Você está na página 1de 2

BREVE HISTÓRICO SOBRE A SEGURANÇA PRIVADA NO BRASIL

Herick Gretschischkin
Gestão em Segurança Privada EaD 9ºT

A segurança, principalmente de pessoas, é algo que preocupa os indivíduos


desde os primórdios dos grupos sociais. Afinal, um dos objetivos para as pessoas terem se
reunido em grupos foi a preocupação com a própria segurança contra indivíduos e grupos
hostis.
No Brasil, o histórico aponta que em meados de 1626, os altos índices de
violência levaram o Ouvidor Geral, Luiz Nogueira de Britto, a determinar a criação de um
grupo de segurança, conhecido como “quadrilheiros”. Este grupo era formado por moradores
das próprias cidades mediante o voluntariado e eram compromissados em bem servir à
comunidade que protegiam.
Com a evolução do sistema de governo, passando pela Coroa e,
futuramente, com a chegada da República, a segurança evoluiu muito, deixando de ser
predominantemente um serviço de segurança pública, exigindo o surgimento dos corpos de
segurança privada – ou, da segurança patrimonial.
Através do Decreto-Lei Nº 1.034, de 09 de novembro de 1969 e Decreto-Lei
Nº 1.103, de 03 de março de 1970, as empresas de segurança e vigilância armada privada,
surgiram formalmente no Brasil. Esses decretos regulamentaram a atividade de segurança
privada e estabeleciam que os estabelecimentos financeiros – como bancos e operadoras de
crédito, por exemplo – adotassem um sistema de segurança próprio ou terceirizado, ou seja,
contratassem empresas especializadas na prestação de serviços de segurança privada, com o
objetivo de inibir as ações de grupos revolucionários relacionados a movimentos políticos –
ditos “de esquerda” – que buscavam recursos financeiros para custear suas ações mediante a
prática de roubos violentos a estabelecimentos bancários.
A demanda por segurança privada aumentou exponencialmente ao longo
dos anos e a prestação de serviços com essa finalidade deixou de ser exclusividade em
instituições financeiras. Existindo um novo nicho comercial, pautado na necessidade de toda a
sociedade, segurança privada passou a ter importância fundamental também diversos órgãos
públicos (hospitais, parques) e para vários tipo de empresas particulares, como shopping
centers, por exemplo. Assim, com a crescente procura e, automaticamente, com o aumento da
oferta de serviços relacionados à segurança privada, em 1970 surgiu nova normatização,
comportando os diferentes aspectos da atividade.
No ano de 1983, o Governo Federal trouxe nova regulamentação através da
Lei 7.102, de 20 de junho de 1983, que “dispõe sobre segurança para estabelecimentos
financeiros, estabelece normas para constituição e funcionamento das empresas particulares
que exploram serviços de vigilância e de transporte de valores, e dá outras providências”; lei
esta, que é regulamentada pelo Decreto Nº 89.056, de 24 de novembro 1983.
A fiscalização deixou de ser estadual e passou a ser federal, através do
Departamento de Polícia Federal que, com isso, passou a ser o órgão responsável pela
publicação das Portarias que estabelecem, dentro dos parâmetros legais, as diretrizes que
norteiam as atividades de segurança privada no Brasil, exercendo, também, as ações de
fiscalização e controle sobre a atividade.

Referências:

Moretti, Cláudio dos Santos. A segurança privada no Brasil: histórico e evolução. USA.
Monee, Illinois. Editora: Publicação independente. 2020.

BRASIL. Lei Nº 7.102, de 20 de junho de 1983. Dispõe sobre segurança para


estabelecimentos financeiros, estabelece normas para constituição e funcionamento das
empresas particulares que exploram serviços de vigilância e de transporte de valores, e dá
outras providências. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l7102.htm>.
Acesso em: 27 set. 2021.

BRASIL. Decreto Nº 89.056, de 24 de novembro 1983. Regulamenta a Lei nº 7.102, de 20


de junho de 1983, Regulamenta a Lei nº 7.102, de 20 de junho de 1983, que "dispõe sobre
segurança para estabelecimentos financeiros, estabelece normas para constituição e
funcionamento das empresas particulares que exploram serviços de vigilância e de transporte
de valores e dá outras providências". Disponível em: <
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/Antigos/D89056.htm>. Acesso em: 27 set.
2021.

Você também pode gostar