Você está na página 1de 4

Jesus condenado e zombado

Mc 15:2-20
1.
INTRODUÇÃO
1. Como mencionado anteriormente, Jesus enfrentou duas
provações antes de sua execução...
a. O julgamento eclesiástico, em três etapas
1. A audiência preliminar perante Anás - cf. Jo 18,
12-14, 19-24
2. O julgamento da meia-noite diante de Caifás e
do conselho - Mc 14:53-65
3. A consulta matinal do conselho - Mc 15:1
b. O julgamento civil , também em três etapas
1. Ante Pilatos, o governador romano - Mc 15:2-5
2. Ante Herodes, o tetrarca da Galileia - cf. Lc
23:6-12
3. Ante Pilatos novamente - Mc 15:6-15
2. Voltamos nossa atenção para eventos relacionados ao
julgamento civil, conforme encontrado no evangelho de
Marcos...
a. Jesus diante de Pilatos - Mc 15:2-15
b. Jesus ridicularizado pelos soldados romanos - Mc
15:16-20
Começando com Mc 15:2, vamos direcionar nossa atenção para os
detalhes do julgamento, começando com...
I. OS PARTICIPANTES
A. PILATOS O GOVERNADOR ROMANO.
1. Pôncio Pilatos, o 5º governador romano da
Judeia (26-36 dC) - Mc 15:2
2. Frequentemente rude, as fontes judaicas o
acusam de ganância e crueldade - cf. Lc 13:1
B. PRINCIPAIS SACERDOTES.
1. Que havia conspirado para matar Jesus, e
enviado para prendê-lo - Mc 14:1, 43
2. Quem tentou Jesus na casa de Caifás - Mc 14:53
3. Quem entregou Jesus a Pilatos - Mc 15:1-3
C. BARRABÁS.
1. O prisioneiro libertado no lugar de Jesus - Mc
15:6-15
2. Um rebelde culpado de assassinato e um ladrão
- Mc 15:7; cf. Jo 18:40
D. A MULTIDÃO.
1. Uma multidão que se reuniu para pedir a
libertação de um prisioneiro - Mc 15:8
2. Incitado pelos principais sacerdotes a clamar por
Barrabás em vez de Jesus - Mc 15:11
3. Por fim clamando: “Crucifica-o!
Crucifica-o!” - Mc 15:13-14
E. OS SOLDADOS.
1. Que zombaram de Jesus (veja abaixo) - Mc
15:16-20
2. Que, finalmente, O crucificaram - Mc 15:20
Com essa revisão dos presentes durante o julgamento civil
perante Pilatos, vamos agora considerar...
II. AS ACUSAÇÕES
A. FEITAS PELOS PRINCIPAIS SACERDOTES.
1. Ele perverte a nação - Lc 23:2
2. Ele proíbe pagar impostos a César - Lc
23:2; ainda cf. Lc 20:22-25
3. Ele afirma ser o Cristo, um Rei - Lc 23:2
4. Ele incita o povo, ensinando por toda a Judeia e
Galileia - Lc 23:5
B. CONSIDERADAS POR PILATOS..
1. Que perguntou a Jesus: “Você é o Rei dos
Judeus?” - Mc 15:2
a. Ao que Jesus admitiu - Mc 15:2
b. Embora Seu reino fosse espiritual - cf. Jo
18:36-38
2. Que ficou maravilhado com o silêncio de Jesus
em relação às outras acusações - Mc 15:3-5
3. Que averiguou que era a inveja que motivava os
principais sacerdotes - Mc 15:10
4. Que não pensava que Jesus era culpado de
morte - Mc 15:14; cf. Lc 23:13-15
5. Cuja esposa queria que ele libertasse Jesus -
cf. Mt 27:19
6. Que finalmente procurou gratificar a multidão,
para evitar um tumulto - Mc 15:15; Mt 27:24
Embora Pilatos considerasse Jesus inocente, pressionado pela
multidão, ele iniciou ações que o levariam à crucificação. Essas
ações incluíram abusos terríveis, que agora vamos pesquisar...
III. O ABUSO
A. JESUS FOI TORTURADO.
1. Pelas instruções de Pilatos - Mc 15:15; Jo 19:1
2. Isso envolvia ser “amarrado a um poste e
espancado com um chicote de couro
entrelaçado com pedaços de osso e metal, que
rasgava pele e tecido, muitas vezes expondo
ossos e intestinos. Em muitos casos, o próprio
açoitamento era fatal”.
B. JESUS FOI ZOMBADO.
1. Por soldados que conduziram Jesus ao salão
chamado Praetorium - Mc 15:16
2. Que O vestiram de púrpura e com uma coroa de
espinhos retorcida na cabeça - Mc 15:17
3. Que O saudaram, dizendo: “Salve, Rei dos
Judeus!” - Mc 15:18
4. Que O golpearam na cabeça com um pedaço de
pau - Mc 15:19
5. Que cuspiram nele - Mc 15:19
6. Que O adoraram zombeteiramente - Mc 15:19
7. Quem O despiram e colocaram de volta sobre
Ele Suas roupas - Mc 15:20
CONCLUSÃO
1. Mais uma vez, a bárbara injustiça nos julgamentos de Jesus é
evidente...
a. As falsas acusações e abusos físicos
b. Um governador covarde consentindo com uma
multidão manipulada
2. Mas, para que não esqueçamos, isso estava de acordo com a
Providência Divina de Deus...
a. Que Jesus reconheceu em Suas predições e orações
- Mc 8:31-33; 14:36
b. Que Pedro proclamou em seu primeiro sermão no
Pentecostes - At 2:22-24
Tudo em cumprimento da profecia de Isaías (Is 53:4-12). Não
deveríamos responder de acordo? - At 8:30-38

Você também pode gostar