Você está na página 1de 7

• A partir da combinação e das quantidades

relativas dessas substâncias, resulta a cor normal


• Quando a pele sofre algum tipo de agressão, ela da pele.
sofre alterações microscópicas que se • As manchas podem ser:
traduzirão em lesões macroscópicas, constituindo ➢ Vasculossanguíneas: dependem da variação
as chamadas lesões elementares. da quantidade de oxiemoglobina e
• Para o diagnóstico dermatológico, é importante hemoglobina reduzida.
determinar: ➢ Pigmentares: ligadas a alterações do
➢ Tipo da lesão conteúdo melânico da pele, e eventuralmente,
➢ Cor de outros pigmentos.
➢ Limites
Manchas vasculossanguíneas
➢ Consistência
➢ Forma Eritema : mancha vermelha decorrente da
➢ Disposição vasodilatação, portanto, desaparece à digitopressão
➢ Distribuição ou vitropressão.
• A capacidade de resposta da pele é limitada,
portanto, vários tipos de agressão podem ➢ Exantema: manchas eritematosas de
resultar em um mesmo tipo de lesão. evolução aguda disseminadas na pele.
❖ Exantema morbiliforme: entre as manchas
• Geralmente, essas lesões não ocorrem de forma
eritematosas existem áreas de pele
isolada, ou seja, podem haver múltiplas
normal.
combinações dessas lesões.
❖ Exantema escarlatiforme: a pele está
• Uma vez que as lesões são conhecidas, é possível
difusa e uniformemente eritematosa, não
formular diagnósticos sindrômicos.
é possível encontrar áreas de pele normal
entremeada.
➢ Enantema: exantema nas mucosas.
• Alteração de cor ➢ Cianose: eritema arroxeado, por congestão
passiva ou venosa com diminuição de
• Elevações edematosas
temperatura. Resultado do aumento da
• Formações sólidas
hemoglobina reduzida.
• Coleções líquidas
➢ Rubor: eritema vermelho-vivo por
• Alterações da espessura vasocongestão ativa ou arterial com aumento
• Perdas e reparações teciduais de temperatura. Decorre do aumento da
oxiemoglobina.
➢ Eritema figurado: mancha eritematosa com
bordas bem definidas e, às vezes,
Mancha ou mácula
ligeiramente elevadas, de forma e tramanho
• Alterações da cor da pele sem nenhuma alteração variáveis.
de espessura ou textura. ➢ Entrodermia: eritema generalizado crônico
• A mancha pode ser de qualquer cor e tamanho, e persistente associado à descamação.
assim como podem ser bem ou mal definidas. ➢ Mancha lívida: cor plúmbea, do pálido ao
azulado, temperatura fria por isquemia.
• A cor da pele depende de quatro biocromos,
dois localizados na derme e dois na epiderme.
• Epiderme: melanina (marrom) e carotenoides
(amarela).
• Derme: oxiemoglobina (vermelho-brilhante) e
hemoglobina reduzida (vermelho-azulada).
Púrpura : Mancha vermelha por extravasamento
de hemácias na derme que não desaparece à
vitropressão ou digitopressão. Inicialmente,
apresenta coloração arroxeada e com a evolução,
torna-se verde-amarelada.

Enantema ➢ Petéquias: com até 1cm de tamanho.


➢ Equimoses: maiores que 1 cm.
➢ Víbices: púrpuras lineares → As lesões
atróficas lineares da pele também são
denominadas víbices, e geralmente,
Exantema compreendem a fase tardia da evolução das
púrpuras lineares.

Rubor
Petéquias
Cianose
Equimose

Mancha lívida

Víbices

Eritema figurado Manchas pigmentares

Mancha angiomatosa : Mancha de cor vermelha Manchas leucodérmicas : Decorrem de diminuição


permanente, que não decorre de vasodilatação e sim ou ausência de melanina.
do aumento do número de capilares em determinada ➢ Manchas acrômicas: de cor branco-marfim por
área. Esmaece apenas sob forte digitopressão ou ausência total de melanina. Geralmente é mais
vitropressão. delimitada.
➢ Manchas hipocrômicas: ocorre diminuição do
pigmento melânico.
Manchas acrômicas

Manchas hipocrômicas

Manchas hiperpigmentares ou hipercrômicas :


Mancha anêmica : Mancha branca permanente, Ocorre intensificação da cor da pele por aumento da
ocasionada por agenesia vascular em determinada melanina ou outros pigmentos. As manchas
área da pele. A vitropressão, ao esvaziar os vasos decorrentes do aumento de melanina também se
da área normal, torna-a de cor semelhante à mancha. chamam de manchas melanodérmicas.
➢ Melanina na epiderme: manchas de coloração
castanha.
➢ Melanina na derme: manchas de coloração
azulada.
➢ Hemossiderina: manchas acastanhadas.
➢ Bilirrubina: coloração amarelada (icterícia).
➢ Caroteno: coloração amarelada, sangrante. Resulta do aumento das papilas dérmicas
especialmente das regiões palmoplantares. e do aumento da camada malpighiana da epiderme.
➢ Medicamentos também podem produzir
manchas pigmentares na pele. Verrucosidade : Lesão sólida, de superfície dura,
inelástica e de cor amarelada, resultado de
➢ Aplicação de substâncias tópicas pode
hiperqueratose.
produzir manchas na pele. → alcatrões,
nitrato de prata, anilina e permanganato.

• Elevações circunscritas da pele provocadas por


edema da derme ou da hipoderme.
Pápula
Urtica : Elevação da pele, de coloração vermelha
ou branco-rosada, de tamanho e formas variáveis, de
duração efêmera e muito pruriginosa. É causada pela
vasodilatação, que propicia o extravasamento de
líquido, provocando o surgimento do edema, o qual
comprime os vasos dilatados e diminui, por fim, a
vasodilatação. Essa vasodilatação vai ser causada
por mediadores que irritam as terminações nervosas Placa
livres da pele, causando prurido.
Angioedema (edema de Quincke) : Área de edema
que causa tumefação intensa. Possui a mesma
fisiopatologia das urticas, porém, nesse caso, a
vasodilatação e o edema ocorrem na derme profunda
ou na hipoderme, enquanto na urtica o processo
ocorre na derme superior e média.
Nódulo

Urtica Angioedema

Vegetação
Goma
• Ocorre alteração do relevo cutâneo.
• Podem ser provocada por alterações
epidérmicas, dérmicas ou hipodérmicas.
Pápula : Lesão elevada de tamanho inferior a 1 cm.
Verrucosidade
Placa : Lesão elevada de altura inferior a 1 cm, em
plataforma, a qual se estende em superfície por
vários centímetros. (Confluência de várias pápulas.)
Nódulo : Lesão elevada, saliente ou não, de 1 a 3
• Apresentam conteúdo líquido, que pode ser
cm de diâmetro. sangue, serosidade ou pus.
Nodosidade ou tumor : Lesão sólida, elevada ou Vesícula : Elevação circunscrita de conteúdo
não, que possui mais de 3 cm de diâmetro. líquido de até 1cm de tamanho. O conteúdo pode ser
Goma : Nódulo ou nodosidade que sofre liquefação líquido claro (serosidade), líquido turvo (purulento) ou
na porção central, podendo ulcerar e eliminar líquido hemorrágico (sangue).
material necrótico. Geralmente área pilosa. Bolha ou flictena : Lesão de conteúdo líquido maior
Vegetação :Lesão sólida, exofítica, pedunculada que 1 cm. Também pode apresentar conteúdo seroso,
ou com aspecto de couve-flor e facilmente purulento ou líquido. Teto flácido ou bolha tensa.
Pústula : Lesão contendo pus com até 1cm de • Também podem ocorrer alterações na espessura
tamanho. devido a diminuição no número e volume dos
constituintes normais da pele.
Abscesso : Formação de conteúdo purulento com
tamanho variável acima de 1cm. Acompanha calor, Queratose : Aumento de espessura da pele,
rubor, dor e flutuação central por liquefação do deixando-a dura, inelástica, de superfície áspera e
conteúdo purulento. cor amarelada. É consequência do aumento da
espessura da camada córnea da epiderme.
Hematoma : Lesão de dimensões variáveis
decorrente do acúmulo de sangue na pele e tecidos Liquenificação : Ocorre acentuação dos sulcos e da
subjacentes. Inicialmente, sua coloração é cor normal da pele, configurando um aspecto
avermelhada, depois torna-se arroxeado e, quadriculado da superfície cutânea. Decorre do
posteriormente, verde-amarelado. Caso ocorra aumento da espessura da camada malpighiana da
infecção local, o conteúdo pode tornar-se epiderme, ou seja, há acantose.
hemorrágico e purulento.
Edema : Aumento de espessura da pele,
depressível, que ocorre devido à presença de plasma
na derme ou na hipoderme.

Infiltração : Aumento da espessura e da


consistência da pele, com limites imprecisos, tornando
menos evidentes os sulcos normais. Quando efetuada
a vitropressão, observa-se coloração café com leite.
Bolha É resultado de infiltrado celular inflamatório ou
neoplásico na derme, por vezes acompanhado de
Vesículas
vasodilatação e edema.

Esclerose : A pele torna-se coriácea e não


pregueável quando pinçada com os dedos. Pode
acompanhar hipo ou hipercromia e é causada por
fibrose e aumento do colágeno dérmico.

Atrofia : Ocorre diminuição da espessura da pele,


que se torna adelgaçada e pregueável. Resulta da
redução do número e do volume dos constituintes
normais da pele. As atrofias lineares são chamadas
de víbices.
Abscesso Queratose
Liquenificação

Pústula

Esclerose

Infiltração
Hematoma

• Aumento dos constituintes normais da epiderme


ou da derme e da presença de edema ou
infiltrados celulares, inflamatórios ou neoplásicos,
na derme.
Atrofia
• Ocorre destruição ou eliminação patológica dos
tecidos cutâneos, bem como alterações
resultantes da reparação desses tecidos.

Escamas : Massas furfuráceas ou micáceas que se Escamas


desprendem da superfície cutânea em decorrência
de alterações da queratinização.
Erosões ou exulcerações : são soluções de
continuidade superficiais da pele, atingindo apenas a
epiderme. Logo, quando há reparo, ele se dará de
forma completa.

Escoriações : Erosões lineares de origem Erosão


traumática, geralmente resultantes de coçagem.

Ulceração : Solução de continuidade mais profunda


da pele, ocorrendo perda de epiderme e derme,
podendo atingir hipoderme e outros tecidos mais
profundos. Nesse caso, quando há reparo, ele não se
dá de forma integral, mas gera uma lesão cicatricial
residual.
Úlcera
Úlcera : Ulceração crônica.

Fissura ou ragádia : Solução de continuidade que


abrange derme e epiderme mas possui caráter linear
e se localiza no contorno dos orifícios naturais ou em
pregas e dobras.
Fístula : Canal com pertuito na pele que drena à
superfície conteúdo de foco profundo de supuração Crosta
ou necrose.
Escoriação Fissura
Crostas : Concreções resultantes do
dessecamento de secreções que se formam em
áreas de perdas teciduais. Podem ser serosas,
purulentas ou hemorrágicas.
Escara : Área de cor lívida ou preta, de limites
precisos, decorrente de necrose tecidual. A úlcera
resultante da eliminação do material necrótico
também é chamada de escara. Fístula Escara

Cicatriz : Lesão que resulta da reparação de


processos destrutivos sofridos pela pele. Pode ser
saliente, deprimida, móvel, retrátil ou aderente e
não apresenta sulcos, poros ou pelos.
➢ Cicatriz atrófica: fina e pregueável,
papirácea.
➢ Cicatriz cribriforme: perfurada por pequenos
Cicatriz
orifícios.
➢ Cicatriz hipertrófica: Cicatriz elevada,
fibrosa, que se restringe à área da lesão
prévia.
➢ Cicatriz queloide: ultrapassa a área da lesão
original.
➢ Compressão: Permite confirmar a presença
de edema devido a depressão que provoca.
• Observação dermatológica: exame objetivo e Essa manobra permite verificar a presença
anamnese. → Visualização direta das lesões. de dermografismo (resposta exagerada da
➢ Diagnóstico é mais objetivo quando o exame pele caracterizada pelo aparecimento de
visual é realizado sem ideias pré-concebidas. eritema e edema persistentes ao longo da
➢ Permite formular hipóteses que guiarão a área linearmente pressionada).
anamnese.
Anamnese
➢ Algumas lesões são absolutamente
características, não necessitando de nenhum • Descrição exata do início
outro dado anamnésico. • Características evolutivas
Identificação • Modo de disseminação das lesões
• Fatores de piora
• Idade: dermatoses presentes em RN e crianças • Influência climática
são muitas vezes congênitas. • Contato com substâncias agressoras ou irritantes
• Sexo: Algumas doenças são mais comuns no sexo • Medicamentos utilizados pelo paciente
feminino enquanto outras são mais comuns no • Alimentação
sexo masculino. • Sintoma mais importante é o prurido → presença
• Raça: Algumas doenças são mais comuns em ou ausência, evolução contínua ou por surtos,
caucasoides (doenças relacionadas à exposição ocorrência diurna ou noturna.
solar) enquanto outras são mais comuns em • Ardor aparece em algumas dermatoses
negroides (queloides e dermatose papulosa inflamatórias.
nigra). • Dor pode ser muito intensa no herpes-zóster,
• Profissão: algumas profissões fazem o indivíduo localizada e paroxística em tumores e musculares
ficar exposto a agressores de diversa natureza em doenças sistêmicas com envolvimento cutâneo
(físicos, químicos e biológicos). Ex: agricultores (dermatomiosite).
expostos ao sol. • Condições psicológicas do paciente podem
• Procedência: O conhecimento da procedência agravar ou precipitar as afecções.
pode auxiliar no diagnóstico.
Antecedentes pessoais, hábitos e antecedentes
Exame objetivo familiares
• Exame acurado da pele, das mucosas, das unhas, • História pregressa de doenças cutâneas e
dos cabelos e dos pelos, assim como dos história de doenças gerais.
linfonodos. • Hábitos: tabagismo e ingestão de bebidas
• Deve ser examinada a pele como um todo e não alcoólicas.
apenas a queixa do paciente, pois podem haver • Antecedentes familiares: existência de lesões
lesões associadas as quais ele não considera semelhantes em outros membros da família, a qual
importante mas compõem a sintomatologia da pode sugerir doenças infecciosas por
afecção. contaminação familiar, além de doenças
• Deve ser composto por: genéticas.
➢ Inspeção: Busca identificar as lesões
apresentadas pelo paciente. O ambiente Interrogatório geral e especial
deve estar bem iluminado com o foco de luz
• Obedece à regra geral da observação clínica:
atrás do examinador. Deve-se inicialmente
estado geral, emagrecimento, presença de
observar a lesão à distância e depois realizar
febre, doenças em tratamento, moléstias,
o exame minucioso.
cirurgias pregressas e condições dos diferentes
➢ Palpação: Permite verificar a consistência
sistemas e aparelhos.
das lesões por meio do pinçamento digital. As
• Medicamentos → pode haver interações
lesões podem ser classificadas em amolecidas
medicamentosas que desencadeiam reações
ou endurecidas, as quais são subdivididas em
graves.
infiltradas, lenhosas ou pétreas
➢ Digitopressão ou vitropressão: Objetiva Exame físico geral e especial
expulsar o sangue por esvaziamento da área
pressionada. Essa manobra permite a • Não se deve descartar a verificação da PA.
distinção entre o eritema e as púrpuras, além • Não ignorar o exame de mucosas.
de revelar a coloração amarelada de certas • Se indicado, examinar linfonodos, nervos
lesões e identificar nevos anêmicos. periféricos e o abdome.
Janaína Firmino – TXIX – Medicina UERN
Lesões hipocrômicas lineares – estrias

Placas hipocrômicas com halo eritematoso.

Pápulas hipercrômicas na região do pescoço

Placa eritematosa com descamação furfurácea bem


delimitada no dorso.

Pápulas eritematosas escoriadas (geralmente por


prurido). Provavelmente é causada por larva
migrans.

Placas e pápulas hipercrômicas com áreas


escoriadas – Lesão de líquen plano

Pseudovesiculação: lesões inflamatórias infiltradas


Janaína Firmino – TXIX – Medicina UERN

Você também pode gostar