Você está na página 1de 8

7.

3) Prazo de prescrição da revisão do FGTS

No julgamento do Tema n. 608 do STF (Agravo em Recurso Extraordinário n.


709.212/DF), com repercussão geral reconhecida, foi fixada a seguinte tese:

“O  prazo prescricional aplicável à cobrança de valores não depositados no Fundo de


Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) é quinquenal, nos termos do art. 7º, XXIX, da
Constituição Federal.” (g.n.)

Isso poderia nos levar a entender que só teríamos o prazo de 5 anos para pedir a revisão.
Mas não é bem assim.

👉 Acontece que, conforme expliquei no tópico 3, a ação de revisão do FGTS não se


confunde com a reclamação trabalhista pelos valores de FGTS não depositados.

No caso do Tema n. 608 do STF, a discussão versava apenas sobre essa hipótese
de reclamação trabalhista pelo FGTS não depositado. 

Desse modo, há quem sustente que a prescrição da ação de revisão do FGTS continua


sendo de 30 anos, nos termos da Súmula n. 210 do STJ.

👀 Porém, tenha em mente que ainda não há um julgado que tenha discutido


especificamente sobre o prazo de prescrição da ação de revisão do FGTS (mas pode
até ser que o STF se manifeste sobre o assunto no julgamento da ADI n. 5.090/DF que
está pendente). 

8) Documentos necessários para a ação de revisão do


FGTS

📑 Para ajuizar a ação de revisão do FGTS, será necessário apresentar os


seguintes documentos: 

 Cópia de Documento de Identidade com foto (RG ou CNH);


 Cópia do CPF;
 Comprovante de Residência atualizado (há pelos menos 3 meses antes do ajuizamento
da ação);
 Cópia da CTPS, em que apresente o número do PIS;
 Cópias de Extratos de Depósitos do FGTS a partir de 1991;
 Procuração;
 Declaração de Hipossuficiência Econômica (se for o caso).
Acredito que não há grandes mistérios com relação à maioria dos documentos. A
questão que poderia ficar seria: “Onde consigo obter esses extratos do FGTS?”

Calma, isso é mais fácil do que você imagina. Explicarei no tópico seguinte!

8.1) Extrato analítico FGTS – como obter

Esse Extrato Analítico do FGTS é disponibilizado pela própria Caixa Econômica


Federal, nos termos da Súmula n. 514 do STJ e da Circular n. 436/2008.

Você pode conseguir de forma online, através do site ou do aplicativo da CEF.


Também é possível requerer o documento presencialmente, comparecendo a uma
das agências bancárias da Caixa Econômica Federal. 

Para facilitar ainda mais a vida de vocês, o Dr. Railton Moreira do Cálculo Jurídico
escreveu um artigo super completo sobre a ação de revisão do FGTS. Inclusive, lá tem
o passo a passo de como retirar o extrato do FGTS no site da Caixa Econômica
Federal!

Vale a pena a leitura, o artigo está cheio de dicas práticas: Revisão do FGTS: Saiba tudo
o que é preciso para ajuizar a ação.

8.2) Extrato analítico FGTS – como analisar

Tendo o Extrato Analítico do FGTS em mãos, você terá acesso às informações que


precisa para realizar os cálculos: 

 data de abertura da conta de FGTS; 


 data dos depósitos;
 evolução do saldo;
 identificação da rubrica;
 valores recebidos ou descontados etc. 

Importante lembrar que existem 3 modelos de extratos que podem ser disponibilizados
pela CEF, fazendo com que a análise do extrato possa variar de um modelo para outro.

8.3) O que é JAM?

JAM é a sigla utilizada para se referir aos “juros e atualização monetária”. 


Como expliquei, as contas de depósito do FGTS dos empregados são remuneradas
mensalmente pela aplicação de JAM, ou seja, aplica-se a atualização monetária pela
TR e juros remuneratórios no percentual de 3% ano ano (salvo exceções em que o
percentual é de 6%).  

9) Como entrar com ação de revisão do FGTS

9.1) Até quando posso pedir a revisão do FGTS?

Como comentei lá no tópico 5, a ADI n. 5.090/DF ainda não foi julgada pelo STF. O
julgamento foi retirado da pauta e não há previsão de quando será novamente
incluído.

Os advogados têm orientado seus clientes a proporem as ações de revisão de


FGTS antes do julgamento pelo Supremo Tribunal Federal justamente para se precaver
de um eventual julgamento com modulação de efeitos. 

Se houver modulação, apenas as ações ajuizadas até o julgamento do STF terão


os valores de FGTS corrigidos. 

Portanto, apesar de ainda não sabermos a data de julgamento, recomendo que ajuíze as
ações de revisão do FGTS o quanto antes. ⏰

9.2) Como ficam as ações que já foram julgadas?

Se a ação foi julgada procedente, a pessoa já tem direito adquirido e não haverá


mudanças quanto a isso.

Ocorre que a maioria das ações de revisão de FGTS que foram ajuizadas no passado
foram julgadas improcedentes.

Nesse caso, se o STF julgar favorável à tese de revisão, é possível ajuizar ação


rescisória (isso se ainda estiver dentro do prazo decadencial de 2 anos, a contar do
trânsito em julgado da última decisão proferida no processo). 

9.3) Como estão os processos de revisão do FGTS no país neste momento?

Atualmente, os processos de revisão do FGTS que não foram julgados estão com
sua tramitação suspensa, até que o Supremo Tribunal Federal julgue o mérito da
questão na ADI n. 5.090/DF.
Isso porque, ao analisar o pedido liminar em 2019, o STF determinou a suspensão
nacional de todos os feitos que versem sobre a matéria.

10) Cálculo da Revisão do FGTS

Em resumo, o cálculo da revisão do FGTS passa por 7 etapas:

1º) Definir da base de cálculo;

2º) Substituir a TR por outro índice de correção monetária (INPC ou IPCA);

3º) Realizar a descapitalização da taxa de juros anual de 3% do FGTS;

4º) Definir o novo índice JAM;

5º) Aplicar o novo índice JAM na base de cálculo;

6º) Apurar as Diferenças Mensais Devidas que foram creditadas a menor;

7º) Atualizar os créditos e acumular mês a mês.

“Alê, só de ler esses passos já me deu vontade de desistir e mandar o cliente procurar
um outro advogado… hahaha”

Calma, não precisa entrar em pânico. Nos próximos tópicos, eu trago dicas de cálculo
que podem lhe ajudar! 🤣

10.1) É preciso fazer o cálculo antes de ajuizar a ação?

Sim, minha recomendação é que primeiro realize os cálculos para analisar se vale a
pena ajuizar a ação em cada caso concreto. 

Tenha em mente que os cálculos são necessários para definir o valor da ação, além do
fato de ser um critério de fixação de competência (por exemplo, é competência absoluta
do JEF causas com valor de até 60 salários mínimos). 
10.2) Planilha para calcular revisão FGTS

Desenvolver uma planilha excel para calcular os valores de revisão do FGTS pode ser


uma boa alternativa para lhe ajudar a não errar no cálculo.

Porém, saiba que a planilha não dispensa a análise dos extratos. 

Ou seja: você (ou algum responsável do seu escritório) terá que ficar encarregado de
analisar os extratos dos depósitos e preencher os campos da planilha com as
informações necessárias para gerar o resultado.

Se você domina a “arte do excel” e possui tempo ou equipe disponível, realizar os


cálculos através de planilhas é sim uma alternativa viável. 

Porém, saiba que existem outras formas mais eficientes de realizar os cálculos,


utilizando programas e softwares específicos para cálculos previdenciários! 

10.3) Programa de cálculo do FGTS é necessário?

Conforme expliquei, há outras maneiras de elaborar os cálculos, como através de


planilhas excel, por exemplo. 

Porém, se você quer poupar tempo e, consequentemente dinheiro, um programa de


cálculo do FGTS é a melhor alternativa para o seu escritório!

Particularmente, eu recomendo o Programa de Cálculo do FGTS do Cálculo


Jurídico, que permite que o advogado tenha o resultado exato em poucos minutos, de
forma prática e eficiente.  

Através desse programa, você pode importar automaticamente todos os dados dos


extratos do FGTS, independente do modelo disponibilizado pela CEF. Ele também
identifica depósitos em uma mesma data e soma eles de forma automática.

Além disso, a Equipe do Cálculo Jurídico disponibiliza um suporte em tempo real,


para que o advogado possa entrar em contato em caso de dúvida na hora de fazer o
cálculo.

Lembrando que você pode baixar o Modelo de Petição para Revisão do FGTS que foi
gentilmente disponibilizado pelos colegas advogados do Cálculo Jurídico. Caso você
tenha interesse em obter o modelo gratuitamente, basta clicar no link e informar seu
nome e email para recebê-lo agora mesmo. 😄
11) Material Completo para Revisão do FGTS

Eu procurei escrever este artigo sobre a revisão do FGTS para ele ficar realmente bem
completo. Meu objetivo era fazer um verdadeiro guia para os colegas!

E espero de verdade que ele te ajude a dominar completamente esta revisão!

Mas eu sei que às vezes pode ser muito cansativo e chato escrever as petições…

Vai ter petição inicial, agravo, réplica à contestação, recurso, recurso, recurso… Você
sabe como é…

Seria ótimo poder pegar um atalho, né?

Se você quer agilidade para aumentar sua produtividade em causas como essa, os nossos
colegas do Ponto Jurídico têm um material completo para a propositura desta revisão.

Eu analisei tudinho e gostei muito!

O material é composto por:

1. Texto explicativo da tese;


2. Petição Inicial;
3. Planilha de cálculo dos valores devidos;
4. Manual para utilização da planilha;
5. Embargos de declaração;
6. Recurso inominado e apelação;
7. Procuração específica;
8. Contrato de honorários específico;
9. Réplica à contestação da CEF;
10. Recursos Especial e Extraordinário;
11. Agravo em recurso extraordinário;
12. +6 Super Bônus

👉  Clique aqui para conhecer o Material Completo Para a Revisão do FGTS – Da


teoria à prática.

12) Conclusão

No artigo de hoje, espero ter cumprido a difícil missão de explicar tudo o que você
precisa saber sobre a ação de revisão do FGTS.
A revisão do FGTS era uma tese na qual os advogados tinham perdido as esperanças,
principalmente após a decisão do STJ. Porém, o posicionamento do STF surgiu como
uma verdadeira “luz no fim do túnel”, sendo que há muita expectativa sobre o
julgamento da ADI n. 5.090/DF.

Todos estamos na torcida para que a aplicação da TR como índice de atualização


monetária do saldo do FGTS seja declarada inconstitucional. 

Afinal, nada mais justo do que utilizar um índice que realmente reflita a manutenção
do poder de compra do trabalhador. 

E aproveite para checar o Material Completo Para a Revisão do FGTS – Da teoria à


prática dos nossos colegas do Ponto Jurídico. Caso tenha interesse em poupar seu
tempo com as principais peças processuais utilizadas nesta ação, clique aqui e obtenha
o material completo e 6 bônus exclusivos.

13) Fontes

Ação Declaratória de Constitucionalidade da TR no S

Possibilidade de não incorrer em sucumbência:             


Dessa forma, para não correr o risco de sucumbência, versamos sobre
duas possibilidades:

1) Ajuizamento da ação perante o Juizado Especial Federal: apenas nos


casos em que os trabalhadores têm direito a receber valores não
superiores a 60 salários mínimos, visto que no Juizado Especial Federal
não há o pagamento de custas e condenação em honorários
sucumbenciais, salvo na hipótese de recurso (e o recorrente for
integralmente vencido).

Alguns advogados entendem que há a possibilidade de o juiz federal


entender que o processo deva tramitar na Justiça comum, por demandar a
realização de perícia técnica contábil para identificar os valores a que o
trabalhador tem direito. Entendemos que essa hipótese é remota, porém
os autores devem estar cientes de que haveria um risco, ainda que
pequeno, de sucumbência nessa situação.

Porém, se o valor a que o trabalhador teria direito é maior do que 60


salários mínimos, a causa irá ultrapassar o limite, assim, o recomendado
é ingressar com a ação na Justiça federal, fora do Juizado Especial.
Alternativamente, esses trabalhadores que têm direito a somas mais
vultosas têm também a opção de ajuizar a ação no âmbito do Juizado
Especial Federal, renunciando ao montante que ultrapassar o teto de 60
salários mínimos.

2) Adentrar com cumprimento da decisão em liquidação de sentença na


ação civil pública (n° 5008379-42.2014.404.7100/RS)´ajuizada na
Justiça federal do Rio Grande do Sul. Essa ação judicial da Defensoria
Pública da União (DPU) tem abrangência nacional, ou seja, qualquer
decisão que seja tomada refletiria junto aos trabalhadores de todo o
Brasil que tenham FGTS.

Como a ação civil pública ainda não foi julgada e será impactada pela
decisão do julgamento do Supremo Tribunal Federal, caso a decisão seja
vitoriosa aos trabalhadores eles estarão cobertos pela ação civil pública
da DPU. Dessa forma, cada trabalhador poderá pedir futuramente o
cumprimento da sentença.       

O ingresso da ação na Justiça comum é o menos recomendado em nossa


visão, pois tem-se o risco da sucumbência em caso de: 1) o Supremo
Tribunal Federal julgar improcedente a ADIn 5.090 e, com isso,
reconhecer a constitucionalidade da aplicação da TR, o que inviabilizaria
a tese ora discutida; ou 2) no decorrer da ação, restar decidido que a
prescrição para pleitear a reposição de índices de correção monetária do
FGTS seria de cinco anos ao invés de 30, podendo acarretar em uma
sucumbência total ou parcial do período pleiteado pelo empregador, em
caso de ser superior a cinco anos

Você também pode gostar