Você está na página 1de 34

REGIÃO

PEITORAL
MAMA E AXILA
O conceito de LS baseia-se em dois princípios básicos:

• a existência de uma drenagem linfática ordenada e


previsível para um linfonodo e a função desse primeiro
linfonodo atuar como filtro para as células tumorais.

• é o primeiro linfonodo a receber a drenagem linfática


do tumor antes das cadeias axilar e mamária interna,
devendo refletir o estado de todo esse conjunto
linfonodal, neste caso, a cadeia de rede linfonodal
axilar

linfocintilografia mamária
• Lesão do nervo sensitivo
intercostobraquial (ICB)

• Lesão nervo torácico


longo
paralisia do músculo serrátil anterior, sendo, neste caso,
relatada pela paciente dor no ombro em repouso e
identificada ao exame físico presença de escápula alada

• Lesão nervo toracodorsal


grande dorsal sofrerá paralisia, resultando em fraqueza para
fechar e realizar rotação interna no ombro.

• Lesão do nervo peitoral


medial e lateral
paralisia do músculo peitoral maior e consequentemente
atrofia da parede anterior do tórax.
Polimastia

Politelia

A polimastia (mamas supranumerárias) ou politelia (papilas mamárias acessórias) pode ser encontrada superior ou
inferiormente ao par normal, às vezes na fossa axilar ou na parede anterior do abdome (Figuras 1.29 e B1.7).
As mamas supranumerárias consistem apenas em papila e aréola rudimentares, que podem ser confundidas com um nevo
até mudarem de pigmentação, junto com as papilas mamárias normais, durante a gravidez. Entretanto, também pode
haver tecido glandular, que se desenvolve ainda mais com a lactação. Essas mamas supranumerárias podem surgir em
qualquer ponto ao longo de uma linha que se estende da axila até a região inguinal — a localização da crista mamária
embrionária (a linha láctea) que dá origem às mamas, e ao longo da qual surgem as mamas em animais com várias
mamas. Pode não haver desenvolvimento mamário (amastia), ou pode haver uma papila mamária e/ou aréola, mas sem
tecido glandular.
Trígono e Sulco Delto-Peitoral

 Limites :
m.Deltóide (Lat)
m.Peitoral Maior (Med)
Clavícula (Sup)
 Conteúdos :
V. Cefálica
Ramo deltóide da A.
Tóraco-Acromial
ESPAÇOS DO OMBRO:
a) TRIANGULAR:
 Limites:
-Superior > redondo menor (parte
medial)
-Inferior > redondo maior (parte medial)
-Lateral > porção longa do tríceps
(borda medial)
 Conteúdos : Vasos Circunflexos da
Escápula
b) QUADRANGULAR:
 Limites:
-Superior > redondo menor (parte lateral)
-Inferior > redondo maior (parte lateral)
-Medial > porção longa do tríceps
(borda lateral)
-Lateral > colo cirúrgico do úmero
 Conteúdos :
A. Circunflexa Posterior do Úmero e
n. Axilar
Espaços do Ombro - 1

Espaço Triangular

Espaço Quadrangular

síndrome do espaço quadrangular (SEQ)


Espaços do Ombro - 2
Forame supraescapular

Intervalo triangular
1. Definição:
“Intervalo piramidal entre o braço e
a parede torácica”

2. Limites:
a) base: fáscia axilar (+ pele e subcutâneo –
glândulas sudoríparas)
b) ápice: clavícula, borda superior da
escápula, 1ªcostela
c) paredes:
-anterior: mm.peitorais maior e menor
-posterior: m.subescapular,m.redondo maior,
m.grande dorsal
-medial: costelas, espaços intercostais,
m.serrátil anterior
-lateral : sulco intertubercular do úmero
Corte Oblíquo da Axila
Conteúdos:

• Artéria e veia
axilares
• Plexo braquial
(fascículos e ramos
terminais)
• N. torácico longo
• N. intercostais (r.
lateral) e
intercostobraquial
• Porção terminal da
veia cefálica
• Linfonodos axilares
• Gordura e tecido
conjuntivo frouxo
A) Artéria Axilar:
 Início e término
 Partes e ramos: (relação c/ m.peitoral menor)
1ª Parte: (medial ao músculo)
1- a. torácica suprema
2ª Parte: (atrás do músculo)
2- a. tóraco-acromial, 3- a. torácica lateral
3ª Parte: (lateral ao músculo)
4- a. subescapular, 5- a. circunflexa anterior
e 6- a. circunflexa posterior do úmero
Artéria Axilar e Seus Ramos
B) Veia Axilar:

 Situa-se ventralmente à artéria


 Forma-se pela desembocadura da Veia
Basílica nas Veias Braquiais (borda
inferior do m.redondo maior)
 Recebe as tributárias correspondentes
aos ramos da artéria axilar
 Continua-se após a 1ª costela como Veia
Subclávia

Você também pode gostar