Você está na página 1de 4

COMO O BRINCAR PODE CONTRIBUIR NO DESENVOLVIMENTO DO

ALUNO NO ENSINO FUNDAMENTAL

Precisamos entender que existe um espaço onde ocorre o processo de


desenvolvimento da criança e que não é apenas um ambiente onde os pais deixam seus
filhos para serem cuidados, sendo assim a educação infantil trabalha como mediadora
entre o cuidar e o educar. É imprescindível buscar o conhecimento sobre a importância
do papel das brincadeiras no processo de ensino aprendizagem no espaço escolar, pois o
ato de brincar favorece ao processo de desenvolvimento. Através das brincadeiras a
criança executa tarefas que lhe permite a estruturação mental e representativa da
percepção de si próprios, do outro e do mundo que o rodeia, além de desenvolver
capacidades importantes como a atenção, imitação, memória e imaginação.
Nesse contexto, o brincar é destacado como a principal atividade infantil. As
atividades lúdicas elaboradas, podem proporcionar alegria, diversão e prazer, visto que
o lúdico auxilia na aprendizagem, ajuda na construção da reflexão, autonomia e a
criatividade. Os jogos e brincadeiras são ferramentas essenciais que não podem faltar na
educação, sendo que os mesmos levam à criança a ingressar no universo sócio cultural
ampliando o desenvolvimento das áreas psicomotoras, afetivas, cognitivas e sociais.
É forte a ideia de que o brincar possui um sentido social importante, pois associa
à cultura e às condições de vida daqueles que o fazem. Segundo Brougère (2008), toda
sociedade é formada por uma cultura que dispõe de diversas imagens, representações,
símbolos e significados expressivos dentro de um espaço social. Suas fontes são muitas,
sendo que uma delas é a brincadeira e suas peculiaridades. Através da brincadeira, as
crianças se apropriam dessa cultura e sociedade, podendo se expressar e criar novas
produções.
Através de suas fantasias a criança revive angústias, conflitos, alegrias,
desistindo e refazendo, deixa de lado a submissão e exigências dos adultos. Ao brincar
as crianças demonstram seus sentimentos, aprendem, exploram, pensam, constroem e se
movimentam, inserindo-se na sociedade onde assimilam valores, crenças, leis, regras,
hábitos, costumes, princípios e linguagens. Através do simples ato de brincar, a criança
descobre a capacidade de lidar com complexas dificuldades psicológicas e procuram
integrar experiências de dor, medo, perda, assimilando inclusive conceitos de bom e
mal.
Diante da importância dessas considerações, é necessário conscientizar os pais.
educadores e todos os envolvidos a ponderar sobre as brincadeiras dentro e fora do
espaço escolar, compreendendo assim que o brincar faz parte do cotidiano da criança e
assume um papel fundamental na infância. Assim é possível perceber que o brincar não
é perca de tempo, mais uma forma divertida de ensinar e de aprender.  Há variadas e
excelentes formas de se trabalhar nos primeiros anos do ensino fundamental, a
ludicidade é uma delas.
Conforme Vyogtsky (1993, p.77), “é precisamente durante o início da idade
escolar que as funções intelectuais superiores, adquirem um papel de destaque no
processo de desenvolvimento”.
A distribuição de atividades deve ser feita pelo professor conforme o nível de
desenvolvimento da turma, para que atinjam o objetivo desejado. Em cada nível a
criança define suas próprias regras sobre o jogo, confirma que a cada mudança de
regras, ocorre um novo progresso da criança, validando a ideia de que brincar é coisa
séria, pois possibilita essa evolução no aprendizado, aperfeiçoando sua autoestima e
liderança.
A ludicidade é uma necessidade do ser humano em qualquer idade e não pode
ser vista apenas como diversão. O desenvolvimento do aspecto lúdico facilita a
aprendizagem, o desenvolvimento pessoal, social e cultural, colabora para uma boa
saúde mental, prepara para o estado interior fértil, facilita os processos de socialização,
comunicação, expressão e construção do conhecimento. SANTOS (1997, p. 12).
Transformar o espaço escolar em um espaço agradável e prazeroso por meio dos
jogos e brincadeiras lá realizados, permite que o professor tenha sucesso na sala de aula
durante o processo de alfabetização, sendo essa uma tarefa importante e que deve ser
direcionada pelo educador, encorajando seus alunos a usar a imaginação, colocando em
prática seus conhecimentos. Ainda que brincadeiras sejam realizadas sem a autorização
ou o direcionamento do professor, ocorrem consolidações de aprendizagens e interações
linguísticas significativas que devem ser consideradas.
Tais observações nos permitem reafirmar a importância do educador ao fazer
uso de práticas pedagógicas no contexto escolar, considerando a ludicidade como algo
importante para o desenvolvimento das crianças, proporcionando assim, momentos
lúdicos em sala de aula, criando oportunidades para reflexões que ampliem a visão de
mundo e a interação dos alunos do ensino fundamental, tornando o processo de
aprendizagem significativo e prazeroso. O ato de ensinar possibilita várias situações,
trazendo o professor como mediador cultural, embora seja necessário reconhecer que
para que o aluno tenha grandes experiências ao brincar, é preciso um planejamento
cuidadoso e ensino inteligente.
REFERÊNCIAS

AYRES, L.A.L; RIVEIRO, M. A importância do brincar na educação infantil.


alvorada.rs.gov.br.
BROUGÈRE, Gilles. Brinquedo e cultura. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2008.
HARTZ, A et al. A importância do brincar no ensino fundamental: crianças em fase de
alfabetização. Rev. Conhecimento online. ano 4, v. 1, Março/2012.
OLIVEIRA, L; SILVA, G.M.D.D. A importância da ludicidade nos anos iniciais do
ensino fundamental.
SANTOS, Santa Marli Pires dos. Brinquedoteca: o lúdico em diferentes contextos 6.
ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.
SILVESTRE, F.M; FERREIRA, R.V.J; ARAÚJO, V.C. O papel da brincadeira no
ensino fundamental pelo olhar das crianças. CES Revista | v. 24 | Juiz de Fora | 2010.
VYGOTSKY, L,S . A FORMAÇÃO SOCIAL DA MENTE. São Paulo: Martins fontes,
1994.

5.191 caracteres sem contar as referências


divididos por 1250 q é a unidade de medida (lauda) utilizada
para a revisão e digitação do texto
igual a pouco mais de 4 laudas dispostos em 2 páginas.

Você também pode gostar