Você está na página 1de 1

a) conquistar o apoio popular na legitimação do novo

Era Vargas governo.


Simulado b) ampliar o envolvimento das multidões nas decisões
políticas.
1. “O ano de 1935 marcou nosso processo histórico, c) aumentar a oferta de informações públicas para a
através da primeira tentativa dos comunistas brasileiros sociedade civil.
de chegar ao poder através das armas. Iludidos pela d) estender a participação democrática dos meios de
existência de uma falsa ‘situação revolucionária’ e comunicação no Brasil.
estribados no prestígio e na popularidade da e) alargar o entendimento da população sobre as
organização política denominada ’Aliança Nacional intenções do novo governo.
Libertadora’, tentaram realizar um golpe armado que,
ao ser esmagado, abriu caminho para a ditadura de
3. (Unirio/2000)
Vargas.” (MENDES Jr., Antonio& MARANHÃO, Ricardo. Brasil
História. SãoPaulo: Editora de Humanismo, 1981, p.139).
Na casa do beato Pedro Batista em Santa Brígida, na
A respeito desse conturbado período da História do Bahia, D. Pedro II divide um espaço na parede com
Brasil, assinale a(s) alternativa(s) correta(s). Getúlio Vargas. Este exemplo caracteriza um tipo de
idealização da figura de mitos que ficaram
(01) Durante a vigência do Estado Novo, Getúlio sedimentados na memória popular. Podemos afirmar
Vargas desenvolveu uma forte campanha de repressão que Getúlio Vargas potencializou uma imagem de "pai
aos opositores do governo, em especial aos dos pobres", em grande parte devido às(aos):
comunistas, que resultou inclusive na prisão de seu
(Schwarcz, Lília Moritz. As Barbas do Imperador. D. Pedro II: Um Monarca nos
maior líder, Luís Carlos Prestes, e na deportação de
Trópicos. São Paulo, Cia das Letras, 1998 p. 322)
Olga Benário à Alemanha, onde morreu em um campo
de concentração. a) medidas de caráter populista, atraindo as massas
trabalhadoras.
(02) Além da Aliança Nacional Libertadora, foi
b) medidas revolucionárias introduzidas com a reforma
organizado também o movimento da Ação Integralista
agrária.
Brasileira (AIB), de orientação fascista, chefiada por c) restrições econômicas impostas aos industriais
Plínio Salgado, que objetivava chegar ao poder e brasileiros.
estabelecer no Brasil um regime corporativo do estilo d) restrições rígidas impostas à burguesia nacional e
do fascismo implantado por Benito Mussolini na Itália. internacional.
e) discursos ufanistas disseminados entre os
04) O governo de Getúlio Vargas, aproveitando o clima camponeses brasileiros.
de instabilidade gerado pela Intentona Comunista,
decretou o Estado Novo e se consolidou no poder com
a efetiva implantação de um regime ditatorial. 4. Em 1935, o governo brasileiro começou a negar
vistos a judeus. Posteriormente, durante o Estado
(08) A implantação do Estado Novo foi motivada pelo Novo, uma circular secreta proibiu a concessão de
desejo de Getúlio Vargas em compor um novo Estado vistos a “pessoas de origem semita”, inclusive turistas
no qual pudesse imperar a democracia plena. e negociantes, o que causou uma queda de 75% da
imigração judaica ao longo daquele ano. Entretanto,
(16) A organização da chamada Intentona Comunista
mesmo com as imposições da lei, muitos judeus
foi arquitetada em colaboração com o movimento continuaram entrando ilegalmente no país durante a
comunista internacional e contou, inclusive, com um guerra e as ameaças de deportação em massa nunca
grande número de soldados soviéticos que foram concretizadas, apesar da extradição de alguns
combateram as tropas fiéis ao governo Vargas. indivíduos por sua militância política.
Soma: _____ GRIMBERG, K. Nova língua interior: 500 anos de história dos judeus
no Brasil. In: IBGE. Brasil: 500 anos de povoamento. Rio de Janeiro:
IBGE, 2000 (adaptado).

2. (Enem/2017) Durante o Estado Novo, os


encarregados da propaganda procuraram aperfeiçoar- Uma razão para a adoção da política de imigração
se na arte da empolgação e envolvimento das mencionada no texto foi o(a)
“multidões” através das mensagens políticas. Nesse
tipo de discurso, o significado das palavras importa a) receio do controle sionista sobre a economia
pouco, pois, como declarou Goebbels, “não falamos nacional.
para dizer alguma coisa, mas para obter determinado b) reserva de postos de trabalho para a mão de obra
efeito”. CAPELATO, M. H. Propaganda política e controle dos meios de local.
comunicação. In: PANDOLFI, D. (Org.). Repensando o Estado Novo. Rio de Janeiro: c) oposição do clero católico à expansão de novas
FGV, 1999. religiões.
d) apoio da diplomacia varguista às opiniões dos líderes
árabes.
O controle sobre os meios de comunicação foi uma
e) simpatia de membros da burocracia pelo projeto
marca do Estado Novo, sendo fundamental à
totalitário alemão.
propaganda política, na medida em que visava

Você também pode gostar