Você está na página 1de 1

∘ Da Legalidade: ‘’não há crime sem que

∘ Da bagatela imprópria: ∘ Da adequação social: A conduta não


lei anterior o defina (ART.5º, XXXIX, CF –
Aqui há a permissão de o será típica, nem irá merecer tutela penal
ART.1º CP), nem pena sem prévia cominação
julgador deixar de aplicar a se for aceita socialmente.
legal. É a verdadeira limitação imposta pela
pena, mesmo que a conduta ∘ Da lesividade: Do fato que foi
lei para a intervenção do Estado na
seja típica, em razão da praticado tem que haver lesão ou perigo liberdade de individuo. O legislador não pode
desnecessidade dessa. de lesão ao bem jurídico tutelado. criar leis penais que incidam sobre fatos
anteriores a sua vigência.
∘ Da vedação ‘’bis in idem’’: Direito Penal ∘ Da intervenção mínima: só deve ser
↳ Três significados:
- Princípios aplicado o direito penal em casos
∘ Processual: ninguém pode ser processado estritamente necessários (ultima ratio),
pelo mesmo crime duas vezes. quando os demais ramos não puderem
∘ Da dignidade humana:
∘ Material: Ninguém pode ser condenado duas intervir.
As penas não podem ser
vezes pelo mesmo fato. ∘ Da Insignificância: TEORIA DA
ofensivas à dignidade da pessoa
∘ Execucional: Ninguém pode ser executado humana. TIPICIDADE CONGLOBANTE -> Para se
duas vezes por condenação provida do mesmo ∘ Da culpabilidade: o autor da criminalizar uma conduta têm-se alguns
fato. critérios, mas em suma são: LESÃO OU
conduta deve ter agido com dolo
∘ Da pessoalidade: A responsabilidade
ou culpa. PERIGO PARA O BEM JURÍDICO +
penal é pessoal, não se passa a terceiros
CONDUTA DETERMINADA PELA LEI.
(ART.5°, XLV, CF)

Você também pode gostar