Você está na página 1de 4

QUESTÃO 1.

Com relação ao diagrama de blocos abaixo, determine a função de


transferência em mallha fechada. Considere H =1 . Isto é, a realimentação ser unitária.

Resolução: temos uma realimentação negativa, e a redução do sistema se dá por:

OBS: Notar que, no exercício em questão, G1 e G2 estão em cascata, logo a equivalência entre
os dois subsistemas é o produto.

Logo da questão temos:

2 K ( s +2 ) 2 K ( s+2 )
G1 G 2 s (s+ 5)( s+ 8) s(s+ 5)( s+ 8)
Y ( s )= = = ⟹
1+G1 G2 H 2 K ( s+2 ) s ( s+ 5 )( s+ 8 )+ 2 K ( s+2 )
1+
s (s+5)( s+8) s(s+ 5)( s+ 8)
2 K ( s+2)
Y ( s )=
s ( s+ 5 )( s+ 8 ) +2 K ( s+2 )

QUESTÃO 2. Considere o circuito em série RL na figura abaixo.

a) Escreva a equação diferencial para o circuito se V(t) for um degrau unitário;

Resolução: Escrevendo as equações de malha (Lei de Kirchoff das tensõse) temos:

di ( t )
L + Ri ( t )=v (t )
dt
Como v(t)=u(t), temos

di ( t )
L + Ri ( t )=u(t )
dt

b) resolva a equação diferencial para a corrente, i(t) , se não há energia inicial armazenada no
circuito.

Resolução: Considerando condições iniciais nulas para o indutor, e aplicando a transformada de


Laplace, para um degrau de amplitude A, temos:

A
LsI ( s )+ RI ( s )=
s
Resolvendo para I(s) temos

A
I ( s ) ( Ls + R)=
s

A 1
⟹ I ( s )=
s (Ls + R)
1 A
A R R
⟹ I ( s )= =
s L s ( τs+1 )
s +1
R ( )
Aplicando a transformada inversa de Laplace a corrente temos:
−t
A
⟹ i ( t )= ( 1−e τ )[ A ]
R

QUESTÃO 3. Para o circuito ativo da figura abaixo obtenha a função de transferência E0(s)/Ei(s):

E s (s)

Resolução: Para o primeiro amplificador inersor, temos:

Es ( s ) −Z 2 ( s )
=
E i ( s ) Z 1 (s)
Mas

Z1 ( s )=R1
e
1
Z2 ( s )=R 2+
C2 s

Portanto para o primeiro amplificador temos:

1
−R 2+
Es ( s ) C2 s −R 2 C 2 s−1
= =
E i ( s) R1 R1 C 2 s

Para o segundo amplificador, também inversor, temos:

E0 ( s ) −Z 4 −R4 −R 4
= = ⟹ E 0 ( s )= E (s)
E s ( s) Z3 R3 R3 s
Mas
−R2 C 2 s−1
E s (s)=Ei ( s) ( R1 C2 s )
Logo:

−R 4 −R2 C 2 s−1
E0 ( s ) =
R3
Ei ( s)( R1C2 s )
Organizando a ultima equação temos:

E0 ( s ) −R 4 −R 2 C 2 s+1
=
Ei (s ) R 3 (
R1 C 2 s )
E0 ( s ) R2 R4 C 2 s+1
=
Ei (s ) R1 R 3 C 2 s

QUESTÃO 4. Qual a diferença entre sistemas variantes no tempo e sistemas invariantes no


tempo? Explique os dois tipos de sistemas. Dê exemplos.

Sistema invariante no tempo (SIT): Um sistema é invariante no tempo quando o seu


funcionamento não se altera ao longo do tempo. De forma técnica, um sistema é chamado de
invariante no tempo (IT) se um atraso ou avanço de tempo na entrada provoca deslocamento
idêntico na saída.
Têm vantagens importantes:
• é uma classe muito geral que permite construir boas aproximações do comportamento de
muitos sistemas físicos
• podem ser estudados analiticamente usando ferramentas poderosas, em particular, a
transformada de Fourier
• ficam totalmente caracterizados pela resposta do sistema a um impulso.

Ex: Na vida real, não existe sistema invariante no tempo, mas podemos considerar na prática
como invariante no tempo muitos sistemas cuja variação no tempo é muito lenta, por exemplo,
algum processo de nível.

Caso contrário, o sistema é dito variante no tempo.


Ex: Um termistor ou um motor DC – possuem elementos não lineares.

Você também pode gostar