Você está na página 1de 2

Jornadas Internacionais de Literatura de Cordel e Xilogravura

em homenagem a João David Pinto- Correia

ESBOÇO PROGRAMAÇÃO:

14 dezembro – FLUL, sala B1


11:00-12:30 – Abertura
ARNALDO SARAIVA: Três grandes Joões da literatura popular e de cordel portuguesa e
brasileira
RIA LEMAIRE: Novos rumos nos estudos do cordel brasileiro
13:30-16:00 – Acervos / Visão de conjunto
LÍVIA CRISTINA COITO: José Leite de Vasconcelos e a coleção de Literatura de Cordel do
Museu Nacional de Arqueologia
ISABEL DÂMASO SANTOS: Santo António na literatura de cordel em Portugal
RAIMUNDA BATISTA: Acervo de Literatura de Cordel da Universidade Estadual de Londrina
FRANCISCA PEREIRA DOS SANTOS: O livro delas – catálogo de mulheres autoras no cordel
e na cantoria nordestina
SOLENNE DERIGOND: A questão das origens da literatura de cordel no Brasil. Uma
discussão entre os cordelistas no século XXI
16:30-18:30 – Mulheres na Literatura de cordel
BRUNA PAIVA DE LUCENA: O que nasceu pra ser saudade: oralidades, leituras e escritas nas
obras das cordelistas Bastinha e Salete Maria
MARIA GISLENE C. FONSECA: Narrativas autobiográficas de cordelistas brasileiras: Julie
Oliveira e Izabel Nascimento e a historiografia do cordel
YASMIN DE ANDRADE ALVES: Protagonismo feminino na literatura de cordel brasileira:
sujeitos que narram
ISABEL LOUSADA: Elas: amor e fado pendurados no cordel

15 dezembro – FLUL, sala B1


10:30-12:30 – Folhetos portugueses e europeus
JOSÉ LUÍS FORNEIRO: A Literatura de Cordel na Galiza: estado da questão
LINA DO CARMO GODINHO DOS SANTOS MENDONÇA: A Serração da Velha, dos folhetos
de cordel aos testamentos populares
LAURA PUERTO MORO: Literatura popular impresa en la Península Ibérica durante la Edad
Moderna: algunas claves para su aprehensión global
DAVID ATKINSON: Samuel Harward, chapbook printer in Gloucestershire, c.1760–1809
13:30-15:30 – Xilogravura e Cordel
LAURA BITARELLI: Fantasia sertaneja: xilogravuras de J. Borges
FABIO MARIO SILVA: Mestre Dila e a arte da xilogravura
EDILENE DIAS MATOS: As xilogravuras de ….
JOSÉ JOAQUIM DIAS MARQUES: A lenda do «Fantasma que pede boleia» (The Vanishing
Hitchhiker) em alguns folhetos de cordel brasileiros
16:30-18:30 – Folhetos brasileiros
MARIA APARECIDA RIBEIRO: Quando os gregos frequentam o cordel
CARLOS NOGUEIRA: José Saramago na literatura de cordel brasileira
RONALDO VITOR DA SILVA: Entre folhetos de cordel e cantorias: trajetórias do cantador
negro Joaquim Francisco Santana entre fins do século XIX e início do XX
PAULO TEIXEIRA IUMATTI: Poetas e cantadores negros na literatura de cordel brasileira do
começo do século XX: disputas pela memória

16 dezembro – FLUL, sala B1


10:30-12:30 – Folhetos luso-afro-brasileiros
BEATRIZ WEIGHERT: O cordel no Rio Grande do Sul: O negrinho do pastoreio
MARIA RAQUEL ÁLVARES: Chico, Vinícius, Dina e Vera na literatura de Cordel. Encontros
entre Brasil e Cabo Verde
VANIA PINHEIRO CHAVES: Jotacê: o folheto de cordel já não é o que era?
FRANKLIN MAXADO: A evolução da literatura de cordel: a tendência para o cordelivro e
uma literatura de painel
13:30-15:30 – Temas luso-brasileiros nos folhetos de cordel
LUÍSA ANTUNES PAOLINELLI: As malícias das mulheres entre a cultura erudita e os folhetos.
Uma tradição dos dois lados do Atlântico
FRANCISCO TOPA: Do cuco ao corno, do português ao brasileiro: a infidelidade feminina no
cordel
JACQUELINE PENJON: O automóvel da morte de Apolônio Alves dos Santos: um folheto
luso-brasileiro.
NILCE CAMILA DE CARVALHO: Um bandoleiro português nos trópicos: José do Telhado
na literatura de cordel brasileira
16:30-18:30 – Temas antigos nos Folhetos de cordel
NATÁLIA MARIA LOPES NUNES: História da Donzela Teodora – sobrevivência da
importância das escravas-cantoras da cultura árabe
VILMA MOTA QUINTELA: O cordel de Magalona e Pierre: um romance entre-mares
DIONÍSIO VILA MAIOR: A História da Imperatriz Porcina e a(s) mundividência(s) dialógica(s)
MANUEL SIMPLÍCIO GERALDO FERRO: Floris e Brancaflor: A fortuna duma novela bizantina
no cordel em Portugal

18 dezembro – Fundação Manuel Viegas Guerreiro (Querença-Loulé)


EDILENE DIAS MATOS: António Aleixo e Antônio Vieira: diálgos imaginados ou Boca e Papel:
espaços de fricção da palavra poética
MARIA DE LOURDES CIDRAES: Heróis históricos e lendários no teatro de cordel – Coleção
Albino Forjaz de Sampaio
SANDRA BOTO: A presença do cordel no Romanceiro de Almeida Garrett

Você também pode gostar