Você está na página 1de 30

UNIVERSIDADE VIRTUAL DO ESTADO DE SÃO PAULO

ANGELA SUELEM DE SOUZA R.A: 1804611

HITIARA DE MATOS FONSECA R.A: 1811341

JÚLIA ESPOSITO QUEIROZ - R.A: 1813529

JULIANA VILELA FERRAZ – R.A: 1809570

ATIVIDADE LÚDICA ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO – PALAVRA


SECRETA

Link do vídeo no youtube:


https://youtu.be/mWByLTS0pgA

SOCORRO/SP

2019
- 2-

UNIVERSIDADE VIRTUAL DO ESTADO DE SÃO PAULO

ATIVIDADE LÚDICA DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO –


PALAVRA SECRETA

Relatório Final apresentado na disciplina de Projeto


Integrador para o curso de Licenciatura em
Pedagogia da Fundação Universidade Virtual do
Estado de São Paulo (UNIVESP).

Tutora: Marina Vidal Santos

SOCORRO/SP

2019
- 3-

SOUZA, ANGELA SUELEM DE; FONSECA, HITIARA DE MATOS; QUEIROZ, JÚLIA


ESPOSITO; FERRAZ, JULIANA VILELA. ATIVIDADE LÚDICA ALFABETIZAÇÃO E
LETRAMENTO. Projeto Integrador (Licenciatura em Pedagogia) – Universidade
Virtual do Estado de São Paulo. Tutora: Marina Vidal dos Santos. Polo Socorro - SP,
2019.

RESUMO

O Projeto Integrador visa explanar como os jogos e brincadeiras podem ser úteis no
processo de aprendizagem e socialização. Essa etapa é fundamental na vida do
aluno, pois assimila a infância e a realidade, e brincar torna a aprendizagem mais
prazerosa e enriquecedora. Tem como proposta pedagógica, a elaboração de um jogo
para auxiliar a alfabetização dos anos iniciais do ensino fundamental I, escolhendo um
título dentro das seguintes disciplinas: Alfabetização e Letramento e Arte e Música na
Educação.

PALAVRAS-CHAVE: Jogos, Brincadeiras, Aprendizagem, Alfabetização, Letramento,


Autonomia.
- 4-

ABSTRACT
The Integrator Project aims to explain how games and play can be useful in the
learning and socialization process. This stage is fundamental in the student's life,
as it assimilates childhood and reality, and playing makes learning more
enjoyable and enriching. Its pedagogical proposal is the elaboration of a game to
help the literacy of the early years of elementary school I, choosing a title within
the following subjects: Literacy and Literacy and Art and Music in Education

KEYWORDS: Games, Play, Learning, Literacy, Autonomy.


- 5-

SUMÁRIO

1INTRODUÇÃO ......................................................................................................................................... 6
2 DEFINIÇÃO DO PROBLEMA .................................................................................................................11
3 OBJETIVOS ...........................................................................................................................................12
4 JUSTIFICATIVA .....................................................................................................................................13
5 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA...............................................................................................................14
6 REFINANDO A IDÉIA ............................................................................................................................16
7 SOLUÇÃO DO PROBLEMA (Colocar esse tópico e o seguinte dentro de materiais e métodos) .........17
8 PROTÓTIPO..........................................................................................................................................18
9 CONCLUSÃO ........................................................................................................................................17
10 REFERÊNCIAS .....................................................................................................................................29
- 6-

INTRODUÇÃO

Este projeto integrador surge como uma aproximação do lúdico com o


aprendizado. Considerada como a mais básica de todas as necessidades de
aprendizagem, a alfabetização é uma fase de grande importância da vida da criança.

Trata- se de um projeto realizado com alunos do 1º ano da Escola Municipal


Profª. Beatriz Domingues de Lima, na cidade de Socorro, interior de São Paulo.
Público composto por crianças de 6 a 7 anos de idade em fase de alfabetização.
Baseamos nosso projeto na disciplina Alfabetização e Letramento e Arte e Música na
Educação.

Sabemos que muitos alunos passam de ano com pouco domínio sobre a leitura
e aquisição de escrita, e que mais para a frente, se tornam alunos reprovados. E ser
alfabetizado é imprescindível para cumprir as exigências da sociedade.

Dessa forma, buscamos romper os paradigmas tradicionais da alfabetização,


destacando que é possível tornar o processo de alfabetização mais prazeroso para
ambas as partes, a fim de maior aproveitamento.

A criança quando brinca se desenvolve como um todo, auxilia na inserção na


sociedade, e também na construção de seu conhecimento. A brincadeira é vital para
a saúde emocional, cognitiva, física e intelectual. Com ela, a criança manifesta
criatividade, inteligência, habilidades e imaginação, raciocina, descobre, persiste e
persevera

Piaget declara que “a atividade lúdica é o berço obrigatório das atividades


intelectuais da criança sendo por isso, indispensável à prática educativa” (1998).
Portando, a brincadeira quando vivenciada de uma forma mais produtiva, torna
possível o desenvolvimento integral do ser humano.

Dessa forma temos que reconhecer o lúdico como instrumento transformador


para obtermos novas formas de aprendizagem e de conhecimento. Valorizar o lúdico
significa considerar a perspectiva da criança diante das atividades propostas.
- 7-

PRIMEIRO CONTATO

Visitando a sala escolhida, observamos que ela era composta por 20 crianças na
faixa etária de 6 a 7 anos de idade. Notamos que a maioria dos alunos já conseguia ler
frases e escrever algumas palavras simples, assim como seu próprio nome. Apenas
alguns alunos apresentavam grandes dificuldades na alfabetização.

Em conversa com a professora da sala, que informou que cada criança tem seu
tempo no processo de aprendizagem e apesar da maioria estar alfabetizado, ou seja,
consegue ler e escrever, cada um tem um jeito singular de aprender e demonstrar seu
conhecimento.

Questionamos também os possíveis motivos para o atraso ou desinteresse de


algumas crianças no processo de aprendizagem da leitura e escrita, e a mesma nos
relatou que, alfabetização e letramento é um processo continuo, que vai se
constituindo conforme nos desenvolvemos, sendo assim necessita de estimulo.
Alguns alunos até vencem a barreira da alfabetização inicial, porém não tem contato
suficiente com a leitura e escrita para se tornarem letrados, não ganham fluência e
acabam ficando frustrados perdendo o interesse.

Com nossas observações em mãos, elaboramos levantamentos que puderam


nos direcionar para as atividades cabíveis aquela sala de aula. Decidimos construir
um jogo, que chamamos de “Palavra Surpresa”.

Nesse momento surge nosso projeto, que tem por objetivo despertar nos alunos
o interesse pela leitura de forma lúdica, dinâmica e desafiadora, construindo assim,
um jogo para auxiliar a professora nesse processo de alfabetização, jogo este onde
todos podem participar individualmente ou em grupo, pois nosso foco é atingir a todos,
principalmente os que apresentam uma maior dificuldade na aprendizagem.
- 8-
- 9-
-
10 -
- 10 -
- 11 -

DEFINIÇÃO DO PROBLEMA

Crianças entre 6 a 7 anos, do primeiro ano do ensino fundamental. Iniciando o


processo de alfabetização (sílabas, formação de palavras, frases e numerais).

Visando a proposta do projeto integrador para esse bimestre, resolvemos


elaborar um jogo para auxiliar a professora durante o processo de alfabetização e
letramento.

As atividades com o sistema de escrita nos anos iniciais do ensino fundamental


precisam ser diversificadas e oferecer novos desafios às crianças, potencializando
seu aprendizado. Partindo desse conceito pesquisamos atividades lúdicas, e
confeccionamos um jogo.

Do ponto de vista didático, os jogos e brincadeiras promovem situações em que


as crianças aprendem conceitos e desenvolvem diversas habilidades agregando
aspectos cognitivos, sociais e físicos.

Dessa forma, o problema relatado nesse projeto, diz sobre o descompasso no


processo de alfabetização e a incorporação de atividades práticas como aliadas da
aprendizagem. Pois notamos o desinteresse dos alunos com aulas expositivas
tradicionais, que podem ser amenizadas com a inserção do lúdico nessa fase, pois,
isso torna a absorção de conhecimento muito mais válida.
- 12 -

OBJETIVOS

Geral:

Desenvolver alternativas, através de jogos e brincadeiras, para os


desafios da alfabetização das crianças da etapa 1º ano, complementando a
proposta escolar, contribuindo com o ensino-aprendizagem no Ensino
Fundamental.
Desenvolver nos alunos, interesse e prazer pelo processo de
alfabetização, ampliando conhecimentos e capacidades;

Específicos:

 Viabilizar aos professores, o acesso a novas possibilidades e


caminhos diferentes para a inserção de atividades práticas e brincadeiras.
 Desenvolver no aluno o hábito de leitura e escrita;
 Desenvolver a socialização das crianças e aproximação com a
alfabetização de forma lúdica.
 Expandir a visão do mundo e inserir o aluno na cultura letrada;
 Aproximar a criança das palavras para ter condição ao início da
leitura;
 Possibilitar ao aluno a compreensão e a relação que existe entra
a fala e a escrita.
- 13 -

JUSTIFICATIVA

A escola é um lugar de importância fundamental, pois pode integrar jogos e


brincadeiras á aprendizagem, e oportunizar prazer às crianças. Com a utilização de
jogos lúdicos no processo de alfabetização e letramento, o desenvolvimento da
criança é perceptível, pois a mesma busca interpretar o mundo que a cerca e constituir
sua relação com o conhecimento.

Assim, o presente projeto visa o emprego de jogos e brincadeiras como


ferramenta no processo de ensino, mostrando a importância do lúdico e considerando
a relação professor-aluno, a aprendizagem significativa e o desempenho dos alunos
diante das dificuldades nesse processo.

“As maiores aquisições de uma criança são conseguidas no brincar, aquisições que no
futuro tornar-se-ão seu nível básico de ação real e moralidade” (Vygotsky, 1984).

Portanto, as brincadeiras e jogos vinculados a aprendizagem geram diversos


benefícios e auxiliam o desenvolvimento do raciocínio, atenção, criatividade,
autonomia, imaginação, socialização, entre outros. É com as brincadeiras que a
criança aprende a respeitar as regras, estender seu relacionamento social, e respeitar
o próximo.
- 14 -

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

Para embasar teoricamente o projeto integrador, trabalhamos no


referencial teórico os autores: Soares (2003), Ferreiro (1996), Vygotsky(1991,
1989) e Freire (2002).

Para discutir o ensino dos alunos do 1º ano do ensino fundamental faz-


se necessário trabalhar a alfabetização, o letramento por meio de atividades
lúdicas. Segundo Ferreiro, toda produção escrita do aluno iniciante em
processo de alfabetização deve ser considerada pelo professor, porque nesse
momento, o aluno cria diversas e importantes hipóteses sobre a leitura e a
escrita. Geralmente, essas hipóteses (escritas) não correspondem ao sistema
de escrita convencional.

Os autores destacam ainda que ninguém começa a expressar por escrito


sua língua de forma totalmente correta. Portanto, é importante o professor
valorizar até mesmo um rabisco feito pelo aluno que é uma forma de escrita,
porque é importante para a aprendizagem dele. A língua escrita é importante
porque proporciona ao aluno a compreensão e a expressão linguística.

Dessa forma, para desempenhar desde as mais simples atividades


cotidianas às mais complexas, precisamos ler, interpretar, compreender, e
escrever com autonomia. Portanto, não nos resta dúvida de que na escola,
primeiramente "[...] é necessário reconhecer que alfabetização - entendida
como a aquisição do sistema convencional de escrita - distingue-se de
letramento - entendido como o desenvolvimento de comportamentos e
habilidades de uso competente da leitura e da escrita em práticas sociais [.]"
(SOARES, 2004, p.20).

Há de se notar ainda que alfabetização e letramento são habilidades


distintas, mas complementares, ou seja, nos dias de hoje não tem como a
escola ensinar a tecnologia da leitura e escrita abrindo mão do trabalho
pedagógico com o letramento. Sendo assim, o trabalho com letramento é muito
mais que apenas ler e escrever. É, na verdade, uma atitude social e política. A
pessoa que se alfabetiza: [...] aprende a ler e a escrever e passa a fazer uso
- 15 -

da leitura e da escrita, a envolver- se nas práticas social de leitura e de escrita


– que se torna letrada – é diferente de uma pessoa que não sabe ler e escrever
– é analfabeta – ou, sabendo ler e escrever, não faz uso da leitura e escrita –
é alfabetizada, mas não é letrada, não vive no estado ou condição de quem
sabe ler e escrever e pratica a leitura e a escrita (SOARES, 2001, p.36, apud
FRANCO; RAIZER, p. 787).

Sendo assim, a metodologia lúdica oportuniza ao professor a buscar um


desenvolvimento global e uma visão de mundo mais real para o aluno. Por
meio da criatividade do professor, o aluno pode se expressar, analisar, criticar
e interagir com a realidade. Se bem aplicada e com uma didática adequada, a
prática pedagógica lúdica poderá contribuir para a melhoria do ensino, quer na
aprendizagem ou formação crítica do aluno, quer para redefinir
conhecimentos.
- 16 -

REFINANDO A IDÉIA

Com o nosso desafio estabelecido, topamos com alguns tópicos:

Quais valores são importantes para nosso público-alvo?

o Alfabetização;
o Convicção na sua capacidade;
o Autonomia.

Quais as necessidades reais que nosso grupo precisa resolver?

o Defasagem no processo de alfabetização e letramento;


o Alunos em níveis diferentes de conhecimento.

Quais as barreiras encontradas na nossa proposta?

o Foco e interesse dos alunos na alfabetização;


o Desconhecimento do alfabeto.
o Falta de apoio da família

Há outra forma de atender a necessidade de aprendizagem dos alunos?

o Dentro das possibilidades da escola, notamos outros recursos


como brinquedoteca, sala de vídeo, e jogos recreativos. Recursos esses já
utilizados, e que proporcionam maior rendimento no processo de
aprendizagem.
- 17 -

MATERIAIS E MÉTODOS

SOLUÇÃO DO PROBLEMA

A cada ano que se passam, as crianças ingressam cada vez mais cedo na
escola, e brincam cada vez menos (sendo durante o período escolar, ou fora da sala
de aula), o que, às vezes pode gerar um conflito nos aspectos importantes da infância.

A ludicidade como prática pedagógica merece maior atenção, pois consiste em


exercer relações afetivas com o mundo, com as pessoas e com objetos. Através dos
jogos e brincadeiras o educador pode promover o desenvolvimento pedagógico com
mais ludicidade, auxiliando-os na busca de alternativas para as adversidades
encontradas dentro do processo de alfabetização e letramento junto com as
individualidades e dificuldades de cada aluno.

Essa atividade busca desenvolver o raciocínio, agilidade, trabalho em equipe,


atenção visual, e finalmente, ajudar no processo de alfabetização e socialização.

Ela consiste em dividir a sala em grupos de acordo com a necessidade da sala,


ou individual, e a partir de então, a educadora posiciona-os de frente para a caixa e
pede para um aluno sortear uma figura que está dentro da lata, então a criança deve
pegar as tampinhas que estão dentro da caixa e formar a palavra sorteada. Vence o
grupo/aluno que acertar o maior número de palavras, ou completar primeiro.

Nosso enfoque é para o desenvolvimento dos alunos no processo de


alfabetização e letramento, dentro do jogo como uma equipe, que no decorrer da
atividade, podem ou não desenvolver debates sobre o que deve ser feito e a coerência
e exatidão do que estão elaborando. E consequentemente, despertar nos alunos a
vontade de aprender, vendo que não é um bicho de sete cabeças, e que é possível
se divertir nesse processo.
- 18 -

PROTÓTIPO

Pensando em trazer ludicidade para a aprendizagem, confeccionamos o jogo


“Palavra Secreta” que consiste em conduzir o aluno em uma atividade de raciocínio,
onde ele sorteia a figura da qual deverá formar o nome da mesma, na caixa já
posicionada a sua frente.
É um jogo amplo, pois além de possuir diversas variações para jogar (aluno x
aluno, grupo x grupo, etc), ele também exercita vários fatores que auxiliam no
desenvolvimento no processo de alfabetização.

Atividade: Palavra Secreta


 Objetivo: Formar com as tampinhas de garrafa a palavra sorteada na lata de
imagens.
 Material: Lata com imagens e caixa confeccionada com bocal de garrafa para
formação de palavras.
- 19 -

1° momento: Elaboração de uma sondagem, juntamente com a professora, de acordo


com desenvolvimento e nível de aprendizagem. Os alunos já tinham conhecimento das
letras, alguns já estavam devidamente alfabetizados e letrados. Foi importante esse
momento para assim conhecermos a sala, e assim preparar as duplas. Usamos como
critério para divisão dos alunos em duplas o nível de alfabetização e letramento,
buscando sempre mesclar os que já estavam aptos com os de menor conhecimento,
para garantir um maior rendimento, pois um ajudaria o outro.

2º momento: Após a divisão, iniciamos o jogo com a primeira dupla. Como


confeccionamos duas caixas para formação das palavras, pudemos jogar com duas
duplas, o que facilitou a aplicação, pois os alunos estavam ansiosos pela sua vez. O
jogo funciona da seguinte forma: Um aluno retira uma imagem da lata surpresa, cola ela
na tampa da caixa (pois possui velcro), dentro da caixa estão as letras (coladas na tampa
da garrafa), o aluno procura as letras que acha que forma as palavras, e rosqueiam a
tampa nas bocas das garrafas que estão coladas na caixa. Dessa forma, além de
trabalhar o raciocínio, a alfabetização, e o letramento, trabalhamos também a
coordenação motora. Este jogo não precisa necessariamente ter um ganhador, mas sim,
o grupo que fez corretamente a atividade.

Observações: Por vezes os alunos ficavam ansiosos e confundiam as letras, ou


demonstravam pressa para formar a palavra antes da outra dupla, havendo a
necessidade de conduzirmos o jogo, sempre alertando dos possíveis erros e acertos.
Algumas variações deste jogo são possíveis, variando de acordo com a necessidade da
sala. Como por exemplo, dividir em grupos, ou individualmente. Pode ser cobrada a
formação de palavras aleatórias de acordo com um tema estudado, ou vogais, nomes
próprios.
- 20 -
- 21 -
- 22 -
- 23 -
- 24 -

]
- 25 -
- 26 -
- 27 -
- 28 -

CONCLUSÃO

O presente trabalho teve como objetivo, mostrar que a alfabetização e letramento,


feitos com responsabilidade, insere o aluno no mundo escrito e falado, dando a ele não
somente a propriedade do código da escrita, mas a real inserção no mundo social de
onde faz parte, sabendo quando e como utilizar-se da leitura e escrita nas diversas
situações do cotidiano.
Com este projeto, observou-se que o uso dos jogos, aplicado de forma lúdica,
trazem um aprendizado lúdico e realista importante desde cedo nos alunos fazendo com
que eles além de aprenderem o sistema escrito, aprendam também as funções destes
no dia a dia.
No decorrer da realização deste trabalho, assumimos o desafio de buscar um
envolvimento dos integrantes do grupo dos profissionais da escola, assim como a
participação direta das crianças do 1º ano.
A alfabetização e letramento são processos diferentes, mas que não se
distinguem, portanto se alfabetiza letrando. Para ler e escrever, a criança se envolve
com dois processos paralelos, o sistema da escrita e o uso funcional da linguagem. Ela
passa por diferentes hipóteses até apropriar-se de toda a complexidade do sistema.
Essas hipóteses dependem do grau de letramento do ambiente social e de suas
vivencias em comunidade.
Apoiada nas reflexões obtidas na aplicação do jogo convém afirmar que, o lúdico
concede privilégios colaborativos para o desenvolvimento das crianças e pode ser
trabalhado em qualquer disciplina, desde que haja um bom planejamento a base de
muita pesquisa, discussão dos profissionais, que estão envolvidos para esse fim e se
faz necessário que os pedagogos tenham uma boa formação. A qualidade do brincar
depende de uma boa mediação.
- 29 -

REFERÊNCIAS

FREIRE, Paulo. Importância do ato de ler: em três artigos que se completam. São
Paulo. Autores associados/ Cortez. 1981.

LEONTIEV, A.N. Os princípios psicológicos da brincadeira pré-escolar. In: Vygotsky,


L. S.; Luria, A. R.; Leontiev, A. N. (Orgs.), Linguagem, desenvolvimento e
aprendizagem. São Paulo: Moraes, 1994.

OLIVEIRA, Vera Barros de (org). O brincar e a criança do nascimento aos seis anos.
Petrópolis, RJ: Vozes, 2000)

PEREIRA, Lucia Helena Pena. Bioexpressão: a caminho de uma educação lúdica


para a formação de educadores. Rio de Janeiro: Mauad X: Bapera, 2005

PIAGET, J. A psicologia da criança. Ed. Rio de Janeiro. Bertrand Brasil, 1998.

SOARES, Magda. Alfabetização e letramento: caminhos e descaminhos. Pátio:


revista pedagógica, Porto Alegre, n. 29, p. 18-22

VYGOTSKY, L. S. A Formação Social da Mente. São Paulo, Martins Fontes, 1984

Você também pode gostar