Você está na página 1de 10

Memória de cálculo - Estado limite de deformações excessivas (ELS-def)

1.0) Dados de entrada

fck 20 MPa

bf 14 cm

bw 14 cm

hf 0 cm

h 40 cm
Verificação
h2 40 cm
Redimensionar a viga

As 1.04 cm²

As' 0 cm²

d'' 4 cm Centro da armadura comprimida até a a face superior

d 36 cm Seção transversal

Vão 7m

g1 1.4 kN/m²

g2 10 kN/m

g3 3 kN/m -10 -5 0 5 10

q 10 kN/m

t0 14 dias

2.0) Características geométricas no estádio I - seção bruta


2
ℎ𝑓 ℎ²
𝑏𝑓 − 𝑏𝑤 . 2 + 𝑏𝑤 . 2
Ycg 20 cm 𝑌𝑐𝑔 =
𝐴𝑔
4 𝑏𝑓 −𝑏𝑤 .ℎ𝑓3 𝑏𝑤 .ℎ³ ℎ𝑓 2 ℎ 2
IIg 0.0007467 m 𝐼𝐼𝑔 = 12
+ 12
+ 𝑏𝑓 − 𝑏𝑤 . ℎ𝑓 . 𝑦𝑐𝑔 − 2
+ 𝑏𝑤 . ℎ. 𝑦𝑐𝑔 − 2

3.0) Características da seção geométrica no estádio II puro


Todo concreto da região fisurrada é desprezado. Os esforços de tração são resistidos apenas pela
armadura localizada abaixo da linha neutra. Há uma relação linear entre tensão e deformação específica
no concreto para todos os pontos da seção transversal
Todo concreto da região fisurrada é desprezado. Os esforços de tração são resistidos apenas pela
armadura localizada abaixo da linha neutra. Há uma relação linear entre tensão e deformação específica
no concreto para todos os pontos da seção transversal
Carvalho (2014), p.195

3.1) Cálculo da razão modular

Ecs 21287 MPa

αe 9.8650 𝐸𝑠 210.000
𝛼𝑒 = =
𝐸𝑐𝑠 𝑓
0,8 + 0,2. 𝑐𝑘 . 5600 𝑓𝑐𝑘
80

3.2) Solução da equação quadrática da posição da linha neutra no estádio II puro


A primeira tentativa é supondo a seção como seção retângular de base bf. Logo bw = bf e alguns termos se
anulam
𝑏𝑤
a1 7.0 cm 𝑎1 =
2

a2 10.3 cm³ 𝑎2 = ℎ𝑓 . 𝑏𝑓 − 𝑏𝑤 + 𝛼𝑒 − 1 . 𝐴′𝑠 + 𝛼𝑒 . 𝐴𝑠

ℎ𝑓2
a3 -369.35 cm³ 𝑎3 = −𝑑′ . 𝛼𝑒 − 1 . 𝐴′𝑠 − 𝑑. 𝛼𝑒 . 𝐴𝑠 − . (𝑏𝑓 − 𝑏𝑤 )
2

−𝑎2 + 𝑎22 − 4. 𝑎1 . 𝑎3
xII 6.568 cm 𝑥𝐼𝐼 =
2. 𝑎1

OBS.: A hipótese inicial não é verdadeira e a seção deve ser calculada como T

3.3) Cálculo considerando a seção como T


A viga deve ser calculada como viga T

a1 7.0 cm

a2 10.3 cm³

a3 -369.35 cm³

xII 6.568 cm

3.4) Cálculo do momento de inércia para o estádio II puro

xII 6.568 cm

Seção retangular
𝑏𝑓 . 𝑥𝐼𝐼 ³ 2
𝐼𝑧,𝐼𝐼0 = + 𝛼𝑒 . 𝐴𝑠 . 𝑥𝐼𝐼 − 𝑑 + 𝛼𝑒 − 1 . 𝐴′ 𝑠 . (𝑥𝐼𝐼 − 𝑑′ )²
3
Seção T
2
𝑏𝑓 − 𝑏𝑤 . ℎ𝑓 ³ 𝑏𝑤 . 𝑥𝐼𝐼 ³ ℎ𝑓 2
𝐼𝑧,𝐼𝐼0 = + + 𝑏𝑓 − 𝑏𝑤 . 𝑥𝐼𝐼 − + 𝛼𝑒 . 𝐴𝑠 . 𝑥𝐼𝐼 − 𝑑 + 𝛼𝑒 − 1 . 𝐴′ 𝑠 . (𝑥𝐼𝐼 − 𝑑′ )²
12 3 2

OBS.: A seção comporta-se como viga T, portanto utiliza-se a segunda equação

4
Iz,II0 0.0001021 m

4.0) Cálculo das flechas para as diversas combinações


As flechas para as diversas combinações (variando p) são dadas pela expressão abaixo onde:
5. 𝑝. 𝑙 4
𝑎=
384. 𝐸𝑐𝑠 . 𝐼𝑚

Im : é a inércia média de Branson, dada pela seguinte expressão:

3 3
𝑀𝑟 𝑀𝑟
𝐼𝑚 = . 𝐼𝐼𝑔 + 1 − . 𝐼𝑧,𝐼𝐼0
𝑀𝑎𝑡 𝑀𝑎𝑡

4.1) Cálculo do momento de fissuração para as combinações

𝛼. 𝑓𝑐𝑡,𝑚 . 𝐼𝑐
𝑀𝑟 =
𝑦𝑡
α = 1,2 para seções em forma de T ou duplo T
α = 1,3 para seções I ou T invertido
α = 1,5 para seções retângulares

α 1.2
2
3
𝑓𝑐𝑡𝑚 = 0,3. 𝑓𝑐𝑘 . 1000
fctm 2210.42 kN/m²

Mr 9.90 kN.m

4.2) Cálculo das cargas atuantes por metro de nervura

g1: Peso próprio


g2: Enchimento 𝑝1 = 𝑔1 + 𝑔2 + 𝑔3 . 𝑏𝑓

g3: Elementos construtivos em geral 𝑝2 = 𝑔1 + 𝑔2 + 𝑔3 + 0,3. 𝑞 . 𝑏𝑓


q: Ação variável (sobrecarga)
𝑝3 = 𝑔1 + 𝑔2 + 𝑔3 + 𝑞 . 𝑏𝑓
g1 10.0 kN/m²

g2 71.4 kN/m²
g3 21.4 kN/m²

q 71.4 kN/m²

4.2.1 - Combinação permanente

p1 14.4 kN/m

4.2.2 - Combinação quase permanente

p2 17.4 kN/m

4.2.3 - Combinação rara

p3 24.4 kN/m

4.3) Definição dos parâmetros limites para as flechas

Para a totalidade das cargas as flechas serão limitadas à: 𝑙 Τ250


Para a carga acidental flechas serão limitadas à: 𝑙 Τ350
4.4) Cálculo das flechas para as combinações

Mat = Mmáx
Ação p (kN/m) Mr/Mmáx Im (m4) p/Im a (cm)
(kN.m)

Permanente 14.4 88.20 0.112 0.000103 139795 20.53


Quase permanente 17.4 106.58 0.093 0.000103 169570 24.90
Rara 24.4 149.45 0.066 0.000102 238554 35.03

Portanto a flecha devida a carga acidental é dada pela diferença entre a carga total (combinação rara) e a
carga permanente

aq 14.50 cm

4.5) Verificação da flecha devido a carga acidental


O limite imposto pela norma é de:

alim 2.00 cm

OBS.: Não passou

5.0) Determinação da fluência


Para o cálculo do efeito da fluência será considerada a combinação quase permanente
5.1) Data de análise

t0 0.47 meses Retirada do escoramento

5.2) Cálculo dos coeficientes em função do tempo

𝜉 𝑡 = [0,68.0,996𝑡 . 𝑡 0,32 𝑠𝑒 𝑡 ≤ 70𝑚𝑒𝑠𝑒𝑠 𝑜𝑢 2]


ξt0 0.53

ξt∞ 2.00

5.3) Cálculo de ρ' 𝐴𝑠 ′


𝜌′ =
𝑏𝑤 . 𝑑
ρ' 0.00

5.3) Cálculo do coeficiente αf


Δ𝜉
𝛼𝑓 =
1 + 50𝜌′
αf 1.47

6.0) Cálculo da flecha total


O cálculo da flecha total no tempo infinito será a flecha devida a carga obtida pela combinação quase
permanente multiplicada por (1 + α f )

αtot, ∞ 61.47 cm

6.1) Verificação da flecha total no tempo infinito


O limite imposto pela norma é de:

alim,∞ 2.80 cm

OBS.: Não passou

6.2) Obtenção da máxima contraflecha que a norma permite:


Os deslocamentos podem ser parcialmente compensados pela especificação de contraflechas; entretanto, a
atuação isolada da contraflecha não pode ocasionar um desvio do plano maior que l/350

acf 2.00 cm alim,∞ 2.80 cm αtot, ∞ 61.47 cm

αtot-final, ∞ = αtot, ∞ - acf = 59.47

OBS.: Redimensionar a viga


Ponto
1
2
3
4
5
6
7
8
9
######

Você também pode gostar