Você está na página 1de 1

Quais os impostos e como fazer a contabilidade de um

profissional autônomo?
Os tributos que incidem sobre o autônomo são: Imposto de Renda Pessoa Física, INSS e ISS.

O imposto de renda é tributado da seguinte forma:

Ao prestar serviços para pessoa jurídica, o tomador recolhe o imposto na fonte, cujo cálculo é feito com base
na tabela progressiva que pode ser encontrada na Receita Federal. Antes de efetuar o cálculo, o tomador deve
subtrair o valor a recolher para o INSS.

Para serviços prestados à pessoa física, de forma geral, o autônomo deve recolher mensalmente o imposto
incidente sobre as receitas dos serviços prestados através do carnê leão, desconsiderando o valor recolhido
para o INSS, utilizando a mesma tabela acima. Há casos em que não deve ser considerado o total da receita,
como na prestação de serviços de transporte de carga, cujo valor tributado será 40% do valor recebido pelas
prestações de serviços.

O autônomo também pode deduzir da receita total as despesas tidas para o exercício de sua profissão e
conseqüente obtenção da receita, desde que escrituradas no livro caixa, tais como remunerações pagas a
terceiros e respectivos encargos, despesas de aluguel, água, luz e telefone, entre outras.

Em virtude da tabela ser progressiva, o fato de prestar serviços a mais de uma pessoa jurídica, ou à pessoa
jurídica e pessoa física, os impostos retidos pelo tomador, mais o pago no carnê leão, são inferiores ao imposto
efetivamente devido pelo autônomo, razão pela qual haverá diferença a ser paga. Esta diferença pode ser
recolhida através do mensalão, ou na declaração de ajuste anual.

Quanto ao INSS, ocorrem as duas situações:

Ao prestar serviços para pessoas jurídicas, elas ficam obrigadas a reter 11% da receita para o INSS. Mas esta
porcentagem está restrita ao limite do salário máximo de contribuição ao INSS que hoje é de R$ 2.668,15, ou
seja, R$ 293,49. Portanto, ao prestar serviços para mais de uma pessoa jurídica e as receitas totais
ultrapassarem o salário máximo de contribuição, o autônomo deverá solicitar uma declaração às pessoas
jurídicas que fizeram a retenção para entregá-la aos demais, para que estes não efetuem o desconto. Cabe
destacar que todas as pessoas jurídicas que tomarem serviços do autônomo, deverão recolher mais 20% sobre
o total da receita para o INSS, independentemente do valor do serviço.

Para serviços prestados apenas para pessoas físicas, ou para outro autônomo, o prestador deve, ele próprio,
fazer o recolhimento para o INSS na alíquota de 20%, limitado ao salário máximo de contribuição que será de
R$ 2.668,15.

Quando a receita total com serviços prestados às pessoas jurídicas não atingirem o salário máximo de
contribuição e houver prestação de serviços para pessoas físicas ou para outros autônomos, deve o prestador
recolher 20% sobre a parte referente aos serviços prestados às pessoas físicas ou a outros autônomos, até
completar o valor do salário máximo de contribuição.

Quanto ao ISS, é melhor entrar em contato com a prefeitura do município para saber qual é a forma de
pagamento deste tributo.

O profissional de contabilidade tem conhecimento técnico para cuidar da contabilidade, bem como do
recolhimento dos tributos.