Você está na página 1de 10

1

LIVRO _____ - PÁGINA _____. - TRASLADO 001 DE 001.


G-09/GODOI/SAGARANA/2009

ESCRITURA DE VENDA E COMPRA E DE PROMESSA DE DAÇÃO EM


PAGAMENTO.

Aos _______ (___) dias do mês de maio (05) do ano de dois


mil e nove (2009), lavrada neste Distrito de Parelheiros,
Município e Comarca da Capital do Estado de São Paulo, lida
e assinada na Rua Sapetuba nº 166, nesta Capital, onde
perante mim, escrevente autorizada que esta lavra e do
Tabelião de Notas, que esta subscreve, compareceram partes
entre si, justas e contratadas, a saber: de uma parte como
outorgante vendedora e credora, doravante designada
simplesmente “OUTORGANTE”, SAGARANA INCORPORAÇÕES E
CONSTRUÇÕES LTDA, com sede à Avenida São Camilo nº 311,
Cotia, neste Estado, inscrita no CNPJ/MF sob n°
67.252.254/0001-78, com seu contrato de constituição datado
de ________, devidamente registrado na JUCESP sob nº
____________, cuja cópia autenticada fica arquivada neste
Tabelião de Notas, na pasta 011, sob nº _____, presente
neste ato por seus sócios, nos termos da cláusula _________,
Sr. _____________; e de outra parte como outorgada
compradora e devedora, doravante designada simplesmente
“OUTORGADA”, GODOI CONSTRUTORA SPE3 LTDA, com sede na Rua
Sapetuba nº 166, sala 03 - térreo, Butantã, nesta Capital,
inscrita no CNPJ/MF sob nº 09.434.342/0001-94, com seu
contrato de constituição datado de 04 de março de 2008,
devidamente registrado na JUCESP sob nº 35222195591, cuja
cópia autenticada já se encontra arquivada neste Tabelião de
Notas, na pasta 010, sob nº 164, presente neste ato por seu
administrador não sócio, conforme Capitulo IV, cláusula
sexta, parágrafo 6º, Sr. RENATO MARQUES DE GODOI,
brasileiro, casado, administrador de empresas, portador da
C.I. RG n.º 20.826.940-X SSP/SP, inscrito no CPF/MF sob n.º
153.952.028-54, residente e domiciliado nesta Capital, com
escritório no endereço supra; e ainda como “GARANTES”, Sr.
GISVALDO DE GODOI, brasileiro, administrador de empresas,
portador da C.I. RG n.º 3.281.680 SSP/SP, inscrito no CPF/MF
sob n.º 045.999.008-00, e sua esposa, Srª NEUSA APARECIDA
MARQUES DE GODOI, brasileira, empresária, portadora da C.I.
RG nº 4.829.551 SSP/SP, inscrita no CPF/MF sob nº
252.580.118-01, casados pelo regime da comunhão universal de
bens, antes da vigência da Lei 6.515/77, residentes e
domiciliados nesta Capital, onde tem escritório na Rua
Sapetuba nº 166, Butantã. Os presentes capazes, devidamente
identificados neste ato pelos documentos supra mencionados e
ora me apresentados nos originais, do que dou fé. I – DO
IMÓVEL: Então, pela outorgante vendedora na forma como vêm
2

representada, me foi dito: Que, a justo título e


absolutamente livre e desembaraçado de todos e quaisquer
ônus, dúvidas, dívidas, litígios, mesmo por hipotecas legais
ou convencionais, impostos e taxas em atraso, é senhora e
legítima possuidora do seguinte imóvel: GLEBA número 159-C
(cento e cinqüenta e nove C), do 1º perímetro urbano de
Carapicuíba - SP, no distrito, município e Comarca de Cotia,
com as divisas e confrontações seguintes: “O perímetro
inicia-se no ponto denominado 1, localizado na intersecção
do alinhamento predial da Rodovia Raposo Tavares com o
alinhamento predial da Rua de acesso existente, distante
25,62m (vinte e cinco metros e sessenta e dois centímetros)
do eixo da Rodovia; deste ponto , segue pelo alinhamento
predial da Rodovia Raposo Tavares com os seguintes azimutes
e distâncias: do ponto 1 ao ponto 2, azimute de 237º20’47” e
distância de 6,85m (seis metros e oitenta e cinco
centímetros), a 22,15m (vinte e dois metros e quinze
centímetros) do eixo da Rodovia do ponto 2 ao ponto 3,
azimute de 264º11’04” e distância de 2,12m ( dois metros e
doze centímetros), a 22,30m ( vinte e dois metros e trinta
centímetros) do eixo da Rodovia; do ponto 3 ao ponto 4,
azimute de 268º48’04” e distância de 13,06m (treze metros e
seis centímetros), a 22,95m (vinte e dois metros e noventa e
cinco centímetros) do eixo da Rodovia; do ponto 4 ao ponto
5, azimute de 261º05’53” e distância de 10,56m (dez metros
e cinqüenta e seis centímetros), a 22,28m ( vinte e dois
metros e vinte oito centímetros) do eixo da Rodovia; do
ponto 5 ao ponto 6, azimute de 266º55’27” e distância de
5,74m (cinco metros e setenta e quatro centímetros), a
22,50m (vinte e dois metros e cinqüenta centímetros) do eixo
da Rodovia; do ponto 6 ao ponto 7, azimute de 263º30’18” e
distância de 15,78m (quinze metros e setenta e oito
centímetros),a 22,16m (vinte dois metros e dezesseis
centímetros) do eixo da Rodovia; do ponto 7 ao ponto 8,
azimute de 164º37’15” e distância de 30,56m (trinta metros e
cinqüenta e seis centímetros), a 22,19m (vinte e dois metros
e dezenove centímetros) de eixo da Rodovia; do ponto 8 ao
ponto 9, azimute de 265º54’19” e distância de 5,09m (cinco
metros e nove centímetros), a 22,31m (vinte dois metros e
trinta e um centímetros) do eixo da Rodovia; do ponto 9 ao
ponto 10, azimute de 262º36’32” e distância de 3,74m (três
metros e setenta e quatro centímetros), a 22,19 (vinte dois
metros e dezenove centímetros) do eixo da Rodovia; do ponto
10 ao ponto 11, em curva com raio de 14,58 âc de 20º29’55” e
desenvolvimento de 5,22m (cinco metros e vinte e dois
centímetros), a 22,10m (vinte dois metros e dez centímetros)
do eixo da Rodovia; do ponto 11 ao 12, em curva com raio de
54,18, âc de 16º02’40” e desenvolvimento de 15,17m (quinze
metros e dezessete centímetros), a 23,39m (vinte e três
3

metros e trinta e nove centímetros) do eixo da Rodovia; do


ponto 12 ao ponto 13, azimute de 286º53’48” e distância de
4,15m (quatro metros e quinze centímetros), a 22,95m (vinte
e dois metros e noventa e cinco centímetros) do eixo da
Rodovia; do ponto 13, segue pelo alinhamento da Estrada da
Aldeia, com azimute de 286º38’11” e distância de 26,00m
(vinte e seis metros), a 22,97m (vinte e dois metros e
noventa e sete centímetros) do eixo da Rodovia, até
encontrar o ponto 14; do ponto 14 deflete à direita e segue
pelo alinhamento de divisa com o imóvel nº20 da Estrada da
Aldeia, ocupado por Bortollo Bazzon e sua mulher Maria
Manuri Bazzon, com os seguintes azimutes e distâncias: do
ponto 14 ao ponto 24ª, azimute de 52º57’31” distância de
72,81m (setenta e dois metros e oitenta e um centímetros);
do ponto 24ª do ponto 24, azimute de 318º59’28” e distância
de 38,39m (trinta e oito metros e trinta e nove
centímetros); do ponto 24 deflete à direita e segue pelo
alinhamento de divisa com o imóvel s/nº da Rua Damasco,
ocupado por Bortollo Bazzon e sua mulher Maria Munari
Bazzon, cm os seguintes azimutes e distâncias: do ponto 24
do ponto 25, azimute de 60º43’17” e distância de 30,98m
(trinta metros e noventa e oito centímetros); do ponto 25 do
ponto 26, azimute de 149º35’46” e distância de 4,29m (quatro
metros e vinte nove centímetros); do ponto 26 do ponto 27,
azimute de 76º13’28” e distância de 28,70m (vinte e oito
metros e setenta centímetros); do ponto 27 deflete à direita
e segue pelo alinhamento de divisa com o imóvel da Rodovia
Raposo Tavares, km 22,14, propriedade de Proinveste Central
de Negócios Comercial e Construtora Ltda, com os seguintes
azimutes e distâncias: do ponto 27 do ponto 27B, azimute de
149º14’19” e distância de 34,57m (trinta e quatro metros e
cinqüenta e sete centímetros); do ponto 27B do ponto 27C,
azimute de 89º30’19” e distância de 11,93m (onze metros e
noventa e três centímetros); do ponto 27C do ponto 27D,
azimute de 159º18’19” e distância de 35,70m (trinta e cinco
metros e setenta centímetros); 27D segue pelo alinhamento
predial da Rua de Acesso existente, com azimute de
159º02’14” por uma distância de 20,23m (vinte metros e vinte
e três centímetros), até encontrar o ponto 40; deste ponto
deflete à direita e segue ainda pelo alinhamento predial da
Rua de Acesso existente, com azimute de 168º30’53” por uma
distância de 5,33m (cinco metros e trinta e três
centímetros) até encontrar o ponto 1, onde se iniciou a
presente descrição, fechando o perímetro e envolvendo assim,
uma área superficial de 8.042,66m2 (oito mil e quarenta e
dois metros e sessenta e seis decímetros quadrados). Dito
imóvel encontra-se cadastrado na Prefeitura do Município de
Cotia através da inscrição cadastral nº 23252-24-88-1392-00-
000-5, com valor venal para o presente exercício fixado em
4

R$ __________. II – DA AQUISIÇÃO: Que, o imóvel supra foi


havido pela outorgante vendedora, por força da escritura
lavrada aos 15 de dezembro de 1995, livro 92, página 80, do
Tabelião de Notas do Município de Jandira, Comarca de
Barueri, deste Estado, devidamente registrada sob nº 03 na
MATRICULA 2.916, do Oficial de Registro de Imóveis da
comarca de Cotia-SP. III – DA OPÇÃO DE COMPRA E SEU
EXERCÍCIO E OS INVESTIMENTOS JÁ REALIZADOS PELA OUTORGADA:
Referido imóvel foi objeto de um instrumento particular de
opção de compra e venda de imóvel, datado de 08.05.2008,
aditado em 31.07.2008, 06.10.2008, 20.10.2008 e 19.03.2009,
não registrados, tendo a OUTORGADA, em 24.04.2009 exercido
referida opção, sendo a presente escritura decorrente das
tratativas das partes entabuladas na mencionada opção e seus
aditamentos. Durante o prazo de vigência da opção aqui
tratada, a OUTORGADA realizou investimentos financeiros de
grande monta na área em questão e em seus arredores. IV – DA
VENDA E COMPRA: Que, pela presente escritura, na melhor
forma de direito, VENDE, como de fato VENDIDO tem o citado
imóvel à ora outorgada, mediante o preço certo e ajustado de
R$ ________ (_________), importância essa que declara haver
recebido neste ato, através de 01 (uma) única nota
promissória, em favor da OUTORGANTE, com vencimento para 26
de maio de 2.011, emitida pela outorgada em caráter pró-
soluto, e avalizada pelos GARANTES, a qual foi conferida e
achada exata, cuja quantia total, dá ampla, geral e
irrevogável quitação de paga e satisfeita para não mais
reclamar, transmitindo-lhe desde já, toda posse, jus,
domínio, direitos e ação que exercia sobre dito imóvel, para
que dele a outorgada possa usar, gozar e livremente dispor,
obrigando-se eles outorgantes por si, seus herdeiros ou
sucessores, fazer a presente VENDA sempre boa, firme e
valiosa, respondendo pela evicção de direito na forma da
Lei. 4.1 - Pela OUTORGADA, me foi dito que aceita a presente
venda e compra em todos os seus expressos termos. V – DA
PROMESSA DE DAÇÃO EM PAGAMENTO: 5.1 - As partes livremente
acordam, que o resgate da nota promissória mencionada no
item IV, se dará de acordo com as cláusulas e condições
seguintes: 5.2 - O resgate da nota promissória,
supramencionada, será efetuado pela OUTORGADA, não em moeda
corrente, mas obrigatoriamente através da dação em pagamento
à OUTORGANTE, de futuras unidades autônomas, o que deverá
ocorrer até 26 de maio de 2011. 5.3 – As futuras unidades
autônomas serão compostas exclusivamente de escritórios da
primeira fase do empreendimento a ser implantado no imóvel,
tantas quantas perfaçam a área construída de 1.600,00m2 (hum
mil e seiscentos metros quadrados), e sua respectiva fração
ideal do terreno. 5.4 – Não obstante, a OUTORGADA, promoverá
no imóvel descrito nesta escritura, nos moldes da Lei
5

4.591/64, a incorporação de um empreendimento dotado de


lojas e escritórios, cuja concepção caberá exclusivamente à
OUTORGADA. A OUTORGANTE declara expressamente que, não
obstante a OUTORGADA tenha promovido a aprovação perante a
Prefeitura de Cotia-SP, de projeto de centro comercial e
escritórios com área construída de 19.716,12m², conforme
Alvará n° 866/2008 expedido em 03/10/2008, a OUTORGADA não
executará mais referido projeto. Declara ainda a OUTORGANTE
que tem pleno conhecimento que o novo projeto que vier a ser
desenvolvido com exclusividade pela OUTORGADA não guardará
qualquer relação com o projeto anteriormente aprovado, seja
em relação a área construída ou a qualquer outro ponto de
comparação, uma vez que o projeto antes aprovado foi
elaborado levando em conta outras condições mercadológicas e
econômicas mundiais. 5.4.1 - A incorporação aqui tratada
poderá ser feita na integralidade do imóvel descrito nesta
escritura com a inclusão de outros imóveis contíguos ou
ainda em parte dessas áreas contíguas ou ainda somente
nessas áreas contíguas, podendo a OUTORGADA, promover a
unificação dessas áreas, bem como eventuais desdobros das
mesmas, a fim de viabilizar a implantação do projeto em
quantas fases entender necessárias a sua absorção pelo
mercado. 5.5 – As unidades autônomas/escritórios serão
entregues à OUTORGANTE, mediante outorga de escritura
definitiva de dação em pagamento, após a averbação da
construção e com o registro da instituição, especificação e
convenção em regime de condomínio, ocasião em que serão
arquivados todos os demais documentos exigidos pela Lei nº
4.591/64, no Oficial de Registro de Imóveis da Comarca de
Cotia. 5.5.1 – As despesas inerentes à escritura de dação em
pagamento das unidades autônomas/escritórios, tais como
emolumentos de Tabelião de Notas, de Registro de Imóveis e
imposto de transmissão “inter vivos” serão de
responsabilidade exclusiva da ora OUTORGANTE. 5.6 – Os
1.600,00m2 (hum mil e seiscentos metros quadrados) de área
construída no imóvel, objeto da presente escritura, e que
serão dados em pagamento à OUTORGANTE seguirão o critério de
escolha, após o registro da incorporação imobiliária, de
modo alternado entre as partes, observada a
proporcionalidade que as mesmas terão sobre o futuro
empreendimento, cabendo a primeira escolha à parte que for
sorteada. 5.7 - A OUTORGADA promoverá, por si ou por
terceiros, a construção do empreendimento que será executado
de acordo com o projeto que vier a ser por ela OUTORGADA
exclusivamente concebido, sem qualquer interferência da
OUTORGANTE, e devidamente aprovado pela Municipalidade de
Cotia, o que deverá ocorrer no prazo máximo de 180 (cento e
oitenta) dias, a contar de 24 de abril de 2009, data em que
efetivamente ocorreu o exercício da opção de compra,
6

mencionada no item III. 5.8 – Independemente de consulta à


OUTORGANTE e sem que lhe caiba direito de pleitear qualquer
compensação, poderá a OUTORGADA alterar o projeto de
construção do empreendimento e seu respectivo memorial
descritivo. 5.9 - A OUTORGADA assumirá a iniciativa e todas
as responsabilidades pela incorporação e construção do
empreendimento imobiliário, sem quaisquer ônus ou
responsabilidade por parte da OUTORGANTE. 5.10 - As obras da
primeira fase do empreendimento objeto do presente contrato
deverão ser realizadas e concluídas até o dia 26 de maio de
2.011. 5.10.1 - Na eventual hipótese de caso fortuito ou
força maior ou outras razões alheias à vontade da OUTORGADA,
considerando-se como tais todas e quaisquer ocorrências que,
direta ou indiretamente, possam impedir, prejudicar ou
retardar o cumprimento integral da obrigação aqui
estipulada, inclusive embargos judiciais ou extrajudiciais
de qualquer natureza e também aqueles causados por
divergências relacionadas com o direito de construir e ainda
as hipóteses de ocorrência de greve geral ou parcial dos
empregados da construção civil ou advento de medidas ou
planos econômicos, que desestabilizem a atividade da
OUTORGADA ou afetem o seu fluxo de receitas, serão suspensos
os prazos para a execução da obra, por igual período da
paralisação e acrescidos dos dias necessários à retomada do
ritmo da obra. Em ocorrendo essa hipótese, ficará
automaticamente prorrogado, também, por igual período, o
vencimento da nota promissória dada em pagamento da compra e
venda aqui tratada, nota promissória essa que fica vinculada
à presente escritura, sendo vedada a sua circulação. 5.11 -
Para fins e efeitos do presente instrumento, será
considerada concluída cada unidade autônoma quando cada qual
apresentar condições essências de habitabilidade, do ponto
de vista técnico da construção. 5.11.1 - O término de cada
unidade autônoma será consignado pela comunicação da
OUTORGADA à OUTORGANTE de que as chaves estão à sua
disposição, para a entrega imediata. 5.11.2 - A OUTORGANTE
será convocada, com no mínimo 5 (cinco) dias de
antecedência, para vistoriar as unidades autônomas
(escritórios) que lhe couber na presente, assinado termo
especifico por ocasião da vistoria. 5.11.3 - Ainda que não
queira ou não possa receber as chaves das unidades autônomas
a que faz jus, a OUTORGANTE será a única e exclusiva
responsável pelo pagamento das despesas de condomínio de
utilização e de tributos incidentes sobre as mesmas. 5.12 -
A OUTORGANTE não poderá solicitar alterações no memorial
descritivo das especificações do empreendimento e/ou de suas
unidades autônomas projetadas. 5.13 - A OUTORGANTE, em sua
qualidade exclusiva de alienante do imóvel (descrito no item
1.1) à OUTORGADA: a) não está nem estará sujeita a qualquer
7

prestação, encargo ou obrigação decorrente da construção do


empreendimento imobiliário objeto da presente escritura,
inclusive não é, e nem será responsável pelo pagamento de
comissão devida a corretores/imobiliárias que alienaram
frações ideais de terreno vinculadas a unidades autônomas
cabentes à OUTORGADA; b) não tem e não terá qualquer vínculo
de solidariedade ou qualquer espécie de responsabilidade, no
tocante à construção do empreendimento imobiliário ou à
venda das demais unidades autônomas deste. No entanto, será
de sua responsabilidade exclusiva o pagamento de comissão
devida ao corretor/imobiliária que, no futuro, vier a
intermediar eventual venda de suas unidade
autônomas(escritórios). 5.14 - Os contratos firmados com
terceiros, inclusive de construção, comercialização e
publicidade, serão feitos entre a OUTORGADA e esses
terceiros, sem qualquer interferência, participação ou
responsabilidade da OUTORGANTE. 5.15 - Em ate 60 (sessenta)
dias a contar da expedição do certificado de conclusão
(habite-se) do empreendimento e da obtenção da CND-INSS
relativa à obra a OUTORGADA protocolará no Registro de
Imóveis de Cotia – SP, requerimento de averbação da
construção, do registro da instituição especificação e de
registro da convenção de condomínio. 5.16 - A OUTORGANTE
somente poderá transferir a terceiros os direitos
aquisitivos sobre as unidades autônomas (escritórios) que
lhe cabem em razão desta escritura, desde que respeitados
preços e condições mínimas constantes da tabela de vendas
elaborada e praticada pela OUTORGADA, enquanto esta última
tiver unidades à venda no empreendimento. Caso a OUTORGANTE
deseje comercializar suas unidades antes das respectivas
entrega de chaves, deverá participar proporcionalmente nas
despesas de marketing e publicidade do empreendimento, desde
já fixadas em 6% (seis por cento) do preço de venda, cabendo
à OUTORGANTE, efetuar o reembolso desse valor à OUTORGADA,
no prazo máximo de 60 (sessenta) dias a contar da
concretização da venda. 5.17 - Eventuais diferenças das
áreas comuns ou das áreas de utilização privativa, de ate 5%
(cinco por cento) das constantes do projeto e dos quadros da
NBR – 12.721, não darão à OUTORGANTE de quaisquer direitos a
ressarcimentos pelas diferenças que resultam da execução das
obras do empreendimento. VI – DECLARAÇÕES DA OUTORGANTE:
Pela outorgante sob pena de responsabilidade civil e penal
me foi dito: 6.1 - que sobre o imóvel objeto da presente
escritura não existem ações reais e pessoais
reipersecutórias, bem como ônus reais. 6.2 - que inexistem
sobre referido imóvel processo de tombamento iniciado, ou
tombamento definitivo que objetive, total ou parcialmente, o
imóvel objeto desta escritura, bem como, embargos, protestos,
constrições de qualquer natureza, desapropriações, entorno de
8

tombamento, área de influência e/ou restrições do CONDEPHAAT,


CONPRESP, IPHAN, em fase de processo e/ou definitivos, cone
de aproximação de aeroportos, limitações convencionais ao
direito de construir, seja no seu título, seja no título de
seus antecessores, ou qualquer outro tipo de restrições,
inclusive ambientais, declaração de utilidade pública ou de
ocupação temporária. 6.3 - que o imóvel não abrigou, a
qualquer tempo, atividades que possam considerá-lo
contaminado ou potencialmente contaminado, nos termos do
Decreto Municipal nº 42.319 de 21 de agosto de 2002, de
contaminação por materiais nocivos, ou cuja presença possa
constituir-se em risco do uso do imóvel, por qualquer usuário
ou passível de risco ao meio ambiente e/ou à saúde pública,
tais como: aterros sanitários, depósitos de materiais
radioativos, áreas de manuseio de produtos químicos,
depósitos de materiais provenientes de indústria química,
cemitérios, minerações, hospitais e postos de abastecimento
de combustíveis. 6.4 - na qualidade de empregadora
apresentou a Certidão Negativa nº _____, expedida pelo
Instituto Nacional do Seguro Social, aos ____, através do
endereço eletrônico www.mpas.gov.br, com validade até ____,
a qual já se encontra arquivada neste Tabelião de Notas, na
pasta 05, sob nº ____; bem como, a Certidão Conjunta
Positiva com efeitos de Negativa de Débitos relativos a
Tributos Federais e à Dívida Ativa da União nº ____, emitida
pelo MF/PGFN/SRF, aos ____, através do endereço eletrônico
www.receita.fazenda.gov.br, com validade até ______, a qual
já se encontra arquivada neste Tabelião de Notas, na pasta
02, sob nº ____. VII – DECLARAÇÕES DOS GARANTES: Pelos
garantes me foi dito, que pela confiança que depositam na
OUTORGADA, comparecem neste ato na qualidade de avalistas da
operação, como forma de garantir a execução e conclusão das
obras das unidades que perfaçam a área construída de
1.600,00m2 (hum mil e seiscentos metros quadrados) que
deverão ser entregues à OUTORGANTE nos prazos e condições
acima previstos, declarando ainda, estarem de inteiro e
pleno acordo com a mesma. VIII – DOCUMENTOS APRESENTADOS:
Que, neste ato foram apresentados os seguintes documentos:
8.1 - certidão de propriedade com negativa de ônus reais,
relativa ao imóvel objeto desta escritura, expedida em
_______2009 pelo referido Oficial de Registro de Imóveis,
cujo teor a outorgada tomou pleno conhecimento e aceita, a
qual fica arquivada neste Tabelião de Notas, na pasta nº 89,
sob nº ___. 8.2 - Negativa de débitos de tributos
imobiliários, expedida aos _______, pela Secretaria das
Finanças da Prefeitura do Município de Cotia sob número
____________, cujo teor a outorgada, tomou pleno
conhecimento e aceita, a qual acompanhará o primeiro
traslado desta escritura. 8.3 - Certidões negativas de todos
9

os Distribuidores Forenses (cíveis, execuções fiscais,


família, falência e concordata e de interdição), abrangendo
o período de 10 (dez) anos, tanto desta Capital, quanto da
comarca de Situação do imóvel. 8.4 - Certidões negativas de
Distribuições de Ações da Justiça Federal, inclusive ações
cíveis, criminais e fiscais, abrangendo o período de 20
(vinte) anos, tanto desta Capital, quanto da comarca de
Situação do imóvel. 8.5 - Certidões negativas da Justiça do
Trabalho, em nome da outorgante e de seus sócios. 8.6 -
Certidões negativas de todos os Cartórios de Protestos,
abrangendo o período dos últimos 5 (cinco) anos, em nome da
outorgante e de seus sócios, tanto desta Capital, quanto da
Comarca de situação do imóvel; 8.7 - Certidões de
Distribuições de Execuções Criminais, abrangendo o período
de 10 (dez) anos, em nome da outorgante e de seus sócios,
tanto desta Capital, quanto da Comarca de situação do
imóvel. IX – DECLARAÇÕES DA OUTORGADA: Pela outorgada me foi
dito: 9.1 – que tomou pleno conhecimento das certidões
relatadas do item “8.3” ao “8.7”, aceitando-as como boas
para o presente ato, as quais se encontram em seu poder. 9.2
- na qualidade de empregadora apresentou a Certidão Negativa
nº _____, expedida pelo Instituto Nacional do Seguro Social,
aos ____, através do endereço eletrônico www.mpas.gov.br,
com validade até ____, a qual já se encontra arquivada neste
Tabelião de Notas, na pasta 05, sob nº ____; bem como, a
Certidão Conjunta Positiva com efeitos de Negativa de
Débitos relativos a Tributos Federais e à Dívida Ativa da
União nº ____, emitida pelo MF/PGFN/SRF, aos ____, através
do endereço eletrônico www.receita.fazenda.gov.br, com
validade até ______, a qual já se encontra arquivada neste
Tabelião de Notas, na pasta 02, sob nº ____. X – DISPOSIÇÕES
GERAIS: Pelas partes contratantes me foi dito ainda: 8.1 –
Qualquer tolerância de parte a parte, no cumprimento das
obrigações aqui assumidas, não importará em precedente,
novação ou alteração do presente contrato, sendo considerada
ato de mera liberalidade. 8.2 - O presente instrumento é
firmado em caráter irrevogável e irretratável, obrigando-se
as partes, seus herdeiros e sucessores. 8.3 – As partes
declaram ainda, que houve intermediação na venda do presente
imóvel, a qual fora efetuada pelo corretor JOSÉ JULIO
TIBURCIO REZENDE (CPF/MF 892.591.498-00), e tendo em vista o
regramento contido na opção mencionada no item III desta,
por não haver mais pagamento em dinheiro, e por mera
liberalidade da outorgada (apesar de não ser de sua
responsabilidade) esta fará o adiantamento da comissão no
valor de R$ 168.000,00 (cento e sessenta e oito mil reais)
ao corretor supra, e a OUTORGANTE lhe fará a devolução desse
valor através de 10 (dez) parcelas, mensais, iguais e
sucessivas, corrigidas pela Variação do IGPM/FGV e acrescida
10

de juros de 0,5% (meio por cento) ao mês, calculados a


partir desta data, vencendo-se a primeira em _____, e as
demais nos mesmos dias dos meses subseqüentes, até final
liquidação. 8.4 – O ITBI devido ao Município de Cotia, foi
recolhido aos _______, pela outorgada, conforme guia
autenticada mecanicamente em estabelecimento bancário, cuja
terceira via fica arquivada neste Tabelião de Notas na pasta
_____. 8.5 – As partes autorizam o Oficial do Registro de
Imóveis de Cotia, a proceder as averbações, registros e
assentamentos necessários a formalização da presente
escritura. EMITIDA A DOI - Declaração Sobre Operações
Imobiliárias, conforme Instrução Normativa da Secretaria da
Receita Federal vigente. E, de como assim o disseram, dou
fé, me pediram que lhes lavrasse esta escritura nos exatos
termos em que foi transcrita, a qual depois de lida em voz
alta e clara, acharam-na em tudo conforme, outorgaram,
aceitaram e assinam-na.

Você também pode gostar