Você está na página 1de 28

data. 28/09/2.

021

data. 30/11/2.021

e-mail: brunoteiga@hotmail.com

Link do Grupo no WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/


GOHOu6Dkf7OE2zoBhoCFA3
É a razão entre o volume descarregado e o intervalo de tempo.

Alternativamente:
Adotando-se o diâmetro comercial de 400mm, devemos recalcular a velocidade
econômica.

Para uma tubulação sem furos e considerando-se um líquido, há de valer:

* a velocidade de escoamento e o diâmetro ao quadrado da tubulação


são grandezas inversamente proporcionais.
Uma tubulação horizontal transporta água na vazão de 500 L/s. Num ponto A ela
tem o diâmetro de 450mm e a pressão de 139,16 kPa; enquanto que num ponto B à
jusante o seu diâmetro é 550mm. Determinar a pressão no ponto B, para um fluido
incompressível em regime permanente.

Qual a velocidade da água através de um


furo na lateral de um tanque, se o desnível
entre o furo e a superfície livre é de 2 m?
* como esperado, em função do acréscimo de diâmetro, ocorre o aumento da pressão acumulada pelo
líquido.

* a velocidade sofre diminuição, pois a área de seção fica maior


Consideraremos dois tipos de perda de carga hidráulica, a perda de carga contínua e a
perda de carga localizada. São as perdas provocadas pelos acessórios ou peças especiais da tubulação (curvas,
cotovelos, válvulas, reduções...). Em geral as perdas de carga localizadas, são mais
importantes em circuitos hidráulicos de menor comprimento, nos circuitos hidráulicos
longos e com poucas peças especiais, acaba sendo desprezível.

ocasionada pelo movimento do líquido dentro da tubulação, é resultado do atrito


do líquido com as paredes do tubo. Admite-se que a perda de carga é contínua
(uniforme) ao longo do tubo, independente do ponto da medida.

* deve-se procurar uma tubulação com o menor comprimento possível para obter-se
a menor perda de carga contínua.
na literatura são observados outros valores
Perda de Carga Contínua - Método Darcy - Weisbach também, e plausíveis.

Utilizado para a determinação da perda de carga contínua,


podendo ser aplicado para líquidos e gases.

* a viscosidade cinemática é uma função


da temperatura.
Determinar a perda de carga localizada em 0,2km de tubo liso de PVC com 80mm de
Uma tubulação nova de aço com 12cm de diâmetro conduz 765m³/dia de água à diâmetro com diversas peças especiais, tais como: registro, curvas de 90° e 45°. Neste
temperatura de 30°C. trecho escoa 10 litros por segundo de água. Considere a água na temperatura de 27ºC.
Determinar: A perda de carga localizada corresponde a 5% da perda de carga contínua.
a) o regime de escoamento.
b) o fator de atrito.

* o fator de atrito é um valor pequeno, compreendido entre


0,01 e 01.
Obs: quando não for mencionada a temperatura média da água, adotaremos 30ºC.

Perda de Carga Localizada (hf ) - Método dos Coeficientes

O método é utilizado para se calcular a perda de carga nas


peças especiais do circuito hidráulico.
Obs: como no trecho considerado o diâmetro não se altera, então a velocidade de
escoamento permanecerá constante. Pode-se nessa ocasião somar os coeficientes dos
acessórios.

* A perda de carga unitária é dada pela razão entre a perda de carga contínua e o
comprimento.

Perda de Carga Contínua - Método Hazen Williams

Muito utilizado na concepção de projetos hidráulicos. O método HW foi aprimorado para


a água.

Obs: quando não for mencionado a idade do tubo, deve-se considerar como novo.
Determinar o diâmetro, sabendo que a vazão é de 40m³/h, comprimento da tubulação de
200m, tubulação de PVC nova e perda de carga máxima admissível de 6m. Utilize a
equação de Hazen-Williams.

* O diâmetro obtido é o teórico, deve-se utilizar o diâmetro comercial para a validação


do projeto. Nessa situação adota-se o diâmetro imediatamente acima.

Determinar a perda de carga total. Utilizar o método científico e HW.


Fazer através do método HW (atividade)

Fazer através do método científico (atividade)


BOMBAS HIDRÁULICAS
A altura manométrica considera todas as cargas
hidráulicas.
Um conduto operando em regime livre, tem em pelo menos um dos
pontos do circuito hidráulico, a ação da pressão atmosférica. O
principal exemplo são os canais. Os canais podem ser qualificados
em naturais ou artificiais.

* Naturais - rios, córregos, estuários ...


* Artificiais - canais de irrigação, navegação, aquedutos, galerias...

Os canais podem assumir diversos formatos, sendo esse o balizador para a sua
denominação. A linha de corte transversal é a referência utilizada nessa
denominação. Deve-se limitar a inclinação do talude e velocidade de escoamento do canal, afim de
dificultar ou impedir o processo de erosão.

A velocidade de escoamente de um líquido em um canal não é constante em


toda a sua seção, pois existe a influência das paredes (rugosidade), do fundo
da superfície livre (ventos).
Existe uma limitação quanto à velocidade mínima, para que não ocorra a deposição * Canal CIRCULAR
de materiais sólidos em suspensão.

Vazão de Canal - Fórmula/Método de Manning


* Revisar o cálculo da área parcial de uma
circuferência (canal parcialmente preenchido).
A vazão de um canal poderá ser determinada através da função:
* Parcialmente Preenchido - ATIVIDADE - montar planilha de excel para cada situação.

Área Molhada

* Canal RETANGULAR / QUADRADO * Canal TRIANGULAR


* Canal TRAPEZOIDAL
Perímetro Molhado (Pm) Explicação da Atividade - lembrando que essa atividade terá peso 2.

Mede o comprimento de linha de contato da água com as paredes e fundo


do canal. A linha formada com a superfície não será considerada.
Ex: canal retangular.

Raio Hidráulico (Rh)

Por definição é razão entre a área molhada e o perímetro molhado do canal.


Ex: canal retangular.
Coeficiente de Manning (n) Qual a vazão de um canal retangular, revestido de concreto pouco liso
(regular), com 1,20 m de largura, com declividade de 4,0 m para cada
É uma constante que dependerá da constituição das paredes e fundo do canal, 10.000 m e profundidade d’água de 0,60 m?
assim como a qualidade (muito boa, boa, regular, ruim).

EXTRA: qual a velocidade escalar média do canal?


Calcular qual é o diâmetro necessário para que uma tubulação circular de concreto (n = 0,012)
transporte uma vazão de 2,45 m³/s, considerando que a altura máxima de água dentro do tubo
será de 65% do diâmetro do tubo e que o levantamento do perfil altimétrico do terreno por
onde passará a tubulação, está apresentado na Figura.
Quando ocorre a vazão de enchente no canal trapezoidal de alvenaria de
pedra aparelhada (n = 0,017) da Figura 1, a água chega a uma altura “h” de
1,2 m. Determinar quantas linhas paralelas de tubos de concreto (n = 0,018)
de 1,00 metro de diâmetro são necessárias para que essa vazão de
enchente seja transportada para o outro lado de uma travessia
considerando que o nível máximo de água dentro do tubo seja de 90% do
diâmetro do tubo e que a velocidade máxima de escoamento dentro do
tubo seja de 4,0 ms-1.
Energia Específica ou Carga Hidráulica de um Canal ( E ou He)

Adotando-se o fundo do canal como referência, a energia específica poderá ser determinada
através da função:
Exemplo - 01: Um canal retangular, com 3m de largura, conduz água com vazão de 3.600L/s.
Determinar a profundidade crítica do canal.
Exemplo - 03: Considere um canal de seção retangular com paredes revestidas em concreto
(muito boa condição), de especificações b = 2m, y = 1 e com i = 0,001m/m.
Pergunta-se:
a) qual a vazão do canal?
b) qual a velocidade média de escoamento do canal?
c) qual a energia específica?
d) qual a profundidade crítica?
e) qual o regime de escoamento?
extra - sabendo-se que à jusante existe degrau de 0,10m, qual a altura y2 da lâmina de
água?

Você também pode gostar