Você está na página 1de 33

PROCESSAMENTO

DIGITAL DE SINAIS

Raphael Pereira Alkmim


RAPHAEL PEREIRA ALKMIM

Formação:
Mestre em Modelagem Computacional e Sistemas
(UNIMONTES).
Engenheiro de Controle e Automação (FACIT).
Técnico em Automação Industrial (FEMC- Escola
Técnica).

Atuação:
Desenvolvimento de projetos.
EMENTA
 Sinais e processamento de sinais;
 Representação de sinais e sistemas digitais no
domínio da frequência e do tempo;
 Processamento digital de sinais contínuos e
discretos;
 Estruturas de filtragem digital;

 Projeto de filtros digitais;

 Implementação de sistemas de processamento


digital de sinais;
 Aplicações.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA

 NALON, José Alexandre. Introdução ao


processamento digital de sinais. 1 ed. São
Paulo: LTC, 2014.

 OPPENHEIM, A. V.; SCHADER, W. R.


Processamento em tempo discreto de sinais. 3
ed. São Paulo: Editora Pearson Education do
Brasil, 2012.

 SILVA, E. A. B.; NETTO L, S.; DINIZ, P. S. R.


Processamento Digital de Sinais. 2. ed. Porto
Alegre: Bookman, 2014.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

 HAYKIN, Simon. Sinais e sistemas. Porto Alegre: Bookman,


2001.

 LATHI, B.P. Sinais e sistemas lineares. 2 ed. Porto Alegre:


bookman, 2007.

 OPPENHEIM, A. V. Sinais e sistemas. 2. ed. São Paulo: Pearson


Education, 2010.

 PINHEIRO, Carlos Alberto Murari; MACHADO, Jeremias


Barbosa; FERREIRA, Luís Henrique de Carvalho. Sistemas de
controles digitais e processamento de sinais: projetos,
simulações e experiências de laboratório. 1 ed. Rio de Janeiro:
Interciência, 2017. v. 1.

 WEEKS, Michael. Processamento digital de sinais utilizando


Matlab e Wavelets. 2. ed. São Paulo: LTC, 2012.
PROPOSTA PARA DISCIPLINA

 Aulas teórico-expositivas com utilização de recursos como


data show, animações, para melhor compreensão do
conteúdo apresentado.
 Atuar no desenvolvimento de práticas.
 Utilização de softwares para auxílio no aprendizado
(Proteus, Matlab).
 Implementação de placas eletrônicas.
 Desenvolvimento de sistemas com microcontroladores ou
PLC’s
 Abordagem relacionando com outras disciplinas, como:
sinais e sistemas, instrumentação eletrônica, etc.
O QUE É UM SINAL?
O sinal é uma entidade que carrega informações.
CLASSIFICAÇÃO DE SINAIS QUANTO A
DIMENSÃO

 Sinais: Função de uma ou mais variáveis que


transporta informação.

 – Unidimensional. Ex.: áudio = f(t).


– Bidimensional. Ex.: imagem = f(x, y).
– Tridimensional. Ex.: vídeo = f(x, y, t).
– Multidimensional.
CONCEITO DE SINAL: DIGITAL E
ANALÓGICO.

Analógico: O sinal Digital: é um sinal com valores


analógico é um sinal discretos (descontínuos) no
contínuo e que varia ao tempo e em amplitude. Possui
longo do tempo, este pode uma quantidade limitada de
assumir uma infinidade de valores que é finita, geralmente
valores entre dois limites. é representado por dois níveis.
EXEMPLOS DE APLICAÇÃO DE SINAIS.
Analógico Digital

Voz Sistemas com Processadores:


Temperatura Computadores, smartfones
Umidade Microcontroladores, etc
O QUE É O PROCESSAMENTO DE SINAIS?
 O sinal é cheio de informações, então o processamento
serve para extrair estas informações.

 O processamento também realiza a transformação dos


sinais.

 Busca garantir a qualidade de um sinal.


A modelagem de sinais também desempenha um papel
importante na compressão e codificação de dados.
POR QUE NÃO TRATAR SOMENTE SINAIS
ANALÓGICOS?

 Até 1950 utiliza-se circuitos eletrônicos ou


dispositivos mecânicos para isto.

 Motivos para mudança:


Precisão dos componentes.
Sujeito a interferências.
Evolução do sistemas computacionais em 1960.
Processamento Analógico

Processamento analógico.

 Hardware:

 Resistores, Capacitores e Indutores;


 Diodos;
 Transistores;
 Amplificadores Operacionais;
 Entre outros.
Processamento Digital

Processamento Digital

 Hardware:

 Memórias;
 DSP (Processadores);
 Somadores e Multiplicadores;
 Conversores A/D e D/A.
Processamento Digital de Sinais

VANTAGENS
 Menos susceptível ao ruído e/ou interferência;

 Facilidade de armazenar informação;

 Maior flexibilidade.
 Sinais e Sistemas podem ser facilmente alterados.
A invenção, e subsequente proliferação, do
microprocessador preparou o caminho para as
implementações de baixo custo dos sistemas de
processamento em tempo discreto de sinais.

A importância do processamento em tempo discreto de


sinais continuará a aumentar, e o desenvolvimento futuro
na área promete ser ainda mais impactante do que o
curso do desenvolvimento que acabamos de ver.
Promessas Futuras

 A chave para estar pronto para resolver novos problemas


de processamento de sinais é, e sempre foi, um profundo
conhecimento da matemática fundamental dos sinais e
sistemas e dos projetos e algoritmos de processamento
associados.
FUNCIONAMENTO DO PROCESSAMENTO
Sinal Discreto

 Sinal Contínuo

Amostragem

 Sinal Discreto

x[n]  x(nT )  x(t ) t nT ,


T é tempo de amostragem.
Conversores A/D

CONVERSÃO ANALÓGICO / DIGITAL

Amostragem Quantização Codificação

 Sinal Contínuo  Sinal Contínuo Sinal Digital  Sinal Binário


(Bits)

 Seqüência Binária 1001 0101 1100 0100

 Sinal Discreto x[1] x[2] x[3] x[4]


Conversores A/D

QUANTIZAÇÃO
 Discretização da Amplitude

1,35V 1,4V
1,22V Quantização 1,2V 1,0V
1,1V 3,61V (Arredondamento)
3,6V

Sinal Analógico (Contínuo) Sinal Digital

Níveis de Quantização – {1,0V; 1,2V; 1,4V e 3,6V}


Conversores A/D

CODIFICAÇÃO

Níveis de Bits Exemplos de Digitalização:


Quantização
1,0V 00 • Telefonias Fixa e Celular:
Fa = 8kHz
1,2V 01 Nbits = 8 bits

1,4V 10
• CD:
3,6V 11 Fa = 44kHz
Nbits = 16 bits

23
Conversores A/D

EXEMPLO DE UM CONVERSOR A/D

24
Conversores D/A

CONVERSOR DIGITAL/ANALÓGICO

25
Sinal no domínio da frequência
(Fourier)

Sinal no domínio do tempo


Filtros Digitais

Sinal de Entrada Sinal de Saída

Filtragem
ONDE PODE SER APLICADO? EXEMPLOS

Áreas de abrangência: comunicações, medicina, industrial, entretenimento,


entre muitas outras.
SINAL DE VOZ
 Um sinal de voz é formado • Métodos de análise digital de voz
pela excitação das cordas são utilizados em:
vocais.
– reconhecimento automático de
voz,
– identificação e verificação do
locutor.
• Aplicações de técnicas de
síntese digital de voz incluem:
– leitura pela máquina: converte
automaticamente texto em voz;
– acesso a terminais de computador
utilizando o telefone.
IMAGEM
 Cada elemento da imagem representa uma certa quantidade física.
– Exemplo: imagem infravermelho representando um perfil geográfico
da temperatura de uma região.
 Os problemas em processamento de imagem são:
– representação, criar um modelo, melhoria, restauração, reconstrução,
análise e codificação do sinal.
 A melhoria da imagem é usada para enfatizar características
específicas, aumentar a qualidade ou ajudar na análise
– melhora do contraste, detecção de borda, sharpening, filtragem,
zoom, minimização de ruído etc.
IMPLEMENTAÇÕES
PRÁTICAS
CONVERSOR A/D (ARDUINO)

Resolução: 5V/1023= 0,00488V


CONVERSOR D/A
(PROTEUS)

Você também pode gostar