Você está na página 1de 12

Olá espero que todos estejam muito bem dessa aula nós vamos falar a respeito de

alterações pós Mortais.


as alterações portais também chamadas alterações cadavericas ou pós-morte são
fenômenos que ocorrem após a morte somática eu sou alterações que ocorrem após a
morte do indivíduo.
é importante que a gente conheça as alterações portais e extremamente importante
Principalmente quando a gente faz necrópsia porque essas alterações elas devem ser
diferenciadas das alterações que ocorrem antes da morte e as alterações que ocorrem
antes da morte frequentemente são lesões e estão relacionadas com a causa da morte.
então é importante que a gente conheça O que acontece após a morte do animal para que
a gente consiga diferenciar, se aquela alteração que eu estou vendo naquele cadáver
ocorreu após a morte ou antes da morte e se aquela alteração tem relação com a causa
da morte do animal.
bem frequente Às vezes as pessoas que não tem muita experiência em fazer necrópsia a
confusão entre alteração pos mortem e ante mortem a demora às vezes veterinários a
campo manda pra gente alguns relatórios e imagens mostrando algumas alterações que
para eles pode ser Inclusive a causa da morte e na verdade aquelas alterações que eles
acham extremamente importante são alterações no processo de decomposição do
cadáver.
tão importante antes de tudo que a gente conheça O que é normal para a gente poder
saber o que é anormal além desse motivo as alterações pós Mortais são muito utilizadas
em medicina legal medicina forense Por que possibilitam a estimativa de várias
alterações de várias informações a respeito do cadaver como por exemplo a hora da
morte nos permite estimar a data a hora aproximada da Morte daquele indivíduo nos
permite saber se aquele cadáver morreu naquele local onde foi encontrado se ele foi
modificado de local várias alterações, várias informações que a gente pode obter
analisando esse cadáver e entendendo como ocorre as alterações pos mortais.
mas para gente falar um pouco sobre as alterações que ocorrem após a morte é
importante que a gente saiba o que é morte parece uma coisa tão óbvia acho que todo
mundo sabe que a morte mas não é bem assim vamos para algumas definições.
O que é morte somática, somática é a parada definitiva das funções orgânicas e dos
processos reversíveis do metabolismo, a morte somática é a parada do funcionamento
dos órgãos a parada dos processos orgânicos.
E então em resumo a morte do indivíduo do corpo a morte somática ela é definida
principalmente em medicina humana alguns aspectos que podem ser observados no
indivíduo no corpo na medicina veterinária esses aspectos também podem ser
observados e baseados para determinar se a morte daquele indivíduo ocorreu ou não
como por exemplo a insensibilidade a imobilidade parada das funções cardíacas e
respiratórias e inconsciência e arreflexia em animais mas utilizamos Essas funções para
determinação da Morte daquele indivíduo em humanos se utiliza muito a parada das
funções cerebrais além de todas estas alterações dessas paradas porque em humanos
essa avaliação da função cerebral ela pode ser feita com maior facilidade em veterinária
a gente não tem sempre essa disponibilidade de avaliação cerebral então às vezes a
gente faz essa avaliação baseada somente nessas alterações aqui de cima mas mesmo
assim mesmo se utilizando desses parâmetros para determinar a causa da morte o
melhor para determinar a ocorrência da Morte existem ainda Vários exemplos de q
todas essas alterações não são suficientes para se determinar o horário momento da
morte do indivíduo.
na morte somática o indivíduo como um todo estaria morto Enquanto alguns tecidos
ainda podem estar vivos pelo menos por algum tempo até que autólise ocorra então
quando eu digo que este indivíduo está morto eu estou dizendo que o funcionamento
como um todo daquele corpo não está ocorrendo entretanto aqueles tecidos ainda estão
vivos dependendo do período após a morte exatamente por isso que é possível a
ocorrência de doação de órgãos em um determinado indivíduo morto eu posso Em
alguns momentos e algumas eu tenho a possibilidade de remover alguns tecidos e
utilizar aqueles tecidos e outros indivíduos vivos porque os tecidos ele não morre
instantaneamente assim como no momento em que o indivíduo é dado como morto os
tecidos eles vão morrendo gradativamente após a morte do corpo pelo processo de
autólise.
Como eu disse aquelas alterações utilizadas para diagnóstico de morto ou não ele é
utilizado de maneira muito Ampla entretanto algumas vezes a gente tem alguns
exemplos de que talvez essa essa avaliação não esteja muito correta é muito frequente se
vocês verem em jornais e na internet alguns casos de Às vezes a pessoa tá no seu
próprio funeral e acorda ou a pessoa encontrada viva dentro dos necrotérios isso não é
pouco frequente isso é bastante frequente porque essas alternativa essas estratégias para
definição de morte ou não elas ainda são muito subjetivas em alguns casos que nós nos
deparamos com algumas alguns exemplos que nos deixam ainda sem pensar até que
ponto o indivíduo realmente está morto ou não.
Por exemplo eu peguei assim esse artigo da revista Galileu de 2013 em e eu achei
bastante interessante porque a conta história de dois indivíduos um deles é o jogador ele
ele aqui o nome do jogador ele teve uma parada cardíaca dentro do estádio estava
jogando ele teve uma parada cardíaca e ele ele é dado como morto ele é levado para o
hospital isso ele tem essa parada cardíaca diante de 35.000 pessoas então isso não é uma
mentira então ele foi levado às pressas para o hospital o seu coração ficou parado por
1:18 e mesmo assim eles sobreviveram sem sequelas a gente sabe que quando o coração
para a circulação sanguínea não há fluxo sanguíneo ele não ocorre para todos os tecidos
logo os tecidos sofrem hipoxia e ocorre a morte dos tecidos e é por isso que o indivíduo
é dado como morto quando o coração não bate nesse caso esse indivíduo apesar de ter
ficado por 1:18 com o coração parado ele voltou à Vida e ainda pergunta do artigo Esse
é um milagre Existem várias possibilidades a gente pode acreditar em milagres e a gente
pode acreditar em uma talvez da maneira com que a gente esteja determinando a morte
não esteja bem correta né o outro caso ainda mais interessante 2011 uma japonesa de 30
anos foi encontrada no bosque morta por overdose a temperatura corporal dela estava 20
graus celsius e sindicato daquela estava morta muito tempo já tinha várias horas levando
em consideração a definição da temperatura do corpo em relação a temperatura do
ambiente estimava-se que ela estava morta por pelo menos 10 horas isso é muito tempo
não é uma hora 10 horas que o individuo estava morto ela foi levada ao hospital, Não
sei por que tentaram uma ressucitação / ressucitam essa mulher voltou à vida se
Recuperou e inclusive ainda diz no final do artigo que teve um bebê no ano passado
Então essas duas histórias eu estou falando para vocês não para que vocês vem em
milagres ou pensem em coisas sobrenaturais não é isso o meu objetivo meu objetivo
com essas duas histórias para a gente pensar quando ocorre a morte o que é a morte a
morte realmente é a parada daquelas funções de um individuo que não se mexe o
indivíduo que o coração não bate mais quando é que a gente pode determinar que o
indivíduo está morto ou não a ciência ainda está muito atrasada nisso Talvez nós não
estejamos fazendo a determinação correta isso porque os tecidos Como eu disse eles não
morrem imediatamente após a morte do indivíduo e aqui uma estimativa do tempo
morte de cada tecido de alguns tecidos os neurônios eles levam aproximadamente 8
horas para morrer a partir do momento da morte do corpo inicialmente se acreditava que
em poucos minutos os neurônios já estavam mortos e realmente o indivíduo que às
vezes tem uma parada respiratória corpo humano por exemplo fica em torno de 3
minutos sem oxigênio a partir de 3 minutos provavelmente esse corpo vai morrer.
mas já se sabe que alguns neurônios podem viver por 8 horas o tecido adiposo ele fica
vivo em torno de 13 horas após a morte do corpo as células da pele 24 horas as células-
tronco dois dias e as células ósseas quatro dias aqui alguns exemplos deste dessas
tecidos Mas se sabe que quanto mais diferenciado é o tecido mais rápido ocorre a morte
desse tecido mas mesmo assim ainda há um período longo Para que ocorra a morte por
exemplo neurônios extremamente diferenciados demoram 8 horas para morrer levando
em consideração o que é morte somática então nós vamos começar a falar sobre as
alterações cadavericas as alterações cadavericas são classificadas em alterações
cadavericas abioticas e alterações cadavericas bióticas ou transformativas.
as alterações abióticas só que elas não a modificação do cadáver no seu aspecto geral
são as alterações ocorrem entretanto não há modificação do cadáver já nas alterações
cadavericas bioticas a modificação nesse cadáver nas alterações abióticas existem as
imediatas que são aquelas alterações que eu falei ali na morte somática e insensibilidade
falta de reflexo para cardíaca parada respiratória Então são aquelas que ocorrem
imediatamente após a morte e aquelas mediatas ou consecutivas são as que ocorrem
logo após a morte como o processo de autólise já as alterações bióticas em que a
transformar ação do cadáver então é o que a gente chama de decomposição e putrefação
do cadáver E são essas que vão dificultar avaliação macroscópica são essas alterações
que vão nos confundir às vezes sobre aquela lesão ocorreu pós-morte ou ante mortem.
então as alterações imediatas abióticas como eu falei insensibilidade e imobilidade
parada das funções cardíacas respiratórias inconsciência e arreflexia, ja mediatas estão
relacionadas ao processo de autólise que é A lise da célula nós temos essa lista de
alterações e nós vamos falar uma por uma como elas ocorrem já nos processos
transformativos nós temos destas alterações aqui também que vamos falar.
Mas o que que é autolise então autolise e A destruição de um de um tecido por enzimas
proteolíticas produzidas pelo próprio corpo Então as células no processo de autólise
liberam suas enzimas e essas enzimas acabam digerindo os próprios tecidos então é auto
destruição da célula e do tecido microscopicamente a gente observa autólise como a
perda dos limites celulares a diminuição afinidade tintorial ou seja na histologia essa
célula não se cora muito bem e a ausencia de reações inflamatórias e a presença de
hemólise então Aqui nós temos (IMAGEM 1 )uma foto histológica de um fígado
Apesar que essa imagem não está tão bonita mas nós temos aqui é organização os
lóbulos os cordões de hepatócitos núcleos dos hepatócitos E se a gente aproximar a
gente consegue ver a definição de célula por célula Aqui nós temos a histologia de um
fígado em autólise nós vemos uma nuvem de estruturas que se coram mas não se coram
como deveriam nós não temos a definição das células nós não temos núcleos celulares
Então nós não temos essa organização como deveria ter esse é um tecido autolizado.
os tecidos eles têm diferentes tempos Para que ocorra autólise então diferentes tecidos
tem diferentes tempos de autólise mas todo tecido autoliza quanto mais diferenciado o
tecido mais rápido é o processo de autólise e a que eu tenho uma sequência de tecidos o
fígado e o rim autolizam bastante rápido seguido pelo sistema nervoso central tecidos
fibrosos e tecidos ósseos são os últimos tecidos a sofrer um processo de autólise essa
autólise que ocorre a nível do tecido celular quando a gente olha a histologia
confundimos bastante dificulta bastante a análise desse tecido então quando a gente faz
a necropsia e o exame histopatológico de um animal em processo de autólise essas
alterações dificultam muito a o diagnóstico e a por isso então que na aula de técnica de
necropsia nós vimos que quanto mais rápido a gente faz a coleta do material após a
morte melhor é a gente demora muito tempo para fazer essa coleta o processo os tecidos
entram em processo de autólise quando a gente vai olhar isso microscópio tipo dificulta
muito a gente fazer o diagnóstico já a putrefação também chamada de heterólise é ação
das enzimas proteolíticas dos Germes saprófitas geralmente oriundos do próprio trato
intestinal do animal então processo de putrefação é aquele que ocorre pelas enzimas
principalmente das bactérias presentes no trato gastrointestinal em um ambiente então
autólise é o processo de destruição dos tecidos pelas enzimas dos próprios tecidos
putrefação é o processo de degradação dos tecidos por por enzimas dos Germes
presentes no corpo e decomposição é o processo que ocorre com a autólise mais
putrefação todo esse processo de degradação tecidual que ocorre na autólise e na
putrefação geram o que a gente chama de decomposição,
vários fatores influenciam na velocidade desse processo de autólise putrefação
decomposição e em consequência disso as alterações pós Mortais como por exemplo a
temperatura ambiental quanto mais alta for a temperatura ambiental mais rápido é o
processo de decomposição e consequentemente de alterações pós Mortais então se eu
moro Nós moramos no local em que a temperatura ambiental é alta ela fica em torno de
30 35 graus constantemente então se eu tenho animal de morre nesse ambiente o
processo de aparecimento das alterações pos mortais é Bastante rápido agora se eu
tenho um animal que morre numa temperatura em torno de 5 graus Celsius esse
processo de decomposição vai demorar muito mais e às vezes em alguns casos nem
ocorre o animal ele acaba congelado e não tem não sofre processo de decomposição
então quanto mais alta a temperatura ambiental maior a velocidade da instalação das
alterações pos mortais menor a temperatura menor a velocidade o tamanho do animal
influencia também quanto maior o animal mais difícil é o resfriamento do cadáver logo
mais rápido é o processo de decomposição é importante que a gente lembre que os
processos enzimáticos eles ocorrem mais rápido conforme mais alto for a temperatura
assim também são as bactérias.
as bactérias a proliferação bacteriana ela ocorre uma temperatura mais alta e a
proliferação bacteriana diminui conforme a temperatura diminui então se eu tenho uma
temperatura mais alta Eu tenho o processo de autólise e ocorrendo com maior rapidez e
o processo de putrefação também ocorrendo com maior rapidez E aí quando a gente
pensa num animal por exemplo nós temos uma vaca uma vaca ela vai permanecer numa
temperatura alta por mais tempo do que um filhote de gato que vai perder só
temperatura mais rápido e Então essa diferença de tamanho interfere nesse processo de
decomposição o estado nutricional do animal também influencia bastante se o animal é
bem nutrido ele tem maior quantidade de glicogênio muscular logo ele vai demorar
mais tempo para se instalar o processo de Rigor Mortis nós vamos falar em mais
detalhes daqui a pouco sobre isso a causa da morte do animal também influencia
algumas infecções como por exemplo as infecções clostridiais os clostrídios algumas
doenças relacionadas as infecções por clostridium processo de decomposição ocorre
muito mais rápido animais que morrem em sepsemia também desenvolvem as
alterações pos mortais mais rápido e também caso de intoxicação por istrikini.
a cobertura tegumentar também influencia então animais peludos eles entram o processo
de decomposição mais rápido do que animais que tem menos pelos exemplos
temperatura ambiental alta O que ocorre na nossa região mas nós podemos considerar
também por exemplo um animal que morre à noite o processo de decomposição dele é
mais lento do que o animal que morre no sol do meio-dia Sol do meio-dia Lógico que
vai acelerar o processo de decomposição então mesmo no próprio local também
interfere o momento do dia que a morte ocorre E é claro que em locais em que a
temperatura ambiental frios esse processo ele é muito mais retardado tamanho do
animal como eu falei animais grandes processo de decomposição ele não corre mais
rápido porque ele demora mais tempo para ver a diminuição da temperatura do que
Animais Pequenos o estado nutricional de um animal bem nutrido ele tem bastante
reserva de glicogênio o glicogênio ele mantém o ele retarda o aparecimento do Rigor
Mortis mas nesse caso eu coloquei uma imagem aqui que também influencia bastante
esse animal esse gato extremamente gordo essa gordura mantém o aquecimento
corporal logo esse animal Apesar dele ser menor do que o porco ele vai entrar no
processo de decomposição muito mais rápido porque ele não tem a temperatura corporal
então estado nutricional ele é relativo se nós estivermos falando de quantidade de
glicogênio muscular vai retardar o aparecimento das alterações pós Mortais agora se nós
estivermos falando de um animal com muita quantidade de gordura isso vai acelerar um
processo de alterações cadavéricas.
causa da morte como eu falei diminuição da velocidade das alterações os mortais
quando é que elas diminuem indivíduos a menor atividade celular logo a alteração de
autolise ocorre de maneira mais tardia a Além disso indivíduos doentes não estão se
alimentando de maneira adequada logo tem menor conteúdo no trato gastrointestinal
menor quantidade de bactérias e dessa forma isto também atrasa o aparecimento das
alterações pos Mortais por outro lado quando é que ocorre o aumento da velocidade das
alterações pos mortais quando os animais morrem como eu falei de infecções
clostridias, sepsemias intoxicação por estricnia nesses casos as alterações pos mortais
surgem com uma rapidez maior cobertura tegumentar ovelhas lanadas o processo de
decomposição ocorre muito rápido em ovelhas como as alterações pós Mortais surgem
muito rapidamente isso porque a cobertura tegumentar a lã ela mantém a temperatura
ambiental e eleva a temperatura do corpo logo é isso acelera o processo de
decomposição.
agora nós vamos falar sobre as alterações cadavericas abioticas vamos começar falando
sobre o Rigor Mortis também chamado de rigidez cadavérica todo mundo já ouviu
aquelas frases ai quando Encontraram o corpo já estava duro todo mundo sabe que após
a morte do animal há uma rigidez muscular não se instala imediatamente após a morte
mas essa rigidez instala e a movimentação do cadáver fica muito difícil porque essa
rigidez é intensa tudo isso está relacionado a ausência de ATP, ele é necessário para
manter o relaxamento muscular então a presença do ATP mantém actina separada da
miosina na ausência do ATP não há essa separação então actinA se liga firmemente a
miosina causando a rigidez quando o animal morre ele tem a perda ou não produção de
ATP então quando não há presença de ATP esse animal apresenta o processo de rigidez
como que ocorre o mecanismo que ocorre a rigidez nós temos três fases, fase pré Rigor
a fase Rigor e a fase pós Rigor. A fase pré rigor que é quando ocorre a morte somática
mesmo que o animal não tenha mais oxigênio para gerar o ATP o ATP ele é produzido
através do glicogênio então a via de produção muda mas ainda se mantém uma certa
quantidade.
Então nesse período logo após a morte o animal ainda não está Ele está na fase pré
Rigor a fase de Rigor ele ocorre quando há esgotamento do glicogênio muscular dessa
forma ocorre a ausência de ATP e a ligação firme de actina miosina depois de um tempo
que a fase pós rigor actina e a miosina ainda estão ligadas porém as enzimas
proteolíticas acabam destruindo a actina e a miosina então a ao relaxamento por causa
dessa destruição realizada pelas enzimas proteolíticas aqui uma explicação pouco mais
detalhada sobre como ocorre esta mecanismo essa mecanismo eu tirei da aula da
professora Moema Caso vocês tem alguma dúvida essa mecanismoe mais detalhados e
explicam melhor vocês estudarem.
o que que influencia o Rigor Mortis o estado nutricional eu falei quanto melhor for a
condição corporal do animal mais glicogênio ele tem então mais tempo ele tem de pré
Rigor então mais tempo demora para o início do Rigor Mortis e a temperatura ambiental
também a temperatura ambiental elevada o Rigor Mortis aparece e desaparece mais
rápido então O Rigor Mortis aparece não imediatamente em todos os músculos mas aqui
tem humanos tem uma estimativa de 2 a 3 horas o Rigor se instala na cabeça de 3:30
4:30 na região cervical tronco membros de 6 a 9 horas no resto do corpo mas é claro que
essa tabela é só estimativa até porque como eu disse a gente tem que levar em
consideração as condições corporais corporal do animal e também eu temperatura
ambiental aqui uma imagem de um animal em rigor, então os membros extremamente
rígidos, o pescoço também bastante difícil manipular esse animal por causa desse dessa
rigidez aqui também evidenciando a rigidez dos membros.
algor Mortis ou frialdade cadavérica algor mortis também é chamado de arrefecimento
cadavérico frialdade cadavérica ou frigor mortis então vocês podem ler essas esses
nomes que correspondem ao mesmo nome de algor mortis corresponde ao resfriamento
gradual do cadáver até alcançar a temperatura ambiental, essas alterações geralmente
são estudadas em que a temperatura ambiental ela é um pouco mais amena.
Nós moramos no Mato Grosso e no Mato Grosso a temperatura ambiental em torno de
35 36 graus e a temperatura do corpo também fica em 36 graus um animal saudável
dependendo da espécie claro varia por exemplo no ser humano a temperatura normal do
indivíduo 36° Então esse resfriamento ele não é tão óbvo assim ele ele não é bem desse
jeito né dependendo do momento em que é avaliado mas de maneira geral esse
resfriamento gradual ocorre até a temperatura do corpo atingir a temperatura ambiental
ela surge de 3 A 4 horas após a morte levando em consideração que o corpo perde um
grau por hora isso como eu disse é um estudo em humanos é diferente por exemplo a
gente falar de um elefante perdendo um grau por hora em comparação de um passarinho
filhote de gato velocidade da perda dessa temperatura não vai ser da mesma forma
Então essas informações quanto a h é uma estimativa em humanos do mecanismo para
que ocorre essa perda na parada das funções vitais acaba havendo evaporação nas
superfícies corporais havendo o resfriamento gradual do cadáver.
Oque influencia esse algor mortis estado nutricional animais com grande quantidade de
gordura demoram mais tempo para perder a temperatura a temperatura ambiente quanto
mais frio que a temperatura ambiente mais rápido a essa perda e quanto mais próximo
da temperatura ambiente da temperatura do cadáver mais lento ocorre o algor mortis, a
causa Mortis também influencia porque algumas infecções podem gerar febre por
exemplo, o animal acaba tendo um maior aquecimento corporal Isso dificulta o algor
Mortis aqui também algumas estimativas em relação a tempo mas também isso em
humanos.
livor Mortis ou hipostase cadavérica também são chamados tem sinônimas Alivides
cadavérica e Corresponde à manchas vermelhas violáceas nos locais de declive nas
porções mais baixas do corpo ocorre essa coloração é arrocheada azulada geralmente
surge de 2 a 4 horas após a morte isso ocorre, com a parada da circulação saguinea, o
sangue não coagulado por ação da gravidade ele tende a ir para as partes mais baixas do
corpo dessa forma parada circulatória o sangue se acumula na porção mais baixa do
corpo essa coloração arroxeada (hipóstase cadavérica) quando a gente vê isso logo após
a morte depois de um tempo se a gente modifica o cadáver de local nós podemos
imaginar o definir qual foi a posição que esse cadáver morreu porque esta hipostase
ocorre logo após a morte então se a gente modifica isso depois a hipóstase não vai
mudar de local então eu posso virar por exemplo esse suíno de um lado para o outro que
eu vou ter a marca da hipostase e sempre do mesmo lado logo eu posso imaginar que
aquele animal morreu daquele lado.
e humanos isso é muito utilizado para definir a posição em que se cadáver morreu a
posição que ele permaneceu logo após a morte nos locais em que ficam em contato com
o chão eles sofrem pressão devido ao peso do cadáver então forma essas manchas onde
não acúmulo de sangue essas manchas Então são chamadas de mancha de hipostase
aqui dá para perceber a coloração azulada do corpo provavelmente este indivíduo correu
e permaneceu de costas.
nesse caso esse suíno ele ele foi fotografado nesta posição mas ele não morreu nessa
posição eu posso ter certeza disso ele foi modificar a posição foi modificada após algum
tempo após a morte por causa da hipostase cadavérica que está Evidente aqui desse lado
nos órgãos Nós também podemos ver esses sinais de hipostase E extremamente
importante que a gente saiba o que é hipostase cadavérica principalmente em órgãos
duplos por exemplo pulmões Aqui nós temos o pulmão direito e pulmão esquerdo o
pulmão direito está normal e o pulmão esquerdo extremamente hemorrágico para uma
pessoa que não tem experiência de necrópsia vai olhar esse pulmão e vai achar que esse
lado esquerdo Está extremamente alterado hemorrágico pode pensar até que isso tem a
ver Causa da morte do animal mas não isso é a hipóstase cadavérica eu tenho certeza
disso porque quando eu comparo os dois lados um ta escuro e o outro lado está normal,
tem hipóstase cadavérica. então em órgãos duplos a gente sempre tem que examinar os
dois lados de um carro vermelho escuro e o outro tá normal.
coagulação do sangue se forma em torno de 2 horas após a morte geralmente dura entre
6 e 8 horas como que ocorre com as células endoteliais os leucócitos e plaquetas em
hipoxia libera uma substância chamada tromboquinase que irá desencadear o processo
da formação de coágulos. então após a morte o sangue ele coagula e forma esse coágulo
que são estruturas bastante Coesa compostas pelo sangue.
nós temos três tipos de quadrado coágulo cruórico é o coagulo vermelho coágulo
lardáceo que é o coagulo amarelo e coagulo misto que é aquele que tem tanto o crônico
quanto o lardáceo.
cruorico é o mais frequentemente observado é o que a gente basicamente v 90 95% dos
coágulos, já o coagulo lardáceo tem uma colorção mais pálida algumas vezes mais
amarelar lado branco e não tem essas manchas avermelhadas ele não é visto com tanta
frequência para que nós temos um coagulo cruorico vendo que que ele geralmente é
bem escura às vezes até enegrecido e o quadro lardáceo nessa imagem nós temos um
coagulo Amarelo já nessa imagem nós temos um coagulo mais acinzentado mais palido
não tão amarelo mas ainda é o coagulo lardáceo e o coagulo misto é aquele com as
duas cores tanto cruorico quanto lárdaceo. é importante que a gente saiba a diferença de
um coágulo para um trombo é coagulação do sangue que ocorre após a morte do animal
esse coagulo ele é elástico ele é gelatinoso liso brilhante e solto sempre que eu puxo
esse coagulo ele vai sair com facilidade, trombo é uma formação que ocorre antes da
morte do animal é uma alteração de agregação sanguínea extremamente importante e
frequentemente relacionado a causa da morte do animal então é muito importante que a
gente saiba diferenciar os dois nas próximas aulas a gente vai estudar bem certinho que
que é um trombo mais macroscopicamente.
então ele é friável ele é seco inelástico opaco e aderido então ele tem uma coloração
mais acidentada se a gente pega dele ele tende a se desfazer maior facilidade o coagulo
não a gente puxa elástico troco não é elástico e frequentemente aderido.
Embebição por hemoglobina também pode ser chamada de embebição hemolítica ou
sanguínea são manchas avermelhadas que ocorrem nos tecidos principalmente parede
dos vasos endocárdio e nos tecidos moles como todo principalmente onde tem maior
quantidade de sangue essas manchas avermelhadas ela surge em torno de 8 horas após a
morte do animal como que socorre como passar do tempo no processo de autólise
ocorre a hemólise do coágulo hemólise é a lise sanguínea A Lise de hemácias são as
hemácias se rompem dentro das hemácias tem a hemoglobina que é O pigmento
vermelho que da cor Quando essas hemácias que contem essa hemoglobina é liberada
daquele local e penetra nos tecidos dando essa coloração vermelha para os tecidos
adjacentes quanto maior quantidade de sangue um determinado órgão mais rápido e
mais intenso é a embição por hemoglobina.
Então Aqui nós temos um coágulo que está se desfazendo que está hemolisando e a
pigmentação presente nesse quadro vai impregnar nos tecidos adjacentes Então a gente
tem tecidos de uma maneira geral com uma coloração vermelha é o que a gente tá vendo
aqui tudo fica quase que uma cor só esse é um feto com uma lição para hemoglobina
muito Evidente não todos os tecidos estão avermelhados e a gente não consegue ter
aquela diferença de coloração de gordura do que é músculo do que pele do que é tudo
vermelho por causa da infecção por hemoglobina e dentro do coração como Às vezes
tem grande quantidade de sangue coagulado com passar do tempo a parede Windows
cardio ele fica até com uma coloração preta por causa da intensa quantidade de
hemoglobina impregnada aqui duas artérias essa daqui sem alteração pós morte em um
animal que morreu mais recente e essa que com a intenção intenção por hemoglobina
Então essa diferença de coloração corresponde ao tempo de morte do animal esse aqui
ainda não ainda não perco bobina E esse tem bastante da hemoglobina da mesma forma
porém acontecidos ganha uma coloração amarelo-esverdeado principalmente em tecidos
próximos adesivo familiar o surgimento dessa tentação e variável dependendo do
cadáver e ocorre porque também é autólise da parede da vesícula e os sais biliares
acabam penetrando nos tecidos adjacentes e pigmentando eles com essa coloração
amarelada então aqui no duodeno nós temos uma intensa movimentação amarelada
corresponde a impregnação pela bile aqui em algumas alças intestinais tem essa
tentação está toda aleatória mas dentro da cavidade abdominal abdominal fechado essas
alças intestinais estavam em contato com a vesícula biliar por isso que tem essa
coloração essa inclinação mas também no estômago essas manchas amareladas
relacionadas impregnação pela bíblia e é claro no fígado é no local de contato direto
com a vesícula essa coloração é bem intensa vai do amarelado até mesmo o esverdeado
que ela tá bem Verde essa impregnação Então depende da proximidade com a vesícula
biliar alteração meteorismo ou timpanismo pós-morte o peterismo o timpanismo faz
parte também é chamada de timpanismo cada velho ocorre uma distensão abdominal
causada por gases formados no tubo digestivo então a 1 cementação e putrefação do
conteúdo intestinal essa fermentação gera gases esses gases se acumulam nas vísceras e
acaba vendo a distensão dessas vísceras aumentando a pressão intra-abdominal então é
normal essa alteração corresponde ao estufamento do cadáver aumento de volume
principalmente abdominal devido a essa fermentação e produção de gás então o cadáver
após um tempo de morte ele começa a ficar estufado a ficar bastante aumentado desde
dessa produção de gases e se neste momento a gente chegar com uma faca e perfurar
esse gás Ele extravasa bastante rapidez Inclusive tem alguns vídeos de alguns animais
explodindo de alguém atende chegando e tocando furando o abdômen saindo um monte
de gás Monte conteúdo Isso é verdade só acontece mesmo essa grande produção de gás
ela pode levar a ruptura dos tecidos e inclusive abertura da cavidade é importante a
gente diferenciar esse mesmo pois bota em num timpanismo antemortem em animais
herbívoros existe uma doença que ocorre pela maior acúmulo de gases Dentro do trato
digestório principalmente pré-históricos Então esse aumento ocorre uma grande
produção de gás pré-históricos às vezes é tanto nós temos de pânico gasoso esposo Em
outro momento nós vamos estudar mas de maneira geral esse gás ele não consegue ser
eliminado desse para estômago de acaba entendendo abdômen do animal e como é que a
gente vai saber se o animal morreu desse tipo anismo ou se aquela ultrassom que a gente
tá vendo ocorreu após a morte do animal isso é muito importante a gente define uma
coisa outra porque pode estar relacionado a causa da morte do animal não timpanismo
pós-morte tem não a alterações circulatórias na parede do trato gastrintestinal Ele
simplesmente aumenta de volume Nordeste tem uma posição já não tinha visto antes
nós vamos observar hiperemia e hemorragia da parede gastrointestinal hiperemia é o
acúmulo de sangue dentro dos vasos ativa relacionada a um processo inflamatório da
hemorragia é a saída do sangue dentro dos vasos essas duas alterações elas não ocorrem
após a morte do animal elas ocorrem com animal vivo Então se a gente observar essas
alterações indica que essa animal teve timpanismo antes de morrer Além disso quando
esse timpanismo corre antes da morte normal a compressão do fígado e do baço devido
a distensão desse ruim então a gente consegue ver o tensões também em outros órgãos
Desta forma a gente consegue definir se timpanismo ante mortem pós-morte e daí a
morte ou após morte eu podia ter prova né Será que todo mundo vai acertar e aqui na
necrópsia de um animal que morreu de timpanismo que ele tem alterações circulatórias
nessa imagem fica difícil de eu mostrar para vocês mas quando a gente for estudar sobre
o transmissor criatórios a gente vai ver isso bastante próximo tópico deslocamento
torções e culturas delícias deslocamento torção e ruptura de vísceras então é a
modificação da posição das vistas às vezes pode até a haver torções de vísceras e
rupturas porém pós mortem e é muito importante que a gente defina se essa alteração foi
realmente pós mortem ou foi antes inclusive pode ser a causa da morte do animal como
que ocorre com a fermentação e a putrefação do conteúdo gastrintestinal ocorre a
produção de gás que ao meteorismo com as mortes com essa maior produção de gás
esse gás ele vai se acumulando e às vezes ele pode gerar essas porções a própria
movimentação dos gases pode movimentar principalmente aos intestinais e causar essas
porções dessas culturas Então essas movimentar ações de vísceras estão relacionadas ao
tipo anismo pós-morte prolapso retal também é uma alteração muito parecida com esse
deslocamento de vísceras que é a exteriorização interiorização da Poli Então parte do
reto acaba sendo exteriorizado isso também ocorre por causa dessa produção de gás
como tem muita produção de gás na cavidade abdominal nas vísceras da cavidade
abdominal total e só aumenta a pressão empurrando a ampola retal para fora então por
isso que eu corre e agora a gente vai falar um pouco sobre as alterações cadavericas
transformativas é aquele processo que ocorre em decorrência de decomposição os três
ação ou heterólise então nós vamos começar falando sobre seu do melanose melanose é
o acúmulo de melanina em um determinado tecido melanina é essa pigmentação na pele
que dá coloração a pele aos olhos aos cabelos aos pelos tão a melanina é um pigmento
que colore os tecidos principalmente a pele melanose é uma alteração que quando a
gente tem uma coloração melanina em um local que não é muito comum e nós temos
também o melanoma que é uma neoplasia de melanócitos o nome seu do melanose
significa falsa melanose é uma salsa pigmentação por melanina na verdade é uma
coloração cinza esverdeado que às vezes pode parecer melanina mas não é essa
pigmentação essas manchas ocorrem após a morte São regulares podem ser observadas
na pele da região abdominal ou mesmo em órgãos vizinhos aos intestinos pode ser
chamado também de manchas de infiltração então em resumo são manchas cinzas
esverdeados principalmente esverdeados que ocorrem devido ao processo de putrefação
parecem com ela noze que a pigmentação da melanina mais não tem nada a ver essa
coloração esverdeada ocorre pela reação entre o sulfeto de hidrogênio que é produzido
pelas bactérias no processo de putrefação que se liga ao ferro presente nas hemácias que
estão sofrendo hemólise que geram o sulfeto de ferro e sulfeto de Ferro gera essa
pigmentação expertia da então quanto mais bactéria no tecido mais sulfito de Ferro nós
teremos mais pseudomelanose por isso que a diesel do Velozes e ela ocorre próximo a
alças intestinais porque são nas alças intestinais que nós temos grande quantidade de
bactérias então nesses locais é que ocorre mais cedo melanose Nossa então dá Esse
aspecto verde para os tecidos aqui no tecido subcutâneo no abdômen a gente vê se essa
coloração muito intensa Verde isso então chama seu do melanose tudo que é verde de
alteração pós mortem é pseudomelanose no fígado próximo as alças intestinais nós
temos essa coloração tão verde que às vezes parece preta mim também uma coloração
bem escura esverdeada Aqui nós temos uma coloração esverdeada mais clara não é tão
intensa quanto na foto anterior mas já é seu do melanose aqui no pulmão também nós
podemos observar para você pela noze tem essa coloração esverdeada um pouco
acinzentada nós temos essa área que sem ser o meu anote que dá para perceber a
diferença de coloração E como eu disse às vezes é tão forte que a gente tem essa
coloração Preta Parece preto mas é verde escuro isso é melanose a outra alteração em
sistema tecidual enfisema é a produção de gás essa produção de gás após a morte Ele
também pode ser chamado de crepitação pós-morte então com o processo de
decomposição a produção de gás e este gás ele pode circular também em tecido
subcutâneo tecido muscular e órgãos parenquimatosos então a definição de enfisema
cadavérico é acreditação dos tecidos Então qual com a proliferação das bactérias
putrefativas ao processo de decomposição e produção de gás e esses gás que acumulam
e formam essa crepitação nesse caso é um cérebro que foi fixado em formol se a gente
retira o cérebro fresco a gente não consegue ver essas bolhas de gás a gente consegue ter
que estar amolecido mas não consegue ver as bolhas de gás nesse caso esse certo foi
fixado em formol depois que a gente corta esse da gente consegue ver essas bolhas É
frequente mente principalmente com Os Estagiários quando cortam esse material tem
contra essas bolhas se assusta inclusive acha que isso pode ter relação com a causa da
morte do animal mas essas bolhas são bolhas de enfisema cadavérico Esse é o processo
de decomposição em todos os órgãos nesse caso os órgãos parenquimatosos a gente
consegue inclusive ver essas bolhas de gás dentro dos tecidos e aqui também o fígado
vários pequenas bolhas no processo de tema cada velho a maceração é a fragmentação
tecidual e despreendimento das mucosas ocorre devido à ação das enzimas proteolíticas
que geram são geradas pela proliferação bacteriana isso torna os tecidos mais friáveis
então um processo mais avançado de decomposição os tecidos eles ficam tão fiáveis que
é possível fragmentar e mover pedaços de tecido eles ficam com aspecto gelatinoso E
também há o desprendimento das mucosas como nesse caso esse homem e a pessoa que
está fazendo a necrópsia está removendo interno criminal essa operação é muito
frequente EA corre este despedimento com bastante rapidez por exemplo em dias
quentes e é muito frequente os veterinários fazer em necropsia dos animais e terem as
despreendimento rosa e achar que isso tem relação com a causa da morte do animal por
quê Porque existe uma doença chamada acidose ruminal nasce.com final a esse
despreendimento da mucosa e isso leva o animal a morte bastante rápida não por causa
de despedimento mas pelas por todas as alterações causadas pela acidose Não É
frequente os veterinários a Campo que não tem muita experiência contrações por morte
relacionar esse despreendimento da mucosa com quadro de acidose e inclusive fazer um
diagnóstico de acidose somente baseado nesse despreendimento como é que a gente faz
a diferenciação entre o que é ante-mortem o que após mordem do processo pós-morte
tem essa mucosa se desprende e eu não consigo ver nenhuma alteração circulatória aqui
aqui embaixo dessa mucosa se fosse o quadro de acidose embaixo da mucosa eu veria
muita hemorragia Por que é um processo inflamatório tá vendo uma exclamação para
que haja entendimento então no quadro de acidose eu vejo em baixo da mucosa
hemorragia eu vejo que tem um processo inflamatório correndo daqui agisse sentimento
já no caso de alteração faz morta em eu vejo somente o despreendimento da mucosa o
quadro de Coligação também pode ser chamado de liquefação parenquimatosa é a perda
progressiva do aspecto e da estrutura das vistas é o momento que essas besteiras elas
perdem o seu formato e ficam com aspecto gelatinoso um aspecto é quase que cê me
líquido pastoso isso ocorre por causa das enzimas proteolíticas geradas pela proliferação
bacteriana que lhe que fazem os tecidos então a que eu tenho um feto bovino e já com o
estado de coliquação esses tecidos eles estão pastosos eu não tenho mais definição O
que é o coração do que um fígado Eu só vejo uma massa presente dentro da cavidade
abdominal e cavidade torácica não tenho a definição dos órgãos já ocorre um processo
bem mais avançado de decomposição e por fim eu tenho a redução esquelética que é o
final do processo de decomposição a sinonímia então é esse que ele já são é o processo
de desintegração Total a dissolução dos tecidos moles e o que resta é somente o
esqueleto a parte óssea desse corpo então é o processo final do processo de
decomposição O Tempo Para que ocorra a esquerdização e ele é bem mais demorado
que todos os outros essas alterações que a gente viu e Varia muito conforme todas as
aquelas alterações que interferem todos aqueles fatores que a gente falou dormente para
finalizar e vou falar base pouca coisa mas é a respeito da entomologia forense ainda
homologia Florência o estudo da fralda aquela cadavérica dos organismos vivos que
auxiliam no processo de decomposição do cadáver eles têm vários tipos de organismos
que interferem e o estudo desses organismos influenciam e ajudam muito no processo
de medicina legal ou medicina forense que é o estudo do cadáver o estudo dessas larvas
por exemplo podem ajudar a descobrir se aquele cadáver encontrado naquele local
realmente morreu naquele local se ele foi transferido e de qual área ele foi transferido
então permite investigar todo processo que esse corpo percorreu até chegar aquele local
onde foi encontrado também aos se Lia a determinar quanto tempo aquele cadáver está
naquele local quanto tempo aquele cadáver está morto então ajuda muito no estudo do
cadáver é claro que nesse momento a gente não vai falar sobre isso não vai estudar em
detalhes mas é importante conhecer o que é entomologia forense eu vou parar por aqui
confinado finalizar nessa parte qualquer dúvida Então estou à disposição

Você também pode gostar