Você está na página 1de 417

Conceitos Operacionais

Tratores
Apresentações

• Nome:
• Concessionária:
• Função:
• Tempo de Experiência:
• Expectativa para o curso
OBJETIVO

Por que estamos aqui?


REGRAS DE CONVIVÊNCIA
PARTICIPE EFETIVAMENTE: Contribua, opine, acrescente experiências.
INVISTA NO TREINAMENTO: Deixe tablet e notebook desligados. Deixe celular no silencioso e use apenas
nos intervalos.
DÊ ATENÇÃO ESPECIAL AOS HORÁRIOS: Pontualidade com os horários.
LIMPEZA E ORGANIZAÇÃO: Mantenha componentes, ferramentas, sala, barracão e maquinas limpas e
organizadas após seu uso.
ATENÇÃO: Cuidado com o manuseio de ferramentas e na utilização de manômetros, fluxômetros, ao
levantar componentes pesados e trabalhar em altura, redobre a atenção.
CUIDADO: Ao trafegar com a máquina, fique atento e de preferencia ao pedestre e a outros veículos. De
atenção especial ao comprimento e largura total da máquina. Isso inclui, plataforma, tubo de descarga,
barra de pulverização, eixo e contra peso entre outros.
Avaliações

Teoria e pratica
1. Conhecimento do Produto Trator

2. Conceitos, Características e Especificações

3. Conceitos Operacionais de Tratores

4. Equilíbrio Operacional de Tratores


6711 – 115 cv 6712 – 125 cv 6713 – 135 cv

Nomenclatura

6713
Versão

Referência à
Potência
Geração
(7ª)

Chassis
Trem de força

Eixo Dianteiro Motor Transmissão Eixo Traseiro


TDP
Levante
Controle Remoto
Motor
• MOTOR 44 CWC3

Tecnologia
Potência*
Trator Motor Aspiração Cilindrada (L) Controle de
(cv)
Emissões

Turbo-
6711 44 CWC3 115 4,4 iEGR
Intercooler

Turbo-
6712 44 CWC3 125 4,4 iEGR
Intercooler

Turbo-
6713 44 CWC3 135 4,4 iEGR
Intercooler
Motor

• MOTOR 44 CWC3 Sistema de Combustível


Tipo Sistema Common Rail
Dimensional Ordem Injeção 1-2-4-3
Configuração L4 Pressão Máxima 1600 Bar
Curso (mm) 120 Pressão Linha de Baixa 5 Bar
Diâmetro (mm) 108 Filtro Pré 30 µ
Filtro Sucção 10 µ
Filtro Principal 5µ
Radiadores

COMBUSTIVEL AR CONDICIONADO INTERCOOLER

MOTOR
HIDRAULICO
Eixo dianteiro
• EIXO DIANTEIRO – CARRARO • EIXO DIANTEIRO – DANA

CARRARO 20.22 (6712/6713) – 4 Planetárias


Nº dente pinhão/coroa 13/37

Relação eixo dianteiro 17,077:1


DANA 730/573
Relação de redutores 6:1
Nº dente pinhão/coroa 12/34
CARRARO 20.19 (6711) – 3 Planetárias
Relação eixo dianteiro 17:1
Nº dente pinhão/coroa 13/37
Relação de redutores 6:1
Relação eixo dianteiro 17,077:1

Relação de redutores 6:1


• CAIXA DE CÂMBIO SINCRONIZADA 12X12 COM
POWERSHUTTLE GBA2A

Marchas

5º e 6º Marchas

3º e 4º Marchas
Alta e Baixa

Entrada para à Frente

Entrada para à Ré

3 Alta e Baixa
4
1º e 2º Marchas
• CAIXA DE CÂMBIO SINCRONIZADA 12X12 COM
POWERSHUTTLE GBA2A
• CAIXA DE CÂMBIO SINCRONIZADA 12X12 COM
MECHANICSHUTTLE GBA2A

Marchas

5º e 6º Marchas

3º e 4º Marchas
Alta e Baixa

Entrada para à Frente

Entrada para à Ré

3 Alta e Baixa
4
1º e 2º Marchas
• CAIXA DE CÂMBIO SINCRONIZADA 12X12 COM
MECHANICSHUTTLE GBA2A
Eixo Traseiro
• EIXO TRASEIRO – GPA 50 Relação de redução total
25,14:1

Relação coroa/pinhão 47/10 = 4,70:1

Redução final GPA 54


Relação 5,35:1
Tomada de Potência

• 1 Velocidade: 540 • 2 Velocidades: 540 e • 3 Velocidades: 540, 540


540 Eco Eco e 1000

BRAKE TDP 540 TDP 540


BRAKE TDP 540 ECO

TDP 540 ECO BRAKE


Levante Hidráulico

• Controlador eletrônico

• Capacidade de levante:
• 4950 kgf no olhal
Controle Remoto
• Sistema de centro aberto

2 opções de vazão
• 57 litros
• 41 litros e 98 litros com fluxo combinado

2 configurações de VCR com regulador de fluxo


• 2 fatias
• 1 VCR: Desarme automático, flutuação, e regulagem de fluxo
• 1 VCR: Desarme automático e flutuação
• 3 fatias
• 1 VCR: Desarme automático, flutuação, e regulagem de fluxo
• 1 VCR: Desarme automático e flutuação
• 1 VCR: Centrada por mola
Creeper

RELAÇÃO DE REDUÇÃO: 13,68:1


Creeper

Rodado 18.4R38 @ 2200 RPM 23.1 R30


Marcha Velocidade Velocidade com redutor
1º L 2,34 km/h 2,2 0,17 km/h
2º L 3,22 km/h 3,1 0,24 km/h
3º L 4,44 km/h 4,2 0,32 km/h
4º L 6,17 km/h 6,0 0,45 km/h
5º L 8,58 km/h 8,2 0,63 km/h
6º L 10,36 km/h 10,0 0,76 km/h
1º H 6,63 km/h 6,4 0,48 km/h
2º H 9,15 km/h 9,0 0,67 km/h
3º H 12,61 km/h 12,22 0,92 km/h
4º H 17,53 km/h 17,46 1,28 km/h
5º H 24,37 km/h 23,86 1,78 km/h
6º H 29,42 km/h 29,1 2,15 km/h
Operação

• CABINADO - VISTA GERAL


• PARTIDA
Ligar a chave geral
3 4 Verificar as condições de partida
- Embreagem pressionada
2 - Sensor de presença do operador

1 – Off
2 – Contato
3 – Pré-Aquecimento O trator liga com a chave na posição (4), e com o
4 – Partida motor em funcionamento a chave fica na posição
(3)
TACÔMETRO

LUZES LUZES INDICADORAS


INDICADORAS

TEMPERATURA DO NÍVEL DE
DISPLAY LCD
MOTOR COMBUSTIVEL
Setas indicadoras de direção para
reboque

Luz indicadora de falha (código de


erro ativo)
Luz indicadora do pré-
aquecimento do motor
Luz indicadora de acionamento da
tração dianteira
Luz indicadora de acionamento do
bloqueio do diferencial
Não aplicado

Luz indicadora do acionamento do


Creeper
Não aplicado

Não aplicado

Luz indicadora da TDP de 540 rpm


engatada
Luz indicadora da TDP 540 Eco rpm
engatada
Luz indicadora da TDP de 1000
rpm engatada
Não aplicado
Luz indicadora de falha principal
(Pare o trator)

Luz indicadora de pressão de óleo


do motor
Luz indicadora de freio de
estacionamento engatado
Luz indicadora de carga do
alternador
Luz indicadora de nível de óleo de
freio
Luz indicadora de temperatura do
motor
Luz indicadora de presença do
operador

Luz indicadora de temperatura do


óleo da transmissão
Luz indicadora de bloqueio do
filtro da transmissão
Luz indicadora de bloqueio do
filtro de ar
Não aplicado

Não aplicado
Consumo de combustível instantâneo
Consumo total
Distancia percorrida
Área trabalhada
Parâmetro para iniciar medição de área

Horas para próxima manutenção


Memória gravada de rotação do motor
Temperatura de óleo da transmissão

Horas motor (motor desligado)


RPM do motor
Velocidade da TDP em RPM
Velocidade da TDP selecionada
Velocidade de descolamento do trator
Códigos de erro do motor
Configurações e calibrações
• TELA SUPERIOR
Consumo total

Consumo instantâneo

Distancia percorrida

Área trabalhada

Parâmetro para iniciar medição


• TELA MEDIANA

Horas para manutenção

Memória de rotação

Temperatura transmissão
• TELA INFERIOR
Horas do motor (Motor desligado)

RPM do motor

Velocidade de deslocamento

RPM da TDP e velocidade


selecionada

Identificação do código de erro

Alerta de código de erro ativo


• TELA SUPERIOR - CONFIGURAÇÕES
Zerar contadores de consumo total, distancia percorrida e
área trabalhada

Motor Ligado + 5s

Zerar contador de horas de manutenção

Motor Desligado + 5s
• TELA SUPERIOR - CONFIGURAÇÕES
Mudar parâmetro para iniciar medição de área e alterar
largura implemento

Grava e muda
Gravar
para largura

5s 5s 5s

OBS.:Motor Ligado ou Desligado


Altera de 0,10m
• TELA SUPERIOR - CONFIGURAÇÕES
Parâmetros iniciar medição de área
De acordo com o parâmentro selecionado é possivel realizar a medição da aréa trabalhada, distância percorrida e
consumo total. Existem 3 parâmetros para iniciar a medição:

Acionar a TDP inicia a medição de área, parar a TDP pausa a


medição.

Executar o comando de abaixar o levante inicia a medição da área,


ao acionar o comado de suspender o levante pausa a medição

Ao acionar a tecla de implemento inicia a medição de aréa, acionar


a tecla de implemento novamente pausa a medição.
Tecla NÃO vem instalada, existe a espera no chicote principal,
conector X900.
• TELA INFERIOR – CODIGOS DE ERRO

E = Motor
ORIGEM DO CÓDIGO DE FALHA H = Levante Hidráulico
P = TDP
O = TDA/Bloqueio Diferencial

CÓDIGO FMI

CÓDIGO DE FALHA
• MEMÓRIA DE ROTAÇÃO Permite armazenar e selecionar uma
rotação do motor
PLATAFORMADO

CABINADO
• MEMÓRIA DE ROTAÇÃO

Para armazenar uma rotação, define-se através


do pedal do acelerador ou do acelerador de
mão uma rotação, então pressiona-se o
interruptor de memoria por 5 segundos, e a
memoria será armazenada e visualizada do
display LCD do painel
• MEMÓRIA DE ROTAÇÃO

Para selecionar a rotação programada, basta


pressionar por um curto tempo o interruptor
de memória de rotação, que imediatamente a
memória armazenada será buscada
Para desativar a rotação selecionada basta
novamente pressionar o interruptor de
memoria de rotação
• TRAÇÃO DIANTEIRA AUXILIAR

Para engatar a tração dianteira, pressiona se o


interruptor da função, a luz indicadora de engate
acendera no painel

Para desengatar a tração dianteira, pressiona se o


interruptor da função, a luz indicadora de engate
apagara no painel

Ao pressionar os pedais do freio, a tração dianteira engatara


automaticamente, para fornecer frenagem nas 4 rodas, e desengatara
assim que os pedais forem liberados.
Ao utilizar o freio de mão o mesmo acontece.

Ao acionar o bloqueio do diferencial, a tração dianteira


será engatada .
Ao desligar o trator o mesmo acontece, pois a tração é
engatada através de pressão de mola, e desengatada por
força hidráulica
• BLOQUEIO DO DIFERENCIAL

Para engatar o bloqueio do diferencial,


pressiona se o interruptor da função, a luz
indicadora de engate acendera no painel

Para desengatar o bloqueio do diferencial,


pressiona se o interruptor da função, a luz
indicadora de engate apagará no painel. Ao
pressionar os pedais do freio, ocorre o desengate
do bloqueio do diferencial, ao soltar os pedais, o
mesmo permanece desengatado.
• POWER SHUTTLE

A alavanca do Power Shuttle


possui 3 posições:
• Avanço
• Neutro
• Ré
1

1- Reversão
2- Ajuste de Sensibilidade
• ALAVANCAS DE SELEÇÃO DE VELOCIDADES E ALTA/BAIXA
Versão cabinado: Ambas as alavancas a
direita do operador

Versão plataformado: Alavanca de


velocidades a direita do operador e alavanca
de alta/baixa a esquerda do operador
As marchas são sincronizada e as trocas podem ser feitas através do
uso do pedal de embreagem ou do HiShift.

HiShift
• CREEPER

Para engatar o creeper, pressiona se o


interruptor da função, a luz indicadora de
engate acendera no painel

Para desengatar o creeper, pressiona se o


interruptor da função, a luz indicadora de
engate apagara no painel

O ENGATE E DESENGATE DO CREEPER DEVE SER


REALIZADO COM O TRATOR PARADO.
• SELEÇÃO DE VELOCIDADES
Realizar a mudança do eixo estriado
• Eixo de 35 mm (1” 3/8) com 6 estrias (540/540e)
• Eixo de 35 mm (1” 3/8) com 21 estrias (1000)

Tecla seletora de rotações

NOTA: A seleção deve ser realizada com a TDP


desligada. Se realizar a mudança com a TDP ligada, a
mesma é desligada, e entra em modo de espera, até
ser desacionado o botão, e então a velocidade
escolhida é acionada.
• SELEÇÃO DE VELOCIDADES

1 VELOCIDADE 3 VELOCIDADES 2 VELOCIDADES


540 540/540 ECO/1000 540/540 ECO
• ACIONAMENTO E PARADA DA TDP

O botão de acionamento/parada da TDP


D possui 3 posições:
• LIGADA (A)
• DESLIGADA (B)
• FREIO (C)
A B C E uma trava de segurança (D)
• ACIONAMENTO E PARADA DA TDP

O engate da TDP deve ser realizado a baixa


rotação do motor

A velocidade selecionada será mostrada


no painel LCD e nas luzes respectivas no
painel
5
PLATAFORMADO

2 4

2
1

1. Tecla de subida e descida (penetração rápida)


1. Intermix (sensibilidade) 2. Intermix (sensibilidade)

2. Posição e Profundidade de trabalho 3. Velocidade de descida (modo automático)

4. Altura máxima

5. Profundidade do implemento
CABINADO

Suspensão Ativa

Sensibilidade Reação

Controle de
Velocidade de Descida
(modo automático)

Controle Altura Máxima

Potenciômetros de
Configuração

1. Tecla de Acionamento
1
2. Profundidade de trabalho
POTENCIÔMETRO AJUSTE VELOCIDADE DE ABAIXAMENTO

Utilizado para determinar a velocidade de abaixamento do levante


• 1 – velocidade mínima de abaixamento do levante
• 9 – Velocidade máxima de abaixamento do levante
1
Na posição A (versão plataformado), a velocidade do levante é
definida de modo automático pelo modulo do levante, levando em
consideração a carga aplicada e a velocidade de deslocamento do
trator
POTENCIÔMETRO AJUSTE ALTURA MÁXIMA
9

Utilizado para determinar a altura máxima de suspensão do levante


• 1 – Altura mínima de suspensão do levante
• 9 – Altura máxima de suspensão do levante

Pode ser utilizado para agilizar a saída e entrada do implemento no 1


solo nas manobras de cabeceira
POTENCIÔMETRO DO INTERMIX

Utilizado para ajustar o controle de tração ou o controle de posição


do sistema hidráulico, definindo a sensibilidade de resposta do
sistema a carga exercida sobre o implemento, ou travando a posição
9 do implemento, de acordo com a profundidade definida pelo
potenciômetro de ajuste de profundida/altura do levante

Ajustando o potenciômetro na escala de (1) a (9), define-se o


controle de tração, onde:
• 1 – Menor sensibilidade do sistema, necessário maior
esforço de tração para obter resposta
P
• 9 – Maior sensibilidade do sistema, necessário menor
1 esforço de tração para obter resposta

Na posição (P), não há leitura de sensibilidade, somente atuará


o controle de posição.
INTERRUPTOR MODO TRANSPORTE

Utilizado para acionar o modo transporte, onde o sistema,


controlara de maneira automática a movimentação dos
braços em caso de sobrecargas durante o deslocamento do
conjunto trator/implemento com o levante suspenso
POTENCIÔMETRO AJUSTE PROFUNDIDADE DO LEVANTE - CABINADO

Ajustado para realizar a regulagem de


profundidade dos braços do levante, onde:

(~) – Flutuação
(9) – Profundidade máxima
(0) – Profundidade mínima (altura máxima)

Com o interruptor (A) na posição de operação


(abaixar) movimentando o potenciômetro irá
ocorrer a elevação ou abaixamento do sistema
de levante

A
INTERRUPTOR CONTROLE DO LEVANTE

Responsável pelo controle do levante, suspensão e abaixamento


dos braços
A versão combinada possui um interruptor extra de controle do
levante, o qual não possui trava de posição e pode ser utilizado
para ajustes finos de posição ou auxilio para acoplar
implementos, o mesmo apenas funciona se o freio de mão estiver
acionado.
INTERRUPTOR CONTROLE DO LEVANTE

Suspensão

Neutro

Abaixamento

Penetração
rápida
• CENTRO ABERTO 98 LPM
Sistema composto por 2 bombas para o sistema hidráulico
• Bomba do levante: 19 cc (57 lpm)
• Bomba do controle remoto: 14 cc (41 lpm)
• CENTRO ABERTO 98 LPM
Interruptor responsável por unir as bombas, fornecendo vazão de 98
litros para o controle remoto
Se utilizar o levante enquanto a união das bombas estive ativa, o
sistema reconhece, e interrompe temporariamente a junção das
bombas ate ser encerrado o uso do levante
• CENTRO ABERTO 57 LPM
Sistema composto por 1 bomba para o sistema hidráulico
• Bomba principal: 19 cc (57 lpm)
• REGULADOR DE FLUXO

Possibilidade de regular a vazão do corpo primaria do sistema de


controle remoto através do regulador de fluxo
Manutenção
• CAPACIDADES E DIMENSÕES
UNIDADE CAPACIDADE ESPECIFICAÇÃO
SAE 15W40
MOTOR 16L
API CI-4 / ACEA E7

190 L (Cabinado)
TANQUE DE COMBUSTIVEL 197 L (Plataformado)
S500 ou S10

SISTEMA DE 15L (Plataformado) 50% agua desmineralizada


ARREFECIMENTO 16L (Cabinado) 50% aditivo etilenoglicol

TRANSMISSÃO E SISTEMA Power Shuttle: 44 a 48L SAE 10W30


HIDRÁULICO Mecânica: 36 a 40L API GL-4 CMS 1145

Carraro 20:19= 5L
SAE 80W90
EIXO DIANTEIRO Carraro 20:22= 6L
API GL-4
Dana= 6L

Carraro 20:19= 0,9L SAE 80W90


REDUTOR FINAL DIANTEIRO Carraro 20:22= 0,7L API GL-4
Dana= 0,7L
Litio tipo EP
GRAXA Conforme necessidade
NLGI2
• MOTOR

COMPONENTE PRIMEIRA PLANO REGULAR


Óleo do motor e Filtro --- 400 horas*
Filtros de Combustível --- 400 horas¹
Correia Ventilador --- 800 horas
Tanque do Combustível --- 800 horas
Ajuste de Válvula 400 horas 800 horas
Liquido de Arrefecimento --- 1200 horas**
Filtro de Ar Primário --- 1000 horas²
Filtro de Ar Secundário --- 2000 horas³

¹ Ou antes, de acordo com o sistema de controle do motor notificado pelo código de serviço especifico
² Substitua após a quinta limpeza, ou a cada 100 horas, ou uma vez por ano, o que ocorrer primeiro
³ Substitua após a segunda troca do filtro primário ou a cada dois anos
* Ou anualmente
** Ou a cada 2 anos
• EIXO DIANTEIRO

COMPONENTE PRIMEIRA PLANO REGULAR


Óleo redutores 50 horas 400 horas
Óleo diferencial 50 horas 800 horas
Lubrifique --- 50 horas
• SISTEMA HIDRÁULICO E TRANSMISSÃO

COMPONENTE PRIMEIRA PLANO REGULAR


Filtro de alta pressão 50 horas 400 horas¹
Lubrifique rolamentos eixo
--- 400 horas
traseiro
Óleo da transmissão e
--- 1200 horas²
Sistema Hidráulico
Filtro de Sucção --- 1200 horas²
Respiro da Transmissão --- 1200 horas²
Filtro do Power Shuttle 50 horas 1200 horas²

¹ Ou anualmente
² Ou a cada dois anos
Calibrações

• Calibração da velocidade de avanço

• Calibração dos Potenciômetros do Sistema de Levante

• Calibração do Sistema de Levante

• Calibração do Power Shuttle

• Calibração do Pedal de Embreagem


• CALIBRAÇÃO DA VELOCIDADE DE AVANÇO
Objetivo: Ajustar o sensor de velocidade de avanço teórica com o perímetro de rodagem que foi
montado na maquina.

Comando utilizados:
• CALIBRAÇÃO DA VELOCIDADE DE AVANÇO
Realize uma marcação no chão de 100 metros, e posicione o trator no inicio da mesma. Engate a
velocidade 1-H e acelere o trator a 1500 RPM.
Pressione ao mesmo tempo as 2 teclas superiores, como resultado aparecerá no display “0 m”.

Desloque o trator até a marcação de 100 metros, como resultado devera aparecer “100 m” no display,
pressione novamente as 2 teclas ao mesmo tempo, e como resultado devera aparecer no display o valor de
circunferência da rodagem durante alguns segundos. Desligue por no mínimo 5 segundos a ignição para
validar a calibração.
Caso haja divergência de valor (100 m) será necessário a correção do perímetro dos pneus traseiros via EDT
na ECU do sistema hidráulico.
• CALIBRAÇÃO DOS POTÊNCIOMETROS DO SISTEMA DE LEVANTE
Potenciômetro a serem calibrados: Ajuste de
profundidade do levante e intermix.

Comando utilizados:

Condição: Chave de ignição ligada, sem ligar o


motor
• CALIBRAÇÃO DOS POTÊNCIOMETROS DO SISTEMA DE LEVANTE

Pressionar por 5 segundos a tecla de navegação

Quando aparecer “CAL hitch 1”, pressionar por 5


segundos a tecla de navegação
• CALIBRAÇÃO DOS POTÊNCIOMETROS DO SISTEMA DE LEVANTE
Quando aparecer “Lo” mova os 2
potenciômetros para a posição mínimo.
(alavancas totalmente para baixo)

PLATAFORMADO CABINADO
• CALIBRAÇÃO DOS POTÊNCIOMETROS DO SISTEMA DE LEVANTE
Quando aparecer “Hi” mova os 2
potenciômetros para a posição máximo.
(alavanca totalmente para cima)

PLATAFORMADO CABINADO
• CALIBRAÇÃO DOS POTÊNCIOMETROS DO SISTEMA DE LEVANTE

Quando aparecer “End”, calibração estará concluída.


• CALIBRAÇÃO DO SISTEMA DE LEVANTE
Objetivo: Encontrar as correntes mínimas aplicadas a
solenoide proporcional para obter um movimento do
sistema, e informar as paradas de posição mecânicas (alta
e baixa).

Comando utilizados:

Condição: 400 kg de carga no levante


• CALIBRAÇÃO DO SISTEMA DE LEVANTE
Pressionar por 5 segundos a tecla de navegação

Aparecerá “CAL hitch2”, indicando que o menu de


calibração foi acessado.

Posicione o potênciometro de profundidade numa


posição entre “4” e “6”. Se esta condição não for
obedecia a calibração não inicia. (Error 1)
• CALIBRAÇÃO DO SISTEMA DE LEVANTE
Coloque a rotação do motor em 1500 RPM.

Para o sistema Easy Lift, posicione o controle do


levante na posição de descida (trabalho).

Pressionar por 5 segundos a tecla de navegação

Quando aparecer “run”, a calibração estará em


andamento e os braços se movimentarão
automaticamente.
• CALIBRAÇÃO DO SISTEMA DE LEVANTE

Durante o processo de calibração, os braços do levante de


movimentarão automaticamente, buscando os intervalos de ação
do levante.
Ao final ele enforcara o sistema nos pontos maximos, superior e
inferior.

Quando aparecer “End”, calibração estará concluída.


• CALIBRAÇÃO DO SISTEMA DE LEVANTE

O acesso ao modo de calibração não será fornecido se:


O peso utilizado para calibração for insuficiente ou não estiver
engatado ao trator;
A rotação do motor não for 1500 RPM (+ ou – 100rpm);
As alavancas do levante hidráulico não estiverem na posição correta
para iniciar o processo de calibração.

O sistema sai do modo de calibração durante o processo se:


As alavancas do levante hidráulico forem acionadas durante o
processo de calibração.
• CALIBRAÇÃO DO POWER SHUTTLE
Objetivo: Calibrar a reação dos acionamentos dos
solenoides de reversão, esta calibração permite a
sensibilidade de avanço frente e ré da maquina.

Comando utilizados:

Condição: Temperatura do óleo da transmissão entre 35


e 45º C.
• CALIBRAÇÃO DO POWER SHUTTLE
Posicione a alavanca de grupo (H/L) na posição neutra, e a alavanca de marchas engate em 4º, ajuste a
rotação do motor a 1500 RPM.

Pressione tecla de navegação “tela inferior” por 5 segundos, como resultado aparecera no display “ CAL –
hitch2”, pressione novamente a tecla anterior e aparecera “CAL – tcXX” (XX= Temperatura em ºC da
transmissão), pressione novamente a tecla anterior por 5 segundos e como resultado aparecera no display
“tc – run”.
5 segundos 1 click 5 segundos
• CALIBRAÇÃO DO POWER SHUTTLE
Posicione a alavanca no Power Shuttle na posição de avanço, e mantenha a mesma assim até a calibração ser
concluída. A calibração demora de 4 a 7 minutos em média, ao final da mesma aparecera no display “tc –
end”.

Retorne a alavanca do Power Shuttle para a posição neutro, desacelere o trator, desligue a chave de ignição
por no mínimo 5 segundos para validar a calibração.

Realize algumas reversões, e saídas de neutro para frente e ré, para verificar a correta calibração.
• CALIBRAÇÃO DO POWER SHUTTLE
O acesso ao modo de calibração não será fornecido se:
A temperatura do óleo não estiver dentro do range especificado (35° a 45° C);
A rotação do motor não for 1500 RPM (+ ou – 100rpm);
A velocidade de deslocamento da maquina não for igual a “0”;
Os solenoides do bloco reversor estejam conectados de forma incorreta.

O sistema sai do modo de calibração durante o processo se:


A calibração for cancelada.

O sistema sai do modo de calibração durante o processo se:


Nenhuma velocidade intermediaria for detectada durante o processo de
calibração (a 4 marcha deve estar engatada).
• CALIBRAÇÃO DO PEDAL DE EMBREAGEM
Objetivo: Ajusta a posição superior e inferior do potenciômetro do pedal de embreagem, para que o
potenciômetro atue dentro do curso de deslocamento do pedal de embreagem e possibilite o acionamento
suave da embreagem.

Procedimento: Solte o freio de mão. Acione a chave de ignição, sem ligar o motor. Pressione e mantenha
pressionado o pedal de embreagem até o final do seu curso. Suspenda a alavanca do Power Shuttle e
mantenha o mesmo nessa posição, após aproximadamente 5 segundos devera soar um sinal sonoro
indicando o inicio da calibração.
Comece a soltar lentamente e de maneira uniforme o pedal de embreagem, como resultado o alarme
sonoro para de soar, se o mesmo não parar, repita a operação soltando mais lentamente o pedal de
embreagem. Continue soltando o pedal de embreagem até o alarme soar novamente, após isso solte
totalmente o pedal de embreagem e mova a alavanca do Power Shuttle para a posição neutro.

Desligue a ignição por pelo menos 5 segundos para validar a calibração.


Hidráulica

Centro Aberto 57 LPM Centro Aberto 98 LPM


• BOMBA 1 - DIREÇÃO E ACIONAMENTOS

ESPECIFICAÇÕES
Deslocamento 11 cm³/rev
Taxa de fluxo 34 L/min*
Pressão Máxima 175 Bar

*Relação 65/47 = 1:1,383


• BOMBA 2 – LEVANTE (CO98) e LEVANTE E CONTROLE REMOTO (CO57)

ESPECIFICAÇÕES
Deslocamento 19 cm³/rev
Taxa de fluxo 57 L/min*
Pressão Máxima 195 Bar

*Relação 65/47 = 1:1,383


• BOMBA 3 - CONTROLE REMOTO

ESPECIFICAÇÕES
Deslocamento 14 cm³/rev
Taxa de fluxo 41 L/min*
Pressão Máxima 195 Bar

*Relação 65/47 = 1:1,383


• BOMBA 4 - LUBRIFICAÇÃO

ESPECIFICAÇÕES
Deslocamento 15 cm³/rev
Taxa de fluxo 33 L/min*
pressão 1,5 bar
O Tanque é formado pela caixa de cambio e as carcaças do eixo traseiro. As bombas sugam o óleo do tanque
por meio do filtro e também recebem todo o excesso de óleo lubrificante, sem deixar que ele volte para o
tanque.
• DRENAGEM E SUBSTITUIÇÃO DO ÓLEO
▪ Coloque os braços do levante na posição
abaixada
▪ Remova os quatro plugues dos drenos e a tampa
do enchimento
▪ Dreno o óleo, se possível aquecido

▪ Recoloque os plugues dos drenos, e abasteça


com o óleo recomendado até o nível correto.
• Localizado na parte frontal do trator, atrás da bateria e
abaixo do filtro de ar
• Resfria o óleo proveniente da bomba de direção
• CAMINHO ÓLEO PARA DIREÇÃO
• CAMINHO ÓLEO PARA RADIADOR
• Filtro de Sucção 150µ
• Filtro de Alta Pressão 15µ
• Filtro de Acionamentos 60µ
• Filtro do respiro da transmissão 3µ
• FILTRO DE SUCÇÃO • FILTRO ALTA PRESSÃO
Filtragem: 150 µ Filtragem: 15 µ
• FILTRO DE ACIONAMENTOS • FILTRO DO RESPIRO DA TRANSMISSÃO
Filtragem: 60 µ Filtragem: 3 µ
1 9
2 10
3 11

12
13
4 14

5 15

16
6

7 17

8 18
• TAMPA LADO DIREITO

1 Tampão 10 Válvula lubrificação freio 1,4 bar


2 Tampão (CO98) / Saida VCR e Levante 11 Retorno Controle Remoto *
(CO57) * Válvula lubrificação 3 bar
3 Anti-choque do levante (NA) 12 Pórtico teste pressão lubrificação
4 Tampão* 13 Válvula By-pass radiador
* Instalação saída para acumulador 4 bar
5 Tampão 14 Retorno radiador
6 Saída para acumulador (CO98) / 15 Alimentação radiador
Pórtico teste 21 bar (CO57)
7 Pórtico teste Bomba 2 (19cc) 16 Válvula reguladora 21 bar
8 Válvula de alivio (195 bar) 17 Sensor lubrificação 0,4 bar
9 Pórtico teste Bomba 1 (11cc) 18 Filtro de acionamentos 60 µ
1

1 – Saída do óleo da bomba de 19 cc (B2) para a tampa do


2 7
lado esquerdo 3 8
2 – Lubrificação do freio
3 – Lubrificação caixa de câmbio
4 – Fornecimento da bomba de 19 cc (B2)
4 9
5 – Pressão de 21 bar para caixa de câmbio (NA) 5
6 – Sucção das bombas 10
7 – Pressão de 21 bar para bloco Bloq.Dif./TDP e caixa TDP
8 – Lubrificação Eixo traseiro e TDP 11
9 - Fornecimento da bomba de 11 cc (B1) 6
10 – Pressão de 21 bar para 4WD
11 – Pressão de 21 bar para Crepper
Válvula de
lubrificação
3 bar
Válvula de
alivio do
levante
230 bar (NA)

Válvula de
acionamentos
21 bar

Válvula de alívio
195 bar
• VÁLVULA DE ALÍVIO DO LEVANTE 230 BAR

Operação
Se a pressão (P) subir acima de 220 ± 5 bar, a mola (1)
será comprimida, abrindo a válvula (2) para permitir
que o óleo flua para dentro da carcaça através da
porta (R).

Componentes:

1-Mola
2-Válvula
3-Tampão
4-Corpo
5-Anel-O
6-Calços
7-Arruela
8-Rolamento esférico

*Presente em alguns tratores, mas sem função.


• VÁLVULA DE ALÍVIO 195 BAR

Operação
Se a pressão (P) subir acima de 195 ± 5 bar, a mola (1)
será comprimida, abrindo a válvula (2) para permitir
que o óleo flua para dentro da carcaça através da
porta (R).

Componentes:

1-Mola
2-Válvula
3-Tampão
4-Corpo
5-Anel-O
6-Calços
7-Arruela
8-Rolamento esférico
• VÁLVULA DE ACIONAMENTOS 21 BAR

Operação
A válvula é alimentada pelo retorno da válvula do
carretel da direção através da porta (D). Se a pressão
(P) exceder 21 bar, a mola (3) se comprime e o carretel
(2) se move e permite que o óleo flua para o sistema
de resfriamento através da porta (R).
Componentes:

1-Corpo de Válvula
2-Conjunto Carretel
3-Mola
4-Plugue
5-Plugue
6-Calços
7-Anel O
• VÁLVULA DE LUBRIFICAÇÃO 3 BAR

Operação
A válvula é alimentada pelo retorno da válvula do
carretel auxiliar via canal (P). Quando a pressão (P)
atinge 3 bar, a mola (3) comprime e a válvula (2) se
move e permite o fluxo de óleo para o tanque através
da porta (R).

1-Tubo
2-Válvula
3-Mola
4-Anel O
5-Anel O
• TAMPA LADO ESQUERDO (98 LPM)
1 6

2 7

8
3

5
• TAMPA LADO ESQUERDO (98 LPM)

1 Saída para Controle Remoto

2 Válvula Acoplamento Bombas

3 Válvula Controle do levante

4 Válvula de alivio (195 bar)

5 Pórtico teste Bomba 3 (14 cc)

6 Retorno VCR p/ tanque

7 Entrada pressão acionamento

8 Saída/Retorno para Levante


• TAMPA LADO ESQUERDO (98 LPM)

Válvula de
junção de
bombas

Válvula de
alivio 195
bar
• TAMPA LADO ESQUERDO (57 LPM)
Bomba 1 – 11 cm³/rev Bomba 2 – 19 cm³/rev

Bomba 3 – 14 cm³/rev Bomba 4 – 15 cm³/rev


• VÁLVULA DE JUNÇÃO DE BOMBAS

Operação
A solenoide (1) ativa o carretel da válvula de junção (2)
através de linha de 21 bar, assim unindo o fluxo
proveniente da bomba do levante ao fluxo da bomba
do controle remoto.
Sem fluxo combinado o óleo entra pelo orifício (3) e
sai pelo orifício (2), com a junção de bomba ele entra
pelo orifício (3) e sai pelo orifício (4).
• JUNÇÃO DE BOMBAS
Situação “A”:
As bombas não estão acopladas. O fluxo da bomba B2 de 19 cc
(1) vai para a válvula do levante hidráulico, saindo pela conexão
(2) da tampa esquerda. O fluxo da bomba de B3 14 cc (3) vai
para as VCR’s, saindo pela conexão (4) até o comando.

Situação “B”:
Ocorre a junção de bombas. A válvula solenoide (7) ativa o
carretel (5) por meio da pressão de 21 bar . O carretel pilota
então o fluxo da bomba de B2 19 cc (1) direcionado sua vazão
para a conexão de saída (4) formando então o Fluxo
Combinado.
• JUNÇÃO DE BOMBAS
Sem o fluxo combinado o óleo entra pelo orifício (3) e sai
pelo orifício (2).
Com o fluxo combinado, o óleo liberado da linha de 21 bar
pela válvula solenoide, empurra o carretel (1), e então o
óleo entra pelo orifício (3) e sai pelo orifício (4), unindo o
fluxo das bombas
• Controle Remoto
Há duas versões de controle remoto com divisor de
fluxo, com duas ou três válvulas, as válvulas são de
dupla ação e com duas opções de posição, com e sem
posição de flutuação, e podem ser de desarme
automático ou retorno por mola.
A um regulador de vazão no corpo do divisor de fluxo, o
qual permite regular a vazão da primeira fatia.
Caso nenhuma fatia esteja sendo utilizada, o óleo é
enviado para realizar outras funções (acionamento e
lubrificação)
Entrada Óleo
• Divisor do fluxo

Retorno p/
outras funções

Saída para Saída para Retorno p/


Corpo 2-3 Corpo 1 tanque
• VÁLVULA DO LEVANTE
• VÁLVULA DO LEVANTE
Comando de
abaixamento Comando de
manual elevação manual

Válvula solenoide
de elevação e
descida (ON/OFF)

Válvula solenoide de
controle do levante
(PROPORCIONAL)
• VÁLVULA DO LEVANTE

Válvula
abaixamento

Carretel Divisor de fluxo


principal
• VÁLVULA DO LEVANTE Retorno a
tanque cilindros

Retorno a
tanque excesso

Alimentação da
bomba
Alimentação 21
bar
• VÁLVULA DO LEVANTE – SEM OPERAÇÃO DO LEVANTE

1- Retorno a tanque
2 – Alimentação 21 bar
A – Divisor de fluxo
B – Válvula solenoide do controle
proporcional
C – Válvula solenoide de ativação ou
desativação abaixamento
D – Carretel principal
E – Válvula abaixamento
• VÁLVULA DO LEVANTE – LEVANTE POSIÇÃO LEVANTAR

1- Retorno a tanque
2 – Alimentação 21 bar
A – Divisor de fluxo
B – Válvula solenoide do controle
proporcional
C – Válvula solenoide de ativação ou
desativação abaixamento
D – Carretel principal
E – Válvula abaixamento
• VÁLVULA DO LEVANTE – LEVANTE POSIÇÃO ABAIXAR

1- Retorno a tanque
2 – Alimentação 21 bar
A – Divisor de fluxo
B – Válvula solenoide do controle
proporcional
C – Válvula solenoide de ativação ou
desativação abaixamento
D – Carretel principal
E – Válvula abaixamento
• CONTROLE REMOTO E LEVANTE - CENTRO ABERTO 57 LITROS
• CONTROLE REMOTO E LEVANTE - CENTRO ABERTO 57 LITROS
• CONTROLE REMOTO E LEVANTE - CENTRO ABERTO 57 LITROS
• CONTROLE REMOTO E LEVANTE - CENTRO ABERTO 57 LITROS
Retorno Cilindro
Esquerdo

Cilindro
Pressão
Direito
Testes e diagnósticos

O sistema hidráulico de centro aberto é constituído por dois sistemas: O Sistema de Baixa Vazão e um Sistema Alta Vazão.

Sistema de Baixa Vazão, ainda se divida em 2, Circuito da Direção 175Bar e Circuito de 21Bar

Funções do sistema de pressão baixa (21 bar):


•PowerShuttle (Embreagem Frente e Ré)
•Freio e embreagem da TDP
•Embreagem 4WD
•Bloqueio do diferencial dianteiro e traseiro
•Válvula do carretel da direção (Orbitrol)
•Acoplamento do Creeper
•Seleção das velocidades da TDP
•Acionamento da Válvula comutadora (Fluxo Combinado)

Funções do sistema de pressão alta:


•Sistema de Levante B2
•Válvulas do Controle Remoto B3 e (B2 c/ Fluxo Combinado)
• ÍNDICE DOS DIAGNÓSTICOS

1.Teste de Lubrificação do Eixo Traseiro


2.Teste de Pressões de acionamento (21 bar)
3.Teste da Vazão da Bomba B1 (11cc/rev – 33LPM): Sistema de Direção
4.Teste de Pressão da Unidade Hidrostática
5.Teste da Válvula de Alívio da Bomba B2 (19cc/rev – 57LPM): Sist. Levante e Controle Remoto
6.Teste da Válvula de Alívio da Bomba B3 (14cc/rev – 41 LPM): Controle Remoto
7.Teste da Vazão da Bomba B3 (14cc/rev – 41LPM): Controle Remoto
8.Teste da Vazão da Bomba B2 (19cc/rev – 57LPM): Sistema de Levante e Controle Remoto
(Modo Fluxo Combinado)
9.Teste da Válvula Reguladora de Fluxo: Controle Remoto
10.Teste da Pressão de Retorno Automático para Neutro (Kick-Out): Controle Remoto montado
com a função
Teste de Lubrificação do Eixo Traseiro
Procedimento
Teste da Pressão de Lubrificação do Eixo Traseiro
1.Conecte um manômetro de 10 bar na porta de teste de pressão (1),
localizado na placa do lado direito do trator; 1
2.Verifique e compare a pressão em (1) conforme a rotação, segundo a
tabela abaixo:

RPM Motor (1) mínimo (1) máximo

840 rpm 0,9 bar 2,3 bar

1500 rpm 2,2 bar 2,7 bar

2200 rpm 2,4 bar 3,0 bar


Teste de Pressões de acionamento (21 bar)
Procedimento
1. Conecte um manômetro de pelo menos 30 bar na porta de testes
de pressão (1) na parte superior da tampa do lado direito;
2. Ligue o motor e acelere à 1420 rpm;
3.Realize os acionamentos (TDP, 4WD, Bloqueio, etc) e verifique a
pressão de leitura obtida
4.Em outra rotação volte a realizar os acionamento e verifique a 1
leitura de pressão obtida

• Nos tratores com reversão eletro-hidráulica, o pórtico teste não


vem instalado, no lugar dele esta o tubo de conexão de saída
para acumulador e bloco de acionamento do power shuttle
Teste de Pressões de acionamento (21 bar)
• Alteração da conexão da linha de alimentação de 21 bar para o acumulador

A instalação atual da linha de alimentação de


21 bar para o acumulador esta instalado onde
deveria haver, um pórtico teste da linha de 21
bar (Item A). E existe um tampão (Item B)
logo acima do mesmo, onde poderia ser
instalado uma porta teste.
Ao realizar a instalação dessa porta teste
onde hoje existe o tampão (item B), não se
consegue instalar um instrumento de
B
medição, pois a tubulação de saída da
alimentação interfere.
Deve ser invertida a tubulação de alimentação
e instalado onde existe o tampão (Item B), e a
A
porta teste foi instalada onde antes era a
saída da linha de alimentação do acumulador.
Teste de Pressões de acionamento (21 bar)
• Alteração da conexão da linha de alimentação de 21 bar para o acumulador
ANTES DA ALTERAÇÃO - ORIGINAL DEPOIS DA ALTERAÇÃO
Teste da Vazão da Bomba B1 (11cc/rev – 33LPM): Sistema de Direção
Procedimento
1.Conecte um fluxômetro entre saída do filtro de 15 μm (Filtro de Pressão) (1),
localizado na Placa do Lado Direito da carcaça central do eixo traseiro, e a mangueira
de pressão (2) da Unidade Hidrostática.
IMPONTANTE: Certifique-se de que a válvula de controle de fluxo do fluxômetro
permanece totalmente aberta durante todo teste.
2.Conecte também um manômetro de 60 bar na porta de teste de pressão (3) na parte
superior da Placa do Lado Direito;
3.Observe a vazão Q3 na tabela:
NOTA: O volante da direção não deve ser movido (esterçado) durante este teste.

RPM Motor Pórtico (3) Q

1000 rpm 18 ± 1 bar 16,0 ± 1 L/min

2200 rpm 18 ± 1 bar 32,7 ± 2 L/min


Teste de Pressão da Unidade Hidrostática 1
Procedimento

1. – Conecte um manômetro de 250 bar na porta de testes de pressão (2)


na parte superior da Tampa do Lado Direito;
2. – Ligue o motor e acelere à 1000 rpm;
3. Esterce o volante da direção para a esquerda ou para a direita até o
final de curso e mantenha nesta posição para fazer a leitura no
manômetro que deve ser de 170 a 175 bar.
(P) = 170 a 175 bar.
A pressão é ajustada na Válvula de Alívio, na Unidade Hidrostática (18).
Teste da Válvula de Alívio da Bomba B2 (19cc/rev – 57LPM): Sist. Levante e Controle
Remoto
Procedimento
1.Conecte um manômetro com capacidade maior que 250 Bar ao conector do sistema
diagnóstico
2.Coloque a rotação do motor a 2.200 rpm.
3.Ative o Sistema de Levante através do interruptor de neutro “N”, na cabine, no console no
lado direito, apertando-o duas vezes seguidas. A luz da tecla do Fluxo Combinado deverá se
manter apagada;
4.Acione a Tecla de Subida no para lama ou na cabine até o braços chegarem ao final de
curso.
5.Verifiquea pressão do manômetro instalado, deverá apresentar uma pressão = 195 ± 5 bar.
Se a pressão não estiver correta, ajuste a válvula de segurança usando calços (6).
6.A 1000 rpm, a pressão não deve cair.
Teste da Válvula de Alívio da Bomba B3 (14cc/rev – 41LPM): Controle Remoto

Procedimento
1.Conecte um manômetro com capacidade maior que 250 Bar ao conector do
sistema diagnóstico
2.Coloque a rotação do motor a 2.200 rpm.
3.O fluxo combinado deverá estar desligado.
4.Acione a alavanca de uma válvula do Controle Remoto
5.Verifique a pressão do manômetro que está instalado. Deverá estar em 195
bar ± 5 bar.
Se a pressão não estiver correta, ajuste através de calços (6);
6.À 1000 rpm do motor, a pressão não deve cair.
Teste da Vazão da Bomba B3 (14cc/rev – 41LPM): Controle Remoto
Procedimento
1
1.Conecte um fluxômetro no engate rápido de um dos corpos (válvula) do
Controle Remoto, que não seja o corpo do divisor de fluxo, pode utilizar como
exemplo o corpo (1). Conecte o retorno diretamente na carcaça da
transmissão, no bocal de abastecimento (2). Importante: Certifique-se que o
regulador de vazão do fluxômetro esteja totalmente aberto.
2.Conecte um manômetro adequado na porta de medição de pressão (3) 2
Atenção: Certifique-se que o Fluxo Combinado esteja desativado.
3.Acione a alavanca do comando onde está o fluxômetro para a posição
adequada (pressão na entrada do fluxômetro);
4.Ajuste, através do regulador de vazão do fluxômetro, para obter a pressão
indicada na tabela abaixo;

RPM Motor Pórtico teste Q1


2.200 100 bar 41 ± 2 L/min
3
Teste da Vazão da Bomba B2 (19cc/rev – 57LPM): Fluxo conbinado
Procedimento
1
1.Conecte um fluxômetro no engate rápido de um dos corpos (válvula) do
Controle Remoto, que não seja o corpo do divisor de fluxo, pode utilizar como
exemplo o corpo (1). Conecte o retorno diretamente na carcaça da transmissão,
no bocal de abastecimento (2).
2.Importante: Certifique-se que o regulador de vazão do fluxômetro esteja
totalmente aberto. 2
Conecte um manômetro adequado na porta de medição;
Atenção: Certifique-se agora que o Fluxo Combinado esta ativado, ou seja, soma
das bombas B2 com a B3.
3.Acione a alavanca do comando onde está o fluxômetro para a posição de
entrada no fluxômetro.
4.Ajuste, através do regulador de vazão do fluxômetro, para obter a pressão
indicada na tabela abaixo.
RPM Motor Pórtico teste Q1
2.200 100 bar 98 ± 2 L/min
Teste da Válvula Reguladora de Fluxo: Controle Remoto
Procedimento
1
1.Conecte um fluxômetro no engate rápido no corpo válvula (1) do Controle Remoto,
localizada ao lado da Válvula Divisora. Conecte o retorno diretamente na carcaça da
transmissão, no bocal de abastecimento (2).
2.Importante: Certifique-se que o regulador de vazão do fluxômetro esteja totalmente
aberto e que o modo Fluxo Combinado esteja desativado. Conecte um manômetro
adequado na porta de medição de pressão (3). 2
3.Acione a alavanca do comando onde está o fluxômetro para a posição adequada
(pressão na entrada do fluxômetro);
4.Ajuste, através do regulador de vazão do fluxômetro, para obter a pressão indicada
na tabela abaixo;
5.Controlar a vazão na Válvula Divisora girando a manopla de ajuste mostrado (3)

RPM Motor Pórtico teste Q1

2.200 0 a 150 bar 0 a 41 L/min


3
Teste da Pressão de Retorno Automático para Neutro (Kick-Out)
Procedimento
1
1.Conecte um fluxômetro no engate rápido de uma das VCR’s (1). Conecte o retorno
diretamente na carcaça da transmissão, no bocal de abastecimento (2).
2.Conecte um manômetro adequado na porta de medição de pressão de alívio.
3.Ligue o motor e acelere-o à 2200 rpm;
Atenção: Certifique-se que o modo Fluxo Combinado esteja Ativado
4.Posicione a alavanca do corpo correspondente para a posição de “Retorno 2
Automático” (“Kickout”). Acione a alavanca e gradualmente, através do regulador de
vazão do fluxômetro, fechar o fluxo até a alavanca voltar para a posição de neutro
“desarmar”. Simultaneamente observe a pressão no manômetro instalado (A pressão
no manômetro deverá ficar entre 150 e 170 bar;
Nota: Tenha certeza que a alavanca está na posição de “Retorno Automático” e não em
“Flutuação”.

3
Freios de Serviço
Os cilindros de freio estão conectados aos pedais de freio, e atuam
sobre as unidades de freio situadas sobre a carcaça do eixo traseiro,
utilizando o fluido do reservatório.

(1) Pedais
(2) Alimentação do
reservatorio
(3) Sensor
(4) Para unidade esquerda
(5) Para unidade direita
(6) Cilindros mestres
(7) Carretel
A pressão proveniente dos cilindros mestres ao acionar os
pedais do freio, empurra o pistão do cilindro de freio, puxando
o tirante dos mecanismos, assim comprimem os discos de freio
conectados as engrenagens solares de entrada da carcaça da
trombeta por meio de estrias e das placas intermediarias
acopladas ao alojamentos central por meio de orelhas, e freiam
o semieixo
Freio de Mão
Atua diretamente nos cilindros de
freio através de cabo.

275 mm
Lubrificação
Acionamentos

• Bloqueio Diferencial Traseiro

• Bloqueio Diferencial Dianteiro

• Embreagem da TDP

• Velocidades da TDP

• Embreagem do 4WD

• Creeper
• BLOQUEIO DIFERENCIAL TRASEIRO

O acionamento é realizado através do bloco de


acionamento, localizado em cima da carcaça do
eixo traseiro.
Este bloco também é responsável pelo
acionamento da embreagem da PTO. Há nele
indicação da função exercida por cada válvula.

Solenoide 21 Bar
12V - 10Ω
Solenoide 21 Bar
• BLOQUEIO DIFERENCIAL TRASEIRO 12V - 10Ω

O acionamento é realizado através do bloco de


acionamento e pela solenoide X6 (ON/OFF),
através de pressão hidráulica, a mesma é
desativada por pressão de mola.
• BLOQUEIO DIFERENCIAL DIANTEIRO

É acionado juntamente com o bloqueio traseiro, através de um


acoplamento e uma saída externa ao bloco de acionamento.
Essa tubulação vai até o eixo dianteiro para fazer o
acionamento.
Principio de acoplamento é similar ao traseiro
• TOMADA DE POTÊNCIA

1 – Unidade da TDP
2 - Eixo da TDP
3 – Embreagem da TDP
• TOMADA DE POTÊNCIA
O acionamento da embreagem da TDP é
realizado através do bloco de
acionamento, localizado em cima da
carcaça do eixo traseiro.
Este bloco também é responsável pelo
acionamento do bloqueio do diferencial.
Há nele indicação da função exercida por
cada válvula.
• TOMADA DE POTÊNCIA
Solenoide 21 Bar – X16
O acionamento da embreagem da PTO é realizado por uma 12V – Corrente 0,7A – 9,5 Ω

galeria interna com pressão de 21 Bar.


É acionado por uma solenoide proporcional com sinal PWM,
para fazer o acoplamento proporcional do eixo da TDP.

Já as velocidades da TDP são realizadas por um corpo de


válvulas localizada na própria caixa de velocidades da TDP na
parte traseira, e são solenoide do tipo ON-OFF.
As Velocidades disponíveis aos nossos tratores são 540,
540ECO e 1000.
• EMBREAGEM 4WD
A embreagem da Tração Dianteira Auxiliar, é
acionada pelo válvula localizada abaixo da
tampa do lado direito do trator
• CREEPER
O acionamento e desligamento do creeper é
realizado por 2 solenoides (ON/OFF) localizadas
abaixo da tampa do lado direito do trator.
Elas são responsáveis por fazer o funcionamento do
super redutor, uma é responsável por acoplar e outra
responsável por desacoplar.
Esse sistema é eletricamente gerenciado pela ECU da
transmissão, e pode ser acionado somente com o
equipamento parado.

X-773 X-772
CREEPER OFF CREEPER ON
Direção do Movimento
• CREEPER DESENGATADO

Eixo de Entrada Eixo de Saída

• CREEPER ENGATADO

Eixo deEntrada
Eixo Saída
• ALIMENTAÇÃO PLATAFORMADO (+)

FP 01 80A

FP 02 80A
FP 01 Alimentação Caixa de fusíveis
FP 03 livre
FP 02 ECU do motor/Relé de partida

FP 04 200A FP 04 Grelha aquecedora


FP 05 Alimentação alternador B+
FP 05 125A
• NEGATIVOS PLATAFORMADO (-)

X100 – Terra
chicote principal

X758 – Terra
chicote motor
• ALIMENTAÇÃO CABINADO (+)
• NEGATIVOS CABINADO (-)

X915 / X937 X455 X226


Terra chicote principal Terra chicote teto Terra chicote traseiro
1 PONTOS (+) e (-)
2 CHICOTES ELÉTRICOS
3 FUSIVEIS E RELÉS
4 REDES DE COMUNICAÇÃO
5 SISTEMA DE PARTIDA
6 COMPONENTES ELÉTRICOS
7 MOTOR ELETRÔNICO
8 CÓDIGOS DE ERROS
9 EDT
10 DIAGRAMAS ELÉTRICOS
CONEXÃO ROOPS
PRINCIPAL
TRASEIRO
CONTROLE LEVANTE
SENSOR TRAÇÃO
TRANSMISSÃO
MOTOR
FAROIS DIANTEIROS
TELEMETRIA
• CHICOTE PRINCIPAL - PS Plataformado
• CHICOTE PRINCIPAL - PS Plataformado
• CHICOTE PRINCIPAL - PS Plataformado

X27 VÁLVULA SOLENOIDE DO LEVANTE X259_1 LUZ DE TRABALHO DIANTEIRA LADO DIRETO
X28 VÁLVULA SOLENOIDE ABAIXAMENTO/SUBIDA LEVANTE X259_2 LUZ DE TRABALHO DIANTEIRA LADO ESQUERDO
X32 CONECTOR INTERFACE CHICOTE SENSOR TRAÇÃO X302 INTERRUPTOR MEMÓRIA DE ROTAÇÃO MOTOR
X53 CONECTOR INTERFACE CHICOTE TRANSMISSÃO X470 SENSOR DE PRESENÇA DO OPERADOR
X55 PAINEL DE INSTRUMENTOS X498 VÁLVULA SOLENOIDE FREIO DA TDP
X56 ALAVANCA POWERSHUTTLE X599 VÁLVULA SOLENOIDE TDP 540
X58 ALAVANCA MULTIFUNÇÃO X603-E CREEPER
X63_1 PORTA FUSÍVEIS 1 X618 SENSOR FREIO DE MÃO
X63_2 PORTA FUSÍVEIS 2 X652 UNIDADE DA LUZ DE ADVERTÊNCIA DE PERIGO(HELLA)
X66 SENSOR DO PEDAL DO FREIO ESQUERDO X656 CONECTOR INTERFACE CHICOTE MOTOR
X67 SENSOR DO PEDAL DO FREIO DIREITO X740 INTERRUPTOR LUZ DE TRABALHO TRASEIRA
X68 SENSOR DO PEDAL DE EMBREAGEM X741 INTERRUPTOR LUZ DE TRABALHO DIANTEIRA
X73 ALARME PAINEL X742 INTERRUPTOR FAROL ROTATIVO
X74 ALARME PAINEL X743 INTERRUPTOR NAVEGAÇÃO
X75 CONECTOR INTERFACE CHICOTE TRASEIRO X744 INTERRUPTOR NAVEGAÇÃO
X100 TERRA DO CHICOTE PRINCIPAL (MOTOR DE PARTIDA) X745 CAIXA FUSÍVEIS PRINCIPAL
X102 CONECTOR INTERFACE CHICOTE TRASEIRO X747 POTÊNCIOMETRO SENSIBILIDADE REVERSÃO
X122 POTÊNCIOMETRO PEDAL DO ACELERADOR X750 POTÊNCIOMETRO TRAÇÃO (INTERMIX)
X128 INTERRUPTOR ACIONAMENTO DA TDP X751 POTÊNCIOMETRO PROFUNDIDADE LEVANTE
X133 CONECTOR INTERFACE CHICOTE CONTROLE LEVANTE X771 MÓDULO CONTROLADOR TRANSMISSÃO
X136 INTERRUPTOR BLOQUEIO DO DIFERENCIAL X774 VÁLVULA SOLENOIDE TDP 540 ECO
X137 INTERRUPTOR TRAÇÃO DIANTEIRA X776 SENSOR VELOCIDADE FINAL DA TDP
X138 INTERRUPTOR PISCA ALERTA X777 SENSOR VELOCIDADE INTERMEDIARIA TDP
X147 CONECTOR INTERFACE CHICOTE CONEXÃO ROOPS X899 CONECTOR INTERFACE CHICOTE TELEMETRIA
X151 LIVRE X900 TECLA IMPLEMENTO
X152 CHAVE DE PARTIDA X906 INTERRUPTOR HISHIFT
X177 MÓDULO CONTROLADOR DO LEVANTE X913 INTERRUPTOR JUNÇÃO DE BOMBAS
X183 CONECTOR DIAGNÓSTICO (EDT) X914 INTERRUPTOR SELEÇÃO VELOCIDADE TDP
• CHICOTE TRANSMISSÃO - PS Plataformado
• CHICOTE TRANSMISSÃO - PS Plataformado
X5 VÁLVULA SOLENOIDE DA TRAÇÃO DIANTEIRA
X6 VÁLVULA SOLENOIDE DO BLOQUEIO DO DIFERENCIAL
X16 VÁLVULA SOLENOIDE DA EMBREAGEM DA TDP
X19 SENSOR TEMPERATURA TRANSMISSÃO
X20 SENSOR RESTRIÇÃO FILTRO DE ALTA PRESSÃO
X27 VÁLVULA SOLENOIDE DO LEVANTE HIDRÁULICO
X28 VÁLVULA SOLENOIDE DE ELEVAÇÃO/ABAIXAMENTO DO LEVANTE
X30 SENSOR DE POSIÇÃO DO LEVANTE
X53 CONECTOR INTERFACE CHICOTE PRINCIPAL
X197 SENSOR NIVEL DE COMBUSTÍVEL
X481 SENSOR DE ROTAÇÃO DO MOTOR
X482 SENSOR DE VELOCIDADE DE AVANÇO TEÓRICA
X483 SENSOR DE VELOCIDADE INTERMEDIÁRIA
X493 SENSOR DE PRESSÃO DE LUBRIFICAÇÃO
X556 VÁLVULA SOLENOIDE DE AVANÇO
X557 VÁLVULA SOLENOIDE DE REVERSÃO
X727 VÁLVULA SOLENOIDE DE JUNÇÃO DE BOMBAS
X772 VÁLVULA SOLENOIDE DE ENGATE DA EMBREAGEM DO CREEPER
X773 VÁLVULA SOLENOIDE DE DESENGATE DA EMBREAGEM DO CREEPER
• CHICOTE MOTOR Plataformado
• CHICOTE MOTOR Plataformado

X185 CONECTOR INTERFACE CHICOTE AGCO POWER


X186 MOTOR DE PARTIDA
X187 RELÉ DE PARTIDA
X194 ALTERNADOR D+
X203 CONECTOR INTERFACE CHICOTE FARÓIS DIANTEIROS
X253 SENSOR RESTRIÇÃO FILTRO DE AR
X254 BUZINA
X255 BUZINA
X656 CONECTOR INTERFACE CHICOTE PRINCIPAL
X758 TERRA
X759 FUSIVEL PRIMARIO 80A
X760 FUSIVEL PRIMARIO 80A
X791 CAIXA DE FUSIVEIS SECUNDARIA - FUSIVEL 3A
X793 CAIXA DE FUSIVEIS SECUNDARIA - FUSIVEL 20 A
X894 LIVRE
• CHICOTE TRASEIRO Plataformado
• CHICOTE TRASEIRO Plataformado

X75 CONECTOR INTERFACE CHICOTE PRINCIPAL


X97 CONTROLE EXTERNO LEVANTE
X103 CONECTOR INTERFACE CHICOTE PRINCIPAL
X383 LUZES DE SINALIZAÇÃO TRASEIRAS LADO ESQUERDO
X384 LUZES DE SINALIZAÇÃO TRASEIRAS LADO DIREITO
X948 LUZ DE SINALIZAÇÃO E FREIO LADO ESQUERDO
X949 LUZ DE SINALIZAÇÃO E FREIO LADO DIREITO
• CHICOTE ROOPS Plataformado
• CHICOTE ROOPS Plataformado

X147 CONECTOR INTERFACE CHICOTE PRINCIPAL


X216 FAROL DE TRABALHO TRASEIRO LADO ESQUERDO
X386 FAROL DE TRABALHO TRASEIRO LADO DIREITO
X409 LIVRE
X511 LUZ DE PLACA
X893 SIRENE DE RÉ
• CHICOTE FAROIS DIANTEIROS Plataformado
• CHICOTE FAROIS DIANTEIROS Plataformado

X203 CONECTOR INTERFACE CHICOTE MOTOR


X356 FAROL LADO ESQUERDO
X357 FAROL LADO DIREITO
Plataformado
• CHICOTE TELEMETRIA

• CHICOTE CONTROLE LEVANTE • CHICOTE SENSOR TRAÇÃO


Plataformado
• CHICOTE TELEMETRIA

X594 MÓDULO TELEMETRIA


X899 CONECTOR INTERFACE CHICOTE PRINCIPAL

• CHICOTE CONTROLE LEVANTE

X119 INTERRUPTOR CONTROLE DO LEVANTE


X133 CONECTOR INTERFACE CHICOTE PRINCIPAL
X299 INTERRUPTOR CONTROLE VELOCIDADE DO LEVANTE
X539 INTERRUPTOR CONTROLE ALTURA MAXIMA DO LEVANTE

• CHICOTE SENSOR TRAÇÃO

X32 CONECTOR INTERFACE CHICOTE PRINCIPAL


X32_1 SENSOR TRAÇÃO LADO DIREITO
X32_2 SENSOR TRAÇÃO LADO ESQUERDO
TETO
PRINCIPAL
TRANSMISSÃO
MOTOR
FAROIS DIANTEIROS
TRASEIRO
ADVERTENCIA RÉ
• CHICOTE PRINCIPAL cabinado
• CHICOTE PRINCIPAL
cabinado
• CHICOTE PRINCIPAL cabinado
X55 PAINEL DE INSTRUMENTOS
X56 ALAVANCA POWERSHUTTLE
X58 ALAVANCA MULTIFUNÇÃO
X65 LIMPADOR PARABRISA
X66 SENSOR FREIO ESQUERDO
X67 SENSOR FREIO DIREITO
X68 SENSOR PEDAL DE EMBREAGEM
X73 ALARME PAINEL
X74 ALARME PAINEL
X138 INTERRUPTOR PISCA ALERTA
X157 ACENDEDOR DE CIGARRO
X158 LED ACENDEDOR DE CIGARRO
X177 ECU DO LEVANTE
X652 MÓDULO PISCA ALERTA
X656 CONECTOR INTERFACE CHICOTE MOTOR
X743 TECLA DE NAVEGAÇÃO
X744 TECLA DE NAVEGAÇÃO
X747 POTÊNCIOMETRO AGRESSIVIDADE DE REVERSÃO
X771 MÓDULO DA TRANSMISSÃO
X927 CAIXA DE FUSÍVEIS 1
X928 INTERRUPTOR FARÓIS
X929 CAIXA DE FUSÍVEIS 2
X938 ALIMENTAÇÃO DA BATERIA
X957 LIVRE
• CHICOTE PRINCIPAL cabinado
• CHICOTE PRINCIPAL cabinado
X53 CONECTOR INTERFACE CHICOTE TRANSMISSÃO
X75 CONECTOR INTERFACE CHICOTE TRASEIRO
X122 POTÊNCIOMETRO ACELERADOR
X267 LIVRE
X470 SENSOR DE PRESENÇA DO OPERADOR
X603-M INTERRUPTOR CREEPER
X618 INTERRUPTOR FREIO DE MÃO
X726-M LIVRE (INTERRUPTOR GSPTO)
X899 CONECTOR INTERFACE CHICOTE TELEMETRIA
X900 TECLA IMPLEMENTO
X906 INTERRUPTOR EMBREAGEM
X925 RELÉ LUZ BAIXA
X926 RELÉ LUZ ALTA
X932 RELÉ TEMPORIZADOR LIMPADOR PARABRISA
X936 FUSÍVEL AR CONDICIONADO ???
X958 RELÉ AR CONDICIONADO ???
• CHICOTE PRINCIPAL cabinado
• CHICOTE PRINCIPAL cabinado
X128 INTERRUPTOR TDP
X136 INTERRUPTOR BLOQUEIO DO DIFERENCIAL
X137 INTERRUPTOR TRAÇÃO DIANTEIRA
X147 CONECTOR INTERFACE CHICOTE DO TETO
X148 CONECTOR INTERFACE CHICOTE DO TETO (A/C)
X151 TOMADA 12V
X152 CHAVE IGNIÇÃO
X155 ACENDEDOR DE CIGARRO
X156 LIVRE
X183 CONECTOR DIAGNOSTICO
X302 INTERRUPTOR MEMORIA DE ROTAÇÃO
X363 CONTROLE LEVANTE HIDRAULICO
X411 INTERRUPTOR LIMPADOR TRASEIRO
X603-E INTERRUPTOR CREEPER
X740 INTERRUPTOR LUZ DE TRABALHO TRASEIRA
X741 INTERRUPTOR LUZ DE TRABALHO DIANTEIRA
X742 INTERRUPTOR FAROL GIRATORIO
X750-E POTENCIOMETRO INTERMIX
X750-M LIVRE (POTENCIOMETRO INTERMIX ALAVANCA)
X751 POTENCIOMETRO PROFUNDIDADE LEVANTE
X897 POTENCIOMENTRO ALTURA MAXIMA LEVANTE
X898 POTENCIOMETRO VELOCIDADE DE DESCIDA LEVANTE
X913 INTERRUPTOR JUNÇÃO DE BOMBAS
X914 INTERRUPTOR SELEÇÃO VELOCIDADES DA TDP
X915 TERRA
X924 LIVRE
X933 INTERRUPTOR AMORTECIMENTO LEVANTE
X934 LED INTERRUPTOR AMORTECIMENTO LEVANTE
X935 LIVRE (TDP FRONTAL)
X937 TERRA
X956 LIVRE
• CHICOTE MOTOR cabinado
• CHICOTE MOTOR cabinado
X185 CONECTOR INTERFACE CHICOTE AGCO POWER
X186 MOTOR DE PARTIDA
X187 RELÉ DE PARTIDA
X194 ALTERNADOR D+
X203 CONECTOR INTERFACE CHICOTE FARÓIS DIANTEIROS
X253 SENSOR RESTRIÇÃO FILTRO DE AR
X254 BUZINA
X255 BUZINA
X318 COMPRESSOR AR CONDICIONADO
X656 CONECTOR INTERFACE CHICOTE PRINCIPAL
X659 RELÉ FAROL BAIXO
X758 TERRA
X759 FUSIVEL PRIMARIO 80A
X791 CAIXA DE FUSIVEIS SECUNDARIA - FUSIVEL 3A
X793 CAIXA DE FUSIVEIS SECUNDARIA - FUSIVEL 20 A
X894 LIVRE
• CHICOTE TRANSMISSÃO cabinado
cabinado
X5 VÁLVULA SOLENOIDE DA TRAÇÃO DIANTEIRA
X6 VÁLVULA SOLENOIDE DO BLOQUEIO DO DIFERENCIAL
X16 VÁLVULA SOLENOIDE DA EMBREAGEM DA TDP
X19 SENSOR TEMPERATURA TRANSMISSÃO
X20 SENSOR RESTRIÇÃO FILTRO DE ALTA PRESSÃO
X27_1 VÁLVULA SOLENOIDE DO LEVANTE HIDRÁULICO (CO98)
X27_2 VÁLVULA SOLENOIDE DO LEVANTE HIDRÁULICO (CO57)
X28_1 VÁLVULA SOLENOIDE DE ELEVAÇÃO/ABAIXAMENTO DO LEVANTE (CO98)
X28_1 VÁLVULA SOLENOIDE DE ELEVAÇÃO/ABAIXAMENTO DO LEVANTE (CO57)
X30 SENSOR DE POSIÇÃO DO LEVANTE
X32 SENSOR DE TRAÇÃO DO LEVANTE
X53 CONECTOR INTERFACE CHICOTE PRINCIPAL
X197 SENSOR NIVEL DE COMBUSTIVEL
X481 SENSOR DE ROTAÇÃO DO MOTOR
X482 SENSOR DE VELOCIDADE DE AVANÇO TEORICA
X483 SENSOR DE VELOCIDADE INTERMEDIARIA
X494 SENSOR DE PRESSÃO DE LUBRIFICAÇÃO
X498 VALVULA SOLENOIDE DO FREIO
X556 VÁLVULA SOLENOIDE DE AVANÇO
X557 VÁLVULA SOLENOIDE DE REVERSÃO
X599 VÁLVULA SOLENOIDE TDP 540
X705 LIVRE (ALIMENTAÇÃO FRONT LOADER)
X727 VÁLVULA SOLENOIDE DE JUNÇÃO DE BOMBAS
X772 VÁLVULA SOLENOIDE DE ENGATE DO CREEPER
X773 VÁLVULA SOLENOIDE DE DESENGATE DO CREEPER
X774 VÁLVULA SOLENOIDE TDP 540 ECO
X776 SENSOR DE VELOCIDADE FINAL DA TDP
X777 SENSOR VELOCIDADE INTERMEDIARIA TDP
X870 LIVRE (FREIO PNEUMATICO)
• CHICOTE TRASEIRO cabinado
cabinado

X75 CONECTOR INTERFACE CHICOTE PRINCIPAL


X87 COMANDO EXTERNO LEVANTE LADO DIREITO
X97 COMANDO EXTERNO LEVANTE LADO ESQUERDO
X215 TOMADA CARRETA
X216 CONECTOR INTERFACE CHICOTE ADVERTENCIA RÉ
X220 TOMADA CARRETA
X221 TOMADA CARRETA
X222 TOMADA CARRETA
X223 TOMADA CARRETA
X224 TOMADA CARRETA
X225 TOMADA CARRETA
X226 TERRA
X292 MOTOR LIMPADOR PARABRISA DIANTEIRO
X707 MOTOR LIMPADOR PARABRISA TRASEIRO
X948 LUZES SINALIZAÇÃO LADO ESQUERDO
X949 LUZES SINALIZAÇÃO LADO DIREITO
• CHICOTE ADVERTENCIA RÉ cabinado
cabinado

X216 CONECTOR INTERFACE CHICOTE TRASEIRO


X216-A LUZ DE RÉ
X893 SIRENE DE RÉ
• CHICOTE TETO cabinado
cabinado
X147 CONECTOR INTERFACE CHICOTE PRINCIPAL
X148 CONECTOR INTERFACE CHICOTE PRINCIPAL
X256-A LUZES SINALIZAÇÃO LADO ESQUERDO
X256-B LUZES SINALIZAÇÃO LADO DIREITO
X379 LUZES DE TRABALHO DIANTEIRAS LADO ESQUERDO
X380 LUZES DE TRABALHO DIANTEIRAS LADO DIREITO
X385 LUZES DE TRABALHO TRASEIRAS LADO ESQUERDO
X386 LUZES DE TRABALHO TRASEIRAS LADO DIREITO
X399 AUTO FALANTE ESQUERDO
X400 AUTO FALANTE DIREITO
X401 TERRA AUTO FALANTE ESQUERDO
X402 TERRA AUTO FALANTE DIREITO
X403 LIMPADOR TRASEIRO
X408 LUZ DE CABINE
X409 GIROFLEX LADO ESQUERDO
X410 GIROFLEX LADO DIREITO
X414 LUZ DE PLACA
X415 LUZ DE PLACA
X416 LIVRE
X417 LIVRE
X424 INTERRUPTOR VENTILADOR
X428 TERMOSTATO
X432 RESISTOR VELOCIDADES VENTILADOR
X434 VENTILADOR
X455 TERRA
X950 INTERRUPTOR AR CONDICIONADO
X951 INTERRUPTOR AR CONDICIONADO
1 PONTOS (+) e (-)
2 CHICOTES ELÉTRICOS
3 FUSIVEIS E RELÉS
4 REDES DE COMUNICAÇÃO
5 SISTEMA DE PARTIDA
6 COMPONENTES ELÉTRICOS
7 MOTOR ELETRÔNICO
8 CÓDIGOS DE ERROS
9 EDT
10 DIAGRAMAS ELÉTRICOS
• LOCALIZAÇÃO - PLATAFORMADO

X791 X793 X17 X63-1 X63-2


F17 (3A) F18 (20A) K05 F19 F20
Caixa Fusíveis Principal Porta Fusíveis Motor

K5
F19 (5A)
F20 (5A)

Porta Fusíveis 1 e 2
Caixa Fusíveis Secundaria

F17 (3A)
F18 (20A)

X63-1 X63-2
• PORTA FUSÍVEIS 1 e 2 – Power shuttle
X63_1 X63_2

F15 – Interruptor de partida (5A)


F17 – Faróis principais (20A)
F16 – Circuito +APC (5A)
K11 – Relé pedal de embreagem e OPS
K10 – Relé pedal de embreagem
• PORTA FUSÍVEIS 1 – Manual shutlle

X63_1

F16 – Interruptor de partida (5A)


F17 – Sensor de nível de freio (NA) (5A)
F18 – Farol baixo (20A)
• CAIXA DE FUSÍVEIS PRINCIPAL

F1 – (20 A) – Faróis, luz sinalização e tecla


F2 – (15 A) – Alimentação +15
F3 – (15 A) – ECU Levante e transmissão
F4 – (15 A) – Painel, teclas navegação, etc
F5 – (15 A) – Painel, telemetria
F6 – (20 A) – Luzes sinalização e buzina
F8 – (20 A) – Pisca alerta e giroflex
F9 – (15 A) – Luzes de freio, sensores freio
F11 – (25 A) – Tomada de carreta
F12 – (20 A) – Faróis de trabalho dianteiro - K4
F14 – (20 A) – Faróis de trabalho traseiro - K6
D1 – Luz de freio lado esquerdo
D2 – Luz de freio lado direito
K1 – Farol alto
K2 – Farol baixo
K3 – Luzes de freio
K4 – Faróis de trabalho dianteiros
K6 –Faróis de trabalho traseiros
K7 – Alimentação +APC (+15)
K8 – Sistema de partida
K9 – Luz de ré
• IDENTIFICAÇÃO PINAGEM CAIXA DE FUSÍVEIS PRINCIPAL
• CAIXA FUSÍVEIS SECUNDARIA
F17 – Wake Up ECU Motor (Alimentação +15) (3A)
F18 – ECU Motor (Alimentação+30) (20A)

X791 X793
• PORTA FUSÍVEIS MOTOR

F19 – MPROP (5A)


F20 – Relé Grelha Aquecedora e sensor
detector de agua (5A)
K5 – Alimentação ECU Motor +30
• LOCALIZAÇÃO - CABINADO

K5
F19 (5A)
F20 (5A)

F17 (3A)
F18 (20A)
• CAIXA DE FUSÍVEIS PRINCIPAL
• CAIXA DE FUSÍVEIS PRINCIPAL
• CAIXA DE FUSÍVEIS PRIMARIO

FP 01 80A

FP 02 80A

FP 03 livre

FP 04 200A

FP 05 125A

FP 01 Alimentação Caixa de fusíveis


FP 02 ECU do motor/Relé de partida
FP 04 Grelha aquecedora
FP 05 Alimentação alternador B+
1 PONTOS (+) e (-)
2 CHICOTES ELÉTRICOS
3 FUSIVEIS E RELÉS
4 REDES DE COMUNICAÇÃO
5 SISTEMA DE PARTIDA
6 COMPONENTES ELÉTRICOS
7 MOTOR ELETRÔNICO
8 CÓDIGOS DE ERROS
9 EDT
10 DIAGRAMAS ELÉTRICOS
• REDE CAN

X771
X177
ECU Transmissão
ECU Levante

Terminador X183 Terminador


R 120 ohm Conector R 120 ohm
0,6W
X185 Diagnóstico 0,6W
ECU Motor
• TERMINADOR MASSA CHICOTE PLATAFORMADO
• CONECTOR DIAGNÓSTICO
1 PONTOS (+) e (-)
2 CHICOTES ELÉTRICOS
3 FUSIVEIS E RELÉS
4 REDES DE COMUNICAÇÃO
5 SISTEMA DE PARTIDA
6 COMPONENTES ELÉTRICOS
7 MOTOR ELETRÔNICO
8 CÓDIGOS DE ERROS
9 EDT
10 DIAGRAMAS ELÉTRICOS
• CHAVE DE PARTIDA – X152

SWITCH/CONNECTOR PIN-OUTS

A B S I
SWITCH
(ACESSORY) (BATTERY) (START) (IGNITION)

CONECTOR D C B A
• CHAVE DE PARTIDA – X152

SWITCH/CONNECTOR PIN-OUTS

A B S I
SWITCH
(ACESSORY) (BATTERY) (START) (IGNITION)

CONECTOR D C B A
• CHAVE DE PARTIDA – X152 (PLATAFORMADO - PS)

X55
27
X760 – 80A
X656 – 1e2
S16

X340

S27
• CHAVE DE PARTIDA – X152 (PLATAFORMADO - MS)

X55
27
X760 – 80A
X656 – 1e2
S16

X340

S27
1 PONTOS (+) e (-)
2 CHICOTES ELÉTRICOS
3 FUSIVEIS E RELÉS
4 REDES DE COMUNICAÇÃO
5 SISTEMA DE PARTIDA
6 COMPONENTES ELÉTRICOS
7 MOTOR ELETRÔNICO
8 CÓDIGOS DE ERROS
9 EDT
10 DIAGRAMAS ELÉTRICOS
• ALTERNADOR
B+: Carga para Bateria e Máquina
D+: Painel (BAT)
W: RPM - Sem Função no Trator

Especificação Técnica
Tensão Nominal: 14V
Corrente Nominal: 80A (Plataformado) 120A
(Cabinado)
Resistencia de Excitação 20°C: 2,7 ±0,10Ω
Peso: 4,9kg
• PAINEL DE INSTRUMENTOS – X55

Fornece varias informações ao operador.


Responsável por enviar as informações de
acionamentos para os demais módulos da
maquina.
• PAINEL DE INSTRUMENTOS – X55
1 Alimentação da bateria 12 V
2 NC
3 X152 – Interruptor de partida Entrada digital
4 CAN High
5 CAN Low
6 Alternador D+
7 X197 – Sensor de nível de combustível Entrada analógica
8 NC Entrada analógica
9 X747 – Potenciômetro de resposta do PowerShuttle Entrada analógica
10 X934 – LED do modo de transporte do levante Entrada digital
11 NC
12 X743 - Interruptor de navegação CIMA/BAIXO Entrada digital
13 X743 - Interruptor de navegação CIMA/BAIXO Entrada digital
14 X744 - Interruptor de navegação +/- Entrada digital
15 X744 - Interruptor de navegação +/- Entrada digital
16 X900 – Conector implemento (LIVRE) Entrada digital
17 Alimentação Luzes de tecla Entrada digital
18 X74 - Alimentação sirene alarme painel (+12 V APC)
• PAINEL DE INSTRUMENTOS – X55
19 X73 – Controle Sirene
20 X137 – Interruptor tração nas 4 rodas Entrada digital
21 X136 – Interruptor bloqueio do diferencial Entrada digital
22 NC
23 X20 – Sensor de bloqueio do filtro transmissão Entrada digital
24 X253 – Sensor de restrição do filtro de ar Entrada digital
25 X493 – Sensor de pressão de lubrificação Entrada digital
26 X618 – Sensor do freio de mão Entrada digital
27 X470 – Sensor de presença do operador Entrada digital
28 X894 – Sensor do nível de fluido de freio Entrada digital
29 X652 – Unidade de luz de advertência de perigo Entrada digital
30 X652 – Unidade de luz de advertência de perigo Entrada digital
31 Faróis principais Entrada digital
32 NC
33 X652 – Unidade de luz de advertência de perigo Entrada digital
34 X603-E – Interruptor Creeper (controle elétrico) Entrada digital
35 Terra
• SENSOR DE COMBUSTÍVEL – X197
Sensor resistivo e suas informações são transferidas para o
Painel de Instrumentos para indicar o correto nível de
combustível.

Pinagem:
1. Alimentação
2. Terra
• SENSOR DE COMBUSTÍVEL – X197

X100
• SENSOR DO FILTRO DE AR – X253
Localizado no tubo coletor de ar de admissão. Este
sensor mede a pressão (-) e sua função é indicar
obstrução de entrada de ar na linha de admissão. O
mesmo indicará obstrução quando a pressão (-)
estiver em 55 ± 5 mBar, acendendo a luz no painel
da máquina.

Pinagem:
1. Alimentação
2. Terra

Contato Normalmente Aberto (em funcionamento)


• SENSOR DO FILTRO DE AR – X253
• SENSOR DO FREIO – X66 (esquerdo) e X67 (direito)
Localizados na parte superior dos pedais de freio.
Trata-se de um sensor indutivo, e sua função é
determinar a posição dos freios e ativar as luzes de
freio.

Pinagem:
1. Alimentação
2. Sinal
3. Terra
• SENSOR DO FREIO – X66 (esquerdo) e X67 (direito) – (PLATAFORMADO)
• SENSOR DO FREIO DE MÃO – X618
Localizado no assoalho ao lado esquerdo do
operador abaixo da alavanca de freio de mão.

Tipo NF
Freio de mão acionado= contato fechado
Freio de mão liberado= contato aberto
• SENSOR DO FREIO DE MÃO – X618
• SENSOR DE PRESENÇA DO OPERADOR – X470
Localizado no assento do operador, sua função é
indicar a presença ou não do operador sentado
no banco.

Contato Aberto (Ausente)


Contato Fechado (Presente)

(1) Ausência do operador


(2) Presença do operador
(3) Tensão
(4) Status interruptor
• SENSOR DE PRESENÇA DO OPERADOR – X470
• SENSOR DE EMBREAGEM PS – X68
Sensor angular localizado dentro da carenagem do
painel, atua lendo a posição do pedal da
embreagem. Fornece informação ao painel sobre a
posição do seu eixo e posição todo acionado e todo
livre, sendo um item de segurança para o sistema de
partida.
• SENSOR DE EMBREAGEM – X68 PS

Intervalo de trabalho do
sensor a 59,5°
correspondente à
deflexão do pedal a 23,5°
• SENSOR DE EMBREAGEM – X68 (PLATAFORMADO PS)
• SENSOR DE TEMPERATURA DO ÓLEO DA TRANSMISSÃO – X19
Localizado na carcaça da transmissão no lado direito,
trata-se de um sensor resistivo e sua função é gerar
informação sobre a temperatura do óleo da
transmissão/sistema hidráulico e informar a ECU.
Gera alarme a 105ºC.

(1) Temperatura em graus Celsius


(2) Resistencia do sensor em Ohms
• SENSOR DE TEMPERATURA DO ÓLEO DA TRANSMISSÃO – X19
Temperatura Resistência ±10%
-40 °C 75.700 ohms
-30 °C 39.800 ohms
-20 °C 21.800 ohms
-10 °C 12.400 ohms
0 °C 7.300 ohms
10 °C 4.400 ohms
20 °C 2.800 ohms
30 °C 1.800 ohms
40 °C 1.200 ohms
50 °C 810 ohms
60 °C 560 ohms
70 °C 330 ohms
80 °C 280 ohms
90 °C 206 ohms
100 °C 150 ohms
105°C 132 ohms
115 °C 100 ohms
125 °C 77 ohms
135 °C 60 ohms
150 °C 41 ohms
• SENSOR DE TEMPERATURA DO ÓLEO DA TRANSMISSÃO – X19
• SENSOR DE RESTRIÇÃO DO FILTRO DE PRESSÃO – X20
Localizado na tampa lateral direita, no suporte do
filtro de pressão, sua função é indicar quando houver
saturação no filtro com um Δp=4,75±0,75 Bar. Só
acusa restrição com temperatura do óleo acima de
49ºC.

Contato Aberto: Filtro Desobstruído


Contato Fechado: Filtro Obstruído
• SENSOR DE RESTRIÇÃO DO FILTRO DE PRESSÃO – X20
• SENSOR DE PRESSÃO DE LUBRIFICAÇÃO – X493
Localizado na tampa lateral direita, sua função é
indicar a baixa pressão na linha de lubrificação, o
interruptor é fechado quando a pressão de
referencia esta correta, e abre quando a pressão fica
abaixo de 0,45±0,04 Bar.

(Tipo NA)
• SENSOR DE PRESSÃO DE LUBRIFICAÇÃO – X493
• SOLENOIDE DE REVERSÃO A FRENTE E RÉ – X556 e X557
Localizados no bloco de reversão no lado direito da
carcaça da transmissão, são válvulas do tipo
proporcional (PWM). Resistencia: 9,8±5% Ohms a
20ºC.
• SOLENOIDE DE REVERSÃO A FRENTE E RÉ – X556 e X557
• SOLENOIDE DA EMBREAGEM DA TDP – X16
Localizado no bloco de acionamentos localizado
acima da carcaça do eixo traseiro, é uma válvula
proporcional. Resistencia: 9,8±5% Ohms a 20ºC.
• SOLENOIDE DA EMBREAGEM DA TDP – X16
• SOLENOIDES DE VELOCIDADE DA TDP – X599 (540) e X774 (540ECO)
Localizados na tampa da caixa da TDP, suas função é
selecionar a velocidade da TDP desejada. São do tipo
ON/OFF.
• SOLENOIDES DE VELOCIDADE DA TDP – X599 (540) e X774 (540ECO)
• SOLENOIDE DE FREIO DA TDP – X498
Localizados na tampa da caixa da TDP, sua função é
realizar a frenagem da TDP numa situação de
emergência. É do tipo ON/OFF.
• SOLENOIDE DE FREIO DA TDP – X498 (PLATAFORMADO)
• SOLENOIDE BLOQUEIO DO DIFERENCIAL – X6
Localizados na tampa da caixa da TDP, sua função é
realizar o acionamento do bloqueio do diferencial. É
do tipo ON/OFF.
• SOLENOIDE BLOQUEIO DO DIFERENCIAL – X6
• SOLENOIDE TRAÇÃO DIANTEIRA – X5
Localizado entre o eixo traseiro e a tampa do lado
direito, na parte inferior, sua função é desacoplar o
tração dianteira. É do tipo ON/OFF.
• SOLENOIDE TRAÇÃO DIANTEIRA – X5
• SOLENOIDE CREEPER ACOPLA (X772) E DESACLOPA (X773)
Localizado abaixo da tampa lateral direita, tem como
função acoplar e desacoplar o creeper. São do tipo
ON/OFF.

A – desacopla
B – acopla
• SOLENOIDE CREEPER ACOPLA (X772) E DESACLOPA (X773)
• SOLENOIDE JUNÇÃO DE BOMBAS – X727
Localizado na tampa lateral esquerda, tem como
função acoplar a junção de bombas. É do tipo
ON/OFF.
• SOLENOIDE JUNÇÃO DE BOMBAS – X727
• SOLENOIDE DO LEVANTE – X27
Localizado na válvula de levante na tampa lateral
esquerda, é uma válvula proporcional e tem como
função modular a elevação e abaixamento do
levante, de acordo com o selecionado pela solenoide
X28.
• SOLENOIDE DO LEVANTE – X27
• SOLENOIDE DE ELEVAÇÃO/ABAIXAMENTO DO LEVANTE – X28 / Y1E
Localizado na válvula de levante na tampa lateral
esquerda, tem como função definir a elevação e
abaixamento do levante. É do tipo ON/OFF.
• SOLENOIDE DE ELEVAÇÃO/ABAIXAMENTO DO LEVANTE – X28
• SENSOR VELOCIDADE FINAL DA TDP – X776
Localizado na tampa da caixa da TDP, sua função é
realizar a medição da velocidade do eixo de saída da
TDP. É um sensor de velocidade do efeito Hall.
• SENSOR VELOCIDADE FINAL DA TDP – X776
• SENSOR VELOCIDADE INTERMEDIARIA DA TDP – X777
Localizado no lado esquerdo da caixa da TDP, sua
função é realizar a medição da velocidade
intermediaria do eixo da TDP, para o calculo de
possível patinagem da embragem da TDP. É um
sensor de velocidade do efeito Hall.
• SENSOR VELOCIDADE INTERMEDIARIA DA TDP – X777
• SENSOR VELOCIDADE DO MOTOR – X481
Localizado sobre a carcaça do eixo traseiro, próximo
a divisão com a carcaça da transmissão, monitora a
rotação da carcaça da embreagem da TDP, com
relação de 1:1 ao motor . É um sensor de velocidade
do efeito Hall.
• SENSOR VELOCIDADE DO MOTOR – X481
• SENSOR VELOCIDADE DE AVANÇO TEÓRICA – X482
Localizado sobre a carcaça do eixo traseiro, entre os
cilindros de freio, monitora a rotação de giro do
diferencial. É um sensor de velocidade do efeito Hall.
• SENSOR VELOCIDADE DE AVANÇO TEÓRICA – X482
• SENSOR VELOCIDADE INTERMEDIÁRIA– X483
Localizado no lado esquerdo da carcaça da
transmissão, monitora a velocidade intermediaria da
caixa de cambio, para calculo de possível patinagem
do pacote frente e ré. É um sensor de velocidade do
efeito Hall.
• SENSOR VELOCIDADE INTERMEDIÁRIA– X483
• POTÊNCIOMETRO ACELERADOR DE PÉ – X122
Localizado dentro do console central no trator
plataformado, na fixação do acelerador de mão, faz a
leitura do acelerador de pé via cabo, e no cabinado
no console lateral, próxima a alavanca de seleção de
marchas, é um sensor angular, sendo sua faixa de
trabalho de 0,5 a 4,5 V.
• POTÊNCIOMETRO ACELERADOR DE PÉ – X122
• POTÊNCIOMETRO SENSIBILIDADE REVERSÃO – X747
Localizado no painel central, sua função é modificar a
resposta do PowerShuttle as mudanças de direção.
• POTÊNCIOMETRO SENSIBILIDADE REVERSÃO – X747
• SENSOR DE TRAÇÃO DO LEVANTE – X32
Localizado um em cada braço do levante, sua função
é mensurar a tração exercida sobre os mesmos.
• SENSOR DE TRAÇÃO DO LEVANTE – X32
• SENSOR DE POSIÇÃO DO LEVANTE – X30 / B1E
Localizado no lado direito do pino do braço de
levante, trata-se de um sensor angular que fornece
as informações sobre a posição do levante hidráulico,
e opera de 2 até 7,4 V.

A face plana do eixo deve ficar


voltada para o lado oposto ao
conector
• SENSOR DE POSIÇÃO DO LEVANTE – X30

Especificação:
Ângulo Min: 2 V (Abaixado)
Ângulo Máx: 7,4 V (Levantado)

1-Tensão em volts;
2-Ângulo do sensor em graus;
3-Menor Sinal de Saída do Sensor;
4-Tensão obtida com o levante hidráulico na posição
abaixada (2,6V);
5-Típico ponto do ângulo 0° do sensor (4,7V);
6-Tensão obtida com o levante hidráulico na posição de
máxima altura (6,2V);
7-Tensão obtida a partir dos controles externos com o
levante hidráulico na posição de máxima altura (6,7V);
8- Maior sinal de saída do sensor (7,4V);
• SENSOR DE POSIÇÃO DO LEVANTE – X30
• ECU LEVANTE – X177
Localizado abaixo da carenagem do
console lateral, fixado sobre a
plataforma, é um modulo AUTO 7
responsável por gerenciar a TDP,
levante, acionamentos e sinais de
sensores
• ECU LEVANTE – X177
• ECU LEVANTE – X177
• ECU TRANSMISSÃO – X771
Localizado abaixo da carenagem do
painel central, fixado no suporte da
coluna de direção, é um modulo
AUTO 7 responsável por gerenciar a
transmissão (PowerShuttle),
acionamentos e sinais de sensores.
• ECU DA TRANSMISSÃO – X771
• ECU DA TRANSMISSÃO – X771
• UNIDADE DE LUZ DE ADVERTENCIA DE PERIGO (HELLA) – X652
Localizado abaixo da carenagem do
painel central, fixado no suporte da
coluna de direção, é um modulo
responsável por gerenciar as luzes
indicadoras do trator.
• UNIDADE DE LUZ DE ADVERTENCIA DE PERIGO (HELLA) – X652
• ALARME PAINEL – X73 e X74
Localizada dentro da carenagem do painel, na parte
superior da coluna da direção. Sua função é alertar o
operador, conforme determinado cenário.

Especificação:
Alimentação: 12V
Ativado quando o Painel de Instrumentos libera o
GND

Pinagem:
3 (X74): Fonte de alimentação (X55 – Pino 18)
2 (X73): Controle (X55 – Pino 19)
• SIRENE DE RÉ – X893
Localizado na parte traseira esquerda da máquina,
acima do sistema de levante. Sua função é alertar o
deslocamento traseiro da máquina.

Especificação:
Marca: Lohr
Alimentação - 9 a 16Vcc
Corrente - 100mA máximo
Um volume - PS(1m): 95bB
1 PONTOS (+) e (-)
2 CHICOTES ELÉTRICOS
3 FUSIVEIS E RELÉS
4 REDES DE COMUNICAÇÃO
5 SISTEMA DE PARTIDA
6 COMPONENTES ELÉTRICOS
7 MOTOR ELETRÔNICO
8 CÓDIGOS DE ERROS
9 EDT
10 DIAGRAMAS ELÉTRICOS
1 PONTOS (+) e (-)
2 CHICOTES ELÉTRICOS
3 FUSIVEIS E RELÉS
4 REDES DE COMUNICAÇÃO
5 SISTEMA DE PARTIDA
6 COMPONENTES ELÉTRICOS
7 MOTOR ELETRÔNICO
8 CÓDIGOS DE ERROS
9 EDT
10 DIAGRAMAS ELÉTRICOS
• GERENCIAMENTO DOS CÓDIGOS DE ERRO
Divididos em 3 partes: função, severidade e código
de falha

Ex : 00.01.40

Função Severidade Código da Falha


• TELA INFERIOR – CODIGOS DE ERRO

E = Motor
ORIGEM DO CÓDIGO DE FALHA H = Levante Hidráulico
P = TDP
O = TDA/Bloqueio Diferencial

CÓDIGO FMI

CÓDIGO DE FALHA
• CÓDIGOS DE ERRO - PAINEL
• CÓDIGOS DE ERRO - TRANSMISSÃO
• CÓDIGOS DE ERRO - TRANSMISSÃO
• CÓDIGOS DE ERRO - TRANSMISSÃO
• CÓDIGOS DE ERRO - TRANSMISSÃO
• CÓDIGOS DE ERRO - TRANSMISSÃO
• CÓDIGOS DE ERRO – DIFERENCIAL E TRAÇÃO NAS 4 HORAS
• CÓDIGOS DE ERRO – TDP
• CÓDIGOS DE ERRO – TDP
• CÓDIGOS DE ERRO – LEVANTE
• CÓDIGOS DE ERRO – LEVANTE
• CÓDIGOS DE ERRO – LEVANTE
• CÓDIGOS DE ERRO – MOTOR

Os erros do motor são baseados nos protocolos SAE J1939 para sua OBD, utiliza SPN e
FMI para realizar a falha.

SPN= Suspect Parameter Number


Numero do Componente Suspeito
Ex.: SPN 91= Sensor de Aceleração 1

FMI= Failure Mode Identifier


Identificação da Falha
Ex.: FMI 4= Abaixo do Normal (ocioso)

FLm = Fuel limit by map


Degradação 1 = 75% da máxima potencia
Degradação 2 = 50% da máxima potencia + Limite de Velocidade 1800 rpm
Degradação 3 = 50% da máxima potencia + Limite de Velocidade 1500 rpm
• CÓDIGOS DE ERRO – MOTOR
• CÓDIGOS DE ERRO – MOTOR
• CÓDIGOS DE ERRO – MOTOR
• CÓDIGOS DE ERRO – MOTOR
• CÓDIGOS DE ERRO – MOTOR
• CÓDIGOS DE ERRO – MOTOR
• CÓDIGOS DE ERRO – MOTOR
• CÓDIGOS DE ERRO – MOTOR
• CÓDIGOS DE ERRO – MOTOR
• CÓDIGOS DE ERRO – MOTOR
• CÓDIGOS DE ERRO – MOTOR
• CÓDIGOS DE ERRO – MOTOR
• CÓDIGOS DE ERRO – MOTOR
• CÓDIGOS DE ERRO – MOTOR
• CÓDIGOS DE ERRO – MOTOR
• CÓDIGOS DE ERRO – MOTOR
• CÓDIGOS DE ERRO – MOTOR
• CÓDIGOS DE ERRO – MOTOR
• CÓDIGOS DE ERRO – MOTOR
• CÓDIGOS DE ERRO – MOTOR
• CÓDIGOS DE ERRO – MOTOR
• CÓDIGOS DE ERRO – MOTOR
1 PONTOS (+) e (-)
2 CHICOTES ELÉTRICOS
3 FUSIVEIS E RELÉS
4 REDES DE COMUNICAÇÃO
5 SISTEMA DE PARTIDA
6 COMPONENTES ELÉTRICOS
7 MOTOR ELETRÔNICO
8 CÓDIGOS DE ERROS
9 EDT
10 DIAGRAMAS ELÉTRICOS
• Seleção de marca
• Seleção de produto
• Seleção de série
• Seleção de modelo
• Seleção de características
• Seleção de características
• Seleção de características
• Seleção de características
• Seleção de conexão
• Seleção de conexão
• Varredura de rede (Tela Inicial)
• Função
• Função – Opção de controlador (Creeper)
• Função – Caixa de engrenagens
• Função – Caixa de engrenagens
• Função – Tração nas quatro rodas
• Função – Tração nas quatro rodas
• Função – Bloqueio do diferencial
• Função – Bloqueio do diferencial
• Função – Tomada de força
• Função – Tomada de força – Seleção de velocidades
• Função – Tomada de força
• Função – Tomada de força
• Função – Levante
• Função – Levante – Seleção versão hidráulica
• Função – Levante
• Função – Levante
• Função – Interruptores
• Função – Interruptores
• Função – Interruptores
• Função – Interruptores
• Função – Interruptores
• Função – Interruptores
• Função – Motor
• Função – Motor
• Função – Motor
• Função – Motor
• Função – Motor
• Função – Motor
• Calibragem
• Configuração
• Teste de diagnóstico
• Transferência de Software
• Códigos de Erro
• Rastreamento CAN
• Utilitários EDT
• Utilitários EDT
• Código de Etiqueta - Painel
• Código de Etiqueta - Painel
• Código de Etiqueta - Painel
• Código de Etiqueta - Painel
• Código de Etiqueta - Painel
• Código de Etiqueta - Painel
• Código de Etiqueta - Painel
• Código de Etiqueta - Painel
• Código de Etiqueta - Painel
• Código de Etiqueta - Painel

Reversão mecânica

Reversão eletro-hidráulica
• Código de Etiqueta - Painel
• Código de Etiqueta - Painel
• Código de Etiqueta – Levante Hidráulico
• Código de Etiqueta – Levante Hidráulico

CO 57

CO 98
• Código de Etiqueta – Levante Hidráulico
• Código de Etiqueta – Levante Hidráulico
• Código de Etiqueta – Levante Hidráulico
• Código de Etiqueta – Levante Hidráulico
• Código de Etiqueta – Levante Hidráulico

OBS.: Erro de tradução:


0 -> Com acionamento mecânico da GSPTO ou sem GSPTO.
1 -> Com acionamento elétrico da GSPTO.
• Código de Etiqueta – Levante Hidráulico
• Código de Etiqueta – Levante Hidráulico
• Código de Etiqueta – Levante Hidráulico
• Código de Etiqueta – Transmissão
• Código de Etiqueta – Transmissão

Ou a opção semelhante, mas com PowerShuttle.


• Código de Etiqueta – Transmissão

CO 57

CO 98
• Código de Etiqueta – Transmissão
• Código de Etiqueta – Transmissão
1 PONTOS (+) e (-)
2 CHICOTES ELÉTRICOS
3 FUSIVEIS E RELÉS
4 REDES DE COMUNICAÇÃO
5 SISTEMA DE PARTIDA
6 COMPONENTES ELÉTRICOS
7 MOTOR ELETRÔNICO
8 CÓDIGOS DE ERROS
9 EDT
10 DIAGRAMAS ELÉTRICOS
Obrigado!

Você também pode gostar