Você está na página 1de 9
Lição 1 alfabeto A escrita a língua grega foi grafada pela escrita silábica linear b,

Lição 1

alfabeto

Lição 1 alfabeto A escrita a língua grega foi grafada pela escrita silábica linear b, mas

A escrita

a língua grega foi grafada pela escrita silábica linear b, mas desde os tempos pré-helênicos, a civilização minoica

(2100 a.c.), usava o tipo analítico (ideográfico), os hieróglifos cretenses, a e b, esse último se conservou até 1580, quando surge a linear a, também silábica, que an-

tecedeu a b. a escrita analítica é o sistema em que o signo gráfico ou um grupo deles sugere uma frase,

é o sistema do tipo ideográfico. cada signo corresponde a uma ideia, escrita hieroglífica dos egípcios,

dos maias, dos astecas, dos chineses e de outros povos. são escritas pictóricas e as do tipo lineares são silábicas, intermediárias, entres as hieroglíficas e as alfabéticas. a escrita cuneiforme, em forma de cunha, em tabletes de barro, originária da mesopotâmia, inicialmen- te era ideográfica, aos poucos foi se adaptando a fonetização. trata-se de um dos materiais mais antigos para se escrever sobre ele. o código de Hamurábi, escrita em acádico, datado do ano 1750 a.c. está entre

os exemplos mais conhecidos. a escrita alfabética grega veio dos fenícios e sua elaboração seria por volta do século iX a.c. a Pedra roseta é uma estela de basalto escrita em hieróglifo, demó- tico e grego, descoberta pela expedição de Napoleão bonaparte em 1799, em roseta, egito. trata-se de um decreto dos sacerdotes para comemorar

o quinto ano da coroação de Ptolomeu v, epifâneo (205-180 a.c.), casado

na época com cleópatra i. o francês Jean-françois champollion (1790-1832) conseguiu decifrar o antigo sistema de escrita dos egípcios comparando o nome de Ptolomeu v, filadelfo e o de cleópatra, em grego, com a escrita egípcia hieroglífica antiga. o conhecimento de como ler e escrever essa língua havia desaparecido há 1.400 anos. assim, o trabalho de champollion foi de grande relevância para a humanidade, pois permitiu o acesso aos antigos textos do egito cobrindo um período de três mil anos de história.

Fig. 1 – Pedra roseta, museu Britânico. © 2010 por esequias Soares da Silva.

museu Britânico. © 2010 por esequias Soares da Silva. Fig. 2 – Jean-François champollion, Palácio de

Fig. 2 – Jean-François champollion, Palácio de versalles. © 2010 por daniele Soares da Silva.

QuandO vOcê terminar eSta liçãO, deverá Ser caPaz de: Conhecer as 24 letras do alfabeto
QuandO vOcê
terminar eSta
liçãO, deverá
Ser caPaz de:
Conhecer as 24 letras do alfabeto grego.
Identificar as vogais longas, breves e comuns.
Diferenciar ditongos próprios de impróprios.
formar sílabas.

Classificar as consoantes e reconhecer as sonantes.Identificar as vogais longas, breves e comuns. Diferenciar ditongos próprios de impróprios. formar sílabas.

20

GRAMÁTICA PRÁTICA DE GREGO

1.1. O alFaBetO gregO

A palavra “alfabeto” vem do nome das duas primeiras letras do alfabeto grego

a Alfa e b Beta. O alfabeto grego consta de 24 letras: sete vogais e 17 consoantes.

 

maiúscula

minúscula

 

nome

Som

 
 

1 A

a

a;lfa

alpha

a

em altar

 

2 B

b

bh/ta

beta

b

em boi

 

3 G

g

ga,mma

gamma

G

em gato ou em guerra

 

4 D

d

de,lta

delta

d

em dedo

 

5 E

e

e; yilo,n

épsilon

e

em medo 1

 

6 Z

z

zh/ta

dzeta

dZ/Zd

em Zeus

 

7 H

h

h=ta

eta

e

em atleta

 

8 Q

q

qh/ta

theta

tH

na palavra inglesa thank

 

9 I

i

ivw/ta

iota

i

em vida

 

10 K

k

ka,ppa

kappa

K

em casa

 

11 L

l

la,mbda

lambda

L

em lado

 

12 M

m

mu/

my

m

em mês

 

13 N

n

nu/

ny

N

em nata

 

14 X

x

xi/

ksi

X

em fixo

 

15 O

o

o; mikro,n

ómikron

o

em tolo 1

 

16 P

p

pi/

pi

P

em pato

 

17 R

r

r`w/

rho

r

em rei

 

18 D

s, j

si/gma

sigma e

s

em sala

sigma final

 

19 T

t

tau/

tau

t

em tato

 

20 U

u

u- yilo,n

hypsilon

Y

na palavra alemã müller

 

21 F

f

fi/

phi

PH

em filosofia

 

22 C

c

ci/

chi

cH

na palavra alemã ich

 

23 Y

y

yi/

psi

Ps

em psicologia

 

24 W

w

w== me,ga

ômega

o

em hora

1.2. aS vOgaiS

Alfabeto

21

As sete vogais são classificadas quanto à duração em breves, longas e co- muns. As vogais e e o são sempre breves; h e w são sempre longas. As outras vogais, a, i, u, são comuns porque podem ser breves em algumas sílabas e lon- gas em outras. A vogal longa tinha a duração de duas breves. O reconhecimento gráfico na transcrição é marcado com o sinal [ ˉ ], mákron, nas longas eˉ, oˉ .

1.3. OS ditOngOS

Ditongo é o encontro de duas vogais contíguas pronunciadas em conjunto formando uma sílaba. Os ditongos gregos são próprios e impróprios.

1.3.1. ditongos próprios. São os formados por uma vogal breve e uma semivo-

gal (i

ou u): ai, ei, oi, au, eu, ou e ui.

ai — ai ei — ei

oi — oi lo,goi, lógoi; au — au auvto,j, autós; eu — eu eu`ri,skw, heurísko¯ ; ou — u ouvrano,j, ouranós (pronuncia-se uranós); ui — ui ui`o,j, huiós.

e;rcomai, érchomai; a;gei, águei;

Em caso de alongamento de uma vogal breve tornando-a longa, é raro, mas continua sendo ditongo, exemplo: hu — eu, em huvfra,nqhn, e¯uphránthe¯n (do verbo euvfrai,nw, “alegrar, animar”). Quando esse encontro não forma um ditongo, o segundo elemento, i ou u, é marcado por uma diérese [ ¨ ], como em prau<j, praús manso”; VHsai<aj Isaías”.

1.3.2. ditongos impróprios. Quando a primeira das vogais é longa. O -i- nesses ditongos não é pronunciado, vem escrito sob uma vogal longa, iota subscrito:

ai, hi, wi é escrito a|, h|, w|, a|[dhj, háde¯s; le,gh|, do verbo le,gw “dizer”; wv|dh,, o¯ de¯. Quando essas vogais são maiúsculas o iota vem ao lado delas, iota adscrito: Ai,

Hi e Wi, [Aidhj, Hade¯s.

22

GRAMÁTICA PRÁTICA DE GREGO

1.4. aS cOnSOanteS

A letra g seguida de outro g, ou k, x e c possui som nasal, como se fosse a

letra n: a;ggeloj, ángelos, “mensageiro, anjo”; evggu,j, engýs, “perto de”; a;gkura, ánkyra, “âncora”; e;legxin, élenxin, “castigo, repreensão”; e;legcoj, élenchos, “convicção, prova”.

1.5. FOrmaçãO de SílaBaS

A formação silábica é semelhante à da língua portuguesa. Se em português

b mais a formam a sílaba ba, g mais a formam a sílaba ga e assim por diante, o

mesmo acontece na língua grega.

vIhsou/j Iesoûs - Jesus Cristo,j Christós - Cristo Pila/toj Pilâtos - Pilatos Galilai,a Galilaía - Galileia avpo,stoloj apóstolos - apóstolo Pau/loj Paûlos - Paulo Louka/j Loukâs - Lucas Sau/loj Saûlos - Saulo

1.6. claSSiFicaçãO daS cOnSOanteS

Quanto ao modo de articulação são oclusivas e constritivas.

1.6.1. Oclusivas - quando a interrupção da corrente de ar ou fechamento dos lábios é total dá-se a oclusão que se dividem em:

 

Surdas

Sonoras

aspiradas

Labiais

p

b

f

dentais

t

d

q

velares ou palatais

k

g

c

Alfabeto

23

1.6.2. constritivas – quando essa interrupção é parcial dá-se a constrição, que se dividem em:

líquidas

nasais (Sonoras)

Sibilante (Surda)

m

l

n

s, j

r

As consoantes m e n são também classificadas como líquidas e há até quem as classifique como oclusivas. As oclusivas são também chamadas de explosivas

e as constritivas de contínuas. As consoantes duplas, z, x, y, também chamadas de consoantes compos- tas, pois representam dois fonemas:

sd ou ds = z gs, ks, cs = x bs, ps, fs = y

1.7. aS SOnanteS

As alterações consonantais podem acontecer por vocalização. Algumas consoantes permanecem numa área entre consoantes e vogais, as chamadas sonantes ou semiconsoantes. Estamos falando das líquidas l, r; das nasais m, n

e de duas que não sobreviveram na língua grega: o digama «, “u” e o yod ou iode, J, “i”.

O digama, como a própria palavra já indica, significa “dois gamas”. Trata de

dois gamas superpostos, chamado também de waw ou vau, que corresponde a

w, u. Foi pronunciado e grafado no início do período histórico da língua. O iode foi pronunciado durante uma fase da evolução da língua, mas nunca foi grafa- do. Essas sonantes sobreviveram no hebraico e no latim. Evoluíram para u e j nas línguas modernas de origem latina.

O digama diante de consoantes se vocaliza em u, como na palavra Zh«-j =>

Zeu,j, Zeus, e o iode, às vezes, explica a origem da aspiração áspera como em o,j = o[j, relativo que. Da mesma forma o verbo dei,knumi, de deknumi.

24

GRAMÁTICA PRÁTICA DE GREGO

eXercíciOS

1. escreva as vogais gregas.

2. Quais as vogais que são sempre breves?

3. Quais as vogais que são sempre longas?

4. Quais as vogais que podem ser breves ou longas?

5. escreva os ditongos gregos.

6. Que são ditongos impróprios?

7. transcreva em português as seguintes palavras:

ku,rioj

Galilai,a

Pe,troj

lo,goj

a;rtoj

o;cloj

lao,j

ui`o,j

e`brai/oj

VIsrah,l

Sila/j

karpo,j

oi=noj

oi=koj

auvto,j

ou-toj

ploi/on

dou/loj

avkou,w

basileu,j

Alfabeto

25

8. Coloque as palavras abaixo na ordem alfabética.

filosofi,a

qeo,j

ovrch,stra

su,nqesij

i`stori,a

penta,gwnon

avxi,wma

Xe,rxhj

me,tron

evpistolh,

o;gkoj

h[lioj

u[mnoj

nekro,j

yuch,

r`uqmo,j

nautiko,j

w|vdh,

lo,goj

to,poj

bibli,on

dida,skaloj

qe,atron

ku,rioj

a;nqrwpoj

ge,noj

ne,ktar

ovligarci,a

peri,metron

u`perbolh,

zwh,

r`htorikh,

Cristo,j

ba,rbaroj

26

GRAMÁTICA PRÁTICA DE GREGO

9. escreva o alfabeto grego seguindo a indicação das setas.

a26 GRAMÁTICA PRÁTICA DE GREGO 9. escreva o alfabeto grego seguindo a indicação das setas. b

b g
b
g

d26 GRAMÁTICA PRÁTICA DE GREGO 9. escreva o alfabeto grego seguindo a indicação das setas. a

e z
e
z

h26 GRAMÁTICA PRÁTICA DE GREGO 9. escreva o alfabeto grego seguindo a indicação das setas. a

q26 GRAMÁTICA PRÁTICA DE GREGO 9. escreva o alfabeto grego seguindo a indicação das setas. a

26 GRAMÁTICA PRÁTICA DE GREGO 9. escreva o alfabeto grego seguindo a indicação das setas. a

i

k26 GRAMÁTICA PRÁTICA DE GREGO 9. escreva o alfabeto grego seguindo a indicação das setas. a

o Alfabeto 27

o

Alfabeto

27

po Alfabeto 27 r s j t u f c y w

r

o Alfabeto 27 p r s j t u f c y w
s j
s
j

to Alfabeto 27 p r s j u f c y w

uo Alfabeto 27 p r s j t f c y w

fo Alfabeto 27 p r s j t u c y w

o Alfabeto 27 p r s j t u f c y w

c

yo Alfabeto 27 p r s j t u f c w

wo Alfabeto 27 p r s j t u f c y