Você está na página 1de 5

CENTRO UNIVERSITÁRIO FACOL- UNIFACOL

Disciplina:​ Fisioterapia Cardiovascular


Docente:​ Christian Simoneti
Discente:​ Franscielly Rodrigues Silva

ASSISTÊNCIA MULTIDISCIPLINAR AO
PACIENTE CARDIOVASCULAR

Vitória de Santo Antão


Setembro de 2020
ASSISTÊNCIA MULTIDISCIPLINAR AO PACIENTE
CARDIOVASCULAR

A Equipe Multidisciplinar tem como propósito a reabilitação, a promoção da saúde e


a melhoria da qualidade de vida de todos os pacientes, principalmente aqueles que
apresentam patologias cardiológicas. Esses Profissionais podem contribuir na redução e
postergação das doenças orgânicas e crônicas, trazendo benefícios ao paciente, familiares
e à sociedade (ALLITLI et al., 2006).

Além de dar ênfase à prática da atividade física, os programas de reabilitação


cardíaca também envolvem outras ações desenvolvidas por profissionais das áreas de
enfermagem, nutrição, assistência social e psicologia visando modificar outros aspectos que
contribuem com a diminuição do risco cardíaco de forma global. O paciente e,
eventualmente, membros de sua família, recebem informações sobre a fisiopatologia da
doença cardíaca, os mecanismos de ação das drogas em uso, a relação da doença com a
atividade física diária. Quando necessário, os hábitos alimentares e aspectos nocivos do
estilo de vida são reformulados, com especial ênfase na cessação do tabagismo. As
intervenções psicológicas também devem ser consideradas, visando ao controle do
estresse, o que pode ser obtido por meio de técnicas de relaxamento, terapia de grupo e
tratamento da depressão. Assim, essa equipe pode ser composta por diversos profissionais:
assistente social, enfermeiro, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, médico, nutricionista, psicólogo,
terapeuta ocupacional, farmacêutico, odontólogo, dentre outros (JOLLIFFE et al., 2003).

- Educador Físico:
Os Educadores Físicos ​possuem papel fundamental no Treinamento Físico dos
pacientes Cardiopatas. A utilização de protocolos de treinamento físico em programas de
reabilitação cardiovascular é considerada uma Terapêutica Coadjuvante no tratamento do
paciente. Esta prática proporciona mudanças benéficas, tanto fisiológicas como
psicológicas, no indivíduo atuando também como prevenção para novos eventos
cardiovasculares (SOUZA-RABBO et al., 2007).
Para a elaboração de um treinamento físico devemos levar em consideração a
individualidade de cada paciente, de acordo com o grau de comprometimento funcional que
este apresenta. Quando bem programado, o treinamento físico promove adaptações que
contribuem para a melhora do sistema cardiovascular (THOMPSON, 2007).

Educador Físico realizando Exercícios com Paciente Cardiopata

- Enfermeiro:
O Profissional de Enfermagem contribui significativamente tanto para a avaliação e
diagnóstico quanto para o processo de reabilitação do paciente. Neste sentido, um ponto de
destaque da atuação do profissional de enfermagem em cardiologia, está voltado à
implementação de intervenções que promovam o desenvolvimento de habilidades, melhora
funcional, reintegração social e familiar e maior autonomia (VILA & ROSSI, 2008). Em
função de sua formação profissional o enfermeiro pode desenvolver atividades que
envolvem desde a esfera gerencial, passando pela coordenação de programas educativos e
de implementação de assistência, assim como atuar como agente educador de cuidados à
saúde comunitária. Deste modo, o profissional de enfermagem projeta sua prática para
além da mera função curativa, representando deste modo um papel fundamental nos
processos de prevenção e reabilitação (NETTINA, 2003).

Profissional de Enfermagem com uma paciente com Cardiopatia


- Nutricionista:
O Nutricionista é um profissional muito importante em uma equipe multidisciplinar de
reabilitação cardiovascular. A prática do nutricionista na equipe se dá através da
interferência no estado nutricional no decorrer do tratamento. Sua atuação é de extrema
importância tanto para manter o equilíbrio entre o alimento ingerido e o quadro clínico do
paciente quanto para minimizar as possíveis consequências advindas de uma interação
medicamentosa, reduzindo os fatores de risco para a ocorrência de um novo evento
cardíaco ou para o desenvolvimento de doenças associadas. Sua atuação prática se baseia
no relacionamento com o paciente, tendo assim um papel de educador de seus hábitos
alimentares, traduzindo sua realidade a uma melhora em sua qualidade de vida (OLIVEIRA
& RADICCHI, 2005).

A terapia nutricional deve ser personalizada e adaptada ao estilo de vida do


paciente, levando-se em consideração as comorbidades associadas. Os alimentos
consumidos devem se adequar para controlar a perda de peso corpóreo e acompanhar os
exames bioquímicos (VILA & ROSSI, 2008).

Nutricionista

- Psicólogo:
O Psicólogo ajuda o paciente a refletir e analisar a real situação que enfrenta, tanto
no pré como no pós-cirúrgico com a psicologia hospitalar em cardiologia sendo esta uma
divisão da psicologia da saúde. O atendimento psicológico pode também ser realizado por
modalidade de Psicoterapia Breve, onde o terapeuta intervém através do esclarecimento,
clareamento e resolução de focos específicos da psicodinâmica do paciente, visando
restabelecer equilíbrio psíquico previamente existente, e assim ultrapassar os obstáculos
que se interpuseram a uma determinada meta de sua vida. Com este tipo de atendimento
também se torna possível avaliação e encaminhamento para trabalho mais aprofundado em
casos que se verifiquem necessários (NETTINA, 2003).

Psicóloga juntamente
com um Paciente
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
ALLITLI, G.B.; SILVA, R.C.C; RUSCHEL, P.P; MORAES, M.A; RABELO, E.R. Abordagem
multidisciplinar no tratamento de pacientes com diabetes mellituse doença arterial
coronariana. Revista da Sociedade de Cardiologia do Rio Grande do Sul. Ano XV. 2006.

JOLLIFFE, J. A.; REES, K.; TAYLOR, R. S.; THOMPSON, D.; OLDRIDGE, N.; EBRAHIM,
S. Exercise-based rehabilitation for coronary heart disease [Cochrane Methodology Review].
The Cochrane Library, Issue 4, 2003.

NETTINA, M. Prática de enfermagem. 7º ed.Vol.2, Rio de Janeiro: Guanabara Koogam,


2003.

OLIVEIRA, T.R.P.R. e RADICCHI, A.L.A. Inserção do nutricionista na equipe de


atendimento ao paciente em reabilitação física e funcional. Rev Nutr Campinas, v 18:(5),
out. 2005.

SOUZA-RABBO, M.P; SIQUEIRA, R; GARCIA, H; GASPARY, S; RIBEIRO, J.L; DIAS, A.S.


O exercício físico como ferramenta não medicamentosa na reabilitação de pacientes com
disfunção cardiovascular: uma breve revisão. Educación Física y Deportes. Revista Digital -
Buenos Aires - Año 13, n. 124, set. 2008.

THOMPSON, P.D; FRANKLIN, B.A; BALADY, G.J; BLAIR, S.N; CORRADO, D. et al.
Exercise and acute cardiovascular events placing the risks into perspective. A scientific
statement from the american heart association council on nutrition, physical activity, and
metabolism and the council on clinical cardiology. Circulation. 2007;115:2358-2368.

VILA, V.S.C. e ROSSI, L.A. A qualidade de Vida na Perspectiva de Clientes


Revascularizados em Reabilitação: Estudo Etnográfico. Revista Latino-Americana de
Enfermagem. 2008.

Você também pode gostar