• IA e IB apresentam codominância!
• i (sangue O) recessivo

• Acrredita-se que essa produção prévia decorre do


fato dos epítopos de nossas aglutininas se
semelharem com os de bactérias presentes no
nosso organismo (por alimentação, pelo ar inspirado
etc...)
• Produção de gamoglobulinas de ocorrência
espontânea.
o Medula óssea e órgãos linfáticos
o Moléculas de IgG e IgM
o Formadas após o nascimento
o Produzidas por contato com alimentos e
bactérias
o Desencadeamento de resposta imune típica.
(mesmo sem sensibilização prévia).
• Experimento: Hemácias A + Aglutinina Anti-A Sistema RH
o Fixação das aglutininas às hemácias
o Oclusão de vasos delgadas • Aglutininas anti-Rh não ocorrem
o Ataque por leucócitos fagocitáirios (efeito espontaneamente → necessária sensibilização
tardio – mais comum) o Necessidade de exposições sucessivas
o Ou.... Ativação do sistema complemento → • 6 tipos de antígenos
enzimas proteolíticas (agudo)/formação do o C, D, E, c, d, e
complexo lítco (menos comum) ▪ D = mais prevalente → Rh
o Hemólise → Agregação do IgM positivo.
▪ D representa mais
TESTE DE COMPATIBILIDADE POR TIPAGEM signitifcativamente o Rh
SANGUÍNEA positivo.
• Gota de sangue implantada nas duas pontas de • Cada pessoa tem 3 pares de antígeno
uma lâmina → teste de reatividade com as
aglutininas anti-A e anti-B.

• Aglutininas se desenvolvem lentamente numa


primeira exposição, havendo uma resposta
imunológica amplificada apenas mediante uma
segunda exposição.
• Doação indivíduo de Rh Negativo para um de Rh
positivo
o Não ocorre problema → pois sua hemácia
não apresenta antígeno Rh desenvolvido.
Além disso, o individuo rh positivo não
• Anti-A apresenta aglutininas anti-RH, pois isso
o Sangue A → aglutina destruiria suas hemácias.
o Sangue O → não aglutina
o Sangue AB → aglutina ERITOBLASTOSE FETAL
o Sangue B → não aglutina Ou... doenãa hemolítica do recém nascido
• Anti-B
o Sangue A → não aglutina • Imunização contra as hemácias do feto
o Sangue O → Não aglutina • Sistema rH do grupo sanguíneo é responsável por
o Sangue AB → aglutina 95% dos causos da doença hemolítica do recém
o Sangue B → Aglutina nascido.
• Pai Rh Positivo e mãe rH negativo → filho gerado rH
positivo
• Aglutininas da mãe se fidundem através da placenta
• Passagem de hemácias fetais para o sangue da mãe
• Presença do antígeno estimularia a produção de
aglutininas pelo s. imunológico da mãe → 1ª exposição
→ geralmente sensibiliza o s. imunológico da mãe
o Nem sempre a sensibilização coorre na
primeira gravidez levada até o final
▪ Sangramentos durante a gravidez o Substituição gradativa do sague do neonato
ou aborto espontâneo já contribuem por Rh-.durante 6 semenas.
para essa sensibilização → o 6 semanas → eliminação das aglutininas
necessária a anáise da história anti-Rh.da mãe.
clíniica da mãe o Controle dos níveis de bilirrubina.
• 2ª exposição → produção de IgG.
o Passa pela barreira placentária havendo
contato com as hemácias da mãe. Icompatibilidade ABO

• Mais frequente que o RH → porém efeitos são menos


graves
• Causam aglutinação das hemácias e hemólise →
hepatomegalia ou esplenomegalia • Ocorre em 15% a 20% das gestaões.
o Produção exacerbada de células sanguíneas • Mãe com sangue O e feto A ou B → produção de IgG
pelo fígado → volta a ser hematopoiético em anti-A ou anti-B → pode ocorrer DRHN.
razão da necessidade. • Mãe com sangue A ou B produzem IgM → não passa
o Aumento da produção de hemácias em sítios pela barreira placentária → não ocorre DRHN.
extramedulares. • Por que é mais benigna?
o Altos níveis de hemólise → Liberação de o Membrana do eritrócito possui poucos sítios
bilirrubina (viia hemoglobina) antigênicos A e B (Rh é exclusivo de
o Bilirrubina passa a acumular nos tecidos → hemácias)
deposição no tecido cerebral (Kernicterus) ▪ Aglutininas anti-A e anti-B não são
▪ Precipitação de bilirrubina nos exclusiva das hemácias → se
neurônios distribuem para outros tecidos,
• Neonato icterício e em geral anêmico → risco de possuindo outras atuações.
hidropsia (edema fecal) o Antígenos ABO presentes em vários tecidos.
o Redução da pressão coloidosmótica dos o Anticropos Anti-A e Anti-B não fixam
vasos sanguíneos em razão de insuficiência complemento no eritrócito.
hepática e cardíaca. → Fígado responsável ▪ Não ocorre atuação do sistema
pela produção de ptns plasmáticas complemento
(albumina) ▪ Maior dificuldade da identificação
o Acúmulo de líquido no sistema linfático. fagocítica por células do sistema
• Neonato com alta quantidade de blastos no imune.
hemograma → eritoblastose TRANSFUSÃO SANGUÍNEA
o Organismo no desespero de produzir mais
hemácias que estão em constante processo Tipos sanguíneos não compatíveis
de destruição.
• Aglutininas anti-Rh da mãe circulam pelo sangue do • Aglutinação das hemácias do sangue do doador
nenonato de 1 a 2 meses. (injetado)
• Fígado e baço dilatados para produção de hemácias • Aglutininas doadas são diluídas no volume de sangue
total do receptor e não causam aglutinação das
• Prevenção: hemácias do receptor.
o Imunoglobulina Rh globina (anticorpos anti- • O que ocorre?
D) o Icterícia
▪ Anticorpos anti fator D → na ▪ Hemólise
mediada que as hemácias do feto ▪ Hemoglobina (liberada = bilirrubina)
entram em contato da mãe, os o Insuficiência renal aguda.
anticorpos anti-D vão detectar o ▪ Reação antígeno-anticorpo libera
fator D das hemácias do feto e vão substâncias tóxicas
dregradar essas hemácias antes ▪ Acúmulo de hemoglobina nos
que elas sejam capazes de provocar túbulos renais.
a sensibilização do sistema imune da
mãe. INDIVÍDUOS FALSO O
• Vacina aplicada na 28ª • Expressam fracamente os antígenos A ou B.
semana da gestação • Pode ocorrer também no fator RH → expressão
▪ Fixação dos sítios antigênicos das fraca dos antígenos derivados do alelo D.
hemácias Rh+ → causa hemólise
REAÕES IMUNES – TERAPIA IMUNOSSUPRESSORA
das células RhD+ do feto no
organismo da mãe. • Requer a compatibilidade genética → identificação da
o Gestações futuras → 3º semestre de reatividade do sistema imune contra organismos
gestação → aplicação da vacina estranhos.
• Tratamento: • Autoenxerto → Retirar tecido de uma parte do corpo
para outro (ex: osso ou pele)
o Baixo índice de rejeição.
• Isoenxerto → Troca de tecidos entre irmãos
gêmeos idênticos (genes idênticos)
o Baixo índice de rejeição.
• Aloenxerto → troca de tecidos entre indivíduos
diferentes da mesma espécie
o Transplante de coração, fígado, rins...
• Xenoenxerto → troca de tecidos entre inidivíduos de
diferentes espécies
o Odontologia, ortopedia – pó bovino
estimulador da osteogênese
• Quanto mais distante geneticamente for o indivíduo
doadro do receptor → maior as chances de reijeçao
o Administração de drogas
imunossupressoras.

• Antígenos mais importantes → rejeição de enxertos


• Screening dos antígenos leucocitários
o 150 antígenos HLA diferentes → 6
presentes nas membranas
▪ 1 originado da mãe e 1 do pai →
mais de 1 trilhão de combinações
entre antígenos na membrana
possíveis.
• Alguns antígenos são mais reativos do que outros →
não é necessário que os 6 antígenos da membrana
no receptor e no doador sejam idênticos
o Pode não haver uma totalidade de idênticos,
mas os mais reativos devem ser iguais e
compatíveis.
• Reijeção
o Tipagem feita em linfócitos
o Alguns antígenos HLA não são severamente
antigênicos
o Melhor combinação doador X receptor →
menor índice de rejeição.
▪ Mais presente em membros de
uma mesma família.

• Medicamentos imunossupressores importantes


o Hidrocortisona ou cortisol → hormônio
produzido pela g. suprarrenal
▪ Redução da produção de
mediadores de células inflamatórias
▪ Menor liberação de Ácido aracdônico,
→ fosfolipase A2
▪ Problema: indivíduos
imunossuprimidos ficam mais
submetidos a infeccões
oportunistas → indivíduos pós-
transplante devem ficar isolados,
em quarentena.
o Drogas de ação tóxica sobre a formação de
células T → mecanismo mais específico
(reduz a vunerabilidade do individuo)
▪ Azatioprina
▪ Ciclosporina
• Suprimisse-se formação
de células T helper → sem
deprimir todo o sistema
imune

Você também pode gostar