Você está na página 1de 632

SUMÁRIO

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS .................................................................2


CONCEITO DE DIREITOS HUMANOS........................................................................................2
CARACTERISTICAS DOS DIREITOS HUMANOS......................................................................2
DIMENSÕES OU GERAÇÕES DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS.............................................2
DECLARAÇAO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS..........................................................4
ESTRUTURA DA DECLARAÇÃO..................................................................................................4
PREÂMBULO.................................................................................................................................5
PRINCÍPIO DA IGUALDADE / ISONOMIA MATERIAL.................................................................5
DIREITOS INDIVIDUAIS.................................................................................................................5
VEDAÇÃO À ESCRAVIDÃO E À TORTURA..................................................................................5
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ...................................................................................................................6
APROFUNDANDO NO QUE CAI ............................................................................................................6
GABARITO ............................................................................................................................................9
RESUMÃO LJORTANO...........................................................................................................................10

ENTÃO VAMOS LÁ, LJORTANOS....

1
DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS

CONCEITO:

A expressão Direitos Humanos já diz, claramente, o que este significa. Direitos Humanos são os
direitos do homem. Diria que são direitos que visam resguardar os valores mais preciosos da pessoa
humana, ou seja, direitos que visam resguardar a solidariedade, a igualdade, a fraternidade, a
liberdade, a dignidade da pessoa humana. No entanto, apesar de facilmente identificado, a construção
de um conceito que o defina, não é uma tarefa fácil, em razão da amplitude do tema.
De acordo com Alexandre Moraes, “Direitos humanos são uma ideia política com base moral e
estão intimamente relacionados com o conceito de justiça, igualdade e democracia. Eles são uma
expressão do relacionamento que deve prevalecer entre os membros de uma sociedade e entre os
indivíduos e os Estados. Os direitos humanos devem ser reconhecidos em qualquer Estado, grande ou
pequeno, pobre ou rico, independentemente do sistema social e econômico que essa nação adota”.
Em resumo é conjunto de direitos e garantias assegurados nas declarações e tratados
internacionais de direitos humanos, considerados indispensáveis para a vida humana, pautada na
liberdade, igualdade e dignidade.

CARACTERÍSTICAS DOS DIREITOS HUMANOS:

A) INERÊNCIA: Os Direitos Humanos a todos pertencem;


B) UNIVERSALIDADE: não há seletividade de classe de pessoas, orientação sexual, língua, etc;
C) TRANSNACIONALIDADE: o país do indivíduo não importa;
D) INDIVISIBILIDADE: Não estão sujeitos a divisão ou fracionamento;
E) INTERDEPENDÊNCIA: aplica-se a todas as gerações;
F) INDISPONIBILIDADE: Os D.H. não podem ser negociados ou suprimidos;
G) IMPRESCRITIBILIDADE;
H) INDIVIDUALIDADE: podem ser exercidos por apenas um indivíduo;
I) COMPLEMENTARIEDADE: devem ser interpretados em conjunto, não havendo hierarquia;
J) INVIOLABILIDADE: não podem ser descumpridos.
K) IRRENUNCIABILIDADE;
L) INTERRELACIONARIEDADE: os direitos humanos e os sistemas de proteção se comunicam,
proporcionando às pessoas a faculdade de escolher entre um ou outro mecanismo de proteção global
ou regional;
M) HISTORICIDADE: atrelam-se ao desenvolvimento histórico;
N) VEDAÇÃO DO RETROCESSO OU DO REGRESSO;
O) PREVALÊNCIA DA NORMA MAIS BENÉFICA.

AS DIMENSÕES OU GERAÇÕES DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS:

A) PRIMEIRA GERAÇÃO → LIBERDADE

A primeira geração marcou a passagem do Estado autoritário para o Estado de direito, sendo
caracterizada pelas liberdades individuais e pelo absenteísmo estatal.

2
Esta geração de direitos, fruto do pensamento liberal-burguês do século XVIII, foi reconhecida
pelas primeiras constituições escritas. Porém, teve sua origem e desenvolvimento marcados por
documentos históricos como a Magna Carta 1215, assinada pelo rei João Sem Terra, a Paz de
Westfália de 1648, o Habeas Corpus Act de 1679, a Bill of Rights de 1688 e finalmente as declarações
de direitos Americana (1776) e Francesa (1789).
Os direitos de primeira geração abrangem as liberdades públicas, bem como direitos
civis e políticos, concretizando principalmente o valor liberdade.
O titular desses direitos é o indivíduo, tendo por isso, como traço mais característico, a
subjetividade. São direitos oponíveis ao Estado, ou seja, constituem direitos de resistência e oposição
aos seus eventuais desmandos.
Embora com foco em liberdades individuais, as primeiras constituições e declarações a trazerem
os direitos de primeira geração também trouxeram alguns direitos de caráter social. Como, por exemplo,
a declaração francesa de direitos humanos, que trazia a garantia de assistência aos necessitados, bem
como o direito de acesso à educação.
Até mesmo a Constituição do Império do Brasil, de 1824, inspirada na declaração francesa,
previa alguns direitos sociais, como os socorros púbicos e a instrução primária gratuita.
“São os ligados ao valor liberdade, são os direitos civis e políticos. São direitos
individuais com caráter negativo por exigirem diretamente uma abstenção do Estado, seu
principal destinatário” (NOVELINO, Marcelo).

B) SEGUNDA GERAÇÃO → IGUALDADE:

O surgimento dos direitos de segunda geração foi impulsionado pela Revolução


Industrial europeia do século XIX. Em decorrências das péssimas condições de trabalho, surgiram
movimentos que buscavam reivindicações trabalhistas e normas de assistência social. Exemplos
desses movimentos foi o Cartista, na Inglaterra, e a Comuna de Paris, na França, em 1848.
O século XX, em seguida, iniciou-se marcado pela Primeira Guerra Mundial e pela fixação
de direitos sociais. Vários documentos trazem, em seu texto, a previsão de direitos
sociais, culturais, econômicos, coletivos e a igualdade substancial, real ou material, não mais a
igualdade formal, somente.
Dentre esses documentos estão a Constituição do México (1917), Constituição de Weimar
(1919), da primeira República Alemã, o Tratado de Versalhes (1919) e a Constituição Brasileira de
1934.
A normatividade e eficácia desses documentos inicialmente oscilaram em função da natureza
desses direitos, que exigem prestações materiais do Estado nem sempre viáveis devido a limitações
de meios e recursos.
Esses direitos, portanto, foram incluídos, em um primeiro momento, na esfera programática do
Estado, ou seja, sem qualquer garantia de concretização por meio de instrumentos processuais, como
os que garantem os direitos de liberdade da primeira geração.
O preceito de aplicabilidade imediata de direitos fundamentais, como estabelecido, por
exemplo, na Constituição de 1988, surge para tentar resolver essa crise de observância e execução dos
direitos de segunda geração.
“Ligados ao valor igualdade, os direitos fundamentais de segunda dimensão são os direitos
sociais, econômicos e culturais. São direitos de titularidade coletiva e com caráter positivo, pois exigem
atuações do Estado” (NOVELINO, Marcelo).

3
C) TERCEIRA GERAÇÃO → FRATERNIDADE:

Os direitos fundamentais de terceira geração, ligados ao valor fraternidade ou solidariedade,


são os relacionados ao desenvolvimento ou progresso, ao meio ambiente, à autodeterminação dos
povos, bem como ao direito de propriedade sobre o patrimônio comum da humanidade e ao direito de
comunicação. São direitos transindividuais, em rol exemplificativo, destinados à proteção do gênero
humano.
“Ligados ao valor fraternidade ou solidariedade, são os relacionados ao desenvolvimento ou
progresso, ao meio ambiente, à autodeterminação dos povos, bem como ao direito de propriedade
sobre o patrimônio comum da humanidade e ao direito de comunicação. São direitos transindividuais,
em rol exemplificativo, destinados à proteção do gênero humano” (NOVELINO, Marcelo).

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS

A Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH), que delineia os direitos


humanos básicos, foi adotada pela Organização das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948. Foi
esboçada principalmente pelo canadense John Peters Humphrey, contando também, com a ajuda de
várias pessoas de todo o mundo.
Abalados pela recente barbárie da Segunda Guerra Mundial, e com o intuito de construir um
mundo sob novos alicerces ideológicos, os dirigentes das nações que emergiram como potências no
período pós-guerra, liderados por Estados Unidos e União Soviética, estabeleceram, na Conferência de
Yalta, na Rússia, em 1945, as bases de uma futura paz mundial, definindo áreas de influência das
potências e acertando a criação de uma organização multilateral que promovesse negociações sobre
conflitos internacionais, para evitar guerras e promover a paz e a democracia, e fortalecer os Direitos
Humanos.
Embora não seja um documento com obrigatoriedade legal, serviu como base para os
dois tratados sobre direitos humanos da ONU de força legal: o Pacto Internacional dos Direitos Civis e
Políticos e o Pacto Internacional sobre os Direitos Econômicos, Sociais e Culturais. Continua a ser
amplamente citado por acadêmicos, advogados e cortes constitucionais. Especialistas em direito
internacional discutem, com frequência, quais de seus artigos representam o direito internacional usual.
Dessa forma a Declaração Universal Dos Direitos Humanos, é o primeiro documento universal
elaborado pela ONU, composta por um Preâmbulo de 30 artigos.

ESTRUTURA DA DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS:

1ª PARTE: Preâmbulo e princípios que a introduz;


2ª PARTE: Artigos 1º e 2º versam sobre os princípios da dignidade, liberdade, igualdade e
fraternidade;
3ª PARTE: Artigos 3 ao 11 se referem aos direitos individuais;
4ª PARTE: Artigos 12 ao 17 se referem aos direitos do indivíduo e participação política;
5ª PARTE: Artigos 18 ao 21 se referem às liberdades políticas, públicas e religiosas;
6ª PARTE: Artigos 22 ao 27 se referem aos direitos econômicos, sociais e culturais;
7ª PARTE: Artigos 28 ao 30 finalizam a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

4
PREÂMBULO:

“A Assembleia Geral das Nações Unidas proclama a presente "Declaração Universal dos
Direitos do Homem" como o ideal comum a ser atingido por todos os povos e todas as nações, com o
objetivo de que cada indivíduo e cada órgão da sociedade, tendo sempre em mente esta Declaração, se
esforce, através do ensino e da educação, por promover o respeito a esses direitos e liberdades, e, pela
adoção de medidas progressivas de caráter nacional e internacional, por assegurar o seu
reconhecimento e a sua observância universais e efetivos, tanto entre os povos dos próprios Estados
Membros, quanto entre os povos dos territórios sob sua jurisdição”.

PRINCÍPIO DA IGUALDADE / ISONOMIA MATERIAL:

Artigo 1
Todos os homens nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e
consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade.

Artigo 2
I) Todo o homem tem capacidade para gozar os direitos e as liberdades estabelecidos nesta
Declaração sem distinção de qualquer espécie, seja de raça, cor, sexo, língua, religião, opinião política
ou de outra natureza, origem nacional ou social, riqueza, nascimento, ou qualquer outra condição.
II) Não será também feita nenhuma distinção fundada na condição política, jurídica ou
internacional do país ou território a que pertença uma pessoa, quer se trate de um território
independente, sob tutela, sem governo próprio, quer sujeito a qualquer outra limitação de soberania.

DIREITOS INDIVIDUAIS:

Artigo 3
Todo o homem tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.

OBSERVAÇÃO: OS DIREITOS HUMANOS CONSIDERADOS ESSENCIAIS (Art.1° ao


3°) SÃO:

A) Direito à igualdade;
B) Direito à vida;
C) Direito à liberdade;
D) Direito à segurança;
E) Direito à propriedade (art. 17, da DUDH).

VEDAÇÃO À ESCRAVIDÃO E À TORTURA, TRATAMENTO OU CASTIGO CRUEL,


DESUMANO OU DEGRADANTE:

Artigo 4 – Ninguém será mantido em escravidão ou servidão; a escravidão e o tráfico de


escravos estão proibidos em todas as suas formas.

5
Artigo 5 – Ninguém será submetido a tortura, nem a tratamento ou castigo cruel,
desumano ou degradante.

EXERCICIOS DE FIXAÇÃO

1. Dentre as conceituações aos direitos humanos, assinale a alternativa inaplicável à definição


desses direitos:

A) Conjunto de direitos considerados indispensáveis para a vida humana, pautada na liberdade,


igualdade e dignidade;
B) Conjunto de direitos, que envolvem a liberdade, igualdade e fraternidade;
C) Conjunto de direitos renunciáveis à vida humana;
D) Conjunto de direitos, tendo como núcleo a dignidade.

2. Assinale a alternativa que viola expressamente a declaração universal dos direitos humanos:

A) Todos os homens nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e
consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade;
B) Ninguém será mantido em escravidão ou servidão; a escravidão e o tráfico de escravos estão
proibidos em todas as suas formas;
C) Todo o homem tem capacidade para gozar os direitos e as liberdades estabelecidos nesta
Declaração sem distinção de qualquer espécie, seja de raça, cor, sexo, língua, religião, opinião
política ou de outra natureza, origem nacional ou social, riqueza, nascimento, ou qualquer outra
condição;
D) Ninguém será submetido a tortura, nem a tratamento ou castigo cruel, humano ou
degradante.

3. Acerca das dimensões dos direitos humanos, assinale a alternativa correta:

A) a primeira dimensão diz respeito aos direitos ligados à igualdade;


B) a segunda dimensão diz respeito aos direitos ligados à fraternidade;
C) a primeira dimensão diz respeito aos direitos ligados à liberdade;
D) a segunda dimensão diz respeito aos direitos ligados à fraternidade.

Aprofundando No Que CAI

1- De acordo com a Declaração Universal dos Direitos Humanos, analise o trecho a baixo e
julgue como CERTO ou ERRADO:

“A Declaração não é composta por Preâmbulo.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

6
2- De acordo com a Declaração Universal dos Direitos Humanos, analise o trecho a baixo e
julgue como CERTO ou ERRADO:

“Os Direitos Fundamentais possuem dimensões ou gerações, de acordo com elas é correto afirmar que
a primeira geração dos Direitos Fundamentais é a fraternidade.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

3- De acordo com a Declaração Universal dos Direitos Humanos, analise o trecho a baixo e
julgue como CERTO ou ERRADO:

“A Declaração foi promulgada no dia 10 de dezembro de 1948.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

4- Com relação à Declaração Universal dos Direitos Humanos, marque a alternativa que faz parte
das características dos Direitos Humanos.

A) UNIVERSALIDADE: Os Direitos Humanos a todos pertencem.


B) INDIVISIBILIDADE: Não estão sujeitos a divisão ou fracionamento
C) INDISPONIBILIDADE: Os D.H. não podem ser negociados ou suprimidos
D) COMPLEMENTARIEDADE: devem ser interpretados em conjunto, não havendo hierarquia

5- De acordo com a Declaração Universal dos Direitos Humanos, analise o trecho a baixo e
julgue como CERTO ou ERRADO:

“A Declaração dos Direitos Humanos é o primeiro documento universal elaborado pelo Brasil.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

6- De acordo com a Declaração Universal dos Direitos Humanos, analise o trecho a baixo e
julgue como CERTO ou ERRADO:

“Ninguém será mantido em escravidão ou servidão; a escravidão e o tráfico de escravos estão proibidos
em todas as suas formas.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

7- De acordo com a Declaração Universal dos Direitos Humanos, analise o trecho a baixo e
julgue como CERTO ou ERRADO:

“Todo o homem tem direito à vida, à liberdade, entretanto cada indivíduo tem que gerar sua segurança
pessoal”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

7
8- De acordo com a Declaração Universal dos Direitos Humanos, analise o trecho a baixo e
julgue como CERTO ou ERRADO:

“Todos os homens nascem livres e iguais em fraternidade e direitos.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

9- De acordo com a Declaração Universal dos Direitos Humanos, analise o trecho a baixo e
julgue como CERTO ou ERRADO:

“Não será também feita nenhuma distinção fundada na condição política, jurídica ou internacional do
país ou território a que pertença uma pessoa.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

10- De acordo com a Declaração Universal dos Direitos Humanos, analise o trecho a baixo e
julgue como CERTO ou ERRADO:

“Todos os homens nascem dignos e iguais em liberdade e direitos. São dotados de razão e consciência
e devem agir em relação uns aos outros com espírito de lealdade.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

8
QUESTÃO EXTRA – Acerca das dimensões dos direitos humanos, assinale a alternativa
incorreta:

A) a primeira dimensão diz respeito aos direitos ligados à liberdade;


B) a segunda dimensão diz respeito aos direitos ligados à igualdade;
C) a primeira dimensão diz respeito aos direitos ligados à fraternidade;
D) a terceira dimensão diz respeito aos direitos ligados à fraternidade.

GABARITO
Exercícios de Fixação
1. C
2. D
3. C

Aprofundando no Que CAI


1. ERRADO
2. ERRADO
3. CERTO
4. A
5. ERRADO
6. CERTO
7. ERRADO
8. ERRADO
9. CERTO
10. ERRADO

QUESTÃO EXTRA:
C

9
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?
Conjunto de direitos e garantias assegurados nas declarações e tratados
internacionais de direitos humanos.
Primeira geração → liberdade
Segunda geração → igualdade
Terceira geração → fraternidade

Artigo 1 Todos os homens nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São


dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com
espírito de fraternidade.

Artigo 2 I) Todo o homem tem capacidade para gozar os direitos e as liberdades


estabelecidos nesta Declaração sem distinção de qualquer espécie, seja de raça,
cor, sexo, língua, religião, opinião política ou de outra natureza, origem nacional
ou social, riqueza, nascimento, ou qualquer outra condição.
II) Não será também feita nenhuma distinção fundada na condição política,
jurídica ou internacional do país ou território a que pertença uma pessoa, quer se
trate de um território independente, sob tutela, sem governo próprio, quer sujeito
a qualquer outra limitação de soberania.

Artigo 3 Todo o homem tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.

Artigo 4 – Ninguém será mantido em escravidão ou servidão; a escravidão e o


tráfico de escravos estão proibidos em todas as suas formas.
Artigo 5 – Ninguém será submetido a tortura, nem a tratamento ou castigo cruel,
desumano ou degradante.

10
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

11
SUMÁRIO

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS ................................................................2


PRINCÍPIO DA IGUALDADE FORMAL .......................................................................................2
GARANTIAS PROCESSUAIS ......................................................................................................2
PRINCÍPIO DA IGUALDADE, IMPARCIALIDADE E PUBLICIDADE PROCESSUAL.................2
PRINCÍPIO DA PRESUNÇÃO DA INOCÊNCIA/ IRRETROATIVIDADE DA LEI PENAL ............2
GARANTIAS PROCESSUAIS PREVISTAS NA DECLARAÇÃO..................................................2
DIREITO À INTIMIDADE, VIDA PRIVADA E INVIOLABILIDADE DOMICILIAR...........................3
DIREITO DE IR E VIR ....................................................................................................................3
DIREITO DE ASILO ........................................................................................................................3
DIREITO DE NACIONALIDADE ......................................................................................................3
DIREITO DE CONSTITUIR FAMÍLIA ...............................................................................................3
DIREITO DE PROPRIEDADE...........................................................................................................3
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ....................................................................................................................4
APROFUNDANDO NO QUE CAI ............................................................................................................4
GABARITO ..............................................................................................................................................7
RESUMÃO LJORTANO............................................................................................................................8

ENTÃO VAMOS LÁ, LJORTANOS....

1
DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS

PRINCÍPIO DA IGUALDADE FORMAL

A igualdade formal é a igualdade jurídica onde todos devem ser tratados de maneira igual, sem
quaisquer distinções.
Artigo 6 – Todo homem tem o direito de ser, em todos os lugares, reconhecido como pessoa
perante a lei.
Artigo 7 – Todos são iguais perante a lei e tem direito, sem qualquer distinção, a igual proteção
da lei. Todos tem direito a igual proteção contra qualquer discriminação que viole a presente Declaração
e contra qualquer incitamento a tal discriminação.
A Declaração promove a igualdade formal, sem quaisquer distinções entre os homens.

GARANTIAS PROCESSUAIS

Artigo 8 - Todo o homem tem direito a receber dos tribunais nacionais competentes remédio
efetivo para os atos que violem os direitos fundamentais que lhe sejam reconhecidos pela constituição
ou pela lei.
Artigo 9 - Ninguém será arbitrariamente preso, detido ou exilado.

PRINCÍPIO DA IGUALDADE, DA IMPARCIALIDADE E PUBLICIDADE PROCESSUAL:

Artigo 10 - Todo o homem tem direito, em plena igualdade, a uma justa e pública audiência por
parte de um tribunal independente e imparcial, para decidir de seus direitos e deveres ou do
fundamento de qualquer acusação criminal contra ele.

PRINCÍPIO DA PRESUNÇÃO DA INOCÊNCIA E DA IRRETROATIVIDADE DA LEI PENAL:

Artigo 11 - I) Todo o homem acusado de um ato delituoso tem o direito de ser presumido
inocente até que a sua culpabilidade tenha sido provada de acordo com a lei, em julgamento público no
qual lhe tenham sido asseguradas todas as garantias necessárias a sua defesa.
II) Ninguém poderá ser culpado por qualquer ação ou omissão que, no momento, não
constituíam delito perante o direito nacional ou internacional. Também não será imposta pena mais forte
do que aquela que, no momento da prática, era aplicável ao ato delituoso.

2
GARANTIAS PROCESSUAIS PREVISTAS NA DECLARAÇÃO:

A) Devido processo legal;


B) Vedação à prisão, detenção e exílio arbitrários;
C) Igualdade no processo;
D) Imparcialidade do julgador;
E) Publicidade dos atos processuais;
F) Princípio da Presunção da Inocência;
G) Princípio da irretroatividade da lei penal.

DIREITO À INTIMIDADE, VIDA PRIVADA E INVIOLABILIDADE DOMICILIAR:

Artigo 12 - Ninguém será sujeito a interferências na sua vida privada, na sua família, no seu lar
ou na sua correspondência, nem a ataques a sua honra e reputação. Todo o homem tem direito à
proteção da lei contra tais interferências ou ataques.

DIREITO DE IR E VIR:

Artigo 13 - I) Todo homem tem direito à liberdade de locomoção e residência dentro das
fronteiras de cada Estado.
II) Todo o homem tem o direito de deixar qualquer país, inclusive o próprio, e a este
regressar.

DIREITO DE ASILO:

Artigo 14 - I) Todo o homem, vítima de perseguição, tem o direito de procurar e de gozar asilo
em outros países.
II) Este direito não pode ser invocado em casos de perseguição legitimamente motivada por
crimes de direito comum ou por atos contrários aos objetivos e princípios das Nações Unidas.

DIREITO DE NACIONALIDADE:

Artigo 15 - I) Todo homem tem direito a uma nacionalidade.


II) Ninguém será arbitrariamente privado de sua nacionalidade, nem do direito de mudar de
nacionalidade.

3
DIREITO DE CONSTITUIR FAMÍLIA

Artigo 16 - I) Os homens e mulheres de maior idade, sem qualquer restrição de raça,


nacionalidade ou religião, tem o direito de contrair matrimônio e fundar uma família. Gozam de iguais
direitos em relação ao casamento, sua duração e sua dissolução.
II) O casamento não será válido senão com o livre e pleno consentimento dos nubentes.
III) A família é o núcleo natural e fundamental da sociedade e tem direito à proteção da
sociedade e do Estado.

DIREITO DE PROPRIEDADE:

Artigo 17 - I) Todo o homem tem direito à propriedade, só ou em sociedade com outros.


II) Ninguém será arbitrariamente privado de sua propriedade.

EXERCICIOS DE FIXAÇÃO

1. À luz da declaração universal dos direitos humanos, leia o trecho a seguir e julgue-o em certo
ou errado:

“Os homens e mulheres de maior idade, sem qualquer restrição de raça, nacionalidade ou religião, tem
o direito de contrair matrimônio e fundar uma família, de sexos opostos. Gozam de iguais direitos em
relação ao casamento, sua duração e sua dissolução.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

2. A declaração universal dos direitos humanos preconiza uma série de direitos na seara
humana. Dentre tais direitos, está incorreto se afirmar o que consta em:

A) Os homens e mulheres de maior idade, sem qualquer restrição de raça, nacionalidade ou


religião, tem o direito de contrair matrimônio e fundar uma família. Gozam de iguais direitos em
relação ao casamento, sua duração e sua dissolução;
B) A família é o núcleo natural e fundamental da sociedade e tem direito à proteção da
sociedade e do Estado;
C) Todo o homem tem o direito de deixar qualquer país, inclusive o próprio, não se admitindo a
este regressar;
D) Todo homem tem direito à liberdade de locomoção e residência dentro das fronteiras de cada
Estado.

3. Dentre as garantias processuais previstas na declaração universal dos direitos humanos,


assinale a alternativa falsa:

A) Devido processo legal é garantia expressa;


B) Igualdade processual é garantia expressa;
C) Imparcialidade do julgador é garantia expressa;
D) Princípio da irretroatividade da lei penal não está prevista como garantia.

Aprofundando No Que CAI

4
1. À luz da declaração universal dos direitos humanos, leia o trecho a seguir e julgue-o em certo
ou errado:

“Todo homem tem o direito de ser, em todos os lugares, reconhecido como pessoa perante esta
Declaração.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

2. À luz da declaração universal dos direitos humanos, leia o trecho a seguir e julgue-o em certo
ou errado:

“Todos tem direito a igual proteção contra qualquer discriminação que viole a presente Declaração e
contra qualquer incitamento a tal discriminação.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

3. À luz da declaração universal dos direitos humanos, leia o trecho a seguir e julgue-o em certo
ou errado:

“Todo o homem tem direito, em plena lei, a uma justa e pública audiência por parte de um tribunal
exclusivamente independente, para decidir de seus direitos e deveres ou do fundamento de qualquer
acusação criminal contra ele.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

4. À luz da declaração universal dos direitos humanos, leia o trecho a seguir e julgue-o em certo
ou errado:

“A Declaração Universal dos Direitos Humanos não menciona a audiência por parte de um tribunal
imparcial, para decidir de seus direitos e deveres ou do fundamento de qualquer acusação criminal
contra ele.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

5. À luz da declaração universal dos direitos humanos, leia o trecho a seguir e julgue-o em certo
ou errado:

“Ninguém será sujeito a interferências na sua vida privada, na sua família, no seu lar ou na ‘sua
correspondência, nem a ataques a sua honra e reputação, salvo quando necessário.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

5
6. À luz da declaração universal dos direitos humanos, leia o trecho a seguir e julgue-o em certo
ou errado:

“Dentre as Garantias processuais dispostas na Declaração não faz parte do rol o princípio da Presunção
da Inocência.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

7. À luz da declaração universal dos direitos humanos, leia o trecho a seguir e julgue-o em certo
ou errado:

“Todo o homem tem direito à propriedade, só ou em sociedade com outros, exceto os detidos.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

8. À luz da declaração universal dos direitos humanos, leia o trecho a seguir e julgue-o em certo
ou errado:

“O casamento não será válido senão com o livre e pleno consentimento dos nubentes.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

9. À luz da declaração universal dos direitos humanos, leia o trecho a seguir e julgue-o em certo
ou errado:

“O Direito de asilo pode ser invocado em casos de perseguição legitimamente motivada por crimes de
direito comum ou por atos contrários aos objetivos e princípios das Nações Unidas.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

10. À luz da declaração universal dos direitos humanos, leia o trecho a seguir e julgue-o em certo
ou errado:

“Ninguém será arbitrariamente privado de sua nacionalidade, nem do direito de mudar de nacionalidade,
SALVO o Chefe do Executivo.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

6
QUESTÃO EXTRA – Acerca das dimensões dos direitos humanos, assinale a alternativa correta:

A) a terceira dimensão diz respeito aos direitos ligados à liberdade


B) a segunda dimensão diz respeito aos direitos ligados à fraternidade;
C) a segunda dimensão diz respeito aos direitos ligados à liberdade;
D) a primeira dimensão diz respeito aos direitos ligados à liberdade.

7
GABARITO

Exercícios de Fixação
1. ERRADO
2. C
3. D

Aprofundando no Que CAI


1. ERRADO
2. CERTO
3. ERRADO
4. ERRADO
5. ERRADO
6. ERRADO
7. ERRADO
8. CERTO
9. ERRADO
10. ERRADO

QUESTÃO EXTRA:
D

8
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?
PRINCÍPIO DA IGUALDADE FORMAL
Artigo 6 – Todo homem tem o direito de ser, em todos os lugares, reconhecido como
pessoa perante a lei.
GARANTIAS PROCESSUAIS
Artigo 8 - Todo o homem tem direito a receber dos tribunais nacionais competentes
remédio efetivo para os atos que violem os direitos fundamentais que lhe sejam
reconhecidos pela constituição ou pela lei.
Artigo 9 - Ninguém será arbitrariamente preso, detido ou exilado.
GARANTIAS PROCESSUAIS
A) Devido processo legal;
B) Vedação à prisão, detenção e exílio arbitrários;
C) Igualdade no processo;
D) Imparcialidade do julgador;
E) Publicidade dos atos processuais;
F) Princípio da Presunção da Inocência;
G) Princípio da irretroatividade da lei penal.

9
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

10
SUMÁRIO

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS...................................................................2


DIREITO À LIBERDADE DE EXPRESSÃO, PENSAMENTO, RELIGIÃO E OPINIÃO.................2
DIREITO DE REUNIÃO E ASSOCIAÇÃO.......................................................................................2
DIREITOS POLÍTICOS ....................................................................................................................2
DIREITOS SOCIAIS – PROTEÇÃO DO ESTADO, ECONÔMICOS E CULTURAIS .....................2
DIREITOS TRABALHISTAS ............................................................................................................2
DIREITOS SOCIAIS .........................................................................................................................3
DIREITO À EDUCAÇÃO E INSTRUÇÃO ........................................................................................3
DIREITOS CULTURAIS ..................................................................................................................3
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO .....................................................................................................................4
EXERCÍCIOS PROPOSTOS ....................................................................................................................5
GABARITO .............................................................................................................................................7
RESUMÃO LJORTANO............................................................................................................................8

ENTÃO VAMOS LÁ, LJORTANOS....

1
DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS

DIREITO À LIBERDADE DE EXPRESSÃO, PENSAMENTO, RELIGIÃO E OPINIÃO:

Artigo 18 - Todo o homem tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião; este
direito inclui a liberdade de mudar de religião ou crença e a liberdade de manifestar essa religião ou
crença, pelo ensino, pela prática, pelo culto e pela observância, isolada ou coletivamente, em público ou
em particular.
Artigo 19 - Todo o homem tem direito à liberdade de opinião e expressão; este direito inclui a
liberdade de, sem interferências, ter opiniões e de procurar, receber e transmitir informações e idéias
por quaisquer meios, independentemente de fronteiras.

DIREITO DE REUNIÃO E ASSOCIAÇÃO:

Artigo 20 –
I) Todo o homem tem direito à liberdade de reunião e associação pacíficas.
II) Ninguém pode ser obrigado a fazer parte de uma associação.

DIREITOS POLÍTICOS:

Artigo 21
I) Todo o homem tem o direito de tomar parte no governo de seu país diretamente ou por
intermédio de representantes livremente escolhidos.
II) Todo o homem tem igual direito de acesso ao serviço público do seu país.
III) A vontade do povo será a base da autoridade do governo; esta vontade será expressa em
eleições periódicas e legítimas, por sufrágio universal, por voto secreto ou processo equivalente que
assegure a liberdade de voto.

DIREITOS SOCIAIS – PROTEÇÃO DO ESTADO, ECONÔMICOS E CULTURAIS:

Artigo 22 - Todo o homem, como membro da sociedade, tem direito à segurança social e à
realização, pelo esforço nacional, pela cooperação internacional e de acordo com a organização e
recursos de cada Estado, dos direitos econômicos, sociais e culturais indispensáveis à sua dignidade e
ao livre desenvolvimento de sua personalidade.

DIREITOS TRABALHISTAS:

Artigo 23 -
I) Todo o homem tem direito ao trabalho, à livre escolha de emprego, a condições justas e
favoráveis de trabalho e à proteção contra o desemprego.
II) Todo o homem, sem qualquer distinção, tem direito a igual remuneração por igual trabalho.
III) Todo o homem que trabalha tem direito a uma remuneração justa e satisfatória, que lhe
assegure, assim como a sua família, uma existência compatível com a dignidade humana, e a que se

2
acrescentarão, se necessário, outros meios de proteção social.
IV) Todo o homem tem direito a organizar sindicatos e a neles ingressar para proteção de seus
interesses.
Artigo 24 - Todo o homem tem direito a repouso e lazer, inclusive a limitação razoável das horas
de trabalho e a férias remuneradas periódicas.

DIREITOS TRABALHISTAS PREVISTOS NA D. UNIVERSAL DOS D. HUMANOS


A) DIREITO AO TRABALHO (EMPREGO);
B) LIBERDADE DE ESCOLHA DE EMPREGO;
C) CONDIÇÕES JUSTAS E FAVORÁVEIS DE TRABALHO;
D) PROTEÇÃO CONTRA O DESEMPREGO;
E) IGUALDADE DE REMUNERAÇÃO JUSTA E SATISFATÓRIA;
F) LIBERDADE DE ASSOCIAÇÃO EM SINDICATOS;

DIREITOS SOCIAIS:

Artigo 25 - I) Todo o homem tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua
família saúde e bem-estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços
sociais indispensáveis, e direito à segurança em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez,
velhice ou outros casos de perda de meios de subsistência em circunstâncias fora de seu controle.
II) A maternidade e a infância tem direito a cuidados e assistência especiais. Todas as crianças,
nascidas dentro ou fora do matrimônio, gozarão da mesma proteção social.

DIREITO À EDUCAÇÃO E INSTRUÇÃO:

Artigo 26 -
I) Todo o homem tem direito à instrução. A instrução será gratuita, pelo menos nos graus
elementares e fundamentais. A instrução elementar será obrigatória. A instrução técnico-profissional
será acessível a todos, bem como a instrução superior, esta baseada no mérito.
II) A instrução será orientada no sentido do pleno desenvolvimento da personalidade humana e
do fortalecimento do respeito pelos direitos do homem e pelas liberdades fundamentais. A instrução
promoverá a compreensão, a tolerância e amizade entre todas as nações e grupos raciais ou religiosos,
e coadjuvará as atividades das Nações Unidas em prol da manutenção da paz.
III) Os pais têm prioridade de direito na escolha do gênero de instrução que será ministrada a
seus filhos.

DIREITOS CULTURAIS:

Artigo 27 -
I) Todo o homem tem o direito de participar livremente da vida cultural da comunidade, de fruir
as artes e de participar do progresso científico e de fruir de seus benefícios.
II) Todo o homem tem direito à proteção dos interesses morais e materiais decorrentes de
qualquer produção científica, literária ou artística da qual seja autor.
Artigo 28 -
Todo o homem tem direito a uma ordem social e internacional em que os direitos e liberdades
estabelecidos na presente Declaração possam ser plenamente realizados.

3
Artigo 29 -
I) Todo o homem tem deveres para com a comunidade, na qual o livre e pleno desenvolvimento
de sua personalidade é possível.
II) No exercício de seus direitos e liberdades, todo o homem estará sujeito apenas às limitações
determinadas pela lei, exclusivamente com o fim de assegurar o devido reconhecimento e respeito dos
direitos e liberdades de outrem e de satisfazer as justas exigências da moral, da ordem pública e do
bem-estar de uma sociedade democrática.
III) Esses direitos e liberdades não podem, em hipótese alguma, ser exercidos contrariamente
aos objetivos e princípios das Nações Unidas.
Artigo 30 -
Nenhuma disposição da presente Declaração pode ser interpretada como o reconhecimento a
qualquer Estado, grupo ou pessoa, do direito de exercer qualquer atividade ou praticar qualquer ato
destinado à destruição de quaisquer direitos e liberdades aqui estabelecidos.

EXERCICIOS DE FIXAÇÃO
1. À luz da declaração universal dos direitos humanos, leia o trecho a seguir e julgue-o em certo
ou errado:

“A Declaração Universal dos Direitos Humanos determina que todos devem ter direito ao trabalho de
maneira igualitária e com remuneração satisfatória e que permita a existência de sua família de maneira
digna, não compreendendo o direito de criar e se filiar a sindicatos que atendam aos seus interesses”.

( ) CERTO ( ) ERRADO.

2. Dentre as alternativas abaixo, assinale aquela que não está em consonância com a declaração
universal dos direitos humanos:

A) A referida declaração prevê o lazer e descanso como férias pagas e remuneradas;


B) As pessoas não têm o direito de tomar parte no governo de seu país diretamente ou por
intermédio de representantes livremente escolhidos;
C) Todos os membros da sociedade devem ter direito à segurança social;
D) Todas as pessoas têm deveres para com a comunidade, na qual o livre e pleno
desenvolvimento de sua personalidade é possível.

3. Leia o trecho a seguir e, à luz da declaração universal dos direitos humanos, julgue-o em certo
ou errado:

“Todo o homem tem direito à instrução. A instrução será gratuita, pelo menos nos graus elementares e
fundamentais. A instrução elementar será obrigatória. A instrução técnico-profissional será acessível a
todos, bem como a instrução superior, esta baseada na gratuidade.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

4
Aprofundando No Que CAI

1. Leia o trecho a seguir e, à luz da declaração universal dos direitos humanos, julgue-o em certo
ou errado:

“A declaração dispõe sobre o Direito à Liberdade de religião, entretanto não é possível manifestar a
religião ou crença pelo ensino, somente através do culto. ”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

2. Leia o trecho a seguir e, à luz da declaração universal dos direitos humanos, julgue-o em certo
ou errado:

“Todo o homem tem direito à religião e a Declaração não faz distinção entre a manifestação pública ou
particular, e ambas são permitidas. ”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

3. Leia o trecho a seguir e, à luz da declaração universal dos direitos humanos, julgue-o em certo
ou errado:

“Todo o homem tem direito à liberdade de opinião e expressão; este direito inclui a liberdade de, sem
interferências, ter opiniões e de procurar, receber e transmitir informações e idéias por quaisquer meios.

( ) CERTO ( ) ERRADO.

4. Leia o trecho a seguir e, à luz da declaração universal dos direitos humanos, julgue-o em certo
ou errado:

“Todo o homem tem direito à liberdade de opinião e expressão podendo transmitir informações e idéias
por quaisquer meios, respeitado os limites de fronteiras..”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

5. Leia o trecho a seguir e, à luz da declaração universal dos direitos humanos, julgue-o em certo
ou errado:

“Todo o homem tem igual direito de acesso ao serviço público do seu país.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

6. Leia o trecho a seguir e, à luz da declaração universal dos direitos humanos, julgue-o em certo
ou errado:

“Todo o homem, sem qualquer distinção, tem direito a igual remuneração por igual trabalho, salvo se for
mulher.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

5
7. Leia o trecho a seguir e, à luz da declaração universal dos direitos humanos, julgue-o em certo
ou errado:

“A Declaração Universal dos Direitos humanos, ao tratar dos Direitos trabalhistas não inclui a proteção
contra o desemprego.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

8. Leia o trecho a seguir e, à luz da declaração universal dos direitos humanos, julgue-o em certo
ou errado:

“Todo o homem tem direito à instrução. A instrução será onerosa, pelo menos nos graus elementares e
fundamentais. A instrução elementar será dispensável. A instrução técnico-profissional será acessível a
todos, bem como a instrução superior, esta baseada na onerosidade.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

9. Leia o trecho a seguir e, à luz da declaração universal dos direitos humanos, julgue-o em certo
ou errado:

“Os pais não possuem prioridade de direito na escolha do gênero de instrução que será ministrada a
seus filhos.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

10. Leia o trecho a seguir e, à luz da declaração universal dos direitos humanos, julgue-o em
certo ou errado:

“Todo o homem tem deveres para com a comunidade, na qual o livre e pleno desenvolvimento de sua
personalidade é possível.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

6
QUESTÃO EXTRA – DENTRE AS CONCEITUAÇÕES AOS DIREITOS HUMANOS, ASSINALE A
ALTERNATIVA INAPLICÁVEL À DEFINIÇÃO DESSES DIREITOS:

A) Conjunto de direitos considerados indispensáveis para a vida humana, pautada na liberdade,


igualdade e dignidade;
B) Conjunto de direitos, que envolvem a liberdade, igualdade e fraternidade;
C) Conjunto de direitos renunciáveis à vida humana;
D) Conjunto de direitos, tendo como núcleo a dignidade.

7
GABARITO

Exercícios de Fixação
1. ERRADO
2. B
3. ERRADO

Aprofundando no Que CAI


1. ERRADO
2. CERTO
3. CERTO
4. ERRADO
5. CERTO
6. ERRADO
7. ERRADO
8. ERRADO
9. ERRADO
10. C

8
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?
A Declaração Universal dos Direitos Humanos, dispõe em seus artigos 18° ao 30° a
proteção para os seguintes direitos:
DIREITO À LIBERDADE DE EXPRESSÃO, PENSAMENTO, RELIGIÃO E OPINIÃO
DIREITO DE REUNIÃO E ASSOCIAÇÃO
DIREITOS POLÍTICOS
DIREITOS SOCIAIS – PROTEÇÃO DO ESTADO, ECONÔMICOS E CULTURAIS
DIREITOS TRABALHISTAS DIREITOS SOCIAIS
DIREITO À EDUCAÇÃO E INSTRUÇÃO
DIREITOS CULTURAIS

9
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

10
SUMÁRIO

CONVENÇÃO AMERICANA DE DIREITOS


HUMANOS................................................................................................................................................ 1
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ................................................................................................................... 10
APROFUNDANDO NO QUE CAI........................................................................................................... 11
GABARITO ............................................................................................................................................ 14
RESUMÃO LJORTANO......................................................................................................................... 18

ENTÃO VAMOS LÁ, LJORTANOS....

1
CONVENÇÃO AMERICANA DE DIREITOS HUMANOS

A Convenção Americana de Direitos Humanos, popularmente conhecida como Pacto de São


José da Costa Rica, é um tratado celebrado pelos integrantes da Organização de Estados Americanos
(OEA), adotada e aberta à assinatura durante a Conferência Especializada Interamericana sobre
Direitos Humanos, em San José da Costa Rica, em 22 de novembro de 1969 e tendo entrado em vigor
a 18 de julho de 1978.
O documento tem um total de 81 artigos, incluindo as disposições transitórias, e tem como
objetivo estabelecer os direitos fundamentais da pessoa humana, como o direito à vida, à
liberdade, à dignidade, à integridade pessoal e moral, à educação, entre outros similares. A
Convenção proíbe ainda a escravidão e a servidão humana, trata das garantias judiciais, da liberdade
de consciência e religião, de pensamento e expressão, bem como da liberdade de associação e da
proteção a família.
O objetivo da constituição deste tratado internacional é a busca da consolidação entre os países
americanos de um regime de liberdade pessoal e de justiça social, fundado no respeito aos direitos
humanos essenciais, independentemente do país onde a pessoa viva ou tenha nascido. O pacto tem
influência marcante da Declaração Universal dos Direitos Humanos, que compreende o ideal do ser
humano livre, isento do temor e da miséria e sob condições que lhe permitam gozar dos seus direitos
econômicos, sociais e culturais, bem como dos seus direitos civis e políticos.
Um dos principais legados do Pacto de São José é sem dúvida a criação do sistema Comissão
Interamericana de Direitos Humanos/Corte Interamericana de Direitos Humanos, destinada a
avaliar casos de violação dos direitos humanos ocorridos em países que integram a Organização dos
Estados Americanos (OEA), que reconheçam sua competência. Quando ocorre um abuso referente à
matéria de Direitos Humanos em qualquer um dos países, e o governo deste permaneça inerte, é dada
a oportunidade ao ofendido de fazer sua denúncia à comissão, que levará o caso à corte, para que seja
julgado.
O documento só seria ratificado pelo Brasil em 25 de setembro de 1992, sendo que esta passou a
ter validade no ordenamento interno a partir do Decreto 678 de 6 de novembro de 1992. Com a
promulgação da Emenda Constitucional número 45 de 2004 (que trata da reforma do Judiciário), os
tratados cujo teor trate de questões de direitos humanos passaram a vigorar de imediato e a ser
equiparados às normas constitucionais, devendo ser aprovados por um quórum de três quintos dos
votos na Câmara dos Deputados e no Senado Federal, em dois turnos em cada casa.

2
CONVENÇÃO AMERICANA SOBRE DIREITOS HUMANOS
(Assinada na Conferência Especializada Interamericana sobre Direitos Humanos,
San José, Costa Rica, em 22 de novembro de 1969)

PREÂMBULO
Os Estados americanos signatários da presente Convenção,
Reafirmando seu propósito de consolidar neste Continente, dentro do quadro das instituições
democráticas, um regime de liberdade pessoal e de justiça social, fundado no respeito dos direitos
essenciais do homem;
Reconhecendo que os direitos essenciais do homem não derivam do fato de ser ele nacional de
determinado Estado, mas sim do fato de ter como fundamento os atributos da pessoa humana, razão
por que justificam uma proteção internacional, de natureza convencional, coadjuvante ou complementar
da que oferece o direito interno dos Estados americanos;
Considerando que esses princípios foram consagrados na Carta da Organização dos Estados
Americanos, na Declaração Americana dos Direitos e Deveres do Homem e na Declaração Universal
dos Direitos do Homem e que foram reafirmados e desenvolvidos em outros instrumentos
internacionais, tanto de âmbito mundial como regional;
Reiterando que, de acordo com a Declaração Universal dos Direitos do Homem, só pode ser
realizado o ideal do ser humano livre, isento do temor e da miséria, se forem criadas condições que
permitam a cada pessoa gozar dos seus direitos econômicos, sociais e culturais, bem como dos seus
direitos civis e políticos; e
Considerando que a Terceira Conferência Interamericana Extraordinária (Buenos Aires, 1967)
aprovou a incorporação à própria Carta da Organização de normas mais amplas sobre direitos
econômicos, sociais e educacionais e resolveu que uma convenção interamericana sobre direitos
humanos determinasse a estrutura, competência e processo dos órgãos encarregados dessa matéria,
Convieram no seguinte:
PARTE I
DEVERES DOS ESTADOS E DIREITOS PROTEGIDOS
CAPÍTULO I
ENUMERAÇÃO DE DEVERES
Artigo 1. Obrigação de respeitar os direitos
1. Os Estados Partes nesta Convenção comprometem-se a respeitar os direitos e
liberdades nela reconhecidos e a garantir seu livre e pleno exercício a toda pessoa que esteja sujeita à
sua jurisdição, sem discriminação alguma por motivo de raça, cor, sexo, idioma, religião, opiniões
políticas ou de qualquer outra natureza, origem nacional ou social, posição econômica, nascimento ou
qualquer outra condição social.
2. Para os efeitos desta Convenção, pessoa é todo ser humano.

3
Artigo 2. Dever de adotar disposições de direito interno
Se o exercício dos direitos e liberdades mencionados no artigo 1 ainda não estiver garantido por
disposições legislativas ou de outra natureza, os Estados Partes comprometem-se a adotar, de
acordo com as suas normas constitucionais e com as disposições desta Convenção, as medidas
legislativas ou de outra natureza que forem necessárias para tornar efetivos tais direitos e liberdades.

Extensivamente
Direitos de primeira
previstos ao longo
dimensão
PACTO DE SAN do texto
JOSÉ DA COSTA
RICA Há, apenas,
Direitos de segunda menção expressa à
dimensão implementação
progressiva

PACTO DE SAN
PROTOCOLO DE
JOSÉ DA COSTA
SAN SALVADOR
RICA

Direitos sociais,
Direitos civis e
econômicos e
políticos
culturais

4
CAPÍTULO II
DIREITOS CIVIS E POLÍTICOS
Artigo 3. Direito ao reconhecimento da personalidade jurídica
Toda pessoa tem direito ao reconhecimento de sua personalidade jurídica.
Artigo 4. Direito à vida
1. Toda pessoa tem o direito de que se respeite sua vida. Esse direito deve ser
protegido pela lei e, em geral, desde o momento da concepção. Ninguém pode ser privado da vida
arbitrariamente.
2. Nos países que não houverem abolido a pena de morte, esta só poderá ser imposta
pelos delitos mais graves, em cumprimento de sentença final de tribunal competente e em conformidade
com lei que estabeleça tal pena, promulgada antes de haver o delito sido cometido. Tampouco se
estenderá sua aplicação a delitos aos quais não se aplique atualmente.
3. Não se pode restabelecer a pena de morte nos Estados que a hajam abolido.
4. Em nenhum caso pode a pena de morte ser aplicada por delitos políticos, nem por
delitos comuns conexos com delitos políticos.
5. Não se deve impor a pena de morte a pessoa que, no momento da perpetração do
delito, for menor de dezoito anos, ou maior de setenta, nem aplicá-la a mulher em estado de
gravidez.
6. Toda pessoa condenada à morte tem direito a solicitar anistia, indulto ou comutação da
pena, os quais podem ser concedidos em todos os casos. Não se pode executar a pena de morte
enquanto o pedido estiver pendente de decisão ante a autoridade competente.

PENA DE MORTE

• Não foi abolida no Pacto de San José da Costa


Rica, uma vez que é admitida nos países já a
prevejam para os crimes mais graves.
• Em nenhuma hipótese será aceita para: delitos
políticos ou conexos, para menores de 18 anos
quando da praticado ato infracional, para maiores
de setenta anos e para mulheres grávidas.
• Países que tenham abolido a pena de morte não
poderão restabelecê-la.

5
Artigo 5. Direito à integridade pessoal
1. Toda pessoa tem o direito de que se respeite sua integridade física, psíquica e
moral.
2. Ninguém deve ser submetido a torturas, nem a penas ou tratos cruéis, desumanos
ou degradantes. Toda pessoa privada da liberdade deve ser tratada com o respeito devido à
dignidade inerente ao ser humano.
3. A pena não pode passar da pessoa do delinquente.
4. Os processados devem ficar separados dos condenados, salvo em circunstâncias
excepcionais, e ser submetidos a tratamento adequado à sua condição de pessoas não
condenadas.
5. Os menores, quando puderem ser processados, devem ser separados dos adultos e
conduzidos a tribunal especializado, com a maior rapidez possível, para seu tratamento.
6. As penas privativas da liberdade devem ter por finalidade essencial a reforma e a
readaptação social dos condenados.
Artigo 6. Proibição da escravidão e da servidão
1. Ninguém pode ser submetido a escravidão ou a servidão, e tanto estas como o
tráfico de escravos e o tráfico de mulheres são proibidos em todas as suas formas.
2. Ninguém deve ser constrangido a executar trabalho forçado ou obrigatório.
Nos países em que se prescreve, para certos delitos, pena privativa da liberdade acompanhada
de trabalhos forçados, esta disposição não pode ser interpretada no sentido de que proíbe o
cumprimento da dita pena, imposta por juiz ou tribunal competente. O trabalho forçado não deve
afetar a dignidade nem a capacidade física e intelectual do recluso.
3. Não constituem trabalhos forçados ou obrigatórios para os efeitos deste artigo:
a. os trabalhos ou serviços normalmente exigidos de pessoa reclusa em
cumprimento de sentença ou resolução formal expedida pela autoridade judiciária
competente. Tais trabalhos ou serviços devem ser executados sob a vigilância e
controle das autoridades públicas, e os indivíduos que os executarem não devem ser
postos à disposição de particulares, companhias ou pessoas jurídicas de caráter
privado;
b. o serviço militar e, nos países onde se admite a isenção por motivos de
consciência, o serviço nacional que a lei estabelecer em lugar daquele;
c. o serviço imposto em casos de perigo ou calamidade que ameace a existência
ou o bem-estar da comunidade; e
d. o trabalho ou serviço que faça parte das obrigações cívicas normais.

6
As disposições da Convenção acerca dos trabalhos forçados são de suma importância.
Vejamos um esquema para memorizar os principais aspectos.

REGRA vedado.

pena privativa de
liberdade
acompanhada de
trabalhos forçados;

depende de
EXCEÇÃO sentença judicial;

TRABALHOS não pode afetar a


dignidade ou a
capacidade física e

FORÇADOS intelectual do preso.

trabalhos normalmente
exigidos de pessoa
reclusa em cumprimento
de sentença;

NÃO SÃO serviço militar;


CONSIDERADOS
COMO TRABALHO serviços exigidos
FORÇADO em caso de perigo
ou calamidade;

obrigações
cívicas normais.

Artigo 7. Direito à liberdade pessoal


1. Toda pessoa tem direito à liberdade e à segurança pessoais.
2. Ninguém pode ser privado de sua liberdade física, salvo pelas causas e nas
condições previamente fixadas pelas constituições políticas dos Estados Partes ou pelas leis de
acordo com elas promulgadas.
3. Ninguém pode ser submetido a detenção ou encarceramento arbitrários.
4. Toda pessoa detida ou retida deve ser informada das razões da sua detenção e
notificada, sem demora, da acusação ou acusações formuladas contra ela.
5. Toda pessoa detida ou retida deve ser conduzida, sem demora, à presença de um juiz
ou outra autoridade autorizada pela lei a exercer funções judiciais e tem direito a ser julgada
dentro de um prazo razoável ou a ser posta em liberdade, sem prejuízo de que prossiga o
processo. Sua liberdade pode ser condicionada a garantias que assegurem o seu
comparecimento em juízo.
6. Toda pessoa privada da liberdade tem direito a recorrer a um juiz ou tribunal
competente, a fim de que este decida, sem demora, sobre a legalidade de sua prisão ou detenção
e ordene sua soltura se a prisão ou a detenção forem ilegais. Nos Estados Partes cujas leis
prevêem que toda pessoa que se vir ameaçada de ser privada de sua liberdade tem direito a
recorrer a um juiz ou tribunal competente a fim de que este decida sobre a legalidade de tal
ameaça, tal recurso não pode ser restringido nem abolido. O recurso pode ser interposto pela
própria pessoa ou por outra pessoa.

7
7. Ninguém deve ser detido por dívidas. Este princípio não limita os mandados de
autoridade judiciária competente expedidos em virtude de inadimplemento de obrigação alimentar.
Quanto à prisão do depositário, lembre-se:

Em razão da natureza supralegal dos tratados internacionais de


direitos humanos, consoante posicionamento atual do STF, o Pacto
de San José da Costa Rica veda a regulamentação do art. 5º, LXVII,
norma de eficácia limitada, que prevê a possibilidade de lei
infraconstitucional prever a prisão do depositário infiel.
FIQUE ATENTO!

Artigo 8. Garantias judiciais


1. Toda pessoa tem direito a ser ouvida, com as devidas garantias e dentro de um
prazo razoável, por um juiz ou tribunal competente, independente e imparcial, estabelecido
anteriormente por lei, na apuração de qualquer acusação penal formulada contra ela, ou para que
se determinem seus direitos ou obrigações de natureza civil, trabalhista, fiscal ou de qualquer
outra natureza.
2. Toda pessoa acusada de delito tem direito a que se presuma sua inocência enquanto
não se comprove legalmente sua culpa. Durante o processo, toda pessoa tem direito, em plena
igualdade, às seguintes garantias mínimas:
a. direito do acusado de ser assistido gratuitamente por tradutor ou intérprete, se
não compreender ou não falar o idioma do juízo ou tribunal;
b. comunicação prévia e pormenorizada ao acusado da acusação formulada;
c. concessão ao acusado do tempo e dos meios adequados para a preparação de
sua defesa;
d. direito do acusado de defender-se pessoalmente ou de ser assistido por um
defensor de sua escolha e de comunicar-se, livremente e em particular, com seu
defensor;
e. direito irrenunciável de ser assistido por um defensor proporcionado pelo
Estado, remunerado ou não, segundo a legislação interna, se o acusado não se
defender ele próprio nem nomear defensor dentro do prazo estabelecido pela lei;
f. direito da defesa de inquirir as testemunhas presentes no tribunal e de obter o
comparecimento, como testemunhas ou peritos, de outras pessoas que possam lançar
luz sobre os fatos;
g. direito de não ser obrigado a depor contra si mesma, nem a declarar-se
culpada;
e h. direito de recorrer da sentença para juiz ou tribunal superior.

8
3. A confissão do acusado só é válida se feita sem coação de nenhuma
natureza.
4. O acusado absolvido por sentença passada em julgado não poderá ser
submetido a novo processo pelos mesmos fatos.
5. O processo penal deve ser público, salvo no que for necessário para preservar
os interesses da justiça.
No que tange às garantias judiciais, a Convenção contemplou:

• Juízo natural e imparcial;


O princípio do juiz natural estabelece que deve haver regras objetivas de
competência jurisdicional, garantindo a independência e a imparcialidade do órgão
julgador. Tal princípio está intimamente ligado à vedação dos tribunais de exceção,
visto que nestes não há prévia competência constitucional.

• Presunção de inocência;
O princípio da presunção da inocência (ou princípio da não-culpabilidade, segundo
parte da doutrina jurídica) é um princípio jurídico de ordem constitucional, aplicado
ao direito penal, que estabelece o estado de inocência como regra em relação ao
acusado da prática de infração penal.

• Assistência de um tradutor;
Caso não compreenda ou não fale a língua do juízo ou tribunal, o acusado tem o
direito de ser assistido gratuitamente por um tradutor ou intérprete.

• Ampla defesa;
O Princípio da ampla defesa encontra-se positivado no art. 5º, LV da constituição
federal e se trata de uma garantia tanto para o acusado quanto para defesa. Trata-se
do direito de o cidadão acusado introduzir no processo, diretamente ou mediante
atuação do seu procurador, todos os argumentos ou teses definitivas bem como os
meios de prova admissíveis e uteis a defesa.

• Não autoincriminação;
O privilégio ou princípio (a garantia) da não autoincriminação (Nemo tenetur se
detegere ou Nemo tenetur se ipsum accusare ou Nemo tenetur se ipsum prodere)
significa que ninguém é obrigado a se auto incriminar ou a produzir prova contra si
mesmo (nem o suspeito ou indiciado, nem o acusado, nem a testemunha etc.).
Nenhum indivíduo pode ser obrigado, por qualquer autoridade ou mesmo por um
particular, a fornecer involuntariamente qualquer tipo de informação ou declaração
ou dado ou objeto ou prova que o incrimine direta ou indiretamente.

• Possibilidade de recorrer das decisões


Em direito, recurso é um instrumento para pedir a mudança de uma decisão da
mesma instância ou em instância superior, sobre o mesmo processo. Existem vários
tipos de recursos: embargos (tais como embargos declaratórios, embargos de
divergência, embargos infringentes), agravo, apelação, recurso especial, recurso
extraordinário, dentre outros.

9
EXERCICIOS DE FIXAÇÃO
QUESTÃO 01: A Convenção Americana de Direitos Humanos (Pacto de San José da Costa Rica)
dispõe a respeito dos trabalhos forçados dos presos que:
a) são admitidos como regra, desde que assegurada a dignidade do preso.
b) podem ser impostas administrativamente, ainda que não previstas na sentença judicial, desde
que também beneficie o preso
c) podem ser implementados, desde que com a concordância do preso e quando este assina termo
de responsabilidade.
d) a única limitação para a sua implementação relaciona-se à idade do preso, que não pode ser
menor do que dezoito ou maior que sessenta anos de idade.
e) não são assim considerados quando exigidos do preso em cumprimento de sentença judicial.

QUESTÃO 02: A Convenção Americana sobre Direitos Humanos, de 22 de novembro de 1969,


também conhecida como Pacto de São José da Costa Rica, foi incorporada ao Direito Brasileiro
por meio do Decreto nº 678/1992. Segundo essa importante legislação internacional, é correto
afirmar que:
a) as penas privativas da liberdade devem ter por finalidade essencial a punição, a reforma e a
readaptação social dos condenados.
b) toda pessoa tem direito à nacionalidade do Estado em cujo território estiver domiciliada, se não
tiver direito à outra.
c) toda pessoa detida ou retida deve ser conduzida, sem demora, à presença de um juiz ou outra
autoridade autorizada pela lei a exercer funções judiciais.
d) todo o acusado tem direito de defender-se, devendo, contudo, ser assistido por um defensor de
sua escolha.
e) em casos expressamente previstos em lei é autorizada a expulsão coletiva de estrangeiros.

QUESTÃO 03: Segundo a CONVENÇÃO AMERICANA DE DIREITOS HUMANOS (1969), toda


pessoa acusada de um delito tem direito durante o processo às seguintes garantias mínimas:
a) O processo penal deve ser privado, de modo a preservar os interesses da justiça e da sociedade
b) O direito do acusado de ser assistido gratuitamente por um tradutor ou intérprete, caso não
compreenda ou não fale a língua do juízo ou tribunal
c) A comunicação prévia e pormenorizada ao acusado da acusação formulada deve ser
obrigatoriamente bilíngue (inglês e língua oficial do pais, no qual aconteceu o delito)
d) A concessão ao acusado do tempo e dos meios necessários à preparação de sua defesa será
de 30 (trinta) dias corridos, a contar da publicação em órgão oficial
e) Toda pessoa terá o direito de ser ouvida, com as devidas garantias e dentro do prazo máximo de
7 (sete) dias, por um juiz ou Tribunal competente, independente e imparcial, estabelecido
anteriormente por lei, na apuração de qualquer acusação penal formulada contra ela, ou na
determinação de seus direitos e obrigações de caráter civil, trabalhista, fiscal ou de qualquer
outra natureza

10
Aprofundando No Que CAI

QUESTÃO 01: Sobre a prisão civil, analise as seguintes afirmativas e a relação proposta entre
elas.
I. Desde a adesão do Brasil, sem qualquer reserva, ao Pacto Internacional dos Direitos Civis e
Políticos e à Convenção Americana sobre Direitos Humanos, não há mais base legal para prisão
civil do depositário infiel.
UMA VEZ QUE
II. O artigo 5°, LXVII, da Constituição Federal de 1988, no que diz respeito à prisão civil por dívida
do depositário infiel, foi revogado pela ratificação do Pacto de São José da Costa Rica.
A respeito dessas afirmativas e da relação entre elas, é correto afirmar que
a) a afirmativa I é verdadeira, e a II é falsa.
b) as afirmativas I e II são verdadeiras, mas a II não é a justificativa da I.
c) as afirmativas I e II são verdadeiras, e a II é a justificativa da I.
d) a afirmativa I é falsa, e a II é verdadeira.
QUESTÃO 02: No que se refere à prisão civil por dívida, a Convenção Americana de Direitos
Humanos (Pacto de São José da Costa Rica) estabelece que:
a) é permitida apenas para o caso de inadimplemento de obrigação alimentar.
b) deve ser decidida pela Constituição de cada Estado-Parte.
c) deve ser abolida em todos os Estados-Partes.
d) é permitida apenas para hipótese de depositário infiel.
e) é autorizada para os casos de depositário infiel e de devedor de obrigação alimentar.
QUESTÃO 03: Com relação à pena de morte, a Convenção Americana de Direitos Humanos
(“Pacto de San José da Costa Rica”):
a) prevê que, em nenhum caso, pode a pena de morte ser aplicada a delitos políticos, sendo
autorizada a aplicação aos delitos comuns conexos com delitos políticos.
b) prevê que não se deve impor a pena de morte à pessoa que, no momento da condenação, for
maior de setenta anos.
c) prevê que não se pode restabelecer a pena de morte nos Estados que a hajam abolido.
d) prevê que não se deve impor a pena de morte à pessoa que, no momento da perpetração do
delito ou de sua condenação, for menor de vinte e um anos.
e) não possui qualquer previsão.
QUESTÃO 04: Quanto à posição hierárquica do Pacto de São José da Costa Rica, no
ordenamento jurídico brasileiro, segundo a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal — STF
—, é correto afirmar que
a) tem hierarquia equivalente às Emendas Constitucionais.
b) tem caráter infralegal.
c) tem caráter supralegal.
d) tem hierarquia equivalente às Leis Ordinárias.

11
QUESTÃO 05: Considerando a Convenção Americana sobre Direitos Humanos, é correto afirmar
que:
a) não trata de delitos ou de direitos políticos.
b) permite a escravidão
c) estabelece que o direito à reunião não se submete à qualquer restrição.
d) a pena de morte não pode ser restabelecida nos Estados em que tenha sido abolida.
e) o Brasil não é signatário desta Convenção.
QUESTÃO 06: Acerca do pacto de São José da Costa Rica, assinale a alternativa correta.
a) Os menores de 18 anos não podem ser processados.
b) São vedados os trabalhos ou serviços normalmente exigidos de pessoa reclusa em cumprimento
de sentença ou resolução formal expedida pela autoridade judiciária competente.
c) As penas privativas de liberdade devem ter por finalidade essencial a reforma e a readaptação
social dos condenados.
d) Considera-se como trabalho forçado o serviço exigido em casos de perigo ou de calamidade que
ameacem a existência ou o bem-estar da comunidade.
e) São proibidas as penas privativas de liberdade acompanhadas de trabalhos forçados, ainda que
esses não afetem a dignidade nem a capacidade física e intelectual do recluso.
QUESTÃO 7: A Convenção Americana de Direitos Humanos, também conhecida por “Pacto de
San José da Costa Rica”, foi ratificada pelo Brasil em 25 de setembro de 1992. De acordo com o
mencionado tratado internacional, é correto afirmar que:
a) toda pessoa tem direito a um prenome e aos nomes de seus pais ou ao de um destes. A lei deve
regular a forma de assegurar a todos esses direitos, sendo vedada a criação de nomes fictícios.
b) ninguém deve ser detido por dívidas, mesmo tratando-se de prisão do devedor de alimentos.
c) as penas privativas de liberdade devem ter por finalidade essencial a reforma e a readaptação
social dos condenados.
d) é possível o restabelecimento da pena de morte nos Estados que a tenham abolido.
e) toda pessoa terá o direito de sair livremente de qualquer país, exceto de seu próprio país, o que
dependerá de prévia autorização da autoridade competente.
QUESTÃO 8: Analise as afirmativas a seguir e a relação proposta entre elas.
I. Pessoas de elevada capacidade econômica podem ser defendidas criminalmente pela
Defensoria Pública. Nessa hipótese, há entendimento de que deve haver o pagamento de
honorários à Instituição.
UMA VEZ QUE
II. O Pacto de São José da Costa Rica estipula a qualquer acusado de crime o direito a ser
assistido por um defensor proporcionado pelo Estado.
A respeito dessas afirmativas, assinale a alternativa correta.
a) As afirmativas I e II são verdadeiras, e a II é uma justificativa da I.
b) As afirmativas I e II são verdadeiras, mas a II não é uma justificativa da I.
c) A afirmativa I é verdadeira, e a II é falsa.
d) A afirmativa I é falsa, e a II é verdadeira.

12
QUESTÃO 9: Na Organização dos Estados Americanos, qual dos tratados internacionais sobre
Direitos Humanos prevê a proteção, a preservação e o melhoramento do meio ambiente?
a) Rio+20
b) Declaração de San José da Costa Rica
c) Protocolo Adicional à Convenção Americana sobre Direitos Humanos
d) Protocolo de Cruz Alta sobre Direitos Humanos
e) Protocolo de Assunção sobre Direitos Humanos
QUESTÃO 10: Assinale a alternativa correta acerca da denominação da Convenção Americana
de Direitos Humanos de 1969.
a) Rio 92.
b) Declaração de Lima.
c) Protocolo de Olivos.
d) Pacto de Viña del Mar.
e) Pacto San José da Costa Rica.

13
GABARITO
Exercícios de Fixação
1. E
2. C
3. B

Aprofundando no Que CAI

1. A
COMENTÁRIO: afirmativa I é verdadeira, e a II é falsa. A explicação pras duas
assertivas podem ser encontradas no recurso extraordinário seguinte: (...) diante do
inequívoco caráter especial dos tratados internacionais que cuidam da proteção dos
direitos humanos, não é difícil entender que a sua internalização no ordenamento
jurídico, por meio do procedimento de ratificação previsto na CF/88, tem o condão de
paralisar a eficácia jurídica de toda e qualquer disciplina normativa infraconstitucional
com ela conflitante. Nesse sentido, é possível concluir que, diante da supremacia da
CF/88 sobre os atos normativos internacionais, a previsão constitucional da prisão civil
do depositário infiel (art. 5º, LXVII) não foi revogada (...), mas deixou de ter aplicabilidade
diante do efeito paralisante desses tratados em relação à legislação infraconstitucional
que disciplina a matéria (...). Tendo em vista o caráter supralegal desses diplomas
normativos internacionais, a legislação infraconstitucional posterior que com eles seja
conflitante também tem sua eficácia paralisada. (...) Enfim, desde a adesão do Brasil, no
ano de 1992, ao PIDCP (art. 11) e à CADH — Pacto de São José da Costa Rica (art. 7º,
7), não há base legal para aplicação da parte final do art. 5º, LXVII, da CF/88, ou seja,
para a prisão civil do depositário infiel. [RE 466.343 voto do rel. min. Cezar Peluso, P, j.
3-12-2008, DJE 104 de 5-6-2009, Tema 60.] Ou seja, o erro da II é afirmar que o artigo
5°, LXVII foi revogado, quando na verdade ele apenas deixou de ser aplicado.
Acrescentando mais sobre o assunto: Súmula Vinculante 25: É ilícita a prisão civil de
depositário infiel, qualquer que seja a modalidade de depósito.

2. A
COMENTÁRIO: CADH – Artigo 7º - Direito à liberdade pessoal - 7. Ninguém deve ser
detido por dívidas. Este princípio não limita os mandados de autoridade judiciária
competente expedidos em virtude de inadimplemento de obrigação alimentar.
OBSERVAÇÕES IMPORTANTES - Súmula Vinculante 25: É ilícita a prisão civil de
depositário infiel, qualquer que seja a modalidade de depósito. - O STF já decidiu que a
CADH tem caráter supralegal: (...) Tendo em vista o caráter supralegal desses diplomas
normativos internacionais, a legislação infraconstitucional posterior que com eles seja
conflitante também tem sua eficácia paralisada. (...) Enfim, desde a adesão do Brasil, no
ano de 1992, ao PIDCP (art. 11) e à CADH — Pacto de São José da Costa Rica (art. 7º,
7), não há base legal para aplicação da parte final do art. 5º, LXVII, da CF/1988, ou seja,
para a prisão civil do depositário infiel. (RE 466.343, voto do rel. min. Cezar Peluso, P, j.
3-12-2008, DJE 104 de 5-6-2009).

14
3. C
COMENTÁRIO: Art. 4º da Convenção Americana: Artigo 4. Direito à vida 1. Toda
pessoa tem o direito de que se respeite sua vida. Esse direito deve ser protegido pela lei
e, em geral, desde o momento da concepção. Ninguém pode ser privado da vida
arbitrariamente. 2. Nos países que não houverem abolido a pena de morte, esta só
poderá ser imposta pelos delitos mais graves, em cumprimento de sentença final de
tribunal competente e em conformidade com lei que estabeleça tal pena, promulgada
antes de haver o delito sido cometido. Tampouco se estenderá sua aplicação a delitos
aos quais não se aplique atualmente. 3. Não se pode restabelecer a pena de morte
nos Estados que a hajam abolido. 4. Em nenhum caso pode a pena de morte ser
aplicada por delitos políticos, nem por delitos comuns conexos com delitos políticos. 5.
Não se deve impor a pena de morte a pessoa que, no momento da perpetração do delito,
for menor de dezoito anos, ou maior de setenta, nem aplicá-la a mulher em estado de
gravidez. 6. Toda pessoa condenada à morte tem direito a solicitar anistia, indulto
ou comutação da pena, os quais podem ser concedidos em todos os casos. Não se
pode executar a pena de morte enquanto o pedido estiver pendente de decisão ante a
autoridade competente.

4. C
COMENTÁRIO: (...)Tendo em vista o caráter supralegal desses diplomas normativos
internacionais, a legislação infraconstitucional posterior que com eles seja conflitante
também tem sua eficácia paralisada. (...) Enfim, desde a adesão do Brasil, no ano de
1992, ao Pacto Internacional dos Direitos Civis e Políticos (art. 11) e à Convenção
Americana sobre Direitos Humanos 'Pacto de San José da Costa Rica (art. 7º, 7), não há
base legal par aplicação da parte final do art.5º, inciso LXVII, da Constituição, ou seja,
para a prisão civil do depositário infiel." (RE 466343, Voto do Ministro Gilmar Mendes,
Tribunal Pleno, julgamento em 3.12.2008, DJe de 5.6.2009) 1) Tratados internacionais
que não tratem sobre direitos humanos: Status de lei ordinária; 2) Tratados internacionais
que versem sobre direitos humanos, mas que não tenham sido aprovados na forma do
art. 5º, § 3º, da CF/88: Status supralegal: 3) Tratados internacionais sobre Direito
Tributário (art. 98 do CTN): Status supralegal; 4) Tratados internacionais sobre matéria
processual civil (art. 13 do CPC/2015): Status supralegal; 5) Tratados internacionais que
versem sobre direitos humanos e que tenham sido aprovados na forma do art. 5º, § 3º,
da CF/88: Emenda constitucional

5. D
COMENTÁRIO: Em nenhum caso pode a pena de morte ser aplicada a delitos políticos,
nem a delitos comuns conexos com delitos políticos.

15
6. C
COMENTÁRIO: A – Errada. Artigo 4º - Direito à vida, 5. Não se deve impor a pena de morte
a pessoa que, no momento da perpetração do delito, for menor de dezoito anos, ou maior de
setenta, nem aplicá-la a mulher em estado de gravidez. B – Errada. Artigo 6º - Proibição da
escravidão e da servidão, 3. Não constituem trabalhos forçados ou obrigatórios para os
efeitos deste artigo: a) os trabalhos ou serviços normalmente exigidos de pessoa reclusa em
cumprimento de sentença ou resolução formal expedida pela autoridade judiciária
competente. Tais trabalhos ou serviços devem ser executados sob a vigilância e controle das
autoridades públicas, e os indivíduos que os executarem não devem ser postos à disposição
de particulares, companhias ou pessoas jurídicas de caráter privado. C – Certa. Artigo 5º -
Direito à integridade pessoal, 6. As penas privativas de liberdade devem ter por finalidade
essencial a reforma e a readaptação social dos condenados. D – Errada. Artigo 6º -
Proibição da escravidão e da servidão, 3. Não constituem trabalhos forçados ou obrigatórios
para os efeitos deste artigo: c) o serviço exigido em casos de perigo ou de calamidade que
ameacem a existência ou o bem-estar da comunidade. E – Errada. Artigo 6º - Proibição da
escravidão e da servidão, 2. Ninguém deve ser constrangido a executar trabalho forçado ou
obrigatório. Nos países em que se prescreve, para certos delitos, pena privativa de liberdade
acompanhada de trabalhos forçados, esta disposição não pode ser interpretada no sentido
de proibir o cumprimento da dita pena, imposta por um juiz ou tribunal competente. O
trabalho forçado não deve afetar a dignidade, nem a capacidade física e intelectual do
recluso.

7. C
COMENTÁRIO: A) ERRADA – Art 18. Toda pessoa tem direito a um prenome e aos nomes
de seus pais ou ao de um destes. A lei deve regular a forma de assegurar a todos esse
direito, MEDIANTE NOMES FICTÍCIOS, SE FOR NECESSÁRIO. B) ERRADA – Súmula
Vinculante 25. é ilícita a prisão civil de depositário infiel, qualquer que seja a modalidade do
depósito. C) CORRETA – Art. 5, 6. As penas privativas de liberdade devem ter por finalidade
essencial a reforma e a readaptação social dos condenados. D) ERRADA – Art. 4, 2. Nos
países que NÃO HOUVEREM ABOLIDO a pena de morte, esta só poderá ser imposta pelos
delitos mais graves, em cumprimento de sentença final de tribunal competente e em
conformidade com a lei que estabeleça tal pena, promulgada antes de haver o delito sido
cometido. Tampouco se estenderá sua aplicação a delitos aos quais não se aplique
atualmente. E) ERRADA – Art. 22, 2. Toda pessoa terá o direito de sair livremente de
qualquer país, INCLUSIVE DE SEU PRÓPRIO PAÍS.

8. A
COMENTÁRIO: O art. 263 do CPP determina que, se o acusado não constituir defensor
particular para patrocinar a sua defesa, caberá ao juiz nomear-lhe um, sem prejuízo, no
entanto, de, a todo tempo, o réu nomear outro de sua confiança, ou a si mesmo defender-se,
caso tenha habilitação para tanto. Ocorre que, nos termos do parágrafo único, do mesmo art.
263, do CPP, "o acusado, que não for pobre, será obrigado a pagar os honorários do
defensor dativo, arbitrados pelo juiz". E, de fato, isso deve ao fato de a Convenção
Interamericana de Direitos Humanos estipular a qualquer acusado de crime o direito a ser
assistido por um defensor proporcionado pelo Estado.

16
9. C
COMENTÁRIO: Protocolo Adicional à Convenção Americana sobre Direitos Humanos em
matéria de Direitos Econômicos, Sociais e Culturais, de 1988 (também conhecido como
Protocolo de São Salvador – no Brasil, Decreto n. 3.321, de 30-12-1999): Artigo 11. Direito a
um meio ambiente sadio 1.Toda pessoa tem direito a viver em meio ambiente sadio e a
contar com os serviços públicos básicos. 2. Os Estados Partes promoverão a proteção
preservação e melhoramento do meio ambiente.

10. E
COMENTÁRIO: A Convenção Americana de Direitos Humanos (também chamada de Pacto
de San José da Costa Rica e sigla (CADH) é um tratado internacional entre os países-
membros da Organização dos Estados Americanos e que foi subscrita durante a Conferência
Especializada Interamericana de Direitos Humanos, de 22 de novembro de 1969, na cidade
de San José da Costa Rica, e entrou em vigor em 18 de julho de1978. É uma das bases do
sistema interamericano de proteção dos Direitos Humanos.

17
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?
A Convenção Americana de Direitos Humanos, popularmente conhecida como Pacto de São
José da Costa Rica, é um tratado celebrado pelos integrantes da Organização de Estados
Americanos (OEA), adotada e aberta à assinatura durante a Conferência Especializada
Interamericana sobre Direitos Humanos, em San José da Costa Rica, em 22 de novembro de
1969 e tendo entrado em vigor a 18 de julho de 1978.
O objetivo da constituição deste tratado internacional é a busca da consolidação entre os
países americanos de um regime de liberdade pessoal e de justiça social, fundado no respeito
aos direitos humanos essenciais, independentemente do país onde a pessoa viva ou tenha
nascido. O pacto tem influência marcante da Declaração Universal dos Direitos Humanos, que
compreende o ideal do ser humano livre, isento do temor e da miséria e sob condições que lhe
permitam gozar dos seus direitos econômicos, sociais e culturais, bem como dos seus direitos
civis e políticos.

LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?


IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

18
SUMÁRIO

CONVENÇÃO AMERICANA DE DIREITOS


HUMANOS................................................................................................................................................ 1
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ................................................................................................................... 11
APROFUNDANDO NO QUE CAI........................................................................................................... 12
GABARITO ............................................................................................................................................ 14
RESUMÃO LJORTANO......................................................................................................................... 16

ENTÃO VAMOS LÁ, LJORTANOS....

1
CONVENÇÃO AMERICANA DE DIREITOS HUMANOS

A Convenção Americana de Direitos Humanos, popularmente conhecida como Pacto de São


José da Costa Rica, é um tratado celebrado pelos integrantes da Organização de Estados Americanos
(OEA), adotada e aberta à assinatura durante a Conferência Especializada Interamericana sobre
Direitos Humanos, em San José da Costa Rica, em 22 de novembro de 1969 e tendo entrado em vigor
a 18 de julho de 1978.
O documento tem um total de 81 artigos, incluindo as disposições transitórias, e tem como
objetivo estabelecer os direitos fundamentais da pessoa humana, como o direito à vida, à
liberdade, à dignidade, à integridade pessoal e moral, à educação, entre outros similares. A
Convenção proíbe ainda a escravidão e a servidão humana, trata das garantias judiciais, da liberdade
de consciência e religião, de pensamento e expressão, bem como da liberdade de associação e da
proteção a família.

O objetivo da constituição deste tratado internacional é a busca da consolidação entre os países


americanos de um regime de liberdade pessoal e de justiça social, fundado no respeito aos direitos
humanos essenciais, independentemente do país onde a pessoa viva ou tenha nascido. O pacto tem
influência marcante da Declaração Universal dos Direitos Humanos, que compreende o ideal do ser
humano livre, isento do temor e da miséria e sob condições que lhe permitam gozar dos seus direitos
econômicos, sociais e culturais, bem como dos seus direitos civis e políticos.
Um dos principais legados do Pacto de São José é sem dúvida a criação do sistema Comissão
Interamericana de Direitos Humanos/Corte Interamericana de Direitos Humanos, destinada a
avaliar casos de violação dos direitos humanos ocorridos em países que integram a Organização dos
Estados Americanos (OEA), que reconheçam sua competência. Quando ocorre um abuso referente à
matéria de Direitos Humanos em qualquer um dos países, e o governo deste permaneça inerte, é dada
a oportunidade ao ofendido de fazer sua denúncia à comissão, que levará o caso à corte, para que seja
julgado.

O documento só seria ratificado pelo Brasil em 25 de setembro de 1992, sendo que esta passou a
ter validade no ordenamento interno a partir do Decreto 678 de 6 de novembro de 1992. Com a
promulgação da Emenda Constitucional número 45 de 2004 (que trata da reforma do Judiciário), os
tratados cujo teor trate de questões de direitos humanos passaram a vigorar de imediato e a ser
equiparados às normas constitucionais, devendo ser aprovados por um quórum de três quintos dos
votos na Câmara dos Deputados e no Senado Federal, em dois turnos em cada casa.

2
CONVENÇÃO AMERICANA SOBRE DIREITOS HUMANOS
(Assinada na Conferência Especializada Interamericana sobre Direitos Humanos,
San José, Costa Rica, em 22 de novembro de 1969) – A PARTIR DO ART. 9º

Artigo 9. Princípio da legalidade e da retroatividade

Ninguém pode ser condenado por ações ou omissões que, no momento em que forem
cometidas, não sejam delituosas, de acordo com o direito aplicável. Tampouco se pode impor
pena mais grave que a aplicável no momento da perpetração do delito. Se depois da perpetração
do delito a lei dispuser a imposição de pena mais leve, o delinquente será por isso beneficiado.
Artigo 10. Direito a indenização
Toda pessoa tem direito de ser indenizada conforme a lei, no caso de haver sido condenada
em sentença passada em julgado, por erro judiciário.
Artigo 11. Proteção da honra e da dignidade
1. Toda pessoa tem direito ao respeito de sua honra e ao reconhecimento de sua
dignidade.
2. Ninguém pode ser objeto de ingerências arbitrárias ou abusivas em sua vida privada,
na de sua família, em seu domicílio ou em sua correspondência, nem de ofensas ilegais à sua
honra ou reputação.
3. Toda pessoa tem direito à proteção da lei contra tais ingerências ou tais ofensas.
Artigo 12. Liberdade de consciência e de religião
1. Toda pessoa tem direito à liberdade de consciência e de religião. Esse direito implica
a liberdade de conservar sua religião ou suas crenças, ou de mudar de religião ou de crenças,
bem como a liberdade de professar e divulgar sua religião ou suas crenças, individual ou
coletivamente, tanto em público como em privado.

2. Ninguém pode ser objeto de medidas restritivas que possam limitar sua liberdade de
conservar sua religião ou suas crenças, ou de mudar de religião ou de crenças.

3. A liberdade de manifestar a própria religião e as próprias crenças está sujeita


unicamente às limitações prescritas pela lei e que sejam necessárias para proteger a segurança, a
ordem, a saúde ou a moral públicas ou os direitos ou liberdades das demais pessoas.

4. Os pais, e quando for o caso os tutores, têm direito a que seus filhos ou pupilos
recebam a educação religiosa e moral que esteja acorde com suas próprias convicções.
Artigo 13. Liberdade de pensamento e de expressão

1. Toda pessoa tem direito à liberdade de pensamento e de expressão. Esse


direito compreende a liberdade de buscar, receber e difundir informações e ideias de toda
natureza, sem consideração de fronteiras, verbalmente ou por escrito, ou em forma impressa ou
artística, ou por qualquer outro processo de sua escolha.

3
2. O exercício do direito previsto no inciso precedente não pode estar sujeito a censura
prévia, mas a responsabilidades ulteriores, que devem ser expressamente fixadas pela lei e ser
necessárias para assegurar:
a. o respeito aos direitos ou à reputação das demais pessoas; ou

b. a proteção da segurança nacional, da ordem pública, ou da saúde ou da moral


públicas.

3. Não se pode restringir o direito de expressão por vias ou meios indiretos, tais como o
abuso de controles oficiais ou particulares de papel de imprensa, de frequências radioelétricas ou
de equipamentos e aparelhos usados na difusão de informação, nem por quaisquer outros meios
destinados a obstar a comunicação e a circulação de ideias e opiniões.

4. A lei pode submeter os espetáculos públicos a censura prévia, com o objetivo


exclusivo de regular o acesso a eles, para proteção moral da infância e da adolescência, sem
prejuízo do disposto no inciso 2.

5. A lei deve proibir toda propaganda a favor da guerra, bem como toda apologia ao
ódio nacional, racial ou religioso que constitua incitação à discriminação, à hostilidade, ao crime
ou à violência.
Artigo 14. Direito de retificação ou resposta

1. Toda pessoa atingida por informações inexatas ou ofensivas emitidas em seu


prejuízo por meios de difusão legalmente regulamentados e que se dirijam ao público em geral,
tem direito a fazer, pelo mesmo órgão de difusão, sua retificação ou resposta, nas condições que
estabeleça a lei.
2. Em nenhum caso a retificação ou a resposta eximirão das outras

3. Para a efetiva proteção da honra e da reputação, toda publicação ou empresa


jornalística, cinematográfica, de rádio ou televisão, deve ter uma pessoa responsável que não seja
protegida por imunidades nem goze de foro especial.
Artigo 15. Direito de reunião
É reconhecido o direito de reunião pacífica e sem armas. O exercício de tal direito só pode
estar sujeito às restrições previstas pela lei e que sejam necessárias, numa sociedade
democrática, no interesse da segurança nacional, da segurança ou da ordem públicas, ou para
proteger a saúde ou a moral públicas ou os direitos e liberdades das demais pessoas.
Artigo 16. Liberdade de associação

1. Todas as pessoas têm o direito de associar-se livremente com fins ideológicos,


religiosos, políticos, econômicos, trabalhistas, sociais, culturais, desportivos ou de qualquer outra
natureza.

2. O exercício de tal direito só pode estar sujeito às restrições previstas pela lei que
sejam necessárias, numa sociedade democrática, no interesse da segurança nacional, da
segurança ou da ordem públicas, ou para proteger a saúde ou a moral públicas ou os direitos e
liberdades das demais pessoas.

4
3. O disposto neste artigo não impede a imposição de restrições legais, e mesmo a
privação do exercício do direito de associação, aos membros das forças armadas e da polícia.
Artigo 17. Proteção da família

1. A família é o elemento natural e fundamental da sociedade e deve ser protegida pela


sociedade e pelo Estado.

2. É reconhecido o direito do homem e da mulher de contraírem casamento e de


fundarem uma família, se tiverem a idade e as condições para isso exigidas pelas leis internas, na
medida em que não afetem estas o princípio da não-discriminação estabelecido nesta Convenção.

3. O casamento não pode ser celebrado sem o livre e pleno consentimento dos
contraentes.

4. Os Estados Partes devem tomar medidas apropriadas no sentido de assegurar a


igualdade de direitos e a adequada equivalência de responsabilidades dos cônjuges quanto ao
casamento, durante o casamento e em caso de dissolução do mesmo. Em caso de dissolução,
serão adotadas disposições que assegurem a proteção necessária aos filhos, com base
unicamente no interesse e conveniência dos mesmos.

5. A lei deve reconhecer iguais direitos tanto aos filhos nascidos fora do casamento
como aos nascidos dentro do casamento.
Artigo 18. Direito ao nome

Toda pessoa tem direito a um prenome e aos nomes de seus pais ou ao de um destes. A lei
deve regular a forma de assegurar a todos esse direito, mediante nomes fictícios, se for
necessário.
Artigo 19. Direitos da criança

Toda criança tem direito às medidas de proteção que a sua condição de menor requer por
parte da sua família, da sociedade e do Estado.
Artigo 20. Direito à nacionalidade
1. Toda pessoa tem direito a uma nacionalidade.

2. Toda pessoa tem direito à nacionalidade do Estado em cujo território houver nascido,
se não tiver direito a outra.

3. A ninguém se deve privar arbitrariamente de sua nacionalidade nem do direito de


mudá-la.
Artigo 21. Direito à propriedade privada

1. Toda pessoa tem direito ao uso e gozo dos seus bens. A lei pode subordinar esse
uso e gozo ao interesse social.

5
2. Nenhuma pessoa pode ser privada de seus bens, salvo mediante o pagamento de
indenização justa, por motivo de utilidade pública ou de interesse social e nos casos e na forma
estabelecidos pela lei.

3. Tanto a usura como qualquer outra forma de exploração do homem pelo homem
devem ser reprimidas pela lei.
Artigo 22. Direito de circulação e de residência

1. Toda pessoa que se ache legalmente no território de um Estado tem direito de


circular nele e de nele residir em conformidade com as disposições legais.
2. Toda pessoa tem o direito de sair livremente de qualquer país, inclusive do próprio.

3. O exercício dos direitos acima mencionados não pode ser restringido senão em
virtude de lei, na medida indispensável, numa sociedade democrática, para prevenir infrações
penais ou para proteger a segurança nacional, a segurança ou a ordem públicas, a moral ou a
saúde públicas, ou os direitos e liberdades das demais pessoas.

4. O exercício dos direitos reconhecidos no inciso 1 pode também ser restringido pela
lei, em zonas determinadas, por motivo de interesse público.
5. Ninguém pode ser expulso do território do Estado do qual for nacional, nem ser
privado do direito de nele entrar.
6. O estrangeiro que se ache legalmente no território de um Estado Parte nesta
Convenção só poderá dele ser expulso em cumprimento de decisão adotada de acordo com a lei.

7. Toda pessoa tem o direito de buscar e receber asilo em território estrangeiro, em


caso de perseguição por delitos políticos ou comuns conexos com delitos políticos e de acordo
com a legislação de cada Estado e com os convênios internacionais.

8. Em nenhum caso o estrangeiro pode ser expulso ou entregue a outro país, seja ou
não de origem, onde seu direito à vida ou à liberdade pessoal esteja em risco de violação por
causa da sua raça, nacionalidade, religião, condição social ou de suas opiniões políticas.
9. É proibida a expulsão coletiva de estrangeiros.
Artigo 23. Direitos políticos
1. Todos os cidadãos devem gozar dos seguintes direitos e oportunidades:

a. de participar na direção dos assuntos públicos, diretamente ou por meio de


representantes livremente eleitos;

b. de votar e ser eleitos em eleições periódicas autênticas, realizadas por sufrágio


universal e igual e por voto secreto que garanta a livre expressão da vontade dos
eleitores; e

c. de ter acesso, em condições gerais de igualdade, às funções públicas de seu


país.

6
2. A lei pode regular o exercício dos direitos e oportunidades a que se refere o inciso
anterior, exclusivamente por motivos de idade, nacionalidade, residência, idioma, instrução,
capacidade civil ou mental, ou condenação, por juiz competente, em processo penal.
Artigo 24. Igualdade perante a lei

Todas as pessoas são iguais perante a lei. Por conseguinte, têm direito, sem
discriminação, a igual proteção da lei.
Artigo 25. Proteção judicial

1. Toda pessoa tem direito a um recurso simples e rápido ou a qualquer outro recurso
efetivo, perante os juízes ou tribunais competentes, que a proteja contra atos que violem seus
direitos fundamentais reconhecidos pela constituição, pela lei ou pela presente Convenção,
mesmo quando tal violação seja cometida por pessoas que estejam atuando no exercício de suas
funções oficiais.
2. Os Estados Partes comprometem-se:

a. a assegurar que a autoridade competente prevista pelo sistema legal do Estado


decida sobre os direitos de toda pessoa que interpuser tal recurso;
b. a desenvolver as possibilidades de recurso judicial; e

c. a assegurar o cumprimento, pelas autoridades competentes, de toda decisão em


que se tenha considerado procedente o recurso.
CAPÍTULO III
DIREITOS ECONÔMICOS, SOCIAIS E CULTURAIS
Artigo 26. Desenvolvimento progressivo

Os Estados Partes comprometem-se a adotar providências, tanto no âmbito interno como


mediante cooperação internacional, especialmente econômica e técnica, a fim de conseguir
progressivamente a plena efetividade dos direitos que decorrem das normas econômicas, sociais
e sobre educação, ciência e cultura, constantes da Carta da Organização dos Estados
Americanos, reformada pelo Protocolo de Buenos Aires, na medida dos recursos disponíveis, por
via legislativa ou por outros meios apropriados.
CAPÍTULO IV
SUSPENSÃO DE GARANTIAS, INTERPRETAÇÃO E APLICAÇÃO
Artigo 27. Suspensão de garantias
1. Em caso de guerra, de perigo público, ou de outra emergência que ameace a
independência ou segurança do Estado Parte, este poderá adotar disposições que, na medida e
pelo tempo estritamente limitados às exigências da situação, suspendam as obrigações
contraídas em virtude desta Convenção, desde que tais disposições não sejam incompatíveis com
as demais obrigações que lhe impõe o Direito Internacional e não encerrem discriminação alguma
fundada em motivos de raça, cor, sexo, idioma, religião ou origem social.

7
2. A disposição precedente não autoriza a suspensão dos direitos determinados
seguintes artigos: 3 (Direito ao reconhecimento da personalidade jurídica); 4 (Direito à vida); 5
(Direito à integridade pessoal); 6 (Proibição da escravidão e servidão); 9 (Princípio da legalidade e
da retroatividade); 12 (Liberdade de consciência e de religião); 17 (Proteção da família); 18
(Direito ao nome); 19 (Direitos da criança); 20 (Direito à nacionalidade) e 23 (Direitos políticos),
nem das garantias indispensáveis para a proteção de tais direitos.

3. Todo Estado Parte que fizer uso do direito de suspensão deverá informar
imediatamente os outros Estados Partes na presente Convenção, por intermédio do Secretário-
Geral da Organização dos Estados Americanos, das disposições cuja aplicação haja suspendido,
dos motivos determinantes da suspensão e da data em que haja dado por terminada tal
suspensão.

Vejamos um esquema que simplifica o artigo acima.

DIREITO DE
Artigo SUSPENSÃO 28.

Hipóteses:
- guerra;
- perigo público; e
- emergência que ameace a independência ou
a segurança do Estado.

não é autorizada a suspensão dos seguintes


direitos: •reconhecimento da personalidade
jurídica; •vida; •integridade pessoal; •proibição da
escravidão e servidão; •princípio da legalidade e da
retroatividade; •princípio da liberdade de
consciência e de religião; •proteção da família;
•direito ao nome; •direitos das crianças; •direito à
nacionalidade; e •direitos políticos.

8
4Cláusula federal

1. Quando se tratar de um Estado Parte constituído como Estado federal, o governo


nacional do aludido Estado Parte cumprirá todas as disposições da presente Convenção,
relacionadas com as matérias sobre as quais exerce competência legislativa e judicial.

2. No tocante às disposições relativas às matérias que correspondem à competência


das entidades componentes da federação, o governo nacional deve tomar imediatamente as
medidas pertinente, em conformidade com sua constituição e suas leis, a fim de que as
autoridades competentes das referidas entidades possam adotar as disposições cabíveis para o
cumprimento desta Convenção.

3. Quando dois ou mais Estados Partes decidirem constituir entre eles uma federação
ou outro tipo de associação, diligenciarão no sentido de que o pacto comunitário respectivo
contenha as disposições necessárias para que continuem sendo efetivas no novo Estado assim
organizado as normas da presente Convenção.

O que o dispositivo supra transmite é a ideia de que os Estados-parte constituídos em forma


de federação (como o Brasil), não poderão alegar o descumprimento das disposições do Pacto de
San José da Costa Rica sob o argumento de que internamente essa competência é do ente
federado.
Artigo 29. Normas de interpretação
Nenhuma disposição desta Convenção pode ser interpretada no sentido de:

a. permitir a qualquer dos Estados Partes, grupo ou pessoa, suprimir o gozo e exercício
dos direitos e liberdades reconhecidos na Convenção ou limitá-los em maior medida do que a nela
prevista;

b. limitar o gozo e exercício de qualquer direito ou liberdade que possam ser


reconhecidos de acordo com as leis de qualquer dos Estados Partes ou de acordo com outra
convenção em que seja parte um dos referidos Estados;

c. excluir outros direitos e garantias que são inerentes ao ser humano ou que decorrem
da forma democrática representativa de governo; e

d. excluir ou limitar o efeito que possam produzir a Declaração Americana dos Direitos e
Deveres do Homem e outros atos internacionais da mesma natureza.
Artigo 30. Alcance das restrições

As restrições permitidas, de acordo com esta Convenção, ao gozo e exercício dos direitos e
liberdades nela reconhecidos, não podem ser aplicadas senão de acordo com leis que forem
promulgadas por motivo de interesse geral e com o propósito para o qual houverem sido
estabelecidas.
Artigo 31. Reconhecimento de outros direitos

Poderão ser incluídos no regime de proteção desta Convenção outros direitos e liberdades
que forem reconhecidos de acordo com os processos estabelecidos nos artigos 76 e 77.

9
CAPÍTULO V
DEVERES DAS PESSOAS
Artigo 32. Correlação entre deveres e direitos
1. Toda pessoa tem deveres para com a família, a comunidade e a humanidade.

2. Os direitos de cada pessoa são limitados pelos direitos dos demais, pela segurança
de todos e pelas justas exigências do bem comum, numa sociedade democrática.

10
EXERCICIOS DE FIXAÇÃO
QUESTÃO 01: O Pacto de San José da Costa Rica:

a) permite o restabelecimento da pena de morte nos Estados.


b) declara que as pessoas condenadas a pena de morte não tem direito a anistia.
c) estabelece que as pessoas podem ser privadas da vida arbitrariamente.
d) permite a pena de morte nos delitos comuns conexos com os delitos comuns.
e) protege a vida desde a concepção.
QUESTÃO 02: Dentre os direitos civis e políticos constantes na Convenção Americana de
Direitos Humanos, também conhecida como Pacto de San José da Costa Rica, está previsto o
direito

a) à vida, que deve ser protegido pela lei e, em geral, desde o momento da concepção.
b) à proteção da reprodução da imagem e voz humanas.
c) a não ser preso em virtude de inadimplemento de obrigação alimentar.
d) dos autores de permitir ou não a utilização, publicação ou reprodução de suas obras.
e) a receber dos órgãos públicos informações de seu interesse particular, ou de interesse coletivo
ou geral.
QUESTÃO 03: De acordo com a Convenção Americana dos Direitos Humanos,

a) é possível a expulsão coletiva de estrangeiros.


b) a proteção legal do direito à vida inicia-se, em geral, a partir do momento do nascimento.
c) é reconhecida a existência de deveres da pessoa para com a família, a comunidade e a
humanidade.
d) nos países onde a pena de morte tenha sido abolida, essa forma de punição só poderá ser
restabelecida para os crimes mais graves.
e) é inadmissível a limitação dos direitos estabelecidos na convenção.

11
Aprofundando No Que CAI

QUESTÃO 01: Recentemente, por meio de súmula vinculante, o Supremo Tribunal Federal
aplicou ao direito brasileiro as disposições da Convenção Americana de Direitos Humanos
(Pacto de San José da Costa Rica), entendendo que essa Convenção considera ilícito(a).

a) a prisão de depositário infiel.


b) o nepotismo.
c) alguém culpado antes do trânsito em julgado de sentença penal condenatória
d) a elevação da idade mínima para que alguém possa responder por crime.
e) toda e qualquer prisão civil por dívida.
QUESTÃO 02: Considerando o disposto expressamente no Pacto Internacional de San José da
Costa Rica (Convenção Americana de Direitos Humanos de 1969), a respeito do direito à vida e
do direito à integridade pessoal, é correto afirmar que:

a) os processados devem ficar separados dos condenados, salvo em circunstâncias excepcionais,


e devem ser submetidos a tratamento adequado à sua condição de
b) pessoas não condenadas.
c) toda pessoa tem o direito de que se respeite sua vida, e o direito de ser protegido pela lei, em
geral, desde o momento do seu nascimento.
d) todos os países estão proibidos de adotar a pena de morte e aqueles que já a adotem devem
aboli-la de imediato.
e) é vedada pelos Estados a adoção da pena de prisão perpétua, exceto para casos de crimes
hediondos.
f) a pena de trabalhos forçados será vedada unicamente a menores de vinte e um anos e a
maiores de setenta anos.
QUESTÃO 03: Assinale a opção correta de acordo com a Convenção Americana sobre Direitos
Humanos (Pacto de São José da Costa Rica).

a) A pena de morte não deve ser aplicada em nenhuma hipótese, mesmo nos países que ainda
não a tenham abolido.
b) Mesmo que manifeste a intenção de defender-se a si próprio, todo acusado da prática de um
delito terá direito irrenunciável de ser assistido por um defensor proporcionado pelo Estado,
remunerado ou não.
c) Toda pessoa acusada de um delito tem direito à comunicação prévia e pormenorizada da
acusação formulada, salvo nos casos de crime de terrorismo, quando a comunicação colocar em
risco as investigações dos fatos, os interesses da justiça ou a segurança nacional.
d) O processo penal, em qualquer hipótese, deve ser público.
e) O direito à vida deve ser protegido por lei e, em geral, a partir do momento da concepção.
QUESTÃO 04: Quanto à posição hierárquica do Pacto de São José da Costa Rica, no
ordenamento jurídico brasileiro, segundo a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal — STF
—, é correto afirmar que

a) tem hierarquia equivalente às Emendas Constitucionais.


b) tem caráter infralegal.
c) tem caráter supralegal.
d) tem hierarquia equivalente às Leis Ordinárias.

12
QUESTÃO 05: Considerando a Convenção Americana sobre Direitos Humanos, é correto afirmar
que:

a) não trata de delitos ou de direitos políticos.


b) permite a escravidão
c) estabelece que o direito à reunião não se submete à qualquer restrição.
d) a pena de morte não pode ser restabelecida nos Estados em que tenha sido abolida.
e) o Brasil não é signatário desta Convenção.
QUESTÃO 06: Acerca do pacto de São José da Costa Rica, assinale a alternativa correta.

a) Os menores de 18 anos não podem ser processados.


b) São vedados os trabalhos ou serviços normalmente exigidos de pessoa reclusa em cumprimento
de sentença ou resolução formal expedida pela autoridade judiciária competente.
c) As penas privativas de liberdade devem ter por finalidade essencial a reforma e a readaptação
social dos condenados.
d) Considera-se como trabalho forçado o serviço exigido em casos de perigo ou de calamidade que
ameacem a existência ou o bem-estar da comunidade.
e) São proibidas as penas privativas de liberdade acompanhadas de trabalhos forçados, ainda que
esses não afetem a dignidade nem a capacidade física e intelectual do recluso.
QUESTÃO 7: A Convenção Americana de Direitos Humanos, também conhecida por ―Pacto de
San José da Costa Rica‖, foi ratificada pelo Brasil em 25 de setembro de 1992. De acordo com o
mencionado tratado internacional, é correto afirmar que:

a) toda pessoa tem direito a um prenome e aos nomes de seus pais ou ao de um destes. A lei deve
regular a forma de assegurar a todos esse direito, sendo vedada a criação de nomes fictícios.
b) ninguém deve ser detido por dívidas, mesmo tratando-se de prisão do devedor de alimentos.
c) as penas privativas de liberdade devem ter por finalidade essencial a reforma e a readaptação
social dos condenados.
d) é possível o restabelecimento da pena de morte nos Estados que a tenham abolido.
e) toda pessoa terá o direito de sair livremente de qualquer país, exceto de seu próprio país, o que
dependerá de prévia autorização da autoridade competente.
QUESTÃO 8: A Convenção Americana de Direitos Humanos, também conhecida como Pacto de
São José da Costa Rica, aprovada e assinada em 22.11.1969, é um marco fundamental no
sistema interamericano de proteção dos direitos humanos e entrou em vigor em 18.07.1978. Sua
aplicação no Brasil acabou por gerar súmula vinculante do Supremo Tribunal Federal (Súmula
Vinculante n.º 25, DOU de 23.12.2009), que, em relação aos direitos humanos, decidiu que

a) ninguém poderá ser condenado ou sentenciado, sem o devido processo legal.


b) só é lícito o uso de algemas em casos de resistência e de fundado receio de fuga ou de perigo à
integridade física própria ou alheia, por parte do preso ou de terceiros.
c) não haverá penas cruéis e não será tolerada a tortura no Brasil.
d) é proibida a pena de morte no Brasil, exceto em tempo de guerra.
e) é ilícita a prisão civil de depositário infiel, qualquer que seja a modalidade do depósito.
QUESTÃO 9: Na Organização dos Estados Americanos, qual dos tratados internacionais sobre
Direitos Humanos prevê a proteção, a preservação e o melhoramento do meio ambiente?

a) Rio+20
b) Declaração de San José da Costa Rica
c) Protocolo Adicional à Convenção Americana sobre Direitos Humanos
d) Protocolo de Cruz Alta sobre Direitos Humanos

13
e) Protocolo de Assunção sobre Direitos Humanos
QUESTÃO 10: A convenção Americana de Direitos Humanos disciplina:

a) Toda pessoa detida pode ser informada das razões da detenção.


b) Toda pessoa retida pode ser conduzida à presença de um juiz.
c) Toda pessoa tem direito à liberdade e à segurança pessoais.
d) Toda pessoa pode ser submetida a encarceramento arbitrário.
e) Ninguém deve ser detido por dívidas.

14
GABARITO
Exercícios de Fixação
1. E
2. A
3. C

Aprofundando no Que CAI

1. A
COMENTÁRIO: Súmula Vinculante 25: É ilícita a prisão civil de depositário infiel,
qualquer que seja a modalidade do depósito.

2. A
COMENTÁRIO: a) Os processados devem ficar separados dos condenados, salvo em
circunstâncias excepcionais, e devem ser submetidos a tratamento adequado à sua
condição de pessoas não condenadas. CERTA 4. Os processados devem ficar
separados dos condenados, salvo em circunstâncias excepcionais, a ser submetido a
tratamento adequado à sua condição de pessoal não condenada. b) toda pessoa tem o
direito de que se respeite sua vida, e o direito de ser protegido pela lei, em geral, desde o
momento do seu nascimento. ERRADO. Art. 4º. 1. Toda pessoa tem o direito de que se
respeite sua vida. Esse direito deve ser protegido pela lei e, em geral, desde o momento
da concepção. Ninguém pode ser privado da vida arbitrariamente. c) todos os países
estão proibidos de adotar a pena de morte e aqueles que já a adotem devem aboli-la de
imediato. ERRADA 2. Nos países que não houverem abolido a pena de morte, esta só
poderá ser imposta pelos delitos mais graves, em cumprimento de sentença final de
tribunal competente e em conformidade com lei que estabeleça tal pena, Promulgada
antes de haver o delito sido cometido. Tampouco se estenderá sua aplicação a delitos
aos quais não se aplique atualmente. 3. Não se pode restabelecer a pena de morte nos
Estados que a hajam abolido. d) é vedada pelos Estados a adoção da pena de prisão
perpétua, exceto para casos de crimes hediondos. ERRADA: não há essa previsão. e) a
pena de trabalhos forçados será vedada unicamente a menores de vinte e um anos e a
maiores de setenta anos. ERRADA: 2. Ninguém deve ser constrangido a executar
trabalho forçado ou obrigatório. Nos países em que se prescreve, para certos delitos,
pena privativa da liberdade acompanhada de trabalhos forçados, esta disposição não
pode ser interpretada no sentido de que proíbe o cumprimento da dita pena, importa por
juiz ou tribunal competente. O trabalho forçado não deve afetar a dignidade nem a
capacidade física e intelectual do recluso.

3. E
COMENTÁRIO: Resposta item "E": O Pacto de São José da Costa Rica, em seu
parágrafo 4º expõe: “Toda pessoa tem o direito de que se respeite sua vida. Esse direito
deve ser protegido pela lei, em geral, desde o momento da concepção.

15
4. C
COMENTÁRIO: (...)Tendo em vista o caráter supralegal desses diplomas normativos
internacionais, a legislação infraconstitucional posterior que com eles seja conflitante
também tem sua eficácia paralisada. (...) Enfim, desde a adesão do Brasil, no ano de
1992, ao Pacto Internacional dos Direitos Civis e Políticos (art. 11) e à Convenção
Americana sobre Direitos Humanos 'Pacto de San José da Costa Rica (art. 7º, 7), não há
base legal par aplicação da parte final do art.5º, inciso LXVII, da Constituição, ou seja,
para a prisão civil do depositário infiel." (RE 466343, Voto do Ministro Gilmar Mendes,
Tribunal Pleno, julgamento em 3.12.2008, DJe de 5.6.2009) 1) Tratados internacionais
que não tratem sobre direitos humanos: Status de lei ordinária; 2) Tratados internacionais
que versem sobre direitos humanos, mas que não tenham sido aprovados na forma do
art. 5º, § 3º, da CF/88: Status supralegal: 3) Tratados internacionais sobre Direito
Tributário (art. 98 do CTN): Status supralegal; 4) Tratados internacionais sobre matéria
processual civil (art. 13 do CPC/2015): Status supralegal; 5) Tratados internacionais que
versem sobre direitos humanos e que tenham sido aprovados na forma do art. 5º, § 3º,
da CF/88: Emenda constitucional

5. D
COMENTÁRIO: Em nenhum caso pode a pena de morte ser aplicada a delitos políticos,
nem a delitos comuns conexos com delitos políticos.

6. C
COMENTÁRIO: A – Errada. Artigo 4º - Direito à vida, 5. Não se deve impor a pena de morte
a pessoa que, no momento da perpetração do delito, for menor de dezoito anos, ou maior de
setenta, nem aplicá-la a mulher em estado de gravidez. B – Errada. Artigo 6º - Proibição da
escravidão e da servidão, 3. Não constituem trabalhos forçados ou obrigatórios para os
efeitos deste artigo: a) os trabalhos ou serviços normalmente exigidos de pessoa reclusa em
cumprimento de sentença ou resolução formal expedida pela autoridade judiciária
competente. Tais trabalhos ou serviços devem ser executados sob a vigilância e controle das
autoridades públicas, e os indivíduos que os executarem não devem ser postos à disposição
de particulares, companhias ou pessoas jurídicas de caráter privado. C – Certa. Artigo 5º -
Direito à integridade pessoal, 6. As penas privativas de liberdade devem ter por finalidade
essencial a reforma e a readaptação social dos condenados. D – Errada. Artigo 6º -
Proibição da escravidão e da servidão, 3. Não constituem trabalhos forçados ou obrigatórios
para os efeitos deste artigo: c) o serviço exigido em casos de perigo ou de calamidade que
ameacem a existência ou o bem-estar da comunidade. E – Errada. Artigo 6º - Proibição da
escravidão e da servidão, 2. Ninguém deve ser constrangido a executar trabalho forçado ou
obrigatório. Nos países em que se prescreve, para certos delitos, pena privativa de liberdade
acompanhada de trabalhos forçados, esta disposição não pode ser interpretada no sentido
de proibir o cumprimento da dita pena, imposta por um juiz ou tribunal competente. O
trabalho forçado não deve afetar a dignidade, nem a capacidade física e intelectual do
recluso.

16
7. C
COMENTÁRIO: A) ERRADA – Art 18. Toda pessoa tem direito a um prenome e aos nomes
de seus pais ou ao de um destes. A lei deve regular a forma de assegurar a todos esse
direito, MEDIANTE NOMES FICTÍCIOS, SE FOR NECESSÁRIO. B) ERRADA – Súmula
Vinculante 25. é ilícita a prisão civil de depositário infiel, qualquer que seja a modalidade do
depósito. C) CORRETA – Art. 5, 6. As penas privativas de liberdade devem ter por finalidade
essencial a reforma e a readaptação social dos condenados. D) ERRADA – Art. 4, 2. Nos
países que NÃO HOUVEREM ABOLIDO a pena de morte, esta só poderá ser imposta pelos
delitos mais graves, em cumprimento de sentença final de tribunal competente e em
conformidade com a lei que estabeleça tal pena, promulgada antes de haver o delito sido
cometido. Tampouco se estenderá sua aplicação a delitos aos quais não se aplique
atualmente. E) ERRADA – Art. 22, 2. Toda pessoa terá o direito de sair livremente de
qualquer país, INCLUSIVE DE SEU PRÓPRIO PAÍS.

8. E
COMENTÁRIO: 7. Ninguém deve ser detido por dívidas. Este princípio não limita os
mandados de autoridade judiciária competente expedidos em virtude de inadimplemento de
obrigação alimentar.

9. C
COMENTÁRIO: Protocolo Adicional à Convenção Americana sobre Direitos Humanos em
matéria de Direitos Econômicos, Sociais e Culturais, de 1988 (também conhecido como
Protocolo de São Salvador – no Brasil, Decreto n. 3.321, de 30-12-1999): Artigo 11. Direito a
um meio ambiente sadio 1.Toda pessoa tem direito a viver em meio ambiente sadio e a
contar com os serviços públicos básicos. 2. Os Estados Partes promoverão a proteção
preservação e melhoramento do meio ambiente.

10. C
COMENTÁRIO: 7- Ninguém deve ser detido por dívidas. Este princípio não limita os
mandados de autoridade judiciária competente expedidos em virtude de inadimplemento de
obrigação alimentar.

17
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?
A Convenção Americana de Direitos Humanos, popularmente conhecida como Pacto de São
José da Costa Rica, é um tratado celebrado pelos integrantes da Organização de Estados
Americanos (OEA), adotada e aberta à assinatura durante a Conferência Especializada
Interamericana sobre Direitos Humanos, em San José da Costa Rica, em 22 de novembro de
1969 e tendo entrado em vigor a 18 de julho de 1978.

O objetivo da constituição deste tratado internacional é a busca da consolidação entre os


países americanos de um regime de liberdade pessoal e de justiça social, fundado no respeito
aos direitos humanos essenciais, independentemente do país onde a pessoa viva ou tenha
nascido. O pacto tem influência marcante da Declaração Universal dos Direitos Humanos, que
compreende o ideal do ser humano livre, isento do temor e da miséria e sob condições que lhe
permitam gozar dos seus direitos econômicos, sociais e culturais, bem como dos seus direitos
civis e políticos.

LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?


IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

18
SUMÁRIO

CONVENÇÃO AMERICANA DE DIREITOS


HUMANOS................................................................................................................................................ 1
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ................................................................................................................... 16
APROFUNDANDO NO QUE CAI............................................................................................................ 17
GABARITO ............................................................................................................................................ 20
RESUMÃO LJORTANO......................................................................................................................... 23

ENTÃO VAMOS LÁ, LJORTANOS....

1
CONVENÇÃO AMERICANA DE DIREITOS HUMANOS

A Convenção Americana de Direitos Humanos, popularmente conhecida como Pacto de São


José da Costa Rica, é um tratado celebrado pelos integrantes da Organização de Estados Americanos
(OEA), adotada e aberta à assinatura durante a Conferência Especializada Interamericana sobre
Direitos Humanos, em San José da Costa Rica, em 22 de novembro de 1969 e tendo entrado em vigor
a 18 de julho de 1978.
O documento tem um total de 81 artigos, incluindo as disposições transitórias, e tem como
objetivo estabelecer os direitos fundamentais da pessoa humana, como o direito à vida, à
liberdade, à dignidade, à integridade pessoal e moral, à educação, entre outros similares. A
Convenção proíbe ainda a escravidão e a servidão humana, trata das garantias judiciais, da liberdade
de consciência e religião, de pensamento e expressão, bem como da liberdade de associação e da
proteção a família.

O objetivo da constituição deste tratado internacional é a busca da consolidação entre os países


americanos de um regime de liberdade pessoal e de justiça social, fundado no respeito aos direitos
humanos essenciais, independentemente do país onde a pessoa viva ou tenha nascido. O pacto tem
influência marcante da Declaração Universal dos Direitos Humanos, que compreende o ideal do ser
humano livre, isento do temor e da miséria e sob condições que lhe permitam gozar dos seus direitos
econômicos, sociais e culturais, bem como dos seus direitos civis e políticos.
Um dos principais legados do Pacto de São José é sem dúvida a criação do sistema Comissão
Interamericana de Direitos Humanos/Corte Interamericana de Direitos Humanos, destinada a
avaliar casos de violação dos direitos humanos ocorridos em países que integram a Organização dos
Estados Americanos (OEA), que reconheçam sua competência. Quando ocorre um abuso referente à
matéria de Direitos Humanos em qualquer um dos países, e o governo deste permaneça inerte, é dada
a oportunidade ao ofendido de fazer sua denúncia à comissão, que levará o caso à corte, para que seja
julgado.

O documento só seria ratificado pelo Brasil em 25 de setembro de 1992, sendo que esta passou a
ter validade no ordenamento interno a partir do Decreto 678 de 6 de novembro de 1992. Com a
promulgação da Emenda Constitucional número 45 de 2004 (que trata da reforma do Judiciário), os
tratados cujo teor trate de questões de direitos humanos passaram a vigorar de imediato e a ser
equiparados às normas constitucionais, devendo ser aprovados por um quórum de três quintos dos
votos na Câmara dos Deputados e no Senado Federal, em dois turnos em cada casa.

2
CONVENÇÃO AMERICANA SOBRE DIREITOS HUMANOS
(Assinada na Conferência Especializada Interamericana sobre Direitos Humanos,
San José, Costa Rica, em 22 de novembro de 1969) – A PARTIR DO ART. 33

PARTE II
MEIOS DA PROTEÇÃO
CAPÍTULO VI
ÓRGÃOS COMPETENTES
Artigo 33

São competentes para conhecer dos assuntos relacionados com o cumprimento dos
compromissos assumidos pelos Estados Partes nesta Convenção:

a. a Comissão Interamericana de Direitos Humanos, doravante denominada a


Comissão; e
b. a Corte Interamericana de Direitos Humanos, doravante denominada a Corte.
CAPÍTULO VII
COMISSÃO INTERAMERICANA DE DIREITOS HUMANOS
Seção 1 — Organização
Artigo 34
A Comissão Interamericana de Direitos Humanos compor-se-á de sete membros, que
deverão ser pessoas de alta autoridade moral e de reconhecido saber em matéria de direitos
humanos.
Artigo 35
A Comissão representa todos os membros da Organização dos Estados Americanos.

•Órgão da OEA, responsável por zelar pelos


Direitos Humanos, em especial pelo
processamento das petições individuais.
PAPEL DA COMISSÃO
•Órgão da Convenção Americana, responsável
por analisar as petições individuais, interpondo
ação de responsabilidade internacional.

3
Artigo 36

1. Os membros da Comissão serão eleitos a título pessoal, pela Assembleia Geral da


Organização, de uma lista de candidatos propostos pelos governos dos Estados membros.

2. Cada um dos referidos governos pode propor até três candidatos, nacionais do
Estado que os propuser ou de qualquer outro Estado membro da Organização dos Estados
Americanos. Quando for proposta uma lista de três candidatos, pelo menos um deles deverá ser
nacional de Estado diferente do proponente.
Artigo 37

1. Os membros da Comissão serão eleitos por quatro anos e só poderão ser reeleitos
uma vez, porém o mandato de três dos membros designados na primeira eleição expirará ao cabo
de dois anos. Logo depois da referida eleição, serão determinados por sorteio, na Assembleia
Geral, os nomes desses três membros.
2. Não pode fazer parte da Comissão mais de um nacional de um mesmo Estado.
Artigo 38

As vagas que ocorrerem na Comissão, que não se devam à expiração normal do mandato,
serão preenchidas pelo Conselho Permanente da Organização, de acordo com o que dispuser o
Estatuto da Comissão.
Artigo 39
A Comissão elaborará seu estatuto e submetê-lo-á à aprovação da Assembleia Geral e
expedirá seu próprio regulamento.
Artigo 40
Os serviços de secretaria da Comissão devem ser desempenhados pela unidade funcional
especializada que faz parte da Secretaria-Geral da Organização e devem dispor dos recursos
necessários para cumprir as tarefas que lhe forem confiadas pela Comissão.
Seção 2 — Funções
Artigo 41
A Comissão tem a função principal de promover a observância e a defesa dos direitos
humanos e, no exercício do seu mandato, tem as seguintes funções e atribuições:
a. estimular a consciência dos direitos humanos nos povos da América;

b. formular recomendações aos governos dos Estados membros, quando o considerar


conveniente, no sentido de que adotem medidas progressivas em prol dos direitos humanos no
âmbito de suas leis internas e seus preceitos constitucionais, bem como disposições apropriadas
para promover o devido respeito a esses direitos;

c. preparar os estudos ou relatórios que considerar convenientes para o desempenho de


suas funções;

d. solicitar aos governos dos Estados membros que lhe proporcionem informações sobre
as medidas que adotarem em matéria de direitos humanos;

4
e. atender às consultas que, por meio da Secretaria-Geral da Organização dos Estados
Americanos, lhe formularem os Estados membros sobre questões relacionadas com os direitos
humanos e, dentro de suas possibilidades, prestar-lhes o assessoramento que eles lhe
solicitarem;
f. atuar com respeito às petições e outras comunicações, no exercício de sua
autoridade, de conformidade com o disposto nos artigos 44 a 51 desta Convenção; e

g. apresentar um relatório anual à Assembléia Geral da Organização dos Estados


Americanos.

A seguir um esquema que facilita o entendimento das funções desempenhadas pela


comissão

Estimular a
observância do
Pacto de San
José da Costa
Rica;

Atuar no
recebimento e
processamento Efetuar
das petições recomendações;
individuais e das
comunicações;

ATRIBUIÇÕES
DA
COMISSÃO

Responder às
consultas Preparar
formuladas pelos estudos e
relatórios;
Estados-parte;

Solicitar
informação dos
Estados-parte;

5
Artigo 42

Os Estados Partes devem remeter à Comissão cópia dos relatórios e estudos que, em seus
respectivos campos, submetem anualmente às Comissões Executivas do Conselho
Interamericano Econômico e Social e do Conselho Interamericano de Educação, Ciência e
Cultura, a fim de que aquela vele por que se promovam os direitos decorrentes das normas
econômicas, sociais e sobre educação, ciência e cultura, constantes da Carta da Organização dos
Estados Americanos, reformada pelo Protocolo de Buenos Aires.
Artigo 43

Os Estados Partes obrigam-se a proporcionar à Comissão as informações que esta lhes


solicitar sobre a maneira pela qual o seu direito interno assegura a aplicação efetiva de quaisquer
disposições desta Convenção.
Seção 3 — Competência
Artigo 44

Qualquer pessoa ou grupo de pessoas, ou entidade não-governamental legalmente


reconhecida em um ou mais Estados membros da Organização, pode apresentar à Comissão
petições que contenham denúncias ou queixas de violação desta Convenção por um Estado
Parte.

6
Sobre as petições individuais, vejamos:

• A mera assinatura do Pacto


de San José da Costa Rica já
gera a submissão ao sistema
de peticionamento individual;
PETIÇÕES
INDIVIDUAIS • Não
portanto,

de
necessidade,
declaração
A LEGITIMADOS
experessa do PARA
Estado-parte
aceitando esse mecanismo
APRESENTAR AS PETIÇÕES
de implementação.
INDIVIDUAIS
• Vítima de violação ao seu direito
humano;
• Grupo de pessoas;
• ONGS legalmente reconhecidas.
Artigo 45

1. Todo Estado Parte pode, no momento do depósito do seu instrumento de ratificação


desta Convenção ou de adesão a ela, ou em qualquer momento posterior, declarar que reconhece
a competência da Comissão para receber e examinar as comunicações em que um Estado Parte
alegue haver outro Estado Parte incorrido em violações dos direitos humanos estabelecidos nesta
Convenção.

2. As comunicações feitas em virtude deste artigo só podem ser admitidas e


examinadas se forem apresentadas por um Estado Parte que haja feito uma declaração pela qual
reconheça a referida competência da Comissão. A Comissão não admitirá nenhuma
comunicação contra um Estado Parte que não haja feito tal declaração.

3. As declarações sobre reconhecimento de competência podem ser feitas para que


esta vigore por tempo indefinido, por período determinado ou para casos específicos.
4. As declarações serão depositadas na Secretaria-Geral da Organização dos Estados
Americanos, a qual encaminhará cópia das mesmas aos Estados membros da referida
Organização.
É importante ter em mente a seguinte distinção:

7
PETIÇÕES INDIVIDUAIS
• Cláusula Obrigatória

COMUNICAÇÕES INTERESTATAIS
• Cláusula Facultativa

Artigo 46

1. Para que uma petição ou comunicação apresentada de acordo com os artigos 44 ou


45 seja admitida pela Comissão, será necessário:

a. que hajam sido interpostos e esgotados os recursos da jurisdição interna, de


acordo com os princípios de direito internacional geralmente reconhecidos;

b. que seja apresentada dentro do prazo de seis meses, a partir da data em que o
presumido prejudicado em seus direitos tenha sido notificado da decisão definitiva;
c. que a matéria da petição ou comunicação não esteja pendente de outro
processo de solução internacional; e
d. que, no caso do artigo 44, a petição contenha o nome, a nacionalidade, a
profissão, o domicílio e a assinatura da pessoa ou pessoas ou do representante legal
da entidade que submeter a petição.
2. As disposições das alíneas a e b do inciso 1 deste artigo não se aplicarão quando:

a. não existir, na legislação interna do Estado de que se tratar, o devido processo


legal para a proteção do direito ou direitos que se alegue tenham sido violados;

b. não se houver permitido ao presumido prejudicado em seus direitos o acesso


aos recursos da jurisdição interna, ou houver sido ele impedido de esgotá-los; e
c. houver demora injustificada na decisão sobre os mencionados recursos.

O artigo 46 do Pacto enuncia 4 requisitos de admissibilidade das petições e comunicações


para que sejam admitidas pela Comissão.
1º. Esgotamento ou inexistência de recursos internos para reparação do direito
humano violado ou quando os recursos disponíveis forem inefetivos;

2º. Apresentação do expediente internacional no prazo de 6 meses a contar da


decisão interna insatisfatória;

3º. Não haja outro procedimento internacional apurando a questão (litispendência


internacional); e

4º. Identificação, com nome, nacionalidade, domicílio e assinatura (não são aceitas
petições individuais apócrifas).

8
Artigo 47

A Comissão declarará inadmissível toda petição ou comunicação apresentada de acordo


com os artigos 44 ou 45 quando:
a. não preencher algum dos requisitos estabelecidos no artigo 46;

b. não expuser fatos que caracterizem violação dos direitos garantidos por esta
Convenção;

c. pela exposição do próprio peticionário ou do Estado, for manifestamente infundada a


petição ou comunicação ou for evidente sua total improcedência; ou

d. for substancialmente reprodução de petição ou comunicação anterior, já examinada


pela Comissão ou por outro organismo internacional.

Vejamos um esquema que resume os principais aspectos dos arts. 46 e 47.

Seção 4 — Processo
Artigo 48

1. A Comissão, ao receber uma petição ou comunicação na qual se alegue violação de


qualquer dos direitos consagrados nesta Convenção, procederá da seguinte maneira:

a. se reconhecer a admissibilidade da petição ou comunicação, solicitará informações ao


Governo do Estado ao qual pertença a autoridade apontada como responsável pela violação
alegada e transcreverá as partes pertinentes da petição ou comunicação. As referidas
informações devem ser enviadas dentro de um prazo razoável, fixado pela Comissão ao
considerar as circunstâncias de cada caso;

b. recebidas as informações, ou transcorrido o prazo fixado sem que sejam elas


recebidas, verificará se existem ou subsistem os motivos da petição ou comunicação. No caso de
não existirem ou não subsistirem, mandará arquivar o expediente;

9
c. poderá também declarar a inadmissibilidade ou a improcedência da petição ou
comunicação, com base em informação ou prova supervenientes;

d. se o expediente não houver sido arquivado, e com o fim de comprovar os fatos, a


Comissão procederá, com conhecimento das partes, a um exame do assunto exposto na petição
ou comunicação. Se for necessário e conveniente, a Comissão procederá a uma investigação
para cuja eficaz realização solicitará, e os Estados interessados lhes proporcionarão todas as
facilidades necessárias;

e. poderá pedir aos Estados interessados qualquer informação pertinente e receberá, se


isso lhe for solicitado, as exposições verbais ou escritas que apresentarem os interessados; e

f. pôr-se-á à disposição das partes interessadas, a fim de chegar a uma solução


amistosa do assunto, fundada no respeito aos direitos humanos reconhecidos nesta Convenção.

2. Entretanto, em casos graves e urgentes, pode ser realizada uma investigação,


mediante prévio consentimento do Estado em cujo território se alegue haver sido cometida a
violação, tão somente com a apresentação de uma petição ou comunicação que reúna todos os
requisitos formais de admissibilidade.
Artigo 49

Se se houver chegado a uma solução amistosa de acordo com as disposições do inciso 1, f,


do artigo 48, a Comissão redigirá um relatório que será encaminhado ao peticionário e aos
Estados Partes nesta Convenção e, posteriormente, transmitido, para sua publicação, ao
Secretário-Geral da Organização dos Estados Americanos. O referido relatório conterá uma breve
exposição dos fatos e da solução alcançada. Se qualquer das partes no caso o solicitar, ser-lhe-á
proporcionada a mais ampla informação possível.
Artigo 50

1. Se não se chegar a uma solução, e dentro do prazo que for fixado pelo Estatuto da
Comissão, esta redigirá um relatório no qual exporá os fatos e suas conclusões. Se o relatório
não representar, no todo ou em parte, o acordo unânime dos membros da Comissão, qualquer
deles poderá agregar ao referido relatório seu voto em separado. Também se agregarão ao
relatório as exposições verbais ou escritas que houverem sido feitas pelos interessados em
virtude do inciso 1, e, do artigo 48.

2. O relatório será encaminhado aos Estados interessados, aos quais não será
facultado publicá-lo.

3. Ao encaminhar o relatório, a Comissão pode formular as proposições e


recomendações que julgar adequadas.
Artigo 51

1. Se no prazo de três meses, a partir da remessa aos Estados interessados do


relatório da Comissão, o assunto não houver sido solucionado ou submetido à decisão da Corte
pela Comissão ou pelo Estado interessado, aceitando sua competência, a Comissão poderá
emitir, pelo voto da maioria absoluta dos seus membros, sua opinião e conclusões sobre a
questão submetida à sua consideração.

10
2. A Comissão fará as recomendações pertinentes e fixará um prazo dentro do qual o
Estado deve tomar as medidas que lhe competirem para remediar a situação examinada.

3. Transcorrido o prazo fixado, a Comissão decidirá, pelo voto da maioria absoluta dos
seus membros, se o Estado tomou ou não medidas adequadas e se pública ou não seu relatório.

Vejamos a seguir um esquema que resume o processamento das comunicações perante a


Comissão Interamericana de Direitos Humanos.

11
CAPÍTULO VIII
CORTE INTERAMERICANA DE DIREITOS HUMANOS

Seção 1 — Organização

Artigo 52

1. A Corte compor-se-á de sete juízes, nacionais dos Estados membros da Organização,


eleitos a título pessoal dentre juristas da mais alta autoridade moral, de reconhecida competência em
matéria de direitos humanos, que reúnam as condições requeridas para o exercício das mais elevadas
funções judiciais, de acordo com a lei do Estado do qual sejam nacionais, ou do Estado que os propuser
como candidatos.

2. Não deve haver dois juízes da mesma nacionalidade.

Artigo 53

1. Os juízes da Corte serão eleitos, em votação secreta e pelo voto da maioria absoluta dos
Estados Partes na Convenção, na Assembléia Geral da Organização, de uma lista de candidatos
propostos pelos mesmos Estados.

2. Cada um dos Estados Partes pode propor até três candidatos, nacionais do Estado que os
propuser ou de qualquer outro Estado membro da Organização dos Estados Americanos. Quando se
propuser uma lista de três candidatos, pelo menos um deles deverá ser nacional de Estado diferente do
proponente.

Artigo 54

1. Os juízes da Corte serão eleitos por um período de seis anos e só poderão ser reeleitos uma
vez. O mandato de três dos juízes designados na primeira eleição expirará ao cabo de três
anos. Imediatamente depois da referida eleição, determinar-se-ão por sorteio, na Assembléia Geral, os
nomes desses três juízes.

2. O juiz eleito para substituir outro cujo mandato não haja expirado, completará o período
deste.

3. Os juízes permanecerão em funções até o término dos seus mandatos. Entretanto,


continuarão funcionando nos casos de que já houverem tomado conhecimento e que se encontrem em
fase de sentença e, para tais efeitos, não serão substituídos pelos novos juízes eleitos.

Artigo 55

1. O juiz que for nacional de algum dos Estados Partes no caso submetido à Corte, conservará
o seu direito de conhecer do mesmo.

2. Se um dos juízes chamados a conhecer do caso for de nacionalidade de um dos Estados


Partes, outro Estado Parte no caso poderá designar uma pessoa de sua escolha para fazer parte da Corte
na qualidade de juiz ad hoc.

3. Se, dentre os juízes chamados a conhecer do caso, nenhum for da nacionalidade dos
Estados Partes, cada um destes poderá designar um juiz ad hoc.

4. O juiz ad hoc deve reunir os requisitos indicados no artigo 52.

12
5. Se vários Estados Partes na Convenção tiverem o mesmo interesse no caso, serão
considerados como uma só Parte, para os fins das disposições anteriores. Em caso de dúvida, a Corte
decidirá.

Artigo 56

O quórum para as deliberações da Corte é constituído por cinco juízes.

Artigo 57

A Comissão comparecerá em todos os casos perante a Corte.

Artigo 58

1. A Corte terá sua sede no lugar que for determinado, na Assembleia Geral da Organização,
pelos Estados Partes na Convenção, mas poderá realizar reuniões no território de qualquer Estado
membro da Organização dos Estados Americanos em que o considerar conveniente pela maioria dos seus
membros e mediante prévia aquiescência do Estado respectivo. Os Estados Partes na Convenção podem,
na Assembleia Geral, por dois terços dos seus votos, mudar a sede da Corte.

2. A Corte designará seu Secretário.

3. O Secretário residirá na sede da Corte e deverá assistir às reuniões que ela realizar fora da
mesma.

Artigo 59

A Secretaria da Corte será por esta estabelecida e funcionará sob a direção do Secretário da Corte,
de acordo com as normas administrativas da Secretaria-Geral da Organização em tudo o que não for
incompatível com a independência da Corte. Seus funcionários serão nomeados pelo Secretário-Geral da
Organização, em consulta com o Secretário da Corte.

Artigo 60

A Corte elaborará seu estatuto e submetê-lo-á à aprovação da Assembleia Geral e expedirá seu
regimento.

Seção 2 — Competência e funções

Artigo 61

1. Somente os Estados Partes e a Comissão têm direito de submeter caso à decisão da Corte.

2. Para que a Corte possa conhecer de qualquer caso, é necessário que sejam esgotados os
processos previstos nos artigos 48 a 50.

Artigo 62

1. Todo Estado Parte pode, no momento do depósito do seu instrumento de ratificação desta
Convenção ou de adesão a ela, ou em qualquer momento posterior, declarar que reconhece como
obrigatória, de pleno direito e sem convenção especial, a competência da Corte em todos os casos
relativos à interpretação ou aplicação desta Convenção.

13
2. A declaração pode ser feita incondicionalmente, ou sob condição de reciprocidade, por
prazo determinado ou para casos específicos. Deverá ser apresentada ao Secretário-Geral da
Organização, que encaminhará cópias da mesma aos outros Estados membros da Organização e ao
Secretário da Corte.

3. A Corte tem competência para conhecer de qualquer caso relativo à interpretação e


aplicação das disposições desta Convenção que lhe seja submetido, desde que os Estados Partes no caso
tenham reconhecido ou reconheçam a referida competência, seja por declaração especial, como preveem
os incisos anteriores, seja por convenção especial.

Artigo 63

1. Quando decidir que houve violação de um direito ou liberdade protegidos nesta Convenção,
a Corte determinará que se assegure ao prejudicado o gozo do seu direito ou liberdade
violados. Determinará também, se isso for procedente, que sejam reparadas as consequências da medida
ou situação que haja configurado a violação desses direitos, bem como o pagamento de indenização justa
à parte lesada.

2. Em casos de extrema gravidade e urgência, e quando se fizer necessário evitar danos


irreparáveis às pessoas, a Corte, nos assuntos de que estiver conhec endo, poderá tomar as medidas
provisórias que considerar pertinentes. Se se tratar de assuntos que ainda não estiverem submetidos ao
seu conhecimento, poderá atuar a pedido da Comissão.

Artigo 64

1. Os Estados membros da Organização poderão consultar a Corte sobre a interpretação


desta Convenção ou de outros tratados concernentes à proteção dos direitos humanos nos Estados
americanos. Também poderão consultá-la, no que lhes compete, os órgãos enumerados no capítulo X da
Carta da Organização dos Estados Americanos, reformada pelo Protocolo de Buenos Aires.
2. A Corte, a pedido de um Estado membro da Organização, poderá emitir pareceres sobre a
compatibilidade entre qualquer de suas leis internas e os mencionados instrumentos internacionais.

Artigo 65

A Corte submeterá à consideração da Assembleia Geral da Organização, em cada período


ordinário de sessões, um relatório sobre suas atividades no ano anterior. De maneira especial, e com as
recomendações pertinentes, indicará os casos em que um Estado não tenha dado cumprimento a suas
sentenças.

Seção 3 — Procedimento

Artigo 66

1. A sentença da Corte deve ser fundamentada.

2. Se a sentença não expressar no todo ou em parte a opinião unânime dos juízes, qualquer
deles terá direito a que se agregue à sentença o seu voto dissidente ou individual.

Artigo 67

A sentença da Corte será definitiva e inapelável. Em caso de divergência sobre o sentido ou


alcance da sentença, a Corte interpretá-la-á, a pedido de qualquer das partes, desde que o pedido seja
apresentado dentro de noventa dias a partir da data da notificação da sentença.

14
Artigo 68

1. Os Estados Partes na Convenção comprometem-se a cumprir a decisão da Corte em todo


caso em que forem partes.

2. A parte da sentença que determinar indenização compensatória poderá ser executada no


país respectivo pelo processo interno vigente para a execução de sentenças contra o Estado.

Artigo 69

A sentença da Corte deve ser notificada às partes no caso e transmitida aos Estados Partes na
Convenção.

LEGITIMADOS
PARA INGRESSAR
NA CORTE

Comissão
Estados-parte Interamericana de
Direitos Humanos

Uma pessoa poderá peticionar


diretamente à Corte nos casos
graves e urgentes para danos
irreparáveis para que sejam
Excepcionalmente: tomadas medidas
acautelatórias, nos
procedimentos já em
andamento na Corte.

15
EXERCICIOS DE FIXAÇÃO

QUESTÃO 01: Segundo a Convenção Americana sobre Direitos Humanos, qualquer pessoa ou
grupo de pessoas, ou entidade não governamental legalmente reconhecida em um ou mais
Estados membros da Organização, pode apresentar à Comissão petições que contenham
denúncias ou queixas de violação desta Convenção por um Estado Parte. Tais petições,
segundo o mesmo tratado, devem obedecer a certas regras gerais de admissibilidade, dentre as
quais NÃO se inclui:

a) A interposição e esgotamento dos recursos da jurisdição interna, de acordo com os princípios de


direito internacional geralmente reconhecidos.
b) A apresentação dentro do prazo de seis meses, a partir da data em que o presumido prejudicado
em seus direitos tenha sido notificado da decisão definitiva.
c) A manifestação expressa de concordância da vítima ou vítimas da alegada violação aos direitos
humanos.
d) Que a petição contenha o nome, a nacionalidade, a profissão, o domicílio e a assinatura da
pessoa ou pessoas ou do representante legal da entidade que submeter a petição.
e) Que a matéria da petição ou comunicação que não esteja pendente de outro processo de
solução internacional.
QUESTÃO 02: Sobre a Corte Interamericana de Direitos Humanos, é CORRETO afirmar:

a) A Comissão Interamericana e os Estados Partes podem submeter um caso à Corte


Interamericana, admitida a legitimação do indivíduo, nos termos da Convenção Americana.
b) A Corte Interamericana não apresenta competência consultiva.
c) É órgão jurisdicional do sistema regional, composto por 15 juízes nacionais de Estados Membros
da OEA, eleitos a título pessoal pelos Estados Partes da Convenção.
d) O Estado brasileiro reconheceu a competência jurisdicional da Corte Interamericana em
dezembro de 1998.
QUESTÃO 03: Um dos órgãos do Sistema Americano de Proteção dos Direitos Humanos é a
Corte Interamericana de Direitos Humanos,

a) composta por um representante de cada país signatário da Convenção Americana de Direitos


Humanos, os quais se agrupam, para fins de análise e decisões dos casos, em salas, turmas e
plenário.
b) que recebe, tria, processa e julga as denúncias de violação de direitos humanos encaminhadas
por estados, autoridades, pessoas físicas e organizações não governamentais.
c) sediada em Washington, EUA, em divisão anexa ao prédio da Organização dos Estados
Americanos (OEA).
d) cujos membros têm mandato de cinco anos, admitidas até duas reconduções.
e) que tem a atribuição, entre outras, de emitir opiniões consultivas sobre a interpretação da
Convenção Americana de Direitos Humanos.

16
Aprofundando No Que CAI

QUESTÃO 01: A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) fez uma visitain loco ao
Brasil, entre 5 e 12 de novembro de 2018, em função de convite formulado pelo Estado brasileiro
realizado em 29 de novembro de 2017. O objetivo foi o de observar a situação dos direitos
humanos no país. Entre os itens constantes de seu relatório, a CIDH apontou para ―o grave
contexto de violações aos direitos humanos das mulheres negras e da juventude pobre da
periferia. São os pobres e os afrodescendentes aqueles que seguem sendo
desproporcionalmente as principais vítimas de violações aos direitos humanos no Brasil. Estes
são mortos às dezenas e milhares, sem investigação, julgamento, punição ou reparação
adequados‖. Os termos exarados encontram-se de acordo com as atribuições da CIDH, que

a) expede “Pareceres”, em caráter consultivo, à Corte Interamericana, sobre aspectos de


interpretação da Convenção Americana, podendo inclusive sugerir providências para solução
dos problemas observados.
b) pode solicitar que a Corte Interamericana requeira “medidas provisionais” dos Governos em
casos urgentes de grave perigo às pessoas, ainda que o caso não tenha sido submetido à Corte.
c) faz recomendações aos Estados-membros da OEA acerca da adoção de medidas para corrigir
as práticas de violações e adotar medidas de promoção e garantia dos direitos humanos.
d) zela pelo cumprimento geral dos direitos humanos nos Estados-membros, publica as
informações especiais sobre a situação em um estado específico e as envia à Assembleia Geral
da OEA para as sanções cabíveis,
e) realiza visitas in loco aos países, ao receber petições individuais que alegam violações dos
direitos humanos, segundo o disposto nos artigos 44 a 51 da Convenção Americana sobre
Direitos Humanos, com o intuito de aprofundar a observação geral da situação, e/ou para
investigar uma situação particular.

QUESTÃO 02: A respeito da Comissão Interamericana dos Direitos Humanos, é correto afirmar
que

a) após a primeira eleição da Comissão, a duração do mandato dos seus membros será de 4 anos
e poderão ser reeleitos por uma só vez.
b) a Comissão é órgão auxiliar da ONU e tem como função primordial a supervisão das obrigações
dos Estados em virtude da Convenção Americana sobre Direitos Humanos.
c) a competência para apresentar à Comissão petições que contenham denúncias ou queixas de
violação desta Convenção por um Estado-Parte será do Ministério Público Federal.
d) a Comissão é composta por 7 membros eleitos, que atuam como representantes dos seus
respectivos governos.
e) a Comissão é um órgão de caráter jurisdicional que foi criado pela Convenção com tripla função,
a consultiva, a contenciosa e a executiva.
QUESTÃO 03: Assinale a opção correta de acordo com a Convenção Americana sobre Direitos
Humanos (Pacto de São José da Costa Rica).

a) A pena de morte não deve ser aplicada em nenhuma hipótese, mesmo nos países que ainda
não a tenham abolido.
b) Mesmo que manifeste a intenção de defender-se a si próprio, todo acusado da prática de um
delito terá direito irrenunciável de ser assistido por um defensor proporcionado pelo Estado,
remunerado ou não.

17
c) Toda pessoa acusada de um delito tem direito à comunicação prévia e pormenorizada da
acusação formulada, salvo nos casos de crime de terrorismo, quando a comunicação colocar em
risco as investigações dos fatos, os interesses da justiça ou a segurança nacional.
d) O processo penal, em qualquer hipótese, deve ser público.
e) O direito à vida deve ser protegido por lei e, em geral, a partir do momento da concepção.
QUESTÃO 04: Quanto à posição hierárquica do Pacto de São José da Costa Rica, no
ordenamento jurídico brasileiro, segundo a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal — STF
—, é correto afirmar que

a) tem hierarquia equivalente às Emendas Constitucionais.


b) tem caráter infralegal.
c) tem caráter supralegal.
d) tem hierarquia equivalente às Leis Ordinárias.
QUESTÃO 05: Considerando a Convenção Americana sobre Direitos Humanos, é correto afirmar
que:

a) não trata de delitos ou de direitos políticos.


b) permite a escravidão
c) estabelece que o direito à reunião não se submete à qualquer restrição.
d) a pena de morte não pode ser restabelecida nos Estados em que tenha sido abolida.
e) o Brasil não é signatário desta Convenção.
QUESTÃO 06: Acerca do pacto de São José da Costa Rica, assinale a alternativa correta.

a) Os menores de 18 anos não podem ser processados.


b) São vedados os trabalhos ou serviços normalmente exigidos de pessoa reclusa em cumprimento
de sentença ou resolução formal expedida pela autoridade judiciária competente.
c) As penas privativas de liberdade devem ter por finalidade essencial a reforma e a readaptação
social dos condenados.
d) Considera-se como trabalho forçado o serviço exigido em casos de perigo ou de calamidade que
ameacem a existência ou o bem-estar da comunidade.
e) São proibidas as penas privativas de liberdade acompanhadas de trabalhos forçados, ainda que
esses não afetem a dignidade nem a capacidade física e intelectual do recluso.
QUESTÃO 7: A Convenção Americana de Direitos Humanos, também conhecida por ―Pacto de
San José da Costa Rica‖, foi ratificada pelo Brasil em 25 de setembro de 1992. De acordo com o
mencionado tratado internacional, é correto afirmar que:

a) toda pessoa tem direito a um prenome e aos nomes de seus pais ou ao de um destes. A lei deve
regular a forma de assegurar a todos esse direito, sendo vedada a criação de nomes fictícios.
b) ninguém deve ser detido por dívidas, mesmo tratando-se de prisão do devedor de alimentos.
c) as penas privativas de liberdade devem ter por finalidade essencial a reforma e a readaptação
social dos condenados.
d) é possível o restabelecimento da pena de morte nos Estados que a tenham abolido.
e) toda pessoa terá o direito de sair livremente de qualquer país, exceto de seu próprio país, o que
dependerá de prévia autorização da autoridade competente.
QUESTÃO 8: A Convenção Americana de Direitos Humanos, também conhecida como Pacto de
São José da Costa Rica, aprovada e assinada em 22.11.1969, é um marco fundamental no
sistema interamericano de proteção dos direitos humanos e entrou em vigor em 18.07.1978. Sua
aplicação no Brasil acabou por gerar súmula vinculante do Supremo Tribunal Federal (Súmula
Vinculante n.º 25, DOU de 23.12.2009), que, em relação aos direitos humanos, decidiu que

18
a) ninguém poderá ser condenado ou sentenciado, sem o devido processo legal.
b) só é lícito o uso de algemas em casos de resistência e de fundado receio de fuga ou de perigo à
integridade física própria ou alheia, por parte do preso ou de terceiros.
c) não haverá penas cruéis e não será tolerada a tortura no Brasil.
d) é proibida a pena de morte no Brasil, exceto em tempo de guerra.
e) é ilícita a prisão civil de depositário infiel, qualquer que seja a modalidade do depósito.
QUESTÃO 9: Na Organização dos Estados Americanos, qual dos tratados internacionais sobre
Direitos Humanos prevê a proteção, a preservação e o melhoramento do meio ambiente?

a) Rio+20
b) Declaração de San José da Costa Rica
c) Protocolo Adicional à Convenção Americana sobre Direitos Humanos
d) Protocolo de Cruz Alta sobre Direitos Humanos
e) Protocolo de Assunção sobre Direitos Humanos
QUESTÃO 10: A convenção Americana de Direitos Humanos disciplina:

a) Toda pessoa detida pode ser informada das razões da detenção.


b) Toda pessoa retida pode ser conduzida à presença de um juiz.
c) Toda pessoa tem direito à liberdade e à segurança pessoais.
d) Toda pessoa pode ser submetida a encarceramento arbitrário.
e) Ninguém deve ser detido por dívidas.

19
GABARITO
Exercícios de Fixação
1. C
2. D
3. E

Aprofundando no Que CAI

1. B
COMENTÁRIO: 1. Em situações de gravidade e urgência a Comissão poderá, por
iniciativa própria ou a pedido da parte, solicitar que um Estado adote medidas cautelares
para prevenir danos irreparáveis às pessoas ou ao objeto do processo relativo a uma
petição ou caso pendente. 2. Em situações de gravidade e urgência a Comissão
poderá, por iniciativa própria ou a pedido da parte, solicitar que um Estado adote
medidas cautelares para prevenir danos irreparáveis a pessoas que se encontrem sob
sua jurisdição, independentemente de qualquer petição ou caso pendente.

2. A
COMENTÁRIO: Corte Interamericana de Direitos Humanos - Composição: 7 juízes (4
anos, permitida uma reeleição), nacionais dos estados membros, juristas de autoridade
moral e reconhecida competência; Quórum de deliberação: 5 juízes (4 anos, permitida
uma reeleição); Funções: jurisdicional e consultiva; Quem pode peticionar? Estados e
Comissão de Direitos Humanos.

3. E
COMENTÁRIO: Resposta item "E": O Pacto de São José da Costa Rica, em seu
parágrafo 4º expõe: “Toda pessoa tem o direito de que se respeite sua vida. Esse direito
deve ser protegido pela lei, em geral, desde o momento da concepção.

4. C
COMENTÁRIO: (...)Tendo em vista o caráter supralegal desses diplomas normativos
internacionais, a legislação infraconstitucional posterior que com eles seja conflitante
também tem sua eficácia paralisada. (...) Enfim, desde a adesão do Brasil, no ano de
1992, ao Pacto Internacional dos Direitos Civis e Políticos (art. 11) e à Convenção
Americana sobre Direitos Humanos 'Pacto de San José da Costa Rica (art. 7º, 7), não há
base legal par aplicação da parte final do art.5º, inciso LXVII, da Constituição, ou seja,
para a prisão civil do depositário infiel." (RE 466343, Voto do Ministro Gilmar Mendes,
Tribunal Pleno, julgamento em 3.12.2008, DJe de 5.6.2009) 1) Tratados internacionais
que não tratem sobre direitos humanos: Status de lei ordinária; 2) Tratados internacionais
que versem sobre direitos humanos, mas que não tenham sido aprovados na forma do
art. 5º, § 3º, da CF/88: Status supralegal: 3) Tratados internacionais sobre Direito
Tributário (art. 98 do CTN): Status supralegal; 4) Tratados internacionais sobre matéria
processual civil (art. 13 do CPC/2015): Status supralegal; 5) Tratados internacionais que
versem sobre direitos humanos e que tenham sido aprovados na forma do art. 5º, § 3º,
da CF/88: Emenda constitucional

20
5. D
COMENTÁRIO: Em nenhum caso pode a pena de morte ser aplicada a delitos políticos,
nem a delitos comuns conexos com delitos políticos.

6. C
COMENTÁRIO: A – Errada. Artigo 4º - Direito à vida, 5. Não se deve impor a pena de morte
a pessoa que, no momento da perpetração do delito, for menor de dezoito anos, ou maior de
setenta, nem aplicá-la a mulher em estado de gravidez. B – Errada. Artigo 6º - Proibição da
escravidão e da servidão, 3. Não constituem trabalhos forçados ou obrigatórios para os
efeitos deste artigo: a) os trabalhos ou serviços normalmente exigidos de pessoa reclusa em
cumprimento de sentença ou resolução formal expedida pela autoridade judiciária
competente. Tais trabalhos ou serviços devem ser executados sob a vigilância e controle das
autoridades públicas, e os indivíduos que os executarem não devem ser postos à disposição
de particulares, companhias ou pessoas jurídicas de caráter privado. C – Certa. Artigo 5º -
Direito à integridade pessoal, 6. As penas privativas de liberdade devem ter por finalidade
essencial a reforma e a readaptação social dos condenados. D – Errada. Artigo 6º -
Proibição da escravidão e da servidão, 3. Não constituem trabalhos forçados ou obrigatórios
para os efeitos deste artigo: c) o serviço exigido em casos de perigo ou de calamidade que
ameacem a existência ou o bem-estar da comunidade. E – Errada. Artigo 6º - Proibição da
escravidão e da servidão, 2. Ninguém deve ser constrangido a executar trabalho forçado ou
obrigatório. Nos países em que se prescreve, para certos delitos, pena privativa de liberdade
acompanhada de trabalhos forçados, esta disposição não pode ser interpretada no sentido
de proibir o cumprimento da dita pena, imposta por um juiz ou tribunal competente. O
trabalho forçado não deve afetar a dignidade, nem a capacidade física e intelectual do
recluso.

7. C
COMENTÁRIO: A) ERRADA – Art 18. Toda pessoa tem direito a um prenome e aos nomes
de seus pais ou ao de um destes. A lei deve regular a forma de assegurar a todos esse
direito, MEDIANTE NOMES FICTÍCIOS, SE FOR NECESSÁRIO. B) ERRADA – Súmula
Vinculante 25. é ilícita a prisão civil de depositário infiel, qualquer que seja a modalidade do
depósito. C) CORRETA – Art. 5, 6. As penas privativas de liberdade devem ter por finalidade
essencial a reforma e a readaptação social dos condenados. D) ERRADA – Art. 4, 2. Nos
países que NÃO HOUVEREM ABOLIDO a pena de morte, esta só poderá ser imposta pelos
delitos mais graves, em cumprimento de sentença final de tribunal competente e em
conformidade com a lei que estabeleça tal pena, promulgada antes de haver o delito sido
cometido. Tampouco se estenderá sua aplicação a delitos aos quais não se aplique
atualmente. E) ERRADA – Art. 22, 2. Toda pessoa terá o direito de sair livremente de
qualquer país, INCLUSIVE DE SEU PRÓPRIO PAÍS.

8. E
COMENTÁRIO: 7. Ninguém deve ser detido por dívidas. Este princípio não limita os
mandados de autoridade judiciária competente expedidos em virtude de inadimplem ento de
obrigação alimentar.

21
9. C
COMENTÁRIO: Protocolo Adicional à Convenção Americana sobre Direitos Humanos em
matéria de Direitos Econômicos, Sociais e Culturais, de 1988 (também conhecido como
Protocolo de São Salvador – no Brasil, Decreto n. 3.321, de 30-12-1999): Artigo 11. Direito a
um meio ambiente sadio 1.Toda pessoa tem direito a viver em meio ambiente sadio e a
contar com os serviços públicos básicos. 2. Os Estados Partes promoverão a proteção
preservação e melhoramento do meio ambiente.

10. C
COMENTÁRIO: 7- Ninguém deve ser detido por dívidas. Este princípio não limita os
mandados de autoridade judiciária competente expedidos em virtude de inadimplemento de
obrigação alimentar.

22
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?
A Convenção Americana de Direitos Humanos, popularmente conhecida como Pacto de São
José da Costa Rica, é um tratado celebrado pelos integrantes da Organização de Estados
Americanos (OEA), adotada e aberta à assinatura durante a Conferência Especializada
Interamericana sobre Direitos Humanos, em San José da Costa Rica, em 22 de novembro de
1969 e tendo entrado em vigor a 18 de julho de 1978.

O objetivo da constituição deste tratado internacional é a busca da consolidação entre os


países americanos de um regime de liberdade pessoal e de justiça social, fundado no respeito
aos direitos humanos essenciais, independentemente do país onde a pessoa viva ou tenha
nascido. O pacto tem influência marcante da Declaração Universal dos Direitos Humanos, que
compreende o ideal do ser humano livre, isento do temor e da miséria e sob condições que lhe
permitam gozar dos seus direitos econômicos, sociais e culturais, bem como dos seus direitos
civis e políticos.

LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?


IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

23
SUMÁRIO

SUMÁRIO ......................................................................................................................................... 1
DIREITOS INDIVIDUAIS (Art. 6º ao 7º, inciso IX) ............................................................................. 2
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ............................................................................................................. 4
APROFUNDANDO NO QUE CAI ..................................................................................................... 5
QUESTÃO EXTRA ........................................................................................................................... 7
GABARITO ....................................................................................................................................... 8
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?.................................................... 9

ENTÃO VAMOS LÁ LJORTANOS

1
DIREITOS INDIVIDUAIS (Art. 6º ao 7º, inciso IX)

CAPÍTULO II - DOS DIREITOS SOCIAIS

Art. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o


transporte, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância,
a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição.

Comentário: você tem que memorizar o Art. 6º. Não pode ir pra prova sem saber.

Art. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria
de sua condição social:
Comentário: observe que os mesmos direitos ao trabalhador urbano é garantido ao rural.

I - relação de emprego protegida contra despedida arbitrária ou sem justa causa, nos termos
de lei complementar, que preverá indenização compensatória, dentre outros direitos;

II - seguro-desemprego, em caso de desemprego involuntário;


Comentário: nas provas colocam voluntário.
III - fundo de garantia do tempo de serviço;
2
IV - salário mínimo , fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender a suas
necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação,
saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos
que lhe preservem o poder aquisitivo, sendo vedada sua vinculação para qualquer fim;

Comentário: esse é o macete para guardar os direitos que o salário mínimo tem que efetivar.
Lembre-se que o valor dele é o mesmo no país todo, portanto, nacionalmente unificado.

V - piso salarial proporcional à extensão e à complexidade do trabalho;

VI - irredutibilidade do salário, salvo o disposto em convenção ou acordo coletivo;

VII - garantia de salário, nunca inferior ao mínimo, para os que percebem remuneração
variável;
Comentário: quem é vendedor, por exemplo, tem remuneração variável dada a comissão
recebida, assim, no mês em que ele vender pouco ou não vender, receberá pelo menos o
salário mínimo.

3
VIII - décimo terceiro salário com base na remuneração integral ou no valor da
aposentadoria;

IX – remuneração do trabalho noturno superior à do diurno;

X - proteção do salário na forma da lei, constituindo crime sua retenção dolosa;

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

1. A Constituição Federal, ao disciplinar direitos e garantias fundamentais, assegura


gratuidade às ações de

A) habeas data e mandado de injunção.


B) habeas corpus, habeas data, mandado de injunção, mandado de segurança, e, na forma da lei,
aos atos necessários ao exercício da cidadania.
C) mandado de injunção e mandado de segurança.
D) habeas data, mandado de segurança, e, na forma da lei, aos atos necessários ao exercício da
cidadania.
E) habeas corpus, habeas data e, na forma da lei, aos atos necessários ao exercício da cidadania.

2. De acordo com CF/88, são gratuitos para os reconhecidamente pobres, na forma da lei:

A) o registro civil de nascimento e a certidão de óbito.


B) Carteira de trabalho e transporte.
C) Vacinação e moradia.
D) Certidão Negativa de débitos e consulta ao SPC.

3. Sobre os Direitos e Deveres Individuais e Coletivos previstos na CF/88, podemos afirmar:

A) a todos, no âmbito judicial ou administrativo, são assegurados a razoável duração do processo e


os meios que garantam a celeridade de sua tramitação.
B) As normas definidoras dos direitos e garantias fundamentais têm aplicação mediata.
C) Os direitos e garantias expressos nesta Constituição excluem outros decorrentes do regime e dos
princípios por ela adotados, ou dos tratados internacionais em que a República Federativa do Brasil
seja parte.
D) Os tratados e convenções internacionais que forem aprovados, em cada Casa do Congresso
Nacional, em dois turnos, por dois terços dos votos dos respectivos membros, serão equivalentes às
emendas constitucionais.
E) O Brasil se submete à jurisdição de Tribunal Penal Internacional a cuja criação tenha manifestado
adesão.

4
APROFUNDANDO NO QUE CAI

1)Em face dos direitos sociais previstos na Constituição, João, que é servidor em uma
entidade pública, tem direito:

A. À remuneração do serviço extraordinário superior, no mínimo, em trinta por cento à do


normal.
B. À redução dos riscos inerentes ao trabalho, por meio de normas de saúde, higiene e
segurança.
C. Ao seguro-desemprego, em caso de desemprego involuntário.
D. À duração do trabalho normal não superior a seis horas diárias.
E. À remuneração do trabalho diurno superior à do noturno.

2)A Constituição Federal, no que diz respeito aos direitos sociais, determina que, aos
trabalhadores urbanos e aos rurais, assegura-se

A. a proibição de distinção entre trabalho manual, técnico e intelectual ou entre os profissionais


respectivos.
B. a licença à gestante, sem prejuízo do emprego e do salário, com a duração de 160 (cento e
sessenta) dias.
C. o repouso semanal remunerado, obrigatoriamente aos domingos.
D. a jornada de 08 (oito) horas, como regra geral, para o trabalho realizado em turnos
ininterruptos de revezamento.
E. a proibição do trabalho noturno, perigoso ou insalubre, aos trabalhadores de até 21 (vinte e
um) anos de idade.

3)Nos termos da Constituição Federal, é correto afirmar que são, entre outros, direitos sociais:

A. transporte, lazer e nacionalidade.


B. alimentação, trabalho e alistamento eleitoral.
C. previdência social, saúde e liberdade.
D. educação, saúde e inviolabilidade do domicílio.
E. segurança, proteção à maternidade e moradia.

4)A respeito de direitos e garantias fundamentais, julgue o item.

Os trabalhadores, urbanos e rurais, têm o direito ao aviso prévio proporcional ao tempo de


serviço, sendo que esse período, antecedente à rescisão do contrato de trabalho, será de, no
mínimo, trinta dias.

A. CERTO
B. ERRADO

5
5)Segundo a CF, é direito dos trabalhadores rurais e urbanos o(a)

A. remuneração do trabalho noturno majorada em dobro em relação à do diurno.


B. remuneração do serviço extraordinário superior, no máximo, em 50% à do normal.
C. assistência gratuita aos filhos e dependentes desde o nascimento até cinco anos de idade
em creches e pré‐escolas.
D. gozo de férias anuais remuneradas com, pelo menos, um quarto a mais que o salário
normal do período.
E. adicional de um terço na remuneração para as atividades penosas, insalubres ou perigosas.

6)Com relação à liberdade de associação profissional ou sindical, assinale a alternativa


correta.

A. É permitido ao Poder Público intervir na organização sindical.


B. É permitida a criação de mais de uma organização sindical na mesma base territorial.
C. É facultativa a participação dos sindicatos nas negociações coletivas de trabalho.
D. O aposentado filiado tem o direito de votar e ser votado nas organizações sindicais.
E. É obrigatória a filiação a sindicato e o pagamento da contribuição.

7)De acordo com a Constituição Federal de 1988 (CF), são direitos sociais o(a)

A. educação, a saúde e a propriedade privada.


B. alimentação, o trabalho e o direito de herança.
C. moradia, o transporte e a liberdade de expressão.
D. lazer, a segurança e a dignidade da pessoa humana.
E. proteção à maternidade e o auxílio aos desamparados.

8)A Constituição Federal, em seu artigo 7° , inciso XXXIII, permite o trabalho a menores de
dezoito anos, desde que

A. se no período noturno, não seja perigoso e insalubre.


B. se perigoso e insalubre, não seja no período noturno.
C. não seja realizado por menores de catorze anos, a menos que na condição de aprendiz.
D. se realizado por menores de dezesseis anos, seja na condição de aprendiz e a partir de 14
anos.
E. autorizado pelo representante, não seja trabalho penoso e desenvolvido em locais
prejudiciais à sua formação e ao seu desenvolvimento físico, psíquico, moral e social.

6
9)É texto de Súmula Vinculante:
A. É constitucional a lei ou ato normativo estadual ou distrital que disponha sobre sistemas de
consórcios e sorteios, inclusive bingos e loterias.
B. O cálculo de gratificações e outras vantagens do servidor público incide sobre o abono
utilizado para se atingir o salário-mínimo.
C. A falta de defesa técnica por advogado no processo administrativo disciplinar ofende a
Constituição.
D. Salvo nos casos previstos na Constituição, o salário-mínimo pode ser usado como
indexador de base de cálculo de vantagem de servidor público ou de empregado, e ser
substituído por decisão judicial.
E. Norma legal que altera o prazo de recolhimento de obrigação tributária não se sujeita ao
princípio da anterioridade.

10)Segundo previsto na Constituição Federal de 1988, são considerados direitos sociais

A. a educação, a moradia e a segurança.


B. a manifestação do pensamento, a propriedade e a herança.
C. o voto, o registro civil e o lazer.
D. a previdência social, o sigilo de correspondência e a inviolabilidade do domicílio.
E. a locomoção dentro do território, a moradia e a presunção de inocência.

QUESTÃO EXTRA

1)O elemento externo capaz de limitar ou até de restringir o acesso dos titulares de um direito
fundamental social específico, face à limitação orçamentária do Estado, denomina-se

A. intervenção orçamentária.
B. intervenção seletiva.
C. reserva do possível.
D. interferência financeira.
E. fundo residual.

7
GABARITO

Exercícios de Fixação
1. D
2. A
3. E

Aprofundando no Que CAI


01-Resposta B
02-Resposta A
03-Resposta: E
04-Resposta Certo
05-Resposta: C
06- Resposta: D
07-Resposta: E
08- Resposta: D
09- Resposta: E
10-Resposta: A

QUESTÃO EXTRA

01-Resposta C

8
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

Atenção aos §1º ao 3º do inciso LXXVIII.

9
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

10
SUMÁRIO

SUMÁRIO ......................................................................................................................................... 1
DIREITOS INDIVIDUAIS (Art. 7º, X ao XX) ...................................................................................... 2
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ............................................................................................................. 3
APROFUNDANDO NO QUE CAI ..................................................................................................... 4
QUESTÃO EXTRA ........................................................................................................................... 8
GABARITO ....................................................................................................................................... 9
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?.................................................. 10

ENTÃO VAMOS LÁ LJORTANOS

1
DIREITOS INDIVIDUAIS (Art. 7º, X ao XX)

CAPÍTULO II - DOS DIREITOS SOCIAIS

X - proteção do salário na forma da lei, constituindo crime sua retenção dolosa;

XI – participação nos lucros, ou resultados, desvinculada da remuneração, e,


excepcionalmente, participação na gestão da empresa, conforme definido em lei;
Comentário: quando a pessoa for receber participação nos lucros, ela também recebe o
salário, portanto, no mesmo mês receberá duas remunerações.

XII - salário-família pago em razão do dependente do trabalhador de baixa renda nos termos
da lei;
Comentário:

XIII - duração do trabalho normal não superior a oito horas diárias e quarenta e quatro
semanais, facultada a compensação de horários e a redução da jornada, mediante acordo
ou convenção coletiva de trabalho;

XIV - jornada de seis horas para o trabalho realizado em turnos ininterruptos de


revezamento, salvo negociação coletiva;

XV - repouso semanal remunerado, preferencialmente aos domingos;

XVI - remuneração do serviço extraordinário superior, no mínimo, em cinquenta por cento à


do normal;

XVII - gozo de férias anuais remuneradas com, pelo menos, um terço a mais do que o salário
normal;

XVIII - licença à gestante, sem prejuízo do emprego e do salário, com a duração de cento e
vinte dias;

2
XIX - licença-paternidade, nos termos fixados em lei;

XX - proteção do mercado de trabalho da mulher, mediante incentivos específicos, nos


termos da lei;

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

1. A respeito dos direitos sociais:

A) O direito à moradia encontra-se consagrado no caput do artigo 6º da Constituição Federal de 1988


desde o seu texto original.
B) A localização “topográfica” dos direitos sociais no texto da Constituição Federal reforça a tese de
que os mesmos não se tratam de direitos fundamentais.
C) Muito embora a doutrina sustente a tese do “direito ao mínimo existencial”, a jurisprudência do
Supremo Tribunal Federal rejeita o seu acolhimento, amparada, sobretudo, no princípio da
separação dos poderes.
D) O caput do art. 6º da Constituição Federal elenca rol taxativo dos direitos sociais consagrados
pelo texto constitucional.
E) A Constituição Federal consagra expressamente o direito à educação como direito público
subjetivo.

2. Marque a alternativa que contempla expressamente um direito social previsto na CF/88.

A) seguro-desemprego, em caso de desemprego voluntário.


B) irredutibilidade do salário, salvo o disposto em convenção ou acordo coletivo.
C) piso salarial proporcional à extensão do trabalho.
D) décimo terceiro salário com base no valor da aposentadoria.

3. São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem a melhoria de
sua condição social, exceto:

A) piso salarial proporcional a extensão e a complexidade do trabalho.


B) garantia de salário nunca inferior ao mínimo, para os que percebem remuneração variável.
C) lazer, segurança e a previdência social.
D) Salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado.

3
APROFUNDANDO NO QUE CAI

1)Maria Rita foi contratada por uma indústria de panificação em 1º de julho de 2017.
Aproximando-se do fim do ano de 2017, a empresa começou a realizar o pagamento do 13º
salário. Em relação a esse direito e diante do caso apresentado, é correto afirmar que:

A. Maria Rita receberá 6/12 avos do 13º salário referente ao ano de 2017, sendo metade do
valor até o dia 30 de novembro e o restante até 20 de dezembro;
B. Considerando que a empregada em questão ingressou nos quadros da empresa no 2º
semestre do ano, não terá direito ao 13º salário porque não teve 1 ano de trabalho em
2017;
C. não pode haver discriminação entre empregados, que devem ter tratamento isonômico,
motivo pelo qual Maria Rita receberá o 13º salário de forma integral no ano de 2017;
D. o pagamento da gratificação natalina devida no ano de 2017 deverá ser feita até o dia 25 de
dezembro do ano em questão;
E. desde que haja concordância da empregada, o 13º salário poderá ser fracionado em 3
parcelas, sendo nenhuma delas inferior a 10 dias de salário.

2)“É o valor recebido pelo empregado, geralmente vendedor, mas pago diretamente pelas
empresas fabricantes ou distribuidoras de certos produtos, de determinadas marcas. ”

(CORREIA, Henrique. Direito do Trabalho – Para os concursos de Analista do TRT e MPU.


Editora JusPODIVM. 8ª edição. 2016. pág. 567.)

Trata-se do instituto:

A. Guelta.
B. Aviso prévio.
C. Horas extras.
D. Adicional noturno.

3)De acordo com a CLT, em caso de adoção, a empregada tem direito à licença maternidade
de

A. noventa dias.
B. cento e vinte dias.
C. um dia.
D. trinta dias.

4
4)Tratando da remuneração e do abono de férias previstos nas Leis Trabalhistas, analise as
afirmativas abaixo e, em seguida, assinale a alternativa correta.

I. O empregado perceberá, durante as férias, a remuneração que lhe for devida na data da sua
concessão.
II. Quando o salário for pago por hora com jornadas variáveis, será apurada a média do período
aquisitivo, aplicando-se o valor do salário na data da concessão das férias.
III. Quando o salário for pago por tarefa será tomada por base a média da produção no período
aquisitivo do direito a férias, aplicando-se o valor da remuneração da tarefa na data da concessão
das férias.
IV. Quando o salário for pago por percentagem, comissão ou viagem, será apurada a média
percebida pelo empregado nos 12 meses que precederem à concessão das férias.
V. A parte do salário paga em utilidades será computada de acordo com a anotação na Carteira de
Trabalho e Previdência Social.
VI. Os adicionais por trabalho extraordinário, noturno, insalubre ou perigoso serão computados no
salário que servirá de base ao cálculo da remuneração das férias.
VII. Se, no momento das férias, o empregado não estiver percebendo o mesmo adicional do
período aquisitivo, ou quando o valor deste não tiver sido uniforme será computada a média
duodecimal recebida naquele período, após a atualização das importâncias pagas, mediante
incidência dos percentuais dos reajustamentos salariais supervenientes.
VIII.É facultado ao empregado converter 1/4 do período de férias a que tiver direito em abono
pecuniário, no valor da remuneração que lhe seria devida nos dias correspondentes.

Estão corretas as afirmativas:

A. I, II, IV, VII, apenas


B. I, II, III, IV, V, VI e VII, apenas
C. II, III, VI, VII e VIII, apenas
D. III, IV, V, VI, VII e VIII, apenas

5)Considere as proposições a seguir e assinale aquela que representa corretamente o


entendimento sumulado pelo TST – Tribunal Superior do Trabalho.

A. Assegura-se o direito à manutenção de plano de saúde ou de assistência médica oferecido


pela empresa ao empregado, não obstante suspenso o contrato de trabalho em virtude de
auxílio-doença acidentário ou de aposentadoria por invalidez.
B. A indenização por frutos percebidos pela posse de má-fé, prevista no art. 1.216 do Código
Civil, por tratar-se de regra afeta a direitos reais, mostra-se compatível com o Direito do
Trabalho, não sendo devida no caso de inadimplemento de verbas trabalhistas.

5
C. À sociedade de economia mista também se aplica a vedação à equiparação prevista no art.
37, XIII, da CF/1988, pois, mesmo admitindo empregados sob o regime da CLT, não se
equipara a empregador privado.
D. É do empregado o ônus de comprovar que o empregador não promoveu a concessão do
vale-transporte uma vez que faz a opção pelo uso do benefício.
E. É do empregado o ônus da prova em relação à regularidade dos depósitos do FGTS, pois a
ausência de pagamento é fato impeditivo do direito do autor (art. 373, I, do CPC de 2015).

6)Assinale a alternativa correta.

A. Os titulares da representação dos empregados nas Comissões Internas de Prevenção de


Acidentes, não poderão receber despedida arbitrária, que se estende do registro da
candidatura até um ano após o final de seu mandato.
B. A jornada de trabalho máxima não superior a oito horas diárias, com a possibilidade de
realizar duas horas extras por dia, é um direito inegociável.
C. Em qualquer trabalho contínuo, cuja duração exceda de seis horas, é obrigatória a
concessão de um intervalo para repouso ou alimentação, o qual será, no mínimo, de 45
minutos, podendo exceder de duas horas.
D. O salário mínimo é impenhorável em qualquer hipótese.
E. As férias poderão ser divididas em até 3 períodos, nunca inferior a 10 dias.

7)Assinale a alternativa correta.

A. O salário não pode ser reduzido, nem mesmo por acordo coletivo ou convenção coletiva.
B. É considerado empregado a pessoa física que presta serviço de natureza não eventual a
empregador, sob a dependência deste e mediante salário.
C. Somente a empresa, pessoa jurídica pode ser considera empregadora.
D. As condições do contrato de trabalho podem ser alteradas unilateralmente pelo
empregador, independentemente do consentimento do empregado.
E. A suspensão do contrato de trabalho, consiste no sobrestamento temporário das obrigações
do trabalhador e na continuidade das obrigações do empregador.

8)O Direito do Trabalho tem por objetivo regular as relações trabalhistas entre empregador e
empregado. Protege o empregado contra os abusos praticados pelo empregador, ao mesmo
tempo em que estabelece as obrigações do empregado. É representado por um conjunto de
princípios, regras e instituições relativas à relação de trabalho subordinado e situações
equivalentes, que visam assegurar as melhores condições de trabalho. O artigo 58 da
Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), por exemplo, estabelece que a jornada mínima de
trabalho seja de oito horas diárias, desde que não haja expressamente outro limite. O art. 7º,
inciso XIII, da Constituição Federal, estabelece duração do trabalho normal não superior a oito
horas diárias e 44 semanais, facultadas a compensação de horários e a redução de jornada
mediante acordo ou convenção coletiva de trabalho. Entre duas jornadas de trabalho deverá
haver um período mínimo de descanso. Este período mínimo de descanso estabelecido pela
lei é de:

6
A. Quinze horas consecutivas.
B. Quatorze horas consecutivas
C. Treze horas consecutivas.
D. Doze horas consecutivas
E. Onze horas consecutivas.

9)Marque V para as alternativas Verdadeiras e F para as alternativas Falsas:

( ) Remuneração é a retribuição correspondente à soma do vencimento, vantagens e


acréscimos pecuniários previstos em lei.

( ) O servidor público municipal ingressar nos quadros da Prefeitura no nível inicial de cada
cargo e será imediatamente reposicionado no Grau de A à H, de acordo com sua experiência
profissional.

( ) O adicional por tempo de serviço será concedido aos servidores efetivos, à razão de 5%
(cinco por cento) do cargo correspondente, para cada cinco anos de efetivo exercício.

( ) O direito aos adicionais de insalubridade e periculosidade cessam com a eliminação dos


riscos que deram causa a sua concessão.

Marque a alternativa correta.

A. VFVF
B. FVVF
C. FFVV
D. VFFV

10)Dentre os direitos dos trabalhadores urbanos e rurais inseridos no artigo 7° da


Constituição Federal do Brasil de 1988, com objetivo de garantir e aprimorar a sua condição
social, está

A. a assistência gratuita aos filhos e dependentes desde o nascimento até sete anos de
idade em creches e pré-escolas.
B. o salário-família pago em razão do dependente do trabalhador de baixa renda, nos
termos da lei.
C. o repouso semanal remunerado, obrigatoriamente aos domingos, salvo determinação
diversa ajustada em convenção coletiva de trabalho em razão da especificidade da
atividade.
D.

7
E. a participação nos lucros, ou resultados, vinculada a remuneração e,
obrigatoriamente, na gestão das empresas com mais de duzentos empregados.
F. a proibição de trabalho noturno, perigoso ou insalubre a menores de dezesseis e de
qualquer trabalho a menores de quatorze anos, salvo na condição de aprendiz, a
partir de doze anos.

QUESTÃO EXTRA

1)Em relação aos direitos constitucionais dos trabalhadores, à remuneração, à equiparação


salarial e à jornada de trabalho, julgue o item a seguir. Inexistindo cláusula expressa em
contrário, a empresa pode exigir do empregado a execução de qualquer atividade compatível
com sua condição pessoal, desde que lícita e dentro da jornada de trabalho. Nesse caso,
segundo o TST, não existe justificativa para a percepção de acréscimo salarial em decorrência
de eventual exercício concomitante das duas funções na mesma jornada.

A. CERTO
B. ERRADO

8
GABARITO

Exercícios de Fixação
1.E
2.B
3.C
Aprofundando no Que CAI
01- Resposta: A
02- Resposta: A
03-Resposta B
04- Resposta: B
05-Resposta A
06- Resposta: A
07-Resposta B
08- Resposta: E
09-Resposta: D
10- Resposta: B

QUESTÃO EXTRA

01-Resposta Certo

9
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

Artigo 6º.

10
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

11
SUMÁRIO

SUMÁRIO ......................................................................................................................................... 1
DIREITOS INDIVIDUAIS (Art. 7º, XXI ao XXVIII) .............................................................................. 2
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ............................................................................................................. 4
APROFUNDANDO NO QUE CAI ..................................................................................................... 5
QUESTÃO EXTRA ........................................................................................................................... 8
GABARITO ....................................................................................................................................... 9
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?.................................................. 10

ENTÃO VAMOS LÁ LJORTANOS

1
DIREITOS INDIVIDUAIS (Art. 7º, XXI ao XXVIII)

CAPÍTULO II - DOS DIREITOS SOCIAIS

XXI - aviso prévio proporcional ao tempo de serviço, sendo no mínimo de trinta dias, nos
termos da lei;
Comentário: a parte destacada, a banca inverte.

XXII - redução dos riscos inerentes ao trabalho, por meio de normas de saúde, higiene e
segurança;

XXIII - adicional de remuneração para as atividades penosas, insalubres ou perigosas, na


forma da lei;
Comentário: aqui, observe que a constituição não cita percentual de aumento. Lembre-se
que, no mínimo 50% é atribuído somente na hora extra.

XXIV - aposentadoria;

XXV - assistência gratuita aos filhos e dependentes desde o nascimento até 5 (cinco) anos
de idade em creches e pré-escolas;
Comentário: aqui temos dois pontos. Primeiro, observe a utilização do termo “filhos e
dependentes”, ele só é aplicável em ao atendimento em creches e pré-escolas, lembrando
que, temos o salário família que é garantindo apenas aos “dependentes do trabalhador de
baixa renda”. O segundo ponto refere-se a idade, posta em negrito. As bancas colocam 06
anos, fique atento(a).

XXVI - reconhecimento das convenções e acordos coletivos de trabalho;

XXVII - proteção em face da automação, na forma da lei;


Comentário: automação é a troca do trabalho humano, por máquinas. Assim, a constituição
determina que se crie uma lei para impedir esse avanço, norma que não existe até hoje.

XXVIII - seguro contra acidentes de trabalho, a cargo do empregador, sem excluir a


indenização a que este está obrigado, quando incorrer em dolo ou culpa;

2
XXIX - ação, quanto aos créditos resultantes das relações de trabalho, com prazo
prescricional de cinco anos para os trabalhadores urbanos e rurais, até o limite de dois anos
após a extinção do contrato de trabalho;
Comentário: o prazo prescricional é de cinco anos, para cobrar qualquer direito trabalhista,
portanto, pode-se cobrar de forma retroativa as normas que foram desrespeitadas pelo
empregador. A diferença reside no fato da dispensa do assalariado, momento no qual, ele
possuí no máximo dois anos para auferir seus direitos.

XXX - proibição de diferença de salários, de exercício de funções e de critério de admissão


por motivo de sexo, idade, cor ou estado civil;

XXXI - proibição de qualquer discriminação no tocante a salário e critérios de admissão do


trabalhador portador de deficiência;

XXXII - proibição de distinção entre trabalho manual, técnico e intelectual ou entre os


profissionais respectivos;

XXXIII - proibição de trabalho noturno, perigoso ou insalubre a menores de dezoito e de


qualquer trabalho a menores de dezesseis anos, salvo na condição de aprendiz, a partir de
quatorze anos;
Comentário: observe que temos uma sequência par, 18-16-14. Fique com ela, pois as
bancas tem por hábito trocar essas idades. Além disso, entenda que é possível o menor
trabalhar, desde que não seja noturno, perigoso ou insalubre. Assim, ele pode começar nas
atividades laborais aos 14 anos.

3
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

1. A respeito dos direitos sociais:

A) O direito à moradia encontra-se consagrado no caput do artigo 6º da Constituição Federal de 1988


desde o seu texto original.
B) A localização “topográfica” dos direitos sociais no texto da Constituição Federal reforça a tese de
que os mesmos não se tratam de direitos fundamentais.
C) Muito embora a doutrina sustente a tese do “direito ao mínimo existencial”, a jurisprudência do
Supremo Tribunal Federal rejeita o seu acolhimento, amparada, sobretudo, no princípio da
separação dos poderes.
D) O caput do art. 6º da Constituição Federal elenca rol taxativo dos direitos sociais consagrados
pelo texto constitucional.
E) A Constituição Federal consagra expressamente o direito à educação como direito público
subjetivo.

2. Marque a alternativa que contempla expressamente um direito social previsto na CF/88.

A) seguro-desemprego, em caso de desemprego voluntário.


B) irredutibilidade do salário, salvo o disposto em convenção ou acordo coletivo.
C) piso salarial proporcional à extensão do trabalho.
D) décimo terceiro salário com base no valor da aposentadoria.

3. São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem a melhoria de
sua condição social, exceto:

A) piso salarial proporcional a extensão e a complexidade do trabalho.


B) garantia de salário nunca inferior ao mínimo, para os que percebem remuneração variável.
C) lazer, segurança e a previdência social.
D) Salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado.

4
APROFUNDANDO NO QUE CAI

1)Assinale a opção que contém afirmação incorreta.

A. O salário é irredutível, salvo o disposto em convenção ou acordo coletivo.


B. O aposentado filiado tem direito a votar, mas não pode ser votado nas organizações
sindicais.
C. É obrigatória a participação dos sindicatos nas negociações coletivas de trabalho.
D. Para o trabalho realizado em turnos ininterruptos de revezamento, a jornada é de 6 (seis)
horas, salvo negociação coletiva.
E. É proibido o trabalho noturno, perigoso ou insalubre a menores de 18 (dezoito) anos e
qualquer trabalho a menores de 16 (dezesseis) anos, salvo na condição de aprendiz, a
partir de 14 (quatorze) anos.

2)Quanto aos direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, previstos na Constituição Federal
de 1988, assinale a alternativa correta.

A. De acordo com as normas constitucionais, não há possibilidade de outros direitos dos


trabalhadores urbanos e rurais que não aqueles expressamente definidos no art. 7º da
Constituição Federal.
B. O seguro-desemprego protege o trabalhador rural nos casos de desemprego involuntário.
C. A Constituição expressamente garante que a remuneração do trabalho noturno será
superior em 50% à do diurno.
D. O salário integral ou o valor da aposentadoria servem de base para o 13º salário, conforme
expressa a Constituição.
E. Para a realização de trabalho em turnos ininterruptos de revezamento, a jornada só poderá
ser de seis horas, como expresso na Constituição

3)Karina queria contratar uma gerente comercial, em regime CLT, oferecendo um salário
líquido mensal de R$ 2.000,00. Entretanto, Karina tinha dúvidas acerca da contratação,
sobretudo no que diz respeito aos custos mais elevados. Para isso, Luciana, a contadora,
destacou alguns dos encargos sociais mais significativos sobre o salário, em termos
percentuais, onde a função não apresenta periculosidade, o trabalho é diurno, o contrato é
mensal (220 horas) e a carga horária de 44h/semana. Qual das alternativas abaixo apresenta
os encargos mais significativos sobre o salário?

A. previdência social; salário-família; FGTS.


B. licença maternidade; FGTS; vale transporte.
C. previdência social; décimo terceiro salário; FGTS.
D. auxílio-doença; previdência social; contribuição sindical.

5
4)Sobre a proteção do salário, assinale o item INCORRETO.

A. Ao empregador é vedado efetuar qualquer desconto nos salários do empregado, salvo


quando este resultar de adiantamentos, de dispositivos de lei, de convenção coletiva, de
contrato individual ou coletivo.
B. Em caso de dano causado pelo empregado, o desconto será lícito, desde que essa
possibilidade tenha sido acordada ou na ocorrência de dolo na conduta do empregado.
C. A retenção dolosa do salário configura crime.
D. É vedado ao empregador limitar, por qualquer forma, a liberdade dos empregados de dispor
do seu salário.

5)Arthemys trabalha para Prefeitura do Município de Jundiaí, contratado pelo regime da


Consolidação das Leis do Trabalho − CLT, exercendo as funções de motorista junto à
Secretaria Municipal de Saúde, sendo responsável pelo abastecimento do veículo da frota
diretamente em bomba de gasolina instalada na garagem da Secretaria. O abastecimento
ocorre todos os dias de trabalho, de segunda a sábado, pelo menos quatro vezes ao dia. Após
a realização de prova pericial, verificou-se que o trabalhador está sujeito a risco acentuado
em virtude de exposição permanente a inflamáveis e explosivos. Nessa situação hipotética,
com fulcro na legislação trabalhista, Arthemys faz jus a adicional de

A. insalubridade, no importe de 30% sobre o piso normativo da categoria ou o seu salário


básico.
B. insalubridade, no importe de 40% sobre o salário mínimo regional.
C. penosidade, no importe de 30% sobre o seu salário contratual.
D. periculosidade, no importe de 30% sobre o salário sem os acréscimos resultantes de
gratificações ou prêmios.
E. periculosidade, no importe de 25% sobre toda a sua remuneração.

6)De acordo com a Constituição Federal de 1988 (CF) e a jurisprudência do Tribunal Superior
do Trabalho (TST), assinale a opção correta a respeito da estabilidade da gestante e da
licença-maternidade.

A. Se a admissão da gestante se deu mediante contrato de trabalho por prazo determinado,


a empregada não tem direito à estabilidade provisória.
B. Caso o empregador desconheça o estado gravídico da gestante, ela não terá direito à
indenização decorrente da estabilidade após a cessação do auxílio-doença acidentário.
C. A CF prevê duração de cento e oitenta dias para a licença gestante.
D. Dada a garantia de emprego à gestante, ela pode ser reintegrada mesmo após dois anos
da extinção do contrato de trabalho.
E. Passado o período de estabilidade, garantem-se à gestante os salários e demais direitos
correspondentes ao período de estabilidade, mas não a reintegração.

6
7)Em uma obra ou indústria, o adicional pago aos trabalhadores que exercem atividades ou
operações que, por sua natureza, condições ou métodos de execução os exponham a agentes
nocivos à saúde, acima dos limites de tolerância fixados em razão da natureza e da
intensidade dos agentes e do tempo máximo de exposição aos seus efeitos é denominado:

A. adicional de insalubridade.
B. adicional de periculosidade.
C. adicional noturno.
D. auxílio doença.
E. auxílio invalidez.

8)O período decorrido da gestação à amamentação é protegido pelas leis trabalhistas.


Referente ao assunto, é INCORRETO afirmar que

A. o início do afastamento do emprego poderá ocorrer entre o 28º (vigésimo oitavo) dia antes
do parto e a ocorrência deste.
B. a confirmação do estado de gravidez advindo no curso de aviso prévio indenizado não
garante estabilidade provisória.
C. a CF/88 garante cento e vinte dias de licença à gestante.
D. em caso de morte da genitora o cônjuge ou companheiro empregado tem direito a gozo do
período restante a que teria direito a mãe, exceto no caso de falecimento do filho ou de seu
abandono.
E. a mulher terá direito a dois descansos especiais, de meia hora cada um, para amamentar o
próprio filho até que este complete 6 (seis) meses de idade.

9)João, empregado regular de uma fábrica de biscoitos, envolveu-se em um acidente de


trabalho no dia 07/03/12. Afastado das atividades laborais habituais para recuperação, passou
a receber auxílio-doença acidentário. Para que a produção de biscoitos não restasse
prejudicada, no dia 01/04/12 o empregador contratou novo funcionário e dispensou João
imotivadamente. Avaliando o caso apresentado, é correto afirmar que a dispesa é

A. legal, pois no caso verifica-se a suspensão do contrato de trabalho e não a interrupção, sendo
certo que esta apenas inviabiliza a extinção do contrato de trabalho.
B. ilegal, pois a partir do décimo quinto dia de afastamento tem início a suspensão do contrato de
trabalho, inviabilizando a extinção do contrato de trabalho e, por consequência, a dispensa
imotivada.
C. ilegal, eis que, a partir do décimo quinto dia de afastamento, teve início a interrupção do
contrato de trabalho, o qual resulta na percepção de auxílio-doença acidentário pelo trabalhador
e impossibilidade de dispensa arbitrária pelo empregador.

7
D. legal, pois a suspensão do contrato de trabalho, caracterizada pela cessação total dos efeitos
do contrato de trabalho, faz desaparecer o vínculo entre empregado e empregador, ao mesmo
tempo que faz nascer a relação entre a Previdência e o beneficiário.
E. legal, pois no caso de acidente de trabalho, após o décimo quinto dia de afastamento, o
empregado terá direito ao benefício previdenciário, sendo facultado ao empregador a dispensa
imotivada do empregado, assegurado o direito de retorno deste durante o prazo improrrogável
de seis meses.

10)Considerando a legislação em vigor e a jurisprudência dominante do TST, analise as


seguintes afirmações e marque a alternativa CORRETA: I. A ajuda alimentação fornecida por
empresa participante do programa de alimentação ao trabalhador, instituído pela Lei nº
6.321/76, não tem caráter salarial. Portanto, não integra o salário para nenhum efeito legal. II.
As pessoas jurídicas beneficiárias do Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT)
poderão estender o benefício previsto nesse Programa aos trabalhadores por elas
dispensados, no período de transição para um novo emprego, limitada a extensão ao período
de seis meses. III. O Vale-Transporte, concedido nos termos da Lei nº 7.418/85, não tem
natureza salarial, não se incorporando à remuneração do trabalhador para quaisquer
efeitos. De igual modo, esse benefício não constitui base de incidência de
contribuição previdenciária ou de Fundo de Garantia por Tempo de Serviço. IV. Aos
servidores públicos celetistas não é devido o vale-transporte, instituído pela Lei nº 7.418/85. V.
A pactuação em norma coletiva conferindo caráter indenizatório à verba “auxílio-
alimentação” ou a adesão posterior do empregador ao Programa de Alimentação do
Trabalhador — PAT — não altera a natureza salarial da parcela, instituída anteriormente, para
aqueles empregados que, habitualmente, já percebiam o benefício.

A. Somente as afirmativas I, II e III estão corretas.


B. Somente as afirmativas I, II, III e V estão corretas.
C. Somente as afirmativas II, III, IV e V estão corretas.
D. Somente as afirmativas III e IV estão erradas.
E. Todas as afirmativas estão corretas.

QUESTÃO EXTRA

1)De acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho, o empregado poderá deixar de
comparecer ao serviço sem prejuízo do salário, EXCETO

A. até 3 (três) dias consecutivos, em virtude de casamento


B. nos dias em que estiver comprovadamente realizando provas de exame vestibular para
ingresso em estabelecimento de ensino superior.
C. por dois dias, a cada 12 (doze) meses de trabalho, em caso de doação voluntária de
sangue devidamente comprovada

8
D. pelo tempo que se fizer necessário, quando tiver que comparecer a juízo.
E. pelo tempo que se fizer necessário, quando, na qualidade de representante de entidade
sindical, estiver participando de reunião oficial de organismo internacional do qual o Brasil
seja membro

GABARITO

Exercícios de Fixação
1.E
2.B
3.C

Aprofundando no Que CAI


01- Resposta: B
02-Resposta: B
03-Resposta: C
04- Resposta: A
05- Resposta: D
06- Resposta: E
07-Resposta: A
08-Resposta: B
09- Resposta: B
10-Resposta: B

QUESTÃO EXTRA

01-Resposta: C

9
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

Artigo 6º.

10
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

11
SUMÁRIO

SUMÁRIO ......................................................................................................................................... 1
DIREITOS INDIVIDUAIS (Art. 7º, XXIX ao parágrafo único) ............................................................. 2
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ............................................................................................................. 4
APROFUNDANDO NO QUE CAI ..................................................................................................... 5
QUESTÃO EXTRA ........................................................................................................................... 8
GABARITO ....................................................................................................................................... 9
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?.................................................. 10

ENTÃO VAMOS LÁ LJORTANOS

1
DIREITOS INDIVIDUAIS (Art. 7º, XXIX ao parágrafo único)

CAPÍTULO II - DOS DIREITOS SOCIAIS

XXXIV - igualdade de direitos entre o trabalhador com vínculo empregatício permanente e o


trabalhador avulso.
Comentário: o trabalhador avulso é
contratado de forma rápida e pontual,
apenas para realizar uma atividade e em
seguida, via de regra, é dispensado. Mesmo
assim, ele possuí os mesmos direitos do
trabalhador com carteira assinada. Na foto
ao lado, temos os estivadores, trabalhador
portuário que, recebendo a carga de um
navio, a arruma devidamente no porão ou
num compartimento, ou a descarrega de
bordo.

Parágrafo único. São assegurados à categoria dos trabalhadores domésticos os direitos


previstos nos incisos IV, VI, VII, VIII, X, XIII, XV, XVI, XVII, XVIII, XIX, XXI, XXII, XXIV, XXVI,
XXX, XXXI e XXXIII e, atendidas as condições estabelecidas em lei e observada a
simplificação do cumprimento das obrigações tributárias, principais e acessórias,
decorrentes da relação de trabalho e suas peculiaridades, os previstos nos incisos I, II, III,
IX, XII, XXV e XXVIII, bem como a sua integração à previdência social.

Comentário: nessa parte, eu oriento a você gravar os direitos que não foram assegurados.
O raciocínio é simples: caso a questão peça para você marcar um direito garantido ao
trabalhador doméstico, a única alternativa que não estiver na sua lista, será a resposta certa.
Na posição contrária, eles podem solicitar um direito que não foi positivado, aí é mais fácil
ainda, basta lembrar um dos direitos da sua lista, pois ele será a resposta. Assim, já trouxe
pra você, os que não foram assegurados.

V - piso salarial proporcional à extensão e à complexidade do trabalho;


XI – participação nos lucros, ou resultados, desvinculada da remuneração, e,
excepcionalmente, participação na gestão da empresa, conforme definido em lei;
XIV - jornada de seis horas para o trabalho realizado em turnos ininterruptos de
revezamento, salvo negociação coletiva;
XX - proteção do mercado de trabalho da mulher, mediante incentivos específicos, nos
termos da lei;
2
XXIII - adicional de remuneração para as atividades penosas, insalubres ou perigosas, na
forma da lei;
XXVII - proteção em face da automação, na forma da lei;
XXIX - ação, quanto aos créditos resultantes das relações de trabalho, com prazo
prescricional de cinco anos para os trabalhadores urbanos e rurais, até o limite de dois anos
após a extinção do contrato de trabalho;
XXXII - proibição de distinção entre trabalho manual, técnico e intelectual ou entre os
profissionais respectivos;

3
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

1. No tocante ao artigo 7, da Constituição da República Federativa do Brasil, são considerados


direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua
condição social:

A) a irredutibilidade do salário garantida ao trabalhador rural e urbano, mesmo se houver disposição


contrária em convenção ou em acordo coletivo.
B) o aviso prévio proporcional ao tempo de serviço deverá ser de no máximo 30 dias.
C) a licença à gestante, sem prejuízo do emprego e do salário, terá duração de cento e oitenta dias.
D) a relação de emprego não será protegida contra despedida arbitrária ou sem justa causa, nos
termos de lei complementar.
E) o décimo terceiro salário tem como base a remuneração integral ou no valor da aposentadoria.

2. Entre os direitos fundamentais assegurados aos trabalhadores pela Constituição Federal


se inclui

A) participação na gestão da empresa e, excepcionalmente, nos lucros e resultados.


B) remuneração do serviço extraordinário superior, no mínimo, a 75% à do normal.
C) proibição de trabalho a menores de 18 anos, salvo na condição de menor aprendiz.
D) proibição às mulheres de trabalho insalubre, perigoso ou atividades penosas.
E) igualdade de direitos entre o trabalhador com vínculo empregatício permanente e o trabalhador
avulso.

3. Não é direito social consagrado na CF/88:

A) seguro contra acidentes de trabalho, a cargo do empregador, sem excluir a indenização a que
este está obrigado, quando incorrer em dolo ou culpa.
B) proibição de qualquer discriminação no tocante a salário e critérios de admissão do trabalhador
portador de deficiência.
C) proibição de diferença de salários, de exercício de funções e de critério de admissão por motivo
de sexo, idade ou estado civil.
D) igualdade de direitos entre o trabalhador com vínculo empregatício permanente e o trabalhador
avulso.

4
APROFUNDANDO NO QUE CAI

1)Analise as assertivas e assinale a alternativa que aponta as corretas. De acordo com a


Constituição Federal, são direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que
visem à melhoria de sua condição social:

I. proteção do salário na forma da lei, constituindo contravenção penal sua retenção dolosa.

II. gozo de férias anuais remuneradas com, pelo menos, um terço a mais do que o salário
normal.

III. licença-paternidade, nos termos fixados em lei.

IV. aviso prévio proporcional ao tempo de serviço, sendo no mínimo de sessenta dias, nos
termos da lei.
A. Apenas I, II e III
B. Apenas II e III
C. Apenas I, II e IV
D. Apenas III e IV
E. I, II, III e IV.
2)Em relação a distinção de tratamento e política remuneratória pode-se afirmar que a
legislação trabalhista, em específico o texto Constitucional aponta a:

I. Proibição de diferença de salários, de exercício de funções e de critério de admissão por


motivo de sexo, idade, cor ou estado civil.
II. Proibição de distinção de salários por motivo de nível de escolaridade e/ou qualificação
profissional diversos, de acordo com o plano de cargos e salários.
III. Proibição de qualquer discriminação no tocante a salário e critérios de admissão do
trabalhador portador de deficiência.
IV. Proibição de distinção entre trabalho manual, técnico e intelectual ou entre os
profissionais respectivos.

A sequência correta é:
A. Apenas as assertivas I e IV estão corretas.
B. Apenas as assertivas I e II estão corretas.
C. As assertivas I, II, III e IV estão corretas.
D. Apenas as assertivas I, III e IV estão corretas.

3)Nos termos do art. 7º da Constituição Federal, são direitos dos trabalhadores urbanos e
rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social, EXCETO

5
A. seguro-desemprego, em caso de desemprego involuntário.
B. fundo de garantia do tempo de serviço.
C. piso salarial proporcional à extensão e à complexidade do trabalho.
D. irredutibilidade do salário, salvo o disposto em convenção ou acordo coletivo.
E. remuneração do trabalho noturno igual à do diurno.

4)Empresa contrata dois trabalhadores, o primeiro com vínculo empregatício e o segundo sem
vínculo empregatício. Neste caso, aponte a opção que conste na seguinte sequência: alíquota
da contribuição patronal previdenciária; alíquota do FGTS; encargo trabalhista; alíquota
aplicável ao salário de contribuição do trabalhador sem vínculo empregatício:

A. 20%; 8%; décimo terceiro; 11%.


B. 20%; 8%; auxílio-acidente; 8%;
C. 15%; 2%; vale transporte; 11%;
D. 15%; 8%; auxílio-doença; 8%;
E. 20%; 2%; vale transporte, 11%;

5)De acordo com a CLT, em relação à Carteira de Trabalho e Previdência Social, assinale a
alternativa INCORRETA:

A. Na impossibilidade de apresentação, pelo interessado, de documento idôneo que o


qualifique, a Carteira de Trabalho e Previdência Social será fornecida com base em
declarações verbais confirmadas por 2 (duas) testemunhas, lavrando-se, na primeira folha
de anotações gerais da carteira, termo assinado pelas mesmas testemunhas.
B. Nas localidades onde não for emitida a Carteira de Trabalho e Previdência Social poderá
ser admitido, até 30 (trinta) dias, o exercício de emprego ou de atividade remunerada por
quem não a possua, ficando a empresa obrigada a permitir o comparecimento do
empregado ao posto de emissão mais próximo.
C. Tratando-se de serviço de profissionais de qualquer atividade, exercido por empreitada
individual ou coletiva, com ou sem fiscalização da outra parte contratante, a carteira será
anotada pelo respectivo sindicato profissional ou pelo representante legal de sua
cooperativa.
D. É vedado ao empregador efetuar anotações desabonadoras à conduta do empregado em
sua Carteira de Trabalho e Previdência Social, sob pena do pagamento de multa, que
reverterá ao empregado.
E. A Carteira de Trabalho e Previdência Social é obrigatória para o exercício de qualquer
emprego, inclusive de natureza rural, ainda que em caráter temporário, e para o exercício
por conta própria de atividade profissional remunerada.

6) considerando a natureza alimentar do salário do empregado, tem-se como verdadeiro que:

6
A. o pagamento do salário deve ser somente em dinheiro.
B. a data para pagamento do salário prevista em lei é até o 5º (quinto) dia útil do mês
subsequente.
C. dependendo da conjuntura econômico-financeira da empresa, é permitido o pagamento do
salário até o 10º (décimo) dia do mês seguinte.
D. para preservar o poder aquisitivo do empregado só são permitidos descontos no salário em
até 50% (cinquenta) por cento do salário percebido.

7)Uma empresa de médio porte está avaliando a possibilidade de incluir no pacote de


benefícios para seus empregados alguns que não são obrigatórios pela legislação trabalhista.

O benefício que NÃO é de obrigatoriedade legal, segundo a CLT é

A. 8% da remuneração, a título de FGTS, depositados em nome do trabalhador, numa conta


vinculada.
B. adicional de 40% na rescisão sem justa causa, incidentes sobre o saldo da conta do FGTS
C. repouso semanal remunerado de 1 dia em cada semana trabalhada
D. assistência médica e odontológica extensiva aos dependentes.
E. abono constitucional de férias

8)Uma empresa de médio porte contratou um funcionário para estruturar seu departamento
de pessoal, tendo em vista que existem muitas reclamações trabalhistas. Para iniciar o
trabalho, esse funcionário alterou a data de pagamento de salários para os empregados
mensalistas. Ele estabeleceu que os salários dos empregados admitidos pelo regime da CLT,
e cujos vencimentos são mensais, serão pagos no primeiro dia útil do mês seguinte ao
vencido.

Essa medida está

A. errada, porque os salários, segundo a legislação, devem ser pagos no último dia de cada
mês
B. errada, porque os salários, segundo a legislação, devem ser pagos no quinto dia útil do mês
seguinte ao vencido
C. errada, porque os salários, segundo a legislação, podem ser pagos em qualquer data,
desde que o empregador mantenha a periodicidade de pagamento a cada trinta dias
D. certa, porque a legislação estabelece que os salários sejam pagos, no máximo, até o quinto
dia útil de cada mês seguinte ao vencido.
E. certa, porque a legislação estabelece que os salários sejam pagos no primeiro dia útil de
cada mês.

9)Com relação aos direitos sociais previstos na Constituição Federal é correto afirmar:

7
A. O aposentado filiado tem direito a votar nas organizações sindicais, possuindo, inclusive, o
direito de ser votado.
B. Nas empresas com mais de cem empregados, é assegurada a eleição de um representante
destes com a finalidade exclusiva de promover-lhes o entendimento direto com os
empregadores.
C. A lei não poderá exigir autorização do Estado para a fundação de sindicato, ressalvado o
registro no órgão competente, mas é permitido ao Poder Público a interferência e a
intervenção na organização sindical.
D. É vedada a dispensa imotivada do empregado sindicalizado a partir do registro da
candidatura a cargo de direção ou representação sindical e, se eleito, exceto se suplente,
até seis meses após o final do mandato.
E. É vedada a criação de mais de uma organização sindical, em qualquer grau, representativa
de categoria profissional na mesma base territorial, que não pode ser inferior à área de dois
Municípios.

10)O caput do art. 7° da Constituição Federal de 1988, tem a seguinte redação: "São direitos
dos trabalhadores (...), além de outros que visem à melhoria de sua condição social: ". Com
base nesse preceito e considerando o regramento constitucional acerca de trabalhares
urbanos, rurais e domésticos, é INCORRETO afirmar que os empregados:

A. Urbanos e rurais possuem igualdade na integralidade dos direitos;


B. Urbanos, rurais e domésticos possuem igualdade na integralidade dos direitos;
C. Urbanos, rurais e trabalhadores avulsos possuem igualdade na integralidade dos direitos;
D. Urbanos, rurais e servidores públicos celetistas possuem igualdade na integralidade dos
direitos;
E. Urbanos, rurais e Policial Militar que tem reconhecimento de vínculo empregatício com
empresa privada possuem igualdade na integralidade dos direitos

QUESTÃO EXTRA

1)A relação de direitos sociais contida no art. 7º da Constituição Federal vigente é

A. a mesma somente para os trabalhadores urbanos, rurais e servidores públicos.


B. exemplificativa.
C. a mesma para os trabalhadores urbanos, rurais e domésticos.
D. taxativa.
E. a mesma para os trabalhadores urbanos e domésticos.

8
GABARITO

Exercícios de Fixação
1. E
2. E
3. C

Aprofundando no Que CAI


01-Resposta: B
02-Resposta: D
03-Resposta: E
04-Resposta: A
05-Resposta: D
06-Resposta: B
07-Resposta: D
08- Resposta: D
09-Resposta: A
10-Resposta: B

QUESTÃO EXTRA

01-Resposta: B

9
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

Foque no § único do Art. 7º.

10
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

11
SUMÁRIO

SUMÁRIO ......................................................................................................................................... 1
DIREITOS INDIVIDUAIS (Art. 8º caput ao inciso IV)......................................................................... 2
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ............................................................................................................. 3
APROFUNDANDO NO QUE CAI ..................................................................................................... 4
QUESTÃO EXTRA ........................................................................................................................... 7
GABARITO ....................................................................................................................................... 8
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?.................................................... 9

ENTÃO VAMOS LÁ LJORTANOS

1
DIREITOS INDIVIDUAIS (Art. 8º caput ao inciso IV)

CAPÍTULO II - DOS DIREITOS SOCIAIS

Art. 8º É livre a associação profissional ou sindical, observado o seguinte:

I - a lei não poderá exigir autorização do Estado para a fundação de sindicato, ressalvado o
registro no órgão competente, vedadas ao Poder Público a interferência e a intervenção na
organização sindical;
Comentário: temos duas vedações (destacadas em vermelho) e uma exigência (destacada
em verde).
II - é vedada a criação de mais de uma organização sindical, em qualquer grau,
representativa de categoria profissional ou econômica, na mesma base territorial, que será
definida pelos trabalhadores ou empregadores interessados, não podendo ser inferior à área
de um Município;
Comentário: inciso muito abordado em prova e de simples compreensão. A área mínima de
um sindicato é equivalente a um município, portanto, faça a seguinte analogia, M de mínimo,
M de município. Assim, na mesma bases territorial, não pode haver dois sindicatos da
mesma categoria, no entanto, em bases territoriais diferentes, já é aceito. Exemplo: sindicato
municipal dos professores da educação pública; sindicato estadual dos professores da rede
pública; sindicato federal dos professores da rede pública. Observe que mudou a base
territorial, mas o sindicato é o mesmo. Ok?
III - ao sindicato cabe a defesa dos direitos e interesses coletivos ou individuais da categoria,
inclusive em questões judiciais ou administrativas;
Comentário: observe que o sindicato vai defender em questões judiciais ou administrativas;
por sua vez, associação (tema positivado no Artigo 5º, logo, não é direito social, mas as
bancas gostam da comparação), vai entrar em questões judiciais ou extrajudiciais. Fique
alerta.
IV - a assembléia geral fixará a contribuição que, em se tratando de categoria profissional,
será descontada em folha, para custeio do sistema confederativo da representação sindical
respectiva, independentemente da contribuição prevista em lei;
Comentário: temos dois tipos de contribuição, em tese a obrigatória (prevista em lei) e a que
mantém o sistema confederativo, estipulada pelos próprios trabalhadores.

2
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

1) Sobre os Direitos Sociais previstos na CF/88, podemos afirmar:

A) será obrigado a filiar-se ou a manter-se filiado a sindicato.


B) é facultativa a participação dos sindicatos nas negociações coletivas de trabalho.
C) ninguém será obrigado a filiar-se ou a manter-se filiado a sindicato.
D) é vedada a participação dos sindicatos nas negociações coletivas de trabalho.

2) A CF/88 em seus direitos fundamentais, consagrou a participação dos aposentados nos


sindicatos. Marque a alternativa que está expressamente de acordo com o texto
constitucional.

A) o aposentado tem direito a votar e ser votado nas organizações sindicais


B) o aposentado filiado tem direito a votar e ser votado nas organizações sindicais
C) o aposentado filiado tem direito a votar nas organizações sindicais.
D) o aposentado filiado tem direito de ser votado nas organizações sindicais.

3) Acerca dos Direitos Fundamentais, assinale a alternativa que corrobora com texto
constitucional.

A) é assegurada a dispensa do empregado sindicalizado a partir do registro da candidatura a cargo


de direção ou representação sindical e, se eleito, ainda que suplente, até um ano após o final do
mandato, salvo se cometer falta grave nos termos da lei.
B) é vedada a dispensa do empregado sindicalizado a partir da eleição a cargo de direção ou
representação sindical ou ainda como suplente, até um ano após o final do mandato, salvo se
cometer falta grave nos termos da lei.
C) é vedada a dispensa do empregado sindicalizado a partir do registro da candidatura a cargo de
direção ou representação sindical e, se eleito, ainda que suplente, até um ano após o final do
mandato.
D) é vedada a dispensa do empregado sindicalizado a partir do registro da candidatura a cargo de
direção ou representação sindical e, se eleito, ainda que suplente, até um ano após o final do
mandato, salvo se cometer falta grave nos termos da lei.

3
APROFUNDANDO NO QUE CAI

1)De acordo com o art. 8º da Constituição Federal, é livre a associação profissional ou sindical.
Nesse sentido, com relação aos aspectos relativos à liberdade de associação profissional ou
sindical, analise as afirmativas apresentadas. I. Ao sindicato cabe a defesa dos direitos e
interesses coletivos ou individuais da categoria, inclusive em questões judiciais ou
administrativas. II. É facultativa a participação dos sindicatos nas negociações coletivas de
trabalho. III. A lei não poderá exigir autorização do Estado para a fundação de sindicato,
ressalvado o registro no órgão competente, vedadas ao Poder Público a interferência e a
intervenção na organização sindical. Está correto o que se afirma em:

A. l, II e III.
B. II e III, apenas.
C. I e III, apenas.
D. II, apenas.
E. I, apenas.

2)Em face do artigo 8º da Constituição Federal, assinale a alternativa INCORRETA:

A. O aposentado filiado tem o direito a votar e ser votado nas organizações sindicais.
B. Ao sindicato cabe a defesa dos direitos e interesses coletivos ou individuais da categoria,
inclusive em questões judiciais ou administrativas.
C. Ninguém será obrigado a filiar-se ou manter-se filiado a sindicatos.
D. É indispensável a participação do sindicato patronal emqualquer negociação coletiva.
E. É livre a associação profissional ou sindical, observados os ditames legais.

3)O artigo 8º da Constituição da República Federativa do Brasil trata dos princípios da


associação sindical.
Quanto ao sindicato dos trabalhadores no Brasil, assinale a alternativa que está correta:

A. A participação dos sindicatos nas negociações coletivas de trabalho é facultativa


B. A defesa dos interesses coletivos ou individuais da categoria, inclusive em questões
judiciais ou administrativas, cabe ao sindicato, na condição de representante da categoria
C. O aposentado filiado ao sindicato não tem direito a votar e a ser votado nas organizações
sindicais
D. É permitida a criação de mais de um sindicato, na mesma base territorial
E. A filiação a sindicatos é obrigatória caso o trabalhador queira pleitear judicialmente créditos
trabalhistas

4)Nos termos do texto atual da Constituição Federal, são considerados direitos dos
trabalhadores urbanos e rurais, EXCETO,

4
A. irredutibilidade do salário, salvo o disposto em convenção ou acordo coletivo.
B. décimo terceiro salário com base na remuneração integral ou no valor da aposentadoria.
C. assistência gratuita aos filhos e dependentes desde o nascimento até 5 (cinco) anos de
idade em creches e pré-escolas.
D. remuneração do trabalho noturno superior à do diurno.
E. licença à paternidade, sem prejuízo do emprego e do salário, com a duração de cinco dias.

5)O prazo de prescrição para as ações atinentes aos direitos oriundos das relações de
trabalho urbano e rural é de

A. cinco anos.
B. dois anos.
C. cinco anos, até o limite de dois anos após a extinção do contrato de trabalho.
D. dois anos, até o limite de cinco anos após a extinção do contrato de trabalho.

6)São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais:

A. a relação de emprego protegida contra despedida arbitrária ou sem justa causa, nos termos
de lei complementar, sem previsão de indenização compensatória.
B. a duração do trabalho normal não superior a oito horas diárias e quarenta semanais.
C. a proteção em face da automação, na forma da lei.
D. o repouso semanal remunerado, exclusivamente aos domingos.

7)São, entre outros, direitos sociais previstos na Constituição Federal:

A. a segurança, a previdência social, a alimentação e a sindicalização.


B. a previdência social, o transporte, a moradia e a reunião.
C. a educação, a saúde, a alimentação e o trabalho.
D. a sindicalização, a greve, a reunião e o trabalho.
E. a greve, a segurança, a saúde e a reunião.

8)O Superior Tribunal de Justiça (STJ), ao analisar o tema 982 dos recursos repetitivos,
entendeu que, quando comprovada a necessidade de assistência permanente de terceiro, é
devido o acréscimo de 25%, previsto no artigo 45 da Lei nº 8.213/1991, a todas as modalidades
de aposentadoria pagas pelo Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) (STJ – 1ª Seção, REsp:
1.720.805-RJ e 1648305-RS, Rel. para acórdão: Min. Regina Helena Costa, julgados em
23/8/2018).

A referida decisão aborda, de forma aplicada, a previdência social. A esse respeito, nos
termos constitucionais, a previdência social é um

5
A. direito social.
B. dos fundamentos da República Federativa do Brasil.
C. dos objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil.
D. remédio constitucional.
E. direito de nacionalidade.

9)Considere os seguintes direitos dos trabalhadores urbanos e rurais definidos na


Constituição Federal:

I. remuneração do trabalho noturno superior à do diurno.

II . salário-família pago em razão do dependente do trabalhador de baixa renda nos termos da


lei.

III . remuneração do serviço extraordinário superior, no mínimo, em cinquenta por cento à do


normal.

IV. proteção do mercado de trabalho da mulher, mediante incentivos específicos, nos termos
da lei.

V. adicional de remuneração para as atividades penosas, insalubres ou perigosas, na forma


da lei.

VI. proibição de distinção entre trabalho manual, técnico e intelectual ou entre os profissionais
respectivos.

Segundo a Constituição Federal, aplicam-se aos servidores públicos os direitos relacionados


APENAS em:

A. I, II , III e IV.

B. I, III , IV, V e VI.

C. I, II , IV e VI .

D. II , III , V e VI .

E. II , III , IV e V.

6
10)O artigo 7° , IV, da Constituição Federal assegura ao trabalhador a percepção de salário-
mínimo e proíbe sua vinculação “para qualquer fim”. Diante de tal vedação e de outros
preceitos da Carta, como o artigo 39, § 3° , a Súmula Vinculante n° 4 estabeleceu, em relação
a vantagem percebida por servidor público, que

A. a hipótese é excepcional, dada a garantia de irredutibilidade de vencimentos, e a ela não se


aplica a vedação de utilização do salário-mínimo como indexador ou base de cálculo, até
que seja substituído por ato do Executivo.
B. a hipótese é excepcional, dada a garantia de irredutibilidade dos vencimentos, e a ela não
se aplica a vedação de utilização do salário-mínimo como indexador ou base de cálculo.
C. também nessa hipótese é vedada a utilização do salário-mínimo como indexador ou base
de cálculo, proibida, ademais, sua substituição por decisão judicial.
D. também nessa hipótese é vedada a utilização do salário-mínimo como indexador ou base
de cálculo, permitida sua substituição por decisão judicial.

QUESTÃO EXTRA

1)Os valores sociais são consagrados como fundamentos do Estado Democrático de Direito
pela Constituição Federal Brasileira e compõem o largo rol de direitos fundamentais que
visam à concretização da igualdade social.

Considerando a importância dos valores sociais, assinale a alternativa que


apresenta, corretamente, um desses direitos previstos na Constituição Federal Brasileira.

A. Ação, quanto aos créditos resultantes das relações de trabalho, com prazo prescricional de
quatro anos para os trabalhadores urbanos e rurais, até o limite de dois anos após a
extinção do contrato de trabalho.
B. Aviso prévio integral do tempo de serviço, sendo no mínimo de um mês, nos termos da lei.
C. Repouso semanal remunerado, preferencialmente aos sábados ou domingos.
D. Seguro contra acidentes de trabalho, a cargo do empregador, sem excluir a indenização a
que este está obrigado, quando incorrer em dolo ou culpa.
E. Teto salarial proporcional à extensão e à complexidade do trabalho.

7
GABARITO

Exercícios de Fixação
1. C
2. B
3. D

Aprofundando no Que CAI


01-Resposta: C
02-Resposta: D
03- Resposta: B
04-Resposta: E
05- Resposta: C
06- Resposta: C
07-Resposta: C
08- Resposta: A
09-Resposta: A
10- Resposta: C

QUESTÃO EXTRA

01-Resposta: D

8
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

Foque no Art. 8º, II.

9
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

10
SUMÁRIO
Art. 8º, V AO PARÁGRAFO ÚNICO.........................................................................................................2
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO.....................................................................................................................3
APROFUNDANDO NO QUE CAI.............................................................................................................4
QUESTÃO EXTRA....................................................................................................................................8
GABARITO................................................................................................................................................9
RESUMÃO LJORTANO...........................................................................................................................10

ENTÃO VAMOS LÁ, LJORTANOS....

1
CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988

CAPÍTULO II
DOS DIREITOS SOCIAIS

V - ninguém será obrigado a filiar-se ou a manter-se filiado a sindicato;

VI - é obrigatória a participação dos sindicatos nas negociações coletivas de trabalho;

VII - o aposentado filiado tem direito a votar e ser votado nas organizações sindicais;
Comentário: fique atento ao grifo.

VIII - é vedada a dispensa do empregado sindicalizado a partir do registro da candidatura a


cargo de direção ou representação sindical e, se eleito, ainda que suplente, até um ano após o
final do mandato, salvo se cometer falta grave nos termos da lei.
Comentário: para evitar que o empregado sindicalizado seja demitido por participar do seu
respectivo sindicato, o legislador originário, criou esse dispositivo. Durante o mandato e após
um ano de concluída sua administração, o empregado não pode ser demitido. Salvo se
cometer falta grave.

Parágrafo único. As disposições deste artigo aplicam-se à organização de sindicatos rurais e


de colônias de pescadores, atendidas as condições que a lei estabelecer.

2
EXERCICIOS DE FIXAÇÃO

1) Sobre os Direitos Sociais previstos na CF/88, podemos afirmar:

A) será obrigado a filiar-se ou a manter-se filiado a sindicato.


B) é facultativa a participação dos sindicatos nas negociações coletivas de trabalho.
C) ninguém será obrigado a filiar-se ou a manter-se filiado a sindicato.
D) é vedada a participação dos sindicatos nas negociações coletivas de trabalho.

2) A CF/88 em seus direitos fundamentais, consagrou a participação dos aposentados nos


sindicatos. Marque a alternativa que está expressamente de acordo com o texto constitucional.

A) o aposentado tem direito a votar e ser votado nas organizações sindicais


B) o aposentado filiado tem direito a votar e ser votado nas organizações sindicais.
C) o aposentado filiado tem direito a votar nas organizações sindicais.
D) o aposentado filiado tem direito de ser votado nas organizações sindicais.

3) Acerca dos Direitos Fundamentais, assinale a alternativa que corrobora com texto
constitucional.

A) é assegurada a dispensa do empregado sindicalizado a partir do registro da candidatura a


cargo de direção ou representação sindical e, se eleito, ainda que suplente, até um ano após o
final do mandato, salvo se cometer falta grave nos termos da lei.
B) é vedada a dispensa do empregado sindicalizado a partir da eleição a cargo de direção ou
representação sindical ou ainda como suplente, até um ano após o final do mandato, salvo se
cometer falta grave nos termos da lei.
C) é vedada a dispensa do empregado sindicalizado a partir do registro da candidatura a cargo
de direção ou representação sindical e, se eleito, ainda que suplente, até um ano após o final
do mandato.
D) é vedada a dispensa do empregado sindicalizado a partir do registro da candidatura a cargo
de direção ou representação sindical e, se eleito, ainda que suplente, até um ano após o final
do mandato, salvo se cometer falta grave nos termos da lei.

3
APROFUNDANDO NO QUE CAI

1-Aplica-se aos servidores ocupantes de cargo público, exceto:

a) Assistência gratuita aos filhos e dependentes desde o nascimento até seis anos de
idade em creches e pré-escolas.
b) Salário-família pago em razão do dependente do trabalhador de baixa renda nos termos
da lei.
c) Remuneração do serviço extraordinário superior, no mínimo, em cinquenta por cento à
do normal.
d) Licença-paternidade, nos termos fixados em lei.

2-Acerca dos direitos e das garantias fundamentais, julgue o item.

Além de legitimar a constituição de direito subjetivo público, as normas que preveem direitos
sociais podem repercutir sobre a ordem jurídica em geral, dando ensejo a uma expansão direta
ou indireta no plano do direito ordinatório.

( ) Certo

( ) Errado

3-Depois de um longo período de desemprego, José da Silva foi contratado pela


empresa Lar Doce Lar Ltda. para trabalhar como vendedor em uma loja de materiais de
construção. Dentre os direitos sociais previstos na Constituição Federal, José da Silva
fará jus

a) À participação nos lucros, ou resultados, vinculada à sua remuneração, e,


excepcionalmente, participação na gestão da empresa, conforme definido em lei.
b) À duração do trabalho normal não superior a oito horas diárias e quarenta e oito
semanais, facultada a compensação de horários e a redução da jornada, mediante
acordo ou convenção coletiva de trabalho.
c) Ao seguro contra acidentes de trabalho, a cargo do empregador, sem excluir a
indenização a que este está obrigado, quando incorrer em dolo ou culpa.
d) À assistência gratuita aos filhos e dependentes desde o nascimento até 6 anos de idade
em creches e pré-escolas.
e) Ao aviso prévio proporcional ao tempo de serviço, sendo no mínimo de trinta e cinco
dias, nos termos da lei.

4
4-Os direitos sociais são direitos fundamentais do cidadão, assegurados pelo art. 6º da
Constituição Federal.
Com relação à Seguridade Social, assinale a alternativa incorreta.

a) Visa erradicar males sociais, como a pobreza e a marginalização, reduzindo as


desigualdades sociais.
b) Como princípio, a seguridade social existe para tentar alcançar uma sociedade solidária,
igualitária e justa para todos.
c) Consiste num conjunto de ações e políticas sociais que visam a promover o
estabelecimento de uma sociedade mais igualitária e justa.
d) Refere-se a um sistema de proteção social que assegura às pessoas alguns direitos
básicos relativos somente à previdência.

5-Em toda sua formação, os Direitos Sociais são trabalhados exaustivamente, uma vez
que tais direitos são fundamentais para atuação da categoria e pauta para viabilização
das políticas sociais a toda população.

Dessa forma, definem-se, entre outros, como Direitos Sociais:

a) Previdência social, assistência aos desamparados e moradia.


b) Alimentação, saúde e greve.
c) Educação, previdência social e acesso à cultura.
d) Assistência aos desamparados, bolsa família e vale renda.

6-Leia as afirmativas a seguir:

I. No Brasil, a Consituição Federal de 1988 determina ser livre a expressão da atividade


científica, independentemente de censura ou licença.

II. A Constituição Federal de 1988 garante a proteção aos locais de culto e a suas
liturgias, respeitada a legislação vigente.

III. São crimes de responsabilidade os atos do presidente da República a favor do


exercício dos direitos políticos, individuais e sociais, nos termos da Constituição da
República Federativa do Brasil de 1988.

IV. No Brasil, são direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação e o trabalho,


apenas.

Marque a alternativa CORRETA:

a) Nenhuma afirmativa está correta.


b) Apenas uma afirmativa está correta.

5
c) Apenas duas afirmativas estão corretas.
d) Apenas três afirmativas estão corretas.
e) Todas as afirmativas estão corretas.

7-De acordo com o artigo 8° da Constituição Federal, é livre a associação sindical,


observado o seguinte:

a) É obrigatória autorização do Estado para a fundação de sindicato, vedadas ao Poder


Público a interferência e a intervenção na organização sindical.
b) A criação de organização sindical, em qualquer grau, representativa de categoria
profissional ou econômica se aperfeiçoará com o registro do respectivo ato constitutivo
no Registro Civil das Pessoas Jurídicas.
c) É obrigatória a filiação ao sindicato da respectiva categoria.
d) É facultativa a participação dos sindicatos nas negociações coletivas de trabalho.
e) Ao sindicato cabe a defesa dos direitos e interesses coletivos ou individuais da
categoria, inclusive em questões judiciais ou administrativas.

8-Assinale a alternativa INCORRETA.

a) A cláusula da reserva do possível, diante da garantia constitucional do mínimo


existencial, enquanto emanação direta do postulado da essencial dignidade da pessoa
humana, não pode ser invocada pelo Estado com a finalidade de frustrar ou inviabilizar a
implementação de políticas públicas definidas na própria Constituição.
b) A educação infantil, por qualificar-se como direito fundamental de toda criança, não se
expõe, em seu processo de concretização, a avaliações meramente discricionárias da
Administração Pública, caracterizando-se inconstitucional a abstenção do dever de
implementar políticas públicas definidas no próprio texto constitucional.
c) Pelo princípio da proibição do retrocesso em matéria de direito a prestações positivas do
Estado, a ação estatal deve caminhar no sentido da ampliação dos direitos fundamentais
e de assegurar-lhes a máxima efetividade possível, ou que, depois de consagrá-los, não
possa eliminá-los sem alternativas ou compensações.
d) Os direitos sociais, segundo a jurisprudência, estão constitucionalmente consagrados
em normas programáticas que, embora não sejam destituídas de certo grau de
efetividade, não servem de fundamento para a exigência em juízo de prestações
positivas do Estado.
e) É lícito ao Poder Judiciário, considerando a supremacia da dignidade da pessoa
humana, impor à Administração Pública obrigação de fazer, consistente na promoção de
medidas ou na execução de obras emergenciais em estabelecimentos prisionais.

9-Segundo a Constituição Federal de 1988, são direitos dos trabalhadores urbanos e


rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social:

I. fundo de garantia do tempo de serviço;

6
II. remuneração do trabalho noturno inferior à do diurno, já que à noite o movimento é
menor;

III. aposentadoria;

IV. licença-paternidade, nos termos fixados em lei.

Dentre os itens acima, estão corretos, apenas:

a) I e II.
b) I e III.
c) I, III e IV.
d) II, III e IV.
e) III e IV.

10-Consoante a Constituição da República Federal do Brasil, são direitos dos


trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição
social, o (a).

a) Seguro contra acidentes de trabalho, a cargo do empregador, excluindo a indenização a


que este está obrigado, quando incorrer em dolo ou culpa
b) Assistência gratuita aos dependentes desde o nascimento até 5 (cinco) anos de idade
em pré-escolas.
c) Diferenciação de direitos entre o trabalhador com vínculo empregatício permanente e o
trabalhador avulso.
d) Remuneração do serviço extraordinário superior, no mínimo, em trinta por cento à do
normal.

7
QUESTÃO EXTRA-É direito constitucionalmente assegurado aos trabalhadores urbanos e
rurais, e que visa à melhoria de sua condição social:

a) A criminalização do assédio moral no ambiente de trabalho.


b) Filiado ao sindicato de sua classe profissional, sob pena de sanção ético-administrativa.
c) A violação dos princípios éticos e morais da administração em caso de guerra civil.
d) A impossibilidade de prisão civil por divida do devedor de obrigação alim entícia e do
depositário infiel.
e) A proibição de diferença de salários, de exercício de funções e de critério de admissão
por motivo de sexo, idade, cor ou estado civil.

8
GABARITO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
1. C
2. B
3. D
APROFUNDANDO NO QUE CAI
1-A
2-CERTO
3-C
4-D
5-A
6-C
7-E
8-D
9-C
10-B
QUESTÃO EXTRA-E

9
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

Fique atento aos incisos VII e VIII.

10
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

11
SUMÁRIO
ART. 9º AO ART. 11..................................................................................................................................2
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO.....................................................................................................................3
APROFUNDANDO NO QUE CAI.............................................................................................................4
QUESTÃO EXTRA....................................................................................................................................8
GABARITO................................................................................................................................................9
RESUMÃO LJORTANO...........................................................................................................................10

ENTÃO VAMOS LÁ, LJORTANOS....

1
CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988

CAPÍTULO II
DOS DIREITOS SOCIAIS

Art. 9º É assegurado o direito de greve, competindo aos trabalhadores decidir sobre a


oportunidade de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender.
Comentário: Fique atento(a), a greve é um direito constitucional, logo, pode ser feita.
§ 1º A lei definirá os serviços ou atividades essenciais e disporá sobre o atendimento das
necessidades inadiáveis da comunidade.
Comentário: Repare que a constituição, estabeleceu que a lista de serviços ou atividades
essenciais, ficará a cargo de outra lei, logo, não se remeta a nossa carta magna.
§ 2º Os abusos cometidos sujeitam os responsáveis às penas da lei.

Art. 10. É assegurada a participação dos trabalhadores e empregadores nos colegiados dos
órgãos públicos em que seus interesses profissionais ou previdenciários sejam objeto de
discussão e deliberação.

Art. 11. Nas empresas de mais de duzentos empregados, é assegurada a eleição de um


representante destes com a finalidade exclusiva de promover-lhes o entendimento direto com
os empregadores.
Comentário: Não se trata de formação de sindicato. Apenas uma forma de facilitar a
comunicação entre patrões e empregados. Repare no termo: mais de duzentos, ou seja, a
partir de duzentos e um funcionários, a empresa poderá aplicar essa regra.

2
EXERCICIOS DE FIXAÇÃO

1) Assinale a resposta correta:

A) É assegurado o direito de greve, competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade


de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender.
B) É obrigatório o direito de greve, competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade
de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender.
C) É facultativo o direito de greve, competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade
de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender
D) É essencial o direito de greve, competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade
de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender

2) De acordo com o artigo 9° da Constituição Federal, o direito de greve poderá ser exercido,
observado o seguinte:

A) Medida provisória definirá os serviços ou atividades essenciais e disporá sobre o


atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade.
B) O sindicato definirá os serviços ou atividades essenciais e disporá sobre o atendimento das
necessidades inadiáveis da comunidade.
C) A lei definirá os serviços ou atividades essenciais e disporá sobre o atendimento das
necessidades inadiáveis da comunidade.
D) A constituição definirá os serviços ou atividades essenciais e disporá sobre o atendimento
das necessidades inadiáveis da comunidade.

3) Ao tratar dos Direitos Sociais, a Constituição Federal determina que

A) nas empresas de mais de duzentos empregados, é assegurada a eleição de três


representantes destes para, entre outras finalidades, promover o entendimento direto com os
empregadores.
B) a lei poderá exigir autorização do Estado para a fundação de sindicato, bem como o registro
no órgão competente, vedada ao poder público a interferência, e permitida a intervenção na
organização sindical.
C) não é obrigatória a participação dos sindicatos nas negociações coletivas de trabalho.
D) é vedada a criação de mais de uma organização sindical, em qualquer grau, representativa
de categoria profissional ou econômica, na mesma base territorial, que será definida pelos
trabalhadores ou empregadores interessados, não podendo ser inferior à área de um
Município.
E) não é vedada a dispensa do empregado sindicalizado a partir do registro da candidatura a
cargo de direção ou representação sindical.

3
APROFUNDANDO NO QUE CAI

1-Suponha que um grupo de auditores internos, o qual representa a maioria dos


profissionais dessa classe, se reúna para criar uma associação cujo fim é cuidar dos
interesses da classe. Após a criação, os demais auditores que ainda não se associaram
recebem uma carta intimando-os a fazê-lo no prazo de 30 dias, sob pena instauração de
sindicância para apurar sua conduta infratora. Diante dessa situação, é correto afirmar
que:

a) Associar-se ao novo organismo criado é dever constitucional do servidor, já que a


associação foi criada pela maioria dos auditores.
b) Associar-se ao novo organismo criado é dever constitucional do servidor, visto que todo
servidor público deve pertencer a uma associação de servidores.
c) Segundo a Constituição, ninguém poderá ser compelido a associar-se ou a permanecer
associado, de modo que a ameaça de instauração de sindicância contra o servidor que
não se associar é inconstitucional.
d) Segundo a Constituição, ninguém poderá ser compelido a associar-se ou a permanecer
associado, mas é possível a associação compulsória quando a entidade é criada por
mais da metade dos profissionais de determinada classe trabalhadora.
e) Aos servidores públicos são proibidas a sindicalização e a greve.

2-Quanto aos direitos sociais previstos na Constituição Federal, pode-se afirmar:

I. O salário-família é pago indistintamente a todos os brasileiros em razão da relação de


dependência do trabalhador nos termos da legislação aplicável.

II. A gratificação de férias anuais remuneradas não está limitada a um terço do salário
normal do trabalhador.

III. O servidor público regido pelo regime estatutário faz jus ao fundo de garantia por
tempo de serviço.

IV. Em caso de acidente do trabalho, o trabalhador tem direito a seguro, com encargo ao
empregador, e por isso não tem direito a qualquer indenização civil decorrente do
acidente ocorrido em razão da função desempenhada.

a) Somente a proposição IV está correta.


b) Somente as proposições II e III estão corretas.
c) Somente a proposição III está correta.
d) Somente a proposição II está correta.
e) Somente as proposições I e IV estão corretas.

4
3-O Art. 2º do Pacto Internacional dos Direitos Econômicos e Sociais afirma: “Cada
Estado Parte do presente Pacto compromete-se a adotar medidas, tanto por esforço
próprio como pela assistência e cooperação internacionais, principalmente nos planos
econômico e técnico, até o máximo de seus recursos disponíveis, que visem a
assegurar, progressivamente, por todos os meios apropriados, o pleno exercício dos
direitos reconhecidos no presente Pacto, incluindo, em particular, a adoção de medidas
legislativas”.

A ideia de realização progressiva dos direitos sociais contém na sua base, no que se
refere à responsabilidade do Estado pelos direitos humanos, o princípio:

a) Do devido processo legal;


b) Da presunção de inocência;
c) Da reserva do possível;
d) Da irretroatividade das leis;
e) Da vedação ao retrocesso.

4-Considerando os direitos sociais expressamente previstos na Constituição Federal


vigente, assinale a alternativa correta.

a) O aposentado filiado não tem direito a votar e ser votado nas organizações sindicais.
b) São proibidos o trabalho noturno, perigoso ou insalubre a menores de dezesseis anos e
qualquer trabalho a menores de quatorze anos, salvo na condição de aprendiz.
c) É direito do trabalhador a proteção do salário na forma da lei, constituindo crime sua
retenção dolosa.
d) É direito do trabalhador o repouso semanal remunerado, sem qualquer preferência
quanto ao dia da sua concessão.
e) É livre a associação profissional ou sindical, cabendo ao sindicato a defesa dos direitos
e interesses coletivos ou individuais da categoria, exclusivamente em questões
administrativas.

5-Os direitos sociais tiveram um grande avanço na Constituição de 1988 em comparação


às legislações anteriores. Nesse sentido, é correto afirmar que.

a) Os direitos sociais contemplam apenas cidadãos considerados vulneráveis.


b) São considerados direitos sociais a inafastabilidade da justiça e a presunção da
inocência.
c) Os direitos trabalhistas como férias e 13º salário pertencem ao rol de direitos sociais.
d) A isonomia perante a lei é uma conquista contemplada no rol de direitos sociais.
e) Direitos sociais e direitos da personalidade são sinônimos.

6-Em relação aos Sindicatos, observada a legislação nacional a respeito da matéria, é


correto afirmar que.

5
a) É possível a criação de mais de um sindicato da mesma categoria em uma mesma base
territorial.
b) Os sindicatos não devem participar das negociações coletivas de trabalho da categoria
que representam.
c) Não há vedação à sindicalização dos militares.
d) É vedada, ao servidor público civil, a associação sindical.
e) Segundo a Constituição da República Federativa do Brasil, é livre a associação
profissional ou sindical, observados os termos constitucionais.

7-São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o


transporte, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à
infância, a assistência aos desamparados. Acerca dos direitos sociais, marque a
alternativa correta:

a) O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) é direito dos trabalhadores urbanos,
dos trabalhadores rurais, assim como os servidores públicos, têm acesso a esse
benefício;
b) Por ser uma atividade mais desgastante, o trabalhador rural tem direito a remuneração
noturna superior à diurna; o trabalhador urbano não faz jus à esse benefício;
c) É um direito social dos trabalhadores urbanos e rurais perceber diferença salarial, de
exercício de funções e de critério de admissão por motivo de sexo, idade, cor ou estado
civil;
d) Tanto ao trabalhador urbano quanto ao rural, é vedado o trabalho noturno, perigoso ou
insalubre a menores de dezoito e de qualquer trabalho a menores de dezesseis anos,
salvo na condição de aprendiz, a partir de quatorze anos de idade.

8-A Constituição Federal determina que é livre a associação profissional ou sindical,


observado o seguinte:

a) A lei poderá exigir autorização do Estado para a fundação de sindicato, sendo admitidas,
ao Poder Público, a interferência e a intervenção na organização sindical nos casos
previstos em lei.
b) É facultativa a participação dos sindicatos nas negociações coletivas de trabalho.
c) O aposentado filiado tem direito a votar e ser votado nas organizações sindicais.
d) É vedada a dispensa do empregado sindicalizado a partir do registro da candidatura a
cargo de direção ou representação sindical e, se eleito, ainda que suplente, até dois
anos após o final do mandato, salvo se cometer falta grave nos termos da lei.
e) A assembleia geral fixará a contribuição que, em se tratando de categoria profissional,
será descontada em folha, para custeio do sistema confederativo da representação
sindical respectiva, caso em que será dispensada a contribuição prevista em lei.

9-Em relação à Constituição Federal de 1988 (capítulo II) e considerando a Emenda


Constitucional n° 90/15, assinale a alternativa que apresenta os direitos sociais previstos
nesse capítulo e nessa emenda.

a) O direito à educação, à saúde, à alimentação, ao trabalho, à moradia, ao transporte, ao


lazer, à segurança, à previdência social, à proteção à maternidade e à infância e à
assistência aos desamparados.

6
b) O direito à educação, ao trabalho, à seguridade social, ao transporte, ao esporte, ao
lazer, à proteção aos desamparados, à assistência social, à saúde, à previdência social
e à cultura.
c) O direito à educação, à saúde, à seguridade social, à assistência social, à previ dência
social, ao esporte e ao lazer, à cultura, à alimentação, à proteção à infância e à
maternidade e ao salário mínimo.
d) O direito à educação, à saúde, à alimentação, ao trabalho, à moradia, ao lazer, à
segurança, à previdência social, à proteção à maternidade e à infância e à assistência
aos desamparados.

10-São direitos sociais dos trabalhadores urbanos e rurais, EXCETO

a) Salário mínimo regionalizado, capaz de atender a suas necessidades vitais básicas e às


de sua família, como moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene,
transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhes preservem o poder
aquisitivo, sendo vedada sua vinculação para qualquer fim.
b) Piso salarial proporcional à extensão e à complexidade do trabalho.
c) Irredutibilidade do salário, salvo o disposto em convenção ou acordo coletivo.
d) Garantia de salário, nunca inferior ao mínimo, para os que percebem remuneração
variável.
e) Remuneração do trabalho noturno superior à do diurno.

7
QUESTÃO EXTRA-Sobre a previsão dos direitos fundamentais no Brasil, por meio da
Constituição Federal, assinale a alternativa correta.

a) A prática do racismo constitui crime inafiançável e imprescritível, sujeito à pena de


detenção, nos termos da lei.
b) O mandado de segurança coletivo pode ser impetrado por qualquer partido político.
c) A norma insculpida no art. 7° inciso XXVII, da Constituição Federal, que garante aos
trabalhadores urbanos e rurais “proteção em face da automação”, na forma da lei, é uma
norma de eficácia limitada.
d) É assegurado ao Júri a competência dos crimes dolosos e culposos contra a vida.
e) Nenhum brasileiro será extraditado, salvo o naturalizado, em caso de crime comum,
praticado após a naturalização, ou de comprovado envolvimento em organização
criminosa.

8
GABARITO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

1. A
2. C
3. D

APROFUNDANDO NO QUE CAI


1-C
2-D
3-E
4-C
5-C
6-E
7-D
8-C
9-A
10-A
QUESTÃO EXTRA-C

9
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

Fique atento Artigos 9º e 11.

10
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

11
SUMÁRIO
ART. 12 CAPUT AO INCISO I..................................................................................................................2
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO.....................................................................................................................3
APROFUNDANDO NO QUE CAI.............................................................................................................4
QUESTÃO EXTRA....................................................................................................................................7
GABARITO................................................................................................................................................8
RESUMÃO LJORTANO...........................................................................................................................9

ENTÃO VAMOS LÁ, LJORTANOS....

1
CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988

CAPÍTULO III
DA NACIONALIDADE

Comentário: nacionalidade é um vínculo jurídico, entre o nascituro e o país que o recebe. O


Brasil adota dois critérios para obtenção de nacionalidade: jus soli ("direito do solo") tem como
critério para atribuição da nacionalidade o território onde nasceu. Pelo sistema do jus sanguinis,
a nacionalidade originária obtém-se de acordo com a dos pais, à época do nascimento.
Atenção: o conceito de nacionalidade e cidadania não se confundem. O primeiro, pode ser
concedido independentemente da idade, o segundo, refere-se a capacidade de votar e ser
votado, no Brasil isso é adquirido de forma plena a partir dos 18 anos.
Art. 12. São brasileiros:
I - natos:
a) os nascidos na República Federativa do Brasil, ainda que de pais estrangeiros, desde que
estes não estejam a serviço de seu país;
Comentário: jus soli. Fique atento ao grifo.
b) os nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro ou mãe brasileira, desde que qualquer deles
esteja a serviço da República Federativa do Brasil;
Comentário: jus sanguinis. Pois nasceu em outro país, mas como o pai ou a mãe são
brasileiros e um deles está a serviço da RFB, o vínculo de nacionalidade se estende ao filho(a).
c) os nascidos no estrangeiro de pai brasileiro ou de mãe brasileira, desde que sejam
registrados em repartição brasileira competente ou venham a residir na República Federativa
do Brasil e optem, em qualquer tempo, depois de atingida a maioridade, pela nacionalidade
brasileira;
Comentário: jus sanguinis. Pois nasceu em outro país, mas como dessa vez o pai ou a mãe
brasileiros e nenhum deles estava a serviço da RFB, orienta-se a registrar a criança em
repartição brasileira competente ou permitir que ela, após atingida a maioridade ao morar no
Brasil, opte também pela nossa nacionalidade.

2
EXERCICIOS DE FIXAÇÃO

1) De acordo com os direitos e garantias fundamentais, é correto afirmar:

A) é permitido o direito de reunião pacífica, sem armas, em locais abertos ao público, mediante prévia
autorização de órgão competente para defesa do patrimônio público.
B) é proibido o trabalho noturno, perigoso ou insalubre a menores de dezoito e de qualquer trabalho a
menores de quatorze anos, salvo na condição de aprendiz, a partir de doze anos.
C) são brasileiros natos os nascidos na República Federativa do Brasil, ainda que de pais estrangeiros,
desde que estes estejam a serviço de seu país e os nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro ou mãe
brasileira, ainda que qualquer deles não esteja a serviço do País e sejam registrados em repartição
brasileira competente ou venham a residir na República Federativa do Brasil e optem, em qualquer
tempo, até atingirem a maioridade, pela nacionalidade brasileira.
D) O sindicato deverá ter área mínima de um município.

2) Acerca da nacionalidade a Constituição Federal dispõe que

A) os nascidos na República Federativa do Brasil de pais estrangeiros que estejam a serviço de


seu país são brasileiros naturalizados.
B) os nascidos na República Federativa do Brasil, ainda que de pais estrangeiros, desde que
estes não estejam a serviço de seu país, são brasileiros natos.
C) os nascidos fora da República Federativa do Brasil, ainda que de pais estrangeiros, desde
que estes não estejam a serviço de seu país, são brasileiros natos.
D) os nascidos na República Federativa do Brasil, somente de pais brasileiros, desde que estes
não estejam a serviço de seu país, são brasileiros natos.

3) Sobre os direitos de nacionalidade na Constituição Federal de 1988 é correto afirmar que

A) os nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro ou mãe brasileira, desde que qualquer deles
esteja a serviço da República Federativa do Brasil, serão brasileiros naturalizados.
B) os nascidos no estrangeiro, desde que sejam registrados em repartição brasileira
competente ou venham a residir na República Federativa do Brasil e optem, em qualquer
tempo, depois de atingida a maioridade, pela nacionalidade brasileira, serão brasileiros natos.
C) os nascidos no estrangeiro de pai brasileiro ou de mãe brasileira, desde que sejam
registrados em repartição brasileira competente ou venham a residir na República Federativa
do Brasil e optem, em qualquer tempo, depois de atingida a maioridade, pela nacionalidade
brasileira.
D) os nascidos no estrangeiro de pai brasileiro e de mãe brasileira, desde que sejam
registrados em repartição brasileira competente ou venham a residir na República Federativa
do Brasil e optem, em qualquer tempo, depois de atingida a maioridade, pela nacionalidade
brasileira.

3
APROFUNDANDO NO QUE CAI

1-Hector Gonzales, brasileiro naturalizado, contando atualmente 32 anos de idade,


pretende disputar cargo eletivo no Brasil.

Considerando as regras dispostas na Constituição Federal, Hector poderá concorrer

a) Ao cargo de Governador e Vice-Governador de Estado.


b) Apenas aos cargos do Poder Legislativo, pois os do Executivo são restritos aos
brasileiros natos.
c) Somente aos cargos de Prefeito, Vereador e Deputado Estadual, tendo em vista a
limitação de idade.
d) Somente aos cargos de Deputado Federal e Senador da República.
e) A qualquer cargo eletivo, haja vista o pleno direito à elegibilidade consagrado na
Constituição, com Exceção ao de Presidente da República, exclusivo aos brasileiros
natos.

2-Considere a seguinte situação hipotética:

Marlon, brasileiro nato, é jogador de futebol; em função de sua profissão, foi transferido
para jogar na Ucrânia. Alguns meses após a sua chegada, o time ao qual está vinculado
exige que ele se naturalize ucraniano como condição para permanecer jogando e em
cumprimento ao seu contrato de trabalho.

Nesse caso em específico, a respeito do quanto disciplinado pela Constituição Federal


brasileira acerca dos direitos de nacionalidade, é correto afirmar que

a) Ao adquirir voluntariamente uma nova nacionalidade, Marlon perderá automaticamente a


nacionalidade brasileira.
b) Ao adquirir a nova nacionalidade, Marlon perderá a nacionalidade brasileira, desde que
por decisão do Ministro da Justiça, após processo judicial que garanta contraditório e
ampla defesa.
c) Marlon apenas perderá a nacionalidade brasileira se, após retornar ao Brasil, a qualquer
tempo, não solicitar ao Ministério da Justiça a reaquisição do seu direito de
nacionalidade.
d) Marlon manterá a nacionalidade brasileira e também terá a nacionalidade ucraniana,
tratando-se de caso de dupla nacionalidade, uma vez que a aquisição da nova
nacionalidade decorreu de exigência como condição de exercício de seus direitos na
Ucrânia.
e) Marlon manterá a nacionalidade brasileira e terá a nacionalidade ucraniana, mas terá
que retornar ao Brasil, obrigatoriamente, no prazo máximo de 10 (dez) anos, sob pena
de perder a nacionalidade brasileira em definitivo.

4
3-A Constituição Federal prevê a regra geral de que nenhum brasileiro será extraditado.
No entanto, em caso de comprovado envolvimento em tráfico ilícito de entorpecentes e
drogas afins, pode-se afirmar corretamente:

a) Há plena possibilidade de extradição do brasileiro nato.


b) Está peremptoriamente vedada a extradição do brasileiro naturalizado.
c) O brasileiro nato somente não será extraditado se for casado com brasileira.
d) O brasileiro naturalizado jamais será extraditado se tiver filho brasileiro.
e) Enquanto está vedada a extradição do brasileiro nato, há permissão constitucional para
a extradição do brasileiro naturalizado.

4-O reconhecimento do direito fundamental à nacionalidade traz como consequência,


entre outras,

a) A exigência em prol da concessão da nacionalidade ao estrangeiro, quando houver


dúvida.
b) Que a perda da nacionalidade seja efetivada de modo a não favorecer a manutenção do
vínculo, desconsiderando a vontade do indivíduo.
c) O poder do Estado de obstar o desejo do indivíduo de renunciar ou mudar de
nacionalidade.
d) A relativização da regra da anualidade eleitoral.
e) Ser pressuposto básico para a obtenção da condição de cidadão, ou seja, estrangeiros
não podem exercer direitos políticos.

5- Alejandro é brasileiro naturalizado e está sendo acusado judicialmente de exercer


atividade nociva ao interesse nacional; Cláudia é brasileira nata e teve uma outra
nacionalidade originária assim reconhecida pela lei estrangeira; Marcos é brasileiro nato
residente em Estado estrangeiro, tendo se naturalizado naquele país como condição
para sua permanência no território. Com fundamento na Constituição Federal, sentença
judicial poderá declarar a perda da nacionalidade a

a) Alejandro e Cláudia, apenas.


b) Alejandro, Cláudia e Marcos.
c) Cláudia e Marcos, apenas.
d) Alejandro, apenas.
e) Alejandro e Marcos, apenas.

6- Considere que determinada mulher, filha de mãe brasileira e pai estrangeiro, nascida
em país cuja lei lhe reconhece nacionalidade originária e durante período em que sua
mãe lá estava a serviço da República Federativa do Brasil, venha a residir no Brasil,
depois de atingida a maioridade. Nessa hipótese, referida mulher

a) É considerada brasileira nata, não podendo vir a ser extraditada, quaisquer que sejam
as circunstâncias e a natureza do delito pelo qual o requeira Estado estrangeiro.

5
b) Não faz jus à nacionalidade originária brasileira, embora possa vir a ser naturalizada,
após residir por quinze anos ininterruptos no Brasil e desde que não sofra condenação
penal.
c) Será considerada brasileira naturalizada, podendo vir a ser autorizada sua extradição,
mediante processo de competência originária do Supremo Tribunal Federal, em caso de
comprovado envolvimento em tráfico ilícito de entorpecentes.
d) É considerada estrangeira, condição em virtude da qual não será concedida sua
extradição apenas por crime político ou de opinião.
e) Será considerada brasileira nata, desde que opte pela nacionalidade brasileira, mediante
processo de competência da Justiça Federal.

7-Assinale abaixo o único cargo que é privativo de brasileiro nato.

a) Juiz de paz
b) Vereador
c) Governador
d) Presidente do Senado Federal
e) Ministro da Fazenda

8-Nos termos da Constituição Federal de 1988, são privativos de brasileiro nato os


cargos, EXCETO:

a) O de Presidente da República.
b) O de Oficial das Forças Armadas.
c) O de Carreira Diplomática.
d) O de Membro da Câmara dos Deputados.

9-De acordo com a Constituição Federal brasileira, sobre os direitos de nacionalidade, é


certo assinalar que

a) São brasileiros natos os nascidos na República Federativa do Brasil, ainda que de pais
estrangeiros, desde que estes não estejam a serviço do seu país.
b) Os estrangeiros de qualquer nacionalidade podem requerer a nacionalidade brasileira
desde que residam na República Federativa do Brasil há mais de 10 anos ininterruptos e
não tenham condenação criminal.
c) Os estrangeiros originários de países de língua portuguesa podem requerer a
nacionalidade brasileira desde que residam em território nacional ininterruptamente por
no mínimo 2 anos e possuam idoneidade moral.
d) São privativos de brasileiros natos, dentre outros, os cargos de Presidente e Vice-
Presidente da República, Governador de Estado e Ministro do Supremo Tribunal
Federal.
e) A distinção entre brasileiros natos e naturalizados somente pode se dar mediante lei
ordinária, nos termos definidos pela Constituição.

6
10-“Nenhum homem livre será preso, aprisionado ou privado de uma propriedade, ou
tornado fora da lei, ou exilado, ou de maneira alguma destruído, nem agiremos contra ele
ou mandaremos alguém contra ele, a não ser por julgamento legal dos seus pares, ou
pela lei da terra.”

Essa é a cláusula 39 da Magna Carta que foi aprovada na Inglaterra em 1215 para impedir
o exercício do poder absoluto do monarca. O direito consagrado na Constituição da
República de 1988, que é a expressão daquilo que está afirmado nessa cláusula, é o:

a) Direito à igualdade;
b) Direito à não discriminação;
c) Direito de petição;
d) Direito ao devido processo legal;
e) Direito à nacionalidade.

QUESTÃO EXTRA- João, brasileiro nato, após devido processo legal, transitado em
julgado, perdeu a nacionalidade brasileira em razão de ter optado voluntariamente por
nacionalidade estrangeira. Anos depois, João retornou ao Brasil e adquiriu a
nacionalidade brasileira por meio da naturalização. De acordo com a Constituição
Federal, assinale qual dos cargos a seguir poderá ser ocupado por João.

a) Ministro do Supremo Tribunal Federal.


b) Oficial das forças armadas.
c) Embaixador.
d) Senador.
e) Ministro de Estado de Defesa.

7
GABARITO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

1. D
2. B
3. C

APROFUNDANDO NO QUE CAI

1-A
2-D
3-E
4-A
5-D
6-A
7-D
8-D
9-A
10-D
QUESTÃO EXTRA-D

8
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

No Artigo 12, inciso I, traz somente hipóteses para obtenção do vínculo nato, mesmo
nascendo fora do Brasil. Atentos!

9
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

10
SUMÁRIO
ART. 12, II AO §3º......................................................................................................................................2
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO.....................................................................................................................4
APROFUNDANDO NO QUE CAI.............................................................................................................5
QUESTÃO EXTRA....................................................................................................................................8
GABARITO................................................................................................................................................9
RESUMÃO LJORTANO...........................................................................................................................10

ENTÃO VAMOS LÁ, LJORTANOS....

1
CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988

CAPÍTULO III
DA NACIONALIDADE
Art. 12. São brasileiros:
II - naturalizados:

a) os que, na forma da lei, adquiram a nacionalidade brasileira, exigidas aos originários de


países de língua portuguesa apenas residência por um ano ininterrupto e idoneidade moral;

b) os estrangeiros de qualquer nacionalidade, residentes na República Federativa do Brasil há


mais de quinze anos ininterruptos e sem condenação penal, desde que requeiram a
nacionalidade brasileira.

Comentário: os casos de obtenção de vínculo naturalizado, são bem objetivos e simples. É


originário de país de língua portuguesa (Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique,
Portugal, São Tomé e Príncipe, Timor- Leste)? Sim. Exigido apenas residência um ano
ininterrupto e idoneidade moral. Aos demais, deve morar aqui por mais de quinze anos
ininterruptos, não ter condenação penal, além de requerer a nacionalidade brasileira.

§ 1º Aos portugueses com residência permanente no País, se houver reciprocidade em favor


de brasileiros, serão atribuídos os direitos inerentes ao brasileiro, salvo os casos previstos
nesta Constituição.

Comentário: não é troca de nacionalidade, trata-se de um acordo internacional entre Brasil e


Portugal. Portanto, damos o nome de “português equiparado”.

§ 2º A lei não poderá estabelecer distinção entre brasileiros natos e naturalizados, salvo nos
casos previstos nesta Constituição.

Comentário: somente a Constituição pode estabelecer diferenças entre natos e naturalizados.

§ 3º São privativos de brasileiro nato os cargos:

I - de Presidente e Vice-Presidente da República;

II - de Presidente da Câmara dos Deputados;

III - de Presidente do Senado Federal;

IV - de Ministro do Supremo Tribunal Federal;

V - da carreira diplomática;

2
VI - de oficial das Forças Armadas.

VII - de Ministro de Estado da Defesa

Comentário: MACETE -> MP3.COM

MP3 (MOTIVO: LINHA SUCESSÓRIA DO PRESIDENTE)

Ministro do Supremo Tribunal Federal;


Presidente e Vice-Presidente da República;
Presidente da Câmara dos Deputados;
Presidente do Senado Federal;

COM (MOTIVO: DEFESA NACIONAL)

Carreira diplomática;
Oficial das Forças Armadas.
Ministro de Estado da Defesa

3
EXERCICIOS DE FIXAÇÃO

1) Nos termos da Constituição Federal de 1988, são privativos de brasileiro nato os cargos,
EXCETO:

A) o de Presidente da República.
B) o de Oficial das Forças Armadas.
C) o de Carreira Diplomática.
D) o de Membro da Câmara dos Deputados.

2) A lei não poderá estabelecer distinção entre brasileiros natos e naturalizados, salvo nos casos
previstos na própria Constituição. Nesse sentido, são cargos privativos de brasileiros natos, à
EXCEÇÃO:

A) Ministro de Estado de Defesa


B) Oficial das Forças Armadas.
C) Carreira diplomática.
D) Presidente e Vice-Presidente da República.
E) Ministro do Superior Tribunal de Justiça.

3) Nos termos estritos da Constituição Federal, são brasileiros natos os

A) estrangeiros de qualquer nacionalidade, residentes na República Federativa do Brasil há


mais de vinte e cinco anos ininterruptos.
B) nascidos na República Federativa do Brasil, ainda que de pais estrangeiros, desde que
estes estejam a serviço de seu país.
C) que, na forma da lei, adquiram a nacionalidade brasileira, exigida aos originários de países
de língua portuguesa residência por dois anos ininterruptos.
D) nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro ou mãe brasileira, independentemente de registro
em repartição brasileira, antes de atingida a maioridade.
E) nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro ou mãe brasileira, desde que qualquer deles esteja
a serviço da República Federativa do Brasil.

4
APROFUNDANDO NO QUE CAI

1-Sobre a atribuição de direitos inerentes ao cidadão brasileiro, conforme definido na


Constituição Federal, e àqueles de outra nacionalidade, se houver reciprocidade em
favor de brasileiros, assinale a alternativa correta.

a) Poderão ser atribuídos administrativamente aos nacionais de países do Mercosul.


b) Poderão ser atribuídos aos sul-americanos mediante resolução da UNASUL.
c) Serão atribuídos aos africanos por meio de acordo internacional de cooperação.
d) Serão atribuídos aos portugueses com residência permanente no País.
e) Serão atribuídos aos originários de países da América Latina.

2-Segundo as disposições do art. 12 da Constituição Federal, são cargos privativos de


brasileiros natos, EXCETO o cargo de:

a) Ministro do Supremo Tribunal Federal.


b) Presidente e Vice-Presidente da República.
c) Oficial das Forças Armadas.
d) Senador.
e) Ministro de Estado da Defesa.

3-Aquele que, dada a circunstância do nascimento, não se vincula a nenhum dos


critérios que lhe demandariam uma nacionalidade,

a) É considerado polipátrida.
b) É considerado Heimatlos
c) Tem nacionalidade difusa.
d) Tem nacionalidade alternativa.
e) Tem nacionalidade restritiva.

4-A respeito dos direitos e garantias fundamentais na Constituição Federal, assinale a


afirmativa incorreta.

a) É vedada a dispensa do empregado sindicalizado a partir do registro da candidatura a


cargo de direção ou representação sindical e, se eleito, ainda que suplente, até um ano
após o final do mandato, salvo se cometer falta grave nos termos da lei.
b) É privativo de brasileiro nato o cargo de Advogado-Geral da União.
c) São símbolos da República Federativa do Brasil a bandeira, o hino, as armas e o selo
nacionais.
d) Terão direito a recursos do fundo partidário os partidos políticos que tiverem elegido pelo
menos quinze Deputados Federais distribuídos em pelo menos um terço das unidades
da Federação.
e) Os partidos políticos, após adquirirem personalidade jurídica, na forma da lei civil,
registrarão seus estatutos no Tribunal Superior Eleitoral.

5
5-Rosa Gonzales, venezuelana, chegou ao Brasil no dia 20 de julho de 2018, na cidade de
Pacaraima, onde deu à luz o filho primogênito. Rosa tem dúvidas sobre a nacionalidade
do pequeno Juan. Conforme a Constituição Federal brasileira, podemos afirmar que juan
:

a) É brasileiro nato.
b) É brasileiro naturalizado.
c) É venezuelano, uma vez que a simples entrada em outro país não garante a
nacionalidade.
d) Aos 18 anos, poderá optar por ser brasileiro.
e) Poderá requerer a nacionalidade brasileira aos 16 anos, após emancipação.

6-Claudilson Aparecido, habilidoso goleiro nascido em Goiânia e revelado no futebol


paulista, firmou contrato milionário com time destacado do Leste Europeu. Contudo,
para permanecer no país de seu novo clube, terá de se naturalizar cidadão do país em
questão. Nessa hipótese, segundo a Constituição Federal de 1988, Claudilson

a) Torna-se inalistável e inelegível.


b) Terá declarada a perda de sua nacionalidade brasileira.
c) Terá sua nacionalidade brasileira suspensa, enquanto perdurar a condição imposta pelo
país estrangeiro.
d) Não perderá a nacionalidade brasileira, mesmo que haja a prática de atividade nociva ao
interesse nacional.
e) Não perderá a nacionalidade brasileira, tendo em vista a imposição da naturalização
como condição de permanência no país de seu novo clube.

7-Em uma situação hipotética, Carlos Lúcio, professor titular de Direito Penal de
Universidade do Rio de Janeiro, nascido em Madri, Espanha, de tradicional família de
juristas lusitanos, com apenas 37 anos de vida já tem 12 livros publicados, além de ter
também larga experiência como pregador evangélico em sua terra natal, de onde saiu
aos 25 anos de idade. Todavia, ele teve sua indicação ao cargo de Ministro do Supremo
Tribunal Federal rejeitada. Isso ocorreu porque Carlos Lúcio, pelas regras da
Constituição Federal de 1988, NÃO

a) É juiz nem membro do Ministério Público


b) Tem notável saber jurídico e nem residência em Brasília.
c) É brasileiro nato.
d) Observou o princípio do Estado laico.
e) Tem a idade mínima para o cargo.

8-No que se refere aos direitos de nacionalidade, é correto afirmar:

a) São brasileiros natos os estrangeiros de qualquer nacionalidade, residentes na


República Federativa do Brasil há mais de quinze anos ininterruptos e sem condenação
penal, desde que requeiram a nacionalidade brasileira.

6
b) A lei não poderá, em qualquer hipótese e sob pena de violação ao princípio da
igualdade, estabelecer distinção entre brasileiros natos e naturalizados.
c) São brasileiros natos os nascidos no estrangeiro de pai brasileiro ou de mãe brasileira,
desde que sejam registrados em repartição brasileira competente ou venham a residir no
Brasil e optem, em qualquer tempo, depois de atingida a maioridade, pela nacionalidade
brasileira.
d) Os cargos de Vice-Presidente da República, Presidente da Câmara dos Deputados,
Presidente do Senado Federal e Ministro do Supremo Tribunal Federal poderão ser
ocupados por brasileiros natos ou naturalizados.
e) Aos portugueses com residência permanente no Brasil, se houver reciprocidade em
favor de brasileiros, serão atribuídos os direitos inerentes aos brasileiros, sem
possibilidade de qualquer distinção entre uns e outros.

9-De acordo com a Constituição Federal de 1988, quais dos seguintes cargos são
privativos de brasileiros natos?

a) Senador, Presidente e Vice-Presidente da República.


b) Oficial das Forças Armadas, Deputado Federal e Ministro do Superior Tribunal de
Justiça.
c) Oficial das Forças Armadas, Ministro do Supremo Tribunal Federal e Ministro de Estado
da Defesa.
d) Ministros de Estado, Ministro do Supremo Tribunal Federal e Ministro do Superior
Tribunal de Justiça.
e) Presidente da Câmara dos Deputados, Presidente do Senado Federal e Presidente das
Assembleias Legislativas.

10-Em relação aos direitos de nacionalidade, assinale a alternativa INCORRETA.

a) A disciplina sobre emigração e imigração, entrada, extradição e expulsão de estrangeiro


é da competência legislativa privativa da União.
b) Não impede a extradição a possibilidade de aplicação das penas de morte e de prisão
perpétua, ainda que proibidas pela ordem constitucional brasileira.
c) Nenhum brasileiro será extraditado, salvo o naturalizado, em caso de crime comum,
praticado antes da naturalização, ou de comprovado envolvimento em tráfico ilícito de
entorpecentes e drogas afins, na forma da lei.
d) A propriedade de empresa jornalística e de radiodifusão sonora e de sons e imagens é
privativa de brasileiros natos ou naturalizados há mais de 10 (dez) anos, ou de pessoas
jurídicas constituídas sob as leis brasileiras e que tenham sede no País.

7
QUESTÃO EXTRA-Em relação aos direitos de nacionalidade, assinale a alternativa
INCORRETA.

a) Não será concedida extradição de estrangeiro por crime político ou de opinião.


b) Não impede a extradição a circunstância de ser o extraditando casado com brasileira ou
ter filho brasileiro.
c) O brasileiro naturalizado poderá ser extraditado em caso de crime comum praticado
antes da naturalização ou, na forma da lei, de comprovado envolvimento em tráfico ilícito
de entorpecentes e drogas afins.
d) A Constituição considera brasileiros natos todos os nascidos no Brasil, ainda que de pais
estrangeiros, bem como os nascidos no estrangeiro, de pai e mãe brasileiros, desde que
ambos estejam a serviço do Brasil.

8
GABARITO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
1. D
2. E
3. E
APROFUNDANDO NO QUE CAI
1-D
2-D
3-B
4-B
5-A
6-E
7-C
8-C
9-C
10-B
QUESTÃO EXTRA-D

9
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

Atento(a)s ao Artigo 12, § Iº e 3º.

10
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

11
12
SUMÁRIO
ART. 12, §4º AO ART. 13..........................................................................................................................2
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO.....................................................................................................................3
APROFUNDANDO NO QUE CAI.............................................................................................................4
QUESTÃO EXTRA....................................................................................................................................7
GABARITO................................................................................................................................................8
RESUMÃO LJORTANO............................................................................................................................9

ENTÃO VAMOS LÁ, LJORTANOS....

1
CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988

CAPÍTULO III
DA NACIONALIDADE
Art. 12.
§ 4º - Será declarada a perda da nacionalidade do brasileiro que:

I - tiver cancelada sua naturalização, por sentença judicial, em virtude de atividade nociva ao
interesse nacional;

II - adquirir outra nacionalidade, salvo nos casos:

a) de reconhecimento de nacionalidade originária pela lei estrangeira;

Comentário: brasileiro nato pode perder sua nacionalidade originária brasileira? PODE.
Atento(a)s. Só não perderá, quando houver reconhecimento de outra, também originária,
ocasião em que as acumulará.

b) de imposição de naturalização, pela norma estrangeira, ao brasileiro residente em estado


estrangeiro, como condição para permanência em seu território ou para o exercício de direitos
civis;
Comentário: imposição de naturalização não gera perca do vínculo nato.

Art. 13. A língua portuguesa é o idioma oficial da República Federativa do Brasil.

§ 1º São símbolos da República Federativa do Brasil a bandeira, o hino, as armas e o selo


nacionais.

Comentário: MACETE -> BA HI A S

BAndeira/ HIno/ Armas/ Selo.

§ 2º Os Estados, o Distrito Federal e os Municípios poderão ter símbolos próprios.

2
EXERCICIOS DE FIXAÇÃO

1) Sobre os direitos de nacionalidade na Constituição Federal de 1988 é correto afirmar que

A) os brasileiros natos e naturalizados podem concorrer a mandato eletivo de Deputado Federal e


Senador.
B) a perda da nacionalidade brasileira por cancelamento de sua naturalização depende de Decreto do
Presidente da República como Chefe de Estado.
C) são brasileiros natos os estrangeiros originários de países de língua portuguesa, independentemente
de qualquer outra formalidade.
D) são brasileiros natos os estrangeiros originários de países de língua portuguesa que adquiram a
nacionalidade brasileira, sendo exigidas a residência por um ano ininterrupto e idoneidade moral.
E) a lei pode estabelecer garantias próprias ao brasileiro nato frente ao naturalizado quando estiver em
questão a preservação do Brasil.

2) O ordenamento jurídico brasileiro trata a questão do direito à nacionalidade previsto no Art. 12


da Constituição da República Federativa do Brasil como um direito fundamental. Sobre o direito
à nacionalidade brasileira, assinale a alternativa correta.

A) A mulher estrangeira casada com brasileiro recebe automaticamente a nacionalidade


brasileira.
B) Não existem diferenças entre brasileiros natos e brasileiros naturalizados.
C) No Brasil, o direito à naturalização é automático, ou seja, se o estrangeiro cumprir os
requisitos será naturalizado automaticamente independentemente de qualquer requerimento.
D) O cargo de Ministro do Superior Tribunal de Justiça é privativo de brasileiro nato.
E) São brasileiros natos os nascidos na República Federativa do Brasil, ainda que de pais
estrangeiros, desde que estes não estejam a serviço de seu país.

3) Nos termos estritos da Constituição Federal, são símbolos nacionais, exceto:

A) a bandeira.
B) o hino.
C) as armas.
D) a língua portuguesa.

3
APROFUNDANDO NO QUE CAI

1-De acordo com a Constituição Federal, é privativo de brasileiro nato o cargo de:

a) Ministro de Estado.
b) Ministro do Superior Tribunal de Justiça.
c) Deputado Federal.
d) Carreiras diplomáticas.

2- João, filho de pai jamaicano e mãe italiana, nasceu no Brasil, enquanto os pais
estavam de férias.
Nesse caso, segundo a CRFB, João

a) Possui dupla nacionalidade, brasileira e outra que venha a escolher entre jamaicana e
italiana.
b) Possui dupla nacionalidade, jamaicana e italiana.
c) Deverá fazer uma opção por sua nacionalidade.
d) É considerado brasileiro nato.

3-Com relação aos direitos e às garantias fundamentais previstos na Constituição


Federal de 1988, julgue o item a seguir.

Ainda que, em regra, inexista distinção entre brasileiros natos e naturalizados, o cargo
de oficial das Forças Armadas só poderá ser exercido por brasileiro nato.

( ) Certo

( ) Errado

4-A respeito do que estabelece a Constituição Federal sobre a nacionalidade e os


direitos políticos,

a) Não podem alistar-se como eleitores os estrangeiros e, durante o período do serviço


militar obrigatório, os conscritos.
b) As idades mínimas para a elegibilidade relativa aos cargos de Presidente da República e
Senador são, respectivamente, de 35 e 30 anos.
c) Entre os cargos privativos de brasileiro nato, estão o de Presidente da República,
Senador, Ministro do Supremo Tribunal Federal e oficial da Forças Armadas.
d) O alistamento eleitoral e o voto são facultativos para os maiores de 60 anos.
e) A lei não poderá estabelecer distinção entre brasileiros natos e naturalizados, salvo nos
casos previstos na Constituição ou na Lei de Migração.

4
5-No capítulo referente â nacionalidade, a Constituição Federal estabelece que “os
nascidos na República Federativa do Brasil, ainda que de pais estrangeiros, desde que
estes não estejam a serviço de seu país”, são considerados brasileiros:

a) Natos
b) Naturais
c) Naturalizados
d) Nacionais

6-Peter nasceu na Áustria no período em que sua mãe, Maria, brasileira nata, servidora
da União, fora designada para trabalhar na embaixada brasileira naquele país. Como
Maria era casada com Hans, de nacionalidade austríaca, Peter também tinha a
nacionalidade do pai, jamais tendo residido no território brasileiro.
Ao completar trinta anos de idade, Peter consultou um advogado sobre a possibilidade
de se candidatar a um mandato eletivo no Brasil, na eleição a ser realizada no ano
seguinte, tendo sido informado, corretamente, que

a) Os estrangeiros, como Peter, não podem concorrer a um mandato eletivo.


b) Sendo brasileiro nato, pode concorrer aos cargos eletivos privativos de brasileiro nato.
c) Somente teria nacionalidade brasileira se a lei da Áustria não reconhecesse a sua
nacionalidade austríaca originária.
d) Pode optar pela nacionalidade brasileira caso venha a residir no país, podendo
concorrer a todos os cargos eletivos.
e) Caso venha a se naturalizar brasileiro, poderá concorrer a todos os cargos eletivos não
privativos de brasileiro nato.

7-A nacionalidade pode ser definida como um status conferido a uma pessoa, onde se
afirma que aquele indivíduo é integrante de uma sociedade organizada politicamente, ou
seja, ser nacional é uma condição de uma pessoa que pertence a determinado Estado-
nação. Sobre a nacionalidade brasileira, os brasileiros podem ser brasileiros natos, ou
seja, brasileiros que nasceram no Brasil, ou brasileiros naturalizados, ou seja, indivíduos
que adquiriram a nacionalidade brasileira por alguma das hipóteses listadas na
Constituição Federal.

No que diz respeito aos direitos de nacionalidade no Brasil, podese dizer que:

a) É considerado brasileiro nato o indivíduo nascido no estrangeiro, filho de pai ou mãe


brasileira a serviço da República Federativa do Brasil, independentemente de sua
natureza.
b) Não são considerados brasileiros natos os filhos de pai ou mãe brasileira nascidos no
estrangeiro, mesmo que registrados em repartição brasileira competente.
c) Em nenhuma hipótese a lei pode diferenciar brasileiros natos e naturalizados.
d) Nenhum brasileiro nato e naturalizado poderá ser extraditado.

5
8-A Constituição da República Federativa do Brasil, de 1988, assegura que é cargo
privativo de brasileiro nato:

a) Ministro do Superior Tribunal de Justiça.


b) Ministro de Estado da Defesa.
c) Ministro do Tribunal Superior do Trabalho.
d) Ministro do Tribunal Federal de Recursos.

9-É possível, segundo a Constituição (CRFB) e o Supremo Tribunal Federal (STF),

a) A prisão civil por dívida do depositário infiel.


b) A extradição de brasileiro naturalizado em caso de crime comum, praticado antes da
naturalização, mas o brasileiro nato nunca poderá ser entregue pelo Brasil a outro país.
c) O uso de algemas como regra, com vistas à proteção dos agentes envolvidos e da
autoridade policial.
d) A manutenção provisória de condenado em regime prisional mais gravoso até o
surgimento de vaga em estabelecimento penal adequado à progressão de regime.
e) A extradição de brasileiro naturalizado em caso de crime comum, praticado depois da
naturalização, mas o estrangeiro não será extraditado por crime político ou de opinião.

10-Consideradas as formas de aquisição da nacionalidade previstas na Constituição


Federal, são brasileiros

a) Naturalizados os estrangeiros de qualquer nacionalidade, residentes na República


Federativa do Brasil há mais de dez anos ininterruptos e sem condenação penal, desde
que requeiram a nacionalidade brasileira.
b) Natos os nascidos na República Federativa do Brasil, ainda que de pais estrangeiros,
desde que estes estejam a serviço de seu país.
c) Naturalizados os nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro e mãe brasileira, desde que
qualquer deles esteja a serviço da República Federativa do Brasil.
d) Natos os nascidos no estrangeiro de pai brasileiro ou mãe brasileira, desde que sejam
registrados em repartição brasileira competente.
e) Naturalizados os que, na forma da lei, adquiram a nacionalidade brasileira, exigida dos
originários de países de língua portuguesa apenas residência por cinco anos
ininterruptos e idoneidade moral.

6
QUESTÃO EXTRA-O vínculo jurídico político que liga um indivíduo a um certo e
determinado Estado, fazendo deste indivíduo um componente do povo e capacitando-o a
exigir sua proteção e sujeitando-o ao cumprimento de deveres impostos é denominado

a) Soberania.
b) Nacionalidade.
c) Dignidade humana.
d) Legitimidade ativa.
e) Elegibilidade.

7
GABARITO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
1. A
2. A
3. D

APROFUNDANDO NO QUE CAI


1-D
2-D
3-CERTO
4-A
5-A
6-B
7-A
8-B
9-B
10-D
QUESTÃO EXTRA-B

8
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

Atento(a)s ao Artigo 12, §4º.

9
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

10
SUMÁRIO
ART. 14 CAPUT AO §3º.............................................................................................................................2
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO......................................................................................................................4
APROFUNDANDO NO QUE CAI.............................................................................................................5
QUESTÃO EXTRA....................................................................................................................................8
GABARITO................................................................................................................................................9
RESUMÃO LJORTANO...........................................................................................................................10

ENTÃO VAMOS LÁ, LJORTANOS....

1
CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988

CAPÍTULO IV
DOS DIREITOS POLÍTICOS

COMENTÁRIO: conforme já vimos, o conceito de nacionalidade não se confunde com o de


cidadão. Cidadania em termos de direito constitucional, refere-se a participação na vida política
do país.

Art. 14. A soberania popular será exercida pelo sufrágio universal e pelo voto direto e secreto,
com valor igual para todos, e, nos termos da lei, mediante:

I - plebiscito;

II - referendo;

III - iniciativa popular.

COMENTÁRIO: plebiscito é uma consulta prévia, antes de alterar qualquer dispositivo legal no
Brasil. Referendo por sua vez, é uma consulta posterior, onde primeiro faz-se a lei e depois
coloca-a em votação. Iniciativa popular é a possibilidade de propormos lei no Congresso
Nacional.

§ 1º O alistamento eleitoral e o voto são:

I - obrigatórios para os maiores de dezoito anos;

II - facultativos para:

a) os analfabetos;

b) os maiores de setenta anos;

c) os maiores de dezesseis e menores de dezoito anos.

§ 2º Não podem alistar-se como eleitores os estrangeiros e, durante o período do serviço militar
obrigatório, os conscritos.

Comentário: conscritos são os que prestam serviço militar obrigatório.

2
§ 3º São condições de elegibilidade, na forma da lei:

I - a nacionalidade brasileira;

II - o pleno exercício dos direitos políticos;

III - o alistamento eleitoral;

IV - o domicílio eleitoral na circunscrição;

V - a filiação partidária;

VI - a idade mínima de:

a) trinta e cinco anos para Presidente e Vice-Presidente da República e Senador;

b) trinta anos para Governador e Vice-Governador de Estado e do Distrito Federal;

c) vinte e um anos para Deputado Federal, Deputado Estadual ou Distrital, Prefeito, Vice-
Prefeito e juiz de paz;

d) dezoito anos para Vereador.

Comentário (1): o domicílio eleitoral na circunscrição alude ao fato do candidato ter que
registrar o seu título no local onde irá concorrer as eleições.

Comentário (2): MACETE PARA AS IDADES -> Telefone: 3530-2118

35: presidente + vice; senador.


30: governador + vice.
21: deputados (federal, estadual, distrital); prefeito + vice; juiz de paz.
18: vereador.

3
EXERCICIOS DE FIXAÇÃO

1) Assinale a alternativa que indica, na sequência correta, as idades mínimas de elegibilidade


para Vice-Governador de Estado, Deputado Estadual, Prefeito e Senador:

A) 35 anos; 35 anos; 30 anos e 35 anos.


B) 30 anos; 21 anos; 21 anos e 35 anos.
C) 21 anos; 18 anos; 21 anos e 30 anos.
D) 18 anos; 21 anos; 18 anos e 21 anos.
E) 18 anos para todos os cargos.

2) Considere as normas da Constituição Federal para assinalar a alternativa correta sobre


elegibilidade.

A) Para o cargo de Presidente da República, são condições de elegibilidade, entre outras, ter
idade mínima de 35 anos e ter nacionalidade brasileira
B) Para o cargo de Presidente da República, são condições de elegibilidade, entre outras, ter
idade mínima de 35 anos e ser brasileiro nato
C) Para o cargo de senador são condições de elegibilidade, entre outras, ter idade mínima de
21 anos e ser brasileiro nato
D) Para o cargo de presidente da Câmara dos Deputados, são condições de elegibilidade,
entre outras, ter idade mínima de 30 anos e ter nacionalidade brasileira
E) Para o cargo de vereador, são condições de elegibilidade, entre outras, ter idade mínima de
21 anos e ser brasileiro nato

3) O alistamento eleitoral e o voto são obrigatórios para

A) maiores de dezoito anos de idade.


B) maiores de setenta e cinco anos de idade.
C) maiores de dezesseis e menores de dezoito anos de idade.
D) analfabetos.

4
APROFUNDANDO NO QUE CAI

1-Com relação aos direitos e às garantias fundamentais, julgue o item.

O caráter livre e secreto do voto impõe‐se apenas em face do Poder Público.

( ) Certo

( ) Errado

2-Maria, esposa do Prefeito João, que exercia a chefia do Poder Executivo no Município
Gama, foi informada pelo advogado da família que, de acordo com a ordem
constitucional, não poderia candidatar-se ao cargo eletivo de Vereador no mesmo
Município.
Essa vedação é denominada:

a) Perda dos direitos políticos;


b) Vedação eleitoral;
c) Inabilitação;
d) Suspensão dos direitos políticos;
e) Inelegibilidade.

3-Pedro, após o trâmite do processo judicial de interdição, teve a sua incapacidade civil
absoluta reconhecida. Apesar disso, tinha o sonho de infância de concorrer ao cargo
eletivo de vereador. Por tal razão, procurou o seu advogado e perguntou se haveria
óbice a que se candidatasse nas próximas eleições.

À luz da sistemática constitucional, o advogado respondeu corretamente que Pedro:

a) Somente poderia concorrer se tivesse autorização expressa do seu curador;


b) Poderia concorrer, pois as instâncias civil e política são independentes;
c) Embora pudesse votar, não poderia concorrer nas eleições, pois estava inelegível;
d) Embora pudesse votar, não poderia concorrer nas eleições, pois estava inabilitado;
e) Não poderia concorrer nas eleições, pois não estava no exercício dos seus direitos
políticos.

4-Acerca do que dispõe a Constituição Federal sobre os direitos políticos,

a) a lei que alterar o processo eleitoral entrará em vigor na data de sua publicação, não se
aplicando à eleição que ocorra até dois anos da data de sua vigência.
b) não podem alistar-se como eleitores os estrangeiros, os brasileiros naturalizados e,
durante o período do serviço militar obrigatório, os conscritos.
c) o mandato eletivo poderá ser impugnado ante a Justiça Eleitoral no prazo de 15 dias
contados da diplomação, instruída a ação com provas de abuso do poder econômico,
corrupção ou fraude.

5
d) o Presidente da República, os Governadores de Estado e do Distrito Federal, os
Prefeitos e quem os houver sucedido, ou substituído no curso dos mandatos poderão
ser reeleitos para períodos subsequentes, indefinidamente.
e) o alistamento eleitoral e o voto são obrigatórios para os maiores de dezoito anos e
facultativos para os analfabetos e para os maiores de 65 anos.

5-Adam Baker, brasileiro naturalizado, de 27 anos, residente há 8 anos no Brasil, decidiu


ingressar na política a fim de contribuir com o seu trabalho para a melhoria da situação
social do povo brasileiro. Considerados apenas os dados fornecidos, à luz das
pertinentes condições de elegibilidade estabelecidas na Constituição Federal, Adam
poderá concorrer ao seguinte cargo eletivo:

a) Governador do Estado.
b) Senador.
c) Deputado Federal, situação em que, se eleito, poderá, inclusive, pleitear a presidência
da Câmara dos Deputados.
d) Deputado Estadual, situação em que, se eleito, poderá, inclusive, pleitear a presidência
da Assembleia Legislativa.
e) Vice-Presidente da República.

6-De acordo com a Constituição Federal, assinale a alternativa incorreta acerca dos
direitos políticos e partidos políticos:

a) São inelegíveis, no território de jurisdição do titular, o cônjuge e os parentes


consanguíneos ou afins, até o segundo grau ou por adoção, do Presidente da
República, de Governador de Estado ou Território, do Distrito Federal, de Prefeito ou de
quem os haja substituído dentro dos seis meses anteriores ao pleito, salvo se já titular
de mandato eletivo e candidato à reeleição.
b) A lei que alterar o processo eleitoral entrará em vigor no exercício seguinte em que tiver
sido publicada.
c) Para concorrerem a outros cargos, o Presidente da República, os Governadores de
Estado e do Distrito Federal e os Prefeitos devem renunciar aos respectivos mandatos
até seis meses antes do pleito.
d) São inelegíveis os inalistáveis e os analfabetos.
e) Os partidos políticos, após adquirirem personalidade jurídica, na forma da lei civil,
registrarão seus estatutos no Tribunal Superior Eleitoral.

7-Leia as afirmativas a seguir:

I. À luz da Constituição de 1988, quando expressamente autorizadas, as entidades


associativas têm legitimidade para representar seus filiados extrajudicialmente.

II. São crimes de responsabilidade os atos do Presidente da República a favor da


existência da União e aqueles realizados de acordo com os princípios da Constituição da
República Federativa do Brasil de 1988.

6
III. No Brasil, a partir da Constituição de 1988, a cassação dos direitos políticos só é
permitida nos casos de improbidade administrativa e condenação por crime doloso.

IV. A Constituição Federal de 1988 garante a liberdade de exercício de qualquer trabalho,


ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer.

Marque a alternativa CORRETA:

a) Nenhuma afirmativa está correta.


b) Apenas uma afirmativa está correta.
c) Apenas duas afirmativas estão corretas.
d) Apenas três afirmativas estão corretas.
e) Todas as afirmativas estão corretas.

8-Antônia tem 18 anos, Pedro 20 anos, João 30 anos e Miguel 40 anos. Entendendo -se
que as demais condições de elegibilidade foram preenchidas e levando-se em
consideração apenas a idade mínima, em conformidade com a Constituição Federal,
Antônia

a) E Pedro podem ser eleitos para o cargo de Vereador; João e Miguel podem ser eleitos
para o cargo de Vereador, de Prefeito, de Governador ou de Presidente da República.
b) E Pedro podem ser eleitos para o cargo de Vereador ou de Prefeito; João pode ser eleito
para o cargo de Vereador, de Prefeito ou de Governador; Miguel pode ser eleito para o
cargo de Vereador, de Prefeito, de Governador ou de Presidente da República.
c) Pode ser eleita para o cargo de Vereadora; Pedro pode ser eleito para o cargo de
Vereador ou de Prefeito; João pode ser eleito para o cargo de Vereador, de Prefeito ou
de Governador; Miguel pode se eleito para o cargo de Vereador, de Prefeito, de
Governador ou de Presidente da República.
d) E Pedro podem ser eleitos para o cargo de Vereador; João pode ser eleito para o cargo
de Vereador, de Prefeito ou de Governador; Miguel pode ser eleito para o cargo de
Vereador, de Prefeito, de Governador ou de Presidente da República.
e) Pode ser eleita para o cargo de Vereadora ou de Prefeita; Pedro pode ser eleito para o
cargo de Vereador, de Prefeito ou de Governador; João e Miguel podem ser eleitos para
o cargo de Vereador, de Prefeito, de Governador ou de Presidente da República.

9-Ao decidir que pessoas do mesmo grupo familiar, dentro das hipóteses do § 7° do art.
14 da CF/1988, não podem exercer três mandatos subsequentes na chefia de um mesmo
Poder Executivo, independentemente da ocorrência de separação conjugal, falecimento,
ou outras tantas possibilidades que possam ocorrer; que a Constituição Federal não
tolera privilégios e discriminações, impedindo que se estabeleçam tratamentos seletivos
em favor de determinadas pessoas, proibindo que se imponham restrições gravosas em
detrimento de outras em razão de condição social, de nascimento, de gênero, de origem
étnica, de orientação sexual ou de posição estamental; que é essencial ao fortalecimento
da democracia que o seu financiamento seja feito em bases essenciais e absolutamente
transparentes; o Supremo Tribunal Federal decidiu fundamentalmente com base no

7
a) Princípio da proporcionalidade.
b) Princípio da razoabilidade.
c) Princípio da eficiência.
d) Princípio da segurança jurídica.
e) Princípio republicano.

10-Principal instrumento de manifestação da vontade popular, o voto tem papel de


destaque na Constituição Federal de 1988. A Carta Magna é explícita ao afirmar que a
soberania popular será exercida pelo direito de voto:

a) Em escrutínio ostensivo, indiretamente, de maneira que o cidadão escolhe representante


que votará no candidato a prefeito, governador ou presidente.
b) Censitário, reservado a grupos específicos da sociedade.
c) Em branco, nulo ou em candidato inelegível.
d) Direto e secreto, com valor igual para todos.
e) Indireto e aberto, com valor diferente dependendo da classe social e econômica do
eleitor.

QUESTÃO EXTRA- Pelos direitos políticos previstos na Constituição da República Federal


do Brasil, a soberania popular será exercida pelo sufrágio universal e pelo voto direto e
secreto, com valor igual para todos. Sobre esse rol de direitos políticos, é correto afirmar
que

a) Podem alistar-se como eleitores os estrangeiros e, durante o período do serviço militar


obrigatório, os conscritos.
b) A idade mínima para elegibilidade para vereador é de 21 (vinte e um) anos.
c) Para concorrerem a outros cargos, os Prefeitos devem renunciar aos respectivos
mandatos até seis meses antes do pleito.
d) O alistamento eleitoral e o voto são obrigatórios para todos os cidadãos maiores de
sessenta e cinco anos.

8
GABARITO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

1. B
2. B
3. A

APROFUNDANDO NO QUE CAI

1-ERRADO
2-E
3-E
4-C
5-D
6-B
7-C
8-D
9-E
10-D

QUESTÃO EXTRA-C

9
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

Atento(a)s ao Artigo 14, §3º.

10
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

11
SUMÁRIO
ART. 14 §4º ao §7º...................................................................................................................................2
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO.....................................................................................................................3
APROFUNDANDO NO QUE CAI.............................................................................................................4
QUESTÃO EXTRA....................................................................................................................................6
GABARITO................................................................................................................................................7
RESUMÃO LJORTANO............................................................................................................................9

ENTÃO VAMOS LÁ, LJORTANOS....

1
CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988

Art. 14:
§ 4º São inelegíveis os inalistáveis e os analfabetos.
Comentário: são inalistáveis os conscritos e os estrangeiros.
§ 5º O Presidente da República, os Governadores de Estado e do Distrito Federal, os
Prefeitos e quem os houver sucedido, ou substituído no curso dos mandatos poderão ser
reeleitos para um único período subsequente.
Comentário: essa regra vale apenas para os cargos do executivo.
§ 6º Para concorrerem a outros cargos, o Presidente da República, os Governadores de Estado
e do Distrito Federal e os Prefeitos devem renunciar aos respectivos mandatos até seis meses
antes do pleito.
Comentário: repare no termo “outros cargos”, logo, se for o mesmo, não haverá necessidade de
renúncia.
§ 7º São inelegíveis, no território de jurisdição do titular, o cônjuge e os parentes consanguíneos
ou afins, até o segundo grau ou por adoção, do Presidente da República, de Governador de
Estado ou Território, do Distrito Federal, de Prefeito ou de quem os haja substituído dentro dos
seis meses anteriores ao pleito, salvo se já titular de mandato eletivo e candidato à reeleição.
Comentário: essa regra é chamada de inelegibilidade reflexa, pois os parentes de até segundo
grau consanguíneos ou afins (adquiridos após o matrimônio) não podem concorrer a eleição no
território de jurisdição do titular do mandato eletivo (lugar onde o membro da família, titular de
cargo do executivo, conseguiu ser eleito). Salvo, se de forma anterior, algum deles já tiver sido
eleito para cargo do legislativo. Abaixo a organização dos graus de parentesco:

2
EXERCICIOS DE FIXAÇÃO

1) É mandamento constitucional, previsto no Art. 14, §7º:

A) Para concorrerem aos mesmos cargos, o Presidente da República, os Governadores de


Estado e do Distrito Federal e os Prefeitos devem renunciar aos respectivos mandatos até seis
meses antes do pleito.
B) Para concorrerem a outros cargos, o Presidente da República, os Governadores de Estado e
do Distrito Federal e os Prefeitos devem renunciar aos respectivos mandatos até oito meses
antes do pleito.
C) Para concorrerem a outros cargos, o Presidente da República, os Governadores de Estado e
os Prefeitos devem renunciar aos respectivos mandatos até seis meses antes do pleito.
D) Para concorrerem a outros cargos, o Presidente da República, os Governadores de Estado e
do Distrito Federal e os Prefeitos devem renunciar aos respectivos mandatos até seis meses
antes do pleito.

2) Dentre os direitos políticos previstos na CF/88 em seu Art. 14, exceto:

A) São inelegíveis os inalistáveis e os analfabetos.


B) A soberania popular será exercida pelo sufrágio universal e pelo voto direto e secreto.
C) Idade mínima de 25 anos para governador.
D) O Presidente da República, os Governadores de Estado e do Distrito Federal, os Prefeitos e
quem os houver sucedido, ou substituído no curso dos mandatos poderão ser reeleitos para um
único período subseqüente.

3) Gustavo foi eleito governador de um Estado em 2018 e sua filha Carolina deseja estrear
na política e se candidatar à prefeitura da capital desse mesmo Estado nas eleições
municipais de 2020. Considerando que Gustavo estará exercendo o seu mandato no
período eleitoral do próximo pleito, em conformidade com a Constituição Federal de 1988,
Carolina

A) poderá ser candidata a prefeita do município desejado, pois o território da sua jurisdição não
será o mesmo território da jurisdição do seu genitor.
B) poderá ser candidata a prefeita do município desejado, pois são inelegíveis, no território de
jurisdição do titular, os parentes consanguíneos ou afins, até o terceiro grau ou por adoção do
Presidente da República.
C) não poderá concorrer a mandato eletivo enquanto seu genitor exercer cargo político, pois são
absolutamente inelegíveis para qualquer cargo os parentes consanguíneos ou afins, até o
terceiro grau ou por adoção, de Governador de Estado.
D) poderá ser candidata a prefeita do município desejado, pois são inelegíveis, no território de
jurisdição do titular, apenas os cônjuges de Governador de Estado, salvo se já titular de mandato
eletivo e candidato à reeleição.
E) não poderá ser candidata a prefeita do município desejado, pois são inelegíveis, no território
de jurisdição do titular, o cônjuge e os parentes consanguíneos ou afins, até o segundo grau ou
por adoção, de Governador de Estado.

3
APROFUNDANDO NO QUE CAI
1)A partir do que dispõe a CF quanto aos direitos e às garantias fundamentais, julgue o
item seguinte.

É vedada a cassação de direitos políticos, cuja perda ou suspensão dar‐se‐á nos casos
de incapacidade civil absoluta, condenação criminal transitada em julgado ou
improbidade administrativa, entre outros.

A. CERTO
B. ERRADO
2)Com relação aos direitos e às garantias fundamentais, julgue o item.
O voto direto impõe que o voto dado pelo eleitor seja conferido a determinado candidato ou a
determinado partido, sem que haja mediação por instância intermediária ou por um colégio
eleitoral.
A. CERTO
B. ERRADO
3)Com relação aos direitos e às garantias fundamentais, julgue o item.
O sufrágio capacitário refere‐se a critérios concernentes à qualificação ou à capacidade do
eleitor, especialmente no que diz respeito ao preparo ou à habilidade intelectual.
A. CERTO
B. ERRADO
4)Com relação aos direitos e às garantias fundamentais, julgue o item.
Os direitos políticos abrangem o direito ao sufrágio, que se materializa no direito de votar, de
participar da organização da vontade estatal e de ser votado.

A. CERTO
B. ERRADO
5)Com relação aos direitos e às garantias fundamentais, julgue o item.
Os direitos políticos abrangem o direito ao sufrágio, que se materializa no direito de votar, de
participar da organização da vontade estatal e de ser votado.
A. CERTO
B. ERRADO
6)Sobre os direitos políticos previstos na Constituição Federal Brasileira de 1988, analise as
afirmações abaixo.
I. Em caso de resultado final com mais de cinquenta por cento de votos nulos, anula-se a eleição
e se impõe novo pleito com outros candidatos.
II. É vedada a reeleição para os cargos de Presidente e Vice-Presidente da República.
III. A idade mínima de dezoito anos é uma condição de elegibilidade para o cargo de Vereador.

4
IV. São inelegíveis os inalistáveis e os analfabetos.
Está correto apenas o que se afirma em

A. I e II.
B. I e IV.
C. II e III.
D. III e IV.
7)Sobre os direitos políticos previstos na Constituição Federal, assinale a alternativa correta.
A. O voto é obrigatório para os analfabetos.
B. O alistamento eleitoral é facultativo para os maiores de sessenta anos.
C. São elegíveis os analfabetos e os conscritos.
D. É condição de elegibilidade a idade mínima de trinta anos para Senador.
E. A ação de impugnação de mandato tramitará em segredo de justiça.

8)“A Constituição brasileira, inquestionavelmente, trata o direito a voto e o direito de ser votado
como direitos fundamentais. Assim, a percepção de legisladores e magistrados está em
desacordo com a Constituição e contra a doutrina dos direitos fundamentais quando não trata
os direitos políticos como dotados de fundamentalidade” (SALGADO, 2018). Consonante à
elucubração acima, considere as seguintes afirmativas:
1. A Constituição brasileira estabelece expressamente o direito ao sufrágio universal como um
direito fundamental.
2. Em que pese os direitos políticos estejam previstos na Constituição, não estão alocados
expressamente no capítulo dos direitos fundamentais, gerando controvérsia quanto à sua
natureza jurídica.
3. Ao Poder Judiciário e aos legisladores não é estabelecida competência constitucional para
determinar se um direito político, tal como o de ser votado, é ou não um direito fundamental
constitucional.
4. A lei poderá estabelecer os termos do exercício do direito de voto, desde que respeite os
limites constitucionais, bem como o entenda como um direito com valor igual para todos.
Assinale a alternativa correta.
A. Somente a afirmativa 1 é verdadeira.
B. Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras.
C. Somente as afirmativas 2 e 4 são verdadeiras.
D. Somente as afirmativas 1, 3 e 4 são verdadeiras.
E. As afirmativas 1, 2, 3 e 4 são verdadeiras.

5
9)A respeito dos direitos políticos e dos partidos políticos, julgue o item seguinte.
Direitos políticos ativos são os direitos políticos que permitem ao cidadão candidatar-se e
receber votos para um cargo eletivo
A. CERTO
B. ERRADO
10)Dispõe a Constituição da República de 1988 que a soberania popular será exercida pelo
sufrágio universal e pelo voto direto e secreto, com valor igual para todos. Com base nisso,
marque a alternativa que NÃO contém instrumento para o exercício da soberania popular.
A. Plebiscito.
B. Referendo.
C. Voto censitário.
D. Iniciativa popula

QUESTÃO EXTRA

1)À luz da Constituição Federal de 1988, julgue o item a seguir.

Autor de ato de improbidade administrativa estará sujeito à cassação dos seus direitos
políticos.

A. CERTO
B. ERRADO

6
GABARITO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
1.D
2.C
3.C

APROFUNDANDO NO QUE CAI


01-Resposta certo
02-Resposta Certo
03-Resposta Certo
04-Resposta Certo
05-Resposta Certo
06-Resposta: D
07-Resposta: E
08-Resposta: D
09-Resposta: Errado
10-Resposta: C

QUESTÃO EXTRA
01 - Resposta: Errado

7
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

8
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

Fique atento(a) ao Art. 14, §7º. Resolva mais questões.

9
SUMÁRIO
ART. 14 §8º AO ART. 16............................................................................................................................2
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO.....................................................................................................................4
APROFUNDANDO NO QUE CAI.............................................................................................................5
QUESTÃO EXTRA....................................................................................................................................9
GABARITO...............................................................................................................................................10
RESUMÃO LJORTANO..........................................................................................................................11

ENTÃO VAMOS LÁ, LJORTANOS....

1
CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988

CAPÍTULO IV
DOS DIREITOS POLÍTICOS

Art. 14

§ 8º O militar alistável é elegível, atendidas as seguintes condições:

I - se contar menos de dez anos de serviço, deverá afastar-se da atividade;

II - se contar mais de dez anos de serviço, será agregado pela autoridade superior e, se eleito,
passará automaticamente, no ato da diplomação, para a inatividade.

Comentário: regra é muito simples, menos de dez anos de serviço e quer concorrer a cargo
eletivo, a pessoa será obrigada a deixar a carreira militar. Com mais de anos, pode disputar
eleições e no ato de diplomação (não da posse, cuidado), será agregado pela autoridade
superior.

§ 9º Lei complementar estabelecerá outros casos de inelegibilidade e os prazos de sua


cessação, a fim de proteger a probidade administrativa, a moralidade para exercício de
mandato considerada vida pregressa do candidato, e a normalidade e legitimidade das eleições
contra a influência do poder econômico ou o abuso do exercício de função, cargo ou emprego
na administração direta ou indireta.

Comentário: A constituição simplesmente estabeleceu em 1988, que deveria ser criada outra lei
para discorrer acerca de mais casos de inelegibilidade. Hoje existe, chamada Lei da Ficha
Limpa.

§ 10. O mandato eletivo poderá ser impugnado ante a Justiça Eleitoral no prazo de quinze dias
contados da diplomação, instruída a ação com provas de abuso do poder econômico,
corrupção ou fraude.

§ 11. A ação de impugnação de mandato tramitará em segredo de justiça, respondendo o


autor, na forma da lei, se temerária ou de manifesta má-fé.

Art. 15. É vedada a cassação de direitos políticos, cuja perda ou suspensão só se dará nos
casos de:

I - cancelamento da naturalização por sentença transitada em julgado;

II - incapacidade civil absoluta;

III - condenação criminal transitada em julgado, enquanto durarem seus efeitos;

IV - recusa de cumprir obrigação a todos imposta ou prestação alternativa, nos termos do art.
5º, VIII;

2
V - improbidade administrativa, nos termos do art. 37, § 4º.

Comentário: os incisos são bem explicativos. No entanto, é necessário avaliar o caput, quando
ele afirma haver duas hipóteses: perda ou suspensão. Logo, não existe extinção dos direitos
políticos (onde a pessoa pode se candidatar novamente, votar).

Art. 16. A lei que alterar o processo eleitoral entrará em vigor na data de sua publicação, não
se aplicando à eleição que ocorra até um ano da data de sua vigência.

3
EXERCICIOS DE FIXAÇÃO

1) João é militar e possuí menos de dez anos de efetivo exercício na profissão. Por
conviver com as injustiças e desigualdades sociais, ele pensou em se candidatar a
vereador, sendo informado por advogado que não poderia concretizar seu anseio. A
informação prestada está, com base na CF/88:

A) certa, pois João deve ter mais de dez anos de efetivo exercício.
B) errada, pois João poderia se candidatar a vereador, além de continuar exercendo suas
atividades enquanto militar.
C) Parcialmente certa, pois ele pode se candidatar, no entanto, perderá o cargo de militar pois
possuí menos de dez anos de efetivo exercício na profissão.
D) errada, pois ao militar é vedada a participação política.
E) certa, pois João enquanto cidadão está no pleno gozo dos direitos políticos.

2) Acerca da impugnação do mandato prevista na CF/88, marque a alternativa que


contempla corretamente os dispositivos presentes em nossa carta magna.

A) O mandato eletivo poderá ser impugnado ante a Justiça Eleitoral no prazo de quinze dias
contados da diplomação, instruída a ação com provas de abuso do poder econômico,
corrupção ou fraude.
B) O mandato eletivo poderá ser impugnado ante ao Supremo Tribunal Federal no prazo de
quinze dias contados da diplomação, instruída a ação com provas de abuso do poder
econômico, corrupção ou fraude.
C) O mandato eletivo poderá ser impugnado ante a Justiça Eleitoral no prazo de vinte dias
contados da diplomação, instruída a ação com provas de abuso do poder econômico,
corrupção ou fraude.
D) O mandato eletivo poderá ser impugnado ante a Justiça Eleitoral no prazo de vinte dias
contados da posse, instruída a ação com provas de abuso do poder econômico, corrupção ou
fraude.

3) São hipóteses de perca ou suspensão dos direitos políticos, exceto:

A) cancelamento da naturalização por sentença transitada em julgado.


B) incapacidade civil.
C) condenação criminal transitada em julgado, enquanto durarem seus efeitos.
D) recusa de cumprir prestação alternativa, nos termos do art. 5º, VIII.
E) improbidade administrativa, nos termos do art. 37, § 4º.

4
APROFUNDANDO NO QUE CAI

1- Segundo a Constituição da República, a soberania popular é exercida pelo sufrágio


universal, pelo voto direto e igual para todos e também mediante alguns instrumentos,
entre os quais não se inclui o(a)
a) iniciativa popular.
b) revogação de mandato.
c) referendo.
d) plebiscito.

2-A respeito dos direitos políticos, a Constituição Federal dispõe que o militar alistável

a) Necessita estar filiado a um partido político um ano antes das eleições que pretende
disputar.
b) É elegível e, se contar menos de dez anos de serviço, não poderá afastar-se da
atividade, e, se eleito, será agregado pela autoridade superior.
c) É elegível e, se contar mais de dez anos de serviço, passará automaticamente para a
inatividade e não poderá ser agregado pela autoridade superior.
d) Deve afastar-se da atividade e, quando eleito, contando menos de dez anos de serviço,
será agregado pela autoridade superior.
e) É elegível e, se contar mais de dez anos de serviço, será agregado pela autoridade
superior e, se eleito, passará, automaticamente, no ato da diplomação, para a
inatividade.

3- De acordo com a Constituição Federal, na forma da lei, dentre outras, é condição de


elegibilidade a idade mínima de

a) Trinta anos para Senador.


b) Vinte e cinco anos para Governador.
c) Vinte e um anos para Deputado Federal, Deputado Estadual ou Distrital, Prefeito, Vice-
Prefeito e juiz de paz.
d) Dezoito anos para Vereador, Deputado Federal, Deputado Estadual ou Distrital.
e) Trinta anos para Presidente da República.

4- É correto afirmar sobre os direitos políticos.

a) A lei que alterar o processo eleitoral entrará em vigor um ano após a sua publicação.
b) São inelegíveis apenas os militares e os analfabetos.
c) O Prefeito deve renunciar ao respectivo mandato, até seis meses antes do pleito, para
concorrer a cargo eletivo mojoritário.
d) A idade mínima de vinte e um anos é condição de elegibilidade para os cargos de
prefeito, deputado federal, deputado estadual e vereador.

5
e) A ação de impugnação de mandato tramitará em segredo de justiça, respondendo o
autor, na forma da lei, se temerária ou de manifesta má-fé.

5-Sobre a organização dos poderes constitucionais e dos direitos políticos, é correto


afirmar que:

a) A Constituição da República Federativa do Brasil proíbe a edição de Medidas


Provisórias por Governadores do Estado e Distrito Federal e por Prefeitos, ficando
autorizado apenas o Presidente da República para expedi-las.
b) O exercício do Poder Legislativo na esfera federal é feito exclusivamente pelo
Congresso Nacional, que possui uma composição bicameral, com representantes do
povo e dos Estados-Membros.
c) Apenas brasileiros natos podem se tornar Ministros de Estado e oficiais das forças
armadas.
d) Como condição de elegibilidade, a idade mínima para concorrer a um cargo eletivo do
Poder Executivo é de 18 (dezoito) anos.
e) O Superior Tribunal de Justiça Desportiva integra o rol de órgãos pertencentes ao Poder
Judiciário.

6- Assinale a alternativa correta a respeito das inelegibilidades.


a) As inelegibilidades só podem ser disciplinadas pela Constituição ou por lei ordinária, lei
delegada ou medida provisória, mas não por decreto.
b) As normas da constituição, que estabelecem hipóteses de inelegibilidades, são normas
de eficácia limitada, dependendo de lei para impor as restrições.
c) Os inalistáveis e os analfabetos são exemplos de cidadãos que se encontram em
situação de inelegibilidade relativa.
d) O militar na ativa é alistável e pode ser eleito, desde que filiado a partido político um ano
antes da data da eleição que deseja disputar.
e) O Vice-Prefeito pode se candidatar a outros cargos preservando o seu mandato
respectivo, desde que, nos seis meses anteriores ao pleito, não tenha sucedido ou
substituído o Prefeito.

7- Uma forma de controle externo se manifesta pelo exercício do poder do voto pela
população para escolha, por exemplo, dos seus mandatários nas diversas esferas do
poder. Esse tipo de controle denomina-se:
a) sufragal.
b) Social.
c) Pessoal.
d) Proporcional.
e) Populacional.

6
8- Acerca dos direitos políticos e suas disposições constitucionais, assinale a alternativa
correta.

a) O alistamento eleitoral e o voto são facultativos para os maiores de 65 anos.


b) Podem alistar-se como eleitores os estrangeiros.
c) São elegíveis os inalistáveis.
d) O mandato eletivo poderá ser impugnado ante a Justiça Eleitoral no prazo de quinze
dias contados da diplomação, instruída a ação com provas de abuso do poder
econômico, corrupção ou fraude.
e) A ação de impugnação de mandato tramitará sob a tutela do princípio da publicidade,
respondendo o autor, na forma da lei, se temerária ou de manifesta má-fé.

9- De acordo com o contido na Constituição Federal, a soberania popular será exercida


pelo sufrágio universal e pelo voto direto e secreto, com valor igual para todos, e, nos
termos da lei, mediante

a) Referendo, Ação Popular e Iniciativa Popular.


b) Referendo, Eleições Gerais e Ação Popular.
c) Mandado de Injunção, Iniciativa Popular e Ação Direta de Inconstitucionalidade.
d) Plebiscito, Mandado de Injunção e Iniciativa Popular.
e) Plebiscito, Referendo e Iniciativa Popular.

10- São exemplos de pessoas que possuem inelegibilidade absoluta os

a) Militares.
b) Menores de 21 anos de idade.
c) Membros do Poder Executivo.
d) Analfabetos.
e) Sucessores de titulares de mandatos eletivos.

7
QUESTÃO EXTRA- Nos moldes da Carta Magna brasileira, a cassação de direitos políticos

a) É vedada.
b) Se dá no caso de cancelamento da naturalização por sentença transitada em julgado.
c) Ocorre na hipótese de incapacidade civil absoluta.
d) Decorre de condenação criminal transitada em julgado, enquanto durarem seus efeitos.
e) É uma das penas impostas na condenação por improbidade administrativa.

8
GABARITO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
1. C
2. D
3. B

APROFUNDANDO NO QUE CAI


1-B
2-E
3-C
4-E
5-B
6-E
7-B
8-D
9-E
10-D
QUESTÃO EXTRA-A

9
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

Atento(a)s ao Artigo 15.

10
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

11
SUMÁRIO
ART. 17......................................................................................................................................................2
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO.....................................................................................................................
APROFUNDANDO NO QUE CAI.............................................................................................................
QUESTÃO EXTRA....................................................................................................................................
GABARITO................................................................................................................................................
RESUMÃO LJORTANO............................................................................................................................

ENTÃO VAMOS LÁ, LJORTANOS....

1
CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988
CAPÍTULO V

DOS PARTIDOS POLÍTICOS

COMENTÁRIO: O artigo 17 é de fácil compreensão. Quando cai em prova, o nível de acerto é


alto, portanto, leia com atenção. A única coisa a ser pontuada refere-se a natureza de cada um
deles, logo, são “pessoas jurídicas de direito privado”, ou seja, equivalente a empresas privadas.
Assim, participam do governo são a ele pertencer. Fique atento(a)!

Art. 17. É livre a criação, fusão, incorporação e extinção de partidos políticos, resguardados a
soberania nacional, o regime democrático, o pluripartidarismo, os direitos fundamentais da
pessoa humana e observados os seguintes preceitos: Regulamento

I - caráter nacional;

II - proibição de recebimento de recursos financeiros de entidade ou governo estrangeiros ou de


subordinação a estes;

III - prestação de contas à Justiça Eleitoral;

IV - funcionamento parlamentar de acordo com a lei.

§ 1º É assegurada aos partidos políticos autonomia para definir sua estrutura interna e
estabelecer regras sobre escolha, formação e duração de seus órgãos permanentes e
provisórios e sobre sua organização e funcionamento e para adotar os critérios de escolha e o
regime de suas coligações nas eleições majoritárias, vedada a sua celebração nas eleições
proporcionais, sem obrigatoriedade de vinculação entre as candidaturas em âmbito nacional,
estadual, distrital ou municipal, devendo seus estatutos estabelecer normas de disciplina e
fidelidade partidária. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 97, de 2017)

§ 2º Os partidos políticos, após adquirirem personalidade jurídica, na forma da lei civil, registrarão
seus estatutos no Tribunal Superior Eleitoral.

§ 3º Somente terão direito a recursos do fundo partidário e acesso gratuito ao rádio e à televisão,
na forma da lei, os partidos políticos que alternativamente: (Redação dada pela Emenda
Constitucional nº 97, de 2017)

I - obtiverem, nas eleições para a Câmara dos Deputados, no mínimo, 3% (três por cento) dos
votos válidos, distribuídos em pelo menos um terço das unidades da Federação, com um mínimo
de 2% (dois por cento) dos votos válidos em cada uma delas; ou (Incluído pela Emenda
Constitucional nº 97, de 2017)

II - tiverem elegido pelo menos quinze Deputados Federais distribuídos em pelo menos um terço
das unidades da Federação. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 97, de 2017)

§ 4º É vedada a utilização pelos partidos políticos de organização paramilitar.

2
§ 5º Ao eleito por partido que não preencher os requisitos previstos no § 3º deste artigo é
assegurado o mandato e facultada a filiação, sem perda do mandato, a outro partido que os
tenha atingido, não sendo essa filiação considerada para fins de distribuição dos recursos do
fundo partidário e de acesso gratuito ao tempo de rádio e de televisão. (Incluído pela
Emenda Constitucional nº 97, de 2017)

EXERCICIOS DE FIXAÇÃO

1) É assegurada aos partidos políticos autonomia para definir sua estrutura interna e
estabelecer regras sobre escolha, formação e duração de seus órgãos permanentes e
provisórios, sobre sua organização e funcionamento, para adotar os critérios de escolha
e o regime de suas coligações nas eleições majoritárias,

A) vedada a sua celebração nas eleições proporcionais, com obrigatoriedade de vinculação entre
as candidaturas em âmbito nacional, estadual, distrital ou municipal.
B) vedada a sua celebração nas eleições proporcionais, sem obrigatoriedade de vinculação entre
as candidaturas em âmbito nacional, estadual, distrital ou municipal.
C) permitida a sua celebração nas eleições proporcionais, com obrigatoriedade de vinculação
entre as candidaturas em âmbito nacional, estadual, distrital ou municipal.
D) permitida a sua celebração nas eleições proporcionais, sem obrigatoriedade de vinculação
entre as candidaturas em âmbito nacional, estadual, distrital ou municipal.
E) permitida a sua celebração nas eleições proporcionais e a vinculação entre as candidaturas
em âmbito nacional, estadual, distrital ou municipal.

2) Segundo o texto constitucional, os partidos políticos, após adquirirem personalidade


jurídica, na forma da lei civil, registrarão seus estatutos no

A) Cartório de Registro Civil das Pessoas Naturais.


B) Juízo Federal de primeira instância.
C) Tribunal Regional Eleitoral.
D) Tribunal Superior Eleitoral.
E) Supremo Tribunal Federal.

3) Sobre os partidos políticos, é livre a sua criação, fusão, incorporação e extinção,


resguardados a soberania nacional, o regime democrático, o pluripartidarismo, os direitos
fundamentais da pessoa humana e observados os seguintes preceitos:

I. caráter global.
II. proibição de recebimento de recursos financeiros de entidade ou governo estrangeiros
ou de subordinação a estes, salvo os países do MERCOSUL.
III. prestação de contas à Justiça Eleitoral.
IV. funcionamento parlamentar de acordo com a lei.

3
Assinale a alternativa CORRETA.

A) Todos estão corretos.


B) Todos estão incorretos.
C) Existe apenas um correto.
D) Existem apenas dois corretos.
E) Existem apenas três corretos

APROFUNDANDO NO QUE CAI

1.Atenção: A questão, refere-se ao conteúdo de Noções de Direito Constitucional.


À luz da Constituição Federal de 1988, os partidos políticos
a) poderão ser compulsoriamente dissolvidos ou ter suas atividades suspensas, desde que
por decisão judicial transitada em julgado, a exemplo do que ocorre com as associações
em geral.
b) estão proibidos de receberem recursos financeiros de entidade ou governo estrangeiros,
diferentemente do que ocorre em relação às associações em geral.
c) adquirem personalidade jurídica mediante registro de seus estatutos no Tribunal Superior
Eleitoral, diferentemente das associações em geral, que a adquirem na forma da lei civil.
d) devem possuir base territorial não inferior à área de um Município, à semelhança do que
ocorre em relação às associações sindicais.
e) possuem autonomia para definir sua organização interna, estrutura e funcionamento,
diferentemente do que ocorre com os sindicatos, que dependem de autorização estatal e
de registro no órgão competente para que sejam fundados.

2.Acerca dos princípios fundamentais e dos direitos e garantias fundamentais instituídos


pela Constituição Federal de 1988 (CF), julgue o item a seguir.

A CF assegura autonomia aos partidos políticos para definirem sua estrutura interna,
organização e funcionamento, sendo-lhes permitido, inclusive, adotar os critérios de escolha e
o regime de suas obrigações eleitorais.
( ) Certo

( ) Errado

3.É livre a criação, a fusão, a incorporação e a extinção de partidos políticos, resguardados


a soberania nacional, o regime democrático, o pluripartidarismo e os direitos
fundamentais da pessoa humana e observados os seguintes preceitos, EXCETO:
a) prestação de contas à Justiça Eleitoral.

4
b) a proibição de recebimento de recursos financeiros de entidade ou governo estrangeiros
ou de subordinação a estes.
c) o caráter nacional.
d) o funcionamento parlamentar de acordo com o estatuto.

4.Com base no disposto na CF, assinale opção correta.


a) Ainda que assegure a liberdade de crença religiosa, a CF prevê que o ensino religioso é
disciplina de matrícula obrigatória nas escolas públicas de ensino fundamental.
b) Cabe exclusivamente ao presidente da República editar medidas provisórias, de modo
que é manifestamente inconstitucional a previsão, em constituição estadual, de edição de
medida provisória por governador.
c) A aquisição de personalidade jurídica por partido político ocorre no momento do registro
de seus estatutos no Tribunal Superior Eleitoral.
d) Os municípios estão autorizados a criar guardas municipais para a realização de
policiamento ostensivo nos termos da lei local.
e) Ofenderá a CF a decisão do plenário da Câmara dos Deputados que, com base no
princípio majoritário, rejeitar a criação de comissão parlamentar de inquérito para apurar
fato certo e determinado, objeto de requerimento de um terço dos membros da referida
casa legislativa.

5.Quanto ao Chamamento ao Processo é correto afirmar, exceto:


a) O militar alistável é elegível, mas, se eleito, passará automaticamente, no ato da
diplomação, para a inatividade.
b) Os partidos políticos, na forma da lei civil, registrarão seus estatutos no Tribunal
Superior Eleitoral, e, após, adquirem personalidade jurídica.
c) O mandato eletivo poderá ser impugnado ante a Justiça Eleitoral, mas a ação de
impugnação de mandato tramitará em segredo de justiça.
d) É assegurada aos partidos políticos autonomia para adotar os critérios de escolha e o
regime de suas coligações eleitorais.

6.É correto afirmar que


a) os partidos políticos se registram perante o TSE antes de adquirirem personalidade civil.
b) com 18 anos o cidadão atinge a plenitude de seus direitos políticos.
c) o militar com menos de 10 anos de atividade é elegível, devendo, entretanto, afastar-se
de suas atividades.
d) o mandado eletivo poderá ser impugnado perante a Justiça Eleitoral no prazo de quinze
dias contados da diplomação.

7.Com relação aos direitos políticos e aos partidos políticos, assinale a


afirmativa incorreta.

5
a) O prefeito municipal, eleito por duas vezes consecutivas em um determinado Município,
pode candidatar-se, na eleição seguinte, ao cargo de Prefeito de outro Município,
Governador do Estado ou à Presidência da República, desde que respeitado o prazo de
desincompatibilização de seis meses.
b) A dissolução da sociedade ou do vínculo conjugal, no curso do mandato, não afasta a
inelegibilidade prevista no Art. 14, § 7°, da Constituição Federal de 1988.
c) O princípio da anterioridade eleitoral, que veda a aplicação de lei que alterar o processo
eleitoral que ocorra até um ano após a data da vigência, é considerado cláusula pétrea,
aplicando-se inclusive às emendas constitucionais.
d) Dentre as inovações da Lei Complementar n. 135/2010 (Lei da Ficha Limpa), está a
inelegibilidade dos membros do Executivo e do Legislativo que renunciarem aos seus
mandatos após o oferecimento de representação ou petição capaz de autorizar a
abertura de processo por infringência a dispositivo da Constituição ou da Lei Orgânica
(Distrital ou Municipal).
e) No modelo adotado pela Constituição Federal de 1988, o voto se caracteriza por ser
direto, igual para todos, periódico, livre e personalíssimo, sendo vedado aos menores de
16 anos e aos conscritos, durante o período do serviço militar obrigatório.

8.Relativamente aos direitos políticos e aos partidos políticos, assinale a opção correta.
a) Se um governador de estado deseja concorrer a outro cargo eletivo, ele deve licenciar-se
do mandato um ano antes do pleito, sob pena de ficar inelegível.
b) A ação de impugnação de mandato eletivo deve ser ajuizada no prazo de quinze dias
contados da posse.
c) Os direitos políticos podem ser suspensos ou mesmo perdidos por seu titular, nos casos
enumerados expressamente pela Constituição Federal.
d) O partido político, após inscrever seus atos constitutivos no registro civil das pessoas
jurídicas, deve registrar seu estatuto no Tribunal Superior Eleitoral, quando adquirirá
personalidade jurídica.
e) A condenação de um agente público por ato de improbidade administrativa implica a
perda, definitiva e automática de seus direitos políticos

9.Ao dispor sobre os partidos políticos, a Constituição Federal NÃO impede que a lei
a) conceda funcionamento parlamentar apenas aos partidos que, em cada eleição para a
Câmara dos Deputados obtenha o apoio de, no mínimo, cinco por cento dos votos
apurados, não computados os brancos e os nulos, distribuídos em, pelo menos, um terço
dos Estados, com um mínimo de dois por cento do total de cada um deles.

b) assegure aos detentores de mandato de deputado federal, estadual ou distrital, ou de


vereador, e aos que tenham exercido esses cargos em qualquer período da legislatura
que estiver em curso, o direito ao registro de candidatura para o mesmo cargo pelo partido
a que estejam filiados.

6
c) autorize os partidos políticos a receber contribuições financeiras oriundas de instituições
estrangeiras sem fins lucrativos.
d) determine o cancelamento do registro civil e do estatuto do partido político contra o qual
fique provado não ter prestado, nos termos da lei, as devidas contas à Justiça Eleitoral.
e) reconheça o direito de registrar candidaturas às eleições municipais a partidos políticos
de base estadual.

10.A liberdade partidária


a) sofre várias limitações, motivo pelo qual não pode ser considerada absoluta.
b) não sofre limitações, sendo assim absoluta em razão do regime democrático.
c) permite a criação de partidos políticos de vocação estadual face o regime nacional-
federativo.
d) faculta aos partidos políticos a utilização de organização paramilitar só para sua proteção
contra o crime organizado.
e) consta da Constituição e dos estatutos partidários, visto que também são editados por lei
complementar.

QUESTÃO EXTRA

1.No que concerne aos partidos políticos, nos termos da Constituição Federal de 1988, é correto
afirmar que

7
a) os partidos políticos, após adquirirem personalidade jurídica, registrarão seus Estatutos
no Tribunal Regional Eleitoral.
b) o funcionamento parlamentar de acordo com a lei é um dos preceitos a serem
observados no caso de fusão de partidos políticos.
c) os partidos políticos têm acesso gratuito e ilimitado ao rádio e à televisão.
d) a extinção de partidos políticos é livre, não estando subordinada à prestação de contas à
Justiça Eleitoral.
e) os partidos políticos poderão receber recursos financeiros de entidade estrangeira.

8
GABARITO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
1.B
2.D
3.D
APROFUNDANDO NO QUE CAI

01- Resposta B
02- ERRADO
03-Resposta: C
04- Resposta: E
05-Resposta: B
06-Resposta: D
07- Resposta: A
08-Resposta: C
09-Resposta: D
10- Resposta: A

QUESTÃO EXTRA
01- B

LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?


IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

9
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

Atento(a)s ao Artigo 14, §7º.

10
SUMÁRIO

SUMÁRIO ......................................................................................................................................... 1
DA ORDEM SOCIAL (Art. 196 ao 198) ............................................................................................. 2
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ............................................................................................................. 4
APROFUNDANDO NO QUE CAI ..................................................................................................... 5
GABARITO ..................................................................................................................................... 10
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?.................................................. 11

ENTÃO VAMOS LÁ LJORTANOS

1
DA ORDEM SOCIAL (Art. 196 ao 198)

Seção II - DA SAÚDE

Comentário: considero a leitura desses artigos bem tranquila e de fácil compreensão. Portanto,
pontuei alguns tópicos utilizando negrito e em outros, cometei de forma mais contundente.

Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e
econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e
igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.

Art. 197. São de relevância pública as ações e serviços de saúde, cabendo ao Poder Público dispor,
nos termos da lei, sobre sua regulamentação, fiscalização e controle, devendo sua execução ser
feita diretamente ou através de terceiros e, também, por pessoa física ou jurídica de direito privado.

Art. 198. As ações e serviços públicos de saúde integram uma rede regionalizada e hierarquizada e
constituem um sistema único, organizado de acordo com as seguintes diretrizes:

I - descentralização, com direção única em cada esfera de governo;


II - atendimento integral, com prioridade para as atividades preventivas, sem prejuízo dos serviços
assistenciais;
III - participação da comunidade.

§ 1º O sistema único de saúde será financiado, nos termos do art. 195, com recursos do orçamento
da seguridade social, da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, além de outras
fontes.

§ 2º A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios aplicarão, anualmente, em ações e


serviços públicos de saúde recursos mínimos derivados da aplicação de percentuais calculados
sobre:

I - no caso da União, a receita corrente líquida do respectivo exercício financeiro, não podendo ser
inferior a 15% (quinze por cento);

II – no caso dos Estados e do Distrito Federal, o produto da arrecadação dos impostos a que se
refere o art. 155 e dos recursos de que tratam os arts. 157 e 159, inciso I, alínea a, e inciso II,
deduzidas as parcelas que forem transferidas aos respectivos Municípios;

2
III – no caso dos Municípios e do Distrito Federal, o produto da arrecadação dos impostos a que se
refere o art. 156 e dos recursos de que tratam os arts. 158 e 159, inciso I, alínea b e § 3º.

§ 3º Lei complementar, que será reavaliada pelo menos a cada cinco anos, estabelecerá:

I - os percentuais de que tratam os incisos II e III do § 2º;

II – os critérios de rateio dos recursos da União vinculados à saúde destinados aos Estados, ao
Distrito Federal e aos Municípios, e dos Estados destinados a seus respectivos Municípios,
objetivando a progressiva redução das disparidades regionais;

III – as normas de fiscalização, avaliação e controle das despesas com saúde nas esferas federal,
estadual, distrital e municipal;

IV - (revogado). (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 86, de 2015)

§ 4º Os gestores locais do sistema único de saúde poderão admitir agentes comunitários de saúde
e agentes de combate às endemias por meio de processo seletivo público, de acordo com a
natureza e complexidade de suas atribuições e requisitos específicos para sua atuação.

§ 5º Lei federal disporá sobre o regime jurídico, o piso salarial profissional nacional, as diretrizes para
os Planos de Carreira e a regulamentação das atividades de agente comunitário de saúde e agente
de combate às endemias, competindo à União, nos termos da lei, prestar assistência financeira
complementar aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios, para o cumprimento do referido
piso salarial.

§ 6º Além das hipóteses previstas no § 1º do art. 41 e no § 4º do art. 169 da Constituição Federal, o


servidor que exerça funções equivalentes às de agente comunitário de saúde ou de agente de
combate às endemias poderá perder o cargo em caso de descumprimento dos requisitos específicos,
fixados em lei, para o seu exercício.

Comentário: caso algum contratado(a) exerce as funções de agente comunitário de saúde ou de


agente de combate às endemias, sem a devida qualificação, deixará de ocupa-las.

3
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

1) De acordo com a Constituição Federal de 1988, a saúde é

A) direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem
à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e
serviços para sua promoção, proteção e recuperação.
B) direito de todos e dever da União, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à
redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e
serviços para sua promoção, proteção e recuperação.
C) direito de todos e dever do União, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à
redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal às ações e serviços para sua
promoção, proteção e recuperação.
D) direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem
à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal às ações e serviços para
sua promoção, proteção e recuperação.

2) São diretrizes do SUS (Sistema Único de Saúde) conforme a CF/88, exceto:

A) descentralização.
B) atendimento integral.
C) participação da comunidade.
D) Eficiência.

3) De acordo o que estabelece nossa carta magna, o sistema único de saúde será financiado:

A) com recursos oriundos do Ministério da Saúde da União e das Secretarias de Saúde dos Estados,
do Distrito Federal e dos Municípios, além de outras fontes.
B) com recursos do orçamento da seguridade social, da União, dos Estados, do Distrito Federal e
dos Municípios, além de outras fontes.
C) com recursos do orçamento da seguridade social, da União.
D) com recursos do orçamento da seguridade social, da União, além de outras fontes.

4
APROFUNDANDO NO QUE CAI

1)Dadas as afirmativas sobre as regras constitucionais referentes à educação,

I. Os municípios devem aplicar, anualmente, não menos que vinte por cento da receita resultante
de impostos, compreendida a proveniente de transferências, na manutenção e desenvolvimento do
ensino.
II. É um dos princípios básicos do ensino a valorização dos profissionais da educação escolar,
garantidos, na forma da lei, planos de carreira, com ingresso exclusivamente por concurso público
de provas e títulos, aos das redes públicas.
III. A distribuição dos recursos públicos assegurará prioridade ao atendimento das necessidades do
ensino obrigatório, no que se refere a universalização, garantia de padrão de qualidade e equidade,
nos termos dos planos municipais de educação.

verifica-se que está(ão) correta(s)

A. I, II e III.
B. II e III, apenas.
C. I e III, apenas.
D. II, apenas.
E. I, apenas.

2)Com relação aos deveres dos pais e dos filhos, é correto afirmar que a Constituição Federal
determina que

A. os filhos maiores não possuem qualquer atribuição em relação ao dever de ajudar os pais,
devendo ampará-los somente em situação de enfermidade.
B. a mãe tem o dever de assistir, criar e educar os filhos menores, e o pai tem o dever de
sustentar os filhos até 21 anos.
C. os pais têm o dever apenas de criar os filhos menores, cabendo a missão de educar à
escola.
D. os pais têm o dever de assistir e criar os filhos menores de 12 anos, cabendo a missão de
educar à escola.
E. os filhos maiores têm o dever de ajudar e amparar os pais na velhice, carência ou
enfermidade.

3)Nos termos da Constituição Federal, é correto afirmar que

A. para efeito da proteção do Estado, é reconhecida a união estável entre o homem e a mulher
como entidade familiar, devendo a lei facilitar sua conversão em casamento.

5
B. a lei não reconhece como entidade familiar a comunidade formada por qualquer dos pais e
seus descendentes.
C. são penalmente inimputáveis os maiores de dezoito anos, sujeitos às normas da legislação
especial.
D. os filhos havidos da relação do casamento terão prioridade sobre os filhos adotados, devendo a
lei reconhecer essas diferenças, que não serão consideradas como designações
discriminatórias relativas à filiação.
E. a adoção será assistida pelo Poder Público, que deverá obrigatoriamente e na forma da lei,
proibir a sua efetivação por parte de estrangeiros.

4)Nos termos da Constituição Federal, é correto afirmar que

A. a lei não reconhece como entidade familiar a comunidade formada por qualquer dos pais e
seus descendentes.
B. para efeito da proteção do Estado, é reconhecida a união estável entre o homem e a mulher
como entidade familiar, devendo a lei facilitar sua conversão em casamento.
C. são penalmente inimputáveis os maiores de dezoito anos, sujeitos às normas da legislação
especial.
D. os filhos havidos da relação do casamento terão prioridade sobre os filhos adotados,
devendo a lei reconhecer essas diferenças, que não serão consideradas como designações
discriminatórias relativas à filiação.
E. a adoção será assistida pelo Poder Público, que deverá obrigatoriamente e na forma da lei,
proibir a sua efetivação por parte de estrangeiros.

5)De acordo com a CF, as ações e os serviços públicos de saúde constituem um sistema
único, que tem como uma de suas diretrizes o(a)

A. centralização da direção em uma esfera, no caso o governo federal.


B. rede regionalizada e sem hierarquia ou precedência.
C. atendimento integral, com prioridade para os serviços assistenciais.
D. participação da comunidade.
E. atendimento integral, com prioridade para as atividades emergenciais.

6)Segundo a Constituição Federal de 1988, é correto afirmar que

A. o servidor que exerça funções equivalentes às de agente comunitário de saúde ou de


agente de combate às endemias não poderá perder o cargo em hipótese alguma.
B. é atribuição do SUS ordenar a formação de recursos humanos na área de saúde e fiscalizar
e inspecionar alimentos, compreendido o controle de seu teor nutricional, bem como
bebidas e águas para consumo humano e para irrigação de hortaliças.
C. ela estabelece rígida e detalhadamente as normas de fiscalização, avaliação e controle das
despesas com saúde nas esferas federal, estadual, distrital e municipal.

6
D. as ações e os serviços de saúde são de relevância pública, cabendo ao Poder Público
dispor, nos termos da lei, sobre sua regulamentação, fiscalização e controle, devendo sua
execução ser feita preferencialmente de forma direta ou por meio de pessoa física.
E. os gestores locais do sistema único de saúde poderão admitir agentes comunitários de
saúde e agentes de combate às endemias por meio de processo seletivo público, de acordo
com a natureza e complexidade de suas atribuições e requisitos específicos para sua
atuação.

7)De acordo com o ordenamento jurídico e o entendimento do Supremo Tribunal Federal


sobre a disciplina da Ordem Social na Constituição Federal,

A. o ensino religioso nas escolas públicas brasileiras não pode ter natureza confessional, de
modo que não pode ser vinculado a nenhuma religião específica.
B. somente as universidades particulares gozam de autonomia didático-científica,
administrativa e de gestão financeira e patrimonial, subordinando-se as públicas, sob tais
aspectos, ao Ministério competente para a matéria no âmbito da Administração federal.
C. a assistência à saúde é livre à iniciativa privada, sendo, contudo, vedada a destinação de
recursos públicos para auxílios ou subvenções às instituições privadas com fins lucrativos.
D. é admissível, atualmente, o ensino domiciliar (homeschooling) como meio lícito de
cumprimento, pela família, do dever de prover educação.
E. tendo em vista o direito universal à saúde, o Estado, em regra, poderá ser obrigado a
fornecer medicamentos experimentais por decisão judicial, ainda que ausente o seu registro
na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

8)Analise as assertivas abaixo em conformidade com a Constituição Federal de 1988 sobre a


Ordem Social:

I- A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a
colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o
exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.
II- A União organizará o sistema federal de ensino e o dos Territórios, financiará as instituições de
ensino públicas federais e exercerá, em matéria educacional, função redistributiva e supletiva, de
forma a garantir equalização de oportunidades educacionais e padrão mínimo de qualidade do
ensino mediante assistência técnica e financeira aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios.
III-São reconhecidos aos índios sua organização social, costumes, línguas e tradições, e os direitos
originários sobre as terras que tradicionalmente ocupam, competindo ao Estado demarcá-las,
proteger e fazer respeitar todos os seus bens.
IV-Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e
essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de
defendê-lo e preservá- lo para as presentes e futuras gerações. E para assegurar a efetividade
desse direito, incumbe ao Poder Público, dentre outras ações, promover a educação ambiental em
todos os níveis de ensino e a conscientização pública para a preservação do meio ambiente.

Dentre as assertivas acima, são verdadeiras

7
A. I e II
B. I e IV
C. II e III
D. III e IV
E. I, II e IV

9)A respeito da Comunicação Social, considere:

I. O cancelamento da concessão ou permissão para o serviço de radiodifusão sonora e de


sons e imagens, antes de vencido o prazo, depende de decisão judicial.

II. A publicação de veículo impresso de comunicação independe de licença de autoridade.

III. O prazo da concessão ou permissão para o serviço de radiodifusão sonora e de sons e


imagens será de dez anos para as emissoras de rádio e de quinze para as de televisão.

IV. A não renovação da concessão ou permissão para o serviço de radiodifusão sonora e de


sons e imagens dependerá de aprovação de, no mínimo, dois quintos do Congresso Nacional,
em votação nominal.

V. Pelo menos setenta por cento do capital total e do capital votante das empresas
jornalísticas e de radiodifusão sonora e de sons e imagens deverá pertencer, direta ou
indiretamente, a brasileiros natos ou naturalizados há mais de dez anos, que exercerão
obrigatoriamente a gestão das atividades e estabelecerão o conteúdo da programação.

Em conformidade com a Constituição Federal de 1988, está correto o que consta de

A. II e III, apenas.
B. I, IV e V, apenas.
C. I, III e IV, apenas.
D. II e V, apenas.
E. I, II, III, IV e V.

10)De acordo com o que disciplina a Constituição Federal, a questão da Ordem Social tem
como base e objetivo, respectivamente,

A. a defesa do consumidor e a preservação do meio ambiente.


B. a defesa da propriedade privada e a preservação de um meio ambiente sadio.
C. a propriedade privada e a defesa do consumidor.
D. o primado do trabalho e o bem-estar e a justiça sociais.
E. o primado do trabalho e a defesa do consumidor.

8
QUESTÃO EXTRA

1)Em consonância com os preceitos constitucionais aplicáveis às universidades, assinale a


assertiva correta.

A. As universidades públicas federais gozam de autonomia didático-científica e administrativa,


mas a gestão financeira e patrimonial é subordinada à prévia aprovação ministerial.
B. As universidades públicas federais gozam de autonomia didático-científica, administrativa e
de gestão financeira e patrimonial, sem prejuízo da fiscalização pelos órgãos de controle
interno e externo.
C. As universidades públicas federais gozam de autonomia didático-científica, administrativa e
de gestão financeira e patrimonial, exceto em relação à contratação de pessoal, que deve
ser precedida de prévia autorização ministerial.
D. As universidades públicas federais gozam de autonomia didático-científica, administrativa e
de gestão financeira e patrimonial, e ficarão sujeitas, exclusivamente, à fiscalização pelo
Ministério Público Federal.

9
GABARITO

Exercícios de Fixação
1. A
2. D
3. B

Aprofundando no Que CAI


01-Resposta: D
02- Resposta: E
03-Resposta A
04- Resposta: B
05- Resposta: D
06-Resposta: E
07- Resposta: C
08- Resposta: E
09-Resposta: E
10-Resposta: D

Questão Extra

01-Resposta B

10
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

Caput do Art. 144, bem como as divisões abaixo.

11
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

12
SUMÁRIO

SUMÁRIO ......................................................................................................................................... 1
DA ORDEM SOCIAL (Art. Art. 199 e 200) ........................................................................................ 2
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ............................................................................................................. 4
APROFUNDANDO NO QUE CAI ..................................................................................................... 5
GABARITO ..................................................................................................................................... 10
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?.................................................. 11

ENTÃO VAMOS LÁ LJORTANOS

1
DA ORDEM SOCIAL (Art. Art. 199 e 200)

Seção II - DA SAÚDE
Comentário: no âmbito do Artigo 198 estudamos as regras do SUS (Sistema Único de Saúde),
portanto, a assistência oferecida pelo Estado, logo, pública. Agora, trataremos da saúde em sua
esfera particular.

Art. 199. A assistência à saúde é livre à iniciativa privada.

§ 1º As instituições privadas poderão participar de forma complementar do sistema único de saúde,


segundo diretrizes deste, mediante contrato de direito público ou convênio, tendo preferência as
entidades filantrópicas e as sem fins lucrativos.
Comentário: instituições particulares podem participar do SUS? Sim. Mediante um convênio ou
contrato de direito público, redes privadas podem prestar serviços ao governo.

§ 2º É vedada a destinação de recursos públicos para auxílios ou subvenções às instituições privadas


com fins lucrativos.
Comentário: portanto, não pode haver repasse de verba pública (auxílios ou subvenções) a quem
atenda com fins lucrativos.

§ 3º - É vedada a participação direta ou indireta de empresas ou capitais estrangeiros na assistência


à saúde no País, salvo nos casos previstos em lei.
Comentário: aqui se refere de fato, a assistência particular, atenção aqui. Assim, mesmo um plano
de saúde privado, em regra não pode ser prestado por empresas estrangeiras, nem contar com seus
investimentos. Essa é a regra, PORÉM, a constituição determina que se normas infraconstitucionais
regulamentarem as regras, essa participação poderá se concretizar.

§ 4º A lei disporá sobre as condições e os requisitos que facilitem a remoção de órgãos, tecidos e
substâncias humanas para fins de transplante, pesquisa e tratamento, bem como a coleta,
processamento e transfusão de sangue e seus derivados, sendo vedado todo tipo de
comercialização.
Comentário: essa parte é bem clara e sempre cai em prova, assim, não pode haver comercialização
de órgãos, tecidos e substâncias humanas.

Art. 200. Ao sistema único de saúde compete, além de outras atribuições, nos termos da lei:

I - controlar e fiscalizar procedimentos, produtos e substâncias de interesse para a saúde e participar


da produção de medicamentos, equipamentos, imunobiológicos, hemoderivados e outros insumos;
2
II - executar as ações de vigilância sanitária e epidemiológica, bem como as de saúde do trabalhador;
III - ordenar a formação de recursos humanos na área de saúde;
IV - participar da formulação da política e da execução das ações de saneamento básico;
V - incrementar, em sua área de atuação, o desenvolvimento científico e tecnológico e a inovação;
VI - fiscalizar e inspecionar alimentos, compreendido o controle de seu teor nutricional, bem como
bebidas e águas para consumo humano;
VII - participar do controle e fiscalização da produção, transporte, guarda e utilização de substâncias
e produtos psicoativos, tóxicos e radioativos;
VIII - colaborar na proteção do meio ambiente, nele compreendido o do trabalho.

3
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

1) De acordo com a Constituição Federal de 1988, a saúde é

A) direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem
à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e
serviços para sua promoção, proteção e recuperação.
B) direito de todos e dever da União, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à
redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e
serviços para sua promoção, proteção e recuperação.
C) direito de todos e dever do União, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à
redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal às ações e serviços para sua
promoção, proteção e recuperação.
D) direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem
à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal às ações e serviços para
sua promoção, proteção e recuperação.

2) São diretrizes do SUS (Sistema Único de Saúde) conforme a CF/88, exceto:

A) descentralização.
B) atendimento integral.
C) participação da comunidade.
D) Eficiência.

3) De acordo o que estabelece nossa carta magna, o sistema único de saúde será financiado:

A) com recursos oriundos do Ministério da Saúde da União e das Secretarias de Saúde dos Estados,
do Distrito Federal e dos Municípios, além de outras fontes.
B) com recursos do orçamento da seguridade social, da União, dos Estados, do Distrito Federal e
dos Municípios, além de outras fontes.
C) com recursos do orçamento da seguridade social, da União.
D) com recursos do orçamento da seguridade social, da União, além de outras fontes.

4
APROFUNDANDO NO QUE CAI

1)São princípios do ensino, previstos na Constituição Federal, exceto.

A. Gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais.


B. Pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas.
C. Obrigatoriedade do ensino da religião oficial do Estado.
D. Igualdade de condições para o acesso e permanência na escola.
E. Liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber.

2)De acordo com os dispositivos constitucionais da Ordem Social, assinale a alternativa


correta.

A. As ações e serviços públicos de saúde não integram uma rede regionalizada e


hierarquizada, nem se constituem num sistema único.
B. Os recursos públicos serão destinados apenas às escolas públicas, não podendo ser
dirigidos a escolas comunitárias, confessionais ou filantrópicas.
C. A Ordem Social tem como base o primado do lucro empresarial, não sendo um dos seus
objetivos a justiça social.
D. A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada
com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu
preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.
E. As Universidades gozam de autonomia didático-científica e, por isso, não obedecem ao
princípio da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão.

3)Em julgamento de Recurso Extraordinário (RE-AgR 436.996), o Supremo Tribunal Federal


entendeu que o atendimento em creche e o acesso à unidades de pré-escola à criança menor
de 05 (cinco) anos de idade não podem fundar-se em juízo de simples conveniência ou de
mera oportunidade. Isto porque o sistema de ensino municipal é consituticionalmente regido
por normas de eficácia

A. submetida ao princípio da reserva do possível.


B. contida, ou seja, têm aplicabilidade indireta, mediata e reduzida.
C. limitada, ou seja, têm aplicabilidade indireta, mediata e reduzida e estabelecem diretrizes
para as políticas públicas.
D. plena, ou seja, têm aplicabilidade direta, imediata e integral, que não se submetem ao
princípio da reserva do possível.
E. contida, ou seja, têm aplicabilidade direta, imediata e possivelmente não integral.

5
4)“O Tribunal de Justiça do Distrito Federal negou recurso do candidato aprovado em
concurso da Polícia Civil, mas que foi desqualificado do certame por ser reprovado na etapa
de sindicância de vida pregressa. Ele foi condenado em 2001 por participação no assassinato
do índio Galdino Jesus dos Santos. O crime aconteceu em 20 de abril de 1997, quando o
candidato tinha 16 anos. Ele e outros quatro jovens de classe média de Brasília atearam fogo
no índio, que dormia em uma parada de ônibus da W3 Sul. [...]

[...] a sindicância da vida pregressa e investigação social avalia a idoneidade moral do


candidato no âmbito social, administrativo, civil e criminal.

O requisito consta no edital como “indispensável para aprovação” no concurso e é avaliado


por uma comissão formada pela direção da Polícia Civil.” (GLOBO.com, G1DF, 16.jul.2015).

Com relação ao disposto na Constituição Federal de 1988 sobre o direito constitucional dos
índios, está INCORRETA a seguinte afirmação:

A. As Terras Indígenas são inalienáveis e indisponíveis, e o direito sobre elas é imprescritível.


B. Legislar sobre populações indígenas é assunto de competência privativa da União.
C. Serão asseguradas às comunidades indígenas a utilização de suas línguas maternas e
processos próprios de aprendizagem.
D. Processar e julgar a disputa sobre direitos indígenas é competência dos juízes estaduais,
onde ocorre o conflito.
E. É vedado remover os índios de suas terras, salvo casos excepcionais e temporários.

5)Considerando o entendimento consolidado do Supremo Tribunal Federal, assinale a


alternativa INCORRETA.

A. A ausência de registro na Anvisa não impede o fornecimento de medicamento por decisão


judicial.
B. Os entes da Federação, em decorrência da competência comum, são solidariamente
responsáveis nas demandas prestacionais na área da saúde, e diante dos critérios
constitucionais de descentralização e hierarquização, compete à autoridade judicial
direcionar o cumprimento conforme as regras de repartição de competências e determinar o
ressarcimento a quem suportou o ônus financeiro.
C. O Estado não pode ser obrigado a fornecer medicamentos experimentais.
D. É possível, excepcionalmente, a concessão judicial de medicamento sem registro sanitário,
em caso de mora irrazoável da Anvisa em apreciar o pedido (prazo superior ao previsto na
Lei no 13.411/2016), quando preenchidos três requisitos: I – a existência de pedido de
registro do medicamento no Brasil, salvo no caso de medicamentos órfãos para doenças
raras e ultrarraras; II – a existência de registro do medicamento em renomadas agências de
regulação no exterior; III – a inexistência de substituto terapêutico com registro no Brasil.
E. As ações que demandem o fornecimento de medicamentos sem registro na Anvisa deverão
ser necessariamente propostas em face da União.

6
6)Assinale a alternativa INCORRETA.

A. É constitucional a regra que veda, no âmbito do SUS, a internação em acomodações


superiores, bem como o atendimento diferenciado por médico do próprio SUS, ou por
médico conveniado, mediante o pagamento da diferença dos valores correspondentes.
B. Ao enunciar o direito à saúde, o art. 196 da Constituição de 1988 traz norma de caráter
programático pertinente à realização de políticas públicas. Traça para o futuro um programa
ao legislador, um programa de Governo, passível de ser ou não cumprido, cuja efetividade
dependeria de uma instrumentalização infraconstitucional.
C. Pela interpretação sistemática dos dispositivos da Constituição Federal, os serviços de
assistência à saúde, financiados pelo SUS, deverão ser prestados diretamente pelo Poder
Público, podendo este, excepcionalmente, e de forma complementar, apenas, contar com a
ajuda da iniciativa privada, sendo vedada a destinação de recursos públicos para auxílios
ou subvenções às instituições privadas com fins lucrativos.
D. O direito à saúde, consequência do direito à vida, constitui direito fundamental, direito
individual indisponível, que legitima o Ministério Público para a propositura de ação em
defesa desse direito por meio da ação civil pública, que lhe permite invocar a tutela
jurisdicional do Estado com o objetivo de fazer com que os Poderes Públicos respeitem, em
favor da coletividade, os serviços de relevância pública.
E. Ao disciplinar o sistema público de saúde, a Constituição Federal fincou o princípio da
universalidade, no sentido de que os serviços públicos de saúde são destinados a todos,
independentemente de situação jurídica, econômica, ou social, e o princípio da igualdade,
segundo o qual situações clínicas iguais reclamam tratamentos iguais, expurgando a
possibilidade de tratamento diferenciado com critério no pagamento.

7)No que se refere à educação, de acordo com o disposto na Constituição Federal de 1988,
é INCORRETO afirmar que

A. a educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada


com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa e seu
preparo para o exercício da cidadania.
B. lei complementar fixará os conteúdos mínimos para o ensino fundamental, de maneira a
assegurar a formação da Base Nacional Comum Curricular, observados os valores culturais
e artísticos, nacionais e regionais.
C. as universidades gozam de autonomia didático-científica, administrativa e de gestão
financeira e patrimonial, e obedecerão ao princípio de indissociabilidade entre ensino,
pesquisa e extensão.
D. o ensino será ministrado com base na igualdade de condições para o acesso e
permanência na escola e gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais, dentre
outros princípios.

7
8)Sobre as disposições constitucionais relativas ao meio ambiente, assinale a
alternativa incorreta.

A. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do
povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o
dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.
B. Incumbe ao Poder Público promover a educação ambiental em todos os níveis de ensino e
a conscientização pública para a preservação do meio ambiente.
C. Consideram-se cruéis quaisquer práticas desportivas que utilizem animais, mesmo que
sejam manifestações culturais integrantes do patrimônio cultural brasileiro.
D. As condutas e atividades consideradas lesivas ao meio ambiente sujeitarão os infratores,
pessoas físicas ou jurídicas, a sanções penais e administrativas, independentemente da
obrigação de reparar os danos causados.
E. Incumbe ao Poder Público preservar a diversidade e a integridade do patrimônio genético
do País e fiscalizar as entidades dedicadas à pesquisa e manipulação de material genético.

9)O Sistema Único de Saúde (SUS) baseia as sua ações em princípios classificados como
doutrinários e organizativos. Representa um exemplo de princípio organizativo do SUS:

A. Descentralização.
B. Impessoalidade.
C. Universalidade.
D. Legalidade.

10)Estabelece a Constituição Federal que a família, base da sociedade, tem especial proteção
do Estado, e por isso

A. o casamento religioso não tem efeito civil, nos termos da lei.


B. programas de assistência integral à saúde da criança, do adolescente e do jovem não
admitem a participação de entidades não governamentais.
C. a entidade familiar é formada por ambos os pais, seus ascendentes e descendentes.
D. será assegurada a assistência à família na pessoa de cada um dos que a integram, criando
mecanismos para coibir a violência no âmbito de suas relações.
E. o planejamento familiar é decisão do casal, mas as instituições oficiais podem proibir a
paternidade irresponsável.

8
QUESTÃO EXTRA

1)Segundo a Constituição Federal de 1988, “a educação, direito de todos e dever do Estado e


da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno
desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para
o trabalho”. Nesse contexto, é correto afirmar:

A. Segundo a Lei nº 9.394/96 (LDB), o ensino fundamental obrigatório, com duração de 9


(nove) anos, gratuito na escola pública, iniciando-se aos 6 (seis) anos de idade, terá por
objetivo a formação básica do cidadão, mediante, dentre outros meios, a compreensão dos
fundamentos científico-tecnológicos dos processos produtivos, relacionando a teoria com a
prática, no ensino de cada disciplina.
B. O ensino nas creches é obrigatório até os três anos de idade, sendo dever da família e do
Estado a regularização da matrícula e a manutenção da frequência escolar.
C. O fechamento de escolas do campo, indígenas e quilombolas será precedido de
manifestação do órgão normativo do respectivo sistema de ensino, que considerará a
justificativa apresentada pela Secretaria de Educação, a análise do diagnóstico do impacto
da ação e a manifestação da comunidade escolar.
D. Segundo o Supremo Tribunal Federal, é incompatível com a Constituição Federal o regime
de cotas para a seleção de ingresso no ensino público superior.
E. O gestor escolar, ou autoridade competente, poderá recusar a matrícula de aluno com
transtorno do espectro autista, desde que fundamentadamente e após prévia audiência com
os pais ou os responsáveis legais.

9
GABARITO

Exercícios de Fixação
1. A
2. D
3. B

Aprofundando no Que CAI


01- Resposta: C
02- Resposta: D
03-Resposta: D
04- Resposta: D
05-Resposta A
06-Resposta: B
07-Resposta: B
08-Resposta C
09-Resposta A
10-Resposta: D

Questão Extra

01-Resposta: C

10
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

Caput do Art. 144, bem como as divisões abaixo.

11
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

12
SUMÁRIO

SUMÁRIO ......................................................................................................................................... 1
DA ORDEM SOCIAL (Art. 201) ......................................................................................................... 2
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ............................................................................................................. 6
APROFUNDANDO NO QUE CAI...................................................................................................... 7
QUESTÃO EXTRA ......................................................................................................................... 13
GABARITO ..................................................................................................................................... 14
QUESTÃO EXTRA ...................................................................................................................................... 14
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?.................................................. 15

ENTÃO VAMOS LÁ LJORTANOS

1
DA ORDEM SOCIAL (Art. 201)

Seção III - DA PREVIDÊNCIA SOCIAL

Comentário: aqui vamos estudar o RGPS (Regime Geral de Previdência Social), é importante frisar
que o RPPS (Regime Próprio de Previdência Social), comum aos servidores públicos, já foi objeto
de análise no Artigo 40. Vale frisar, que aqui já estudaremos as novas regras incluídas pela reforma
da previdência.

Art. 201. A previdência social será organizada sob a forma do Regime Geral de Previdência Social,
de caráter contributivo e de filiação obrigatória, observados critérios que preservem o equilíbrio
financeiro e atuarial, e atenderá, na forma da lei, a:

I - cobertura dos eventos de doença, invalidez, morte e idade avançada;


II - proteção à maternidade, especialmente à gestante;
III - proteção ao trabalhador em situação de desemprego involuntário;
IV - salário-família e auxílio-reclusão para os dependentes dos segurados de baixa renda;
V - pensão por morte do segurado, homem ou mulher, ao cônjuge ou companheiro e dependentes,
observado o disposto no § 2º.

§ 1º É vedada a adoção de requisitos ou critérios diferenciados para concessão de benefícios,


ressalvada, nos termos de lei complementar, a possibilidade de previsão de idade e tempo de
contribuição distintos da regra geral para concessão de aposentadoria exclusivamente em favor dos
segurados:

I - com deficiência, previamente submetidos a avaliação biopsicossocial realizada por equipe


multiprofissional e interdisciplinar;

II - cujas atividades sejam exercidas com efetiva exposição a agentes químicos, físicos e biológicos
prejudiciais à saúde, ou associação desses agentes, vedada a caracterização por categoria
profissional ou ocupação. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 103, de 2019)
Comentário: “vedada a caracterização por categoria profissional ou ocupação”, ou seja, tem que levar
em consideração a atividade exercida e não a categoria, por exemplo, médico. Não são todos os
médicos que terão adoção de requisitos ou critérios diferenciados para concessão de benefícios,
somente os que de fato, comprovarem o que o inciso II determina incialmente. Porém, fique calmo(a),
não precisamos saber quais são as áreas ou coisas do tipo, lembre que cairá a literalidade do texto
constitucional, portanto, basta entender o disposto nessa parte.

2
§ 2º Nenhum benefício que substitua o salário de contribuição ou o rendimento do trabalho do
segurado terá valor mensal inferior ao salário mínimo.

§ 3º Todos os salários de contribuição considerados para o cálculo de benefício serão devidamente


atualizados, na forma da lei.
Comentário: essa correção ocorre devido, dentre outros fatores, a inflação. Assim, caso eu tenho
contribuído no ano de 1997 e venha a me aposentar em 2017, a contribuição feita no primeiro ano
em destaque, já foi corroída pelo aumento dos preços, todavia, quando ela foi efetuada, estava de
acordo com as normas econômicas vigentes na época.

§ 4º É assegurado o reajustamento dos benefícios para preservar-lhes, em caráter permanente, o


valor real, conforme critérios definidos em lei.

§ 5º É vedada a filiação ao regime geral de previdência social, na qualidade de segurado facultativo,


de pessoa participante de regime próprio de previdência.
Comentário: servidor público efetivo, já contribui para o seu respectivo sistema de aposentadoria
(RPPS), assim, não pode pagar de forma facultativa e simultânea o RGPS, para ter duas
aposentadorias, isso em termos estatais. Nada impede que ele pague uma previdência privada.
Portanto, no âmbito da administração pública, servidor efetivo só pode participar do RPPS.

§ 6º A gratificação natalina dos aposentados e pensionistas terá por base o valor dos proventos do
mês de dezembro de cada ano.

§ 7º É assegurada aposentadoria no regime geral de previdência social, nos termos da lei,


obedecidas as seguintes condições:

I - 65 (sessenta e cinco) anos de idade, se homem, e 62 (sessenta e dois) anos de idade, se mulher,
observado tempo mínimo de contribuição; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 103, de
2019)

II - 60 (sessenta) anos de idade, se homem, e 55 (cinquenta e cinco) anos de idade, se mulher, para
os trabalhadores rurais e para os que exerçam suas atividades em regime de economia familiar,
nestes incluídos o produtor rural, o garimpeiro e o pescador artesanal. (Redação dada pela Emenda
Constitucional nº 103, de 2019)

§ 8º O requisito de idade a que se refere o inciso I do § 7º será reduzido em 5 (cinco) anos, para o
professor que comprove tempo de efetivo exercício das funções de magistério na educação infantil
e no ensino fundamental e médio fixado em lei complementar. (Redação dada pela Emenda
Constitucional nº 103, de 2019)

3
Comentário: observe que não cita o professor universitário.

§ 9º Para fins de aposentadoria, será assegurada a contagem recíproca do tempo de contribuição


entre o Regime Geral de Previdência Social e os regimes próprios de previdência social, e
destes entre si, observada a compensação financeira, de acordo com os critérios estabelecidos em
lei. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 103, de 2019)
Comentário: você pode averbar (trazer) o seu tempo de contribuição no RGPS para o RPPS, assim
que passar no concurso público.

§ 9º-A. O tempo de serviço militar exercido nas atividades de que tratam os arts. 42, 142 e 143 e o
tempo de contribuição ao Regime Geral de Previdência Social ou a regime próprio de previdência
social terão contagem recíproca para fins de inativação militar ou aposentadoria, e a compensação
financeira será devida entre as receitas de contribuição referentes aos militares e as receitas de
contribuição aos demais regimes. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 103, de 2019)

§ 10. Lei complementar poderá disciplinar a cobertura de benefícios não programados, inclusive os
decorrentes de acidente do trabalho, a ser atendida concorrentemente pelo Regime Geral de
Previdência Social e pelo setor privado. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 103, de
2019)

§ 11. Os ganhos habituais do empregado, a qualquer título, serão incorporados ao salário para efeito
de contribuição previdenciária e consequente repercussão em benefícios, nos casos e na forma da
lei.

§ 12. Lei instituirá sistema especial de inclusão previdenciária, com alíquotas diferenciadas, para
atender aos trabalhadores de baixa renda, inclusive os que se encontram em situação de
informalidade, e àqueles sem renda própria que se dediquem exclusivamente ao trabalho doméstico
no âmbito de sua residência, desde que pertencentes a famílias de baixa renda. (Redação dada
pela Emenda Constitucional nº 103, de 2019)
Comentário: observe que a constituição não regulamenta, logo, não temos as regras e sim, apenas
o direito a esse sistema especial de inclusão previdenciária.

§ 13. A aposentadoria concedida ao segurado de que trata o § 12 terá valor de 1 (um) salário-mínimo.
(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 103, de 2019)

§ 14. É vedada a contagem de tempo de contribuição fictício para efeito de concessão dos benefícios
previdenciários e de contagem recíproca. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 103, de 2019)
Comentário: é evidente que não será computada contribuição fictícia (inventada, fraudulenta).

4
§ 15. Lei complementar estabelecerá vedações, regras e condições para a acumulação de benefícios
previdenciários. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 103, de 2019)

§ 16. Os empregados dos consórcios públicos, das empresas públicas, das sociedades de economia
mista e das suas subsidiárias serão aposentados compulsoriamente, observado o cumprimento do
tempo mínimo de contribuição, ao atingir a idade máxima de que trata o inciso II do § 1º do art. 40,
na forma estabelecida em lei.

Comentário: inciso II do § 1º do art. 40. II - compulsoriamente, com proventos proporcionais ao tempo


de contribuição, aos 70 (setenta) anos de idade, ou aos 75 (setenta e cinco) anos de idade, na forma
de lei complementar;

5
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

1) O Art. 201 da Constituição Federal brasileira dispõe que a Previdência Social será
organizada sob a forma de regime geral, de caráter contributivo e de filiação obrigatória,
observados os critérios que preservem o equilíbrio financeiro e atuarial, nos termos da lei, e
atenderá a: I. Cobertura de eventos de doença, invalidez, morte e idade avançada. II. Cobertura
integral por eventos resultantes de acidentes do trabalho. III. Proteção ao trabalhador em
situação de desemprego voluntário. IV. Salário-família e auxílio reclusão para os dependentes
dos segurados de baixa renda. V. Pensão por morte do segurado, homem ou mulher, ao
cônjuge ou companheiros e dependentes. Está correto o que se afirma APENAS em

A) I, II e III.
B) II, III e V.
C) III, IV e V.
D) I, IV e V.

2) A previdência social será organizada sob a forma do Regime Geral de Previdência Social,
de caráter contributivo e de filiação obrigatória, observados critérios que preservem o
equilíbrio financeiro e atuarial, e atenderá, na forma da lei, EXCETO:

A) cobertura dos eventos de doença, invalidez, morte e idade avançada.


B) proteção à maternidade, especialmente à infância.
C) proteção ao trabalhador em situação de desemprego involuntário.
D) salário-família e auxílio-reclusão para os dependentes dos segurados de baixa renda.

3) Sobre o Regime Geral de Previdência Social, exposto na Constituição podemos afirmar:

A) Nenhum benefício que substitua o salário de contribuição ou o rendimento do trabalho do


segurado terá valor mensal inferior ao piso salarial.
B) É assegurado o reajustamento dos benefícios para preservar-lhes, em caráter circunstancial, o
valor real, conforme critérios definidos em lei.
C) É assegurada a filiação ao regime geral de previdência social, na qualidade de segurado
facultativo, de pessoa participante de regime próprio de previdência.
D) A gratificação natalina dos aposentados e pensionistas terá por base o valor dos proventos do
mês de dezembro de cada ano.

6
APROFUNDANDO NO QUE CAI

1)De acordo com a Constituição Federal, a seguridade social será financiada por toda a
sociedade, de forma direta e indireta, nos termos da lei, mediante recursos provenientes dos
orçamentos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, e das seguintes
contribuições sociais:

I. Do empregador, da empresa e da entidade a ela equiparada na forma da lei, incidentes sobre


a folha de salários e demais rendimentos do trabalho pagos ou creditados, a qualquer título,
à pessoa física que lhe preste serviço, mesmo sem vínculo empregatício; a receita ou o
faturamento; o lucro.

II. Do trabalhador, não incidindo sobre os demais segurados da previdência social,


ressalvadas a contribuição sobre aposentadoria e pensão concedidas pelo regime geral de
previdência social.

III. Sobre a receita de concursos públicos de provas ou de provas e títulos.IV. Do importador


de bens ou serviços do exterior, ou de quem a lei a ele equiparar.

A. Somente as proposições I e IV estão corretas.


B. Somente as proposições I, II e IV estão corretas.
C. Somente as proposições II e III estão corretas.
D. Somente as proposições I, II e III estão corretas.
E. Somente as proposições III e IV estão corretas.

2)Assinale a alternativa INCORRETA:

A. A propriedade de empresa jornalística e de radiodifusão sonora e de sons e imagens é


privativa de brasileiros natos ou naturalizados há mais de dez anos, ou de pessoas jurídicas
constituídas sob as leis brasileiras e que tenham sede no País. Em qualquer caso, pelo
menos 70% do capital total e do capital votante das empresas jornalísticas e de radiodifusão
sonora e de sons e imagens deverá pertencer, direta ou indiretamente, a brasileiros natos
ou naturalizados há mais de dez anos, que exercerão obrigatoriamente a gestão das
atividades e estabelecerão o conteúdo da programação.
B. O Estado garantirá a todos o pleno exercício dos direitos culturais e acesso às fontes da
cultura nacional, e apoiará e incentivará a valorização e a difusão das manifestações
culturais, protegendo as manifestações das culturas populares, indígenas e afro-brasileiras
e das de outros grupos participantes do processo civilizatório nacional.
C. A previdência social será organizada sob a forma de regime geral, de caráter contributivo e
de filiação obrigatória, observados critérios que preservem o equilíbrio financeiro e atuarial,
e atenderá, entre outros, nos termos da lei, à cobertura dos eventos de doença, invalidez,
morte e idade avançada.

7
D. A assistência social será prestada pelo Poder Público a quem dela necessitar, desde que o
necessitado tenha contribuído para a seguridade social pelo período mínimo de 10 anos.
E. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e
econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso
universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.

3)A saúde das pessoas é resultante do somatório de vários fatores, determinando o bem-estar
físico, psicológico, emocional e social dos indivíduos. Portanto, saúde é qualidade de vida e
está fortemente ligada aos direitos humanos, ao direito ao trabalho, à moradia, à educação, à
alimentação e ao lazer. Sobre esse tema, leia as afirmações a seguir e marque (V) para as
VERDADEIRAS e (F) para as FALSAS.

( ) Todas as pessoas têm direito à saúde e é dever do Estado assegurar esse direito por meio
de políticas sociais.

( ) Todos os indivíduos, exceto as crianças, têm direito a se beneficiarem de medidas para


prevenir as doenças e devem receber tratamento de saúde caso dele necessitem.

( ) Devemos estar atentos às leis, pois, além da Constituição Federal, o direito à saúde,
principalmente para as crianças e adolescentes, foi reforçado no Estatuto da Criança e do
Adolescente-ECA/1990 no seu Artigo 7.

( ) Para que as instituições de educação possam contribuir no processo de prevenção e


controle das doenças que atingem as crianças, é preciso reconhecer que saúde e doença
expressam unicamente as condições econômicas, sociais e culturais nas quais vivem as
crianças e suas famílias.

( ) Quando a criança ingressa na instituição de educação, é importante que esta cobre das
famílias a apresentação do cartão de vacinação ou cartão da criança. O cartão da criança é
um instrumento que permite que a instituição acompanhe o crescimento e o desenvolvimento
saudável das crianças e deve ser trabalhado em parceria com o serviço de saúde mais
próximo.Marque a alternativa que indica a sequência CORRETA.

A. V – F – F – V – F.

B. F – V – V – F – V.

C. F – V – F – V – F.

D. V –F – V – V – V.

E. V – F – V – F – V

8
4)A Constituição Federal determina que as ações e serviços públicos de saúde integram uma
rede regionalizada e hierarquizada e constituem um sistema único, organizado de acordo com
as seguintes diretrizes:

9
A. participação na formulação da política e na execução das ações de saneamento básico.
B. mediante contrato de direito público ou convênio, tendo preferência as entidades
filantrópicas e as sem fins lucrativos.
C. colaboração na proteção do meio ambiente, nele compreendido o do trabalho, e formação
de recursos humanos na área de saúde.
D. atendimento integral, com prioridade para as atividades preventivas, sem prejuízo dos
serviços assistenciais e participação da comunidade.
E. fiscalização e inspeção de alimentos, compreendido o controle de seu teor nutricional, bem
como bebidas e águas para consumo humano.

5)Tendo em vista as disposições da Constituição Federal relativas à educação, considere as


afirmativas abaixo.

I - As universidades gozam de autonomia didático-científica, administrativa e de gestão


financeira e patrimonial, e obedecerão ao princípio de indissociabilidade entre ensino,
pesquisa e extensão.
II - É vedado às universidades admitir professores, técnicos e cientistas estrangeiros.
III - As atividades de pesquisa, de extensão e de estímulo e fomento à inovação realizadas
por universidades e/ou por instituições de educação profissional e tecnológica somente
poderão receber apoio financeiro de entidades privadas.
Quais estão corretas?

A. Apenas I.
B. Apenas II.
C. Apenas III.
D. Apenas I e III.
E. I, II e III.

6)De acordo com o disposto no texto constitucional, assinale a alternativa INCORRETA


acerca da Educação.

A. Os Municípios atuarão prioritariamente no ensino fundamental e na educação infantil.


B. Os Estados e o Distrito Federal atuarão prioritariamente no ensino fundamental e médio.
C. O não-oferecimento do ensino obrigatório pelo Poder Público, ou sua oferta irregular,
importa responsabilidade da autoridade competente.
D. É vedado às universidades admitir professores, técnicos e cientistas estrangeiros.
E. As universidades gozam de autonomia didático-científica, administrativa e de gestão
financeira e patrimonial e obedecerão ao princípio de indissociabilidade entre ensino,
pesquisa e extensão.

10
7)Assinale a alternativa correta acerca do que dispõe a Constituição Federal sobre a
Seguridade social.

A. Nenhum benefício ou serviço da seguridade social poderá ser criado, majorado ou


estendido sem a correspondente fonte de custeio total.
B. As receitas dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios destinadas à seguridade
social constarão dos respectivos orçamentos, integrando o orçamento da União
C. Os débitos com o sistema da Seguridade Social não impedem as pessoas jurídicas de
contratar com o Poder Público e dele receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios.
D. Constitui um dos objetivos da Seguridade Social a unicidade da base de financiamento.
E. Em hipótese alguma, as contribuições sociais poderão ter alíquotas ou base de cálculo
diferenciadas em razão de atividade empresarial.

8)As pessoas podem se inserir no mercado de trabalho de diversas formas, seja na iniciativa
privada, seja laborando para a Administração Pública. No caso da iniciativa privada, o trabalho
pode se desenvolver em atividades urbanas ou rurais, de modo que os regimes
previdenciários devem procurar enfrentar essas hipóteses e fornecer adequadas soluções.
Nesse sentido, em relação ao tema da contagem recíproca de tempo de contribuição e
compensação financeira entre regimes previdenciários, assinale a alternativa INCORRETA.

11
A. O tempo de contribuição federal, estadual ou municipal será contado para efeito de
aposentadoria, e o tempo de serviço correspondente, para efeito de disponibilidade.
B. O aproveitamento de tempo de contribuição de regime previdenciário diverso daquele em
que atualmente se encontra inserido o servidor público se dá através da expedição de
Certidão de Tempo de Contribuição (CTC).
C. O regime previdenciário em que efetivamente se aposentará o servidor público civil é
denominado de regime instituidor.
D. É permitido o aproveitamento de tempo de contribuição realizado na iniciativa privada,
perante o Regime Geral de Previdência Social, para os regimes próprios de previdência,
sendo, nesse caso, dispensada a compensação financeira entre os regimes.
E. A Constituição Federal de 1988 permite a contagem recíproca do tempo de contribuição,
mas veda o aproveitamento de tempo de contribuição fictício, a exemplo da utilização de
períodos de licença-prêmio não usufruída oportunamente, para fins de antecipação do
momento da aposentadoria.

9)A Seguridade Social é um conjunto integrado de iniciativas, a cargo do Estado e de toda a


sociedade, envolvendo as áreas da saúde, da assistência social e da previdência social (art.
194, caput, da Constituição Federal). Considerando essa disposição constitucional, assinale
a alternativa correta.

A. O acesso aos direitos de Seguridade Social exige a realização de atividade laborativa e, por
consequência, o recolhimento de contribuições previdenciárias.
B. Previdência Social é um conjunto de ações de ordem caritativa destinadas ao fomento da
proteção social.
C. Saúde é um direito fundamental, direito de todos e dever do Estado, consistente na
erradicação de doenças.
D. Assistência Social consiste em uma série de políticas públicas destinadas a quem dela
necessitar, independentemente de recolhimento de contribuições, cobrindo contingências
sociais, como a proteção à família, à maternidade, à infância, à adolescência e à velhice.
E. A habilitação e reabilitação das pessoas portadoras de deficiência e promoção de sua
integração à vida comunitária é objetivo constitucional da área da Saúde.

10)Segundo a Constituição Federal, é dever do Estado fomentar práticas desportivas formais


e não formais, como direito de cada um, observado(a)

A. a autonomia das entidades desportivas dirigentes e associações, quanto a sua organização


e funcionamento.
B. a destinação de recursos públicos para a promoção prioritária do desporto educacional e,
em todos os casos, para a do desporto de alto rendimento.
C. o tratamento igualitário para o desporto profissional e o não profissional.

12
D. a proteção e o incentivo, preferencialmente, às manifestações desportivas de criação
estrangeiras.
E. a democratização dos processos decisórios com participação e controle social.

QUESTÃO EXTRA

1)No que tange às disposições constitucionais acerca dos índios, assinale a alternativa
correta.

A. São reconhecidos aos índios: sua organização social, costumes, línguas, crenças e
tradições, e os direitos originários sobre as terras que tradicionalmente ocupam, competindo
privativamente aos Estados federados demarcá-las, proteger e fazer respeitar todos os seus
bens.
B. São terras tradicionalmente ocupadas pelos índios as por eles habitadas em caráter
transitório pelo prazo mínimo de 10 anos, as utilizadas para suas atividades produtivas, as
imprescindíveis à preservação dos recursos ambientais necessários a seu bem-estar e as
necessárias a sua reprodução física e cultural, segundo seus usos, costumes e tradições.
C. O aproveitamento dos recursos hídricos, incluídos os potenciais energéticos, a pesquisa e a
lavra das riquezas minerais em terras indígenas, só pode ser efetivado com autorização do
Senado Federal, dispensada a oitiva das comunidades afetadas, na forma da lei.
D. As terras tradicionalmente ocupadas pelos índios são inalienáveis e indisponíveis, e os
direitos sobre elas, imprescritíveis.
E. É vedada a remoção dos grupos indígenas de suas terras, salvo, "ad referendum" do
Senado Federal, em caso de catástrofe ou epidemia que ponha em risco sua população, ou
no interesse da soberania do País, garantido, em algumas hipóteses previstas em lei, o
retorno imediato logo que cesse o risco.

13
GABARITO

Exercícios de Fixação
1. D
2. B
3. D

Aprofundando no Que CAI


01-Resposta: A
02- Resposta: D
03-Resposta: E
04-Resposta: D
05- Resposta: A
06- Resposta: D
07-Resposta A
08- Resposta: D
09- Resposta: D
10- Resposta: A

QUESTÃO EXTRA

01-Resposta: D

14
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

Artigo 201, incisos de I a V.

15
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

16
SUMÁRIO

SUMÁRIO ......................................................................................................................................... 1
DA ORDEM SOCIAL (Art. 202 ao 204) ............................................................................................. 2
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ............................................................................................................. 4
APROFUNDANDO NO QUE CAI ..................................................................................................... 5
QUESTÃO EXTRA ........................................................................................................................... 8
GABARITO ....................................................................................................................................... 9
Questão Extra .................................................................................................................................................. 9
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?.................................................. 10

ENTÃO VAMOS LÁ LJORTANOS

1
DA ORDEM SOCIAL (Art. 202 ao 204)

Seção III - DA PREVIDÊNCIA SOCIAL

Comentário: essa parte tratará da previdência complementar, ou seja, a pessoa pode contribuir para
o RGPS ou RPPS e ainda, pagar outra, agora na iniciativa privada.

Art. 202. O regime de previdência privada, de caráter complementar e organizado de forma


autônoma em relação ao regime geral de previdência social, será facultativo, baseado na constituição
de reservas que garantam o benefício contratado, e regulado por lei complementar.

§ 1° A lei complementar de que trata este artigo assegurará ao participante de planos de benefícios
de entidades de previdência privada o pleno acesso às informações relativas à gestão de seus
respectivos planos.

§ 2° As contribuições do empregador, os benefícios e as condições contratuais previstas nos


estatutos, regulamentos e planos de benefícios das entidades de previdência privada não integram
o contrato de trabalho dos participantes, assim como, à exceção dos benefícios concedidos, não
integram a remuneração dos participantes, nos termos da lei.
Comentário: caso o empregador (quem contrata) pague uma parte da contribuição previdenciária
privada do empregado, esse valor não entra como cálculo de seu salário.

§ 3º É vedado o aporte de recursos a entidade de previdência privada pela União, Estados, Distrito
Federal e Municípios, suas autarquias, fundações, empresas públicas, sociedades de economia
mista e outras entidades públicas, salvo na qualidade de patrocinador, situação na qual, em hipótese
alguma, sua contribuição normal poderá exceder a do segurado.
Comentário: esse “o aporte de recursos” refere-se ao fato do governo custear ou investir dinheiro
público em previdências privadas para evitar sua respectiva falência, o máximo a ser feito é ser
patrocinadora, ou seja, caso ela ajude a custear a previdência privada do seu funcionário, ela fará
repasses de acordo com o valor estipulado para a aposentadoria de seu empregado.

§ 4º Lei complementar disciplinará a relação entre a União, Estados, Distrito Federal ou Municípios,
inclusive suas autarquias, fundações, sociedades de economia mista e empresas controladas direta
ou indiretamente, enquanto patrocinadores de planos de benefícios previdenciários, e as entidades
de previdência complementar. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 103, de 2019)

§ 5º A lei complementar de que trata o § 4º aplicar-se-á, no que couber, às empresas privadas


permissionárias ou concessionárias de prestação de serviços públicos, quando patrocinadoras de
planos de benefícios em entidades de previdência complementar. (Redação dada pela Emenda
Constitucional nº 103, de 2019)
2
§ 6º Lei complementar estabelecerá os requisitos para a designação dos membros das diretorias das
entidades fechadas de previdência complementar instituídas pelos patrocinadores de que trata o §
4º e disciplinará a inserção dos participantes nos colegiados e instâncias de decisão em que seus
interesses sejam objeto de discussão e deliberação. (Redação dada pela Emenda Constitucional
nº 103, de 2019)

Seção IV - DA ASSISTÊNCIA SOCIAL

Comentário: essa parte refere-se ao cuidado estatal com a população do país, independente se ela
possua recursos ou não, os direitos são garantidos a todos que eventualmente precisarem. É bem
objetivo e de fácil compreensão, portanto, apenas pontuei os termos para facilitar sua leitura.

Art. 203. A assistência social será prestada a quem dela necessitar, independentemente de
contribuição à seguridade social, e tem por objetivos:

I - a proteção à família, à maternidade, à infância, à adolescência e à velhice;


II - o amparo às crianças e adolescentes carentes;
III - a promoção da integração ao mercado de trabalho;
IV - a habilitação e reabilitação das pessoas portadoras de deficiência e a promoção de sua
integração à vida comunitária;
V - a garantia de um salário mínimo de benefício mensal à pessoa portadora de deficiência e ao
idoso que comprovem não possuir meios de prover à própria manutenção ou de tê-la provida por sua
família, conforme dispuser a lei.

Art. 204. As ações governamentais na área da assistência social serão realizadas com recursos do
orçamento da seguridade social, previstos no art. 195, além de outras fontes, e organizadas com
base nas seguintes diretrizes:

I - descentralização político-administrativa, cabendo a coordenação e as normas gerais à esfera


federal e a coordenação e a execução dos respectivos programas às esferas estadual e municipal,
bem como a entidades beneficentes e de assistência social;

II - participação da população, por meio de organizações representativas, na formulação das políticas


e no controle das ações em todos os níveis.

3
Parágrafo único. É facultado aos Estados e ao Distrito Federal vincular a programa de apoio à
inclusão e promoção social até cinco décimos por cento de sua receita tributária líquida, vedada a
aplicação desses recursos no pagamento de:
I - despesas com pessoal e encargos sociais;
II - serviço da dívida;
III - qualquer outra despesa corrente não vinculada diretamente aos investimentos ou ações
apoiados.
Comentário: observe que a CF/88 admite a possibilidade de investimento de 5% de receita tributária
líquida de Estados e do DF em programas de inclusão e promoção social, salvo nas hipóteses
descritas.

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

1) Segundo o artigo 203 da Constituição Federal de 1988, a assistência social será prestada:

A) A quem dela necessitar, conforme dispuser a lei, porém dependente de contribuição à seguridade
social.
B) A quem dela necessitar, independentemente de contribuição à seguridade social, e tem por
exclusivo objeto a proteção à família, à maternidade, à infância, e à adolescência.
C) A quem dela necessitar, atendida a qualidade de segurado da previdência social e as condições
previstas em lei.
D) A quem dela necessitar, independentemente de contribuição à seguridade social, e tem entre
seus objetivos a garantia de um salário mínimo de benefício mensal à pessoa portadora de
deficiência e ao idoso que comprovem não possuir meios de promover à própria manutenção ou de
tê-la provida por sua família, conforme dispuser a lei.

2) As ações governamentais na área da assistência social serão realizadas com recursos:

A) do orçamento da seguridade social, além de outras fontes.


B) dos entes federados, de forma contributiva e solidária.
C) do governo federal, além de outras fontes.
D) do orçamento da previdência social, além de outras fontes.

3) São diretrizes da Assistência Social:

A) descentralização político-administrativa e participação da população.


B) participação independente de contribuição e irredutibilidade de benefícios.
C) acesso universal e indisponibilidade do direito alheio.
D) descentralização político-administrativa e acesso universal.

4
APROFUNDANDO NO QUE CAI

1)A Constituição Federal impõe, como regra geral, para a aposentadoria no Regime Geral da
Previdência Social, a condição de:

A. 30 anos de contribuições, para homens e mulheres.


B. 35 anos de contribuições, para homens e mulheres.
C. 40 anos de contribuição para homens e 35 anos de contribuição para mulheres.
D. 35 anos de contribuição para homens e 30 anos de contribuição para mulheres.
E. 30 anos de contribuição para homens e 25 anos de contribuição para mulheres

2)A Antônio, servidor público municipal, foi informado que o Município era responsável pelo
atendimento de diversos direitos relacionados à seguridade social.

Ao questionar seu superior hierárquico sobre que direitos seriam estes, foi-lhe informado
corretamente que, à luz da Constituição da República, eles abrangeriam

A. educação, previdência e assistência social.


B. saúde, segurança pública e seguros.
C. previdência, saúde e assistência social.
D. assistência social, seguros e educação.
E. segurança pública, previdência e saúde.

3)As contribuições sociais advindas da receita de concursos de prognósticos deverão


financiar, além dos recursos provenientes dos orçamentos da União, dos Estados, do Distrito
Federal e dos Municípios, nos termos da lei,

A. a ciência e a tecnologia.
B. a ordem social.
C. o desporto e a cultura.
D. a educação.
E. a seguridade social.

4)De acordo com a Constituição Federal de 1988, são isentos(as) de contribuições para a
seguridade social os(as)

5
A. partidos políticos que tenham registro regular no Tribunal Superior Eleitoral.
B. sindicatos de trabalhadores.
C. instituições de educação e ensino devidamente registradas no Ministério da Educação.
D. templos de qualquer culto e as confederações religiosas.
E. entidades beneficentes de assistência social que atendam às exigências estabelecidas em
lei.

5)Tratando da temática da Ordem Social na Constituição de 1988, Carolina Zancaner Zockun


faz interessante observação no sentido de que “a bipartição do mundo em nações
desenvolvidas e subdesenvolvidas fez nascer uma outra geração de direitos, assentados sob
as ideias de fraternidade e solidariedade” (ZOCKUN, 2009). Levando em consideração a
posição da autora, assinale a alternativa correta.

A. A autora refere-se ao fato de que, na atualidade, o sistema jurídico de países


subdesenvolvidos como o Brasil passa a incorporar ideias religiosas de caridade e amor
seletivo ao próximo tendo como fundamento não apenas a proteção de Deus estabelecida
no preâmbulo constitucional, mas também a proteção e orientação governamental da Igreja.
B. Entre as previsões expressas constantes na Ordem Social estabelecida pela Constituição
da República de 1988 estão os auxílios para determinadas categorias de servidores, sob os
fundamentos da fraternidade e da solidariedade.
C. O Sistema Nacional de Cultura, previsto constitucionalmente, rege-se tendo como um de
seus princípios o fomento por intermédio da chamada Lei Rouanet.
D. Como princípio, é vedada constitucionalmente no Brasil a adoção de quaisquer
preponderâncias ou discriminações entre as pesquisas destinadas ao desenvolvimento
nacional e regional, e aquelas voltadas aos problemas gerais do mundo contemporâneo.
E. As ideias de fraternidade e solidariedade mencionadas pela autora, no sistema positivo
brasileiro, são compatíveis com a tríade que compõe o Capítulo da Seguridade Social,
composto pela saúde, pela previdência social e pela assistência social, que devem ser
tratadas atualmente como direitos subjetivos e não como meros favores estatais.

6)Seguridade social consiste num conjunto de ações e políticas sociais que visam promover
o estabelecimento de uma sociedade mais igualitária e justa, auxiliando os cidadãos e suas
famílias em determinadas situações, como a velhice, o desemprego e a doença. Constitui-se
nos três pilares fundamentais da seguridade social, de acordo com a Constituição brasileira:

A. Saúde, previdência e assistência social.


B. Assistência social, segurança pública e saúde.
C. Segurança pública, previdência e sustentabilidade social.
D. Assistência previdenciária, sustentabilidade social e segurança pública.
E. Trabalho, saúde e previdência social.

7)São objetivos da seguridade social expressamente previstos na Constituição Federal:

6
A. a uniformidade e equivalência dos benefícios e serviços às populações urbanas e rurais,
bem como a diversidade da base de financiamento.
B. a seletividade e distributividade na prestação dos benefícios e serviços, bem como a
descentralização em cada esfera de governo.
C. a participação da comunidade, bem como a proteção à maternidade.
D. a singularização de base contributiva, bem como a seletividade e distributividade na
prestação dos benefícios e serviços.
E. a descentralização em cada esfera de governo, bem como a diversidade da base de
financiamento.

8)Na sua feição constitucional, a principal característica da previdência social é

A. o caráter contributivo.
B. a prestação prioritária por entidades não governamentais.
C. a definição do campo de amparo pelo critério da necessidade.
D. o caráter complementar, com filiação obrigatória.
E. a descentralização, mediante rede regionalizada e hierarquizada de ações e serviços.

9)Assinale a alternativa incorreta.

A. A seguridade social será financiada por toda a sociedade, de forma direta e indireta, nos
termos da lei, mediante recursos provenientes dos orçamentos da União, dos Estados-
membros, do Distrito Federal e dos Municípios, e também por contribuições sociais.
B. Compete ao poder público, nos termos da lei, organizar a seguridade social, mas não tem
como um dos seus objetivos a irredutibilidade do valor dos benefícios.
C. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e
econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso
universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.
D. Ao sistema único de saúde compete, além de outras atribuições, nos termos da lei, executar
as ações de vigilância sanitária e epidemiológica, bem como as de saúde do(a)
trabalhador(a).
E. A assistência à saúde é livre à iniciativa privada.

10)No que se refere ao disposto na Constituição Federal acerca da seguridade social, é correto
afirmar que

A. compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da


sociedade, destinadas a assegurar os direitos relativos à saúde, à previdência e à
assistência social.
B. tem caráter democrático e seletivo na sua administração, mediante gestão descentralizada,
com participação exclusiva dos gestores apontados pelo Governo nos órgãos colegiados.

7
C. será organizada e totalmente financiada mediante recursos provenientes dos tributos da
União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, conforme competência exclusiva
do Poder Público.
D. terá em sua organização o único objetivo de uniformidade e equivalência dos benefícios e
serviços às populações urbanas e rurais com seletividade e distributividade na prestação
dos benefícios e serviços.

QUESTÃO EXTRA

1)Guilherme trabalhou como empregado celetista em uma lanchonete por 5 anos. Após, foi
aprovado em concurso público no cargo efetivo de Analista de um município que possui
regime próprio de previdência social. Guilherme trabalhou neste cargo por 12 anos. Depois
disso, Guilherme foi aprovado em outro concurso público para o cargo de Oficial de Justiça
de um Estado da Federação, que também possui regime próprio de previdência social, onde
permaneceu trabalhando até sua aposentadoria compulsória. Considerando a situação-
problema apresentada, analise as seguintes assertivas:
I. Guilherme poderá averbar junto ao Regime Próprio sob o qual se aposentou, o tempo de
contribuição dos períodos em que trabalhou na lanchonete e no cargo de Analista. II.
Guilherme será aposentado com proventos proporcionais ao tempo de contribuição. III. O
Estado que concedeu a aposentadoria a Guilherme deverá requerer a compensação
financeira ao Regime Próprio do município e também ao INSS referente ao tempo de
contribuição trabalhado na lanchonete. IV. Após a sua aposentadoria, Guilherme poderá
fazer prova para outro concurso de cargo efetivo do Estado onde se aposentou.
Então, assinale a alternativa que contempla plenamente todas as afirmações CORRETAS.
A. I e lV
B. II, III e IV
C. I,II
D. I, II e IV

8
GABARITO

Exercícios de Fixação
1. D
2. A
3. A

Aprofundando no Que CAI


01-Resposta: D
02- Resposta: C
03-Resposta: E
04-Resposta: E
05- Resposta: E
06-Respposta A
07-Resposta: A
08-Resposta A
09-Resposta: B
10-Resposta: A

Questão Extra

01-Resposta: C

9
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

Artigo 203 e 204.

10
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

11
SUMÁRIO

SUMÁRIO ......................................................................................................................................... 1
DA ORDEM SOCIAL (Art. 205 ao 208) ............................................................................................. 2
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ............................................................................................................. 4
APROFUNDANDO NO QUE CAI ..................................................................................................... 5
QUESTÃO EXTRA ........................................................................................................................... 9
GABARITO ..................................................................................................................................... 10
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?.................................................. 11

ENTÃO VAMOS LÁ LJORTANOS

1
DA ORDEM SOCIAL (Art. 205 ao 208)

Seção I - DA EDUCAÇÃO

Art. 205. A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada
com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para
o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.

Art. 206. O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios:

I - igualdade de condições para o acesso e permanência na escola;


II - liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber;
III - pluralismo de idéias e de concepções pedagógicas, e coexistência de instituições públicas e
privadas de ensino;
IV - gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais;
V - valorização dos profissionais da educação escolar, garantidos, na forma da lei, planos de carreira,
com ingresso exclusivamente por concurso público de provas e títulos, aos das redes públicas;
VI - gestão democrática do ensino público, na forma da lei;
VII - garantia de padrão de qualidade.
VIII - piso salarial profissional nacional para os profissionais da educação escolar pública, nos termos
de lei federal.

Parágrafo único. A lei disporá sobre as categorias de trabalhadores considerados profissionais da


educação básica e sobre a fixação de prazo para a elaboração ou adequação de seus planos de
carreira, no âmbito da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios.

Art. 207. As universidades gozam de autonomia didático-científica, administrativa e de gestão


financeira e patrimonial, e obedecerão ao princípio de indissociabilidade entre ensino, pesquisa e
extensão.

§ 1º É facultado às universidades admitir professores, técnicos e cientistas estrangeiros, na forma da


lei.
§ 2º O disposto neste artigo aplica-se às instituições de pesquisa científica e tecnológica.
Comentário: esses dois parágrafos garantem que estrangeiro pode trabalhar em universidades, na
função de professores, técnicos e cientistas.
2
Art. 208. O dever do Estado com a educação será efetivado mediante a garantia de:

I - educação básica obrigatória e gratuita dos 4 (quatro) aos 17 (dezessete) anos de idade,
assegurada inclusive sua oferta gratuita para todos os que a ela não tiveram acesso na idade própria;
Comentário: educação básica se refere ao ensino fundamental e médio.

II - progressiva universalização do ensino médio gratuito;

III - atendimento educacional especializado aos portadores de deficiência, preferencialmente na


rede regular de ensino;
Comentário: para as pessoas com necessidades especiais pode ser ofertada a educação especial,
de forma prioritária, na rede regular.

IV - educação infantil, em creche e pré-escola, às crianças até 5 (cinco) anos de idade;

V - acesso aos níveis mais elevados do ensino, da pesquisa e da criação artística, segundo a
capacidade de cada um;
Comentário: portanto, de acordo com o mérito.

VI - oferta de ensino noturno regular, adequado às condições do educando;

VII - atendimento ao educando, em todas as etapas da educação básica, por meio de programas
suplementares de material didáticoescolar, transporte, alimentação e assistência à saúde.

§ 1º O acesso ao ensino obrigatório e gratuito é direito público subjetivo.


Comentário: caso não haja a oferta nos termos previstos na constituição a população pode cobrar.

§ 2º O não-oferecimento do ensino obrigatório pelo Poder Público, ou sua oferta irregular, importa
responsabilidade da autoridade competente.

§ 3º Compete ao Poder Público recensear os educandos no ensino fundamental, fazer-lhes a


chamada e zelar, junto aos pais ou responsáveis, pela freqüência à escola.

3
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

1) A educação, direito de todos e dever

A) do Estado, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno


desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o
trabalho.
B) do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da iniciativa privada,
visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua
qualificação para o trabalho.
C) do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando
ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação
para o trabalho.
D) do Estado e da família e da sociedade, será promovida e incentivada com a colaboração da
iniciativa privada, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da
cidadania e sua qualificação para o trabalho.

2) O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios, exceto:

A) igualdade de condições para o acesso e permanência na escola.


B) liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber.
C) pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas, e coexistência de instituições públicas e
privadas de ensino,
D) gratuidade do ensino.

3) O dever do Estado com a educação será efetivado mediante a garantia de:

A) educação básica obrigatória e gratuita dos 5 (cinco) aos 17 (dezessete) anos de idade,
assegurada inclusive sua oferta gratuita para todos os que a ela não tiveram acesso na idade própria.
B) progressiva universalização do ensino gratuito.
C) atendimento educacional especializado aos portadores de deficiência, obrigatoriamente na rede
regular de ensino.
D) educação infantil, em creche e pré-escola, às crianças até 5 (cinco) anos de idade.

4
APROFUNDANDO NO QUE CAI

1)Entre os princípios que norteiam o ensino e que estão previstos no art. 206 da
Constituição Federal de 1988, podemos citar:
I. igualdade de condições para o acesso e permanência na escola. II. gestão democrática do
ensino público, na forma da lei. III. liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o
pensamento, a arte e o saber. IV. atendimento educacional especializado aos portadores de
deficiência, preferencialmente na rede regular de ensino. V. gratuidade do ensino público em
estabelecimentos oficiais.
Estão CORRETOS, apenas,
A. I, II, III e V.
B. I, III, IV e V.
C. I, II e IV.
D. II, IV e V.
E. IV e V.

2)Conforme preceitos constitucionais, a educação, o direito de todos e dever do Estado e da


família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno
desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para
o trabalho. Complementando esse preceito, a Constituição Federal estabelece também que o
não oferecimento do ensino obrigatório pelo Poder Público, ou sua oferta irregular, importa
responsabilidade da autoridade competente. De acordo com o art. 208, § 3°, da Constituição
Federal de 1988, compete ao Poder Público recensear os educandos no ensino fundamental,
fazer-lhes a chamada e zelar, junto aos pais ou responsáveis

A. pelo respeito aos docentes.


B. pela frequência à escola.
C. pelo comportamento adequado.
D. pela conservação do ambiente.
E. pela educação familiar.

3)Analise as assertivas abaixo em conformidade com a Constituição Federal de 1988 sobre a


Ordem Social:

I- A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada


com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo
para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.

II- A União organizará o sistema federal de ensino e o dos Territórios, financiará as instituições
de ensino públicas federais e exercerá, em matéria educacional, função redistributiva e
supletiva, de forma a garantir equalização de oportunidades educacionais e padrão mínimo
de qualidade do ensino mediante assistência técnica e financeira aos Estados, ao Distrito
Federal e aos Municípios.

III- São reconhecidos aos índios sua organização social, costumes, línguas e tradições, e os
direitos originários sobre as terras que tradicionalmente ocupam, competindo ao Estado
demarcá-las, proteger e fazer respeitar todos os seus bens.

5
IV- Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do
povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o
dever de defendê-lo e preserva-lo para as presentes e futuras gerações. E para assegurar a
efetividade desse direito, incumbe ao Poder Público, dentre outras ações, promover a
educação ambiental em todos os níveis de ensino e a conscientização pública para a
preservação do meio ambiente.

Dentre as assertivas acima, são verdadeiras

A. I e II
B. I e IV
C. II e III
D. III e IV
E. I, II e IV

4)O Município aplicará, _______________, nunca menos de ________ da receita resultante de


impostos e das transferências recebidas do Estado e da União na manutenção e no
desenvolvimento do ensino.

Assinale a alternativa que preenche, correta e respectivamente, as lacunas do trecho acima.

A. a cada bimestre – 20%


B. a cada trimestre – 12%
C. anualmente – 25%
D. mensalmente – 10%
E. semestralmente – 30%

5)Segundo a Constituição Federal de 1988, o ensino será ministrado com base nos seguintes
princípios, EXCETO:

A. erradicação do analfabetismo.
B. garantia de padrão de qualidade.
C. gestão democrática do ensino público, na forma da lei.
D. igualdade de condições para o acesso e permanência na escola.
E. pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas, e coexistência de instituições públicas e
privadas de ensino.

6)A Constituição Federal de 1988 trata da Educação Nacional no Capítulo III do Art. 205 a 2014
em que pactua a educação como direito de todos, e sofreu alterações com as Emendas
Constitucionais (EC) nº 11, de 1996, e nº 53, em 2006.

Com relação às mudanças introduzidas pela EC nº 53/2006, é correto afirmar que

6
A. igualdade de condições de acesso foi incluída na CF para garantir a aplicação do ENEM e
das cotas nas universidades.
B. a inclusão do pluralismo de ideias foi um marco para a democracia nas escolas e para a
liberdade de cátedra.
C. a valorização dos profissionais da educação escolar e a inclusão do piso salarial nacional
foram mudanças importantes na CF.
D. a gratuidade do ensino público nas escolas oficiais foi um avanço importante que não
estava garantido antes da EC53.
E. o padrão de qualidade foi inserido para avaliar a produtividade do corpo docente das
escolas e definir a política salarial do magistério.

7)A Constituição Federal de 1988, ao disciplinar a Educação nos artigos 205 a 214, define-a
como direito de todos e dever do Estado e da família, a qual será promovida e incentivada
com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo
para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho. Considere as afirmativas
abaixo:

I. A lei estabelecerá o plano nacional de educação, de duração quinquenal, com o objetivo de


articular o sistema nacional de educação em regime de colaboração e definir diretrizes,
objetivos, metas e estratégias de implementação para assegurar a manutenção e
desenvolvimento do ensino em seus diversos níveis, etapas e modalidades por meio de ações
integradas dos poderes públicos das diferentes esferas federativas;

II. As cotas estaduais e municipais da arrecadação da contribuição social do salário-educação


serão distribuídas proporcionalmente ao número de alunos matriculados na educação básica
nas respectivas redes públicas e de iniciativa privada de ensino;

III. As atividades de pesquisa, de extensão e de estímulo e fomento à inovação realizadas por


universidades e/ou por instituições de educação profissional e tecnológica poderão receber
apoio financeiro do Poder Público;

IV. O acesso ao ensino obrigatório e gratuito é direito público objetivo.

Com base na Constituição Federal de 1988, marque a alternativa correta:

A. Apenas as afirmativas I, II e IV estão corretas.


B. Apenas a afirmativa III está correta.
C. Apenas as afirmativas I e III estão corretas.
D. Todas as afirmativas estão incorretas.
E. As afirmativas I, II, III e IV estão corretas.

7
8)Sobre a Ordem Social, analise as afirmativas abaixo.
I. O acesso ao ensino obrigatório e gratuito é direito público subjetivo.
II. O não-oferecimento do ensino obrigatório pelo Poder Público, ou sua oferta irregular,
importa responsabilidade da autoridade competente.
III. Os Estados e o Distrito Federal atuarão prioritariamente no ensino fundamental e na
educação infantil.
Assinale
A. se somente a afirmativa I estiver correta.
B. se somente a afirmativa II estiver correta.
C. se somente a afirmativa III estiver correta.
D. se somente as afirmativas I e II estiverem corretas.
E. se somente as afirmativas II e III estiverem corretas.

9)Em 2018, a fiscalização do Tribunal de Contas da União, com apoio dos responsáveis pelo
controle interno, constatou irregularidades na aplicação da receita resultante de impostos no
âmbito da União e de diversos Municípios, gerando prejuízos à manutenção e
desenvolvimento do ensino. Nos termos da Constituição Federal, a União e os Municípios
deverão aplicar, para esse fim, respectivamente,

A. no mínimo, 18% (dezoito por cento) e 25% (vinte e cinco por cento), anualmente, da receita
resultante de impostos, compreendida a proveniente de transferências.
B. no mínimo, 25% (vinte e cinco por cento) e 18% (dezoito por cento), anualmente, da receita
resultante de impostos, compreendida a proveniente de transferências.
C. no mínimo, 18% (dezoito por cento) e 25% (vinte e cinco por cento), anualmente, da receita
resultante de impostos, não compreendida a proveniente de transferências.
D. no mínimo, 25% (vinte e cinco por cento) e 18% (dezoito por cento), anualmente, da receita
resultante de impostos, não compreendida a proveniente de transferências, e desde que
não seja destinada a escolas comunitárias, confessionais e filantrópicas.

10)Considerando a pouca quantidade de defensores públicos indispensáveis ao atendimento


adequado dos necessitados na forma da lei, determinado estado da Federação aprovou o
respectivo projeto e sancionou a lei Y, que criou a obrigatoriedade de estágio curricular no
atendimento da assistência jurídica gratuita por núcleo de prática jurídica integrante do
departamento de direito de universidade estadual, estabelecendo sua organização, seu
funcionamento e seus horários, inclusive determinando sua atuação em regime de plantão,
bem como vinculando a certificação da conclusão do curso de bacharelado pelos alunos ao
cumprimento do referido estágio.

Conforme a CF, a doutrina e a jurisprudência do STF, a lei Y é

8
A. constitucional por atender ao princípio da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e
extensão disposto em norma constitucional.
B. inconstitucional por ferir a autonomia didático-científica e administrativa da universidade.
C. constitucional, mas não atende a legislação que estabelece os critérios nacionais para a
política educacional.
D. inconstitucional por atribuir função exclusiva de órgão da DP à universidade estadual.
E. inconstitucional apenas quanto ao condicionamento da certificação da conclusão do curso
ao cumprimento do estágio curricular obrigatório.

QUESTÃO EXTRA

1)De acordo com o artigo 205 da Constituição Federal, a educação básica, direito de todos e
dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade,
visando ao:

A. acesso à formação religiosa laica, permitindo a formação de indivíduos mais éticos e


solidários, e visando uma sociedade harmônica.
B. acolhimento de todas as crianças e adolescentes em situação de efetiva vulnerabilidade.
C. preparo para o exercício de uma profissão, garantindo o acesso aos cursos técnicos
profissionalizantes.
D. cuidado de criança de até 3 (três anos), à alfabetização durante a educação infantil e ao
preparo para o trabalho no ensino médio.
E. pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua
qualificação para o trabalho.

9
GABARITO

Exercícios de Fixação
1. C
2. D
3. D

Aprofundando no Que CAI


01-Resposta: A
02-Resposta B
03- Resposta: E
04- Resposta: C
05-Resposta A
06-Resposta: C
07-Resposta: B
08-Resposta: D
09- Resposta: A
10-Resposta B

QUESTÃO EXTRA

01- Resposta: E

10
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

Atenção com o caput do Artigo 205 e o Artigo 208.

11
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

12
SUMÁRIO

SUMÁRIO ......................................................................................................................................... 1
DA ORDEM SOCIAL (Art. 209 ao 212) ............................................................................................. 2
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ............................................................................................................. 5
APROFUNDANDO NO QUE CAI ..................................................................................................... 6
QUESTÃO EXTRA ......................................................................................................................... 10
GABARITO ..................................................................................................................................... 11
QUESTÃO EXTRA ............................................................................................................................................ 11
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?.................................................. 12

ENTÃO VAMOS LÁ LJORTANOS

1
DA ORDEM SOCIAL (Art. 209 ao 212)

Seção I - DA EDUCAÇÃO

Art. 209. O ensino é livre à iniciativa privada, atendidas as seguintes condições:


I - cumprimento das normas gerais da educação nacional;
II - autorização e avaliação de qualidade pelo Poder Público.

Comentário: a iniciativa privada pode também oferecer seus préstimos na área educacional.

Art. 210. Serão fixados conteúdos mínimos para o ensino fundamental, de maneira a assegurar
formação básica comum e respeito aos valores culturais e artísticos, nacionais e regionais.

§ 1º O ensino religioso, de matrícula facultativa, constituirá disciplina dos horários normais das
escolas públicas de ensino fundamental.

Comentário: facultativo, é sem a obrigatoriedade de matrícula.

§ 2º O ensino fundamental regular será ministrado em língua portuguesa, assegurada às


comunidades indígenas também a utilização de suas línguas maternas e processos próprios de
aprendizagem.

Art. 211. A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios organizarão em regime de


colaboração seus sistemas de ensino.
Comentário: essa parte é de extrema relevância, pois aqui temos a organização do sistema de ensino
brasileiro, no que tange a administração pública.

§ 1º A União organizará o sistema federal de ensino e o dos Territórios, financiará as instituições de


ensino públicas federais e exercerá, em matéria educacional, função redistributiva e supletiva, de
forma a garantir equalização de oportunidades educacionais e padrão mínimo de qualidade do ensino
mediante assistência técnica e financeira aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios;

§ 2º Os Municípios atuarão prioritariamente no ensino fundamental e na educação infantil.

2
§ 3º Os Estados e o Distrito Federal atuarão prioritariamente no ensino fundamental e médio.

§ 4º Na organização de seus sistemas de ensino, a União, os Estados, o Distrito Federal e os


Municípios definirão formas de colaboração, de modo a assegurar a universalização do ensino
obrigatório.

§ 5º A educação básica pública atenderá prioritariamente ao ensino regular.

Art. 212. A União aplicará, anualmente, nunca menos de dezoito, e os Estados, o Distrito Federal e
os Municípios vinte e cinco por cento, no mínimo, da receita resultante de impostos, compreendida
a proveniente de transferências, na manutenção e desenvolvimento do ensino.
Comentário: aqui temos o percentual de investimento em educação para cada um dos entes
federados.

§ 1º A parcela da arrecadação de impostos transferida pela União aos Estados, ao Distrito Federal
e aos Municípios, ou pelos Estados aos respectivos Municípios, não é considerada, para efeito do
cálculo previsto neste artigo, receita do governo que a transferir.

§ 2º Para efeito do cumprimento do disposto no "caput" deste artigo, serão considerados os sistemas
de ensino federal, estadual e municipal e os recursos aplicados na forma do art. 213.

§ 3º A distribuição dos recursos públicos assegurará prioridade ao atendimento das necessidades


do ensino obrigatório, no que se refere a universalização, garantia de padrão de qualidade e
equidade, nos termos do plano nacional de educação.

§ 4º Os programas suplementares de alimentação e assistência à saúde previstos no art. 208, VII,


serão financiados com recursos provenientes de contribuições sociais e outros recursos
orçamentários.

§ 5º A educação básica pública terá como fonte adicional de financiamento a contribuição social do
salário-educação, recolhida pelas empresas na forma da lei.

§ 6º As cotas estaduais e municipais da arrecadação da contribuição social do salário-educação


serão distribuídas proporcionalmente ao número de alunos matriculados na educação básica nas
respectivas redes públicas de ensino.

Comentário: Sobre o Salário Educação


O que é?
3
O Salário-Educação é uma contribuição social destinada ao financiamento de programas, projetos e
ações voltados para a educação básica pública, conforme previsto no § 5º do art. 212 da Constituição
Federal de 1988.
A quem se destina?
Os recursos do Salário-Educação são repartidos em cotas, sendo os destinatários a União, os
estados, o Distrito Federal e os municípios, da seguinte forma:

 10% da arrecadação líquida ficam com o próprio FNDE, que os aplica no financiamento de
projetos, programas e ações da educação básica;
 90% da arrecadação líquida são desdobrados e automaticamente disponibilizados aos
respectivos destinatários, sob a forma de quotas, sendo:
 quota federal – correspondente a 1/3 dos recursos gerados em todas as Unidades Federadas,
o qual é mantido no FNDE, que o aplica no financiamento de programas e projetos voltados
para a educação básica, de forma a propiciar a redução dos desníveis socioeducacionais
entre os municípios, estados e regiões brasileiras;
 quota estadual e municipal – correspondente a 2/3 dos recursos gerados, por Unidade
Federada (Estado), o qual é creditado, mensal e automaticamente, em contas bancárias
específicas das secretarias de educação dos estados, do Distrito Federal e dos municípios,
na proporção do número de matrículas, para o financiamento de programas, projetos e ações
voltados para a educação básica (art. 212, § 6º da CF).

Fonte: https://www.fnde.gov.br/financiamento/salario-educacao.

4
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

1) O ensino é livre à iniciativa privada, atendida, dentre outras, a seguinte condição:

A) ensino de qualidade, garantido percentual de desconto para pessoas hipossuficientes.


B) cumprimento das normas gerais da educação nacional.
C) autorização e avaliação de qualidade pelos usuários.
D) vinculação ao disposto pelo governo em suas normas.

2) Conforme o art. 211 da Constituição da República Federativa do Brasil, a União, os Estados,


o Distrito Federal e os Municípios organizarão, em regime de colaboração, seus sistemas de
ensino, sendo que

A) os Municípios atuarão prioritariamente no ensino fundamental e na educação infantil.


B) os Estados e o Distrito Federal atuarão exclusivamente no ensino fundamental e médio.
C) os Municípios atuarão de modo a assegurar a universalização do ensino médio.
D) os Estados atuarão de modo a assegurar a universalização da educação básica.
E) os Estados e o Distrito Federal atuarão prioritariamente na educação infantil e no ensino
fundamental.

3) Considerando a Emenda Constitucional nº 14, de 12 de setembro de 1996, que dá nova


redação ao Art. 211 da Constituição Federal, que trata de como a União, os Estados, o Distrito
Federal e os Municípios organizarão em regime de colaboração seus sistemas de ensino,
analise.

I. A União organizará o sistema federal de ensino e o dos territórios.

II. Os Estados e o Distrito Federal atuarão exclusivamente no ensino médio.

III.Os Municípios atuarão prioritariamente no ensino fundamental e na educação infantil.

Está(ão) correta(s) a(s) afirmativa(s)

A) I, II e III.
B) I, apenas.
C) I e II, apenas.
D) I e III, apenas.

5
APROFUNDANDO NO QUE CAI

1)Leia o fragmento a seguir.

Os Conselhos Gestores constituem o novo formato institucional previsto nos artigos da


Constituição Federal de 1988, que estabelecem a participação em diversas áreas sociais:
na saúde, como “participação da comunidade” (art. 198, inciso II); na assistência social,
como “participação da população”, por meio de organizações representativas, na
formulação das políticas sociais e controle em todos os níveis de governo (art. 204, inciso
II); e na educação, como “gestão democrática do ensino público” (art. 206, inciso VI)
Fonte: Revista Pós Ciências Sociais
v. 1 n. 11 São Luis/MA, 2009.
Nessa perspectiva, é correto afirmar que
A. a gestão participativa pressupõe um Estado que tem seu eixo fundamental na preservação
da própria soberania para garantir os direitos de cidadania, sintetizados na igualdade dos
cidadãos e na soberania do Estado.
B. a construção de uma gestão democrática é a busca de um modelo em que Estado e
Sociedade se confirmam como partes constitutivas do processo de definição de políticas
públicas.
C. o fato de existir na Constituição Federal e nas diversas legislações, a exigência da
implementação da descentralização e municipalização das políticas públicas e a
institucionalização dos Conselhos Gestores no processo de deliberação e controle social
constitui, por si só, a garantia da democratização da gestão pública.
D. a construção de uma gestão democrática é a busca de um modelo em que Estado e
Sociedade se confirmem como partes constitutivas do processo de definição de políticas
públicas, desde que se preserve sempre a soberania do Estado.

2)A Constituição Federal, em seu artigo 210, determina que serão fixados conteúdos mínimos
para o ensino fundamental, de maneira a assegurar formação básica comum e respeito aos
valores culturais e artísticos, nacionais e regionais, garantindo que
I. o ensino religioso, de matrícula facultativa, constituirá disciplina dos horários normais das
escolas públicas de ensino fundamental. II. a educação física, disciplina complementar,
constituirá matéria interdisciplinar na matriz curricular do ensino fundamental. III. o ensino
fundamental regular será ministrado em língua portuguesa, assegurada às comunidades
indígenas também a utilização de suas línguas maternas e processos próprios de
aprendizagem.
É correto o que se afirma em

A. I e II, apenas.
B. I e III, apenas.
C. II e III, apenas.
D. I, apenas.
E. I, II e III.

6
3)Conforme a Constituição da República Federativa do Brasil complemente o Art. 210. Serão
fixados conteúdos mínimos para o ensino fundamental

A. para o cumprimento das normas gerais da educação nacional.


B. com acesso aos níveis mais elevados do ensino, da pesquisa e da criação artística,
segundo a capacidade de cada um.
C. de maneira a assegurar formação básica comum e respeito aos valores culturais e
artísticos, nacionais e regionais.
D. Nenhuma das alternativas.

4)Segundo o art. 216 da Constituição Federal, constituem patrimônio cultural brasileiro os


bens de natureza material e imaterial, tomados individualmente ou em conjunto, portadores
de referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade
brasileira, nos quais se incluem:

5. As formas de expressão.

9. Os modos de criar, fazer e viver.

13. As criações científicas, artísticas e tecnológicas.

27. As obras, objetos, documentos, edificações e demais espaços destinados às


manifestações artístico-culturais.

29. Os conjuntos urbanos e sítios de valor histórico, paisagístico, artístico, arqueológico,


paleontológico, ecológico e científico.A soma exata dos itens corretos é:

A. 54
B. 70
C. 74
D. 78
E. 83

5)Julgue as afirmações com C (certo) ou E (errado) e assinale a alternativa correta.

Conforme o art. 215 da Constituição Federal, o Estado garantirá a todos o pleno exercício dos
direitos culturais e acesso às fontes da cultura nacional, e apoiará e incentivará a valorização
e a difusão das manifestações culturais. A lei estabelecerá o Plano Nacional de Cultura, de
duração plurianual, visando ao desenvolvimento cultural do País e à integração das ações do
poder público que conduzem à:

( ) Defesa e valorização do patrimônio cultural brasileiro.

( ) Produção, promoção e difusão de bens culturais.

( ) Formação de pessoal qualificado para a gestão da cultura em suas múltiplas dimensões.


7
( ) Democratização do acesso aos bens de cultura.

( ) Valorização da diversidade étnica e regional.

A. E–C–C–C–E
B. C–E–E–C–C
C. E–C–C–C–C
D. C–C–C–C–C
E. C–C–C–E–E

6)Considere as afirmativas abaixo, tendo em vista as disposições da Constituição Federal.


I - É facultado às universidades admitir professores, técnicos e cientistas estrangeiros, na
forma da lei.
II - A União aplicará, anualmente, nunca menos de dezoito, e os Estados, o Distrito Federal e
os Municípios vinte e cinco por cento, no mínimo, da receita resultante de impostos,
compreendida a proveniente de transferências, na manutenção e desenvolvimento do ensino.
III - Os Municípios atuarão prioritariamente no ensino fundamental e na educação infantil.
Quais estão corretas?

A. Apenas I.
B. Apenas II.
C. Apenas III.
D. Apenas I e II.
E. I, II e III.

7)“A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada
com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo
para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.” (Art. 205, Caput, da
Constituição Federal de 1988).

Nos termos da Constituição Federal, é correto afirmar que:

A. o não oferecimento do ensino obrigatório pelo Poder Público não importará


responsabilidade da autoridade competente.
B. as universidades não gozam de autonomia administrativa, tampouco de gestão financeira e
patrimonial.
C. não é facultado às universidades admitir professores, técnicos e cientistas estrangeiros.
D. o acesso ao ensino obrigatório e gratuito não é direito público subjetivo.
E. as universidades obedecerão ao princípio de indissociabilidade entre ensino, pesquisa e
extensão.

8)Determinada universidade brasileira pretende admitir Jerome, francês, graduado e pós-


graduado em instituição de ensino de seu país de origem, para ministrar aulas em seu
campus. Nos termos da Constituição Federal, a admissão de Jerome é
8
A. inviável, pois é permitido às universidades admitir apenas cientistas estrangeiros, na forma
da lei.
B. inviável, pois é permitido às universidades admitir apenas técnicos estrangeiros, na forma
da lei.
C. viável, pois o corpo docente das universidades deve ser formado por no mínimo 1/3 de
professores, técnicos e cientistas estrangeiros.
D. inviável, pois é vedado às universidades admitir profissionais estrangeiros para integrarem
seus quadros.
E. viável, pois é facultado às universidades admitir professores estrangeiros, na forma da lei.

9)Considere as afirmações abaixo sobre o patrimônio cultural brasileiro.

I. Os modos de criar, fazer e viver, bem como as formas de expressão, portadores de


referência à identidade, ação e memória dos diferentes grupos formadores da sociedade
brasileira constituem patrimônio cultural brasileiro.

II. Ficam tombados todos os documentos e os sítios detentores de reminiscências históricas


dos antigos quilombos.

III. É facultado aos Estados e ao Distrito Federal vincular a fundo estadual de fomento à cultura
até cinco décimos por cento de sua receita tributária líquida, para o financiamento de
programas e projetos culturais, vedada a aplicação desses recursos no pagamento de
despesas com pessoal e encargos sociais, serviço da dívida e qualquer outra despesa
corrente não vinculada diretamente aos investimentos ou ações apoiados.

IV. As edificações e demais espaços destinados às manifestações artístico-culturais não


constituem patrimônio cultural brasileiro.

À luz da Constituição Federal, está correto o que se afirma APENAS em

A. I, III e IV.
B. I e III.
C. II e IV.
D. I, II e III.
E. II, III e IV

9
10)Os incentivos fiscais, utilizados por produtores no âmbito do Programa Nacional de Apoio
à Cultura (Pronac), de acordo com o Capítulo V, podem ser utilizados para contratação de
serviços necessários à:

1) elaboração de projetos para a obtenção de doação.

2) elaboração de projetos, patrocínio ou investimento.

3) captação de recursos ou a sua execução por pessoa jurídica de natureza cultural.

Está (ão) correta (s):

A. 1 e 3, apenas.
B. 2 e 3, apenas.
C. 1, 2 e 3.
D. 1 e 2, apenas.
E. 1, apenas

QUESTÃO EXTRA

1)Considere as afirmativas abaixo, tendo em vista as disposições da Constituição Federal.

I - É facultado às universidades admitir professores, técnicos e cientistas estrangeiros, na


forma da lei.

II - A União aplicará, anualmente, nunca menos de dezoito, e os Estados, o Distrito Federal e


os Municípios vinte e cinco por cento, no mínimo, da receita resultante de impostos,
compreendida a proveniente de transferências, na manutenção e desenvolvimento do ensino.

III - Os Municípios atuarão prioritariamente no ensino fundamental e na educação infantil.

Quais estão corretas?

A. Apenas I.
B. Apenas II.
C. Apenas III.
D. Apenas I e II.
E. I, II e III.

10
GABARITO

Exercícios de Fixação
1. B
2. A
3. D

Aprofundando no Que CAI


01-Resposta: B
02-Resposta: B
03- Resposta: C
04-Resposta: E
05- Resposta: D
06-Resposta: E
07-Resposta: E
08-Resposta: E
09-Resposta: D
10-Resposta: C

QUESTÃO EXTRA

01- Resposta: E

11
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

Atenção com o Artigo 211.

12
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

13
SUMÁRIO

SUMÁRIO ......................................................................................................................................... 1
DA ORDEM SOCIAL (Art. 213 ao 215) ............................................................................................. 2
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ............................................................................................................. 4
APROFUNDANDO NO QUE CAI ..................................................................................................... 5
QUESTÃO EXTRA ........................................................................................................................... 9
GABARITO ..................................................................................................................................... 10
Questão Extra ................................................................................................................................................ 10
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?.................................................. 11

ENTÃO VAMOS LÁ LJORTANOS

1
DA ORDEM SOCIAL (Art. 213 ao 215)

Seção I - DA EDUCAÇÃO

Art. 213. Os recursos públicos serão destinados às escolas públicas, podendo ser dirigidos
a escolas comunitárias, confessionais ou filantrópicas, definidas em lei, que:

I - comprovem finalidade não-lucrativa e apliquem seus excedentes financeiros em


educação;
II - assegurem a destinação de seu patrimônio a outra escola comunitária, filantrópica ou
confessional, ou ao Poder Público, no caso de encerramento de suas atividades.

Comentários: escola confessionais são as de cunho religioso.

§ 1º - Os recursos de que trata este artigo poderão ser destinados a bolsas de estudo para
o ensino fundamental e médio, na forma da lei, para os que demonstrarem insuficiência de
recursos, quando houver falta de vagas e cursos regulares da rede pública na localidade da
residência do educando, ficando o Poder Público obrigado a investir prioritariamente na
expansão de sua rede na localidade.

§ 2º As atividades de pesquisa, de extensão e de estímulo e fomento à inovação realizadas


por universidades e/ou por instituições de educação profissional e tecnológica poderão
receber apoio financeiro do Poder Público.

Art. 214. A lei estabelecerá o plano nacional de educação, de duração decenal, com o
objetivo de articular o sistema nacional de educação em regime de colaboração e definir
diretrizes, objetivos, metas e estratégias de implementação para assegurar a manutenção e
desenvolvimento do ensino em seus diversos níveis, etapas e modalidades por meio de
ações integradas dos poderes públicos das diferentes esferas federativas que conduzam a:
I - erradicação do analfabetismo;
II - universalização do atendimento escolar;
III - melhoria da qualidade do ensino;
IV - formação para o trabalho;
V - promoção humanística, científica e tecnológica do País.

2
VI - estabelecimento de meta de aplicação de recursos públicos em educação como
proporção do produto interno bruto.
Comentário: O Plano Nacional de Educação (PNE) determina diretrizes, metas e estratégias
para a política educacional no período de 10 anos.

Seção II- DA CULTURA

Comentário: o termo cultura é bem amplo, no entanto, a grosso modo, pode ser entendida
como a tradição e o modo de viver de um povo, portanto, a constituição de forma a incentivar
e proteger nossos bens de ordem material (casas, objetos) e imaterial (danças, festas
regionais, entre outros). A leitura do artigo e dos parágrafos é bem objetiva e simples.

Art. 215. O Estado garantirá a todos o pleno exercício dos direitos culturais e acesso às
fontes da cultura nacional, e apoiará e incentivará a valorização e a difusão das
manifestações culturais.

§ 1º O Estado protegerá as manifestações das culturas populares, indígenas e afro-


brasileiras, e das de outros grupos participantes do processo civilizatório nacional.

2º A lei disporá sobre a fixação de datas comemorativas de alta significação para os


diferentes segmentos étnicos nacionais.

3º A lei estabelecerá o Plano Nacional de Cultura, de duração plurianual, visando ao


desenvolvimento cultural do País e à integração das ações do poder público que conduzem
à:
I - defesa e valorização do patrimônio cultural brasileiro;
II - produção, promoção e difusão de bens culturais;
III - formação de pessoal qualificado para a gestão da cultura em suas múltiplas dimensões;
IV - democratização do acesso aos bens de cultura;
V - valorização da diversidade étnica e regional.

3
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

1) Os recursos públicos serão destinados às escolas públicas, podendo ser dirigidos a


escolas comunitárias, confessionais ou filantrópicas, definidas em lei, que:

A) comprovem finalidade lucrativa e apliquem seus excedentes financeiros em educação.


B) assegurem a destinação de seu patrimônio a outra escola comunitária, filantrópica ou
confessional, ou ao Poder Público, no caso de encerramento de suas atividades.
C) comprovem a existência entre os seus discentes de maioria hipossuficiente.
D) assegurem a destinação de alimentos para seus discentes em maior vulnerabilidade social.

2) A lei estabelecerá o plano nacional de educação, de duração decenal, com o objetivo de


articular o sistema nacional de educação em regime de colaboração por meio de ações
integradas dos poderes públicos das diferentes esferas federativas que conduzam a:
A) erradicação do analfabetismo.
B) universalização do atendimento escolar público.
C) melhoria da qualidade do ensino público.
D) formação para a vida.

3) A lei estabelecerá o Plano Nacional de Cultura, de duração plurianual, visando ao


desenvolvimento cultural do País e à integração das ações do poder público que conduzem
à:

A) defesa e valorização do patrimônio cultural brasileiro material.


B) produção, promoção e difusão de bens culturais, tombados pelo patrimônio público.
C) formação de pessoal qualificado para a gestão da cultura em suas múltiplas dimensões.
D) democratização do acesso ao cinema.

4
APROFUNDANDO NO QUE CAI

1)Segundo a CF, o Estado proverá a educação mediante, entre outras, a oferta de

A. atendimento educacional especializado a pessoas com deficiência, preferencialmente em


rede especial de ensino.
B. educação básica obrigatória e gratuita dos quatro anos de idade aos dezessete anos de
idade, sendo facultativa a oferta gratuita àqueles que a ela não tenham tido acesso na idade
adequada.
C. ensino fundamental ministrado no idioma vernáculo, sendo assegurada às comunidades
indígenas a utilização de suas línguas maternas.
D. ensino religioso, de matrícula facultativa, fora do horário regular das escolas públicas de
ensino fundamental.
E. pós-graduação lato sensu gratuita nas universidades públicas.

2)O primeiro capítulo do Plano de Desenvolvimento Institucional do Instituto Federal de Santa


Catarina (IFSC) - PDI 2015-2019 apresenta o Perfil Institucional do IFSC e dentre as
informações disponíveis estão descritas suas áreas de atuação acadêmica, que são:

Assinale a alternativa CORRETA.

A. Extensão; Ensino; e, Pesquisa e Inovação.


B. Ensino; Pesquisa, Pós-Graduação, Inovação e Assuntos Internacionais; e, Extensão.
C. Ensino; Pesquisa; e, Pós-graduação.
D. Pesquisa, pós-graduação; Ensino; e, Extensão.
E. Pós-graduação; Ensino; e, Pesquisa e Inovação.

3)Considere as assertivas a seguir:

I. É inconstitucional toda modalidade de provimento que propicie ao servidor investir-se, sem


prévia aprovação em concurso público destinado ao seu provimento, em cargo que não
integra a carreira na qual anteriormente investido.

II. Não viola a Constituição da República a cobrança de taxa de matrícula nas universidades
públicas.

III. A Constituição da República assegura a gratuidade dos transportes coletivos urbanos aos
estudantes do ensino público.

IV. A Constituição do Estado de Minas Gerais estabelece que a gratuidade do ensino a cargo
do Estado inclui a de todo o material escolar e a da alimentação do educando, quando na
escola.

5
Estão corretas apenas as assertivas:

A. I e II.
B. III e IV.
C. II e III.
D. I e IV.

4)Assinale a alternativa INCORRETA. O dever do Estado com a educação será efetivado


mediante a garantia de:

A. Educação básica obrigatória e gratuita dos 4 (quatro) aos 17 (dezessete) anos de idade.
B. Oferta de ensino noturno regular, adequado às condições do educando.
C. Educação infantil, em creche e pré-escola, às crianças até 5 (cinco) anos de idade.
D. Atendimento educacional especializado aos portadores de deficiência, exclusivamente na
rede especial de ensino.

5)Analise as assertivas e assinale a alternativa que aponta as corretas. De acordo com a


Constituição Federal, constituem patrimônio cultural brasileiro os bens de natureza material
e imaterial, tomados, individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade,
à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira, nos quais se
incluem:

I. as formas de expressão; os modos de criar, fazer e viver.

II. as criações científicas, artísticas e tecnológicas.

III. as obras, objetos, documentos, edificações e demais espaços destinados às


manifestações artístico-culturais.

IV. os conjuntos urbanos e sítios de valor histórico, paisagístico, artístico, arqueológico,


paleontológico, ecológico e científico.

A. Apenas I e II.
B. Apenas I, II e III.
C. Apenas III e IV.
D. Apenas II e III.
E. I, II, III e IV.

6
6)A Constituição Federal de 1988, em seu Capítulo III, trata da Educação, da Cultura e do
Desporto.

Especificamente no que diz respeito à Educação, assinale V (verdadeiro) ou F (falso) em cada


afirmativa a seguir.

( ) As universidades gozam de autonomia didático-científica, administrativa e de gestão


financeira e patrimonial e obedecerão ao princípio de indissociabilidade entre ensino,
pesquisa e extensão.

( ) A União aplicará, anualmente, no mínimo dezoito por cento, e os Estados, o Distrito Federal
e os Municípios no mínimo vinte e três por cento da receita resultante de impostos,
compreendida a proveniente de transferências, na manutenção e no desenvolvimento do
ensino.

( ) O ensino é livre à iniciativa privada, desde que os estabelecimentos recebam autorização e


avaliação de qualidade pelo poder público e cumpram as normas gerais da educação nacional.

( ) A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios organizarão, em regime de


colaboração, seus sistemas de ensino.

A sequência correta é

A. V-F-V-V.
B. V-V-V-F.
C. F - V - F - F.
D. V - V - F - V.
E. F - F - V - V.

7)Sobre o Capítulo da Ordem Social da Constituição da República, marque a alternativa


INCORRETA:

A. A assistência social será prestada a quem dela necessitar, somente se houver contribuição
à seguridade social.
B. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e
econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso
universal igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.
C. A previdência social será organizada sob a forma de regime geral, de caráter contributivo e
de filiação obrigatória, observados critérios que preservam o equilíbrio financeiro e atuarial.

7
D. A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada
com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu
preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.
E. É dever do Estado fomentar práticas desportivas formais e não-formais.

8)Considerando o que afirma a Constituição Federal de 1988, TÍTULO VIII – Da Ordem Social;
Capítulo III – Da Educação, Da Cultura e Do Desporto; Seção I – Da Educação: Segundo a
Constituição Federal de 1988, em relação à Educação, marque V paras as afirmativas
verdadeiras e F para as falsas. ( ) A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios
organizarão em regime de colaboração seus sistemas de ensino. ( ) Serão fixados conteúdos
mínimos para o ensino fundamental, de maneira a assegurar formação básica comum e
respeito aos valores culturais e artísticos, nacionais e regionais. ( ) As universidades gozam
de autonomia didático-científica, administrativa e de gestão financeira e patrimonial, e
obedecerão ao princípio de indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão. ( ) A
educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com
a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para
o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho. A sequência está correta em

A. V, V, V, V.
B. V, F, V, V.
C. F, V, V, F.
D. F, F, F, F.

9)Assinale a alternativa ERRADA:

A. Os diplomas de graduação expedidos por universidades estrangeiras serão revalidados por


universidades públicas que tenham curso do mesmo nível e área ou equivalente,
respeitando-se os acordos internacionais de reciprocidade ou equiparação.
B. Os diplomas de cursos superiores reconhecidos, quando registrados, terão validade
nacional como prova da formação recebida por seu titular.
C. Os diplomas expedidos pelas universidades serão por elas próprias registrados, e aqueles
conferidos por instituições não-universitárias serão registrados em universidades indicadas
pelo Conselho Nacional de Educação.
D. Os diplomas de cursos superiores reconhecidos, sem necessidade prévia de registro,
mesmo assim, terão validade nacional como prova da formação recebida por seu titular.

10)O Art. 209 da Constituição Federal de 1988 normatiza que o ensino é livre à iniciativa
privada, atendidas as condições de cumprimento das normas gerais da educação nacional e
autorização e avaliação de qualidade pelo poder público.Considerando este artigo, é possível
depreender que:

A. As escolas privadas podem ser criadas a partir da livre iniciativa e o poder público deve
prover as condições mínimas para seu funcionamento.
B. As escolas privadas não são obrigadas a serem avaliadas pelo poder público, pois utilizam
recursos próprios.

8
C. As escolas privadas estão livres de cumprimento das normas gerais da educação nacional,
conforme explica o caput do artigo.
D. A livre iniciativa do ensino privado está condicionada ao cumprimento das normas gerais da
educação e da autorização e avaliação de qualidade do poder público.
E. A livre iniciativa não pressupõe obrigações de autorização pelo poder público, este deve se
ater ao estabelecimento de padrões de qualidade.

QUESTÃO EXTRA

A Constituição Federal de 1988 definiu os percentuais mínimos de aplicação dos recursos


para a educação pública no Brasil. Conforme o Art. 212, são percentuais mínimos a serem
aplicados em manutenção e desenvolvimento do ensino, no Brasil:

A. Dez por cento pela União, dezoito por cento pelos Estados e dezoito por cento pelos
Municípios.
B. Dezoito por cento pelos Estados, dezoito por cento pelos Municípios e vinte e cinco por
cento da União.
C. Dezoito por cento pela União, vinte e cinco por cento pelos Estados e vinte e cinco por
cento pelos Municípios.
D. Trinta por cento pelos Estados, vinte e cinco por cento pelos Municípios e dez por cento
pela União.
E. Vinte e cinco por cento pelos Estados, dezoito por cento pelos municípios e vinte e cinco
por cento pela União.

9
GABARITO

Exercícios de Fixação
1. B
2. A
3. C

Aprofundando no Que CAI


01-Resposta: C
02- Resposta: B
03-Resposta: D
04-Resposta: D
05- Resposta: E
06- Resposta: A
07-Resposta: A
08-Resposta: A
09- Resposta: D
10- Resposta: D

Questão Extra

01-Resposta: C

10
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

Artigo 214 e 215, §3º.

11
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

12
SUMÁRIO

SUMÁRIO ......................................................................................................................................... 1
DA ORDEM SOCIAL (Art. 216 e 216-A) ........................................................................................... 2
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ............................................................................................................. 5
APROFUNDANDO NO QUE CAI ..................................................................................................... 6
QUESTÃO EXTRA ........................................................................................................................... 9
GABARITO ..................................................................................................................................... 10
Questão Extra ................................................................................................................................................ 10
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?.................................................. 11

ENTÃO VAMOS LÁ LJORTANOS

1
DA ORDEM SOCIAL (Art. 216 e 216-A)

Seção II- DA CULTURA

Comentário: bem objetiva a leitura, nas partes em que considerei necessário fiz os aportes
teóricos.

Art. 216. Constituem patrimônio cultural brasileiro os bens de natureza material e imaterial,
tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade, à ação, à
memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira, nos quais se incluem:
I - as formas de expressão;
II - os modos de criar, fazer e viver;
III - as criações científicas, artísticas e tecnológicas;
IV - as obras, objetos, documentos, edificações e demais espaços destinados às
manifestações artístico-culturais;
V - os conjuntos urbanos e sítios de valor histórico, paisagístico, artístico, arqueológico,
paleontológico, ecológico e científico.

§ 1º O Poder Público, com a colaboração da comunidade, promoverá e protegerá o


patrimônio cultural brasileiro, por meio de inventários, registros, vigilância, tombamento e
desapropriação, e de outras formas de acautelamento e preservação.

§ 2º Cabem à administração pública, na forma da lei, a gestão da documentação


governamental e as providências para franquear sua consulta a quantos dela necessitem.

§ 3º A lei estabelecerá incentivos para a produção e o conhecimento de bens e valores


culturais.

§ 4º Os danos e ameaças ao patrimônio cultural serão punidos, na forma da lei.

§ 5º Ficam tombados todos os documentos e os sítios detentores de reminiscências


históricas dos antigos quilombos.

2
§ 6º É facultado aos Estados e ao Distrito Federal vincular a fundo estadual de fomento à
cultura até cinco décimos por cento de sua receita tributária líquida, para o financiamento de
programas e projetos culturais, vedada a aplicação desses recursos no pagamento de:

I - despesas com pessoal e encargos sociais;


II - serviço da dívida;
III - qualquer outra despesa corrente não vinculada diretamente aos investimentos ou ações
apoiados.

Art. 216-A. O Sistema Nacional de Cultura, organizado em regime de colaboração, de forma


descentralizada e participativa, institui um processo de gestão e promoção conjunta de
políticas públicas de cultura, democráticas e permanentes, pactuadas entre os entes da
Federação e a sociedade, tendo por objetivo promover o desenvolvimento humano, social e
econômico com pleno exercício dos direitos culturais.

§ 1º O Sistema Nacional de Cultura fundamenta-se na política nacional de cultura e nas suas


diretrizes, estabelecidas no Plano Nacional de Cultura, e rege-se pelos seguintes
princípios:

I - diversidade das expressões culturais;


II - universalização do acesso aos bens e serviços culturais; Incluído pela Emenda
III - fomento à produção, difusão e circulação de conhecimento e bens culturais;
IV - cooperação entre os entes federados, os agentes públicos e privados atuantes na área
cultural;
V - integração e interação na execução das políticas, programas, projetos e ações
desenvolvidas;
VI - complementaridade nos papéis dos agentes culturais;
VII - transversalidade das políticas culturais;
VIII - autonomia dos entes federados e das instituições da sociedade civil;
IX - transparência e compartilhamento das informações;
X - democratização dos processos decisórios com participação e controle social;
XI - descentralização articulada e pactuada da gestão, dos recursos e das ações;
XII - ampliação progressiva dos recursos contidos nos orçamentos públicos para a cultura.

3
§ 2º Constitui a estrutura do Sistema Nacional de Cultura, nas respectivas esferas da
Federação:

I - órgãos gestores da cultura;


II - conselhos de política cultural;
III - conferências de cultura;
IV - comissões intergestores;
V - planos de cultura;
VI - sistemas de financiamento à cultura;
VII - sistemas de informações e indicadores culturais;
VIII - programas de formação na área da cultura;
IX - sistemas setoriais de cultura.

§ 3º Lei federal disporá sobre a regulamentação do Sistema Nacional de Cultura, bem como
de sua articulação com os demais sistemas nacionais ou políticas setoriais de governo.

§ 4º Os Estados, o Distrito Federal e os Municípios organizarão seus respectivos sistemas


de cultura em leis próprias.

4
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

1) Assinale a alternativa INCORRETA, levando em consideração o disposto no artigo 216 da


Constituição Federal.

A) O Poder Público, com a colaboração da comunidade, promoverá e protegerá o patrimônio cultural


brasileiro, por meio de inventários, registros, vigilância, tombamento e desapropriação, e de outras
formas de acautelamento e preservação.
B) Cabem à administração pública, na forma da lei, a gestão da documentação governamental e as
providências para franquear sua consulta a quantos dela necessitem.
C) É dever dos Estados e do Distrito Federal vincular a fundo estadual de fomento à cultura até cinco
décimos por cento de sua receita tributária líquida, para o financiamento de programas e projetos
culturais, vedada a aplicação desses recursos no pagamento de despesas com pessoal e encargos
sociais, serviço da dívida e qualquer outra despesa corrente não vinculada diretamente aos
investimentos ou ações apoiados.
D) Ficam tombados todos os documentos e os sítios detentores de reminiscências históricas dos
antigos quilombos.

2) De acordo com o artigo 216, da Constituição Federal de 1988, constituem patrimônio


cultural brasileiro os bens de natureza material e imaterial, tomados individualmente ou em
conjunto, portadores de referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos
formadores da sociedade brasileira, nos quais se incluem

I. as formas de expressão.
II. os modos de criar, fazer e viver.
III. as criações científicas, artísticas e tecnológicas.
IV. as obras, objetos, documentos, edificações e demais espaços destinados às
manifestações artísticoculturais.
V. os conjuntos urbanos e sítios apenas de valor histórico.

É correto o que está contido em

A) II, III e V, apenas.


B) II e IV, apenas.
C) I e III, apenas.
D) I, apenas.
E) I, II, III e IV, apenas.

3) De acordo com o artigo 216 da Constituição Federal de 1988, constituem patrimônio cultural
brasileiro

A) as manifestações populares e valores culturais e grupos formadores da diversidade étnica e


regional.
B) bens de natureza material e imaterial, portadores de referência à identidade, à ação e à memória
dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira.
C) somente os conjuntos urbanos e sítios de valores históricos e a democratização do acesso a
esses bens.
D) bens de natureza histórica e documental, sejam eles materiais ou não, bem como o plano
plurianual de cultura.

5
APROFUNDANDO NO QUE CAI

1)Segundo o Artigo 212 da Constituição da República Federativa do Brasil, a União aplicará,


_____________ , nunca menos de dezoito, e os Estados, o Distrito Federal e os Municípios
vinte e cinco por cento, no mínimo, da receita resultante de impostos, compreendida a
proveniente de transferências, na manutenção e desenvolvimento do ensino.

A. bimestralmente.
B. trimestralmente.
C. semestralmente.
D. anualmente.

2)A Constituição Federal de 1988 dispõe que a educação, direito de todos e dever do Estado
e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno
desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para
o trabalho. A partir dessa previsão, assinale a alternativa correta.

A. É vedado às universidades admitir professores, técnicos e cientistas estrangeiros, na forma


da lei.
B. O ensino é livre à iniciativa privada, desde que sejam cumpridas normas gerais da
educação nacional e exista autorização e avaliação de qualidade pelo Poder público.
C. O ensino religioso, de matrícula obrigatória, constituirá disciplina dos horários normais das
escolas públicas de ensino fundamental.
D. As universidades não dispõem de autonomia didático-científica, administrativa e de gestão
financeira e patrimonial, devendo apenas obedecer ao princípio da indissociabilidade entre
ensino, pesquisa e extensão.
E. O não oferecimento do ensino obrigatório pelo Poder Público, ou sua oferta irregular, não
importa em responsabilidade da autoridade competente.

3)De acordo com a Constituição Federal de 1988 são princípios que regem o ensino, exceto:

A. gestão centralizada e autocrática do ensino público.


B. liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber.
C. gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais.
D. garantia de padrão de qualidade.
E. igualdade de condições para o acesso e permanência na escola.

6
4)A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada
com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo
para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho. (art. 205 da Constituição da
República Federativa do Brasil de 1988). Segundo a Constituição Federal de 1988, o ensino
em nosso país será ministrado com base em vários princípios. Entre esses, podemos arrolar
como EXCEÇÃO

A. A igualdade de condições para o acesso e a permanência na escola.


B. A vedação à coexistência de instituições públicas e privadas de ensino.
C. A gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais.
D. A liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber.
E. O pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas.

5)De acordo com a Constituição Federal de 1988, a educação, direito de todos e dever do
Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando
ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua
qualificação para o trabalho. Sobre o tema, é correto afirmar que:

A. é vedado às universidades admitir professores, técnicos e cientistas estrangeiros.


B. os Estados atuarão prioritariamente no ensino fundamental e na educação infantil.
C. o ensino religioso, de matrícula obrigatória, constituirá disciplina dos horários normais das
escolas públicas de ensino fundamental.
D. o acesso ao ensino obrigatório e gratuito é direto público subjetivo, sendo que o seu não
oferecimento, ou sua oferta irregular, importa responsabilidade da autoridade competente.
E. a União aplicará, anualmente, nunca menos de vinte e cinco por cento da receita resultante
de impostos, compreendida a proveniente de transferências , na manutenção e
desenvolvimento do ensino.

6)Assinale a alternativa que não se constitui em um objetivo do Plano Nacional de Educação,


de duração decenal, previsto no Art. 214 da Constituição Federal de 1988:

A. Erradicação do analfabetismo.
B. Formação para o trabalho
C. Estabelecimento de meta de aplicação de recursos públicos em educação, como proporção
do produto interno bruto.
D. O acesso a formação de nível superior a todos os brasileiros, com vagas disponíveis a
todos.
E. Melhoria da qualidade do ensino.

7)De acordo com o inciso I, do Art. 208 da Constituição Federal de 1988, a educação básica
obrigatória e gratuita é garantida:

7
A. Dos 4 (quatro) aos 17 (dezessete) anos de idade, assegurada inclusive sua oferta gratuita
para todos os que a ela não tiveram acesso na idade própria.
B. Dos 3 (três) aos 16 (dezesseis) anos de idade, assegurada inclusive sua oferta gratuita para
todos os que a ela não tiveram acesso na idade própria.
C. Dos 2 (dois) aos 17 (dezessete) anos de idade, assegurada inclusive sua oferta gratuita
para todos os que a ela não tiveram acesso na idade própria.
D. De qualquer idade até os 18 anos de idade, assegurada inclusive sua oferta gratuita para
todos os que a ela não tiveram acesso na idade própria.

8)Art. 206, da Constituição Federal de 1988 - O ensino será ministrado com base nos seguintes
princípios, EXCETO:

A. Igualdade de condições para o acesso e permanência na escola.


B. Liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber.
C. Singularidade de ideias e de concepções pedagógicas, e coexistência de instituições
públicas e privadas de ensino.
D. Gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais.

9)Sobre a Seguridade Social, Educação e Cultura, Meio Ambiente e Família é correto afirmar.

A. Segundo o art. 213 da Constituição, os recursos públicos serão destinados às escolas


públicas, mas não poderão ser dirigidos a escolas comunitárias, confessionais ou
filantrópicas.
B. Segundo o art. 194 da Constituição, a seguridade social compreende um conjunto integrado
de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade, destinadas a assegurar os
direitos relativos à saúde, à previdência e à assistência social.
C. Enquanto os Municípios atuarão prioritariamente no ensino fundamental e médio, os
Estados e o Distrito Federal atuarão prioritariamente no ensino fundamental e na educação
infantil.
D. É uma obrigação dos Estados e do Distrito Federal vincular a fundo estadual de fomento à
cultura até cinco décimos por cento de sua receita tributária líquida, para o financiamento de
programas e projetos culturais.
E. O planejamento familiar é livre decisão do casal, competindo ao Estado propiciar recursos
educacionais e científicos para o exercício desse direito, permitida algumas formas
coercitivas por parte de instituições oficiais ou privadas como forma de controle de
natalidade.

10)O Art. 208 da Constituição Federal foi alterado pela Emenda Constitucional nº 53, de 19 de
dezembro de 2006; quanto ao dever do Estado com a educação será efetivado mediante a
garantia de:

8
A. Progressiva universalização do ensino médio gratuito.
B. Educação infantil, em creche e pré-escola, às crianças até cinco anos de idade.
C. Atendimento educacional especializado aos portadores de deficiência, preferencialmente na
rede regular de ensino.
D. Educação básica obrigatória e gratuita dos quatro aos dezessete anos de idade,
assegurada inclusive sua oferta gratuita para todos os que a ela não tiveram acesso na
idade própria.

QUESTÃO EXTRA

1)A Constituição Federal de 1988 garante que a educação é direito de todos e dever do Estado
e da família. O artigo 208 trata do dever do Estado com a educação que é efetivado mediante
a garantia de

A. educação básica obrigatória e gratuita dos 6 (seis) aos 17 (dezessete) anos de idade,
assegurada inclusive sua oferta gratuita para todos os que a ela não tiveram acesso na
idade própria.
B. imediata universalização do ensino médio gratuito.
C. educação infantil, em creches e pré-escolas, para crianças de até 3 (três) anos de idade.
D. oferta de ensino noturno regular, adequado às condições do educando.
E. atendimento educacional especializado aos portadores de deficiência, obrigatoriamente na
rede regular de ensino.

9
GABARITO

Exercícios de Fixação
1. C
2. E
3. B

Aprofundando no Que CAI


01-Resposta: D
02-Resposta B
03-Resposta A
04- Resposta: B
05-Resposta: D
06- Resposta: D
07-Resposta A
08- Resposta: C
09-Resposta B
10- Resposta: B

Questão Extra

01-Resposta: D

10
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

Esse assunto não é tão abordado em prova, portanto, se a banca quiser complicar, ela pode abordar
o Artigo 216-A.

11
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

12
SUMÁRIO

SUMÁRIO ......................................................................................................................................... 1
DA ORDEM SOCIAL E DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO (Art. 217 ao 219-B) ................. 2
Seção III - DO DESPORTO ................................................................................................................................. 2
CAPÍTULO IV - DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO ............................................................ 3
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ............................................................................................................. 5
APROFUNDANDO NO QUE CAI ..................................................................................................... 6
QUESTÃO EXTRA ......................................................................................................................... 10
GABARITO ..................................................................................................................................... 11
QUESTÃO EXTRA ............................................................................................................................................ 11
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?.................................................. 12

ENTÃO VAMOS LÁ LJORTANOS

1
DA ORDEM SOCIAL E DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO (Art. 217
ao 219-B)

Seção III - DO DESPORTO

Art. 217. É dever do Estado fomentar práticas desportivas formais e não-formais, como
direito de cada um, observados:
Comentário: A prática desportiva não-formal é caracterizada pela liberdade lúdica de seus
praticantes.

I - a autonomia das entidades desportivas dirigentes e associações, quanto a sua


organização e funcionamento;
II - a destinação de recursos públicos para a promoção prioritária do desporto educacional
e, em casos específicos, para a do desporto de alto rendimento;
III - o tratamento diferenciado para o desporto profissional e o não- profissional;
IV - a proteção E o incentivo às manifestações desportivas de criação nacional.

§ 1º O Poder Judiciário só admitirá ações relativas à disciplina e às competições desportivas


após esgotarem-se as instâncias da justiça desportiva, regulada em lei.

Comentário: vale frisar que a justiça desportiva não é órgão do poder judiciário.

§ 2º A justiça desportiva terá o prazo máximo de sessenta dias, contados da instauração do


processo, para proferir decisão final.

§ 3º O Poder Público incentivará o lazer, como forma de promoção social.

2
CAPÍTULO IV - DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

Comentário: chegamos em um assunto de relevância econômica e militar, haja vista que


através da ciência pode-se desenvolver a tecnologia e inovação. Assim, avançamos em
termos econômicos, porém, sempre tendo em vista os interesses e soberania do nosso país.
Esse é foco de análise dessa parte.

Art. 218. O Estado promoverá e incentivará o desenvolvimento científico, a pesquisa, a


capacitação científica e tecnológica e a inovação.

§ 1º A pesquisa científica básica e tecnológica receberá tratamento prioritário do Estado,


tendo em vista o bem público e o progresso da ciência, tecnologia e inovação.

§ 2º A pesquisa tecnológica voltar-se-á preponderantemente para a solução dos problemas


brasileiros e para o desenvolvimento do sistema produtivo nacional e regional.

§ 3º O Estado apoiará a formação de recursos humanos nas áreas de ciência, pesquisa,


tecnologia e inovação, inclusive por meio do apoio às atividades de extensão tecnológica, e
concederá aos que delas se ocupem meios e condições especiais de trabalho.

§ 4º A lei apoiará e estimulará as empresas que invistam em pesquisa, criação de tecnologia


adequada ao País, formação e aperfeiçoamento de seus recursos humanos e que pratiquem
sistemas de remuneração que assegurem ao empregado, desvinculada do salário,
participação nos ganhos econômicos resultantes da produtividade de seu trabalho.

§ 5º É facultado aos Estados e ao Distrito Federal vincular parcela de sua receita


orçamentária a entidades públicas de fomento ao ensino e à pesquisa científica e
tecnológica.
Comentário: observe a Constituição não estipulou percentual, como fez anteriormente com
a educação e saúde.

§ 6º O Estado, na execução das atividades previstas no caput , estimulará a articulação


entre entes, tanto públicos quanto privados, nas diversas esferas de governo.

3
§ 7º O Estado promoverá e incentivará a atuação no exterior das instituições públicas de
ciência, tecnologia e inovação, com vistas à execução das atividades previstas no caput.

Art. 219. O mercado interno integra o patrimônio nacional e será incentivado de modo a
viabilizar o desenvolvimento cultural e sócio-econômico, o bem-estar da população e a
autonomia tecnológica do País, nos termos de lei federal.
Comentário: o mercado interno, ou seja, o comércio realizado em âmbito nacional, seja por
empresas brasileiras ou não, terá como foco o bem-estar da população e a autonomia
tecnológica do País.

Parágrafo único. O Estado estimulará a formação e o fortalecimento da inovação nas


empresas, bem como nos demais entes, públicos ou privados, a constituição e a
manutenção de parques e polos tecnológicos e de demais ambientes promotores da
inovação, a atuação dos inventores independentes e a criação, absorção, difusão e
transferência de tecnologia.

Art. 219-A. A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios poderão firmar


instrumentos de cooperação com órgãos e entidades públicos e com entidades privadas,
inclusive para o compartilhamento de recursos humanos especializados e capacidade
instalada, para a execução de projetos de pesquisa, de desenvolvimento científico e
tecnológico e de inovação, mediante contrapartida financeira ou não financeira assumida
pelo ente beneficiário, na forma da lei.

Art. 219-B. O Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (SNCTI) será organizado
em regime de colaboração entre entes, tanto públicos quanto privados, com vistas a
promover o desenvolvimento científico e tecnológico e a inovação.

§ 1º Lei federal disporá sobre as normas gerais do SNCTI.

§ 2º Os Estados, o Distrito Federal e os Municípios legislarão concorrentemente sobre suas


peculiaridades.

4
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

1) A Constituição Federal brasileira, ao disciplinar o desporto, no título da ordem social,


estabelece que “O Poder Judiciário só admitirá ações relativas à disciplina e às competições
desportivas após esgotarem-se as instâncias da justiça desportiva, regulada em lei” (art. 217,
§ 1° ). Há, neste caso, uma

A) mitigação constitucional do direito fundamental de livre acesso ao Poder Judiciário, que se estende
a todas as controvérsias decorrentes de relações desportivas, em virtude da especialização da
matéria.
B) ofensa ao direito fundamental de livre acesso ao Poder Judiciário.
C) mitigação constitucional do direito fundamental de livre acesso ao Poder Judiciário, devendo, no
entanto, ser respeitado o prazo de sessenta dias, contados da instauração do processo, para decisão
final pela justiça desportiva.
D) ofensa à vedação constitucional de existência de Tribunal de Exceção.
E) inconstitucionalidade, por não ser possível permitir que a lei que venha a regular a justiça
desportiva vede o livre acesso ao Poder Judiciário.

2) Sobre a pesquisa, ciência, tecnologia e inovação, previstas na Constituição Federal, é


INCORRETO dizer:

A) O Estado promoverá e incentivará o desenvolvimento científico, a pesquisa, a capacitação


científica e tecnológica e a inovação.
B) A pesquisa científica básica e tecnológica receberá tratamento prioritário do Estado, tendo em
vista o bem público e o progresso da ciência, tecnologia e inovação.
C) A pesquisa de inovação voltar-se-á preponderantemente para a solução dos problemas brasileiros
e para o desenvolvimento do sistema produtivo nacional e regional.
D) É facultado aos Estados e ao Distrito Federal vincular parcela de sua receita orçamentária a
entidades públicas de fomento ao ensino e à pesquisa científica e tecnológica.

3) A pesquisa tecnológica voltar-se-á preponderantemente para

A) o avanço do Brasil no cenário mundial tecnológico.


B) a solução dos problemas brasileiros e para o desenvolvimento do sistema produtivo nacional e
regional.
C) o aprimoramento de nossas defesas, tendo em vista a soberania nacional.
D) o mercado interno nacional, estimulando os pequenos inventores.

5
APROFUNDANDO NO QUE CAI

01)No título da Constituição relativo à Ordem Social, foi reservada disciplina aos meios de
comunicação social e às empresas que os exploram economicamente. Segundo as
disposições do texto constitucional a esse respeito,

A) os meios de comunicação social eletrônica, independentemente da tecnologia utilizada para


a prestação do serviço, estão dispensados de observar os princípios aplicáveis à produção
e à programação das emissoras de rádio e televisão, a exemplo da preferência a finalidades
educativas, artísticas, culturais e informativas, bem assim do respeito aos valores éticos e
sociais da pessoa e da família.
B) pelo menos sessenta por cento do capital total e do capital votante das empresas
jornalísticas e de radiodifusão sonora e de sons e imagens deverá pertencer, direta ou
indiretamente, a brasileiros natos ou naturalizados há mais de dez anos, que exercerão
obrigatoriamente a gestão das atividades e estabelecerão o conteúdo da programação.
C) os meios de comunicação social eletrônica, independentemente da tecnologia utilizada para
a prestação do serviço, deverão, nos termos de lei específica, observar os princípios
aplicáveis à produção e à programação das emissoras de rádio e televisão, a exemplo do
fomento à produção, difusão e circulação de conhecimento e bens culturais, bem assim da
democratização dos processos decisórios com participação e controle social.
D) os meios de comunicação social eletrônica, independentemente da tecnologia utilizada para
a prestação do serviço, deverão, nos termos de lei específica, observar os princípios
aplicáveis à produção e à programação das emissoras de rádio e televisão, a exemplo da
regionalização da produção cultural, artística e jornalística, conforme percentuais
estabelecidos em lei, bem assim do respeito aos valores éticos e sociais da pessoa e da
família.
E) é vedada a participação de pessoa jurídica no capital social de empresa jornalística ou de
radiodifusão, exceto a de partido político e de sociedades cujo capital pertença exclusiva e
nominalmente a brasileiros.

2)Assinale a alternativa correta a respeito das normas constitucionais que tratam da ciência
e tecnologia.

A) É obrigatório aos Estados e ao Distrito Federal vincular parcela de sua receita orçamentária a
entidades públicas de fomento ao ensino e à pesquisa científica e tecnológica.
B) A pesquisa tecnológica voltar-se-á preponderantemente para a solução dos problemas
brasileiros e para o desenvolvimento do sistema produtivo nacional e regional.
C) O monopólio do mercado interno será protegido pelo Estado de modo a priorizar o
desenvolvimento cultural e sócio-econômico, o bem-estar da população e a autonomia
tecnológica do País.

6
D) O Estado estimulará a formação e o fortalecimento da inovação tecnológica nos entes públicos
com prioridade sobre as empresas ou entes privados.
E) As empresas que invistam em pesquisa, criação de tecnologia adequada ao País e que
ofereçam participação dos empregados nos seus lucros devem ter tratamento prioritário do
Estado por meio de isenções fiscais.

3)DENTRE OS ENUNCIADOS ABAIXO, ESTÃO CORRETOS:

I – O pluripartidarismo político caracteriza-se pela oposição a qualquer artefato monopolista,


seja social, político, cultural, educacional, econômico ou de comunicação.

II – O rádio E a televisão, por constituírem serviços públicos dependentes de outorga do


Estado, têm o dever de imparcialidade, o que os impede de difundir opinião contrária a
candidato, partido, coligação, a seus órgãos ou representantes.

III – Não há vício de iniciativa em lei municipal, deflagrada por parlamentar, que veda a
contratação de parentes de 1º e 2º grau do prefeito e vice-prefeito para ocuparem cargo ou
função pública no âmbito da administração pública local.

IV – No sistema democrático, a liberdade goza de uma forte prioridade prima facie, decorrente
de seu status de condição para a cooperação na deliberação democrática, mas não de uma
prioridade absoluta.

A) todos estão corretos


B) I, II e III
C) I, III e IV
D) I e IV

4)Assinale a alternativa correta a respeito do direito à comunicação social.

A) Na análise do caso de publicação de biografias não autorizadas, o Supremo Tribunal


Federal fixou o entendimento da necessidade de autorização prévia do interessado ou de
seu representante legal, uma vez que o caso envolve tensão entre direitos fundamentais da
liberdade de expressão, do direito à informação e dos direitos da personalidade
(privacidade, imagem e honra).
B) Os meios de comunicação social eletrônica, independentemente da tecnologia utilizada
para a prestação do serviço, deverão observar os princípios constitucionais que regem a
produção e a programação das emissoras de rádio e televisão, como dar preferência a
finalidades educativas, artísticas, culturais e informativas.

7
C) Nenhuma lei poderá conter dispositivo que possa constituir embaraço à plena liberdade de
informação jornalística em qualquer veículo de comunicação social, sendo resguardado o
sigilo da fonte, em todas as circunstâncias.
D) Compete ao Congresso Nacional outorgar e renovar concessão, permissão e autorização
para o serviço de radiodifusão sonora e de sons e imagens, observado o princípio da
complementaridade dos sistemas privado, público e estatal.
E) É competência comum da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios legislar
sobre os meios legais que garantam à pessoa e à família a possibilidade de se defenderem
de programas ou programações de rádio e televisão que vinculem propaganda de produtos,
práticas e serviços que possam ser nocivos à saúde e ao meio ambiente.

5)Assinale a alternativa CORRETA em que há dois m arcos históricos para a Educação


Profissional, Científica e Tecnológica no Brasil.

A) No ano de 2011 é lançado o Catálogo Nacional dos Cursos Técnicos e neste mesmo ano o
Decreto 6.302 institui o Programa Brasil Profissionalizado.
B) O Decreto 5.354/2005 permite a integração do ensino técnico de nível médio com ensino
médio regular e no ano de 2009 acontece o Centenário da Rede Federal de Educação
Profissional e Tecnológica.
C) O Decreto 2.208/2007 regulamenta a Educação Profissional e cria o Programa de Expansão
da Educação Profissional - PROEP e a Lei 6.545/1978 transforma a Escola Técnica de
Minas Gerais em Centro Federal de Educação Tecnológica.
D) No ano de 1909 é criado o Ministério da Educação e Cultura que passa a supervisionar as
Escolas de Aprendizes Artífices e no ano de 1937 as Escolas de Aprendizes Artífices são
transformadas em Liceus Industriais, destinados ao ensino profissional.
E) Criação da Universidade Tecnológica do Paraná - UTFPR, sob a Lei n° 11.184 de 07 de
outubro de 2005 e Lançamento da primeira fase do Plano de Expansão da Rede Federal
em 2005, com a construção de 60 novas unidades de ensino pelo Governo Federal.

6)Tendo em vista a Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, conforme o


previsto no capítulo “Da Ciência e Tecnologia”, assinale a alternativa INCORRETA

A) O Estado promoverá e incentivará o desenvolvimento científico, a pesquisa e a capacitação


tecnológicas.
B) A pesquisa científica básica receberá tratamento prioritário do Estado, tendo em vista o bem
público e o progresso das ciências.

8
C) A pesquisa tecnológica voltar-se-á preponderantemente para a solução dos problemas
brasileiros e para o desenvolvimento do sistema produtivo nacional e regional.
D) O Estado apoiará a formação de recursos humanos nas áreas de ciência, pesquisa e
tecnologia, e concederá aos que delas se ocupem meios e condições especiais de trabalho.
E) É obrigatório aos Estados e ao Distrito Federal vincular parcela de sua receita orçamentária
a entidades públicas de fomento ao ensino e à pesquisa científica e tecnológica.

7)Quanto às normas constitucionais que regem a ordem social, é INCORRETO afirmar:

A) Os meios de comunicação social não podem, direta ou indiretamente, ser objeto de


monopólio ou oligopólio.
B) A publicação de veículo impresso de comunicação depende de licença de autoridade.
C) São indisponíveis as terras devolutas ou arrecadadas pelos Estados, por ações
discriminatórias, necessárias à proteção dos ecossistemas naturais.
D) A assistência social será prestada a quem dela necessitar, independentemente de
contribuição à seguridade social.

8)A respeito da temática de Ciência e Tecnologia prevista na Constituição Federal do Brasil,


assinale a alternativa correta.

A) A lei apoiará e estimulará as empresas que invistam em pesquisa, criação de tecnologia


adequada ao País, formação e aperfeiçoamento de seus recursos humanos e que
pratiquem sistemas de remuneração que assegurem ao empregado, desvinculada do
salário, participação nos ganhos econômicos resultantes da produtividade de seu trabalho.
B) O mercado externo integra o patrimônio nacional e será incentivado de modo a viabilizar o
desenvolvimento cultural e socioeconômico, o bem-estar da população e a autonomia
tecnológica do País.
C) É vedado aos Estados e ao Distrito Federal vincular parcela de sua receita orçamentária a
entidades públicas de fomento ao ensino e à pesquisa científica e tecnológica.
D) A pesquisa tecnológica se voltará preponderantemente para ajuda humanitária internacional
e, subsidiariamente, para o desenvolvimento do sistema produtivo nacional e regional.
E) A União detém exclusividade sobre o desenvolvimento de Ciência e Tecnologia em território
nacional, tendo em vista o interesse público e o progresso das ciências.

9)Ao disciplinar a exploração do serviço de radiodifusão sonora e de sons e imagens, a


Constituição da República estabelece que,

A) a outorga e renovação da concessão, permissão e autorização para o serviço compete ao


Congresso Nacional, observado o princípio da complementaridade dos sistemas privado,
público e estatal.

9
B) a outorga e renovação da concessão ou permissão dependerá de aprovação de, no mínimo,
dois quintos do Congresso Nacional, em votação nominal.
C) o prazo da concessão ou permissão será de dez anos para as emissoras de rádio e de quinze
para as de televisão, dependendo de decisão judicial o cancelamento da concessão ou da
permissão, antes de vencido o prazo.
D) o Conselho de Comunicação Social, instituído pelo Poder Executivo, na forma da lei, funcionará
como órgão auxiliar do Congresso Nacional, em suas atribuições relacionadas ao serviço.
E) a responsabilidade editorial e as atividades de seleção e direção da programação veiculada são
privativas de brasileiros natos ou naturalizados há mais de quinze anos.

10)Entre os princípios que, nos termos do texto constitucional, devem ser observados na
produção e programação das emissoras de rádio e televisão, encontram-se:

A) diversidade das expressões culturais; e fomento à produção, difusão e circulação de


conhecimento e bens culturais.
B) preferência a finalidades educativas, artísticas, culturais e informativas; e acesso à
informação sobre a natureza dos programas, as faixas etárias a que não se recomendem,
locais e horários em que sua apresentação se mostre inadequada.
C) diversidade das expressões culturais; e promoção da cultura nacional e regional e estímulo
à produção independente que objetive sua divulgação.
D) respeito aos valores éticos e sociais da pessoa e da família; e promoção da cultura nacional
e regional e estímulo à produção independente que objetive sua divulgação.
E) regionalização da produção jornalística, conforme percentuais estabelecidos em lei; e
fomento à produção, difusão e circulação de conhecimento e bens culturais.

QUESTÃO EXTRA

1)Segundo a Constituição da República, “o Estado promoverá e incentivará o


desenvolvimento científico, a pesquisa, a capacitação científica e tecnológica e a inovação”.
Com base nas normas constitucionais dedicadas ao tema, assinale a alternativa correta.

A) É facultado aos Estados, aos Municípios e ao Distrito Federal vincular parcela de sua receita
orçamentária a entidades públicas de fomento ao ensino e à pesquisa científica e tecnológica.
B) O Estado promoverá e incentivará a atuação no exterior das instituições públicas e privadas de
ciência, tecnologia e inovação, com vistas à execução das atividades de desenvolvimento
científico, pesquisa, capacitação científica e tecnológica e de inovação.

10
C) O mercado interno integra o patrimônio nacional e será incentivado de modo a viabilizar o
desenvolvimento cultural e socioeconômico, o bem-estar da população e a autonomia
tecnológica do País, nos termos de lei complementar.
D) O Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (SNCTI) será organizado em regime de
colaboração entre entes, tanto públicos quanto privados, com vistas a promover o
desenvolvimento científico e tecnológico e a inovação.
E) Lei complementar disporá sobre o Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação
(SNCTI).

GABARITO

Exercícios de Fixação
1. C
2. C
3. B

Aprofundando no Que CAI


01-Resposta: D
02-Resposta B
03-Resposta: C
04- Resposta: B
05- Resposta: E
06- Resposta: E
07-Resposta: B
08-Resposta A
09- Resposta: C
10-Resposta: D

QUESTÃO EXTRA

01-Resposta: D

11
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

Atenção aos Artigos 219-A e 219-B.

12
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

13
SUMÁRIO

SUMÁRIO ......................................................................................................................................... 1
DA COMUNICAÇÃO SOCIAL (Art. 220 ao 222) ............................................................................... 2
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ............................................................................................................. 4
APROFUNDANDO NO QUE CAI ..................................................................................................... 5
QUESTÃO EXTRA ........................................................................................................................... 9
GABARITO ..................................................................................................................................... 10
Questão Extra ................................................................................................................................................ 10
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?.................................................. 11

ENTÃO VAMOS LÁ LJORTANOS

1
DA COMUNICAÇÃO SOCIAL (Art. 220 ao 222)

Comentário: a comunicação atende aos princípios estabelecidos no Artigo 5º, como a


liberdade de expressão, proibição da censura e anonimato. Portanto, a leitura atenta é
suficiente.

Art. 220. A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob


qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto
nesta Constituição.

§ 1º Nenhuma lei conterá dispositivo que possa constituir embaraço à plena liberdade de
informação jornalística em qualquer veículo de comunicação social, observado o disposto
no art. 5º, IV, V, X, XIII e XIV.

§ 2º É vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística.

§ 3º Compete à lei federal:

I - regular as diversões e espetáculos públicos, cabendo ao Poder Público informar sobre a


natureza deles, as faixas etárias a que não se recomendem, locais e horários em que sua
apresentação se mostre inadequada;

II - estabelecer os meios legais que garantam à pessoa e à família a possibilidade de se


defenderem de programas ou programações de rádio e televisão que contrariem o disposto
no art. 221, bem como da propaganda de produtos, práticas e serviços que possam ser
nocivos à saúde e ao meio ambiente.

§ 4º A propaganda comercial de tabaco, bebidas alcoólicas, agrotóxicos, medicamentos e


terapias estará sujeita a restrições legais, nos termos do inciso II do parágrafo anterior, e
conterá, sempre que necessário, advertência sobre os malefícios decorrentes de seu uso.

§ 5º Os meios de comunicação social não podem, direta ou indiretamente, ser objeto de


monopólio ou oligopólio.

2
§ 6º A publicação de veículo impresso de comunicação independe de licença de
autoridade.

Art. 221. A produção e a programação das emissoras de rádio e televisão atenderão aos
seguintes princípios:

I - preferência a finalidades educativas, artísticas, culturais e informativas;


II - promoção da cultura nacional e regional e estímulo à produção independente que objetive
sua divulgação;
III - regionalização da produção cultural, artística e jornalística, conforme percentuais
estabelecidos em lei;
IV - respeito aos valores éticos e sociais da pessoa e da família.

Art. 222. A propriedade de empresa jornalística e de radiodifusão sonora e de sons e


imagens é privativa de brasileiros natos ou naturalizados há mais de dez anos, ou de
pessoas jurídicas constituídas sob as leis brasileiras e que tenham sede no País.

§ 1º Em qualquer caso, pelo menos setenta por cento do capital total e do capital
votante das empresas jornalísticas e de radiodifusão sonora e de sons e imagens deverá
pertencer, direta ou indiretamente, a brasileiros natos ou naturalizados há mais de dez anos,
que exercerão obrigatoriamente a gestão das atividades e estabelecerão o conteúdo da
programação.

§ 2º A responsabilidade editorial e as atividades de seleção e direção da programação


veiculada são privativas de brasileiros natos ou naturalizados há mais de dez anos, em
qualquer meio de comunicação social.

§ 3º Os meios de comunicação social eletrônica, independentemente da tecnologia utilizada


para a prestação do serviço, deverão observar os princípios enunciados no art. 221, na forma
de lei específica, que também garantirá a prioridade de profissionais brasileiros na execução
de produções nacionais.

§ 4º Lei disciplinará a participação de capital estrangeiro nas empresas de que trata o § 1º.

3
§ 5º As alterações de controle societário das empresas de que trata o § 1º serão
comunicadas ao Congresso Nacional.

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

1) Segundo o Art. 220 da Constituição Federal, nenhuma lei conterá dispositivo que possa
constituir embaraço à plena liberdade de informação jornalística em qualquer veículo de
comunicação social. Este trecho do artigo garante que qualquer cidadão, observado o
disposto na Constituição e nas leis regulamentares, pode usar publicações jornalísticas para

A) constituir propriedade privada protegida pelos preceitos básicos do Estado.


B) usufruir do direito à manifestação do pensamento independentemente de licença.
C) exercer controle social sobre publicações de outros órgãos de imprensa.
D) estabelecer oficialmente crença, convicção filosófica ou política pública.

2) Entre os princípios que, nos termos do texto constitucional, devem ser observados na
produção e programação das emissoras de rádio e televisão, encontram-se:

A) preferência a finalidades educativas, artísticas, culturais e informativas; e acesso à informação


sobre a natureza dos programas, as faixas etárias a que não se recomendem, locais e horários em
que sua apresentação se mostre inadequada.
B) diversidade das expressões culturais; e promoção da cultura nacional e regional e estímulo à
produção independente que objetive sua divulgação.
C) respeito aos valores éticos e sociais da pessoa e da família; e promoção da cultura nacional e
regional e estímulo à produção independente que objetive sua divulgação.
D) regionalização da produção jornalística, conforme percentuais estabelecidos em lei; e fomento à
produção, difusão e circulação de conhecimento e bens culturais.

3) A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma,


processo ou veículo, não sofrerão qualquer restrição (art. 220 da CF). Acerca da comunicação
social, assinale a alternativa correta de acordo com a CF.

A) É permitida toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística.


B) Compete à lei municipal regular as diversões e os espetáculos públicos, cabendo ao Poder Público
informar sobre a natureza deles, as faixas etárias a que não se recomendem e os locais e horários
em que suas apresentações se mostrem inadequadas.
C) A propaganda comercial de tabaco, bebidas alcoólicas, agrotóxicos, medicamentos e terapias
estará sujeita a restrições legais, contendo, sempre que necessário, advertência sobre os malefícios
decorrentes de seu uso.
D) A publicação de veículo impresso de comunicação depende de licença de autoridade.

4
APROFUNDANDO NO QUE CAI

1)Segundo o Art. 220 da Constituição Federal, nenhuma lei conterá dispositivo que possa
constituir embaraço à plena liberdade de informação jornalística em qualquer veículo de
comunicação social. Este trecho do artigo garante que qualquer cidadão, observado o
disposto na Constituição e nas leis regulamentares, pode usar publicações jornalísticas para

A. constituir propriedade privada protegida pelos preceitos básicos do Estado.


B. usufruir do direito à manifestação do pensamento independentemente de licença.
C. exercer controle social sobre publicações de outros órgãos de imprensa.
D. estabelecer oficialmente crença, convicção filosófica ou política pública.
E. instituir hegemonia cultural e regional no conteúdo da publicação.

2)No que tange às disposições acerca da ciência, tecnologia e inovação previstas na


Constituição Federal, assinale a alternativa correta.

A. O Estado estimulará a articulação entre os entes públicos, nas diversas esferas de governo,
visando promover e incentivar o desenvolvimento científico, a pesquisa, a capacitação
científica e tecnológica e a inovação, excluindo a interação com entes privados.
B. O Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (SNCTI) será organizado em regime
de colaboração entre entes, tanto públicos quanto privados, com vistas a promover o
desenvolvimento científico e tecnológico e a inovação, que terá suas normas gerais
previstas em lei estadual.
C. Apenas a União, os Estados e o Distrito Federal poderão firmar instrumentos de cooperação
com órgãos e entidades públicos e com entidades privadas, inclusive para o
compartilhamento de recursos humanos especializados e capacidade instalada, para a
execução de projetos de pesquisa, de desenvolvimento científico e tecnológico e de
inovação, mediante contrapartida financeira ou não financeira assumida pelo ente
beneficiário, na forma da lei.
D. É facultado aos Estados e ao Distrito Federal vincular parcela de sua receita orçamentária a
entidades públicas de fomento ao ensino e à pesquisa científica e tecnológica.
E. A pesquisa científica básica e tecnológica receberá tratamento não prioritário do Estado,
tendo em vista o bem público e o progresso da ciência, tecnologia e inovação.

3)Considere disposição normativa estabelecida em sede de Constituição estadual que atribui


ao Estado o dever de contribuir para a formação de recursos humanos na área de ciência,
pesquisa e tecnologia, criando para esse fim um fundo estadual de apoio à ciência e pesquisa
tecnológica. Esse fundo, ainda segundo o texto da Constituição estadual, deve contar com a
destinação de parcela da receita anual, nunca inferior a meio por cento da arrecadação
tributária do Estado, dela deduzidas as transferências feitas aos Municípios. Tal disciplina
constitucional

5
A. incorre em vício de inconstitucionalidade, pois trata-se de regime normativo que invade a
esfera de competência legislativa da União, a quem cabe legislar sobre normas gerais em
matéria de ciência, tecnologia e inovação e, especialmente, sobre os recursos relacionados
ao Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (SNCTI).
B. incorre em vício de inconstitucionalidade, pois trata-se de vinculação de receitas tributárias
vedada pela Constituição Federal.
C. estabelece vinculação de receita tributária constitucionalmente admitida, desde que os
recursos vinculados sejam carreados a entidades públicas de fomento ao ensino e à
pesquisa científica e tecnológica.
D. incorre em vício de inconstitucionalidade, pois trata-se de regime normativo que invade a
esfera de competência legislativa da União, a quem cabe legislar sobre normas gerais em
matéria de finanças públicas estabelecidas pela legislação federal.
E. estabelece vinculação de receita tributária constitucionalmente admitida,
independentemente da natureza jurídica das entidades de fomento ao ensino e à pesquisa
científica e tecnológica que venham a receber os recursos vinculados.

4)De acordo com a Constituição da República Federativa do Brasil Art. 218. O Estado
promoverá e incentivará o desenvolvimento científico, a pesquisa, a capacitação científica e
tecnológica e a inovação. Sobre a pesquisa científica básica e tecnológica é CORRETO
afirmar;

A. receberá tratamento prioritário do Estado, tendo em vista o bem público e o progresso da


ciência, tecnologia e inovação.
B. voltar-se-á preponderantemente para a solução dos problemas brasileiros e para o
desenvolvimento do sistema produtivo nacional e regional.
C. execução de projetos de pesquisa, de desenvolvimento científico e tecnológico e de
inovação, mediante contrapartida financeira ou não financeira assumida pelo ente
beneficiário, na forma da lei.
D. Nenhuma das alternativas.

5)Conforme o disposto na Constituição Federal no Título VIII “Da Ordem Social”, é correto
afirmar:

A. São reconhecidos aos índios sua organização social, costumes, línguas, crenças e
tradições, e os direitos originários sobre as terras que tradicionalmente ocupam, competindo
aos Estados demarcá-las, proteger e fazer respeitar todos os seus bens, ouvidas as
populações dos Municípios envolvidos, nos termos e limites fixados em lei específica da
União.
B. A família, base da sociedade, tem especial proteção do Estado, sendo que os direitos e
deveres referentes à sociedade conjugal são exercidos prioritariamente pela mulher.

6
C. Dentre os objetivos com base nos quais compete ao Poder Público, nos termos da lei,
organizar a seguridade social, estão a universalidade da cobertura e do atendimento;
seletividade e distributividade na prestação dos benefícios e serviços; irredutibilidade do
valor dos benefícios.
D. As usinas que operem com reator nuclear deverão ter sua localização definida em lei
estadual complementar específica, sem o que não poderão ser instaladas.

6)Com relação ao capítulo V da Constituição da República, que trata da comunicação social,


assinale a alternativa correta.

A. Ao Poder Executivo compete outorgar e renovar concessão, permissão e autorização para o


serviço de radiodifusão sonora e de sons e imagens, observado o princípio da
complementaridade dos sistemas privado, público e estatal.
B. Somente brasileiros natos ou estrangeiros casados com cidadão de nacionalidade brasileira
podem ser proprietários de empresa jornalística ou de radiodifusão.
C. Esse capítulo proíbe a propaganda comercial de tabaco e de bebidas alcoólicas. Há vários
anos, já não são veiculados anúncios de cigarros, e os de bebidas alcoólicas serão
interrompidos a partir de 2018.
D. Os meios de comunicação social não podem, direta ou indiretamente, ser objeto de monopólio
ou oligopólio, salvas as redes que já existiam por ocasião da promulgação da Carta de 1988,
como a Rede Globo e o SBT.
E. Toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística, é vedada, salvo casos
previstos pelo Código de Ética dos Jornalistas.

7)Tendo em vista a Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, conforme o


previsto no capítulo “Da Ciência e Tecnologia”, assinale a alternativa INCORRETA.

A. O Estado promoverá e incentivará o desenvolvimento científico, a pesquisa e a capacitação


tecnológicas.
B. A pesquisa científica básica receberá tratamento prioritário do Estado, tendo em vista o bem
público e o progresso das ciências.
C. A pesquisa tecnológica voltar-se-á preponderantemente para a solução dos problemas
brasileiros e para o desenvolvimento do sistema produtivo nacional e regional.
D. O Estado apoiará a formação de recursos humanos nas áreas de ciência, pesquisa e
tecnologia, e concederá aos que delas se ocupem meios e condições especiais de trabalho.
E. É obrigatório aos Estados e ao Distrito Federal vincular parcela de sua receita orçamentária
a entidades públicas de fomento ao ensino e à pesquisa científica e tecnológica.

7
8)Sobre a Seguridade Social, Educação e Cultura, Meio Ambiente e Família é correto afirmar.

A. Segundo o art. 213 da Constituição, os recursos públicos serão destinados às escolas


públicas, mas não poderão ser dirigidos a escolas comunitárias, confessionais ou
filantrópicas.
B. Segundo o art. 194 da Constituição, a seguridade social compreende um conjunto integrado
de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade, destinadas a assegurar os
direitos relativos à saúde, à previdência e à assistência social.
C. Enquanto os Municípios atuarão prioritariamente no ensino fundamental e médio, os
Estados e o Distrito Federal atuarão prioritariamente no ensino fundamental e na educação
infantil.
D. É uma obrigação dos Estados e do Distrito Federal vincular a fundo estadual de fomento à
cultura até cinco décimos por cento de sua receita tributária líquida, para o financiamento de
programas e projetos culturais.
E. O planejamento familiar é livre decisão do casal, competindo ao Estado propiciar recursos
educacionais e científicos para o exercício desse direito, permitida algumas formas
coercitivas por parte de instituições oficiais ou privadas como forma de controle de
natalidade.

9)Quanto aos artigos 225 ao 232 da Constituição da República Federativa do Brasil de 1988,
que tratam da ordem social, assinale a alternativa INCORRETA:

A. Incumbe ao poder público preservar a diversidade e a integridade do patrimônio genético do


País e fiscalizar as entidades dedicadas à pesquisa e manipulação de material genético.
B. Incumbe ao poder público promover a educação ambiental em todos os níveis de ensino e a
conscientização pública para a preservação do meio ambiente.
C. Os pais têm o dever de assistir, criar e educar os filhos menores, e os filhos maiores têm o
dever de prover a educação dos pais analfabetos na velhice.
D. É garantido constitucionalmente o acesso do trabalhador adolescente e jovem à escola.
E. O Estado assegurará a assistência à família na pessoa de cada um dos que a integram,
criando mecanismos para coibir a violência no âmbito de suas relações.

10)De acordo com as disposições sobre Ciência, Tecnologia e Inovação trazidas pela Emenda
Constitucional 85/2015, que alterou os artigos 218 e 219 da Constituição da República
Federativa do Brasil de 1988, assinale a alternativa INCORRETA:

A. O Estado promoverá e incentivará a atuação das empresas estrangeiras de ciência,


tecnologia e inovação, com vistas à execução do crescimento econômico privado, da
pesquisa, da capacitação científica e tecnológica e da inovação.
B. pesquisa tecnológica voltar-se-á preponderantemente para a solução dos problemas
brasileiros e para o desenvolvimento do sistema produtivo nacional e regional.
C. O Estado apoiará a formação de recursos humanos nas áreas de ciência, pesquisa,
tecnologia e inovação, inclusive por meio do apoio às atividades de extensão tecnológica, e
concederá aos que delas se ocupem meios e condições especiais de trabalho.

8
D. A pesquisa científica básica e tecnológica receberá tratamento prioritário do Estado, tendo
em vista o bem público e o progresso da ciência, tecnologia e inovação.
E. O Estado estimulará a formação e o fortalecimento da inovação nas empresas, bem como
nos demais entes, públicos ou privados, a constituição e a manutenção de parques e polos
tecnológicos e de demais ambientes promotores da inovação, a atuação dos inventores
independentes e a criação, absorção, difusão e transferência de tecnologia.

QUESTÃO EXTRA

1)Com relação às previsões constitucionais sobre ciência e tecnologia (Artigos 218 e 219),
assinale a afirmativa correta.

A. Trata-se de normas programáticas que não trazem qualquer dispositivo autoaplicável para
os Estados.
B. União, Estados, Distrito Federal e municípios somente podem vincular parcela de sua
receita orçamentária a entidades públicas de fomento ao ensino e à pesquisa científica e
tecnológica até o limite definido em lei complementar.
C. A pesquisa tecnológica voltar-se-á preponderantemente para a solução dos problemas
regionais, uma vez que a Constituição prioriza o desenvolvimento igualitário de todas as
regiões.
D. Dos entes federativos, apenas a União pode vincular parcela de sua receita orçamentária a
entidades públicas de fomento ao ensino e à pesquisa científica e tecnológica.
E. A Constituição prevê o estímulo à autonomia tecnológica do país, o que dá amparo às leis
que prevejam benefícios para as empresas que invistam em pesquisa e criação de
tecnologia.

9
GABARITO

Exercícios de Fixação
1. B
2. C
3. C

Aprofundando no Que CAI


01-Resposta: B
02- Resposta: D
03- Resposta: C
04-Resposta A
05- Resposta: C
06-Resposta: A
07- Resposta: E
08-Resposta B
09-Resposta: C
10- Resposta: A

Questão Extra

01- Resposta: E

10
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

Artigo 220.

11
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

12
SUMÁRIO

SUMÁRIO ......................................................................................................................................... 1
DA COMUNICAÇÃO SOCIAL + Meio Ambiente (Art. 223 ao 225) .................................................... 2
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ............................................................................................................. 5
APROFUNDANDO NO QUE CAI ..................................................................................................... 6
QUESTÃO EXTRA ........................................................................................................................... 9
GABARITO ..................................................................................................................................... 11
Questão Extra ................................................................................................................................................ 11
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?.................................................. 12

ENTÃO VAMOS LÁ LJORTANOS

1
DA COMUNICAÇÃO SOCIAL + Meio Ambiente (Art. 223 ao 225)

Art. 223. Compete ao Poder Executivo outorgar e renovar concessão, permissão e


autorização para o serviço de radiodifusão sonora e de sons e imagens, observado o
princípio da complementaridade dos sistemas privado, público e estatal.

§ 1º O Congresso Nacional apreciará o ato no prazo do art. 64, § 2º e § 4º, a contar do


recebimento da mensagem.

§ 2º A não renovação da concessão ou permissão dependerá de aprovação de, no mínimo,


dois quintos do Congresso Nacional, em votação nominal.

§ 3º O ato de outorga ou renovação somente produzirá efeitos legais após deliberação do


Congresso Nacional, na forma dos parágrafos anteriores.

§ 4º O cancelamento da concessão ou permissão, antes de vencido o prazo, depende de


decisão judicial.

§ 5º O prazo da concessão ou permissão será de dez anos para as emissoras de rádio e de


quinze para as de televisão.

Art. 224. Para os efeitos do disposto neste capítulo, o Congresso Nacional instituirá, como
seu órgão auxiliar, o Conselho de Comunicação Social, na forma da lei.

CAPÍTULO VI - DO MEIO AMBIENTE

Comentário: essa parte é de leitura bem tranquila, portanto, pontuei os destaques e


comentários que entendi serem suficientes. Lembrando, que o aprendizado efetivo se da
mediante leitura e resolução de questões.

Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso
comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à
coletividade o dever de defendê-lo e preservá- lo para as presentes e futuras gerações.

2
§ 1º Para assegurar a efetividade desse direito, incumbe ao Poder Público:
Comentário: o termo em negrito foi aplicado de forma ampla, portanto, incluindo todos os
entes federados.
I - preservar e restaurar os processos ecológicos essenciais e prover o manejo ecológico
das espécies e ecossistemas;

II - preservar a diversidade e a integridade do patrimônio genético do País e fiscalizar as


entidades dedicadas à pesquisa e manipulação de material genético;

III - definir, em todas as unidades da Federação, espaços territoriais e seus componentes a


serem especialmente protegidos, sendo a alteração e a supressão permitidas somente
através de lei, vedada qualquer utilização que comprometa a integridade dos atributos que
justifiquem sua proteção;

IV - exigir, na forma da lei, para instalação de obra ou atividade potencialmente causadora


de significativa degradação do meio ambiente, estudo prévio de impacto ambiental, a que
se dará publicidade;

V - controlar a produção, a comercialização e o emprego de técnicas, métodos e substâncias


que comportem risco para a vida, a qualidade de vida e o meio ambiente;

VI - promover a educação ambiental em todos os níveis de ensino e a conscientização


pública para a preservação do meio ambiente;

VII - proteger a fauna e a flora, vedadas, na forma da lei, as práticas que coloquem em risco
sua função ecológica, provoquem a extinção de espécies ou submetam os animais a
crueldade.

§ 2º Aquele que explorar recursos minerais fica obrigado a recuperar o meio ambiente
degradado, de acordo com solução técnica exigida pelo órgão público competente, na forma
da lei.

§ 3º As condutas e atividades consideradas lesivas ao meio ambiente sujeitarão os


infratores, pessoas físicas ou jurídicas, a sanções penais e administrativas,
independentemente da obrigação de reparar os danos causados.
3
§ 4º A Floresta Amazônica brasileira, a Mata Atlântica, a Serra do Mar, o Pantanal Mato-
Grossense e a Zona Costeira são patrimônio nacional, e sua utilização far-se-á, na forma
da lei, dentro de condições que assegurem a preservação do meio ambiente, inclusive
quanto ao uso dos recursos naturais.

§ 5º São indisponíveis as terras devolutas ou arrecadadas pelos Estados, por ações


discriminatórias, necessárias à proteção dos ecossistemas naturais.

§ 6º As usinas que operem com reator nuclear deverão ter sua localização definida em lei
federal, sem o que não poderão ser instaladas.

§ 7º Para fins do disposto na parte final do inciso VII do § 1º deste artigo, não se consideram
cruéis as práticas desportivas que utilizem animais, desde que sejam manifestações
culturais, conforme o § 1º do art. 215 desta Constituição Federal, registradas como bem de
natureza imaterial integrante do patrimônio cultural brasileiro, devendo ser regulamentadas
por lei específica que assegure o bem-estar dos animais envolvidos.

4
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

1) Segundo prevê o art. 225 da Constituição Federal “todos têm direito ao meio ambiente
ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de
vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para
as presentes e futuras gerações”. Nesse caso,

A) degradação ambiental e poluição são expressões que se equivalem.


B) como cabe ao Poder Público o dever de defender o meio ambiente, jamais poderá ser
responsabilizado por sua degradação.
C) o poluidor será sempre a pessoa física ou jurídica de direito privado, responsável, direta ou
indiretamente, pela degradação ambiental.
D) o poluidor será a pessoa física ou jurídica, de direito público ou privado, responsável, direta ou
indiretamente, por atividade causadora de degradação ambiental.
E) a poluição será sempre ilícita.

2) De acordo com a Constituição Federal, as práticas desportivas que utilizem animais:

A) são totalmente vedadas, pois submetem os animais a crueldade.


B) são vedadas, pois entre proteger o patrimônio cultural brasileiro e o bem-estar dos animais
envolvidos, a Constituição Federal, em favor do meio ambiente, vedou totalmente as práticas
desportivas com animais.
C) não se consideram cruéis, desde que sejam manifestações culturais, registradas como bem de
natureza imaterial integrante do patrimônio cultural brasileiro, devendo ser regulamentadas por lei
específica que assegure o bem-estar dos animais envolvidos.
D) não se consideram cruéis, desde que sejam manifestações desportivas, devendo ser
regulamentadas por lei complementar que assegure o bem-estar dos animais envolvidos.

3) De acordo com o art. 225, § 4º da Constituição Federal são patrimônio nacional:

A) As Dunas Litorâneas, os Manguezais, a Serra do Mar e a Mata Atlântica.


B) A Floresta Amazônica brasileira, a Mata Atlântica, a Serra do Mar, o Pantanal Mato-Grossense e
a Zona Costeira.
C) A Floresta Amazônica brasileira, o Pantanal Mato-Grossense, a Caatinga e as Reservas
Indígenas.
D) A Mata Atlântica, o Pantanal Mato-Grossense, os Manguezais, os Lençóis Maranhenses e as
Bacias Hidrográficas.

5
APROFUNDANDO NO QUE CAI

1)A Constituição Federal determina, em seu artigo 225, que todos têm direito ao meio
ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia
qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e
preservá-lo para as presentes e futuras gerações. Para assegurar a efetividade desse direito,
o Poder Público está incumbido, dentre outras ações, de

A. exigir, em caso de instalação de obra ou atividade que possa causar significativa


degradação do meio ambiente, na forma da lei, estudo prévio de impacto ambiental, que
deverá ter trâmite administrativo sigiloso.
B. prover o manejo ecológico das espécies e ecossistemas, bem como preservar e restaurar
os processos ecológicos essenciais.
C. preservar a diversidade e a integridade do patrimônio genético do País e vedar as
atividades das entidades dedicadas à pesquisa e manipulação de material genético.
D. proteger a fauna e a flora, permitidas, na forma da lei, as práticas que submetam os animais
à crueldade, desde que em benefício da humanidade ou em virtude de interesse público.
E. promover a pesquisa e manipulação de material genético.

2)A Constituição Federal preceitua que todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente
equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se
ao poder público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e
futuras gerações.

Incumbe ao poder público, para assegurar esse direito,

A. exigir, na forma da lei, para instalação de obra ou atividade potencialmente causadora de


significativa degradação do meio ambiente, estudo prévio de impacto ambiental, a que se
dará publicidade.
B. proteger a fauna e a flora, vedadas, na forma da lei, as práticas que coloquem em risco sua
função ecológica, provoquem a extinção de espécies ou submetam os animais a crueldade,
consideradas cruéis as práticas desportivas que utilizem animais, ainda que sejam
manifestações culturais.
C. disponibilizar as terras devolutas ou arrecadadas pelos Estados, por ações discriminatórias,
necessárias à proteção dos ecossistemas naturais.
D. as usinas que operem com reator nuclear deverão ter sua localização definida em lei
estadual e municipal, sem o que não poderão ser instaladas.
E. definir, em todas as unidades da Federação, espaços territoriais e seus componentes a
serem especialmente protegidos, não sendo a alteração e a supressão permitidas, e vedada
a edição de lei a respeito da matéria.

6
3)A Constituição da República de 1988 estabelece um regime jurídico de proteção ao meio
ambiente bastante interventivo. Para a efetividade desse sistema, são impostas algumas
incumbências ao Poder Público. Sobre o assunto, considere as seguintes afirmativas:

1. Ao Poder Público e à coletividade é imposto o dever de preservação do meio ambiente até


mesmo para as futuras gerações.

2. É incumbência estatal a preservação da integridade do patrimônio genético do país.

3. É dever estatal constitucional o controle da produção de agrotóxicos, em sendo


substâncias que comportem risco para a qualidade de vida e ao meio ambiente.

4. Há previsão constitucional expressa para que o explorador de recursos minerais fique


obrigado a recuperar o meio ambiente degradado, na forma da lei, e sendo previsto que o
órgão público competente exija a solução técnica para o caso.

Assinale a alternativa correta.

A. Somente a afirmativa 4 é verdadeira.


B. Somente as afirmativas 1 e 2 são verdadeiras.
C. Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras.
D. Somente as afirmativas 1, 3 e 4 são verdadeiras.
E. As afirmativas 1, 2, 3 e 4 são verdadeiras.

5)Incumbe ao Poder Público proteger a fauna e a flora, vedadas, na forma da lei, as práticas
que coloquem em risco sua função ecológica, provoquem a extinção de espécies ou
submetam os animais a crueldade. Quanto as práticas desportivas que envolvem animais,

A. dentro do que é preconizado para um ambiente ecologicamente equilibrado, são vedadas


pela Constituição da República Federativa do Brasil de 1988.
B. dentro do sistema de proteção à fauna brasileira, são vedadas pela Constituição da
República Federativa do Brasil de 1988.
C. como manifestação do folclore nacional sua realização é incentivada pela Constituição da
República Federativa do Brasil de 1988.
D. desde que sejam manifestações culturais e atendidos os requisitos constitucionais para
realização do ato, não são vedadas pela Constituição da República Federativa do Brasil de
1988.

6)De acordo com o que estabelece a Constituição Federal acerca dos índios e do meio
ambiente,

A. todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso especial e
essencial à sadia qualidade de vida.
B. as usinas que operem com reator nuclear deverão ter sua localização definida em lei estadual,
sem o que não poderão ser instaladas.

7
C. são reconhecidos aos índios sua organização social, costumes, línguas, crenças e tradições,
e os direitos originários sobre as terras que tradicionalmente ocupam, competindo às Forças
Armadas demarcá-las, proteger e fazer respeitar todos os seus bens.
D. as terras tradicionalmente ocupadas pelos índios destinam-se a sua posse permanente,
cabendo, contudo, à União, aos Estados e aos Municípios, o usufruto exclusivo das riquezas
do solo, dos rios e dos lagos nelas existentes.
E. os índios, suas comunidades e organizações são partes legítimas para ingressar em juízo em
defesa de seus direitos e interesses, intervindo o Ministério Público em todos os atos do
processo.

7)De acordo com o previsto no artigo 225 da Constituição Federal, é dever do Poder Público
e da coletividade assegurar a efetividade do direito ao meio ambiente ecologicamente
equilibrado. Para tanto,

A. são alienáveis as terras devolutas ou arrecadadas pelos Estados, por ações


discriminatórias, necessárias à proteção dos ecossistemas naturais, ocasião em que será
concedido ao particular a título de exploração e/ou reserva legal.
B. as usinas que operem com reator nuclear deverão ter sua localização definida em lei
federal, sem o que não poderão ser instaladas.
C. não se consideram cruéis as práticas desportivas que utilizem animais, desde que sejam
manifestações culturais, registradas como bem de natureza imaterial integrante do
patrimônio cultural brasileiro, ainda que não assegurados o bem-estar dos animais
envolvidos.
D. as condutas e atividades consideradas lesivas ao meio ambiente sujeitarão os infratores:
pessoas físicas a sanções penais e administrativas, independentemente da obrigação de
reparar os danos causados, e pessoas jurídicas a sanções administrativas e cíveis,
independentemente de obrigação de reparar os danos causados.
E. aquele que explorar recursos minerais fica obrigado a recuperar o meio ambiente
degradado, ou, caso impossível ou inviável pela natureza da atividade, a indenizar o Poder
Público pela exploração, mediante tabela previamente estabelecida em regulamento.

8)Ao asseverar sobre a proteção do meio ambiente, a Constituição Federal de 1988

A. adotou uma visão estrita para o vocábulo “meio ambiente”, pois reconhece a proteção do
patrimônio natural em seu artigo 225.
B. deixou de aludir expressamente ao desenvolvimento sustentável, apesar de ele poder ser
inferido do artigo 170, VI, quando se refere ao meio ambiente como princípio que rege a
ordem econômica.
C. buscou limitar as atividades nucleares, ao exigir que o licenciamento ambiental de novas
usinas dependa de lei estadual específica, por meio da qual se defina sua localização.

8
D. recepcionou a Lei de Política Nacional do Meio Ambiente, ao exigir o relatório ambiental
preliminar de todos os empreendimentos potencialmente causadores de significativa
degradação do meio ambiente.
E. ensejou uma maior flexibilidade para a definição, a manutenção e a modificação dos limites
de unidades de conservação da natureza, o que pode ser feito por ato do Poder Executivo.

9)Considere os seguintes tópicos da Constituição Federal do Brasil:


I. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do
povo e essencial à sadia qualidade de vida. II. O Poder Executivo é exercido pelo Presidente
da República. III. Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza. IV. É
livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato. V. O Ministério Público é
instituição permanente, essencial à função jurisdicional do Estado.
Dispõem a respeito de Direitos Humanos os indicados APENAS em

A. I, III e IV.
B. II, III e V.
C. I, II, IV e V.
D. I, III, IV e V.
E. III e IV.

10)A Constituição da República Federativa de 1988 impõe ao Poder Público e à coletividade o


dever de defender e preservar o meio ambiente para as presentes e futuras gerações, para
que todos tenham direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum
do povo e essencial à sadia qualidade de vida. Para assegurar a efetividade desse direito, de
acordo com o texto constitucional, incumbe ao Poder Público exigir, na forma da lei, para
instalação de

A. obra ou atividade potencialmente causadora de qualquer dano ao meio ambiente, a


realização de audiência pública, antes da concessão da licença ambiental.
B. toda e qualquer obra ou atividade efetivamente causadora de qualquer degradação
ambiental, o estudo de contaminação hídrica, do solo e do ar, a que se dará publicidade.
C. obra ou atividade potencialmente causadora de significativa degradação do meio ambiente,
o estudo prévio de impacto ambiental, a que se dará publicidade.
D. toda e qualquer obra ou atividade potencialmente causadora de qualquer dano ao meio
ambiente, o plano de reparação da área degradada, antes da concessão da licença
ambiental.

QUESTÃO EXTRA

1)Assinale a alternativa que está em conformidade com o Parágrafo 1o , do Capitulo VI (do


meio ambiente), artigo 225, da Constituição da República Federativa do Brasil, de 1988, que
incumbe o Poder Público de assegurar a efetividade e garantir que: “Todos têm direito ao
meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia

9
qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e
preservá-lo para as presentes e futuras gerações”.

A. Desenvolver pesquisas e tecnologias nacionais orientadas para o uso racional de recursos


ambientais
B. Incentivar a produção, a instalação de equipamentos e a criação ou absorção de
tecnologias voltadas para a melhoria da qualidade ambiental.
C. Compatibilizar o desenvolvimento econômico-social com a preservação da qualidade do
meio ambiente e do equilíbrio ecológico.
D. Preservar e restaurar os recursos ambientais com vistas à sua utilização racional e
disponibilidade permanente, concorrendo para a manutenção do equilíbrio ecológico
propício à vida.
E. Definir, em todas as unidades da Federação, espaços territoriais e seus componentes a
serem especialmente protegidos, sendo a alteração e a supressão permitidas somente
através de lei, vedada qualquer utilização que comprometa a integridade dos atributos que
justifiquem sua proteção.

10
GABARITO

Exercícios de Fixação
1. D
2. C
3. B

Aprofundando no Que CAI


01-Resposta: B
02-Resposta a
03-Resposta: E
04-Resposta: D
05-Resposta: E
06-Resposta B
07- Resposta: B
08-Resposta A
09-Resposta: A
10-Resposta: C

Questão Extra

01-Resposta: E

11
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

Artigo 225, §4º.

12
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

13
SUMÁRIO

SUMÁRIO ......................................................................................................................................... 1
Da Família, da Criança, do Adolescente, do Jovem e do Idoso (Art. 226 e 227) ............................... 2
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ............................................................................................................. 5
APROFUNDANDO NO QUE CAI ..................................................................................................... 6
QUESTÃO EXTRA ......................................................................................................................... 10
GABARITO ..................................................................................................................................... 11
Questão Extra ................................................................................................................................................ 11
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?.................................................. 12

ENTÃO VAMOS LÁ LJORTANOS

1
Da Família, da Criança, do Adolescente, do Jovem e do Idoso (Art. 226 e
227)

Comentário: aqui fiz destaques pontuais, chamando sua atenção para o que mais interessa.
Convém esclarecer previamente, que o Estado não vai interferir nem intervir nas relações
familiares, exceto em casos de violência ou outra necessidade fisiológica. Além disso, é
pacificado o entendimento de que a administração pública quer manter a criança, o
adolescente e o jovem no seio familiar, assim, criará meios para tentar devolvê-los o quanto
antes ao convívio de sua parentela.

Art. 226. A família, base da sociedade, tem especial proteção do Estado.

§ 1º O casamento é civil e gratuita a celebração.


§ 2º O casamento religioso tem efeito civil, nos termos da lei.
§ 3º Para efeito da proteção do Estado, é reconhecida a união estável entre o homem e a
mulher como entidade familiar, devendo a lei facilitar sua conversão em casamento.
§ 4º Entende-se, também, como entidade familiar a comunidade formada por qualquer dos
pais e seus descendentes.
§ 5º Os direitos e deveres referentes à sociedade conjugal são exercidos igualmente pelo
homem e pela mulher.
§ 6º O casamento civil pode ser dissolvido pelo divórcio.
§ 7º Fundado nos princípios da dignidade da pessoa humana e da paternidade responsável,
o planejamento familiar é livre decisão do casal, competindo ao Estado propiciar recursos
educacionais e científicos para o exercício desse direito, vedada qualquer forma coercitiva
por parte de instituições oficiais ou privadas.
§ 8º O Estado assegurará a assistência à família na pessoa de cada um dos que a integram,
criando mecanismos para coibir a violência no âmbito de suas relações.

Art. 227. É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança, ao


adolescente e ao jovem, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à
educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à
convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência,
discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.

§ 1º O Estado promoverá programas de assistência integral à saúde da criança, do


adolescente e do jovem, admitida a participação de entidades não governamentais,
mediante políticas específicas e obedecendo aos seguintes preceitos:
2
I - aplicação de percentual dos recursos públicos destinados à saúde na assistência
materno-infantil;

II - criação de programas de prevenção e atendimento especializado para as pessoas


portadoras de deficiência física, sensorial ou mental, bem como de integração social do
adolescente e do jovem portador de deficiência, mediante o treinamento para o trabalho e a
convivência, e a facilitação do acesso aos bens e serviços coletivos, com a eliminação de
obstáculos arquitetônicos e de todas as formas de discriminação.

§ 2º A lei disporá sobre normas de construção dos logradouros e dos edifícios de uso público
e de fabricação de veículos de transporte coletivo, a fim de garantir acesso adequado às
pessoas portadoras de deficiência.

§ 3º O direito a proteção especial abrangerá os seguintes aspectos:

I - idade mínima de quatorze anos para admissão ao trabalho, observado o disposto no art.
7º, XXXIII;
II - garantia de direitos previdenciários e trabalhistas;
III - garantia de acesso do trabalhador adolescente e jovem à escola;
IV - garantia de pleno e formal conhecimento da atribuição de ato infracional, igualdade na
relação processual e defesa técnica por profissional habilitado, segundo dispuser a
legislação tutelar específica;
V - obediência aos princípios de brevidade, excepcionalidade e respeito à condição peculiar
de pessoa em desenvolvimento, quando da aplicação de qualquer medida privativa da
liberdade;
VI - estímulo do Poder Público, através de assistência jurídica, incentivos fiscais e subsídios,
nos termos da lei, ao acolhimento, sob a forma de guarda, de criança ou adolescente órfão
ou abandonado;
VII - programas de prevenção e atendimento especializado à criança, ao adolescente e ao
jovem dependente de entorpecentes e drogas afins.

§ 4º A lei punirá severamente o abuso, a violência e a exploração sexual da criança e do


adolescente.

3
§ 5º A adoção será assistida pelo Poder Público, na forma da lei, que estabelecerá casos e
condições de sua efetivação por parte de estrangeiros.

§ 6º Os filhos, havidos ou não da relação do casamento, ou por adoção, terão os mesmos


direitos e qualificações, proibidas quaisquer designações discriminatórias relativas à filiação.

§ 7º No atendimento dos direitos da criança e do adolescente levar-se- á em consideração


o disposto no art. 204.

§ 8º A lei estabelecerá:

I - o estatuto da juventude, destinado a regular os direitos dos jovens;

II - o plano nacional de juventude, de duração decenal, visando à articulação das várias


esferas do poder público para a execução de políticas públicas.

4
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

1) Nos termos do art. 226 da Constituição Federal, "a família, base da sociedade, tem especial
proteção do Estado". Entre os aspectos abrangidos pelo direito à proteção especial, segundo
o texto constitucional, encontram-se os seguintes:

A) garantia de direitos previdenciários e trabalhistas; e obediência aos princípios de brevidade,


excepcionalidade e respeito à condição peculiar de pessoa em desenvolvimento, quando da
aplicação de qualquer medida privativa da liberdade.
B) garantia de direitos previdenciários e trabalhistas; e acesso universal à educação infantil, em
creche e pré-escola, às crianças até 5 (cinco) anos de idade.
C) erradicação do analfabetismo; e estímulo do Poder Público, através de assistência jurídica,
incentivos fiscais e subsídios, nos termos da lei, ao acolhimento, sob a forma de guarda, de criança
ou adolescente órfão ou abandonado.
D) punição severa ao abuso, à violência e à exploração sexual da criança e do adolescente; e
garantia às presidiárias de condições para que possam permanecer com seus filhos durante o
período de amamentação.

2) Em relação aos parágrafos do Art. 226, da Constituição Federal de 1988, analise as


afirmativas.

I - O casamento é civil e gratuita a celebração.

II - O casamento religioso não tem efeito civil, nos termos da lei.

III - Para efeito da proteção do Estado, não é reconhecida a união estável entre o homem e a
mulher como entidade familiar, devendo a lei restringir sua conversão em casamento.

IV - Fundado nos princípios da dignidade da pessoa humana e da paternidade responsável, o


planejamento familiar é livre decisão do casal, competindo ao Estado propiciar recursos
educacionais e científicos para o exercício desse direito, vedada qualquer forma coercitiva
por parte de instituições oficiais ou privadas.

Assinale a alternativa CORRETA.

A) Somente I está correta.


B) I e IV estão corretas.
C) II, III e IV estão corretas.
D) Todas as afirmativas estão corretas.

3) Acerca da família, da criança, do adolescente, do jovem e do idoso, de acordo com a


Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, assinale a alternativa correta.

A) O planejamento familiar cabe ao Estado, sendo de responsabilidade do casal propiciar recursos


educacionais.
B) O Estado garantirá a assistência à família na pessoa de cada um dos que a integram, criando
mecanismos para coibir a violência no âmbito de suas relações.
C) A família tem especial proteção do Estado, mas não reconhece a união estável entre homem e
mulher como entidade familiar.
D) A participação de entidades não governamentais em programas de assistência integral à saúde
da criança não é permitida, cabendo ao Estado.

5
APROFUNDANDO NO QUE CAI

1)Estabelece a Constituição Federal de 1988, no art. 227, como dever da família, da sociedade
e do Estado, assegurar à criança, ao adolescente e ao jovem, com absoluta prioridade, o
direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à
dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los
a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e
opressão. O § 1° do artigo mencionado prevê que o Estado promoverá programas de
assistência integral à saúde da criança, do adolescente e do jovem, mediante políticas
específicas, admitindo-se

A. o engajamento solidário de convênios de saúde.


B. a interferência do patronato.
C. a participação de entidades não governamentais.
D. a mobilização fraterna de ordens religiosas.

2)Em relação à proteção constitucional da família, da criança, do adolescente e do idoso,


assinale a alternativa correta.

A. Para fins de proteção do Estado, não é reconhecida como comunidade familiar a relação de
mãe solteira que adota um filho.
B. Aos maiores de 60 (sessenta) anos de idade, é garantida a gratuidade dos transportes
coletivos urbanos.
C. Como medida preventiva ao tráfico ilícito de menores, é vedada a adoção de criança
brasileira por estrangeiros residentes no exterior.
D. A idade mínima para a admissão ao trabalho é de 12 (doze) anos completos para a
condição de aprendiz e de 14 (catorze) anos completos para o trabalho normal, exceto o
trabalho noturno.
E. Entende-se como entidade familiar a comunidade formada por qualquer dos pais e seus
descendentes.

3)Com relação aos deveres dos pais e dos filhos, é correto afirmar que a Constituição Federal
determina que

A. os pais têm o dever apenas de criar os filhos menores, cabendo a missão de educar à
escola.
B. os filhos maiores não possuem qualquer atribuição em relação ao dever de ajudar os pais,
devendo ampará-los somente em situação de enfermidade.
C. a mãe tem o dever de assistir, criar e educar os filhos menores, e o pai tem o dever de
sustentar os filhos até 21 anos.
D. os filhos maiores têm o dever de ajudar e amparar os pais na velhice, carência ou
enfermidade.
E. os pais têm o dever de assistir e criar os filhos menores de 12 anos, cabendo a missão de
educar à escola.

6
4)Assinale a alternativa INCORRETA:

A. É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança, ao adolescente e ao


jovem, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao
lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência
familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência,
discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.
B. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do
povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o
dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações. Para assegurar a
efetividade desse direito, incumbe ao Poder Público, entre outras obrigações, a de proteger
a fauna e a flora, vedadas, na forma da lei, as práticas que coloquem em risco sua função
ecológica, provoquem a extinção de espécies ou submetam os animais a crueldade.
C. São reconhecidos aos índios sua organização social, costumes, línguas, crenças e
tradições e os direitos originários sobre as terras que tradicionalmente ocupam, competindo
à União demarcá-las, proteger e fazer respeitar todos os seus bens. Consideram-se terras
ocupadas pelos índios as por eles habitadas em caráter transitório e permanente, as
utilizadas para suas atividades produtivas, as imprescindíveis à preservação dos recursos
ambientais necessários a seu bem-estar e as necessárias a sua reprodução física e cultural,
segundo seus usos, costumes e tradições.
D. O princípio da inafastabilidade da jurisdição, garantia fundamental de relevante estirpe, é
relativizada em face da previsão constitucional de que o Poder Judiciário só admitirá ações
relativas à disciplina e às competições desportivas após esgotarem-se as instâncias da
justiça desportiva, regulada em lei.
E. Constituem patrimônio cultural brasileiro os bens de natureza material e imaterial, tomados
individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade, à ação, à memória
dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira, nos quais se incluem, entre
outros, os conjuntos urbanos e sítios de valor histórico, paisagístico, artístico, arqueológico,
paleontológico, ecológico e científico.

5)É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança, ao adolescente e ao jovem,


com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à
profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e
comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação,
exploração, violência, crueldade e opressão. Nesse âmbito, o direito à proteção especial do
adolescente e do jovem abrangerá o(s) seguinte(s) aspecto(s):

A. idade mínima de 13 anos para admissão ao trabalho.


B. garantia de pleno e formal conhecimento da atribuição de ato infracional, igualdade na relação
processual e defesa técnica por profissional habilitado, segundo dispuser a legislação tutelar
específica.
C. obediência aos princípios da dilação, da excepcionalidade e respeito à condição peculiar de
pessoa em desenvolvimento, quando da aplicação de qualquer medida privativa da liberdade.

7
D. estímulo do Poder Público, através de assistência jurídica, incentivos fiscais e subsídios, nos
termos da lei, ao acolhimento, sob a forma de curatela, de criança ou adolescente órfão ou
abandonado.
E. programas de prevenção e atendimento especializado ao adolescente e ao jovem dependente
de entorpecentes e drogas afins, excluindo o atendimento à criança.

6)A família, a criança, o adolescente, o jovem e o idoso receberam tratamento prioritário na


Constituição de 1988, reconhecendo-se, inclusive, a vulnerabilidade como uma característica
essencial merecedora de atenção. Sobre o assunto, assinale a alternativa correta.

A. Segundo a redação constitucional, os direitos e deveres da sociedade conjugal são


exercidos com igualdade entre o homem e a mulher, ressalvada a natural vocação da
mulher para com as obrigações do lar.
B. Nos termos da Constituição da República de 1988, apenas a família é a responsável por
colocar a criança a salvo da opressão e da discriminação, não cabendo ao Estado intervir
em sua condição, salvo mediante autorização.
C. O texto constitucional atual tornou obrigatória a participação de entidades não
governamentais em programas estatais de atenção à saúde da criança, do adolescente e
do jovem.
D. O texto constitucional atual impõe como obrigatória a existência de legislação sobre normas
de construção dos logradouros e edifícios de uso público, a fim de garantir acesso
adequado aos portadores de deficiência.
E. A proteção constitucional especial ao jovem implica a adoção da idade mínima de 12 anos
para a admissão ao trabalho.

7)À luz do que dispõe a Constituição Federal,

A. são penalmente inimputáveis os menores de vinte e um anos, sujeitos às normas da


legislação especial.
B. os pais têm o dever de assistir, criar e educar os filhos, e estes, independentemente de sua
idade, têm o dever de ajudar e amparar os pais na velhice, carência ou enfermidade.
C. a lei disporá sobre normas de construção dos logradouros e dos edifícios de uso público e
de fabricação de veículos de transporte coletivo, a fim de garantir acesso adequado às
pessoas portadoras de deficiência.
D. a adoção será assistida pelo Poder Público, na forma da lei, sendo vedada a sua efetivação
por parte de estrangeiros.
E. os programas de amparo aos idosos serão executados preferencialmente em abrigos e
casas de recolhimento.

8
8)Segundo a Emenda Constitucional nº 65/2010, que modificou o artigo 227 da Constituição
Federal, redefinindo o alcance das responsabilidades da família, da sociedade e do Estado,

A. é dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança, ao adolescente e ao


jovem, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao
lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência
familiar e comunitária, além de colocá-lo a salvo de toda forma de negligência,
discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.
B. é dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente, com
absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à
profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e
comunitária, além de colocá- lo a salvo de toda forma de negligência, discriminação,
exploração, violência, crueldade e opressão.
C. é dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao jovem, com absoluta
prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à
profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e
comunitária, além de colocá- lo a salvo de toda forma de negligência, discriminação,
exploração, violência, crueldade e opressão.
D. é dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança, ao adolescente e ao
jovem, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao
lazer, à profissionalização, à cultura, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e
comunitária, além de torná-lo alvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração,
violência, crueldade e opressão.
E. é dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança, ao adolescente e ao
idoso, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao
lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência
familiar e comunitária, além de colocá-lo a salvo de toda forma de negligência,
discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.

9)Nos termos da Constituição Federal, é dever da família, da sociedade e do Estado assegurar


à criança, ao adolescente e ao jovem, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à
alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à
liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de
negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão. São proteções
constitucionais à criança e ao adolescente, EXCETO:

A. Idade mínima de quatorze anos para admissão ao trabalho, permitida a jornada noturna, mas
vedado o trabalho perigoso ou insalubre aos menores.
B. Obediência aos princípios de brevidade, excepcionalidade e respeito à condição peculiar de
pessoa em desenvolvimento, quando da aplicação de qualquer medida privativa da liberdade.
C. Garantia de pleno e formal conhecimento da atribuição de ato infracional, igualdade na relação
processual e defesa técnica por profissional habilitado, segundo dispuser a legislação tutelar
específica.
D. Estímulo do Poder Público, através de assistência jurídica, incentivos fiscais e subsídios, nos
termos da lei, ao acolhimento, sob a forma de guarda, de criança ou adolescente órfão ou
abandonado.

9
10)TÍTULO VIII – Da Ordem Social CAPÍTULO VII Da Família, da Criança, do Adolescente, do
Jovem e do Idoso Art. 226. A família, base da sociedade, tem especial proteção do Estado. Ao
Art. 226 correspondem 8 parágrafos (§), sendo que quatro deles foram descritos a seguir (e
não estão na ordem em que se encontram na Lei). Entre os quatro descritos, um está
INCORRETO; assinale-o.

A. O casamento religioso tem efeito civil, nos termos da lei.


B. Entende-se como entidade familiar a comunidade formada por pai, mãe e seus
descendentes.
C. Os direitos e deveres referentes à sociedade conjugal são exercidos igualmente pelo
homem e pela mulher.
D. Fundado nos princípios da dignidade da pessoa humana e da paternidade responsável, o
planejamento familiar é livre decisão do casal, competindo ao Estado propiciar recursos
educacionais e científicos para o exercício desse direito, vedada qualquer forma coercitiva
por parte de instituições oficiais ou privadas.

QUESTÃO EXTRA

1)Em relação aos parágrafos do Art. 226, da Constituição Federal de 1988, analise as
afirmativas.

I - O casamento é civil e gratuita a celebração.

II - O casamento religioso não tem efeito civil, nos termos da lei.

III - Para efeito da proteção do Estado, não é reconhecida a união estável entre o homem e a mulher
como entidade familiar, devendo a lei restringir sua conversão em casamento.

IV - Fundado nos princípios da dignidade da pessoa humana e da paternidade responsável, o


planejamento familiar é livre decisão do casal, competindo ao Estado propiciar recursos educacionais e
científicos para o exercício desse direito, vedada qualquer forma coercitiva por parte de instituições
oficiais ou privadas.

Assinale a alternativa CORRETA.

A. Somente I está correta.


B. I e IV estão corretas.
C. II, III e IV estão corretas.
D. Todas as afirmativas estão corretas.

10
GABARITO

Exercícios de Fixação
1. A
2. B
3. B

Aprofundando no Que CAI


01-Resposta: C
02- Resposta: E
03- Resposta: D
04-Resposta: C
05- Resposta: B
06-Resposta: D
07- Resposta: C
08-Resposta A
09-Resposta A
10-Resposta: B

Questão Extra

01-Resposta: B

11
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

Caput do Artigo 227 e o §3º.

12
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

13
SUMÁRIO

SUMÁRIO ......................................................................................................................................... 1
Da Família, da Criança, do Adolescente, do Jovem e do Idoso + Índio (Art. 228 ao 232) ................. 2
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ............................................................................................................. 4
APROFUNDANDO NO QUE CAI...................................................................................................... 5
QUESTÃO EXTRA ......................................................................................................................... 10
GABARITO ..................................................................................................................................... 11
QUESTÃO EXTRA ...................................................................................................................................... 11
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?.................................................. 12

ENTÃO VAMOS LÁ LJORTANOS

1
Da Família, da Criança, do Adolescente, do Jovem e do Idoso + Índio
(Art. 228 ao 232)

Art. 228. São penalmente inimputáveis os menores de dezoito anos, sujeitos às normas da
legislação especial.
Comentário: os menores de 18 anos, em termos de legislação, não cometem crime,
cometem ato infracional. Na prática, são equivalentes, mas em termos da escrita normativa
foi posicionado dessa forma.

Art. 229. Os pais têm o dever de assistir, criar e educar os filhos menores, e os filhos maiores
têm o dever de ajudar e amparar os pais na velhice, carência ou enfermidade.

Art. 230. A família, a sociedade e o Estado têm o dever de amparar as pessoas idosas,
assegurando sua participação na comunidade, defendendo sua dignidade e bem-estar e
garantindo-lhes o direito à vida.

§ 1º Os programas de amparo aos idosos serão executados preferencialmente em seus


lares.

§ 2º Aos maiores de sessenta e cinco anos é garantida a gratuidade dos transportes coletivos
urbanos.

CAPÍTULO VIII - DOS ÍNDIOS

Art. 231. São reconhecidos aos índios sua organização social, costumes, línguas, crenças
e tradições, e os direitos originários sobre as terras que tradicionalmente ocupam,
competindo à União demarcá-las, proteger e fazer respeitar todos os seus bens.

§ 1º São terras tradicionalmente ocupadas pelos índios as por eles habitadas em caráter
permanente, as utilizadas para suas atividades produtivas, as imprescindíveis à preservação
dos recursos ambientais necessários a seu bem-estar e as necessárias a sua reprodução
física e cultural, segundo seus usos, costumes e tradições.
Comentário: as destacadas são todas as terras destinadas aos índios, pela Constituição
Federal, atenção aqui.

2
§ 2º As terras tradicionalmente ocupadas pelos índios destinam-se a sua posse permanente,
cabendo-lhes o usufruto exclusivo das riquezas do solo, dos rios e dos lagos nelas
existentes.

§ 3º O aproveitamento dos recursos hídricos, incluídos os potenciais energéticos, a pesquisa


e a lavra das riquezas minerais em terras indígenas só podem ser efetivados com
autorização do Congresso Nacional, ouvidas as comunidades afetadas, ficando-lhes
assegurada participação nos resultados da lavra, na forma da lei.
Comentário: portanto, os índios não possuem de fato a propriedade, cabe ao Congresso (e
repare que a constituição não determinou o quórum) a autorização para explorar os diversos
recursos nela provenientes.

§ 4º As terras de que trata este artigo são inalienáveis e indisponíveis, e os direitos sobre
elas, imprescritíveis.

§ 5º É vedada a remoção dos grupos indígenas de suas terras, salvo, "ad referendum" do
Congresso Nacional, em caso de catástrofe ou epidemia que ponha em risco sua
população, ou no interesse da soberania do País, após deliberação do Congresso Nacional,
garantido, em qualquer hipótese, o retorno imediato logo que cesse o risco.

Comentário: ad referendum significa mediante votação do Congresso. Assim, caso haja


necessidade haverá a remoção e posteriormente haverá a apreciação exposta.

§ 6º São nulos e extintos, não produzindo efeitos jurídicos, os atos que tenham por objeto a
ocupação, o domínio e a posse das terras a que se refere este artigo, ou a exploração das
riquezas naturais do solo, dos rios e dos lagos nelas existentes, ressalvado relevante
interesse público da União, segundo o que dispuser lei complementar, não gerando a
nulidade e a extinção direito a indenização ou a ações contra a União, salvo, na forma da
lei, quanto às benfeitorias derivadas da ocupação de boa fé.

§ 7º Não se aplica às terras indígenas o disposto no art. 174, § 3º e § 4º.

Art. 232. Os índios, suas comunidades e organizações são partes legítimas para ingressar
em juízo em defesa de seus direitos e interesses, intervindo o Ministério Público em todos
os atos do processo.

3
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

1) À luz do que dispõe a Constituição Federal,

A) são penalmente inimputáveis os menores de vinte e um anos, sujeitos às normas da legislação


especial.
B) os pais têm o dever de assistir, criar e educar os filhos, e estes, independentemente de sua idade,
têm o dever de ajudar e amparar os pais na velhice, carência ou enfermidade.
C) a lei disporá sobre normas de construção dos logradouros e dos edifícios de uso público e de
fabricação de veículos de transporte coletivo, a fim de garantir acesso adequado às pessoas
portadoras de deficiência.
D) a adoção será assistida pelo Poder Público, na forma da lei, sendo vedada a sua efetivação por
parte de estrangeiros.

2) De acordo com a Constituição Federal, a remoção de grupos indígenas das terras que
tradicionalmente ocupam é

A) permitida apenas em caso de catástrofe ou epidemia que ponha em risco sua população, após
deliberação do Senado Federal, garantido, em qualquer hipótese, o retorno imediato logo que cesse
o risco.
B) vedada, salvo, ad referendum do Senado Federal, em caso de catástrofe ou epidemia que ponha
em risco sua população, ou no interesse da soberania do País, após deliberação do Senado Federal,
garantido, em qualquer hipótese, o retorno imediato logo que cesse o risco.
C) permitida apenas em caso de catástrofe ou epidemia que ponha em risco sua população, após
deliberação do Congresso Nacional, garantido, em qualquer hipótese, o retorno imediato logo que
cesse o risco.
D) vedada, salvo, ad referendum do Congresso Nacional, em caso de catástrofe ou epidemia que
ponha em risco sua população, ou no interesse da soberania do País, após deliberação do
Congresso Nacional, garantido, em qualquer hipótese, o retorno imediato logo que cesse o risco.

3) Ao constatar que numerosas tribos indígenas, que ocupam determinadas áreas em caráter
permanente, estão sendo fortemente atingidas por uma epidemia de febre amarela, o
Governador do Estado Alfa remove-as da localidade de maneira forçada. Dada a repercussão
do caso, logo após a efetivação da remoção, submete suas justificativas à Assembleia
Legislativa do Estado Alfa, informando que o deslocamento das tribos será temporário e que
ocorreu em defesa dos interesses das populações indígenas da região. A Assembleia
Legislativa do Estado Alfa termina por referendar a ação do Chefe do Poder Executivo
estadual. Sobre o ato do Governador, com base no quadro acima apresentado, assinale a
afirmativa correta.

A) Agiu em consonância com o sistema jurídico-constitucional brasileiro, pois é de competência


exclusiva do Chefe do Poder Executivo decidir quais as medidas a serem tomadas nos casos que
envolvam perigo de epidemia.
B) Não agiu em consonância com o sistema jurídico-constitucional brasileiro, pois o princípio da
irremovibilidade dos índios de suas terras é absoluto e, por essa razão, torna ilegítima a ação de
remoção das tribos.
C) Agiu em consonância com a CRFB/88, pois, como o seu ato foi referendado pelo Poder Legislativo
do Estado Alfa, respeitou os ditames estabelecidos pelo sistema jurídico-constitucional brasileiro.
D) Não agiu em consonância com o sistema jurídico-constitucional brasileiro, posto que, no caso
concreto, as autoridades estaduais não poderiam ter decidido, de modo conclusivo, pela remoção
das tribos

4
APROFUNDANDO NO QUE CAI

1)Em relação ao olhar do passado sobre o país, surge a questão do indígena como história e
como problema. O Censo Demográfico 2010 contabilizou a população indígena com base nas
pessoas que se declararam indígenas, no quesito cor ou raça, e nos residentes em Terras
Indígenas que não se declararam, mas se consideraram indígenas e revelou que, das 896 mil
pessoas que se declaravam ou se consideravam indígenas, 572 mil ou 63,8%, viviam na área
rural e 517 mil, ou 57,5%, moravam em Terras Indígenas oficialmente reconhecidas. (Fonte:
FUNAI).

Segundo a Constituição Federal de 1988, no Capítulo VIII, Dos índios:

Art. 231. São reconhecidos aos índios sua organização social, costumes, línguas, crenças e
tradições, e os direitos originários sobre as terras que tradicionalmente ocupam, competindo
à União demarcá-las, proteger e fazer respeitar todos os seus bens.

Parágrafo 1º - São terras tradicionalmente ocupadas pelos índios as por eles habitadas em
caráter permanente, as utilizadas para as suas atividades produtivas, as imprescindíveis à
preservação dos recursos ambientais necessários a seu bem-estar e as necessárias a sua
reprodução física e cultural, segundo seus usos, costumes e tradições.

Parágrafo 2º - As terras tradicionalmente ocupadas pelos índios destinam-se a sua posse


permanente, cabendo-lhes o usufruto exclusivo das riquezas do solo, dos rios e dos lagos
nela existentes.

Parágrafo 3º - O aproveitamento dos recursos hídricos, incluídos os potenciais energéticos,


a pesquisa e a lavra das riquezas minerais em terras indígenas só podem ser efetivados com
autorização do Congresso Nacional, ouvidas as comunidades afetadas, ficando-lhes
assegurada participação nos resultados da lavra, na forma da lei.

Parágrafo 4º - As terras de que trata este artigo são inalienáveis e indisponíveis, e os direitos
sobre elas, imprescritíveis......

Art. 232. Os índios, suas comunidades e organizações são partes legítimas para ingressar em
juízo em defesa de seus direitos e interesses, intervindo o Ministério Público em todos os atos
do processo. (Constituição Federal, 1988)

Sobre o tratamento da legislação brasileira sobre os índios, é CORRETO afirmar:

A. Amplia os direitos dos cidadãos brasileiros também aos indígenas, até então, apesar de
reconhecidos como nativos verdadeiros do Brasil, eram tratados como comunidades à
parte, em direitos e obrigações.
B. Incluiu os índios como inovação, já que as outras constituições existentes no país não
tratavam do tema, indicando que hoje, pela sua representatividade populacional e pelas
disputas pela terra, são, de fato, um problema a ser legislado.

5
C. Não resolveram as questões indígenas. Ao assegurar saúde, educação e outros direitos
fundamentais que resultaram num aumento dos índios no país, foram gerados novos e
complexos problemas com relação ao estabelecimento das comunidades.
D. Reconhece os índios como cidadãos, como também são reconhecidos por sua história,
organização social e cultural, o que inclui o respeito ao seu bem-estar, suas terras e a
sobrevivência de suas comunidades.
E. Traz o índio como tutelado pelo Estado, já que o tradicional isolamento não permitiu formas
de integração social, cultural e linguística eficazes e exige dos governos políticas públicas
para atendimento às garantias legais.

2)Marque a alternativa INCORRETA sobre os Direitos Indígenas:

A. As terras tradicionalmente ocupadas pelos índios destinam-se a sua posse permanente,


cabendo-lhes o usufruto exclusivo das riquezas do solo, dos rios e dos lagos nelas
existentes.
B. São reconhecidos aos índios sua organização social, costumes, línguas, crenças e
tradições, e os direitos originários sobre as terras que tradicionalmente ocupam, competindo
à União demarcá-las, proteger e fazer respeitar todos os seus bens.
C. São terras tradicionalmente ocupadas pelos índios as por eles habitadas em caráter
provisório, as utilizadas para suas atividades produtivas, as imprescindíveis à preservação
dos recursos ambientais necessários a seu bem-estar e as necessárias a sua reprodução
física e cultural, segundo seus usos, costumes e tradições.
D. Os índios, suas comunidades e organizações são partes legítimas para ingressar em juízo
em defesa de seus direitos e interesses, intervindo o Ministério Público em todos os atos do
processo.

3)A vulnerabilidade social de determinados grupos é detalhadamente protegida pelo sistema


constitucional estabelecido em 1988. Sobre o assunto, assinale a alternativa correta.

A. Segundo a redação constitucional, a entidade formada por apenas um dos pais e seus
descendentes é uma categoria especial semifamiliar, haja vista a falta de um homem ou de
uma mulher como condição básica da existência familiar completa.
B. Nos termos da Constituição, o planejamento familiar é um dever estatal inerente às
instituições públicas competentes para a intervenção social nessa seara, a fim de serem
evitados problemas populacionais.
C. A adoção é um procedimento de livre exercício particular, sendo vedada a assistência
estatal, exceto para a adoção por parte de estrangeiros.
D. A Constituição da República prevê o dever de estabelecimento, por lei, de um plano
nacional de juventude, política pública a ser articulada entre as esferas estatais e cuja
duração será decenal.
E. A Constituição estabelece formalmente o dever dos pais de assistir, criar e educar os filhos
menores, porém não existe obrigação constitucional para que os filhos maiores ajudem ou
amparem os pais na velhice ou carências – em que pese tal dever tenha sido estabelecido
por legislação infraconstitucional.

6
4)Imagine a seguinte situação hipotética: Após estudos, em 02.06.2018 o Governo Federal
constatou que os índios da Tribo X, localizada no norte do Estado Y, serão contagiados por
epidemia que porá em risco a sua população. Nesse caso, a partir da proteção assegurada
pela Constituição Federal aos índios, é certo afirmar que os grupos indígenas

A. não poderão ser removidos de suas terras, mesmo no caso citado, uma vez que o direito à
autodeterminação dos povos é resguardado pela Constituição.
B. não poderão ser removidos de suas terras, nesse caso em específico, pois o risco de
exposição à epidemia não é um dos motivos elencados pela Constituição para tal conduta.
C. poderão ser removidos de suas terras, após deliberação do Presidente da República e do
Governador do Estado Y, desde que encontradas novas terras para sua habitação
permanente.
D. poderão ser removidos de suas terras, após deliberação do Congresso Nacional, garantido,
em qualquer hipótese, o retorno imediato logo que cesse o risco.
E. poderão ser removidos de suas terras, após deliberação do Presidente da República, que
terá discricionariedade para decidir sobre o retorno da população indígena após cessado o
risco, por se tratar de questão de segurança pública.

5)ASSINALE A ALTERNATIVA INCORRETA:

A. A despeito de a Constituição de 1988 ter limitado ao “estrangeiro residente” a titularidade de


direitos fundamentais, a doutrina é pacífica quanto à impossibilidade de privação de tais
direitos pelo exclusivo critério da “não-residência”.
B. A partir da Constituição de 1988, a família passa a ser compreendida como formação social
privilegiada, ou seja, instrumento voltado para o desenvolvimento da personalidade de seus
membros.
C. A morte de detento é da responsabilidade do Estado por conta do dever de proteção
específico inscrito no art. 5º, XLIX, da CF.
D. É possível ao contribuinte valer-se do habeas data para ter acesso a todas as anotações a
ele pertinentes incluídas em arquivos da Receita Federal.

6)A Constituição Federal de 1988 propicia amparo a alguns grupos sociais vulneráveis, sendo
um exemplo disso

A. a garantia de acesso e locomoção adequados às pessoas portadoras de deficiência, sendo


a construção ou adaptação dos logradouros públicos e privados de responsabilidade do
Estado.
B. a proteção especial de crianças e adolescentes órfãos ou abandonados, por meio de
acolhimento institucional, que será mantido com os recursos oriundos do salário-família.
C. a posse permanente, pelos índios, das terras por eles tradicionalmente ocupadas, cabendo-
lhes o usufruto exclusivo das riquezas do solo, dos rios e dos lagos nelas existentes.

7
D. a garantia de gratuidade nos transportes coletivos às pessoas com idade igual ou superior a
60 (sessenta) anos.
E. o conceito de família, estabelecido na Carta de 1988, de caráter limitado à comunidade
entre ambos os pais com os respectivos filhos, como base da sociedade e destinatária de
proteção especial do Estado.

7)Conforme capítulo VII, da Constituição Federal/1988 (Da família, da criança, do adolescente,


do jovem e do idoso), NÃO é correto afirmar:

A. A família é a base da sociedade.


B. A celebração do casamento civil é gratuita.
C. O casamento religioso não tem efeito civil.
D. Para efeito da proteção do Estado, é reconhecida a união estável entre o homem e a mulher
como entidade familiar.

8)Ao tratar da família, da criança, do adolescente, do jovem e do idoso, a Constituição da


República de 1988 conferiu inequívoca importância às relações familiares, tratando-as como
uma questão de ordem social que merece especial proteção do Estado.Em relação a esse
tema, está correto o que se afirmar, EXCETO em:

A. Os programas de amparo aos idosos serão executados, preferencialmente, em casas de


repouso públicas ou em asilos particulares, desde que sem fins lucrativos.
B. Os pais têm o dever de assistir, criar e educar os filhos menores, e os filhos maiores têm o
dever de ajudar e amparar os pais na velhice, carência ou enfermidade.
C. Fundado nos princípios da dignidade da pessoa humana e da paternidade responsável, o
planejamento familiar é livre decisão do casal, competindo ao Estado propiciar recursos
educacionais e científicos para o exercício desse direito, vedada qualquer forma coercitiva
por parte de instituições oficiais ou privadas.
D. É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança, ao adolescente e ao
jovem, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao
lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência
familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência,
discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.

9)São reconhecidos aos índios, nos moldes do artigo 231 da Constituição Federal, sua
organização social, costumes, línguas, crenças e tradições, e os direitos originários sobre as
terras que tradicionalmente ocupam, competindo à União demarcá-las, proteger e fazer
respeitar todos os seus bens. Com base nessa informação, assinale a
alternativa INCORRETA.

A. São terras tradicionalmente ocupadas pelos índios as por eles habitadas em caráter
permanente, as utilizadas para suas atividades produtivas, as imprescindíveis à preservação
dos recursos ambientais necessários a seu bem-estar e as necessárias a sua reprodução física
e cultural, segundo seus usos, costumes e tradições.

8
B. As terras tradicionalmente ocupadas pelos índios destinam-se a sua posse permanente,
cabendo-lhes o usufruto exclusivo das riquezas do solo, dos rios e dos lagos nelas existentes.
C. É vedada a remoção dos grupos indígenas de suas terras, salvo, ad referendum do Congresso
Nacional, em caso de catástrofe ou epidemia que ponha em risco sua população, ou no
interesse da soberania do País, após deliberação do Congresso Nacional, garantido, em
qualquer hipótese, o retorno imediato logo que cesse o risco.
D. São nulos e extintos, não produzindo efeitos jurídicos, os atos que tenham por objeto a
ocupação, o domínio e a posse das terras a que se refere o artigo 231 da Constituição Federal,
ou a exploração das riquezas naturais do solo, dos rios e dos lagos nelas existentes, ainda que
presente interesse público da União, não gerando a nulidade e a extinção direito à indenização
ou a ações contra a União, salvo, na forma da lei, quanto às benfeitorias derivadas da
ocupação de boa-fé.
E. As terras de que trata o artigo 231 da Carta da República são inalienáveis e indisponíveis, e os
direitos sobre elas, imprescritíveis.

10)Ao tratar da família, da criança, do adolescente, do jovem e do idoso, a Constituição da


República de 1988 conferiu inequívoca importância às relações familiares, tratando-as como
uma questão de ordem social que merece especial proteção do Estado.

Em relação a esse tema, está correto o que se afirma, EXCETO em:

9
A. Os programas de amparo aos idosos serão executados, preferencialmente, em casas de
repouso públicas ou em asilos particulares, desde que sem fins lucrativos.
B. Os pais têm o dever de assistir, criar e educar os filhos menores, e os filhos maiores têm o
dever de ajudar e amparar os pais na velhice, carência ou enfermidade.
C. Fundado nos princípios da dignidade da pessoa humana e da paternidade responsável, o
planejamento familiar é livre decisão do casal, competindo ao Estado propiciar recursos
educacionais e científicos para o exercício desse direito, vedada qualquer forma coercitiva
por parte de instituições oficiais ou privadas.
D. É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança, ao adolescente e ao
jovem, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao
lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência
familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência,
discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.

QUESTÃO EXTRA

1)O Art. 227 da Constituição da República Federativa do Brasil (1988) define que é dever da
família, da sociedade e do Estado assegurar à criança, ao adolescente e ao jovem, com
absoluta prioridade, os seguintes direitos:

I - à vida e à saúde;
II - à educação e ao lazer;
III - à profissionalização e à cultura;
IV - à dignidade e ao respeito;
V - à convivência familiar e comunitária.
Estão corretas as afirmativas

A. I e II, apenas.

B. I, II e III, apenas.

C. III e IV, apenas.

D. I, II, IV e V, apenas.

E. I, II, III, IV e V

10
GABARITO

Exercícios de Fixação
1. C
2. D
3. D

Aprofundando no Que CAI


01- Resposta: D
02- Resposta: C
03-Resposta: D
04- Resposta: D
05-Resposta: C
06-Resposta: C
07-Resposta: C
08-Resposta: A
09- Resposta: D
10- Resposta: A

QUESTÃO EXTRA

01-Resposta: E

11
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

Artigo 231, caput e o §5º.

12
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

13
SUMÁRIO
LEI DE TORTURA (LEI Nº 9.455/97) .......................................................................................................2
INTRODUÇÃO ..............................................................................................................................2
TORTURA NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL .................................................................................2
O PRIMEIRO DOCUMENTO A TIPIFICAR CRIME DE TORTURA NO BRASIL .........................2
OBSERVAÇÃO .............................................................................................................................2
DO CRIME DE TORTURA .......................................................................................................................2
1- PREVISÃO LEGAL – INCISO I ...............................................................................................2
2- SUJEITO ATIVO, PASSIVO E CONDUTA TÍPICA DO CRIME DE TORTURA......................2
3- VOLUNTARIEDADE ...............................................................................................................3

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO.....................................................................................................................3
APROFUNDANDO NO QUE CAI.............................................................................................................4
QUESTÃO EXTRA...................................................................................................................................6
GABARITO...............................................................................................................................................7
RESUMÃO LJORTANO...........................................................................................................................9

ENTÃO VAMOS LÁ, LJORTANOS...

1
LEI DE TORTURA – LEI 9.455/97

INTRODUÇÃO

Após a 2ª Grande Guerra Mundial, nasce um movimento mundial de repudio a tortura.


São criados vários tratados, alguns ratificados pelo Brasil, como a Convenção contar a tortura ou
tratados cruéis e Convenção interamericana para prevenir e punir tortura.

TORTURA NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL

Posteriormente, advém a Constituição de 1988 dizendo expressamente que “ninguém será


submetido a tortura”. O artigo 5° dispõe que: “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer
natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no país a inviolabilidade do direito
à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes: III – ninguém será
submetido a tortura nem a tratamento desumano ou degradante”.
Sabemos que, em regra, nenhum direito ou garantia fundamental, até mesmo a vida, é absoluto.
A garantia de não submissão à tortura, contudo, não comporta nenhuma forma de exceção no
ordenamento jurídico brasileiro.

O PRIMEIRO DOCUMENTO A TIPIFICAR CRIME DE TORTURA NO BRASIL

Até então, só havia carta de intenções a prática de tortura. Então, em 1990, o legislador
promulgou a Lei 8.069/90 e criou um tipo especial de tortura tendo como vítima criança e adolescente.
Após, veio a lei 9.455/97, intitulada Lei de Tortura, revogando o artigo 233 do ECA. A lei 8.072/90 previu
crimes hediondos e equiparou a eles o crime de tortura.
A lei n° 12.847/97, institui o sistema nacional de prevenção e combate à Tortura, não é lei
penal, apenas complementa a Lei n° 9.455/97, acerca das medidas de prevenção e combate à tortura.

OBSERVAÇÃO

A lei de tortura é crime comum, uma vez que, no Brasil, essa lei não exige a condição de
autoridade do sujeito ativo, podendo ser praticado por qualquer pessoa. Para mais, em relação a
prescrição, no Brasil, a tortura é crime prescritível. São crimes considerados imprescritíveis segundo a
Constituição Federal de 1988:
a) Racismo;
b) Ação de grupos armados, civis ou militares, contra a ordem constitucional e o Estado de
Direito.
Para o STF, o crime de tortura é crime prescritível.

PREVISÃO LEGAL – INCISO I

Essa lei não define o que é crime de tortura, mas explica, desde logo, o que constitui tortura.
Passaremos a cada uma das espécies: Tortura-prova, Tortura pra fins de cometimentos de crimes e
tortura-preconceito.
Art. 1º Constitui crime de tortura:

2
I - Constranger alguém com emprego de violência ou grave ameaça, causando-lhe sofrimento
físico ou mental:

a) com o fim de obter informação, declaração ou confissão da vítima ou de terceira pessoa;


b) para provocar ação ou omissão de natureza criminosa;
c) em razão de discriminação racial ou religioso.

SUJEITO ATIVO, PASSIVO E CONDUTA TÍPICA DO CRIME DE TORTURA

Crime de tortura é um crime comum, uma vez que pode ser praticado por qualquer
pessoa e qualquer pessoa pode ser vítima. A conduta típica é, constranger alguém com emprego
de violência, desde vias de fato até homicídio) ou grave ameaça, causando-lhe sofrimento físico ou
mental.
O núcleo do tipo é verbo constranger tem o sentido de coagir, violentar, obrigar. (Coimbra, 2002,
p. 176) Está presente o sentido de sujeição da vítima à força do agente.
Para que seja típica, a tortura tem que ser praticada com violência ou grave ameaça.
A violência (vis corporalis) significa o emprego da força física sobre o corpo da vítima, com a qual se
anula sua resistência. (Silva Franco, 1997, p. 63) A grave ameaça (vis compulsiva) é a chamada
violência moral, com a qual se promete um mal futuro e grave à vítima ou a alguém conhecido dela.
(Coimbra, 2002, p. 176).
Como crime material, exige, também, o tipo, a produção do resultado “sofrimento físico ou
mental”. O resultado é o sofrimento e não eventual lesão corporal. A comprovação do sofrimento é algo
extremamente impreciso. O sofrimento físico em regra pode ser provado, mas nem sempre, pois “vários
sofrimentos físicos podem ser infligidos sem que deles decorram vestígios” (Silva Franco, 1997, p. 176).
Já o sofrimento mental é imensurável, não pode ser constatado com a precisão que se exige de um tipo
penal. Sua ocorrência depende muito da sensibilidade individual da pessoa constrangida.

VOLUNTARIEDADE

O crime de tortura só pode ser praticado com dolo, ou seja, a vontade livre e consciente
de produzir, mediante violência ou grave ameaça, sofrimento físico ou mental. Além do dolo, o tipo
exige um dentre os três elementos subjetivos do tipo, expressos nas alíneas “a”, “b” e “c”.

EXERCICIOS DE FIXAÇÃO

1.Sobre a Lei nº 9.455, de 7 de abril de 1997, que define os crimes de tortura, em relação aos
crimes tipificados em seu artigo preambular, é correto afirmar:

A) exige apenas o dolo genérico;


B) exige o dolo, acrescido do fim especial de agir;
C) seus crimes são puníveis a título de dolo ou culpa;
D) prescinde de dolo.

2. Acerca da Lei de Tortura, regulado pela Lei nº 9.455, de 7 de abril de 1997, é correto afirmar
que:

A) seus crimes são imprescritíveis;

3
B) seus crimes são prescritíveis;
C) admite-se a fiança;
D) são suscetíveis de graça e anistia.

3. Acerca dos crimes de tortura, assinale a alternativa correta:

A) São, em regra, crimes próprios, só podendo ser praticados por agentes públicos ou autoridades
públicas;
B) O sujeito ativo, como regra, é próprio, podendo ser qualquer pessoa;
C) O sujeito ativo, como regra, é comum, podendo ser praticado por qualquer pessoa;
D) Nenhuma das alternativas acima estão corretas.

APROFUNDANDO NO QUE CAI

Questão 01 (DPE/MA) - Nos termos da Convenção contra a Tortura e outros Tratamentos ou


Penas Cruéis, Desumanos ou Degradantes, a tortura é:

a) proibida em toda e qualquer circunstância, seja ameaça ou estado de guerra, instabilidade


política interna ou qualquer outra emergência pública, sendo um crime impróprio em que a
qualidade de agente público é causa de aumento de pena.
b) permitida excepcionalmente em estado de guerra, sendo um crime próprio que tem como sujeito
ativo um agente público.
c) permitida excepcionalmente para o combate ao terrorismo, sendo um crime impróprio em que a
qualidade de agente público é causa de aumento de pena.
d) proibida em toda e qualquer circunstância, seja ameaça ou estado de guerra, instabilidade
política interna ou qualquer outra emergência pública, sendo um crime próprio que tem como
sujeito ativo um agente público.
e)
Questão 02 (CESPE) - No que concerne às leis penais extravagantes, julgue o item a seguir:

A grave ameaça, por si só, não configura a figura típica do crime de tortura. Esse crime é constituído
apenas quando há violência física decorrente do emprego de força ou instrumento sobre a vítima, de
modo a causar-lhe sofrimento físico ou mental.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Questão 03 (CESPE) - Com relação à legislação especial, julgue o item a seguir:

No crime de tortura em que a pessoa presa ou sujeita a medida de segurança é submetida a sofrimento
físico ou mental, por intermédio da prática de ato não previsto em lei ou não resultante de medida legal,
não é exigido, para seu aperfeiçoamento, especial fim de agir por parte do agente, bastando, portanto,
para a configuração do crime, o dolo de praticar a conduta descrita no tipo objetivo.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Questão 04 – Com relação a lei 9.455/97, julgue o item a seguir:

O crime de tortura é considerado crime comum, uma vez que não exige qualidade ou condição especial
do agente que o pratica, ou seja, qualquer pessoa pode ser considerada sujeito ativo desse crime.

4
( ) CERTO ( ) ERRADO

Questão 05: A luz da lei de tortura, n° 9.455/97, julgue o item a seguir:

Com relação à tortura, cabe afirmar que, genericamente, trata-se de crime próprio.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Questão 06 - Com relação à legislação especial, julgue o item a seguir:

Por se tratar de crime próprio, o crime de tortura é caracterizado pelo fato de o agente que o pratica ser
funcionário público.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Questão 07 – Em relação a lei de tortura, Artigo 1°, inciso I, assinale a alternativa INCORRETA:

a) No que diz respeito ao sujeito ativo do crime de tortura, pode ser praticado por qualquer pessoa.
b) No que diz respeito ao sujeito passivo do crime de tortura, qualquer pessoa pode ser vítima do
crime.
c) A conduta típica é constranger alguém sem o emprego de violência e sem grave ameaça.
d) A conduta típica é constranger alguém com o emprego de violência e sem grave ameaça.

Questão 08: Segundo o artigo 1° da lei 9.455/97, constitui crime de tortura: Constranger alguém
com emprego de violência ou grave ameaça, causando-lhe sofrimento físico ou mental:
I- Com o fim de obter informação, declaração ou confissão da vítima ou de terceira
pessoa;
II- Para provocar ação ou omissão de natureza criminosa;
III- Em razão de discriminação racional ou religiosa.

Estão corretas:
a) I
b) II
c) III
d) Todas os itens acima.

Questão 09: A luz da lei de tortura, n° 9.455/97, julgue o item a seguir:

São considerados crimes imprescritíveis, segundo a CF/88: racismo e ação de grupos armados, civis ou
militares, contra a ordem constitucional e o Estado de Direito.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Questão 10: No que concerne às leis penais extravagantes, julgue o item a seguir:

No Brasil, a Lei de Tortura não exige a condição de autoridade do sujeito ativo, podendo ser praticado
por qualquer pessoa.

( ) CERTO ( ) ERRADO

5
QUESTÃO EXTRA Com relação à legislação especial, julgue o item a seguir em CERTO ou
ERRADO:

No Brasil, a tortura é crime prescritível, porém o STF entende que esse crime é imprescritível.

( ) CERTO ( ) ERRADO

6
GABARITO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
1- B
2- B
3- C

APROFUNDANDO NO QUE CAI


1- D
2- ERRADO
3- CERTO
4- CERTO
5- ERRADO
6- ERRADO
7- C
8- D
9- CERTO
10- CERTO
QUESTÃO EXTRA
ERRADO

7
SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS

📌Link da nossa página no Facebook: 👻CLIQUE AQUI

📌 Link da nossa página no Instagram: 👻CLIQUE AQUI

📌 Link do nosso canal do YouTube: 👻CLIQUE AQUI

📌 Link do Instagram do prof. Hugo Leonardo segue lá 💀#visao CLIQUE AQUI

📞 WhatsApp do LJAulas(38) 9 9120-1674

LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?


IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

8
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER
 Crime comum: no Brasil, a lei de tortura não exige a condição de autoridade do
sujeito ativo, podendo ser praticado por qualquer pessoa.
 Prescrição: No Brasil, a tortura é crime prescritível.
 Crimes considerados imprescritíveis, segundo a CF/88:
a) Racismo;
b) Ação de grupos armados, civis ou militares, contar a ordem constitucional e o
Estado de Direito.
Artigo 1°, inciso I
 Sujeito Ativo: Crime comum pode ser praticado por qualquer pessoa.
 Sujeito Passivo: Crime comum qualquer pessoa pode ser vítima.
 Conduta típica: Constranger alguém com emprego de violência ou grave
ameaça.
 Voluntariedade: Pune-se o dolo + fins especiais (“a”, “b” e “c” do inciso I do
artigo 1°).

9
SUMÁRIO
LEI DE TORTURA (LEI Nº 9.455/97) .......................................................................................................2
DO CRIME DE TORTURA EM ESPÉCIE .................................................................................................2
PREVISÃO LEGAL – INCISO I.......................................................................................................

1- TORTURA COMETIDO COM O FIM DE OBTER INFORMAÇÃO, DECLARAÇÃO OU


CONFISSÃO DA VÍTIMA OU DE TERCEIRA PESSOA – TORTURA PROVA ......................2
2- TORTURA COMETIDO PARA PROVOCAR AÇÃO OU OMISSÃO DE NATUREZA
CRIMINOSA – TORTURA CRIME ..........................................................................................2
3- TORTURA COMETIDO EM RAZÃO DE DISCRIMINAÇÃO RACIAL OU RELIGIOSA –
TORTURA PRECONCEITO OU DISCRIMINAÇÃO ...............................................................3

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO.....................................................................................................................3
APROFUNDANDO NO QUE CAI.............................................................................................................4
QUESTÃO EXTRA....................................................................................................................................6
GABARITO................................................................................................................................................7
RESUMÃO LJORTANO............................................................................................................................8

ENTÃO VAMOS LÁ, LJORTANOS...

1
LEI DE TORTURA – LEI 9.455/97

DO CRIME DE TORTURA EM ESPÉCIE – PREVISÃO LEGAL – INCISO I

Art. 1º Constitui crime de tortura:


I - Constranger alguém com emprego de violência ou grave ameaça, causando-lhe sofrimento
físico ou mental:
a) com o fim de obter informação, declaração ou confissão da vítima ou de terceira pessoa;
b) para provocar ação ou omissão de natureza criminosa;
c) em razão de discriminação racial ou religiosa;

1- TORTURA COMETIDO COM O FIM DE OBTER INFORMAÇÃO, DECLARAÇÃO OU


CONFISSÃO DA VÍTIMA OU DE TERCEIRA PESSOA – TORTURA PROVA

Trata-se da chamada tortura indagatória, na qual o fim é a obtenção de uma informação,


ou a confissão, que é a admissão de que o torturado praticou determinado delito ou contravenção penal.
Essa última modalidade é a tortura que ocorre com mais frequência, na qual o agente é obrigado a
produzir prova contra si. A confissão pode ser da vítima (a lei aqui se refere à vítima da tortura e não do
crime que se investiga) ou de terceira pessoa. Nessa última hipótese, uma pessoa é torturada com o fim
de que outra confesse. Assim, há a tortura direta, quando se aplica o sofrimento na pessoa da qual se
pretende a confissão, bem como a tortura indireta, na qual o sofrimento recai em uma pessoa, mas se
pretende retirar informação de outra.
Exemplos:
a) O torturador constranger o torturado visando obter confissão;
b) Credor tortura devedor para que este confesse a dívida.
A consumação do crime de tortura ocorre com o constrangimento da vítima, causador de
sofrimento físico ou mental, dispensando a obtenção de informação desejada. É possível a tentativa, já
que se trata de crime plurissubsistente, como por exemplo: Diego tortura Lougan para que este execute
Vinicius.

2- TORTURA COMETIDO PARA PROVOCAR AÇÃO OU OMISSÃO DE NATUREZA


CRIMINOSA – TORTURA CRIME

A tortura é o crime-meio com o qual se pretende que o torturado venha a cometer certo delito.
Ressalte-se que a lei fala em “ação ou omissão criminosa”, de modo que não haverá o crime de tortura
se a violência é empregada com o fim de que o indivíduo pratique contravenção penal. Ocorreria tal
delito, na hipótese em que um chefe de quadrilha constrangesse um membro do bando que se
recusasse a praticar determinado crime.
A consumação do crime de tortura ocorre com o constrangimento da vítima, causador de
sofrimento físico ou mental, dispensando a conduta criminosa por parte do torturado. É possível a
tentativa, já que se trata de crime plurissubsistente. Se ocorrer a conduta criminosa pelo torturador,
acontecerá a coação moral irresistível, de modo que o torturado não será considerado culpável.
Ademais, para a corrente majoritária, a expressão “natureza criminosa” não abrange contravenção
penal, apenas crimes.

2
3- TORTURA COMETIDO EM RAZÃO DE DISCRIMINAÇÃO RACIAL OU RELIGIOSA –
TORTURA PRECONCEITO OU DISCRIMINAÇÃO

Nesta hipótese a lei exige que a tortura seja motivada por discriminação racial ou religiosa.
Trata-se de motivo e não finalidade, de modo que não é necessário que a tortura vise obrigar a vítima a
realizar uma ação ou omissão, ao contrário do que já se afirmou. A lei usou a expressão “em razão”
indicando claramente que se trata de motivo.
Esse dispositivo merece duas críticas. A primeira é a sua estranheza, já que não há notícias no
Brasil de tortura cometidas por intolerância racial ou religiosa. Por outro lado, se o legislador entende
necessário tipificar tal espécie de tortura, não há por que restringi-la à discriminação religiosa ou racial,
deixando fora da tipicidade outras discriminações como a regional ou por opção sexual, por exemplo.
Assim, se alguém for torturado porque é de determinado estado do país ou porque é homossexual, a
conduta é atípica.
Exemplo: Constranger com grave ameaça ou violência alguém, por ser a vítima ser judeu.
A consumação do crime de tortura ocorre com o constrangimento da vítima, causador de
sofrimento físico ou mental. É possível a tentativa já que se trata de crime plurissubsistente. Para mais,
é vedada a analogia “in malan partem”, não abrange a homofobia.

EXERCICIOS DE FIXAÇÃO

1. (Fundação La Salle) Constranger alguém com emprego de violência ou grave ameaça,


causando-lhe sofrimento físico ou mental, com o fim de obter informação, declaração ou
confissão da vítima ou de terceira pessoa constitui em:

A) crime de imprensa;
B) crime de tortura;
C) crime de constrangimento ilegal;
D) crime de lesões corporais;
E) crime contra a liberdade individual.

2. (IBADE) Sobre o crime de tortura, leia as afirmativas.

I. Configura crime de tortura constranger alguém com emprego de violência ou grave


ameaça, causando-lhe sofrimento físico ou mental.

II. Configura crime de tortura submeter alguém, sob sua guarda, poder ou autoridade, com
emprego de violência ou grave ameaça, a intenso sofrimento físico ou mental, como forma de
aplicar castigo pessoal ou medida de caráter preventivo.
III. Incorre na mesma pena do crime de tortura quem submete pessoa presa ou sujeita a
medida de segurança, a sofrimento físico ou mental, por intermédio da prática de ato não
previsto em lei ou não resultante de medida legal.

IV. Aquele que se omite em face de uma conduta que configura tortura, quando tinha o
dever de evitá-las ou apurá-las, incorre na pena do crime de tortura.
Está correto apenas o que se afirmar em:

A) II e IV;
B) II e III;
C) III e IV;
D) I e III;
E) I e II.

3
3. (FUNDATEC) Constranger alguém com emprego de violência ou grave ameaça, causando-lhe
sofrimento físico ou mental em razão de discriminação racial ou religiosa, constitui crime de:

A) Lesão corporal grave;


B) Lesão corporal gravíssima;
C) Tortura;
D) Injúria racial;
E) Constrangimento ilegal.

APROFUNDANDO NO QUE CAI

Questão 01- A luz do artigo 1°, inciso I, julgue o item a seguir:

Tortura cometido com o fim de obter informação, declaração ou confissão da vítima ou de terceira
pessoa, consuma-se com o constrangimento da vítima, causador de sofrimento físico ou mental,
dispensando a obtenção da informação desejada. Tal modalidade não admite tentativa.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Questão 02- A luz do artigo 1°, inciso I, julgue o item a seguir:

Tortura cometido para provocar ação ou omissão de natureza criminosa, consuma-se com o
constrangimento causador de sofrimento físico ou mental, dispensando a conduta criminosa por parte
do torturado. Tal modalidade admite tentativa.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Questão 03- A luz do artigo 1°, inciso I, julgue o item a seguir:

Tortura cometido em razão de discriminação racial ou religiosa, consuma-se com o constrangimento


causador do sofrimento físico ou mental. Tal modalidade não admite tentativa.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Questão 04 (CESPE) - Julgue os itens seguintes, relativos a crimes de tortura e ambientais.

A prática do crime de tortura torna-se atípica se ocorrer em razão de discriminação religiosa, pois,
sendo laico o Estado, este não pode se imiscuir em assuntos religiosos dos cidadãos.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Questão 05- Julgue a afirmativa a seguir, conforme o a lei de tortura.

De acordo com a Lei Federal n° 9.455/97, constitui crime de tortura constranger alguém com emprego
de violência ou grave ameaça, causando-lhe sofrimento físico ou mental para provocar ação ou omissão
de natureza criminosa.

( ) CERTO ( ) ERRADO

4
Questão 06 – Julgue a afirmativa a seguir, conforme o a lei de tortura.

De acordo com a Lei Federal n° 9.455/97, constitui crime de tortura constranger alguém com emprego
de violência ou grave ameaça, causando-lhe sofrimento físico ou mental em razão de discriminação
racial ou religiosa.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Questão 07 – A luz da lei de Tortura n° 9.455/97, julgue o item a seguir:

A prática do crime de tortura torna-se atípica se ocorrer em razão de discriminação religiosa, poise,
sendo laico o Estado, este não estão incluídos na disciplina da lei que define os crimes de tortura.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Questão 08 (DPE/MA) - Nos termos da Convenção contra a Tortura e outros Tratamentos ou


Penas Cruéis, Desumanos ou Degradantes, a tortura é:

A) proibida em toda e qualquer circunstância, seja ameaça ou estado de guerra, instabilidade


política interna ou qualquer outra emergência pública, sendo um crime próprio em que a
qualidade de agente público é causa de aumento de pena.
B) permitida excepcionalmente em estado de guerra, sendo um crime próprio que tem como sujeito
ativo um agente público.
C) permitida excepcionalmente para o combate ao terrorismo, sendo um crime impróprio em que a
qualidade de agente público é causa de aumento de pena.
D) proibida em toda e qualquer circunstância, seja ameaça ou estado de guerra, instabilidade
política interna ou qualquer outra emergência pública, sendo um crime impróprio que tem como
sujeito ativo um agente público.
E) permitida excepcionalmente em estado de guerra, sendo um crime impróprio em que a
qualidade de agente público é causa de aumento de pena.

Questão 09: Tortura cometido para provocar ação criminosa ou omissão de natureza criminosa.
Diante disso, julgue a afirmativa a seguir:

A expressão “natureza criminosa”, segundo a corrente majoritária, além de crimes, abrange


contravenção penal.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Questão 10 - Julgue a afirmativa a seguir, em CERTO ou ERRADO, com base na lei n° 9.455/97.

Tortura cometido em razão de discriminação racial ou religiosa, chamada de tortura preconceito ou


discriminação, não abrande a homofobia, uma vez que é vedada a analogia “in malan partem”.

( ) CERTO ( ) ERRADO

5
QUESTÃO EXTRA A luz da lei 9.455, jugue os itens a seguir:

I- Tortura cometido para provocar ação ou omissão de natureza criminosa, é também


chamada de Tortura Crime.
II- Tortura cometido para provocar ação ou omissão de natureza criminosa, é também
chamada de Tortura Preconceito ou Discriminação.
III- Tortura cometido para provocar ação ou omissão de natureza criminosa, é também
chamada de Tortura Prova
IV- Tortura cometido com o fim de obter informação, declaração ou confissão da vítima ou
de terceira pessoa, é também chamada de Tortura Prova.
V- Tortura cometido em razão de discriminação racial ou religiosa, é também chamada de
Tortura Preconceito ou Discriminação.

Estão corretas apenas:

a) I, II e III
b) II e III
c) IV e V
d) I, IV e V.

6
GABARITO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
1- B
2- B
3- C

APROFUNDANDO NO QUE CAI

1- ERRADO
2- CERTO
3- ERRADO
4- ERRADO
5- CERTO
6- CERTO
7- ERRADO
8- D
9- ERRADO
10- CERTA
QUESTÃO EXTRA

• D

7
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

• TORTURA COMETIDO COM O FIM DE OBTER INFORMAÇÃO,


DECLARAÇÃO OU CONFISSÃO DA VÍTIMA OU DE TERCEIRA PESSOA –
TORTURA PROVA
a) Consumação: A consumação ocorre com o constrangimento da vítima,
causador de sofrimento físico ou mental, dispensando a obtenção de
informação desejada.
b) Tentativa: É possível.

• TORTURA COMETIDO PARA PROVOCAR AÇÃO OU OMISSÃO DE


NATUREZA CRIMINOSA – TORTURA CRIME
a) Consumação: A consumação ocorre com o constrangimento da vítima,
causador de sofrimento físico ou mental, dispensando a conduta criminosa por
parte do torturado.
b) Tentativa: É possível.
c) Se ocorre a conduta criminosa pelo torturador: ocorre a coação moral
irresistível, de modo que o torturado não será considerado culpável.
d) A expressão “natureza criminosa” não abrange contravenção penal, apenas
crime.

• TORTURA COMETIDO EM RAZÃO DE DISCRIMINAÇÃO RACIAL OU


RELIGIOSA – TORTURA PRECONCEITO OU DISCRIMINAÇÃO
a) Consumação: A consumação ocorre com o constrangimento da vítima,
causador de sofrimento físico ou mental.
b) Tentativa: é possível.
c) Sendo vedada a analogia “in malan partem”, não abrande a homofobia.

8
SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS

Link da nossa página no Facebook: CLIQUE AQUI

Link da nossa página no Instagram: CLIQUE AQUI

Link do nosso canal do YouTube: CLIQUE AQUI

Link do Instagram do prof. Hugo Leonardo segue lá #visao CLIQUE AQUI

WhatsApp do LJAulas(38) 9 9120-1674

LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?


IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

9
SUMÁRIO
LEI DE TORTURA (LEI Nº 9.455/97) ........................................................................................................2
DO CRIME DE TORTURA EM ESPÉCIE ..................................................................................................2
I. PREVISÃO LEGAL – INCISO II – TORTURA CASTIGO ...................................................2
II. SUJEITO ATIVO, PASSIVO E CONDUTA TÍPICA DO CRIME DE TORTURA CASTIGO.2
III. VOLUNTARIEDADE ...........................................................................................................2
IV. EXEMPLOS.........................................................................................................................2
V. CONSUMAÇÃO E TENTATIVA ..........................................................................................2
VI. DIFERENÇA ENTRE CRIME DE MAUS TRATOS E TORTURA .......................................3
1- PREVISÃO LEGAL – ARTIGO 1°, §1° - TORTURA PELA
TORTURA..................................................................................................................................3
2- SUJEITO ATIVO, PASSIVO E CONDUTA TÍPICA DO CRIME DE TORTURA PELA
TORTURA
3- EXEMPLOS ..............................................................................................................................3
4- VOLUNTARIEDADE .................................................................................................................3
5- CONSUMAÇÃO ........................................................................................................................3
6- DIFERENÇA ENTRE OS CRIMES DE TORTURA
...................................................................................................................................................3
7- OBSERVAÇÃO .........................................................................................................................4
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO.......................................................................................................................4
APROFUNDANDO NO QUE CAI...............................................................................................................5
QUESTÃO EXTRA.....................................................................................................................................7
GABARITO.................................................................................................................................................8
RESUMÃO LJORTANO...........................................................................................................................10

ENTÃO VAMOS LÁ, LJORTANOS...

1
LEI DE TORTURA – LEI 9.455/97

PREVISÃO LEGAL – INCISO II – TORTURA CASTIGO

Art. 1º Constitui crime de tortura:


II - Submeter alguém, sob sua guarda, poder ou autoridade, com emprego de violência ou grave
ameaça, a intenso sofrimento físico ou mental, como forma de aplicar castigo pessoal ou medida de
caráter preventivo.
Pena - reclusão, de dois a oito anos.

SUJEITO ATIVO, PASSIVO E CONDUTA TÍPICA DO CRIME DE TORTURA CASTIGO

Ao contrário da tortura descrita no inciso I, esse tipo descreve um crime próprio, que exige
condição especial do sujeito ativo, bem como do sujeito passivo. O sujeito passivo tem que estar sob
guarda, poder ou autoridade. Para o Direito Penal, “guarda” compreende, além da situação em que
alguém fica sob proteção de outrem, por força de lei ou decisão judicial, como também a situação fática
que leva a pessoa a ficar responsável por outra. “Autoridade” é aquele que exerce cargo, emprego ou
função pública. Para Barros, autoridade pode derivar de relação do direito privado, como diretor de
colégio em relação aos alunos. Poder indica uma situação de sujeição entre autor e vítima.
O verbo submeter tem o sentido de “subjugar, vencer, dominar, avassalar, domar, sujeitar,
subordinar”. De modo que é empregado como sinônimo de constranger. Aliás, é incompreensível que o
legislador tenha usado verbos distintos, se não há diferença entre as condutas.
Os meios são os mesmos previstos no inciso I, comentados anteriormente.
O resultado típico é o mesmo do tipo anterior, sofrimento físico ou mental, só que acrescido do
adjetivo intenso, de modo que nesta modalidade de tortura é imprescindível que o sofrimento, físico ou
psicológico, seja intenso.

VOLUNTARIEDADE

Além do dolo, há o elemento subjetivo do tipo, que é o fim de castigar ou aplicar medida
preventiva. Castigo é a punição imposta em razão de uma conduta faltosa. Medida preventiva é
aplicada para que o sujeito não venha a praticar determinadas condutas. Se a tortura for gratuita, sem
um fim concreto, não haverá esse delito.

EXEMPLOS

1- Babá que agride violentamente uma criança que urinou na cama;


2- Enfermeira que cuida da idosa e esta não avisou que queria ir ao banheiro e urinou nas roupas.
A enfermeira, por isso, praticou a violência intensa.

CONSUMAÇÃO E TENTATIVA

A consumação do crime ocorre quando ocorre o sofrimento físico ou mental, sem necessidade
de qualquer lesão. A tentativa é possível, desde que o agente tenha iniciado a execução do crime, mas
não tenha causado, por razões alheias a sua vontade, o intenso sofrimento físico ou mental.

2
DIFERENÇA ENTRE CRIME DE MAUS TRATOS E TORTURA

O crime de maus-tratos (art. 136, CP) — na hipótese que se confunde com este delito de tortura
— se configura com a exposição a perigo da vida ou da saúde de pessoa sob autoridade, guarda ou
vigilância, abusando de meios de correção ou disciplina. Dir-se-á que a diferença é que na tortura se
exige o intenso sofrimento físico ou mental, porém tal argumentação nada soluciona, já que “intenso” é
adjetivo demasiadamente vago de modo a não ser suficiente para a distinção. A rigor a solução do caso
concreto vai depender do arbítrio judicial. Cada pessoa terá uma concepção puramente pessoal sobre
qual o limite que separa o crime de maus tratos do de tortura.

1- PREVISÃO LEGAL – ARTIGO 1°, §1° - TORTURA PELA TORTURA

Artigo 1°, § 1º Na mesma pena incorre quem submete pessoa presa ou sujeita a medida de
segurança a sofrimento físico ou mental, por intermédio da prática de ato não previsto em lei ou não
resultante de medida legal.

2- SUJEITO ATIVO, PASSIVO E CONDUTA TÍPICA DO CRIME DE TORTURA PELA TORTURA

O sujeito ativo é qualquer pessoa, não exigindo a lei qualquer condição especial. Quanto ao sujeito
passivo, contudo, só poderá ser aquele que se encontrar em prisão — qualquer que seja sua espécie:
pena privativa de liberdade (reclusão, detenção ou prisão simples), prisão provisória ou prisão civil ou
cumprindo medida de segurança.
A lei não exige como meio de prática deste delito a violência ou grave ameaça, embora não os
exclua. Com efeito, é perfeitamente possível que se imponham graves sofrimentos mentais sem o
emprego de violência ou grave ameaça. É preferível essa tipificação. São vários os meios que podem
configurar tal delito: privação de alimentação, de água ou de sono; cerramento em solitária; colocação
do preso em celas insalubres, sem água e sem vaso sanitário; jogar comida no vaso sanitário, onde o
preso deverá comer, se não quiser morrer de inanição, dar notícias falsas de extrema gravidade (muito
usada no regime militar), ou obrigar o sujeito a contemplar cadáver.
Ou, como no relato de fato ocorrido na repressão da ditadura militar, em que uma mulher nua, foi
obrigada a desfilar na presença de todos, impondo à vítima gravíssimo sofrimento mental, sem usar a
violência ou grave ameaça. Desde que cause sofrimento físico ou mental se o ato não for autorizado por
lei, estará configurada a tortura. Assim como nos tipos anteriores, exige-se o resultado sofrimento físico
ou mental, sem o qual não haverá crime. Trata-se, portanto, de crime material.

3- EXEMPLOS

a) Juiz que determina a privação de liberdade em presídio de menor infrator;


b) Linchamento.

4- VOLUNTARIEDADE

O tipo subjetivo é composto exclusivamente do dolo, sem elemento subjetivo do tipo. Dentre os três
tipos de tortura, este é o único que não menciona uma finalidade do agente. Este tipo contempla,
conforme nomenclatura da doutrina estrangeira, a tortura gratuita, ou seja, aquela que é prática sem
qualquer finalidade específica. Note que a ausência de fim específico desnatura os crimes anteriores
(incisos I e II).

3
5- CONSUMAÇÃO

Consuma-se o crime com a submissão da vítima a sofrimento físico ou mental

6- DIFERENÇA ENTRE OS CRIMES DE TORTURA

a) Artigo 1°, inciso I:


- Constranger + violência ou grave ameaça;
- Causando sofrimento físico ou mental
b) Artigo 1°, inciso II:
- Submeter;
- Violência ou grave ameaça;
- Intenso sofrimento físico ou mental.
c) Artigo 1°, parágrafo 1°
- Submeter;
- Ato não previsto em lei ou não resultante de medida legal.
OBS: não pressupõe violência ou grave ameaça.

7- OBESERVAÇÃO

Trote não é crime de tortura, pois não se enquadra em nenhuma das previsões legais para o crime de
tortura.

EXERCICIOS DE FIXAÇÃO

1. (UFMT) Em relação aos crimes de tortura, marque V para as afirmativas que correspondam ao
tipo de crime descrito e F àquelas que não correspondem.

( ) Constranger alguém com emprego de violência ou grave ameaça, causando-lhe sofrimento


físico ou mental, para provocar ação ou omissão de natureza criminosa.

( ) Submeter alguém, sob sua guarda, poder ou autoridade, com emprego de violência ou grave
ameaça, a intenso sofrimento físico ou mental, como forma de aplicar castigo pessoal ou medida
de caráter preventivo.
( ) Constranger alguém com emprego de violência ou grave ameaça, causando-lhe sofrimento
físico ou mental, em razão de discriminação racial ou religiosa.

( ) Constranger alguém com emprego de violência ou grave ameaça, causando-lhe sofrimento


físico ou mental, com o fim de obter informação, declaração ou confissão da vítima ou de
terceira pessoa.

Assinale a sequência correta.

A) V, V, V, V

B) F, V, F, V

C) F, F, F, F

D) V, F, V, F

4
2. À luz da Lei de Tortura (Lei nº 9.455, de 7 de abril de 1997), julgue o trecho a seguir em CERTO
ou ERRADO:

“Constitui crime de tortura submeter alguém, ainda que não esteja sob sua guarda, poder ou autoridade,
com emprego de violência ou grave ameaça, a intenso sofrimento físico ou mental, como forma de
aplicar castigo pessoal ou medida de caráter preventivo.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

3. À luz da Lei de Tortura (Lei nº 9.455, de 7 de abril de 1997), julgue o trecho a seguir em CERTO
ou ERRADO:

“Constitui crime de tortura submeter pessoa presa ou sujeita a medida de segurança a sofrimento físico
ou mental, por intermédio da prática de ato não previsto em lei ou não resultante de medida legal.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

APROFUNDANDO NO QUE CAI

Questão 01 (CESPE) - A respeito das leis especiais, julgue o item a seguir.

O policial condenado por induzir, por meio de tortura praticada nas dependências do distrito policial, um
acusado de tráfico de drogas a confessar a prática do crime perderá automaticamente o seu cargo,
sendo desnecessário, nessa situação, que o juiz sentenciante motive a perda do cargo.

( ) CERTO ( ) ERRADO.

Questão 02 (CESPE) - Julgue o item a seguir, relativo a lei de tortura.

O crime de tortura praticado, em qualquer de suas modalidades, por agente público no exercício de
suas funções absorve, necessariamente, o delito de abuso de autoridade.

( ) CERTO ( ) ERRADO.

Questão 03 (CESPE) - No que tange aos crimes de tortura, julgue os itens subsequentes.

Se um policial civil, para obter a confissão de suposto autor de crime de roubo, impuser a este intenso
sofrimento, mediante a promessa de mal injusto e grave dirigido à sua esposa e filhos e, mesmo diante
das graves ameaças, a vítima do constrangimento não confessar a prática do delito, negando a sua
autoria, não se consumará o delito de tortura, mas crime comum do Código Penal, pois a confissão do
fato delituoso não foi obtida.

( ) CERTO ( ) ERRADO.

Questão 04 – Segundo o artigo 1° da lei de tortura n° 9.455/97, a pena para o crime de tortura é
de:

a) Detenção, de dois a quatro anos


b) Reclusão, de dois a quatro anos
c) Detenção, de quatro a oito anos
d) Detenção, de até dois anos

5
Questão 05 – A partir do crime de tortura castigo, julgue os itens a seguir:

I- O sujeito ativo do crime de tortura castigo deve ser alguém que tenha guarda, o poder
ou a autoridade sobre a vítima;
II- O sujeito passivo do crime de tortura castigo deve ser alguém que esteja sob a
guarda, sob o poder ou sob a autoridade do agente.
III- O sujeito ativo do crime de tortura castigo deve ser alguém que esteja sob a guarda,
sob o poder ou sob a autoridade do agente.
IV- O sujeito passivo do crime de tortura castigo deve ser alguém que tenha guarda, o
poder ou a autoridade sobre a vítima;
V- A conduta típica do crime de tortura castigo é submeter a vítima com emprego de
violência ou grave ameaça, a intenso sofrimento físico ou mental.

São corretas apenas:

a) I, II e III
b) II, III e V
c) I, II e V
d) Todos as afirmativas
e)
Questão 06 – Sobre a diferença entre crime de maus-tratos e tortura, julgue o item abaixo:

A diferença entre os crimes está no intenso sofrimento, pois o crime de tortura configura-se com o
intenso sofrimento.

( ) CERTO ( ) ERRADO.

Questão 07 – Julgue o item a seguir, a partir da lei 9.455/97.

Em relação ao sujeito ativo do crime de tortura pela tortura, trata-se de crime comum, uma vez que
pode ser praticado por qualquer pessoa.

( ) CERTO ( ) ERRADO.

Questão 08 – Julgue o item a seguir, a partir da lei 9.455/97.

Em ralação ao sujeito passivo do crime de tortura pela tortura, trata-se de crime próprio, sendo que, só
pode ser pessoa presa ou sujeitada a medida de segurança.

( ) CERTO ( ) ERRADO.

Questão 09 - Julgue o item a seguir, a partir da lei 9.455/97.

A conduta típica do crime de tortura pela tortura é submeter a vítima a sofrimento físico ou mental por
intermédio da prática de ato previsto em lei e resultante de medida legal, pressupondo-se violência
física ou grave ameaça.

( ) CERTO ( ) ERRADO.

6
Questão 10 - Julgue o item a seguir, a partir da lei 9.455/97.

Trote é crime de tortura, porque se enquadra nas previsões legais para o crime de tortura.

( ) CERTO ( ) ERRADO.

QUESTÃO EXTRA Em ralação ao sujeito passivo do crime de tortura pela tortura, trata-se de:

a) Crime comum
b) Crime próprio
c) Crime bi próprio
d) Crime de mão própria

7
GABARITO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
1- A
2- ERRADO
3- CERTO

APROFUNDANDO NO QUE CAI

1- CERTO
2- ERRADO
3- ERRADO
4- B
5- C
6- CERTO
7- CERTO
8- CERTO
9- ERRADO
10- ERRADO
QUESTÃO EXTRA
B

8
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

• Sujeito ativo do crime de tortura castigo: Deve ser alguém que tenha guarda, o
poder ou a autoridade sobre a vítima sobre a vítima.
• Sujeito passivo do crime de tortura castigo: De ser alguém que esteja sob a
guarda, sob o poder ou sob a autoridade do agente.
• Conduta típica: Submeter a vítima com emprego de violência ou grave ameaça,
a intenso sofrimento físico e mental.
• Voluntariedade: Aplicar castigo ou medida de caráter preventivo.
• Consumação: Consuma-se com a provocação de intenso sofrimento da vítima.
• Tentativa: É possível.
• Diferença entre crime de maus-tratos e tortura: A diferença entre os crimes está
no intenso sofrimento, pois o crime de tortura configura-se com o intenso
sofrimento.

• Sujeito ativo do crime de tortura pela tortura: Pode ser praticado por qualquer
pessoa.
• Sujeito passivo do crime de tortura pela tortura: Só pode ser sujeito passivo
pessoa presa ou sujeita a medida de segurança.
• Conduta típica: Submeter a vítima a sofrimento físico ou mental por intermédio
da prática de ato não previsto em lei ou não resultante de medida legal.
• Voluntariedade: Dolo, não se exigindo fim especial.
• Consumação: Consuma-se o crime com a submissão da vítima a sofrimento
físico ou mental.

• Diferença entre os crimes de tortura:


a) Artigo 1°, inciso I
- Constranger + violência ou grave ameaça
- Causando sofrimento físico ou mental.
b) Artigo 1°, inciso II
- Submeter;
- Violência ou grave ameaça;
- Intenso sofrimento físico ou mental.
c) Artigo 1°, § 1°
- Submeter;
- Ato não previsto em lei ou não resultante de medida legal.

9
SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS

Link da nossa página no Facebook: CLIQUE AQUI

Link da nossa página no Instagram: CLIQUE AQUI

Link do nosso canal do YouTube: CLIQUE AQUI

Link do Instagram do prof. Hugo Leonardo segue lá #visao CLIQUE AQUI

WhatsApp do LJAulas(38) 9 9120-1674

LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?


IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

10
SUMÁRIO
LEI DE TORTURA (LEI Nº 9.455/97) ......................................................................................................2
DO CRIME DE TORTURA EM ESPÉCIE ................................................................................................2
PREVISÃO LEGAL – TORTURA OMISSÃO ................................................................................2

TORTURA OMISSÃO – 1ª PARTE: OMISSÃO IMPRÓPRIA .......................................................2

TORTURA PRÓPRIA – 2ª PARTE: OMISSÃO PRÓPRIA ............................................................2

DAS DISPOSIÇÕES LEGAIS DA LEI TORTURA ....................................................................................2

TORTURA QUALIFICADA PELO RESULTADO ............................................................................2

MAJORANTES ...............................................................................................................................3

EFEITOS DA CONDENAÇÃO ........................................................................................................3

INAFIANÇABILIDADE E INSUSCETIBILIDADE DE GRAÇA OU ANISTIA ...................................3

REGIME INICIAL FECHADO EM CASO DE CONDENAÇÃO – INCONSTITUCIONALIDADE DO


DISPOSITIVO .................................................................................................................................3

EXTRATERRITORIALIDADE – INCONDICIONADA .....................................................................4

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO.......................................................................................................................5
APROFUNDANDO NO QUE CAI...............................................................................................................5
QUESTÃO EXTRA.....................................................................................................................................7
GABARITO.................................................................................................................................................8
RESUMÃO LJORTANO...........................................................................................................................10

ENTÃO VAMOS LÁ, LJORTANOS...

1
LEI DE TORTURA – LEI 9.455/97

PREVISÃO LEGAL – TORTURA OMISSÃO

Pretendendo atender o disposto no art. 5º, XLIII, CF, que preceitua que também deverá
responder por crime de tortura aquele que, podendo evitá-la, tiver se omitido.
Aqui, a lei pune com detenção de um a quatro anos — pena bem mais branda que a
forma principal, tanto quem concorre para a prática de tortura, mediante omissão, como quem deixa de
investigar sua ocorrência.
Art. 1º Constitui crime de tortura:
§ 2º Aquele que se omite em face dessas condutas, quando tinha o dever de evitá-las ou apurá-
las, incorre na pena de detenção de um a quatro anos.

TORTURA OMISSÃO – 1ª PARTE: OMISSÃO IMPRÓPRIA

O § 2o tipifica duas hipóteses de omissão: uma imprópria (quando tinha o dever de evitar)
e outra própria (quando tinha o dever de apurar), cominando a pena de 1 a 4 anos de detenção.
Quanto à omissão imprópria, resta claro que a lei estabeleceu uma distinção injustificada com a
regra do Código Penal. Como por exemplo: José, comandante da polícia Militar, percebe que seus
soldados preparam a tortura de um preso, e José nada faz para evitar.

TORTURA PRÓPRIA – 2ª PARTE: OMISSÃO PRÓPRIA

O mesmo § 2o há a definição de um crime omissivo próprio, representado pela omissão quando


o agente tem o dever de apurar a tortura. Com isso, a lei equipara situações desiguais, porquanto quem
se omite podendo evitar, concorre para a prática do crime, enquanto quem se omite de apurar, apenas
praticaria uma espécie de prevaricação, sem o a exigência do elemento subjetivo. Em tal modalidade, a
omissão é própria porque não concorre com o resultado. Como por exemplo: Quando o delegado de
polícia deixa de apurar uma tortura praticada por seus agentes, mesmo tendo a ciência do fato.

DAS DISPOSIÇÕES LEGAIS DA LEI TORTURA:

1- TORTURA QUALIFICADA PELO RESULTADO

§ 3º Se resulta lesão corporal de natureza grave ou gravíssima, a pena é de reclusão de


quatro a dez anos; se resulta morte, a reclusão é de oito a dezesseis anos.

As formas qualificadas pelo resultado lesão corporal grave ou morte configuram crimes
preterdolosos. Assim, para que haja tal delito, o resultado não pode ter sido causado dolosamente. Ou
seja, se houve dolo (direto ou eventual) no resultado morte, haverá crime de homicídio. Quando houver
tortura e morte, há três possibilidades:
a) tortura qualificada pelo resultado morte: sendo um crime preterdoloso, ocorre quando o sujeito
tem dolo na tortura e culpa no resultado morte. O agente está torturando e a morte ocorre sem que ele
tivesse intenção ou sem que assumisse o risco de provocar tal resultado. O resultado morte é uma
consequência não dolosa da tortura empregada.

2
b) homicídio qualificado pela tortura: dá-se na hipótese em que o indivíduo age com dolo no
resultado morte e a tortura é o meio escolhido pelo autor para atingir tal desiderato. Se, ao torturar
alguém, o sujeito age com animus necandi, deverá responder pelo crime de homicídio qualificado pela
tortura”. Ou seja, se desde “o início de sua atividade delitiva tivesse o intento de matar a vítima e
estivesse empregando a tortura para atingir esse objetivo.” Da mesma forma, se ao torturar, o agente
atua com dolo eventual no resultado morte, o crime será de homicídio qualificado.
c) concurso material de tortura e homicídio: ocorre na hipótese em que há dolo de torturar e
depois advém o dolo de matar. Ou seja, o agente tortura e depois decide matar a vítima: durante a
tortura o agente resolve matar a vítima, p.ex., a tiros de revólver. Obviamente, em tal caso, para que
não ocorra bis in idem, o homicídio não terá a qualificadora do meio (tortura); mas poderá ser
qualificado por outras circunstâncias, como motivo ou forma de execução.

MAJORANTES

4º Aumenta-se a pena de um sexto até um terço:


I – Se o crime é cometido por agente público;
II – Se o crime é cometido contra criança, gestante, portador de deficiência, adolescente ou
maior de 60 (sessenta) anos;
III – se o crime é cometido mediante sequestro.
• Cometido por agente público:
Esta causa de aumento de pena não ocorre na hipótese em que o agente omite a apuração da
tortura, porquanto somente o funcionário público pode praticar aquele crime; ocorreria bis in idem se se
admitisse esta causa de aumento de pena.
• Especial condição da vítima:
Criança: prevalece a definição do ECA, criança é o menor de 12 anos. Gestante: estando
grávida a mulher, aplica-se a majorante, independentemente do tempo, mas desde que o torturador
saiba da gravidez. Portador de deficiência: qualquer que seja a deficiência, física ou
mental. Adolescente: é o menor de 18 e maior de 12 anos. Maior de 60 anos.
• Mediante sequestro
É o meio para a prática de tortura, com o qual a vítima não pode oferecer resistência, por
encontrar-se subjugada. Para que haja esse aumento, é necessário que o sequestro se limite ao meio
para a tortura, pois se for feito sem esse fim e ocorrer dissociado da tortura — quer porque tenha
começado bem antes, quer porque permaneceu após a tortura — haverá concurso material entre os
crimes de tortura e de sequestro (art. 148).

EFEITOS DA CONDENAÇÃO

§ 5º A condenação acarretará a perda do cargo, função ou emprego público e a interdição para


seu exercício pelo dobro do prazo da pena aplicada.
Trata-se de efeito automático da condenação, que independe de expressa declaração na
sentença, de motivação ou da duração da pena. Não cabe ao juiz decidir se aplica ou não o efeito da
condenação, mas lhe cumpre apenas decretar a perda do cargo ou função. Está sujeito a tal efeito
quem for condenado por qualquer uma das figuras típicas (art. 1o, I e II, § 1o e § 2o).
Além da perda do cargo, em razão da “interdição”, o condenado não poderá ingressar ou
retornar ao serviço público, por concurso, nomeação ou eleição, no prazo equivalente ao dobro da
condenação.

3
O superior Tribunal de Justiça (STJ) entende que se trata de efeito automático da sentença,
dispensada a motivação e determinação pelo juiz ou pela juíza.

INAFIANÇABILIDADE E INSUSCETIBILIDADE DE GRAÇA OU ANISTIA

§ 6º O crime de tortura é inafiançável e insuscetível de graça ou anistia.


Trata-se de mera repetição do inc. XLIII do art. 5o, CF. A lei dos crimes hediondos proíbe, além
da fiança, graça e anistia — a concessão da liberdade provisória. Tal vedação não consta desse § 6o,
de modo que para o crime de tortura é admitida a liberdade provisória.

REGIME INICIAL FECHADO EM CASO DE CONDENAÇÃO – INCONSTITUCIONALIDADE DO


DISPOSITIVO

§ 7º O condenado por crime previsto nesta Lei, salvo a hipótese do § 2º, iniciará o
cumprimento da pena em regime fechado.
A Lei de Execução Penal (lei 7.210/84) estabelece que o cumprimento da pena objetiva a
“harmônica integração social do condenado”. A progressão do regime nada mais é que um instituto que
tem essa finalidade. A progressão de regime permite que o preso inicie o cumprimento da pena em
regime mais severo e, segundo seu mérito (art. 33, § 2o, CP), seja transferido para o mais brando.
Dessa forma, se o condenado inicia o cumprimento em regime fechado, será transferido para o
semiaberto e depois para o aberto. Para a progressão são necessários dois requisitos: o objetivo
(cumprimento de 1/6 da pena) e o subjetivo (comportamento do condenado).
A fixação do regime inicial, para os demais crimes (salvo os hediondos) é feita de acordo com o
art. 33, § 2o, CP. O condenado a pena não superior a 4 anos, desde que não reincidente, poderá iniciar
o cumprimento da pena em regime aberto, de acordo com a regra do Código Penal.
Todavia, a lei de tortura adota uma sistemática própria: nem segue a dos crimes hediondos
(cumprimento integral em regime fechado), nem a do Código Penal (possibilidade de iniciar o
cumprimento em regime aberto ou semiaberto).
Condenado por qualquer um dos crimes de tortura (salvo a conduta omissiva do § 2o) terá de
iniciar o cumprimento em regime fechado. Trata-se de regime inicial obrigatório: independentemente de
eventual reincidência, das circunstâncias subjetivas ou da quantidade da pena, o regime inicial de
cumprimento da pena será o fechado.
Por outro lado, ao contrário dos crimes hediondos, o condenado por crime de tortura terá direito
à progressão do regime. A lei estabelece que o condenado “iniciará o cumprimento da pena em regime
fechado” e não que ela “será cumprida integralmente em regime fechado” (art. 2o, § 1o, da Lei dos
Crimes Hediondos).
Assim, para os condenados por crime de tortura, prevalece a regra da Lei de Execução Penal,
quanto à progressão do regime. Iniciada a pena em regime fechado, o condenado, após cumprir 1/6 da
pena, se tiver bom comportamento, progredirá para o regime semiaberto (art. 112, LEP). Do regime
semiaberto, após o cumprimento de mais 1/6 da pena, o condenado será transferido para o aberto.
Já quanto à condenação pela prática do crime omissivo (§ 2o) não impõe a obrigatoriedade do
regime fechado. Para o condenado por esse crime, valerá a regra do art. 33 do CP. Tratando-se de
detenção, o cumprimento será possível apenas nos regimes semiaberto ou aberto (art. 33, caput, CP).
Dessa forma, pela quantidade da pena (máximo igual a 4 anos), o reincidente obrigatoriamente iniciará
no semiaberto, enquanto que o não reincidente poderá iniciar no semiaberto ou no aberto, dependendo
das circunstâncias judiciais do art. 59, CP.

4
EXTRATERRITORIALIDADE – INCONDICIONADA

Art. 2º O disposto nesta Lei aplica-se ainda quando o crime não tenha sido cometido em território
nacional, sendo a vítima brasileira ou encontrando-se o agente em local sob jurisdição brasileira.
A lei adota o princípio da extraterritorialidade condicionada. São duas as condições alternativas:
que a vítima seja brasileira ou que o autor da tortura esteja em território brasileiro.

EXERCICIOS DE FIXAÇÃO

1-(IBADE) Consoante a Lei de Tortura (Lei nº 9.455/1997), assinale a alternativa correta:

A) A Lei de Tortura aplica-se ainda quando o crime não tenha sido cometido em território nacional,
sendo a vítima brasileira ou encontrando-se o agente em local sob jurisdição brasileira;
B) Se o crime é cometido contra criança, gestante, portador de deficiência, adolescente ou maior
de 70 (setenta) anos, aumenta-se a pena um sexto até a metade;
C) O crime de tortura é inafiançável e suscetível de graça ou anistia;
D) A condenação pela prática do crime de tortura acarretará a perda do cargo, função ou emprego
público e a interdição para seu exercício pelo triplo do prazo da pena aplicada;
E) O condenado por crime previsto na Lei de Tortura, via de regra, iniciará o cumprimento da pena
em regime semiaberto.

2. (UECE-CEV) Dentre as hipóteses contidas nas opções a seguir, assinale a única que NÃO faz
parte das causas de aumento de pena de 1/6 (um sexto) a 1/3 (um terço) previstas na Lei N.
9.455/97, no que concerne a Crimes de Tortura.

A) Se o crime é cometido mediante o uso de arma de fogo ou em concurso de mais de duas


pessoas;
B) Se o crime é cometido por agente público;
C) Se o crime é cometido contra criança, gestante, portador de deficiência, adolescente ou maior
de sessenta anos.
D) Se o crime é cometido mediante sequestro.

3. (IPAD) O crime de tortura, definido pela Lei n° 9.455/1997, possui como causa especial de
aumento de pena (majoração de um sexto a um terço) ser o delito cometido contra grupos
específicos de pessoas. Não constitui, entretanto, hipótese de agravamento da pena, quando o
crime for praticado contra:

A) mulher;
B) criança;
C) portador de deficiência física;
D) maior de sessenta anos;
E) portador de deficiência mental.

APROFUNDANDO NO QUE CAI

Questão 01 (CESPE) - No que tange aos crimes de tortura, julgue o item subsequente.

Se um policial civil, para obter a confissão de suposto autor de crime de roubo, impuser a este intenso
sofrimento, mediante a promessa de mal injusto e grave dirigido à sua esposa e filhos e, mesmo diante
das graves ameaças, a vítima do constrangimento não confessar a prática do delito, negando a sua

5
autoria, não se consumará o delito de tortura, mas crime comum do Código Penal, pois a confissão do
fato delituoso não foi obtida.

( ) CERTA ( ) ERRADA

Questão 02 (CESPE) - No que concerne à parte geral do Código Penal, aos princípios
processuais penais e à efetiva aplicação da legislação especial, julgue os itens a seguir.

Considere a seguinte situação hipotética.


Carlos, após a prática de atos eficientes para causar intenso sofrimento físico e mental em José,
visando à obtenção de informações sigilosas, matou-o para que sua conduta não fosse descoberta.
Nesse caso, Carlos responderá pelo crime de tortura simples em concurso material, com o delito de
homicídio.

( ) CERTA ( ) ERRADA

Questão 03 (CONSULPLAN) – Os crimes previstos na Lei de Tortura, NÃO terão a sua pena
aumentada de um sexto até um terço se o crime for cometido:

a) Por agente público


b) Mediante sequestro
c) Contra vítima de 55 anos
d) Contra portador de deficiência

Questão 04 – Diante da lei de tortura, julgue o item a seguir:

Quanto aos crimes de tortura, é correto afirmar que o condenado sempre iniciará o cumprimento de
pena em regime fechado.

( ) CERTA ( ) ERRADA

Questão 05 – Diante da lei de tortura, julgue o item a seguir:

Constitui causa de aumento da pena prevista para o crime de tortura se este cometido contra a pessoa
sob custódia do Estado.

( ) CERTA ( ) ERRADA

Questão 06 – Diante da lei de tortura, julgue o item a seguir:

No tocante aos crimes de tortura previsto na lei n° 9.455/97, a causa de aumento de pena será aplicada
quando o crime for cometido por agente público, se cometido contra a criança, gestante, portador de
deficiência, maior de sessenta anos ou cometido mediante sequestro.

( ) CERTA ( ) ERRADA

Questão 07 – Diante da lei de tortura, julgue o item a seguir:

O crime de tortura é inafiançável e insuscetível de graça ou anistia

( ) CERTA ( ) ERRADA

6
Questão 08– Diante da lei de tortura, julgue o item a seguir:

Para que um cidadão seja processado e julgado por crime de tortura, é prescindível que esse crume
deixe vestígios de ordem física.

( ) CERTA ( ) ERRADA

Questão 09 – De acordo com o artigo 1°, § 2°, aquele que se omite em face dessas condutas,
quando tinha o dever de evitá-las ou apurá-las:

a) incorre na pena de detenção de um a quatro anos


b) incorre na pena de reclusão de um a quatro anos
c) incorre na pena de detenção de até um ano
d) incorre na pena de detenção de até quatro anos

Questão 10 – De acordo com artigo 1°, § 3°, se resulta lesão corporal de natureza grave ou
gravíssima, a pena é de

a) detenção de quatro a dez anos; se resulta morte, a detenção é de oito a dezesseis anos.
b) reclusão de quatro a dez anos; se resulta morte, a reclusão é de oito a dezesseis anos.
c) reclusão de oito a dezesseis; se resulta morte, a reclusão é de quatro a dez anos.
d) detenção de oito a dezesseis; se resulta morte, a detenção é de quatro a dez anos.

QUESTÃO EXTRA Conforme o Artigo 1º, § 4º, aumenta-se a pena de um sexto até um terço:

I - Se o crime é cometido por agente público;


II – Se o crime é cometido contra criança, gestante, portador de deficiência, adolescente ou
maior de 55 anos;
III - Se o crime é cometido mediante sequestro.
São corretas:
a) I e II
b) II e III
c) I e III
d) Todas as afirmativas.

7
GABARITO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
1- A
2- A
3- A

APROFUNDANDO NO QUE CAI


1- ERRADO
2- CERTO
3- C
4- ERRADO
5- ERRADO
6- CERTO
7- CERTO
8- CERTO
9- A
10- B
QUESTÃO EXTRA
C

8
SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS

Link da nossa página no Facebook: CLIQUE AQUI

Link da nossa página no Instagram: CLIQUE AQUI

Link do nosso canal do YouTube: CLIQUE AQUI

Link do Instagram do prof. Hugo Leonardo segue lá #visao CLIQUE AQUI

WhatsApp do LJAulas(38) 9 9120-1674

LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?


IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

9
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?

• Omissão Imprópria: Figura do garante ou garantidor, quando tinha o dever de


evitar a tortura.
• Omissão Própria: A tortura é um acontecido pretérito, de modo que a tortura já
aconteceu, quando tinha o dever de apurar a tortura.

• Tortura qualificada pelo resultado: Se resulta lesão corporal de natureza grave


ou gravíssima, a pena é de reclusão de quatro a dez anos; se resulta morte, a
reclusão é de oito a dezesseis anos.
• Não se confunde homicídio qualificado pela tortura com tortura qualificada pela
morte.
• Efeitos da Condenação: A condenação acarretará perda do cargo, função ou
emprego público e a interdição para seu exercício pelo dobro do prazo da pena
aplicado.
• O STJ entende que se trata de efeito automático da sentença, dispensada a
motivação e determinação pelo juiz ou pela juíza.

• Inafiançabilidade e Insuscetibilidade de graça ou anistia: O crime de tortura é


inafiançável e insuscetível de graça ou anistia.
• Regime inicial fechado em caso de condenação: O condenado por crime
previsto nesta Lei, salvo a hipótese do § 2°, iniciará o cumprimento da pena em
regime fechado.
• Extraterritorialidade: O dispositivo nesta Lei aplica-se ainda quando o crime não
tenha sido cometido em território nacional, sendo a vítima brasileira ou
encontrando-se o agente em local sob jurisdição brasileira.

10
SUMÁRIO
PROTEÇÃO A VÍTIMAS E A TESTEMUNHAS AMEAÇASDAS (LEI N° 9.807/99) ...............................2
O QUE ESTABELECE, INSTITUI E DISPÕES A LEI......................................................................2
PREVISÃO LEGAL...........................................................................................................................2
CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DA PROTEÇÃO.....................................................................2
CONSULTA AO MINISTÉRIO PÚBLICO .........................................................................................3
POR QUEM O PROGRAMA SERÁ DIRIGIDO ................................................................................3
REQUERIMENTO DE INGRESSO NO PROGRAMA ......................................................................3
DO CONSELHO DELIBERATIVO ....................................................................................................5
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO.......................................................................................................................4
APROFUNDANDO NO QUE CAI...............................................................................................................5
QUESTÃO EXTRA.....................................................................................................................................7
GABARITO.................................................................................................................................................9
RESUMÃO LJORTANO...........................................................................................................................11

ENTÃO VAMOS LÁ, LJORTANOS....

1
LEI 9.807/99

O QUE ESTABELECE, INSTITUI E DISPÕES A LEI

A lei 9.807/99 estabelece normas para a organização e a manutenção de programas


especiais de proteção a vítimas e a testemunhas. Institui o Programa Federal de Assistência à Vítimas e
a Testemunhas Ameaçadas e dispõe sobre a proteção de acusados ou condenados que tenham
voluntariamente prestado efetiva colaboração à investigação policial ou ao processo. Conforme o
artigo 1° desta lei, as medidas de proteção serão destinadas a vítimas e testemunhas de crimes que
estejam coagidas ou expostas a grave ameaça em razão de colaborarem com a investigação ou
processo criminal.
O artigo 1° ainda diz que, as medidas de proteção devem ser prestadas pela União, pelos
Estados e pelo Distrito Federal, no âmbito das respectivas competências, na forma de programas
especiais organizados.

PREVISÃO LEGAL

O artigo 1° dispõe: “As medidas de proteção requeridas por vítimas ou por testemunhas
de crimes que estejam coagidas ou expostas a grave ameaça em razão de colaborarem com a
investigação ou processo criminal serão prestadas pela União, pelo Estados e pelo Distrito Federal, no
âmbito das respectivas competências, na forma de programas especiais organizados com base nas
disposições desta Lei”.
Para mais, o § 1° deste artigo diz: “A união, os Estados e o Distrito Federal poderão celebrar
convênios, acordos, ajustes ou termos de parceria entre si ou com entidades não-governamentais
objetivando a realização dos programas”.
Ainda mais, o § 2° determina que “A supervisão e a fiscalização dos convênios, acordos,
ajustes e termos de parceria de interesse da União ficarão a cargo do órgão do Ministério da Justiça
com atribuições para a execução da política de direitos humanos”.

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DA PROTEÇÃO

Estabelece o caput do artigo 2º que a proteção concedida e as medidas delas


decorrentes deverão levar em conta os seguintes fundamentos:
a) A gravidade da coação ou da ameaça à integridade física ou psicológica;
b) A dificuldade de preveni-las ou reprimi-las pelos meios convencionais; e,
c) A sua importância para a proteção da prova.
Conforme estabelece o artigo 2° da lei de Proteção a vítimas e a testemunhas ameaçadas, leia-
se: “A proteção concedida pelos programas e as medidas dela decorrentes levarão em conta a
gravidade da coação ou da ameaça à integridade física ou psicológica, a dificuldade de preveni-las ou
reprimi-las pelos meios convencionais e a sua importância para a produção da prova”.
É possível ainda a extensão dessa proteção ao cônjuge ou companheiro, ascendentes,
descendentes e dependentes que tenham convivência habitual com a vítima ou testemunha, conforme o
especificamente necessário em cada caso., como dispõe o § 1° do artigo 2°.
Já o §2º elenca as pessoas que estão excluídas da proteção:
a) Cuja personalidade ou conduta seja incompatível com as restrições de comportamento
exigida pelo programa;
b) Os condenados que estejam cumprido pena;
c) Os indiciados ou acusados sob prisão cautelar em qualquer de suas modalidades.

2
A parte final do §2º diz ainda que a exclusão não trará prejuízo a eventual prestação de medidas
de preservação da integridade física por parte dos órgãos de segurança pública
Além do mais, diz o § 3 o que o ingresso no programa, as restrições de segurança e demais
medidas por ele adotadas terão sempre a anuência da pessoa protegida, ou de seu representante legal.
A fim de melhor adequação à normas do Programa de Proteção, segundo o § 4°, após ingressar
no programa, o protegido ficará obrigado ao cumprimento das normas por ele prescritas.
Sobre o sigilo das normas, estabelece o § 5° que, as medidas e providências relacionadas com
os programas serão adotadas, executadas e mantidas em sigilo pelos protegidos e pelos agentes
envolvidos em sua execução.

CONSULTA AO MINISTÉRIO PÚBLICO

Conforme estabelece o artigo 3º da lei e o §1º do artigo 5º do Decreto nº 3.518/00, toda


admissão ou exclusão no programa deverá ser precedida de consulta ao Ministério Público. A
manifestação do MP neste caso deve se ater ao que dispõe o artigo 2º. Deverá o Ministério Público
manifestar-se sobre a gravidade da coação ou da ameaça à integridade física ou psicológica, a
dificuldade de preveni-las ou reprimi-las pelos meios convencionais e, principalmente, da sua
importância para a produção da prova. "A única hipótese de inexistência de prévia consulta ao
Ministério Público é a proteção provisória, em caso de urgência (art. 5º, § 3º), mas até mesmo nestes
casos, como é evidente, deverá haver um posterior parecer ministerial. Apesar do § 3º omitir a
necessidade de consulta ao Ministério Público, em caso de proteção provisória, há de se interpretar o
referido dispositivo em combinação com o art. 3º, devendo sempre a posteriori haver parecer do mesmo
sobre a existência dos fundamentos básicos para a proteção," fato bem lembrado por Bruno Cezar da
Luz Pontes.
Estabelece ainda o artigo que, toda admissão ou exclusão do programa, deverá ser comunicada
à autoridade policial ou ao juiz competente. É claro que a comunicação à autoridade policial deverá
também ser feita à autoridade competente. Autoridade Policial competente é aquela encarregada de
adotar medidas cabíveis ao caso.

POR QUEM O PROGRAMA SERÁ DIRIGIDO

De acordo com o artigo 4° e parágrafos, da lei analisada, cada programa será dirigido por um
conselho deliberativo em cuja composição haverá representantes do Ministério Público, do Poder
Judiciário e de órgãos públicos e privados relacionados com a segurança pública e a defesa dos direitos
humanos.
§ 1º A execução das atividades necessárias ao programa ficará a cargo de um dos órgãos
representados no conselho deliberativo, devendo os agentes dela incumbidos ter formação e
capacitação profissional compatíveis com suas tarefas.
§ 2º Os órgãos policiais prestarão a colaboração e o apoio necessários à execução de cada
programa.

REQUERIMENTO DE INGRESSO NO PROGRAMA

O artigo 5º da Lei nº 9.807/99 elenca aqueles que poderão encaminhar solicitação para ingresso
no programa.
Estão entre eles:

3
- O interessado: permite a lei que o próprio interessado poderá solicitar o ingresso no programa.
O artigo 5º, inciso I do Decreto nº 3.518/00 admitiu ainda que o representante legal do interessado
possa também solicitar o ingresso do interessado no programa, no que andou bem.
- Representante do Ministério Público: deverá obedecer-se aqui, s.m.j., o princípio do promotor
natural, face ao disposto quanto à autoridade policial e a autoridade judiciária.
- Autoridade policial que conduz a investigação criminal: a lei é clara no sentido de permitir
somente o Delegado de Polícia que está conduzindo a investigação, parecendo lógico tal raciocínio.
- Juiz competente para a instrução do processo criminal: a lei observou aqui os princípios da
jurisdição, no que andou bem, motivo pelo qual somente o promotor natural também poderá fazer a
solicitação conforme acima mencionamos.
- Órgãos públicos e entidades com atribuições de defesa dos direitos humanos.
O §1º estabelece as informações obrigatórias que deverão acompanhar a solicitação de ingresso
no programa: qualificação da pessoa a ser protegida, informações sobre sua vida pregressa, o fato
delituoso de que foi vítima ou testemunhou e a coação ou ameaça que está sofrendo (informações
também exigidas pelo parágrafo único, incisos I a V do artigo 5º do Decreto nº 3.518/00).
Já o §2º estabelece as informações adicionais que o órgão executor poderá solicitar, com
concordância do interessado: documentos ou informações comprobatórios da identidade da pessoa a
ser protegida, estado civil, situação profissional, patrimônio e grau de instrução; existência de
pendências de obrigações civis, administrativas, fiscais, financeiras ou penais; exames ou pareceres
técnicos sobre a sua personalidade, estado físico ou psicológico.
O §3º estabelece que em caso de urgência e levando em consideração a procedência,
gravidade e a iminência da coação ou ameaça, a vítima ou testemunha poderá ser colocada
provisoriamente sob a custódia de órgão policial. De bom alvitre o parágrafo em questão, uma vez que
situações existem de extrema gravidade e que são necessárias medidas urgentes, não se podendo
aguardar os trâmites burocráticos existentes.

DO CONSELHO DELIBERATIVO

O artigo 6º trata sobre as decisões do Conselho Deliberativo que já foram discutidas


quando da análise do artigo 4º. Leia-se:
Art. 6º O conselho deliberativo decidirá sobre:
I – O ingresso do protegido no programa ou a sua exclusão;
II – As providências necessárias ao cumprimento do programa.
Parágrafo único. As deliberações do conselho serão tomadas por maioria absoluta de seus
membros e sua execução ficará sujeita à disponibilidade orçamentária.

EXERCICIOS DE FIXAÇÃO

1-O requerimento para ingresso em programa de proteção a vítima ou a testemunha, em caso de


coação ou exposição a grave ameaça em razão de colaboração com a investigação ou processo
criminal, pode ser realizado pela(o), EXCETO:

A) interessado;
B) representante do Ministério Público;
C) autoridade policial que conduz a investigação criminal;
D) autoridade administrativa.

4
2. À luz da Lei nº 9.807, de 13 de julho de 1999, assinale a alternativa correta:

A) não se admite a extensão de ingresso em programa de proteção, em favor do cônjuge,


companheiro, ascendente, descendente ou dependente que tenha convivência habitual com a
vítima ou testemunha;
B) o ingresso no programa prescinde da anuência da pessoa protegida;
C) após ingressar no programa, o protegido ficará obrigado ao cumprimento das normas por ele
prescritas;
D) os órgãos policiais não prestarão colaboração à execução do programa.

3. De acordo com a Lei nº 9.807/99, que dispõe sobre o programa de proteção a vítima e a
testemunha, estão excluídos da proteção, EXCETO:

A) os indivíduos cuja personalidade ou conduta seja incompatível com as restrições de


comportamento exigidas pelo programa;
B) os condenados que não estejam cumprindo pena;
C) os indiciados ou acusados sob prisão cautelar em qualquer de suas modalidades;
D) os condenados que estejam cumprindo pena.

APROFUNDANDO NO QUE CAI

Questão 01(Instituto Consulplan): Julgue a afirmativa como CERTA ou ERRADA. Nos termos da Lei
n. 9.807/1999, em caso de urgência e levando em consideração a procedência, gravidade e a iminência
da coação ou ameaça, a vítima ou testemunha poderá ser colocada provisoriamente sob a custódia de
órgão policial, pelo órgão executor, no aguardo de decisão do conselho deliberativo, com comunicação
imediata a seus membros e ao juiz competente para a instrução do processo criminal.

C. Certo
E. Errado

Questão 02 (NC/UFPR): Em relação à Lei nº 9.807/99 (Programa de Proteção a Vítimas e


Testemunhas), assinale a alternativa correta.

a) Os condenados que estejam em cumprimento de pena e os indiciados ou acusados sob prisão


cautelar estão excluídos dos programas de proteção previstos na Lei nº 9.807/99, ainda que
caiba, em tais casos, a prestação de medidas da preservação da integridade física desses
indivíduos por parte dos órgãos de segurança pública.
b) A admissão em programa de proteção, por interessar apenas ao cidadão, prescinde de
manifestação prévia do Ministério Público.
c) A exclusão de indivíduo do programa de proteção prescinde de manifestação prévia do
Ministério Público.
d) Em casos envolvendo o réu colaborador, é incabível a extinção da punibilidade pelo perdão
judicial.

Questão 03 (MPE – SC): Segundo o disposto na Lei n. 9.807/99: terão prioridade na tramitação o
inquérito e o processo criminal em que figure indiciado, acusado, vítima ou réu colaboradores,
vítima ou testemunha protegidas pelos programas de que trata a citada lei; qualquer que seja o
rito processual criminal, o juiz, após a citação, tomará antecipadamente o depoimento das
pessoas incluídas nos programas de proteção previstos nesta Lei, devendo justificar a eventual
impossibilidade de fazê-lo no caso concreto ou o possível prejuízo que a oitiva antecipada traria
para a instrução criminal.

5
C. Certo
E. Errado

Questão 04 (NUCEPE): Quanto aos programas de proteção requeridos por vítimas ou por
testemunhas de crimes que estejam coagidas ou expostas a grave ameaça, em razão de
colaborarem com a investigação ou processo criminal, pode-se afirmar, que dentre outras
medidas, se encontra:

a) segurança na residência, salvo o controle de telecomunicações;


b) ajuda financeira mensal para prover as despesas necessárias à subsistência individual ou
familiar, mesmo que a pessoa protegida tenha possibilidade de desenvolver trabalho regular;
c) escolta e segurança nos deslocamentos da residência, inclusive para fins de trabalho ou para a
prestação de depoimentos;
d) apoio e assistência psicológica e social, excluída a assistência médica;

Questão 05 (MPE-SC): Segundo o disposto na Lei n. 9.807/99: terão prioridade na tramitação o


inquérito e o processo criminal em que figure indiciado, acusado, vítima ou réu colaboradores,
vítima ou testemunha protegidas pelos programas de que trata a citada lei; qualquer que seja o
rito processual criminal, o juiz, após a citação, tomará

antecipadamente o depoimento das pessoas incluídas nos programas de proteção previstos


nesta Lei, devendo justificar a eventual impossibilidade de fazê-lo no caso concreto ou o
possível prejuízo que a oitiva antecipada traria para a instrução criminal.

C. Certo
E. Errado

Questão 06- O artigo 1° da lei 9.807, dispõe que, as medidas de proteção requeridas por vítimas
ou por testemunhas de crimes que estejam coagidas ou expostas a grave ameaça em razão de
colaborarem com a investigação ou processo criminal serão prestadas pela União, pelos
Estados e pelo Distrito Federal, no âmbito das respectivas competências, na forma de
programas especiais organizados com base nas disposições desta Lei. Diante disso é CORRETO
afirmar:

a) A União, os Estados e o Distrito Federal poderão celebrar convênios, acordos, ajustes ou termos
de parceria entre si ou com entidades não-governamentais objetivando a realização dos
programas.
b) A União, os Estados, Distrito Federal e os Municípios poderão celebrar convênios, acordos,
ajustes ou termos de parceria entre si ou com entidades não-governamentais objetivando a
realização dos programas.
c) A União, os Estados e o Distrito Federal poderão celebrar convênios, acordos, ajustes ou termos
de parceria entre si ou com entidades não-governamentais objetivando a realização dos
programas.
d) A supervisão e a fiscalização dos convênios, acordos, ajustes e termos de parceria de interesse
do Municípios ficarão a cargo do órgão da Defensoria Pública com atribuições para a execução
da política de direitos humanos.

Questão 07: O artigo 2° da lei de Proteção a vítimas e testemunhas ameaçadas, diz que, A
proteção concedida pelos programas e as medidas dela decorrentes levarão em conta a
gravidade da coação ou da ameaça à integridade física ou psicológica, a dificuldade de preveni-
las ou reprimi-las pelos meios convencionais e a sua importância para a produção da prova.
Diante disso, a alternativa INCORRETA é:

6
a) A proteção poderá ser dirigida ou estendida ao cônjuge ou companheiro, ascendentes,
descendentes e dependentes que tenham convivência habitual com a vítima ou testemunha,
conforme o especificamente necessário em cada caso.
b) O ingresso no programa, as restrições de segurança e demais medidas por ele adotadas nunca
terão a anuência da pessoa protegida, ou de seu representante legal.
c) Após ingressar no programa, o protegido ficará obrigado ao cumprimento das normas por ele
prescritas.
d) As medidas e providências relacionadas com os programas serão adotadas, executadas e
mantidas em sigilo pelos protegidos e pelos agentes envolvidos em sua execução.

Questão 08: A lei 9.807, determinar no § 2° do artigo 2° quais indivíduos estão excluídos da
proteção.
I) os indivíduos cuja personalidade ou conduta seja incompatível com as restrições de
comportamento exigidas pelo programa;
II) os condenados que estejam cumprindo pena e os indiciados ou acusados sob prisão
cautelar em qualquer de suas modalidades;
III) os indivíduos cuja personalidade ou conduta seja compatível com as restrições de
comportamento exigidas pelo programa.

Assinale a alternativa em que são garantidas a proteção.

a) I e III
b) II e III
c) I e II
d) Todas as afirmativas

Questão 09: A solicitação objetivando ingresso no programa poderá ser encaminhada ao órgão
executor:
I - pelo interessado;
II - por representante do Ministério Público;
III - pela autoridade policial que conduz a investigação criminal;
IV - pelo juiz competente para a instrução do processo criminal;
V - por órgãos públicos e entidades com atribuições de defesa dos direitos humanos.
São corretas:

a) I, II, III e V
b) II, III, IV e V
c) I, II, IV e V
d) Todas os itens

Questão 10: Para fins de instrução do pedido, o órgão executor poderá solicitar, com a
aquiescência do interessado, documentos ou informações comprobatórias de sua identidade,
estado civil, situação profissional, patrimônio e grau de instrução, e da pendência de obrigações
civis, administrativas, fiscais, financeiras ou penais; exames ou pareceres técnicos sobre a sua
personalidade, estado físico ou psicológico.

A afirmativa está:

C. Certo
E. Errado

7
QUESTÃO EXTRA As medidas e providências relacionadas com os programas serão adotadas,
executadas e não serão mantidas em sigilo. Conforme o § 5° do artigo 2° da Lei 9.807, a chamada
Lei de Proteção a vítimas e testemunhas ameaçadas, a afirmativa está:

C. Certo
E. Errado

8
GABARITO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
1- D
2- C
3- B

APROFUNDANDO NO QUE CAI


1- E (ERRADO)
2- A
3- C (CERTO)
4- C
5- C (CERTO)
6- A
7- B
8- C
9- D
10- C (CERTO)
QUESTÃO EXTRA

 E (ERRADA)

9
SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS

📌Link da nossa página no Facebook: 👻CLIQUE AQUI

📌 Link da nossa página no Instagram: 👻CLIQUE AQUI

📌 Link do nosso canal do YouTube: 👻CLIQUE AQUI

📌 Link do Instagram do prof. Hugo Leonardo segue lá 💀#visao CLIQUE AQUI

📞 WhatsApp do LJAulas(38) 9 9120-1674

LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?


IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

10
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?
TÓPICO 1
 A lei 9.807 estabelece normas para a organização e a manutenção de
programas especiais de proteção a vítimas e a testemunhas ameaçadas; institui
o Programa Federal de Assistência a Vítimas e a Testemunhas ameaçadas;
dispõe sobre a proteção de acusados ou condenados que tenham
voluntariamente prestado efetiva colaboração à investigação policial e ao
processo criminal
 As medidas de proteção são destinadas a testemunhas ou vítimas que:
A) Estejam coagidas a grave ameaça, ou;
B) Expostas a grave ameaça.
Em razão de colaborarem com a investigação ou processo criminal.
 Medidas de proteção devem se prestadas por: Pela União, pelos Estados e pelo
Distrito Federal no âmbito das respectivas competências, na forma de
programas especiais organizados.
TÓPICO 2
 Critérios para a concessão da proteção:
a) A gravidade da coação ou da ameaça à integridade física ou psicológica;
b) A dificuldade de preveni-las ou reprimi-las pelos meios convencionais; e
c) A sua importância para a produção da prova
 Extensão da proteção: As medidas de proteção podem ser estendidas ao
cônjuge ou companheiro, ascendentes, descendentes e dependentes que
tenham convivência habitual com a vítima ou testemunhas.
 Exclusão do programa:
a) Indivíduos cuja personalidade ou conduta seja incompatível com as restrições
de comportamento exigidas pelo programa;
b) Indivíduos condenados que estejam cumprindo pena;
c) Indivíduos indiciados ou acusados sob prisão cautelar em qualquer de suas
modalidades.
 Anuência: O ingresso no programa, as restrições de segurança e demais
medidas por ele adotadas, terão sempre a anuência da pessoa protegida, ou de
seu representante legal.
TÓPICO 3
 Requisitos para a solicitação:
a) A qualificação da pessoa a ser protegida e com informações sobre a sua vida
pregressa;
b) O fato delituoso; e,
c) A coação ou ameaça que a motiva.

11
12
SUMÁRIO
PROTEÇÃO A VÍTIMAS E A TESTEMUNHAS AMEAÇADAS (LEI Nº 9.807/99) ...................................2
1- MEDIDAS DE PROTEÇÃO A VÍTIMAS E A TESTEMUNHAS..................................................2
2- REQUERIMENTO DE MEDIDAS CAUTELARES ....................................................................2
3- ALTERAÇÃO DO NOME ..........................................................................................................2
4- EXCLUSÃO E DURAÇÃO DO PROGRAMA ...........................................................................3

DA PROTEÇÃO AOS RÉUS COLABORADORES ..................................................................................3

1- DA COLABORAÇÃO PREMIADA ............................................................................................3


2- COLABORAÇÃO PREMIADA DO ARTIGO 14 ........................................................................4
3- IMPORTANTE ..........................................................................................................................5

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO.......................................................................................................................5

APROFUNDANDO NO QUE CAI...............................................................................................................6


QUESTÃO EXTRA.....................................................................................................................................9
GABARITO..............................................................................................................................................11
RESUMÃO LJORTANO..........................................................................................................................13

ENTÃO VAMOS LÁ, LJORTANOS...

1
LEI 9.807/99

MEDIDAS DE PROTEÇÃO A VÍTIMAS E A TESTEMUNHAS

O artigo 7º estabelece as medidas aplicáveis, isolada ou cumulativamente às pessoas


protegidas. Observe-se que o rol não é taxativo como o próprio artigo fez questão de frisar, utilizando a
expressão "dentre outras". Assim, eventualmente, outras medidas poderão ser adotadas como, por
exemplo, a alteração da identidade civil (prevista no artigo 6º, V do Decreto Regulamentador).
Referidas medidas também estão disciplinadas no Decreto em seu artigo 1º, parágrafo único. O
artigo 3º da Lei 10.354/99 (Lei de Proteção em São Paulo), elenca ainda uma série de outras medidas
que podem ser aplicadas, entre elas: informar, orientar e assessorar as vítimas de violência, nos
envolvimentos com questões de natureza criminal, civil, familiar ou constitucional; colaborar para
a adoção de medidas imediatas de reparação ao dano ou lesão sofrida pela vítima; acompanhar as
diligências policiais ou judiciais, especialmente nas situações de crimes violentos; garantir acesso
à educação para os filhos que perderem o sustento familiar através de concessão de bolsas de estudo;
elaborar e veicular campanhas de prevenção à violência e de conscientização da população quanto à
importância de contribuir para a investigação e apuração de atos criminosos, entre outras.
É importante lembrar ainda que, a ajuda financeira mensal terá um teto fixado pelo conselho
deliberativo no início de cada exercício financeiro.

REQUERIMENTO DE MEDIDAS CAUTELARES

O artigo em questão apresenta a mesma hipótese do Decreto nº 3.518/00, em especial no artigo


6º, inciso III, como uma das atribuições do Conselho Deliberativo.
Assim, o Ministério Público, se acionado, poderá requerer ao juiz concessão de medidas
cautelares relacionadas à eficácia da proteção. O juiz é claro, como já esclarecido, é o competente para
a instrução do processo criminal (art.5º, IV). É claro que, caso o Ministério Público entenda necessário,
independente do Conselho Deliberativo, poderá requerer ao juiz as mesmas medidas, até por questão
de dever legal.

ALTERAÇÃO DO NOME

Inovou a legislação sob análise no artigo 8°. Inovação esta, de grande valia em se tratando de
proteção a vítimas e testemunhas.
O caput permitiu, em casos excepcionais, e considerando a gravidade da coação ou ameaça,
que o Conselho Deliberativo requeira ao juiz competente para registros públicos, solicitando a alteração
do nome completo da pessoa protegida. Observe-se que a lei neste ponto esclarece que o requerimento
deverá ser feito ao juiz de registros públicos. Não mencionou aqui o juiz competente para a instrução do
processo criminal, como fez em outros pontos da lei.
O §1º determina ainda que a alteração do nome completo poderá estender-se ao cônjuge,
companheiro ou companheira, ascendentes, descendentes, dependentes e filhos menores.
O requerimento deverá ser fundamentado e o juiz ouvirá previamente o Ministério Público,
determinando que o procedimento tenha rito sumaríssimo e corra em segredo de justiça. (§2º do artigo
em análise).
Concedida a alteração, o juiz determinará na sentença, a averbação no registro original de
nascimento da menção de que houve alteração de nome completo, com expressa referência à sentença
autorizatória e ao juiz que a exarou e sem a aposição do nome alterado (§3º, inciso I do artigo 9º).

2
Assim, determinou a lei que no registro original conste a alteração de nome, entretanto, não permitiu a
lei que ficasse constando o novo nome. O motivo é óbvio e andou muito bem o legislador nesse ponto.
Ainda na sentença o juiz determinará aos órgãos competentes para o fornecimento dos
documentos decorrentes da alteração (§3º, inciso II).
Por fim, determinará o juiz a remessa da sentença ao órgão nacional competente para o registro
único de identificação civil, observando-se as restrições de sigilo (§3º, inciso III, também do artigo 9º).
O Conselho Deliberativo deverá manter o controle sobre a localização do protegido após a
alteração do nome (§4º).
O §5º estabelece uma situação interessante. Cessada a coação ou a ameaça que deu causa à
alteração, ficará facultado ao protegido solicitar ao juiz competente o retorno a situação anterior, com a
alteração para o nome original. Assim, o protegido poderá voltar a usar o nome verdadeiro se cessados
forem os motivos da proteção. Também neste caso será necessária a prévia manifestação do Ministério
Público.

EXCLUSÃO E DURAÇÃO DO PROGRAMA

Trata o artigo 10° sobre quem poderá solicitar a exclusão da pessoa protegida do programa e
quais os motivos que podem levar à exclusão.
Poderão solicitar a exclusão o próprio interessado e o conselho deliberativo. O artigo 13 do
Decreto nº 3.518/00 que regulamenta a lei em análise, estabelece ainda que também poderá requerer a
exclusão o representante legal do protegido. Estabelece ainda que a exclusão poderá ocorrer por
decisão da Autoridade Policial responsável pelo serviço de proteção.
Os motivos que podem levar a exclusão são a cessação dos motivos que ensejaram a proteção
e a conduta incompatível do protegido.
O artigo em questão parece transparecer que a simples decisão do conselho ou da autoridade
policial responsável pelo serviço de proteção, é suficiente para a exclusão do protegido. Entretanto, não
podemos nos desgarrar do disposto no artigo 3º da Lei nº 9.807/99 que determina que "toda admissão
no programa ou exclusão dele será precedida de consulta ao Ministério Público sobre o disposto no art.
2º e deverá ser subsequentemente comunicada à autoridade policial ou ao juiz competente".
Finalmente, estabelece o parágrafo único do artigo 13 do Decreto nº 3518/00, complementando
o artigo 10 da lei, que quando da exclusão será lavrado um termo de exclusão em que constará a
ciência do excluído e os motivos do ato.
O artigo 11, fixa o prazo máximo de duração da proteção oferecida pelo programa que em
circunstâncias excepcionais poderá ser prorrogada, desde que, perdure os motivos que autorizaram a
admissão. Não fixa a lei quantas vezes poderá ser prorrogada. Entendemos ser possível a prorrogação
quantas vezes for necessária desde que perdure os motivos que autorizaram a admissão.

DA PROTEÇÃO AOS RÉUS COLABORADORES

1- DA COLABORAÇÃO PREMIADA

Trata o artigo da possibilidade do juiz conceder perdão judicial com a extinção da punibilidade ao
acusado que, sendo primário, colaborar efetiva e voluntariamente com a investigação e o processo
criminal.
A princípio devemos notar que o artigo estabelece que o juiz poderá. Entendemos que se trata
realmente de uma faculdade do juiz uma vez que deverá levar em conta para a concessão o disposto
no parágrafo único do mesmo artigo, ou seja, deverá levar em conta para a concessão, a personalidade

3
do beneficiado e a natureza, circunstâncias, gravidade e repercussão social do fato criminoso. Trata
aqui das circunstâncias judiciais previstas no artigo 59 do Código Penal.
Para a concessão do perdão o juiz poderá agir de ofício ou a requerimento das partes.
Como requerimento das partes podemos entender o pedido do próprio colaborador ou seu advogado e,
ainda, do Ministério Público.
O artigo estabelece ainda que o perdão somente poderá ser concedido se, da colaboração tenha
resultado:
a) a identificação dos demais co-autores ou partícipes da ação criminosa;
b) a localização da vítima com a sua integridade física preservada;
c) a recuperação total ou parcial do produto do crime.
Entendemos que tendo ocorrido apenas um dos itens acima, é o suficiente para a concessão do
perdão. Os requisitos são alternativos e não cumulativos.
Perdão Judicial é o instituto pelo qual o juiz, não obstante comprovada a prática da infração
penal pelo sujeito culpado, deixa de aplicar a pena em face de justificadas circunstâncias (Damásio E.
de Jesus). É causa extintiva de punibilidade conforme estabelece o artigo 107, IX do Código Penal.
Para a concessão do perdão judicial é necessário que o acusado seja primário (Há duas
orientações sobre seu conceito: 1ª) é não só o que foi condenado pela primeira vez, como também o
que foi condenado várias vezes, sem ser reincidente. Posição majoritária; 2ª) é o que, na data da
sentença ou decisão que aprecia algum benefício, não tem condenação anterior irrecorrível) e tenha
colaborado efetiva e voluntariamente com a investigação ou o processo criminal.
São requisitos subjetivos para a concessão do perdão judicial:
a) A personalidade favorável do beneficiário;
b) A natureza;
c) As circunstâncias;
d) A gravidade; e,
e) A repercussão social do fato criminoso.

2- COLABORAÇÃO PREMIADA DO ARTIGO 14

O artigo em questão trata praticamente da mesma situação anterior, entretanto, obriga o


juiz a, em não concedendo o perdão judicial, ou seja, no caso de condenação, reduzir a pena de um a
dois terços, nos casos em que o indiciado ou acusado colaborou voluntariamente com a investigação e
o processo criminal sem que ocorra os resultados acima elencados (itens a,b e c). Ou seja, basta a
colaboração voluntária sem que dela resulte a efetiva localização da vítima, recuperação do produto do
crime ou identificação dos co-autores. Esse também o entendimento de Alexandre Demetrius Pereira e
Bruno Cezar da Luz Pontes.
O Decreto Federal nº 3.518/00 que regulamenta a lei em análise, conceitua, no artigo 10,
como depoente especial, o réu detido ou preso, aguardando julgamento, indiciado ou acusado sob
prisão cautelar em qualquer de suas modalidades, que testemunhe em inquérito ou processo judicial, se
dispondo a colaborar efetiva e voluntariamente com a investigação e o processo criminal, desde que
dessa colaboração possa resultar a identificação de autores, co-autores ou partícipes da ação
criminosa, a localização da vítima com sua integridade física preservada ou a recuperação do produto
do crime e também a pessoa que, não admitida ou excluída do programa, corra risco pessoal e colabore
na produção da prova.
O depoente especial está sujeito ao Serviço de Proteção ao Depoente Especial (artigo 11 do
Decreto nº 3.518/00) que consiste na prestação de medidas de proteção assecuratórias da integridade
física e psicológica do depoente especial, aplicadas isoladas ou cumulativamente, consoante as
especificidades de cada situação, compreendendo, dentre outras: segurança na residência, incluindo o

4
controle de telecomunicações; escolta e segurança ostensiva nos deslocamentos da residência,
inclusive para fins de trabalho ou para a prestação de depoimentos; transferência de residência ou
acomodação provisória em local compatível com a proteção; sigilo em relação aos atos praticados em
virtude da proteção concedida e; medidas especiais de segurança e proteção da integridade física,
inclusive dependência separada dos demais presos, na hipótese de o depoente especial encontrar-se
sob prisão temporária, preventiva ou decorrente de flagrante delito.

3- IMPORTANTE

Finalmente, estipula o "caput" que o colaborador terá, na prisão ou fora dela, medidas especiais
de segurança e proteção a sua integridade física. Difícil é acreditar que isso realmente ocorra face, a
falência dos programas de proteção existentes. Isso, em virtude de desinteresse da administração que
parece não levar a sério o programa de proteção a vítimas e testemunhas.
O §1º estabelece que se o colaborador estiver sob prisão temporária, preventiva ou flagrante,
será custodiado em dependência separada dos demais presos. Para a real garantia do colaborador,
devemos entender "dependência separada", local realmente diverso. Não basta a nosso ver, cela
separada, tendo em vista as constantes rebeliões e o fácil acesso dos demais presos quando, então,
estaria o colaborador sofrendo sério risco. Da mesma forma, se o colaborador estiver cumprindo pena
em regime fechado, o juiz também poderá adotar medidas para sua proteção (§ 3º).
Durante a instrução criminal, o juiz poderá determinar qualquer das medidas previstas no artigo
8º da presente lei, ou seja, medidas cautelares direta ou indiretamente relacionadas com a eficácia da
proteção (§ 2º).
Pelo que podemos observar nessa análise sobre a legislação de proteção a vítimas e
testemunhas no Brasil, chegamos a duas conclusões: a primeira é que a lei apresenta vários aspectos
positivos, entretanto, face a falência e desinteresse da administração pública em realizar um programa
sério, muito se perde quanto a benefícios na área de segurança pública; a segunda é que a lei
apresentou também muitos aspectos negativos (comentados no artigo) que, em parte, contribuem para
o insucesso do programa.

EXERCICIOS DE FIXAÇÃO

1- À luz da Lei de Proteção a Vítima e a Testemunha, Lei nº 9.807/1999, o indiciado ou acusado


que colaborar voluntariamente com a investigação policial e o processo criminal na identificação
dos demais co-autores ou partícipes do crime, na localização da vítima com vida e na
recuperação total ou parcial do produto do crime, no caso de condenação, terá pena reduzida
de:

A) um a três quintos;

B) um a dois quartos;
C) um a dois terços;
D) um sexto a dois terços.

5
2. Segundo a Lei nº 9.807, de 13 de julho de 1999, o tempo máximo de duração do programa de
proteção a vítima e a testemunha, é de:

A) 1 (um) ano, podendo a permanência ser prorrogada, em circunstâncias excepcionais, caso


perdurem os motivos em que autorizaram a admissão;

B) 2 (dois) anos, não podendo a permanência ser prorrogada, em nenhuma hipótese;

C) 3 (três) anos, podendo a permanência ser prorrogada, em circunstâncias excepcionais, caso


perdurem os motivos em que autorizaram a admissão;

D) 2 (dois) anos, podendo a permanência ser prorrogada, em circunstâncias excepcionais, caso


perdurem os motivos em que autorizaram a admissão.

3. Segundo a Lei nº 9.807, de 13 de julho de 1999, ao acusado que, sendo primário, tenha
colaborado efetiva e voluntariamente com a investigação e o processo criminal, desde que dessa
colaboração, além de outras hipóteses, tenha resultado na recuperação total ou parcial do
produto do crime, poderá o juiz, desde que presentes as circunstâncias de caráter subjetivas, de
ofício ou a requerimento das partes, conceder:

A) indulto coletivo
B) perdão judicial
C) graça

D) nenhuma das hipóteses anteriores.

APROFUNDANDO NO QUE CAI

Questão 01 (MPE-PR): Assinale a alternativa incorreta:


a) O magistrado, de ofício, pode determinar a exclusão de pessoa do programa de proteção às
vítimas e testemunhas ameaçadas (Lei nº 9.807/99), sem prescindir de comunicação imediata
ao Ministério Público;
b) Se a vítima, logo depois de transitada em julgado a pronúncia por tentativa de homicídio, morre
devido aos ferimentos dos tiros mencionados na descrição fática da inicial acusatória, caberá
aditamento desta para imputar homicídio consumado;
c) Como desdobramento da autodefesa, o acusado possui capacidade postulatória autônoma,
consubstanciando-se na possibilidade de interpor recursos, impetrar HC e ajuizar revisão
criminal;
d) Os crimes elencados na Lei nº 12.850/13 (organizações criminosas) e as respectivas infrações
conexas, por regra expressa da legislação especial, serão apurados mediante rito ordinário do
Código de Processo Penal.
Questão 02 (MPE-SP): A Lei Federal n° 9.807/99, com vistas à preservação da identidade e
incolumidade das vítimas, testemunhas ameaçadas e réus colaboradores, prevê algumas
medidas protetivas, EXCETO:

6
a) Segurança na residência.
b) Assistência médica.
c) Alteração do nome completo.
d) Ajuda financeira mensal.
e) Cirurgias plásticas.
Questão 03 (MPE-MA): Tratando-se de proteção de vítimas, testemunhas e acusados (Lei nº
9.807/99) é correto afirmar:
a) Apenas o acusado primário, em caso de sua condenação, poderá ser beneficiado com redução
de pena, exigindo-se que sua colaboração, no processo criminal, seja voluntária e efetiva para
identificar coautores ou partícipes da ação criminosa;
b) Colaboração premiada é um instituto previsto na Lei nº 9.807/99, com figura similar, na área
criminal, apenas nas legislações de crimes de lavagem de dinheiro e antidrogas;
c) A solicitação para o ingresso no programa de proteção às testemunhas pode ser feita tão
somente: de ofício pelo juiz, pelo Ministério Público e pela autoridade que conduz a investigação;

d) Se o autor do crime, primário, contribuiu voluntária e efetivamente na investigação criminal,


resultando na recuperação total ou parcial do produto do crime, pode ser beneficiado com o
perdão judicial, na forma da Lei nº 9.807/99.
Questão 04 (FUNCAB): No tocante aos programas especiais de proteção às vítimas e às
testemunhas ameaçadas, instituídos pela Lei nº 9.807/1999, pode-se afirmar:

a) A proteção não poderá ser dirigida ou estendida ao cônjuge ou companheiro, ascendentes,


descendentes e dependentes.
b) A proteção concedida pelos programas e as medidas dela decorrentes não levarão em conta a
gravidade da coação ou da ameaça à integridade física ou psicológica, a dificuldade de preveni-
las ou reprimi-las pelos meios convencionais e a sua importância para a produção da prova.
c) Estão excluídos da proteção os indivíduos cuja personalidade ou conduta seja incompatível com
as restrições de comportamento exigidas pelo programa, os condenados que estejam cumprindo
pena e os indiciados ou acusados sob prisão cautelar em qualquer de suas modalidades.
d) O ingresso no programa, as restrições de segurança e demais medidas por ele adotadas não
terão anuência da pessoa protegida.
Questão 05 (ACAFE): Analise o seguinte caso: “Tulius”, reincidente em crime doloso, partícipe
de crime de seqüestro ou cárcere privado, interrogado no inquérito pela autoridade policial, além
de assumir seu envolvimento no ilícito, indicou o local onde se achava a vítima, o que permitiu a
sua libertação com a integridade física preservada. No mesmo interrogatório “Tulius” delatou os
seus comparsas – autores executores do crime, os quais foram identificados e posteriormente
presos preventivamente.
Ele poderá obter perdão judicial por força da delação premiada?
a) Sim, pois ele preenche todos os requisitos exigidos pela Lei n. 9.807/99.
b) Não, pois “Tulius” não é primário.
c) Sim, porque não se trata de delito patrimonial praticado com violência ou grave ameaça à
pessoa.
d) Não, pois se trata de crime contra a liberdade da pessoa.

7
Questão 06 (CESPE): No que se refere à delação premiada, interceptação telefônica, habeas
corpus, conexão e jurisdição, assinale a opção correta.
a) Tem sido reiteradamente aceita, conforme a jurisprudência do STJ, a utilização do habeas
corpus, inclusive como substitutivo de recurso próprio e, em respeito ao princípio constitucional
da celeridade processual, para o reconhecimento de nulidades (error in procedendo), mesmo
após o trânsito em julgado da ação penal e ainda que já cumprida a condenação, desde que a
prova se mostre de plano.
b) Conforme entendimento dos tribunais superiores, é suficiente, para a configuração da conexão
instrumental, a mera conveniência no simultaneus processus, dispensando-se vínculo objetivo
entre os diversos fatos criminosos.
c) Uma das características da jurisdição é a substitutividade, segundo a qual o Poder Judiciário,
por meio do Estado-juiz, substitui as partes em litígio para pôr fim aos conflitos de interesse nas
relações sociais; de acordo com o princípio da imutabilidade, ou definitividade, após a ocorrência
da coisa julgada, salvo a hipótese de revisão criminal, a sentença não pode ser alterada.
d) O sistema geral de delação premiada está previsto na Lei n.º 9.807/1999, e, apesar da previsão
em outras leis, os requisitos gerais ali estabelecidos devem ser preenchidos para a concessão
do benefício, que, conforme as condicionantes legais, assume a natureza jurídica de perdão
judicial, o que implica a extinção da punibilidade, ou de causa de diminuição de pena.
Questão 07 (CESPE): No que se refere a delação premiada e com base no entendimento
jurisprudencial dado ao tema, assinale a opção correta.

a) Tratando-se de crime hediondo, se o delator prestar informações eficientes relacionadas aos


seus comparsas, ainda que a associação de agentes seja eventual, admite-se o reconhecimento
da delação premiada.
b) Em caso de delito praticado antes da vigência da lei que previu o benefício da delação premiada
como causa de redução de pena, não há que se falar em retroatividade da lei posterior para
beneficiar o agente, pois, tratando-se de lei processual penal, tempus regit actum.
c) Constitui constrangimento ilegal a manifestação do MP, por ocasião do oferecimento da
denúncia, no sentido de apresentar a condição de o réu confirmar em juízo as declarações
prestadas na fase investigatória para que possa vir a ser beneficiado com o perdão judicial
previsto no art. 13 da Lei n.º 9.807/1999.
d) A minorante da delação premiada, por ser circunstância, e não elementar, é incomunicável e
incabível no que se refere à aplicação automática, por extensão, no caso de concurso de
pessoas.
Questão 08 (NC-UFPR): Em relação à Lei nº 9.807/99 (Programa de Proteção a Vítimas e
Testemunhas), assinale a alternativa correta.
a) Os condenados que estejam em cumprimento de pena e os indiciados ou acusados sob prisão
cautelar estão excluídos dos programas de proteção previstos na Lei nº 9.807/99, ainda que
caiba, em tais casos, a prestação de medidas da preservação da integridade física desses
indivíduos por parte dos órgãos de segurança pública.
b) A admissão em programa de proteção, por interessar apenas ao cidadão, prescinde de
manifestação prévia do Ministério Público.
c) A exclusão de indivíduo do programa de proteção prescinde de manifestação prévia do
Ministério Público.
d) Em casos envolvendo o réu colaborador, é incabível a extinção da punibilidade pelo perdão
judicial.

8
Questão 09 (Instituto Consulplan): Julgue a afirmativa como CERTA ou ERRADA.

Nos termos da Lei n. 9.807/1999, em caso de urgência e levando em consideração a procedência,


gravidade e a iminência da coação ou ameaça, a vítima ou testemunha poderá ser colocada
provisoriamente sob a custódia de órgão policial, pelo órgão executor, no aguardo de decisão do
conselho deliberativo, com comunicação imediata a seus membros e ao juiz competente para a
instrução do processo criminal.

C. Certo
E. Errado

Questão 10 (NUCEPE): Quanto aos programas de proteção requeridos por vítimas ou por
testemunhas de crimes que estejam coagidas ou expostas a grave ameaça, em razão de
colaborarem com a investigação ou processo criminal, pode-se afirmar, que dentre outras
medidas, se encontra:

a) segurança na residência, salvo o controle de telecomunicações;


b) ajuda financeira mensal para prover as despesas necessárias à subsistência individual ou
familiar, mesmo que a pessoa protegida tenha possibilidade de desenvolver trabalho regular;
c) escolta e segurança nos deslocamentos da residência, inclusive para fins de trabalho ou para a
prestação de depoimentos;
d) apoio e assistência psicológica e social, excluída a assistência médica;

QUESTÃO EXTRA A solicitação objetivando ingresso no programa poderá ser encaminhada ao


órgão executor:
I - pelo interessado;
II - por representante do Ministério Público;
III - pela autoridade policial que conduz a investigação criminal;
IV - pelo juiz competente para a instrução do processo criminal;
V - por órgãos públicos e entidades com atribuições de defesa dos direitos humanos.
São corretas:

9
a) I, II, III e V
b) II, III, IV e V
c) I, II, IV e V
d) Todos os itens

10
GABARITO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
1- C
2- D
3- B

APROFUNDANDO NO QUE CAI

1- A
2- E
3- D
4- C
5- B
6- D
7- D
8- A
9- E (ERRADO)
10- C
QUESTÃO EXTRA
D

11
SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS

📌Link da nossa página no Facebook: 👻CLIQUE AQUI

📌 Link da nossa página no Instagram: 👻CLIQUE AQUI

📌 Link do nosso canal do YouTube: 👻CLIQUE AQUI

📌 Link do Instagram do prof. Hugo Leonardo segue lá 💀#visao CLIQUE AQUI

📞 WhatsApp do LJAulas(38) 9 9120-1674

LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?


IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

12
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?
TÓPICO 1
 Medidas de proteção a vítima e a testemunha:
I - segurança na residência, incluindo o controle de telecomunicações;
II - escolta e segurança nos deslocamentos da residência, inclusive para fins de
trabalho ou para a prestação de depoimentos;
III - transferência de residência ou acomodação provisória em local compatível com
a proteção;
IV - preservação da identidade, imagem e dados pessoais;
V - ajuda financeira mensal para prover as despesas necessárias à subsistência
individual ou familiar, no caso de a pessoa protegida estar impossibilitada de
desenvolver trabalho regular ou de inexistência de qualquer fonte de renda;
VI - suspensão temporária das atividades funcionais, sem prejuízo dos respectivos
vencimentos ou vantagens, quando servidor público ou militar;
VII - apoio e assistência social, médica e psicológica;
VIII - sigilo em relação aos atos praticados em virtude da proteção concedida;
IX - apoio do órgão executor do programa para o cumprimento de obrigações civis
e administrativas que exijam o comparecimento pessoal.
TÓPICO 2
 Exclusão e duração do programa: A exclusão da pessoa protegida de programa
de proteção a vítimas e a testemunhas poderá ocorrer a qualquer tempo:
I - por solicitação do próprio interessado;
II - por decisão do conselho deliberativo, em consequência de:
a) cessação dos motivos que ensejaram a proteção;
b) conduta incompatível do protegido.
TÓPICO 3
 Perdão Judicial: é o instituto pelo qual o juiz, não obstante comprovada a prática
da infração penal pelo sujeito culpado, deixa de aplicar a pena em face de
justificadas circunstâncias.
 Requisitos subjetivos para a concessão do perdão judicial:
a) A personalidade favorável do beneficiário;
b) A natureza;
c) As circunstâncias;
d) A gravidade; e,
e) A repercussão social do fato criminoso.

13
14
SUMÁRIO

ESTATUTO DO DESARMAMENTO (LEI N°10.741/2003).....................................................................2


ARTIGO 1°......................................................................................................................................2
ARTIGO 2° .....................................................................................................................................2
ARTIGO 3° .....................................................................................................................................2
ARTIGO 4°......................................................................................................................................4
ARTIGO 6° E 7°...............................................................................................................................5
ARTIGO 8° E 9°...............................................................................................................................5
ARTIGO 10°.....................................................................................................................................8
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ...................................................................................................................9
APROFUNDANDO NO QUE CAI.............................................................................................................9
GABARITO .............................................................................................................................................12
RESUMÃO LJORTANO...........................................................................................................................13

ENTÃO VAMOS LÁ, LJORTANOS....

1
ESTATUTO DO IDOSO – LEI N°10. 741/2003

ARTIGO 1° AO 10°

A PARTIR DE QUAL IDADE CONSIDERA-SE IDOSO – ARTIGO 1°:

Art. 1º. É instituído o Estatuto do Idoso, destinado a regular os direitos assegurados às pessoas
com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos.
Este Estatuto nasce dos princípios norteadores da CRFB/88, tida como a Constituição Cidadã,
que consolidou matéria já tratada pelos diplomas constitucionais anteriores, aplicando aos idosos os
princípios fundamentais da dignidade da pessoa humana elegendo a proteção à velhice como um dos
objetivos da assistência social.
A lei 10.741/03 define como idoso a pessoa com idade maior ou igual que 60 anos, valendo-se
assim do critério cronológico para estabelecer os que estão sob o efeito da presente lei.

GARANTIA DE DIREITOS FUNDAMENTAIS E PRESERVAÇÃO DAS DEMAIS ÁREAS DE


SUAS VIDAS – ARTIGO 2°:

Art. 2º O idoso goza de todos os direitos fundamentais inerentes à pessoa humana, sem prejuízo
da proteção integral de que trata esta Lei, assegurando- se-lhe, por lei ou por outros meios, todas as
oportunidades e facilidades, para preservação de sua saúde, física e mental, e seu aperfeiçoamento
moral, intelectual, espiritual e social, em condições de liberdade e dignidade.
O artigo 2º do Estatuto do Idoso ratifica/confirma o artigo 5º da Constituição Federal (CF), que
versa, genericamente, sobre direitos e garantias fundamentais de todo cidadão brasileiro. Entretanto,
este artigo vai além da norma constitucional, vez que prevê especificamente os interesses e
necessidades dos idosos.
O artigo 5º da CF aduz/prevê o Princípio da Igualdade/Isonomia, proibindo distinções de
qualquer natureza, garantindo direitos básicos do individuo, tais como à vida, à liberdade, à igualdade, à
segurança e à propriedade.
Nas previsões do artigo 2º, do Estatuto do Idoso, ficam também subentendidas as garantias e
direitos previstos em sentido amplo pelos artigos 6 e 7 da CF, respectivamente, que dizem respeito aos
DIREITOS SOCIAIS (dentre os quais destacam-se o direito à saúde e à segurança, que são os de
maior importância para os idosos); elencando/listando, também, DIREITOS TRABALHISTAS E
PREVIDENCIÁRIOS (direito à aposentadoria, proibição de diferença de salários, de exercício de
funções e de critério de admissão por motivo de idade).

2
O IDOSO TEM DIREITO À EFETIVAÇÃO DE QUAIS DIREITOS – ARTIGO 3º:

Art. 3º É obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do Poder Público assegurar ao


idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação,

à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à


convivência familiar e comunitária.
Como vislumbrado, o caput do art.3° do Estatuto do Idoso apresenta uma série de direitos que
devem ser assegurados, prioritariamente, às pessoas com mais de 60 anos. O art. em questão dispõe
sobre 14 direitos. Dessa maneira, torna-se uma prioridade social, conforme o art. 3º da Lei 10.741/2003,
a efetivação do:
Direito à vida;
Direito à saúde;
Direito à alimentação;
Direito à educação;
Direito à cultura;
Direito ao esporte;
Direito ao lazer;
Direito ao trabalho;
Direito à cidadania;
Direito à liberdade;
Direito à dignidade;
Direito ao respeito;
Direito à convivência familiar e comunitária.

A QUEM COMPETE ASSEGURAR OS DIREITOS:

O artigo 3º do Estatuto do Idoso, assim como o artigo 230 da CF, atribui à família, a comunidade,
à sociedade e ao Estado o dever de amparo aos idosos, de forma a assegurar-lhes seus direitos
fundamentais e atender suas principais necessidades. O Poder Público, no traçar de suas
generalidades, ficou por último nas atribuições que lhe competiriam. Em primeiro lugar foi convocada a
família, depois a comunidade e em seguida a sociedade. O Poder Público, no traçar de suas
generalidades, ficou por último nas atribuições que lhe competiriam. Em primeiro lugar foi convocada a
família, depois a comunidade e em seguida a sociedade.

3
OS IDOSOS TÊM DIREITO À GARANTIA DE ABSOLUTA PRIORIDADE EM RELAÇÃO AOS
SEUS DIREITOS. O QUE COMPREENDE A GARANTIA DE PRIORIDADE:

Sobre a obrigação familiar, o art. 3º do Estatuto do Idoso muito pouco acrescentou de novidade.
Sua contribuição foi a abertura de prioridades na efetivação dos direitos do idoso, enumerando-lhe no
parágrafo único, uma cadeia de benesses próprias. As prioridades foram sustentadas no atendimento
preferencial sobre outras faixas de idade; preferência legal na formulação e execução de ações sociais
específicas; privilégios orçamentários no direcionamento dos recursos públicos; formulação de ações
que visem a inserção do idoso no seio de outras gerações, ocupando-lhe o tempo em processo de
participação e convívio; preferência de atendimento no próprio seio familiar, à exceção de a família não
possuir as condições ideais e necessárias para o abrigamento, seja pela carência de recursos ou outros
motivos; faculdade de atendimento especializado de serviços nas áreas de geriatria e gerontologia;
ações de orientação ao processo de envelhecimento, ressaltando os fatores biológicos, psíquicos e
sociais do idoso; facilitação e acesso aos serviços de saúde e assistência social, preferencialmente
dentro da própria comunidade onde vive o idoso. Ainda se pode acrescentar aqui a força da

Lei n. 12.008/09 que alterou o art. 1.211-A do Código de Processo Civil. No caso vertente, priorizou-se a
tramitação dos procedimentos judiciais em todas as instâncias para todas as pessoas com idade igual
ou superior a 60 (sessenta) anos. O mesmo ocorreu com a Lei n. 9.784/99 que também estendeu seu
manto protetor aos procedimentos administrativos. A celeridade do processo judicial e administrativo é
de fundamental importância para os beneficiários do Estatuto.
A garantia de prioridade de que trata o parágrafo único (art. 3º do Estatuto), acima, tem uma
analogia com as metas da Política Nacional do Idoso, erigida sob a Lei n. 8.842, de 4 de janeiro de
1994. Nessa política, há existência de nove pontos debatidos e são os seguintes:
§ 1º A garantia de prioridade compreende:
I – atendimento preferencial imediato e individualizado junto aos órgãos públicos e
privados prestadores de serviços à população;
II – preferência na formulação e na execução de políticas sociais públicas específicas;
III – destinação privilegiada de recursos públicos nas áreas relacionadas com a proteção ao
idoso;
IV – viabilização de formas alternativas de participação, ocupação e convívio do idoso com
as demais gerações;
V – priorização do atendimento do idoso por sua própria família, em detrimento do
atendimento asilar, exceto dos que não a possuam ou careçam de condições de manutenção da própria
sobrevivência;
VI – capacitação e reciclagem dos recursos humanos nas áreas de geriatria e gerontologia
e na prestação de serviços aos idosos;
VII – estabelecimento de mecanismos que favoreçam a divulgação de informações de
caráter educativo sobre os aspectos biopsicossociais de envelhecimento;
VIII – garantia de acesso à rede de serviços de saúde e de assistência social locais.
IX – prioridade no recebimento da restituição do Imposto de Renda.
§ 2º Dentre os idosos, é assegurada prioridade especial aos maiores de oitenta anos,
atendendo-se suas necessidades sempre preferencialmente em relação aos demais idosos.
O parágrafo 2° dispõe que os idosos maiores de 80 anos tem prioridade especial. Incluído pela
Lei nº 13.466, de 2017.

4
PROIBIÇÃO DE MAUS TRATOS AOS IDOSOS - ARTIGO 4°:

Art. 4o Nenhum idoso será objeto de qualquer tipo de negligência, discriminação, violência,
crueldade ou opressão, e todo atentado aos seus direitos, por ação ou omissão, será punido na forma
da lei.
§ 1o É dever de todos prevenir a ameaça ou violação aos direitos do idoso.
§ 2o As obrigações previstas nesta Lei não excluem da prevenção outras decorrentes dos
princípios por ela adotados.
Este dispositivo acima também está incurso na reserva constitucional de todos os cidadãos,
pouco importando sua raça, idade, cultura, etnia, sexo etc. Ninguém pode ser objeto de qualquer tipo de
negligência, discriminação, violência, crueldade ou opressão. Qualquer vítima destas agressões, sejam
as agressões físicas ou morais, encontrará a correspondente proteção estatal. Pouco importa o estado
ou condição da vítima. Pouco importa seja ela rica, pobre, branca, negra, feia, bonita, criança,
adolescente, adulto, velho, homem ou mulher, brasileiro ou estrangeiro, pois, de qualquer forma, a lei
virá em seu socorro.

O parágrafo primeiro do artigo, em comentário, adiciona à lei o fenômeno da publicização. Ele


tira da norma o seu caráter privado e traz à cena aquela velha máxima oriunda do Direito Romano onde
todo cidadão é um soldado (omnis civis est miles).7
•Está se vendo que o Estatuto do Idoso não esgotou nos seus artigos, a proteção que prometeu
oferecer aos idosos. Os princípios adotados no seu raio de ação extravasam-se para outras normas
correlacionadas. A existir lei esparsa ou fora de seu círculo, com trato da mesma matéria, o Estatuto
não lhe retira nem pretende diminuir seu vigor, muito pelo contrário: anuncia sua aliança e
complemento.

DEVER DE COMUNICAÇÃO À AUTORIDADE EM CASO DE VIOLAÇÃO AOS DIREITOS


DOS IDOSOS – ARTIGO 6° E 7°:

Art. 6º Todo cidadão tem o dever de comunicar à autoridade competente qualquer forma de
violação a esta Lei que tenha testemunhado ou de que tenha conhecimento.
Outra vez se vê repetida a máxima: omnis civis est miles. Não só é um princípio legal, mas
também moral, como uma exigência de solidariedade humana. O idoso, teoricamente, é a parte
delicada da relação social. Se tem um Estatuto para protegê-lo, não foi em vão que as medidas ali
contempladas viessem traduzir nos verbos “proteger”, “zelar”, “criar mecanismos de respeito” etc. Há
por trás da norma legal especial toda uma política traçada com rigor e determinação.
Art. 7º Os Conselhos Nacional, Estaduais, do Distrito Federal e Municipais do Idoso, previstos na
Lei n. 8.842, de 4 de janeiro de 1994, zelarão pelo cumprimento dos direitos do idoso, definidos nesta
Lei.
A Lei n. 8.842, de 4 de janeiro de 1994 (que trata da Política Nacional do Idoso), em seus arts. 6º
e 7º, descreveu que os quatro Conselhos: Nacional, Estadual, do Distrito Federal e Municipal,
permanentes, paritários e deliberativos. Terão a atribuição de supervisionar, acompanhar, fiscalizar e
avaliar a política nacional do idoso, no âmbito das respectivas instâncias político-administrativas.

5
DO ENVELHECIMENTO COMO DIREITO PERSONALÍSSIMO E PROTEGIDO
SOCIALMENTE – ARTIGOS 8° E 9° :

Art. 8º O envelhecimento é um direito personalíssimo e a sua proteção um direito social, nos


termos desta Lei e da legislação vigente.
Entende-se por direito personalíssimo aquele que é inato da pessoa humana, na sua
individualidade, incomunicável com outras pessoas. São as características próprias de cada um, ao
próprio segredo de sua intimidade. Persona,4 do latim, significa máscara. A máscara representa a
individualidade, os atributos próprios de cada pessoa, indivisível. Tudo que é personalíssimo é próprio
somente de uma pessoa ou grupo com individualidades coincidentes ou características especiais. Os
Direitos da Personalidade garantem esta condição. Carlos Alberto Bittar considera da personalidade os
direitos reconhecidos à pessoa humana tomada em si mesma e em suas projeções na sociedade,
previstos no ordenamento jurídico exatamente para a defesa de valores inatos do homem, como a vida,
a higidez física, a intimidade, a honra, a intelectualidade e outros tantos. Mostra ainda o autor: “São
direitos ínsitos na pessoa, em função de sua própria estruturação física, mental e moral. E ao Estado
compete, na verdade, reconhecer os direitos que a consciência popular e o direito natural mostram”. 5
Rabindranath Capelo de Souza coloca como caracteres próprios de tais direitos,
estruturalmente, ingredientes variados, tais como: Oponibilidade erga omnes, a Instransmissibilidade,

a Indisponibilidade, a Perenidade, a Imprescritibilidade, a Extrapatrimonialidade e a Inderrogabilidade,


como elementos imprescindíveis.6 O autor citado se reforça, ainda, com as seguintes palavras:
“Nomeadamente, não pode alienar-se a favor de outrem uma personalidade humana, não pode vender-
se a vida, a liberdade de pensamento ou a honra, não pode dar-se de penhor o corpo ou a liberdade
física, não pode doar-se o direito moral de autor e não pode trocar-se de nome (...) os bens da
personalidade humana não respondem por dívidas do património (sic) e, nomeadamente, que não
possam ser objecto (sic) de penhora. Não pode uma personalidade humana autorreduzir-se à
escravidão, não se pode renunciar ao direito à vida ou à honra, não é lícito o suicídio, não são lícitas as
convenções limitativas e de exclusão de responsabilidade civil quando os danos previstos, mesmo que
causados não dolosamente, possam constituir grave lesão do corpo de um dos contraentes, não é lícito
o contrato de prestação de serviços por toda a vida”
Pela obra: Reparação Civil na Investigação Criminal, “esses direitos são originários e jamais
poderão ser compelidos ao desaparecimento. Eles não são passíveis de prescrição extintiva e também
não são susceptíveis de extinção pelo não uso, como disse Rabindranath Capelo de Souza.
A Carta da França de 1958, sob o amparo de sua própria Declaração de 1789, estabeleceu nos
seus arts. 1º e 2º:
... que os homens nascem e são livres e iguais em direitos e que o fim de toda a associação
política é a conservação dos direitos naturais e imprescritíveis do homem; esses direitos são a
liberdade, a propriedade, a segurança e a resistência à opressão.
São esses direitos, pois, inatos, seguem a natureza e o drama humano, desde o primeiro
momento em que o corpo social teve consciência de seus próprios destinos. Não precisou que a
Constituição dissesse sobre todos eles, espécie por espécie. A Assembleia Nacional Constituinte
pareceu, por uma inspiração extraterrena, antever a possibilidade de embarcar em novas questões
futuras e deixou em aberto o aparecimento de fórmulas capazes de socorrer o gênero humano. A Carta
Magna erigiu, de tal categoria, o § 2° do art. 5°:
Os direitos e garantias expressos nesta Constituição não excluem outros decorrentes do regime
e dos princípios por ela adotados, ou dos tratados internacionais em que a República Federativa do
Brasil seja parte.

6
Daí é fácil concluir: “qualquer dano aos direitos da personalidade é passível de reparação civil,
desde que praticado injustamente”.8
O Capítulo II do Estatuto abre-se com o direito à liberdade, ao respeito e à dignidade. Estas três
benesses outorgadas ao ser humano são desdobramentos do direito à vida como bem maior; da
liberdade como decorrência, do respeito e dignidade como primados da Carta Constitucional de 1988 e
de outros importantes documentos de lei.
A dignidade da pessoa humana faz parte dos postulados constitucionais abraçados pelas Vigas
Mestras de várias nações. Foi a dignidade inspirada pela Declaração Universal dos Direitos Humanos e
aprovada na III Seção Ordinária da Assembleia-Geral das Nações Unidas, em 1948. Pela excelência de
sua exposição de motivos, a Assembleia-Geral das Nações Unidas fez as seguintes exaltações:
Considerando que o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros da família
humana e de seus direitos iguais e inalienáveis e o fundamento da liberdade, da justiça e da paz no
mundo;
Considerando que o desprezo e o desrespeito pelos direitos do homem resultaram em atos
bárbaros que ultrajaram a consciência da Humanidade e que o advento de um mundo em que os
homens gozem de liberdade de palavra, de crença e da liberdade de viverem a salvo do temor e da
necessidade foi proclamado como a mais alta aspiração do homem comum;
Considerando ser essencial que os direitos do homem sejam protegidos pelo império da lei, para
que o homem não seja compelido como último recurso, à rebelião contra a tirania e a opressão;
Considerando ser essencial promover o desenvolvimento de relações amistosas entre as
nações;

Considerando que os povos das Nações Unidas reafirmaram, na Carta, sua fé nos direitos
fundamentais do homem, na dignidade de direitos do homem e da mulher, e que decidiram promover o
progresso social e melhores condições de vida em uma liberdade mais ampla;
Considerando que os Estados membros se comprometeram a promover, em cooperação com as
Nações Unidas, o respeito universal aos compromissos, direitos e liberdades fundamentais do homem e
a observância desses direitos e liberdades;
Considerando que uma compreensão comum desses direitos e liberdades é da mais alta
importância para o pleno cumprimento desse compromisso, proclama...
Em síntese, a Carta das Nações Unidas proclamou a dignidade do ser humano, em toda sua
extensão, assim reconhecendo:
•todos os homens nascem livres e iguais em dignidade;
•todos têm capacidade para gozar dos direitos e das liberdades amplas, sem distinção de raça,
cor, sexo ou ideologia;
•todo homem tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal;
•ninguém será mantido em escravidão e servidão, ficando proibido o tráfico de escravos, em
todas suas formas;
•ninguém será submetido à tortura, nem a castigo cruel, desumano ou degradante;
•ninguém será preso, detido ou exilado, arbitrariamente;
•ninguém será sujeito à interferência na sua vida privada, na sua família, no seu lar ou na sua
correspondência, nem a ataques à sua honra e reputação;
•todo homem tem direito à proteção da lei contra tais interferências ou ataques;
•todos têm direito à locomoção e residência dentro das fronteiras de cada Estado;
•todo homem tem direito à liberdade de pensamento, à nacionalidade, à propriedade, à
convicção religiosa ou política.
Enfim, fica assegurado a todos o direito ao trabalho, a tomar parte no governo de seu país,
diretamente ou por intermédio de representantes, livremente escolhidos, direito ao lazer etc.
Aqui estão alguns pontos culminantes da Declaração que deixam reforçados os direitos
fundamentais do homem e do cidadão.

7
Art. 9º É obrigação do Estado, garantir à pessoa idosa a proteção à vida e à saúde, mediante
efetivação de políticas sociais públicas que permitam um envelhecimento saudável e em condições de
dignidade.
O direito à vida e à saúde, neste dispositivo legal, tem conotações singulares. Fala-se em
políticas sociais públicas e estas vêm direcionadas para os idosos, de forma individualizada e
privilegiada. Veja-se o tratamento especial referido no corpo do art. 34 do Estatuto, de olhos no idoso de
65 (sessenta e cinco) anos que não disponha de meios para prover sua subsistência, assegurando-lhe
o benefício mensal de 1 (um) salário-mínimo, nos termos da Lei Orgânica da Assistência Social –
LOAS. No parágrafo único do mesmo art. 34 (ainda no Estatuto) se abre um enorme campo de
assistência ao não computar o benefício já concedido a qualquer membro de sua família.
Também é de se considerar, para destaque, o atendimento preferencial ao idoso, especialmente
nas áreas do Seguro Social. Aqui, voltaram-se os olhos à habilitação e à manutenção dos benefícios,
exame médico pericial, inscrição de beneficiários, serviço social e setores de informações. É o que foi
dito no art. 5º do Decreto n. 1.948, de 3 de julho de 1996 (que regulamentou a Política Nacional do
Idoso).

DIREITOS DAS QUAIS O ESTADO E A SOCIEDADE TÊM OBRIGAÇÃO DE ASSEGURAR À


PESSOA IDOSA:
Art. 10. É obrigação do Estado e da sociedade, assegurar à pessoa idosa a liberdade, o respeito
e a dignidade, como pessoa humana e sujeito de direitos civis, políticos, individuais e sociais, garantidos
na Constituição e nas leis.
A família, a sociedade e o Estado têm o dever de assegurar ao idoso os direitos de cidadania,
bem como sua participação na comunidade, defendendo sua dignidade e bem-estar. A ação hoje
requerida é da participação do idoso na comunidade. Devemos integrá-los à nossa comunidade não só
por eles, mas principalmente por justiça social
§ 1o O direito à liberdade compreende, entre outros, os seguintes aspectos:
I – faculdade de ir, vir e estar nos logradouros públicos e espaços comunitários,
ressalvadas as restrições legais;
Os aposentados e idosos, com mais de 65 anos, têm direito à meia-entrada para ingresso nos
cinemas, teatros, espetáculos, eventos esportivos e a passeios turísticos gratuito realizados no âmbito
de alguns municípios, como São Paulo.
II – opinião e expressão;
III – crença e culto religioso;
IV – prática de esportes e de diversões;
As unidades esportivas municipais deverão estar voltadas ao atendimento esportivo, cultural, de
recreação e lazer da população, destinando atendimento específico aos idosos. O município deve
destinar recursos orçamentários para incentivar a adequação dos locais já existentes e a previsão de
medidas necessárias quando da construção de novos espaços, tendo em vista a prática de esportes, de
recreação e de lazer por parte dos idosos de maneira integrada aos demais cidadãos. O exercício físico
na velhice do homem moderno é uma atividade “poderosa” pela sua repercussão direta e a curto prazo
na qualidade de vida e na sensação de bem-estar.
V – participação na vida familiar e comunitária;
No Brasil, grande parte dos idosos vive isolada e afastada de suas famílias. A vida agitada e o
número crescente de compromissos acabam por deixar os mais jovens ocupados o suficiente para
abandonar seus idosos. Já escrevi inúmeros artigos e participei de debates onde o tema era
“Depressão Natalina”. Até mesmo em uma data como o Natal, os idosos são esquecidos. As famílias
buscam viagens em períodos de férias, desfrutam de hotéis, resorts, hotéis-fazenda, casa de praia e
esquecem dos seus idosos. É comum, nessa época, aumento de consumo de remédios para dormir,
antidepressivos, ansiolíticos e outros.

8
O ambiente normal para o idoso é sua família e sua comunidade. Quando lhe falta a família, o
chamado centro dia ou a república do idoso, é uma forma amena de solucionar a ausência dos
familiares. “O idoso tem o direito sagrado de envelhecer com dignidade”.
VI – participação na vida política, na forma da lei;
No plano político, o idoso tem participado de forma tímida no Brasil. Como já me expressei
anteriormente, o voto obrigatório tira forças dos idosos. Quando um dia no Brasil o voto for facultativo,
para todo e qualquer cidadão, os idosos serão tratados cuidadosamente e, com certeza, mudarão o
processo político, até porque essa população é crescente. Importante lembrar o assédio que os
adolescentes de 16 a 18 anos vêm recebendo desde a Constituição de 88, quando passaram a ter
direito ao voto. Vejam bem: esse voto é facultativo e passa por um processo de conquista dos políticos.
VII – faculdade de buscar refúgio, auxílio e orientação.
§ 2o O direito ao respeito consiste na inviolabilidade da integridade física, psíquica e moral,
abrangendo a preservação da imagem, da identidade, da autonomia, de valores, idéias e crenças, dos
espaços e dos objetos pessoais.
§ 3o É dever de todos zelar pela dignidade do idoso, colocando-o a salvo de qualquer
tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor.

EXERCICIOS DE FIXAÇÃO

1. O Estatuto do Idoso, regido pela Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2.003, é destinado a regular
os direitos assegurados às pessoas com idade igual ou superior a:
A) 65 (sessenta e cinco) anos;
B) 70 (setenta) anos;
C) 75 (setenta e cinco) anos;
D) 60 (sessenta) anos.

2. Segundo o Estatuto do Idoso, o direito ao respeito consiste:

A) no dever de todos zelar pela dignidade do idoso, colocando-o a salvo de qualquer tratamento
desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor;
B) na faculdade de ir, vir e estar nos logradouros públicos e espaços comunitários, ressalvadas
as restrições legais;
C) na inviolabilidade da integridade física, psíquica e moral, abrangendo a preservação da
imagem, da identidade, da autonomia, de valores, ideias e crenças, dos espaços e dos objetos
pessoais;
D) na faculdade de buscar refúgio, auxílio e orientação.

3. Leia o trecho a seguir e assinale a alternativa que preencha corretamente e respectivamente


as lacunas, de acordo com o Estatuto do Idoso: “O envelhecimento é um direito _____________
e a sua proteção um direito ______________, nos termos desta Lei e da legislação vigente.

A) personalíssimo / fundamental;
B) personalíssimo / social;
C) individual / social;
D) público / fundamental.

9
Aprofundando No Que CAI
1 – Com base no Estatuto do Idoso, lei n° 10.741/03, analise o trecho abaixo e julgue, como
CERTO ou ERRADO:
“É instituído o Estatuto do Idoso, destinado a regular os direitos assegurados às pessoas com
idade superior a 60 (sessenta) anos, desse modo aquele que estiver com 60 anos exatos não é
considerado idoso.”
( ) CERTO ( ) ERRADO.

2 – À luz do Estatuto do Idoso, lei n° 10.741/03, analise o trecho abaixo e julgue, como CERTO
ou ERRADO:
“O idoso goza de modo parcial dos direitos fundamentais inerentes à pessoa humana.”
( ) CERTO ( ) ERRADO.

3 – À luz do Estatuto do Idoso, lei n° 10.741/03, analise o trecho abaixo e julgue, como CERTO
ou ERRADO:
“O idoso goza tem direito a efetivação de diversos direitos, dentre eles alguns são: Direito a vida,
a saúde, a alimentação, a educação, a cultura.”
( ) CERTO ( ) ERRADO.

4 – Com base no Estatuto do Idoso, lei n° 10.741/03, analise as alternativas abaixo e marque a
correta, no que diz respeito a quem compete assegurar os diretos do idoso.
A) O Estado apenas.
B) A família e o Estado
C) A família e a sociedade.
D) A família, o Poder Público, a sociedade e a comunidade.

5- De acordo com a lei n° 10.741/03, conhecida como Estatuto do Idoso, marque a alternativa
correta.
A) O atendimento preferencial imediato e individualizado junto aos órgãos públicos e privados
prestadores de serviços à população não é uma garantia do idoso prevista na lei.
B) A preferência na formulação e na execução de políticas sociais públicas específicas, não é
uma garantia do idoso prevista na lei.
C) A destinação privilegiada de recursos públicos nas áreas relacionadas com a proteção ao
idoso não faz parte das garantias previstas na lei.
D) Os idosos maiores de 80 (oitenta) anos têm prioridade especial.

10
6 – À luz do Estatuto do Idoso, lei n° 10.741/03, analise o trecho abaixo e julgue, como CERTO
ou ERRADO:
“Apenas os policiais tem o dever de comunicar à autoridade competente qualquer forma de
violação ao Estatuto do Idoso que tenha testemunhado ou de que tenha conhecimento.”
( ) CERTO ( ) ERRADO.

7 – À luz do Estatuto do Idoso, lei n° 10.741/03, analise o trecho abaixo e julgue, como CERTO
ou ERRADO:
“É dever exclusivo da família e do Poder Público zelar pela dignidade do idoso, colocando-o a
salvo de qualquer tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor.”
( ) CERTO ( ) ERRADO.

8 – À luz do Estatuto do Idoso, lei n° 10.741/03, analise o trecho abaixo e julgue, como CERTO ou
ERRADO:
“O direito ao respeito consiste na inviolabilidade da integridade física, psíquica e moral,
abrangendo a preservação da imagem, da identidade, da autonomia, de valores, ideias e
crenças, dos espaços e dos objetos pessoais.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

9 – À luz do Estatuto do Idoso, lei n° 10.741/03, analise o trecho abaixo e julgue, como CERTO
ou ERRADO:
“O estado e a sociedade têm obrigação de assegurar à pessoa idosa, apenas o direito a
Liberdade e dignidade.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

10 – À luz do Estatuto do Idoso, lei n° 10.741/03, analise o trecho abaixo e julgue, como CERTO
ou ERRADO:
“O envelhecimento é um direito personalíssimo e a sua proteção um direito á dignidade, nos
termos desta Lei e da legislação vigente.

( ) CERTO ( ) ERRADO.

11
QUESTÃO EXTRA – À luz do Estatuto do Idoso, lei n° 10.741/03, analise o trecho abaixo e julgue,
como CERTO ou ERRADO:

“O idoso têm direito à garantia de absoluta prioridade em relação ao estabelecimento de


mecanismos que favoreçam a divulgação de informações de caráter educativo sobre os
aspectos biopsicossociais de envelhecimento.”

( ) CERTO ( ) ERRADO.

12
Gabarito

Exercícios de Fixação
1. D
2. C
3.B

Aprofundando no Que CAI


1. ERRADO.
2. ERRADO.
3. CERTO
4. D
5. D
6. ERRADO.
7. ERRADO
8. CERTO
9. ERRADO
10. ERRADO.

QUESTÃO EXTRA:
CERTO

13
RESUMÃO LJORTANO: O QUE EU NÃO POSSO ESQUECER?
Art. 1º. É instituído o Estatuto do Idoso, destinado a regular os direitos assegurados às
pessoas com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos.
O idoso goza de todos os direitos fundamentais inerentes à pessoa humana, sem
prejuízo da proteção integral de que trata o Estatuto do Idoso, assegurando-se-lhe, por
lei ou por outros meios, todas as oportunidades e facilidades, para preservação de sua
saúde física e mental e seu aperfeiçoamento moral, intelectual, espiritual e social, em
condições de liberdade e dignidade.
Art. 3º É obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do Poder Público
assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à
alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à
liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária.

14
LJORTANO, QUAL É SUA MISSÃO?
IR PARA O CONCURSO E TRAZER APROVAÇÃO!
LJORTANO, O QUE É QUE VOCÊ FAZ?
NÓS DEIXAMOS A CONCORRÊNCIA PARA TRÁS!

15
SUMÁRIO

ESTATUTO DO IDOSO – LEI N°10.741/03............................................................................................2


ARTIGO 15° AO 25°.......................................................................................................................2
ARTIGO 15°....................................................................................................................................2
ARTIGO 16°....................................................................................................................................6
ARTIGO 17°....................................................................................................................................6
ARTIGO 19°.....................................................................................................................................7
ARTIGO 20°.....................................................................................................................................8
ARTIGO 21°.....................................................................................................................................8
ARTIGO 22°.....................................................................................................................................10
ARTIGO 23° / 24°/ 25°.....................................................................................................................10
EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ....................................................................................................................12
APROFUNDANDO NO QUE CAI ...........................................................................................................12
GABARITO .............................................................................................................................................15
RESUMÃO LJORTANO...........................................................................................................................16

ENTÃO VAMOS LÁ, LJORTANOS....

1
ESTATUTO DO IDOSO – LEI N° 10.741/03

ARTIGO 15° AO 25°


O IDOSO TEM DIREITO À ATENÇÃO INTEGRAL POR INTERMÉDIO DO SISTEMA ÚNICO
DE SAÚDE:

Art. 15. É assegurada a atenção integral à saúde do idoso, por intermédio do Sistema Único
de Saúde – SUS, garantindo-lhe o acesso universal e igualitário, em conjunto articulado e contínuo das
ações e serviços, para a prevenção, promoção, proteção e recuperação da saúde, incluindo a atenção
especial às doenças que afetam preferencialmente os idosos.
§ 1º A prevenção e a manutenção da saúde do idoso serão efetivadas por meio de:
I – cadastramento da população idosa em base territorial;
II – atendimento geriátrico e gerontológico em ambulatórios;
III – unidades geriátricas de referência, com pessoal especializado nas áreas de geriatria e
gerontologia social;
IV – atendimento domiciliar, incluindo a internação, para a população que dele necessitar e
esteja impossibilitada de se locomover, inclusive para idosos abrigados e acolhidos por instituições
públicas, filantrópicas ou sem fins lucrativos e eventualmente conveniadas com o Poder Público, nos
meios urbano e rural;
V – reabilitação orientada pela geriatria e gerontologia, para redução das sequelas decorrentes
do agravo da saúde.
§ 2º Incumbe ao Poder Público fornecer aos idosos, gratuitamente, medicamentos,
especialmente os de uso continuado, assim como próteses, órteses e outros recursos relativos ao
tratamento, habilitação e reabilitação.
§ 3º É vedada a discriminação do idoso nos planos de saúde pela cobrança de valores
diferenciados em razão da idade.
§ 4º Os idosos portadores de deficiência ou com limitação incapacitante terão atendimento
especializado, nos termos da lei.
§ 5º É vedado exigir o comparecimento do idoso enfermo perante os órgãos públicos, hipótese
na qual será admitido o seguinte procedimento:
I – quando de interesse do poder público, o agente promoverá o contato necessário com o idoso
em sua residência; ou
II – quando de interesse do próprio idoso, este se fará representar por procurador legalmente
constituído.
§ 6º É assegurado ao idoso enfermo o atendimento domiciliar pela perícia médica do Instituto
Nacional do Seguro Social – INSS, pelo serviço público de saúde ou pelo serviço privado de saúde,
contratado ou conveniado, que integre o Sistema Único de Saúde – SUS, para expedição do laudo de
saúde necessário ao exercício de seus direitos sociais e de isenção tributária.
§ 7º. Em todo atendimento de saúde, os maiores de oitenta anos terão preferência especial
sobre os demais idosos, exceto em caso de emergência.
A saúde é prioridade de qualquer plano de governo nas mesmas proporções da educação, em
todos os seus níveis. O Sistema Único de Saúde – SUS, viabilizado pela Lei n. 8.080, de 19 de
setembro de 1990, teve por primeira disposição geral, o primado da saúde como direito fundamental do
ser humano, cabendo ao Estado prover as condições indispensáveis ao seu pleno exercício. Tal dever
do Estado de garantir a saúde, segundo o diploma acima (art. 2º, § 1º), consiste na formulação e
execução de políticas econômicas e sociais que visem à redução de riscos de doenças e de outros

2
agravos e no estabelecimento de condições que assegurem acesso universal e igualitário às ações e
aos serviços para a sua promoção, proteção e recuperação.
O idoso, por disposição do seu Estatuto, foi incluído prioritariamente na atenção integral,
universal e igualitária diante das ações e serviços de prevenção, promoção, proteção e recuperação da
saúde. O Estatuto do Idoso atentou de lado especial para as doenças que afetam preferencialmente os
idosos.
Um capítulo abrangente da Carta foi o da Seguridade Social porque envolve muitas disciplinas
ao mesmo tempo. A seguridade social vem definida como um conjunto integrado de ações de iniciativa
dos Poderes Públicos e da sociedade, com o fim de assegurar os direitos relativos à saúde, à
previdência e à assistência social. Nos passos seguintes foram traçados vários objetivos tendentes a
organizar a seguridade social. São eles:
•a universalidade da cobertura e do atendimento;
•a uniformidade e equivalência dos benefícios e serviços;
•a seletividade na prestação dos benefícios e serviços;
•a irredutibilidade do valor dos benefícios;
•a equidade na forma de participação do custeio;
•a diversidade da base de financiamento e o caráter democrático e descentralizado da
administração.
Wagner Balera dissertou sobre esses objetivos: “A universalidade do atendimento está a se
referir aos sujeitos protegidos. Significa que todas as pessoas, indistintamente, são credoras da
proteção social. Donde, a universalidade abrange sujeitos protegidos e objetos protetores. Ou, dito no
linguajar técnico apropriado: coletividade de beneficiários e elenco de prestações. A uniformidade
significa identidade. Existirão prestações idênticas para toda a população, independentemente do local
onde residam ou trabalhem as pessoas. Equivalente quer dizer „de igual valor‟. Significa, pois, que os
benefícios não serão distintos entre as populações protegidas. Um mesmo rol de prestações beneficiará
as populações urbanas e rurais. A seletividade, aqui, como um critério legítimo de escolha das camadas
da população que mais necessitem dos serviços. Ao qualificar como objetivo da seguridade social a
irredutibilidade do valor dos benefícios, o constituinte revelou-se assaz impressionado com a conjuntura
vivida no Brasil no período de elaboração da Carta Suprema. Com efeito, vivemos há vários anos às
voltas com o problema da inflação, fenômeno econômico em cujas trágicas consequências se encontra
o aviltamento dos benefícios. O objetivo da equidade procura dimensionar, no âmbito da seguridade
social, a diretriz da isonomia que se acha consagrada no rol dos Direitos e Garantias Fundamentais
insculpidos no art. 5º do Estatuto Supremo. São diferentes as bases de cálculo e os percentuais de
contribuição devidos por cada um dos partícipes do esquema contributivo. O caráter democrático e
descentralizado agora é norma constitucional estampado, que vem no art. 10 do novo Texto: É
assegurada a participação dos trabalhadores e empregadores nos colegiados dos órgãos públicos em
que seus interesses profissionais ou previdenciários sejam objeto de discussão e deliberação”. 1
Em resumo, toda a sociedade participa da seguridade social, financiando-a. Participa o Poder
Público, participa o empregado, participa o empregador.
•O parágrafo primeiro do artigo em comentário (art. 15 do Estatuto do Idoso) estabelece um
elenco de situações em que a prevenção e a manutenção da saúde do idoso são efetivadas. O
cadastramento da população idosa em base territorial deve ter muitas finalidades, não é só a de caráter
estatístico. Ao focalizar a figura do idoso, com seus dramas e inquietudes, torna-se mais fácil seu
estudo e posterior cuidado, curativo e preventivo ao mesmo tempo. É também uma garantia de
preservação de sua identidade histórica e cultural. Alguém já disse: “Quem não tem passado não tem
futuro”. O arquivo sobre as atividades do ser humano (porque o idoso também é ser humano) deve ser
preservado para as gerações futuras. Só o idoso tem larga experiência de vida para contar. Todo idoso
foi jovem e todo jovem que vencer o tempo será idoso. O jovem e a criança só têm a graça e a
inocência. Rui Barbosa, na sua majestade, confrontou a “experiência dos velhos com a inocência das
crianças”.

3
Na verdade, Rui Barbosa usou de figuras retóricas, ricas e antagônicas no tempo, mas próximas nos
valores e qualidades. A Política Nacional do Idoso ressaltou a história de cada um como uma memória
cultural, nos seus termos seguintes:
valorizar o registro da memória e a transmissão de informações e habilidades do idoso aos mais
jovens, como meio de garantir a continuidade e a identidade cultural; (Política Nacional do Idoso – art.
10, inc. VI, alínea d)
O atendimento geriátrico e gerontológico em ambulatórios é uma maneira de prevenção e
manutenção da saúde do idoso. É importante deixar claro o que é o atendimento geriátrico, em linhas
gerais, e o que é o atendimento gerontológico. A geriatria é uma das especialidades da medicina. Para
a Enciclopédia Barsa, geriatria é um “ramo da medicina que se ocupa do estudo, tratamento e
prevenção dos processos patológicos específicos da velhice”. Gerontologia é a “especialidade médica
que se ocupa do estudo dos fenômenos, características e problemas biológicos, econômicos e sociais
relacionados à velhice”. Tem a segunda disciplina um caráter mais sociológico no seu contexto. Trata o
idoso no seu todo, como homem na sociedade e seus problemas multidisciplinares.
Geriatria e gerontologia, embora tenham pontos comuns, possuem duas naturezas etimológicas
distintas, embora o primeiro termo formador de ambos os vocábulos seja o mesmo. Geriatria, no grego,
compõe-se de γερων + ιατρος (gérón + iatrós), com a primeira palavra a significar velho, e a segunda,
médico. Em síntese, geriatria, etimologicamente falando, é o “médico de velhos”. 2 Gerontologia, por sua
vez, provém de γερων + λογος (gérón + logos), ficando o segundo vocábulo com o sentido de “estudo”,
“tratado” etc. Gerontologia, pois, nada mais é que o “estudo dos velhos” ou “estudo da velhice”, ou “dos
idosos”, tanto no seu aspecto sociológico como antropológico.3
Já na Política Nacional do Idoso, materializada pela Lei n. 8.842/94, foram determinadas como
competência dos órgãos e entidades públicas, as seguintes ações (art. 10, II, alíneas c, d e e):
c) – adotar e aplicar normas de funcionamento às instituições geriátricas e similares, com
fiscalização pelos gestores do Sistema Único de Saúde;
d) – elaborar normas de serviços geriátricos hospitalares;
e) – desenvolver formas de cooperação entre as Secretarias de Saúde dos Estados, do Distrito
Federal e dos Municípios e entre os Centros de Referência em Geriatria e Gerontologia para
treinamento de equipes interprofissionais.
As unidades geriátricas de referência são a elevada linha de frente para a prevenção e a
manutenção da saúde do idoso. Seus profissionais, notadamente nas áreas de geriatria e gerontologia,
devem estar sempre atualizados para um eficaz trabalho conjunto e integral. Geriatria e Gerontologia,
sem nenhuma dúvida, são disciplinas fundamentais para qualquer curso de atendimento aos idosos.
A inclusão da Geriatria e da Gerontologia, como disciplinas curriculares, passa a ser uma
iniciativa bastante madura e já é uma realidade nos planos da Política Nacional do Idoso.
O atendimento domiciliar também se submete a um método de prevenção e manutenção de
saúde, mormente para a população impossibilitada de se locomover. Nesse mesmo patamar está o
idoso abrigado em instituição pública. O que lhe for bom ser-lhe-á fornecido pela boa política de
atendimento. A Constituição Federal previu o atendimento domiciliar e o catalogou no seu art. 230, § 1º.
Percebe-se abaixo:
Os programas de amparo ao idoso serão executados preferencialmente em seus lares.
O atendimento domiciliar não deixa de ser uma forma de serviço alternativo de saúde para o
idoso.
Outro expediente de prevenção e manutenção da saúde do idoso é a reabilitação orientada pela
geriatria e gerontologia. Tal expediente tem por fim a redução das sequelas decorrentes do
agravamento de saúde. O art. 203 da Carta Constitucional contemplou a todos (incluído aí o idoso) com
uma assistência social independentemente de contribuição à seguridade. Um de seus primeiros
objetivos marcou-se pela proteção à família, à maternidade, à infância, à adolescência e à velhice. No
mesmo Diploma Maior, inciso IV, registrou-se outro objetivo, também relevante:

4
... a habilitação e reabilitação das pessoas portadoras de deficiência e a promoção de sua
integração à vida comunitária;
Pela Lei n. 8.080, de 19 de setembro de 1990 (do Sistema Único de Saúde), ficou evidente que o
Estado chamou para si a responsabilidade pela política de atendimento à saúde. Note-se o dizer da lei,
no seu art. 2º, § 1º:
O dever do Estado de garantir a saúde consiste na formulação e execução de políticas
econômicas e sociais que visem à redução de riscos de doenças e de outros agravos e no
estabelecimento de condições que assegurem acesso universal e igualitário às ações e aos serviços
para a sua promoção, proteção e recuperação.
O fornecimento gratuito de medicamentos, próteses, órteses e outros recursos, fica por conta do
Poder Público. Acontece da mesma forma com as variedades de medicamentos de uso continuado. O
Decreto n. 1.948, de 3 de julho de 1996 (que regulamentou a Política Nacional do Idoso), atribuiu ao
Ministério da Saúde, através da Secretaria de Assistência à Saúde, a competência para garantir ao
idoso a assistência integral à saúde.
Como ficou resolvido, à Secretaria de Assistência à Saúde restou a incumbência de patrocinar
as ações e serviços preventivos e curativos, nos diversos níveis de atendimento do SUS. Na mesma
trilha, em sequência, o próprio texto regulatório reforçou a oferta de medicamentos, órteses e próteses,
necessários à recuperação e reabilitação da saúde do idoso.
Há uma classificação ortodoxa entre órtese e prótese, diferenciando-as, eis que a lei não pode
conter palavras inúteis ou equivalentes. E não contém, porque as duas palavras não são sinônimas. A
prótese consiste num dispositivo implantado no corpo para suprir a falta de um órgão ausente. Para
Caldas Aulete, a prótese é a parte da terapêutica que tem por objeto substituir por um aparelho artificial
um órgão mutilado, atrofiado ou inutilizado.4 Dessa maneira, o consagrado léxico não diferençou
prótese com órtese. Órtese já se distingue claramente, pois é apenas um dispositivo, instrumento ou
artifício para a recuperação parcial de um membro ou órgão já existente e ineficaz, por si só. Prótese
pode significar na sua origem: „colocar algo em substituição de outra coisa‟. Órtese, por sua vez, é „pôr
algo em ordem‟. Uma perna mecânica e uma dentadura são próteses; um aparelho corretivo nos dentes
pode ser uma órtese (serve para pôr os dentes em ordem).5
A discriminação do idoso nos planos de saúde de que fala o Estatuto (art. 15, § 3º) pode ser
entendida de maneira mais ampla. Em nenhuma circunstância o idoso poderá ser discriminado porque é
ele um cidadão integral, como qualquer outro, com base no princípio da isonomia contido na Carta
Maior, onde todos são iguais perante a lei. Porém, para o idoso, há um imperativo categórico e especial
mostrado na própria Política Nacional do Idoso (Lei n. 8.842/94 – art. 3º, III). Diz a regra, em toda sua
extensão:
... o idoso não deve sofrer discriminação de qualquer natureza;
Aqui está um princípio mais do que estatutário ou ordinário, aqui está um princípio constitucional.
O dispositivo de lei proíbe que a classe dos idosos sofra um agravamento nos seus planos de
saúde em razão de sua idade. Isso não quer dizer que nunca haverá reajustes. Pode existir aumento,
mas quando ocorrer justificável modificação de índices econômicos levados pela conjuntura real do País
e compatível com todas as outras faixas de idades e pessoas. O que não pode haver é o reajuste
diferenciado em prejuízo do idoso. Não é admissível uma majoração de índices somente em relação a
uma determinada classe de pessoas, penalizando-as injustificadamente. É sabido que os riscos de
saúde e doenças a que se sujeitam os idosos são bem maiores que os riscos de doença e saúde para
os jovens e crianças. Os idosos custeiam planos cujos valores evidentemente são mais elevados, a
considerar as ocorrências estatísticas. Assim é a realidade. O que se pretende dizer é que deve existir
um procedimento regular para a atualização dos planos, em moldes igualitários. O aumento de preços
motivado pela corrosão do valor monetário, ou outras injunções imprevistas, não autoriza o repasse
somente sobre os ombros dos idosos. Não é justo que uma faixa etária de pessoas suporte os
encargos, sozinha, quando elevados os custos gerais e alterados os índices de preços.

5
IDOSO INTERNADO E DIREITO AO ACOMPANHANTE:

Art. 16. Ao idoso internado ou em observação é assegurado o direito a acompanhante, devendo


o órgão de saúde proporcionar as condições adequadas para a sua permanência em tempo integral,
segundo o critério médico.
Parágrafo único. Caberá ao profissional de saúde responsável pelo tratamento conceder
autorização para o acompanhamento do idoso ou, no caso de impossibilidade, justificá-la por escrito.
A letra da lei já está se tornando realidade nos atendimentos existentes. Inúmeros casos de igual
grandeza já existem e a tendência é se alastrar em todo o rincão nacional. A dificuldade de leitos nos
hospitais e nas enfermarias pode parecer inviável o direito a um acompanhante. Porém, quando em
cena o idoso, como paciente, o caso já oferece foros de obrigatoriedade e as instituições estarão mais
atentas à medida excepcional. À primeira vista, o espírito da lei pode parecer polêmico, difícil ou
impossível sua execução, capaz que é de apresentar muitos desdobramentos. Não há uma linha
limítrofe, ao certo, ao que cabe diante da internação coletiva e ao que compete aos núcleos privativos
em órgãos de saúde. A direção hospitalar, em linhas gerais, pode se ver embaraçada no caso de uma
situação de risco, endêmica, ou em uma coincidência de superpopulação.
O profissional de saúde incumbido do atendimento ao idoso avaliará a necessidade do
acompanhante. Verificada a impossibilidade de tal prática, deve o responsável pelo tratamento justificar
a negativa, por escrito.

O IDOSO TEM DIREITO A ESCOLHER QUAL TRATAMENTO MÉDICO QUER SE


SUBMETER. E SE NÃO PUDER EXPRIMIR SUA VONTADE?

Art. 17. Ao idoso que esteja no domínio de suas faculdades mentais é assegurado o direito de
optar pelo tratamento de saúde que lhe for reputado mais favorável.
Parágrafo único. Não estando o idoso em condições de proceder à opção, esta será feita:
I – pelo curador, quando o idoso for interditado;
II – pelos familiares, quando o idoso não tiver curador ou este não puder ser contactado em
tempo hábil;
III – pelo médico, quando ocorrer iminente risco de vida e não houver tempo hábil para consulta
a curador ou familiar;
IV – pelo próprio médico, quando não houver curador ou familiar conhecido, caso em que deverá
comunicar o fato ao Ministério Público.
A opção pelo tratamento de saúde é uma das alternativas de que dispõe qualquer paciente ao
gerir sua própria pessoa. O idoso, em pleno uso de suas faculdades mentais, comporta-se como um
paciente comum e nada de excepcional tem o Estatuto, neste pormenor. O caso em pauta fala do idoso
fora de sua normalidade. A escolha pelo tratamento de saúde, mostrando as alternativas viáveis, já é
norma cogente na Política Nacional do Idoso, como uma das ações governamentais, ou seja: a
obrigação de criar serviços alternativos de saúde para o idoso.
O Sistema Único de Saúde dispõe de diversos níveis de atendimento. Ao idoso (por si ou
através de seu representante) cabe selecionar a melhor opção que atenda às suas necessidades.
•O idoso que não goze plenamente de suas faculdades mentais não se encontra em condições
de optar pelo tratamento de saúde que lhe for reputado mais favorável. Uma vez verificada a
incapacidade, o Estatuto enumerou uma ordem gradativa de pessoas para fazer a opção (em lugar do
idoso).

6
A ordem de preferência foi assim estabelecida:
1ª – pelo curador (no caso de idoso interditado);
2ª – pelos familiares (faltando o curador ou inexistente);
3ª – pelo médico (ocorrendo risco de vida e sem tempo hábil para consulta ao curador ou
familiares);
4ª – pelo médico (inexistindo curador ou familiares – devendo o médico comunicar o fato ao
Ministério Público).
A obrigatoriedade de comunicar ao Ministério Público fará nascer um Processo de Interdição
que, para seu desfecho, passará às mãos do Poder Judiciário.

HAVENDO SUSPEITA OU CONFIRMAÇÃO DE VIOLÊNCIA CONTRA IDOSOS, QUEM


DEVERÁ SER NOTIFICADO?

Art. 19. Os casos de suspeita ou confirmação de violência praticada contra idosos serão objeto
de notificação compulsória pelos serviços de saúde públicos e privados à autoridade sanitária, bem
como serão obrigatoriamente comunicados por eles a quaisquer dos seguintes órgãos:
l – autoridade policial;
ll – Ministério Público;
lll – Conselho Municipal do Idoso;
lV