Você está na página 1de 13

MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA

MANIPULAÇÃO DE MINERAIS
AMINOÁCIDOS QUELATOS
CONDIÇÕES DE MANIPULAÇÃO

1. Manuseio do produtos

Como regra geral, todas as manipulações realizadas na farmácia, utilizar


avental, touca, máscara e luvas descartáveis.

2. Adjuvantes

2.1 Absorventes: a maioria dos minerais aminoácidos quelatos são


higroscópicos, retendo água com facilidade. Na manipulação de
cápsulas torna-se necessário a adição de agentes absorventes para
evitar que o mineral endureça. Utilizar 5 a 10% de uma de Aerosil
(sílica pulverizada) 200 Mesh 20% + Caulim (Silicato de Alumínio)
80%.

2.2 Diluentes: na manipulação de cápsulas, utilizar o caulim como


diluente, associado ao Aerosil 20%.

2.3 Aromatizantes: nos xaropes adicionar um aromatizante, por


exemplo, morango.

3. Ar Condicionado

O uso de um aparelho de ar condicionado é necessário para retirar a


umidade do ambiente, evitando assim, a higroscopia do mineral.
Outra vantagem é que o ar condicionado diminui a quantidade de pó
suspenso no ambiente.

04. Desumidificador

A instalação de um aparelho desumidificador de ar no laboratório de


manipulação reduz a umidade do ar, diminuindo a aderência e o
endurecimento do mineral.

5. Estufa

Estufa deve ser usada para a completa secagem dos equipamentos


de manipulação, assim como para recuperar o mineral empedrado.
FORMAS FARMACÊUTICAS

Os minerais aminoácidos quelatos podem ser dispensados nas segintes


formas farmacêuticas: cápsulas, comprimidos, xaropes, flaconetes ou
envelopes.

1. CÁPSULAS

1.1 Especificações

São utilizadas cápsulas gelatinosas transparentes, tamanhos 00, 0, 1, 2, 3


(respectivamente preenchidas com 1ml, 0,5ml, 0,25ml, 0,125ml e 0,075ml
do mineral).

1.2 Procedimento Farmacotécnico

1.2 a. Pesagem dos Minerais Aminoácidos Quelatos

Não utilizar papel manteiga na pesagem dos minerais, porque a quantidade


obtida do pó é maior que a convencional. Substituir o papel manteiga por
uma placa ou outro similar.
Em uma prescrição médica, a quantidade prescrita do mineral refere-se ao
mineral puro ou no estado elementar. Logo deve-se calcular a quantidade
de Mineral Aminoácido Quelato , correspondente `dosagem do mineral
puro.

O cálculo é feito do seguinte modo: dividir a quantidade do mineral prescrito


pela concentração do produto, multiplicar por 100% e pela quantidade de
doses solicitadas. Por exemplo, prescrito 10mg de Cálcio (Taste Free) em
60 doses:

(10mg / 13%) x 100% x 60 = 4615mg ou 4,62gr.

10mg = quantidade de cálcio puro prescrito


13% = concentração do cálcio Taste Free.
100% = concentração total do mineral
60 = número de doses solicitadas.

Logo, deverão ser pesadas 4,6g de Cálcio Taste Free para 60 doses.

Esse cálculo, apesar de correto, é um procedimento demorado. Uma


alternativa é a elaboração de um fator de correção, que converte a
concentração do mineral no estado elementar para a concentração do
mineral presentes nos produtos Albion.
O fator de correção é obtido dividindo-se a concentração do mineral na
forma elementar pela concentração do Mineral Aminoácido Quelato Albion
(Tabela 1). Por exemplo: a concentração do Cálcio Taste Free é 13%.

100% / 13% = 7,7


Logo, o fator de correção para o Cálcio Taste Free é 7,7.

1.2 b – Aplicação do Fator de Correção

Com o fator de correção o cálculo da quantidade a ser pesada do Mineral


Aminoácido Quelado Albion é mais rápido e fácil, bastando multiplicar a
quantidade do mineral prescrito, o fator de correção e as doses solicitadas.
Por exemplo: prescritos 10mg de Cálcio (Taste Free) em 60 doses.
10mg x 7,7 x 60 = 4620mg ou 4,62gr.

10mg = quantidade de cálcio puro prescrito.


7,7 = fator de correção para o Cálcio Taste Free.
60 = número de doses solicitadas
Portanto, deverão ser pesados 4,62gr de Cálcio Taste Free para 60 doses.

A Tabela 1 fornece os fatores de correção para os Minerais Aminoácidos


Quelados Albion, mas o fator de correção deve ser calculado novamente se
houver variação na concentração do produto determinada pela fábrica.

1.2 c – Tamisação

Após a pesagem, realizar a tamisação dos minerais:

1. transferir os minerais da placa para um tamis.


2. Tamisar com o auxílio de uma espátula de plástico.
3. Retirar todo o material empedrado.
4. Triturar e repassar no tamis.
5. Homogeniezar os minerais no almofariz.

1.2 d – Encapsulamento

1. Após homogeneização, transferir o conteúdo do almofariz para uma


proveta ou copo graduado, com capacidade volumétrica de um (1) litro.
2. Bater a proveta ou o copo graduado contra uma superfície rígida, por
exemplo uma mesa.
3. Verificar e anotar o volume obtido.
4. Tranferir o pó da proveta ou copo graduado para um almofariz e
homogeneizar novamente até obter uma granulometria uniforme.
5. Colocar as partes inferiores das cápsulas na encapsuladora.
6. Transferir o pó do almofariz para a encapsuladora.
7. Distribuir igualmente todo o pó nas cápsulas, com o auxílio de uma
espátula de plástico.
8. Fechar as cápsulas com as respectivas tampas.
9. Limpá-las com uma flanela macia para evitar que resíduos do mineral
permaneçam no lado externo, causando adesão entre as cápsulas.
10. Colocar as cápsulas na embalagem.
11. Rotular a embalagem especificando a fórmula e a data da manipulação.
12. Limpar a encapsuladora com um pedaço de algodão. Se o algodão ficar
aderido na encapsuladora, esta deve ser retirada e substituída por
outra.

NOTA: os ítens 1 e 2 referem-se à determinação do volume aparente do


pó, que consiste em medir em um recipiente transparente (proveta
graduada, copo graduado, etc.), o volume ocupado por uma dada
quantidade de pó. Uma vez que a superfície livre do pó no recipiente de
medida raras vezes é plana, há necessidade de bater com o recipiente
sobre uma superfície rígida, como a de uma mesa. (2).
No ítem 3, o volume do pó obtido na proveta será utilizado na escolha do
tamanho da cápsula para acondicionar o pó. Uma cápsula 00 equivale a um
1ml do pó, assim, um volume de 200ml será encapsulado em 200 cápsulas
00, um volume de 100ml em 100 cápsulas 00, etc. Já uma cápsula 0
equivale a 0,5ml do pó, logo, um volume de 50 ml será encapsulado em
100 cápsulas 0 ou 50 cápsulas 00, etc.
Com o volume obtido é possível estabelecer quantas cápsulas equivalem a
uma dose do Mineral Aminoácido Quelato Albion. Por exemplo: o volume
obtido de 100ml e solicitado 50 doses, dividindo-se 100 por 50:

100 ÷ 50 = 2,0

O resultado indica que cada dose equivale a 2,0 cápsulas, a serem


administradas de acordo com a prescrição médica.
Algumas vezes o resultado dessa divisão não é um número exato. Nesses
casos, deve-se completar o volume da proveta com a mistura Aerosil 20% +
Caulim 80%. Por exemplo: volume obtido de 110ml e solicitado 30 doses.
Dividindo-se 110 por 30, obtém-se 3,6 que equivale a 3,6 cápsulas. Como
não é possível a administração dessa quantidade de cápsulas, deve-se
então completar o volume para 120 ml, com 10 ml da mistura de Aerosil
20% e Caulim 80%. Assim:

120 ÷ 30 = 4

O resultado indica que cada dose equivale a 4 cápsulas a serem


administradas de acordo com a prescrição médica.
e – Acondicionamento

Acondicionar as cápsulas em uma embalagem juntamente com 4 unidades


de sílica. A sílica devido a sua avidez por água, impede o umedecimento e
empedramento do mineral.
Colocar um pedaço de algodão entre as cápsulas e a tampa da embalagem
para amortecer os atritos.

1.2 f – Embalagem

Utilizar potes de plástico (PVC).

2. XAROPE

O xarope constituí uma alternativa de forma de apresentação de mineral


aminoácido quelato para ciranças, idosos, pacientes com estreitamente
esofágico e com dificuldade de deglutição de cápsulas.
Os minerais de escolha devem ser os Taste Free, que são produtos
patenteados sem sabor.
Utilizar sorbitol como veículo do xarope. O seu uso dispensa a adição de
conservantes na formulação e a estabilidade se mantém inalterada por três
meses. Não deve ser usado álcool como veículo, devido a sua
incompatibilidade com os minerais aminoácidos quelatos.
O xarope deve manter PH igual a 7 sendo que a cor e as propriedades
organolépticas devem permanecer inalteradas por no mínimo três meses.

Procedimento de Manipulação

1. Pesar os minerais aminoácidos quleato.


2. Triturá-los em um almofariz e tamisá-los.
3. Transferir o pó para um almofariz.
4. Adicionar qs de sorbitol.
5. Homogeneizar bem.
6. Transferir todo o conteúdo obtido para um cálice.
7. Completar o volume qsp com sorbitol.
8. Adicionar qs de um aromatizante, por exemplo framboesa.
9. Homogeneizar novamente.
10. Transferir o xarope para um vidro âmbar.
11. Colocar um rótulo na embalagem, com a composição do xarope e a
data de manipulação.

NOTA: Nas prescrições de xaropes de Mineral Aminoácido Quelato Albion


com Vitamina E, utilizar a Vitamina E oleosa de uso interno para não
comprometer a estabilidade da preparação.
O sorbitol é o veículo utilizado em xaropes para diabéticos.
FATOR DE CORREÇÃO PARA OS MINERAIS AMINOÁCIDOS QUELATOS
ALBION
NOME COMERCIAL COMPOSTO CONCENTRAÇÃO FATOR DE
CORREÇÃO
Boro Complexo Albion Boro Glicinato 2,5% 40,0
Complexo
Cálcio Aminoácido Quelato Albion Cálcio quelato em 18% 5,6
peptídeos
Cálcio Chelazone Cálcio bis-glicinato 14% 7,1
quelato
Cálcio Taste Free Cálcio bis-glicinato 13% 7,7
quelato sem sabor
Cálcio Citrimal Cálcio citrato malato 20% 5,0
bis-glicinato quelato
Cobre Chelazone Cobre bis-glicinato 2,5% 40,0
quelato
Cobre Lisina Quelato Albion Cobre bis-lisinato 3% 33,3
quelato
Cobre Tirosina Quelato Albion Cobre bis-tirosinato 3% 33,3
quelato
Cromo Chelavite Cromo dinicontinato 2,5% 40,0
glicinato glicinato
quelato
Ferrochel Ferro bis-glicinato 20% 5,0
quelato
Ferro Taste Free Ferro tris-glicinato 19% 5,3
quelato sem sabor
Fósforo complexo Albion Fósforo complexado 18% 5,5
em peptídeos
Magnésio Aspartato Quelato Magnésio bis- 10% 10,0
Albion aspartato quelato
Magnésio Buffered Magnésio quelato em 18% 5,5
peptídeos
Magnésio Chelazone Magnésio bis-glicinato 10% 10,0
quelato
Magnésio Taste Free Magnésio bis-glicinato 8% 12,5
quelato sem sabor
Manganês Arginina quelato Manganês bis arginato 10% 10
Albion quelato
Manganês Chelazone Manganês bis-glicinato 16% 6,3
quelato
Molibdênio Metalosato Molibdênio quelato em 2,5% 40,0
peptídeos
Potássio Complexo Albion Potássio complexado 18% 5,5
em peptídeos
Selênio Complexo Albion Selênio glicinato 0,2% 500,0
Complexo
Zinco Arginina Quelato Albion Zinco bis-arginato 10% 10
quelato
Zinco Chelazone Zinco bis-glicinato 20% 5,0
quelato
Zinco Histidina Quelato Albion Zinco bis-histidinato 10% 10,0
quelato
Zinco aminoácido Taste Free Zinco bis-glicinato 10% 10,0
quelato sem sabor

TABELA DE COMPOSIÇÃO DE ALGUNS COMPOSTOS MINERAIS

Composto Mineral Porcentagem do Mineral Ativo

Cálcio % de Cálcio ativo

Ca-ascorbato 12,27
Ca-aspartato 28,04
Ca-lactato 18,37
Ca-gluconato 9,31
Ca-orotato 14,98
Ca-pantotenato 45,37
Ca-trifosfato 38,76
Ca-quelato 18,00

Magnésio % de Magnésio ativo

Mg-ascorbato 7,42
Mg-aspartato 8,54
Mg-citrato 16,17
Mg-gluconato 5,33
Mg-lactato 12,01
Mg-orotato 8,89
Mg-quelato 10,00

Potássio % de Potássio ativo

K-citrato 38,28
K-ascorbato 20,10
K-quelato 18,00
2. FLACONETES

O flaconete monodose representa uma alternativa de posologia, podendo


ser adicionado em alimentos comuns, mel, sucos de frutas, leite, iogurte,
cereais, sem alteraro o sabor dos alimentos.
Os minerais de escolha devem ser os Taste Free, que são produtos
patenteados sem sabor.
Os flaconetes são encontrados em dois materiais: plástico e vidro. O
flaconete de plástico é o mais utilizado por ser de baixo custo, mas
apresenta o inconveninete de aumentar a higroscopia do mineral. Com o
flaconete de vidro, tal problema não ocorre.

Procedimento de Manipulação

1. Pesar os Minerais Aminoácidos Quelatos.


2. Triturá-los em um almofariz.
3. Transferir os minerais para um tamis e tamisá-los com o auxílio de uma
espátula.
4. Retirar todo o material empedrado.
5. Triturar e repassar no tamis.
6. Homogeneizar os minerais no almofariz.
7. Transferir o pó para um flaconete.
8. Acondicionar todos os flaconetes em uma única embalagem.
9. Colocar uma etiqueta na embalagem, especificando a fórmula e a data
de manipulação.
4. ENVELOPES

Os minerais aminoácidos quelatos também são dispensados em envelopes


monodose, sendo seu conteúdo adicionado em alimentos comuns, mel,
sucos de frutas, leite, iogurte, cereais, sem alterar o sabor desses
alimentos.
Os minerais de escolha devem ser os Taste Free, que são produtos
patenteados sem sabor.

Procedimento de manipulação

1. Pesar os minerais aminoácidos quelatos.


2. Triturá-los em uma almofariz.
3. Transferir o mineral para um tamis e tamisá-los com o auxílio de uma
espátula.
4. Retirar todo o material empedrado.
5. Triturar e repassar no tamis.
6. Homogeneizar os minerais no almofariz.
7. Transferir o pó para um envelope.
8. Acondicionar todos os envelopes em uma única embalagem.
9. Colocar uma etiqueta na embalagem, especificando a fórmula e data de
manipulação.
COMPATIBILIDADE DOS MINERAIS AMINOÁCIDOS QUELATOS COM
OUTRAS SUBSTÂNCIAS.

Os Minerais Aminoácidos Quelatos Albion não sofrem hidrólise nas


condições fisiológicas da disgestão, nem interagem com
outros nutrientes. Em um estudo recente realizado na França
foi testada a estabilidade da vitamina A (a mais sensível à
oxidação) na presença de Ferrochel. O estudo concluiu que o
Ferrochel não reagiu com a vitamina A. A vitamina A em
solução com o Ferrochel sofreu deterioração na mesma
proporção que a vitamina A sozinha. Os minerais aminoácidos
quelatos Albion são associados mais comumente com as
vitaminas (hidro e lipossolúveis) e os aminoácidos, entre
outras substâncias.

Estabilidade

As formas farmacêuticas contendo os Minerais Aminoácidos Quelato Albion


devem se manter estáveis por um período de 3 (três) meses.

Conservação

As formas farmacêuticas dos minerais aminoácidos quelatos (cápsulas,


comprimidos, xaropes, flaconetes e envelopes), devem ser conservados ao
abrigo da luz, em ambiente seco e fresco.
O mineral pode ser recuperado se houver empedramento. Neste caso usar
uma estufa à 70ºC por três horas para retirar a umidade e um almofariz
para recuperar a granulometria original.

Cor do Produto

A cor do produto é mencionada na descrição de suas características


físicas. Algumas variações na cor podem ocorrer devido ao processo de
fabricação, sem resultar em modificações na estrutura do mineral
aminoácido quelato.Albion.
Consultar a Albion para melhores esclarecimentos, em casos de colorações
diferentes das especificadas.

Estocagem

Os minerais aminoácidos quelatos são normalmente estocados em potes


plásticos. Em cada pote deverá ser colocada uma etiqueta, especificando o
nome e a concetração, assim como, o número do lote e a data de validade
do produto. Os potes devem permanecer ao abrigo da luz, em ambiente
seco e fresco, com fácil acesso ao manipulador.
Orientação aos pacientes

Os pacientes devem ser orientados a guardar a embalagem com os


Minerais Aminoácidos Quelatos Albion fechada, ao abrigo da luz e da
umidade.
Ocasionalmente, o número de cápsulas pode ser maior ou menor que o
normal e o paciente deve perguntar ao médico os motivos para tal
alteração.
Pode ser sugerido aos pacientes a abertura de quantidade de cápsulas
referentes a uma dose do Mineral Aminoácido Quelato Albion e ingeri-la
com sucos de frutas, leite, mel ou iogurte.

Orientação aos Médicos

O Farmacêutico deve frisar a importância da padronização da escrita e da


forma de prescrição dos minerais aminoácidos quelatos, para uma
adequada manipulação do produto. Com essa finalidade, convencionou-se
prescrever os minerais da seguinte forma:
Por exemplo: Zinco (Chelazome) 15mg
O uso do parênteses é necessário para evidenciar que a quantidade
indicada é correspondente ao mineral puro e não à combinação deste com
o aminoácido. Portanto, no exemplo citado, temos que 15mg correspondem
ao elemento Zinco e não ao composto Zinco Chelazome (para obter a
quantidade a ser utilizada do Mineral Aminoácido Quelato Albion, vide
pesagem).

NOTA: O Farmacêutico deve entrar em contato com o médico quando uma


prescrição apresentar-se fora dos padrões usuais, prestando
esclarecimentos sobre as doses diárias mais utilizadas e os tipos de
minerais aminoácidos quelatos existentes (vide tabela e doses diárias
utilizadas).