Você está na página 1de 26

Natureza e Propagação da Luz

Prof. Ana
Introdução

• Óptica é o ramo da física que trata do


comportamento da luz e de outras ondas
eletromagnéticas.

• A óptica desempenha um papel fundamental


em muitas inovações modernas.

• Conhecimento das propriedades da luz ajuda a


entender: porque o céu é azul, funcionamento
do olho humano e de dispositivos como
telescópios, microscópios, câmeras e óculos.

• Inovações modernas: laser, fibra óptica, os


hologramas, etc.
Natureza da luz

➢ Isaac Newton (1642-1727): a luz era constituída por um feixe de minúsculas partículas (corpúsculos) emitidas
por fontes de luz.

➢ Galileu e outros tentaram medir a velocidade da luz.

➢ Em torno de 1665: primeiras evidências das propriedades ondulatórias da luz.

➢ 1873: Maxwell previu a existência de ondas eletromagnéticas e calculou a velocidade de propagação dessas
ondas.

➢ 1887: Hertz mostrou que a luz é uma onda eletromagnética.


Os dois aspectos da luz
• As fontes fundamentais de todos os tipos de
ondas eletromagnéticas são cargas elétricas
aceleradas.

• Todos os corpos emitem radiação


eletromagnética: resultado do movimento
térmico de suas moléculas (radiação térmica).

• Qualquer matéria quente é uma fonte de luz.

• Luz também é produzida durante descargas


elétricas em gazes ionizados.

• Laser: átomos são induzidos a emitir luz de


modo organizado e coerente; feixe muito
intenso e fino, monocromático.

• Qualquer que seja o tipo da fonte: ondas


eletromagnéticas propagam-se no vácuo com
a velocidade da luz.
Onda, raio e frente de onda

• Frente de onda é o lugar geométrico de todos os pontos


adjacentes que possuem a mesma fase da vibração de uma
grandeza física associada com a onda.

• Quando as ondas se espalham de uma fonte pontual,


qualquer superfície concêntrica com a fonte é uma frente de
onda.

• Escolhemos frentes de onda consecutivas que tenham a


mesma fase e um comprimento de onda de distância.
Onda, raio e frente de onda

• Longe da fonte, os raios das esferas são grandes, e aproximamos as


superfícies esféricas por planos.

• Direções da propagação da luz: representadas por um raio.

• Descrição corpuscular: os raios são as trajetórias das partículas.

• Descrição ondulatória: o raio é uma linha imaginária ao longo da


direção de propagação da onda.

• Materiais homogêneos e isotrópicos: raios são linhas retas


perpendiculares às frentes de onda.

• Na superfície entre dois meios, a velocidade da onda e a direção dos


raios pode variar.

• Ramo da óptica com abordagem por meio de raios: óptica geométrica.

• Ramo que trata das propriedades ondulatórias: óptica ondulatória.


Reflexão e refração

• Reflexão especular: superfície lisa, existe


um único ângulo de reflexão.

• Reflexão difusa: superfície rugosa, raios


refletidos em diversas direções.
Reflexão e refração
• Quando uma onda de luz atinge uma superfície lisa
separando dois meios transparentes, em geral, a
onde é parcialmente refletida e parcialmente
refratada para o outro material.
Reflexão e refração
• Índice de refração de um meio:
𝑐
𝑛=
𝑣

• No vácuo, 𝑛 = 1.
Leis da reflexão e da refração

1. O raio incidente, o raio refletido, o raio refratado e a


normal à superfície estão todos sobre o mesmo
plano.

2. Lei da reflexão: o ângulo de reflexão 𝜃𝑟 é igual ao


ângulo de incidência 𝜃𝑎 para todos os
comprimentos de onda e para qualquer par de
materiais.
𝜃𝑟 = 𝜃𝑎

3. Lei da refração ou lei de Snell: Para luz


monocromática e um dado par de materiais
separados pela interface, temos a seguinte relação:
𝑠𝑒𝑛 𝜃𝑎 𝑛𝑏
= ou 𝑛𝑎 𝑠𝑒𝑛 𝜃𝑎 = 𝑛𝑏 𝑠𝑒𝑛 𝜃𝑏
𝑠𝑒𝑛 𝜃𝑏 𝑛𝑎
Leis da reflexão e da refração
Índice de refração e aspectos ondulatórios da luz

• Frequência 𝑓 da onda não varia quando ela passa


de um material para outro.

• Comprimento de onda da luz 𝜆 geralmente é


diferente quando a onda passa de um material para
outro.
• Se 𝑛𝑏 < 𝑛𝑎 : velocidade da onda diminui.
𝑣 = 𝜆𝑓 𝜆𝑏 =
𝜆0
é menor que 𝜆𝑎 =
𝜆0
.
𝑛𝑏 𝑛𝑎
• 𝜆 em um material é menor que 𝜆0 do mesmo feixe
de luz no vácuo.

𝑐 𝑣 𝜆0
𝑓= = 𝜆=
𝜆0 𝜆 𝑛

Comprimento de onda
da luz em um material
Índice de refração e aspectos ondulatórios da luz

• Exemplo: Material a é a agua e o material b é um vidro


com índice de refração igual a 1,52. Se o raio incidente
forma um ângulo de 60𝑜 com a normal, estabeleça as
direções do raio refletido e do refratado.

𝜃𝑟 = 𝜃𝑎 = 60𝑜 .

𝑛𝑎 𝑠𝑒𝑛 𝜃𝑎 = 𝑛𝑏 𝑠𝑒𝑛 𝜃𝑏

𝑛𝑎 1,33
𝑠𝑒𝑛 𝜃𝑏 = 𝑠𝑒𝑛 𝜃𝑎 = 𝑠𝑒𝑛 60𝑜 = 0,758.
𝑛𝑏 1,52

𝜃𝑏 = 49,3𝑜 .
Reflexão interna total

• Em algumas circunstâncias, a luz pode ser totalmente


refletida de um interface e nenhuma luz ser
transmitida, mesmo quando o segundo material é
transparente.

• Reflexão interna total: ocorre apenas se 𝑛𝑏 < 𝑛𝑎 .

• Ângulo crítico para dois materiais é encontrado


fazendo 𝜃𝑏 = 90𝑜 .

𝑛𝑎 𝑠𝑒𝑛 𝜃𝑎 = 𝑛𝑏 𝑠𝑒𝑛 𝜃𝑏
𝑛𝑎 𝑠𝑒𝑛 𝜃𝑐𝑟𝑖𝑡 = 𝑛𝑏 𝑠𝑒𝑛 90𝑜
𝑛𝑏
𝑠𝑒𝑛 𝜃𝑐𝑟𝑖𝑡 =
𝑛𝑎

• Ocorre reflexão interna total sempre que o ângulo de


incidência é igual ou superior ao ângulo crítico 𝜃𝑐𝑟𝑖𝑡 .
Reflexão interna total

https://descomplica.com.br/artigo/refracao-da-luz-tudo-que-voce-precisa-saber-para-tirar-onda-na-prova/4rn/
Reflexão interna total

https://gifer.com/en/gifs/total-internal-reflection

https://www.aplustopper.com/applications-total-internal-reflection/
Dispersão

• A luz branca comum é uma superposição de cores


cujos comprimentos de onda abrangem todo o
espectro visível.

• No vácuo, 𝑣 = 𝑐 é constante, ou seja, a mesma para


todo 𝜆.
𝑐
• No interior de um material, 𝑣 = 𝑣 𝜆 = .
𝑛(𝜆)

• O índice de refração de um material depende do


comprimento de onda.

• Dispersão indica como 𝑣 e 𝑛 dependem de 𝜆.

https://brasilescola.uol.com.br/fisica/a-dispersao-luz-branca.htm
Polarização

• As ondas produzidas por uma emissora de rádio são,


em geral, linearmente polarizadas.

• Se uma antena possui um elemento na


horizontal/vertical, ela capta ondas polarizadas na
horizontal/vertical.
Polarização

• As ondas produzidas por uma emissora de rádio são, em geral,


linearmente polarizadas.

• Se uma antena possui um elemento na horizontal/vertical, ela


capta ondas polarizadas na horizontal/vertical.

• Ondas eletromagnéticas emitidas por uma fonte de luz comum:


polarizadas aleatoriamente ou não-polarizadas.

• Direção do campo elétrico muda aleatoriamente com o tempo,


embora se mantenha perpendicular à direção de propagação.
Polarização

Luz não-polarizada Filtro polarizador Luz polarizada

• Componente do campo elétrico paralela à direção de


propagação é transmitida por um filtro polarizador, a
componente perpendicular é absorvida.

• Intensidade da luz polarizada transmitida: regra da metade

𝐼0
𝐼=
2
Polarização

• Suponha que a luz que incide em um filtro polarizador seja


polarizada.

• Intensidade da luz transmitida: Lei de Malus.


𝐼 = 𝐼0 cos2 𝜃
Polarização

• Exemplo de polarizador: polaroid.

• Outros meios de polarizar a luz:

• Reflexão;

• Espalhamento: luz absorvida por um átomo ou


molécula é emitida novamente em outra direção
(por exemplo, espalhamento da luz solar pelas
moléculas da atmosfera).
Polarização

• Exemplo de polarizador: polaroid.

• Outros meios de polarizar a luz:

• Reflexão;

• Espalhamento: luz absorvida por um átomo ou


molécula é emitida novamente em outra direção
(por exemplo, espalhamento da luz solar pelas
moléculas da atmosfera).
Polarização por Reflexão

• Luz não-polarizada pode ser parcial ou totalmente


polarizada por meio da reflexão.

• Separar os vetores campo elétrico da luz em duas


componentes:

• Componente perpendicular ao plano de


incidência (pontos);

• Componente paralela ao plano de incidência


(setas).

• Em geral, luz refletida também possui as duas


componentes, mas com amplitudes diferentes.

• Luz refletida é parcialmente polarizada.

• Para um certo ângulo de incidência (ângulo de


Brewster), a luz refletida possui apenas a
componente perpendicular.
Polarização por Reflexão

• Lei de Brewster: raio refletido e refratado são


perpendiculares.
𝜃𝐵 + 𝜃𝑟 = 90𝑜
𝑛1 𝑠𝑒𝑛 𝜃𝐵 = 𝑛2 𝑠𝑒𝑛 𝜃𝑟
𝑛1 𝑠𝑒𝑛 𝜃𝐵 = 𝑛2 𝑠𝑒𝑛 90𝑜 − 𝜃𝐵 = 𝑛2 cos 𝜃𝐵
𝑛2
𝜃𝐵 = tg −1
𝑛1 Ângulo de
Brewster

𝜃𝐵 = ;tg −1 𝑛
Lei de
𝑛1 = 1 Brewster
Polarização

• Exemplo: Que fração da intensidade inicial 𝐼0 da luz


sai do conjunto e em que direção essa luz está
polarizada?

• 1º filtro: luz incidente é não-polarizada.


𝐼0
Regra da metade: 𝐼1 = , direção: paralela ao eixo y.
2
• 2º filtro: 𝐼2 = 𝐼1 cos2 60𝑜 , direção do 2º filtro (60𝑜
com o eixo y).

• 3º filtro: 𝐼3 = 𝐼2 cos2 30𝑜


𝐼0
𝐼3 = 𝐼1 cos2 60𝑜 cos2 30𝑜 = cos2 60𝑜 cos2 30𝑜
2
𝐼3 = 0,094 𝐼0.

Luz que sai do conjunto tem


apenas 9,4% da intensidade da
luz que incide no conjunto.

Você também pode gostar