Você está na página 1de 6

Tema: BATISMO NAS ÁGUAS

Introdução
> Na igreja cristã existem duas cerimônias que são essenciais, por
serem divinamente ordenadas, a saber, o Batismo nas águas e a
Ceia do Senhor. O batismo nas águas é o rito do ingresso na
igreja cristã, e simboliza o começo da vida espiritual. A Ceia do
Senhor é o rito de comunhão e significa a continuação da vida
espiritual. O primeiro sugere a fé em Cristo; o segundo sugere a
comunhão com Cristo. O primeiro é administrado somente uma
vez, porque pode haver apenas um começo da vida espiritual; o
segundo é administrado frequentemente, ensinando que a vida
espiritual deve ser alimentada.
A Bíblia nos mostra alguns ENSINOS fundamentais sobre o
Batismo nas águas:
I.) O Batismo nas águas é uma ordenança – Mt 28.19; Mc 16.16;
At 2.38; 10.47-48; 22.16.
Jesus ordenou que todos os que cressem n’Ele fossem batizados
na água. Em Mateus 28:18,19 o texto diz: “Aí então Jesus veio a
eles e lhes disse: Toda a autoridade no céu e na terra foi dada a
Mim. "Portanto, ide e fazei discípulos de todas as nações,
batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”.
Assim, este batismo, que consideramos cerimonial, é uma
manifestação externa de uma graça de Deus que internamente
recebemos de Cristo. Ele representa o testemunho público da
fé que a pessoa tem no Senhor Jesus Cristo. O Batismo
Cerimonial com água também simboliza o lavar regenerador e
renovador produzido pelo Espírito Santo no pecador perdido no
ato da conversão.
O Batismo Cerimonial é obrigatório porque é uma ordenança
deixada por Jesus à Sua Igreja. Jesus diz: “Ide, portanto, fazei
discípulos de todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e
do Filho e do Espírito Santo. (Mt 28.19).
II. O batismo cerimonial nos revela verdades importantes para
nossas vidas:
a. Jesus Morreu… Eu Morri Com Ele
"Pois sabemos que o nosso antigo ego foi crucificado com Ele,
afim de que o corpo do pecado pudesse ser aniquilado para que
não mais fôssemos escravos do pecado — porque qualquer
pessoa que morreu já foi liberta do pecado " (Rm 6:6.7).
A Bíblia não está falando aqui de nossa morte física, mas da
morte do velho homem. O velho homem que representa a nossa
natureza dominada pelo pecado, morre e passamos a ser
dominados totalmente por Cristo. E assim, pelo fato de você já
ter "morrido" em Cristo, você enterra a sua antiga vida,
entendendo que agora nos submetemos ao domínio do Senhor,
simbolicamente através do batismo nas águas.
b. Ele Foi Sepultado…Eu Fui Sepultado Com Ele
“Ou vocês não sabem que todos nós, os que fomos batizados em
Cristo Jesus, fomos batizados em Sua morte? Fomos, portanto,
sepultados com Ele através do batismo na morte” (Rm 6:3.4).
c. Ele Ressuscitou…Tenho Uma Nova Vida N’Ele
"… a fim de que, assim como Cristo ressuscitou dentre os mortos
através da glória do Pai. Nós também pudéssemos viver uma
nova vida. Se nos unimos com Ele em Sua morte, certamente
também nos uniremos com Ele em Sua ressurreição" (Rm 6:4,5).
Está nos mostrando que agora somos uma nova criação em
Cristo! E assim vivemos uma nova vida!
É assim que a palavra diz: "Ora, se morremos com Cristo, cremos
que também viveremos com Ele. Pois sabemos que uma vez que
Cristo ressuscitou dentre os mortos, Ele não pode morrer
novamente. A morte não mais tem domínio sobre Ele. "Em Sua
morte, Ele morreu para o pecado de uma vez por todas, mas a
vida que Ele vive, Ele a vive para Deus. Semelhantemente,
considerem-se mortos para o pecado, porém vivos para Deus em
Cristo Jesus"(Rm 6:8-11).
No batismo da água estamos declarando cerimonialmente a
todos os nossos amigos e conhecidos que não temos
compromisso algum com o Reino das Trevas. Somos uma Nova
Criação em Cristo e pertencemos ao Reino de Deus!
“Portanto, se qualquer pessoa está em Cristo, ela é uma nova
criação. As coisas velhas já passaram e as coisas novas já vieram"
(2 Co 5:17). O batismo nos lembra que a nossa antiga vida foi
aniquilada na morte de Jesus, e agora graças a ressurreição
passamos a ter uma nova vida totalmente nova para viver.
3. Conclusão
Precisamos compreender que o Batismo Cerimonial não
salva nem complementa nada na salvação de alguém, isto quer
dizer que ele não tem poder salvívico. A salvação é uma dádiva
de Deus recebida unicamente pela fé em Jesus Cristo. O Batismo
também não fará o crente mais santificado, nem mais forte,
nem mais abençoado.
Então, perguntaria alguém, por que batizar se o batismo não
tem virtude salvadora nem santificadora? A resposta a esta
pergunta é simples: Batizamos as pessoas porque Jesus mandou
que os que cressem nEle fossem batizados (Mt 28.18,20).
O batismo deve ser administrado naquelas pessoas que crêem
no Senhor Jesus Cristo como único e suficiente Salvador. Em
atos 8:36 após ouvir a palavra o eunuco pergunta a filipe: “… Eis
aqui água; que impede que eu seja batizado? E disse Filipe: É
lícito, se crês de todo o coração. E, respondendo ele, disse: Creio
que Jesus Cristo é o Filho de Deus… e Filipe o batizou”. (At 8.36).
Assim, a grande condição para que alguém possa ser batizado é
que este tenha confessado com honestidade de coração que
Jesus Cristo é o seu Senhor e salvador pessoal.
II.) O Batismo nas águas não é condição para salvação, mas todo
aquele que sinceramente quer servir a Cristo, tem prazer em
obedecê-lo – Lc 23.32-33,39-43; Jo 14.15,21.
> O Batismo nas águas não é condição para salvação (Lc 23.32-
33,39-43). Caso fosse, o ladrão da cruz não seria sido salvo, pois
não houve tempo hábil para que ele fosse batizado. Muitos
recebem a Cristo no leito de enfermidade, multas vezes não
havendo tempo ou condições para que o indivíduo seja batizado.
Nem por isso deixará de ser salvo.
> As pessoas são batizadas, não para serem salvas, mas porque já
são salvas. O Batismo é o testemunho (ato) exterior de algo que
já aconteceu no interior do batizando.
> O Batismo nas águas é essencial para a Integral obediência a
Cristo (Jo 14.15,21). Como a eleição do presidente da nação se
completa pela sua posse do governo, assim a eleição do
convertido pela graça de Deus se completa (ou melhor, se
confirma) por sua pública admissão como membro da igreja de
Cristo pelo Batismo.
> A pessoa que não tem condições de ser batizada, não deixará
de ser salva por isso, mas aquele que tem condições de ser
batizado e não o faz, coloca em dúvida a sua experiência de
conversão (novo nascimento).
III.) O Batismo nas águas significa testemunhar publicamente do
arrependimento dos pecados e da fé em Jesus – At 2.38; Mc
1.15; Mt 10.32-33.
> A pessoa que se batiza está dando testemunho diante de todos
os presentes (e diante de todos que quiserem ouvir e ver), de
que:
– reconhece que é um pecador (Rm 3.23)
– se arrepende dos seus pecados (Mc 1.5; At 2.38)
– entende que por seus próprios esforços não pode salvar-se (Ef
2.8-9)
– crê que somente Jesus é o caminho para a salvação (Jo 14.6; 1
Tm 2.5).
- crê no batismo no Espírito Santo e seu sinal público de falar em
línguas.
IV.) O Batismo nas águas significa assumir publicamente um
compromisso com Deus e com uma igreja (e liderança) local – Dt
10.12-13; Hb 10.25; 13.17.
> Compromisso com Deus
> Compromisso com a igreja e sua liderança. Como?
Congregando, participando das atividades, procurando ter
comunhão com os irmãos, assumindo responsabilidades na
Igreja quando solicitado, honrando e sendo submisso aos líderes.
> Existem pessoas que dizem “… eu faço parte do corpo de Cristo
“… eu faço parte da igreja de Cristo meu pastor é Jesus Cristo …”
no sentido de não estarem dispostas a assumirem compromisso
com uma igreja local e sua liderança. As frases citadas acima são
absolutamente verdadeiras e corretas desde que acompanhadas
de um compromisso com uma igreja local e sua liderança.
V.) O Batismo nas águas significa morrer para a velha natureza e
reviver (ressurgir, ressuscitar) em novidade de vida (nova
natureza) – Rm 6.3-4; Gl 3.27; Cl 2.12; 2 Co 5.17.
> A imersão nas águas, corresponde ao significado simbólico do
batismo, a saber, morte, sepultura e ressurreição (Rm 6.3-4).
Conclusão
> O Batismo era prática constante na igreja primitiva. Para
confirmar isto veja os seguintes textos: At 2.38-41; 8.12,35-38;
9.17-18; 16.14-15; 16.33; 18.8; 19.5.

CONFISSÃO DE FÉ:
"Esta cerimônia de batismo nos lembra nossas obrigações para
com Deus e para com os demais. Portanto, aproveitaremos a
oportunidade para nos consagrar de novo e renovar nossas
promessas. Nós nos comprometemos a trabalhar pelo progresso
da igreja no conhecimento e santidade, para promover sua
espiritualidade e para nos mantermos firmes em seu culto,
disciplina e doutrina.

"Como administradores do que Deus nos confiou, nós nos


comprometemos a contribuir com alegria e regularmente para o
sustento do ministério, para os gastos da igreja, para o auxílio
dos pobres e a expansão do evangelho por todo o mundo. 

"Quanto ao nosso lar, nós nos comprometemos a manter o culto


doméstico e a oração em casa, a criar os nossos filhos no temor
do Senhor, e a buscar a salvação dos nossos entes queridos e de
nossos conhecidos.
"Em virtude de nosso chamado como crentes, e pelo amor as
pessoas não-convertidas por quem Jesus Cristo também morreu,
nós nos comprometemos a andar com prudência e discrição
diante do mundo, evitando a pecaminosidade e o que é
reprovável. Nós nos comprometemos a ser justos em nosso
relacionamento com os demais, fiéis em nossos compromissos, e
exemplares em nossa conduta. Nós nos comprometemos a evitar
as murmurações, as fofocas e a ira, e a ser fervorosos em nossos
esforços por expandir o reino de nosso Senhor e Salvador Jesus
Cristo. 

"Em virtude de termos um só Senhor que nos une como irmãos


em uma só fé, nós nos comprometemos a velar uns pelos outros
em amor fraternal, a orar uns pelos outros, a nos ajudarmos em
tempos de enfermidades e dificuldades, a sermos corteses em
nossa maneira de falar, a não ofendermos por nada, e a
estarmos sempre dispostos a procurar reconciliação segundo os
ensinamentos de nosso Senhor.

O ministro perguntará aos candidatos: "Vocês assumem este


compromisso?"
Os candidatos em uníssono responderão: "Sim, nós o assumimos,
e pela graça de Deus o cumpriremos."
ORIENTAÇÕES:
1. Mãos cruzadas sobre o peito
2. Não precisam se preocupar, o pastor vai conduzí-los
3. Como vamos proceder até o local

Você também pode gostar