Você está na página 1de 2

O transplante de pâncreas é feito em indivíduos que têm diabetes se o pâncreas não

conseguir mais produzirinsulina. Mais de 80% dos indivíduos com diabetes e que fizeram
um transplante de pâncreas têm os níveis de glicose no sangue normalizados após o
transplante e não precisam mais de insulina, mas eles não trocam esta possibilidade pela
necessidade de se tomar imunossupressores, com o risco de infecções ou outros efeitos
colaterais.

A insulina injetável é segura e razoavelmente eficaz no tratamento de diabetes, e a liberdade


da insulina não é considerada um motivo suficiente para um transplante de pâncreas.
Portanto, este procedimento é geralmente feito apenas se a pessoa com diabetes tiver uma
das situações abaixo:

 Também tiver insuficiência renal.


 Não consiga manter os níveis de açúcar no sangue em um nível aceitável, em
especial se não percebem quando o nível de glicose se torna muito baixo.

(Ocasionalmente, quando os níveis de glicose ficam muito baixos por muito tempo, os
órgãos, inclusive o cérebro, ficam permanentemente lesionados)

De modo geral, mais de 90% dos indivíduos que recebem um transplante de pâncreas
recebem um transplante de rim ao mesmo tempo. O transplante de rim exige uma cirurgia
abdominal e o uso de imunossupressores após a cirurgia; portanto, o transplante de
pâncreas ao mesmo tempo significa mais alguns riscos.

O transplante de pâncreas pode ser benéfico para indivíduos que tomam insulina, mas
ainda tem um nível de glicose alto e aqueles em que os níveis de glicose no sangue tornam-
se perigosamente baixos após tomar a insulina.

Às vezes, somente certas células do pâncreas são transplantadas (chamado transplante de


células das ilhotas do pâncreas).

Cerca de 90% das pessoas sobrevivem pelo menos um ano após o transplante.

Doadores
Doadores são geralmente pessoas com todas as seguintes características:

 Morreram recentemente.
 Tinham entre 10 e 55 anos de idade.
 Não consumiam álcool de maneira abusiva.
 Não tinham pré-diabetes (níveis de glicemia acima do normal, mas não
suficientemente altos para ser considerado diabetes) ou diabetes.

Se pâncreas e rim forem transplantados, eles têm que vir de um mesmo doador.

Já foram usadas partes de um pâncreas de um doador vivo, mas este procedimento é


raramente feito, porque os riscos para o doador são elevados.

Procedimento
O procedimento pode envolver

 Transplante simultâneo de pâncreas e rim


 Transplante primeiro do rim, seguido do pâncreas
 Transplante apenas do pâncreas
O transplante do pâncreas é uma intervenção cirúrgica de maior complexidade que requer
uma incisão no abdômen e anestesia geral. O pâncreas do receptor não é extraído.

Normalmente, a cirurgia dura cerca de 3 horas e a internação no hospital é de 1 a 3


semanas.

Medicamentos para inibir o sistema imunológico (imunossupressores), incluindo


corticosteroides, são iniciados no dia do transplante. Esses medicamentos podem ajudar a
reduzir o risco de rejeição.

Complicações
O transplante pode causar várias complicações.

Rejeição
A despeito do uso de imunossupressores, a rejeição ocorre em 40 a 60% das pessoas após
um transplante de pâncreas (com ou sem um rim).

Quando um pâncreas e um rim são transplantados ao mesmo tempo, o risco de rejeição é


maior, e a rejeição tende a ocorrer mais tarde e mais frequentemente do que quando apenas
um rim é transplantado. Em geral, os dois órgãos são rejeitados.

 Transplante isolado de pâncreas: indicado para alguns casos específicos


de diabetes tipo 1, por orientação do endocrinologista, para pessoas que, além
de terem risco para as complicações do diabetes, como retinopatia,
neuropatia, doença renal ou cardiovascular, também apresentam crises
frequentes hipoglicemias ou de cetoacidose, que causam diversos transtornos
e complicações à saúde da pessoa. 
Também é possível fazer transplante de pâncreas em pessoas com diabetes tipo
2, quando o pâncreas já não consegue produzir insulina, e há insuficiência renal,
mas sem resistência grave à insulina pelo organismo, o que será determinado pelo
médico, através de exames.

Você também pode gostar