Você está na página 1de 4

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA (UFBA)

INSTITUTO DE MATEMÁTICA E ESTATÍSTICA

DISCIPLINA: MATA03 - CÁLCULO B

LISTA 3

Regra da cadeia e derivada direcional

(1) Use a regra da cadeia para determinar as derivadas:


dz
(a) se z = yex + xey , onde x = cos t e y = sen t, determine .
dt
p dz
(b) se z = 1 + xy, onde x = tg t e y = arctg t, determine .
dt
∂z ∂z
(c) se z = arcsen (x − y), onde x = u2 + v 2 e y = 1 − 2uv, determine e .
∂u ∂v
y ∂z ∂z
(d) se z = e x , onde x = 2u cos v e y = 4u sen v, determine e .
∂u ∂v
(2) Um lado de um triângulo está aumentando em uma taxa de 3cm/s e um segundo lado está
decrescendo em uma taxa de 2cm/s. Se a área do triângulo permanece constante, a que taxa
varia o ângulo entre os lados quando o primeiro lado tem 20cm de comprimento, o segundo lado
π
tem 30cm de comprimentoo e o ângulo é .
6
(3) O raio de um cone circular está aumentando em uma taxa de 4, 6cm/s enquanto sua altura está
descrescendo em uma taxa de 6, 5cm/s. Determine a taxa que o volume do cone está variando
quando o raio é 300cm e a altura é 350cm?

(4) Seja f (x, y) uma função diferenciável e considere a função z = uf (u − v, u + v). Mostre que

∂z ∂z ∂f
u +u = z + 2u2 .
∂u ∂v ∂y

(5) Se z = f (x, y), onde f é diferenciável, e

∂f
x = g(t), g(3) = 2, g 0 (3) = 5, e (2, 7) = 6
∂x
e

∂f
y = h(t), h(3) = 7, h0 (3) = −4, (2, 7) = −8
∂x
dz
determine quando t = 3.
dt
(6) Seja F (u, v) = f (g(u, v), h(u, v)) = f (x, y) onde f, g e h são diferenciáveis, e suponha que

∂g ∂g ∂f
g(1, 0) = 2, (1, 0) = −2, (1, 0) = 6, e (2, 3) = −1
∂u ∂v ∂x
e
1
2

∂h ∂h ∂f
h(1, 0) = 3, (3, 5) = −2, (1, 0) = 4, e (2, 3) = 10.
∂u ∂v ∂y

∂F ∂F
Determine (1, 0) e (1, 0).
∂u ∂v
∂f ∂f
(7) Seja g uma função difereciável e defina f (x, y) = g(x2 y, x3 y 2 ). Se (2, 1) = 16 e (2, 1) = 8,
∂x ∂y
determine as derivadas parciais da g em (4, 8).

(8) Supondo que as funções f, g tenham derivadas parciais de segunda ordem contı́nuas, mostre que
qualquer função da forma
z = f (x + at) + g(x − at)
é solução da equação de onda
∂2z 2
2∂ z
= a .
∂t2 ∂x2
 
2 x y
(9) Seja f : R → R uma função diferenciável e defina F (x, y) = f , . Verifique que
y x
∂F ∂F
x +y = 0.
∂x ∂y
∂z ∂z
(10) Determine e , para z = f (x, y) definida implicitamente por:
∂x ∂y
(a) x2 + 2y 2 + 3z 2 = 1

(b) yz + x ln y = z 2
x y 
(11) Supondo que z = z(x, y) é definida implicitamente por f , = 0, mostre que
z z
∂z ∂z
x +y = z.
∂x ∂y

(12) Determine o vetor gradiente da função em P e a derivada direcional em P na direção do vetor ~v :

(a) f (x, y) = x2 y − xy 3 , P = (2, 1) e ~v = 3~i + 4~j


√ √
(b) f (x, y) = sen(x + 2y), P = (4, −2) e ~v = − 2~i + 2~j

(c) f (x, y) = ln(x + y), P = (1, 1) e ~v = ~i + ~j

(13) Utilize o vetor gradiente para determinar:

(a) equação da reta tangente à curva de nı́vel k = 7 da função f (x, y) = x3 − y 3 no ponto (2, 1).

(b) equação da reta tangente à curva de nı́vel k = 1 da função f (x, y) = y 5 + 2x no ponto (0, 1).

(14) Determine a taxa de variação máxima da função em P e a direção em que isso ocorre.

(a) f (x, y) = sen(xy), P = (1, 0)

(b) f (x, y) = x2 y, P = (1, 1)

(c) f (x, y) = ye−x + xe−y , P = (0, 0).


3

(15) A temperatura em uma placa de metal é dada por T (x, y) = 20−4x2 −y 2 , com x, y em centı́metros
e a temperatura T em ◦ C. Qual a direção de maior crescimento da temperatura a partir do ponto
(2, −3)? Determine a taxa de crescimento.

(16) Considere a função f : R2 → R definida por



xy 2
, se (x, y) 6= (0, 0)


 2
f (x, y) = x + y4


0 se (x, y) = (0, 0).

∂f
Existe um vetor unitário u tal que (0, 0) é o máximo valor possı́vel? Isto é, estando-se em (0, 0)
∂u
existe direção de máximo crescimento?

(17) Determine as direções em que a derivada direcional de f (x, y) = ye−xy no ponto (2, 0) tem valor
1.
4

GABARITO

Regra da cadeia e derivada direcional



3 ∂g ∂g
(2) − rad/s; (3) 127x103 πcm3 /s; (7) (4, 8) = 10 e (4, 8) = −2;
36 ∂u y ∂v
dy y sen x + 2x dy 1 + y − e cos x ∂z −x ∂z −2y ∂z ln y
(9) (a) = , (b) = ; (10) (a) = e = , (b) =
dx cos x − 2y dx ey sen x − x ∂x 3z ∂y 3z ∂x 2z − y
∂z x + zy 1
e = ; (12) (a) ∇f (2, 1) = (3, −2) e Du f (2, 1) = , (b) ∇f (4, −2) = (1, 2) e Du f (4, −2) =
√∂y y(2z − y) 5
2 √ √
; (14) (a) Taxa: 1, direção: (0, 1) (b) Taxa: 5, direção: (2, 1); (15) Taxa: 2 73, direção: (−16, 6).
2

Você também pode gostar