Você está na página 1de 7

Universidade Estácio de Sá

Psicologia do Desenvolvimento e da Aprendizagem


Prática como Componente Curricular

Observação de Criança(s) e/ou adolescente(s) e/ou jovens no espaço escolar


na educação básica (Educação Infantil, Ensino Fundamental I e II e Médio)
paracompreender características que ressaltam o desenvolvimento físico-
motor, afetivo-emocional, moral ou social desses sujeitos.

Weidila Siqueira de Miranda Gomes


202002647515

Maceió

2021
Objetivos

• Identificar as características do desenvolvimento físico-motor, afetivo-


emocional, intelectual e moral ou social de uma criança de 09 anos.
• Entender como essas características influenciam seu desenvolvimento
e aprendizagem.
• Relacionar teoria e prática para melhor entendimento dos fenômenos
ligados ao seu desenvolvimento e aprendizagem.
Introdução

No intuito de trazer à reflexão do leitor como se dão as relações de


desenvolvimento infantil na prática, este trabalho trata algumas questões advindas da
observação de uma criança em idade escolar, buscando através da identificação das
principais características do desenvolvimento físico-motor, afetivo-emocional,
intelectual e mora/social, através do pensamento de Jean-Piaget, e sua teoria do
desenvolvimento e da aprendizagem humana, relacionar a parte teórica do
desenvolvimento infantil a como esse desenvolvimento se dá no cotidiano das
crianças.
Relatório da observação:

O estudo foi realizado pela observação de uma criança em ambientes


familiares e de lazer. A criança foi observada de 01 a 20 de outubro de 2021.

Aos 09 anos de idade, Julia estava então com 1,40 de altura e 31 quilos.
Esta idade é tratada por Piaget, em sua teoria dos estágios do desenvolvimento e
aprendizagem humana, como a fase das operações concretas, cujo grande progresso
está na conquista das operações, das relações mentais, que trazem compreensão
lógica para as situações vividas pela criança, através da capacidade de flexibilidade
e da reversibilidade recém adquiridas.

Durante o estudo, foi observado que a menina já possuía um raciocínio


claro, rápido e inteligente, mas que vez ou outra se perdia em algumas questões de
reversibilidade, podendo ser citado o exemplo ocorrido no dia 24/05: enquanto
assistia a um filme onde uma princesa estava para se casar com um príncipe,
questionou se o rei e pai do referido príncipe, poderia ser o pai da tal princesa, que
desapareceu o filme anterior, sem se atentar que isso faria dos dois irmãos, mas
compreendendo-o imediatamente quando foi citado. Isso mostra que ela ainda se
encontra numa fase de aprimoramento da capacidade cognitiva, fato que é
completamente normal, já que, segundo La Taille (1992:17), se no período pré-
operatório a criança ainda não havia adquirido a capacidade de reversibilidade, tal
reversibilidade será construída ao longo dos estágios operatório concreto e formal.

Durante as brincadeiras típicas da idade, viu-se que gostava das de


charadas, e adivinhas, mas também das de correr e pular, subir nos aparelhos
disponíveis, onde se constatou sua habilidade psicomotora compatível com a fase.

Notou-se durante a observação, que a menina tinha predileção por


brincadeiras ao ar livre e de grupo, sempre pedindo para ir a uma pracinha perto de
sua casa, onde se encontrava com outras crianças de sua faixa etária, tanto
desconhecidas como conhecidas da escola, para brincar e conversar. O que refleteo
desenvolvimento afetivo-emociona e também o social, uma vez que ela sempre
dividia os brinquedos e lanches que levava consigo, buscava incluir todos os colegas
nas brincadeiras e cuidava dos menores. A respeito do aspecto afetivo, Piaget
defendeu em seu artigo A RELAÇÃO DA AFETIVIDADE COM A INTELIGÊNCIA NO
DESENVOLVIMENTO MENTAL DA CRIANÇA, ser “incontestável que o afeto
desempenha um papel essencial no desenvolvimento da inteligência, sem afeto não
haveria interesse, nem necessidade, nem motivação; e consequentemente,
perguntas ou problemas nunca seriam colocados e não haveria inteligência. A
afetividade é uma condição necessária na constituição da inteligência.”

Além de frequentar a escola (na data fechada por ocasião da quarentena


do coronavírus),foi observado que a menina tem um desenvolvimento social
relevante, frequentando também a igreja com a família, onde tem amigos da sua idade,
e fazendo aulas de música, o que contribui para todas as áreas do desenvolvimento.
Conclusão

A importância de se aprofundar nos estudos relacionados ao


desenvolvimento e à aprendizagem de crianças em idade escolar fica evidente dia após
dia, pela necessidade de se otimizar os recursos e as ações da sociedade que
auxiliam nesse desenvolvimento. Ao observar as indagações sobre a forma em que
se dá o progresso dessas crianças, os desafios de cada fase e como oferecer a elas
o ambiente propício para um desenvolvimento saudável, encontra se na psicologia do
desenvolvimento e da aprendizagem base de compreensão de seus
comportamentos e processos de amadurecimento que poderão nortear as ações
que buscam para estas um crescimento saudável e uma vida feliz.
Bibliografia

• O DESENVOLVIMENTO HUMANO NA TEORIA DE PIAGET

https://www.unicamp.br/iel/site/alunos/publicacoes/textos/d00005.htm

AFETIVIDADE E INTELIGÊNCIA- JEAN PIAGET

DESENVOLVIMENTO HUMANO DOS SETE AOS ONZE ANOS

https://estacio.webaula.com.br/Classroom/index.asp?191C757E76=48422
13D274FB2F19BC0C43506335B655BF990885297A1E22E2EEA668E182
5C59FE795645A37BBF123FE72F791DCF9DAF878568A603CA630E7EA
C1BA983207EB1874EBEEEF64BC63C19D7359D66148B0D12F8DF8C7

Você também pode gostar