Você está na página 1de 60

Metalurgia dos Não-Ferrosos

Curso Técnico Integrado em Metalurgia


(2º Ano)

Carga Horária 3 ha

18/10/2021 1
Extração de metais Não-Ferrosos

Ferrosos Pirometalurgia

Metalurgia Extrativa
Pirometalurgia
Não-Ferrosos Hidrometalurgia
Eletrometalurgia

18/10/2021 2
Solubilidade

Na obtenção de muitos metais tem-se etapas


de hidrometalurgia.

Hidrometalurgia:Tecnologia de extração de
metais em meio aquosos. (baixas
temperaturas).

18/10/2021 3
Misturas
Mistura Homogênea Mistura Heterogênea
Mistura de duas ou mais espécies químicas Mistura de duas ou mais espécies químicas
diferentes que apresenta as mesmas diferentes que não apresenta as mesmas
Propriedades em toda a sua extensão. propriedades em toda a sua extensão.
Toda mistura homogênea é um sistema Toda mistura heterogênea é um sistema
monofásico. polifásico.

18/10/2021 4
Solubilidade
Soluções

Homogêneas Heterogêneas

-Sólida Latão – Liga Cu-Zn.


-Líquida Solução aquosa de Sulfato de Cobre.
-Gasosa Ar Filtrado (livre de partículas).

18/10/2021 5
Soluções Homogêneas

Solução molecular (não eletrolítica): Quando as partículas


dispersas são moléculas.
Ex: Água e Açúcar
Não conduz eletricidade (BAIXA CONDUTIVIDADE).

Solução iônica (eletrolítica): Quando as partículas dispersas


são íons, ou então íons e moléculas.

Ex: Água e Sal


Conduz eletricidade.
18/10/2021 6
Coeficiente de Solubilidade
O coeficiente de solubilidade (Cs) é um indicador de
Saturação.

Cs – É a quantidade de Soluto (em gramas, geralmente) necessária para forma uma


solução saturada com uma quantidade padrão de Solvente (Geralmente em Litros).

18/10/2021 7
Influência da Temperatura

Em algumas operações metalúrgicas (processo Bayer, por exemplo) aumenta-se a


temperatura da solução para promover uma dissolução mais efetiva de uma
determinada espécie química.
18/10/2021 8
Concentração
Em metalurgia dos Não-Ferrosos, na maioria dos
casos, utiliza-se a concentração “comum” (em g/l) e a
concentração molar (mol/l) para exprimir a razão
sólido:solvente.

m
C= Concentração: Razão da Massa de soluto/Volume de
V Solvente

n
M= Concentração: Nº de Mols do soluto/Volume de Solvente

V
*Lembre-se: n=(massa/massa molar)
18/10/2021 9
Lixiviação
É a dissolução SELETIVA* do mineral do
metal de valor pela água ou por uma solução
aquosa do agente lixiviante.
OBS: Pode-se ter a lixiviação inversa (será
discutida posteriormente).
Lixiviação
Para algumas situações a lixiviação consiste na
remoção do metal de valor de modo a separá-lo de
uma grande massa de ganga com um beneficiamento
mínimo do minério. Ex: Processo Bayer aplicado à
bauxita (produção de Al).

Minimizam os custos associados ao tratamento do


minério, no caso de lixiviação em pilhas.

Em outras situações, a lixiviação é empregada em um


concentrado (material que foi previamente separado
da maior parte da ganga). Ex: Processo RLE de
produção do Zn.
11
Lixiviação
Condições usuais de operação de processo de lixiviação:

• Temperatura: 25 a 250ºC

• Pressão: 1 a 40 atm

• Meio aquoso (podendo ser neutro, ácido ou básico).

Em certos casos, ex: processo de produção do Zn, utiliza-se


para a lixiviação parte do ácido produzido na própria cadeia
de produção desse metal.

18/10/2021 12
Solubilização
A água é um solvente universal pela capacidade
de dissolver muitas substâncias.
A solubilização de um composto qualquer requer,
na maioria das vezes, a formação de um íon
(ionização).

Tipos de reações de lixiviação

13
Lixiviação- Reagentes
Meio aquoso:

• Ácidos

Ex: oxidados de cobre e ustulados de zinco


14
Lixiviação- Reagentes
• Ácidos: usados na forma de solução aquosa,
modificando o pH e favorecendo a dissolução de
diversos minerais, como por exemplo óxidos
metálicos.

• Ácidos muito fortes e concentrados podem


prejudicar a seletividade do processo e aumentar
custos devido a maior corrosão de equipamentos.
15
Lixiviação- Reagentes
Meio aquoso:

• Bases

Ex: Processo Bayer: lixiviação da bauxita


16
Lixiviação- Reagentes
• Bases: elevam o pH do meio, favorecendo a
formação de hidróxidos e óxidos metálicos
solúveis na forma de ânions. Alguns desses
compostos são bastante estáveis, o que favorece
a seletividade do processo.
• Pode ser usado na lixiviação de urânio com
soluções de carbonato de sódio.
17
Lixiviação- Reagentes
Meio aquoso:

• Agentes complexantes: formam complexos


estáveis com os metais, aumentando a
solubilidade e seletividade do processo.
Exemplos:

i. cianetação de minérios de ouro e prata

ii. Lixiviação amoniacal de sulfetos de Ni, Co e Cu.

18
Lixiviação- Reagentes
Meio aquoso:

Favorecem a dissolução por meio da alteração do


potencial de oxidação do meio (Eh).

• Oxidantes (O2,H2O2,Fe3+)

• Redutores(SO2, Cr2O4-2 raro)

19
Lixiviação- Reagentes
Escolha dos reagentes:
• Seletivos

• Regeneráveis (impacto econômico e ambiental)

• Disponíveis (fácil acesso para compra)

• Pouco corrosivos (operador e equipamento)

• Não-tóxicos (operador)

• De fácil manuseio (reagentes que precisam de muitos cuidados, tornam o


processo lento e oneroso)

• Baratos ( diminuir custos do processo)

20
Reações de Lixiviação
• Ouro

𝐴𝑢(𝑆) + 𝑁𝑎𝐶𝑁 + 𝑂2(𝑔) + 𝐻2 𝑂 → 𝑁𝑎 + + 𝐴𝑢 𝐶𝑁 2 + 𝑁𝑎𝑂𝐻

• Zinco
𝑍𝑛𝑂(𝑆) + 𝐻2 𝑆𝑂4(𝑎𝑞.) → 𝑍𝑛2+ + 𝑆𝑂42− + 𝐻2 𝑂

• Cobre
𝐶𝑢2 𝑂(𝑠) + 4𝐻 + + 0,5𝑂2(𝑔) → 2𝐶𝑢2+ + 2𝐻2 𝑂


2𝐶𝑢2 𝐶𝑂3. 𝐶𝑢 𝑂𝐻 2(𝑠) + 12𝑁𝐻3 → 3 𝐶𝑢 𝑁𝐻3 4
2+ + 2𝐶𝑂32− + 2𝑂𝐻

21
Reações de Lixiviação

22
Lixiviação
Em todo o processo de lixiviação é preciso
permitir que os reagentes químicos possam ter
acesso à superfície do mineral para que ocorra a
reação de dissolução.

B
[A]

Nos casos em que se tem uma ganga extremamente porosa (agregados terrosos, por
exemplo) o agente lixiviante penetra facilmente na partícula. 23
Processos de Lixiviação
• Lixiviação de leitos fixos (percolação):
1. “In Situ” - “In Place” (In Situ modificado);
2. Em Pilhas;
3. Em monte
4. Em tanque;
• Lixiviação de Polpas:
Aeração

1. Agitação
Mecânica

Lixiviação por bactérias – Biolixiviação -Thiobacyllus ferro-oxidans


Processos de Lixiviação

18/10/2021 25
“In Situ” - “In Place”
➢“In Place” – Resíduos fragmentados (em geral
de minas abandonadas)- Aplica-se essa técnica
quando o corpo mineralizado é muito compacto,
portanto trincas são induzidas (via explosivos ou
pressurização hidráulica) o que permite o agente
lixiviante percolar e solubilizar as espécies de
interesse.

➢“In Situ” – Aplicação de soluções diretamente


no corpo mineralizado.
Lixiviação “In-Situ”
Lixiviação “In Situ”
Lixiviação “In Situ”
Lixiviação “In Situ”
Lixiviação em Monte/’’Bota-fora”
18/10/2021 32
18/10/2021 33
Lixiviação em Monte /’’Bota-fora”
Lixiviação em Pilhas
18/10/2021 36
Lixiviação em Pilha

Formação da Pilha

Adequação do sólido
Lixiviação em Pilhas

18/10/2021 38
Extração de Au - GO

18/10/2021 39
Extração de Urânio

18/10/2021 40
18/10/2021 41
Lixiviação de Ouro

18/10/2021 42
Impermeabilização
Impermeabilização
Proteção da Lixívia
Lixiviação em Pilha
Aglomeração

Aglomerantes
Lixiviação por agitação

• Agitação Mecânica;

• Aeração.

Podem ser realizada sob pressão atmosférica ou


em autoclaves.
Lixiviação em Tanque
Lixiviação em Tanque
Agitação Mecânica
Agitação Mecânica
Agitação por Aeração
Autoclave + Agitação mecânica
Tanques de Lixiviação - Bauxita
Escolha do Processo de Lixiviação
Escolha do Processo de Lixiviação

• Espécies presentes;
• Reserva mineral;
• Caracterização;
• Comportamento Metalúrgico;
• Capacidade de processamento;
• Custo de operação;
• Capital investido;
• Rentabilidade econômica.
Separação Sólido Líquido
Espessadores

Solução clara Solução clara

Solução clara

Sólidos

Clarificação
Filtragem

Sucção

Polpa

Você também pode gostar