Você está na página 1de 25

SHURATO E A MITOLOGIA HINDU

ShareTweet

FacebookTwitterWhatsAppTelegramCo
mpartilhar
Tenkū Senki Shurato ( 天 空 戦 記 シ ュ ラ ト  lit. “As Crônicas da
Guerra Celestial: Shurato”), ou simplesmente Shurato ( シ ュ ラ ト ),
foi uma série de mangá criada por Hiroshi Kawamoto e adaptada
para anime pela Tatsunoko Productions. É inspirado na mitologia
do budismo-hindú, resgatando um pouco o começo das histórias no
Japão, que eram inspiradas em lendas. Criado em 1987 para
aproveitar o hype criado por Cavaleiros do Zodíaco, guerreiros
com armaduras e uma mitologia como inspiração para trama,
Shurato está completando 30 anos em 2017.

O mangá de Shurato começou a ser publicado na revista Shōnen


King da editora Shōnen Gahosha. Estreou na TV Tokyo em 6 de
abril de 1989 e continuou até 18 de janeiro de 1990, chegando a 38
episódios, seu final só foi mostrado na série de OVAs, Sōsei e
no Antō, de 1991. Os países em que obteve maior sucesso foram
Japão, França e Brasil, através da extinta Rede Manchete.

Shurato Hidaka e Gai Kurawa, são dois praticantes de artes


marciais e excelentes amigos desde crianças, os dois estão lutando
num torneio em sua escola na terra e de repente somem. Shurato
acorda no Mundo Celestial, onde a tecnologia moderna não existe
e, ao invés disso, as pessoas dependem de seus Sohmas, uma
forma de energia espiritual. Logo que acorda neste novo ambiente,
conhece Rakesh, que se diz apaixonada por ele. Não demora muito
e também encontra Gai, vestido com uma estranha armadura (a
qual é conhecida como Shakti) e disposto a matá-lo. Leiga o Rei
Karla, impede a luta dos dois. Shurato e Gai são levados até a
presença de Vishnu e descobrem que são o Rei Yaksha ( Gai ) e
o rei Shura ( Shurato ), dois dos Oito Guardiões Divinos do Povo
de Deva, Os Hachibushu (八部衆, Hachibushū, Oito Guardiões).

Indra, o maior de discípulo de Vishnu, conspira com Gai e


transforma a deusa em pedra. Porém Hyuga, o Rei
Celestial, guardião de confiança de Vishnu, e Shurato vêem a
traição de Indra, e os dois são acusados por ele de
terem transformado Vishnu em pedra, mandando o restante dos
Reis atrás deles. Depois de várias lutas os guardiões se separam
em dois grupos: O grupo de Shurato,
com Hyuga, Ryuma e Leiga e o grupo
de Gai com Lengue, Dan e Keynia. E assim a jornada de batalhas
e emoções começa.

Kawamoto, autor da série, teve a preocupação de manter a história


o mais próximo possível da mitologia hindu/budista, que nada tem a
ver com a grega. Apesar dos dramas, familiares às produções
japonesas, Shurato não só enrola menos que Saint Seiya, como
também segue mais fielmente suas mitologias inspiradoras (budista
e, ainda mais fortemente, a hinduísta).

O Hinduísmo é uma religião muito complexa e o panteão indiano


está costurado diferentemente daqueles dos gregos ou nórdicos.
Não existe uma divindade suprema que está à frente dos outros e
cada deus é considerado o maior nos hinos a eles dedicados. Os
arianos que, por volta de 1.500 a.C., invadiram a Índia a partir do
Norte, tinham vários deuses: o Céu, o Sol, a Terra, adorados sob
forma humana. Em seu louvor escreviam hinos e cânticos,
coletados nos Vedas (“conhecimento” em sânscrito), como se
chamam os livros dos sacerdotes hindus, dos quais se colheram
noções da mitologia. O mais velho é Rig Veda (“conhecimento
real”), que descreve a criação do Universo. O Rig Veda sugere
ainda que existia um só deus, desdobrado em vários aspectos:
o Céu, pai do crepúsculo; Vayu (o vento), pai dos deuses da
tempestade; Soma, pai das plantas;  Sarasvati, dos rios; Indra,
filho da verdade e Agni, filha do poder. Geralmente, eram benignos
e amavam a honestidade e a retidão.

Os mitos indianos são, seguramente, os mais complicados, têm


várias ramificações e os textos recuperados apresentam várias
divergências e contradições. Apesar disso, o artífice de encenatura
soube representá-los bem, tornando-os menos caóticos. Quanto ao
Budismo, este é um sistema ético, religioso e filosófico fundado pelo
príncipe Siddharta Gautama, o Buda, difundido por todo o Extremo
Oriente, e que consiste fundamentalmente no ensinamento de
como, pela conquista do mais alto conhecimento, se escapa da
roda dos nascimentos e se chega ao nirvana.

O budismo hindu divide o Universo em seis mundos (ideia esta que


também inspirou o golpe Ciclo das Seis Existências que Shaka
de Virgem utiliza em Saint Seiya, “Rikudo Rinne”), são eles: o
mundo dos Devas, dos Asuras (em japonês Ashuras ou Shuras),
dos Homens, dos Animais, dos Pretas e do Nevoeiro.

O Mundo do Nevoeiro (ou Inferno propriamente dito) representa o


Ódio e é habitado por espíritos ou seres demoníacos totalmente
perversos.

O Mundo dos Pretas é habitado por demônios famintos que


representam a Ganância e o Sofrimento.

O Mundo dos Animais representa a Ignorância e é habitado pelos


animais.

O Mundo dos Homens representa a Inconsequência.

O Mundo dos Asuras é habitado por seres que possuem a forma


de seres humanos, mas com três faces e três pares de braços.
Como não podem colher o soma dos Devas, vivem em constante
guerra contra eles. Representam a Inveja.

O Mundo dos Deuses ( O Mundo Celestial em Shurato) é habitado


por seres imensamente belos, os Devas, sempre cercados de
abundância e opulência, bebendo o soma. Como nem todos
possuem consciência de que um dia esses prazeres terão fim,
alguns são arrogantes. Assim, representam o Orgulho.

Os Deuses
Em Shurato existem 3 divindades do hinduísmo que são
consideradas maiores:

Shiva

Deus inocente ou da transformação. Tem um 3º olho, longos


cabelos e uma serpente que simboliza sabedoria
ou Kundalini ( uma energia adormecida no interior de todo ser
humano). Com o 3º olho fechado Shiva é o protetor dos inocentes
e, quando o abre, se torna Sankhara, o Destruidor. Ele não é um
deus do mal, pois como a força da natureza destrói o velho para
que o novo possa nascer, ao mesmo tempo é o destruidor e o
criador. Em Shurato é o mal encarnado. Deusa da destruição, tem o
poder de liberar e acentuar o Soma Negro que existe em todos os
seres. É a Deusa que rege o povo divino de Asura. Fora banida do
Mundo Celestial há 10.000 anos atrás por Vishnu e os antigos
Guardiões celestiais.

Brahma

Deus criador. Divindade principal na mitologia, acredita-se que tudo


se originou dele, da natureza ao ser humano. Em Shurato, ele
morreu na batalha Celestial entre o Mundo Celestial e os Devas,
que ocorreu 10.000 anos atrás.

Vishnu 
É o Deus protetor do universo, que se manifesta numa forma
masculina . Ele representa a compaixão infinita. Quando o budismo
foi para a China, este arquétipo de compaixão recebeu dos
chineses e dos japoneses o corpo de uma mulher. No anime Vishnu
tem a versão japonesa , por isso é uma mulher.

Os personagens 
Indra – Pai dos deuses menores. Senhor do clima e do trovão . Na
série ele é o segundo em comando depois de Vishnu e o pivô da
trama. Comandante supremo das forças divinas de Deva. Apesar
de Indra ser muito querido e respeitado por todos do povo de Deva
e de ter se tornado o maior discípulo de Vishnu, Indra na verdade,
pertencia ao povo de Asura. Porém, seu Sohma Negro estava
adormecido dentro dele. Com a aproximação do Palácio da
Transformação, o Sohma Negro de Indra despertou. E, com isso,
ele traiu Vishnu e iniciou uma rebelião, transformando Vishnu em
pedra e culpando Shurato e Hyuuga , jogando os Oito Guardiões
uns contra os outros. Devido à traição, ele é considerado o espião
de Asura que se infiltrou no palácio celestial.

Os Deva (“Brilhante”), nas religiões do Oriente, são cada uma das


diversas divindades masculinas que se situam entre os seres
divinos superiores e os homens. No bramanismo, são deuses
benéficos e imortais a quem se oferecem sacrifícios. São os
habitantes do Mundo Celestial em Shurato.

Os hachibushus são os oito guardiões búdicos, protegem o mundo


Celestial e mantém a harmonia no universo. É o nome dado aos 8
deuses menores que, no anime, são a guarda de elite de Vishnu e a
proteção do mundo celestial e por consequência da Terra, já que
esta é um reflexo de tudo o que acontece no mundo Celestial. Na
mitologia, protegem os budistas e mantém a harmonia no universo. 

Os guardiões usam uma energia chamada Soma para lutarem. O


Soma nada mais é do que o Kí , para os hindús. No anime funciona
como o cosmo em Cavaleiros . Cada guardião entoa um mantra
como o de Shurato : Nawmaki Samandha Boddan Nah Abbila
Um Kemn Soh Wahka! E solta o seu golpe.

Shakti – É a armadura dos guardiões, também entoa-se um mantra


para usá- la, Shurato diz Ohm Shura Soh Wahka, Hyuga diz Ohm
Ten Soh Wahka e assim vai, cada guardião possui seu mantra
própio. O Shakti possui “vida própria” , regenera os danos sofridos ,
mas depende do Soma do guardião para isso, ou seja, quanto mais
forte for o soma, mais forte será o Shakti. Na mitologia significa um
poder divino. Essa palavra pode ser utilizada como sinônimo de
Devi, a deusa indiana suprema; mas pode também representar a
esposa de uma divindade masculina hindu. Assim, Parvati é a
shakti de Shiva, Lakshmi a de Vishnu e Sarasvati a de Brahma.

Rei Ashura (Rei Shura) – Shurato, como seu própio nome diz é o


rei dos shuras um dos poucos de sua raça que não são inimigos
dos Devas. Possui o Soma mais Forte ao lado de Ryuma.
Personagem principal do anime, Shurato  é fiel a todos os seus
amigos e sempre se recusa a lutar com Gai. Mais tarde, descobre
ser o Sucessor de Brahma, Deus hindu da criação. Possui uma
personalidade temperamental e infantil, agindo às vezes por
impulso ou por pura irresponsabilidade.

Rei Naga-Raja (Rei Dragão) – Ryuma, é o mais forte dos oito


guadiões ao lado de Shurato, mas é o mais experiente, sempre
conduz as lutas de maneira a orientar o grupo. Ryuma vence a luta
mais difícil da série contra Acalanatha de Fudoumyou-ou,
atingindo-o em seu ponto fraco. É o melhor amigo de Hyuga, essa
amizade faz com que confie em que o amigo não é um, traidor.

Deva Raja – Rei dos Devas, (Rei Celetial) –  Hyuga, o Tigre ,


testemunha da traição de Indra e levou a culpa junto com Shurato.
Sofre com o estado de Vishnu e tenta salvá -la antes que o mundo
Celestial se destrua. Seu Shakti representa Deva, um grupo de
deidades da mitologia hindu e budista, gafada em japonês com o
mesmo kanji referente a céu, paraíso ( 天 ,ten). Parece sentir algo
por Lenge também.

Rei Yaksha – O lobo , personificado por Gai, amigo de Shurato. Na


terra Gai era leal, honesto e generoso. No mundo celestial conspira
junto com Indra e pretende matar Shurato a qualquer
custo. Também sucessor de Brahma e antagonista principal
inicialmente. Logo que chega ao Mundo Celestial é dominado pelo
poder do Soma Negro,que foi colocado nele por Shiva.

Rei Garuda (Rei Karla) – Reiga (Leiga, na dublagem). O mais


“delicado” dos oito guardiões. Na verdade Leiga é um andrógeno,
altamente vaidoso, esperto, muito brincalhão e foi o que mais
desenvolveu amizade com Shurato.. Rei ou rainha das aves,
representa o pássaro mitológico de fogo, Fênix.

Gandaharva Raja (Rei Hiba) – Representado por Kibao Dan, o


mais feroz dos oito guardiões, preza pela força física. Seu a animal
símbolo é o javali. Sua devoção a Indra praticamente o cegou a
tudo, sendo que acabou perdendo para Shurato, mas voltou a vida
e se uniu a ele na luta contra as forças de Asura.

Moharoga Raja (Rei Dapha) – Rei da água, Kenya ( Kuuya, no


original), o mais esforçado dos oito guardiões. O nome é uma
homenagem á um monge budista do século XVI, que conseguiu
grande força por muito treinar. É o Guardião que mais desenvolveu
o poder do Soma. De expressão séria e disciplinar, Kuuya é o único
que consegue neutralizar seu Sohma na Caverna do Luar (além de
neutralizar o Soma de seus companheiros).
Kimnara Rengue Raja (Rainha Nala) – a única flor dos oitos
guardiões. No desenho é representada por Rengue ( aqui Lengue),
a única mulher entre os guardiões. Seu nome em japonês significa
Flor de Lótus. Acreditava plenamente no mestre Indra, por quem
era apaixonada.

Rakshu – A namorada de Shurato, é uma adaptação japonesa do


nome Laksimi, deusa hindú da sorte e da fortuna . Aqui,
virou Hakesh. Sucessora de Vishnu, despertando seu poder logo
após a morte natural da Deusa. Ela está sempre alegre e é bem
romântica, nunca se separa de seu bichinho de estimação Mii
(juntando o nome dos dois, forma-se o nome da deusa Lakshmi).
Mesmo dando uns puxões de orelha em Shurato, Laksh demonstra
que o ama muito, a ponto de dar sua vida pelo rapaz, como
aconteceu na luta contra Kundalini.

Curiosidades
o Shurato teve 2 canções de abertura, “Shining Soul” e “Truth”,
e 2 canções de encerramento, “Sabaku no meizu” e “Kyaraban”,
todas interpretadas por Satoko Shimizu. No Brasil, apenas a
primeira canção tanto de abertura quanto de encerramento
foram adaptadas para o português em versões que fãs
brasileiros colocam como uma das mais bem interpretadas dos
animes, e foram interpretadas pela cantora Graça Cunha. Além
disso, o estúdio, fazendo um bom trabalho, chegou a trocar as
músicas internas do anime pela versão dublada, o que
raramente é feito e serviu para acentuar a carga dramática das
cenas.

o A dublagem realizada é tida como um dos fatores do sucesso


do anime no país, uma vez que permaneceu fiel ao original e
ainda introduziu uma nova prática ao traduzir os créditos do
original japonês para o português.O que foi seguido por Yu Yu
Hakusho e mais tarde por Dragon Ball Z. Ainda assim, a
dublagem modificou certos nomes no anime, traduzindo
erroneamente o povo de Asura como “povo de Asra”, trocando o
nome do deus Brahma para Brafma para que ele não ficasse
com o mesmo nome de uma popular cerveja do país, adaptando
Leiga, o Rei Garuda (Karura Oh), referente a uma ave da
mitologia hindu similar a uma Fênix, para o Rei “Karla”[4] e
modificando do nome do personagem Kuuya (o Rei Dappa) para
“Kenya”.
 

o Mandala, é o objeto onde cada um de seus pontos representa


uma fonte de energia. Em outras palavras, um círculo com
vários pontos, que quando interligados geram uma grande
concentração energética. No tantrismo, Mandala é um diagrama
composto por círculos e quadrados concêntricos; uma imagem
do mundo e instrumento que serve à meditação. No anime,
Shurato, Leiga, Hyuga e Ryuma unem seus somas
na Formação Mandala para derrotar seu mais poderoso inimigo
até então, Kundalini da tríade do demônio.
 

o Mantra (“Canalizador psíquico”), no tantrismo, é uma fórmula


encantatória, dotada do poder de materializar a divindade
invocada. Em Shurato um mantra é sempre cantado para liberar
um golpe ou invocar a shakti.
 

o Shurato seria a última série de anime envolvendo armaduras


e mitologias, chamado por alguns de sub-gênero “spirit”. Ainda
assim é tido como um dos precursores do henshin e como a
maior inspiração para Guerreiras Mágicas de Rayearth, cujas
criadoras eram grandes fãs da série. 
 

o Shurato foi uma das primeiras produções a ter seus bonecos


e action figures falsificados em massa, durante a explosão
desse mercado paralelo em meados da década de 90.

Os 8 Guardiões Celestiais

São considerados os mais fortes dentre toda a força celestial de Deva. São
compostos por 8 guerreiros que trajam shaktis, que é uma espécie de armadura
que pode se transformar tanto numa proteção corporal, como num veículo de
locomoção. Os oito guardiões são:
Shurato, O Rei Shura

Shurato Hidaka, também conhecido como Shurato, O Rei Shura (???????,


Shura-o Shurato) é o personagem principal do anime, foi transmigrado para o
Mundo Celestial com seu amigo Gai. É fiel a todos os seus amigos e sempre se
recusa a ter de lutar com Gai. Mais tarde descobre ser o Sucessor de Brahma
(chamado de Brafma na dublagem brasileira), Deus hindu da criação. Possui
uma personalidade temperamental e infantil, agindo as vezes por impulso ou
por pura irresponsabilidade. Quando chega ao Mundo Celestial, não tem
domínio algum do sohma, mas graças a ajuda de Salas e Mayuri (servos diretos
de Vishnu), ele aprende a controlar seu poder. Apesar de não admitir, ele ama
Rakesh, a ponto de dar a vida pela garota. Seus combates mais marcantes foram
contra Kundaline de Akumamyou, contra o Mestre Indra e contra seu melhor
amigo, Gai, o Rei Yasha.

Técnica #1
Mantra: Naumaki Sanmanda Bodanan Abila Unken Sowaka
Golpe: Poder de Shura (Shura Mahaken, lit. Punho Mágico do Leão)

Técnica #2
Mantra: Naumaki Sanmanda Bodanan Makka Jinbara Sowaka
Golpe: Tríade Suprema de Shura (Shura Kouhaken, lit. Pirâmide de Luz do
Leão)

Gai, O Rei Yasha

Gai Kuroki, também chamado de Gai, O Rei Yasha também sucessor de Brahma.
Logo que chega ao mundo celestial é dominado pelo poder do Souma negro,que
foi colocado nele por Shiva e passa a lutar contra Shurato. Na Terra, Gai era o
melhor amigo e rival esportivo de Shurato. É derrotado por Shurato na luta
contra as forças de Asura. Acaba meio que se fundindo ao espírito do amigo
para guiá-lo ao caminho da luz.

Técnica #1
Mantra: On Bazara Tamakukkan Yasha Han
Golpe: Vento Cortante do Lobo Diabólico (Shippuu Marouken, lit. Furacão do
Canino Diabólico).
Técnica #2
Mantra: On Bazara Tamakukkan Hakisha Han
Golpe: Espada do Lobo Diabólico (Yashakin Goushou, lit. Forte Vento do Lobo
Iluminado)

Leiga, O Rei Karura

Reiga, O Rei Karura , adaptado erroneamente para o Rei Karla na dublagem


brasileira, é um personagem com trejeitos afeminados e muito brincalhão. Alia-
se primeiramente a tropa de Gai, porém, com uma certa desconfiança sobre este
e o mestre Indra. Após confirmar suas suspeitas,se junta ao grupo de Shurato.
Mesmo com traços afenimandos, Leiga gosta mesmo de galantear as garotas, em
especial a Rakesh, para bronca de Shurato. Seus poderes são baseados em
ataques com penas, tanto ofensivos, como a técnica da Visão Voadora, que
consiste em buscar a visão além do alcance.

Técnica #1
Mantra: Naumaku Sanmanda Bodanan Makka Karura Sowaka
Golpe: Tempestade de Penas Karla (Karura Hanefubuki, lit. Tempestade de
Penas da Garuda)

Técnica #2
Mantra: On Buda Roshiyani Kawani Sowaka
Golpe: Visão Voadora (Karura Reishiu, lit. Visão Espectro da Garuda)

Técnica #3
Mantra: Naumaku Sanmanda Bodanan Giappyu Saraba Makka Rouro Sowaka
Golpe: Furacão das Penas Purpuras (Karura Yokushiran, lit. Vendaval Purpura
da Garuda)

Técnica #4
Mantra: Naumaku Sanmanda Bodanan Giappyu Saraba Bigunan Sowaka
Golpe: Asas de Fogo Karla (Karura Kayokujin, lit. Incêndio de Plumas da
Garuda)

Ryouma, O Rei Dragão

Ryouma, o Rei Ryuu, é fiel amigo de Hyuuga, é o mais forte entre os guardiões e
o primeiro a se unir a Shurato e Hyuuga. Na Terra seu nome terrestre é Tanaka
num OVA. Apesar de parecer ser o mais tímido é o primeiro a se casar. É
determinado e sua arma é uma lança, na qual pode desferir golpes em alta
velocidade. Na revolta de Indra, se sacrificou para derrotar Akalanata de
Fudomyou, atingindo-o em seu ponto fraco. Logo volta à vida pelas mãos de
Vishnu para combater as forças de Asura.

Técnica #1
Mantra: Naumaku Sanmanda Bodanan Nandu Ranandu Sowaka
Golpe: Dragão de Fogo (Ryuu Kaengeki, lit. Fúria Infernal do Dragão)
Técnica #2
Mantra: Naumaku Sanmanda Bodanan Agyan Nauei Sowaka
Golpe: Dragão Supremo (Ryuu Bakurengeki, lit. Fúria Explosiva do Dragão)

Hyuuga, O Rei Celestial

Hyuuga, o Rei Ten (??????, Ten-o Hyuga, lit. Hyuuga, o Rei Céu). Amigo
inseparavel de Ryouma, foi o primeiro a se tornar amigo de Shurato. Na Terra
seu nome terrestre é Itsuki num OVA. Era o assessor direto de Vishnu e foi um
dos testemunhos da traição de Indra, pegando-o em flagrante. Era amigo de
infância de Mariichi também e testemunhou a sua morte após este sucumbir
diante de Lenge, devido ao mal das bolhas vermelhas. Meses após a queda de
Indra, ele se junta a Shurato e seus amigos na luta contra Shiva. Parece sentir
algo por Lenge também.

Técnica #1
Mantra: Naumaku Sanmanda Bodanan Makaka Kyaraya Sowaka
Golpe: Cristal de Aço Celestial (Ten Oh Suishouketsu, lit. Cristais Congelates do
Rei Celeste)

Técnica #2
Mantra: Naumaku Sanmanda Bodanan Makaka Kareiya Sowaka
Golpe: Tigre de Aço Celestial (Ten Oh Goumakou, lit. Chuva de Gelo do Rei
Celeste)

Técnica #3
Mantra: Naumaku Sanmanda Bodanan Bishiyora On Sowaka
Golpe: Tigre de Gelo Celestial (Ten Oh Etsubakou, lit. Diamantes de Gelo do Rei
Celeste)

Lenge, A Rainha Nahla

Renge, a Rainha Nara (??????, Nara-o Renge, lit. Renge, a Rainha Nala). E a
única mulher entre os guerreiros celestiais. Acreditava plenamente no mestre
Indra, por quem era apaixonada, rejeitando os sentimentos de Mariichi de
Marishi-Ten, que era apaixonado por ela e grande amigo de Hyuuga. Foi
derrotada pelo rei celestial, mesmo sabendo da verdade sobre o seu amado.
Parece sentir algo em relação a Hyuuga, meses depois da queda de Indra.

Técnica #1
Mantra: Naumaku Sanmanda Bodanan Makka Naara Sowaka
Golpe: Flor Solitária de Nahla (Naara Musouka, lit. Flor Final do Unicórnio)

Técnica #2
Mantra: Naumaku Sanmanda Bodanan Arou Rikya Sowaka
Golpe: Rosa Escarlate de Nahla (Naara Shureika, lit. Flor Carmesim do
Unicórnio)

Kuuya, O Rei Dappa


Kuuya, o Rei Dappa (??????, Dappa-o Kuya), também chamado de Kennya na
dublagem brasileira, o Guardião que mais desenvolveu o poder do Souma. De
expressão séria e disciplinar, Kuuya é o único que consegue neutralizar seu
sohma na Caverna do Luar (além de neutralizar o sohma de seus
companheiros). Foi o único além de Shurato, Hyuuga, Rakesh e Ryouma que
acreditou na palavra de Leiga, quando este mostrou-lhe a verdade sobre Indra.
Porém, devido aos ferimentos do combate com seu amigo, acaba morrendo, no
mesmo instante em que sua pequena irmã morrera do mal das bolhas
vermelhas. Ressucitou pelas mãos de Vishnu para combater o exército de Asura.

Técnica #1
Mantra: Naumaku Sanmanda Bodanan Gyanau Sanra Sanra Sowaka
Golpe: Onda da Água Cortante (Dappa Suikourin, lit. Onda da Água de Bubalus)

Técnica #1
Mantra: Naumaku Sanmanda Bodanan Gyanau Shibetchi Shibetchi Sowaka
Golpe: Trovão de Água Dappa (Dappa Suiraisen, lit. Relâmpago de Água de
Bubalus)

Dan, O Rei Hiba

Dan, o Rei Hiba. É o mais violento entre os guardiões. Quando era jovem,
acreditava que a força bruta era a que determinava quem era o mais poderoso,
mas após receber conselhos sábios de Vishnu, determinou-se a defende-la.
Perdeu para Shurato, mas voltou a vida e se uniu a ele na luta contra as forças
de Asura.

Técnica #1
Mantra: Naumaku Sanmanda Bodanan On Matarya Sowaka
Golpe: Tempestade de Areia Brilhante (Hiba Ryusakou, lit. Avalanche de Areia
de Rhino)

Técnica #2
Mantra: Naumaku Sanmanda Bodanan On Bokuken Sowaka
Golpe: Terremoto Destruidor Hiba (Hiba Gekishinha, lit. Terremoto Violento de
Rhino)

Vilões

Mestre Indra

Antigo comandante supremo das forças divinas de Deva. Com a aproximação do


Palácio da Transformação, o Souma negro de Indra despertou e com isso ele
traiu Vishnu e iniciou uma rebelião, culpando Shurato e Hyuuga por terem
transformado a Deusa em pedra. Devido à traição, ele é considerado o espião de
Asura (Asra na versão dublada) que se infiltrou no palácio celestial. De
aparência calma e calculista, não tinha dado nenhuma suspeita de que era o
traidor. Por isso, quatro dos oito guardiões divinos acreditaram em sua palavra.
Foi derrotado por Shurato e Hyuuga.
Mantra: Vishnu Horadara Kisha Bazara Handara Unhata
Golpe: Técnica Fantasma do Imperador do Trovão

Mantra: Naumaku Sanmanda Bazaradan Tarata Indora Aria Han


Golpe: Rajada do Imperador do Trovão

Shiva

Deusa da destruição,ela tem o poder de liberar e acentuar o soma negro que


existe em todos os seres. É a Deusa que rege o povo divino de Asura. Fora
banida do Mundo celestial a 10.000 anos atrás por Vishnu e os antigos
guardiões celestiais.

Imperadores de Asura

São os guerreiros mais poderosos a serviço de Shiva. Apesar de ser dito na serie
que eram 12 no total, apenas 6 deles são mostrados. Alem disso embora Indra
faça parte dessa classe de guerreiros de Asura, ele parece ter um nivel de poder
muito superior a o dos outros, pois nem usava shakti e ainda assim era muito
poderoso.
Haira o Imperador da Terra, Antera o Imperador do Sol, Santera a Imperatriz
da Lua, Kubira o Imperador do Fogo – Enfrentam os guardiões no monte shumi
e dão muitas dificuldades a eles. Eram tão fortes quanto os guardiões, mas
pareciam mais adaptados para lutar no monte shumi, aonde não se podia usar
muito soma de uma vez.
Mikala o imperador das sombras – o ultimo a enfrentar os guardiões já no
palacio de shiva. Tinha o poder de fundir seu corpo ao do palacio.

Triade do Demônio

São três guerreiros que lutaram na guerra anterior contra Asura, que voltaram à
vida graças ao poder de Indra .São eles:

Kundalini de Akumamyou
Deu muitas difículdades a Shurato e seus amigos, mas foi derotado pela
Formação Mandala feita por Hyuuga, Ryouma, Leiga e Shurato que
conseguiram um poder inimaginável graças a Rakesh que quase se sacríficou
para que esse objetivo fosse concluído.

Técnicas: Emissários do Demônio, Tentáculos de Fogo e Ondas Ardentes.


Mantra: Nenhuma
Golpe: Emissários do Demônio, serpentes de lava que caçam os adversários que
se escondem.

Mantra: Un Kirih Kirih Dakarah Un Ran


Golpe: Tentáculos de Fogo.

Mantra: Naumak Sanmandah Bazaradan Rah Kiri Kih Un Ratah Ran


Golpe: Ondas Ardentes.
Trairah de Gosanzemyou
Uma bela e misteriosa guerreira com o poder de manipular o tempo e espaço.
Conseguiu transmigar Shurato novamente para a terra e apagar suas memórias,
no entanto Shurato se lembra de tudo e com sua própria força retorna ao
Mundo Celestial e derrota Trairah.

Técnicas: Poder da Transmigação, Mil Tiros da Serpente e Névoa de Sohma


Mantra: Oun Sombani Somba Un Bakala Un Hatta
Técnica: Névoa de Sohma, cada gotícula da névoa que entra em contato com o
corpo do adversário o torna mais pesado.

Mantra: Naumaku Sanmandah Bazaran Sunbari Zunbah Souwakah


Técnica: Mil Tiros da Serpente, milhares fios de cabelo afiados como espinhos
são lançados em direção ao adversário.

Mantra: On Handa Karushituzah Un


Técnica: Poder da Transmigração, das raízes dos cabelos surge uma flor
carnívora. O adversário é engolido por essa flor e transmigrado de volta a Terra
e no momento em que Trairah decidir. Seu corpo não sai mais de lá.

Akalanata de Fudoumyou
É o mais forte da tríade. Causou vários problemas aos heróis, pois dominava as
técnicas deles, além de mostrar a Shurato e companhia, os Guardiões Divinos de
Dez Mil Anos atrás, através da Técnica do Passado Perdido. Jurou acabar com
eles igual ao que fez aos antigos guardiões. É o único guerreiro da tríade que
pode fundir seu shakti com os de seus companheiros Kundalini e Trairah,
tornando-se muito poderoso. Akalanata é derrotado pela primeira vez por
Ryouma que sabia o ponto fraco dele assim como o antigo Rei Dragão a Dez Mil
Anos atrás, mas infelizmente como consequência morre junto, pois usou uma
técnica suícida para derrotar o inimgo. Na guerra contra Asura, ele volta a vida
graças ao poder de Shiva, mas este é derrotado pela segunda vez por Shurato
vestido com o Shakiti de Brahma.

Técnicas: Telecinese, Cópia do Mantra do Adversário, Técnica do Passado


Perdido, Triade Unida do Demônio, Explosão de Fogo do Inferno.

Técnicas que utiliza com seu Shakiti:


Mantra: nenhuma
Golpe: Telecinese, move montanhas, paralisa adversários pode usar as mãos a
distância.

Mantra: On Bubobah Souma


Golpe: Luz do Passado Perdido, mostra cenas remanescentes de até 10000 anos
atrás.

Mantra: Cópia do mantra do adversário


Golpe: Cópia da técnica do adversário, usando seu Souma consegue criar uma
versão superior e vencê-lo.
Mantra: Naumaku Sanmandah Bazaradan Sendah Makalu Shadah Sohatayahaa
Un Ratah Kahaman
Golpe: Tríade Unida do Demônio, mantra de unificação dos shakitis da Tríade

Golpe que utiliza com o Shakiti da Tríade Unida:


Mantra: Naumaku Sanmandah Bazaradan Kahan
Golpe: Explosão de Fogo do Inferno

Outros

Rakesh

Laksh de Houraisan é uma bela garota de 15 anos que vivia no monte Jurai. Ela
é a primeira pessoa com quem Shurato entra em contato, e de uma maneira bem
peculiar, Rakesh beija Shurato para despertá-lo. É a namorada de Shurato
(apesar de ele não assumir) e sucessora de Vishnu, despertando seu poder logo
após a morte natural da Deusa. Ela está sempre alegre e é bem romântica nunca
se separa de seu bichinho de estimação Mii. Mesmo dando uns puxões de orelha
em Shurato, Rakesh demonstra que o ama muito, a ponto de dar sua vida pelo
rapaz, como aconteceu na luta contra Kundalini, da tríade do demônio.

Mariichi de Marishiten

Mariichi de Marishi-ten era um guerreiro das forças divinas de Deva. Foi um


grande amigo de Hyuuga durante a infância, além de ser perdidamente
apaixonado por Lenge. Durante anos esteve desaparecido e quando reaparece
está contaminado pela doença chamada "Mal das bolhas vermelhas". Por conta
disso, resolve dar sua vida em combate com Lenge, seu grande amor do
passado, a quem derrotaria facilmente com sua técnica de manipulação da
natureza se não estivesse doente.

Vishnu

Deusa muito bonita da criação. Vishnu é quem transmigra Shurato e Gai para o
mundo celestial.É a líder suprema das forças divinas de Deva[1]. No primeiro
arco do anime, é transformada em pedra por Indra, mas logo é libertada. Vishnu
morre durante a guerra contra o povo de Asura.

Os guardiões secretos de Vishnu

São guerreiros de uma ordem secreta ,não tendo seus nomes revelados a
pessoas de baixo posto dentre os guardiões ,sendo um tipo de agentes secretos.
No anime somente dois deles aparecem.no episódio"O Despertar do Soma, a
Explosão" onde falam para que Shurato,o rei shura,despertasse o seu soma para
que podesse vencer a luta,e suas identidades são reveladas ao longo da série.
Eles são Sallas a rainha BenzaiTen(antiga de deusa das artes) e Mayuri o rei de
Ususama. Sabendo a verdade sobre as atitudes de Indra ele ajudão Shurato e
sua turma nos momentos mais criticos
Mantra: Shibetchi Shibetchi Handara Bashin Sowaka; On Handa Mei
Shindamani Jinbara Un; On Handa Mei Barada Han; Naumaku Sanmanda
Bodanan Mahashiriei Sowaka.

Por Diogo Montano, em 24/09/1999

Shurato
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

tv cita fontes confiáveis, mas que não cobrem todo o conteúdo. Ajude


a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico) (Novembro de 2019)

Shurato

天空戦記 シュラト
Tenkū Senki Shurato

Informações gerais

mitologia
Gêneros
aventura
fantasia

Mangá

Escrito e Hiroshi Kawamoto


ilustrado por

Editoração Shōnen Gahōsha

Revistas Shōnen King

Demografia Shōnen

Período de 15 de janeiro de 1990 – 1 de agosto de 1990[1][2]


publicação

Volumes 2

Anime

Produção Heita Ezu


Michio Shimizu
Masakatsu Kozuru
Motoki Ueda
Direção Toshihiko Nishikubo
Takao Koyama

Roteiro Takao Koyama

Música Hiroya Watanabe

Estúdio de Tatsunoko Productions


animação

Emissoras de TV Tokyo
televisão

Período de 6 de abril de 1989 - 25 de janeiro de 1990


exibição

Episódios 38[3]

OVA

Shurato: Sousei e no Antō

Produção Ippei Kuri

Direção Toshihiko Nishikubo


Yoshihisa Matsumoto
Roteiro Mizuho Nishikubo

Música Hiroya Watanabe

Estúdio de Tatsunoko Productions


animação

Lançamento 16 de agosto de 1991 - 16 de março de 1992

Episódios 6

Duração aprox. 24 min.

 Portal Animangá

Tenkū Senki Shurato (天空戦記シュラト  lit. "As Crônicas da Guerra Celestial:


?

Shurato"), ou simplesmente Shurato (シュラト ), foi uma série de anime para


?

TV produzida pela Tatsunoko Productions,[3] posteriormente adaptada


para mangá por Hiroshi Kawamoto. Tanto o anime quanto o mangá seguem as
tentativas dos deuses de Asura em dominar o Mundo Celestial. Shurato, o
personagem título, foi trazido para o campo de batalha e se torna um membro
essencial dos Oito Guardiões do Povo de Deva e luta para resgatar a
deusa Vishnu. Asura é representado por Indra, cujos subordinados engajam
Shurato e seus companheiros em diversas ocasiões.
O anime de Shurato foi produzido pela Tatsunoko Productions, estreou na TV
Tokyo em 6 de abril de 1989 e continuou até 18 de janeiro de 1990, chegando
a 38 episódios,[3][4] Ainda que seu final definitivo só tenha sido mostrado na série
de OVAs, Sōsei e no Antō, de 1991.[4] O anime também recebeu algumas
versões localizadas, os países em que obteve maior sucesso
foram Japão, França e Brasil.[5] O mangá começou a ser publicado no início
da década de 1990, próximo ao final da animação, na revista Shōnen King da
editora Shōnen Gahosha.[1][2]

Índice

 1Sinopse
 2Personagens
 3Origens e materiais de base
 4Adaptação em anime
o 4.1Desenvolvimento
o 4.2Música
o 4.3Dublagem
 5Versões internacionais
 6Recepção
 7Referências
 8Ligações externas

Sinopse
Ver também: Shurato: Sousei e no Antō

Shurato Hidaka e Gai Kuroki são dois melhores amigos de infância e opostos
um do outro em aparência e personalidade. Enquanto lutavam um contra o
outro na final de um torneio de artes marciais, foram subitamente encobertos
por uma luz misteriosa e transmigrados para um lugar paralelo, o Mundo
Celestial, onde a tecnologia moderna não existe e, ao invés disso, as pessoas
dependem de seus Sohma, uma forma de energia espiritual.
Shurato descobre que ele é, na verdade, a reencarnação de um rei antigo de
mesmo nome, e um dos Hachibushu, um grupo de oito guardiões lendários
com alta quantidade de Sohma com suas armaduras, sendo trazido para
aquele mundo com Gai para lutar contra os deuses de Asura, uma legião de
guerreiros destrutivos. Entretanto, por razões desconhecidas, Gai tenta matar
Shurato repetidas vezes, confundindo Shurato, uma vez que o Gai real é um
pacifista e a pessoa com mais compaixão que ele conhece.
Shurato, logo que acorda neste novo ambiente, conhece Rakesh, que se diz
apaixonada por ele. Não demora muito e também encontra Gai, vestido com
uma estranha armadura (a qual é conhecida como Shakti) e disposto a matá-lo.
Na luta ele encontra um pequeno artefato em forma de leão, que se transforma
em sua armadura. É salvo pela aparição de Leiga (O Rei Karla), que leva
Rakesh e Shurato para junto de Vishnu, que revela ser ele um dos Oito
Guardiões Divinos do Povo de Deva.
Shurato não aceita todas estas informações e apenas pensa em como
encontrar Gai e voltar ao seu mundo, mas seus planos são alterados por ser
espectador de uma traição a Vishnu: Mestre Indra, seu maior discípulo, a
transforma em pedra. Ajudado pelo poder de Vishnu, foge do palácio junto de
Hyouga (O Rei Celestial) e Rakesh. Indra acusa-os de ter petrificado Vishnu e
juntos deverão provar sua inocência e trazer a vida novamente a Vishnu.
Depois que descobrem que Indra é o verdadeiro traidor, Ryuma (O Rei Dragão)
e Leiga (O Rei Karla) se juntam a eles, já os demais guardiões como Kenya (O
Rei Dappa), Lenge (A Rainha Nahla) e Dan (O Rei Hiba) são enganados pelo
falso comandante e acabam lutando com seus companheiros.
Já o segundo arco, os guerreiros divinos de Deva que foram enganados por
Indra lutam ao lado de Shurato depois de salvar Vishnu ao matarem Indra e
Gai. Contudo Gai retorna como um servo de Shiva e agora a dura luta do
destino dos amigos Shurato e Gai ainda continua. Ambos são aqueles que
podem envergar o Shakti de Brafma (Brahma no original).
O terceiro arco, as Águas Perdidas ataca o Mundo Celestial e os guerreiros de
Deva, exceto Gai, o eterno amigo de Shurato ao proteger Shurato de Shiva
sendo a custa de sua vida deverão unir forças para combater as águas
sombrias. Shurato descobre a origem do Sohma negro e usa seu Sohma,
auxiliado pelo espírito de Gai, para tornar em águas puras. Contudo, a floresta
estava agitada pedindo socorro a Shurato e este acaba sendo pego pelo
Sohma negro. Depois de conseguirem salvar Shurato, uma nova entidade se
encontrava na Terra natal de Shurato, tudo leva crer que Scrimill, o Deus da
Harmonia, que está brincando com os sentimentos de Mina Kuroki, irmã de
Gai.

Personagens

Origens e materiais de base


Ver também: Mitologia hindu

Vishnu, como apresentado na mitologia hindú.

A história de Shurato tem como base as mitologias budista e hinduísta,


[6]
 seguindo quase que a risca a última. Nela, o universo divide-se em seis
mundos, dos quais fazem parte o Mundo dos Asuras (pronunciado
erroneamente como "Asra"(s), na dublagem), Mundo dos Humanos (人間
界 Ningenkai ) e o Mundo dos Devas (天空界 Tenkūkai ), este último traduzido
? ?

como Mundo Celestial na dublagem brasileira.


Os três deuses maiores do hinduísmo são Shiva, um deus tanto criador quanto
destruidor e que na obra foi apresentado como o vilão supremo; Brahma, deus
criador que em Shurato morreu na batalha celestial há 10.000 anos[7] e por isso
há uma busca por seu Shakti a fim de descobrir seu sucessor;[8] e Vishnu, deus
protetor do universo, no história, representado em uma forma feminina,
inspirada na forma como esse deus foi originalmente recebido no Japão.[7]
Indra é pai dos deuses e senhor do tempo e clima, enquanto na história é o
segundo em comando de Vishnu e a trai,[7] transformando-a em pedra.[6] Os
Hachibushu (八部衆 Hachibushū , Oito Guardiões) na mitologia, protegem os
?

budistas e mantém a harmonia no universo e, na obra, são representados


pelos Oito Guardiões.[7]

Adaptação em anime
Desenvolvimento
Shurato surgiu no Japão na época em que Os Cavaleiros do Zodíaco, da Toei
Animation, estava em seu auge e produtoras concorrentes faziam sucesso
lançando séries seguindo o mesmo padrão, como Samurai
Warriors da Sunrise. logo puseram no mercado um produto que tentasse pegar
carona na preferência dos fãs de anime. Shurato foi um deles e justamente por
isto carrega muitas semelhanças com seu "irmão de armadura".
Música
Shurato teve 2 canções de abertura, "Shining Soul" e "Truth", e 2 canções de
encerramento, "Sabaku no meizu" e "Kyaraban", todas interpretadas por
Satoko Shimizu.[9] No Brasil, apenas a primeira canção tanto de abertura quanto
de encerramento foram adaptadas para o português em versões que fãs
brasileiros colocam como uma das mais bem interpretadas dos animes, e
foram interpretadas pela cantora Graça Cunha. Além disso, o estúdio, fazendo
um bom trabalho, chegou a trocar as músicas internas do anime pela versão
dublada, o que raramente é feito e serviu para acentuar a carga dramática das
cenas. Os segundos temas da segunda temporada, contudo, não teve
tradução.
Dublagem

Garuda, o pássaro similar a Fênix.

No Brasil, Shurato estava para ser dublado em São Paulo pela Gota Mágica.


Mas devida a alta demanda de dublagem de animes recebida pelo estúdio,
resultante do sucesso de Os Cavaleiros do Zodíaco, o trabalho foi feito
na Dublavídeo,[10] que até então possuía tradição maior com filmes. A direção
ficou a cargo de Leda Figueiró, que escalou vozes conhecidas dos animes para
os personagens, tendo Marcelo Campos como Shurato.[10] A dublagem de todos
os 38 episódios da série foi finalizada em pouco mais de um mês.
A dublagem realizada é tida como um dos fatores do sucesso do anime no
país, uma vez que permaneceu fiel ao original e ainda introduziu uma nova
prática ao traduzir os créditos do original japonês para o português.O que foi
seguido por Yu Yu Hakusho e mais tarde por Dragon Ball Z.[11] Ainda assim, a
dublagem modificou certos nomes no anime, traduzindo erroneamente o povo
de Asura como "povo de Asra", trocando o nome do deus Brahma para Brafma
para que ele não ficasse com o mesmo nome de uma popular cerveja do país,
adaptando Leiga, o Rei Garuda (Karura Oh), referente a uma ave da mitologia
hindu similar a uma Fênix, para o Rei "Karla"[7] e modificando do nome do
personagem Kuuya (o Rei Dappa) para "Kenya".

Versões internacionais
Em 1991, começou a ser exibido pela TF1 na França, tendo Thierry Redler
como Shurato e posteriormente também nas Filipinas com Carlo Eduardo
Labalan e Jimmy Manalo no papel principal.[9] Em 1996, a série foi trazida para
o Brasil através da Tikara Filmes, de Toshihiko Egashira, e exibida na
extinta Rede Manchete.[12][10] Tanto na França como no Brasil, o anime veio
tentando pegar carona no sucesso que Os Cavaleiros do Zodíaco havia
conseguido.
Recepção
Shurato fez sucesso em terras nipônicas, sendo celebrado por uns e
considerado uma mera cópia de Os Cavaleiros do Zodíaco por outros. De
fato, Shurato seria a última série de anime envolvendo armaduras e mitologias,
chamado por alguns de sub-gênero "spirit". Ainda assim é tido como um dos
precursores do henshin e como a maior inspiração para Guerreiras Mágicas de
Rayearth, cujas criadoras eram grandes fãs da série.[13] Elas também renderam
uma segunda homenagem com um doujinshi de Shurato intitulado Tenku Senki
Shurato Original Memory (Muma), em 1990.[14]
No Brasil, o anime não chegou a ser um sucesso estrondoso, mas ganhou
bastante notoriedade, sendo o único entre os animes que estrearam na Rede
Manchete[10] na época, o que incluia Sailor Moon e Samurai Warriors, a manter
a audiência do canal.[10] Além disso, gerou diversos produtos licenciados que
iam de bonecos à jogo de tabuleiro, lançados pela Glasslite. Shurato seria
reprisado até 1999, ainda que já tivesse sido esquecido pelo público devido a
curta duração do anime. Havia planos da Tikara Filmes para exibir os seis
episódios do OVA lançado após o final da série em 1991.[10] Originalmente,
deveriam ser exibidos na Manchete, mas devido a temores por parte da
emissora com possíveis prejuízos, o lançamento foi deixado de lado, e a Tikara
partiu para lançar Yu Yu Hakusho. Shurato voltaria a ser exibido na RedeTV!,
que havia substituído a Manchete em 1999, o que durou pouco tempo, uma vez
que o novo canal não fez pagamento de direitos de exibição.

Você também pode gostar