Você está na página 1de 14

Cópia não autorizada

GUIA 62

Requisitos gerais para organismos que


operam avaliação e certificação/registro
de sistemas da qualidade

Primeira edição 1997


Cópia não autorizada

Associação Brasileira de Normas Técnicas


Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar - CEP 20003-900
Rio de Janeiro - RJ – Brasil
Telex: (55-021) 34333 – Fax: (55-021) 240-8249
Telefone: (55-021) 210-3122
Caixa postal: 1680

International Organization for Standardization


Case postale 56 • CH-1211 GENEVA 20 • Switzerland

International Electrotechnical Commission


Case postale 131 • CH-1211 GENEVA 20 • Switzerland

Origem: No. ISO/IEC GUIDE 62:1997


ICS 03.120.20

Descritores: Garantia da qualidade, Sistemas de garantia da


qualidade, Organismos sem fins lucrativos, Certificação,
Organismos de certificação.
Descriptors: Quality assurance, Quality assurance systems, Non-
profit-making bodies, Certification, Certification bodies.

11 páginas

Elaborado no âmbito do CB-25 - Comitê Brasileiro da Qualidade.


Cópia não autorizada

Sumário
Página

Seção 1: Generalidades
1.1 Objetivo ............................................................................................................................................................. 1
1.2 Referências ....................................................................................................................................................... 1
1.3 Definições ......................................................................................................................................................... 2

Seção 2: Requisitos para organismos de certificação/registro


2.1 Organismo de certificação/registro ................................................................................................................... 2
2.1.1 Disposições gerais ........................................................................................................................................... 2
2.1.2 Organização ..................................................................................................................................................... 3
2.1.3 Subcontratação ................................................................................................................................................. 4
2.1.4 Sistema da qualidade ....................................................................................................................................... 4
2.1.5 Condições para concessão, manutenção, extensão, redução, suspensão e cancelamento da
certificação/registro ........................................................................................................................................... 5
2.1.6 Auditorias internas e análises críticas pela administração .............................................................................. 5
2.1.7 Documentação .................................................................................................................................................. 6
2.1.8 Registros ........................................................................................................................................................... 6
2.1.9 Confidencialidade ............................................................................................................................................ 6
2.2 Pessoal do organismo de certificação/registro ................................................................................................ 6
2.2.1 Generalidades .................................................................................................................................................. 6
2.2.2 Critérios para qualificação de auditores e técnicos especialistas ................................................................... 7
2.2.3 Procedimento de seleção ................................................................................................................................. 7
2.2.4 Contratação do pessoal de avaliação .............................................................................................................. 7
2.2.5 Registros do pessoal de avaliação .................................................................................................................. 7
2.2.6 Procedimentos para as equipes auditoras ...................................................................................................... 8
2.3 Alterações nos requisitos de certificação/registro ............................................................................................ 8
2.4 Apelações, reclamações e disputas ................................................................................................................. 8

Seção 3: Requisitos para certificação/registro


3.1 Solicitação de certificação/registro ................................................................................................................... 8
3.1.1 Informações sobre o procedimento .................................................................................................................. 8
3.1.2 A solicitação ..................................................................................................................................................... 8
3.2 Preparação para avaliação .............................................................................................................................. 9
3.3 Avaliação .......................................................................................................................................................... 9
3.4 Relatório de avaliação ...................................................................................................................................... 9
3.5 Decisão sobre certificação/registro ................................................................................................................ 10
3.6 Procedimentos de acompanhamento e reavaliação ..................................................................................... 10
3.7 Uso de certificados e logomarcas .................................................................................................................. 11
3.8 Acesso aos registros de reclamações aos fornecedores .............................................................................. 11
Cópia não autorizada

ABNT ISO/IEC GUIA 62/1997

Requisitos gerais para organismos que operam avaliação e certificação/registro de sistemas


da qualidade

Introdução mos de certificação/registro, muitas disposições aqui con-


tidas podem ser úteis em procedimentos de avaliação por
A certificação/registro do sistema da qualidade de um for- segunda parte.
necedor é um meio de se assegurar que o fornecedor certi-
ficado/registrado está capacitado a fornecer produtos ou Seção 1: Generalidades
serviços que atendem a requisitos especificados.
1.1 Objetivo
Este Guia especifica requisitos cuja observância tem a fi-
nalidade de assegurar que os organismos de certificação/
Este Guia especifica os requisitos gerais que um organis-
registro operam os sistemas de certificação/registro por
mo de terceira parte, que opera certificação/registro de sis-
terceira parte de maneira consistente e confiável, facilitan-
tema da qualidade, deve satisfazer para ser reconhecido
do, assim, a sua aceitação em bases nacional e interna-
como competente e confiável na execução de certificação/
cional. Recomenda-se que este Guia sirva como base pa-
registro de sistema da qualidade.
ra o reconhecimento dos respectivos sistemas nacionais
no interesse do comércio internacional.
NOTA 1 Em alguns países, os organismos que verificam a con-
formidade dos sistemas da qualidade com normas específicas
Este Guia é destinado ao uso por organismos, qualquer
são chamados “organismos de certificação”, em outros, “orga-
que seja sua descrição, que operam as funções de avali- nismos de registro”, em outros “organismos de avaliação e de re-
ação e certificação/registro de sistemas da qualidade. Por gistro” e ainda em outros “registradores”. Para facilidade de en-
conveniência de redação, tais organismos são designa- tendimento, este Guia sempre se refere a tais organismos como
dos como “organismos de certificação/registro”. Reco- “organismos de certificação/registro”. Recomenda-se que isto
menda-se que esta designação não seja obstáculo ao uso não seja interpretado como uma limitação.
deste Guia por organismos com outras denominações que
desempenhem atividades por ele cobertas. Efetivamente, Os requisitos contidos neste Guia são descritos, acima de
recomenda-se que este Guia seja usado por qualquer tudo, para serem considerados requisitos gerais para
organismo envolvido na avaliação de sistemas da quali- quaisquer organismos que operam certificação/registro
dade. de sistemas da qualidade.

Os requisitos contidos neste Guia são descritos, acima de 1.2 Referências


tudo, para serem considerados como requisitos gerais pa-
ra organizações que operam programas de certificação/
ISO/IEC Guide 2:1996 1), General terms and their
registro de sistemas da qualidade; portanto, os requisitos
definitions concerning standardization and related
podem ser complementados quando aplicados a setores
activities.
industriais específicos, ou outros (por exemplo, saúde e
segurança).
NBR ISO 8402:1994, Gestão da qualidade e garantia
A certificação/registro de sistema da qualidade envolve da qualidade - Terminologia.
somente a avaliação do sistema da qualidade de um for-
necedor e não a certificação de produtos, processos ou NBR ISO 9000-1:1994, Normas de gestão da qualida-
serviços. A evidência da conformidade com a norma apro- de e garantia da qualidade - Parte 1: Diretrizes para
priada de sistema da qualidade e qualquer documentação seleção de uso.
suplementar será na forma de um documento de certifica-
ção/registro ou de um certificado de sistema da qualidade. NBR ISO 9000-2:1994, Normas de gestão da qualida-
de e garantia da qualidade - Parte 2: Diretrizes gerais
Embora este Guia seja destinado ao uso de organismos para aplicação das NBR ISO 9001, NBR ISO 9002 e
ligados ao reconhecimento da competência de organis- NBR ISO 9003.

1)
A ser traduzido pela ABNT.

1
Cópia não autorizada

ABNT ISO/IEC GUIA 62/1997

NBR ISO 9000-3:1993, Normas de gestão da qualida- 1.3 Definições


de e garantia da qualidade - Parte 3: Diretrizes para
aplicação da NBR ISO 9001 ao desenvolvimento, for- Para os efeitos deste Guia, as definições pertinentes con-
necimento e manutenção de “software”. tidas no ISO/IEC Guide 2 e na NBR ISO 8402 e as descri-
tas a seguir são aplicáveis.
NBR ISO 9000-4:1993, Normas de gestão da qualida-
de e garantia da qualidade - Parte 4: Guia para a ges- 1.3.1 fornecedor: A parte que é responsável pelo produto,
tão do programa de dependabilidade. processo ou serviço e está apta a assegurar que a garan-
tia da qualidade é praticada. Esta definição pode ser apli-
NBR ISO 9001:1994, Sistemas da qualidade - Modelo cada a fabricantes, distribuidores, importadores, monta-
para garantia da qualidade em projetos, desenvolvi- dores, organizações de serviços, etc.
mento, produção, instalação e serviços associados.
1.3.2 organismo de certificação/registro: Terceira parte que
avalia e certifica/registra o sistema da qualidade dos
NBR ISO 9002:1994, Sistemas da qualidade - Modelo
fornecedores em relação a normas de sistema da qualida-
para garantia da qualidade em produção, instalação
de publicadas e qualquer documentação suplementar
e serviços associados.
exigida pelo sistema.
NBR ISO 9003:1994, Sistemas da qualidade - Modelo 1.3.3 documento de certificação/registro: Documento que
para garantia da qualidade em inspeção e ensaios fi- indica que o sistema da qualidade de um fornecedor está
nais. em conformidade com normas especificadas de sistema
da qualidade e qualquer documentação suplementar exi-
NBR ISO 9004-1:1994, Gestão da qualidade e ele- gida pelo sistema.
mentos do sistema da qualidade - Parte 1: Diretrizes.
1.3.4 sistema de certificação/registro: Sistema que possui
NBR ISO 9004-2:1993, Gestão da qualidade e ele- suas próprias regras de procedimento e gestão para ope-
mentos do sistema da qualidade - Parte 2: Diretrizes rar a avaliação que conduzirá à emissão de um documen-
para serviços. to de certificação/registro e à sua subseqüente manuten-
ção.
NBR ISO 9004-3:1994, Gestão da qualidade e ele-
mentos do sistema da qualidade - Parte 3: Diretrizes Seção 2: Requisitos para organismos de certificação/
para materiais processados. registro

NBR ISO 9004-4:1993, Gestão da qualidade e ele- 2.1 Organismo de certificação/registro


mentos do sistema da qualidade - Parte 4: Diretrizes
para melhoria da qualidade. 2.1.1 Disposições gerais

2.1.1.1 As políticas e os procedimentos sob os quais o or-


NBR ISO 10005:1997, Gestão da qualidade - Diretri-
zes para planos da qualidade. ganismo de certificação/registro opera devem ser não-
discriminatórios, bem como ser administrados de forma
não-discriminatória. Não devem ser usados procedimen-
NBR ISO 10007:1996, Gestão da qualidade - Diretri-
tos para impedir ou inibir o acesso dos solicitantes, além
zes para gestão de configuração.
daqueles especificados neste Guia.
NBR ISO 10011-1:1993, Diretrizes para auditoria de 2.1.1.2 O organismo de certificação/registro deve manter
sistemas da qualidade - Parte 1: Auditoria. os seus serviços acessíveis a todos os solicitantes. Não
deve haver condições financeiras indevidas ou outras. O
NBR ISO 10011-2:1993, Diretrizes para auditoria de acesso não deve ser condicionado ao tamanho do forne-
sistemas da qualidade - Parte 2: Critérios para quali- cedor ou sua filiação em qualquer associação ou grupo,
ficação de auditores de sistema da qualidade. nem deve a certificação/registro ser condicionada ao nú-
mero de fornecedores já certificados/registrados.
NBR ISO 10011-3:1993, Diretrizes para auditoria de
sistemas da qualidade - Parte 3: Gestão de programas 2.1.1.3 Os critérios de acordo com os quais o sistema da
de auditoria. qualidade de um solicitante é avaliado devem ser aqueles
estabelecidos nas normas de sistemas da qualidade ou
NBR ISO 10012-1:1993, Requisitos de garantia da outros documentos normativos pertinentes à função de-
qualidade para equipamento de medição - Parte 1: sempenhada. Se for necessário um esclarecimento quan-
Sistema de comprovação metrológica para equipa- to à aplicação destes documentos a um programa espe-
mento de medição. cífico de certificação/registro, este deve ser formulado por
comitês ou pessoas imparciais, possuindo a necessária
NBR ISO 10013:1995, Diretrizes para desenvolvi- competência técnica, e publicado pelo organismo de cer-
mento de manuais da qualidade. tificação/registro.

2
Cópia não autorizada

ABNT ISO/IEC GUIA 62/1997

2.1.1.4 O organismo de certificação/registro deve limitar os f) assegurar que cada decisão sobre certificação/
seus requisitos, avaliação e decisão sobre certificação/re- registro seja tomada por pessoa ou pessoas dife-
gistro àquelas matérias especificamente relacionadas ao rentes daquelas que executaram a avaliação;
escopo da certificação/registro que está sendo considera-
da. g)ter direitos e responsabilidades pertinentes às suas
atividades de certificação/registro;
2.1.2 Organização
h)ter mecanismos adequados para cobrir responsa-
A estrutura do organismo de certificação/registro deve ser bilidades legais, decorrentes das suas operações
tal que proporcione confiança em suas certificações/re- e/ou atividades;
gistros.
i) ter estabilidade financeira e recursos necessários
Em particular, o organismo de certificação/registro deve para a operação de um sistema de certificação/re-
gistro;
a) ser imparcial;
j) empregar um número suficiente de pessoas que
b) ser responsável pelas suas decisões relativas à tenham a necessária formação, treinamento, co-
concessão, manutenção, extensão, redução, sus- nhecimento técnico e experiência para desempe-
pensão e cancelamento da certificação/registro; nhar as funções de certificação/registro relativas
ao tipo, abrangência e volume de trabalho realiza-
c) identificar o gerenciamento (comitê, grupo ou pes- do, sob a responsabilidade de um executivo sênior;
soa), que deve ter completa responsabilidade por
k) ter um sistema da qualidade, como descrito em
cada uma das seguintes atividades:
2.1.4, que proporcione confiança na sua capacida-
de de operar um sistema de certificação/registro de
1) execução da avaliação e certificação/registro,
fornecedores;
conforme definido neste Guia;
l) ter políticas e procedimentos que distingam entre
2) formulação de políticas relativas à operação a certificação/registro de fornecedores e quais-
do organismo de certificação/registro;
quer outras atividades nas quais o organismo es-
teja envolvido;
3) decisões sobre certificação/registro;
m)juntamente com o seu executivo sênior e o pesso-
4) supervisão da implementação das suas políti- al, estar livre de quaisquer pressões comerciais,
cas; financeiras e outras que possam influenciar os re-
sultados do processo de certificação/registro;
5) supervisão das finanças do organismo de certi-
ficação/registro; n) ter regras e estruturas formais para a nomeação e
operação de quaisquer comitês envolvidos no pro-
6) delegação de autoridade a comitês ou pessoas, cesso de certificação/registro; estes comitês de-
conforme necessário, para executar atividades vem estar livres de quaisquer pressões comerci-
definidas, em seu nome; ais, financeiras ou outras que possam influenciar
nas decisões (ver nota 2);
d) ter documentos que comprovem ser uma entidade
legalmente constituída; o) assegurar que as atividades dos organismos rela-
cionados1) não afetem a confidencialidade, objeti-
e) ter uma estrutura documentada que salvaguarde vidade ou imparcialidade das suas certificações/
a sua imparcialidade, incluindo disposições para registros e não deve oferecer nem fornecer
assegurar a imparcialidade das operações do
organismo de certificação/registro; esta estrutura 1) aqueles serviços que ele certifica/registra ou-
deve permitir a participação de todas as partes com tros a realizarem;
interesse significativo no desenvolvimento de po-
líticas e princípios relativos ao conteúdo e ao 2) serviços de consultoria para obter ou manter a
funcionamento do sistema de certificação/registro; certificação/registro;

1)
Para os efeitos deste Guia, organismo relacionado é aquele que está ligado com o organismo de certificação/registro por proprietários
ou diretores comuns, mecanismos contratuais, um nome comum, entendimento informal ou outros meios tais que o organismo relacionado
tenha um interesse por direito no resultado de uma avaliação ou tenha habilidade potencial para influenciar o resultado de uma avaliação.

3
Cópia não autorizada

ABNT ISO/IEC GUIA 62/1997

3) serviços para projetar, implementar ou manter 2.1.4.2 O organismo de certificação/registro deve operar
sistemas da qualidade (ver nota 3); um sistema da qualidade de acordo com os elementos per-
tinentes deste Guia e apropriado ao tipo, abrangência e
p) ter políticas e procedimentos para a solução de volume de trabalho realizado. Este sistema da qualidade
reclamações, apelações e disputas recebidas de deve ser documentado e a documentação deve estar dis-
fornecedores, ou de outras partes, sobre o tratamen- ponível para uso do pessoal do organismo de certificação/
to dado à certificação ou quaisquer outras matérias registro. O organismo de certificação/registro deve asse-
relacionadas. gurar a implementação efetiva dos procedimentos e ins-
truções do sistema da qualidade documentado. O organis-
NOTAS mo de certificação/registro deve designar uma pessoa que
tenha acesso direto ao seu mais alto nível executivo, a
2 Uma estrutura onde os membros são escolhidos de forma a qual, independentemente de outras responsabilidades,
constituir um equilíbrio de interesses, na qual não predomine deve ter autoridade definida para
nenhum interesse individual, será considerada satisfatória para
atender a este dispositivo.
a) assegurar que seja estabelecido, implementado e
3 Outros produtos, processos ou serviços podem ser oferecidos, mantido um sistema da qualidade de acordo com
direta ou indiretamente, desde que não comprometam a confi- este Guia;
dencialidade, objetividade ou imparcialidade dos seus processos
e decisões de certificação/registro. b) relatar o desempenho do sistema da qualidade à
administração do organismo de certificação/regis-
2.1.3 Subcontratação tro para sua análise crítica e como base para melho-
ria do sistema da qualidade.
Quando um organismo de certificação/registro decide
subcontratar trabalho relacionado com certificação/regis- 2.1.4.3 O sistema da qualidade deve ser documentado em
tro (por exemplo, auditorias) junto a um organismo ou pes- um manual da qualidade e em procedimentos da qualida-
soa externa, deve ser elaborado um acordo, devidamente de associados, e o manual da qualidade deve conter ou
documentado, contendo as condições, inclusive confiden- fazer referência pelo menos ao seguinte:
cialidade e conflito de interesses. O organismo de certifica-
ção/registro deve
a) declaração da política da qualidade;
a) assumir plena responsabilidade pelo trabalho sub-
contratado e manter a sua responsabilidade pela b) breve descrição da situação legal do organismo de
concessão, manutenção, extensão, redução, sus- certificação/registro, inclusive os nomes dos seus
pensão ou cancelamento da certificação/registro; proprietários, se aplicável, e, se diferentes, os no-
mes das pessoas que o controlam;
b) assegurar que o organismo ou pessoa subcontra-
tado seja competente e atenda as disposições apli- c) nomes, qualificações, experiências e termos de
cáveis deste Guia, e não esteja envolvido, direta- referência do executivo sênior e de outras pessoas
mente ou através do seu empregador, com o pro- do organismo de certificação/registro que influen-
jeto, implementação ou manutenção de um siste- ciam na qualidade da função de certificação/regis-
ma da qualidade, de maneira tal que a sua impar- tro;
cialidade possa ser comprometida;
d) organograma da organização mostrando as linhas
c) obter o consentimento do solicitante ou do fornece- de autoridade, responsabilidade e atribuição de
dor certificado/registrado. funções a partir do executivo sênior e, em particular,
a relação entre os responsáveis pela avaliação e
NOTA 4 Os requisitos a) e b) são também aplicáveis, por ex- aqueles que tomam as decisões relativas a certi-
tensão, quando um organismo de certificação/registro usar, para ficação/registro;
concessão da sua própria certificação/registro, serviço fornecido
por um outro organismo de certificação/registro com o qual tenha
assinado um acordo.
e) descrição da organização do organismo de certi-
ficação/registro, inclusive detalhes do gerencia-
2.1.4 Sistema da qualidade
mento (comitê, grupo ou pessoa), identificados em
2.1.2 c), a sua constituição, termos de referência e
2.1.4.1 A administração do organismo de certificação/re-
regras de procedimento;
gistro com responsabilidade executiva pela qualidade de-
ve definir e documentar a sua política da qualidade, inclu- f) política e procedimentos para conduzir as análises
indo objetivos para a qualidade e o seu comprometimento críticas pela administração;
com a qualidade. A administração deve assegurar que
esta política seja compreendida, implementada e mantida g) procedimentos administrativos, inclusive controle
em todos os níveis da organização. de documentos;

4
Cópia não autorizada

ABNT ISO/IEC GUIA 62/1997

h) deveres e serviços operacionais e funcionais per- cumentado em conformidade com as normas aplicáveis
tinentes à qualidade, de modo que a extensão e os do sistema da qualidade ou outros documentos normativos.
limites da responsabilidade de cada pessoa sejam
conhecidos por todos os envolvidos; 2.1.5.3 O organismo de certificação/registro deve ter proce-
dimentos para
i) política e procedimentos para o recrutamento e o
treinamento do pessoal do organismo de certifi- a) conceder, manter, cancelar e, se aplicável, suspen-
cação/registro (inclusive auditores) e o monitora- der a certificação/registro;
mento do seu desempenho;
b) estender ou reduzir o escopo da certificação/regis-
j) lista dos seus subcontratados e detalhes dos pro- tro;
cedimentos para avaliação, registro e monitora-
mento de sua competência; c) conduzir uma reavaliação na eventualidade de
mudanças que afetem significativamente a ativida-
de e as operações do fornecedor (tais como mudan-
k) seus procedimentos para tratar as não-conformi-
ça de propriedade, mudanças no pessoal ou equi-
dades e para assegurar a eficácia de quaisquer
pamento), ou se a análise de uma reclamação ou
ações corretivas tomadas;
outra qualquer informação indicar que o fornece-
dor certificado/registrado não mais atende aos re-
l) política e procedimentos para implementar o pro- quisitos do organismo de certificação/registro.
cesso de certificação/registro, inclusive
2.1.5.4 O organismo de certificação/registro deve ter proce-
1) as condições para emitir, reter e cancelar os do- dimentos documentados que devem estar disponíveis
cumentos de certificação/registro; quando solicitado para

2) os controles sobre o uso e aplicação de do- a) a avaliação inicial do sistema da qualidade de


cumentos utilizados na certificação/registro de um fornecedor, de acordo com as disposições da
sistemas da qualidade; NBR ISO 10011-1 e outros documentos pertinen-
tes;
3) os procedimentos para avaliação e certificação/
registro de sistemas da qualidade dos fornece- b) acompanhamento e reavaliação dos sistemas
dores; da qualidade dos fornecedores, de acordo com a
NBR ISO 10011-1, em base periódica, para contí-
4) os procedimentos para acompanhamento e rea- nua conformidade com os requisitos pertinentes e
valiação dos fornecedores certificados/registra- para verificar e registrar que um fornecedor imple-
dos. mente ação corretiva no devido tempo para corrigir
todas as não-conformidades;
m)política e procedimentos para tratar das apela-
ções, reclamações e disputas; c) identificar e registrar não-conformidades e a ne-
cessidade de ação corretiva pelos fornecedores,
no devido tempo, para itens tais como referências
n) procedimentos para conduzir auditorias internas,
incorretas à certificação/registro ou uso indevido
baseadas nas disposições da NBR ISO 10011-1.
de informação sobre certificação/registro.

2.1.5 Condições para concessão, manutenção, extensão, 2.1.6 Auditorias internas e análises críticas pela administra-
redução, suspensão e cancelamento da certificação/ ção
registro
2.1.6.1 O organismo de certificação/registro deve realizar
2.1.5.1 O organismo de certificação/registro deve especi- auditorias internas periódicas abrangendo todos os pro-
ficar as condições para concessão, manutenção, exten- cedimentos, de maneira planejada e sistemática, para ve-
são e redução da certificação/registro e as condições sob rificar que o sistema da qualidade está implementado e é
as quais a certificação/registro pode ser suspensa ou can- eficaz. O organismo de certificação/registro deve assegu-
celada, parcial ou totalmente, para todo ou parte do esco- rar que
po de certificação/registo do fornecedor. Em particular, o
organismo de certificação/registro deve requerer do forne- a) o pessoal responsável pela área auditada seja in-
cedor uma pronta notificação de quaisquer intenções de formado do resultado da auditoria;
mudanças no sistema da qualidade ou outras mudanças
que possam afetar a conformidade. b) a ação corretiva seja tomada no devido tempo e de
maneira apropriada;
2.1.5.2 O organismo de certificação /registro deve reque-
rer que o fornecedor tenha um sistema da qualidade do- c) os resultados da auditoria sejam registrados.

5
Cópia não autorizada

ABNT ISO/IEC GUIA 62/1997

2.1.6.2 A administração do organismo com responsabilida- ou fornecedor, quando requerido para o desempenho de
de executiva deve analisar criticamente o seu sistema da qualquer função relacionada com as atividades do
qualidade a intervalos definidos, suficientes para assegu- solicitante ou do fornecedor certificado/registrado.
rar a sua contínua adequabilidade e eficácia em satisfazer
aos requisitos deste Guia e aos objetivos e política da qua- 2.1.8 Registros
lidade declarados. Devem ser mantidos registros destas
análises críticas. 2.1.8.1 O organismo de certificação/registro deve manter
um sistema de registro apropriado para as suas circuns-
2.1.7 Documentação tâncias particulares e para cumprir os regulamentos exis-
tentes. Os registros devem demonstrar que os procedi-
2.1.7.1 O organismo de certificação/registro deve documen- mentos de certificação/registro foram efetivamente segui-
tar, atualizar a intervalos regulares e tornar disponíveis dos, particularmente com respeito aos formulários de soli-
(por publicações, meios eletrônicos ou outros), quando citação, relatórios de avaliação e outros documentos rela-
solicitado, tivos à concessão, manutenção, extensão, redução, sus-
pensão ou cancelamento da certificação/registro. Os re-
a) informação a respeito da autoridade sob a qual o gistros devem ser identificados, administrados e coloca-
organismo de certificação/registro opera; dos à disposição de maneira a assegurar a integridade do
processo e a confidencialidade da informação. Os regis-
b) uma declaração documentada do seu sistema de tros devem ser mantidos por um período de tempo, de mo-
certificação/registro, inclusive as suas regras e pro- do que uma contínua confiança possa ser demonstrada
cedimentos para concessão, manutenção, exten- pelo menos por um ciclo completo de certificação/registro,
são, redução, suspensão e cancelamento da certifi- ou conforme exigido por lei.
cação;
2.1.8.2 O organismo de certificação/registro deve ter uma
c) informação sobre o processo de avaliação e certifi- política e procedimentos para reter os registros por um pe-
cação/registro; ríodo consistente com as suas obrigações contratuais,
legais ou outras. O organismo de certificação/registro de-
d) uma descrição dos meios pelos quais o organismo ve ter uma política e procedimentos para acesso a estes
de certificação/registro obtém suporte financeiro e registros, conforme 2.1.9.
informações gerais sobre as taxas cobradas dos
solicitantes e fornecedores certificados/registrados; 2.1.9 Confidencialidade

e) uma descrição dos direitos e deveres dos solicitan- 2.1.9.1 O organismo de certificação/registro deve ter meca-
tes e fornecedores certificados/registrados, inclusi- nismos adequados e consistentes com as leis aplicáveis,
ve requisitos, restrições ou limitações quanto ao para salvaguardar a confidencialidade das informações
uso da logomarca do organismo de certificação/ obtidas no curso das suas atividades de certificação/re-
registro e as maneiras de fazer referências a certifi- gistro em todos os níveis da sua organização, inclusive co-
cação/registro concedido; mitês e organismos externos ou pessoas atuando em seu
nome.
f) informação sobre os procedimentos para tratar das
reclamações, apelações e disputas; 2.1.9.2 Exceto quando requerido neste Guia, informações
sobre um produto ou fornecedor em particular não devem
g) uma relação de fornecedores certificados/registra- ser reveladas a terceiros sem o consentimento, por escrito,
dos, inclusive a localização destes, descrevendo o do fornecedor. Caso a Lei exija que a informação seja da-
escopo da certificação/registro concedido a cada da a conhecimento por terceiros, o fornecedor deve ser
um. notificado da informação fornecida, como permitido por lei.

2.1.7.2 O organismo de certificação/registro deve estabe- 2.2 Pessoal do organismo de certificação/registro


lecer e manter procedimentos para controlar todos os do-
cumentos e dados relativos às suas funções de certificação/ 2.2.1 Generalidades
registro. Estes documentos devem ser analisados critica-
mente e aprovados quanto à sua adequação, por pessoal 2.2.1.1 O pessoal do organismo de certificação/registro en-
devidamente autorizado e competente, antes da emissão volvido na certificação/registro deve ser competente para
de quaisquer documentos após o desenvolvimento inicial as funções que desempenha.
ou qualquer emenda subseqüente ou mudança que este-
ja sendo realizada. Deve ser mantida uma listagem de 2.2.1.2 A informação sobre as qualificações, treinamento e
todos os documentos apropriados, com a identificação da experiência pertinentes de cada membro do pessoal en-
respectiva situação de emissão e/ou emenda. A distribui- volvido no processo de certificação/registro deve ser man-
ção de todos estes documentos deve ser controlada para tida pelo organismo de certificação/registro. Os registros
assegurar que a documentação apropriada esteja dispo- de treinamento e experiência devem ser mantidos atua-
nível para o pessoal do organismo de certificação/registro lizados.

6
Cópia não autorizada

ABNT ISO/IEC GUIA 62/1997

2.2.1.3 As instruções claramente documentadas devem d) ter um grau de compreensão suficiente para reali-
estar disponíveis ao pessoal, descrevendo os seus deve- zar uma avaliação confiável da competência do for-
res e responsabilidades. Estas instruções devem ser man- necedor para fornecer produtos, processos ou ser-
tidas atualizadas. viços, dentro do escopo da sua certificação/regis-
tro;
2.2.2 Critérios para qualificação de auditores e técnicos
especialistas e) ser capaz de se comunicar eficientemente, tanto
por escrito quanto oralmente, nos idiomas requeri-
2.2.2.1 A fim de assegurar que as avaliações sejam con- dos;
duzidas de forma eficaz e uniforme, os critérios mínimos
pertinentes de competência devem ser definidos pelo or- f) estar livre de qualquer interesse que possa fazer
ganismo de certificação/registro. com que os membros da equipe atuem de outra ma-
neira que não seja imparcial e não-discriminatória;
2.2.2.2 Os auditores devem satisfazer aos requisitos da do- por exemplo:
cumentação internacional apropriada. Para a avaliação
de um sistema da qualidade, as diretrizes pertinentes para 1) os membros da equipe auditora ou suas organi-
a auditoria são aquelas definidas na NBR ISO 10011-1 e zações não devem ter prestado serviços de con-
os critérios pertinentes para os auditores são aqueles de- sultoria ao solicitante ou fornecedor certificado/
finidos na NBR ISO 10011-2. registrado que comprometam o processo de
certificação/registro e a decisão;
2.2.2.3 Aos técnicos especialistas não se aplicam as exi-
gências para auditores referidas na NBR ISO 10011-2. 2) de acordo com as diretrizes do organismo de
Orientação sobre os seus atributos pessoais podem ser certificação/registro, os membros da equipe au-
obtidos na NBR ISO 10011-2:1991 - Seção 7. ditora devem informar ao organismo de certifi-
cação/registro, antes da avaliação, sobre qual-
2.2.3 Procedimento de seleção quer ligação existente, passada ou previsível,
entre eles ou suas respectivas organizações e
2.2.3.1 Seleção de auditores e técnicos especialistas em o fornecedor a ser avaliado.
geral
2.2.4 Contratação do pessoal de avaliação
O organismo de certificação/registro deve ter um procedi-
mento para O organismo de certificação/registro deve assinar um con-
trato ou outro documento com o pessoal envolvido na ava-
a) selecionar auditores e, se aplicável, técnicos es- liação, pelo qual este se compromete a cumprir as regras
pecialistas, com base na sua competência, treina- definidas pelo organismo de certificação/registro, inclusi-
mento, qualificações e experiência; ve aquelas relativas à confidencialidade e à independên-
cia de interesses comerciais e outros, e qualquer ligação
b) avaliar inicialmente a conduta dos auditores e téc- passada e/ou presente com os fornecedores a serem ava-
nicos especialistas durante as avaliações e subse- liados. O organismo de certificação/registro deve assegu-
qüente monitoramento do desempenho dos audi- rar que e documentar como qualquer pessoal de ava-
tores e técnicos especialistas. liação subcontratado satisfaz a todos os requisitos para o
pessoal de avaliação definidos neste Guia.
2.2.3.2 Designação para uma avaliação específica
2.2.5 Registros do pessoal de avaliação
Ao selecionar a equipe auditora a ser designada para uma
avaliação específica, o organismo de certificação/registro 2.2.5.1 O organismo de certificação/registro deve possuir
deve assegurar que as habilidades da equipe designa- e manter registros atualizados do pessoal de avaliação,
da são apropriadas. A equipe deve consistindo em

a) estar familiarizada com os regulamentos legais a) nome e endereço;


aplicáveis, com os procedimentos e requisitos de
certificação/registro; b) organização à qual pertence e posição ocupada;

b) ter pleno conhecimento do método e dos documen- c) qualificações educacionais e situação profissio-
tos de avaliação pertinentes; nal;

c) ter conhecimento técnico apropriado das ativida- d) experiência e treinamento em cada campo de com-
des específicas para as quais a certificação/regis- petência do organismo de certificação/registro;
tro é desejada e, onde pertinente, com os procedi-
mentos associados e o seu potencial de falha (esta e) data da última atualização dos registros;
função pode ser preenchida por técnicos especia-
listas que não sejam auditores); f) avaliação do desempenho.

7
Cópia não autorizada

ABNT ISO/IEC GUIA 62/1997

2.2.5.2 O organismo de certificação/registro deve assegu- 3.1.1.2 O organismo de certificação/registro deve exigir
rar e verificar que qualquer organismo subcontratado que um fornecedor
mantém registros do pessoal de avaliação que está subcon-
tratado pelo organismo de certificação/registro e que sa- a) atenda às disposições pertinentes do programa de
tisfaçam aos requisitos deste Guia. certificação;

2.2.6 Procedimentos para equipes auditoras b) tome todas as providências necessárias para a
realização da avaliação, inclusive o exame de
As equipes auditoras devem estar providas de instruções documentação e acesso a todas as áreas, registros
de avaliação atualizadas e todas as informações pertinen- (inclusive relatórios da auditoria interna) e pessoal
tes sobre os mecanismos e os procedimentos de certifica- para os fins da avaliação, acompanhamento, reava-
ção/registro. liação e solução de reclamações;

2.3 Alterações nos requisitos de certificação/registro c) somente declare que é certificado/registrado em


relação às atividades para as quais a certificação/
O organismo de certificação/registro deve dar a devida no- registro foi concedida;
tificação sobre quaisquer alterações que pretenda fazer
nos seus requisitos para certificação/registro. Deve consi- d) não use a sua certificação/registro de maneira a
derar as opiniões expressas pelas partes interessadas prejudicar a imagem do organismo de certificação/
antes de decidir sobre a forma precisa e a data efetiva das registro e não faça qualquer declaração sobre a
alterações. Em seguida à decisão e à publicação dos re- sua certificação que o organismo de certificação/
quisitos alterados, o organismo de certificação/registro registro possa considerar indevida ou não autori-
deve verificar se cada fornecedor certificado/registrado zada;
executa os necessários ajustes dos seus procedimentos
dentro de um prazo que na opinião do organismo de certi-
e) em caso de suspensão ou cancelamento de sua
ficação/registro seja razoável.
certificação/registro (independentemente de como
foi determinada), deixe de usar todo o material de
2.4 Apelações, reclamações e disputas
propaganda que contenha qualquer referência a
ela e devolver quaisquer documentos de certifica-
2.4.1 As apelações, reclamações e disputas apresentadas
ção/registro, como for exigido pelo organismo de
ao organismo de certificação/registro por fornecedores ou certificação/registro;
outras partes devem estar sujeitas aos procedimentos do
organismo de certificação/registro.
f) use a certificação/registro somente para indicar
que o sistema da qualidade está em conformidade
2.4.2 O organismo de certificação/registro deve
com as normas especificadas ou outros documen-
tos normativos e não use a sua certificação/registro
a) manter um registro de todas as apelações, recla- de modo a sugerir que um produto ou serviço está
mações e disputas e das ações corretivas relativas aprovado pelo organismo de certificação/registro;
à certificação/registro;
g) assegure que nenhum documento, marca ou re-
b) adotar as ações corretivas e preventivas apropria-
latório de certificação/registro, ou qualquer parte
das;
deles, seja usado de maneira indevida;
c) documentar as ações adotadas e avaliar a sua
h) ao fazer referência à sua certificação/registro nos
eficácia.
meios de comunicação, tais como documentos,
brochuras ou anúncios, atenda aos requisitos do
Seção 3: Requisitos para certificação/registro
organismo de certificação/registro.
3.1 Solicitação de certificação/registro
3.1.1.3 Quando o escopo desejado da certificação/registro
está relacionado com um programa específico, quaisquer
3.1.1 Informações sobre o procedimento
explicações necessárias devem ser dadas ao solicitante.
3.1.1.1 Uma descrição detalhada do procedimento de ava-
3.1.1.4 Se requeridas, informações adicionais sobre a soli-
liação e certificação/registro, os documentos contendo
citação devem ser fornecidas ao solicitante.
os requisitos para certificação/registro, bem como os do-
cumentos descrevendo os direitos e deveres dos forne-
cedores certificados/registrados, devem ser mantidos atua- 3.1.2 A solicitação
lizados como especificado em 2.1.7.1 e devem ser forne-
cidos aos solicitantes e fornecedores certificados/regis- 3.1.2.1 O organismo de certificação/registro deve exigir um
trados. formulário oficial de solicitação, devidamente preenchido

8
Cópia não autorizada

ABNT ISO/IEC GUIA 62/1997

e assinado por um representante do solicitante devida- terial recebido do solicitante e conduzir a auditoria em seu
mente autorizado, no qual, ou anexado ao qual: nome. Especialistas nas áreas a serem avaliadas podem
ser agregados à equipe do organismo de certificação/re-
a) o escopo da certificação/registro desejada está de- gistro como suporte técnico.
finido;
3.2.4 O fornecedor deve ser informado dos nomes dos
b) o solicitante concorda em cumprir os requisitos pa- membros da equipe auditora que vai efetuar a avaliação
ra certificação/registro e em fornecer qualquer in- com antecedência suficiente para permitir-lhe apresentar
formação necessária para a sua avaliação. apelação contra a designação de quaisquer auditores ou
especialistas, em particular.
3.1.2.2 No mínimo as seguintes informações devem ser
fornecidas pelo solicitante antes da avaliação no local: 3.2.5 A equipe auditora deve ser formalmente designa-
da e provida com os documentos de trabalho apropriados.
a) características gerais do solicitante, tais como en- O plano e a data da auditoria devem ser acordados com
tidade corporativa, nome, endereços, constituição o fornecedor. A autoridade conferida à equipe auditora
legal e, onde pertinente, os recursos humanos e deve ser claramente definida e comunicada ao fornecedor
técnicos; e deve requerer que a equipe auditora examine a estrutu-
ra, as políticas e os procedimentos do fornecedor para con-
b) informações gerais sobre o sistema da qualidade firmar que estes atendem a todos os requisitos pertinentes
e as atividades que este abrange; ao escopo da certificação/registro e que os procedimentos
estejam implementados de forma a proporcionar confian-
c) descrição dos sistemas a serem certificados/regis- ça nos produtos, processos e serviços do fornecedor.
trados e as normas ou outros documentos norma-
tivos aplicáveis a cada um; 3.3 Avaliação

d) um exemplar do manual da qualidade e, onde exi- A equipe auditora deve avaliar o sistema da qualidade do
gido, a documentação associada. fornecedor abrangido pelo escopo definido, em relação a
todos os requisitos aplicáveis de certificação/registro.
As informações obtidas da documentação de solicitação
e da análise crítica do manual da qualidade podem ser 3.4 Relatório de avaliação
usadas na preparação da avaliação no local e devem ser
tratadas com a confidencialidade apropriada. 3.4.1 O organismo de certificação/registro pode adotar
procedimentos de elaboração de relatórios que atendam
3.2 Preparação para avaliação as suas necessidades mas, no mínimo, estes procedimen-
tos devem assegurar que
3.2.1 Antes de efetuar a avaliação, o organismo de certifi-
cação/registro deve conduzir e manter os registros de uma a) ocorra uma reunião entre a equipe auditora com a
análise crítica da solicitação de certificação/registro para administração do fornecedor, antes de a equipe au-
assegurar que ditora deixar as instalações, em que a equipe audi-
tora apresenta uma indicação, escrita ou oral, refe-
a) os requisitos para certificação/registro estejam cla- rente à conformidade do sistema da qualidade do
ramente definidos, documentados e compreendi- fornecedor com os requisitos específicos da certifi-
dos; cação/registro, e proporciona uma oportunidade
para o fornecedor fazer perguntas sobre os aspec-
b) qualquer diferença de entendimento entre o orga- tos constatados e suas bases;
nismo de certificação/registro e o solicitante seja
resolvida; b) a equipe auditora apresente ao organismo de certi-
ficação/registro um relatório das suas constatações
c) o organismo de certificação/registro tenha a capa- quanto à conformidade do sistema da qualidade do
cidade de executar o serviço de certificação/regis- fornecedor com todos os requisitos da certificação/
tro com respeito ao escopo da certificação/registro registro;
desejada, ao local das operações do solicitante e
a quaisquer outros requisitos especiais, tal como o c) um relatório do resultado da avaliação seja pronta-
idioma usado pelo solicitante. mente levado ao conhecimento do fornecedor pelo
organismo de certificação/registro, identificando
3.2.2 O organismo de certificação/registro deve preparar qualquer não-conformidade a ser eliminada para
um plano para as suas atividades de avaliação, para per- atender a todos os requisitos da certificação/regis-
mitir que as medidas necessárias sejam tomadas. tro;

3.2.3 O organismo de certificação/registro deve designar d) o organismo de certificação/registro solicite ao


uma equipe auditora qualificada para avaliar todo o ma- fornecedor os seus comentários sobre o relatório e

9
Cópia não autorizada

ABNT ISO/IEC GUIA 62/1997

a descrição das medidas específicas tomadas, ou 3.5.2 O organismo de certificação/registro não deve dele-
planejadas para serem tomadas dentro de um gar a autoridade para concessão, manutenção, extensão,
tempo definido, para corrigir quaisquer não-confor- redução, suspensão ou cancelamento da certificação/re-
midades com os requisitos da certificação/registro gistro a uma pessoa ou organismo externo.
identificadas durante a avaliação, e informe ao for-
necedor da necessidade de uma completa ou par- 3.5.3 O organismo de certificação/registro deve entregar a
cial reavaliação, ou se será considerada adequa- cada um dos fornecedores que teve seu sistema da qua-
da uma declaração por escrito a ser confirmada du- lidade certificado/registrado documentos de certificação/
rante o acompanhamento; registro, tais como: uma carta ou um certificado assinado
por um dos executivos que tenha sido designado para tal
e) o relatório contenha, no mínimo:
responsabilidade. Estes documentos devem identificar
para o fornecedor e para cada um dos locais abrangidos
1) data(s) da(s) auditoria(s);
pela certificação/registro:
2) o(s) nome(s) da(s) pessoa(s) responsável(is)
pelo relatório; a) o nome e o endereço;

3) nomes e endereços de todos os locais auditados; b) o escopo da certificação/registro concedida, inclu-


indo:
4) o escopo avaliado da certificação/registro ou re-
ferência a ele, inclusive referência à norma apli-
cada; 1) as normas do sistema da qualidade e/ou outros
documentos normativos sob os quais os siste-
5) comentários sobre a conformidade do sistema mas da qualidade estão certificados/registrados;
da qualidade do fornecedor com os requisitos
da certificação/registro com uma clara decla- 2) as categorias de produtos, processo ou serviço,
ração de não-conformidade e, onde aplicável, se apropriado;
qualquer comparação útil com os resultados de
avaliações anteriores do fornecedor;
3) requisitos de regulamentos, normas de produ-
tos ou outros documentos normativos sob os
6) uma explanação sobre quaisquer diferenças
quais os produtos são fornecidos;
das informações apresentadas ao organismo
na reunião de encerramento.
c) a data efetiva da certificação/registro e o prazo da
3.4.2 Se o relatório autorizado pelo organismo de certifi- certificação/registro.
cação/registro estiver diferente do relatório mencionado
em 3.4.1(c) e (e), ele deve ser submetido ao fornecedor, 3.5.4 Qualquer solicitação de emenda ao escopo de uma
com uma explanação sobre quaisquer diferenças em re- certificação/registro que já tenha sido concedida deve ser
lação ao relatório anterior. processada pelo organismo de certificação/registro. O or-
ganismo de certificação/registro deve decidir, se necessá-
O relatório deve levar em consideração
rio, qual procedimento de avaliação é apropriado, para
determinar se a emenda deve ou não ser concedida, e de-
a) a qualificação, experiência e autoridade do pesso-
ve agir de acordo.
al envolvido na auditoria;

b) a adequação da organização interna e os procedi- 3.6 Procedimentos de acompanhamento e reavaliação


mentos adotados pelo solicitante para proporcio-
nar confiança no sistema da qualidade; 3.6.1 O organismo de certificação/registro deve periodica-
mente efetuar acompanhamento e reavaliação, a interva-
c) as ações tomadas para corrigir as não-conformida- los suficientemente curtos, para verificar que os fornece-
des identificadas, inclusive, onde aplicável, aque- dores com o sistema da qualidade certificado/registrado
las identificadas em avaliações anteriores. continuam a cumprir os requisitos de certificação/registro.

3.5 Decisão sobre certificação/registro


NOTA 5 Na maioria dos casos, não é provável que um período
maior que um ano possa satisfazer aos requisitos de acompanha-
3.5.1 A decisão de certificar/registrar ou não o sistema da
mento desta seção.
qualidade do fornecedor deve ser tomada pelo organismo
de certificação/registro com base nas informações obtidas
durante o processo de certificação/registro e qualquer ou- 3.6.2 Os procedimentos de acompanhamento e reavaliação
tra informação pertinente. Aqueles que tomam a decisão devem ser consistentes com aqueles referentes à avalia-
de certificação/registro não devem ter participado da au- ção do sistema da qualidade do fornecedor, conforme des-
ditoria. crito neste Guia.

10
Cópia não autorizada

ABNT ISO/IEC GUIA 62/1997

3.7 Uso de certificados e logomarcas sistema de certificação/registro ou uso indevido de certi-


ficados e logomarcas encontrados em anúncios, catálo-
3.7.1 O organismo de certificação/registro deve exercer gos, etc.
controle apropriado quanto à propriedade, uso e exibição
das suas marcas e logomarcas de certificação/registro do NOTA 6 Esta ação pode incluir ações corretivas, cancelamento
sistema da qualidade. do certificado, publicação da transgressão e, se necessário, ou-
tras ações legais.
3.7.2 Se o organismo de certificação/registro conferir o di-
reito de uso de um símbolo ou logomarca para indicar 3.8 Acesso aos registros de reclamações aos fornece-
certificação/registro de um sistema da qualidade, o forne- dores
cedor pode usar o símbolo ou logomarca especificado so-
mente conforme autorizado por escrito pelo organismo de O organismo de certificação/registro deve exigir de cada
certificação/registro. Este símbolo ou logomarca não deve fornecedor, cujo sistema da qualidade foi certificado/re-
ser usado em um produto, ou de modo a poder ser interpre- gistrado, que torne disponíveis ao organismo de certifica-
tado como denotando conformidade do produto. ção/registro, quando solicitado, os registros de todas as
reclamações e das ações corretivas tomadas de acordo
3.7.3 O organismo de certificação/registro deve tomar com os requisitos das normas do sistema da qualidade ou
ações adequadas para lidar com referências incorretas ao outros documentos normativos.

11