Você está na página 1de 2

Carmina Sebastião José Joaquim. Mestrado em Psicopedagogia.

Turma: E

DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM1
Muitos têm sido os termos para designar os alunos que, devido a circunstâncias diversas, não
atingem as metas esperadas para a sua faixa etária ou ano de escolaridade em que se encontram.
Nos últimos anos, têm-se explorado os conceitos de Dificuldades de Aprendizagem (DA) e, mais
recentemente, de Dificuldades de Aprendizagem Específicas (DAE). Assim, neste trabalho
pretendemos desenvolver somente a dificuldade na leitura que é a dislexia, pois a dislexia
enquadra-se dentro do conceito das DAE.

1. A dislexia / dificuldades de leitura


Etimologicamente, dislexia deriva dos conceitos “dis” (desvio) + “lexia” (leitura, reconhecimento
das palavras).
Neste sentido, actualmente considera-se que:
Dislexia é uma incapacidade específica de aprendizagem, de origem neurológica. É
caracterizada por dificuldades na correcção e/ou fluência na leitura de palavras e por
baixa competência leitora e ortográfica. Estas dificuldades resultam tipicamente de um
défice na componente fonológica da linguagem que é frequentemente imprevisto em
relação a outras capacidades cognitivas e às condições educativas. Secundariamente
podem surgir dificuldades de compreensão leitora, experiência de leitura reduzida que
podem impedir o desenvolvimento do vocabulário e dos conhecimentos gerais.
(ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL DE DISLEXIA, 2003, apud TELES, 2009).
Segundo Coelho (2011, p. 3) destaca que, sendo de origem neurobiológica, a dislexia afecta,
portanto, a aprendizagem e utilização instrumental da leitura, resultando de problemas ao nível da
consciência fonológica, independentemente do quociente de inteligência (QI) dos indivíduos.

1.1. Causas da dislexia


Não há acordo quanto à identificação de uma causa exclusiva para a dislexia. Alguns autores
afirmam mesmo que se trata de uma perturbação de causas múltiplas, relacionadas a área da
genética, área neurobiológica, e área psicolinguística. (CRUZ, 2009, p. 160).
Porem, para os genéticos, há quem defenda tratar-se de um problema hereditário, fundamentando
que os disléxicos apresentam, pelo menos, um familiar próximo com dificuldades na
1
Dificuldades de Aprendizagem é um termo geral que se refere a um grupo heterogéneo de desordens manifestadas
por dificuldades significativas na aquisição e uso da compreensão auditiva, fala, leitura, escrita, raciocínio, ou
habilidades matemáticas (CORREIA, 2011, p.160).
aprendizagem da leitura e escrita. Mas para os neurobiológicos como destaca Coelho (2011, p. 4),
os indivíduos disléxicos tem dificuldades em aceder as áreas localizadas na parte posterior do
cérebro. Portanto, já na área da psicolinguística constata-se que a “evidência de que os
indivíduos que apresentam um atraso na aquisição da linguagem experimentam dificuldades na
leitura com uma frequência seis vezes superior àqueles com desenvolvimento normal”
(CITOLER, apud CRUZ, 2009, p. 160).

1.2. Características da dislexia


 Na expressão oral
 Têm dificuldade em seleccionar as palavras adequadas para comunicar;
 Revelam pobreza de vocabulário;
 Elaboram frases curtas e simples e têm dificuldade na articulação de ideias;
 Na leitura /Escrita
 Fazem uma soletração defeituosa (lêem palavra por palavra, sílaba por sílaba, ou
reconhecem letras isoladamente sem conseguir ler);
 Na leitura silenciosa, murmuram ou movimentam os lábios;
 Apresentam problemas de compreensão semântica.

1.3. Intervenção
Na sala de aula, a criança deve estar sentada numa carteira próxima do professor para que este
possa auxiliá-la sempre que haja necessidade. No momento da avaliação, devem evitar-se
questões longas e complicadas, pois a criança poderá demorar mais tempo a tentar compreender a
pergunta do que a dar a resposta. (HENNIGH, 2003, p. 69).

Bibliografia
COELHO, D. T.(2011). Dislexia, Disgrafia, Disortografia e Discalculia. São Paulo. Areal
Editores.
CRUZ, V. (2009). Dificuldades de Aprendizagem Específicas. Lisboa: LIDEL - Edições
Técnicas, Lda.
TELES, P. (2009). Dislexia: Método Fonomímico - Abecedário e Silabário. Lisboa: Distema.
HENNIGH, K. A. (2003). Compreender a Dislexia: Um guia para pais e professores. Porto:
Porto Editora.

Você também pode gostar