Você está na página 1de 2

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ___ VARA CÍVEL DA COMARCA DE

LAGES-SC

João Victor, divorciado, empresário, inscrito no RG nº


1234 e CPF nº 112233445 e Maria Vitória, divorciada,
empresária, inscrita no RG 4321 e CPF nº 44332211,
vem, por meio deste Oficial de Registro de imóveis,
requerer uma SUSCITAÇÃO DE DÚVIDA.

DOS FATOS

Na data de 13 de abril de 2020, os requerentes apresentaram para registro neste


Ofício o pedido de registro de compra e venda da fração de 50% do imóvel de matrícula nº
1234, em anexo, devidamente protocolado sob o nº 54321, tendo sido devolvido por este
Oficial de Registro, com a Nota de Impugnação nº 112233, com a seguinte exigência:

“... para a realização do registro, exige-se a apresentação da prévia partilha de bens do


casal dos vendedores no processo de Divórcio, para posteriormente realizar o registro da
referida escritura em condomínio, tendo em vista e respeitando os princípios da segurança
jurídica e da continuidade registral.”

Acontece, Excelência, que João Victor e Maria Vitória eram casados quando adquiriram
o referido imóvel em condomínio com o Sr. Aderbal dos Santos, passados dois anos da
aquisição, o casal se divorciou de forma consensual e optaram por não realizar a partilha dos
bens, permanecendo-os como patrimônio comum do casal.

Após a sentença do Divórcio, realizaram a venda do referido imóvel para terceiros,


uma vez que o Sr. Aderbal dos Santos não teve interesse na compra do mesmo, tudo com as
devidas assinaturas em contrato de compra e venda bem como na respectiva escrituração.
Todos esses documentos levados até esse Ofício de Imóveis a fim de realizar os devidos
registros, o que foi impugnado pela justificativa acima.

Os apresentantes não concordam, assim, utilizando do artigo 198 da Lei 6.015/73, o


que prevê “Havendo exigência a ser satisfeita, o oficial indicá-la-á por escrito. Não se
conformando o apresentante com a exigência do oficial, ou não a podendo satisfazer, será o
título, a seu requerimento e com a declaração de dúvida, remetido ao juízo competente para
dirimi-la(...)”

Dessa forma, os apresentantes argumentam que do referido imóvel, após o divórcio,


não houve alteração de propriedade. Sendo assim, em nada interfere a venda do imóvel bem
como o registro de tal ato na matrícula.
DOS MOTIVOS DA IMPUGNAÇÃO

Excelência, como já dito anteriormente, o pedido de registro de compra e venda na


matrícula do imóvel foi impugnado, para tanto utilizei do seguinte princípio do Direito
Imobiliário:

O princípio observado é o da Continuidade Registral, esse princípio baseia-se numa


narrativa sequencial e cronológica dos atos, todos os atos que são descritos na matrícula,
tanto em relação ao imóvel como em relação às pessoas envolvidas, devem ter uma sequência
lógica dos fatos.

Assim, quando da apresentação de um título perante o Registro de Imóveis, é


necessário verificar os dados constantes na matrícula para que se possa confrontá-los com
aqueles dados do título, tanto com relação às pessoas, como com o imóvel, tudo de modo a
viabilizar o registro do título e a obtenção da segurança jurídica.

Diante disso, é possível verificar a importância do principio da continuidade do


Registro do imóvel, afinal, tais alterações quanto às pessoas envolvidas e quanto ao imóvel
podem acarretar consequências jurídicas, que serão objeto de análise pelo oficial registrador
ao qualificar o documento quando de seu ingresso ao Registro de Imóveis, obtendo assim a
citada segurança a todos os envolvidos.

Além disso, a certidão de matrícula do imóvel trata-se de um documento público, no


qual há a narrativa de tais fatos sequenciais, o que proporciona a qualquer pessoa a
capacidade de analisar todo o seu histórico, sem brechas ou lacunas.

DA SUSCITAÇÃO DA DÚVIDA

Depois de informados e orientados por esse Ofício de Registro de Imóveis, os


apresentantes insistem no registro de compra e venda do imóvel, acreditando não haver
nenhuma discrepância na matrícula do imóvel.

Dessa forma, encaminho à Vossa Excelência a presente Suscitação de Dúvida e demais


documentos a fim de sanar a presente confusão e buscar a correta orientação.

Willian Gabriel Bernardes

Você também pode gostar