Você está na página 1de 92

Bem-Vindas e Bem-Vindos!

@profe.ale.lopes
História e Sociologia Articuladas
https://t.me/profealopes

Estrategia Vestibulares

Profe Alê Lopes


ENEM 2021
Hora da Verdade
Profe Alê Lopes
O que é a Sociologia?
Sociologia Sociedade A sociologia é o estudo, que pretende ser
como como científico, do social enquanto social, seja no
CIÊNCIA OBJETO
nível elementar das relações interpessoais, seja
SOCIAL DE
no nível macroscópico de vastos conjuntos,
ESTUDO
como as classes, as nações, as civilizações ou,
para empregar a expressão corrente, as
sociedades globais. (grifos nossos)
(ARON, Raymond. As etapas do Pensamento Sociológico. São
Paulo: Martins Fontes/Ed. UnB. 1982, p. 9.)

O que é social não é biológico ou psicológico!


Sociologia Básica- Profe Alê Lopes
O homem como ser social

❑ Apesar das características biológicas que constituem o


comportamento dos seres humanos (comer, dormir, andar,
etc.), as Ciências Humanas indicam que o homem é um ser
social. Isso significa que as pessoas cooperam em vida
coletiva.

❑ é possível perceber essa diferença entre homem biológico e


homem social, na medida em que nós não vivemos sem
transformar a natureza.
Sociologia Básica- Profe Alê Lopes
O que é sociedade?

Sociedade, para a sociologia, é, basicamente, um conjunto de seres humanos que divide


determinado território. As pessoas compartilham e disputam regras, ideologias,
tradições, valores e interesses que, de um modo geral, as fazem conviver de forma
organizada.
Assim, a Sociedade é múltipla, diversa, formada por grupos sociais distintos. Não há
uma sociedade igual a outra. Portanto, toda realidade social é diferente uma da outra.

Sociologia Básica - Profe Alê Lopes


ENEM 2019

Sociologia Básica - Profe Alê Lopes


Durkheim: Método positivista
❑ Durkheim buscou princípios universais do
comportamento e das relações sociais

“A principal tarefa do sociólogo é descobrir os


diferentes aspectos do meio social que podem exercer
alguma influência sobre o desenvolvimento dos
fenômenos sociais”.
DURKHEIM, Emile. The Rules of Sociologial Method. Chicago: Chicago
University Press. 1938, p. 113.

Sociologia Básica - Profe Alê Lopes


Emilie Durkheim
❖ O autor se preocupou com a relação entre indivíduos e sociedade.

O que mantém a
sociedade coesa?

Orgânica Mecânica
Sociologia Básica- Profe Alê Lopes
1-) SOLIDARIEDADE MECÂNICA entre os homens, fruto da divisão social do trabalho contida na
sociedade pré-capitalista – ou sociedades “tradicionais”. Nela os indivíduos se identificam e se
relacionam por meio da família, da tradição, dos costumes, da religião. A coletividade exerce uma
forte coerção social para manter a sociedade harmônica e em funcionamento.
2-) SOLIDARIEDADE ORGÂNICA, própria das sociedades capitalistas, os indivíduos são
interdependentes em razão da divisão social e industrial do trabalho. Aqui a coesão social é muito
mais em razão das relações do trabalho na indústria e no comércio do que por conta dos
costumes, por exemplo.
➢ Então as instituições como a família, a religião, valores e costumes já não exerceriam a mesma
função.
➢ Isso poderia gerar...

Sociologia Básica- Profe Alê Lopes


Internalização e
Processos de Instituições aprendizagem dos
socialização Sociais comportamentos
esperados

Sociologia Básica- Profe Alê Lopes


“(...) a coerção é menos violenta; mas não deixa de
existir. Se não me submeto às convenções Sanção Moral
mundanas; se, ao me vestir, não levo em
consideração os usos seguidos em meu país e na
minha classe, o riso que provoco, o afastamento
em que os outros me conservam, produzem,
Sanção Legal
embora de maneira mais atenuada, os mesmos
efeitos que uma pena propriamente dita.”

Profe Alê Lopes


Fato Social como objeto de análise
(fenômeno social específico)

[Os fatos sociais] consistem em maneiras de agir, de


pensar e de sentir exteriores ao indivíduo, dotadas de
um poder de coerção em virtude do qual se lhe impõe.
1-
EXTERIORIDADE
DURKHEIM, Émile. O que é fato social.

Características do 2-
fato social COERCITIVIDADE

3-
GENERALIDADE
Sociologia Básica - Profe Alê Lopes
ENEM 2016

Profe Alê Lopes


ENEM 2017

Profe Alê Lopes


ENEM 2019

Profe Alê Lopes


ENEM 2013

Profe Alê Lopes


(ENEM 2015)
Só num sentido muito restrito, o indivíduo cria com seus próprios recursos o modo de falar e de
pensar que lhe são atribuídos. Fala o idioma de seu grupo; pensa à maneira de seu grupo. Encontra a
sua disposição apenas determinadas palavras e significados. Estas não só determinam, em grau
considerável, as vias de acesso mental ao mundo circundante, mas também mostram, ao mesmo
tempo, sob que ângulo e em que contexto de atividade os objetos foram até agora perceptíveis ao
grupo ou ao indivíduo.
MANNHEIM, K. Ideologia e utopia. Porto Alegre: Globo 1950 (adaptado)

Ilustrando uma proposição básica da sociologia do conhecimento, o argumento de Karl Mannheim


defende que o(a)
a) conhecimento sobre a realidade é condicionado socialmente.
b) submissão ao grupo manipula o conhecimento do mundo.
c) divergência é um privilégio de indivíduos excepcionais.
d) educação formal determina o conhecimento do idioma.
e) domínio das línguas universaliza o conhecimento.
Profe Alê Lopes
Método histórico compreensivo
❑ Estabeleceu a separação entre as ciências
da natureza e as ciências da humanidade.

❑ A compreensão seria o modo típico das ciências


humanas, que não deveria descrever o fato histórico
em si, apenas determinando as suas causas imediatas,
mas sim compreender os processos da ação humana
em suas diversas esferas e dela extrair sentidos.
❑ As Sociedades são múltiplas, diversas, formadas por
grupos sociais distintos com histórias específicas. Não
há uma sociedade igual a outra, portanto, toda
realidade social é diferente uma da outra.
Sociologia Básica - Profe Alê Lopes
Tipo Ideal: instrumento teórico analítico
O tipo ideal é uma “construção mental da realidade”. O pesquisador seleciona um certo
número de característica do objeto em estudo e, assim, construir um “todo”, ou seja,
um TIPO.
➢ Esse tipo será muito útil para classificar e os objetos de estudo e compará-lo com a
realidade.
EX.: Vamos pensar na democracia Democracia no Mundo
contemporâneo

Eleições Partidos Alternância de Imprensa


Periódicas Políticos Poder Livre

Sociologia de Weber - Profe Alê Lopes


Ação Social
3- Dotada de sentido
2-Justificada e
1- Ação ou conduta e motivação em
elaborada
humana individual relação aos outros e
SUBJETIVAMENTE
às circunstâncias

Sociologia de Weber - Profe Alê Lopes


Poder: É a capacidade de
indivíduos e grupos de
3 Tipos de dominação
fazerem prevalecer sua
vontade e interesse sobre O PODER O PODER
outros grupos/indivíduos – TRADICIONAL CARISMÁTICO O PODER LEGITIMO OU
(patriarca ou o senhor (exercido pelo profeta,
RACIONAL
Dominação/Obediência de terras, pais, pelo líder guerreiro, pelo (exercido pelos
“especialistas”a crença na
clérigos) dirigente de um grupo validade de um estatuto legal)
Quem obedece: ou partido político) Quem obedece: quem
hierarquicamente Quem obedece: acredita na eficácia da regra
“inferior” discípulo

Profe Alê Lopes


Detém o
monopólio da
elaboração da
norma geral
Detém o
Tipo mais puro monopólio
de dominação exclusivo da
legal força ou
violência

Estado

Profe Alê Lopes


Profe Alê Lopes
ENEM 2015

Profe Alê Lopes


ENEM 2020

Sociologia Básica - Profe Alê Lopes


(ENEM 2015)
O impulso para o ganho, a perseguição do lucro, do dinheiro, da maior quantidade possível de dinheiro
não tem, em si mesma, nada que ver com o capitalismo. Tal impulso existe e sempre existiu. Pode-se dizer
que tem sido comum a toda sorte e condição humanas em todos os tempos e em todos os países, sempre
que se tenha apresentada a possibilidade objetiva para tanto. O capitalismo, porém, identifica-se com a
busca do lucro, do lucro sempre renovado por meio da empresa permanente, capitalista e racional. Pois
assim deve ser: numa ordem completamente capitalista da sociedade, uma empresa individual que não
tirasse vantagem das oportunidades de obter lucros estaria condenada à extinção.
WEBER, M. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Martin Claret, 2001 (adaptado).
O capitalismo moderno, segundo Max Weber, apresenta como característica fundamental a
a) competitividade decorrente da acumulação de capital.
b) implementação da flexibilidade produtiva e comercial.
c) ação calculada e planejada para obter rentabilidade.
d) socialização das condições de produção.

e) mercantilização da força de trabalho. Sociologia Básica - Profe Alê Lopes


Instituições

Poder e a arte de Governar


sociais

Para Foucault o poder aparece como uma prática social, uma


relação (as relações de poder), construída historicamente em
diferentes locais em que o poder é exercido.

A prática social é o controle dos corpos, das vidas. O controle se Saberes


dá por meio de gestos, atitudes, aconselhamentos e, as vezes,
regras impositivas – ou, os dispositivo de saber manipulados
pelas instituições sociais. Processo de normalização.

A gestão da conduta dos indivíduos em sociedade é o que


Foucault chama de biopolítica.

Dispositivo
de poder

Sociologia Básica - Profe Alê Lopes


Cultura
Como opera a cultura
Condiciona a visão de mundo; tece explicações próprias à partir de uma “herança
O que cultural”. Isso pode gerar o etnocentrismo (dicotomia: nós X outro)

sabemos Os indivíduos participam diferentemente de sua cultura (idade, gênero, classe,


hoje: etnia); distintos processos de socialização

Tem uma lógica própria, não existe evolução cultural (pensamento mágico e pensamento
científico). Cada cultura é um sistema que tem uma lógica própria. Para entender é preciso
usar as categorias de sentidos da própria cultura e de quem as compartilha

É dinâmica! Muda o tempo todo. São dois grupos de motivos: 1- Interno ao


sistema, devido à capacidade racional (choque de geração)e 2- interação entre
sistemas culturais (aculturação). O tempo importa muito!
A difusão da cultura forma as diversidades que nos conectam como humanos

Roque de Barros Laraia – Cultura, um conceito antropológico.


Profe Alê Lopes
Etnocentrismo

Significados e
símbolos Evolucionismo
culturais

Identidade Relativismo
cultural cultural

Diversidade
Cultural
Profe Alê Lopes
O que é etnocentrismo?

➢ O fato de que o homem vê o mundo através de sua cultura


tem como consequência a propensão de considerar o seu
modo de vida como o mais correto e natural.
➢ Reação depreciativa em relação ao comportamento daqueles
que agem fora dos padrões aceitos pela maioria da
comunidade.
➢ Ponto fundamental de referência é o grupo e não a
humanidade.
➢ Criação social de “comportamentos desviantes”.
➢ Geração de preconceito, discriminação, xenofobia, genocídio.

Profe Alê Lopes


Relativismo Cultural

Cada cultura deve ser compreendida dentro da sua história


particular, e não comparada com outro padrão cultural, pois não
existe uniformidade evolutiva, ou seja, não há escala evolutiva.
Por isso, fala-se em diversidade cultural, já que tudo o que é
produzido enquanto cultura é importante.

Profe Alê Lopes


ENEM 2019

Profe Alê Lopes


(ENEM 2014)
O cidadão norte-americano desperta num leito construído segundo padrão originário do Oriente
Próximo, mas modificado na Europa Setentrional antes de ser transmitido à América. Sai debaixo de
cobertas feitas de algodão cuja planta se tornou doméstica na Índia. No restaurante, toda uma série de
elementos tomada de empréstimo o espera. O prato é feito de uma espécie de cerâmica inventada na
China. A faca é de aço, liga feita pela primeira vez na Índia do Sul; o garfo é inventado na Itália
medieval; a colher vem de um original romano. Lê notícias do dia impressas em caracteres inventados
pelos antigos semitas, em material inventado na China e por um processo inventado na Alemanha.
LINTON. R. O homem: uma introdução à antropologia. São Paulo: Martins. 1959 (adaptado).
A situação descrita é um exemplo de como os costumes resultam da
a) assimilação de valores de povos exóticos.
b) experimentação de hábitos sociais variados.
c) recuperação de heranças da Antiguidade Clássica.
d) fusão de elementos de tradições culturais diferentes.
e) valorização de comportamento de grupos Profe
privilegiados
Alê Lopes
ENEM 2020

Profe Ale Lopes


ENEM 2020

Profe Ale Lopes


(ENEM 2016)
Simples, saborosa e, acima de tudo, exótica. Se a culinária brasileira tem o tempero do estranhamento,
esta verdade decorre de dois elementos: a dimensão do território e a infinidade de ingredientes.
Percebe-se que o segredo da cozinha brasileira é a mistura com ingredientes e técnicas indígenas. É
esse o elemento que a torna autêntica.
POMBO, N. Cardápio Brasil. Nossa História, n. 29, mar. 2006 (adaptado).
O processo de formação identitária descrito no texto está associado à
a) imposição de rituais sagrados.
b) assimilação de tradições culturais.
c) tipificação de hábitos comunitários.
d) hierarquização de conhecimentos tribais.
e) superação de diferenças etnorraciais.

Profe Ale Lopes


ENEM 2017

Profe Alê Lopes


Cultura e Gerações
O que é o conceito de geração?
❑ Definição:
conjunto ou grupo de pessoas dentro de uma população que experimenta os mesmos
eventos significantes em um determinado período de tempo. O grupo se localiza na
mesma dimensão histórica de um processo social.

❑ Argumentação:
➢ Compartilham as mesmas experiências históricas
➢ Podem ter visões divergentes sobre essas experiências

Jovens que experienciam os mesmos problemas históricos concretos, pode-se dizer,


fazem parte da mesma geração.
Karl Mannheim (1928).
Profe Ale Lopes
Existiria uma sucessão de
gerações?

Profe Ale Lopes


“Coincidência" e "sobreposição"

“Coexistência parcial entre gerações:

As fronteiras que separam as gerações não são claramente


definidas, não podem deixar de ser ambíguas e atravessadas e,
definitivamente não podem ser ignoradas
(Zygmun Bauman, 2007: 373).

Profe Ale Lopes


Conflitos geracionais
Queda da tx Aumento da
Desigualdades
de Expectativa
e conflitos
natalidade de Vida

➢ No relacionamento que as pessoas têm com o


mundo do trabalho
➢ Na divisão de recursos públicos entre as gerações
Profe Ale Lopes
(ENEM 2016)
Nossas vidas são dominadas não só pelas inutilidades de nossos contemporâneos, como também pelas
de homens que já morreram há várias gerações. Além disso, cada inutilidade ganha credibilidade e
reverência com cada década passada desde sua promulgação. Isso significa que cada situação social
em que nos encontramos não só é definida por nossos contemporâneos, como ainda predefinida por
nossos predecessores. Esse fato é expresso no aforismo segundo o qual os mortos são mais poderosos
que os vivos.
BERGER, P. Perspectivas sociológicas: uma visão humanística. Petrópolis: Vozes, 1986 (adaptado).

Segundo a perspectiva apresentada no texto, os indivíduos de diferentes gerações convivem, numa


mesma sociedade, com tradições que
a) permanecem como determinações da organização social.
b) promovem o esquecimento dos costumes.
c) configuram a superação de valores.
d) sobrevivem como heranças sociais.
e) atuam como aptidões instintivas. Profe Alê Lopes
ENEM 2018

Profe Alê Lopes


(ENEM 2014)

No Brasil, a origem do funk e do hip-hop remonta aos anos 1970, quando da proliferação dos chamados “bailes
black” nas periferias dos grandes centros urbanos. Embalados pela black music americana, milhares de jovens
encontravam nos bailes de final de semana uma alternativa de lazer antes inexistente. Em cidades como o Rio de
Janeiro ou São Paulo, formavam-se equipes de som que promoviam bailes onde foi se disseminando um estilo
que buscava a valorização da cultura negra, tanto na música como nas roupas e nos penteados. No Rio de Janeiro
ficou conhecido como “Black Rio”. A indústria fonográfica descobriu o filão e, lançando discos de “equipe” com as
músicas de sucesso nos bailes, difundia a moda pelo restante do país.

DAYRELL, J. A música entra em cena: o rap e o funk na socialização da juventude. Belo Horizonte: UFMG, 2005.

A presença da cultura hip-hop no Brasil caracteriza-se como uma forma de

a) lazer gerada pela diversidade de práticas artísticas nas periferias urbanas.

b) entretenimento inventada pela indústria fonográfica nacional.

c) subversão de sua proposta original já nos primeiros bailes.

d) afirmação de identidade dos jovens que a praticam.

e) reprodução da cultura musical norte-americana.


Profe Alê Lopes
(ENEM 2016)
Texto I

Texto II

Metade da nova equipe da NASA é composta por


mulheres
Até hoje, cerca de 350 astronautas americanos já estiveram no espaço, enquanto as mulheres não chegam a ser um terço desse
número. Após o anúncio da turma composta 50% por mulheres, alguns internautas escreveram comentários machistas e
desrespeitosos sobre a escolha nas redes sociais.
Disponível em: https://catracalivre.com.br. Acesso em: 10 mar.. 2016.
Profe Alê Lopes
A comparação entre o anúncio publicitário de 1968 e a repercussão da
notícia de 2016 mostra a
a) elitização da carreira científica.
b) qualificação da atividade doméstica.
c) ambição de indústrias patrocinadoras.
d) manutenção de estereótipos de gênero.
e) equiparação de papéis nas relações familiares.

Profe Alê Lopes


(ENEM 2016)
Participei de uma entrevista com o músico Renato Teixeira. Certa hora, alguém pediu para listar as
diferenças entre a música sertaneja antiga e a atual. A resposta dele surpreendeu a todos: “Não há
diferença alguma. A música caipira sempre foi a mesma. É uma música que espelha a vida do homem no
campo, e a música não mente. O que mudou não foi a música, mas a vida no campo”. Faz todo sentido: a
música caipira de raiz exalava uma solidão, um certo distanciamento do país “moderno”. Exigir o mesmo de
uma música feita hoje, num interior conectado, globalizado e rico como o que temos, é impossível. Para o
bem ou para o mal, a música reflete seu próprio tempo.
BARCINSKI. A. Mudou a música ou mudaram os caipiras? Folha de São Paulo, 4 jun. 2012 (adaptado).
A questão cultural indicada no texto ressalta o seguinte aspecto socioeconômico do atual campo brasileiro:
a) Crescimento do sistema de produção extensiva.
b) Expansão de atividades das novas ruralidades.
c) Persistência de relações de trabalho compulsório.
d) Contenção da política de subsídios agrícolas.
e) Fortalecimento do modelo de organização cooperativa.
Profe Alê Lopes
ENEM 2019

Profe Alê Lopes


Tecnologia e Sociedade
Um mundo em mudanças
Globalização: O que é: conexões entre o Global e o Local. “processos que estão intensificando as relações e a
interdependência sociais globais”. *Avanço tecnológico= informação, comunicação e
transporte*
“Vivemos cada Dimensões complexas: “ A globalização é criada pela convergência de fatores políticos, sociais,
vez mais em um culturais e econômicos. *Econômica (produção global e distribuição internacional de trabalho).
“MUNDO
ÚNICO”, onde
nossas ações tem Fatores que contribuem: uso da internet e do celular. Há desigualdade e divisões globais de
consequência implantação e acesso; economia virtual (produtos cuja base é a informação e o conhecimento).
para os outros e *Cruzam as fronteiras nacionais*
os problemas do
Novas formas produtivas: Menos hierarquia gerencial e mais flexibilidade produtiva;
mundo tem
consequências Causas para o avanço da globalização: 1- Colapso do Comunismo Soviético e de todo bloco comunista. Eles se
para nós.” integram, a mudança global avança; 2- Intensificação de mecanismos globais e regionais que promovem a
interação entre os Estados (ex. ONU e UE) que precisam “abdicar” um pouco de sua soberania nacional. Papel das
organizações transnacionais com uma atuação global.

Conexões Globais: ONGs: são organizações independentes de governos que trabalham em questões de
risco global e busca por justiça global. Ex. WWF, Greenpeace. Anistia Internacional, Cruz Vermelha.
*Elas conectam pessoas e países diferentes”
Profe Alê Lopes
O elemento central o é a tecnologia de comunicação.
“Nosso mundo está sendo refeito. A produção em massa, o consumo em massa, a
cidade grande, o Estado big-brother, o vasto espaço habitacional e o Estado-Nação
estão em declínio: a flexibilidade, a diversidade, a diferenciação, a mobilidade, a
comunicação, a descentralização e a internacionalização estão em ascensão. No
processo, nossas próprias identidades, nosso senso de self, nossas próprias
subjetividades estão sendo todos transformados. Estamos em transição para uma
nova era.”
Giddens, Antony. Sociologia. Porto Alegre: Ed. Penso, 2012, p. 81.

DEFINIÇÃO DE PÓS-MODERNIDADE: sociedade pós-moderna como aquela marcada pelo enorme


crescimento e disseminação das mídias de massa, as inúmeras tecnologias da informação em um
movimento fluido de pessoas, ideias, imagens que circulam ao redor do mundo de modo a produzir
sociedades e comportamentos multiculturais e sem identidades fixas.

Profe Alê Lopes


(ENEM 2019)

Profe Alê Lopes


(ENEM 2016)

Analisar o processo atual de circulação e de armazenamento de


determinados bens culturais diante da transformação decorrente do
impacto de novas tecnologias indica que hoje
a) as músicas e os textos têm privilegiado um formato digital, tornando
inadmissível sua acumulação.
b) a rede mundial de computadores acaba com o chamado direito autoral,
que é inaplicável em relações virtuais.
c) a segurança e a inclusão digital são problemas, expondo a
impossibilidade de realizar um comércio feito on-line.
d) as mídias digitais e a internet permitiram maior fluxo desses produtos,
pois seu acúmulo independe de grandes bases materiais.
e) a pirataria é o recurso utilizado pelos consumidores, visto que são
impedidos de adquirir legalmente algo desprovido de suporte físico.

Profe Alê Lopes


(ENEM 2015)
Atualmente, as represálias econômicas contra as empresas de informática norte-americanas
continuam. A Alemanha proibiu um aplicativo dos Estados Unidos de compartilhamento de carros; na
China, o governo explicou que os equipamentos e serviços de informática norte-americanos
representam uma ameaça, pedindo que as empresas estatais não recorram a eles.
SCHILLER, D. Disponível em: www.diplomatique.org.br. Acesso em: 11 nov. 2014 (adaptado).
As ações tomadas pelos países contra a espionagem revelam preocupação com o(a)
a) subsídio industrial.
b) hegemonia cultural.
c) protecionismo dos mercados.
d) desemprego tecnológico.
e) segurança dos dados

Profe Alê Lopes


Contexto Mundo Contemporâneo: Globalização
» Um mundo hiperconectado em redes - SOCIEDADE EM REDE
» Uma sociedade hipervulnerável: DEPENDÊNCIA DA TECNOLOGIA
» A internet provoca a hipertransparência: USO E CONTROLE DA
PALAVRA PÚBLICA
❑ Internet como tribunal e geração de crises de reputação
❑ Entretenimento como política e o político como entretenimento
(lideranças políticas apalhaçadas – mistura entre picadeiro e
parlamento);
❑ No campo das ideias há um tensionamento social de longo prazo
entre ideias tradicionais e multiculturalistas.

Profe Alê Lopes


O ambiente da internet
✓ A internet democratiza o produtor de conteúdo e amplifica as vozes antes
silenciadas.

✓ A internet como um ambiente propício para reprodução:

❑ Anonimato

❑ Impunidade

❑ Regras Sociais Frouxas Lembrar da questão da coerção social na


regulação e formação de comportamentos
sociais esperados. (DURKHEIM)

Sociologia Básica - Profe Alê Lopes


Comportamento Social e Tecnologias
❖ Somos todos viciados digitais?
Embora ainda não seja reconhecido pela OMS, o Transtorno
de Vício em Internet tem sido identificado como
dependência análoga à de substâncias como álcool e drogas.

❖ Identidades em redes sociais:


Socialização e formação de grupos

❖ Mercado tem interesse nestes comportamentos:


mercado de dados

Lembre-se: sociologia estuda o ❖ Existem instituições que regulam estes comportamentos?


comportamento humano em diversos Debates no Congresso Americano
ambientes No BR: Lei Geral de Proteção de Dados e
Marco Civil da Internet
Profe Alê Lopes
Liberdades, Estado e novas tecnologias
❖ Estado regulador: dois pontos centrais do Marco Civil da Internet
# Liberdade de Expressão # Privacidade

“É certo que regulações rígidas de tecnologia tendem a ser pouco efetivas, pois correm o risco de
tornarem-se rapidamente obsoletas diante do dinamismo dos avanços tecnológicos. Nesse
contexto, o ideal seria buscar uma regulação flexível, deixando em aberto situações específicas”
Paulo Eduardo Lilla (advogado e professor da FGV)

❖ Liberdades na Constituição Federal: com base no art. 5º

# Expressar sua opinião, vontade, ideia ou juízo de valor por qualquer meio possível;

# Transmitir ao público em geral qualquer informação sem que o Estado possa censurar a sua difusão;

# PORÉM, Liberdade de expressão não é absoluta, há limites


Profe Alê Lopes
Vamos problematizar?
"Se a gente ampliar o conceito de ensinar, dá, porque TikTok é uma
Para alguns professores, a internet
interface de vídeo que permite conversa. O professor pode criar o
também é fonte de renda. Assim, eles
conteúdo com vídeos e ali conversar com alunos sobre aquele tema.
se fazem presentes em várias redes
O professor precisa estar disponível. A lógica da internet é
sociais, multiplicando a abrangência
colaboração e autoria", analisa Edméa Santos, professora da
dos conteúdos que produzem,
Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) que pesquisa
ganhando escala. Um mesmo vídeo
cibercultura e educação há 25 anos.
pode estar em várias plataformas,
Os professores também dizem que a educação precisa estar onde os
como TikTok, Reels (do Instagram), ou
alunos estão.
o Kwai.
"Eu acredito que a educação precisa estar em todos os lugares, já
que é através dela que nós vamos melhorar e mudar o nosso país“.

Profe Alê Lopes


ENEM 2018

Profe Alê Lopes


(ENEM 2014)

As redes sociais tornaram-se espaços importantes de


relacionamento e comunicação. A charge apresenta o
impacto da internet na vida dos indivíduos quando
faz referência à

a) ampliação do poder dos clérigos no controle dos


fiéis.
b) adequação dos ritos sacramentais ao cotidiano.
c) perda de privacidade em ambiente virtual.
d) reinterpretação da noção de pecado.
e) modernização das instituições religiosas.

Profe Alê Lopes


ENEM 2016

Profe Alê Lopes


ENEM 2017

Profe Alê Lopes


ENEM 2018

Profe Alê Lopes


ENEM 2017

Profe Alê Lopes


Sociedade Midiática

Profe Alê Lopes


❑ Sociedade midiática: sociedade que tem a imagem como o
centro das relações sociais.
❑ A mídia, veículo da imagem, tem papel fundamental nas
interações sociais.
❑ Isso ocorre mais na atualidade (século XX em diante) que
em qualquer outro momento da história.

Falar sobre sociedade midiática envolve refletir sobre


temas como tecnologia, artes, comunicação, consumo e
política

Profe Alê Lopes


Tudo virando
mercadoria Propagan
da

Avanço da
tec. de
Consumo de comunicação
massa=
cultura de Expansão
massa econômica

Profe Alê Lopes


As bases da Cultura de Massas

❖ Ao serem transmitidas e reproduzidas


imagens por meios amplos e ilimitados –
como a fotografia, o cinema e a televisão
– para um público também amplo e
indiferenciado, promoveu-se a formação
de um repertório homogêneo de
identidades, percepções, desejos,
sonhos, mitos.

Profe Alê Lopes


Indústria cultural:

❑ Conjunto de mercadorias culturais


❑ Padrões que se repetem com o objetivo de formar uma estética
ou percepção comuns voltadas ao consumo;
❑ Gera domesticação, adesão e alienação

Profe Alê Lopes


Mistificação das massas: liberdade, consumo e
entretenimento
A indústria cultural nos faz acreditar que somos livres,
independentes, para escolher revistas, programas de rádio, filmes,
músicas, quando, na realidade, consumimos aquilo que ela bem
entender.
Eis a fraude: não somos sujeitos da cultura, somos objeto dela, mera
mercadoria (como qualquer outro produto: filmes, revistas, músicas).

“O consumidor não é soberano como


a indústria cultural quer fazer crer,
não é seu sujeito, mas o seu objeto.”

Profe Alê Lopes


(ENEM 2016)
Hoje, a indústria cultural assumiu a herança civilizatória da democracia de pioneiros e empresários,
que tampouco desenvolvera uma fineza de sentido para os desvios espirituais. Todos são livres para
dançar e para se divertir do mesmo modo que, desde a neutralização histórica da religião, são livres
para entrar em qualquer uma das inúmeras seitas. Mas a liberdade de escolha da ideologia, que
reflete sempre a coerção econômica, revela-se em todos os setores como a liberdade de escolher o
que é sempre a mesma coisa.
ADORNO, T; HORKHEIMER, M. Dialética do esclarecimento: fragmentos filosóficos. Rio de Janeiro; Zahar, 1985

A liberdade de escolha na civilização ocidental, de acordo com a análise do texto, é um(a)


a) legado social.
b) patrimônio politico.
c) produto da moralidade.
d) conquista da humanidade.
e) ilusão da contemporaneidade
Profe Alê Lopes
(ENEM 2011)
Um volume imenso de pesquisas tem sido produzido para tentar avaliar os efeitos dos programas de
televisão. A maioria desses estudos diz respeito a crianças - o que é bastante compreensível pela
quantidade de tempo que elas passam em frente ao aparelho e pelas possíveis implicações desse
comportamento para a socialização. Dois dos tópicos mais pesquisados são o impacto da televisão no
âmbito do crime e da violência e a natureza das notícias exibidas na televisão.
GIDDENS, A. Sociologia. Porto Alegre: Artmed, 2005.
O texto indica que existe uma significativa produção científica sobre os impactos socioculturais da
televisão na vida do ser humano. E as crianças, em particular, são as mais vulneráveis a essas
influências, porque
a) codificam informações transmitidas nos programas infantis por meio da observação.
b) adquirem conhecimentos variados que incentivam o processo de interação social.
c) interiorizam padrões de comportamento e papéis sociais com menor visão crítica.
d) observam formas de convivência social baseadas na tolerância e no respeito.
e) apreendem modelos de sociedade pautadosProfe
naAlêobservância
Lopes das leis.
(ENEM 2014)
Para o sociólogo Don Slater, as pessoas compram a versão mais cara de um produto não porque tem
maior valor de uso do que a versão mais barata, mas porque significa status e exclusividade; e, claro,
esse status provavelmente será indicado pela etiqueta de um designer ou de uma loja de
departamentos.
BITTENCOURT, R. Sedução para o consumo. Revista Filosofia, n. 66, ano VI, dez. 2011.
Os meios de comunicação, utilizados pelas empresas como forma de vender seus produtos, fazem
parte do cotidiano social e têm por um de seus objetivos induzir as pessoas a um(a)
a) vida livre de ideologias.
b) pensamento reflexivo e crítico.
c) consumo desprovido de modismos.
d) atitude consumista massificadora.
e) postura despreocupada com estilos.
Profe Alê Lopes
Direitos

Profe Alê Lopes


A História dos Direitos
Os direitos do homem, por mais fundamentais
que sejam, são direitos históricos, ou seja,
nascidos em certas circunstâncias, caracterizadas
por lutas em defesa de novas liberdades contra
velhos poderes, e nascidos de modo gradual, não
todos de uma vez e nem de uma vez por todas.
BOBBIO, Norberto. A Era dos Direitos. Rio de Janeiro: Ed.
Elsevier, 7ª reimpressão. 2004, p. 9)

Profe Alê Lopes


Teoria Social da Igreja

[...]falando-vos da Condição dos Operários. Já temos tocado esta matéria muitas vezes, quando se Nos tem
proporcionado o ensejo; mas a consciência do Nosso cargo Apostólico impõe-Nos como um dever tratá-la nesta
Encíclica mais explicitamente e com maior desenvolvimento, a fim de pôr em evidência os princípios duma
solução, conforme à justiça e à equidade. O problema nem é fácil de resolver, nem isento de perigos. E difícil,
efectivamente, precisar com exactidão os direitos e os deveres que devem ao mesmo tempo reger a riqueza e o
proletariado, o capital e o trabalho.

CARTA ENCÍCLICA «RERUM NOVARUM» - DO SUMO PONTÍFICE PAPA LEÃO XIII

“Não luta, mas concórdia das classes”

SOLIDARIEDADE
Profe Alê Lopes
Cidadania e Nacionalidade
❑ Cidadão é todo indivíduo que participa de uma comunidade e, nos limites dessa
comunidade, é portador de determinados direitos e deveres perante a ordem normativa
(jurídica) da própria comunidade.

“Na teoria constitucional moderna, cidadão é o indivíduo


que tem um vínculo jurídico com o Estado. É o portador de
direitos e deveres fixados por uma determinada estrutura
legal (Constituição, leis) que lhe confere, ainda, a
nacionalidade. Cidadãos são, em tese, livres e iguais
perante a lei.
” BENEVIDES, Maria Victoria de Mesquita. Cidadania e democracia. Lua Nova, São
Paulo, n° 33, p. 5-16, Ago. 1994

Profe Alê Lopes


Quais direitos compõe a noção de cidadania?
Direitos civis: Direito à justiça, o direito de ir e vir, direito à livre expressão das ideias, à propriedade, à
liberdade de crença religiosa. Esses direitos, conforme Marshall, teriam sido formulados entre os séculos
XVII e XVIII.

Direitos políticos: direito ao voto e à possibilidade de influenciar quem exercerá o poder no Estado, ou
seja, a questão aqui era a sociedade civil controlar seus representantes eleitos. No mesmo sentido, os
direitos políticos são aqueles ligados à participação em associações e sindicatos, em suma, o direito de
protestar. Somente no século XX é que podemos falar de uma efetivação (no mundo) desses direitos.

Direitos sociais: direitos que garantem o mínimo de bem-estar e dignidade às pessoas, sendo por
exemplo, as leis trabalhistas são um exemplo. O direto à educação e a saúde também entram aqui. Esses
direitos são próprios do século XX.

Séc. XVIII Séc. XIX Séc. XX


direitos civis direitos políticos direitos sociais
Profe Alê Lopes
(ENEM 2015)

O cartum evidencia um desafio que o tema de


inclusão social impõe às democracias
contemporâneas. Esse desafio exige a combinação
entre
a) participação política e formação profissional
diferenciada.
b) exercício da cidadania e políticas de transferência
de renda.
c) modernização das leis e ampliação do mercado
de trabalho.
d) universalização de direitos e reconhecimento das
diferenças.
e) crescimento econômico e flexibilização dos
processos seletivos.

Profe Alê Lopes


(ENEM 2014)

A discussão levantada na charge, publicada logo após a


promulgação da Constituição de 1988, faz referência ao seguinte
conjunto de direitos:
a) Civis, como o direito à vida, à liberdade de expressão e à
propriedade.
b) Sociais, como direito à educação, ao trabalho e à proteção à
maternidade e à infância.
c) Difusos, como direito à paz, ao desenvolvimento sustentável e
ao meio ambiente saudável.
d) Coletivos, como direito à organização sindical, à participação
partidária e à expressão religiosa.
e) Políticos, como o direito de votar e ser votado, à soberania
popular e à participação democrática.
Profe Alê Lopes
O que é uma constituição?
❑ A Constituição se traduz na lei essencial e imprescindível de um Estado
moderno.
❑ Essa noção é fruto da teoria contratualista, parte do liberalismo político .
Contrato é =
❖ A Constituição, essencialmente:

(a) regula a natureza, a amplitude e o exercício


Figura de dos poderes do Estado;
linguagem
para: (b) institui os direitos básicos dos cidadãos;
(c) define as instituições essenciais ao Estado e
Definir a fixa as suas competências; e
relação entre
governantes e (d) define os métodos de escolha dos
governados governantes.
(e) Todas estão corretas
Sociologia Básica - Profe Alê Lopes
1824 1891 1934 1937

• Outorgada • Promulgada • Promulgada • Outorgada


• Império • República • Era Vargas • Ditadura Estado
• Contexto (Velha) • Contexto de Novo
escravista e • Contexto social ampliação de • Contexto
aristocrático excludente e direitos. Ex: autoritário;
Constituições Brasileiras

1834- aristocrático voto feminino e perda de


Ato direitos direitos civis;
Adicional trabalhistas consolidação de
direitos sociais
trabalhistas
1946 1967 1988

• Promulgada • Promulgada (aprovada pelo


• Repúblicas Congresso por exigência do
regime militar)
• Promulgada
Democráticas (ou
populistas) • Regime Militar • Nova República
• Contexto abertura • Contexto autoritário: • Contexto de
democrática, perda de direitos civis ampliação da
modernização e políticos.
econômica e pressão • Graves violações de
cidadania e da
1969 –
social contra a direitos humanos. Ex. Emenda
democracia
permanência de tortura, participativa
estruturas excludentes e Constitu-
desaparecimento e cional n.1
elitistas
Democracia, Cidadania e Direitos Humanos
Profe Alê Lopes morte
O que são Direitos Humanos
❑ Ideia central:
Promover meios e instrumentos para a defesa da DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA

❑ Princípios relacionados:
⚫ Proteção contra tratamento degradante e discriminação odiosa
⚫ Condições mínimas de sobrevivência (mínimo existencial)
⚫ Pleno desenvolvimento do intelecto humano
⚫ Limitação do Poder de império do Estado (3 poderes do Estado)

Profe Alê Lopes


Características dos Direitos Humanos
➢ Inalienáveis (existem antes e independente de qualquer lei)
➢ Universais - Está relacionado com a condição de ser-humano. Um direito humano é igual em
qualquer parte do mundo!
➢ Indivisíveis: atenção igual apar acesso integrado em relação aos direitos civis, políticos, sociais,
econômicos e culturais;
• Sua afirmação depende do reconhecimento de Valores Universais. Ex: proibição do trabalho infantil
e da escravidão; proibição da tortura e tratamento degradante e cruel; direito ao nome, direitos
culturais.
• Norberto Bobbio diz: VEDAÇÃO ABSOLUTA contra ESCRAVIDÃO e TORTURA

Profe Alê Lopes


Paradoxos e Dilemas dos DH

Limitabilidade Relativismo
dos DH: Cultural não
buscar um pode ser
diálogo entre a escudo para
universalidade relatividade
universalidade práticas ilícitas
e a diversidade
cultural dos
povos

Profe Alê Lopes


Segue a gente nas Redes Sociais!
Estratégia Vestibulares

@estrategiavestibulares @profe.ale.lopes

História e Sociologia Articuladas


Estratégia Vestibulares
https://t.me/profealopes

t.me/estrategiavestibulares

Profe Alê Lopes


Obrigado
OBRIGADA
Profe Alê Lopes

@profe.ale.lopes Profe Ale Lopes História e Prof.


Sociologia
Nome do Professor
Articuladas

Você também pode gostar