Você está na página 1de 204

20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Página 1

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA DA FEDERAÇÃO RUSSA


URAL STATE UNIVERSITY eles. A. M. GORKY

A. M. Bodnar

EXPERIMENTAL
PSICOLOGIA
Curso teórico

Guia de estudo para alunos,


alunos na direção de "Psicologia",
especialidades "Psicologia", "Psicologia Clínica"

Ekaterinburg
Editora da Ural University
2011

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 1/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Página 2

BBK Yu93ya73-1
B752

Revisores:
Departamento de Psicologia Clínica e Geral
Perm State University
(chefe do departamento, Doutor em Psicologia,
Professor E.V. Levchenko);
V.P. Pryadein, Doutor em Psicologia, Professor
(Universidade Pedagógica do Estado de Ural)

Bodnar, A.M.
B752 Psicologia experimental: um curso de palestras: livro didático.
subsídio / A. M. Bodnar. - Yekaterinburg: Editora Ural. un-ta,
2011 .-- 238 p.

ISBN 978-5-7996-0604-6

As palestras revelam os fundamentos metodológicos da psicologia


pesquisa, dada a classificação e características das medidas empíricas
todes, o procedimento e a organização de um experimento psicológico são mostrados,
métodos de controle de variáveis, esquemas de planos experimentais, bem como
os mesmos problemas de interpretação e apresentação dos resultados da psicologia
pesquisa geológica. Social e psico-
aspectos lógicos da interação entre o sujeito e o experimentador.
Muita atenção é dada ao conhecimento da quase-experimentação.
Para alunos da Faculdade de Psicologia, bem como para todos, estou interessado em
métodos empíricos de obtenção de informações.

BBK Yu93ya73-1

© GOU VPO "Estado dos Urais


Universidade com o nome A. M. Gorky ", 2011
ISBN 978-5-7996-0604-6 © Bodnar A. M., 2011

Página 3

PREFÁCIO

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 2/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

A psicologia surgiu como um natural, experimental


a ciência permanece até hoje. Mas e aquele fato indubitável
o que é psicologia e humanidades? A solução para este problema
sa são dedicados a palestras sobre psicologia experimental - a disciplina
linha de mineração de informação científica
sobre a alma em toda a sua diversidade.
A psicologia experimental é uma ciência estabelecida e educacional
um assunto bem estabelecido com um núcleo bem estabelecido de ideias e interpretações, no âmbito de
kah, do qual muitas monografias e livros didáticos sólidos foram escritos
apelidos. Por um lado, este é um benefício indiscutível para os alunos,
e por outro lado, uma fonte óbvia de dificuldades, dadas as muitas
metodologias, autoridades, fontes. É por isso que os alunos
será muito útil ter um curso completo de palestras sobre esse fundamento.
sujeito mental. Para disciplinas de educação psicológica
lina "Psicologia Experimental" é um sistema formador
sopa de repolho, porque mostra como é psicológico
fatos, informações psicológicas confiáveis, o que é ciência
começa e sem o qual não existe, algo sem o qual prático
a psicologia degenera em xamanismo.
As principais fontes em que se baseiam os textos das palestras,
estes são os livros de psicologia experimental de James Goodvey-
na, Tatyana Kornilova, David Martin, Viktor Nikandrov,
Roberta Solso, A History of Modern Psychology, de Thomas Leahy
e trabalhos metodológicos de Victor Allakhverdov.
As palestras são compiladas de acordo com as exigências do estado
padrão educacional educacional do mais alto profissional
educação na direção e especialidade "Psicologia" e de-
refletem os materiais do programa da disciplina "Experimental
psicologia "para as faculdades de psicologia das universidades.
Seu objetivo é familiarizar os alunos com os fundamentos metodológicos
mi pesquisa psicológica, classificação e características
3

Página 4

tiques de métodos empíricos, procedimento e organização de


experimento lógico, métodos de controle de variáveis, esquema
planos experimentais, bem como os problemas de inter-
previsões e apresentação dos resultados da pesquisa psicológica
Vania. Sócio-psicológico
aspectos da interação entre o sujeito e o experimentador.
Muita atenção nas palestras é dada ao conhecimento de quase
experimentação, isto é, métodos adjacentes aos seus próprios
mas o método experimental, mas, estritamente falando, não é
ser. Este foco é baseado no fato de que a experimentação
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 3/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

o método mental é apenas um ponto de partida no uso de métodos psicológicos


gom de paradigmas científicos que se desenvolveram na tentativa de substanciar
relações causais baseadas em ganhar experiência
dados. As características da compreensão de "causalidade" se aplicam
a realidade psicológica compreendida de forma diferente permite
a maioria dos estudos em psicologia são considerados quase especialistas
ritual.
Começando a estudar a disciplina "Psi experimental.
chology ", os alunos já devem se familiarizar com o básico de geral
psicologia, domine os primórdios da estatística matemática, execute
a maioria das tarefas do workshop psicológico geral.
Somente sob esta condição funcionará com métodos de pesquisa em psicologia
a lógica será tão significativa e eficaz quanto possível.

Página 5

SEÇÃO I
CIÊNCIA E PESQUISA CIENTÍFICA
EM PSICOLOGIA *

Aula 1. Ciência e metodologia científica

O que significa o termo "psicologia experimental"?


Os clássicos entendiam a psicologia experimental como um sistema
o tópico do conhecimento psicológico obtido com base em experimentos
estudo do comportamento humano e animal (Wundt, Woodworths,
Stevens, Fress e Piaget). Nesse sentido, o experimental
psicologia é equiparada a científica e oposta a phi-

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 4/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

filosófico, introspectivo, especulativo e humanitário ver-


às luzes da psicologia.
Hoje, o termo "psicologia experimental" entende
Xia mais amplamente e é usado para caracterizar doenças científicas
tsiplin, lidando com o problema dos métodos de pesquisa psicológica
seguindo em geral.
A tradição de ensino de psicologia experimental em
As universidades russas foram introduzidas pelo Professor G.I. Chelpanov em 1909 /
10 anos acadêmicos.

1.1. Ciência e método científico

A existência da ciência da psicologia é geralmente reconhecida já a partir do


século 19, embora as dúvidas a esse respeito sejam expressas como um prelúdio para
ciências naturais e alguns psicólogos
(o último - geralmente em tempos de exacerbação da crise psicológica

* Ao trabalhar no material da Seção I, você deve consultar o apropriado

os seguintes parágrafos do livro: Allakhverdov V.M. Jornada metodológica


ao longo do oceano do inconsciente até a misteriosa ilha da consciência. SPb., 2003.

Página 6

gii, como era nos anos 90. Século XX). A razão é clara: se psico-
a lógica é uma ciência, o método psicológico deve ser estendido
Todos os requisitos do método científico. Mas o que é isso-
algo ciência?
De acordo com a definição de V.N.Druzhinin, “a ciência é a esfera do ser humano
atividade técnica, cujo resultado são novos conhecimentos
sobre a realidade que atende o critério da verdade "[Amizade
Nin, 2000, 11 ]. A eficácia do conhecimento científico, de acordo com a pesquisa
doador é considerado um derivado de sua verdade. Trabalho científico-
apelido é um profissional que se orienta em seu trabalho
o princípio da "verdade - falsidade".
Mas é bastante óbvio que tal definição se aplica
apenas a um tipo de ciências, a saber, as ciências naturais.
A questão de quais tipos (tipos, classes) de ciências existem acabou por ser
Acabou sendo muito difícil. A melhor resposta parece ser
deu em suas obras "Consciência como um paradoxo" e "Metodologia
uma viagem através do oceano do inconsciente para um misterioso agudo
vu consciência "VM Allakhverdov. Ele razoavelmente oferece a você
dividir cinco tipos de ciências, entre as quais o princípio da "verdade -
falsidade "só pode ser guiada pelas ciências naturais e
algumas variedades de empírico
ciências. As mesmas variedades de ciências empíricas que se formam
tipos poderosos, como as ciências humanas e práticas,
confiam na fundamentação de suas afirmações em outros, não têm
princípios relacionados à verdade. O mesmo se aplica ao quinto

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 5/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

ao primeiro tipo de
A questão da ciências
tipologia-das
as ciências
ciênciaslógicas e matemáticas.
é importante para nós em outro aspecto:
que tipo de ciências é psicologia? Resposta curta (para sub-
remeta timidamente o leitor aos livros de Allah mencionados acima -
Verdova) é a seguinte: a psicologia existe em todas as cinco formas. Não-
compreender este fato ou negligenciá-lo leva a mal-entendidos
niyam e erros.

O resultado da atividade científica, continua V.N.Druzh-


ning, pode ser uma descrição da realidade, uma previsão ou uma explicação
o desenvolvimento de processos e fenômenos que são expressos na forma de texto,
diagrama estrutural, dependência gráfica, fórmula, etc.
6

Página 7

O ideal da pesquisa científica é a descoberta de leis - o teórico


explicação ical da realidade. Mas a criação de uma teoria é
a descoberta de um único fato, generalização empírica
conceito, modelo, regularidade, lei e só então - teoria. Isso é
todos os tipos de resultados científicos podem ser colocados na escala "em-
pírico - conhecimento teórico. "
Em que forma a ciência existe? Primeiro, como um sistema de conhecimento
(resultado da atividade). Ciência nesta capacidade é caracterizada por
completude, confiabilidade, sistematicidade; em segundo lugar, ciência
existe como uma atividade e nesta capacidade se caracteriza-
Xia, em primeiro lugar, pelo método. O método distingue a ciência de outros métodos
bov obtendo conhecimento (revelação, intuição, fé, especulação, ordinário
experiência, etc.). O método de pesquisa científica é racional.
Uma das definições possíveis de um método: um método é uma combinação
uma combinação de métodos de desenvolvimento prático e teórico
realidade que é reconhecida pela comunidade científica
como regra obrigatória que rege o comportamento de
investigador .
A chave aqui é o conceito de norma, que está intimamente relacionado com o
conceito de "paradigma" introduzido no uso científico por T. Kuhn, que
ry distingue dois diferentes estados da ciência - a fase revolucionária
e a fase da "ciência normal". "Ciência normal" significa pesquisa
conhecimento firmemente baseado em um ou mais dados científicos anteriores
realizações. O paradigma é o reconhecido por todas as doutrinas científicas
conquistas que fornecem um modelo para um determinado período de tempo
declaração de problemas e suas soluções para a comunidade científica, regras
e padrões de atividade científica aceitos na comunidade científica
hoje, até a próxima revolução científica, que
quebra o antigo paradigma, substituindo-o por um novo.
Kuhn originalmente entendeu o paradigma como uma teoria,
aprendido pela comunidade científica, e as regras e padrões da prática científica
tiques e o sistema padrão de métodos. A ambigüidade da demanda

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 6/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

la concretization, e Kuhn introduziu o conceito de "matriz disciplinar


tsa ", de acordo com o qual se tornou possível falar
tanto o paradigma da ciência como um todo e os paradigmas do indivíduo
uk - paradigma "estreito".
7

Página 8

O conceito de paradigma é usado para caracterizar a forma


a formação de uma disciplina científica, descrições das etapas da sua formação.
Então eles falam sobre a ciência pré-paradigmática - quando ela ainda não tem uma teoria,
reconhecida pela comunidade científica e sobre a ciência paradigmática. Su-
a existência de um paradigma é um sinal de maturidade da ciência ou
uma disciplina científica separada.
Na psicologia científica, a formação de um paradigma é determinada por
bots de W. Wundt e sua escola científica. Tomando como amostra natural
mas um experimento científico, psicólogos do final do século XIX - início do século XX. ré-
carregava os requisitos básicos para o método experimental em psicologia
lógica. E até agora, como Druzhinin enfatiza e que
cada aluno deve se lembrar, não importa o que afirma
críticos do experimento de laboratório, psicólogos, se
eles querem ser cientistas, são guiados pelo princípio
Os princípios de organização da pesquisa científica. Sediada
esses princípios, a pesquisa de dissertação é realizada,
são publicados relatórios científicos, artigos e monografias.

1.2. Principais características


metodologia científica moderna
Quais são as principais características da metodologia científica moderna
gii? Uma bela e significativa resposta a esta pergunta é dada por
seu livro "History of Modern Psychology", de T. Leahy [Leahy, 2003],
a apresentação do ponto de vista de que apresentamos a seguir.
A ciência moderna começa com Galileu (1564-1642) e Nova
Tom (1642-1727), que viveu na era da primeira revolução científica.
Para Newton, a atividade científica é uma busca por uma quantidade limitada de
o número de leis matemáticas que tornam possível derivar observa-
leis dadas na natureza. Com a ajuda das leis ele descobriu
novo movimento e gravidade, ele descreveu com muita precisão o movimento de não
corpos demoníacos. A principal crítica à mecânica newtoniana dizia respeito
falta de explicação do mecanismo de gravidade, mas o clássico respondeu:
"Hypotheses non fingo" ("Eu não invento hipóteses"). Ou seja, ele recusou
foi convidado a explicar seu princípio de gravidade, para ele foi o suficiente
postular precisamente a existência de uma força pela qual
você pode prever o movimento dos corpos celestes.
oito

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 7/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Página 9

A filosofia da natureza de Newton assumiu formas extremas em Comte


(1798-1857) e seus seguidores positivistas. Para eles, o principal
a tarefa da ciência não é explicar, mas descrever: o cientista deve observar
dê por trás da natureza e encontre eventos regulares e confiáveis
correlações; com base em observações, ele pode propor propostas científicas
leis (o modelo aqui é o trabalho científico de Newto
sobre). Para Comte e seus seguidores, assim como para Newton, científico
as leis são a expressão matemática da observação.
Assim, para os positivistas, a tarefa da ciência nº 1 é descrever,
da qual segue a tarefa número 2 - previsão (com base na lei
os cientistas da gravitação prevêem futuros eclipses, o aparecimento de
encontrados, calcular as órbitas dos satélites, etc.). O objetivo final da ciência,
de acordo com a filosofia do positivismo - exercer controle. Ideia
A sucata de Comte era uma sociedade governada pela ciência. E desde que para-
mimetizando a psicologia no século XX. foi influenciado pelas ideias do positivismo
ma, então este processo foi visivelmente influenciado pelo desejo de aplicar
conhecimento científico e psicológico de gestão social.

Descrição, previsão e controle para positivistas - três


as únicas tarefas da ciência. O desejo das pessoas de explicar, ou seja, de
para responder à pergunta "por quê?", eles consideraram uma indulgência perigosa
alguma especulação metafísica e teológica. No entanto, pelo meio
não século XX. filosofia da ciência reconheceu a necessidade de explicação, e
em 1948, Karl Hempel e Paul Oppenheim propuseram, mas dentro da estrutura
positivismo, modelo de explicação.
A explicação para Hempel-Oppenheim é uma consequência da
leis. Eles chamaram seu modelo dedutivo-nomológico
(do grego n ó mos - lei), isto é, referindo-se à lei, já que a explicação
conhecimento mostra como um evento está sujeito a certas
novas leis.
A característica mais importante do modelo Hempel - Oppenheim é que
o que ela enfatiza: um evento que precisa de explicação (expla-
nandum), não pode ser explicitamente ou implicitamente contido nas leis ou
explicações. Violar
Se esta regra for adotada, a explicação torna-se inválida.
Um exemplo típico. À pergunta: "Por que esta substância é sacrificada?
come? " - obtemos a resposta: “Porque possui um narcótico
nove

Página 10

açao ". À primeira vista, uma explicação é dada, mas quando descobrimos
comemos que "narcótico" significa "induzir um sonho", então vemos
que não há explicação, porque na verdade se argumenta que a substância é calmaria
Está quente porque induz o sono. Coisas para explicar (expla-
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 8/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

nandum), a razão do sono, está implicitamente contida na explicação


(explanans).
Claro, você pode inventar nomes legais como "droga
efeito teórico ", apresentando-os como uma explicação dos acontecimentos, mas o máximo
mãe, o que pode estar escondido por trás dos nomes, esta é uma suposição sobre o
a presença de certas forças que causam eventos (por exemplo, forças que causam
o efeito narcótico). Presunção da presença de tais forças
pode ser o primeiro passo para a compreensão, mas não é uma explicação
niyem. Sabe-se que tais forças eram Deus, o diabo,
anjos, demônios, calórico, flogístico, éter, etc. - suposições,
que não pode ser observada direta ou indiretamente, experimentalmente
verificar. Eles são usados ​como hipóteses precisamente para explicar
compreensão do incompreensível, mas este tipo de explicação é inaceitável para
Ciência. Portanto, tanto Newton quanto seus herdeiros preferiram recusar completamente
fugir de explicações ("Eu não invento hipóteses") do que dar uma brecha
superstição.
É precisamente que o modelo de Hempel-Oppenheim é inequívoco.
mas indica a necessidade de separar o que é explicado e o que é
o poder do qual a explicação é dada torna a base para a compreensão
explicação científica. E isso apesar do fato de que, desde o seu início,
as inovações do modelo nomológico-dedutivo são muitas e merecidas
criticado.
Sua característica mais polêmica é a assimilação da explicação
predição. O fato é que, do ponto de vista dos positivistas,
encadear um evento significa demonstrar como pode ser
previsto. Assim, explicando eclipses, os astrônomos se voltam para o
às leis de Newton, leis que descrevem o movimento do Sol, da Terra
e a lua. Conhecendo essas leis, eles previram repetidamente o eclipse
no futuro e não estavam enganados. Portanto, a conclusão foi tirada sobre simétrica
explicação e previsão. Mas esta conclusão nem sempre é correta:
se um eclipse for previsto com base nas leis do movimento planetário,
trapacear explicar corretamente este fenômeno, então prever corretamente a tempestade
dez

Página 11

com base nas leituras do barômetro não significa explicar a origem


tempestade (leituras do barômetro - uma consequência das mudanças na atmosfera
processos esféricos, e uma vez que uma consequência não pode preceder
por uma razão, esta previsão não pode ser uma explicação
tempestade, tem outros motivos).
Mas por que se tornou possível para os positivistas assimilarem
explicações e previsões? A questão é que eles consideram
explicações como argumentos lógicos: o cientista logicamente
deduz (= prevê) um evento de um conjunto de premissas.
E uma vez que eles vêem as leis científicas apenas como humanas
invenções físicas - uma generalização de eventos passados, então eles consideram

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 9/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

que essas leis não governam a natureza, ou seja, não são a causa
acontecendo. Isso significa que para as leis de Newton positivistas
não causem e não causem eclipses; eles apenas
nos permitem concluir logicamente que eclipses futuros irão
(e todas essas conclusões estavam corretas).
Então, os positivistas, começando com seu precursor Newton (“hipóteses
Eu não invento ") e terminando com nossos contemporâneos, um apoiador
Hempel-Oppenheim, evitou a questão do real causal
estrutura (causal) da natureza. Eles se concentraram em
como pode ser previsto e controlado. Eles deram desculpas
o fato de haver muito conhecimento que pode ser usado,
sem se perguntar por que eles funcionam (então médicos de dez
prescreveu aspirina para febre por anos sem saber por quê
ajuda, eles só agora estão começando a entender o mecanismo de ação
efeitos da aspirina).
Mas eu quero entender! Portanto, como alternativa, de-
uma abordagem causal foi proposta para a abordagem dutivo-nomológica .
O principal motivo de seu surgimento são as dificuldades dos positivistas em diversos
ler previsões e explicações.
Já vimos que prever nem sempre explica. Com outro
Por outro lado, a física quântica mostrou que é possível explicar o
quais eventos, com base nas leis da mecânica quântica, enquanto
que é fundamentalmente impossível prever esses eventos. Isso é um sinal
enganar que as causas dos eventos são verdadeiras, objetivas e não apenas
lógico, deduzido de premissas observáveis, são
onze

Página 12

estão soprando. Existem leis da natureza por si mesmas, independentemente de


avaliando sua confiabilidade e utilidade.
Mas isto não é o suficiente. Para psicólogos tentando explicar uma pessoa
comportamento emocional, ainda mais importante é que aceitamos intuitivamente
Damos explicações que não são baseadas em nenhuma lei.
são: a maioria das explicações na vida cotidiana e na história
são obtidos a partir da combinação de eventos em cadeias causais sem o
contornando quaisquer leis. Na verdade, com base no que
Detetive de leis resolve o crime? Ele não atrai
cavalos da natureza, porque, mesmo que existam relativos
mas o comportamento, ninguém os conhece, então ele mostra como a série
eventos privados e únicos levaram, um após o outro, a
preguiça. E sentimos satisfação quando descobrimos a causa do envenenamento.
a esposa do marido, que consiste no fato de ela ter um amante, embora
não há nenhuma lei da natureza dizendo que todas ou a maioria das esposas,
tendo amantes, eles matam seus maridos. Ou seja, nem tudo é explicado
neniya correspondem ao modelo, que inclui a lei.
Os causalistas acreditam que o medo dos positivistas da metafísica
tímido e superstição e, como resultado, relutância em ir além
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 10/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

fatos os levaram a abandonar o significado e propósito da ciência, que são


sim na penetração na estrutura causal da realidade, na descoberta
(não uma invenção) das leis da natureza. Afinal, a ciência, dizem eles,
seu sucesso devido ao fato de ela estar mais ou menos certa
sobre como a natureza funciona, ela pode prever
para controlar e controlar devido à sua verdade, e não lógico
que tipo de estrutura. A ciência se defende contra a superstição, dura
testando todas as hipóteses e duvidando de todas as teorias.
Qual das abordagens discutidas está correta? É obvio que
cada um tem sua própria verdade. Portanto, é natural
a existência de um ponto de vista que sirva de complemento aos dados
abordagens. Esta é uma abordagem pragmática , segundo a qual
explicação científica é condicionada por ambos lógicos (teóricos
fatores significativos, epistemológicos) e fatores
público e pessoal (subjetivo, intuitivo). Por-
Por que o céu é azul? Existem várias respostas aceitáveis ​para
esta pergunta depende do contexto em que é feita. Então,
12

Página 13

para pessoas de diferentes idades, exceto crianças, a explicação “Porque


que esta é a melhor cor para o céu ”seria completamente errado. A resposta é
você associou às propriedades de luz, atmosfera, etc.,
são relativamente corretos - o que os torna diferentes é o contexto em que
a pergunta é dada, as expectativas do questionador e a opinião do respondente
sobre qual deveria ser a resposta mais apropriada.
A verdade contida neste exemplo é verdadeira para toda a história.
linhas da ciência: as explicações mudam à medida que o desenvolvimento da ciência se desenvolve
compreensão científica do problema.
Então, vemos que a resposta à pergunta sobre o que é considerado uma explicação
opinião, depende do contexto histórico, social e pessoal
isso, e qualquer teoria geral de explicação deve ser levada em consideração com este fato.
neniya. Vemos também que as diferenças entre o causal e o nominal
abordagens lógicas para a explicação são muito profundas, uma vez que
baseiam-se em ideias fundamentalmente diferentes sobre
o que a ciência pode alcançar. Do ponto de vista dos nomologistas, nós
podemos esperar descrever o mundo como o vemos em nosso
experiência; causalistas acreditam que se pode ir mais fundo e compreender o
estrutura causal invisível e invisível do Universo.
Esse debate é conhecido como o debate sobre o realismo na ciência. Desde o final do século XIX.
a teoria atômica foi amplamente reconhecida, com a ajuda da qual
enxame explicou o comportamento dos gases e as regras de combinações de substâncias químicas
alguns elementos. Mas como interpretar o conceito de átomos? Por-
zitivistas liderados pelo físico Ernst Mach argumentaram que
uma vez que os átomos não podem ser vistos, a opinião de sua existência é
é pela fé, não pela ciência. Mach disse que os átomos são uma hipótese,

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 11/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

dá sentido aos fatos, mas sua própria existência não pode ser
repetir. À frente dos atomistas estava D.I. Mendeleev, que acreditava
que os átomos realmente existem, e suas propriedades e interações
explicar os padrões do Sistema Periódico inventado por ele
nós somos elementos. Para o atomista- realista Mendeleev fora
observações reside o reino das coisas invisíveis, mas reais, sobre as quais
a ciência rykh constrói teorias (isto é, as teorias refletem a realidade, o conteúdo
colher o elemento da verdade). Para o positivista antirrealista Mach, o único
o importante que a ciência deve explicar é a própria observação.
niya. Teorias são ferramentas, ferramentas para ajudar a prever
13

Página 14

e explicar os eventos. Se for bem-sucedido, a teoria é considerada útil.


(sem discutir a questão da realidade por trás disso, isto é, sobre sua
verdade), caso contrário, é descartado.
Aparentemente, a maioria das pessoas (incluindo cientistas) são profundamente
não almas de realistas. Mas as descobertas da física quântica, incluindo seus
conquistas recentes, ao invés disso, confirmam a correção dos anti-realistas
(Correção de Bohr, não de Einstein). Bohr escreveu: “Não há quan-
do novo mundo, há apenas uma descrição quântica. " Afterbirth-
No entanto, a descoberta da mecânica quântica sugere que
que se alguma realidade está oculta por trás das observações, então
muito estranho, porque potencialmente contém todos os eventos
no universo se conecta instantaneamente com qualquer outro evento.
Mas o fim não é colocado nesta disputa, e a ciência explica o mundo com
o poder das teorias, não importa quem, causalistas-realistas ou
nomonologistas são anti-realistas, eles são produzidos.

Aula 2. O que são teorias

Então, a ciência explica o mundo por meio de teorias, independentemente de


aquele que os produz. Nesse sentido, é muito interessante e importante
compreender a natureza das teorias científicas. Isso não é fácil de fazer porque,
como os filósofos científicos apontam, a questão da natureza da ciência
as teorias são a parte mais instável da filosofia.
Entre as muitas abordagens de teorias, existem três amplas
abordagem combinando os menores: 1) sintática - o
rya como uma coleção de afirmações axiomáticas sobre a natureza; 2) com-
mântica, de acordo com a qual as teorias são correspondentes
existem modelos do mundo; 3) naturalista, alegando que o
rias são coleções amorfas de ideias, valores, práticas e exemplos.
Uma vez que todas essas abordagens, de uma forma ou de outra, tiveram um grande impacto -
a formação e o desenvolvimento da psicologia, sua essência, devemos
juiz. Para fazer isso, voltaremos ao livro de T. Leahy.

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 12/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

A abordagem sintática (da sintaxe grega, composição - ha-


meios específicos do idioma e regras para a criação
quatorze

Página 15

unidades de fala). Na disputa sobre a existência de átomos, os átomos ganharam


myst; e os herdeiros de Comte e Mach foram forçados a admitir que,
apesar das dúvidas filosóficas, a ciência pode incluir em sua
conceitos hipotéticos da teoria ("inventar hipóteses"). Elas-
tentei mostrar como isso pode ser feito sem recorrer à metáfora
zike, e criou um positivismo lógico, que tinha um enorme
influência na ciência, tornando-se na primeira metade do século XX. geralmente aceito
uma olhada nas teorias.
Os positivistas lógicos dividiram a linguagem da ciência em três conjuntos
termos: termos de observação, termos teóricos e material
termos matemáticos. A base da ciência para eles eram as descrições
natureza, contendo apenas termos de observação para os quais
eram propriedades diretamente observáveis ​da natureza, considerando
que são, sem dúvida, verdadeiras. Esses dados observacionais que
sucumbiu a generalizações, foram considerados axiomas (verdades,
provas) - “candidatos” às leis da natureza. Ak-
sioms contêm termos teóricos ("átomo", "campo magnético"
etc.) em combinação com termos lógicos e matemáticos. Mas depois-
deixando termos teóricos, positivistas lógicos na ciência,
garantindo contra o perigo da metafísica, eles insistiram que o significado desses ter-
as minas têm apenas quando recebem definições operacionais
divisão. Definições operacionais são tais
nii que contém um termo teórico e relacionado
termo de observação.
A imagem da ciência neste caso se assemelha a um bolo folhado:
abaixo estão os termos de observação (a única realidade para
zitivistas); no topo - termos teóricos puramente hipotéticos
nós, organizados em axiomas, e entre eles - operacional
definições que ligam a teoria aos fatos.
Para entender essa visão geralmente aceita, considere o
medidas da física. Um importante axioma da física clássica é
equação F = M · A (força igual a massa vezes aceleração).
Força, massa e aceleração são termos teóricos. Não estamos observando
nós os tomamos diretamente, mas devemos defini-los em termos de
o que observamos, na maioria das vezes com a ajuda de certos procedimentos
(operações). É por isso que as definições operacionais e
15

Página 16
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 13/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

recebeu seu nome (por exemplo, a massa é definida como o peso de um objeto
que, ao nível do mar, a aceleração é como um caminho coberto por um quadrado
tempo de movimento). Assim, de acordo com o geralmente aceito, anti-
visão realista, as teorias são afirmações (axio-
mami), cujos termos são claramente definidos em termos de observação
niya. Esta visão leva naturalmente ao modelo de explicação
Hempel-Oppenheim: as leis da natureza (o que atraímos
para explicação) são afirmações teóricas,
a partir do qual deduzimos logicamente fenômenos ou, mais precisamente, afirmamos
observação (explicável). E é óbvio que no explicado
não contém o que usamos para explicar, ou seja, teorias,
ainda precisa ser inventado, construído.
Observe essa psicologia das décadas de 1930 a 1960. era
sob a forte influência do positivismo lógico e do conceito de operação
definições racionais ainda o afetam. Contudo,
uma visão zitivista das teorias cria um sério
nenie, como uma lacuna entre a teoria e os dados. Então, por exemplo, o postulado de posição
tivistas que as observações (dados) são primários e completamente
independente da teoria, leva a um conceito simplificado de percepção
tiya, porque é óbvio que é impossível observar tudo e constantemente,
portanto, é necessário ter algum tipo de ideia preliminar
a ideia do que pode ser observado nesta situação particular,
algumas considerações sobre quais eventos são importantes e quais não são
correr para o negócio. Mas essas representações e considerações preliminares
(bem como levar em consideração a influência das expectativas e valores descobertos pelos psicólogos)
pessoas) é uma teoria, portanto, o significado de um evento é determinado
é uma teoria.
Vamos ilustrar a importância da teoria para a observação com um trecho
da história sobre Sherlock Holmes "Silver", onde Holmes,
sendo uma teoria, prevalece sobre o inspetor positivista:
"Holmes pegou a bolsa, desceu para o buraco e empurrou o tapete para mais perto
para o meio. Então ele se deitou sobre ela e, apoiando o queixo nas mãos,
começou a estudar cuidadosamente a argila pisoteada.
- Aha! Ele exclamou de repente. - O que é isso?
Holmes segurava nas mãos um fósforo de cera coberto com tal
Como sujeira que, à primeira vista, poderia ser confundida com um cisco.
16

Página 17

- Não consigo imaginar como esqueci isso - disse o insulto com aborrecimento.
pector.
- Não admira! O fósforo foi pisoteado no chão. EU SOU
só a notei porque ele estava olhando.
- Quão! Você esperava encontrá-la?

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 14/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

"Eu não excluí essa possibilidade."


Aqui vemos como é importante ter uma teoria que indique
pergunta o que procurar. Holmes descobriu um discurso
ku porque ele já tinha uma teoria do crime que
o levou a procurar um fósforo, enquanto a polícia é "positivista"
que não tinha teoria não conseguiu encontrar uma correspondência, apesar
diligência. Para o coletor de fatos, todos os fatos são iguais. Para pesquisa
corpo guiado pela teoria, a cada fato é atribuído o seu próprio
lugar no esquema geral de eventos.

Abordagem semântica (do grego semântico, significando -


o lado semântico das unidades de linguagem). Tornou-se uma alternativa ao geralmente aceito
aquele olhar. A abordagem semântica vê as teorias como
modelos simplificados do mundo como matemáticos abstratos
estruturas que são aplicáveis ​não ao real, mas ao idealizado
um mundo de banho, livre de considerações irrelevantes.
A teoria aqui é um modelo de realidade muito idealizado,
imitação privada do mundo. Ela descreve como o mundo seria
se a teoria subjacente estava correta e se o comportamento
Apenas as variáveis ​incluídas nesta teoria afetadas. Então se
no chão do avião em queda está uma mala deslizando para baixo,
então a teoria física da mecânica descreve esses objetos como um sistema
mu de massas de três pontos que não possuem
medições e fricção e correspondentes à mala, aeronave e terra
le. No mundo real, esses corpos estão localizados no espaço, e entre
existe atrito entre a mala e o avião; no modelo como
fatores que são irrelevantes e que causam dificuldades desaparecem
zayut. Assim, o modelo é simplificado, idealizado
uma nova versão da realidade sobre a qual a teoria pode operar.
É muito importante entender que a teoria científica é limitada. Ela está em-
visa explicar apenas alguns dos fenômenos e apenas alguns
seus aspectos. A teoria científica funciona com o mundo real errado
17

Página 18

que percebemos, mas de forma abstrata, idealizada


meus modelos. O mundo real, ao contrário dos modelos, é muito complicado.
esposas para que possa ser explicado com a ajuda de teorias (psico-
exemplo lógico: a teoria da aprendizagem descreve o método científico ideal
mogo, sem neuroses ou fatores motivacionais, que, é claro,
determinar a memorização em assuntos reais).
Esses modelos dão aos cientistas um poder tremendo. Em primeiro lugar, eles
libertar o cientista da tarefa assustadora de descrever o todo
que, devido à infinita complexidade, nunca será
responda a teoria. Os modelos permitem ao cientista imaginar
um certo mundo e ajustar as teorias de modo a lidar com isso
rum. Muitos dos maiores experimentos físicos foram pensados ​para ser
experimentos que nunca foram realizados
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 15/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

na prática. Einstein construiu sua teoria da relatividade com base em muitos


muitos experimentos semelhantes.
Além disso, essas teorias e modelos idealizados representam
São descrições de um mundo idealizado. Embora essas descrições
e não observáveis ​fornecem uma base para explicar o que é possível
observar. A teoria de Newton, por exemplo, é a ideal
ordem natural, segundo a qual todos os naturais
o movimento dos objetos no espaço ocorre em linha reta,
amontoados no infinito. Esse movimento não pode ser observado.
Um movimento real que não corresponde a este ideal explica
é influenciada por outros fatores. Por exemplo, uma bola rolando
na grama, para rapidamente, mas podemos dizer que
duraria para sempre, se não fosse pelo atrito. O cientista não explica
o ideal e o usa (e outros fatores) para
explicar fenômenos que não atendam a esse ideal, por exemplo
bola de parada. A explicação científica é sempre indireta e
metaforicamente. Um cientista só pode descrever o que poderia ser
este mundo, se a teoria estava correta, então explique por que o mundo
De fato, não é.
Abordagem naturalística. Foi mencionado anteriormente que o método
a ciência é racional. O positivismo reconhece a racionalidade da ciência. Carro-
o limo da ciência entre os positivistas está livre de conteúdo: eles procederam
do fato de que em todos os momentos e em qualquer ciência havia um único
dezoito

Página 19

estrutura lógica (racional). Mas a história da ciência mostra


que os positivistas não perceberam um fato importante: a ciência não é
é um campo de atividade puramente racional, uma vez que os cientistas -
são pessoas sujeitas às mesmas restrições, vícios e
erros, que são inerentes a todas as outras pessoas. Como resultado, no início
Década de 1960 surgiu um movimento metacientífico que negou o
a racionalidade inata da ciência, que delimita
ela de outras formas de atividade humana. Uma vez que está se movendo
zhenie considerava a ciência uma instituição que deveria ser guiada por
prática ao invés de filosofia, esta é uma nova direção
recebeu o nome de abordagem naturalística da ciência e inclui
incluía filósofos, historiadores, sociólogos e psicólogos da ciência.
T. Leahy considera três maneiras de aplicar o naturalismo
uma abordagem da ciência.
O primeiro método que teve um impacto direto no sistema psíquico
chologia nas últimas décadas, associada ao nome
Thomas Kuhn. Kuhn descreveu a história da ciência como uma repetição cíclica
sequência ondulante de estágios e mostrou como
a prática científica é formada sob a influência de uma visão de mundo (sobre a qual
cientistas que trabalham podem nem mesmo suspeitar). Uma das descobertas

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 16/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Kuhn foi que ele enfatizou a natureza social da ciência: a ciência


em que as comunidades de cientistas estão engajadas, obedecendo a algum tipo de
sanny e normas não escritas . Para entender o trabalho científico, nós
deve compreender essas normas. Ciência, que é feita de acordo
com as normas adotadas pela comunidade científica, Kuhn chamou o normal
ciência noah .
Sobre quais normas devem ser desenvolvidas, alcançadas
uma visão de mundo coerente? Com relação a 1) os objetivos da ciência; 2) básico
características do mundo real, que são objeto da ciência;
3) o que é considerado uma explicação confiável dos fenômenos; 4) admissível
métodos eficazes de pesquisa e técnicas matemáticas -
sem isso, é impossível para a ciência avançar. Kuhn chamou
paradigma de cosmovisão consensual . Se houver um acordo
sobre essas questões, os cientistas podem abordar a análise da natureza
de um ponto de vista coletivo e unificado; na ausência dela
haveria muito mais discussões inúteis sobre polêmicas
19

Página 20

orvalho. Kuhn descreve a ciência como uma espécie de edifício, cuja construção
requer o esforço conjunto de muitas mãos, bem como dos trabalhadores
desenhos e fundação. Paradigmas e características aos cientistas
imprensa e fundação.
Um paradigma representa um certo pré-histórico
conquista em que um ou mais cientistas estabelecem
um novo estilo científico baseado em notável sucesso na compreensão
mania da natureza. Ao longo dos períodos da ciência normal, para-
digma (desenho) é um dado adquirido. Experimentos dirigidos
nós não para testar o paradigma, mas apenas para tentar resolver enigmas,
existente dentro de sua estrutura.
Se o cientista for incapaz de resolver o quebra-cabeça, então este
fracasso do próprio cientista, não do paradigma. Vamos lembrar o que está acontecendo
durante o trabalho de laboratório do aluno. O aluno segue todos
instruções, mas nem sempre os resultados "corretos" são obtidos.
Aprendendo sobre isso, os professores não concluem: "As teorias estão erradas!"
Pelo contrário, eles presumem que o aluno está errado, e
avaliação de pau. As mesmas coisas acontecem com cientistas em normal
Ciência Noah. Propõe-se considerar o desenvolvimento da ciência por analogia
com o desenvolvimento da natureza viva de acordo com Darwin: a ciência evolui
por seleção natural de idéias. Isso significa que os cientistas são perfeitos
têm seu próprio campo da ciência, oferecendo várias ideias, comunidades
em os discute e os submete à verificação empírica. Escolher-
aqueles conceitos que ganham aceitação, e então eles voltam
dado à próxima geração de cientistas por meio de livros didáticos e
instruções; as ideias rejeitadas morrem. Como resultado, ele forma
Conjunto de conceitos aceitos pela comunidade científica. Se o enigma
ki são resolvidos um após o outro, então é considerado que dentro do normal
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 17/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Há progresso na ciência.
No entanto, Kuhn percebeu que os paradigmas se rompem e substituem
quando eles deixam de ser um guia de sucesso para a pesquisa
mesmo assim, isto é, a ciência normal é apenas uma das fases do desenvolvimento científico
tiya. A mudança científica, de acordo com Kuhn, nem sempre ocorre de forma gradual.
e continuamente. Acontece que a ciência passa por mudanças radicais
por um curto período de tempo - tão radical que
aqueles que antes eram considerados grandes pessoas são esquecidos,
vinte

Página 21

e os conceitos e problemas que anteriormente dominavam as mentes dos cientistas,


desaparecer. Mudanças como essa representam uma revolução
não evolução. Kuhn sugeriu que um exemplo de um semelhante
revolução foi a substituição da cosmologia geocêntrica de Ptole-
mei pela cosmologia heliocêntrica de Copérnico. Acredita-se que
e na psicologia suas próprias revoluções ocorreram (ver, por exemplo,
medidas, (Allakhverdov, 2000)).
No entanto, nem todos os historiadores da ciência concordam com a adequação do modelo.
se as mudanças científicas de Kuhn, especialmente no que diz respeito à existência
revoluções. Alguns estudiosos não encontraram evidências
que já houve uma mudança revolucionária na ciência, e
até o próprio Kuhn também se afastou de suas declarações de revolucionário
ti. Pesquisadores que não encontraram nenhuma evidência de revolucionário
mudanças, argumentam que o conjunto de conceitos adotados pela
comunidade, pode ser completamente mudado no processo natural
seleção. Pode haver períodos de evolução relativamente rápida
conceitos, mas esses períodos não são revoluções, porque
os processos usuais de mudança, seleção e conservação são inerentes e
evolução rápida e lenta.
Por outro lado, o eminente historiador da ciência Bernard Cohen
continuou a desenvolver o tema de Kuhn, estudando em detalhes os casos de sucesso
revoluções malsucedidas, reais e antecipadas na ciência
ke. Ou seja, a adequação do modelo histórico específico de Kuhn
não é totalmente aceito, mas ele, sem dúvida, estabeleceu que a ciência não é
sistema autossuficiente, seu estudo deve incluir
levar em consideração as influências históricas, sociais e pessoais,
além da metodologia científica.
Mas existem defensores ortodoxos do naturalismo, para
que nem a análise evolutiva da ciência, nem sua análise, segue
das idéias de revoluções científicas, não foram suficientes
grau naturalista, uma vez que não se disseminaram
uma visão histórica da própria metodologia científica. A última postagem
isto permaneceu, por assim dizer, independente de tempo e pessoas, e
mu inalterado, ou seja, em todos os momentos, os cientistas usaram um e
pelo mesmo método.
Mas os naturalistas "reais" acreditam que não há mentira

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 18/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

a base da ciência de um processo constante, um único método -


21

Página 22

além disso, cuja essência foi formulada pelo físico Bridgman: “Científico
Este método é essencialmente um método diabólico, não tímido na escolha
fundos ". Em outras palavras, a ciência é bastante moldada pelo
os ensinamentos dos cientistas sobre a natureza do mundo, de acordo com os quais o nocaute
meios também são encontrados, isto é, métodos. E essas representações podem ser
muito diferente, como evidenciado pela análise daqueles pelos quais
em todos os momentos os cientistas estavam engajados.
Mostra-se que os tópicos desenvolvidos na ciência representam
são metateóricas, até mesmo metafísicas (literalmente - pós-
lefísica, não deduzida diretamente da experiência)
órgãos que motivam e orientam o trabalho dos cientistas (imagem
mas falando, não só os cientistas escolhem os tópicos, mas os tópicos também escolhem
cientistas). Eles costumam formar pares. Por exemplo, na física do antigo
um par de opostos é a crença de que o universo
pode ser analisado pela decomposição em um pequeno número de
partes, e a crença de que não existem partes finitas,
que é um continuum. Afirma-se que cada
desses tópicos podem ser rastreados até pelo menos a Grécia Antiga
ção, e nenhum deles se tornou dominante.
Dissemos acima que o método da ciência é racional. É, mas,
do ponto de vista dos naturalistas, a racionalidade não é um traço genérico
método científico. A ciência, dizem eles, não tem
método. Aqui as pessoas são racionais, porque é importante para elas alcançarem a razão-
compreender uns aos outros: atitudes políticas e pessoais,
arte, etc., eles trazem racionalidade para a ciência. Portanto-
sim, a base da ciência é apenas uma base humana aplicada
para a natureza. Assim, do ponto de vista das naturezas ortodoxas,
folhas, temas históricos determinam os fundamentos da ciência, e o último
Eles impõem certos métodos de trabalho aos cientistas.
No entanto, os argumentos dos naturalistas não convenceram os filósofos, eu acho-
que são, sem dúvida, buscas racionais da ciência (ou seja, se esforçando
para a descoberta da verdade objetiva que existe independentemente do
contexto tórico e pessoal). Portanto, ainda seremos especiais
Vamos examinar mais de perto o problema da racionalidade da ciência.

22

Página 23

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 19/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Aula 3. A natureza das mudanças na ciência.


O problema da racionalidade

O conceito de racionalidade é normativo . O valor do racional


A importância para a ciência é semelhante à importância das normas morais para a sociedade. Ser estar
moral e racional é ser o que você deve
ser uma pessoa. Os filósofos sempre tentaram desenvolver padrões
racionalidade com a qual as pessoas podem verificar, assim como
o mesmo que avaliam seu comportamento moral ou imoral.
A ameaça potencial de abandonar as normas de racionalidade é como
os perigos de abandonar os padrões morais: se isso acontecer, então como podemos
Vamos nos proteger da anarquia, tirania e ignorância? Como podemos nós
distinguir o certo do falso e o bom do mau? Ainda que
a ciência não é racional, então o que é racional neste mundo?
A crítica mais séria ao naturalismo foi Karl Popper
(1902-1994). A filosofia da ciência de Popper é de particular interesse
teres, já que ele estava ativamente buscando a questão de como a ciência
mudanças de um ponto de vista normativo, não histórico. Pop-
Per acreditava na racionalidade predominante da ciência, no fato de que
deve haver algumas regras metodológicas, co-
definição da racionalidade científica; e ele queria saber quando
eles devem mudar suas teorias (sem esperar que acabe
da posição do naturalismo ortodoxo, “outro tópico
com sua consciência ").
Popper respondeu a esta pergunta comparando a ciência e a pseudociência
ku e proclamando o critério de demarcação separando-os uns dos outros
do amigo. Em Viena, durante sua juventude, muitos sistemas de
liens proclamou-se uma ciência, incluindo a teoria da
nosti e psicanálise. Mas o que afirma levar a sério
e quais rejeitar? Ele abordou este problema considerando o sonho
havia exemplos de ciência indiscutível, por exemplo, física newtoniana e
temas são exemplos claros de pseudociência, como astrologia, tentando
formular as diferenças entre eles.
Os positivistas enfatizaram que um indicador de status científico
teoria é sua testabilidade. Ou seja, com base no
definições operacionais bem projetadas
23

Página 24

mi, podemos deduzir logicamente uma série de previsões, confirmação


o que dará credibilidade à própria teoria. Pseudocientífico ou
teorias metafísicas não são capazes de fornecer uma operação operacional
definição de seus termos e, portanto, com base neles, é impossível
fazer previsões de eventos e confirmar suas afirmações. Boa
boas teorias acumulam muitas evidências, as fracas não
faça.
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 20/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

No entanto, Popper viu que nem tudo era tão simples, porque a pseudociência
Ki pode reivindicar muitos fatos de confirmação. Astrólogo
pode apontar para previsões cumpridas e justificar não cumpridas
por razões como a influência não explicada de planos menores
não. Confirmar teorias é de pouca ajuda em casos incertos.
chás, como a teoria relativística ou psicanálise, que
de vez em quando declaram a confirmação de suas teorias.
Mas ouvir psicanalistas e compará-los a Einstein,
Popper descobriu que não importa quão complexo seja o caso de psi
hoanalysis, um bom analista, bem como um bom astrólogo, sempre
poderia sujeitá-lo a uma nova interpretação à luz da análise
teoria.
As coisas eram diferentes na física. Teste de previsão da relatividade
vista a teoria de que um feixe de luz é dobrado na presença de
no campo gravitacional, mostrou que os raios de luz se dobram
de acordo com a teoria de Einstein. Embora à primeira vista isso
um teste bem-sucedido satisfez os requisitos dos positivistas para lo-
confirmação lógica, Popper encontrou a diferença decisiva entre o
teoria lativística da psicanálise: ambas as direções poderiam reivindicar
relatar sobre confirmação, verificação de suas teorias, mas apenas uma teoria
a relatividade corria o risco de ser falsificada . Em relação a
As previsões de Einstein não eram importantes porque ela não poderia
sua verdade seja provada, e o que poderia ser provado sua falsidade
ness. Houve alguns eventos que o relativismo assumiu
realmente não conseguia explicar. Pelo contrário, a psicanálise (como a astrologia)
estava pronto para explicar qualquer coisa. Em outras palavras, de acordo com
Popper, a racionalidade científica não é buscar evidências.
de correção, mas na suposição de que a suposição
pode acabar sendo incorreto - na presença do risco de "colocar sua cabeça
na pedra de corte dos fatos. " Resistente a constantes tentativas de falsificar
24

Página 25

Popper considerou a teoria como possivelmente verdadeira (com ênfase


na palavra "possivelmente"). Em 1959, ele formulou a regra: “Nós
não sabemos, só podemos supor ", ou seja, uma teoria, uma vez que
pode ser refutado, apenas um palpite.
Assim, ao existente, proposto por Comte, é reconhecido
caráter científico do conhecimento - sua verificabilidade, isto é, o real
a validade da teoria (a verificação é direta e indireta,
ou seja, relações lógicas entre as declarações podem ser realizadas
ser simples ou diretamente não verificável;
verificabilidade é entendida como a possibilidade de verificação, sua
condições - o objeto de análise da pesquisa lógica e metodológica-
niya), Popper adiciona um segundo sinal mais forte - falsificação
viabilidade: apenas esse conhecimento pode ser reconhecido como científico,
que admite a possibilidade de sua refutação, ou seja, falsificação
ficção. E aqui vemos a resposta à pergunta original, que
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 21/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Popper perguntou a si mesmo: Quando os cientistas devem mudar as teorias?


É óbvio: quando as teorias são falsificadas.
Popper teve predecessores. No século 17. Pascal apontou
chamado: "Em todas as disciplinas em que a justificação consiste na experiência
max, e não em evidência, não universal
aprovação sem uma lista universal de todas as peças ou todas
casos diferentes ... já que um único caso é suficiente
precisamente para frustrar a conclusão geral. " Você pode, por exemplo, quando
levar 100 exemplos que fornecerão confirmação indutiva
julgamento "Todos os pássaros voam", mas um que não voa é suficiente
pássaros (como o kiwi) para destruir, fingir.
Assim, formulando o princípio da falsificação, Pop-
lane enfatizou a limitação fundamental dos fatores empíricos
camarada ao generalizá-los em teoria. O mesmo foi apontado anteriormente por Vygot-
quando ele escreveu que o conhecimento empírico é limitado a
Teoria científica. É conveniente explicar a relação entre teoria e empirismo
usando o esquema de Euler, segundo o qual a plausibilidade
teoria é determinada pela proporção de pequenas e grandes
gov (Fig. 1). Quanto menor a área do anel (fatos) ao redor do pequeno
círculo (teoria), mais plausível a teoria. E vice versa. Científico
a teoria naya, diz Popper, é validada no processo de limitação
hipóteses competitivas plausíveis.
25

Página 26

Fatos

Teoria

Arroz. 1. Correlação de teoria e fatos

No entanto, um critério de demarcação simples é falsificado.


a ponte não bastava. Isto é incompreensível. Na verdade, na arena da ciência
ki não são dois participantes (o mundo real e o
teoria), como Popper acreditava, mas pelo menos três. Na realidade
as teorias competem não apenas com a natureza, mas também entre si. Um negócio
é que a posse da teoria é tão importante para os cientistas (e
carrapatos - lembre-se de Sherlock Holmes!) que eles preferem ter
teorias fracas do que não as ter. Portanto, as teorias explicam-
algum fenômeno, como regra, mais de um. Por exemplo, depois
explica V.N.Druzhinin, em psicofísica existe em termos iguais a teoria
limiar e a teoria da continuidade sensorial. Em psicologia, personalidade
eles competem e têm evidências empíricas de vários
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 22/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

modelos fatoriais de personalidade (modelo de Eysenck, modelo de Cattell,


modelo "Big Five", etc.). Na psicologia da memória, semelhantes
modelo de memória unificado e baseado em conceito
no isolamento de sensorial, curto e longo prazo
amassado, etc. [Druzhinin, 2000, 20 ]. E a pesquisa científica não é
uma competição de mão dupla entre a teoria e o mundo real, e
pelo menos três vias, em que duas competindo
teorias alternativas (alternativas) e o mundo real.
Considerando todas essas disposições, os seguidores de Popper eram
forçado a complementar o critério de falsificação com o terceiro critério
em - um critério para o sucesso da resolução de problemas. Desde a unidade
experimento não é capaz de refutar a teoria, de testá-la
o ki precisa de um programa de pesquisa e de um cientista racional
deve aceitar o programa que resolve o máximo
26

Página 27

o número de problemas por meio de um número mínimo de métodos


truques lógicos. A segunda coisa que permite que você faça um bom produto
grama, contribui para a geração de novos problemas. Última coisa
significa que a teoria dentro da qual o problema é resolvido possui
poder preditivo, ou seja, permite formular hipóteses,
verificar o que pode levar à solução de novos problemas.
Mas qual é o problema? Esta não é uma pergunta inútil. Afinal,
em princípio, cada um de nós pode considerar qualquer um dos nossos problemas como um problema
capricho e, em seguida, construir suas próprias teorias para resolver
estes problemas. E então o ponto de vista do anarquista torna-se relevante.
naturalismo, que teve um pico de popularidade nos anos 60: “Não importa,
o que é o mundo real, vamos apenas decidir o nosso
próprios problemas! " Para racionalistas realistas, a questão é
o que é o mundo real é importante, e nos lembramos
que para eles há uma verdade objetiva por trás das observações deste mundo
em diante, ideias sobre quais servir como um regulador regulador para
processo científico, em particular, ajudam a separar problemas científicos
somos de pseudo-problemas.
Resumindo a conversa sobre a natureza das mudanças na ciência, devemos
afirmamos o seguinte. A questão de saber se a ciência é racional
e em caso afirmativo, por quê (assim como o resto do discutido
nossos problemas) permanece sem solução. Uma coisa é certa: pontos extremos
visão entre anarco-naturalistas e racionalistas
deu lugar a reivindicações mais modestas. Você pode até dizer
falar sobre a tendência de campos opostos em direção ao outro,
como alguns estudiosos metodologicamente orientados
espero que o desenvolvimento de estatísticas (especialmente as seções relacionadas a
Teorema de Bayes, segundo o qual a fé se transforma em uma
tese na presença de fatos) pode criar uma nova base para o trabalho
nacionalismo.

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 23/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Vimos que a explicação dos mesmos fenômenos é


existem pelo menos duas teorias. O que acontece como resultado deles
concorrência? T. Leahy acredita que existem duas origens prováveis
sim. O primeiro é a redução . Acontece desde que
duas teorias explicam os mesmos fatos em níveis diferentes: bo-
o nível superior opera com objetos maiores e
27

Página 28

mi, enquanto o inferior - com objetos mais profundos e força-


mi. Tentando criar uma imagem unificada da natureza, os cientistas
procuram reduzir teorias de alto nível a mais ele-
mental, mais profundo, demonstrando que a verdade do primeiro
out é uma consequência da verdade deste último. Em seu nível, explique
A teoria reduzida é considerada válida e útil. Segundo
o resultado possível do enxame é a substituição ou destruição . Um dos
ry acaba por ser verdadeiro e o outro é falso, é falsificado
e descartados.
A redução de uma teoria de nível superior por outra teoria pode
mas demonstre reduzindo as leis clássicas dos gases
à teoria cinética dos gases e à genética mendeliana - ao molecular
genética celular. Os físicos do século 18 acreditavam que a pressão,
o volume e a temperatura dos gases interagem uns com os outros de acordo
Correspondência com a equação matemática, que recebeu o nome
a lei do gás ideal: F = V · T . Usando esta lei (chrestoma-
um exemplo típico de uma lei geral), os físicos poderiam com precisão e utilidade
descrever, prever, controlar e explicar o comportamento
gases. As leis dos gases ideais são um exemplo de teoria
alto nível, porque eles descrevem o comportamento de complexos
objetos, nomeadamente gases. Um dos primeiros triunfos do atômico
hipótese tornou-se a teoria cinética dos gases, que deu uma
nova explicação da lei dos gases ideais. A teoria cinética de
afirma que os gases (como tudo o mais) consistem em bilhões de
átomos esféricos, o grau de excitação dos quais (movimento)
é uma função da energia, especialmente do calor. Então, a lei é ideal
gás prevê que se aquecermos o ar no ar
bola, ela vai aumentar de tamanho, e se a esfriarmos, ela vai encolher
(imerso em nitrogênio líquido, ele encolherá para quase zero
volume). A teoria cinética explica por que isso acontece:
quando aquecemos o ar, suas partículas constituintes começam a
mova-se mais intensamente, bata na casca da bola e
coloque-o para esticar. Quando esfriamos o ar, os átomos se tornam
mova-se mais devagar, acerte a parede da bola com mais força e
se a velocidade de seu movimento cair suficientemente forte, então a pressão
não será de todo.
28
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 24/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Página 29

Teoria cinética versus leis dos gases - o


rya de um nível inferior, uma vez que lida com essas partículas
dos quais os gases são compostos. É também uma teoria mais fundamental,
uma vez que é mais geral, considerando o comportamento de qualquer
Objeto de Deus, consistindo de moléculas, não apenas gases. Comportamento
gases atua como um caso especial do comportamento de qualquer substância
Estado. A teoria cinética mostra por que as leis funcionam
gás ideal, postulando o mecanismo causal subjacente
ve, e, portanto, diz-se que a lei do gás ideal é reduzida para
teoria cinética. Em princípio, poderíamos recusar completamente-
das leis do gás, mas nós as mantivemos, uma vez que elas
validade e utilidade em sua área de aplicação.
Uma história semelhante aconteceu com a genética mendeliana.
Mendel sugeriu a existência de um transferível
unidade de hereditariedade, um gene que era absolutamente hipotético
tique. O conceito de Mendel lançou as bases para a população
genética, embora ninguém tenha visto o gene e nem pudesse adivinhar
viver como parece. No entanto, no início dos anos 1950. começou a abrir
a estrutura do DNA, e descobriu-se que era ela quem era o guardião
traços hereditários. À medida que o gene molecular progride
tiques, aprendemos que as sequências de códons no modelo de DNA
são genes reais e nem sempre se comportam assim
inequivocamente, como Mendel pensava. No entanto, o gene de Mendel
carrapato permanece válido para seus propósitos - genética populacional
ki, mas, como as leis de um gás ideal, foi reduzido e unificado
vinculado à genética molecular.
No caso de redução, a teoria mais antiga continua a ser considerada
científica e válida no campo de sua aplicação; ela só está ocupada
tem uma posição subordinada na hierarquia da ciência. Pelo contrário, o destino é
a teoria alterada é completamente diferente. Muitas vezes acontece que o antigo
a teoria estava simplesmente errada e não cabia na nova. Naquilo
a caixa é descartada e substituída por uma melhor. A teoria do céu
esferas de Ptolomeu, onde a Terra foi colocada no centro do universo,
e o Sol, a Lua e as estrelas giravam em órbitas complexas ao redor
ela, foi distribuído entre os astrônomos por muitos
muitos séculos, porque foi útil e deu uma previsão muito precisa
29

Página 30

declaração sobre o movimento dos corpos celestes. Com a ajuda desta teoria,
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 25/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

eles foram capazes de descrever, prever e explicar tais eventos,


como eclipses solares. Mas apesar do descritivo e preditivo
a força deste sistema, como resultado de uma longa luta
foi provado que as opiniões de Ptolomeu são falsas, e foram substituídas por
havia o sistema copernicano, que colocava o Sol no centro da
um sistema girando em torno dele. Como o velho paradigma da exata
A visão de Ptolomeu morreu e desapareceu da ciência.
A questão da redução ou substituição é especialmente aguda em casos psicológicos
gii, visto que ao longo de sua história foram feitas tentativas de
redução do psicológico ao fisiológico. Psicológico
os processos estão obviamente associados aos fisiológicos. Mas se tivermos
existe uma teoria sobre alguns processos psicológicos e nós realmente
descobriram os processos fisiológicos subjacentes a eles,
uma teoria psicológica foi reduzida ou substituída? Algum-
centeio acreditam que a psicologia está condenada à extinção, como o astrônomo
a missão de Ptolomeu. Outros são de opinião que a psicologia
será reduzida à fisiologia e se tornará uma das seções da biologia,
mas a maioria dos psicólogos são otimistas, eles acreditam que pelo menos
pelo menos algumas seções da psicologia humana nunca serão
são reduzidos à neurofisiologia ou substituídos por ela.

Quais são as ideias atuais sobre o normativo


processo de pesquisa científica ? Essas visões, estados
V.N.Druzhinin, tome como base o esquema de K. Popper, incluindo
inclui as seguintes etapas:
1. Apresentando uma hipótese (hipóteses).
2. Planejamento do estudo.
3. Realização de pesquisas.
4. Interpretação de dados.
5. Refutação ou não refutação da hipótese (hipóteses).
6. Em caso de rejeição do antigo - a formulação de um novo hipo-
teses (hipóteses).
Resulta claramente deste esquema que, para a maioria dos
científica, incluindo científica e psicológica, comunidade na estrutura
tour de pesquisa científica, o conteúdo do conhecimento científico é
o valor da variável, e o método é uma constante (normal
trinta

Página 31

mu). É a adesão ao método que une os cientistas na ciência


comunidade. Não é uma ideia, não é uma teoria, mas um método.
Olhando para o diagrama de Popper, vemos que ele começa com uma hipoglicemia
teses. Mas de onde vêm as hipóteses? Sobre esta questão, crítica
O nacionalismo (como Popper chamou sua abordagem) não dá uma resposta. Óbvio
mas que para gerar hipóteses você precisa ir além deste esquema
estamos no reino da intuição. Ou seja, o racionalismo crítico não é nada
não fala sobre de onde vêm os novos conhecimentos, mas mostra como

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 26/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

o velho
é um morrede
método - através do processo
"rejeição" de falsificação,
de suposições onde o experimento
não confiáveis
[Druzhinin, 2000, 13-14 ].

Aula 4. Pesquisa científica


e suas ferramentas

De que forma o método científico é implementado, ou qual é a forma


compreensão da verdade? Assim é a pesquisa científica
dando .

4.1. Sinais e tipos de pesquisa científica

Pesquisa baseada em método científico (em oposição a sti-


formas chiye de cognição), assume 1) fixar o objetivo da pesquisa
vania; 2) fixação de ferramentas de pesquisa (metodologia, métodos,
técnicas); 3) a orientação do estudo sobre a reprodutibilidade de re-
resultado.
Vamos discutir com mais detalhes o segundo sinal da pesquisa científica e
definir os conceitos de "metodologia", "métodos", "técnicas" (citados
dem uma das ideias existentes sobre o assunto).
Palavras de raiz única "metodologia", "métodos", "técnicas"
são frequentemente usados ​como sinônimos, especialmente os dois últimos,
no entanto, os conceitos por trás deles devem ser diluídos.
A questão é que o ensino do método, metodologia, representa
uma hierarquia, e cada nível desta hierarquia é sempre uma forma
31

Página 32

forma de obter informações, mas um método que tem seu próprio especial
segurando, desempenhando um papel especial (não substituindo o papel de outras formas
Sobov) no conhecimento científico.
Metodologia Filosófica - Nível Hierárquico Mais Alto
metodologia, cujo objetivo principal é fornecer uma visão de mundo
interpretações dos resultados da ciência. Trabalhe no nível de um filósofo
metodologia é o trabalho de generalizar as descobertas da modernidade
ciência, pela qual são incluídos no quadro científico
paz e cultura. É assim que a sociedade assimila
nova experiência, ou seja, ela se desenvolve. O pesquisador sempre trabalha no âmbito de
kakh desta ou daquela abordagem filosófica e metodológica, mas não
sempre reflete sobre isso.
Metodologia científica geral - um nível de metodologia mais específico
análise lógica. Seus traços característicos são
relativa indiferença ao conteúdo científico específico,
um apelo às características gerais do processo de conhecimento científico. Para isso

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 27/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

nível inclui métodos de cibernética teórica, sistema


abordagem, métodos de idealização, formalização, algoritmização, mo-
modelagem, método estatístico, etc. Sem recurso ao
Para métodos deste nível, por exemplo, para idealização, nem um único estudo científico
o seguinte não pode nem começar, no entanto, este fato também é frequentemente
não refletido por pesquisadores novatos.
Trabalhar na metodologia filosófica e científica geral
nível assume particular importância durante os períodos de revolução
transformações na ciência, enquanto resolve problemas fundamentalmente novos
lem, ao conduzir pesquisas complexas.
A metodologia científica específica é um conjunto de métodos,
princípios e procedimentos aplicados em um determinado ramo da ciência
Ki. No campo científico, existem métodos característicos apenas deles
dy, mas eles são refratados, encontre sua interpretação do assunto
tação e especificidade de aplicação de métodos científicos gerais. Por exemplo,
o método estatístico parece diferente em física, biologia,
geografia, sociologia, medicina, psicologia, etc.
Metodologia Disciplinar - Metodologia e Nível de Técnica
pesquisar. Destaca-se como um nível independente de metodologia
gii, uma vez que dentro da estrutura de cada ciência existem muitas dis-
tsiplin com seu conjunto de procedimentos de pesquisa.
32

Página 33

Já usamos repetidamente as palavras "princípio", "sob-


mover "," teoria ". Explicamos (apresentamos de forma explícita) seu conteúdo
zhenie e mostrar seu relacionamento.
Princípio é uma declaração geral universal sobre o assunto de
seguidores. Por exemplo, na mecânica quântica existem princípios
complementaridade e incerteza, a psicologia é baseada
nos princípios da atividade, historicismo, atividade, desenvolvimento, único
estado de consciência e atividade.
A abordagem é um conjunto de questões de pesquisa ou, em outras palavras, uma
cretização do princípio por meio da formulação de pesquisas gerais e particulares
negociando perguntas. Resumindo: a abordagem é questão.
A teoria é outra forma de concretizar um princípio abstrato.
zip pela formulação de um conjunto de estudos específicos
hipóteses testadas pela experiência (direta ou indiretamente
verificado). Uma hipótese verificada é a resposta para alguns
uma pergunta específica, ou seja, uma teoria é uma coleção de respostas.
Então, o princípio é abstrato, a abordagem e a teoria são concretizações.
princípio, abordagem - perguntas, teoria - respostas.

Que tipo de pesquisa existe? Nos pólos, pesquisa


no continuum estão pesquisas empíricas e teóricas ,
embora a maioria das pesquisas tenha teóricos e empíricos
personagem.
A pesquisa fundamental visa a compreensão do re-

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 28/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

realidade sem levar em conta o efeito prático da aplicação do conhecimento.


A pesquisa aplicada é realizada a fim de obter conhecimento,
que deve ser usado para resolver uma prática específica
um problema técnico.
Tanto a pesquisa básica quanto a aplicada podem
dit no laboratório - um experimento de laboratório , e o po-
condições de esquerda. As condições do laboratório fornecem mais da metade
controle sobre o curso dos experimentos, e o controle de campo é melhor
incomoda situações da vida real.
A maioria das pesquisas psicológicas é por natureza
seu quantitativo . Em estudos quantitativos, os dados coletados
são apresentados e apresentados como números (médias, percentagens, etc.),
que são submetidos a análises estatísticas. Porém, no último
33

Página 34

ao longo dos anos, tem havido um aumento no número de psicólogos de alta qualidade
pesquisa, onde os métodos são muitas vezes emprestados de sociólogos e
antropólogos. As informações são coletadas usando métodos de pesquisa
e observação. Combina esses tipos de pesquisa qualitativa
o fato de seus resultados não serem apresentados como relatórios estatísticos
você, mas na forma de uma análise significativa generalizante. Muitos estudos
Os estudos combinam abordagens qualitativas e quantitativas.
A pesquisa monodisciplinar é realizada no âmbito de
ciência eficiente (neste caso - psicologia). Interdisciplinar
A pesquisa narrativa requer a participação de especialistas de vários
áreas e são realizadas no cruzamento de várias disciplinas científicas.
Isso inclui pesquisa, por exemplo, genética, em geral
no campo da psicofisiologia da engenharia, na junção da etnopsicologia e
sociologia.
Estudos abrangentes são realizados usando o sistema
métodos e técnicas para cobrir o máximo (ou ótimo
mínimo) o possível número de parâmetros significativos do real estudado
nosti. Univariada , ou analítica, direcionada à pesquisa
com o objetivo de identificar um dos mais significativos, na opinião do
investigador, um aspecto da realidade.
Se você tentar agrupar os estudos em dependências
das metas que o cientista estabelece para si mesmo, e o grau desenvolvido
do problema, obtemos a seguinte classificação.
Pesquisa (exploratória). O objetivo é obter um fundamento
mas novos resultados em uma área pouco pesquisada. Às vezes analógico
A pesquisa física é chamada de pesquisa de "acerto".
Esclarecendo. Isso inclui a maioria dos estudos sobre
conduzido na ciência. Seu objetivo é estabelecer limites dentro dos quais
a teoria rykh prevê fatos e padrões empíricos.
Normalmente, em comparação com o estudo inicial, o
as condições de sua implementação, o objeto, a metodologia. Assim, especificando
é, para qual área da realidade o trabalho encontrado se estende
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 29/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

seu conhecimento teórico.


Crítico. Conduzido a fim de refutar o existente
teoria, modelo, hipótese, lei, etc. novos fatos ou
para testar qual das duas hipóteses alternativas é mais precisa
prediz a realidade.
34

Página 35

Reproduzindo. O objetivo é uma repetição precisa do estudo


predecessores para determinar a validade, confiabilidade e
objetividade dos resultados obtidos. Pesquisa reprodutiva
vação é o fundamento de toda ciência.
Pela natureza das ações do pesquisador, eles distinguem
pesquisa geral e formativa (experimentos).
O estudo de apuração prevê a identificação
características mentais existentes ou níveis de desenvolvimento
qualidades correspondentes, bem como uma declaração da relação com
classificação e consequências.
A pesquisa formativa pressupõe uma pesquisa ativa e proposital
corrigiu a influência do pesquisador sobre os assuntos, a fim de
desenvolver certas propriedades ou qualidades. Isso permite que o
cobrir os mecanismos, dinâmicas, leis da formação da psique
fenómenos químicos, para determinar as condições do seu desenvolvimento eficaz.
Além disso, o conceito de "pesquisa acrobática" é frequentemente usado.
dvanie ".
O termo "estudo piloto (experimento)" é usado
é usado para denotar um ensaio, o primeiro experimento no qual
a hipótese principal, abordagens de pesquisa, plano
etc. Normalmente, as acrobacias são realizadas antes de um grande teste de trabalho intensivo
seguir, para não perder tempo e dinheiro depois. Pi-
a pesquisa de loteria é realizada em uma amostra menor de
mykh, de acordo com um plano reduzido e sem controle estrito de
cinto. Confiabilidade dos dados obtidos como resultado de acrobacias,
pequeno, mas sua implementação permite que você elimine erros grosseiros,
relacionados a hipóteses, planejamento de pesquisa,
controle de variáveis, etc. Além disso, durante as acrobacias, você pode
estreitar a área de pesquisa, concretizar a hipótese e refinar a metodologia
fazendo muita pesquisa.

4.2. Características de pensamento,


pesquisa científica subjacente

A maneira de pensar característica dos cientistas em geral e da pesquisa


psicólogos em particular, tem certas características
35

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 30/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Página 36

ti. Considere o ponto de vista de James Goodwin, o autor do notável


livro didático "Pesquisa em Psicologia: Métodos e Planejamento"
nie ”(Goodwin, 2004). O cientista parte do fato de que os fenômenos de ação
corpos, incluindo o comportamento humano, 1) obedecer
certas leis, portanto, são ordenadas e podem
ser previsto; 2) o mundo é objetivo, e o pensamento científico também é
relativamente objetivamente; 3) o pensamento científico em psicologia é baseado
sai em uma abordagem informativa para pesquisa; 4) ciência
trata de questões empíricas .
A primeira suposição significa que os cientistas seguem o princípio
determinismo pu , de acordo com o qual o tempo é contínuo,
dirigido do passado para o futuro, o espaço é isotrópico, ou seja,
o processo em uma das regiões do espaço é o mesmo que
em qualquer de suas outras áreas, os eventos são irreversíveis, a razão não pode
pode ser antes do efeito, os motivos podem ser descobertos com o
poder dos métodos científicos, o que significa que os eventos podem ser previstos
nós. Segundo o cientista, sob a influência das descobertas da física do século XX.
a maioria dos cientistas e filósofos são partidários de
chamado de determinismo probabilístico ou estatístico,
da posição em que os eventos podem ser previstos com uma probabilidade
superior à probabilidade do caso, mas inferior a 100%.
A segunda suposição - o mundo é real e objetivo - significa
que os eventos no mundo ocorrem independentemente de nosso conhecimento deles.
A terceira suposição é o princípio da abordagem da informação
à pesquisa - significa que as conclusões do cientista (por exemplo, sobre o
denii) deve ser baseado em informações objetivas obtidas
calculados por métodos científicos. Por exemplo, a declaração “Tendo recebido
os alunos da universidade este ano estão mais bem preparados do que
que bebeu no passado "fará uma pessoa com mentalidade científica
exigem dados para este e os anos anteriores, para que haja algo
compare e pergunte o que significa o melhor ajuste
por comércio.
O quarto pressuposto: a metodologia científica da característica
característica é a formulação de questões empíricas, que
que sugerem respostas com base na observação sistemática
negador ou experimento. Então, a questão da relação entre alma e corpo
36

Página 37

(são a alma e o corpo duas entidades diferentes ou uma)


não é empírico, uma vez que não pode ser respondido, com base em

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 31/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

sendo baseado nocientífica


uma abordagem empirismo e, portanto,
requer não é resolvido
a especificação dentro
da questão. Porda estruturapara
exemplo, da ciência. Sobre-
aprender sobre o efeito da atividade mental (alma) no físico
saúde (corpo), pode-se perguntar: “Como é que o psicológico
sinal de estresse no sistema imunológico? " Ou vice-versa: “Quão físico
fadiga (corpo) afeta a capacidade de resolver problemas
(psique)? "
Seguir os princípios do determinismo e objetividade significa
acredita que o resultado científico deve ser invariável em relação a
especificamente espaço, tempo, tipo de objetos e tipos de assuntos usados
seguinte (objetivo). Além disso, até recentemente,
foi assumido que o resultado científico não depende do método, ou seja,
a partir das ações que o pesquisador realiza com o objeto estudado
volume. No entanto, a revolução da mecânica quântica trouxe
novo pensamento é uma abordagem diferente. Ficou claro que existem ciências, e
psicologia pertence a eles em primeiro lugar, onde o fato é
função não apenas das propriedades do objeto, mas também da operação com ele.
Ou seja, a interpretação de um fato científico depende de como
Assim, este fato é obtido. Portanto, é extremamente importante na área científica
publicações fornecem uma descrição do método pelo qual o
nós temos os dados.
No que diz respeito aos princípios de determinismo e objetividade, V.N.Dru-
Zhinin observa que segui-los na "forma pura" só é possível
em relação ao estudo ideal e seu ideal
o resultado. Na realidade, este não é o caso. Pesquisa real não é
pode corresponder plenamente ao ideal, uma vez que tal
características do mundo em que vivemos. Sempre temos que
falar sobre medições relacionadas a diferentes pontos no tempo
nem como sendo conduzido simultaneamente. Objetos únicos que somos
nós os vemos como equivalentes uns aos outros, abstraindo de seus
benevolência. Situações, condições para a realização de diferentes séries de pesquisas
assumimos que eles são idênticos. Nós nos consideramos ideais ex-
experimentadores, competentes, desapaixonados, dirigidos
apenas pela busca da verdade científica. Portanto, é completamente impossível
reproduzir adequadamente o experimento em outras condições.
37

Página 38

Outra coisa é que o método científico deve dar um resultado, max-


o mais próximo possível do ideal. Para isso são usados
métodos especiais de planejamento do experimento e processamento dos
dados.
Outro fator que contribui para a diferença em reais
e a pesquisa ideal é que o pesquisador pratique
é fisicamente incapaz de cobrir todo o objeto de interesse. Real-
mas ele pode estudar o assunto da pesquisa - identificando artificialmente
uma parte parcial do objeto, abstraída de outros elementos essenciais
seus lados. Esta parte do objeto é "controlada" experimentalmente

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 32/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

rum. Portanto, deve-se distinguir entre fenômenos e processos que ocorrem


na realidade, e seus análogos que observamos ou reproduzimos
incômodo no decorrer do estudo (mais sobre o conceito e relacionamento
sujeito e objeto de pesquisa, ver [Kulikov, 2001]).
O acima pode ser generalizado pelo esquema de V.N.Druzhinin
(Fig. 2) [Druzhinin, 2000, 18 ], mostrando a proporção de reais
nost, laboratório e experimentos mentais (pesquisa).

Ideal
estude

O estudado O Real
realidade estude

Arroz. 2. A proporção da realidade e seu reflexo


em experimentos de laboratório (reais) e de pensamento

O grau de correspondência de um estudo real com um ideal


é chamado de validade interna, a correspondência do real
estudos da realidade objetiva estudada - válido externo
ness, o grau de correspondência de um estudo ideal com a realidade
ty - validade teórica (preditiva). Contente
esses conceitos serão divulgados de forma mais completa ao considerar os detalhes
experimento psicológico.
38

Página 39

4.3. Teoria como resultado de pesquisa científica

Um dos objetivos da psicologia como ciência é explicar


comportamento. Nesse sentido, é importante entender que o processo é explicado
É essencialmente o processo de construção e teste de teorias.
Uma teoria é um sistema de conhecimento internamente consistente
sobre uma parte da realidade (um assunto de teoria) . Especificando isto
definição de realidade psicológica, temos o seguinte:
“Uma teoria em psicologia é um conjunto de
declarações comportamentais que: 1) generalizam os existentes
conhecimento empírico sobre esse fenômeno; 2) organizar esse conhecimento
em declarações precisas sobre as relações entre as variáveis ​(ou seja,
cavalos); 3) dar uma explicação preliminar do fenômeno; 4) servir
base para prever o comportamento; 5) previsões feitas
verificado experimentalmente. A teoria está sujeita a revisão
ru de acordo com os resultados da pesquisa empírica "
[Goodwin, 2004, 102 ].
Implicitamente, essa definição está contida em uma declaração tão curta.

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 33/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

dizendo: “Uma teoria é uma coleção de pesquisas específicas


hipóteses experimentais ”.
G. Selye, caracterizando o fenômeno da teoria, observou que “teorias -
estes são os fios que conectam os fatos existentes ", mas" ... para desenvolver um
conexões significativas e imutáveis ​entre os fatos, tais conexões que
centeio nunca precisaria de revisão, impossível, bom
teoria deve combinar o maior número de fatos com os mais simples
(o mais curto) caminho possível ”[Selye, 1987, 152 ].
Existem muitas formas de teoria (não empírica)
conhecimento: leis, classificações e tipologias, modelos, esquemas, hipóteses
PS, que são coroados com a teoria como a forma mais elevada de conhecimento científico.
As teorias diferem dependendo da amplitude da cobertura do material -
la. Alguns procuram cobrir diferentes lados da forma mais ampla possível.
comportamento, um exemplo seria a teoria dos estágios de Erickson, explicando
treinar o desenvolvimento e funcionamento da personalidade em diferentes períodos
vida. Mas, mais frequentemente, a teoria se concentra mais especificamente no indivíduo
aspectos do comportamento.
Para ilustrar como as teorias surgem e se desenvolvem,
bem como suas características importantes, considere um exemplo de uma teoria de
39

Página 40

O desamparo aprendido de Seligman. Esta teoria foi derivada


do estudo da aprendizagem animal e, em seguida, aplicado ao problema
me depressão nas pessoas. Ela é um exemplo de uma descoberta acidental
tia: desamparo adquirido foi descoberto pela primeira vez ex-
periodicamente no curso de um estudo que tinha objetivos completamente diferentes
[Seligman, 1997].
O efeito de "desamparo aprendido" descoberto por Selig
Manom ​reside na adquirida relutância em se livrar de
impacto traumático após repetidos malsucedidos
tortura para evitá-lo. Então, um animal normal, quando dói,
foge da fonte de dor. Se o cachorro está sentado em uma gaiola fechada,
ke, então todas as suas tentativas de evitar choques elétricos levaram a nada.
pica-paus. Como resultado, o sujeito começa a esperar que suas ações não
levará a consequências positivas. Esperando por isso leva
para reforçar o desamparo comportamental. Esperando no dado
teoria é o que os psicólogos chamam de construção. Vigarista-
strukt - um fator hipotético que não pode ser observado
diretamente, mas sua existência pode ser assumida em
com base em certos comportamentos e circunstâncias.
O construto "expectativa" é a base da teoria de Seligman, na qual é
é a causa do fator motivacional, emocional e cognitivo
exaustão física acompanhada de desamparo. Disponibilidade
expectativas neste sentido a) podem ser logicamente deduzidas de
o fato da cessação das tentativas de evitar impactos desagradáveis ​e
b) ter um motivo presuntivo para a repetição de malsucedidos

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 34/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

tenta controlar eventos.


Um componente importante de qualquer teoria é sua capacidade
desenvolver com base em novos dados, bem como a capacidade de fazer
com base nele, as previsões que criarão a base para novas pesquisas
suposições, ou seja, em uma boa teoria há uma transição dos fatos
à teoria e da teoria aos fatos .
A transição da teoria para os fatos requer a aplicação de lógica
dedução - pensando a partir de disposições gerais para eventos particulares.
Uma previsão caso a caso com base na teoria
chamada de hipótese dedutiva . A hipótese pode ser determinada
como um palpite científico do que deve acontecer quando
40

Página 41

circunstâncias compartilhadas. A hipótese leva ao desenvolvimento de uma pesquisa


cujos resultados correspondem ou contradizem
as previsões feitas. Se a teoria for confirmada em geral
a quantidade de pesquisas, a confiança em sua correção é alta
ka. Em outras palavras, a base indutiva da teoria aumenta se
experimentos individuais fornecem todos os novos resultados previstos
tu. A indução é o pensamento lógico privado (específico
resultados experimentais) ao geral (teoria).
A história da ciência mostra que as teorias acabam sendo diferentes
em termos de eficiência. Teorias mais eficazes têm seus próprios
características distintas.
O primeiro deles é a produtividade , ou seja, a capacidade da teoria da mente
cortar nosso conhecimento produzindo muitas pesquisas.
A segunda marca de uma boa teoria é a simplicidade . Idealmente é
significa que permite um número mínimo de construções e
suposições necessárias para uma explicação adequada do fenômeno e
lendas dos resultados de pesquisas futuras. Por que tem quatro anos
os meninos imitam seus pais? A explicação freudiana necessária
um grande número de suposições e construções, incluindo ideias
sexualidade infantil e a influência do inconsciente no comportamento,
complexo de Édipo, medo da castração, repressão e identificação
com o agressor. Esta teoria diz que a) menino
sente atração sexual pela mãe, mas b) tem medo de ser
castrado se o desejo se manifestar. Portanto, ele c) deslocando
em desejo para o inconsciente ed) identifica-se com agressivo
meu pai. A teoria da aprendizagem comportamental, neste caso, é simples
então ele assume que a) o padrão reforçado de comportamento tem a tendência
uma tendência de se manifestar no futuro em situações semelhantes e que b) nascimento
os pais tendem a notar e encorajar a imitação. É obvio que
a teoria de aprendizagem, neste caso, parece ser mais simples,
do que sua rival, e ao mesmo tempo dá uma explicação adequada do fenômeno,
bem como uma base para prever o resultado de fenômenos futuros.
O terceiro sinal de uma boa teoria é o já mencionado
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 35/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

a transição contínua dos fatos à teoria e da teoria aos fatos .


O valor da teoria depende de quais fenômenos da realidade
ela pode prever e com que precisão. Os mais fracos são
41

Página 42

existem teorias ad hoc - para este caso, permitindo apenas compreender


aqueles fenômenos e padrões para a explicação de que eles foram
desenvolvido.
O que fazer se os experimentos contradizerem as previsões do
riy? O princípio da falsificação propõe abandoná-lo. mas
na prática, as extensões de seu prédio principal são criadas com mais frequência. Contar
diz-se que para cada refutação experimental, a teoria
deve responder mudando sua estrutura, trazendo-a de acordo
corolário com os fatos: até que uma alternativa apareceu - uma nova teoria,
não faz sentido rejeitar o antigo [Selye, 1987, 151 ].
Então, a teoria é o resultado da generalização de dados de pesquisa,
feito de acordo com as regras de inferência, o que dá uma visão não problemática
conhecimentos contraditórios sobre o tema da pesquisa.

4,4. Problema científico

A declaração do problema é o início de qualquer pesquisa. Sem fio


Lemen é apenas o mundo em condições imutáveis, a variabilidade do mundo e
a atividade espiritual das pessoas dá origem a problemas. Protótipos
problemas são até mesmo as perguntas mais ingênuas e "infantis" ("Po-
Por que o céu é azul? "). Não é necessário pesquisar apenas o óbvio
ness. No entanto, a evidência é subjetiva. Obviamente, todos os assuntos
você cai, mas na gravidade zero não há nenhum sobe e desce no normal
entendimento. O vermelho é fácil de distinguir do verde, mas daltônico
essas cores são indistinguíveis. Acredita-se que quanto mais uma pessoa tem
esforçando-se para atingir uma meta, melhor funcionará. Mas se
sua motivação vai exceder algum valor ótimo (lei de Yerkes - Dod-
sona), então o número de erros aumentará na atividade, aprendizagem
fluirá mais lentamente, etc.
É necessário distinguir entre problemas cotidianos e científicos. Em contraste
do problema científico cotidiano é formulado em termos de
dividiu a indústria científica. Isso significa que deve estar operando
racionalizado . "Por que o sol brilha?" - uma pergunta, mas não um ensaio-
Lema, pois não indica os meios e métodos de sua solução.
"O talento é uma característica determinada geneticamente
ou depende da influência do treinamento? " É um problema que
42

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 36/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Página 43

lírico em termos de psicologia do desenvolvimento e pode ser resolvido


certos métodos.
A psicologia do dia-a-dia muitas vezes equipara o problema e a questão
cresci acreditando que o problema é o mesmo, só que mais importante e
complicado. Isso é assim e não assim, uma vez que uma característica específica do prob-
lema é que para sua solução é necessário ir além
conhecimento antigo já alcançado. Quanto à questão em geral
o conhecimento antigo é suficiente para resolvê-lo, ou seja, para a ciência
a questão não é um problema.
Como surge o problema? Na ciência, a formulação de um problema é
é a detecção de escassez, falta de informação para descrever
ou uma explicação da realidade. Acredita-se que a capacidade de detectar
a lacuna no conhecimento do mundo é uma das principais manifestações de talento
a do pesquisador.
Portanto, podemos distinguir os seguintes estágios de geração de problemas
nós: 1) identificamos a falta de conhecimento científico sobre a realidade; 2) descrever
resolução de problemas no nível da linguagem cotidiana; 3) formulação de sondas
lemes em termos de uma disciplina científica (ou seja, sua operacionalização).
A segunda etapa é necessária, já que a transição para o nível do ordinário
A linguagem go torna possível mudar de um campo científico
(com sua própria terminologia específica) para outro. Por exemplo, quando-
categorias de comportamento agressivo de pessoas não podem ser buscadas em
fatores geológicos, mas em biogenéticos ou astrológicos.
Formulando o problema, estreitamos o leque de busca de suas possibilidades.
soluções e implicitamente apresentar uma hipótese de pesquisa.
Philosophical Encyclopedic Dictionary (1989) oferece
a seguinte interpretação: “O problema (obstáculo, dificuldade) é um objeto
uma pergunta ou computador que surge no decorrer do desenvolvimento da cognição
lex de questões, cuja solução é uma prática essencial
interesse teórico ou teórico. O curso do desenvolvimento humano -
a transição da formulação de alguns problemas para sua solução, e então -
para novos problemas ”.
Os problemas são subdivididos em pseudo-problemas reais (co-
que parecem ser significativos) e problemas insolúveis (criando
máquina de movimento perpétuo, etc.). Prova de indecidibilidade do problema
nós, em si, é uma das opções para resolvê-lo.
43

Página 44

4.5. Hipótese

Uma hipótese é uma suposição científica que ainda não foi confirmada.
negado e não refutado. Acima, definimos a hipótese como "científica

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 37/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

nova suposição do que deve acontecer sob certas


circunstâncias ". Um dicionário de palavras estrangeiras define uma hipótese
como "uma hipótese científica apresentada para explicar como-
qualquer fenômeno e exigindo verificação por experiência e teórica
a justificativa para se tornar uma teoria científica confiável. "
Mas deve-se ter em mente que o caminho da hipótese à teoria é geralmente
grande. Ao mesmo tempo, pesquisadores iniciantes muitas vezes confundem
esses conceitos ou juntá-los ilegalmente.
Mas não é necessário que a hipótese de pesquisa
a escala de generalizações era semelhante à teoria. Além de
quanto mais específica a hipótese apresentada, em vez de mais claramente definida
Quanto diferente for o âmbito de sua ação, mais claros serão os resultados do trabalho.
No entanto, o que foi dito refere-se ao chamado empírico
suas hipóteses. Na metodologia da ciência, dependendo da finalidade
distinguir entre hipóteses empíricas que estão sujeitas a experimentação.
testes mentais e hipóteses teóricas.
Hipóteses teóricas são apresentadas para eliminar
contradições na teoria ou para superar a incompatibilidade
teoria e resultados experimentais e são
o ponto de melhorar o conhecimento teórico. Iniciantes
pesquisadores com hipóteses teóricas, via de regra, não
tenho.
Hipóteses empíricas. Sua origem é tripla. Primeiro
tipo são hipóteses - consequências de teorias (os chamados teóricos
hipóteses bem fundamentadas). São previsões e
servem para testar as consequências de uma teoria particular.
O segundo tipo - hipóteses, também apresentadas para confirmar
ou refutação de teorias existentes, leis, mas com base
não em teorias já existentes, mas formuladas de acordo com o princípio
poo Fayerabenda: "tudo se encaixa." Sua justificativa está na intuição do
investigador.
O terceiro tipo são as hipóteses empíricas que são apresentadas
independentemente de qualquer teoria, modelo, mas formulado
44

Página 45

para este caso, quando o pesquisador deseja apenas estudar não


que é um fenômeno com o objetivo de descobrir conexões permanentes e previsíveis
variáveis ​zi. Um exemplo clássico aqui é o uso de
Skinner está seguindo o condicionamento operante.
Talvez a fonte mais comum de hipóteses
na pesquisa psicológica são as questões deixadas
sem resposta de outros estudos. Um exemplo aqui seria
O estudo acima mencionado de Seligman sobre os eruditos
gentileza.
A principal característica de qualquer hipótese empírica é
é que são operacionalizáveis, ou seja, são formulados

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 38/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

em termos de
verificação um procedimento
direta deles. específico. Você sempre pode fazer pesquisas
Em termos de conteúdo, as hipóteses empíricas podem ser divididas em hipóteses
teses: a) sobre a presença de um fenômeno, um fato; b) sobre a conexão entre fenômenos;
c) sobre a relação causal entre os fenômenos.
Testar hipóteses do tipo "a" - uma tentativa de estabelecer a verdade
fato : existem ou não existem fenômenos extrassensoriais
de percepção, há um fenômeno de "mudança para risco" no grupo
decidir quantos personagens uma pessoa está segurando ao mesmo tempo
na memória de curto prazo, etc. Todas essas são hipóteses sobre os fatos.
Hipóteses do tipo "b" são hipóteses sobre conexões entre fenômenos. Para isso-
Essas suposições incluem, por exemplo, a hipótese do dependente
entre a inteligência dos filhos e seus pais, ou a hipótese de que
que os extrovertidos são avessos ao risco e os introvertidos são mais cautelosos.
Essas hipóteses são testadas em um estudo de medição,
que é mais frequentemente chamada de pesquisa de correlação . Sua re-
o resultado é o estabelecimento de uma relação linear ou não linear
entre processos ou detecção de sua ausência.
Hipóteses do tipo "b" - hipóteses sobre relações de causa e efeito
zyakh , essas são as hipóteses experimentais reais. Somente
aqui as variáveis ​independentes e dependentes aparecem, o
entre eles e variáveis ​adicionais.
Além de hipóteses científicas (em particular, experimentais) em em-
estudos píricos formulam estatísticas hi-
hipóteses.
45

Página 46

Hipóteses científicas são formuladas como a solução pretendida


problemas, eles são necessários para a organização do experimento.
Hipóteses estatísticas servem para comparar o registro
parâmetros controlados. Isso significa que eles são formulados apenas se
sim, quando os dados experimentais já foram obtidos, há muitos
o conjunto de parâmetros do fenômeno em estudo e alguns deles precisam
compare uns com os outros para descobrir, por exemplo: 1) ação
se eles são diferentes ou uma diferença (fixos em números)
apenas aparentando; 2) existe uma estatística
conexão significativa, etc.
Ou seja, uma hipótese estatística é necessária na fase de matemática
interpretação analítica de dados de pesquisas empíricas. Sobre-
a hipótese científica é primária, a hipótese estatística é secundária.
Hipóteses, não refutadas no experimento, viram
nos componentes do conhecimento teórico sobre a realidade - fatos, leis
dimensões, leis.
O processo de proposição e refutação de hipóteses é considerado a base
a fase mais criativa da atividade do pesquisador.
Foi estabelecido que a quantidade e qualidade das hipóteses é determinada pelo
produtividade (criatividade geral) do pesquisador - “ele-
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 39/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

não falante de ideias ".


Portanto, experimentalmente, a teoria não pode ser verificada diretamente.
zya, as consequências particulares dela - a hipótese - são verificadas. Eles deviam
sermos significativos, operacionais (potencialmente op-
rejeitado) e formulado como duas alternativas. Teoria
é refutado se as conseqüências particulares (hipo-
teses) não são confirmadas experimentalmente.
As conclusões que o resultado do experimento permite fazer,
assimétrica: uma hipótese pode ser rejeitada, mas nunca pode
ser finalmente aceito. Qualquer hipótese está aberta para pós
a próxima verificação.

46

Página 47

SEÇÃO II
TRABALHANDO COM DADOS *

Aula 5. Processamento de dados

5.1. Dados de compreensão

O processo de pesquisa direta envolve con


o tato do pesquisador com o objeto, como resultado do qual obtêm uma combinação
a totalidade das características deste objeto. Características recebidas
são o principal material para testar uma hipótese de trabalho e
resolvendo o problema. Dependendo do assunto e do propósito do estudo,
essas características podem ser apresentadas na forma de vários para-
metros do objeto (espacial, temporal, energia,
informação, integração), na forma de relações entre
partes de um objeto ou a si mesmo com outros objetos, na forma de um
dependências pessoais de seus estados em todos os tipos de fatores e
etc. Todo o conjunto de tais informações é chamado de dados sobre
objeto, ou melhor, dados primários, a fim de enfatizar a falta de
a natureza medíocre dessas informações e a necessidade de
análise, processamento, compreensão . Os dados são elementos sub-
análise, esta é qualquer informação que pode ser
classificados para fins de processamento. Em pesquisa teórica
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 40/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

coleta de dados significa a busca e seleção de


fatos conhecidos, sua sistematização, descrição de um novo ângulo
niya. Na pesquisa empírica , os dados referem-se à reflexão
a existência de objetos, fenômenos, signos ou conexões de um objetivo
realidade. Assim, não são os próprios objetos, mas seus sentidos.
exibições venolinguísticas. Objetos reais são fragmentos

* O conteúdo da Seção II é uma sinopse do


os parágrafos correspondentes do livro: Nikandrov V.V. Experimental psycho
lógica. SPb., 2003. S. 56–96.

47

Página 48

o mundo e os dados sobre eles são a base da ciência. Esses dados são "matéria-prima"
pesquisa científica com hipóteses indutivas e o objetivo de de-
hipóteses produtivas.

5,2 Compreensão geral do processamento

Após coletar um conjunto de dados, o pesquisador prossegue para sua


trabalho, recebendo informações de um nível superior - os resultados. Ele
é comparado a um alfaiate que fez uma medição (dados) e agora tudo é
dimensões fixas se correlacionam entre si, leva a uma integral
sistema na forma de um padrão e, em última análise, na forma de um ou
outras roupas. Os parâmetros da figura do cliente são dados e o
o vestido é o resultado. Nesta fase, erros no
medidas, ambigüidades na coordenação de partes individuais da roupa que
requer novas informações, e o cliente é convidado para uma prova, onde
os ajustes necessários estão sendo feitos. Portanto, na pesquisa científica:
os dados brutos obtidos na etapa anterior, processando-os
botas levam a um certo sistema equilibrado, que
torna-se a base para uma análise mais significativa, inter-
previsões, descobertas científicas e recomendações práticas. Se
ao processar os dados, quaisquer erros, lacunas, não
correspondências que impedem a construção de tal sistema, então suas
pode ser eliminado e reabastecido por medições repetidas.
O processamento de dados visa resolver as seguintes tarefas:
1) ordenar o material de origem, transformando o conjunto
dados em um sistema integral de informação, com base no qual o
é possível descrever e explicar melhor o objeto estudado e
sujeito; 2) detecção e eliminação de erros, deficiências,
pesca na informação; 3) identificação de oculto da percepção direta
aceitação de tendências, padrões e relacionamentos; 4) detecção de não
fatos que não eram esperados e não foram percebidos durante o em-
processo pírico; 5) descobrir o nível de confiabilidade, confiabilidade
a exatidão e exatidão dos dados coletados e a obtenção com base científica
resultados de som.

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 41/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Se durante a coleta de dados houver um processo de aumento da diferença


informações (o número de parâmetros, medições individuais, fontes
48

Página 49

apelidos, etc.), agora o processo inverso é observado -


aumentando a diversidade, reduzindo os dados a denominadores comuns, aumentando
permitindo fazer generalizações e prever o desenvolvimento de certas
outros fenômenos mentais.
O estágio de processamento de dados geralmente está associado ao processamento de co-
de caráter pessoal. O lado qualitativo do processamento empírico
material técnico, via de regra, é apenas implícito ou de todo
vai para baixo. Isso se deve ao fato de que a análise qualitativa, muitas vezes
associado a um nível teórico de pesquisa, que
inerente às fases subsequentes de estudo do objeto - discussão e
interpretação de resultados. Parece, no entanto, que a pesquisa
a natureza qualitativa tem dois níveis: o nível de processamento
dados onde o trabalho organizacional e preparatório é realizado
para a identificação primária e ordenação de características qualitativas
teoria do objeto em estudo e o nível de penetração teórica
na essência deste objeto. O primeiro tipo de trabalho é característico
para a fase de processamento de dados, e a segunda para a fase de interpretação
resultados. O resultado, neste caso, é entendido como o resultado e a quantidade
transformação qualitativa e qualitativa de dados primários.
Então, o processamento quantitativo é uma manipulação das medidas
características do objeto em estudo, com sua "objetivação
mi "na manifestação externa de propriedades. Processamento de alta qualidade -
esta é uma forma de penetração preliminar na essência do objeto
identificando suas propriedades incomensuráveis.
O processamento quantitativo destina-se principalmente a processos formais
novo estudo externo do objeto, qualitativo - principalmente
para um estudo interno significativo dela. Em uso quantitativo
seguir é dominado pelo componente analítico da cognição, que
refletido nos nomes dos métodos quantitativos de processamento emp-
material richeskoe: análise de correlação, análise fatorial
etc. O principal resultado do processamento quantitativo é persistente
um subconjunto dos indicadores "externos" de um objeto. Implementos-
processamento quantitativo usando matemática e estatística
seus métodos.
No processamento de alta qualidade, a composição sintética domina -
cognição, e nesta síntese o componente prevalece
unificação e, em menor medida, há um componente de
49

Página 50
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 42/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

niya. A generalização é prerrogativa da etapa subsequente da pesquisa


processo do céu, interpretação. Na fase de educação de qualidade
processamento de dados, o principal é não divulgar a essência do estudo
fenômeno desejado, mas até agora apenas na representação adequada
informações sobre ele, fornecendo seu posterior teórico
o estudo. Normalmente, o resultado do processamento de qualidade é
uma compreensão integrada de uma variedade de propriedades de um objeto
um ou objetos na forma de classificações e tipologias . Qualitativo
o processamento naya apela amplamente aos métodos da lógica.
Comparando-se qualitativamente e quantitativamente
processamento ruidoso (e, conseqüentemente, os métodos correspondentes) deve
espertamente. Eles formam um todo orgânico. Análise quantitativa
sem mais processamento de alta qualidade não faz sentido, uma vez que
por si só, não é capaz de transformar dados empíricos em sistemas
o tópico do conhecimento. Um estudo qualitativo de um objeto sem quantidades básicas
dados naturais são impensáveis ​no conhecimento científico. Sem quantitativo
o conhecimento qualitativo é um processo puramente especulativo
um tolo não inerente à ciência moderna. Nas categorias de filosofia
"Qualidade" e "quantidade", como você sabe, são combinados em uma categoria
centeio "medida".
A unidade de compreensão quantitativa e qualitativa de emp-
material richeskiy aparece claramente em muitos métodos de
processamento de dados: análises fatoriais e taxonômicas, dimensionamento
ny, classificação, etc. Mas na ciência há uma tradição de divisão
métodos para quantitativos e qualitativos. Portanto, pegamos o número
aspectos qualitativos e qualitativos do processamento de dados para independentes
fases específicas de uma etapa de pesquisa, à qual o correspondente
Existem certos métodos quantitativos e qualitativos.
O processamento de alta qualidade resulta naturalmente em
descrição e explicação dos fenômenos estudados, que já é o próximo
o próximo nível de seu estudo, realizado na fase de inter-
apresentação dos resultados. O processamento quantitativo é completamente
corre para o estágio considerado do processo de pesquisa,
que, juntamente com suas especificidades especiais, induz a sua mais
apresentação detalhada. Processamento de dados quantitativos
Possui duas fases - primária e secundária. Consistentemente
considere-os.
50

Página 51

Processamento primário. Na primeira fase, as informações brutas dos grupos


são alimentados de acordo com um ou outro critério, são inseridos nas tabelas de resumo
diferente
tabelas e gráficos. Todas essas manipulações permitem, em primeiro lugar
detectar, detectar e eliminar erros cometidos ao corrigir
coleção de dados; em segundo lugar, é impossível identificar e remover da matriz geral
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 43/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

novos dados obtidos como resultado da violação do procedimento para


seguimento, não observância das instruções pelos sujeitos, etc.
Além disso, os dados primários processados, apresentados de forma conveniente para
visões do formulário, dê ao pesquisador uma primeira aproximação do
definição da natureza de todo o conjunto de dados como um todo: sobre o seu
homogeneidade - heterogeneidade, compactação - espalhamento,
clareza - desfoque, etc. Esta informação é bem legível em
formas visuais de apresentação de dados e está associado ao conceito
“Distribuição de dados”.

Processamento secundário. O processamento secundário conclui um


análise de dados e os prepara para sintetizar o conhecimento no estágio
explicações e conclusões. Mesmo se estes, os últimos, etapas como-
por qualquer motivo não pode ser realizado, o estudo pode
pode ser considerado válido, pois acabou recebendo
resultados.
Basicamente, o processamento secundário consiste em estatísticas
com análise dos resultados do processamento primário. Tabulação e construção
gráficos, estritamente falando, também possuem processamento estatístico,
que, junto com o cálculo das medidas de tendência central,
ções e dispersão são incluídos em uma das seções de estatísticas, e
mas em estatísticas descritivas. Outra seção das estatísticas é a indução.
estatísticas tivas (ou estatísticas de saída) - atua de forma proativa
verificação da correspondência dos dados amostrais de toda a população, ou seja, decide
o problema da representatividade dos resultados e a possibilidade de transição
sim, do conhecimento privado ao conhecimento geral. A terceira grande seção é a correlação
estatísticas nacionais - revela conexões entre fenômenos.
As estatísticas são poderosas e às vezes difíceis de acessar para quem não
aparelho de pesquisador treinado. Então você tem que fazer dois
observações: 1) o processamento estatístico é integral
parte da pesquisa psicológica moderna. Evite ela
51

Página 52

quase impossível (especialmente na pesquisa empírica


EU). Isso implica 2) a necessidade de conhecimento por um especialista
um psicólogo dos fundamentos da matemática e estatística e os métodos mais importantes
análise matemática e estatística de informações psicológicas
ção A inevitabilidade das estatísticas em psicologia se deve à massa
a natureza do material psicológico, já que o tempo todo um capricho
É necessário registrar o mesmo efeito várias vezes. Causa
a necessidade de múltiplas medições reside na própria natureza
fenômenos mentais, cuja estabilidade é relativa, e
a variabilidade é absoluta. Um exemplo clássico disso é
servem como uma flutuação contínua dos limiares sensoriais, o que deu origem a
o famoso "problema do limiar". Portanto, o sub probabilístico
curso é um caminho inevitável para a cognição do mental e estatístico

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 44/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Quais A
métodos são deve-se
propósito, a maneira de implementar
observar que o esta abordagem.
uma nova imagem do mundo, substituindo gradualmente a newtoniana
Modelo cartesiano do universo, um de seus mais importantes comp.
ponentov tem apenas uma ideia da prevalência das estatísticas
leis co-probabilísticas sobre as causais.
Pelo menos, isso é demonstrado de forma bastante convincente.
para microscópico (subatômico) e megascópico (cósmico
ical) níveis da organização do mundo. É lógico supor que
isso também é verdadeiro para o nível médio (macroscópico), em gra-
cara da qual estamos falando sobre a psique, personalidade e assim por diante
categorias.
Mas muitos duvidam da adequação da matemática e estatística
linguagem ical para descrever a realidade subjetiva. A resposta para essas
dúvida parece algo assim. O mundo é um em seu infinito
diversidade, e a ciência é apenas uma tentativa da humanidade de representar
para representar este mundo em modelos (incluindo imagens) disponíveis para compreensão
mania do homem. Portanto, as fórmulas matemáticas, estatísticas
alguns cálculos, descrições de um naturalista ou pré-psicológico
posições - todas são formas mais ou menos adequadas de reflexão
a mesma realidade. Matemática é um código natural
organização do mundo e, consequentemente, a linguagem natural de descrição
esta organização. A linguagem matemática é uma linguagem científica geral
reflexos da realidade e, neste sentido, a matemática é realmente
52

Página 53

mas pode ser reconhecida como a "rainha das ciências". A psicologia é inerente a esta linguagem
assim como qualquer outro ramo do conhecimento científico. A única questão é
em como a psicologia dominou essa linguagem.
Assim, psicologia e matemática são as únicas coisas naturais
Estado. Porém, em relação a esta unidade, é necessário fazer
uma nota sobre a aplicação da estatística em psicologia: é impossível
permita-se ser atraído para a chamada "carne estatística
sentimento ", quando se acredita que, tendo passado por uma matemática
trabalhar com qualquer material, você pode obter algumas dependências,
identificar quaisquer padrões e fatos. Sem hipótese e sem
seleção cuidadosa de dados iniciais para esperar resultados científicos
tata apenas através do uso de estatísticas é impossível. Necessário
sabemos o que queremos obter com o uso de estatísticas e o que
os métodos de processamento são adequados às condições e objetivos do estudo.
Além disso, deve-se notar que um psicólogo com matemática insuficiente
o treinamento nem sempre é capaz de entender o que está acontecendo com o
material psicológico popular no processo de sua estatística
quem "rolagem". Para avaliar a adequação, validade do pretendido
Este método às vezes requer conhecimentos muito específicos.
Um apelo à frequência e ao hábito de uso em psicologia
prática prática de tais métodos matemáticos (por exemplo, fator

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 45/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

análise) nem sempre salva o caso. E então essas técnicas são processadas
os dados se tornam uma verdadeira "caixa preta" e "estatísticas
moedor de carne ". Portanto, não se deve se esforçar desnecessariamente
métodos complexos, a fim de aumentar o nível de "científico" de seu trabalho
bots. Devemos concordar com a conclusão de uma série de psicólogos autorizados
gov que quanto mais simples os métodos de processamento matemático, mais próximo
eles são para os dados empíricos realmente obtidos, quanto mais
resultados confiáveis ​e significativos são obtidos.
Além disso, não devemos esquecer que os métodos estatísticos são
arma auxiliar do psicólogo, destinada apenas a potencializar o
pensamento investigativo. Estas são apenas "árvores" para as quais devo
ser visto como "floresta" é a ideia psicológica básica.
Após essas observações, repetimos após McConnell:
estatística não é matemática, mas principalmente uma maneira de pensar, e
para usá-lo você só precisa ter um pouco de bom senso e
conhecer os fundamentos da matemática ”[Godefroy, 1992, 277 ].
53

Página 54

Todo o conjunto de dados obtidos pode ser caracterizado por


a ser compactado se for possível responder a três questões principais:
1) qual o valor mais típico para a amostra? 2) é ótimo
a disseminação de dados com relação a este valor característico, ou seja, como
qual é o borrão de dados? 3) existe uma relação entre ot-
dados na população disponível e qual é a natureza do
e a força dessas conexões? As respostas a essas perguntas são fornecidas por alguns
indicadores estatísticos da amostra estudada. Para resolver o primeiro
Nesta questão, as medidas da tendência central (ou localização
lização), para resolver o segundo - medidas de variabilidade (ou espalhamento
vaniya), para a solução do terceiro - medidas de conexão (ou correlação). Esses
as estatísticas são aplicáveis ​a dados quantitativos
(ordinal, intervalo, proporcional). Dados de qualidade
nominativo (nominativo) são passíveis de análise matemática com um
poder de ajustes adicionais que permitem que você use
para listar os elementos das estatísticas de correlação.

Aula 6. Interpretação dos resultados

6.1. Interpretação como tratamento teórico


informação empírica

O processamento de dados quantitativos e qualitativos é seguido por


é a fase decisiva da pesquisa científica - a interpretação dos resultados
tatuagens. Esta fase é frequentemente chamada de tratamento teórico, enfatizando
acenando com a cabeça sua diferença do processamento estatístico empírico. Esse

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 46/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

fase - a fase mais emocionante da pesquisa, na qual especial


A natureza criativa do processo científico é especialmente manifestada.
O processamento teórico tem duas funções principais:
1) transformação de dados preparados estatisticamente ("segundo
dados ", resultados) em conhecimento empírico e 2) obtido
conhecimentos teóricos baseados neles. Então, nesta fase-
a unidade e interconexão do empírico
conhecimentos teóricos e teóricos.
54

Página 55

Na fase de formulação de hipóteses, o pensamento científico é dirigido a partir do


ao objeto de pesquisa, na fase de interpretação - a partir do objeto
que (fatos) para a teoria. A evidência empírica torna isso possível
a princípio apenas afirmações sobre a existência ou ausência
sinal (fato), sobre o grau de sua gravidade, a frequência de ocorrência
etc. O objetivo de uma maior penetração teórica na informação
material tradicional consiste no fato de que, com base no avançado
hipóteses, processar cientificamente dados individuais ou sua coleta
para que você possa: 1) definir relações entre os dados
e hipóteses; 2) testar as hipóteses iniciais; 3) esclarecer
encadear, expandir, modificar, etc. hipóteses existentes e de-
conduzi-los ao nível de afirmações teóricas; 4) hipotético
explicar o problema ao nível de resolução deste problema.
Se o processamento estatístico cobre um aspecto quantitativo -
o espectro dos fenômenos psicológicos, a interpretação torna visível
e seu aspecto de qualidade.
Na maioria das vezes, a interpretação é entendida como dois procedimentos:
explicação e generalização . E não se pode deixar de concordar com isso. mas
parece que os limites do processamento teórico e os correspondentes
a fase de interpretação do estudo é seguida por vários
expandir.
É impossível explicar e generalizar nada sem ter um completo
uma descrição valiosa dessa mesma coisa. Na fase de processamento de dados
apenas a descrição mais preliminar é feita. Quantidade
processamento fornece uma descrição não tanto do objeto em si (ou
sujeito) estudo, quanto a descrição do conjunto de dados sobre ele
em uma linguagem específica de parâmetros quantitativos. Qualitativo
processamento fornece uma descrição esquemática preliminar do objeto
que como um conjunto de suas propriedades ou como representante de uma ou
outro grupo de objetos semelhantes. Além disso, o máximo necessário
descrição do fenômeno em estudo em linguagem natural usando
chamando, se necessário, terminologia especial e especial
símbolos físicos (matemáticos, lógicos, gráficos e
etc.). Em princípio, essa descrição pode ser independente.
o propósito da pesquisa, e então pode completar a pesquisa
ciclo de desenvolvimento. Especialmente importantes são as descrições do sistema, que
o centeio por si só pode ter um desempenho explicativo e preditivo
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 47/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

55

Página 56

função funcional. Mas com mais frequência, mesmo assim, a descrição é apenas
o precursor da ação teórica subsequente. A importância de descrever
Sania no ciclo completo da pesquisa científica é enfatizada pelo fato de que
que alguns cientistas o distinguem como um independente, separado
estágio junto com os estágios do experimento, processamento de dados, explicação
neniya, etc. Mas, ao mesmo tempo, sem descrições elementares (deixe
mesmo de caráter puramente nominativo) não consegue praticamente
nem uma única etapa do processo de pesquisa desde a formulação do problema
estamos tirando conclusões.
Em conexão com essa dualidade da posição deste componente
que a pesquisa científica, o mais lógico seria um especial
destacando a fase da descrição final em escala real, mas
não no nível empírico de estudar o objeto, mas no nível de seu teo-
compreensão retical . Então, a solução mais aceitável
incluirá a fase de descrição na fase interpretativa da pesquisa
dando. Esta decisão é tanto mais lógica quanto a ciência estabeleceu
opinião sobre a unidade de descrição e explicação da realidade. No
acredita-se que em um sentido filosófico, a descrição dá uma representação
conhecimento sobre a forma do objeto, e a explicação revela seu conteúdo; descrever
sany se correlaciona com a categoria filosófica "fenômeno" e a explicação
nie - com a categoria "essência".
É necessário ultrapassar os limites do estágio de interpretação
e na outra direção - em direção às conclusões. A composição do palco é
incluir apropriadamente o processo de extrapolação de estados, comportamento
ou propriedades do objeto estudado. Se esta extrapolação for direcionada
no futuro, então estamos falando sobre previsão e com base em previsões
em relações causais e explicações. Se a extrapolação da direção
Lena no passado, esta é uma previsão retro, uma história retro baseada no
conexões e explicações.
Tendo assim completado a etapa de interpretação, não faltou
os principais elementos do processamento teórico do empírico
material que garante o desempenho das funções mais importantes da ciência
ki - descritivo, explicativo e preditivo. Sem menosprezar
o papel de nenhum desses elementos, explicação e generalização ainda é
devem ser reconhecidos como elos-chave na cadeia geral de cognição
ações teóricas.
56

Página 57

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 48/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

6,2 Interpretação como explicação dos resultados

Compreendendo a explicação. Então, processamento de dados


leva apenas à declaração de alguns fatos relativos
o objeto em estudo. A descrição dá uma declaração
sobre o objeto como um todo. Em seguida, você deve encontrar uma explicação para o detectado
fatos e revelam a essência do objeto. É descobrir
a essência do objeto é o significado da explicação (embora, notemos,
um número considerável de cientistas, especialmente positivistas, acredita que explicar
integridade é a redução do desconhecido para o familiar, desconhecido
para um amigo).
As explicações para fenômenos psicológicos podem ser diferentes,
mas ao mesmo tempo é importante não cair em um erro comum - quando
encontre algum motivo particular para o principal. Uma variante deste
ilusão é a única explicação, se possível e
de outros. E em psicologia, tais possibilidades são a regra, não
há uma exceção. Por exemplo, o mecanismo de memória não pode ser explicado apenas
através de teorias bioquímicas (ao nível da célula nervosa), apenas
a neurofisiológicos (no nível de grupos neuronais) ou
apenas por meio psicológico (no nível das conexões associativas
entre imagens e conceitos). Todos os três sistemas de explicação são
são adequados, mas nenhum deles é suficiente. Pa-
rejeitando os princípios de complementaridade e correspondência, deve-se tomar
pegue todas as três explicações juntas.
Dependendo da natureza dos julgamentos explicativos e da posição
na ciência, os seguintes tipos principais de explicações são distinguidos: sub-
estacionário, atributivo, genético, contragenético,
estrutural.
A explicação substancial consiste na divulgação do substrato,
com o qual o objeto está naturalmente associado. Em psicologia, este tipo de explicação
nenia é realizada por meio de indicações dos fundamentos fisiológicos da psicologia
hiki, em seu substrato material - o sistema nervoso.
A explicação de atribuição revela relacionamentos consistentes
objeto com seus atributos. Um atributo é não removível, inerente
propriedade dos objetos. Assim, uma explicação da consciência pode produzir
viver através da indicação e divulgação de qualidades como o ideal
ness, integridade, reflexividade, etc.
57

Página 58

A explicação genética (causal) é realizada através de


referindo-se aos estados anteriores do objeto. Assume-
que o conhecimento da causa (passado) explica o efeito (presente
de outros). Este tipo de explicação é frequentemente usado em terapias
que prática. A psicanálise de Freud fornece modelos clássicos para
boas explicações.
Explicação contrgenética (investigativa) inversamente gene-

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 49/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

lógico e apela aos estados subsequentes do objeto: saber


o estado atual (conseqüência), é possível explicar o passado (at-
ranks). Por exemplo, tendo estudado uma situação tensa em uma equipe,
você pode revelar as causas dos conflitos.
A explicação estrutural é realizada através do estabelecimento de elementos
a composição mental do objeto e as formas de combinar esses elementos em
um todo único (estrutura interna) ou através da identificação de um lugar
um objeto no agregado de outros objetos (estrutura externa). Oso-
uma variedade desse tipo de explicação, que está ganhando cada vez mais
popularidade na ciência - explicações microestruturais. Elas
permitem através da microestrutura conhecer e explicar os fenômenos de máxima
rolevel. Os frutos da introdução de explicações microestruturais são impressionantes.
conhecimento em áreas do conhecimento como física atômica, teoria da luz,
teoria cinética do calor, bioquímica, genética, molecular
biologia. A psicologia não perde sua chance.
Os tipos de explicação fornecidos na prática científica são usados ​com mais frequência
usado em combinação, formando várias combinações. Freqüente
versões simbióticas da explicação, usando simultaneamente diferentes
características pessoais do objeto: estruturais e genéticas, atribuídas
tivo-substancial, estrutural-funcional. Aplicativo
tais explicações misturadas ou seus complexos são característicos de
explicações dos fenômenos mais complexos da realidade, para os quais
O olho está relacionado principalmente aos fenômenos da vida.
Dentre os fenômenos da vida, os mais complexos são os mentais
fenômenos químicos. Suas explicações, naturalmente, têm um certo
especificidade.

Tipos de explicação em psicologia. Em psicologia, o espectro de


possíveis explicações do mesmo fenômeno são mais amplas do que em outros
ciências. A principal razão para esta situação é a extremamente difícil
58

Página 59

ness do objeto e do sujeito da pesquisa em psicologia. Homem e


sua psique é um sistema multinível e multicomponente, você
andando simultaneamente em disfarces diferentes. Ao explicar
nii frequentemente apenas um lado é afetado, um
algum nível. Inomogeneidade (tanto estrutural quanto funcional
naya) da psique, por um lado, e sua integridade, por outro,
reduzir a complexidade e a natureza multifatorial das conexões no sistema mental
manifestações. Analisando, ou seja, desmembrando a psique, fica mais fácil encontrar
princípio explicativo para fatos mentais individuais. Mas é-
a fragilidade de tal divisão é carregada com a perda de integridade quando
explicação. A síntese científica nem sempre supera tal
erros. Muitas vezes, a explicação se resume a estar amarrado a algum tipo de "mo-
Délhi". A variedade de tais modelos em psicologia é extremamente
mas grande, o que no final das contas também multiplica a variabilidade
explicações em psicologia. Cada versão do modelo explicativo
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 50/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

se é devido a posições teóricas e metodológicas


seu autor, sua competência nesta e em áreas afins é conhecida
niya. Muitas vezes, os modelos são determinados pelo método usado para
estudar este fenômeno. Lembre-se de que mesmo a magnitude do sensorial
Este limite depende do método de medição aplicado. Portanto, para
psicologia é especialmente característica da formulada por N. Bohr para
teoria do conhecimento, o princípio da complementaridade, que é "expressa
a síntese racional de tal riqueza de fatos experimentais,
que não se enquadra nos limites naturais de aplicabilidade do
causalidade ”[Bor, 1961, 35 ]. Bohr ainda especificamente apontou
atenção a isto: “O rico vocabulário que usamos quando
descrição do nosso estado de espírito, apenas implica
normalmente um método adicional de descrição, correspondendo ao
uma mudança revolucionária no assunto em que a atenção está focada
mania ”[Ibid., 138 ].
Mas não importa quão variadas sejam as explicações na área psicológica
seus estudos, eles podem ser reduzidos a várias opções principais
antam, o que fez J. Piaget. Ele propôs destacar dois principais
tipos de explicações: 1) reducionismo - simplificação de explicações
e 2) construtivismo - a construção de modelos explicativos, adicionais
que encontram explicações reducionistas. Dentro desses dois tipos, existe
Existem variedades:
59

Página 60

- reducionismo: 1) reducionismo psicológico; 2) fora


reducionismo psicológico: a) físico (fisicalista)
explicações; b) fisiológico (orgânico, orgânico)
explicações; c) explicações sociológicas (psicossociais);
- construtivismo: 1) modelos de experiência de vida; 2) modelos
experiência inata (genética); 3) modelos abstratos.
O reducionismo psicológico consiste na redução da psicologia
a estrutura psicológica do complexo para o simples. Esta explicação é alguma
um grande número de fenômenos mentais (reações, comportamentais
camarada, etc.) por um princípio causal que não muda nem mesmo
no curso da transformação ou desenvolvimento desses fenômenos, por exemplo, fre-
explicação distal de formas complexas de comportamento social de uma pessoa
século pela ação da "libido".
Reducionismo extrapsicológico - uma explicação do psicológico
quais fatores são razões não psicológicas.
a) Explicações físicas são as informações do mental
para o físico. Normalmente, os fundamentos fisiológicos da saúde mental
passo como um elo intermediário nesta redução. Clássico
um exemplo desse tipo de explicação são as "gestalts físicas", que
centeio, de acordo com a psicologia da Gestalt, são os primeiros
Zoy de "boas formas" perceptivas. Redução física em psi
chology remonta a autores antigos que representaram o mundo,

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 51/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

incluindo uma pessoa com sua vida espiritual, consistindo no primeiro


elementos (ar - água - fogo - terra; átomos, etc.). Longe-
esta tendência foi desenvolvida nos conceitos de Hobbes de "cor-
startulah ”e Leibniz em“ mônadas ”. Isso também implica, aparentemente,
calcular e a lei sobre a energia específica dos nervos do grande "fisiológico
idealistas lógicos "I. Müller e G. Helmholtz, teoria de campo
K. Levin. Exemplos particularmente marcantes de reducionismo físico
dar várias variedades de materialismo vulgar. Então, de-
o conhecido psicólogo Maleschott argumentou que o caráter e
quais propriedades das pessoas dependem da composição dos alimentos que comem: carne
promove o desenvolvimento da habilidade matemática e técnica
tei, e comida vegetariana dá origem à capacidade de poesia e
teratura. Mesmo fenômenos sociais, como guerras e revoluções
ção, ele explicou pelo consumo excessivo de carne.
60

Página 61

b) As explicações fisiológicas consistem na redução da


a quem fisiológico. Esta tendência em psi experimental
chology tem uma longa tradição. Um exemplo dessa abordagem
é a famosa teoria das emoções de James-Lange.
A maioria das teorias fisiológicas resumem-se a uma explicação
comportamento por meio de desequilíbrio (simetria) entre alguns
componentes mi fisiológicos (nervosos). Que violação
isso leva ao aparecimento de tensões, que por sua vez
levam à formação de "energia", e esta é descarregada no
conduzindo.
Os seguintes mecanismos são os mais amplamente usados: 1) bi-
interação lateral, ou seja, proporcionando reflexão mental
o trabalho dos hemisférios esquerdo e direito do cérebro. Pra-
tudo regula a esfera do inconsciente, a esquerda - o consciente; excelente-
voye - pensamento figurativo, esquerda - conceitual (lógico); direito -
percepção de duração, seqüência esquerda - tempo
etc .; 2) não menos "elegante" par de casca - subcórtex. O primeiro é
consciente, o segundo é inconsciente; 3) díade cabeça - giro-
cérebro barulhento do sistema nervoso central. O primeiro é o mecanismo
formas adquiridas de comportamento, o segundo - congênito; 4) especial
físico - sistemas sensoriais não específicos. Primeira marcha
informações específicas sobre o estímulo: modalidade, intensidade
inatividade, localização, esta última sinaliza apenas a presença
irritante. Então, sistemas específicos se personificam em psi
o ato químico é o conhecimento e o ato inespecífico é a experiência; 5) hum-
teorias rais explicam o comportamento e as reações mentais de influência
o uso de qualquer substância hormonal. Por exemplo, a glândula pituitária é
regula o trabalho das glândulas endócrinas, e essas, por sua vez,
afetam a atividade do comportamento por meio do metabolismo.
c) Explicações sociológicas - a busca de razões para indivíduos
reações e comportamento individual no microambiente
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 52/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

fora (e em alguns casos, macroambiente) interações sociais


conexões. Encontramos exemplos desse tipo de explicação na área cultural
psicanálise E. Fromm, no conceito de motivação A. Maslow, no
Atitudes em psicologia social. Isso também deve incluir
o conceito de coletivo socialista na psicologia soviética,
e a maioria das construções sócio-psicológicas no
61

Página 62

psicologia mental: teorias de liderança, conformismo e outros


processos de grupo, o conceito de socialização do indivíduo e inter-
relações pessoais, etc.
Explicação por meio de modelos de experiência vitalícia. Procedimento
a explicação aqui é estabelecer relações causais
entre as condições ambientais e as reações observadas, caracterizadas por
com comportamento. A causalidade, por outro lado, é dedutiva
leis da educação, como a lei das associações, a lei da eliminação
necessidades, a lei do reforço, a lei dos gradientes de objetivo (aceleração
o aumento de reações ao se aproximar da meta), etc. Em outras palavras, o
em certas formas de comportamento encontra-se em sistemas (estruturas)
leis entendidas como aquisições vitalícias de novos adaptadores
formas ativas de comportamento. Essa abordagem é característica do behaviorismo.
ma, onde o comportamento é visto como adaptação a um ou outro
situações (variáveis, incentivos). Isso está consagrado no famoso
a fórmula do behaviorismo: estímulo - resposta (S → R). Ou seja, uma explicação
o conhecimento aqui é reduzido a se referir às formas adquiridas de comportamento
niya, inequivocamente determinado pelos efeitos do meio ambiente - por meio do
nomenclatura de aprendizagem . Os teóricos da aprendizagem precisamente por este fenômeno explicam
todo o desenvolvimento mental como um todo. A exceção é
apenas aqueles casos em que a influência da hereditariedade é óbvia em
o processo de maturação do organismo.
Explicação por meio de modelos genéticos. Princípio Explicativo
tsip - construções comportamentais congênitas. E ainda enfatizar
teóricos do desenvolvimento (expressão de J. Piaget) atividade
organismo (e sujeito) e a influência do meio ambiente no desenvolvimento da psique e
a referência não os impede de se referir a esses modelos. Então, imprinting
ting é um exemplo clássico deste tipo de explicação do
referência.
Explicação por meio de modelos abstratos. Produzido por distração
aprender com a diversidade de comportamentos e reações e apelo
à sua expressão mais comum. Modelos abstratos realizam
três funções: 1) esclarecer deduções insuficientemente precisas (
julgamentos de geral para específico); 2) contribuir para a detecção de não
conexões entre fatos gerais ou leis que não foram comparadas anteriormente
vim; 3) ajudar a estabelecer novas relações causais, anteriormente
não passível de análise. Um tipo comum de ab-
62

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 53/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Página 63

modelo de estrato - uma representação matemática da mentalidade


fenômenos. A famosa análise fatorial é uma dessas
preguiça, que deu origem até mesmo a chamá-la de "semi-explicação".
O esquema de Piaget pode ser complementado com alguns outros tipos
explicações dami. Em particular, teológico e teleológico
mi. A explicação teológica (do grego theós - deus) consiste no link
em Deus (em qualquer uma de suas encarnações) como o criador e força motriz de tudo
da existência, incluindo o homem com seu "mundo interior". Trivi-
o verdadeiro "para que Deus agrade" é uma ilustração de um tipo semelhante de explicação
niya. Às vezes, argumenta-se que muitas de nossas ações são ditadas
vans se esforçando, se não para conhecer a Deus, pelo menos para se juntar
para o Criador.
Claro, tais explicações não podem ser consideradas científicas, uma vez que
uma vez que eles não têm poder probatório e contam apenas com
no julgamento postulado sobre a existência do Divino original
substância barulhenta. Este postulado é impossível por métodos científicos.
nem provar nem refutar. Mas mesmo permitindo a presença do Criador,
um link para ele não é mais conclusivo do que um link para qualquer
outra autoridade. Embora na história da ciência, tal "argumentação" -
o fenômeno não é excepcional. Vamos relembrar a autoridade indiscutível
ao longo dos séculos Aristóteles, Ptolomeu, Galeno, Fo-
somos Aquino e outros grandes pensadores do passado.
No entanto, a "natureza não científica" das explicações teístas não impede
de vez em quando para recorrer a eles e cientistas reconhecidos internacionalmente.
O que é apenas a famosa observação de A. Einstein: “Deus está nos ossos
não joga! ", projetado para refutar o papel do acaso (ou melhor, provavelmente
das leis da inteligência) na estrutura do universo. Aparentemente,
cujo "efeito" é frequentemente causado pela contradição entre a unidade
e o infinito do mundo e as limitações da cognição
capacidades humanas. Bernard Shaw certa vez observou que a ciência é sempre
mas não está certo: ela nunca resolve o problema sem levantar
uma dúzia de novos. Assim, quanto maior a quantidade de conhecimento que uma pessoa possui
século, maior será a fronteira com o desconhecido. E então, tendo alcançado o "choro
técnico "nível de correlação entre o conhecimento e o desconhecido, pode
repita o famoso ditado de Sócrates: “Eu sei que não sou nada
Não sabe!" E é aqui que a tentação aparece para se referir a Deus e
"Lave as mãos."
63

Página 64

Provoca a percepção de explicações teológicas como em

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 54/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

em certa medida científico e princípio fundamental da ciência - antropológico


com base em fatos científicos, mas não excluindo a possibilidade
a habilidade de explicar o mundo pela Providência Divina. “Acordos finos
consciência "das leis do Universo, se desejado, pode ser considerada
se não como evidência, então como uma indicação da existência
Deus. Assim, o famoso cosmologista A.R. Sandage, que possui muitos
mérito para a ciência, incluindo a descoberta do primeiro quasar e
alterando a definição da constante de Hubble, em cinquenta
Por alguns anos ele se voltou para o cristianismo. Ele argumentou sua escolha
planejamento comprovável do mundo, decorrente dos "acordos sutis
banhos ".
A defesa do teísmo nas ciências naturais é o princípio da
do Ateísmo Todic ". Nenhuma referência a Deus é permitida nessas ciências
como um fator causal (causal). Mas são precisamente as explicações causais
neniya dominar em trabalhos de ciências naturais. Especialmente nós-
Eles são úteis em biologia. Mas um fato indiscutível para hoje
é a interdependência da psique e seu sub-material
estrato - o cérebro (e mais amplamente - o sistema nervoso e o corpo como um todo).
Mas muitos psicólogos preferem classificar sua ciência como
campo humanitário lipo, praticamente ignorando o natural-biológico
determinismo lógico da psique humana, portanto
deixando "na reserva" a forma teísta de explicar o psíquico
fenômenos e comportamento humano.
A explicação teleológica (do grego t é leos - objetivo) vem
do princípio da conveniência do mundo, incluindo nosso interno
ele paz. A direção teleológica na ciência também é conhecida como
o nome "finalismo". Qualquer desenvolvimento de acordo com este
para o conselho é o cumprimento de metas predeterminadas.
Em psicologia, desse ponto de vista, o desejo de algum
objetivo (mundo) é a força motriz da atividade mental
ti. Mas é óbvio que a ideia da conveniência inicial do sistema automático
mentalmente assume a presença inicial de um estabelecimento de metas, ou seja, o primeiro
o criador original. Em princípio, essa direção se funde com
teológico. Um exemplo típico de tal explicação é encontrado
dim de K. Levin (o autor da teoria de campo - a forma de redução física
64

Página 65

nismo). Explicando a conexão entre o mental e o físico, ele


mudou a posição de que entre eles não há mútua
ação, e a correspondência na forma criada graças ao divino
Sabedoria de Noé de "harmonia pré-estabelecida".
Alma e corpo realizam suas ações de forma independente, independente
simo um do outro, mas desde que eles (como um par de horas, show-
chamando de forma síncrona ao mesmo tempo) são iniciados juntos
e mova-se com a maior precisão, tem-se a impressão
sobre sua interdependência. Encontraremos links semelhantes em qualquer
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 55/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

o defensor do paralelismo psicofísico.

6.3. Interpretação como uma generalização de resultados

Generalização é a identificação de um grupo de objetos (fenômenos)


as características mais significativas que determinam suas qualidades mais importantes
características venosas. Específico de objeto
propriedades (únicas e especiais) são descartadas. Com lógico
ponto de vista, este é um processo indutivo: do particular ao geral. Por-
os resultados obtidos na pesquisa referem-se geralmente a alguns
em seguida, situações particulares, pessoas específicas, fenômenos individuais e
reações. Esses fatos individuais requerem, após sua explicação,
projeção em conjuntos maiores. Na linguagem das estatísticas
significa transferir os resultados da amostra para toda a população ,
no limite - na população em geral.
Na prática experimental, a generalização geralmente diz respeito
quatro pontos principais do processo de pesquisa: a situação
ção, respostas, personalidade do sujeito e a relação entre estes
componentes.
A generalização da situação envolve a transferência dos resultados para o
uma gama mais ampla de circunstâncias.
Ao resumir as respostas é significou resumindo diferente
reações sob uma categoria geral que os une. Precisava
é necessário provar que as diferenças nos tipos de respostas específicas não podem ser
são sensíveis, privados, não afetam o final
resultado e na conexão entre a causa (situação) e o efeito
(reação).
65

Página 66

A generalização ao nível dos indivíduos é o reconhecimento do representante


amostragem, ou seja, a correspondência das respostas de um determinado continente
gent de assuntos em um determinado tipo de situação (generalizada ou particular)
para uma variedade maior de pessoas. Para a multidão, reunida
mu de acordo com o mesmo critério principal, segundo o qual o grupo
pa assuntos de teste. Por exemplo, de acordo com idade, sexo, etnia
seja o que for, profissional, social, biológico, etc.
Generalização das relações. Estabelecendo uma conexão entre as mudanças
nym (geralmente na prática experimental entre dois
variáveis) podem ser realizadas em diferentes níveis de generalização.
No nível mais baixo, esse relacionamento é descritivo. À medida que se expande
rênio do espectro de ligações, torna-se possível comparar as mudanças
com base em um número crescente de indicadores. Forma generalizada de comunicação
já está se tornando um fator explicativo em relação à parte
diferentes tipos de comportamento. Então, o reflexo condicionado foi no início um frequente
conexão ruidosa: uma chamada - salivação em um cão (experimentos de I.P. Pav-

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 56/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

pescaria).
uma gamaEm seguida, uma
de estímulos relação
e várias semelhante
reações. foi encontrada
O reflexo entre uma ampla
tornou-se generalizado
nym indicador da relação entre a situação e a resposta. Expandir
a composição dos animais experimentais (até a inclusão aqui e
pessoa) estendeu a generalização às conexões entre o contingente
volume, situação e resposta. Agora podemos falar sobre a referência condicional
Lex como universal para animais altamente organizados (incluindo
número e para o homem) fenômeno.

6,4 Conclusões e inclusão de resultados


para o sistema de conhecimento

A pesquisa científica termina com a formulação de conclusões. Elas


deve refletir a essência do problema e ser curto - lacônico
nym. É necessário que as conclusões sejam consistentes com a formulação
metas e objetivos definidos no início do estudo, ou seja, no
dax indica se as tarefas foram resolvidas, se os objetivos da pesquisa foram alcançados.
e, finalmente, se o problema foi resolvido.
Você deve se esforçar para obter o número ideal de conclusões,
vencê-los em questões particulares insignificantes. Boa pesquisa
66

Página 67

geralmente termina com 3-4 conclusões importantes, de fato


contribuir para o conhecimento na área. Pré-recomendado
o número específico de pinos é de 7 a 9, que é predeterminado pelo volume
nossa memória e atenção de curto prazo.
Na forma de apresentação, as conclusões não precisam necessariamente representar
IVA na forma de declarações verbais. Em alguns casos,
Imagens gráficas de tempo, fórmulas matemáticas, físicas
modelos físicos, etc. Mas eles, via de regra, são acompanhados por curtas
com algumas explicações.
Resultados bem apresentados são mais fáceis de incorporar e
um sistema crescente de conhecimento científico. Ao mesmo tempo, o real
ness, significância teórica e prática, grau de novidade
os resultados obtidos. A tradução de caracteres específicos está em andamento.
em linguagem filosófica, o seu lugar na “imagem geral
não o mundo. "
A necessidade de tal acorde final, conjugado
os resultados de um estudo específico com um arsenal comum
ciência e dando uma ideia preliminar da necessidade de
trabalho concluído e o valor de seus resultados, parece óbvio.

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 57/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

67

Página 68

SEÇÃO III
MÉTODOS DE PSICOLOGIA

Aula 7. Classificação de métodos


pesquisa psicológica

7.1. Metodologia e conhecimento psicológico

Não iniciaremos este tópico diretamente a partir da descrição dos métodos.


pesquisa psicológica empírica, e volte-se para o método
a fim de traçar a conexão das representações metodológicas
conhecimentos sobre conhecimentos em geral e conhecimentos psicológicos.
Em meados do século XIX. Comte sugeriu distinguir três formas de conhecimento:
1) religioso - baseado na tradição e na fé individual;
2) filosófico - baseado na intuição do autor de um ou outro
conceitos que são racionais e especulativos em sua essência;
3) positivo - conhecimento científico baseado na fixação de fatos
camarada no curso de observação ou experimento direcionado.
Comte acreditava que a humanidade está mudando de forma consistente a forma
nós conhecimento, chegando a um século superior, positivo, mas XX. não rejeitou nem
conhecimento filosófico ou religioso. Portanto, a fala pode ser
não é sobre a substituição de um conhecimento por outro, mas sobre o domínio de um ou
outra forma de conhecimento no curso do desenvolvimento da civilização.
Em psicologia, o esquema de Comte (conforme alterado para o século 20) também funciona
incomodado. "Psicologia" é um termo que se aplica a diferentes tipos de
Vou dar prática e conhecimento.
1. Psicologia comum . Conhecimento tradicional e diário de
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 58/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

fixado em linguagem natural. Concentrado


está contido em ditos e provérbios. Com base na compreensão do tra-
convencional, comum, conhecimento da alma, existem religiosas
opiniões sobre sua natureza.

68

Página 69

2. Psicologia filosófica . Para ela, a chave é


cresceu sobre a natureza da realidade psíquica. Filósofos naturais antigos
procurando a fonte da alma entre os elementos primários (água, fogo, etc.),
Platão considerou o mundo das idéias o principal e considerou os corpos materiais
seu reflexo. E ainda a questão da relação entre matéria e não
formações materiais (ideal, subjetivo, mental
algo, etc.), a natureza dessas formações imateriais permanece
abrir. Os filósofos criaram conceitos e "modelos" da psique
ki, personalidade, ideias sobre a relação entre objetivo e assunto
realidade tiva ("teoria da reflexão", em particular), sobre determinística
nantah do comportamento humano e grupos de pessoas. Essas construções servem
a psicologia científica como fonte de hipóteses e, além disso,
permitir a interpretação de vários elementos do empírico e
conhecimento psicológico teórico.
3. Finalmente, o termo "psicologia" é entendido como uma ciência,
niksha no final do século XIX. e adotou a metodologia das ciências naturais.
Já no século XX. Dilthey propôs considerar separadamente a ciência
ki sobre o mundo externo (ciências positivas) e "ciência do espírito". Para per-
ele atribuiu física, química, geologia, biologia e outras
ciências militares, para o segundo - filosofia, ética, estética, linguística
ku, certo e vários outros. Ele definiu a psicologia como um elemento fundamental
uma ciência física, da qual todas as ciências do espírito se originam. Deste
ciência, o método principal das "ciências do espírito" está crescendo - o método de compreensão .
A psicologia, segundo Dilthey, é uma ciência empírica, mas com
tipo de conhecimento empírico em psicologia é diferente do que nas ciências naturais
natural. O conhecimento psicológico é humanitário, está próximo do normal
experiência, seu conteúdo é conhecido e registrado na cultura
tour, portanto, não contém novidade no sentido científico natural.
O critério para compreensão não é estabelecer a verdade - falso
sim, mas o grau de autenticidade , ou seja, a conformidade com o genuíno.
A compreensão como método de pesquisa está presente no curso de qualquer
ª pesquisa psicológica. Mas vários pesquisadores destacam
entender a psicologia compreensiva ou humanitária como um especial
a batalha da esfera do conhecimento psicológico, em que o principal método
é compreensão.
A compreensão é a compreensão direta do todo
rejeição, é semelhante à intuição. O antípoda da compreensão é explicar
69

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 59/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Página 70

ness, que está associado à experiência externa e à razão. Compreendo-


a criação do próprio mundo interior é alcançada pela introspecção,
o mundo interior de outra pessoa - ao se acostumar, sentir, ter empatia
viva, empatia.
Em relação à cultura do passado, a compreensão é um meio
método de interpretação - "tradução" com o acréscimo de um
valores que devem ser fixados no texto
aqueles na forma de um significado "oculto". Ou seja, o próprio texto é representado como
um problema onde há algo conhecido e algo desconhecido que requer
sua interpretação. Este método de pesquisa é chamado de herme-
neural * .
O método hermenêutico (compreensão) desde o início é
Sua ocorrência foi na verdade um método psicológico.
Sua principal característica é a cognição direta da psique.
outro (modelagem na psique de um pesquisador de mental
do assunto).
O escopo do método hermenêutico é único,
objetos integrais que possuem "inteligência". Modificações de psi
métodos hermenêuticos chológicos são biográficos
método, análise de produtos de atividade, método psicanalítico.
A abordagem científica natural da psicologia "explicativa"
foi originalmente focado no estudo de observáveis ​externamente
minha atividade humana e animal - comportamento, portanto psico-
tradicionalmente, especialmente na tradição ocidental, a lógica é referida como
ciências denominacionais e observação, medição e experimento em psi
quologias são chamadas de métodos de pesquisa comportamental (métodos de
pesquisa comportamental). O comportamento humano é subdividido em verbal
não verbal (fala) e não verbal (ação objetiva, comunicação não verbal
munificação). As técnicas de pesquisa são técnicas que registram
comportamento verbal e não verbal.
Além disso, vamos nos concentrar na psicologia "explicativa",
e na próxima subseção consideraremos a classificação do método
os pombos que essa psicologia usa.

* Para um conhecimento mais detalhado do método hermenêutico, consulte:


Druzhinin V.N. Experimental psychology. SPb., 2000. Parte 2, 3.2.

70

Página 71

7,2 Opções de classificação


e uma breve descrição

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 60/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

métodos de pesquisa psicológica


Vamos relembrar a definição científica geral do método: método - agregado
ness de técnicas e operações de domínio prático e teórico
realidade, reconhecida pela comunidade científica, a obrigação
a norma que rege o comportamento dos pesquisadores .
B.G. Ananiev, tornando esta definição mais específica
mas para a psicologia, ele disse que os métodos de pesquisa psicológica
são sistemas de operações com objetos psicológicos, ou seja, meios
atividades de pesquisa. Mas, sendo um meio, eles podem ao mesmo tempo
ser objeto de pesquisa , cujo objetivo é obter orientação
treinamento em uma variedade de métodos psicológicos e a possibilidade de especial
conhecê-los e usá-los com precisão. Examinar este objeto é lógico
comece identificando as ligações entre os métodos, ou seja, sua classificação.
A classificação é o meio pelo qual ensinamos
temos a oportunidade de navegar em uma variedade de diferentes
objetos, estabelecendo ligações entre objetos semelhantes e
combiná-los em grupos (classes).
Tentativas de classificar os métodos da psicologia empresarial
eram psicólogos diferentes. Revisando e avaliando criticamente,
V.N.Druzhinin chama a atenção para o contido em cada
desses pontos comuns (cada um inclui observação e experimentação
policial), e em homenagem às predileções pessoais dos pesquisadores, tempo,
quando a classificação foi criada (Rubinstein), e nas contradições
(por que, por exemplo, Ananiev classificou a modelagem como empírica
métodos?). Mas o principal, observa Druzhinin, é que é praticamente
ki, todos eles colocam um sinal de identidade entre os métodos empíricos
pesquisa psicológica e métodos psicológicos durante
geral, o que torna difícil determinar as especificidades de ambos.
Druzhinin propõe classificar psicológico
por duas razões. Primeiro, determine que tipo de
são níveis na hierarquia de métodos de psicologia e, em segundo lugar,
métodos de racionamento dependendo do que (com qual realidade)
interage um sujeito (pesquisador) usando um ou
outro método.
71

Página 72

Classificação dependendo do lugar na hierarquia do método


dov. Com base na classificação, Druzhinin distingue cinco
níveis:
1) o nível da metodologia (ou seja, o método descrito em relação a
condições específicas na forma de tecnologia). Métodos em psicologia -
milhares, são eles que estão contidos em coleções de testes psicológicos
tov: métodos de Eysenck, Ketel, MMPI, diferenciação semântica
la, grades de repertório, etc.;
2) o nível de recepção metódica. A recepção metódica é
um método para resolver o problema de pesquisa, envolvendo o uso de

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 61/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

o desenvolvimento de várias técnicas, cuja escolha se deve a


condições para a existência do problema, mas que são criadas em uma única teoria
base estética. Estes são métodos de erro médio, limites, constante
estímulos, método projetivo, método psicométrico,
método de tentativa e erro, técnica de estimulação dupla, etc.;
3) o nível do método é uma espécie de experimento, observado
niya, medições em psicologia;
4) o nível de organização da pesquisa. Métodos de nível 1-3
são usados ​por um psicólogo no âmbito de uma pesquisa holística, que
o enxame é organizado de acordo com o esquema de um dos métodos - comparativo,
gitudic, complexo, psicogenético;
5) o nível da abordagem metodológica. Neste nível, implemente
reflexão filosófica geral e metodologia científica geral.
Vemos que o termo "método" pode ser aplicado a qualquer
dos níveis desta hierarquia.
Classificação dos métodos em função da realidade, com
o pesquisador interage com. Por este motivo, por
classificação Druzhinin distingue três classes de métodos em psicologia
dov - teórico, empírico, interpretativo.
Métodos teóricos . O sujeito interage com o mental
o modelo do objeto (mais precisamente, o sujeito da pesquisa). resultado pri-
mudanças nos métodos teóricos é o conhecimento sobre o assunto na forma
descrições em linguagem natural, signo-simbólico (forma-
la) ou forma espacialmente esquemática.
Métodos teóricos de pesquisa psicológica, de acordo com
Druzhinin, são: 1) dedutivos - reflexões do geral
72

Página 73

ao particular , do abstrato ao concreto. O resultado é uma teoria que


vigarista; 2) indutivo - uma generalização dos fatos, uma ascensão do particular
vá para o general . O resultado é uma hipótese, regularidade, classificação,
sistematização; 3) modelagem.
Quanto ao lugar de modelagem no sistema de métodos de Amizade
Nin faz uma pergunta a Ananiev: por que em sua classificação de modelos
acabou por ser um método empírico? Uma pergunta semelhante
é lógico perguntar ao próprio V.N.Druzhinin: por que modelar -
apenas método teórico? É óbvio que nas classes existentes
sificações, a maioria dos métodos são de uma forma ou de outra
uns com os outros em uma relação de intersecção ou inclusão. Tal-
Esta situação pode ser evitada, diz V.V. Nikandrov, apenas por re-
usando a projeção multidimensional para exibir a classificação
país, onde o número de medições será determinado pelo número de eixos
sinais. Mas, uma vez que essa imagem não será descritiva,
então a classificação perde uma propriedade muito importante - didaticidade
[Nikandrov, 2008, 117]. Portanto, vamos usar os pré-estabelecidos
o conceito de modelagem como um método empírico e mais

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 62/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

considere-o separadamente.
V.N.Druzhinin chama nossa atenção para o fato de que o teórico
métodos mentais de psicologia devem ser métodos diferenciados de especulação
Psicologia de Noé , originada na psicologia filosófica . Umo-
visão não é baseada em fatos científicos e leis empíricas
nosti, mas só se justifica na intuição do autor do conceito.
O psicólogo especulativo, como o filósofo, gera aceitáveis,
do ponto de vista pessoal, um modelo de realidade psíquica ou um modelo
se seus componentes individuais (teoria da personalidade, comunicação, mouse
preguiça, criatividade, percepção, etc.). O produto da especulação é
há um ensino , isto é, algum produto mental holístico, combinado
abrigando as características do conhecimento racional e irracional ,
alegando a completude e singularidade da explicação de alguns
um enxame de realidade e não prevê a sua falsificação
em pesquisa empírica.
Métodos empíricos . Real externo
a interação do sujeito e do objeto de pesquisa. O resultado é
mudanças em métodos empíricos são dados que corrigem
o estado do objeto por meio das leituras de dispositivos, estados
73

Página 74

assunto, memória de computador, produtos de atividade, etc.


examinaremos mais de perto os recursos desse grupo de métodos.
Descrição e interpretação. Sobre esta classe de métodos em vários
o outro contexto foi discutido em detalhes acima (aula 6). Aqui
acrescentamos que esses métodos fornecem interação entre os resultados
métodos teóricos e empíricos. Interação entre
prossegue em duas etapas: 1) como resultado de pesquisa empírica
receber dados que passam por processamento primário e
são transformados em alguma forma de conhecimento (conhecimento - o resultado já é o
trabalho teórico). O conhecimento deve ser interpretado, ou seja, interpretado
cuba; 2) então a interpretação é realizada em termos de competição
hipóteses para a correspondência de hipóteses com os resultados do em-
pesquisa pírica.
Os métodos interpretativo-descritivos são os mais importantes,
embora não seja um papel óbvio em uma pesquisa psicológica holística
Vania. Muitas vezes, é a umidade refletida pelo pesquisador
O uso desses métodos predetermina o sucesso da pesquisa. Oso-
os benefícios dos métodos descritivos em psicologia são detalhados
nós na monografia de V.A. Ganzen [Ganzen, 1984], bem como na obra de sua
aluno de V. V. Nikandrov [Nikandrov, 2008].
Interpretação (esclarecimento, interpretação) é uma combinação de
significados (significados) anexados aos elementos da teoria (expressões
poços, fórmulas, símbolos). A interpretação caracteriza a proporção
teoria e alguma área do mundo objetivo. Elementos do-
ryas se tornam compreensíveis (ou seja, interpretados) através de imagens de co-
conhecimento, cuja totalidade deve ser isomórfica
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 63/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

empatado (entre eles deve haver um um para um


conexão). Mas, na realidade, essa conexão é apenas homomórfica,
unidirecional, então a relação entre o interpretado
e a interpretação não é individual: a teoria pode ter diferentes
interpretações, e o mesmo fenômeno pode ser descrito
diferentes teorias, isto é, para ser sua interpretação.
Modelagem * . A versatilidade da modelagem como cognição
método permite classificá-lo como um método geral.

* Para um conhecimento mais detalhado com o método de modelagem, consulte: Nenhum


Kandrov V.V. Experimental psychology. SPb., 2007. Ch. quatorze.

74

Página 75

caráter científico (e possivelmente geral). Mas em todas as áreas


conhecimento, onde a modelagem é aplicada, este método tem seu próprio
especificidade. Portanto, é importante para qualquer ciência representar
e princípios gerais de modelagem e recursos científicos específicos
seu uso.
No entanto, apesar do uso generalizado de modelagem
em psicologia, não há teoria de modelagem (semelhante à teoria de
um exemplo, que, a propósito, é uma implementação privada do modelo
racionamento). Atividade dos psicólogos no uso de
modelagem não termina com a construção de uma imagem holística
este método.
O atual surto de psicologia
trabalhos científicos em modelagem matemática e computacional
niyu atualiza este problema
Modelagem - concretização do método das analogias, “transdução
ção ", inferências de privado para privado, quando, como um
o log de um objeto mais complexo é levado por um mais simples e / ou
ny para pesquisa. O resultado é um modelo de um objeto, processo, estado
niya. Objetos modelados em psicologia nos termos mais gerais
a psique (com seus mecanismos psicofisiológicos) aparece,
personalidade, atividade, comunicação, comportamento.
Na ciência, muitas variedades de modelos e métodos foram propostas.
bov seus agrupamentos. Aqui estão as classificações mais significativas
cátions de modelos.
A título de implementação: a) real, b) sinal, c) geral
diferente, d) situacional. Pela natureza dos lados reproduzidos
original: a) substancial, b) estrutural, c) funcional
ny, d) misturado. Pela integridade da apresentação do objeto: 1) completo,
2) incompleto (parcial). Por área de conhecimento: a) técnica, b) co-
social, c) biológico, d) psicológico, etc. Psicologia
modelos físicos são diferentes graus de correspondência (aproximado
niya) análogos da psique e suas manifestações . Eles podem ser realizados
nós em qualquer uma das formas acima.
ESPECIFICAÇÃO E CAMODELIROVAÇÃO EM P s e kholog e i.
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 64/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Características de modelagem em psicologia são predeterminadas pelo objeto


volume e assunto da ciência psicológica. O principal objeto de pesquisa
dovaniya - uma pessoa, e isso é devido à exigência da máxima gu-
75

Página 76

masculinidade a todos os métodos de estudá-lo. Daí os significados


as restrições impostas aos meios e procedimentos do modelo
racionamento. Portanto, os limites da modelagem de sistemas psicogênicos são óbvios.
aulas de natureza traumática, embora na vida real uma pessoa
muitas vezes ele encontra influências angustiantes.
A especificidade do objeto de pesquisa (psique) é
em idealidade, latência e no mais alto grau de complexidade. Portanto-
sim, qualquer apresentação da psique em qualquer forma pode
Deli é muito aproximado e condicional e requer provas sólidas
de sua adequação. Projete a psique ou seu "funcionamento
tu ”é possível, contando apenas com suas manifestações externas. Isto é o
a afirmação aguça a questão da adequação do modelo ao protótipo, então
como é necessário esclarecer a questão de conformidade com antecedência
manifestações objetivamente observadas no espaço externo
psique processos subjetivos que ocorrem no interior
o espaço de um indivíduo (ou indivíduos em um grupo).
Em grande medida, as características da modelagem em psicologia
são condicionados pelos fundamentos conceituais de uma pesquisa específica
nii, atitudes ideológicas do pesquisador e até mesmo do estado
podstvuyuschey durante este período e neste ponto o paradigma científico
meu . Então, esta ou aquela decisão do psicofísico (psicofisiológico
problemas geológicos) são predeterminados por uma visão da essência da psique,
personalidade, comportamento e a possibilidade de seu estudo. E isso, em seu
fila, predetermina a escolha da direção, métodos e meios de seus
estudo, incluindo modelagem. Por exemplo, representantes
fenomenalismo é improvável que esteja interessado em neurofisiologia
pelos quais mecanismos de atividade mental, e apoiadores de
é improvável que as teorias denominacionais se empolguem com a modelagem da estrutura
personalidade.
A especificidade da modelagem em psicologia também se deve a
a originalidade da linguagem da ciência psicológica . Essa peculiaridade de
está incluído na subjetividade e, como resultado, na ambigüidade
e a imprecisão da terminologia psicológica. Por ausência
na ciência psicológica, uma terminologia unificada é indicada por muitos
autores. No entanto, o problema permanece até hoje. E a situação dada
a decisão complica muito o já difícil problema de conformidade
línguas (e, conseqüentemente, conhecimento) de diferentes campos da ciência
76

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 65/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Página 77

Ki. Essa questão surge de forma especialmente aguda na modelagem por computador.
vania, onde a tradução de termos psicológicos em lógico-matemáticas
linguagem técnica do programa e retrotradução da linguagem do programa
na linguagem da psicologia aumenta as demandas sobre o unificado
cação e formalização do vocabulário psicológico.
Direções básicas do modelo em p si -
hol sobre ge e. Em termos mais gerais, modelagem em psicologia
representado por duas direções principais: 1) modelos-
ração do psiquismo: o caminho da construção artificial do psiquismo
e suas várias manifestações ; 2) modelagem psicológica:
a maneira de criar artificialmente condições especiais para o desenvolvimento
psique de objetos naturais (pessoas, animais, sociais
grupos) . Ambas as formas tornam possível estudar a estrutura, função
ções e mecanismos de trabalho da psique, suas manifestações em várias formas
max e em diferentes condições.
INFORMAÇÕES GERAIS sobre o modelo.
A modelagem da psique é entendida como o design e
construção de análogos artificiais de vários métodos mentais
fenômenos e neurofisiológicos e psicológicos subjacentes
mecanismos geológicos. Essa modelagem na prática é
é realizado de duas maneiras principais: por meio de descrição e por meio de postagem
estrutura dos modelos operacionais.
A descrição é baseada em fatos puramente psicológicos, que
centeio obter através da interpretação do comportamento externo do sujeito.
Este é o caminho do raciocínio baseado em material empírico
le e de natureza probabilística. Você poderia dizer que este é o caminho
progresso do efeito (comportamento) para a causa (psique).
A construção de modelos de atuação do psiquismo determina
seu estudo através do apelo ao seu substrato material. Skon-
estruturar este substrato e colocá-lo em operação, você pode obter
resultados (fenômenos mentais), semelhantes aos resultados de
racionando o cérebro. Se a analogia for alta, então você pode deduzir
tirar certas conclusões sobre a psique. Então este é o caminho
o oposto do primeiro: da causa (cérebro e psique) para o
(comportamento). Além disso, a psique é considerada aqui como um
intermediário e não de particular interesse elemento de inter-
seu substrato e sua manifestação na forma de comportamento.
77

Página 78

O primeiro caminho é o caminho da psicologia "pura" com o apoio


ke filosofia, levando ao conhecimento teórico da psique.
O objetivo final aqui é construir teorias da mentalidade
reflexões e personalidades com base nas quais você pode melhorar

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 66/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

processos de educação e criação, para aumentar a eficácia da psicologia


ajuda psicológica, promove o desenvolvimento espiritual e a auto-
realização das pessoas. O segundo caminho é o caminho dos esforços conjuntos de psi
chologistas e representantes de várias ciências, levando a práticas
"domínio" chique da psique. Aqui, o objetivo final é o desenvolvimento
máquinas que podem ajudar uma pessoa e, às vezes, substituí-la em um
atividades diferentes. Neste caminho, até agora, a maior prática
em primeiro lugar, trabalhar no campo da robótica
técnicos e jogos de computador (por exemplo, computadores jogando xadrez
tapetes, cartões, etc.); em segundo lugar, o desenvolvimento de dispositivos capazes de
compensar vários defeitos na operação dos sistemas analisadores
tópicos da pessoa. Por exemplo, a criação de próteses para mecanismos individuais
audição e visão.
As descrições podem ser dadas em forma verbal, gráfica ou material
forma matemática. Além disso, tanto na área científica como artística e
formulários de ficção científica (lembre-se, pelo menos, dos fatos sobre o empréstimo
dicionário científico do termo "robô" da peça de K. Chapek).
Os modelos operacionais são geralmente algum tipo de técnica
dispositivos que, com vários graus de aproximação, realizam
as funções da psique ou seu substrato fisiológico - o sistema nervoso
temas e suas partes (o cérebro, suas áreas individuais, nervos
célula).
A modelagem é implementada principalmente por meio de descrições
mecanismos psicológicos . Este tipo de modelagem é um elemento
psicólogos. Idealidade (imaterialidade) do psicológico
os canismos excluem sua incorporação física e fornecem
possibilidades ilimitadas de sua apresentação e interpretação.
Portanto, temos muitas opções para o mecanismo de resposta sensorial.
(teoria de detecção de sinal, teoria de alto limiar, neuroquan-
teoria, etc.) e um número ainda maior de indicadores de
ness (de uma compreensão sensorial, mas não comprovada por-
ha para a característica operacional difícil de perceber do receptor).
Portanto, temos muitas teorias de emoções (do organísmico
78

Página 79

a teoria de James - Lange à teoria da informação de P.V. Simon-


wa). Portanto, há um número infinito de modelos e teorias de personalidade
nosti. Em psicologia, é geralmente considerado uma boa forma de múltiplos
opiniões sobre um assunto.
A modelagem de mecanismos fisiológicos é realizada
principalmente através da criação de modelos de trabalho. Modelagem
mecanismos fisiológicos e principalmente neurofisiológicos
nizm - a área de interesse de muitas ciências. A voz dos psicólogos está aqui
infelizmente, de forma alguma dominante.
A coroa da modelagem da psique (em ambas as versões) deve ser
reconhecer o desenvolvimento de modelos de consciência como integrador de todas as formas psiquiátricas
funções mentais de uma pessoa e modelos de personalidade como "a psique mais elevada

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 67/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

síntese química ".


Os modelos obtidos ao longo deste caminho (descritivos e
operacional) e os resultados de seu uso servem de base para
movimento de hipóteses psicológicas e sua transformação de acordo
teorias existentes, que, por sua vez, dão ímpeto a novas
pesquisas com o uso de modelagem, levando
para teorias mais modernas, estimulando o desenvolvimento de mais
modelos perfeitos e assim por diante. ao longo do caminho sem fim do conhecimento.
Quanto à modelagem dos fundamentos fisiológicos da psique
Mais uma vez, observe que esta simulação é uma tentativa de
como reproduzir artificialmente "na entrada" os princípios básicos de
bots do substrato nervoso (mecanismos neurofisiológicos), graças
em que "na saída" devem ser obtidos resultados, correspondentes
atividade mental correspondente. Assim, os modelos
ração de fenômenos mentais (e, em última instância - comportamento)
é o propósito desses desenvolvimentos, e o projeto de fisiologia
seus mecanismos - uma tarefa, a solução que permitirá atingir o objetivo.
Portanto, para separar o procedimento de modelagem de fenômenos mentais
preguiça do procedimento para imitar os fundamentos fisiológicos da psique
é proibido. Este é um processo único.
E este tipo de modelagem começou com trabalho de modelagem
neurônio. O próximo passo é imitar o trabalho de um conjunto de
neurônios atuantes, rede neural. Na linguagem da fisiologia (e
psicologia), este conjunto é mais frequentemente chamado de cérebro, sub-
afastei antes de tudo o córtex cerebral e, claro, não se esqueça
79

Página 80

saber que o cérebro é apenas uma das seções do sistema nervoso integral
nós que o sistema nervoso central não pode funcionar de qualquer maneira-
cama sem sistema nervoso periférico.
A conquista mais famosa na modelagem neural
redes - perceptrons de Rosenblatt . Estes são dispositivos técnicos
desempenhando as funções de percepção e memória, permitindo que o
aprender objetos não muito complexos (por exemplo, letras do alfabeto).
Ao mesmo tempo, os perceptrons têm a capacidade de aprender. Por princípio
operação do perceptron, programas universais são construídos
para computadores, estudantes de diagnóstico médico e técnico, em
interpretação de dados geofísicos, previsão do tempo, etc.
Os maiores avanços na imitação do trabalho da neurofisiologia
mecanismos geológicos acompanharam a modelagem da percepção,
memória e pensamento. Desenvolvimento adicional de modelagem de mouse
preguiça, e mais amplamente - as capacidades cognitivas de uma pessoa, leva
para a formação de uma direção independente na ciência - modelo-
desenvolvimento da inteligência artificial.
Existem inúmeras tentativas para simular emocional
a esfera natural do homem. No entanto, sucesso especial para afirmar
não é necessário. Os cientistas conseguiram um pouco mais na modelagem
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 68/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

motivação que anda de mãos dadas com a modelagem


emoções e outras manifestações da personalidade. No entanto, funcional com sucesso
Modelos nativos desse fenômeno ainda são desconhecidos.
Da modelagem de motivações e emoções, uma etapa para a modelagem
personalidade vaniya . Mas aqui com as mesmas limitações de possibilidades
modelagem de computador, que são típicos para os reguladores
esferas da psique, complicações associadas a incomensuráveis
maior complexidade do fenômeno da personalidade como um integrador superior
pa de todos os fenômenos mentais e com a ambigüidade do conceito de "personalidade
ness "na ciência. Apesar disso, as tentativas de criar
modelos de personalidade foram adotados.
O mais famoso entre eles é o modelo de J. Lawlin, que
chamado por seu criador de "Personalidade de Aldous". Aldous co-
consiste em 750 comandos que respondem aos dados inseridos no computador -
situações. As situações diferem no tipo e nas consequências para
Aldous, que é criptografado em um código de dados de sete dígitos. Em cada sistema
tuações Aldous se comporta de acordo com o "humor" e "acumulação
80

Página 81

longa experiência ". As "ações" de uma pessoa são objetivadas com base em
dispositivo de bate-papo sob a forma de códigos digitais. "Humor" Ol-
dosa é determinado pelo tipo e força das "emoções". Ele tem três deles:
zhivitelny - "desejo" e dois negativos - "medo" e "raiva".
Dependendo da predominância de uma ou outra “emoção”, Aldous “atribui
aproxima ”,“ afasta-se ”ou“ ataca ”. Além disso, com uma diminuição
a intensidade da "emoção" de sua "ação" diminui até
terminação. No "estado de espírito", as emoções residuais são resumidas
(causados ​pela situação anterior) e aqueles que dependem de
a natureza de suas "memórias" das consequências do sistema apresentado
mensalidades. Suas reações também dependem da emoção total. Se no total
se nenhum dos três tipos de emoções prevalecer, então surge um confronto.
litte. Dependendo das próximas consequências de certos sistemas
aulas de Aldous podem mudar "visões" sobre ela, desenvolvido
antes e, portanto, com apresentações subsequentes, o mesmo
situações de sua decisão podem ser diferentes do que antes.
Resumindo a modelagem das bases fisiológicas da psique
ki, deve-se notar que os resultados do trabalho nesta direção
influenciou radicalmente o desenvolvimento da tecnologia do século XX. Mas oh querida
infelizmente, nenhum conhecimento foi adicionado à alma humana.
P s, hol o g e mod e ling. Conclui
na criação artificial de condições especiais que provocam
necessário para a tarefa de pesquisa (pesquisa, treinamento) resposta-
reações naturais, ações ou atitudes de portadores naturais
psique (pessoas ou animais). Em outras palavras, o pesquisador é
dependendo do assunto e das tarefas da pesquisa criada para o estudado
objetar a uma situação psicogênica específica , como resultado da qual
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 69/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

seu comportamento é modelado (para uma pessoa na forma de atividade e


comunicação).
Comparando as condições iniciais da situação psicogênica com para-
metros de comportamento do objeto, você pode, em primeiro lugar, obter dados indiretos
dados sobre a organização e o trabalho do psiquismo, que podem ser usados
utilizado para seu estudo e modelagem; em segundo lugar, para identificar
correlação, causal e às vezes funcional
conexões entre influências psicogênicas e características
comportamento, o que dá base para a derivação de psicológicos
81

Página 82

conformidade; terceiro, desenvolver técnicas eficazes


impacto nas pessoas, a fim de fornecer-lhes assistência psicológica
potência.
As principais características da modelagem psicológica:
1) objeto natural e sujeito de pesquisa - pessoas (vivas
votnye) e sua psique;
2) a artificialidade das condições de pesquisa (por exemplo, experimental
laboratório mental, centro de diagnóstico, psicoterapia
o escritório);
3) o uso de ferramentas de modelagem - diretrizes metodológicas
biy (por exemplo, instruções, questionários, material de incentivo), técnico
dispositivos técnicos (por exemplo, exibindo equipamentos, medindo
equipamento) ou agentes farmacológicos (por exemplo,
barbitúricos em alguns tipos de intervenções psicoterapêuticas
psicodélicos ou psicodélicos em psicologia transpessoal);
4) intencionalidade dos impactos no objeto;
5) humanização dos impactos;
6) programação do procedimento de ações (a partir de um mínimo de registro
lamentação em conversa livre ao máximo em testes
ou experimento de laboratório).
7) registro de influência (situacional e processual)
fatores e respostas do objeto de estudo.
Você pode formar uma situação psicogênica com a ajuda de qualquer
Deus método empírico de psicologia até provocou
observação e introspecção. O mais característico neste ot-
vestir é definitivamente um experimento de laboratório , teste ,
métodos psicofisiológicos e psicoterapêuticos .
A modelagem psicológica é uma forma essencial
meus todos os tipos de trabalho psicológico - pesquisa , diagnóstico
tiques , aconselhamento , correção . Na prática psicoterapêutica
assim, são as próprias situações psicogênicas que muitas vezes agem como
ferramenta de atendimento psicológico. Clássico pri-
medidas para isso - psicodrama, onde o desempenho de palco real deve
levar a um efeito terapêutico (catarse). Específico
que tipo de modelagem psicológica é psicológica

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 70/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

ningi
sinais.dessa
Todosdireção.
os itens acima são especialmente vividamente representados neles.

82

Página 83

Tendo apresentado uma breve descrição dos métodos, classificamos


baseado na base "com o que (com qual realidade) interage
o assunto está soprando ", vamos nos concentrar nos métodos empíricos que
dividido em dois grupos: medidas empíricas não experimentais
métodos e método de experimentação em psicologia.

Aula 8. Não experimental


métodos psicológicos empíricos

8,1 Observação

Quando dizemos que o objetivo da psicologia científica é a explicação,


previsão e gestão do comportamento, então não devemos esquecer-
acreditar que nenhuma explicação, nenhuma previsão, nenhum controle é impossível.
mas sem uma descrição precisa desse comportamento. O objetivo principal da pesquisa é
A observação nii consiste em obter informações descritivas .
Observação - percepção proposital e organizada
e registrar o comportamento do objeto . Em psicologia, a observação é
mudanças principalmente nas áreas onde
consertando as características do comportamento humano natural em
condições usuais para ele, onde a intervenção do experimentador
perturba o processo de interação humana com o meio ambiente.
Intimamente relacionada à observação está a abordagem ideográfica (método)
para a exploração da realidade. A abordagem ideográfica é amplamente utilizada
mudanças nas humanidades, nas ciências culturais. Lá,
onde objetos únicos são estudados, é o único possível.
Um exemplo de seu uso em psicologia é “Um pequeno livro sobre dor
na memória "AR Luria.
A abordagem ideográfica é oposta pela nomotética
abordagem (ciências naturais) - pesquisa que identifica
leis de desenvolvimento, existência e interação de objetos. Idio-
a abordagem gráfica é implementada com base apenas na observação, enquanto
enquanto a abordagem nomotética só começa com a observação.
83

Página 84

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 71/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Em várias ciências, a observação é o único método empírico


tod. Astronomia é a ciência observacional clássica.
Todas as suas realizações estão associadas ao aprimoramento das técnicas de observação.
denia. A observação é igualmente importante no comportamento
ciências. Principais resultados em etologia (a ciência do comportamento animal
ny) obtido pela observação da atividade de animais
na Vivo.
As principais características do método de observação são:
- conexão direta entre o observador e o objeto observado;
- o preconceito do observador;
- a complexidade (às vezes - impossibilidade) de observação repetida.
Os problemas do método decorrem desses recursos. Como
o primeiro é o problema de preservação da validade externa : a condição
validade externa de observação é uma não violação do natural
comportamento do objeto de observação.
O segundo problema do método está intimamente relacionado ao primeiro - o problema
observador , desde o comportamento de uma pessoa ou de um grupo de pessoas
muda se eles sabem que estão sendo observados de fora. Por-
o papel mais importante para a implementação do método é desempenhado pela personalidade do psiquiatra
hologa, suas qualidades profissionalmente importantes.
O terceiro problema é o problema de registrar os resultados da observação.
denia. É sobre a necessidade de categorizar comportamentais
atos e parâmetros de comportamento e a capacidade de estabelecer com precisão a diferença
de acordo com o ato comportamental de uma categoria de outra (por exemplo, em
No caso da agressão, pode-se destacar suas manifestações individuais - físicas
influência, abuso, ironia, humor, etc., concordam em co-
manifestações comportamentais que lhes correspondem, para aprender seus fictícios
sirovat).
O quarto problema é a incapacidade de evitar
avaliação subjetiva durante a categorização, bem como na fase de secundária
codificação e interpretação dos resultados (para melhorar o funcionamento
a validade racional requer a participação de especialistas).
A partir da definição e análise dos problemas do método de observação, o seguinte
que se baseia em duas suposições (postulados) - não
mediocridade e passividade.
A essência do postulado do imediatismo é a seguinte:
eventos externos são considerados adequadamente representados
84

Página 85

para o observador na forma de realidade psicológica, ou seja, na forma


imagens subjetivas de diferentes modalidades (visual, auditiva,
táteis, etc.), como eles são "na realidade", e
portanto, o observador não precisa tomar uma decisão sobre o que
é um fato observável - o conhecimento está contido na própria
facto. Em outras palavras, o postulado de imediatismo significa
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 72/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

que o conhecimento psicológico foi dado a uma pessoa diretamente , e


o método de observação é a maneira mais direta de obter
argumentos empíricos.
A essência do postulado da passividade é a seguinte:
presume-se que a realidade observada é objetiva ou subjetiva
tiva - não alterada pelo pesquisador . Com psico externo
observação lógica, quando o observador e o observado não estão sozinhos
e a mesma pessoa, a passividade do cargo significa o princípio da imparcialidade
comportamento nas formas "naturais" de manifestação da psicologia estudada
realidade lógica.
O método de observação tem desvantagens que, em princípio,
não pode ser descartada. Por exemplo, o seguinte
erros que o observador geralmente comete:
1. Efeito Halo. A impressão generalizada do observador, levando
a uma percepção grosseira de comportamento, ignorância das diferenças sutis.
2. O efeito da indulgência. A tendência de sempre dar uma resposta positiva
avaliação do que está acontecendo.
3. Erro da tendência central. O observador busca sim-
dê uma estimativa média do comportamento observado.
4. Erro de correlação. Avaliação de um atributo comportamental sim
é baseado em outra característica observável (a inteligência é estimada
fluência).
5. Erro de contraste. A tendência do observador de enfatizar
traços observáveis ​opostos aos seus.
6. Erro de primeira impressão. A primeira impressão de um indivíduo
forma determina a percepção e avaliação de seu comportamento posterior.

8,2. Medição
Este é um dos métodos científicos gerais, cujas especificações são aplicáveis
Vamos agora considerar a psicologia.
85

Página 86

A partir da estatística matemática, lembramos que uma medição é


é uma operação pela qual os números são atribuídos às coisas (nós-
uma correspondência um a um é estabelecida entre o conjunto
mulher de coisas e muitos números de acordo com certas regras - uma escala
lação). Mas este é um ponto de vista matemático. Para nós agora
mais importante é o ponto de vista metodológico (como o psicológico
medição), de acordo com o qual a medição é um registro
walkie-talkie do estado de um objeto usando os estados de outro objeto
( dispositivo ). Nesse caso, o pesquisador busca registrá-lo
características como são "objetivamente", ou seja,
independentemente do pesquisador e da técnica de medição, - não modificado
citar um objeto sem afetá-lo. Mas o objeto afeta
dispositivo, e o resultado desta influência - as leituras do dispositivo - inter-

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 73/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

fingiu ser pesquisador. Idealmente, uma operação de interpretação


deve descrever com precisão o efeito das características do objeto no desempenho
dispositivo.
Portanto, a medição é um método empírico para identificar características
a tese de um objeto, organizando a interação do objeto
com um dispositivo de medição, cujas mudanças de estado dependem
Eles são alimentados por mudanças no estado do objeto.
Observe que o dispositivo não pode ser apenas externo
vestindo um objeto para o pesquisador (estesiômetro, taquistoscópio, psi)
teste hométrico, etc. - medição instrumental), mas também
pesquisador, uma vez que "o homem é a medida de todas as coisas" - pé,
cotovelo, etc., são medidas de comprimento. Avaliando diretamente o especial
comportamento do outro, o pesquisador se torna um especialista.
Esse tipo de medição é semelhante à observação.
As características do método de medição em psicologia são as seguintes.
Existem dois procedimentos principais para mudança psicológica
rênio:
1) o próprio psicólogo mede as características do comportamento das pessoas, que-
iria atribuí-los a um certo tipo de personalidade ou determinar você
impaciência de qualquer propriedade ou condição mental;
2) a medição é feita pela tarefa do sujeito, que está medindo
em (classifica, classifica, avalia, etc.) outras pessoas,
objetos, bem como seus próprios estados.
86

Página 87

Freqüentemente, uma medição conjunta de incentivos e pessoas


exemplo ao testar o conhecimento.
Deve-se ter em mente, VN Druzh-
percebendo que o procedimento 1 e o procedimento 2 são dois completamente diferentes
processo. No sentido estrito da palavra, uma dimensão psicológica
só pode ser chamada de medida do comportamento dos sujeitos (ou seja,
rênio, no primeiro significado deste conceito), uma vez que esta é a tarefa de psy-
chologa. No segundo caso, o sujeito desempenha o papel de um medidor
dispositivo. O psicólogo, com base nessa atividade, testa
mogo "mede" as características de sua realidade subjetiva. No dado
Neste caso, a medição é usada apenas como um método metodológico
junto com outros métodos de pesquisa psicológica. Tópicos
não menos os resultados deste tipo de "medições" são interpretados e
são processados ​da mesma forma que os resultados da medição do comportamento do
torturado; e como é assim, em psicologia costuma-se usar
o conceito de "dimensão psicológica" em dois sentidos diferentes.
Exteriormente, o procedimento de medição psicológica não tem nada a ver com
difere do procedimento de um experimento psicológico: as palavras
medição "e" experimento "são freqüentemente usados ​indistintamente. Od-
no entanto, ao conduzir um experimento psicológico, estamos interessados ​em
existem relações causais entre as variáveis, e o resultado da psicologia
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 74/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

medição lógica é apenas a atribuição do assunto


ou o objeto avaliado por ele para uma determinada classe, ponto da escala
ou espaço de sinais.
A base das medições psicológicas é matemática
teoria das medições de kaya - a maior seção da psicologia matemática
chology.
Uma limitação do método de medição é a incapacidade de
mostram relações causais. No entanto, a comparação
resultados de medição de vários parâmetros do objeto permitem que você
mostrar as conexões entre eles. Estabelecendo ligações entre diferentes
as propriedades dos objetos são chamadas de pesquisa de correlação.
Portanto, a medição pode ser descrita como um método, um intermediário
preciso entre a observação e o experimento, como um "instrumento
observação de perto ".

87

Página 88

8,3. Método comunicativo

A conversação é um tipo de comunicação específico da psicologia.


um método de pesquisa negativo. No âmbito deste método, é feita uma distinção entre
conversa clínica como parte integrante do "método clínico
sim ”e uma pesquisa direcionada - entrevistas.
O termo "conversa clínica" foi atribuído ao método de pesquisa
a criação de uma personalidade integral, na qual, durante um diálogo com o sujeito,
meu pesquisador busca obter o máximo de informações possível
formação de seus traços de personalidade individuais, vida
caminho, o conteúdo de sua consciência e subconsciência, etc. Clínica
A entrevista física não é necessariamente realizada com o paciente na clínica.
Durante a conversa, o pesquisador apresenta e testa hipóteses
sobre as características e razões do comportamento da personalidade. Se para verificar
hipóteses de ki, o sujeito recebe tarefas, testes e, em seguida, o clínico
a conversa se transforma em um experimento clínico. O problema do cli-
A noção de uma conversa é a captura de dados.
Entrevista. Crítico ao conduzir entrevistas
tem um contato confiante sem perder a distância psicológica
ção Existem muitas diretrizes específicas para o treinamento
fazer a construção e condução das entrevistas. Eles são todos detalhados de-
atraso no correspondente sociológico e sócio-psico
literatura lógica.
Em psicologia social, as entrevistas são o primeiro tipo de método.
votação. O segundo tipo é uma pesquisa por correspondência, questionários.
Pioneira no uso do questionário em pesquisas psicológicas
Este foi F. Galton. Investigar a influência da hereditariedade e do meio ambiente
ao nível de realização intelectual, ele projetou
um questionário e entrevistado com sua ajuda 100 dos maiores britânicos

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 75/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

eles. Posteriormente, os questionários passaram a ser amplamente utilizados na psicologia do desenvolvimento.


vitalidade e psicologia da personalidade, psicologia associal.
V.N.Druzhinin propõe considerar o questionário como não psico
pelo método lógico, uma vez que as informações obtidas com o auxílio de
questionário, é declarativo e, portanto, não confiável e indigno
correto mesmo com a sinceridade total do assunto (conhecido como
o conteúdo das declarações do sujeito de teste é influenciado por um inconsciente
pode motivação e atitudes). Portanto, ao conduzir uma psicologia
88

Página 89

pesquisa científica e sócio-psicológica, este método pode


pode ser usado como um extra opcional.

8.4. Método de arquivo

O método de arquivamento é uma pesquisa conduzida por psico-


o registro não mede ou observa o comportamento real do sujeito.
vá, mas analisa os "produtos da atividade" (entradas do diário
e notas, materiais de arquivo, produtos de trabalho, educacionais ou
atividade criativa, etc.). Análogos: “análise dos produtos da
ness ”ou o método praximétrico.
De acordo com os objetivos e métodos específicos de implementação do "método de arquivamento"
sim ”distinguir suas variedades.
A análise de conteúdo é um tipo importante de método de arquivamento.
Esta é uma análise de conteúdo, uma das mais elaboradas e rigorosas
métodos de análise de documentos. Um documento é entendido como um amplo
um conjunto de textos: textos no sentido estrito - jornais, diários
ki, cartas, etc., bem como fotografias, gravações magnéticas e de vídeo e
etc., contendo informações de interesse do pesquisador. Ex-
o investigador identifica unidades de conteúdo e quantifica (ob-
funciona quantitativamente) dados recebidos.
As unidades padrão para análise de texto na análise de conteúdo são
ze são: 1) palavra (termo, símbolo), 2) julgamento ou completo-
pensamento de naya, 3) tema, 4) personagem, 5) autor e 6) comunicação holística
nie. Cada unidade é vista no contexto de um contexto mais geral
estruturas.
A maneira mais simples de processar dados de análise de conteúdo é
registro da frequência de ocorrência de determinadas unidades no texto
para calcular a "gravidade específica" de certas unidades. Além do mais,
a construção de matrizes de co-ocorrências de unidades é aplicada
análise de conteúdo em textos. Comparação da frequência empírica do
aparecimento local de duas unidades com uma probabilidade teórica (condicional)
a clareza de sua reunião dá informações sobre a não aleatoriedade ou acidente
a probabilidade de sua aparição nos textos.
A análise de conteúdo é frequentemente usada principalmente em questões políticas
psicologia, psicologia da publicidade e comunicação, bem como na análise
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 76/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

89

Página 90

análise dos resultados da aplicação de testes projetivos, materiais sem


cabelos grisalhos, etc. Vantagem deste método: nenhum efeito da exposição
o pesquisador sobre o comportamento dos sujeitos, os dados são verificados para
confiabilidade. A desvantagem é a complexidade do procedimento, mas o uso de
O desenvolvimento dos computadores deu à análise de conteúdo um "segundo fôlego".
A análise dos produtos da atividade é outro tipo de ar-
método hiv - fornece material importante para a clínica
psicólogos: para certas doenças (esquizofrenia, mania
psicose depressiva, etc.) o caráter de
produtividade, que se manifesta nas características de textos, desenhos
kov, artesanato de pacientes.
Uma amostra de análise neuropsicológica de produtos de atividade
do paciente é apresentado no livro de A.R. Luria "Lost and
mundo girado ". Toda a apresentação é construída com base no estudo e
interpretação de entradas de diário e desenhos de uma pessoa que transferiu
ferido em uma das zonas terciárias do córtex do hemisfério esquerdo do
cérebro amoroso.
Intermediário em seu status entre psicológico
medição (teste) e análise de produtos de atividade
é o método projetivo . O procedimento para aplicação de qualquer produto
metodologia efetiva é a mesma que qualquer outra metodologia psicológica
teste (instrução, controle das ações do sujeito com um
o experimentador, etc.). Mas, ao contrário do tradicional
teste, a ênfase é mudada para o procedimento de análise e inter-
previsões dos produtos da atividade dos sujeitos.

Isso conclui a consideração de em-


métodos píricos de pesquisa psicológica. Discurso adicional
fará um experimento psicológico. Mas antes de eu começar
beba para a sua discussão, vamos dizer algumas palavras sobre o que você entende
sob o experimento em ciências em geral.
Vamos começar com uma definição científica geral. Experimento - verificar
pesquisa em condições especialmente criadas e controladas
a fim de testar a hipótese experimental de causalidade
comunicação investigativa . Daí decorre que o experimento é realizado
para estabelecer relações causais entre fenômenos
mi. O pesquisador tenta mudar as condições externas para que-
90

Página 91

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 77/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

afetaria o objeto estudado; influência externa no objeto


é considerada uma causa, e uma mudança no estado (comportamento) de um objeto é
consequência.
A experiência é um método ativo de estudar o real
STI: o pesquisador não só questiona a natureza, mas também “você
precisa ”dela para respondê-los. Observação e medição permitem
para responder às perguntas "como?", "quando?", "como?"
A ferramenta responde à pergunta "por quê?"
O experimento é caracterizado pelo fato de que os procedimentos de observação
medições e medições são incluídas no experimento . Além disso, pesquisa
o doador age planejado e propositadamente sobre o objeto, a fim de
medir sua condição. Esta operação é chamada experimental
impacto nym .
Na literatura científica, o termo "experimento" é usado como
a um estudo experimental holístico - uma série de experimentos
testes mentais realizados de acordo com um único plano, e para único
nenhum ensaio experimental - experiência, portanto, confunde conceitos
"Experiência" e "experimento" não são permitidos.
Tudo o que foi dito sobre o experimento como um fenômeno científico geral na área
até certo ponto se estende a um experimento psicológico, um
o último tem uma série de recursos específicos que iremos considerar
Roma mais longe.

91

Página 92

SEÇÃO IV
EXPERIÊNCIA PSICOLÓGICA

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 78/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Aula 9.como
Experimento psicológico
um problema psicológico

Neste tópico (cuja apresentação é baseada principalmente em


no livro [Druzhinin, 2000]), três
ment, que determinam as especificidades do experimento psicológico
experimentar em oposição a experimentar em outras ciências. Isso é sobre
tais componentes inevitáveis ​de experimentação psicológica
aquele como um experimentador (sua personalidade e atividade),
minha (sua personalidade e atividades) e a interação entre eles
(comunicação experimental).

9. 1. Fontes de artefatos
experimento psicológico

Vamos começar com a definição. Experimento psicológico - isso


atividade conjunta do sujeito e do experimentador, que
a segunda é organizada pelo experimentador e visa a pesquisa
estudo das características do psiquismo dos sujeitos * .
Nesta atividade conjunta, ambos os lados têm seus
os motivos e objetivos da participação no experimento, e esses motivos e objetivos podem
causar artefatos no experimento.
Artefatos geralmente são entendidos como resultados de pesquisas.
objetos que às vezes surgem como resultado da exposição ao objeto
vocês são as próprias condições da pesquisa (que o experimentador disse
por quaisquer razões, não é capaz de levar em consideração e, portanto, está inclinado a considerar

* Se compararmos esta definição com a definição científica geral de experimental


isso, então é óbvio que é um caso especial do último.

92

Página 93

o resultado é fruto das influências por ele organizadas, ou seja, de levar


artefato de fato).
A raiz "arte" significa "artificial", ou seja, um artefato - "é
um fato criado artificialmente. " A razão para esta artificialidade é
o investigador pode não estar ciente - e então ele aceita o ar-
fato por fato, ou estar ciente - e então ele procura a causa do artefato-
isso a fim de torná-lo um fato.
O fundador do estudo de artefatos psicológicos
o experimento foi S. Rosenzweig. Ele identificou uma série de fatores que
o centeio pode distorcer os resultados do experimento. O mais importante deles
são 1) erros associados à motivação do sujeito (qualquer
tortura, orgulho, vaidade podem fazer o sujeito agir
não de acordo com os objetivos do experimentador, mas de acordo com
vii com sua compreensão dos objetivos e significado do experimento) e 2) errôneo
ki associado à influência sobre a personalidade testada do experimental

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 79/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

tator.
Erros associados à motivação do sujeito. Entre as mais
as causas mais conhecidas deste tipo de artefatos são o efeito placebo,
Efeito Hotthorn, efeito de público, efeito de fachada e aspiração
à auto-apresentação positiva.
Efeito placebo . O Dicionário Explicativo Americano dá este
definição: "Placebo é uma substância neutra usada em ex-
medidas de controle ". O efeito é baseado nos mecanismos de sugestão
niya e auto-hipnose. Descoberto por médicos: percebeu-se que a UE-
se os sujeitos acreditam que o medicamento ou as ações do médico contribuem para
sua recuperação, sua condição está melhorando.
O efeito Hotthorn foi descrito pela primeira vez durante a realização de eventos sociais
pesquisa psicológica em fábricas em Hotthorn.
Envolvimento na participação em um experimento conduzido por psicopata
logs, foi considerado pelos sujeitos como uma manifestação de atenção para eles
pessoalmente. Como resultado, os participantes do estudo se comportaram conforme o esperado.
os experimentadores deram a partir deles.
Efeito do público (facilitação social = reforço):
a presença de qualquer observador externo, em particular um experimental
professor e assistente, muda o comportamento dos sujeitos. Estava cansado
as seguintes dependências foram atualizadas:
93

Página 94

1) quanto mais competente e significativo o observador, mais


o efeito de sua presença é mais pronunciado;
2) quanto mais difícil for a tarefa, maior será a influência;
3) habilidades mal dominadas na presença de um observador significativo
corpos se deterioram, a produtividade de atividades bem dominadas
sobe;
4) competição, atividades conjuntas, um aumento no número
o estado dos observadores aumenta o efeito (tanto positivo quanto negativo)
tendência negativa);
5) assuntos "perturbadores" quando desempenham tarefas complexas e não
Ó experiência de trabalho inteligente b ó lshie dificuldades
do que indivíduos emocionalmente estáveis;
6) a ação do “efeito audiência” é bem descrita pela lei
Yerkes - Dodson.
Efeito de fachada (desejo de aprovação social) - aspiração-
a ideia de ficar melhor (o sujeito dá respostas que, em sua opinião,
niyu, são mais apreciados pelo experimentador, colabora
com o experimentador).
Esforçando-se por uma auto-representação positiva , isto é, esforçando-se por
fazendo com que o assunto pareça o melhor possível aos seus próprios olhos
Ela, "para não perder a cara" na frente de si mesmo de uma forma inusitada e inconveniente
a situação natural do experimento.
O motivo da auto-apresentação é muito difícil de controlar,
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 80/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

uma vez que as condições em que se manifesta não são definidas, e a direção
sua influência nos resultados experimentais.
O motivo da auto-apresentação interage com o motivo do social
aprovação final: os sujeitos estão especialmente ansiosos para se provar
"Da melhor maneira" no momento em que o experimentador não pode
para pegá-los diretamente em uma mentira. Por exemplo, se os assuntos
peça uma avaliação da sua inteligência, é especialmente superestimada
quando o experimentador não vai testar sua inteligência
lect. Se os sujeitos souberem disso após uma avaliação subjetiva
sua inteligência, eles terão que fazer um teste de inteligência
lect, eles avaliam muito mais baixo.

Erros associados à motivação do experimentador. Em aula


experimento de ciências naturais experimento ideal
94

Página 95

um autômato pode ser considerado um mentador. Mas já que na psicologia


isso é impossível, o psicólogo deve levar em consideração o fato de que qualquer
o experimentador, incluindo ele mesmo, comete erros, ou seja,
desvios involuntários do experimento ideal. Parte deles
corrigível, mas existem tendências estáveis ​no comportamento do
ruminador, que são uma consequência da psiquiatria inconsciente
regulação química do comportamento.
O fato é que um pesquisador, como uma pessoa viva, está interessado em
van na confirmação (ou refutação) de sua hipótese, portanto
mu ele pode inconscientemente introduzir distorções no decorrer do experimento
e interpretação dos dados, certificando-se de que o assunto “funciona
sob a hipótese ". Essas ações do experimentador são uma fonte de ar-
fatos. Americano Rosenthal psicólogo chamado este fenômeno um eficaz
o efeito de Pigmalião .
Onde é encontrado o efeito Pigmalião? Influência significante
experimentador sobre o resultado do experimento revelado no experimento
policiais com formação, em diagnóstico de habilidades, em psicofísica
experimentos químicos, na determinação do tempo de reação, realizados
testes projetivos (teste de Rorschach), em pesquisa laboratorial
atividade de trabalho, no estudo da per- social
o conceito.
Como, então, as expectativas do experimento são transmitidas ao sujeito?
um interprete?
A principal fonte de influência são as expressões faciais e pantomima (acenos com a cabeça
cabeça, sorrisos, etc.). Além disso, “paralisante-
métodos de fala "visuais para influenciar o assunto, a saber
mas entonação ao ler as instruções, tom emocional, expressivo
isso, etc.
A influência do experimentador antes do experimento é especialmente forte:
ao recrutar assuntos, durante a primeira conversa, quando o

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 81/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

primeira impressão do experimentador e experimento, porque


sabe-se que informações que não correspondem à imagem criada,
pode ser descartado como aleatório (efeito da primeira impressão).
As expectativas do experimentador também são refletidas quando ele escreve um re-
os resultados da experiência. Análise das obras sobre o problema do impacto do esperado
pesquisas sobre a fixação dos resultados do experimento revelaram que aproximadamente
95

Página 96

cerca de 60% dos erros no registro dos resultados são devidos ao


para confirmar a hipótese experimental.
Este efeito é claramente visto no experimento para estudar o "fenômeno
sobre telepatia ". Foram selecionados dois grupos iguais de qualquer
dey que acreditam e não acreditam em telepatia. Eles foram convidados a gravar
os resultados das tentativas do sujeito de adivinhar o conteúdo de "telepatia
a mensagem ", que foi feita por outro sujeito. Aqueles que são
ril em telepatia, em média aumentou o número de suposições em
63%, aqueles que não acreditaram nisso, reduziram em 67%.
Ao avaliar os resultados da atividade do sujeito, a maioria
os seguintes erros dos experimentadores são típicos:
1) subestimação de estimativas muito altas e superestimação de estimativas baixas. No-
classificação é considerada o desejo do pesquisador de anexar inconscientemente
vincular os dados do sujeito às suas próprias realizações;
2) superestimação da importância de uma propriedade do assunto ou de uma
da próxima tarefa da série. Pelo prisma desta instalação,
avaliação da personalidade e atribuições;
3) erros devido à influência de eventos, emocionalmente
associado a um assunto de teste específico.
E o último sobre a questão da influência da personalidade experimentalmente
ra. É máximo em experimentos de psicologia da personalidade e
psicologia social e minimamente - em psicofisiologia
e experimentos psicofísicos, pesquisa sensorial e per-
o conceito. A influência "média" é observada no estudo de "glo-
salão de baile "processos individuais - inteligência, motivação, pri-
tomada de decisão, etc.
Quais são as formas de contabilização e controle do impacto de ex-
perimentador no resultado do experimento? Mais frequentemente recomendado
Os seguintes métodos estão disponíveis:
a) automação da pesquisa. Com automação total
a influência do experimentador persiste durante o recrutamento e
conversa com o sujeito, na comunicação entre séries individuais e sobre
"Saída";
b) a participação de experimentadores que desconhecem os objetivos da pesquisa;
niya ("experiência cega").

96

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 82/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Página 97

9. 2. Métodos de controle
fontes de artefatos
experimento psicológico

Para controlar a influência da motivação do sujeito e os efeitos do ob-


os resultados do experimento, há uma série de
técnicas metodológicas. Nós os listamos e damos uma característica
para cada.

"Experiência duplo-cega" ("cego para placebo"). Isto combina


é baseado em dois experimentos "cegos": em um deles, o "cego"
é o experimentador, no outro - o sujeito. Em ambos os casos
controle idêntico e grupos experimentais são selecionados
ny, o grupo experimental recebe um experimental
ação, controle - "zero" (placebo).
Mas, no primeiro caso, o experimentador não sabe qual grupo
obtém impacto "zero", e qual é exposto ao real
manipulação, e isso elimina a influência de suas motivações sobre
assuntos de teste. Existem modificações neste plano, por exemplo, ex-
o experimento é conduzido não pelo próprio experimentador, mas por um assistente convidado
toldo, que não é dito qual dos grupos é realmente
exposição mu.
Um experimento em que o sujeito permanece "cego" é
é a implementação da ideia do placebo: o sujeito não sabe, o participante
qual grupo - experimental ou controle - é
Xia e, portanto, não sabe que efeito é exercido sobre ele, o verdadeiro
zero ou zero e, portanto, não pode se comportar "corretamente".
A combinação desses dois projetos experimentais dá "dupla
experiência cega noah ", que permite eliminar o efeito como
as expectativas do sujeito - o efeito Hotthorn e a motivação do
ruminador, ou seja, controla o efeito Pigmalião, do qual estamos falando
irá mais longe.

"O método do engano." O experimentador surge com um alvo falso


e hipótese de pesquisa, independente (ortogonal) da base
eles. O objetivo fictício e a hipótese, o "placebo cognitivo",
são dados aos sujeitos. Uma variação do "método de engano" - ocultação simples
verdadeiros objetivos e hipóteses do experimento, mas então essa mudança-
97

Página 98

naya se torna incontrolável, portanto, "o lugar cognitivo-

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 83/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

bo "é preferível.
O método da experiência "oculta" (outra versão do "método
sim decepção "). O sujeito desconhece sua participação no estudo.
como um assunto de teste. Usando este método para
cria problemas éticos devido à responsabilidade total
o sujeito que é objeto de manipulação. Este mo-
del é mais frequentemente usado em psicologia infantil, psicologia
desenvolvimento gii e psicologia educacional. Nestes casos, tente
A manipulação de Lema é menos aguda, pois as crianças são controladas
adultos. No entanto, é necessário obter o consentimento dos pais ou
mais pessoas, tutores da criança, para tal estudo.
A principal dificuldade em realizar tal experimento é levar em conta
variáveis ​controladas, uma vez que este experimento pode
ser apenas natural: na verdade, é uma modificação de "natural
experimento militar "AF Lazursky.

Método de medição independente de parâmetros dependentes.


É difícil de implementar na prática, uma vez que o experimento realiza
com o assunto de acordo com o plano usual, mas o efeito da influência mudou
não durante o experimento, mas fora dele, por exemplo, durante o controle
os resultados das atividades educacionais ou de trabalho do teste anterior
jogado.
Entrevista pós-experimental. Infelizmente, os dados
obtido por pesquisa pós-experimental, permite apenas
rejeitar amostras malsucedidas ou levar essas informações em consideração quando
interpretação dos resultados experimentais quando nada é possível
corrigir.

9,3. Tipos de assuntos e suas atividades


em experimento

Experimento psicológico com a participação de um sujeito humano


século difere no sentido de que não pode ser realizado sem a inclusão de um teste
jogado em atividade conjunta com o experimentador. Experimentando
a pessoa deve saber as metas e objetivos da pesquisa (não necessariamente usados
98

Página 99

turvo), entenda o que e por que ele deve fazer durante o experimento
praticar e aceitar pessoalmente esta atividade. Sem este experimento
Um intérprete não será capaz de resolver seus problemas de pesquisa.
Isso implica a necessidade de descrever formalmente a atividade
assuntos, bem como os tipos de assuntos que fazem esta atividade
levar a cabo.
Começamos a descrição da atividade do sujeito com um lembrete
que o experimento sempre se abre para o sujeito em dois
nah: 1) é um modelo de atividade real e neste sentido
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 84/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

le um jogo, imitação de uma situação de vida; 2) mas este é um "jogo sério",


uma vez que, participando do experimento, o sujeito decide algumas de suas
problemas pessoais.
O ponto mais importante que distingue a experimentação psicológica
um policial com pessoas de outros tipos de ciência
a seguir, - a presença de instruções para o assunto.
A instrução pressupõe uma descrição de 1) os objetivos do estudo e
os objetivos do assunto de teste; 2) métodos e regras de ação;
3) comunicação com o experimentador, bem como 4) conhecimento do motivador
fatores (pagamento, etc.).
O sujeito deve compreender e aceitar a instrução. Para fazer isso
controle, às vezes eles recorrem à inclusão no experimento
curta série de treinamento preliminar. Conclusão com sucesso
o número de operações na série de controle serve como um critério para a compreensão
instruções.
É ruim se o sujeito não aceita a tarefa experimental.
e se recusará a realizá-lo. Mas é pior se devido a mal-entendido
ou rejeição da tarefa, o sujeito substitui a tarefa do experimento
tador de seu subjetivo. Certifique-se de que tal substituição não
deu errado, o experimentador deveria, ao conduzir o pós-experimental
entrevista.

Quem é um sujeito de teste psicológico ou o que são


existem tipos de assuntos, o que é a característica de diferentes tipos de mo-
a variação de participação e comportamento na pesquisa experimental?
VN Druzhinin relata o seguinte a este respeito [Druzhinin, 2000,
62-64 ].
99

Página 100

Sabe-se que o sujeito pode participar da pesquisa.


1) voluntariamente ou 2) compulsoriamente, contra sua vontade (aceitar
Pode participar do "experimento natural", ele pode não saber
que ele se tornou uma cobaia). Mas em ambos os casos, ele é guiado por como
alguns motivos.
Considere primeiro a motivação das cobaias voluntárias ,
ou seja, vamos responder à pergunta por que as pessoas participam voluntariamente do
Segue? Os motivos são:
- por curiosidade (cerca de metade dos participantes deseja
aprender algo novo sobre si mesmo, entender o relacionamento com os outros);
- para ganhar (crédito, se estivermos falando de estudantes de psicologia);
- para empresa;
- extremamente raramente - por um desejo de "servir à ciência".
O estudo da personalidade dos sujeitos voluntários mostrou que
o sujeito de teste voluntário difere do sujeito de teste, atraído
ir forçosamente, por uma série de características pessoais, em primeiro lugar:

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 85/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

1) um de
status nível de educação
coruja; superior;
3) um nível 2) a de
mais alto classe social mais
inteligência; 4) alta
mais alto
uma forte necessidade de aprovação social e 5) maior co-
ciabilidade. Mas esses assuntos na massa total são menos de 10%.
Em trabalhos dedicados ao problema da pesquisa obrigatória
nii , é mostrado que entre os sujeitos, atraídos à força
que participaram do estudo, houve quem se opusesse
curiosos sobre isso, eles foram críticos do experimento, e o experimental
tatoru - hostil e desconfiado. Muitas vezes procuram destruir
costurar o plano do experimentador, "reproduzi-lo", ou seja, considerar
a situação do experimento como um conflito. De tais assuntos
é necessário livrar-se dele sempre que possível.
Os alunos de psicologia constituem uma classe especial de disciplinas.
Sobre esses assuntos nos Estados Unidos, conduzido de 70 a 90% de todos os estudos
o estudo do comportamento humano (na Rússia a situação é semelhante). Lo-
é lógico supor que entre eles há muito mais voluntários
tsev. No entanto, os estudantes de psicologia nos Estados Unidos são menos de 3% do total
população. Portanto, é claro por que os céticos chamam os psicólogos
estudo da "ciência dos alunos do segundo ano e ratos brancos" e homenagens
surge a pergunta: em que medida os dados obtidos na amostra
100

Página 101

Estudantes americanos de psicologia podem ser transportados para qualquer


o representante da raça humana?
Em conexão com a participação no experimento, o problema de ano-
ness . Presume-se que a pesquisa anônima é
aqueles testados são mais abertos, e isso é especialmente significativo ao conduzir
experimentos nostais e sócio-psicológicos. No entanto, você-
é claro que no decorrer do experimento, os sujeitos não anônimos foram mais
assumir a responsabilidade pela atividade e seus resultados.
Então, examinamos a motivação para as pessoas participarem do psicológico
experimentos químicos, inclusão neles. Mas o assunto não é só
para ser incluído na situação de pesquisa, ele está definitivamente fora dela
sai. A saída do sujeito da situação de pesquisa é uma tentativa
Lema para o experimentador, e tem dois aspectos para o último:
- o experimentador é moralmente responsável por
o sujeito receberá respostas para as perguntas que o levaram
no experimento;
- o experimentador é responsável por qual atitude
conhecimentos de psicologia e psicólogos serão formados no assunto e
que opinião sobre psicologia ele formará na sociedade (este
opinião vai ajudar ou atrapalhar a implantação
trabalho de pesquisa).

Vamos resumir no tópico da psicologia da psicologia


experimento Iical, onde examinamos as fontes de artefatos

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 86/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

experimento psicológico, bem como os tipos de sujeitos e seus


atividade no experimento.
A descoberta mais importante é que contabilizando o impacto
fatores sócio-psicológicos no resultado de experimentos
pesquisa é extremamente difícil, e a maneira tradicional
controle de artefato - desenvolvimento de técnicas de planejamento experimental
e processamento matemático de resultados - em psicologia é ruim
trabalho. O principal problema ainda não foi resolvido: não está definido,
em que medida os fatores da situação experimental afetam os resultados
tat do experimento. No entanto, foi claramente estabelecido que a influência
O fator da situação experimental não pode ser "tirado dos parênteses".
Portanto, uma direção promissora na ciência da psicologia
101

Página 102

experimentação é o desenvolvimento, por um lado, contém


modelos sensíveis da interação do psiquismo do sujeito com a situação
ções, levando em consideração a influência do fator psicológico no quadro psicológico
experimento lógico; por outro lado, há uma necessidade urgente de
a capacidade de desenvolver ambientalmente válido formalizado
modelos de experimento psicológico.
Nesse ínterim, na prática, a pesquisa está tentando organizar
de modo que a influência de fatores sócio-psicológicos bem conhecidos
o fosso era mínimo e poderia ser negligenciado. Por esta-
é desejável que o sujeito fosse um adulto normal
estado emocional, que é semelhante ao experimental
mentor sobre status social, cultural, nacional e
raça. É importante que as condições experimentais não sejam
ferir a honra e dignidade do sujeito e do experimentador
ele não tinha sentimentos.
Em todos os outros casos, é recomendado o uso de um artificial
métodos naturais de condução de um experimento; sobre alguns deles nós somos
roubou, e discutiremos alguns outros em detalhes abaixo. Se, no entanto,
mudando métodos artificiais de planejamento de experimentos
impossível, é necessário descrever detalhadamente no relatório a situação de ex-
experimentos e todos os fatores sócio-psicológicos alegados
tori, isto é, as causas dos artefatos.

Aula 10. Procedimento


experimento psicológico

10.1. Variedades de pesquisa


em psicologia

De acordo com a tradição, a pesquisa experimental é contra


https://translate.googleusercontent.com/translate_f 87/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

fornecido a todos os métodos não experimentais que


vistos na metodologia da ciência do ponto de vista do que eles não
necessário para se tornar uma pesquisa experimental de pleno direito
cozinhando.
102

Página 103

O método experimental por diferentes autores contrastados


1) o método clínico clássico; 2) natural
observância; 3) uma pesquisa; 4) pesquisa arquivística; 5) quase experimental
policial; 6) estabelecer uma correlação; 7) campo (natural
venoso) experimento; 8) o estudo de casos individuais. No entanto,
estritamente falando, esta lista poderia terminar no ponto 5,
desde os métodos 6-8 (bem como o mental e
modelando a experimentação, longitudinal, transcultural e ge-
pesquisa genética) são variedades de quase-experimentais
rimento ("quase" do experimento, do latim "imaginário", "como se").
A justificativa para este ponto de vista e uma descrição detalhada dos correspondentes
métodos são fornecidos no livro "Métodos de Pesquisa em Psicologia
gii: quase-experimento "[Métodos de pesquisa ..., 1998], e mais
vamos aderir a este ponto de vista, que
expande o conceito de quase-experimento. Assim, o tradicional
naya, o ponto de vista se torna estreito.
Olhando para a frente, uma vez que o correspondente
conceito, digamos que, em contraste com o experimento, o quase-experimento
(no sentido estrito) é um método de pesquisa, também voltado para
para estabelecer a relação causal das variáveis,
mas diferente do experimento em reduzir os requisitos para o procedimento
seleção tola de assuntos ou falta de controle sobre o
ao coletar dados. E a falta de controle é a fonte
artefatos, como resultado dos quais é impossível tirar uma conclusão direta sobre a existência
o envolvimento de uma relação causal. Observe também que há
a maioria das pesquisas psicológicas em curso
sob o nome de experimental, na verdade são exatamente
quase experimental. A este respeito, pode surgir a questão,
por que prestamos tanta atenção em nosso curso estritamente
experimento mu ("puro"), cuja gravidade específica na massa total
Toda pesquisa psicológica é pequena? A resposta é simples: estrita.
experimento de laboratório, cujos princípios são desenvolvidos de forma natural
ciências naturais, é um ideal pelo qual se empenhar,
uma amostra com a qual um experimento realmente possível é comparado
a prática mais comum são os quase-experimentos. Com uma amostra, sabemos
o que está faltando, e seremos cuidadosos em nossas conclusões.
103

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 88/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Página 104

10,2. Tipos de experimento

Que tipos de experimentos existem (usaremos


este termo geral, uma vez que geralmente fica claro a partir do contexto se vai
um estrito ou quase experimento)? Em uma base formal
existem vários tipos de pesquisa experimental.
Vania.
1. Dependendo das condições de atividade, este método é sub-
dividido em laboratório (estrito, puro) e natural.
O experimento de laboratório é realizado em um ambiente especialmente criado
condições que diferem das reais. Neste caso, geralmente é usado
meios técnicos e equipamentos especiais estão sendo usados. Ações
os assuntos são completamente determinados pelas instruções.
O experimento natural (de campo) é realizado na vida real
condições com variação proposital de alguns deles
investigador. Realizado para estudar a conexão entre o real
variáveis ​na vida cotidiana, por exemplo, entre status
a criança no grupo e o número de seus contatos no jogo com os colegas
kami ou o território ocupado por ele na sala de jogos. De acordo com o dele
em essência, pesquisa de campo (ou experimento de campo) se refere a
para quase-experimentos. Muitas vezes, um experimento natural é o único
a maneira mais possível de obter informações científicas (em psi
chologia do desenvolvimento, etologia, psicologia social, na clínica
alguma psicologia ou psicologia do trabalho, etc.).
2. Pela natureza das ações do pesquisador, pode-se distinguir
experimentos de modelagem e modelagem.
O experimento de verificação fornece a identificação
características mentais existentes ou níveis de desenvolvimento
qualidades correspondentes, bem como uma declaração da relação com
classificação e consequências.
Um experimento formativo pressupõe um ativo, proposital
corrigiu a influência do pesquisador sobre os assuntos, a fim de
desenvolver certas propriedades ou qualidades. Isso permite que o
cobrir os mecanismos, dinâmicas, leis da formação da psique
fenómenos químicos, para determinar as condições do seu desenvolvimento eficaz.
3. Dependendo do grau de desenvolvimento do problema, o
Experiências:
104

Página 105

- pesquisa (exploratória). É realizado quando não há


sabe-se se existe uma relação causal entre independentes e dependentes
essas variáveis. Portanto, a pesquisa exploratória é direcionada
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 89/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

mas para testar a hipótese sobre a presença ou ausência de um causal


simplicidade entre as variáveis ​A e B;
- confirmando (confirmatório). Se a informação
o fato de existir uma conexão entre duas variáveis, o
uma hipótese sobre o tipo de conexão é proposta. Em seguida, o pesquisador realiza um ex-
o período em que o tipo de quantitativo funcional
a relação entre as variáveis ​independentes e dependentes.
O algoritmo de pesquisa experimental como um todo parece
assim:
1) é apresentada uma hipótese sobre a relação causal qualitativa entre A e B;
2) um experimento de pesquisa está sendo conduzido;
3) se a hipótese não for confirmada, outra é proposta.
uma hipótese qualitativa e um novo experimento exploratório estão sendo realizados;
se a hipótese qualitativa for confirmada, uma série de
hipótese funcional qualitativa;
4) um experimento confirmatório é realizado;
5) aceito (ou rejeitado) e refinado a hipótese do formulário
relações entre variáveis;
- esclarecendo. O objetivo é estabelecer limites dentro dos quais
rykh a ação de uma dada teoria ou lei é generalizada. Usualmente,
em comparação com a experiência inicial, as condições
vii de sua implementação, objeto, técnica. Assim, é especificado como
qual área da realidade o teorema encontrado anteriormente se estende
conhecimento técnico;
- crítico. É realizada a fim de refutar o existente
teoria, modelo, hipótese, lei, etc. novos fatos ou
para testar qual das duas hipóteses alternativas é mais precisa
prediz a realidade;
- reproduzindo. Fornece a repetição exata de ex-
período de predecessores para determinar a confiabilidade,
confiabilidade e objetividade dos resultados obtidos.
Além disso, o conceito de "acrobacia
experimentar".
105

Página 106

O termo "experimento piloto (pesquisa)" é usado


é usado para denotar um ensaio, primeiro, experimento no qual
a hipótese principal, abordagens de pesquisa, plano
etc. Normalmente, as acrobacias são realizadas antes de um "grande", laborioso
pesquisa experimental, de modo a não desperdiçar o dia
e o tempo é perdido. O estudo piloto é conduzido em um menor
uma pequena amostra de assuntos, de acordo com um plano encurtado e sem um rígido
controle de variáveis ​externas. Confiabilidade dos dados recebidos
como resultado de acrobacias, é pequeno, mas sua conduta permite a instalação
ferir erros grosseiros associados à hipótese, planejamento

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 90/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

pesquisa,
durante ascontrole de variáveis,
acrobacias, você podeetc. Além disso,
restringir a área de pesquisa, especificar
tese e esclarecer a metodologia para a realização de um "grande" estudo.

10.3. Estágios de psicologia experimental


pesquisar

Pesquisa experimental em psicologia, como em qualquer


outras ciências são realizadas em várias etapas. Alguns deles são
obrigatório, parte em alguns casos pode estar faltando,
mas a sequência de etapas deve ser lembrada de modo a não de-
cometendo erros elementares.
Aqui estão os principais estágios do experimental psicológico
estudar e considerar brevemente seu conteúdo.
1. Qualquer pesquisa começa com a definição de seu tópico.
O tema limita a área de pesquisa, a gama de problemas, a escolha
sujeito, objeto e método. No entanto, o primeiro estágio é realmente autônomo
Minha pesquisa é a formulação primária do problema . Ex-
o investigador deve entender por si mesmo com o que está insatisfeito no moderno
conhecimento psicológico, onde ele sente as lacunas, o que
fatos e padrões desafiam a explicação, teorias
fornecem explicações conflitantes do comportamento humano
e assim por diante. Mais especificamente, o pesquisador deve entender onde o
a fronteira entre o conhecimento e o desconhecimento sobre o tema da pesquisa,
após o que não é mais difícil definir claramente o problema, e o investigador
mas, e para formular sua essência. É importante entender que é correto formar
106

Página 107

simulando a essência da situação do problema, o pesquisador assim


mostra a relevância do tema.
Como mencionado acima (ver 4.4), uma característica específica do problema
leme, ao contrário da questão, é que para sua solução é necessário
é possível ir além dos limites do conhecimento antigo, já alcançado. O que
diz respeito à questão em geral, então o suficiente
conhecimento, isto é, para a ciência a questão não é um problema.
2. Após a exposição inicial do problema, inicia-se a etapa de trabalho .
bots com literatura científica . O pesquisador deve se familiarizar
Xia com dados experimentais obtidos por outro psicopata
logs e tenta explicar as razões que o interessaram
fenômenos.
O trabalho primário começa com uma busca por definições básicas
conceitos que estão contidos em dicionários psicológicos, bem como
o mesmo em dicionários e enciclopédias em disciplinas relacionadas. No mesmo lugar
também há links para as principais publicações sobre o problema. Seguindo-
o próximo passo é a compilação de uma bibliografia sobre o tema de pesquisa
usando catálogos sistemáticos de biblioteca. Pré-
um conhecimento profundo das publicações sobre o tema da pesquisa pode ser
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 91/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

obter de periódicos de resumos. Eles são publicados por VINITI (“0.4. Bio-
lógica. Seção 0.4.11. Psicologia"). De publicações estrangeiras, a maioria
o mais confiável "Psychological Abstract" publicado pela América
Associação Psicológica Kan. Contém breve
anotações para a maioria dos trabalhos publicados em psi em inglês
revistas de psicologia. Informações mais detalhadas sobre a pesquisa
relacionado ao problema destacado deve ser procurado no
suas publicações: artigos de periódicos científicos, coleções e monografias
Fiah. Os cientistas psicológicos russos de maior autoridade
periódicos: "Psychological Journal", "Questions of Psychology"
"Boletim da Universidade Estadual de Moscou" (série "Psicologia"), "Revisão psicológica
nie "," School of Health "," Foreign Psychology ". Esta lista,
claro, não completo, visto que o número de periódicos úteis ao pesquisador
pesca e outras publicações estão em constante crescimento. O principal meio de uso
a reivindicação de fontes de informação hoje finalmente se tornou a Internet,
portanto, todo pesquisador é obrigado a dominar a técnica de tal
procurar. Os funcionários podem fornecer assistência inestimável neste assunto.
bibliotecas, em particular a biblioteca científica da USU.
107

Página 108

O resultado do trabalho de revisão literária é o refinamento das amostras.


lemes, o surgimento de uma nova hipótese e a ideia de um experimental
pesquisar. É com base na revisão
o pesquisador de literatura pode convencer o futuro leitor de que
que o problema realmente existe, porque na revisão: 1) sim-
há uma característica do grau de pesquisa do problema; 2) nota
até que ponto foi estudado como um todo e quais são seus aspectos individuais
nós; 3) questões não estudadas e mal estudadas são destacadas,
contradições na compreensão do fenômeno como um todo e seus custos individuais
ron, contradições nos dados empíricos disponíveis.
3. Na próxima etapa, a hipótese é refinada e
Definição de variáveis (descrevemos as características desta fase para
medida da hipótese de relações de causa e efeito, testada em
experimento de laboratório). Declaração do problema primário
já sugerimos implicitamente opções para respondê-la. Por exemplo,
a questão do que é mais - hereditariedade ou ambiente -
afeta o nível de desenvolvimento da inteligência geral, limita muitos
conjunto de pressupostos teóricos gerais.
Requisitos para a hipótese experimental: experimental
uma hipótese, em contraste com uma teórica, deve ser formulada
vana na forma de uma declaração implicativa: "Se ..., então ..."; exceto
Além disso, deve ser concretizado e operacionalizado
sobre. Isso significa que incluído na declaração "se A, então B"
as variáveis ​A e B devem ser controladas no experimento: A - up-
para ser um experimentador, e B - para se registrar diretamente
por via venosa ou com a ajuda de equipamentos.

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 92/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Definição de variáveis ​em termos de experimental


procedimentos e sua operacionalização completam a etapa de esclarecimento do hipo-
teses. Isso esclarece o assunto da pesquisa experimental.
vaniya - aquele lado da psique para o qual o experimento é direcionado
o impacto real e que regula a conduta, registro
realizada no decurso da experiência.
Observe que a realidade psíquica sempre aparece em ex-
o período da "variável intermediária". O psicólogo não administra
ela, mas os parâmetros externos da situação que afetam a psi-
hiku do assunto. Ao registrar a variável dependente, ele retorna
idem do fato de que entre a "variável intermediária" e o parâmetro
108

Página 109

comportamento, há um funcional (psico-regulatório)


conexão. Esta é a principal hipótese geral - a premissa de qualquer
um experimento psicológico. O esquema do experimento é semelhante a este:
S → P → R, onde S é uma situação que contém uma mudança independente.
ny, que é alterado pelo experimentador; P - intermediário re-
mental, isto é, realidade psíquica, que é estudada pelo experimental
tator; R - parâmetros de comportamento, que ele mede e com base em
que tira conclusões sobre a realidade psíquica.
Além de mudança independente, dependente e intermediária
deve ser definido e operacionalizado - como
oportunidades - variáveis ​externas que podem afetar a dependência
esta variável.
4. Tendo lidado com as hipóteses e variáveis, o pesquisador
deve escolher um instrumento experimental que permita
Eu diria a ele: a) para controlar a variável independente; b) registrar
adicionar variável dependente. É sobre uma técnica específica e
equipamento de experimento psicológico. Além disso, definir
as condições do experimento (sala, situação, tempo, etc.),
que deve eliminar a influência de mudanças externas
eles, ou manter a constância da magnitude de seu impacto sobre
variável dependente.
5. A etapa central de todo o procedimento é o planejamento
experimento . É necessário garantir o externo e
validade interna do experimento. Qual plano você prefere
Melhor? Regra geral: quando o tempo e os recursos são limitados
(incluindo financeiros) escolha os experimentos mais simples
planos rituais. Alguns dos experimentos existentes
os planos serão discutidos em detalhes abaixo.
6. A seleção e distribuição das disciplinas em grupos é realizada por
Xia de acordo com o plano experimental adotado. O todo
um conjunto de sujeitos em potencial que podem ser
objetos deste estudo psicológico, denotam
como uma população, ou uma população em geral . Muitas pessoas
dey ou animais que participam do estudo são chamados

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 93/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

são amostrados . Uma vez que as conclusões obtidas no experimento são


se aplicam a todos os membros da população em geral, e não
apenas para representantes desta amostra, o principal requisito para
109

Página 110

borke - representatividade: é qualitativa e proporcional


deve representar uma população, ou seja, conter os principais tipos de
sujeitos potenciais existentes na população.
Em diferentes condições experimentais, é possível alcançar
diferentes graus de representatividade - de um nível muito alto (stra-
amostragem tomométrica seguida de randomização) para um substancial
menos alto (modelagem aproximada, atraindo
grupos reais). Métodos de amostragem e seleção de ex-
Os grupos experimentais serão discutidos abaixo.
7. Durante o experimento, o pesquisador organiza
o processo de interação com o sujeito, leia as instruções,
realiza uma série de treinamentos, se necessário. Varia
variável independente (tarefas / condições externas, etc.), fio
sozinho ou com a ajuda de um assistente registrando o comportamento do teste
jogado. Finalmente, o experimentador pede ao sujeito para
fim do experimento (entrevista pós-experimental).
Vamos caracterizar resumidamente as principais etapas do experimento.
policial.
Preparando o experimento. O pesquisador está preparando um experimento
sala mental e equipamento. Se necessário, por favor
existem vários experimentos de teste para depurar o procedimento experimental
rimento. O ponto mais importante é o desenvolvimento e refinamento
instruções. Acredita-se que deve consistir em pré-
frases, cada uma contendo no máximo 11 palavras. Na instrução
definições com a ajuda de parágrafos, blocos semânticos são destacados. O cheque dela
foco na clareza e simplicidade, conduzindo um experimento preliminar sobre
5-10 assuntos.
Instruindo e motivando os sujeitos. Instruções
ração deve incluir componentes motivacionais. Cobaia
deve saber quais oportunidades são fornecidas a ele pela participação no ex-
perímetro. Pode ser um pagamento em dinheiro, informações sobre seus
habilidades e traços de personalidade, ajudam a resolver
problemas, etc. Deve ser verificado se os assuntos compreendidos corretamente
a instrução e repita se necessário, evitando,
para, comentários detalhados adicionais.
Experimentação. Antes que o experimentador deve ser
pressione a instrução na qual a ordem de suas ações é registrada
110

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 94/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Página 111

durante o estudo. Geralmente participa do experimento


e um assistente, geralmente mantendo o protocolo do experimento, o general
observar o comportamento do sujeito e sua condição, bem como
para todos os desvios do procedimento experimental padrão.
Ele também monitora o funcionamento do equipamento. Registrar respostas usando
é melhor ser testado imediatamente, inserindo dados em um formato eletrônico
uma tabela que é criada no computador (por exemplo, usando
Pacote EXEL).
Em qualquer caso, é recomendável registrar-se
sinais do comportamento do sujeito, suas reações emocionais
durante o experimento.
Entrevistas pós-experimentais sempre que possível
deve ser a fase final. No final da experiência
o sujeito é agradecido por participar do estudo.
8. A escolha dos métodos de processamento estatístico, é
nie. Normalmente, os métodos de processamento de dados são selecionados na fase de planejamento.
experimento ou mesmo antes - ao estender
hipótese experimental. Depois de obter o quantitativo
resultados, hipóteses estatísticas são formuladas. Possível
tipos de hipóteses estatísticas em pesquisa experimental
um pouco: a) sobre a semelhança ou diferença de dois ou mais grupos; b) sobre o relacionamento
ação de variáveis ​independentes; c) sobre a relação estatística
variáveis ​independentes e dependentes; d) sobre a estrutura do latente
variáveis ​(refere-se a um estudo de correlação). Statis-
avaliações técnicas fornecem informações não sobre a presença, mas sobre a confiabilidade
semelhanças e diferenças nos resultados de medição dos objetos estudados.
Diferentes projetos experimentais são geralmente vinculados a
métodos divididos de resultados de processamento. Então, para avaliar a diferença
os dados obtidos ao aplicar o plano para dois grupos,
critérios de uso t , × 2 e F . Planos fatoriais requerem o uso de
análise de variação.
Existem pacotes de software padrão para matemática
processamento de dados koy. Os mais famosos e disponíveis são Statistica,
Statgraphics, SPSS. De acordo com especialistas, a melhor opção para
Pacote SPSS. Pacotes domésticos estão mais perto
nós com as capacidades de nosso usuário. Informação relacionada
111

Página 112

(livro de referência, intérprete de saída, etc.) está incluído no


sistema de software. Um exemplo são as estatísticas domésticas
pacote Stadia tic.
9. Interpretação de resultados e conclusões . O resultado da experiência

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 95/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

pesquisa mental éde


desenvolvimento uma
umaconfirmação ou refutaçãosobre a relação causal entre
hipótese experimental
variáveis ​du: "Se A, então B".
O argumento decisivo (mas não o único) em favor do
a hipótese experimental é 1) confirmação do status
hipótese estatística (sobre diferenças, conexões, etc.). Além disso, o uso de
investigador 2) compara suas descobertas com as descobertas de outros autores
fosso; 3) faz hipóteses sobre os motivos das semelhanças ou diferenças
entre seus próprios dados e os resultados de predecessores;
4) interpreta suas descobertas em termos de uma hipótese teórica
shl. Aqui ele deve responder à pergunta: é possível considerar
confirmação ou refutação de uma hipótese empírica confirmando
negação ou refutação desta ou daquela teoria? Finalmente,
5) ele faz suposições sobre a possibilidade de generalização e
transferindo seus dados para outras situações, populações, etc.
10. O produto final da pesquisa é a pesquisa científica
od (relatório de pesquisa, trabalho final, diploma, dissertação), supervisor
escrever um artigo, uma monografia, uma carta à redação de uma revista científica.
Existem certos requisitos para a concepção do manual
trabalho científico escrito, apresentação visual dos resultados e
estrutura da apresentação, consideraremos esses requisitos de maneira especial.

Resumir. Pesquisa experimental é realizada


Xia de acordo com um certo esquema. As etapas mais importantes de sua implementação:
formulação do problema e hipótese, seleção de métodos e
equipamentos, seleção de disciplinas, elaboração de plano de acompanhamento do
mudanças, conduzindo um experimento, processando e interpretando
resultados, preparação de um relatório científico. Pesquisa é considerada
concluída se a hipótese experimental for refutada ou
não é refutada com uma dada confiabilidade, e os resultados da pesquisa
no formulário apropriado submetido à comunidade científica
ness.
112

Página 113

Aula 11. Variáveis ​experimentais


e maneiras de controlá-los

11.1. Tipos de variáveis


e a relação entre eles

A característica de um experimento psicológico é obrigatória


nesta ordem inclui uma discussão sobre as variáveis ​que
centeio participar do procedimento de pesquisa. Em sua forma mais geral
uma variável é entendida como uma realidade, cujas mudanças podem
pode ser medido de alguma forma.
O impacto experimental é destinado a independentes
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 96/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

variável (NP). Este é o nome do fator que influencia o comportamento


de , que interessa ao experimentador . Independent re
variável - "fator controlável", uma vez que o experimentador era
tem controle total sobre ele e ele mesmo desenvolve a situação
ções com as quais os sujeitos se encontrarão durante o estudo.
A variável explicativa é a causa direta de
mudança na variável dependente (ZP), ou seja, tal característica
tiques de comportamento , as mudanças que foram observadas, que
medido durante o experimento e qual é o seu resultado
tatom. Na psicologia experimental, ZP geralmente assume a forma
mu respostas diretas às perguntas do experimentador. Por exemplo, psi
fisico, apresentando ao sujeito de teste sinais de varias
volume, muda seu estado mental: o sujeito
ou ouve ou não ouve o sinal, o que leva a diferentes
respostas motoras ou verbais como "sim" - "não", "eu ouço" -
"Eu não posso ouvir".
Além do NP, as variáveis ​externas (VP) podem atuar no ZP
situação experimental ou complicações, de acordo com Goodwin. isto
ambiente de variáveis ​dependentes e independentes. Complicador
pode se tornar qualquer variável externa não controlada que
o paraíso atua em conjunto com NP e pode afetar a interpretação
resultado, uma vez que sua ação não pode ser distinguida do real
viya NP (não controlado - significa tal, sobre o fato do impacto de
que é desconhecido ou impossível de interferir nele). VP é
113

Página 114

Variáveis ​"prejudiciais", elas geram dados não confiáveis, portanto


O experimentador deve controlá-los tanto quanto possível.
É muito importante entender que dependendo da tarefa da pesquisa
construção psicológica pode ser independente
variável simulada, externa ou dependente. Durante o experimento
essa construção pode ser controlada como uma variável independente, py-
tente controlá-lo como um fator externo ou medi-lo como
variável dependente.
Considere, por exemplo, a construção da ansiedade. Pode ser
representado como uma variável independente controlada se
diga aos participantes que eles serão expostos a problemas
tiv, choque elétrico doloroso, e pergunte como
eles preferem esperar - sozinhos ou com outros
assuntos de teste. A ansiedade também pode atuar como um fator
que durante o experimento deve ser mantido constante
nym (VP). Por exemplo, se você quiser avaliar o impacto de um workshop,
sagrado para falar em público, sobre a capacidade dos alunos de produzir
para fazer discursos, os alunos devem ser filmados em todos
grupos estudados, neste caso, o nível de ansiedade causado por
O fator de disparo será constante para todos os grupos. exceto
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 97/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Além disso, a ansiedade pode ser uma variável dependente, como


medidas, no estudo do impacto de vários tipos de exames (em particular
ness, tarefas para escolher uma resposta ou escrever um ensaio) para alarmar
número de alunos durante a sessão. Neste caso, você pode fazer
uma dimensão psicológica especial da ansiedade. A ansiedade pode
mas também considerada como uma característica de uma pessoa, o que implica que
algumas pessoas o possuem em um grau mais elevado do que outras.
Em termos de variáveis, a essência do experimento é que
o experimentador varia o NP, registra a mudança no ZP e
rola variáveis ​externas (laterais).
Deixe-nos dar uma descrição detalhada dessas variáveis.
Variável independente. O problema central em verificar
pesquisa experimental - o isolamento de NP e sua iso-
elação de outras variáveis. Dependendo de como experimento
o mentor vai lidar com este problema, o experimento será um laboratório
ou natural (quase-experimento).
114

Página 115

Idealmente, o pesquisador deve se esforçar para operar apenas


variável independente (experimento puro). Mas o psicológico
quais variáveis ​são geralmente relacionadas, e o impacto
em um gera automaticamente um efeito no outro, portanto
a experimentação pura em psicologia é rara. Por exemplo, no experimento
o experimento para o desenvolvimento de habilidades motoras, o experimentador treinou
Mostra o assunto de teste para falha de choque elétrico. Aqui um-
medidas de punição podem atuar como um NP, e a velocidade de desenvolvimento
habilidade ki - salário. Mas tal NP afeta não só a RFP, mas também gera
o sujeito tem medo e ansiedade, o que afeta os resultados -
aumenta o número de erros e diminui a velocidade de desenvolvimento de habilidades.
Quais são as variáveis ​independentes? Muitos-
uma variedade de fatores que podem ser usados ​nesta capacidade,
limitado apenas pela imaginação do pesquisador, mas todos os NPs que
são controlados no decorrer da pesquisa, são divididos em três categorias:
1) características das tarefas - o que o experimentador pode fazer
manipular mais ou menos livremente. Casos típicos: ex-
o perimentador varia a intensidade ou natureza do estímulo (em psi
experimentos fisiológicos - volume do som, cor da luz e
etc.), material de estímulo (em experimentos de memória, sem sentido
sílabas emprestadas, palavras, números, etc.), a ordem de apresentação dos estímulos
pescaria. Ao variar a instrução, o experimentador muda os objetivos do assunto.
mogo e olha como o salário muda ao mesmo tempo, por exemplo, seu estado
(uma mudança nas instruções, observa Kornilova, é o mais comum
forma ampla de gerenciar as condições de estímulo como
NP). O experimentador pode variar os meios que têm
o sujeito de teste para resolver o problema, e colocar diante dele um obstáculo
viya, mude o sistema de recompensas e punições durante a execução
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 98/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

tarefas, etc.;
2) peculiaridades da situação, ou seja, condições externas. Variar:
- parâmetros físicos da situação (temperatura ambiente,
cenário, tempo do experimento, etc.);
- parâmetros sócio-psicológicos: trabalhar sozinho;
na presença de um experimentador, em um grupo, especialmente em geral
o sujeito e o experimentador, a presença de uma observação externa
chamador, etc. Assim, experimentos para identificar o efeito do social
a facilitação (fortalecimento) foi realizada de acordo com o seguinte esquema. Teste-
115

Página 116

thuyoma recebeu qualquer sensório-motor ou intelectual


tarefa naya. Ele primeiro executou sozinho e, em seguida, na presença
a presença de outra pessoa ou várias pessoas. O medido
nicidade da produtividade dos sujeitos (RF);
3) o estado do sujeito (grau de fadiga, tensão
ty, excitação, características mentais em um estado de isolamento ou
publicidade, etc.).
É importante lembrar que os IRs devem assumir pelo menos dois valores
valores (níveis, gradações), ou seja, no experimento eles devem comparar
Existem pelo menos duas situações (ou duas condições).
Variável dependente. Os parâmetros são selecionados como RFP.
comportamento verbal e não verbal. Por exemplo, o número de erros
o lado que o rato fez enquanto corria pelo labirinto; tempo que
o assunto gasto na resolução do problema; mudanças em suas expressões faciais
rostos ao assistir a um filme erótico; tempo de resposta ao som
sinal de uivo; o nível de agressividade da parte na disputa, etc.
Entre os RFPs (parâmetros de comportamento registrados), existem
são aqueles que são fáceis de registrar, em parte
hardware. Exemplos desses parâmetros são: precisão - erro -
qualidade das ações (frequentemente registradas em experimentos psicológicos
policiais); velocidade de execução; produtividade (proporção do número
erros ou qualidade de execução das ações no momento da execução
nii), etc. Essas RFPs são geralmente chamadas de dinâmica formal
(espaço-tempo). Eles são fáceis de medir porque eles,
geralmente unidimensional.
É muito mais difícil reconhecer e registrar o conteúdo
parâmetros qualitativos (qualitativos) de comportamento, que, via de regra,
não são unidimensionais, mas complexos. Por exemplo, a agressão é
uma função de argumentos, como expressões faciais, pantomima, sarcasmo,
abuso, agressão. Primeiro, o parâmetro precisa ser categorizado
definir (definir em palavras) o que exatamente deve ser visto e, em seguida, desenvolver
trabalhar mapas de observação e treinar observadores (especialistas).
O observador precisa de experiência para distinguir, por exemplo, diferentes
níveis de agressão ou surpresa, caracterizam um ato
como uma manifestação de obediência, e o outro - como uma manifestação de semelhante
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 99/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

paixão.
116

Página 117

Relações entre variáveis. No cerne da construção de co-


psicologia experimental temporária é a fórmula de K. Lev-
on: o comportamento é uma função da personalidade e da situação ( B = f ( P ; S )).
A dependência do comportamento do sujeito em um ou mais
outra situação (estímulo, tarefa), o estado do organismo (doença,
fadiga, nível de ativação, frustração de necessidades, etc.)
ou de traços de personalidade (ansiedade, motivação, etc.). Pesquisar
os estudos são realizados com a participação de grupos de pessoas diferentes em
este recurso.
A fórmula de Levin em forma geral expressa o ideal de experimental
psicologia mental: a capacidade de prever o comportamento de um indivíduo
personalidade de noah em uma determinada situação. A variável "personalidade"
que faz parte desta fórmula, de acordo com a tradição do comportamento não comportamental
ma é chamada de variável "intermediária".
Considere as principais opções possíveis para o relacionamento entre
fazer variáveis. Existem cinco tipos principais de comunicação de mudanças -
eles.
1. Ausência de dependência. Graficamente, é expresso na forma
me linha reta (Fig. 3), paralela ao eixo das abscissas no gráfico, onde ao longo do eixo
a abscissa ( x ) representa os níveis da variável independente, e o eixo
ordenada ( y ) - variável dependente. A variável dependente não é
sensível à mudança independente.
no

NS

Arroz. 3. Ausência de dependência

2. Dependência monotonicamente crescente (Fig. 4) observa


Xia quando um aumento nos valores da variável independente co-
corresponde a um aumento na variável dependente.

117

Página 118

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 100/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Nível de sensação

Intensidade do som

Arroz. 4. Dependência monotonicamente crescente

3. Uma dependência monotonicamente decrescente (Fig. 5) é observada,


se o aumento nos valores da variável independente corresponde a
Diminui o nível da variável independente.
Número
reproduzido
palavras

Tempo decorrido
a partir do momento da memorização

Arroz. 5. Dependência monotonicamente decrescente

4. Dependência não linear do tipo em forma de U (Fig. 6) detectada


vive na maioria dos experimentos nos quais
benefícios da regulação mental do comportamento:

Número de erros
ao decidir
intelectual
tarefas

Nível de ansiedade

Arroz. 6. Dependência não linear do tipo em forma de U


118

Página 119

5. A relação em forma de U invertido (Fig. 7) torna-se


Xia em vários estudos experimentais e de correlação
seguidores tanto na psicologia da personalidade, motivação, quanto na área social
psicologia mental.

Eficiência
articulação

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 101/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras
resolvendo o problema

Tamanho de banda

Arroz. 7. Relação em forma de U invertido

11. 2. Controle de variáveis

Deve ser feita uma distinção entre o controle da variável independente e o controle.
o papel de outros, ou externo (colateral e adicional), sobre
homens.
Controle de variável independente . Existem dois principais
Quaisquer métodos de controle:
1) controle por meio de manipulação ativa, variando
racionamento PN (alterando o volume do sinal, a ordem de apresentação
incentivos, etc.);
2) controle selecionando os valores NP necessários entre
variáveis ​já existentes. Este é o controle passivo. Ré-
variáveis escolhidas desta forma são variáveis ​de assunto
(QI, autoritarismo, gênero, raça, presença de homem ou mulher
hormônios, qualquer qualidade ou característica constante
personalidade que é difícil ou impossível de mudar arbitrariamente
mas). O experimentador não pode mudar o autoritarismo de um ser humano
ka, mas ele pode escolher assuntos com vários graus de autorização
embalagem.
Controle da influência de variáveis ​externas. O resultado da influência
niya VP é o efeito da mixagem . A seguir, veremos cinco
119

Página 120

formas de controlar o espaço aéreo (lembrando que não são garantia contra a influência do espaço aéreo,
a prevenção): eliminação de CAP, constância de condições, equilíbrio
correspondência, contrapeso, randomização.
1. Eliminação - eliminação de EP. Então, em laboratórios psicofísicos
câmaras experimentais são frequentemente criadas nos laboratórios para isolar
assuntos de teste de sons externos, ruídos, vibração
campos de ação e eletromagnéticos (mas ainda não exclui
a influência de variáveis ​psicológicas diferenciais,
como sexo, idade, inteligência, etc.).
2. Criação de condições constantes. Se mudanças externas
que não pode ser excluída da situação experimental, então
deve ser feito de tal forma que sua influência permaneça inalterada em
de todos os assuntos em todos os valores de NP e ao longo
experimentar.
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 102/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

O que está sendo padronizado? Físico, sócio-psicológico,


variáveis ​psicológicas diferenciais, bem como instruções
ção No entanto, mesmo esta estratégia não permite evitar completamente
o efeito da mistura. A rigor, os dados obtidos nas constantes
valores de variáveis ​externas, apenas
para aquelas situações reais em que os valores do IP são os mesmos que
eles estavam sob investigação .
3. Balanceamento. Aplicado quando a pesquisa está conduzindo -
Xia no intersubjetivo (= intergrupo) experimental
plano. Planos intersubjetivos são usados ​quando necessário
mo, de modo que para cada condição (nível, gradação) NPs são estudados
novos assuntos. Essa necessidade surge quando para aqueles
os mesmos sujeitos, colocados em novas condições, não conseguem separar
derramando a influência de NP da influência de VP. Se os sujeitos, participando do ex-
experimente com um valor de NP, ganhe experiência e depois com outro
o valor do NP, esta experiência não permitirá que eles continuem o experimento.
policial como era no início, "do zero". Experiência neste caso
é uma variável externa, a ação da qual não pode ser separada
derramando da ação de NP. Para controlar tal
variáveis, novos assuntos são necessários, ou seja, para cada nível
O NP é formado por seu próprio grupo de disciplinas.
O caso mais simples de planejamento intergrupal é
o caso quando apenas
120

Página 121

a um grupo, denominado experimental (EG), no segundo


grupo, o impacto do NP sobre os sujeitos está ausente. Aceito dizendo
Suponha que este grupo esteja sendo estudado no nível "zero" de NP. Em contraste
desde o início é denominado controle (CG). É desejável que
GE e CG foram equivalentes. Em seguida, no RFP no experimental
o grupo será influenciado conjuntamente pelo NP e algum VP desconhecido,
e no grupo controle, apenas PE. Assim, os VPs têm
influência igual sobre o salário em ambos os grupos, ou seja, a influência do IP é
lansirovanny.
Às vezes, mais de um KG é necessário. Então, em farmacologia e cor-
psicologia retional para avaliar a eficácia de vários
métodos de tratamento, juntamente com o GC usual, um grupo de controle é usado
pa placebo . No livro de R. Solso, H. Johnson e M. Beale [Solso e
et al., 2001] descreve um experimento sobre o tratamento de fobias de fala pelo método
mi terapia comportamental e racional, que usa
eram dois grupos de controle diferentes - convencional e placebo [Ibid,
64-65 ]. Uma vez que no grupo placebo o resultado foi maior do que
no grupo da terapia racional, então, de fato, terapia racional
pia acabou sendo um método placebo. Por outro lado, mesmo que seja "puramente
que "grupo de controle, os resultados melhoraram, então os resultados deste
grupos devem ser usados ​como um ponto de partida para avaliar diferentes
todes (melhora com terapia comportamental 100%, com racional
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 103/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

terapia - 60%, com placebo - 73%, com controle - 30%).


A técnica de balanceamento parece um pouco diferente se o VP for devido a
conhecido. Um exemplo típico é identificar o impacto sobre os resultados de
Período do EP subjetivo "gênero". Para controlar esta variável
dois grupos experimentais são organizados , masculino e feminino,
em cada um dos quais o efeito da ação NP é revelado (por exemplo,
autotreinamento) no ZP (por exemplo, tempo de recuperação após a dor
atividade física). O resto dos VPs são controlados por
equilibrando-os entre o experimental disponível e
além disso, criaram grupos de controle dentro do
amostras de saída.
4. Contrabalançar (= balanceamento = balanceamento posicional)
threading ). Ao discutir a necessidade de usar intergrupo
planos, dissemos que em vários casos, assim que os sujeitos
exposto a um nível de NP, é impossível
121

Página 122

mas transformá-los de volta nos indivíduos que eram antes


impacto. A exposição pode causar efeitos irreversíveis, que
o que não lhes permitirá continuar a experiência do zero. Impacto
outro nível de NP ocorrerá em relação ao anterior,
o que leva ao aparecimento de tal VP como o efeito de sucessivas
nosti .
O efeito da consistência é um grande problema dentro dos grupos.
novo experimento (= intrasujeito), que é realizado para
sim, quando por algum motivo não há para onde estudar novos assuntos
e um experimento intergrupo equilibrado não é viável.
O efeito de consistência pode resultar de diferentes
fatores, os principais dos quais são aprendizagem (treinamento) e
fadiga.
Um exemplo do impacto do treinamento . Deixe-nos querer saber em qual classe
viatura fornece impressão mais rápida - padrão ou re-
desenvolvido. Com um plano intragrupo, levamos 10 pessoas
e determinar quanto tempo vai demorar para eles
O teclado Noah atinge uma velocidade de digitação de 30 palavras por minuto. Descobrindo
comer que demorou 40 horas. Então, nós os plantamos para uma nova chave
viatura e vemos que eles atingiram a velocidade exigida em apenas 2 horas.
sa. Obviamente, não podemos concluir que usar a nova classe
viatura é muito mais fácil, porque na primeira série do experimento, o
os alunos adquiriram habilidades gerais de digitação e
para este teclado, na segunda série - apenas específico
sugestão, uma vez que o comum já foi comprado [Martin, 2002, 233 ].
Para minimizar (controlar) o efeito de consistência e
contrapeso ou equalização posicional é usado. Significado
o contrapeso é que a ordem de apresentação
níveis de NP (por exemplo, itens de teste) em uma das séries de
aposentado por um procedimento diferente para apresentar tarefas em outro
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 104/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

ries, ou seja, EP compensam-se em diferentes


Series.
Um dos esquemas de contrapeso mais populares é chamado
vayut trim ABBA. A e B representam dois níveis de qualquer
batalha NP, e a sequência mostra como os níveis são distribuídos
baseiam-se em uma série de experimentos. Aqui no Episódio 1 apresentará
nível A, nas séries 2 e 3 - nível B, e na série 4 - A. Ao usar
122

Página 123

a formação de um plano intragrupo, cada sujeito passa por


em todos os episódios. Se o contrapeso for realizado entre
plano de grupo, então os assuntos de um grupo são apresentados com
fileira AB, sujeitos do segundo grupo - BA. Assim, ef-
o efeito de sequência é propositalmente distribuído para todos
condições experimentais .
Um exemplo de contrapeso intergrupo . Experimental
eles querem saber como a cor do vinho afeta as preferências do consumidor
lei. Existe uma maneira de você poder mudar a cor
vinho sem afetar seu sabor. O experimento usa vinho
cor redonda - rubi escuro e verde alterado.
A variável dependente é a avaliação das preferências em uma escala de 5 pontos.
le. Já que na hora da degustação do vinho, a segunda porção pode mostrar
mais agradável, não porque tem um gosto melhor, mas porque de-
para o gustador, a vida em geral começou a parecer mais agradável, não
é necessário equilibrar o procedimento. Balanceamento (contrapeso-
sirovka) pode ser alcançado se a primeira metade do teste
mykh (primeiro grupo) provará primeiro vinho colorido,
então - vinho de cor natural (seqüência AB), e o segundo -
paraíso - primeiro, vinho de cor natural, depois colorido (após-
sequência VA) [Solso et al., 125 ] - tab. 1

tabela 1
Organização de dados para contrapeso intergrupo

Grupo Procedimento de apresentação do vinho

O primeiro Tingido - cor natural (AB)


O segundo Cor natural - tingido (VA)

De acordo com o mesmo plano, deve-se estudar a influência do tipo de classe


viatura para velocidade de impressão.
Ao usar contrapeso, geralmente é assumido
é que o efeito do seguinte AB é completamente oposto (sym-
métrica) para o efeito de seguir VA. Esta suposição é chamada sim-
transferência métrica . No entanto, nem sempre é cumprido, e então
estamos lidando com uma transferência assimétrica, na qual a técnica
o contrapeso torna-se ineficaz.

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 105/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

123

Página 124

5. Randomização. A randomização, como já mencionado, é chamada


existe um procedimento que garante oportunidades iguais para todos
um membro da população para se tornar um participante do experimento. Sua aplicação
fornece o mesmo nível de variáveis ​complementares em
população em geral e na amostra. Ela é a melhor
de uma forma que permite excluir a influência no resultado do experimento
mento de tais PEs como as características individuais dos sujeitos.

Aula 12. Validade


experimento psicológico

Às principais características de um experimento psicológico


suas preocupações de validade . Vamos começar uma discussão sobre o conceito de validade.
Estes são aplicados a medidas psicológicas.
Qual é a base da confiança dos cientistas na avaliação de tais
como um tempo de reação, inteligência, percepção das pessoas sobre o social
suporte, etc.? Para responder a esta pergunta, é necessário discutir
Existem dois fatores principais: confiabilidade e validade das medições.
Confiabilidade de medição. A medição é considerada confiável
se o seu resultado é repetido com medições repetidas. Boa
Um bom exemplo de medição confiável é medir o tempo de resposta:
a pessoa na primeira tentativa reage ao sinal após 0,18 s,
nas próximas tentativas geralmente dá resultados próximos a este,
e condicionalmente verdadeiro, consideramos a média do fechamento resultante
seus valores.
A confiabilidade é uma função do número de erros de medição.
Sempre existem erros, e eles dependem, em particular, da qualidade do
instrumento de medição: quanto mais voláteis são os resultados da medição
menos confiável é o instrumento. Por exemplo, res-
a nova linha será claramente menos confiável do que a linha de aço, uma vez que
ku, por razões óbvias, medições com sua ajuda darão
grande propagação.
Confiança em medições confiáveis ​na maioria dos casos
desenvolvido ao longo do tempo como resultado de sua repetição, formal
124

Página 125

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 106/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

o mesmo cálculo de confiabilidade é geralmente aplicado a testes para


estágio de sua padronização.
Validade de medição. Medição de características psicológicas
um theristic é considerado válido se exatamente o que é medido
disputado. Um teste de inteligência deve medir a inteligência, não algo
de outros. E se, ao testar a inteligência, formos solicitados a raciocinar e
resolver problemas, parece razoável, mas sobre o teste, digamos
Eles dizem que tem uma validade óbvia . No entanto, tendo apenas
a validade óbvia é a quantidade de testes recreativos. Científico
Testes além da necessidade óbvia de ter até mesmo um critério Ba
identidade. Portanto, o teste de inteligência será válido em termos de critérios,
se com base nisso a) o desempenho acadêmico pode ser previsto eb) se
seus resultados são semelhantes (correlacionados) com os resultados de outros
testes intelectuais.
Outro tipo de validade de instrumentos científicos, principalmente
importante para pesquisa experimental - design
validade (ConV). O fato é que o aparato da psicologia está saturado
construções - variáveis ​que não podem ser observadas
diretamente (inteligência, ansiedade, status, capacidade de memória e
etc.). Eles são hipotéticos, e a presença de tais hipóteses
construções físicas só podem ser deduzidas de
medidas tomadas. Um estudo em que certo
a medição do construto é realizada e que dá mais cedo
os resultados previstos são confirmados pelo próprio construto e pelo instrumento
o policial costumava medir isso. Validade do construto
intimamente relacionado 1) à essência da teoria; 2) a construção de uma hipótese sobre
baseado na teoria; 3) avaliar as teorias derivadas dos resultados do
seguidores. Portanto, ConV como tal nunca é confirmado
e não é destruído por um estudo; é impossível provar isso
pelas mesmas razões que é impossível provar uma teoria.
Para entender como o ConV é alcançado, considere uma série de estudos
estudos dedicados ao problema da impaciência das crianças: por que as crianças
eles estão impacientes, por que eles às vezes querem algo "direto
agora ”e por que é difícil para eles esperar? Uma construção inventada, com
pelo poder de que se propõe compreender e medir a impaciência,
é chamado de "atraso do prazer", e para medi-lo eram
as seguintes ações são sugeridas.
125

Página 126

As crianças foram convidadas a escolher entre uma pequena recompensa, acesso


noé no mesmo momento, e mais, mas com a condição de que ela receba
algum tempo depois. Foi assumido que se a falha
prazer atrasado é uma característica inerente
crianças pequenas, então as crianças mais velhas deveriam estar mais dispostas a esperar pela dor
Estou te dando uma recompensa. Esse raciocínio levou a um experimento óbvio.
aquele em que as crianças completaram uma pequena tarefa, e então
o experimentador disse a eles: "Eu gostaria de dar a cada um de vocês um
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 107/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

doce, mas hoje eu levei comigo muito poucos desses (mostrando


acenando um grande doce). Portanto, você pode pegar isso (mostrar
chamando um doce) agora ou, se quiser, você pode
aguardar tal (mostrando), que trarei na próxima quinta-feira
verg (uma semana depois) ".
Os resultados confirmaram a suposição: imediata (mas ma-
preguiçoso) a recompensa foi escolhida por 81% das crianças de 7 anos, 48% das de 8 anos
deles e 20% das crianças de 9 anos.
No entanto, a fim de estabelecer a validade do construto “solicitar
mantendo o prazer ", um único experimento não é suficiente,
portanto, vários outros experimentos foram inventados com o objetivo de investigar
identificação de possíveis relações entre o construto estudado e
outras construções reconhecidas. E verificou-se que as crianças,
aqueles que optaram por adiar o prazer também foram emocionalmente
mais maduro, mais focado no sucesso, a probabilidade de inadimplência
para eles era menor, e a probabilidade de se tornarem socialmente responsáveis
nim - superior. Assim, com base em uma série de estudos, re-
cujos resultados confirmaram as suposições feitas, o atraso
o prazer foi reconhecido como uma construção válida [Goodwin,
2004, 138-140 , 184-185 ].
Outro exemplo. Por trás do construto "ansiedade" muitas vezes está oculta
há uma compreensão diferente disso, uma interpretação inequívoca da falta de
golpes. Isso significa que diferentes autores, propondo métodos para fazer
medir a ansiedade (operacionalizando o conceito de "ansiedade"),
pode realmente medir diferentes aspectos deste construto, e
em seguida, diferentes construções. Então, se você fizer dois testes populares -
a escala de ansiedade de Taylor e o teste de Eysenck (EPI), uma das escalas das quais
rogo, neuroticismo, mede a ansiedade, então entenda o que exatamente somos
126

Página 127

medida, só é possível conhecer os conceitos de ansiedade do autor,


ou seja, a teoria subjacente à metodologia.
Depois que a técnica é inventada, surge a tarefa de provar que
o resultado obtido com a sua ajuda corresponde ao teórico
este construto (em nosso exemplo, ele realmente mede a ansiedade
ness), ou seja, possui ConV. Isso é conseguido de forma gradual
acúmulo de informações sobre o construto medido, rastreando
comunicação com formas práticas de atividade, com opiniões
somos especialistas, com a confiabilidade de prever comportamentos reais.
Ou seja, o ConV é gerado à medida que os dados se acumulam.
ny e torna-se possível descrevê-los usando diferentes
formas, mas redutíveis a uma única base - uma construção.
Por que mais - além da meta, certifique-se de que medimos
exatamente o que seria medido - é importante justificar o ConV?
Porque depois de justificá-lo, o pesquisador pode apresentar
propriedade medida em um sistema de categorias psicológicas, com
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 108/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

posições lógicas para explicar naturalmente (interpretar)


os resultados dos experimentos, para prever o comportamento, ou seja, para fazer o
generalizações reticais. Como já mencionado, a psicologia
estruturas podem ser concretizadas por diferentes métodos (testes Ai-
Zenka e Taylor para medir a ansiedade, por exemplo), T.V.
Lova chama isso de replicação conceitual [Kornilova, 2003].
A presença de replicações conceituais aumenta a validade do
em relação ao construto, amplia o leque de generalizações.
Então, se nosso estudo experimental
ConV, isso significa que nossa interpretação do experimental
dados (NP e RF medidos) são adequados à teoria, ou que
o mesmo, os termos desta ou daquela teoria ao interpretar
os dados experimentais são usados ​corretamente .
De acordo com T.V. Kornilova, KonB é uma avaliação de conformidade
variáveis ​apresentadas na hipótese experimental e
vestindo entre eles construtos teóricos e teóricos
alguma hipótese, da qual, como consequência, um experimento é derivado
hipótese mental [Ibid, 173-175 ].
Além disso, é necessário considerar três mais importantes para o experimento.
psicologia mental do tipo de validade: interna, externa
nu e operacional.
127

Página 128

Ao discutir o problema de validade, é conveniente usar


recepção de Gottsdanker, que se propôs a considerar de forma realista
conduziu experimentos através do prisma de uma certa imagem mental
tsa - um experimento perfeito .
Existem três tipos de experimento perfeito: perfeito,
experimento de combinação perfeita e sem fim [Gottsdanker,
1982, 51–54 ].
Um experimento ideal - seria então, se tivesse sucesso
pare o tempo físico. O cumprimento desta condição significa
afirma que: 1) nem os assuntos nem as condições mudam (ou seja, garantir
o principal é que todos os fatores colaterais permanecem inalterados),
é permitido apenas para NP; 2) o mesmo assunto
ao mesmo tempo, diferentes condições podem ser apresentadas, independentemente
minha variável (por exemplo, um tecelão teria que trabalhar com fones de ouvido)
e sem eles ao mesmo tempo, o aluno iria memorizar musicais
o jogo é simultaneamente holístico e métodos parciais -
medidas de Gottsdanker).
Um experimento sem fim - isto é, continuamente continuando
Xia. Necessário para acumular uma quantidade suficientemente grande de dados
dados para calculá-los e obter um resultado confiável (fazendo a média
segmento e flutuações em suas próprias avaliações).
Um experimento de ajuste perfeito (EPS) é uma representação precisa de
o produto de uma situação real, ou seja, as conclusões do experimento serão
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 109/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

se estendem exatamente para a mesma situação que o ex-


experimento (se um aluno de Gottsdanker quiser descobrir uma maneira de
memorização mais eficaz de sonatas, então ele deve experimentar
esposas com sonatas e não com valsas mais fáceis de aprender).
É claro que um experimento perfeito, como tudo perfeito,
irreal: o ideal é impossível, um experimento de completo
correspondência - sem sentido (embora possível), infinita -
Ambas. Para que serve esse conceito? O significado da ideia é perfeito
experimento de rio consiste no fato de fornecer uma amostra para a avaliação
experimentos reais e identificando suas deficiências.
Em qualquer experimento real, devemos nos esforçar para
mu para obter resultados o mais próximo possível dos resultados
tatam de um experimento perfeito. Quanto mais próximo do experimento real
128

Página 129

policial para o impecável, livre de erros, de acordo com o plano e procedimentos,


mais é válido.
Validade interna. Alta validade interna de ex-
perimento significa que nele você pode obter a mesma proporção
entre as variáveis ​independentes e dependentes, como no ideal
ou experimentos intermináveis. Ou seja, a validade interna é
uma medida da influência do NP na RFP. Em outras palavras, validade interna
quanto maior a probabilidade de que o experimental
o efeito (mudança no RFP) é causado por uma mudança no NP. Então fala
é sobre a eliminação de efeitos colaterais: menos eles afetam o
a variável dependente as condições são incontroláveis, quanto maior
a validade interna do experimento, portanto, quanto menos
a probabilidade de que os fatos encontrados no experimento sejam
artefatos, mais confiável é o encontrado
vestindo NP e salário. Não temos o direito de considerar o resultado do experimento.
confiável se não estiver claro para nós por que o tecelão teve um desempenho melhor:
porque você usou fones de ouvido com cancelamento de ruído ou porque está correndo
melhor tempo (exemplo de Gottsdanker).
Validade externa . Se a experiência permitir que você
leia os mesmos resultados do experimento de correspondência completa,
ou seja, reproduzir completamente a realidade externa, então eles dizem
que tem validade externa. As características do externo
validade e é uma medida de conformidade com o experimental
cedimentos são realidades . Um experimento que não tem
identidade, é inadequada, ou seja, não é apropriada para
hipótese (mas pode ser útil para testar outro
hipótese). Por exemplo, de acordo com Gottsdanker, razoável
cantando valsas leves em vez de sonatas difíceis. Mas o mesmo experimento
policial será normal se o objetivo for encontrar o mais eficaz
método eficaz de memorizar valsas.
O termo "validade externa" refere-se à determinação da

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 110/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

a matemática do experimento sendo realizado, a que exatamente ele é dedicado,


exemplo, o método de memorizar sonatas, valsas ou o método de memorização
geralmente. Portanto, a experiência de memorizar valsa não tem
validade externa para determinar a eficácia do método
aprendizagem em geral: o resultado não pode ser generalizado para outros tipos de memorização
material retirado.
129

Página 130

Assim, a confiabilidade depende da validade interna.


resultados experimentais, externos - portabilidade
resultados de nós experimentais (em particular, de laboratório)
compreensão dos processos reais e sua generalização para outras áreas de
realidades (às quais correspondem as variáveis ​experimentais).
Observe, no entanto, que a validade externa assim entendida
é de particular importância apenas para psicologia empírica
pesquisar. Na verdade, em princípio, tais experimentos são possíveis,
que não correspondem a nenhuma situação da vida real
poços, mas servem apenas para testar hipóteses da "vanguarda da ciência",
por exemplo, experimentos em privação sensorial, produção
reflexos condicionados clássicos, escuta dicótica.
É por isso que a validade externa do experimento está especialmente preocupada
existem especialistas aplicados - clínicos, pedagógicos e organizacionais
psicólogos, porque para resolver suas tarefas diárias
eles têm que recorrer à criação de experimentos, imitando
realidade (duplicando o mundo real, de acordo com Gottsdanker).
Na verdade, a discussão histórica dos apoiadores de laboratório
ritual e "experimento natural" foi um reflexo de diferentes
abordagem metodológica de especialistas envolvidos em fundamentos
noah ou psicologia aplicada.
Daí decorre que o critério para a classificação do experimental
camarada para natural (realizado nas condições de "campo") e laboratórios
história é o cumprimento do NP ou das condições reais de vida
(experimento natural), ou conceitos teóricos,
abrangidos através da operacionalização destes conceitos (laboratório
experimentar).
Para conduzir um experimento de laboratório, você precisa "limpar"
suas condições para que seja possível alterar um único NP.
Os verdadeiros experimentos de laboratório são poucos, uma vez que
existem poucas hipóteses teóricas para testar quais
conseguem ser claramente operacionalizados em metodologias específicas
procedimentos uma construção teórica da "vanguarda da ciência". No-
a medida de tal construção é o conceito de uma assimetria funcional
métricas cerebrais , operacionalizadas usando a técnica de di-
escuta quente. Esta técnica permite que você execute
percepção monoaural simultânea de duas mensagens, cada uma
130

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 111/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Página 131

de onde entra no centro auditivo do hemisfério correspondente


riya. Isso não acontece na vida real, onde a percepção auditiva
binoural , ou seja, cada mensagem sempre atinge as duas orelhas, e
portanto, em ambos os centros auditivos. Situação criada artificialmente
a escuta dicótica é necessária para verificar
uma hipótese sobre as diferentes formas de processamento de informações por uma pessoa,
ou seja, envolve a transferência do resultado para o mundo da teoria.
A maior parte dos experimentos realizados em laboratório
torii são os chamados experimentos artificiais ou,
por Gottsdanker, experimentos que melhoram o mundo real. De é-
laboratório, eles diferem no fato de que a transferência de resultados
o obtido em laboratório é realizado na vida real.
Experimentos artificiais são planejados quando apropriado
experimento natural (duplicar a realidade) não é
fornece validade interna suficiente (ou seja, não
é possível proteger o RFP da influência de fatores colaterais).
Em experimentos artificiais, é possível evitar
mistura química, fatores colaterais de estabilização artificial
(no experimento com pousos noturnos de aeronaves, estabilização
foram, isto é, tornados iguais, fatores como aparência
aeródromo e cidade, condições de visibilidade, etc., a fim de ser
confiante de que a diferença na trajetória de pouso é explicada apenas por
alterando a inclinação da superfície).
A forma de realização de laboratório e artificial
experimento: este último é realizado com a ajuda de simuladores,
situações de jogo, etc., de modo que o esclarecimento das condições não afete
sobre os processos estudados - análogos daqueles que ocorrem na vida real
situações.
Dissemos acima que um experimento que não tem
sua validade é considerada inadequada, incorreta. Agora podemos
esclarecemos que isso só é verdade se a fonte
o apelido da hipótese é realidade, conhecimento comum, não teoria.
Se a fonte da hipótese for puramente teórica, então o experimento
pode não corresponder a nenhuma realidade, embora tendo
alta validade interna e operacional. A avaliação
a validade externa de tal experimento dá lugar a uma avaliação
validade do construto. Outra coisa é que a transferência direta de seu re-
131

Página 132

resultados na realidade é impossível (sem levar em consideração o efeito sobre o


variável de variáveis ​adicionais).
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 112/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Vamos lembrar novamente que experimentos artificiais são necessários.


a fim de garantir a validade interna. Mas aumente
promovendo a validade interna ao "melhorar" a realidade, nós,
em princípio, corremos o risco de perder a validade externa, porque “melhorou
qualquer "mundo de experimentos pode se tornar inadequado para esta realidade
ti. Portanto, surge a necessidade de procurar a maneira ideal de melhorar
mudanças no mundo real, ou seja, o equilíbrio entre o externo e o interno
validade.
Há uma série de fatores que tornam difícil alcançar
Validade de Renny . Esses fatores podem ser divididos em dois grupos:
1) fatores associados aos sujeitos (com uma amostra):
- os assuntos podem mudar com o tempo
tormento (fome, fadiga, doença, etc.) e / ou propriedades individuais
VA (mudanças relacionadas à idade, acúmulo de experiência, etc.);
- os grupos podem ser desiguais em composição, o que você-
causa erro sistemático nos resultados;
2) variáveis ​secundárias, cuja influência leva ao seguinte
os seguintes efeitos:
- o efeito da história ou contexto - eventos específicos ocorrendo
no período entre o teste inicial e final,
passado o impacto experimental;
- o efeito do teste - uma diminuição ou aumento na percepção
a sensibilidade dos assuntos de teste à exposição experimental sob
o impacto do teste. Portanto, controle preliminar do conhecimento
os alunos podem aumentar seu interesse em novos materiais de ensino;
- erro instrumental - determinado pela confiabilidade
o método de fixação do comportamento do sujeito, ou seja, a confiabilidade do teste;
- a interação de fatores de seleção, desenvolvimento natural,
histórias (histórias diferentes de grupos experimentais), etc.
Entre os fatores que afetam negativamente a validade externa
ness do experimento, os mais importantes são os seguintes:
- o efeito do teste - o efeito do teste preliminar
no resultado final. Já que a população em geral
não é submetido a testes preliminares, os resultados
pode não ser representativo para ela;
132

Página 133

- fator de voluntariedade - participação obrigatória no experimento


rituais;
- interferência de influências experimentais, mostrando
em experimentos em série: uma vez que os sujeitos têm
memória e aprendizagem, então as primeiras influências afetam
sobre o aparecimento de efeitos de influências subsequentes.
A validade operacional (OPV) é outra crítica
o tipo de validade, definido como o grau de conformidade da aplicação
métodos para os conceitos teóricos que estão incluídos no experimental

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 113/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

hipótese
cheque, éexperimental.
formulado, viaA de
questão
regra,éde
que a hipótese
maneira que queremos
bastante geral e abstrata
conceitos, e esses conceitos devem ser adequadamente traduzidos
são fornecidos na linguagem de um experimento específico. Se tal tradução for duvidosa
telen, então se fala de uma visão fraca do experimento. Exemplo questionável-
ir, de acordo com Gottsdanker, tradução - experiências de Levin com crianças de 10 anos
meninos pela influência de autoritários, democráticos
e estilos anárquicos de liderança (dúvida - na identificação
cátions de estilos; Gottsdanker prefere chamar essas situações
despotismo, monarquia liberal e democracia). Outra pergunta,
associado com OPV, - quanto esses experimentos de curto prazo
com crianças vivendo em um ambiente familiar muito diferente, em geral
pode falar sobre o comportamento das pessoas que estão constantemente em
condições sociais apropriadas [Gottsdanker, 1982, 219 ].
O momento em que ocorre a avaliação do OpV é o momento de transição
sim, desde as hipóteses já formuladas aos procedimentos de suas
quem encarnação. Nesse momento, o pesquisador decide qual nome
mas a técnica implementa melhor o modelo mental do experimento,
ou seja, permite variar melhor o NP e medir o ZP. Esta escolha
também é necessário porque o mesmo RFP pode ser medido
usando diferentes técnicas.
A condição mais importante para alcançar OPV é o operacional
análise das variáveis ​incluídas na hipótese experimental.
Uma definição operacional (TOE) é uma declaração detalhada de um operacional
rádios necessários para representar e medir conceitos.
Para algumas variáveis, isso é fácil de fazer (os intervalos entre
exercício, hiperplasia adrenal congênita, etc.).
Mas se as variáveis ​são expressas por meio de conceitos abstratos (tre-
133

Página 134

poder, inteligência, motivação, etc.), então OO, cobrindo


toda a complexidade do conceito e ao mesmo tempo comprovada empiricamente
é mais difícil de dar. Todo mundo tem uma ideia de ansiedade
nosti. Um ponto comum nas definições de dicionário de ansiedade é
é que este é um estado emocional, o mais característico
cujo componente está esperando. Operacional
uma nova definição de ansiedade foi dada com a ajuda de "paper-ka-
"testes aleatórios usando métodos de controle de suor,
registro de reação galvânica da pele, frequência cardíaca
contrações, movimentos do globo ocular. Cada um desses OOs dá
avaliação de uma certa parte do estado de ansiedade, mas nenhuma
aprecia toda a sua complexidade. O psicólogo deve formular
adapte o TOE para se adequar à situação específica . Absolutamente
é imperativo que todos os usados ​no experimento sejam
variáveis ​tiveram definições operacionais.
Em termos de um experimento perfeito, OPV significa que
operações experimentais específicas representam NP e RF

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 114/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

do EPS.
OpV, de acordo com T.V. Kornilova, é uma avaliação do conduzido
do ponto de vista da correspondência dos métodos de atribuição e medição
variáveis ​utilizadas no estudo (NP, RF
e VP), conceitos dessas variáveis ​carregados empiricamente.
Em um experimento de laboratório, pode coincidir com o construto
identidade [Kornilova, 2003, 251 ].
Para entender a relação entre as características principais
Para pesquisas experimentais, é útil lembrar o seguinte -
o diagrama a seguir (Druzhinin, 2000, 87 ) (Fig. 8).
Na conclusão da conversa sobre validade, notamos que válido
não deve haver apenas medições de construções psicológicas
Camarada Em um sentido geral, a validade caracteriza o estudo de uma meta.
com e significa a correção do experimento: pesquisa
uma declaração é considerada válida se fornecer tal explicação para o comportamento.
que deveria dar .
E mais uma coisa : a medição terá valor para a pesquisa,
se ele tem confiabilidade e validade .
Neste caso, medições confiáveis ​podem não ser válidas, válidas
eles devem ser confiáveis.
134

Página 135

Teoria

Validade do construto Operacional


(direito validade
interpretação)

Ideal interno
experimentar (significativo) Experimentar
(interpretação) validade

Preditivo
(teórico) Validade externa
validade
Realidade

Arroz. 8. Relação entre as características principais


pesquisa experimental

Um exemplo . Sabe-se que as medidas dos frenologistas tiveram uma alta


algum tipo de confiabilidade. Então, a distância entre dois pontos
o crânio mudou pouco de dimensão para dimensão. Mas se a declaração
é dado que, com base em tais medições, é determinado "destrutivo
"habilidade de uma pessoa, então temos motivos para duvidar
na validade de tal declaração: não parece razoável (é claro
validade visível), com base nisso é impossível prever
manifestações de agressividade (validade de critério), não corresponde
é consistente com outros estudos de construtos associados a de-

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 115/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

estrutura, por exemplo impulsividade (construção válida


ness).

Então, nós discutimos quatro tipos de validade de experimento como


o grau em que se conforma com supostos padrões mentais.
A validade interna e operacional é avaliada em qualquer
experimento, externo - principalmente em artificial e natural
venoso (melhorando e duplicando o mundo real); construir
naya - ao testar hipóteses teóricas. Vamos repetir mais uma vez que
em um verdadeiro experimento de laboratório, a avaliação do OpV pode ser
cair com uma pontuação de ConV.

135

Página 136

Aula 13. Seleção experimental

O objeto da pesquisa psicológica pode ser se


mais um indivíduo separado ou um grupo.
Se todas as pessoas (ou animais) fossem iguais, então com o objeto
não haveria problema: o experimento pode ser realizado
com a participação de uma disciplina, e os resultados obtidos são aplicados
thread para explicar o comportamento de todas as outras pessoas. Mas as pessoas são diferentes
baseiam-se em gênero, idade, raça, nacionalidade, afiliação
a uma determinada cultura ou religião, em termos sociais e econômicos
posição, etc. Portanto, uma simples generalização
(generalização) dos dados obtidos no estudo de um teste
jogado, é impossível.
Às vezes, na prática, por exemplo, em experimentos de laboratório
no estudo dos processos sensoriais, memória, atenção, etc.,
essas diferenças são negligenciadas, tendo em vista que nosso assunto pode
pode representar qualquer indivíduo do Homo sapiens. No experimento
tacar na aprendizagem operante como um modelo de qualquer pessoa
um pombo ou um rato podem sair. Mas este é um problema diferente. Aqui
é importante notar que o experimento pode ser realizado com um uso
torturado ou um grupo (em psicologia social, este será um
grupo e muitos grupos - "grupo de grupos").
Um experimento com um sujeito é realizado quando: 1) um indivíduo
diferenças físicas podem ser negligenciadas, e a pesquisa é
é extremamente grande em volume e inclui muitos
ny amostras; 2) o sujeito é um objeto único, por exemplo um gênio
em qualquer área; 3) o assunto é obrigado a ter um especial
tendência durante a pesquisa (experimento com treinados
pelos sujeitos); 4) repetição deste experimento com a participação
É impossível comer outros assuntos.
Para experimentos com um assunto, especial
planos experimentais, que conheceremos a seguir.
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 116/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

No entanto, mais frequentemente, o estudo é realizado com um grupo no qual


todos os assuntos são objetivamente diferentes, mas foram selecionados em um grupo com
o poder de uma estratégia ou de outra. Estratégias de formação de grupo
perseguir um objetivo principal - criar um representante (pré-
136

Página 137

positivo) em relação à amostra da população. Requerimento


representatividade significa que a totalidade dos sujeitos deve
para refletir qualitativamente e quantitativamente (proporcionalmente)
novos tipos de todos os assuntos de teste em potencial.
Lembre-se de que uma amostra é a totalidade dessas pessoas
ou animais que tomam parte real no experimento
aqueles no papel de cobaias. E a população em geral (ou po-
ção ) inclui todos os assuntos possíveis, ou seja, aqueles para quem
os resultados obtidos podem ser divulgados com ampla justificativa.
Para alcançar representatividade na prática psicológica
tike são usados ​de várias maneiras.
1. Uma forma chave é a técnica de randomização ( o caso de
seleção de chá ). Sua essência reside no fato de que o máximo
o número de representantes da população
ções são atribuídos números individuais. A amostra é formada
deles usando uma tabela de números aleatórios. Criando assim
existe uma oportunidade igual para os indivíduos serem representados
na amostra experimental. Se o caso obtido pelo método
Para a seleção, a amostra deve ser dividida em grupos, a seguir para obter
grupos randomizados usam a técnica de distribuição aleatória
divisão , em que cada participante da amostra tem chances iguais
entramos em cada um dos grupos. Assim, a seleção aleatória e
a distribuição aleatória deve ser diferenciada uma da outra. A tarefa do
distribuição de chá - distribuir uniformemente entre os grupos de fac-
tori de diferenças individuais que podem distorcer a pesquisa.
São descritas técnicas de randomização específicas para casos típicos
nós, por exemplo, nos livros de Solso et al., Goodwin.
2. Mais preciso, mas também mais trabalhoso é o estratométrico
seleção rical (do grego. "camada") - a criação de uma escolha estratificada
Ki. A população em geral é considerada uma coleção
grupos com certas características (mais frequentemente
go - gênero, idade, preferências políticas, educação e nível
renda). A amostra experimental é selecionada
com características apropriadas - de modo que contenha
pessoas de cada estrato são igualmente representadas. Se ao mesmo tempo
a randomização é aplicada, é chamada de "randomização com o
lança de estratos ". Esta estratégia é usada por psicodiagnósticos ao desenvolver
137

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 117/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Página 138

testes, mas é usado principalmente por sociólogos e sociais


psicólogos em pesquisas de opinião pública, pesquisas
atitudes sociais, etc.
3. Se a amostra representativa for pequena, e com base nisso, não há
é necessário formar dois grupos equivalentes, a seguir distribuir
seus participantes em grupos de forma aleatória nem sempre é possível
(então, por exemplo, se a amostra consiste em 6 alarmantes e 10 calmos
participantes, em seguida, com uma distribuição aleatória em dois grupos
todos os perturbadores podem cair em um grupo). Neste caso, aplique
nyaetsya seleção ou ajuste de pares : para cada ispytuemo-
um participante equivalente (ou semelhante) é selecionado e eles
distribuídos em grupos diferentes. Assim, o controle
e os grupos experimentais tornam-se equivalentes (semelhantes
pela composição das disciplinas).
4. Quando for impossível encontrar uma maneira de criar um representante
amostragem, amostragem simples ou um método de aproximação
simulação , em que a amostra é apenas uma estimativa
mas reflete as características da população (o estudo pode
realizado com a participação de alunos do 2º ano da universidade, sendo os dados
atribuído a todas as pessoas ou pessoas com idades entre 17 e 21 anos
etc.). Isso às vezes é justificado, uma vez que a maioria dos experimentos
a pesquisa psicológica mental não se destina a estudar
descrição precisa de características específicas de uma determinada população
com base no estudo de sua parte. Normalmente, o objetivo da pesquisa é estudar
relações entre variáveis: é verdade que usando iso-
a fermentação melhora a memorização; assistindo agressões
comportamento agressivo; com um aumento no número de testemunhas
o número de pessoas dispostas a ajudar está diminuindo, etc.
Presume-se que se um relacionamento forte for identificado, então
aparecerá na maioria das pessoas pertencentes a um certo
populações, independentemente do método de sua seleção. A verdade disso
suposições são reveladas como resultado de novas repetições
e adições de experimentos. Portanto, por exemplo, ao estudar gra-
memória de curto prazo prostrada, não há necessidade de fazer caso-
amostra - qualquer grupo de adultos servirá.
5. O tipo de seleção simples mais comumente usado é
amostra conveniente , isto é, aquela que inclui pessoas que correspondem a
138

Página 139

os requisitos básicos do estudo. Às vezes é necessário


a participação de um certo tipo de pessoas é necessária, então uma amostra conveniente
chamado de alvo. Um caso especial de uma amostra conveniente é

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 118/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Grupos da vida real Xia .

Formação de uma amostra representativa de quantitativos


Este critério é idealmente realizado de acordo com o teorema de Chebyshev sobre o valor
a probabilidade de um erro de representatividade, que diz:
com um valor arbitrariamente próximo da unidade, pode-se argumentar que
com um número suficientemente grande de observações independentes, amostra
a média vai diferir tão pouco quanto o desejado do geral
média ". O tamanho mínimo representativo da amostra pode ser
calcular usando uma fórmula especial, que não fornecemos aqui
escurecido. Digamos apenas que a opinião predominante “quanto mais, melhor
ela ”não é verdade.
Se o objetivo do estudo é comparar grupos (por exemplo,
medidas experimentais e controle pelo critério t ), então na maioria
na maioria dos casos, para identificar diferenças em um suficientemente significativo
nível, o volume total dos grupos deve ser de pelo menos 50
sob a condição de pelo menos igualdade aproximada do teste
em grupos.
Ao conduzir estudos de correlação, há
uma regra que surge de considerações estatísticas
niy: é recomendado que o tamanho dos grupos comparados seja
pelo menos 30-35 pessoas, já que com tal número de
são significativos ao nível de p ≤ 0,05.
Os coeficientes de correlação são da ordem de 0,35 e superiores.
Se a análise fatorial for usada para processamento de dados
liz, então há uma regra simples: soluções fatoriais confiáveis
pode ser obtido apenas se o número de assuntos
pelo menos 3 vezes o número de parâmetros registrados
fosso. Além disso, é aconselhável aumentar o número de disciplinas
são pelo menos 5-10% a mais do que o necessário, porque
alguns deles serão rejeitados durante o experimento ou durante a análise
os protocolos experimentais (não entendeu as instruções, não se aplicou
resolveu o problema, deu resultados "desviantes", etc.).
139

Página 140

Quanto à composição por sexo e idade, recomenda-se (


exceto em casos especiais) para dividir o grupo geral em subgrupos
homens e mulheres e processam os dados separadamente para cada
subgrupos. A composição da idade é determinada com base nos objetivos do estudo
dando.

Então, formamos uma amostra. Existem várias maneiras


sobov sua pesquisa. A forma mais comum é para-
com base nele, os grupos experimentais e de controle,
que são colocados em condições diferentes (plano intergrupo).
A segunda opção é estudar um grupo. O comportamento dela

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 119/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

estudado em condições experimentais e de controle (interno


plano de grupo). É usado quando não é possível formar
grupo de controle
A terceira forma - vários grupos são formados, todos eles são configurados
em diferentes condições. O método é usado para planejamento fatorial.
experimento nii.
Como exatamente esses métodos são implementados, veremos ao discutir
o problema do planejamento de experimentos.

Aula 14. Projetos experimentais

14,1. Problemas a serem resolvidos na fase


planejamento significativo

O planejamento de experimentos tem duas formas principais - co-


contencioso e formal (para obter detalhes, consulte, por exemplo, [Kornilo-
va, 162-163 ]; sobre as complexidades do problema, ver: [Ibid., 180–184 ]).
O planejamento significativo inclui a resolução de questões de con
validade estrutural e operacional , ou seja, assume
implantação de argumentos substantivos do ponto de vista de
hipóteses experimentais, e do ponto de vista de correlacionar
os construtos psicológicos usados ​com metodológicos
procedimentos de medição de variáveis.
140

Página 141

O planejamento significativo é a primeira fase do planejamento ex-


perimento. É realizado na fase de concretização de hipóteses.
e variáveis ​(ver 10.3 "Estágios de psicologia experimental
quem pesquisa ") para que a especificidade da pesquisa não seja perdida.
inventou a "realidade psicológica".
Como isso é feito? A explicação psicológica dada em psi
construções psicológicas (como estilo de liderança, introversão
isto, síndrome de desajuste escolar, etc.), correlaciona-se no conteúdo
zhaniya com o tipo de dependência empírica estabelecida e
as formas de sua identificação, incluindo métodos de definição dos níveis de NP e
escolha dos métodos de registro do salário. Por exemplo, um pesquisador de interesse
pop as razões para o desajuste escolar. O construto "escola de-
adaptação "descreve um fenômeno que se manifesta em alunos da primeira série
kov na forma de sintomas neuróticos como resultado da incapacidade
lidar com os requisitos da escola. Possível hipótese, eu explico-
determinar as razões do desajuste, associa-o à falta de
habilidades de comunicação e se parece com isto:
se, ao entrar na primeira série, as crianças não têm

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 120/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

habilidades de comunicação (MT), eles desenvolvem a síndrome


desajustamento escolar (SC).
A dependência empírica estabelecida é monotonicamente decrescente
(Fig. 9): quanto maiores as habilidades de comunicação, menos
desajustamento. Os níveis de NP podem ser designados, por exemplo, como altos
sugestão, média e baixa, medindo desajuste por existente ou específico
técnicas especialmente concebidas e atribuindo o resultado a cada
conduza a criança para um desses níveis. Qual resultado para o quê
nível, o pesquisador decide com base em
considerações - a partir de observações do comportamento de alunos da primeira série, de
experiência dele e de seus colegas.
Preste atenção especial: o nível ou gradação do NP -
esta é a sua característica que mostra a “quantidade” do impacto.
No caso mais simples, típico de um experimento qualitativo,
que, há um nível de NP: nenhum impacto - nível zero,
há um impacto - o primeiro nível. Fraco-Médio-Forte
a ação é três níveis de NP; Alunos de 15 e 20 anos, eu decido
com uma tarefa - dois níveis de NP "idade".
141

Página 142

Nível
desajustamento

Nível comunicativo
Habilidades

Arroz. 9. Dependência do nível de desajuste escolar


desde o desenvolvimento de habilidades de comunicação

14,2. Planejamento formal do experimento

O planejamento formal visa a escolha de um esquema , ou seja, o planejamento


sobre a organização dos impactos em que a liberação garantida
o estudo da relação entre NP e RFP. Observe que todos os su-
atualmente existente na psicologia do experimental
esquemas nye são descritos. A tarefa do aluno é estudar
lê-los, após o qual ele tem a oportunidade de correlacionar seu
hipóteses com métodos experimentais disponíveis em psicologia
teste de hipótese - planos experimentais, escolha um adequado
e então prossiga de acordo com o algoritmo.
Na fase de planejamento formal, junto com a escolha do esquema
experimento, é tomada uma decisão 1) sobre o valor do mínimo
Mudança ZP, que é considerada suficiente para considerar
que o impacto alcançou o efeito; 2) sobre os níveis de erros permitidos
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 121/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

lado ao testar hipóteses estatísticas ( p <0,05, 0,01 ou 0,001);


3) sobre a forma de fixação do salário; 4) no método de processamento de dados (que
ry, por via de regra, é fornecido pelo esquema escolhido).
Portanto, planejamento formal, ou seja, a escolha de esquemas experimentais
controle, permite que você faça um experimento internamente
chumbo - aquele em que a seleção do investigado
relação entre NP e RFP.
Projetos para uma variável explicativa. Clássico
uma variante do plano do experimento "verdadeiro" (puro) é o plano
para dois grupos independentes. Existem duas versões principais
142

Página 143

deste plano. Ao descrevê-los, é conveniente usar o simbolismo de Kemp.


sino ( R - randomização, X - exposição, O 1 - teste do primeiro
grupo, О n - teste do enésimo grupo) (Campbell, 1980) * .
1. Plano para dois grupos randomizados com teste
após a exposição (desenvolvido por R. Fisher). Condição necessaria
sua aplicação - a equivalência de experimental e controle
grupo, alcançado (mais frequentemente) por meio de randomização. Se
a randomização foi realizada qualitativamente, então este plano é o mais
melhor: permite que você controle a maioria das fontes de ar-
tefatos, várias opções de dispersão
ª análise. Usado sem teste prévio.
jogado. Estrutura do plano:

EG: R X O
KG: R O 2
Depois de equalizar os grupos, um experimento
impacto. Na versão mais simples, apenas dois graus são usados.
ções do NP: tem impacto , não tem impacto .
Casos mais complexos: a) se a exposição experimental
tem mais de um nível, então o número de experimentais
os grupos são tomados de acordo com o número de níveis (o número de grupos de controle
ainda sozinho); b) se é possível controlar a influência
de variáveis adicionais , então use o plano com mais de
um grupo controle e um grupo experimental.
A medição do comportamento fornece material para comparações de grupos. Se
a medição é realizada com uma escala de intervalo, para avaliar a diferença
chia no grupo significa geralmente usar o teste t
T de Student . Avaliação das diferenças na variação do para-
medidor é realizado usando o teste F de Fisher (para o pedido
fora das escalas, critérios não paramétricos são aplicados, bom ob-
Essa visão é dada no livro de E. V. Sidorenko [Sidorenko, 2000].
Este plano permite que você controle essas fontes de recursos internos
deficiência (como Campbell os define) como um efeito

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 122/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras
* Este livro é a principal fonte fundamental de perguntas

planejando um experimento psicológico. Todas as outras descrições do


novos tê-lo como a fonte primária.

143

Página 144

teste (uma vez que não há teste preliminar)


em) e a influência da composição dos grupos (desde que os grupos sejam equivalentes).
2. Um plano para dois grupos randomizados com
nym e teste final (teste - exposição - reteste). No-
mudança durante a maioria das atividades pedagógicas e sociais
mas experimentos psicológicos, quando é necessário controlar estritamente
role o nível original da variável dependente, seja
sinal, ansiedade, conhecimento, status de personalidade em um grupo, etc.
plano de viagem:
EX .: R О 1 X О 2
KG: R O 3 Cerca de 4
O plano de pré-teste é popular
psicólogos. Os biólogos confiam mais no procedimento aleatório.
sente falta. O psicólogo sabe que cada pessoa é única e
diferente de outros, e procura capturar essas diferenças com a ajuda de
testes sem depender de um procedimento de randomização mecânica. Hypothe-
para a maioria das pesquisas psicológicas, especialmente no campo
psicologia do desenvolvimento ("experimento formativo"), contém
previsão de uma certa mudança nas propriedades de um indivíduo sob a influência
o fator externo. Portanto, o plano "teste - impacto - reteste",
tornando possível comparar o que era "antes" com o que se tornou
"Depois" usando randomização e um grupo de controle,
muito comum.
Ao processar dados em uma escala de intervalo, geralmente é usado
os critérios paramétricos t e F são considerados . Três valores são calculados
Nia t : comparação de O 1 e O 2 ; Cerca de 3 e cerca de 4 ; О 2 e О 4 . A hipótese sobre o significativo
a influência do NP na RFP pode ser aceita se
duas condições: a) as diferenças entre O 1 e O 2 são significativas, e entre O 3 e O 4 -
insignificante eb) as diferenças entre O 2 e O 4 são significativas.
A principal fonte de artefatos que violam a validade externa
ness do procedimento, - o efeito do teste (por exemplo, teste
nível de conhecimento em um determinado assunto antes de conduzir um ex-
atividades de aprendizagem podem levar à atualização
conhecimento inicial e para um aumento geral na produtividade de
lembrança). No entanto, se O 3 e O 4 forem iguais, então o efeito
o teste é insignificante.
144

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 123/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Página 145

Outra forma de controlar o efeito do teste, mais


confiável, mas também mais complexo, é o plano de Salomão . Plano
é uma combinação dos dois planos discutidos anteriormente:
sem testes preliminares e "teste - exposição - reteste".
Este projeto requer quatro
grupos:
Experimento 1: R O 1 X O 2
Controle 1: RО3 Cerca de 4
Experimento 2: R XO 5
Controle 2: R O6
Com a primeira parte do plano, você pode controlar o efeito
teste (interação do primeiro teste e experimental
impacto total). O plano de Salomão revela o efeito da experimentação
impacto mental de quatro maneiras diferentes, ao comparar
nenii: 1) O 2 - O 1 ; 2) O 2 - O 4 ; 3) O 5 - O 6 ; 4) O 5 - O 3 .
Se compararmos O 6 com O 1 e O 3 , então podemos identificar o
influência local na variável dependente dos efeitos da natural
desenvolvimento e "história" (influências de fundo).
Finalmente, em alguns casos, é necessário verificar o armazenamento
o aumento no efeito da influência ao longo do tempo da variável independente sobre
viciado: por exemplo, descubra se um novo método leva à aprendizagem
à memorização de longo prazo do material. Para esses fins,
mude o seguinte plano:
Experimento 1: R O 1 X O 2
Controle 1: RО3 Cerca de 4
Experimento 2: RO 5 XO 6
Controle 2: RО7 O 8 (a lacuna simboliza o tempo)
Projetos para uma variável explicativa e várias
grupos. Às vezes, uma comparação de dois grupos não é suficiente para confirmar
ou refutação da hipótese experimental. Que provação
O Lema surge, em especial, quando é necessário identificar a quantidade
dependências naturais entre duas variáveis , por exemplo, quando
verificação da hipótese experimental "exata".
De fato, em um experimento com a participação de dois grupos no
Nesse caso, é possível estabelecer o fato de uma relação causal entre independentes
145

Página 146

sim e variável dependente. Mas entre dois pontos você pode


desenhe um número infinito de curvas. Para ter a certeza
em que exatamente é a natureza da relação entre as duas mudanças-
deve ter pelo menos três pontos correspondendo a três
Níveis de NP. Consequentemente, o experimentador deve destacar
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 124/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

quantos grupos randomizados e colocá-los em diferentes grupos


condições experimentais. A opção mais simples é planejar
para três grupos e três níveis da variável independente :
Experimento 1: R x 1 Cerca de 1
Experimento 2: RX 2 O2
Ao controle: R Cerca de 3
O grupo de controle, neste caso, é o terceiro experimento.
o grupo para o qual o nível da variável X = 0. Quando
deste plano, cada grupo é apresentado com apenas um nível
variável independente. Um aumento no número de experimentos também é possível.
grupos mentais de acordo com o número de níveis de independentes
cinto. Para processar dados obtidos usando tais
plano, os mesmos métodos estatísticos são aplicados que foram
números acima.
Um exemplo clássico. Suponha que queremos avaliar o impacto do
oportunidades de sucesso no exame. Se você gastar dois
experimento de nível, isto é, tomar dois grupos, por exemplo, com um alto
e baixa ansiedade, então você pode obter o resultado, retratando
mostrado na Fig. 10 (gráfico à esquerda). Se adicionarmos um terceiro grupo
com um nível médio de ansiedade, o resultado pode ser
kim como no gráfico à direita. Adicionando tudo novo ao experimento
níveis, podemos tirar conclusões cada vez mais precisas sobre o verdadeiro
conexão funcional entre NP e RFP.
Planos fatoriais. Experimentos de fator são aplicados
quando é necessário testar hipóteses complexas sobre a interconexão
zah entre variáveis. Visão geral de tal hipótese: “Se
А 1 , А 2 , ..., А n e , em seguida, В ". Essas hipóteses são chamadas de complexas, com
bin, etc. Neste caso, entre mudanças independentes
diferentes relações podem ser: conjunções , disjunções ,
independência linear , aditiva , multiplicativa , etc.
Os experimentos de fator são um caso especial de muitos
pesquisa dimensional, durante a qual eles tentam estabelecer
146

Página 147

Grau Grau

Baixo Alto Baixo Média Alto


Nível de ansiedade

Arroz. 10. Dependência do sucesso da atividade


no nível de ansiedade

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 125/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

para melhorar o relacionamento entre vários IRs e RFPs. Em um experimento fatorial


Como regra, dois tipos de hipóteses são testados simultaneamente:
1) hipóteses sobre a influência separada de cada um dos NP;
2) hipóteses sobre a interação de variáveis, ou seja, como
a presença de um dos NP afeta o efeito do outro.
Variáveis ​independentes em tal experimento são chamadas
são fatores .
O planejamento fatorial de um experimento é
de modo que todos os níveis de variáveis ​independentes são combinados uns com os outros
hom. O número de grupos experimentais é igual ao número de combinações de níveis
todas as variáveis ​independentes .
Hoje, com experimentação rigorosa, o fator
planos são mais comuns em psicologia, uma vez que é simples
praticamente não há dependências entre duas variáveis ​nele.
Conheça.
Existem muitas opções para experimentos fatoriais, mas
nem todos são usados ​na prática. Os mais comumente usados ​são simples
os projetos fatoriais mais próximos para duas variáveis ​independentes e dois
níveis do tipo 2 × 2. O número de "fatores" mostra o número de níveis
suas variáveis, o valor do fator é o número de níveis (gra-
dações) de cada NP. Então, no plano 2 × 2, dois NPs estão envolvidos e cada um
qual deles é apresentado em dois níveis: se houver uma variável - não
variável. Um plano 2 × 2 é usado para identificar o efeito de
os efeitos de dois NPs em um RFP. O experimentador manipula o
147

Página 148

combinações de variáveis ​e níveis. Os dados são capturados em


a mesa mais simples:

mesa 2
Plano fatorial 2 × 2

Primeira variável
Segunda variável
Há Não

Há 1 2
Não 3 4

A análise de dispersão é usada para processar os resultados.


Locação de acordo com Fisher.
Campbell sugere o uso de um planejamento fatorial 2 × 2 para
análise dos resultados do plano de Salomão acima. Digamos
rit it, considere o teste preliminar não uma fonte de ar-
fatos, e o segundo NP, e então os resultados obtidos de acordo com o plano
Lomon, pode ser inserido na tabela e analisado usando
análise de variação.
Tabela 3
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 126/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Plano fatorial 2 × 2
para analisar os resultados do plano de Salomão

Variável 1 -
Variável 2 - experimental
preliminares impacto
testando
Há Não

Há Cerca de 2 Cerca de 4
Não Cerca de 5 Cerca de 6

Outras versões do projeto fatorial são menos comumente usadas. Um exemplo de um plano
por 3 × 2 - um experimento para identificar o efeito da observação externa
determinação para o sucesso na resolução de problemas intelectuais. Os primeiros NP variam
É simples: existe um observador, não existe nenhum observador. Segundo NP -
níveis de dificuldade do problema com três gradações (Tabela 4).

148

Página 149

Tabela 4
Plano fatorial 3 × 2

Segunda variável
Primeira variável
fácil média difícil

Há um observador 1 2 2
Sem observador 3 4 4

A opção de plano 3 × 3 é usada se ambos forem independentes


Essas variáveis ​têm vários níveis e existe a possibilidade
identificar os tipos de relacionamento entre a variável dependente e as independentes. Esse
o plano permite que você identifique, por exemplo, o efeito do reforço na
a capacidade de realizar tarefas de diferentes dificuldades (tab. 5).

Tabela 5
Plano fatorial 3 × 3

Nível de dificuldade Intensidade de estimulação


tarefas baixo média Alto

Baixo 1 2 3
Média 4 5 6
Alto 7 oito nove

Em geral, o design para duas variáveis ​independentes é


olhares como N × M . A aplicabilidade de tais planos é limitada apenas
à necessidade de recrutar um grande número de randomizados
grupos. O volume do trabalho experimental aumenta excessivamente de até
adicionando cada nível de qualquer variável independente.

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 127/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Planos usados ​para estudar o impacto de mais de dois


variáveis ​dependentes raramente são usadas. Para três variáveis
eles têm a forma geral de L x M x N . Planos mais comumente usados
2x2x2: "três variáveis ​independentes - dois níveis."
Vamos ilustrar o uso de um projeto fatorial simples para
medida da psicologia comparativa, na qual experimental
o fosso estava interessado em quão rápido os ratos corriam em linha reta
o caminho é estreito, dependendo se eles estão privados de comida ou
comemos comida [Solso et al., 2001, 87-88 ].
149

Página 150

O equipamento usado no experimento foi de 5 pés


linha reta (aprox. 160 cm) linha reta com câmara inicial
no início e o alvo no final. A quantidade dependente era a velocidade,
com que os ratos correram a distância do início ao fim da estrada
Ki. O experimento usou 20 ratos. Metade deles contém
picado em tal dieta de modo que seu peso foi de 85% de
peso ao comer sem restrições, e a outra metade - para que eles
o peso era 95% do normal. Para este experimento foram
definiu conceitos como "privação severa" para ratos,
cujo peso era 85% do normal, e "privação não grave"
para ratos com peso de 95% do normal.
Em seguida, os experimentadores colocaram uma porção de 45 gramas de comida
(reforço fraco) para a câmara alvo do labirinto pela metade
ratos gravemente privados e uma porção de 260 gramas (forte
anexo) para a outra metade dos ratos do mesmo grupo. Semelhante
Assim, ao dividir o grupo de ratos de privação não grave, obtivemos
se quatro grupos experimentais:
1) privação severa - forte reforço;
2) privação severa - reforço fraco;
3) privação não severa - reforço forte;
4) privação frouxa - reforço fraco.
Cada um desses grupos no experimento envolveu cinco
ratos. A atividade dos ratos foi medida como a velocidade com que se moviam
cruzou uma seção de 2 pés da seção intermediária da pista. Experimental
mentadores registraram a velocidade de corrida neste segmento na última
dez tentativas. Médias para cada um dos quatro
os grupos são apresentados na tabela. 6
É claro a partir da tabela que tanto a privação quanto o reforço tiveram um
impacto na velocidade de corrida.

Tabela 6
Velocidade média de corrida para grupos experimentais

Doença Modo de privação


reforços 95% 85%

45 g 10,26 13,92

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 128/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

260 g 13,86 15,15


150

Página 151

A velocidade média dos ratos do grupo de reforço forte foi


maior velocidade de ratos de grupos de reforço fraco para cada
das condições de privação. Além disso, os indicadores médios de ambos os grupos
privação severa (magra) foram maiores do que os índices de não severa
privação goy.
No exemplo acima, um experimento fatorial 2 × 2 é usado.
Dois níveis de uma variável são combinados com dois níveis de secundária
enxame de variável; assim, resulta 2 × 2, ou seja, quatro
quaisquer procedimentos. Cada nível da primeira variável é combinado
com cada nível da segunda variável: regime estrito e não estrito
somos privação combinada com as condições de sub-fortes e fracos
fixação.
As tabelas acima contêm dados médios.
De onde eles vêm? Vejamos um exemplo.
Quatro grupos diferentes de quatro sujeitos receberam
listas de 10 palavras. O primeiro grupo foi apresentado com palavras curtas
com alta velocidade, o segundo grupo - palavras curtas com lentidão
velocidade, o terceiro grupo - palavras longas com grande velocidade
e o quarto grupo - palavras longas com velocidade lenta. Pré-
teve um efeito que entre os fatores do comprimento das palavras e a velocidade de suas
apresentação, uma interação significativa será observada: com dor
palavras curtas serão melhor lembradas em maior velocidade, e
velocidade preguiçosa - palavras longas. Resultados experimentais pré-
são apresentados na tabela. 7
Os números nas células da tabela formam uma dispersão de dois fatores
complexo siônico para avaliar a influência de fatores (comprimento da palavra e velocidade
o crescimento de sua apresentação) pelo número de palavras reproduzidas.
E agora transformamos essa tabela na forma que já conhecemos.
(Tabela 8).
Com base nos dados desta tabela, você pode construir um gráfico
a dependência do número de palavras reproduzidas no comprimento das palavras e
a velocidade de sua apresentação.
O principal problema que pode ser resolvido no fatorial ex-
experimento e não pode ser resolvido aplicando vários experimentos convencionais
operações com um NP, - determinação da interação de dois
homens . No último exemplo, a interação das variáveis ​é expressa
é que a memorização em alta velocidade é o pior, o
151

Página 152

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 129/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Tabela 7
O número de palavras jogadas por cada sujeito
com diferentes comprimentos de palavras e diferentes velocidades de apresentação

Variáveis Níveis variáveis

F 1 - comprimento da palavraPalavras curtas Palavras longas

NP F 2 - velocidade Grande Pequena Grande Pequena


(fatores) apresentação Rapidez Rapidez Rapidez Rapidez
apresentando apresentando apresentando apresentando
preguiça preguiça preguiça preguiça

Quantidade nove 4 5 7
reproduzir oito 3 3 5
Salário
introduzido 6 3 3 6
palavras 7 5 4 7
A média 7,5 3,75 3,75 6,25
aritmética

Tabela 8
Número médio de palavras jogadas no grupo
com diferentes comprimentos de palavras e diferentes velocidades de apresentação

Velocidade de apresentação Palavras curtas Palavras longas

Grande 7,5 3,75


Pequena 3,75 6,25

mais do que uma palavra (a curva desce), mas em baixa velocidade com o aumento
a memorização melhora (a curva sobe). Isso é
a velocidade afeta a memorização, mas de maneiras diferentes - dependendo
o comprimento das palavras memorizadas (Fig. 11).
Considere outro exemplo [Martin, 2002, 264–270 ]. Deixe ser
queremos saber quando o consenso é alcançado mais rapidamente no grupo -
com ou sem líder? Para fazer isso, você precisa determinar quais condições nós
nós controlaremos, e permitiremos que mudem livremente (gênero,
a natureza da comunicação, a dificuldade da tarefa). Deixe-nos decidir isso
você não precisa controlar ou randomizar essas variáveis;
quanto a influência do líder na eficiência depende do número
grupos. Ou seja, as variáveis ​independentes (fatores) são
152

Página 153

Quantidade
reproduzido dez
palavras
Baixa velocidade
7 apresentação
6
5
4 Alta velocidade
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 130/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

3 apresentação
0 Comprimento da palavra
Baixo Grande

Arroz. 11. Dependência do número de palavras reproduzidas


no comprimento das palavras e na velocidade de sua apresentação

liderança e tamanho do grupo. Deixe o fator de liderança ser dois


nivelado (há um líder - não há líder), e o fator de número é quatro
re-nível: 3, 6, 10 e 20 pessoas. Temos um plano 2 × 4 que
ry na forma tabular se parece com isto (em células
aba. 9 mostra os valores do tempo de tomada de decisão em minutos):

Tabela 9
Plano fatorial 2 × 4:
dependência da eficácia do trabalho em grupo
no tamanho do grupo e na presença de um líder

Tamanho do grupo, pessoas


Liderança
3 6 dez vinte

Há 2 3 4 5
Não 2 5 oito vinte

Assim, a principal vantagem e mérito do fator é


experimentos - uma oportunidade para estudar interações. Inter-
a ação ocorre quando a conexão entre um NP e o comportamento
niem (ZP) depende do nível do segundo NP. Então, um grupo de 3 pessoas
facilmente toma decisões com ou sem um líder, mas com crescimento
tamanho, descobrimos que os grupos sem líder precisam
mas cada vez mais tempo para chegar a um consenso. Então a conexão
entre NP 1 (liderança) e RFP (tempo para resolver o problema) depende do NP 2
(Tamanho do grupo). Essa dependência é claramente visível na Fig. 12
153

Página 154

25

eu sou vinte
e vinte
iene

15
Eu decidi
yati
n
e
R dez
NS oito
comer
R 5 5
V 5
4
3
2 2
0
1 2
Ter um líder

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 131/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Arroz. 12. Dependência


ao resolver um problemade com
tempo para chegar
a presença ou aausência
um consenso
de um líder
e o tamanho do grupo

Tal interação é revelada apenas no fatorial ex-


perímetro. À primeira vista, pode parecer que você pode simplesmente
some os efeitos de cada RI e obtenha uma explicação do comportamento.
No entanto, a adição simples ignora os efeitos de interação
(se existir): se houver interação, então sem fatorial
experimento, não o encontraremos, o que significa que faremos um falso
inclusão. Para evitar que isso aconteça, devemos lembrar que a conclusão
vai depender das circunstâncias. A presença de um líder reduz o tempo
Nome da solução para o problema? A resposta depende do tamanho do grupo e dos nomes
mas quanto maior o grupo, mais tempo leva para resolver (como
com ou sem líder), mas na presença de um líder, qualquer grupo
(exceto n = 3) leva menos tempo do que sem ele. A agressão depende
quão infantis eles são quando assistem televisão violenta?
A resposta pode variar dependendo do tempo que você assiste à TV. Isso afeta
tamanho da fonte na hora da leitura? A resposta pode variar de acordo com a idade
o leitor. Etc.
Interpretação dos resultados de um experimento fatorial.
Foi dito acima que em experimentos fatoriais,
separadamente a influência de cada NP na RFP, bem como a dependência da influência
154

Página 155

um NP do nível do outro. O primeiro tipo de influência é chamado de principal


nym ( principais ) efeitos , o segundo - influência mútua .
Considere como os principais efeitos são manifestados e avaliados.
você está em um experimento para estudar a dependência do tempo de leitura em
tamanho da fonte e idade das crianças. Deixe o tamanho da fonte ter dois
gradações - 10 pontos e 12 pontos e idade - também duas gradações:
8 e 12 anos. Deixe neste experimento 2 × 2 o seguinte ser obtido:
resultados (Tabela 10):
Tabela 10
Plano fatorial 2 × 2:
dependência do tempo de leitura da idade e tamanho da fonte

Nome Tamanho da fonte Média


indicador dez 12 linha por linha

Anos de idade:
oito 40 trinta 35
12 15 15 15
Média 27,5 22,5 25
por colunas

Para determinar a presença do efeito principal de um NP, é necessário


ignore o efeito principal de outro IR. Então, definindo o principal

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 132/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

o efeito do NP "tamanho da fonte", generalizamos (fazemos a média sobre a coluna


tsam) o tempo de leitura da fonte de cada tamanho, nivelando assim
as diferenças dadas por idade (ou seja, ignoramos a variável
"Idade") e compare essas médias. Nós vemos que
a fonte 10 é lida por mais tempo do que a fonte 12 (35 e 15 s, respectivamente).
Com base nesses números, podemos concluir que há
o efeito principal, no entanto, para responder à pergunta, significativo ou
a diferença entre as médias aritméticas igual a 35 e 15,
só pode ser feito por análise de variância.
Procedemos de maneira semelhante, determinando o efeito principal da variável
"Idade": ignore a variável "tamanho da fonte", calculando a média
tempo de leitura de fontes de tamanhos diferentes por um grupo de crianças de 8 anos e
por um grupo de sujeitos de 12 anos (linha por linha). Temos 27,5 e 22,5 s
respectivamente, o que sugere a presença do principal
efeito.
155

Página 156

45
40
40
35
eu sou trinta
e
trinta
dez
och 25
R
vinte
NS 15 15
comer
15
R
V
dez
5
0
1 2
Tamanho da fonte
Arroz. 13. Dependência do tempo de leitura da idade e tamanho da fonte

Olhando para a mesa. 10 e fig. 13, chegamos à conclusão de que NP


rast "e" tamanho da fonte "interagem:
linhas para ordenar, determinar o efeito da transição da fonte 10
para a fonte 12 para cada faixa etária. Vemos que crianças de 8 anos
o tempo de leitura diminuiu, enquanto nos 12 anos não mudou. Meios,
o efeito do tamanho da fonte no tempo de leitura depende da idade
crianças, mas apenas em crianças de 8 anos.

Aula 15. Opções


planejamento quase experimental
em psicologia

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 133/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

15,1. Planos pré-experimentais

Antecipando a conversa sobre quase experimentação, é necessário


Posso discutir os chamados planos pré-experimentais, uma vez que
ku trabalhar com base em tais planos, há bastante
frequentemente, e é necessário entender como se relacionar com os resultados
existem tais obras.
156

Página 157

Planos pré-experimentais incluem: 1) pesquisa


caso único; 2) um plano com testes preliminares e finais
a formação de um grupo; 3) um plano para dois grupos não equivalentes com
teste após a exposição.
No primeiro caso, um grupo é testado uma vez,
coberto com exposição de acordo com o plano CW . Controle de EP e NP completamente
ausente. Além disso, em tal "estudo" não há material para
comparação, portanto, não carrega informações científicas. Condutas-
Xia, via de regra, nos primeiros estágios da atividade científica para comparar
definindo os resultados com idéias cotidianas sobre a realidade
ti. No entanto, este plano torna-se quase experimental se o
é a capacidade de comparar o resultado da exposição com a "norma
"indicadores de grupos reais, que por alguma coisa
a mesma variável foi medida.
O segundo caso é um plano com uma preliminar e
teste final de um grupo: O 1 X O 2 . Este plano é frequentemente
usado em sociológico, sócio-psicológico e educacional
pesquisa científica, mas a presença de muitos descontrolados
fontes de artefatos (eventos de "segundo plano" e
"Desenvolvimento natural", afetando os assuntos sobre o mesmo
não com NP; efeito de teste) não permite que seja considerado científico.
Sempre que possível, quase experimental
planos [Campbell, 1980, 50-60 ].
O terceiro caso é um plano para dois grupos não equivalentes com teste
após exposição:

XO1
Cerca de 2 .

Este plano é melhor que o anterior, pois existe um grupo de controle


PA, permitindo controlar o fundo e o desenvolvimento natural. Ex-
fonte de artefatos - a diferença na composição dos grupos. Este plano, se descartado
influência experimental é bastante aplicável na correlação
estudo de pesquisa, mas não deve ser usado para verificar
ki hipóteses sobre a causalidade de duas variáveis ​[Campbell, 1980,
61–62 ].

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 134/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

157

Página 158

15,2. Projetos quase experimentais


em um sentido restrito

Desde para realizar os planos de "verdadeiros experimentos",


usar esquemas para controlar variáveis ​externas nem sempre é possível,
como uma tentativa de levar em conta as realidades da vida ao conduzir
para esses estudos, esquemas especiais são criados com um desvio
do esquema de "verdadeiro experimento" - quase experimental
planos. Usando esses planos, compensações entre a realidade e
o rigor das prescrições metodológicas, o pesquisador está ciente
nenhuma fonte de artefatos - aquelas variáveis ​externas que não
pode controlar. Esses planos, quando certos
elementos de experimentação, mas não todos, T.V. Kornilova chama
projetos quase-experimentais em um sentido amplo.
Em um sentido mais restrito, o termo "quase experimental
nós "é usado quando procuram enfatizar os detalhes
formas de organização da pesquisa: como experimental, é
visa testar a hipótese causal, mas não é
é experimental devido ao controle insuficiente a) para ex-
influência perimental (variável independente) eb)
fatores laterais. A falta de controle traduz tal
pesquisa ao posto de quase-experimental. Para estabelecer
a relação causal entre as variáveis, eles exigem
estão identificando todas as ameaças a um confiável, ou válido,
água, que surgem como resultado de uma diminuição na experimentação
ao controle.
Mas não foi apenas a complexidade de controle que levou ao desenvolvimento de quase
metodologia experimental, ao desejo de trabalhar no "campo"
condições. O fato é que:
1) leis causais complexas são muitas vezes irreproduzíveis
em condições de laboratório;
2) uma das ameaças à validade da conclusão é o conhecimento da
sobre o próprio fato da experimentação. Para remover tal ameaça
Ameaça é um experimento "oculto" onde os sujeitos não sabem
sobre a diferença nas condições experimentais, que são apresentadas como naturais
eventos sociais (por exemplo, alunos da classe experimental
eles não sabem sobre a diferença entre o currículo escolar da classe de controle
158

Página 159

É
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 135/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

do
dasseu próprio).
ações É assim
dos sujeitos sobque
as oexpectativas
pesquisadordoevita "ajustar"
experimentador (o efeito
Hotthorn);
3) o uso de grupos "naturais" e "mascaramento" de diferentes
nos níveis de NP são necessários quando se espera que as ameaças sejam válidas
minha conclusão devido à diferente "desejabilidade" de diferentes níveis de re-
homens. Por exemplo, "naturalmente" atualizado no laboratório
Em um experimento, a motivação para o exame pode induzir o desejo
assuntos de teste recebem uma tarefa difícil, a fim de mostrar a você
alto nível de desempenho e relutância em realizar uma tarefa fácil
onde é impossível “mostrar suas habilidades”;
4) uma situação laboratorial especial que cria condições para
pureza dos derivados de petróleo e controle de misturas, por si só é um fator que reduz
com validade interna. Características da percepção humana
século da situação experimental (e o experimentador) e o
a atitude do sujeito em relação ao experimento com base neste
distorcer seu fluxo usual de pensamentos, sentimentos e formas de comportamento.
Sob as condições de um experimento psicológico, uma pessoa involuntariamente assumiu
entende as regras de um jogo intelectual especial: agir de tal maneira
o que ele pensa que o experimentador espera dele, ou
como uma pessoa normal age em sua mente, ou então,
como uma pessoa age quando está sendo observada. No entanto homem
como uma personalidade se manifesta não tanto em reativa como em proac-
ações positivas. Seu pensamento é mais autorregulado do que
"Controlada". E quanto mais próximo o pesquisador está dessa psicologia
uma realidade psicológica que ocorre em formas convencionais
atividade de vida, mais chances ele tem de identificar
dependências causais, ou seja, para evitar mudanças de substituição
dados ou distorção de sua conexão (devido à sua transformação inevitável
mudanças em movimento em direção a condições cada vez mais "puras").
Esses quatro motivos levaram à relutância em experimentar
em uma situação bem controlada e levou ao desenvolvimento de
todologia e prática de pesquisa de hipóteses causais no “campo
fora "condições. Ao mesmo tempo, "pesquisa de campo" torna-se
não apenas experimentos com objetivos práticos, mas também experimentais
você teve como objetivo testar hipóteses teóricas. Em tal kva-
estudos experimentais, discussão de questões de con
159

Página 160

validade estrutural e operacional é geralmente dividida em


etapas: concretização da hipótese experimental como consequência
a partir da hipótese de concretização teórica e dos meios metodológicos,
permitindo que as variáveis ​sejam operacionalizadas.
Voltando às quatro restrições listadas,
Tim que nos três primeiros casos, diferentes
projetos quase experimentais com falta de "controle antes"
a implementação de atividades experimentais. Esses planos em geral

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 136/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

permanecer dentro da estrutura da lógica de comparação adotada em experimentos verdadeiros


aros.
Para o quarto caso, um método qualitativamente diferente é usado.
controle, ou seja, controle pela escolha, "quando e em quem a produção
Medidas ". A forma de controle muda a lógica do intergrupo
comparações: grupos que diferem em um determinado parâmetro
dado o mesmo impacto experimental (ou seja, organização
é o mesmo nível da variável independente), e a diferença
nos resultados dos assuntos é atribuído a essa mudança básica -
noah, de acordo com os quais os grupos diferem uns dos outros.
Então, o quase-experimento requer, primeiro, a explicação de todos
prováveis ​ameaças a uma retirada válida; em segundo lugar, a escolha, levando em consideração
essas ameaças são de natureza quase experimental; em terceiro lugar, a exceção
ameaças mal controladas por este plano com a ajuda de estatísticas
controle após a implementação do experimental
ações [Métodos de pesquisa em psicologia: quase-experimento,
1998, 10-14 ].

Na verdade, qualquer pesquisa é um quase-experimento.


estudo que visa estabelecer uma relação causal entre
du duas variáveis ​("se A, então B"), em que não há
há um procedimento preliminar para equalizar grupos, ou "paralelo
controle privado "com a participação do grupo de controle foi substituído por um comparativo
os resultados de testes repetidos do grupo (ou
grupos) antes e depois da exposição . Assim, existem dois tipos
projetos quase-experimentais (QEP): 1) planos para não equivalentes
grupos; 2) planos de séries temporais.
Como exemplo de plano do primeiro tipo, considere o CEP
com um grupo de controle desigual , com preliminar e final
160

Página 161

testando. Este plano, amplamente divulgado em


ciências sociais e pesquisa de campo, é semelhante ao plano de
Experiência minúscula para dois grupos com teste antes e depois
exposição (não há randomização suficiente antes de um experimento verdadeiro):
EH: O 1 XO2
KG: O 3 Cerca de 4
Dois grupos naturais são escolhidos, por exemplo, dois grupos paralelos
adorável classe escolar. Ambos os grupos estão sendo testados. Então um grupo
PA é exposto (colocado em condições especiais de atividade
nosti), e o outro não. Depois de um certo tempo, ambos os grupos passaram
teste novamente. Os resultados do primeiro e do segundo teste
as relações de ambos os grupos são comparadas (por exemplo, de acordo com o critério t de Stu-
dente ou usando análise de variância).
O controle sobre as fontes de artefatos é realizado da seguinte forma
caminho. O 1 e O 3 são comparados e, se forem aproximadamente iguais,

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 137/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

isso é considerado evidência indireta de equivalência de grupo.


A igualdade aproximada de O 3 e O 4 indica o impacto mínimo
pesquisa de fundo e desenvolvimento. Minimizando o efeito do teste
Isso é conseguido com o mesmo teste realizado em grupos.
Para identificar o efeito da ação NP, é melhor comparar não O 2
e O 4 , e a magnitude das mudanças dos indicadores no tempo, ou seja, O 1 e O 2 . Conhecer
a diferença nas taxas de crescimento dos indicadores indicará
sobre a influência do NP na RFP.
Um exemplo de tal estudo são os psicopedagogos
um experimento físico, no primeiro estágio do qual testamos o
conhecimento dos alunos, por exemplo, em uma língua estrangeira (vocabulário
estoque). Treinamos o grupo experimental em mnemotécnica
técnicas de kim para memorizar palavras, e o controle está envolvido com
corpo como antes. Em seguida, um segundo teste é realizado, e se
o ganho de vocabulário será maior na aula experimental
tudo do que no controle, então os mnemônicos são úteis para memorizar
palavras estrangeiras.
As diferenças na composição são as principais fontes de artefatos.
grupos tave. Em primeiro lugar, os resultados do experimento podem
influenciar o "efeito de mistura" (ou seja, a interação da composição do grupo
fatores de teste, eventos de fundo, naturais
161

Página 162

Vitia, etc.). Por exemplo, se você selecionar


Se houver classes paralelas A e B, então em B pode haver crianças com menos
shim IQ do que em A, portanto, diferenças nos resultados (um aumento em
passagem de palavras do primeiro teste para o segundo) pode ser condicionada
mulheres com maior capacidade de aprendizagem do primeiro grupo em comparação com
segundo. Quanto maior for a semelhança do experimental e do controle
grupos, mais válidos são os resultados obtidos usando este
o plano.
O fator de composição do grupo pode ter uma influência decisiva sobre
diferença nos resultados quando o grupo experimental
é formado por voluntários, e o grupo de controle é responsável por
completando de outra forma (coerção, promessa de pagamento
você, etc.).
Existem outras opções de CEP para não equivalente
grupos, por exemplo, um plano com testes preliminares e finais
diferentes amostras aleatórias. Este plano é diferente
de um verdadeiro experimento naquele pré-teste
um grupo passa, e o final (após a exposição) é um equivalente
grupo nye (após randomização) que foi exposto a:
RO 1 (X)
R (X)O2
Sua principal desvantagem é a incapacidade de controlar a influência
o fator de "história", eventos de fundo ocorrendo ao lado

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 138/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

com exposição entre o primeiro e o segundo teste.


A segunda classe principal de quase-experimentos são os chamados
experimentos formativos , que são chamados coletivamente de " tempo
série ". Considere dois tipos de projetos para esses quase-experimentos.
CEP, construído de acordo com o esquema de séries temporais em um grupo
(na estrutura, esses planos são semelhantes aos planos experimentais
para um assunto). A essência do plano: o nível inicial é determinado
veia ZP em um grupo de assuntos usando uma série de sucessivas
Medidas. Em seguida, o pesquisador atua sobre os sujeitos com ex-
grupo, variando a variável independente, e
conduz uma série de medições semelhantes. Os níveis são comparados (tren-
d) RFP antes e depois da exposição. O esboço do plano é assim:
О 1О 2О 3 X O 4O 5O 6

162

Página 163

A partir dos resultados obtidos no ECC deste tipo, é mais fácil in-
tolerar uma transição abrupta da linha do gráfico para uma nova
nível. Portanto, se a introdução de um novo sistema de remuneração não dá
crescimento lento da produtividade do trabalho em 10% e um novo nível
se for mantido todo o tempo do estudo, então é lógico pensar que o
a mudança é causada pelo novo sistema de pagamento.
A principal desvantagem de um plano de série temporal é que ele não
torna possível separar o resultado da influência do NP da influência do fundo
novos eventos que ocorrem durante o estudo. Para
eliminar este efeito da história, recomenda-se o uso
isolamento experimental de sujeitos ou controle de uso
grupo de funções. No segundo caso, temos outro tipo de
número de CEP tipo "série temporal" - um plano para dois não equivalentes
grupos.
Esquema do ECC de séries temporais para dois grupos não equivalentes ,
um dos quais não recebe influência (e se ele pensa que ele
Se este for um grupo de placebo), terá a seguinte aparência:

EX .: О 1 О 2 О 3 X O 4 O 5 O 6
KG: O 7 O 8 O 9 X O 10 O 11 O 12
Este CEP é geralmente recomendado para pesquisadores conduzindo
experimentos envolvendo grupos naturais em jardins de infância, escolas
lakhs, clínicas ou no trabalho. Pode ser chamado de plano para
experimento de paz com uma amostra de controle. Implementar isso
o plano é difícil, mas se for possível randomizar os grupos, ele pré-
gira em torno do projeto de um "verdadeiro experimento formativo".
Deixe-nos dar um exemplo de um projeto quase-experimental em uma pesquisa
estudos realizados em ambiente de ensino superior
Existem muitos experimentos psicológicos para
das quais as zonas admissíveis de generalização são óbvias e, portanto, se justifica
a disposição dos pesquisadores em transferir os resultados obtidos para

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 139/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

outras
realizarsituações, atividades,
experimentos com um grupos de pessoas.
alto valor externoIsso permite
personalidade.
Mas às vezes a abordagem das condições naturais é exatamente o oposto.
Limita as generalizações possíveis. Esses são os casos quando a pesquisa
é importante para o corpo aplicar os resultados precisamente na área estudada.
163

Página 164

ti. Estes são experimentos de "campo" que conduzem


são realizadas nas condições de grupos educacionais realmente funcionais. Propósito
mi de tal pesquisa psicológica e pedagógica pode ser tão
testar hipóteses psicológicas gerais (para as quais o correspondente
condições de campo não são mais do que um fundo), e verificar
hipóteses especiais que envolvem levar em consideração as especificidades das atividades educacionais
socialidade e comunicação na universidade. Em seguida, as variáveis ​"estrutura de ensino
situação "," qualidades pessoais "," estilo de comunicação "assumido
eles os analisam em relação ao assunto escolhido
área.
Na pesquisa pedagógica, o mais comum
recebeu um plano com um grupo de controle desigual (ou
plano 10 para Campbell). Se o experimento usa real
mas os grupos de estudo existentes, então experimental e cont-
as condições do papel não podem ser consideradas igualadas, uma vez que entre o grupo
são possíveis diferenças que podem se sobrepor às
regularidade e causar interpretações errôneas. D. Camp
Bell dá o seguinte exemplo [Métodos de pesquisa em psicologia
Logii: quase-experimento, 1998, 14-16 ].
Na Universidade de Annapolis (EUA), a influência dos professores
dando psicologia para o desenvolvimento pessoal dos alunos. Experimental
o grupo mental consistia em alunos do segundo ano a quem o
curso de psicologia. O grupo de controle consistia em alunos do terceiro ano.
Mas para o último, a situação de vida era mais estável,
afinal, os processos de adaptação mais complexos ocorrem nos primeiros
dois anos de estudo na universidade. Portanto, a atitude em relação ao suposto
taxas mais altas esperadas depois de ler um curso em ex-
grupo experimental, poderia ser diferente. Primeiro, eles podem
mas seria interpretado como o efeito do crescimento pessoal dos alunos
camarada do segundo ano como resultado do ensino de psicologia. Mas, em segundo lugar-
ryh, Campbell observa, isso pode ser explicado em parte por
aqueles processos complexos que ocorrem mais rapidamente durante
os primeiros dois anos de estudo, o que seria uma manifestação da diferença de
interações entre fatores na composição do grupo e natural
desenvolvimento.
Deve-se notar que o considerado quase-experimental
Este esquema incluiu a medição de variáveis ​dependentes em ambos
164

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 140/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Página 165

grupos não só depois, mas também antes dos períodos de experimentação


ações. Foi possível comparar os dados dos indicadores finais entre
fazer grupos e mudanças nos indicadores testados dentro
cada grupo. Descobriu-se que no teste inicial
superioridade do terceiro ano sobre os segundanistas e
mudanças nos indicadores no controle e experimental
os grupos eram de uma ordem diferente daquela prevista pela competição
hipótese. Habilitando, embora desigual, o controle
grupo permitiu rejeitar a hipótese sobre o papel da interação
fatores de composição do grupo e desenvolvimento natural. A validade de você-
água sobre o papel da leitura de um curso de psicologia era ao mesmo tempo essencial
maior do que se o grupo de controle estivesse ausente.
Na maioria das vezes inatingível na prática de pesquisa em alta
a escola é um verdadeiro experimento, onde experimental e
os grupos de funções devem ser completamente equivalentes, completamente
é aproximado por um plano com um grupo desigual, se não houver base
novidades para suspeitar que inicialmente a seleção em cada um dos
Os grupos "naturais" de Xia foram realizados por alguns
de uma vez só. Por exemplo, se um dos grupos foi formado de acordo com o princípio
"Voluntários", então pessoas que querem se submeter
testes (por exemplo, experimentar um novo método de ensino
linguagem primitiva); aqui a conclusão sobre o papel do experimental
Viya será ameaçada pelo fator de "desigualdade motivacional" de grupos.

15,3. Planos ex-post-facto

Este método é freqüentemente usado em psicologia. Outro nome


nie - "experimento ao qual se refere". A estratégia de sua aplicação
neniya é a seguinte. O experimentador não age por conta própria
sobre os assuntos, alguns reais
outro evento em sua vida - guerra, desastre natural, doença e
etc. (é por isso que este tipo de planejamento é referido como um quase
experimentos). É selecionado um grupo de "sujeitos" que passaram por
exposição, e o grupo que não experimentou. A seleção é realizada
com base em dados sobre as características dos "sujeitos" antes da exposição
viya; memórias pessoais e
165

Página 166

autobiografias, informações de arquivos, dados pessoais, médicos


cartões, etc. Em seguida, a transferência dependente é testada.
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 141/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

em representantes dos grupos experimental e controle.


Os dados obtidos como resultado de grupos de teste, comparando
a conclusão é tirada e a conclusão é feita sobre a influência da influência "natural" sobre
comportamento posterior dos sujeitos. Assim, o plano ex-post-facto
simula o projeto experimental para dois grupos com sua equalização
(melhor - randomização) e teste após a exposição:

( R ) XO 1
(R) O2

Este plano está sendo implementado em muitos estudos modernos


EU. Pesquisas sobre transtorno de estresse pós-traumático são típicas.
sa. Esquema: uma amostra de pessoas que sofreram o impacto do cataclismo
estrofes, etc., teste de estresse; os resultados são comparados
com os resultados da amostra de controle. A melhor estratégia para
amostragem das amostras principal e de controle são preliminares
seleção seletiva de assuntos para teste com base em questionários
dados e randomização dos grupos. Mas, na realidade, pode levar a cabo
diagnósticos apenas das pessoas que sofreram os efeitos de traumas
fator matemático, que se aplicam para passar
Este exame é feito por um psicólogo ou médico. Mas na amostra voluntariamente
a incidência da síndrome pode ser significativamente maior,
do que em toda a população de vítimas traumáticas.
O efeito do impacto do fator traumático na população será
exagerado. E, ao mesmo tempo, o experimento ex-post-facto é o único
mas uma forma possível de fazer tal pesquisa.
O método ex post-facto é frequentemente usado em neuropsicologia:
lesão cerebral, dano a certas estruturas do pré-
fornecem uma oportunidade única para identificar a localização
funções mentais (o trabalho de Luria e sua escola).

15,4. Planos funcionais

Os planos funcionais são planos para pequenos n (teste 1-2


mykh), onde o principal é indicar a conexão entre as condições determinantes -
166

Página 167

mi e o efeito de sua influência no comportamento, e é considerado,


que as condições e os resultados podem ser medidos com precisão.
Os primeiros estudos experimentais na psicologia do fio
foram realizadas com a participação de um sujeito, ele próprio o experimentador.
tator - Fechner. Começando com Fechner (1860), a psicologia veio
uma técnica experimental para testar quantidades teóricas
hipóteses naturais. O clássico da pesquisa experimental é um
sujeito de teste - Ebbinghaus, que por si mesmo deduziu a curva de esquecimento
(Fig. 14): a dependência do volume do material guardado com o tempo
o tempo que passou desde a memorização.
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 142/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

100
eu sou
e
iene 80

Estrela
oi 60
R
cn
40
lata
iene
vinte
sc
R
NS
0
1 oito 24 48

Intervalo, h
Arroz. 14. Curva de Ebbinghaus

A metodologia de pesquisa para um assunto foi desenvolvida


foi estabelecido nos anos 1970-1980. muitos autores, em particular B.F.Skinne-
rum, que criou uma estratégia de experimentar com um assunto
estudado para o estudo do processo de aprendizagem, por cujo exemplo
É aqui que consideraremos os planos funcionais.
Os dados no decorrer do estudo são apresentados em um sistema de coordenação
dinat "tempo" - "natureza das respostas" na forma de "curvas de aprendizagem"
(aprendizagem), refletindo dependências funcionais.
Um teste do Simple Plan é frequentemente chamado de pla-
nom A-B , onde A é o nível antes da exposição (linha de base, inicial),
e B - impacto. O resultado ideal é uma mudança no
de referência ao substituir A por B. A pesquisa de acordo com este esquema é chamada
Veja também planejamento de séries temporais . A curva de aprendizado é primeiro
167

Página 168

é inicialmente analisado visualmente: se a função que descreve o


no entanto, mudanças ao alterar A para B , então isso pode indicar
identificar a existência de uma dependência causal de comportamento em relação ao
impactos. No entanto, é claro que a mudança de comportamento pode
ser causado por muitos fatores diferentes de B (individual
diferenças, antecedentes, maturação, etc.), portanto, a fim de reduzir o
a possibilidade de tais explicações alternativas, use o pla -
Sr. com cancelamento ou plano ABA . Representamos o plano A-B-A no formulário
fluxograma, no qual vemos que o comportamento é observado pela primeira vez
nas condições A sem a influência do fator em estudo, na base
nível, então, na segunda fase (condição B), o NP é introduzido e avalia
Xia sua influência.
O diagrama de blocos do plano A-B-A é assim:

UMA V UMA
A observação é natural Introdução de NP e de- Remoção de NP e de
comportamento militar medição de parâmetros medição de parâmetros
(um nível básico de) comportamento fosso de comportamento

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 143/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Se a mudança de comportamento está fortemente correlacionada com o início e


rescisão da exposição, é altamente provável que a mudança no
de referência foi causado por este impacto. Confiança nisto
replicado se uma mudança repetida na exposição levar a um
mudança lógica no comportamento. Portanto, pesquisadores quando
é possível que o plano A-B-A seja preferido ao plano A -B-A-B .
Um exemplo de estudo realizado de acordo com o plano A-B-A [Mar-
tin, 2002, 299-303 ]: um cliente com paralisia cerebral deseja melhorar
costurar suas habilidades sociais - habilidades de comunicação. Para isso é importante
contato visual que o cliente não consegue manter devido ao choque -
cabeça balançando. É sabido que os pulmões podem ajudar neste caso.
choques elétricos.
A primeira etapa que o experimentador precisa dar é
medir a linha de base, atingindo um estado estacionário nela -
nia, de modo que a intensidade da reação muda insignificantemente
realmente. Surge a pergunta: o que se entende pela expressão "insignificante
diga não "? Métodos para determinar se a linha de base foi alcançada
estado estacionário, variam de tal critério estatístico
168

Página 169

rya, como "não mais do que 3% de mudança na intensidade da reação de um


sessão para outra ”, para uma avaliação visual simples dos dados antes
encontrou de flutuações óbvias. Uma vez que a linha de base é definida,
o experimentador começa a manipulação experimental.
Deixe o terapeuta ligar silenciosamente o
liguei o relógio assim que o contato visual foi perdido. Então você pode definir
tempo total de contato para uma sessão de meia hora.
Segundo passo. Deixe o impacto da corrente começar na 6ª sessão e
o tempo de contato visual aumentou drasticamente e, na sessão 10, havia atingido
estado estacionário transitório.
Passo três. O experimentador parou de agir. Para sessões
12-14, o comportamento do cliente voltou ao seu nível original (Fig. 15).
A lógica do método é a seguinte. Parece ma-
a probabilidade de que, ao mesmo tempo que atinge a linha de base
alguma variável externa terá efeito. E se o começo
não, então é bastante improvável que ela termine sua ação sozinha
temporariamente com o fim da manipulação experimental.

n
e trinta

25

vinte
aquele olho, m
15
Então

dez
Eu sou con
comer
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 144/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras
R 5
V

1 5 dez 15

Ausência Choque elétrico Ausência


golpes (transição) golpes
(base (recuperação
nível) nível básico)

Sessões

Arroz. 15. Dependência do tempo de contato com os olhos


da presença-ausência de choque elétrico

169

Página 170

Para maior persuasão, o experimentador pode realizar um indi-


repetição visual, por exemplo, de acordo com o esquema A-B-A-B-A, com o mesmo uso
torturado. A repetição interindividual também é possível - com
por quantos outros participantes. Mas eles avaliam os resultados com base em
vyvaya em indicadores individuais, e não no grupo.
Principais artefatos em um estudo de assunto único
praticamente irreparável. O principal problema é a capacidade de re-
nariz dos resultados do estudo de um assunto para cada um dos
representantes da população. É sobre a contabilização de pesquisas relevantes
criando diferenças individuais. Teoricamente possível a seguir
próximo passo: a apresentação de dados individuais no "indiferente
forma dimensional "; neste caso, os valores individuais do parâmetro normal
mundo por uma quantidade igual à difusão de valores na população.
Revelando um padrão geral nivelando o indivíduo
diferenças duplas são resolvidas a cada vez com base no conteúdo
hipótese sobre a influência de uma variável adicional no interindi
a variação visual dos resultados experimentais.
Resultados de experimentos com a participação de um sujeito
altamente dependente do preconceito e das atitudes do experimentador
que são adicionados entre ele e o sujeito. Portanto, recomendamos
eles usam “experimentos cegos”. Lembre-se de "experiência cega"
o sujeito não sabe quando ele recebe um placebo, e quando -
vie. No "experimento duplo-cego", isso é adicionado à condição de que
o experimento é realizado por um pesquisador que não está familiarizado com a hipótese e
não saber quando o sujeito está recebendo um placebo ou tratamento.
Experimentos com um assunto desempenham um importante
papel na psicofisiologia, psicofísica, psicologia da aprendizagem, quando
psicologia nititiva.

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 145/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

170

Página 171

SEÇÃO V
ASPECTOS METODOLÓGICOS
E PLANEJAMENTO DE CORRELAÇÃO
PESQUISA COMO VARIEDADE
EXPERIMENTO DE QUASI *

Aula 16. A ideia de correlação


pesquisar

Iniciaremos a apresentação do material da seção com as palavras de James Goodwy-


sobre, que, referindo-se aos leitores de seu livro, diz que,
“Depois de estudar este capítulo:
- você vai entender que os estudos de correlação estão cobrando seu preço
começar nas obras de Francis Galton, e perceber a importância da fala
Lee Cronbach em “duas disciplinas”;
- aprender a distinguir entre duas dimensões positivas e negativas -
correlações e exibi-las usando um gráfico de dispersão, e
você também descobrirá quais fatores podem afetar o valor do coeficiente
Elementos de correlação (por exemplo, limitação do intervalo);
- aprender a calcular o coeficiente de determinação e inter-
fingir seu significado;
- você vai entender como prever com a ajuda da análise de regressão
para formar comportamento futuro;
- entender como a direcionalidade pode dificultar
interpretação da correlação e como este problema é resolvido usando
matriz de correlação;
- aprender a entender o problema da terceira variável e ensinar-
Você pode avaliar essa variável usando o método mútuo
correlações;

* O conteúdo desta seção é uma sinopse de


Capítulo 9 do livro: (Goodwin, 2004, 310-341).

171

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 146/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Página 172

- será capaz de descrever várias situações de pesquisa em que


o uso da abordagem de correlação é mais provável;
- será capaz de descrever os algoritmos de procedimentos multidimensionais
regressão natural e análise fatorial ”[Goodwin, 2004, 311 ].

16.1. Correlação e experimental


pesquisar

A pesquisa de correlação é a mais comum


esquema de pesquisa empírica psicológica moderna.
Teoria de pesquisa de correlação baseada em pré-
afirmações sobre as medidas de correlação, desenvolvidas por K. Pearso-
logo no início do século 20, no entanto, apesar da importância da correspondência
estudos de pesquisa para psicologia, prestei atenção a eles
longe de ser imediatamente. Isso foi feito pela primeira vez em 1938 por Robert Woodworth em seu
em sua famosa obra "Psicologia Experimental". Neste livro
ele primeiro mostrou as diferenças agora familiares entre
variáveis ​independentes e dependentes no experimental
pesquisa, e também dividiu os métodos em experimentais
nye e correlação. De acordo com Woodworths em experimental
o método controla as variáveis, e no método de correlação é medido
uma ou mais características da mesma pessoa e você-
a correlação entre essas características é calculada. Woodworths
apontou a mesma importância de ambas as abordagens, argumentando que
o método de correlação deve ser diferenciado do experimental
vá, é mais provável que seja igual ao último em valor, em vez de maior
ou embaixo.
No entanto, tendo feito tal declaração no início do livro, ele observa
Goodwin, as 820 páginas restantes Woodworth dedicou-se ao experimental
método. Talvez seja por isso que os estudos de correlação
por mais de 20 anos permaneceu na periferia dos interesses dos cientistas,
que conduziu pesquisas psicológicas empíricas. Então-
mu em 1957, o então presidente da psicologia americana
cuja associação Lee Cronbach foi forçado a recorrer ao
com uma mensagem presidencial intitulada “Duas disciplinas
psicologia científica ". De acordo com Cronbach, a correlação psico-
172

Página 173

guia dedica-se ao estudo da relação entre naturais


variáveis ​e o estudo das diferenças individuais. Psicólogos
experimentadores, por outro lado, geralmente não estudam diferenças individuais
chiya, mas reduzi-los ao mínimo ou controlá-los para mostrar
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 147/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

esteja ciente de que alguns fatores afetam previsivelmente o


gestão de todos os indivíduos. Cientistas dedicados a correlações
pesquisar, observar variáveis ​e identificar interações
as conexões entre eles, e os experimentadores manipulam as variáveis
e observe os resultados. Os primeiros procuram diferenças entre as pessoas.
ha, e este último procura descobrir as leis gerais que se aplicam
para todas as pessoas.
Cronbach pediu uma síntese dessas duas direções para que-
seriam igualmente apreciados pelos apoiantes de cada um dos
direções, e a pesquisa seria realizada levando em consideração ambos
estratégias. Segundo ele, não basta que cada um
de disciplinas emprestou certas abordagens de outra. Correl-
a psicologia internacional estuda apenas as diferenças entre o organismo
mi, psicologia experimental estuda apenas as diferenças entre
influências. A disciplina geral estudará ambos,
mas, além disso, levará em consideração, caso contrário será esquecido-
ty, interações entre variáveis ​associadas a um organismo
mami e variáveis ​de exposição.
Na verdade, essas palavras indicam que Cronbach deseja
Fiquei impressionado com a superestimativa do método de correlação como um todo, o que aconteceu
vem acontecendo nos últimos 50 anos. Graças às capacidades do moderno
computadores, tais procedimentos de correlação complexos como muitos
regressão física e análise fatorial são amplamente utilizadas hoje.
são estranhos, quanto mais estudos de correlação simples estão disponíveis.
seguidores.
O fenômeno da correlação foi descoberto por Francis Galton (1822-1911).

16,2. Correlação e regressão: o básico

Galton ficou muito impressionado com a teoria da evolução


ções de Darwin, em particular a ideia de que os indivíduos pertenciam a
pertencentes à mesma espécie biológica diferem entre si. No-
traços de personalidade que conduzem à sobrevivência estão sujeitos a
173

Página 174

são tomados pela "seleção natural" e passados ​aos descendentes. Galton


acreditava que a inteligência é uma característica que difere
em todas as pessoas, é importante para a sobrevivência e é herdado da mesma forma que phi-
características físicas, como cor dos olhos ou altura. Ele coletou
fatos que apóiam a herdabilidade da inteligência, e publicados
dois livros dedicados a este assunto: "Gênios hereditários"
(1869) e English Scientists: Nature and Nurture (1874). Afterbirth-
qualquer trabalho popularizou os termos amplamente conhecidos hoje
Natureza e criação. Em suas obras, Gal-
tom notou uma tendência estatística que
gênio e habilidades, manifestados em certos

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 148/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

áreas (por exemplo, habilidade para química ou jurisprudência), pro


são rastreados em várias gerações dentro da família. No entanto, ele não é
superestimou a influência do meio ambiente e concluiu que o gênio
ness surge como resultado da transferência de informações hereditárias
ção Ele defendeu seu ponto de vista, em particular, pelo fato de
inteligência na população tem uma distribuição normal. De outros
características herdadas (por exemplo, altura) também têm características normais
distribuição e, portanto, Galton adotou esta estatística
fato para um indicador da influência da hereditariedade.
Somente em 1888, o cientista conseguiu mostrar uma alta frequência
o aparecimento de características como gênio nas famílias: suas representações
ele formulou em um trabalho intitulado "Correlação e sua mudança
rênio ". Primeiro, Galton descobriu que os dados poderiam ser
poderia ser organizado em linhas e colunas e recebeu um proto
o tipo de "gráfico de dispersão" de hoje (Fig. 16). Em segundo lugar, Galton
percebi que quando a "correlação" estava incompleta, começou a mostrar
existe uma regularidade. Pais com altura mais alta que a média
eram crianças altas, mas muitas vezes não eram tão altas -
mi como mãe e pai. Pais com estatura abaixo da média tiveram filhos
baixo, mas não muito. Isso significa que o crescimento das crianças tem tendências
a negação de mudar, ou regredir, em direção à média aritmética
na população.
O fenômeno da "regressão à média" , que é uma ameaça
validade interna do estudo é uma das mais
descobertas pendentes de Galton .
174

Página 175

Altura das crianças (média aritmética = 68 polegadas)

63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73
72
1 2 2 2 1
e= 71
2 4 5 5 4 3 1
Cesko70
crianças 1 2 3 5 oito nove nove oito 5 3
m
f 69
a)
m 2 3 6 dez 12 12 2 dez 6 3
º
o ari dela
68
3 7 onze 13 quatorze
13 dez 7 3 1
solteiro
8,1 du
(Qua6 67
= 3 6 oito onze onze oito 6 3 1
66
contadores
e 2 3 4 6 4 3 2
65
Ost Rod 67,2 67,3 67,4 67,6 67,9 68,2 68,4 68,8 69,1 69,3
R
Altura média dos pais em cada coluna

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 149/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Arroz. 16. A mesa construída por Galton,


para mostrar a correlação da altura dos pais e filhos, -
protótipo de gráfico de dispersão

A terceira observação de Galton foi que o gráfico


construído sobre os valores da média aritmética para cada
coluna da tabela de dispersão, dá uma linha mais ou menos reta .
Na verdade, é uma espécie de "linha de regressão" .
Assim, Galton descobriu as principais características da correlação
análise.
Depois de ler sobre o trabalho de Galton, Karl Pearson continuou sua pesquisa
estudos nesta área e desenvolveu uma fórmula para o cálculo do coeficiente
o número de correlações. Ele designou o coeficiente com a letra r , o que significa
uma fraude de regressão homenageando a descoberta de regressão de Galton
para a média. Seguindo Galton, Pearson acreditava que a correlação
a análise confirma a ideia da herdabilidade de muitas propriedades,
encontrando-se em famílias separadas [Goodwin, 2004, 312-313 ].
175

Página 176

As variáveis ​são consideradas correlacionadas se houver um


existe algum tipo de relacionamento. Isso está implícito no próprio termo
"Correlação" - conexão mútua, atitude. No caso de direto ou
correlação positiva, a relação é tal que valores altos
valores de uma variável estão associados a valores altos de outra, e baixos
valores do primeiro - com valores baixos do segundo. Negativo
A correlação de Naya significa relação inversa. Altos valores de um
uma variável está associada a valores baixos de outra e vice-versa.
A relação entre o tempo de estudo e a série
kami é um exemplo de correlação positiva. Um exemplo de
correlação negativa pode ser a relação entre inúteis
mas o tempo gasto e a pontuação média. Desperdiçado -
o tempo pode ser operacionalmente definido como o número de horas
uma semana gasta em certas atividades, por exemplo, em
jogos deo ou assistindo séries de TV.
A força da correlação é mostrada pelo valor especial do descritivo
estatísticas - "coeficiente de correlação". Coeficiente de correlação
é igual a -1,00 no caso de correlação negativa direta, 0,00 quando
sem relacionamento e +1,00 com uma correlação positiva completa
lação. O coeficiente de correlação mais comum
é r de Pearson. O r de Pearson é calculado para os dados obtidos
usando uma escala de intervalo ou uma escala de razão. Em caso
em outras escalas de medição, outros tipos de correlações são considerados.
ção Por exemplo, para dados ordinais (ou seja, ordenados), você
O ρ (ro) de Spearman é contado (caso contrário, esta estatística é denotada como r s ).
Bem como a média aritmética e o desvio padrão,
o coeficiente de correlação é o valor da estatística descritiva
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 150/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

tiques. Durante a análise final, é determinado se


uma correlação específica que é significativamente maior (ou menos) zero. Ta-
Assim, para estudos de correlação, a hipótese nula
(H 0 ) diz que o valor real r = 0 (ou seja, não há
interconexões), e a hipótese alternativa (H 1 ) é que r ≠ 0. Rejeitado
uma hipótese nula significa decidir que entre duas mudanças
existe uma relação significativa.

Gráfico de dispersão. A força da correlação pode ser encontrada por


olhando para o gráfico de dispersão. É uma tela gráfica
176

Página 177

Esta é a relação indicada pela correlação. No caso de sexo-


ponto de correlação positivo ou negativo completo
forma uma linha reta, e a correlação zero dá um gráfico de dispersão
do tipo ( a ), cujos pontos são distribuídos aleatoriamente. Por
em comparação com a correlação moderada ( d e e ) do ponto de correlação forte
ções estão localizados próximos um do outro ( b e c ). Em geral, como
o enfraquecimento da correlação do ponto no gráfico de dispersão é cada vez mais
afaste-se da diagonal conectando os pontos em correlação completa
ções iguais a +1,00 ou -1,00.
Os gráficos de espalhamento considerados acima (exceto para a ) são aproximados
eram traçados por linhas retas, ou seja, refletiam dependências lineares.
No entanto, nem todos os relacionamentos são lineares, e o cálculo do r de Pearson para
o caso linear não ajudará a revelar a natureza de tal relacionamento.
oito dez
6
4 5
2
0 0
0 2 4 6 0 2 4 6
r=0 r = –0,9
uma b
dez 6

4
5
2

0 0
0 2 4 6 0 2 4 6
r = +0,9 r = –0,56
v G
oito
6
4

2
0
0 5 dez
r = +0,61
d
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 151/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Arroz. 17. Variantes de gráficos de dispersão


para diferentes valores do coeficiente de correlação
177

Página 178

Na fig. 18 mostra um exemplo hipotético da relação entre o


emoção e execução da tarefa, ilustrando a lei de Yerck
sa-Dodson: tarefas difíceis são executadas bem com uma média
nível de excitação, mas ruim - em muito baixo e muito alto.

100

80

ki 60
iene
c
O 40

vinte

0
1 2 3 4 5 6 7
Nível de excitação

Arroz. 18. Relação entre a produtividade da atividade e o nível de excitação

A partir do gráfico de dispersão, pode-se ver que os pontos estão ao longo de um certo
curva linear, mas tentando aplicar correlação linear
chegamos r perto de zero.
Ao conduzir um estudo de correlação, é importante ensinar
Encontre pessoas cujas classificações se enquadram em uma ampla faixa. Ogro-
reduzir o intervalo de uma ou ambas as variáveis ​diminui a correlação
ção. Suponha que estejamos estudando a relação entre a média
fragmento de um certificado escolar e desempenho acadêmico na universidade (avaliado por
média de notas recebidas pelos calouros no final do ano). Sobre
arroz. 19 mostra o que um gráfico de dispersão pode ser ao examinar
educar alunos. O coeficiente de correlação é +0,87. Mas se
estudar esta relação usando o exemplo de alunos que receberam o ensino médio
a pontuação nii na escola é 4,5 e acima, então a correlação vai mudar, ela cai
até +0,27.

Coeficiente de determinação r 2 . É importante ter em mente que antes


é muito fácil entender mal o significado do significado específico de Pearson-
wa r . Se for +0,70, a relação é de fato
é relativamente forte, mas não se deve pensar que +0,70 é de alguma forma
178

Página 179
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 152/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

6
5
4
na Universidade
e
Para 3
iene 2
c
O 1
0
0 2 4 6
Notas escolares

r = 0,87
uma
6
5
4
na Universidade
e 3
Para
iene 2
c
O 1
0
4 4,5 5 5,5
Notas escolares

r = 0,27
b
Arroz. 19. Dependência do valor do coeficiente de correlação
na largura do intervalo de uma ou ambas as variáveis ​correlacionadas

está relacionado com 70% e neste caso a relação é estabelecida


em 70%. Isso não é verdade. Para interpretar o valor da correlação, o seguinte
sopro para usar o coeficiente de determinação ( r 2 ). Ele está dentro
ao elevar ao quadrado r e, portanto, seu valor nunca é
negativo. Este coeficiente é formalmente definido como
o grau de variabilidade de uma variável de correlação causada por
a variabilidade de outra variável. Vamos explicar isso com um exemplo [Good-
vin, 2004, 320 ].
Um estudo está em andamento no qual 100 participantes têm
o nível de depressão emocional e a pontuação média são medidos. Nós
verifique a relação entre duas variáveis ​e encontre
correlação negativa: quanto maior o nível de depressão, menos
a pontuação média e, inversamente, quanto mais fraca for a depressão, maior será a média
pontuação ny. Considere dois valores de correlação que podem ser
179

Página 180

obtidos como resultado deste estudo: –1,00 e –0,50. Coeffi-


o coeficiente de determinação será igual a 1,00 e 0,25, respectivamente. O que-
para entender o significado desses valores, primeiro vamos prestar atenção a
o fato de que a pontuação média das 100 pessoas em estudo provavelmente será
variam de 3,0 a 5,0. Como pesquisadores, queremos descobrir

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 153/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

discussão a razão para tal variabilidade é porque uma pessoa consegue


3,2 pontos e os outros 4,4, etc. Em outras palavras, queremos saber
o que causa diferenças individuais nas pontuações médias? Em ato
Isso pode ser devido a vários fatores:
hábitos, inteligência geral, estabilidade emocional
aptidão, tendência a escolher assuntos fáceis para estudar, etc.
Os resultados dos testes de depressão mostram que, em nossa hipótese
um estudo de pesquisa examina um desses fatores - emocional
estabilidade final; r 2 mostra o quanto a variabilidade
pontuações médias podem estar diretamente relacionadas à depressão
isso . No primeiro caso, quando r = -1,00 e r 2 = 1,00, podemos tomar
à conclusão de que 100% da variabilidade nas pontuações médias está associada com
variabilidade das estimativas de depressão. Portanto, podemos dizer que
100% das diferenças entre as pontuações médias (3,2 e 4,4, etc.) são causadas por
depressão. Em um estudo real, tal resultado, é claro, é
é impossível receber. No segundo caso, quando r = –0,5 e r 2 = 0,25,
apenas um quarto (25%) da variabilidade nas pontuações médias será
está associado à depressão. Os 75% restantes estão associados a outros fatores
rami semelhantes aos listados acima. Em suma, o coeficiente
coeficiente de determinação caracteriza a força das relações melhor do que r
Pearson.

Análise de regressão: fazendo suposições. Importante


a característica mais importante dos estudos de correlação é o
a capacidade, na presença de uma correlação forte, de construir uma suposição
sobre o comportamento futuro. Correlação entre duas variáveis
torna possível, com base nos valores de um deles, prever
atribuir valores a outro. Isso é fácil de mostrar com um exemplo de meio
meus pontos. Se soubermos que tempo de estudo e
pontuações são correlacionadas e que alguém está fazendo 45 horas por semana,
seremos capazes de prever com precisão uma média relativamente alta
pontuação ni para esse aluno. GPA igualmente alto
180

Página 181

permitirá que você preveja a quantidade de tempo que passará estudando. Pré-construção
disposições baseadas em estudos de correlação são chamadas
é uma análise de regressão .
Na fig. 20 mostra o gráfico de dispersão: a) para o tempo após
estudo sagrado e média de notas eb) desperdiçado
tempo e pontuação média. Cada gráfico também exibe uma linha
regressão, que é usada para fazer suposições.
A linha de regressão também é chamada de "linha ótima":
é a melhor maneira possível de generalizar o atual
verificação do gráfico de dispersão. Isso significa que os valores absolutos do
posicionando-se verticalmente entre cada ponto do gráfico e a linha de registro
as pressões são mínimas.

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 154/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

3,5

tudo
b
º 2
e
n
unidades
R
COM 1

dez vinte trinta 40 50


(a) Tempo gasto estudando

3
tudo
b
2,1
º
e 2
n
unidades
R
COM
1

dez vinte trinta 40 50


(b) Tempo perdido

Arroz. 20. Gráficos de dispersão com linhas de regressão


181

Página 182

A linha de regressão é calculada pela fórmula Y = a + bX , onde a -


o ponto em que a linha cruza o eixo y (isto é, o segmento cortado
no eixo Y); b - o ângulo de inclinação de uma linha reta, ou sua inclinação relativa
sobre. X é a quantidade conhecida e Y é a quantidade que estamos tentando
Xia predizer. Conhecendo a força da correlação e do desvio padrão
para variáveis ​correlacionadas, o valor de b pode ser calculado ;
conhecer o valor de be os valores médios das variáveis ​correlacionadas,
pode ser encontrado a .
Na análise de regressão para prever o valor de Y (por exemplo
medidas, pontuação média) com base no valor de X (por exemplo, tempo,
dedicado a estudos) usa uma equação de regressão. S às vezes
é chamada de variável de critério , e X é um preditor re-
mudança. No entanto, para fazer suposições precisas, a correlação
ções devem estar bem acima de zero . Quanto maior a correlação,
quanto mais próximos os pontos do gráfico de dispersão estarão da linha de regressão e o
haverá mais confiança de que suas suposições estão corretas.
Assim, o problema de limitação de alcance observado anteriormente,
o que reduz a correlação, também reduz a confiabilidade do pré-
legendas. O gráfico que mostra a equação de regressão mostra
como fazer suposições usando a linha de regressão.
Por exemplo, qual é a média de notas esperada para um aluno que
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 155/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

ry passa 34 horas por semana estudando. Pegar de-


vet, desenhe perpendiculares do eixo X à linha de regressão e, em seguida,
do ponto de intersecção ao eixo Y. O valor do ponto no eixo Y será
valor assumido (lembre-se de que a exatidão do
dependência da força da correlação). Assim, em termos de tempo,
seria igual a 40 horas, você pode prever a pontuação média igual a 3,4,
e para 41 horas perdidas - a pontuação média é ligeiramente acima de 2,3.
Valores mais precisos podem ser calculados usando a fórmula de regressão.
e fazer previsões mais precisas.
O método para calcular os coeficientes da equação de regressão é descrito
san, por exemplo, no livro de Goodwin, no Apêndice C, mas depois disso
familiarização é melhor usar o registro de programas de computador
análise de ressão.
Você deve estar ciente de que a análise de regressão é usada em grandes
a maioria dos estudos que aprendemos com a mídia
em formação.
182

Página 183

Por exemplo, podemos encontrar um relatório de pesquisa “fac-


fatores de risco para ataque cardíaco ", em que, com base em cor-
a relação entre tabagismo e doenças cardíacas tem sido
o fato de que as pessoas que abusam do fumo provavelmente
o desenvolvimento de doenças cardiovasculares é maior do que em não
shih. Isso significa que fumar é a base para prever
o desenvolvimento de doenças cardíacas. Com base na presença de correlação
usando a análise de regressão, sabendo o primeiro, você pode fazer
suposição sobre o segundo.

Aula 17. Interpretando correlações

Estudos de correlação são ferramentas poderosas


volume que permite prever eventos futuros. mas
é necessário ter muito cuidado na interpretação dos resultados
de tais estudos. Encontrando uma correlação entre dois
variáveis ​não nos permite concluir que uma variável
é a razão do aparecimento de outro. A falta de compreensão é-
esta regra geral leva ao fato de que na pesquisa de correlação
as pessoas entendem o pior de tudo.
Os estudos de correlação são frequentemente descritos nas notícias.
e leitores não críticos são informados de que um dos inter-relacionados
variável é a causa de outra. Por exemplo, foi
um grande número de estudos foram realizados que mostraram que
aparência preguiçosa de calvície é um sinal de um coração futuro
doenças. Em um deles, pesquisadores entrevistaram mais de 22.000
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 156/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

médicos e descobriram que as pessoas com doença cardíaca coronária frequentemente


calvície da coroa da cabeça é observada (muito mais frequentemente do que calvície
parte da frente da cabeça ou queda geral de cabelo). Na dor
a maioria das reportagens na mídia indicou
a ausência de uma relação causal, mas acrítica
escritores podem muito bem ter decidido que a calvície é um sinal certo
futuro ataque cardíaco e gastar dinheiro em um transplante para
livrar-se do risco de ter um ataque cardíaco [Goodwin, 2004, 323 ].
183

Página 184

Descrições publicadas de médicos e psicológicos


estudos de correlação são bastante comuns
conclusões, e o conhecimento de como interpretar corretamente
estudos nacionais, é necessário relacionar adequadamente
para essas obras.
Já sabemos que em um estudo experimental com controle
do NP operado, podemos tirar conclusões com segurança sobre a presença de
relações formais e investigativas: a variável estudada é um controle
controlado, e se todos os outros fatores forem mantidos constantes,
mi, então o resultado pode ser atribuído diretamente ao independente
esta variável. No entanto, no caso de um estudo de correlação,
outros fatores não podem ser mantidos constantes, e
portanto, nenhuma conclusão pode ser tirada sobre causa e efeito. Ras-
considere dois problemas de interpretação que surgem na correlação
onny pesquisa. Este é um problema de reversibilidade ou direcional
ness, e o problema da terceira variável.

17,1. Problema de foco

Se houver correlação entre duas variáveis A e B


ção, então pode acontecer que A cause B ( A > B ), e B cause
em A ( B > A ). A ação de uma relação causal em duas direções
o problema é denominado problema de foco . A existência de um núcleo
o relacional em si ainda nada diz sobre a direção dessa conexão.
Pesquisa sobre a relação entre assistir televisão e crianças
agressão fornecem um exemplo típico do problema de direcionamento
ti. Alguns desses estudos são correlativos e
são realizadas da seguinte forma. O tempo de exibição de TV é medido
viseira (variável A ). Além disso, o nível das mesmas crianças é medido
agressão (variável B ). Pode ser generalizado
a avaliação da agressividade dada pelos professores a essas crianças. Pré-
estabelecemos, em tal estudo, uma correlação de +0,58 foi encontrada,
que excede significativamente a zero. Que conclusão pode ser feita
com base em tais dados?
Pode-se, é claro, concluir que, uma vez que a longo prazo

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 157/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

assistir televisão inevitavelmente leva a criança a perceber a dor


184

Página 185

um grande número de cenas violentas e, como sabemos, as crianças aprendem em


processo de observação e, em seguida, exibição prolongada de programas de televisão
as residências de verão farão com que as crianças se tornem agressivas. Isso significa
A>B.
Mas será que a relação causal se manifestará ao contrário
direção? É possível que crianças agressivas simplesmente amem
eles querem assistir TV mais do que seus camaradas não agressivos?
Talvez sabendo da existência de um grande número de programas,
envolvendo cenas de violência, crianças agressivas vão querer conduzir
mais tempo para uma atividade que realmente lhes interessa-
não. Assim, é possível que a agressividade seja o motivo
Noah assistindo a um grande número de programas com cenas de violência.
Isto significa em > A .
Se a correlação é a única razão,
em seguida, determine corretamente a direção da causa e efeito
a comunicação é impossível. No entanto, existe uma maneira de resolver o problema do direcionamento
nosti. Baseia-se nos critérios para determinar a causa e efeito
conexão barulhenta. Acredita-se que uma relação causal entre A
e B é definido, 1) se esses eventos ocorrerem simultaneamente;
2) se A preceder B no tempo; 3) se esta conexão seguir
de alguma teoria ou se é possível refutar outras explicações
sua aparência conjunta.
No caso de assistir TV e agressão, só sabemos
que A e B aparecem juntos, e com base nas informações sobre o
aprendizagem no processo de observação, é razoável supor que
a presença de uma relação causal entre eles. Mas com mais
é possível determinar a direção da relação com confiança
pelo poder de um procedimento denominado correlação cruzada.
Este procedimento consiste em estudar a correlação entre as variáveis
mi em diferentes pontos no tempo, portanto, representa
é uma espécie de desenho experimental longitudinal.
O exemplo a seguir ilustra esse procedimento.
Então, Aaron e os co-autores se engajaram no estudo da inter-relação
zi entre assistir televisão e agressão. Em 1960, cientistas
estudou 875 alunos da terceira série que vivem em áreas rurais -
Estado de Nova Iorque. Entre assistir tv com violência
moderado, mas significativo
185

Página 186

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 158/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

correlação +0,21. Após 10 anos, Aaron e seus co-autores encontraram 427


estagiários dos participantes anteriores (agora "alunos da décima terceira série
kami ") e avaliaram seus valores das mesmas duas variáveis. De acordo com
medição de duas variáveis ​em dois pontos diferentes no tempo
nem podem seis correlações ser calculadas. Dados de correlação
yah obtidos por Aaron et al., no decorrer do estudo são mostrados na Fig.
a imagem mostrando os resultados de um estudo transversal do impacto
aumentando a propensão de assistir TV com violência no futuro-
agressão agressiva.
De particular interesse são as correlações "cruzadas",
uma vez que representam relações entre variáveis, separe
preguiçoso no tempo. Se a agressividade dos alunos da terceira série causa
tem uma tendência posterior de assistir TV com violência
( B > A ), então devemos esperar a presença de uma correlação bastante alta
a relação entre agressividade no momento 1 e a tendência a ser determinado
Transmissões de TV no horário 2.

Vício de navegação 0,05 Vício de navegação


Programas de tv com violência Programas de tv com violência
na 3ª série (TV 3) no 13º ano (TV 13)

0,01

0,21 –0,05

0,31

Agressão na 3ª série Agressão na 13ª série


(AG 3) 0,38 (AG 13)

Arroz. 21. Correlações refletindo resultados


estudo transversal do efeito do vício
a assistir programas de TV com violência para subsequente agressão

Na realidade, a correlação é praticamente zero.


(+0,01). Se a propensão precoce de assistir televisão por causa da violência
liem leva a um comportamento agressivo posterior ( A > B ),
186

Página 187

então haverá uma correlação significativa entre a propensão no tempo 1


e agressividade no momento 2. Como pode ser visto nos dados acima,
esta correlação é +0,31 - não muito alta, mas significativa
indicador. Com base nesses dados, bem como em outras informações,
obtido no decorrer do estudo, Aaron e seus colegas concluíram
visualização violenta de televisão
é a razão para a agressividade posterior.
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 159/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

No entanto, é necessário ter muito cuidado ao interpretar


correlação cruzada. Por exemplo, se você estudar cuidadosamente
para ler as correlações na Fig. 21, pode-se ver que a correlação com
valor de +0,31 pode ser parcialmente atribuído a correlações com
valores +0,21 e +0,38. Isso significa que em vez de uma dependência direta
a ligação entre tendência na 3ª série e agressão na 13ª série é esta conexão
determinado pela presença de relações entre a propensão para o corpo
transmissões com violência e agressão na 3ª série e entre as duas
agressão mi. Uma criança com altas taxas de inclinação
para programas com violência na 3ª turma, pode ser agressivo na
nesta idade e permanecer tão agressivo (ou até mais
agressivo) na 13ª série. Por outro lado, é possível que a agressividade
na 3ª série provoca a) tendência a assistir programas de TV de violência
lema no grau 3 eb) o surgimento subsequente de agressividade.
Um exemplo mostra como a correlação cruzada
ajuda a resolver o problema de foco. No entanto, o conhecimento da direção
o estudo da causalidade nem sempre é suficiente para o direito
interpretação correta desta conexão. Em termos mais gerais: difícil
Essas interpretações aparecem como um problema de terceira variável.

17,2. Terceira variável problema

Uma vez que, no caso de um estudo de correlação, o controle


para variáveis ​externas não é realizado, a razão para o encontrado
as correlações podem estar precisamente neles. Isso significa que A
não é a causa de B e B não é a causa de A , e alguns
a terceira variável desconhecida C causa A e B ; C é
alguma terceira variável não controlada (ou variáveis ​-
freqüentemente acontece que há mais de uma correlação não controlada por trás de uma correlação.
minha variável).
187

Página 188

Foi dito acima sobre a convicção de Galton e Pearson de que é


forte correlação entre pais e filhos em relação a
certas características provam que a hereditariedade é
é a causa raiz das diferenças intelectuais. Ambos os cientistas não são
levou em consideração a influência da terceira variável - o meio ambiente - como um fato
toro, em que se baseia a relação das habilidades dos pais
lei e filhos (por exemplo, pais com alto nível de inteligência podem
tentar criar um ambiente estimulante para seus filhos).
Curiosamente, Galton foi o fundador do movimento "eugênico"
zhenia, cujos apoiadores, entre outras coisas, acreditavam que Grande
A Grã-Bretanha deve, por meio de seleção rigorosa de casais, aumentar
para melhorar o nível geral de inteligência de seus cidadãos. Galton disse que
possível "por meio de seleção cuidadosa para obter uma raça de cão
ou cavalos com uma velocidade de corrida incomum ... então, eu concluo
casamentos razoáveis ​ao longo de várias gerações, você pode
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 160/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

criar a aparência de pessoas altamente dotadas. " Não é difícil imaginar o


o lado militar do movimento eugênico é a ideia de que qualquer
qyam considerado "inadequado" ou "defeituoso" deve
é proibido ter filhos.

A relação entre assistir televisão violenta e crianças


agressividade é um exemplo mais moderno de julgamento
lemes da terceira variável. Vimos a possibilidade de que
chalés de verão com violência aumentam a agressão ( A > B ), mas também é possível
causalidade reversa
( B > A ): Crianças agressivas podem ter tendência a assistir
Programas de TV com violência. A terceira possibilidade é
que A e B surgem como resultado da ação da terceira variável,
C ( C > A + B ). Por exemplo, os pais dessas crianças podem ser difíceis
tokimi. Filhos, copiando o comportamento agressivo de seus pais, também
será cruel; além disso, tal comportamento dos pais
leva ao fato de que as crianças vão assistir muita TV, tentando
"Sente-se quieto" e evite o contato com os pais, que muitas vezes
punido. Outra terceira variável pode ser a ausência
fluência da fala. As crianças podem se tornar agressivas por causa de
que seus argumentos não funcionam em disputas, e eles assistem muito à TV
amanhecer para evitar falar com outras pessoas.
188

Página 189

Às vezes, as tentativas de definir uma terceira variável são


uma questão puramente especulativa e, em outros casos, pode ser
As classificações suspeitam da influência de uma terceira variável particular. No
neste último caso, a influência da terceira variável pode ser estimada a partir de
o poder do procedimento de correlação cruzada, que é projetado para
Fornece controle estatístico para a terceira variável. Pré-
suponha que entre a velocidade de leitura e sua consciência,
para uma alta correlação de +0,55. Além disso, há motivos para suspeitar
a terceira variável é a causa desta correlação, e
ou seja, IQ. Para realizar o procedimento de correlação cruzada, você precisa
encontre a correlação entre a) QI e velocidade de leitura eb) QI e especial
conhecimento de leitura. Digamos que a correlação seja +0,70 e +0,72
respectivamente. Os valores são altos o suficiente para suspeitar
que o QI é a terceira variável. Para calcular o mútuo
correlação, é necessário usar todos os três valores obtidos
correlação (não consideramos o procedimento de cálculo exato)
comer). Como resultado, uma correlação cruzada será encontrada, mostrando
a relação entre velocidade e consciência da leitura, com
qual valor de IQ é "controlado". Neste caso, o mútuo
a correlação é +0,10. Assim, se o QI for estatisticamente con
rolos ("divididos em partes"), a correlação entre a velocidade
e a consciência praticamente desaparece, o que significa que o QI está agindo

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 161/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

é de longe uma terceira variável importante que afeta significativamente


para obter uma correlação inicial entre velocidade e consciência
com um valor igual a +0,55.

17,3. A necessidade de correlação


pesquisar

Levando em consideração as dificuldades de interpretação das correlações, bem como que


o fato de que inferências sobre causa e efeito podem ser tiradas
apenas com base em experimentos reais com NP controlado,
por que não se limitar a realizar alguns experimentos
pesquisar?
A resposta diz respeito ao lado prático e ético da de-
la. Do ponto de vista prático, é óbvio que algumas pesquisas importantes
189

Página 190

os estudos simplesmente não podiam ser realizados na forma de um experimento.


Camarada Ao pesquisar questões importantes como gênero
diferenças comportamentais, diferenças entre grupos de idade ou
tipos de personalidade, é impossível realizar uma distribuição aleatória.
Examinando a correlação entre a gravidade da depressão clínica e
executar tarefas faz sentido, mesmo se o assunto
você não pode ser classificado de acordo com os termos "depressão leve" e "grave
depressão latente. " Lee Cronbach em seu discurso sobre as duas disciplinas do sk-
corredor que com a ajuda de estudos de correlação pode ser estudado
o que não podemos ou ainda não aprendemos a controlar. exceto
Além disso, alguns estudos têm como objetivo a construção de pré-
disposições para comportamento futuro. Por exemplo, detecção de correspondência
a relação entre um certo traço de personalidade e sucesso
no trabalho permitirá que especialistas de RH, sem saber as razões para
compreender tal relacionamento, prever quem terá sucesso em
para fazer um trabalho específico.
Além disso, do ponto de vista ético, é claro que há pesquisas
estudos que não podem ser realizados na forma de experimentos com controle
variáveis. Paul Broca abriu o centro da fala do cérebro,
perceber a relação entre certos tipos de violações
fala e a natureza do dano cerebral encontrado durante a pós-morte
autópsia de nome. Para confirmação experimental de que
a causa do distúrbio foi dano cerebral, demoraria
designar aleatoriamente pessoas para o grupo "com os afetados
cérebro ", que apresenta distúrbios na estrutura do cérebro, e mais intacta
"Grupo de controle. Na verdade, levaria mais
o terceiro grupo, que pode ser designado como um grupo "com um imaginário
dano cerebral ". Os membros deste grupo teriam que
a maioria das operações cirúrgicas dos grupos transferidos

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 162/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras
cantar com dano cerebral diferente de dano cerebral real
ha. É fácil imaginar as dificuldades de selecionar pessoas para tal
perimento. Esta é uma das razões pelas quais ex-
estudos experimentais dedicados ao estudo da inter-
conexões entre cérebro e comportamento são usadas por animais.

190

Página 191

17,4. Situações de pesquisa,


em que o uso
abordagem de correlação é mais provável

Pesquisa realizada usando sondas de correlação


tsedur pode ser encontrado em todas as áreas da psicologia. Especialmente
eles são frequentemente usados ​em pesquisas: a) dedicados ao desenvolvimento
ke testes psicológicos, b) psicologia da personalidade e anormal
psicologia ec) voltada para o estudo de doenças congênitas
benignidade e educação, que começou com Francie
bagre por Galton. Em todos esses estudos, é dada especial importância a
Depende da natureza das diferenças entre as pessoas. Em seguida, considere
um exemplo para cada um dos três.

Testes psicológicos. Medir


foi significativo, deve ser confiável e válido. De confiança
uma medida nova e válida de inteligência dá os mesmos valores
IQ em duas tentativas de medição diferentes e de fato
reflete habilidade intelectual, e nada mais. Quão
mostra a série de estudos descritos a seguir, a avaliação é confiável
sidade e validade são altamente correlacionadas.
Para medir a inteligência em crianças, eles tradicionalmente usam
Existem dois testes: a escala Binet-Simon e a escala Wechsler. Mais tarde
foi o teste de Kaufman, que consiste em subtestes para "sequencial
processamento ”e“ processamento simultâneo ”. Acredita-se que os nomes
mas esses tipos de atividade mental são os principais nas crianças.
Além disso, uma avaliação especial de "realizações" é levada em consideração, refletindo
o nível de conhecimento adquirido na escola e fora dela.
Kaufman avaliou a confiabilidade de seu teste de várias maneiras.
bami. Por exemplo, eles usaram um procedimento chamado divisão
confiabilidade total. Está no fato de que os elementos,
subtestes específicos são divididos ao meio (por exemplo, até mesmo
elementos ímpares e ímpares) e, em seguida, a correlação entre
em duas metades. Se o teste for confiável, a correlação deve
ser alto - um sujeito que recebeu uma pontuação alta por um
metade das atribuições, deve obter notas altas e para outras
goy. O segundo tipo de confiabilidade é chamado de confiabilidade do reteste.
191
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 163/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Página 192

e reflete a relação entre dois casos diferentes de uso


teste. Essa confiabilidade também deve ser alta; de confiança
teste dá resultados consistentes de uma tentativa de teste
tirovanie para outro. No caso da bateria de testes e divisão de Kaufman
A confiabilidade do reteste e do reteste apresentam taxas altas.
Um dos indicadores de validade do teste é o critério
validade real, refletindo a possibilidade baseada em dados
o teste para prever eventos futuros. Este tipo de validade
é determinado examinando a correlação entre as
teste (bateria Kaufman) e estimativas obtidas de alguns
meu critério. O critério geralmente é algum outro teste.
ou uma dimensão tematicamente relacionada ao teste de interesse.
No caso de um teste de inteligência,
notas escolares estão lutando, como testes de inteligência
são projetados para serem capazes de prever
performance acadêmica. As pontuações dos testes válidos devem ser
correlacionar negativamente com avaliações de critério.
Para verificar a validade da bateria Kaufman,
numerosos estudos usando um grande número
medidas criteriosas de desempenho acadêmico. Em geral, o resultado
você foi impressionante. Por exemplo, uma correlação foi encontrada
Baterias Kaufman com o Teste de Habilidades Básicas de Iowa e Cali
Teste de desempenho de Fornian, oficialmente aceito como
cinco testes para avaliar o desempenho escolar.
Este exemplo fala da importância de usar o que é bom (ou seja,
confiáveis ​e válidos). Na verdade, com base no re- recebido
resultados (pelo menos em parte), as decisões são tomadas
capaz de influenciar o curso da vida de uma pessoa. As crianças são treinadas em
grama para os superdotados, gerentes são promovidos, estudante
faculdades vão para universidades e psiquiatras colocam seus pacientes
diagnósticos corretos. Todas essas decisões importantes foram feitas
trabalhar com a ajuda de testes psicológicos e, portanto,
a confiabilidade e a validade dos testes também têm implicações éticas.

Pesquisa em psicologia anormal e psicologia


personalidade. Para conduzir tal estudo, você pode selecionar
um grande grupo de pessoas, teste-os para várias propriedades
192

Página 193

personalidade e, em seguida, estude a correlação das estimativas. Tal


https://translate.googleusercontent.com/translate_f 164/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

a pesquisa pode mostrar uma correlação positiva


entre a introversão e a ansiedade (os introvertidos tendem a ser ansiosos
ness) ou correlação negativa entre introversão e social
(Os introvertidos tendem a evitar o contato social).
Um exemplo de uso da abordagem de correlação para estudar
personalidade é um estudo clássico de motivação para
tensões. Os cientistas que conduziram este estudo fizeram
águas, que seria certo para o estado garantir que-
os heróis das histórias infantis sempre teriam sucesso.
McClelland e Atkinson, autores de Sociedade de Sucesso
in ", foram pioneiros no estudo da motivação necessária para
suportar desafios e alcançar o sucesso. Eles desenvolveram vários
maneiras de identificar motivações para o sucesso, conduziu uma série de estudos
correlacionando o sucesso e contribuindo para sua realização
condições (o leitmotiv é - dar às crianças mais oportunidades-
tei para mostrar independência) e construiu uma teoria da motivação
sucesso.
Uma maneira de avaliar a necessidade de sucesso, ou
"NDU" é o uso do Teste de Apercepção Temática -
ta (TAT), durante o qual os sujeitos examinam a imagem
sujeito a interpretações variadas e descreve o que são
Vejo. Por exemplo, a foto de um menino olhando para um guincho
ku, pode ser lido como uma história sobre um menino que sonha em se tornar
violinista. O sujeito que escreveu tal história receberá um
mais bem avaliado pela NDU do que aquele que finge que o menino deseja
pegue um violino e bata com ele na cabeça da irmã. É assumido que
tais histórias refletem o importante subjacente
ª motivação.
A ideia de que as histórias podem ser inferidas
sobre a motivação de uma pessoa, levou McClelland a verificar
qual o papel dos contos de fadas, fábulas e mitos infantis na formação
motivos dos jovens. Se os temas prevalecem nos contos de fadas
sucesso, então ajudará as crianças a formar uma ideia
sobre a importância do sucesso na vida? E se as crianças crescerem em um ambiente cultural
uma cultura que enfatiza o sucesso, isso ajudará
é para eles terem sucesso quando crescerem? McClelland under-
193

Página 194

versado na literatura infantil para o mesmo tipo de análise que é usado


dançou para as histórias do TAT, então, de várias maneiras, determinou
o grau de bem-estar econômico da sociedade e encontrou uma correlação
a combinação desses dois fatores. Uma correlação positiva foi encontrada.
ção: à medida que aumenta o número de "temas de sucesso" nos contos de fadas infantis
houve um aumento no sucesso na sociedade. Particularmente interessante é aquele
o fato de que o sucesso na realidade ficou para trás
um alto nível de sucesso na literatura por cerca de 50 anos - como

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 165/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras
tempo quemuitas
literatura, leva para crianças
vezes que foram
referindo-se expostas
ao tópico a
de alcançar o sucesso,
ha, cresceu o suficiente para que o alto nível de sua IMU pudesse suportar
influenciar a sociedade.
Neste estudo, o problema de foco foi resolvido
da mesma forma que é feito em estudos de correlação cruzada.
ideias, mas a questão permaneceu sem solução, o mais difundido
encontrados em estudos de correlação: o problema do terceiro re-
mudança. A relação entre a literatura infantil e posteriores
o sucesso é impressionante, mas as tendências históricas são extremamente complexas
nós e dependem de inúmeros fatores.

Estudo da influência de fatores naturais e ambientais.


Francis Galton ficou muito impressionado com o fato de que os gênios
a tendência de nascer na mesma família. Estudo de similaridade
entre os membros da família tornou-se uma das principais estratégias de pesquisa
a influência da hereditariedade e do meio ambiente em vários
características de uma pessoa. Normalmente todos os pares de parentes,
pertencendo à mesma família, certas características são medidas
ki, e então a correlação entre eles é encontrada. Fatores de herança
o meio ambiente e o meio ambiente são avaliados independentemente de cada
amigo: para isso, pares que diferem geneticamente são comparados,
com casais com diferentes condições de vida. Por exemplo, idêntico
gêmeos crescendo juntos são comparados a idênticos
gêmeos separados no nascimento e criados
em diferentes condições, - assim, o fator genético permanece-
constante, e as mudanças do fator ambiental.
Da mesma forma, você pode apoiar mais ou menos
fator ambiental constante e alterar o fator genético.
194

Página 195

Para fazer isso, é necessário comparar aqueles que são criados junto com o mesmo
visar gêmeos (geneticamente idênticos) com criação
junto com gêmeos fraternos (com diferenças genéticas
chia). Estudos como este geralmente mostram um efeito conjunto
características congênitas e educação.
Isso é o que está mostrado na tabela. 11 resumindo os resultados de de-
Siatkov estudos dedicados ao estudo da natureza da inteligência.
Quanto maior a correlação, mais próximos os indicadores estão uns dos outros.
inteligência nos casais estudados. Então, a correlação é +0,86 para o idêntico
gêmeos significa que se um dos gêmeos tiver uma alta
cue IQ, então o IQ do segundo gêmeo também será
suco. É óbvio que a correlação diminui com o aumento do gene
diferenças genéticas, e isso indica quão importante é a herança
propriedade para o intelecto. A diferença nos valores de correlação entre
gêmeos idênticos criados juntos (+0,86) e
individualmente (+0,72), mostra que o ambiente também é importante
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 166/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras
Função.

Tabela 11
Correlação entre IQs
em pares de parentes diferentes
seja geneticamente ou de acordo com as condições de vida

Quantidade Quantidade
Nome do indicador r
pesquisar vapor

Gêmeos idênticos 34 4672 0,86


criados juntos
Gêmeos idênticos 3 65 0,72
levantado separadamente
Gêmeos fraternos 41 5546 0,60
criados juntos
Irmãos 69 26473 0,47
criados juntos
Irmãos 2 203 0,24
levantado separadamente
Primos 4 1176 0,15

195

Página 196

Historicamente, a maior parte da pesquisa


twins se dedica a questões de inteligência. No entanto, não há muito tempo
uma série de estudos foram realizados que mostraram a herdabilidade de
personalidade e temperamento. Verificou-se que mesmo para-
a constância tem certas bases genéticas.
Assim, em 200 pares de crianças de 14 meses idênticas e de dupla face
redes (criadas juntas) estudaram uma série de
performance cognitiva. Uma das variáveis ​era tímida
sede, que era medida de várias maneiras. Em primeiro lugar, ele entra
ler na avaliação geral de "inibição comportamental" obtida por
com base na análise de gravações de vídeo do comportamento das crianças que reagem
ao aparecimento de um estranho na sala. Falta de contato
com um estranho e o desejo de estar mais perto da mãe deu uma alta
avaliação. Além disso, a timidez era determinada pela resposta ao vírus.
a visita do pesquisador à família da criança e de acordo com o comportamento da criança durante a primeira
em sua primeira visita ao laboratório. Os pais também preencheram um questionário,
contendo uma escala de timidez. Tal como acontece com outros estudos
com gêmeos, as correlações foram consideradas para idênticas e duplas
ovos gêmeos. Da mesa. 12 mostra que os gêmeos com um grande
por semelhança não teórica, pontuações de correlação mais altas foram obtidas,
que confirma a hipótese da existência de uma dependência genética
pontes para a timidez.
Tabela 12

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 167/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Correlação entre avaliações de "timidez"


para pares de gêmeos idênticos e fraternos

Valor r de Pearson
Avaliação de timidez
Idêntico Bilingue
gêmeos gêmeos

Inibição comportamental 0,57 0,26


Timidez observada 0,70 0,45
Questionário preenchido pelos pais 0,38 0,03

196

Página 197

Aula 18. Planejamento


pesquisa de correlação

Em um estudo de correlação, todas as mudanças medidas


nye - dependente . A pesquisa de correlação é dividida em
medições independentes: cada sujeito P
no grupo é testado (medido) . Em geral, o plano de tal estudo
dação é descrita como P × O (assuntos de teste × medições (= opera-
ção)), sua implementação fornece a matriz de mistura original .
O processamento de dados desta matriz pode ser realizado correlacionando
1) as linhas da matriz original ou 2) suas colunas. Correlacionando entre
como falas, comparamos os assuntos uns com os outros; estes cor-
relações são interpretadas como razões de diferença de similaridade
pessoas entre si. Claro, as correlações P podem ser calculadas
apenas se os dados forem reduzidos a uma divisão de escala
dimensão, em particular, usando a transformação Z.
Ao correlacionar as colunas entre si, testamos a hipótese sobre o relacionamento
zi variáveis medidas (sinais, propriedades, características). Nesse caso
sua dimensão não importa. Tal pesquisa
é chamado de estrutural , pois, como resultado, obtemos uma matriz
zu correlações de variáveis ​medidas, o que revela a estrutura
ru de conexões entre eles.
Na prática da pesquisa, muitas vezes surge a tarefa de identificar
correlações temporais de parâmetros ou para detectar uma mudança
a estrutura das correlações de parâmetros no tempo. Um exemplo de tal
estudos são longitudes . Plano de pesquisa longitudinal
niya é uma série de medições individuais de um ou mais
quantas variáveis ​em intervalos regulares.
O pesquisador correlaciona os resultados dessas medições entre si.

18,1. Tipos básicos de unidimensional


https://translate.googleusercontent.com/translate_f 168/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

pesquisa de correlação

1. Comparação de dois grupos (estudo de correlação condicional


nie). É usado para estabelecer a semelhança ou diferença entre dois
grupos naturais ou randomizados de acordo com a gravidade de
197

Página 198

ou outra propriedade ou condição psicológica. Diferem


se homens e mulheres de acordo com o nível de extroversão? Para isso você precisa
medir a extroversão em grupos usando o teste Ai
Zenka. Os resultados médios são comparados usando o teste t
T do aluno (se necessário, as variâncias do
de extroversão pelo critério F ).
A comparação dos dois grupos contém as fontes de uma série de ar-
tefatos característicos da pesquisa de correlação . Se
trabalhamos com grupos naturais, então os problemas se tornam
1) a diferença no tempo dos grupos de teste (e dentro dos grupos) e 2) re-
mistura de grupos durante o estudo (se o pesquisador perguntou
com o objetivo de comparar os dois grupos de estudo de acordo com o nível de desempenho acadêmico,
ele deve cuidar para que eles não
vaniya "durante o estudo).
2. Estudo de um grupo em diferentes condições . Um exemplo
pode servir como uma mudança no nível de ansiedade das crianças durante a transição
de do jardim de infância à escola de 1ª série: o grupo é o mesmo, e as condições
vários.
Por que este é um estudo de correlação? Porque aqui
não controlamos o nível da variável independente, mas apenas con
descrevemos a mudança no comportamento do indivíduo nas novas condições. Esquema
deste plano: AO 1 VO 2 , onde A e B são condições diferentes.
Os principais artefatos deste plano são a acumulação de efeitos após
consistência, teste e desenvolvimento natural (temporário
fator).
O processamento de dados é reduzido para avaliar a semelhança entre os resultados
teste de tami nas condições A e B (para controlar o efeito de pós-
sequência, você pode contrabalançar e ir para
plano de correlação para dois grupos: AO 1 VO 2 - VO 3 AO 4 . Naquilo
caso, as condições A e B podem ser consideradas como efeitos).
3. Estudo de correlação longitudinal. Eu influencio
o tempo é considerado a variável principal. É um análogo do plano de teste
racionamento de um grupo em condições diferentes. Apenas as condições são consideradas
são constantes. O resultado de qualquer estudo de tempo
(incluindo longitudinal) é a construção de um temporário
tendência de variáveis ​medidas que podem ser analiticamente
descrito por uma ou outra dependências funcionais.
198

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 169/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Página 199

Um estudo de correlação longitudinal é baseado em um plano


bem séries temporais com teste do grupo através do especificado
intervalos de tempo . Além de efeitos de aprendizagem, consistente
tee, etc., em um estudo longitudinal, o efeito de
desistências : nem todas as disciplinas originalmente cursando
participação no experimento, é possível examinar através de algum tipo de
tempo de preguiça. Possível interação dos efeitos de eliminação e teste
tirovanie (recusa em participar da pesquisa subsequente), etc.
4. Estudo de correlação de pares equivalentes
grupos. Este plano é usado no estudo de gêmeos.
casa de correlações intrapar. Os gêmeos são divididos em dois grupos
py: cada um tem um gêmeo de um par. Os gêmeos de ambos os grupos têm
medir os sinais mentais de interesse do pesquisador. Então
a correlação entre as características é calculada ( O- correlação) ou
gêmeos ( P- correlação). Existem muitos mais complexos
variantes de planos para estudos psicogenéticos de gêmeos.
Os principais artefatos que surgem no curso da correlação
pesquisa, estes são os efeitos: sequências (simétricas
transferência cíclica ou assimétrica), aprendizagem, influências de fundo
viy, desenvolvimento "natural", interação do procedimento de teste
e a composição do grupo. O último efeito aparece ao usar
seguindo um grupo heterogêneo: por exemplo, os introvertidos são piores nos exames
substituições do que extrovertidos, "ansiosos" enfrentam pior
testes de crescimento de inteligência.
Exemplo [Druzhinin, 2000, 146 ]. É necessário identificar como o
Este é o tipo de tarefa para o sucesso de uma substituição
tarefas guyu. Por suposição, os sujeitos não são indiferentes
em que ordem eles são dados testes. Foram selecionadas as tarefas
para criatividade (do teste Torrance) e inteligência geral (de
Teste Eysenck). As tarefas foram dadas aos sujeitos em uma ordem aleatória.
ke. Descobriu-se que se a tarefa de criatividade for realizada primeiro
vm, então a velocidade e precisão de resolver o problema de inteligência diminui
estão. O efeito oposto não foi observado. Sem entrar em uma explicação
deste fenômeno (este é um problema difícil), notamos que aqui nós
enfrentou o clássico efeito de transição assimétrica.

199

Página 200

18,2. Opções multidimensionais


análise de correlação
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 170/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

A análise bidimensional visa explorar relacionamentos


entre quaisquer duas variáveis. Com a ajuda da análise multidimensional
lisa examina a relação de mais de duas variáveis ​(frequentemente
o número de variáveis ​visivelmente excede dois). Então, brevemente
nos familiarizamos com dois procedimentos comuns de multidimensionais
ª análise - regressão múltipla e análise fatorial.

Regressão múltipla. Em um exemplo simples e ilustrativo


re Goodwin mostra como funciona a regressão múltipla [Good-
Vin, 2004, 337-338 ]. No caso de regressão simples,
duas variáveis ​- preditor e critério. Se o SAT pontuar
(O Teste de Aptidão da Escola Americana é um indicador de
variável) correlacionar com a nota média do primeiro ano
apelidos, então eles podem ser usados ​para prever
performance acadêmica. No entanto, o fenômeno do "desempenho universitário
o mesmo ”não é tão simples quanto parece. As pontuações do SAT podem falar
sobre o futuro alto desempenho acadêmico, mas o que fazer com esses fatores
impacto no desempenho acadêmico, como "motivação", "ensino médio
notas ”ou“ evitando aulas de física ”?
A regressão múltipla ajuda a resolver o problema de usar
chamando mais de uma variável preditora. Em pesquisa
pesquisa realizada pelo método de regressão múltipla se aplica
um critério, bem como duas ou mais mudanças de preditor
eles. Tal análise torna possível não apenas descobrir que com base em
essas duas ou mais variáveis ​podem ser previstas por certos
critério, mas também para determinar a previsão relativa
a força dessas variáveis. Esta força é exibida na fórmula
regressão para os dados originais, que é
Esta é uma versão estendida da fórmula de regressão simples:
Regressão simples: Y = a + bX . Regressão múltipla: Y =
= a + b 1 X 1 + b 2 X 2 + ... + b n X n , onde cada X é um preditor separado-
variável naya; Y é uma variável de critério e o valor do indicador é
teley b reflete a importância relativa de cada preditor
variável. Essa métrica é chamada de "peso de regressão". Em re-
200

Página 201

O resultado da análise pelo método de regressão múltipla é


coeficiente de correlação múltipla ( R ) e múltipla
coeficiente de determinação ( R 2 ). R é a correlação entre o combinado
variáveis ​preditoras e um critério, e R 2 -
o indicador do grau de variabilidade da variável de critério causada por
variáveis ​preditoras combinadas. Para designação
para R e R 2 multidimensionais , letras maiúsculas são usadas para de-
separe-os do r e r 2 de Pearson bidimensional . No entanto, sua interpretação
ções são muito semelhantes. Ambos R e r denotam a força da correlação, e R 2 e r 2 são
a proporção de variabilidade comum a várias variáveis.
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 171/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

A vantagem da análise de regressão múltipla


reside no fato de que, ao combinar a influência de vários pré-
variáveis ​de alto-falante (especialmente se eles não forem muito fortes
correlacionar uns com os outros) a capacidade de fazer suposições corretas
zheniya aumenta acentuadamente em comparação com a regressão usual
análise. As notas do ensino médio falam por si mesmas
falar sobre o futuro bom desempenho na faculdade, bem como as notas
ki do teste SAT, mas com base nesses dois indicadores você pode fazer
previsões com mais confiança. Para ter uma ideia
conhecimento de quais estudos estão usando o método de análise
regressão múltipla, considere os exemplos a seguir.
1. Pesquisa prevendo o desenvolvimento de empatia (empatia
viver) com base em dois aspectos dos eventos da primeira infância:
alunos que simpatizam com outras pessoas geralmente tinham
experiências estressantes que os tornaram mais sensíveis
às experiências de outros. A gravidade do trauma da infância
como um sinal do desenvolvimento de empatia futura, tem mais peso do que
o número total de eventos traumáticos.
2. Pesquisa prevendo o desenvolvimento de suscetibilidade
para resfriados com base em eventos negativos da vida, percebidos
muito estresse e emoções negativas. Você pode pensar que é simples
se desenvolve lá porque uma pessoa passou muito tempo
com perto de uma pessoa que espirra continuamente. Porém, especial
Uma nova pesquisa mostrou que resfriados podem ser
prever com base em três fatores relacionados ao estresse. Cha-
Acima de tudo, aqueles alunos que: a) pouco antes
201

Página 202

experimentou um evento estressante; b) sentir que são apresentados a eles


requisitos superestimados; c) descrever seu estado emocional geral
o fundo geral como negativo.

Análise fatorial. O segundo procedimento multidimensional é


análise fatorial. No decorrer da análise fatorial, os valores
um grande número de variáveis, há uma correlação entre
sob eles, e então os grupos de variáveis ​são identificados, formando
Torá ".
Vamos explicar essa ideia com um exemplo simples. Suponha uma escola
os apelidos receberam as seguintes tarefas: teste de vocabulário (LS); teste de pônei
mania de leitura (PP); teste de analogia (por exemplo, médico
engajado com o paciente, como advogado com -) (AN); teste de geometria (GEOM);
teste de resolução de quebra-cabeças (RG); teste de rotação (WF).
Para todos os pares de testes possíveis, pode-se calcular o r de Pearson,
o resultado é uma matriz de correlação. Pode-se ver que alguns
Os valores de correlação formam grupos. Todas as correlações entre

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 172/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras
vocabulário, compreensão de leitura e analogias são muito bons.
sucos. O mesmo é verdadeiro para geometria, quebra-cabeças e rotação de formas.
Correlações entre testes pertencentes a grupos diferentes,
praticamente igual a zero. Isso sugere que esses testes são
dirigido ao estudo de duas mentes significativamente diferentes
habilidades naturais, ou "fatores". Podemos rotulá-los
como "fluência" e "habilidades espaciais".

Tabela 13
Matriz de intercorrelação
entre as variáveis ​estudadas

sl nn um geom pr vf

sl 1 0,76 0,65 0,09 0,02 0,08


nn 1 0,55 0,04 0,01 0,02
um 1 0,07 0,08 0,09
geom 1 0,78 0,49
pr 1 0,68
vf 1

202

Página 203

A análise fatorial é um método estatístico complexo com


cujo poder do conjunto de correlações mútuas são distinguidos de
fatores práticos. Ao analisar esta matriz, sem dúvida,
Os mesmos dois fatores são destacados. A análise também determina
existem "cargas fatoriais", que são correlações
entre cada um dos testes e cada um dos fatores selecionados. No
no exemplo acima, os três primeiros testes terão um “alto
load "no fator 1 (fluência), e o segundo três -" alto
carga ”pelo fator 2 (habilidades espaciais). Claro, na realidade
na pesquisa, as correlações nunca são agrupadas de forma tão clara,
como neste exemplo, e os resultados obtidos muitas vezes dão
pesquisadores a discussões acaloradas sobre o real
mas se vários fatores são encontrados. Também existem divergências
em como nomear corretamente os fatores, porque a análise fatorial
a própria lise revela apenas fatores, mas como chamá-los é um re-
dizem os próprios pesquisadores.
A análise fatorial foi usada em um dos maiores psicopatas
disputas lógicas - a inteligência é uma propriedade única de uma pessoa
século. Charles Spearman, fundador da análise fatorial (começando
Século XX), acreditava que todos os testes de inteligência têm a mesma carga
ku em um fator, que ele chamou de fator de inteligência geral,
ou g (do inglês geral ). Além disso, em sua opinião, cada teste
deve dar uma alta carga no segundo fator, incluindo
a habilidade testada por este teste (por exemplo, matemática
propriedades). Esses fatores de segunda ordem, ou "especiais", ele designa
chill as s (do especial em inglês ). De acordo com sua teoria dos "dois fatores"
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 173/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

o desempenho dos testes de inteligência depende diretamente da inteligência geral


lect da pessoa ( g ) e suas habilidades especiais ( s ). Spearman acreditava que g
é herdado, e vários fatores- s são adquiridos no processo de aprendizagem
cheniya.
Outros pesquisadores, incluindo Lewis Thurstone, acreditaram
que a inteligência consiste em muitos fatores, e rejeitou a existência de
fator geral g . De acordo com os resultados da análise fatorial, Ters-
Thane concluiu que existem sete fatores diferentes que
centeio ele chamou de "habilidades mentais primárias":
mania de fala, fluência, matemática, habilidades espaciais
ki, memória, velocidade de percepção e capacidade de raciocínio.
203

Página 204

A questão de saber se a inteligência é um único todo continua


é provável que confunda os cientistas que o medem, e
sua discussão não está incluída em nossa tarefa. É importante para nós que o fator
A análise pode levar a resultados diferentes. Está relacionado
com o fato de que: a) existem diversas variedades de análise fatorial
lisa, avaliando de forma diferente quão alto deve ser
correlação para identificar fatores individuais; b) em vários
estudos deste problema usam vários testes de
telelecionar. Portanto, os pesquisadores que usam várias abordagens
dy e os testes obtêm resultados muito diferentes. Resumidamente,
assim como outros métodos estatísticos, análise fatorial
apenas uma ferramenta, e não pode resolver tal teoria por si só.
questões intelectuais, como a natureza da inteligência.
Portanto, os procedimentos de correlação desempenham um papel significativo no
pesquisa psicológica temporária. Muitas vezes eles carregam
é desnecessário se procedimentos experimentais são usados
é impossível ligar. Além disso, o desenvolvimento de complexos multidimensionais
procedimentos simplificaram a decisão da questão das causas e consequências de
em comparação com o passado, quando a maioria dos processos de correlação
os tolos eram bidimensionais por natureza.

Aula 19. Forma de apresentação


resultados da pesquisa

A conclusão de qualquer trabalho de pesquisa é pré-


apresentação dos resultados na forma que é aceita pelo científico
sociedade. Duas formas principais de apresentação devem ser distinguidas
resultados - qualificação e pesquisa.
Trabalho de qualificação - curso, diploma, dissertação-
ções, etc. - a próxima aula é dedicada. Aqui vamos discutir os requisitos

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 174/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

para
bots, oa trabalho de pesquisa
forma como (educacional
são formatados e de pesquisa)
e os resultados apresentados. Sde-
nós latimos em lógica e com exemplos de V. N. Druzhinin [Druzhinin, 2000,
208-216 ].
204

Página 205

Todos os resultados científicos representam uma forma ou de outra


apresentação de informações: forma verbal (texto, fala), simbólica
pessoal (sinais, fórmulas), gráfico (diagramas, gráficos), pré-
em forma de metano (modelos, modelos de materiais, filmes, etc.).
A principal forma de transmissão de informações é uma palavra, então qualquer
combate, uma mensagem científica é principalmente um texto organizado
de acordo com certas regras. Existem dois tipos de textos: em natural
linguagem militar ("natural", cotidiana) e linguagem científica. Liu-
a apresentação de combate dos resultados da pesquisa é essencialmente
texto misto, onde na estrutura natural da fala
pedaços incluídos formulados em uma linguagem estritamente conceitual.
Essas linguagens não podem ser estritamente diferenciadas, porque o tempo todo há
a interpenetração do cotidiano e científico: termos científicos
entram na circulação cotidiana, e a ciência tira do natural
a linguagem da palavra para denotar os lados recém-descobertos da realidade
ti. Por exemplo, usamos livremente a palavra na linguagem do dia a dia
va, inventado por cientistas: "oxigênio" (M. Lomonosov), "extra-
versão "(K. Jung)," reflexo condicionado "(I. Pavlov)," quark "(D. Gel-
lman). Por outro lado, a teoria das partículas elementares inclui
as palavras "cor", "charme", "estranheza" para denotar
de quarks. Em psicologia, os termos científicos incluem
palavras como "memória", "pensamento", "atenção" são necessárias,
"Sentir", etc. E, ao mesmo tempo, em contraste com o ordinário, científico
o termo tem um conteúdo de assunto inequívoco. E o mais importante -
o significado de um termo científico é determinado por seu lugar no sistema de
minas de uma dada ciência, teoria ou modelo. Em psicologia, a linha entre
terminologia científica e cotidiana é muito sutil, portanto,
um caixa sempre pode trazer significado da linguagem cotidiana para
sua interpretação do texto científico psicológico. Isto é
cria dificuldade adicional para o autor-psicólogo.
O principal requisito para um texto científico é a consistência
e consistência de apresentação. O autor deve, se possível, não baixar
colher o texto com informações redundantes, mas pode usar meta-
probabilidades, exemplos e "digressões líricas" para
para chamar a atenção para um link que é especialmente importante para a compreensão da essência de
julgamentos.
205

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 175/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Página 206

Um texto científico, em oposição a um texto literário ou onipresente


discurso diurno, muito clichê - estável
estruturas e volumes de negócios. Nisso ele é semelhante ao "escritório" - bureau
na linguagem dos jornais comerciais. O papel desses selos é extremamente
mas importante: a atenção do leitor não se distrai com textos literários
ki ou apresentação incorreta, mas se concentra no significado
minhas informações - julgamentos, inferências, evidências,
figuras, fórmulas. Os clichês "semelhantes à ciência" são na verdade um jogo
desempenham um papel importante na estrutura, o estabelecimento de padrões para o novo
o conteúdo. Claro, existem cientistas que são grandes estudiosos.
folhas (o que, por exemplo, é V.M. Allakhverdov, o que foi
A.R. Luria), mas este presente ainda mais frequentemente adorna as obras de
teradores e filósofos (lembre-se de Ortega y Gasset, A. Bergson e
muitos outros).
O texto consiste em ditos. Cada enunciado tem
uma certa forma lógica. Dependência causal, por exemplo
medidas, é expressa pela forma implicativa "se A , então B ", embora, como
mostrou a Piaget, na psicologia, uma explicação implicativa e
as duas explicações não são de forma alguma idênticas. São básicos
formas lógicas da afirmação: 1) indutivo - generalizante não-
que é material empírico; 2) dedutivo - conclusão lógica
água de geral para específico ou descrição do algoritmo; 3) analogia -
"Transdução"; 4) interpretação ou comentário - "tradução",
cobrindo o conteúdo de um texto criando outro.
A próxima forma de descrição dos resultados é geométrica. Geo-
descrições métricas (semelhantes a espaço) são tra-
um método de ditado para codificar informações científicas. Desde a-
ku a descrição geométrica complementa e explica o texto, ele “anexa
malha "com a descrição do idioma. A descrição geométrica é clara.
Ele permite que você represente simultaneamente um sistema de relações entre
para variáveis ​separadas estudadas no experimento. No-
a capacidade de formação da descrição geométrica é muito grande.
Em psicologia, várias formas básicas de gráficos são usadas.
apresentação científica de informações científicas: com base na
características topológicas e métricas. Um dos tradicionais
novas formas de apresentar informações usando topologia
as características técnicas são gráficos. Lembre-se de que o gráfico é
206

Página 207

há um conjunto de pontos (vértices) conectados por arestas (orientação


banheiras ou segmentos não direcionados). Distinguir entre gráficos
planar (planar) e espacial, orientado (de-
vetores de corte) e não direcionados, conectados e desconectados. Em psi
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 176/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras
em estudos psicológicos, os gráficos são usados ​com muita frequência em
descrição dos resultados. Muitos modelos teóricos são pesquisados
seja representado na forma de gráficos. Exemplos: modelo hierárquico
a inteligência de D. Veksler ou o modelo de inteligência de C. Spearman; elas
apresentado na forma de gráficos assimétricos dendríticos. Esquema
sistema funcional P.K.Anokhin, o diagrama do psicológico
sistema funcional de atividade V.D.Shadrikov, modelo
arco reflexo conceitual de E.N. Sokolov - exemplos de originais
gráficos direcionados.
Voltemos à descrição dos resultados. Mais frequentemente orientado
gráficos são usados ​para descrever o sistema de causalidade
pontes entre independentes, complementares e dependentes
mutável. Gráficos não direcionados são usados ​para descrever
sistemas de correlações entre propriedades medidas
psique. "Vértices" denotam propriedades e "arestas" - cor-
links relacionais. A característica da conexão geralmente é codificada por
opções diferentes para a imagem das bordas do gráfico. Conexões positivas
zi são representados por linhas sólidas (ou em vermelho),
não destrutivo - linhas pontilhadas (ou em azul). Força e importância
os links são codificados com a largura da linha. Os sinais mais significativos
(com o número máximo de conexões significativas com outros) são colocados
no centro. Sinais com menos "peso" estão localizados mais perto de
o mesmo para a periferia.
Do sistema de correlações, você pode ir para a tela
a redução das "distâncias" entre os recursos no avião. Distância
calculado pela fórmula bem conhecida
d = (1 - r ) / 2,
onde d é a distância; r - correlação.
As distâncias refletem as semelhanças-diferenças de recursos. Nesse caso
mais frequentemente de uma descrição topológica passamos para uma métrica,
uma vez que as distâncias entre os vértices do gráfico (propriedades) tornam-se
são proporcionais aos valores das correlações levando em consideração o sinal;

207

Página 208

para r = - 1 a distância é máxima : d = 1 , para r = 1 a distância


mínimo : d = 0.
Gráficos direcionados e não direcionados são frequentemente usados
são usados ​para descrever os resultados pessoais e sócio-psicológicos
pesquisa lógica, em particular sociométrica:
gramas é um gráfico direcionado.
Qualquer esquema de gráfico é isomórfico à matriz (suposições,
lesões, etc.). Para facilitar a percepção, não é recomendado o uso
ao descrever os resultados, use gráficos com mais de 10-11 versões
nós.
Junto com gráficos em psicologia, espacial
descrições não gráficas, que levam em consideração a estrutura do para-
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 177/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

medidores e a relação entre os elementos (seja métrica ou para-


lógico). Um exemplo é a descrição da estrutura conhecida
inteligência - o "cubo" de D. Guildford. Outro caso de uso para
descrição estranha - o espaço de estados emocionais
Niy de acordo com W. Wundt ou a descrição dos tipos de personalidade de acordo com G. Eysenck
("Círculo de Eysenck").
Se uma métrica é definida no espaço de recursos,
então, uma representação mais estrita dos dados é usada. Posição
pontos no espaço mostrado na figura correspondem a re-
suas coordenadas normais no espaço do recurso. Desta maneira
apresenta os resultados do escalonamento multidimensional, fator-
análise, análise estrutural latente e alguns
análise de cluster tov.
Cada fator é exibido pelo eixo do espaço, e o parâmetro
o comportamento medido por nós é um ponto neste espaço. Noutro
nestes casos, em particular, ao descrever os resultados do diferencial
pesquisa psicológica, os pontos são usados
tentado pelos eixos são os principais fatores (ou propriedades latentes).
Para a apresentação primária de dados, outros
formas gráficas: diagramas, histogramas e polígonos de distribuição
divisões, bem como vários gráficos.
A principal forma de representar os dados é criar imagens
distribuição. Para exibir a distribuição de valores de-
a variável medida na amostra usa histogramas e poli-
corridas de distribuição. Muitas vezes, para maior clareza, a distribuição de
208

Página 209

figuras nos grupos experimental e controle representam


em uma foto.
Um histograma é um gráfico de "barras" da distribuição de frequência
dividir um recurso em uma amostra. O sistema cartesiano é usado.
ordenar. Ao traçar histogramas no eixo das abscissas,
valores da quantidade medida, e no eixo das ordenadas - a frequência ou
as frequências relativas de ocorrência desta faixa de magnitude
na amostra. Se o histograma exibe frequências relativas
você, então a área de todas as colunas é 1.
Na área de distribuição, o número de sujeitos com
um determinado valor da característica (ou capturado em um certo intervalo
eixo de valor), denotam um ponto com coordenadas: X - gradação
sinal, Y é a frequência (número de pessoas) de uma gradação particular ou
frequência relativa (atribuição do número de pessoas desta cidade
a característica para toda a amostra). Os pontos são conectados por segmentos de linha
em linha reta. Antes de construir o polígono de distribuição, ou histo-
grama, o pesquisador deve quebrar o intervalo da medida
disfarces, se o recurso é dado em uma escala de intervalos ou proporções,
em segmentos iguais. Recomenda-se usar pelo menos 5, mas não mais

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 178/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras
mais de 10 gradações.
este problema No caso de usar um nominal ou pedido
não surge.
Se o pesquisador quiser representar mais claramente a proporção
a diferença entre diferentes quantidades, por exemplo, a proporção de assuntos
com características de qualidade diferentes (o número de homens e
mulheres), então é mais lucrativo para ele usar o diagrama. No setor
no gráfico de pizza, o tamanho de cada setor é proporcional a
a magnitude da ocorrência de cada tipo. O tamanho do gráfico de pizza
podemos exibir o tamanho relativo da amostra ou o
a ponte do signo.
A opção de exibir informações, transicionais do gráfico
analítico para analítico, são principalmente gráficos,
representando a dependência funcional de recursos. Ter
estritamente falando, o polígono de distribuição é o mapeamento do
a dependência da frequência de ocorrência de um traço em sua magnitude.
A opção ideal para completar um estudo experimental
vaniya - a detecção de uma relação funcional de independente e dependente
variáveis ​simuladas que podem ser descritas analiticamente.
209

Página 210

Vamos destacar condicionalmente dois tipos de gráficos que são diferentes em conteúdo.
kov: 1) exibindo a dependência da mudança nos parâmetros ao longo do tempo
nenhum; 2) exibir a relação das variáveis ​independentes e dependentes
(ou quaisquer outras duas variáveis). A versão clássica
imagem da primeira dependência é descoberta por G. Ebbin-
gaus, a relação entre o volume de material reproduzido e o tempo
passou após a memorização. Numerosas
Curvas de aprendizagem ou curvas de fadiga mostrando mudanças em
eficiência de desempenho ao longo do tempo.

340
320
300
280
260
240
220
aev
200
180
160o caso
sobre
sl 140
e
H 120
100
80
60
40
vinte
Indicadores
8-11 52-55

gráfico de barras
Polígono de freqüência

Arroz. 22. Histograma e polígono de distribuição.

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 179/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras
Curva de polígono de frequência e histograma

Os gráficos da dependência funcional de duas variáveis ​são


não é incomum em psicologia: as leis de Fechner, Stevens (em psicologia
zike), Yerkes-Dodson (na psicologia da motivação), um padrão,
descrevendo a dependência da probabilidade de reprodução de um elemento
aquele de seu lugar na linha (em psicologia cognitiva), etc.
Existem várias diretrizes simples para construir um gráfico.
kov. Em particular, L. V. Kulikov [Kulikov, 2001, 116 ] dá o seguinte
adendo:
210

Página 211

1. Os gráficos e o texto devem complementar-se.


2. O cronograma deve ser autoexplicativo e incluir todos os
as designações exigidas.
3. Em um gráfico, não é permitido representar mais de quatro
curvas rex.
4. As linhas no gráfico devem refletir a importância do parâmetro,
o mais importante deve ser numerado.
5. As etiquetas do eixo devem ser colocadas na parte inferior e esquerda.
6. Os pontos em linhas diferentes são geralmente denotados por círculos, quadrados
ratos e triângulos.
Se for necessário no mesmo gráfico apresentar a magnitude do
lançando dados, então eles devem ser descritos como verticais
kov para que o ponto que denota a média esteja no segmento
(de acordo com o índice de assimetria).
Os tipos de gráficos são perfis de diagnóstico que
caracterizar a gravidade média dos indicadores medidos
de um grupo ou de um indivíduo específico.
A forma mais importante de apresentar resultados científicos
trabalho - valores numéricos da quantidade: 1) indicadores da central
tendências (média, moda, mediana); 2) absoluto e relativo
quaisquer frequências; 3) indicadores de dispersão (desvio padrão,
variância, spread percentual); 4) os valores dos critérios utilizados
usado ao comparar os resultados de grupos diferentes; 5) probabilidades
coeficientes de relação linear e não linear de variáveis, etc., etc.
A visão padrão das tabelas para apresentar os resultados primários
tov: por linhas - assuntos, por colunas - valores medidos
parâmetros. Resultados da estatística matemática
botas também são tabuladas.
Pacotes de computador de estatísticas existentes
bots de dados permitem que você escolha qualquer forma padrão de tab-
pessoas pela sua apresentação numa publicação científica.
O resultado do processamento dos dados do experimento "exato" é um
descrição lítica das dependências obtidas entre independentes
e variáveis ​dependentes. Se até recentemente em psicologia
lógicas para descrever os resultados foram usadas predominantemente
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 180/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

mas funções elementares, hoje os pesquisadores trabalham praticamente


com todo o aparato da matemática moderna. Entre os simples
211

Página 212

expressões analíticas que descrevem empiricamente


as dependências resultantes incluem, por exemplo, psicofísica
cavalos "G. Fechner ou S. Stevens. Leis ganharam destaque
W. Hick e R. Haymet, que determinam a dependência do tempo
nenhuma reação de escolha do número de alternativas:
t = k log ( n + 1) e t = a + b log n ,

onde t é o tempo de reação da escolha; n é o número de incentivos; e , em , e k - kons-


tants.
As descrições analíticas, via de regra, não são um resumo final.
um, mas uma série de estudos realizados por diferentes autores. Por-
portanto, eles raramente são o fim de uma experiência separada
trabalho barulhento.
O tipo específico de dependência funcional atua como
o conteúdo da hipótese, que é testado em um ex-crítico
perímetro.
Portanto, a apresentação de informações científicas deve determinar-
usando o seguinte algoritmo:

Texto Espacial Analítico


(palavras, números, imagem Descrição
símbolos) (gráfico, diagrama, (fórmulas,
desenhando) programas, etc.)

Aula 20. Requisitos para a apresentação do relatório


sobre o estudo
(por exemplo, graduação
trabalho de qualificação)

Recomendações para a elaboração de trabalhos de conclusão de curso e de graduação para


muito escrito, há muito por onde escolher. Isto é o que nós fizemos,
novo no ótimo, do nosso ponto de vista, opção, pré-
colocado no livro editado por S.D.Smirnov e T.V. Kornilo-
uivo [Psicologia experimental, 2002, 358-374 ].
212

Página 213
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 181/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Estrutura de trabalho

O trabalho de graduação é um trabalho de várias páginas escrito


relatório de texto pessoal, incluindo a formulação de um problema científico
(teórica ou aplicada), fundamentação da ideia principal,
o potencial de pesquisa e os resultados do trabalho educacional como qualificações
pesquisa psicológica bem fundamentada.
Como todo relatório, o trabalho final possui uma estrutura padronizada
tour, ou seja, inclui várias partes inter-relacionadas do texto:
1. Página de título.
2. Índice.
3. Introdução.
4. Seção teórica (capítulos de visão geral terminando com op-
identificação de problemas e hipóteses de pesquisa).
5. Seção empírica.
6. Conclusão.
7. Lista da literatura usada.
8. Aplicativos (se houver).
Entre os requisitos gerais para o design de acadêmicos
textos que você precisa saber o seguinte.
Ao usar um editor de Word de computador, o texto impresso é
derrete com espaçamento de linha e meio, tamanho da fonte 14.
Em uma página de 1.800 caracteres, incluindo espaços e sinais de pontuação,
ou seja, aproximadamente 29-30 linhas. O tamanho da margem direita é 30 mm, da margem esquerda -
10 mm, superior e inferior - 20 mm cada.
Os títulos são impressos no meio de uma linha sem um ponto final no final.
Todas as páginas do texto devem ter numeração contínua em árabe
em numerais, geralmente no topo da página (centralizado ou
na direita).
É desejável que o volume de trabalho de graduação não ultrapasse
70 páginas de texto principal (sem anexos). Mínimo
volume - 40 páginas.
Antes da transferência do trabalho (suas partes) para o supervisor para o
estágios intermediários ou na versão final, o texto deve
ser editado, ou seja , livre de erros de digitação, gramaticais,
erros ortográficos e estilísticos. Não deve haver nenhum re-
atribuir as funções de revisor a um supervisor científico!
213

Página 214

Deve haver espaço suficiente na página para o necessário


alterações, comentários e sugestões feitas pela liderança científica
doador.

Folha de rosto. Este é o cartão de visita do trabalho que você-


cumpre a tarefa de identificá-lo e criar uma primeira impressão com o Estado
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 182/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras
comissão de certificação de doações. Deve conter o seguinte
a informação a seguir:
- o nome do ministério, instituição educacional, corpo docente e
departamentos;
- título completo do trabalho;
- sobrenome, nome, patronímico do autor, indicando curso e forma
Aprendendo;
- sobrenome e iniciais do supervisor, seu cientista
grau (título);
- local e ano de redação do trabalho.
O título da tese deve atender a uma série de requisitos
niy. Em primeiro lugar, deve coincidir com o aprovado no início.
tema do ano escolar. Em segundo lugar, o tópico em si também deve ser moldado
Mulled profissionalmente competente. Isso significa que em nosso
o título deve ser representado tanto pelo objeto de pesquisa quanto
seu assunto. O mesmo texto, se possível, deve refletir
colha seu problema e consiste em não mais do que 7-9 palavras.
Exemplos de um tópico formulado incorretamente: “Social
análise psicológica de um grupo de alunos "," Estudo de alguns
características específicas de pessoal e empresarial profissionalmente importantes
valores dos gestores anti-crise "," Pesquisa sobre o papel dos
pesquisa das relações pais-filhos na ocorrência de doenças
(diabetes mellitus, doenças cardiovasculares, etc.) ”. Pra-
tópicos bem formulados: "Dinâmica de desenvolvimento do aluno
qual grupo como sujeito de autopercepção "," Estudo de profissionais
qualidades finalmente importantes dos gestores anti-crise "," Violação
desenvolvimento das relações pais-filhos como um fator no surgimento
doenças psicossomáticas ".

Índice. Os títulos das seções no texto e no índice devem


nós para combinarmos uns com os outros.
214

Página 215

Introdução. Reflete as principais características do trabalho: ensaio-


lem de pesquisa; sua relevância, novidade científica e prática
significado físico; objeto e sujeito da pesquisa, sua finalidade, tarefa
chi e hipótese; métodos usados. Geralmente inclui geral
resultados ou conclusões. O texto geral da introdução não deve pré-
para bordar 2 páginas.

Problema de pesquisa. Formulação de problemas de pesquisa


orienta seu planejamento e explica para que serve a pesquisa
geralmente realizada. O problema é a realização de algum tipo de oposição
discurso (por exemplo, entre as condições disponíveis do sistema analisado
mensalidade e os requisitos que lhe são impostos, entre vários
pontos de vista sobre o fenômeno ou processo em estudo, por fim,

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 183/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

pode ser uma contradição dialética na própria natureza do fenômeno


ou objeto).
Um exemplo de formulação incorreta de um problema de pesquisa:
“Assim, podemos afirmar uma contradição entre nossos
a necessidade essencial de resolver as questões colocadas e seus
o mais desenvolvido na literatura. " Redação correta:
“Assim, podemos afirmar uma contradição entre as
dados empíricos na literatura confirmando
mi pontos de vista alternativos, nomeadamente ... ".

Relevância. Respondendo à pergunta de por que exatamente isso


hora em que este estudo é necessário, assim você o ilumina
relevância. A relevância pode ser teórica , ou seja,
o problema está na vanguarda da ciência, desenvolvendo
é encontrado por cientistas modernos, etc., ou prático, isto é, você
decorrente dos pedidos urgentes de prática nessa área de
vida onde você faz sua pesquisa aplicada.
Os principais aspectos da relevância da pesquisa psicológica são
pode ser:
- a necessidade de complementar as construções teóricas,
atribuível ao fenômeno em estudo;
- a necessidade de um psicodiagnóstico mais eficaz e
métodos de pesquisa capazes de fornecer novos
dados fora;
215

Página 216

- a necessidade de novos fatos que se expandam


teoria e âmbito de sua aplicação;
- a necessidade de desenvolvimento de métodos (tecnologias) que contenham mais
oportunidades mais amplas (a eficácia do psicológico
ação, aprendizagem, treinamento, reabilitação, etc.);
- a necessidade de desenvolvimento de recomendações psicológicas
ou na resolução de problemas práticos através do uso de psi
conhecimento psicológico.
Tudo o que é realizado no estudo pela primeira vez caracteriza
chama isso de novidade. Novidade científica da pesquisa fundamental
niya significa uma contribuição para a ciência, abrindo novas pesquisas
perspectivas.
O significado prático como o fundamental, e pri-
valiosas pesquisas estão associadas a benefícios específicos e tangíveis
a ajuda que seus resultados podem trazer, ajudar alguém em seu
atividades práticas. Isso geralmente é também um dos pontos que você-
águas. Exemplos de suas formulações:
a lex das técnicas de psicodiagnóstico pode ser usada quando
o estudo das características de autodeterminação pessoal de pessoas de mais idade
logotipo da idade "; “O programa de psicocorreção desenvolvido pode
ser útil no trabalho de um psicólogo escolar na resolução de problemas
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 184/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

desajustamento escolar ".


O objeto de pesquisa é um fragmento, parte da realidade, sobre o qual
Para o qual a pesquisa científica é direcionada. Em pesquisa psicológica
o objeto pode ser indivíduos como portadores da psique (grupo
ny pessoas) ou os próprios fenômenos mentais. O erro mais comum
Ki na definição do objeto de pesquisa estão associados à representação
como tal, assuntos específicos (e este é um empírico
a base de pesquisa que você descreve no capítulo empírico) ou
um certo processo, uma conexão entre fenômenos, as características de um
mais fenômenos (e isso pode muito bem se tornar o assunto de seu trabalho).
Um exemplo de redação incorreta: “Como um objeto,
O estudo foi realizado por alunos do grupo médio de crianças
jardim do céu número 12 em Yekaterinburg "," O objeto de nossa pesquisa
houve uma influência da música rock no nível de desenvolvimento intelectual
juventude estudantil ". Redação correta: “Como
216

Página 217

objeto de nosso estudo, consideramos os filhos de um


idade pré-escolar (de 5 a 7 anos) "," O objeto de pesquisa -
subcultura juvenil ".
Deve-se ter em mente que o objeto e assunto da pesquisa é
também são divididos por seu tipo - fundamental ou aplicado.
Vamos relembrar suas diferenças. No sistema de conhecimento científico moderno
existem vários tipos principais de pesquisa. Uma das aulas
classificações é construído com base em um critério como a conexão de
pesquisa dachas com solicitações de prática imediata. Nomes
mas de acordo com este critério, todas as pesquisas podem ser divididas em fundamentais
mental e aplicado.
Em sua forma mais geral, a diferença entre eles se resume ao fato
que a pesquisa básica está claramente focada em
divulgação das leis de desenvolvimento do tema estudado, enquanto
aplicada - sobre maneiras de aplicar o conhecimento sobre essas leis para
prática.
Pesquisa aplicada em vários campos da ciência
fornecem uma série de características comuns.
O objetivo de toda pesquisa aplicada é o direto
solução de um problema prático, implementação mais ou menos rápida
o desenvolvimento dos resultados deste estudo para melhorar a qualidade
alguns aspectos da atividade material ou espiritual da generalidade
Estado.

Assunto de pesquisa - um lado ou aspecto de um objeto que


diretamente estudado, "destacado" no objeto, via de regra
através do prisma do problema. Relação entre problema, objeto
e o assunto da pesquisa científica pode ser claramente representado
Da seguinte maneira:

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 185/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Um objeto

Item
Problema

Arroz. 23. Correlação dos conceitos "problema", "objeto", "sujeito"


(de acordo com V.A.Yadov)
217

Página 218

Lembre-se de que o assunto do conhecimento não pode ser isolado e descrito.


colocado fora do quadro de qualquer ciência ou complexo de ciências, independentemente de
especificamente para o tema do conhecimento. Para todas as ciências em todas as disciplinas
estudo (científico geral, interdisciplinar, especial) é
próprio aspecto privado de consideração. Pode ser de diferentes maneiras
formulado em pesquisas teóricas, empíricas e aplicadas
Segue.
Como sujeito de pesquisa psicológica, pode
falar qualquer aspecto da realidade psicológica: psico-
propriedades físicas, estados, processos, funções, tipos de comportamento
e comunicação, espacial, temporal e intensidade
características de fenômenos individuais, influência mútua entre eles,
a relação entre fenômenos mentais e fisiológicos-
mi, etc.
O propósito e objetivos do estudo . O objetivo do estudo é o esperado
o resultado do seu trabalho, o que lhe permitirá resolver o indicado
problema. Os possíveis objetivos da pesquisa psicológica são
pode ser:
- determinação das características do fenômeno estudado. Fundador
Para definir tal objetivo, pode ser encontrado na literatura
uma revisão da incompletude da descrição de um fenômeno mental ou
inconsistências entre os dados empíricos de diferentes autores. Incompleto
a nota da descrição pode ser revelada e ao tentar fazer um preço
uma imagem plana do fenômeno, com base na metodologia escolhida.
Você deve pensar sobre quais características você será
estude. É importante que este conjunto não seja aleatório, ele diz respeito
a um ou mais aspectos do fenômeno em estudo. Desejar-
também vale a pena indicar a importância de estudá-lo - teoricamente
técnico, metodológico, prático;
- identificação da relação dos fenômenos mentais. Deve ser sub-
ressaltam que estabelecer o próprio fato da existência de uma conexão não é
suficiente, uma vez que a disposição sobre a unidade da psique foi há muito aceita
em seguida, em psicologia e não precisa de provas adicionais.
O estudo dos relacionamentos envolve a determinação de suas características.
ness: aperto, foco, estabilidade, estrutura geral
ry, etc.;
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 186/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

218

Página 219

- estudo da dinâmica etária do fenômeno. Pesquisa profissional


processos de crescimento, maturação e desenvolvimento, variabilidade relacionada à idade de psi
hiki sempre foi de grande importância teórica e prática.
nie. Conduzindo Pesquisa Orientada a Variáveis
"Idade" é específica e envolve o uso de
o desenvolvimento de dois métodos principais - "transversal" relacionado à idade ou "
cortes fracionários;
- uma descrição de um novo fenômeno , efeito. Na maioria das vezes, uma nova fada
nomen é descoberto no curso de pesquisas empíricas em andamento
testes, testes de hipóteses. Pode ser consertado porque
era esperado e pode ser notado por um atencioso e atencioso
um pesquisador ao resolver outros problemas. Objetivos de pesquisa
ao atingir este tipo de objetivo, pode haver identificação de fatores
determinar a presença ou ausência do efeito, determinar a força
sua manifestação, as condições de existência do efeito, a variedade de
fenômenos, sua estabilidade, explicação teórica do fenômeno;
- a descoberta de uma nova (diferente) natureza do fenômeno. investigador
descreve uma classe de fenômenos que serão objeto de
assistindo. Então ele nota a inconsistência, a falta de explicação
compreender a essência dos fenômenos desta classe, introduz novos termos,
ligando-os. O pesquisador novato muitas vezes é guiado por
guarda a ilusão na maneira de criar uma nova explicação. Zabluzh-
Essa negação ocorre nos casos em que o autor reconta
em suas próprias palavras já publicadas, embora não usando
termos, mas apenas novos sinônimos ou mudança de ênfase em
fenômenos que foram previamente atribuídos a um ordinário, subordinado
posição;
- criação de uma classificação , tipologia. Desenvolvimento de uma classificação
cátion pressupõe, em primeiro lugar, a busca e justificativa dos critérios
classificação, delineando a área de fenômenos abrangidos pela classe
classificação, que, por sua vez, deve estar claramente relacionada
com uma certa teoria;
- criação de uma técnica psicológica. A necessidade de desenvolver
o desenvolvimento de uma nova técnica pode ser devido a muitas razões -
mi. O indiscutível valor científico ou aplicado deste trabalho
o bot pode ter que justificar a própria possibilidade de medir
parâmetros do fenômeno estudado, aumentando a precisão e confiabilidade
219

Página 220

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 187/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

medições, encurtando o tempo de exame, etc.


no entanto, a metodologia criada só pode ser aplicada para uso generalizado.
no caso, com raras exceções, se todos estes
py seu teste. Via de regra, isso também se aplica à tarefa de adaptação
ção de técnicas estrangeiras, para as quais um complexo de psicometria
escrutínio, e não apenas uma tradução para o russo de estímulos
material nocional e textos de interpretação;
- prova da eficácia do psicocor desenvolvido
metodologia de correção. Tal objetivo é alcançável apenas em experimentos
procedimento usando um grupo de controle e
conformidade com outros requisitos para a validade das conclusões do
resultados. É necessário, no mínimo, provar que os nomes
mas esta intervenção corretiva é um fator na
capturando mudanças esperadas, e que estas alterações entram em vigor
refletem uma melhoria em uma área particular do mental
processos kih.
A organização alvo de qualquer atividade, incluindo científica
pesquisa, envolve o desenvolvimento de uma certa sequência
sequência de ações - etapas para atingir o objetivo definido,
ou seja , tarefas , cada uma das quais tem seu próprio propósito, ou
“Subobjetivo”, em relação ao objetivo geral do estudo.
Entre as tarefas de investigação deve ser como aqueles que fornecem
imprimir descobrindo novos fatos, e aqueles que ajudarão a incluir
inseri-los no sistema de conhecimento psicológico disponível.
Um erro comum do aluno surge de
incapacidade de distinguir entre tarefas de pesquisa e estágios de sua organização
ção Claro, eles estão interligados, mas, formulando as tarefas da pesquisa
ção, você não precisa descrever suas ações (análise da literatura, coleção
dados empíricos, sua análise, formulação de conclusões, etc.),
e divulgar por que você está realizando cada uma dessas ações
e como isso contribui para o objetivo geral do estudo.
Uma hipótese de pesquisa não é apenas uma suposição, mas também uma lógica
ki suposição razoável do pesquisador sobre a presença, ausência
estado ou tipo de conexão entre os fenômenos estudados, sobre a natureza
essa conexão, sobre as leis da dinâmica do fenômeno (como o
processo?) , etc.
220

Página 221

Uma breve fundamentação da hipótese é apresentada na introdução, e


detalhado - na descrição do problema e do programa de pesquisa, que
toraya deve seguir logicamente a partir do teórico
análise do problema.
Para construir uma "boa" hipótese científica , que mozh-
mas para verificar empiricamente, deve-se lembrar que a hipótese:
- não deve conter conceitos que são empiricamente impossíveis
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 188/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras
Eles podem ser concretizados, ou seja, "operacionalizados";
- não deve conter julgamentos de valor;
- não deve incluir muitas restrições e
premissas;
- deve ser verificável.
Um exemplo de formulação incorreta: “A hipótese de nosso
a seguir foi que uma influência positiva sobre
o treinamento em habilidades construtivas de resolução de conflitos será
conviver com a compreensão empática de um parceiro. " A fórmula correta é
análise: “A hipótese do estudo era
a ideia da presença de uma conexão entre o nível de desenvolvimento da empatia de um indivíduo
e sua estratégia de comportamento escolhida no conflito, ou seja, como
quanto mais alto o nível de empatia, mais frequentemente a estratégia de cooperação é escolhida.
honra ".

Métodos de pesquisa. Todos os métodos de pesquisa podem


mas dividido em métodos de coleta de informações empíricas (observado
negação, levantamento, análise dos produtos da atividade humana, incluindo
número de documentos, experimento, etc.) e teórico
dy. Os métodos devem ser diferenciados desses dois grupos de métodos científicos .
processamento de dados (qualitativo e quantitativo,
Entre estes últimos são métodos especiais de estatística matemática
tiques).
Uma escolha razoável de métodos é baseada principalmente em
compreensão das especificidades do objeto e sujeito da pesquisa, e agora
técnicas e técnicas específicas (em psicologia, são frequentemente chamadas
"Métodos") são determinados pelas tarefas e condições-
realizando pesquisas. Justificativa da escolha dos métodos de uso
os seguintes são fornecidos no programa de pesquisa.

221

Página 222

Seção teórica. Normas existentes de atividade científica


indivíduos presumem que antes de declarar seu desejo
para fazer uma contribuição à ciência, o autor deve demonstrar conhecimento
o que era conhecido antes dele. A maneira mais direta
demonstrações - uma visão geral completa da literatura em um assunto selecionado
campo da "própria" ciência, bem como em áreas afins de outras
ciências. Esta tarefa complexa e séria é impossível.
sem a capacidade de navegar no vasto mar da ciência moderna
informação, sem capacidade de trabalhar com literatura científica. NS-
Um ótimo guia para esses propósitos pode ser o livro de Yu. Echo
"Trabalhos escritos em universidades" [1997, 23-50 ].
Materiais literários coletados podem ser compilados
nós na ordem cronológica - descrição das etapas de estudos
o problema por autores nacionais e estrangeiros. mas
construção lógica é preferido. Em seguida, a estrutura do texto

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 189/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras
talvez algo assim [Kulikov, 2001, 11 ]:
1. Descrição fenomenológica do objeto de estudo: área
manifestações, sua frequência, parâmetros G de tempo ou sinais de
intensidade e outras características de qualidade.
2. O lugar do fenômeno em estudo entre outros, ou seja, sua interligação
zi e influências mútuas, bem como os fatores que as determinam.
3. Consideração com base no sub-método metodológico selecionado
mover. Estrutura destacada do fenômeno.
4. Essência, natureza do fenômeno. Disponível na literatura, existem
divisão desse fenômeno, diversidade em sua compreensão.
5. Regularidades a que o fenômeno está sujeito.
6. Uso Aplicada do fenómeno (propriedades ou funções).
As questões estudou-pouco que você descobriu no curso dessa análise
orvalho, inconsistência de visões teóricas de vários
autores, contradições nos dados empíricos disponíveis, etc.
criar os pré-requisitos para a formulação de um problema científico e
para justificar os objetivos da pesquisa empírica.
Regras de citação:
1. O texto da citação está entre aspas e é fornecido nessa gramática
forma matemática, na qual é dada na fonte, com preservação de especial
curvas da escrita do autor. Indicação obrigatória de números de país
prostrar-se na fonte.
222

Página 223

2. A citação deve ser completa, sem co-


encurtando o fragmento citado e sem distorcer o significado. Pró-
o início de palavras secundárias é indicado por uma elipse. Se você for,
levando uma citação, destaque algumas palavras que são importantes para o seu
texto, então após a seleção você informa entre colchetes sobre este inter-
ferência: (itálico meu -. I. E. ) (grifo meu -. K. L. )
(nossa détente - M.E. , E.G. ). As iniciais significam o primeiro
a primeira letra do seu nome e a primeira letra do seu sobrenome.
3. O número ideal de citações no texto não é mais do que duas por
página.
Cada citação deve ser acompanhada por um link para a fonte,
a descrição bibliográfica dos quais é dada em termos
com os requisitos das normas bibliográficas. Em moderno
literatura científica usa três opções:
- índice bibliográfico no final do trabalho (lista de literatura
ratury) é elaborado como uma lista numerada de fontes em alfa-
os nomes dos autores. Após a citação no texto na praça
colchetes indicam o número da fonte citada neste
lista e separados por ponto e vírgula - número da página. Por exemplo:
[quatorze; 236];
- a lista de referências é compilada de acordo com a mesma ordem alfabética
princípio, mas não numerado. Também inclui os nomes da coleção
kov, de preferência com indicação sob cuja edição a publicação foi publicada.
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 190/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Após a citação, o sobrenome é indicado no texto entre parênteses


autor, ano de publicação da obra citada e número da página. Por exemplo
mer: (Karvasarsky, 1978, p. 175). Quando na sua lista
as obras de diferentes autores com os mesmos sobrenomes são dadas,
há sobrenome com iniciais: (Freud 3., 1921, p. 18). Se em um
No mesmo ano, várias obras do mesmo autor foram publicadas, a seguir marcam-
em letras minúsculas: 2001, 2001a, na ordem em que aparecem em alfa-
lista torcida;
- na parte inferior da página há uma nota de rodapé indicando o bib completo
dados liográficos da fonte literária e da página.
A última opção é usada principalmente na população científica
Publicações Lyar. Para a tese, um dos seguintes é preferível
as duas primeiras opções, mas as mesmas em todo
texto.
223

Página 224

Seção empírica. É um relatório de progresso


trabalhar na recolha e análise de dados empíricos. Estrutura
Este capítulo pode conter quatro parágrafos (pelo menos):
1. O programa de pesquisa empírica.
2. Resultados.
3. Discussão dos resultados.
4. Conclusões.

Programa de Pesquisa Empírica. O programa especifica


o propósito e os objetivos do estudo estão sendo determinados, a "tradução" do
conceitos teóricos em que o problema é indicado, de forma específica
variáveis ​de pesquisa. Este processo é frequentemente referido como
operacionalização. Inclui a justificativa para a metodologia.
A escolha da base de pesquisa (local e condições
pesquisa, contingente e número de sujeitos, seus co-
características sociais e psicológicas, a presença de experimentais
grupo e grupos de controle, etc.). A conexão entre o método
métodos e técnicas (como "técnico" de recolha de dados empíricos).
As etapas e procedimentos do estudo são descritos em detalhes .
Todas as circunstâncias são mencionadas que podem, presumivelmente, levar a
influenciar os dados recebidos. Isso é necessário para
com base na sua descrição, qualquer um poderia exatamente
repeti-lo e, portanto, obter os mesmos resultados.
Os métodos de processamento dos dados primários são indicados . Quantidade
processamento natural de dados implica justificativa na escolha do material
estatísticas temáticas.
Tabelas grandes e complexas e tabelas intermediárias
dados de cálculo precisos, é melhor colocar em aplicativos.
Resultados e sua discussão. Discussão dos dados recebidos
comece com sua descrição. A descrição deve ser extremamente
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 191/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

estrito, ou seja, contém apenas fatos com sua qualidade


(sim - não) ou quantitativo (quanto, com que frequência, etc.)
theristics. A forma mais conveniente de apresentação são as tabelas ,
cada um deles deve ter seu próprio número e nome. Privado
dados, bem como cálculos intermediários são fornecidos no apêndice
EU. Além disso, eles contêm amostras de ferramentas metodológicas
224

Página 225

mentarium (questionários, protocolos de pesquisa), ilustrando


materiais criativos, etc.
Além da apresentação tabular de dados quantitativos
Você também pode usar: a) diagramas ; b) gráficos para
representação da natureza da relação funcional entre o
ranks (variáveis); c) Plêiades de correlação para mapeamento
correlações entre os parâmetros selecionados, etc.
Legendas para todas as inserções não textuais (figuras, gráficos,
diagramas, etc.) são colocados abaixo, ou seja, sob eles, e não contêm
apenas o nome, mas também as explicações necessárias, por exemplo, descriptografado
legendas.
A seção "Resultados" contém todas as opções de análise até
sua interpretação teórica, a análise real é dada
dados recebidos. A discussão dos resultados deve divulgar
a importância dos fatos obtidos do ponto de vista da teoria. Sua
pensando sobre o que as descobertas podem significar
para resolver o problema apresentado, agora inclua
conceitos e categorias, bem como uma comparação das leis identificadas
dimensões com as abordagens dadas apresentadas na literatura.
Conclusões. As conclusões são a parte mais importante do trabalho.
Eles resumem sua pesquisa empírica mostrando
sabendo o quanto você é capaz de generalizar os resultados obtidos,
baseiam suas generalizações a partir do ponto de vista da con- teórico escolhido
conceitos, vincule-os a resultados semelhantes existentes -
por outros pesquisadores. O número total de conclusões não deve exceder
agite 5-7. Devem, em primeiro lugar, corresponder ao
tarefas e, em segundo lugar, refletem os resultados da auditoria inicialmente
hipóteses expressas.
No caso da natureza aplicada da pesquisa, as conclusões são adicionais
são recomendações práticas , elas devem ser abordadas
nym (ou seja, destinado a especialistas específicos em um ou
outra área de prática pública).

Conclusão. A conclusão deve conter uma avaliação geral do re-


os resultados do trabalho realizado, seus teóricos e empíricos
partes. Pelo seu conteúdo, a conclusão é geralmente "simétrica"
introdução, ou seja, nela o autor mais uma vez, por assim dizer, lembra o significado e
225

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 192/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Página 226

o conteúdo do trabalho executado , determina o seu lugar entre outros


suas áreas de pesquisa psicológica e psicológica
alguma prática. Ele descreve as formas e objetivos de pesquisas futuras
dovany e destacar as melhores práticas.

Lista da literatura utilizada. Ao fazer uma lista


a literatura utilizada deve estar de acordo com a bibliografia
padrões físicos de descrição (ver exemplos abaixo).
Em qualquer caso (lista numerada ou não), fontes de distribuição
contam com os nomes dos autores em ordem alfabética e se eles
ausência - pelo título do livro. Sobrenomes e iniciais dos editores
as coleções científicas são separadas do título por uma única barra.
Se um artigo é fornecido de um periódico ou coleção, o título do periódico
nala (coleção) é dada após duas barras.
Os trabalhos publicados em russo são listados primeiro.
língua, então - em línguas estrangeiras. Referências em você-
o trabalho inicial geralmente inclui pelo menos 25 títulos.
Além das publicações impressas, a lista de referências pode incluir
incluídos e manuscritos, incluindo diploma e dissertação
trabalhar. Todas as fontes incluídas na lista de referências devem
sermos links no texto.
As descrições bibliográficas devem ser fornecidas em tais
sequências:
1. Livro em nome do autor.
2. Reserve sob o título.
3. Um artigo da revista.
4. Um artigo da coleção.
5. Uma peça da coleção.
6. Resumo da tese.
Exemplos:
1. Leontiev A. N. Atividade. Consciência. Personalidade. M.: Po-
litizdat, 1975,304 p.
2. Mecanismos psicológicos de formação de metas / ed.
O. K. Tikhomirova. Moscou: Nauka, 1997.S. 231, 372.
3. Kornilova T. V. Sobre o problema da reestruturação básica
cursos de psicologia (por exemplo, "Introdução ao psicológico
experimento ") // Psychol. zhurn. 2000. T. 21, No. 1. P. 6–12.
226

Página 227

4. Festinger L. Introdução à teoria da dissonância // Moderna


https://translate.googleusercontent.com/translate_f 193/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

psicologia social estrangeira: textos. M., 1984.S. 97-110.


5. Vygotsky LS O problema da idade // Coleções. cit.: em 6 volumes, M.,
1984. T. 4: Psicologia infantil. S. 248-265.
6. Gozman L. Ya. Premissas teóricas e métodos empíricos
Pesquisa Istheskogo de atração interpessoal: autor. dis. ...
Cand. psicol. ciências. L., 1983,21 p.

Formulários. Nos aplicativos, os dados de origem são colocados,


mesas volumosas, amostras de produtos da atividade sendo testada
mykh, textos de questionários, questionários, etc. - informações, tendo quais,
qualquer um seria capaz de repetir o estudo ou algum
parte dela, reproduzem os cálculos.

O que mais é bom saber?


É útil lembrar que o trabalho final é avaliado
A Comissão de Atestado Estadual (SAC) no curso de sua defesa
você (Requisitos para a preparação de trabalho de pós-graduação ...,
1975).
"10.1. O trabalho de graduação concluído é assinado pelo aluno
o volume é apresentado à cabeça. Após revisão e aprovação
do trabalho final, o chefe assina e, junto com
submete sua opinião por escrito ao chefe do departamento.
A revisão deve fornecer uma descrição detalhada do trabalho realizado.
trabalho do aluno barulhento. O chefe do departamento na base destes
materiais decidem a questão de admitir um aluno para proteção, tornando
esta é a entrada correspondente no trabalho final. Quando
se o chefe do departamento não considerar possível admitir o aluno
a defesa do trabalho de graduação, esta questão está sendo considerada
em reunião do departamento com a participação do chefe.
10,2. Os trabalhos de qualificação para graduação são enviados
para revisão. O revisor faz uma análise detalhada do trabalho de graduação
e recomenda uma avaliação adequada. Reitor da Faculdade
com uma revisão do chefe do departamento de graduação e um aluno, você
completou o trabalho final e dirige o trabalho final com re-
censo na Comissão Estadual de Atestado de proteção.
227

Página 228

10.3. A defesa dos trabalhos finais de qualificação é realizada


em reuniões abertas do comitê de exame (ou seja, neles
todos podem estar presentes). Para o conteúdo da mensagem
do trabalho final, o aluno tem no máximo 20 minutos (prático
tecnicamente - não mais do que 10 minutos). A decisão (na avaliação) do SJSC é feita
em reunião fechada por maioria simples de votos, que
entraram no protocolo ”.
Agora, vamos examinar mais de perto o procedimento de proteção em si . Oche-
a raridade da proteção das obras de formatura é determinada na véspera do encontro
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 194/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras
SJSC da Dinamarca, também verifica a presença de todos os documentos necessários
policiais: o texto correto da tese, revisão
consultor científico, revisão. Depois de dar a palavra stu-
dent faz um relatório oral sobre o conteúdo de seu trabalho. Altamente
uma impressão favorável nos membros da comissão é feita por um trovão
kai, discurso claro e conciso, uso de demonstrações visuais
onny materiais.
A comunicação verbal deve refletir o sentido da obra, uma vez que
é isso, bem como respostas a perguntas de membros da comissão ou outros
participando da reunião serão avaliados no primeiro
primeiro turno. Idealmente, o conteúdo do discurso inclui
"Introdução" do texto escrito, os principais resultados do teórico
revisão, características da base de pesquisa, seu procedimento, principais
resultados e conclusões.
Após a apresentação oral do aluno, o presidente da comissão
convida os presentes a fazerem perguntas.
A resposta deve ser clara, concisa e digna. A resposta é
atenha-se apenas à essência do problema, sem entrar em detalhes.
Após responder as questões, passa-se a palavra ao chefe
qualquer trabalho de graduação, que caracterize a aluna, e não ela mesma
trabalhar.
O cabeçalho é seguido por um revisor caracterizando o
caneta já o próprio trabalho, expressa seus comentários (obrigatório
de acordo com o procedimento) e recomenda colocar uma nota ou outra. Próximo
Você deve considerar cuidadosamente as respostas aos comentários do revisor.
Em seguida, o aluno tem a palavra para responder aos comentários.
revisor. Aqui, as recomendações são as mesmas de respostas
às perguntas.
228

Página 229

O presidente convida aqueles que desejam expressar sua opinião


sobre a obra protegida.
O aluno recebe um discurso de encerramento. Isso geralmente é
palavras de agradecimento a todas as pessoas que o ajudaram durante
trabalho de formatura
Isso completa o procedimento de proteção. Depois de fazer re-
avaliações (e qualificações), a comissão em conjunto
em seu retorno às instalações, alunos e outros
uivando.

Bohr N. Física Atômica e Cognição Humana. M., 1961.


Descrições do sistema Ganzen VA em psicologia. L., 1984.
Godefroy J. What is psychology: in 2 volumes. M., 1992.Vol. 2.
Gottsdanker R. Fundações de um experimento psicológico. M., 1982.
Goodwin D. Pesquisa em Psicologia: Métodos e Planejamento. SPb.,
2004.
Druzhinin V.N. Experimental psychology. SPb., 2000.
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 195/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras
Kornilova T.V. Experimental psicologia: Teoria e métodos.
M., 2003.
Kulikov L.V. Pesquisa psicológica: método. recomendações
conduzir. SPb., 2001.
Modelos experimentais de Campbell D. em psicologia social e
valiosa pesquisa. M., 1980.
Leahy T. História da psicologia moderna. SPb., 2003.
Martin D. Experimentos psicológicos. Segredos de mecanismos
psique. SPb., 2002.
Métodos de pesquisa em psicologia: quasi-experimento / ed.
T.V. Kornilova. M., 1998.
Nikandrov V.V. Psychology. M., 2008.
Seligman M. Como aprender a otimismo: Conselhos para todos os dias. M.,
1997.
Selye G. Do sonho à descoberta: como se tornar um cientista. M., 1987.
Sidorenko E.V. Métodos de processamento matemático em psicologia.
SPb., 2000.
Solso R. , Johnson H. , Bill M. Experimental Psychology: Prático
curso de tique. SPb., 2001.
Requisitos para a preparação do trabalho final. 1975.
Psicologia experimental: workshop / ed. S. D. Smir
nova, T.V. Kornilova. M., 2002.
Echo Yu . Trabalho escrito em universidades. M., 1997.
229

Página 230

LISTA DE LITERATURA RECOMENDADA

O principal
Gottsdanker R. Fundamentos de experimento psicológico / R. Gotts-
dunker. M., 1982.
Goodwin D. Pesquisa em Psicologia: Métodos e Planejamento /
D. Goodwin. SPb., 2004.
Druzhinin V.N. Experimental psychology / V.N.Druzhinin.
SPb., 2000.
Kornilova T.V. Psicologia Experimental: Teoria e métodos /
T.V. Kornilova. M., 2003.
Kulikov L.V. Pesquisa psicológica: método. recomendações
na condução / L. V. Kulikov. SPb., 2001.
Martin D. Experimentos psicológicos. Segredos de mecanismos
psique / D. Martin. SPb., 2002.
Nikandrov V.V. Experimental psychology / V.V. Nikandrov.
SPb., 2007.
Solso R. Psicologia Experimental / R. Solso, M. Kimberly.
SPb., 2006.
Khudyakov A.I. Psicologia Experimental / A.I. Khudyakov. SPb.,
2008
Adicional

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 196/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Adler Yu. P. Planeamento um experimento / Yu. P. Adler. M., 1978.


Allakhverdov V.M. Consciousness as a paradox / V.M. Allakhverdov. SPb.,
2000.
Anan'ev B.G. Sobre os problemas das ciências naturais modernas / B.G. Anan-
e. M., 2001.
Anastazi A. Teste psicológico / A. Anastazi. M., 1982.
Vol. 1.
Bunge M. Causalidade / M. Bunge. M., 1962.
Bykov V.V. Methods of science / V.V.Bykov. M., 1974.
Halperin P. Ya. Psicologia do pensamento e a doutrina de uma forma faseada
formação de ações mentais / P. Ya. Halperin // Pesquisa de rato
preguiça na psicologia soviética. M., 1966.
Ganzen V. A. descrições do sistema em psicologia / V. A. Ganzen. EU.,
1984.
230

Página 231

Glass J. Métodos matemáticos em pedagogia e psicologia / J.


Glass, J. Stanley. M., 1976.
Godefroy J. O que é psicologia / J. Godefroy. M., 1992. T. 1-2.
Fatores genéticos de Grigorenko E.L. que afetam o surgimento
desenvolvimento de formas desviantes de desenvolvimento e transtornos mentais das crianças /
E. L. Grigorenko, D. L. Pauls // Defectology. 1995. No. 3.
Egorova M.S. Genética do comportamento: aspecto psicológico / M.S.
fosso. M., 1995.
Egorova M.S.Fundamentals of the longitudinal method / M.S.Egorova // Prob-
lemes de psicofisiologia diferencial / ed. E. A. Golubeva,
I. V. Ravich-Scherbo. M., 1981.
Zeigarnik B. V. Teoria da personalidade K. Levin / B. V. Zeigarnik. M.,
1981.
Ilyenkov E. V. Dialética do abstrato e do concreto em "Capita
le "K. Marx / E. V. Ilyenkov. M., 1960.
Campbell D. Modelos de experimento em psicologia social e
pesquisa de tesouro / D. Campbell. M., 1980.
Guia de referência de design de teste Kline P. /
P. Kline. Kiev, 1994.
Kopnin P.V. Fundamentos gnoseológicos e lógicos da ciência / P.V.
ning. M., 1974.
Kornilova T.V. Comparação de características pessoais de russo e
Estudantes americanos (de acordo com o questionário A. Edwards) / T. V. Kornilova,
E. L. Grigorenko // Vopr. psicologia. 1995. N ° 5.
Cole M. Cultura e pensamento: psicologia. esboço / M. Cole, S. Scrib-
ner. M., 1977.
Kuhn T. A estrutura das revoluções científicas / T. Kuhn. M., 1983.
Lakatos I. Provas e refutação / I. Lakatos. M., 1967.
Levin K. Conflito entre os modos aristotélico e galileu
bami pensando em psicologia moderna / K. Levin // Psychol. zhurn.
1990. No. 5.
Liders A.G. Formação de processos psicológicos como método
pesquisa em psicologia / A. G. Liders, Yu. I. Frolov. M., 1991.
Liders A. G. Categoria "artificial natural" e o problema
aprendizagem e desenvolvimento / A.G. Leaders // Trabalho científico de L. S. Vygotsko-
ir e psicologia moderna. M., 1981.
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 197/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Método Little T.D. de modelagem usando estruturas lineares


Equações: aplicação no contexto da análise de dados transculturais
nykh / T.D. Little, T.O. Gordeeva // Psychology. zhurn. 1997. No. 4.
Logvinenko A.D. Measurements in Psychology: Mathematical Foundations
você / A. D. Logvinenko. M., 1993.
231

Página 232

Lomov B.F.Problemas metodológicos e teóricos da psicologia


logii / B.F.Lomov. M., 1984.
Meili R. Estrutura de personalidade / R. Meili // Psi experimental
chology / R. Meili; ed. P. Fressa, J. Piaget. Edição 5. M., 1975.
Merton R. O Efeito Matthew na Ciência II: Acúmulo de Benefícios e
simbolismo da propriedade intelectual / R. Merton // TESE. Paz
pessoa. 1993. No. 5.
Metodologia e métodos de psicologia social / ed. E. V. Sho-
rokhovoy. M., 1977.
Métodos de pesquisa em psicologia: quasi-experimento / ed.
T.V. Kornilova. M., 1998.
Nalimov V. V. Teoria do experimento / V. V. Nalimov. M., 1971.
Nikolaeva V.V. Prática especial em patopsicologia / V.V. Nikolae
VA, E. T. Sokolova, A. S. Spivakovskaya. M., 1979.
Noss I.N. Psychodiagnostics. Teste, psicometria, experimento (in-
resumo formativo e metodológico de materiais para exercícios práticos
tiyam sobre psicodiagnóstico e psicologia experimental) / IN Noss.
M., 2000.
Noss I.N. Introdução à prática da pesquisa psicológica /
I.N. Noss, N.V. Vasina. M., 2004.
Do trabalho final ao mestrado: trabalho escrito sobre filosofia
disciplinas / autor-comp. B.V. Emelyanov, A.V. Pertsev. Yekaterinburg, 2001.
Papovyan S.S. Métodos matemáticos em psicologia social /
S. S. Papovyan. M., 1983.
Popper K. Logic e o crescimento do conhecimento científico / K. Popper. M., 1983.
Workshop on psychodiagnostics / ed. V. V. Stolin, A. G. Shme-
deixou. M., 1984.
Métodos de psicodiagnóstico (em um estudo longitudinal abrangente
alunos de ensino). L., 1976.
Diagnóstico psicológico / ed. K.M. Gurevich. M., 1981.
Rogovin M.S. Fundamentos teóricos de psicologia e patópsia-
pesquisa ecológica / M. S. Rogovin, G. V. Zalevsky. Tomsk, 1988.
O papel do meio ambiente e da hereditariedade na formação da individualidade
humano / ed. I. V. Ravich-Scherbo. M., 1988.
Rubinshtein S. L. Fundamentos de Psicologia Geral / S. L. Rubinshtein.
SPb., 1999.
Rubinstein S. Ya. Especificidade do experimental patopsicológico
pesquisa / S. Ya. Rubinstein // Vestn. Universidade Estadual de Moscou. Ser. 14. Psicólogo
gia. 1983. No. 3.
Sidorenko E.V. Métodos de processamento matemático em psicologia /
E. V. Sidorenko. SPb., 2000.
232

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 198/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Página 233

Stevens S. Matemática, medição, psicofísica / S. Stevens // Ex-


psicologia perimental / ed. S. Stevens. M., 1960.Vol. 1.
Suppes P. Fundamentos da teoria das medidas / P. Suppes, J. Zines // Psycho-
medições lógicas. M., 1967.
Formação controlada de processos mentais / ed. P. Ya. Gal-
cama de penas. M., 1977.
Fayerabend P. Trabalhos selecionados sobre a metodologia da ciência / P. Fayera-
banda. M., 1986.
Heckhausen H. Motivação e atividade / H. Heckhausen. M., 1986.Vol. 1.
Schneider LB Psicologia Experimental / LB Schneider. M.,
2007
Psicologia experimental / ed. P. Fress e J. Piaget.
Edição 1-2. M., 1966.
Psicologia experimental: workshop / ed. S. D. Smirno
VA, T.V. Kornilova. M., 2002.

233

Página 234

ÍNDICE

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 199/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Prefácio ................................................. ............................................... 3

Seção I. CIÊNCIA E PESQUISA CIENTÍFICA EM PSICOLOGIA 5


Aula 1. Ciência e metodologia científica ........................................... . 5
1.1. Ciência e método científico ............................................. 5
1.2. As principais características do moderno
metodologia científica ................................................ .. oito
Aula 2. O que são teorias ..................................... 14
Aula 3. A natureza das mudanças na ciência.
O problema da racionalidade ............................................. 23
Aula 4. A pesquisa científica e suas ferramentas .................... 31
4.1. Sinais e tipos de pesquisa científica ............... 31
4.2. Características de pensamento subjacentes
no cerne da pesquisa científica ............................... 35
4.3. Teoria como resultado de pesquisa científica ......... 39
4,4. Problema científico ................................................ ....... 42
4.5. Hipótese ................................................. ...................... 44

Seção II. TRABALHANDO COM DADOS ............................................... ............ 47


Aula 5. Processamento de dados ............................................. ............... 47
5.1. Conceito geral de dados .......................................... 47
5,2 Compreensão geral de processamento ......................... 48
Aula 6. Interpretação dos resultados ............................................ 54
6.1. Interpretação como tratamento teórico
informações empíricas ........................................ 54
6,2 Interpretação como explicação dos resultados ............ 57
6.3. Interpretação como síntese de resultados ............ 65
6,4 Conclusões e inclusão de resultados no sistema de conhecimento 66

Seção III. MÉTODOS DE PSICOLOGIA ............................................... . ...... 68


Aula 7. Classificação de métodos de psicologia
pesquisar ................................................. ................... 68
7.1. Metodologia e conhecimento psicológico .................. 68
7,2 Opções de classificação
e uma breve descrição dos métodos
pesquisa psicológica ............................. 71
234

Página 235

Aula 8. Empírica não experimental


métodos psicológicos ................................................ 0,83
8,1 Observação ................................................. ............ 83
8,2. Medição ................................................. ............... 85
8,3. Método comunicativo ....................................... 88
8.4. Método de arquivamento ................................................ ..... 89

Seção IV. EXPERIÊNCIA PSICOLÓGICA ........................... 92


Aula 9. Experimento psicológico
como um problema psicológico ...................................... 92
9,1 Fontes de artefatos psicológicos
experimento ................................................. ........... 92
https://translate.googleusercontent.com/translate_f 200/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

9.2. Métodos para controlar fontes de artefatos


experimento psicológico ........................... 97
9,3. Tipos de assuntos e suas atividades
em experimento ................................................ ........ 98
Aula 10. O procedimento para um experimento psicológico ............. 102
10.1. Tipos de pesquisa em psicologia ... 102
10,2. Tipos de experimentos ........................................... 104
10.3. Estágios de psicologia experimental
pesquisar ................................................. ...... 106
Aula 11. Variáveis ​experimentais
e como controlá-los ............................................. ... 113
11.1 Tipos de variáveis ​e relacionamentos entre eles ... 113
11,2. Controle de variáveis ​......................................... 119
Aula 12. A validade do experimento psicológico ........... 124
Aula 13. Seleção Experimental ...................................... 136
Aula 14. Planos experimentais ......................................... 140
14,1. Problemas resolvidos na fase de significativa
planejamento ................................................. ...... 140
14,2. Planejamento formal do experimento ........ 142
Aula 15. Opções para planejamento de quase-experimentação
em psicologia ................................................ ................. 156
15,1. Planos pré-experimentais ........................... 156
15,2. Projetos quase experimentais no sentido estrito 157
15,3. Planos ex-post-facto ............................................ .. 165
15,4. Planos funcionais ..................................... 166
Seção V. ASPECTOS METODOLÓGICOS E PLANEJAMENTO
ESTUDO DE CORRELAÇÃO
COMO VARIEDADE DE UM EXPERIMENTO QUASI ........... 171
235

Página 236

Aula 16. A ideia de pesquisa de correlação ......................... 171


16.1. Correlação e experimental
pesquisar ................................................. ....... 172
16,2. Correlação e regressão: O básico ....................... 173
Aula 17. Interpretação de correlações ......................................... 183
17,1. Problema direcional .................................. 184
17,2. O problema da terceira variável ........................... 187
17,3. A necessidade de estudos de correlação 189
17,4. Situações de pesquisa em que
usando a abordagem de correlação
muito provavelmente ............................................... 191
Aula 18. Planejando um estudo de correlação ......... 197
18,1. Os principais tipos de correlação unidimensional
pesquisar ................................................. ....... 197
18,2. Opções de correlação multivariada
análise ................................................. ................. 200
Aula 19. Forma de apresentação dos resultados da pesquisa ...... 204
Aula 20. Requisitos para a preparação de um relatório sobre o
pesquisa (por exemplo, graduação

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 201/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras
trabalho de qualificação) ........................................ 212
Literatura recomendada ................................................ ......... 230

Página 237

Edição educacional

Bodnar Alexander Mikhailovich

PSICOLOGIA EXPERIMENTAL

Curso teórico

Editor e revisor T.A. Fedorova


Layout do computador por G. B. Golovina

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 202/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

Página 238

ISBN 978-5-7996-0604-6

9 785799 606046

Plano da edição 2011 pos. 53. Assinado para impressão 10.05.11.


Formato 60 × 84/16. Papel VHI. Tipo de letra do Times.
Uch.-ed. eu. 13,0. CONV. imprimir eu. 13,95. A tiragem é de 170 exemplares. Pedido .

Editora da Universidade de Ural.


https://translate.googleusercontent.com/translate_f 203/204
20/11/2021 07:57 Psicologia experimental: curso de palestras

620083, Yekaterinburg, Lenin Ave., 51.


Impresso no IPC "USU Publishing House".
620083, Yekaterinburg, st. Turgenev, 4.

https://translate.googleusercontent.com/translate_f 204/204

Você também pode gostar