Você está na página 1de 4

“Vocês estão sob meu comando e sob minhas ordens.

Devem-me escutar atentamente e me


obedecer em tudo que ordenar. Essa é a regra militar fundamental, evite infringi-la.”

DOUTRINA
Engendra a unidade de pensamento, inspira-nos uma mesma maneira de viver e de morrer,
tornando-nos intrépidos e inquebrantáveis diante dos infortúnios e da morte.

TEMPO
Apreciaremos o tempo da interação dos princípios (yin e yang, mediante os quais todas as
coisas naturais se formam) para a produção do frio, do calor, da bonança ou da intempérie

ESPAÇO
Termos a noção do alto e do baixo; do longe e do perto; do largo e do estreito; do que
permanece e do que não cessa de fluir.

COMANDO
É a equidade, o amor pelos subordinados e pela humanidade em geral. O conhecimento de todos
os recursos, a coragem, a determinação e o rigor são as qualidades que devem caracterizar
aquele que investe a dignidade de general. São virtudes necessárias que devemos adquirir a
qualquer preço. Somente elas podem torna-nos aptos a marchar dignamente à frente dos outros.

Tudo isso é adquirido através de disciplina.


DEVEMOS SABER:

 Controle e equilíbrio
 A vitória é o principal objetivo da guerra
 Conhecer diferentes caminhos que levem ao mesmo lugar
 Estar ciente dos deveres particulares de cada subalterno
 Possuir a arte de ordenar as tropas
 Não ignorar nenhuma das leis de hierarquia e fazer com que sejam cumpridas com rigor
 Não desdenhar o conhecimento exato e detalhado de todos os fatores que podem
intervir
 Informar-se de cada um deles em particular
 Procure saber tudo sobre todos
 Não poupes castigos quando necessários
 Seja ciente de tuas capacidades e limitações
 Não ataque um inimigo mais forte, evite cuidadosamente o que pode redundar num
conflito generalizado
 Haverá ocasiões em que te rebaixaras, e outras que simularas medo. Finge ser fraco a
fim de que teus inimigos, abrindo a porta para a presunção e o orgulho, venham atacar-
te em hora errada, ou seja, surpreendidos vergonhosamente
 Aja de tal forma que teus inferiores jamais descubram teus projetos
 Mantenha tuas tropas sempre em prontidão, ocupados e em movimento
 Quão lamentável é arriscar tudo em um único combate
 Quando o inimigo estiver unido divide-o
 Ataca-o quando ele estiver despreparado
 Irrompe onde ele menos espera
 Esteja sempre preparado para o impossível
 Não adies o momento de combate, nem esperes que tuas armas enferrujem e o fio de
tuas espadas s entope
 Quem domina os verdadeiros princípios da arte militar não ataca duas vezes, tudo
termina na primeira campanha
 A melhor política guerreira é tomar um estado intacto, uma política inferior consiste em
arruinar
 É de suprema importância na guerra, atacar a estratégia do inimigo
 Se fores 10 vezes mais numeroso que teu inimigo, cerque-o de todos os lados
 Se fores 5 vezes mais numeroso, dispõe teu exercito de forma que possa atacar pelos
quatro flancos simultaneamente no momento oportuno
 Se tiveres o dobro, contenta-te em dividir teu exercito em dois
 Se fores igual, só te resta aventurar-se ao combate
 Se fores inferior, fica alerta. O menor erro pode ser fatal. Tenta colocar-te a salvo e
evita, se possível, entrar em choque com o adversário
 Um general só pode servir bem o estado de um único modo, mais pode arruiná-lo de
diversas maneiras
 Não cometa erros
Para vencer os inimigos, cinco circunstâncias são
necessárias

I. Saber quando combater e quando bater em retirada


II. Saber lidar com o pouco e com o muito, segundo as circunstâncias
III. Compor habilmente suas fileiras
IV. Preparar-se, prudentemente, para afrontar o inimigo potencial. Não prever, dando como
pretexto a inferioridade do adversário, é o maior dos crimes. Estar preparado,
independentemente de qualquer contingência é a maior das virtudes
V. Evitar as ingerências do soberano em tudo que executar, para a gloria de seus exércitos

 Conhece teu inimigo e conhece a ti mesmo. Se tiveres cem combates a travar, cem
vezes será vitorioso
 Se ignorares teu inimigo e conheces a ti mesmo, tuas chances de ganhar ou perder serão
idênticas
 Se ignorares teu inimigo e ao mesmo tempo a ti mesmo, só contaras teus combates por
tuas derrotas
 Invencibilidade está na defesa; a possibilidade de vitória no ataque. Quem se defende
mostra que sua força é insuficiente; quem ataca mostra que é abundante
 Hábeis guerreiros prevêem todas as eventualidades. Conhecem a situação do inimigo,
conhecem-lhes as forças e não ignoram o que podem fazer e até onde podem ir. A
vitória é uma decorrência natural desse saber
Cinco elementos da arte da guerra

I. A medida do espaço
II. A avaliação das quantidades
III. As regras de calculo
IV. As comparações
V. As chances de vitória

I. As medidas de espaço derivam do terreno


II. As quantidades derivam das medidas
III. Os números emanam das quantidades
IV. As comparações decorrem dos números
V. E a vitoria é o fruto das comparações

 A vitória não é, senão, fruto de um calculo exato


 Comandar muitos é o mesmo que comandar poucos, tudo é uma questão de organização
 Mantenha a união mais estreita possível
 A garantia de nos tornarmos invencíveis, esta em nossas próprias mãos. Tornar o
inimigo vulnerável só depende dele próprio.

Você também pode gostar