Você está na página 1de 25

Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais

Aula: INTRODUÇÃO

Seja bem-vindo (a)!

Este curso é oferecido pelo SINDAG - Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para
Defesa Agrícola e ANDAV - Associação Nacional dos Distribuidores de Insumos
Agrícolas e Veterinários, cujo objetivo geral é o de promover conhecimento eficaz para
a ampliação do combate aos agrotóxicos ilegais, fazendo parte da campanha abaixo.

O curso se destina a todos que, em atividades profissionais ou de qualquer outra
forma, tenham algum tipo de envolvimento com esta temática.

Os objetivos específicos deste curso são:

• possibilitar a identificação de agrotóxicos ilegais;
• avaliar as implicações quanto ao uso de agrotóxicos ilegais;
• avaliar os riscos em função dos níveis de exposição ao produto e da operação
a ser executada.

Para fazer este curso completo serão necessárias em média 2 horas, que poderão ser
divididas em tantas vezes quantos forem os acessos dos participantes.

O curso corresponde a 10 aulas subdividas em tópicos. Ao final de cada aula haverá
avaliações em forma de teste com 3 respostas alternativas, sendo apenas uma a
correta. Se a nota mínima não for atingida, você terá a oportunidade de refazer a
avaliação e, após responder de modo correto, poderá seguir para a próxima aula.

Caso tenha dúvidas, envie mensagem para a coordenação do curso utilizando sua
exclusiva Caixa de Mensagens (veja no topo da página ao lado do seu nome). A
resposta será enviada em um prazo máximo de 48 horas.

Ao concluir o curso você receberá um certificado, via correio, para o endereço indicado
em seu cadastro.

Boa participação e obrigado pelo interesse!

Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais
Aula: O QUE SÃO AGROTÓXICOS?

A batalha iniciada há milhares de anos em defesa da agricultura fez com que o homem
desenvolvesse estratégias para atingir o objetivo de obter alimento de qualidade em
grandes quantidades, mantendo desta forma a subsistência crescente da população.

Em uma de suas obras, o poeta grego Homero cita o enxofre como sendo utilizado
para controlar as pragas. E de lá para cá, inúmeros defensivos agrícolas foram sendo
criados tornando-se mais e mais eficazes. Defensivos agrícolas, orgânicos ou
inorgânicos, são utilizados como armas de controle de pragas.

Os agrotóxicos são definidos como quaisquer produtos de natureza biológica, física ou
química com a finalidade de exterminar pragas ou doenças que atacam as culturas
agrícolas.

Vamos analisar mais de perto estes produtos quanto a sua origem, tipo e ação. Para
isso clique em Tópicos Abordados.

Tópicos abordados:

• Avanços na produção de agrotóxicos
• Produtos mais eficazes com baixa toxicidade para o ser humano
• Tipos e Finalidade dos Agrotóxicos
• Quanto à Ação e a Origem dos Agrotóxicos

inclusive no Brasil. Os fabricantes de agrotóxicos. além de sérias e profundas análises dos agrotóxicos pelo Ministério da Agricultura. os distribuidores e todos os envolvidos no sistema criaram o Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (inpEV) visando coordenar o projeto de recolhimento dessas embalagens. que fogem aos controles acima mencionados. que cada venda seja feita com receita agronômica.Aula: O QUE SÃO AGROTÓXICOS? Tópico: Avanços na produção de agrotóxicos A partir da década de 60. sendo posteriormente dada destinação adequada a elas (recicladas ou incineradas). razão pela qual torna-se imperativo o combate aos agrotóxicos ilegais. Hoje já existem 300 Unidades de Recebimento espalhadas pelo Brasil. Particularmente no Brasil. . os avanços na produção e controle dos agrotóxicos. A preservação do meio ambiente. pelo Ministério da Saúde e pelo IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis). distribuidores e usuários de defensivos agrícolas. Mas. o bem-estar da sociedade e a saúde das pessoas tornaram-se metas de todas os fabricantes. O Brasil tornou-se pioneiro e o mais avançado país do mundo em retorno de embalagens de agrotóxicos. os agrotóxicos começaram a ser combatidos e se tornaram sinônimo de vilania. em 1989. no mundo e no Brasil passaram a ser um objetivo constante e uma realidade. exige-se dos agricultores que o recipiente dos agrotóxicos recebam uma tríplice lavagem com água limpa. Esse fato fez com que uma unânime conscientização ambientalista crescesse em todo o mundo. de lá para cá. e está prevista a reciclagem de 15 mil toneladas de embalagens. uma nova e rigorosa legislação passou a exigir. Os estabelecimentos comerciais que comercializam agrotóxicos devem indicar na nota fiscal o posto de recebimento ou centro de recolhimento. sendo esta água usada na lavagem aproveitada na própria aplicação dos agrotóxicos e encaminhadas para os locais de recepção das mesmas. visando o uso adequado de agrotóxicos.

Para melhor compreender este fato. entre outros fatores. 65% das embalagens vazias de agrotóxicos são retiradas do campo. 40% das pesquisas realizadas dizem respeito às avaliações toxicológicas e ecológicas e de cerca de 20 mil moléculas sintetizadas. um novo paradigma foi sendo forjado. após 8 anos de análise. contra 25% nos EUA e na França e 50% na Alemanha. O avanço no Brasil foi tão grande em relação ao uso e ao manejo de produtos agrotóxicos que. classe do DDT e do BHC. em 1999 essa média caiu para 69.5 gramas. em apenas 4 anos.000 aplicadores de agrotóxicos receberam treinamento das empresas sobre uso correto. . Nos laboratórios dos fabricantes. resultando na produção de defensivos agrícolas mais específicos e menos tóxicos para os seres humanos e para o meio ambiente em geral. cuidados na aplicação e descarte de embalagens de agrotóxicos.Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: O QUE SÃO AGROTÓXICOS? Tópico: Produtos mais eficazes com baixa toxicidade para o ser humano Depois da geração dos pesticidas organo-clorados. na década de 60 utilizavam-se em média 1. apenas uma chega ao mercado.200 gramas de inseticidas por hectare. a sua segurança para o ser humano e para o meio ambiente. Outro fato relevante é que mais de 500. Até o lançamento de uma nova molécula no mercado são investidos US$ 184 milhões no desenvolvimento do produto pela indústria que fez a pesquisa. tendo em vista.

o produto contém microorganismos que atacarão a praga ou o agente causador da doença. pesticidas.a praga deve ingerir a planta previamente tratada com o produto. atualmente não representam mais do que 10% do total de agrotóxicos em uso. microbiano .ao tocar o corpo da praga o produto já faz efeito.atingem os ovos dos insetos larvicidas . ou praguicidas que controlam os insetos em geral Fungicidas que controlam fungos Herbicidas que controlam as plantas invasoras ou daninhas. Quanto à finalidade: ovicidas . sendo de baixa toxicidade e de curta permanência no ambiente (tais como o piretro contido no crisântemo e a rotenona extraída do timbó).Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: O QUE SÃO AGROTÓXICOS? Tópico: Tipos e Finalidade dos Agrotóxicos Os agrotóxicos podem ser: Inseticidas. Os de origem vegetal são largamente utilizados por algumas correntes da Agroecologia.específicos para ácaros formicidas . São produtos à base de arsênico e flúor e os compostos minerais que agem por contato matando a praga por asfixia (visto que os insetos respiram através da “pele”). porém. por contato . inorgânicos . Quanto à origem: orgânicos .compreendem os de origem vegetal e os organo-sintéticos. Já os organo-sintéticos persistem por maiores períodos nos ecossistemas. .foram muito utilizados no passado.atacam as larvas acaricidas .atacam formigas Quanto à ação: através de ingestão .

sem identificação dos números de registro do produto.. Tópicos abordados: • Motivo para o uso do agrotóxico ilegal • Danos ambientais e para a saúde humana • Responsabilidade da prática ilícita . podendo até mesmo conter produtos não-registrados em seus países de origem e. podem causar danos irreparáveis à saúde humana e ao meio ambiente. Por todas estas razões. • não possuir nota fiscal e receita agronômica. sem informações relativas aos perigos potenciais e antídoto ou tratamento eficaz em caso de intoxicação e sem recomendação para que o usuário leia o rótulo antes de utilizar o produto. doenças e culturas para os quais é aprovado. sem instruções de uso. pragas. Em caso de intoxicação não há informações seguras para o tratamento. um agrotóxico ilegal está à margem de todas as conquistas verificadas na aula anterior e é totalmente desconhecido das autoridades brasileiras. Um agrotóxico é considerado ilegal quando: • não estiver devidamente registrado nos órgãos competentes como no Ministério da Agricultura. Saúde e Meio Ambiente) muitas vezes possuem princípios ativos proibidos no país ou princípio ativo inerte (não funciona) Por estas razões. pois nem mesmo a composição química dos mesmos é devidamente conhecida. não aceitos no Brasil. o uso de agrotóxico ilegal é crime. no Ministério da Saúde e no IBAMA.Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: O QUE SÃO AGROTÓXICOS ILEGAIS E POR QUE COMBATÊ-LOS ? Nesta aula. porque aqui não são legalizados. Portanto. • preços muito abaixo do mercado legal. etc. portanto. • agrotóxicos acondicionados em embalagens falsas ou disfarçadas. Vamos analisar de forma mais detalhada este assunto. Características técnicas dos produtos ilegais – esses produtos por não serem registrados nos órgãos competentes (Agricultura. • o seu rótulo não estiver redigido em português. objetivamos saber o que são agrotóxicos ilegais e o motivo pelo qual devemos combatê-los. Clique em Tópicos Abordados. como sacos de fertilizantes.

Sem assistência técnica. concentração e método de fabricação. Sem garantia do princípio ativo. O que em um primeiro momento surge como benefício. torna-se um pesadelo: o produtor pode perder toda a sua safra por conta da ineficácia do produto ilegal. Essa diferença deve- se ao não-recolhimento de taxas e impostos. Meio Ambiente)  2. no afã de reduzir custos. Saúde. à não-responsabilidade dos produtores no estrangeiro pelos efeitos dos produtos contrabandeados para o Brasil.  3. ao não-registro dos produtos no Brasil. podendo conter impurezas de alta toxicidade. O preço. etc. Os agrotóxicos ilegais usam princípios ativos e componentes químicos desconhecidos das autoridades brasileiras quanto à origem. Não-registro nos órgãos competentes (Agricultura.  5. Sem recomendação de uso.  4. O principal motivo para o uso do agrotóxico ilegal é a diferença entre o preço do produto legalizado e do produto ilegal contrabandeado.Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: O QUE SÃO AGROTÓXICOS ILEGAIS E POR QUE COMBATÊ-LOS ? Tópico: Motivo para o uso do agrotóxico ilegal Por que da diferença de preço?  1. seduz alguns produtores agrícolas. . colocar em risco a sua própria saúde e daqueles que aplicam o produto em suas lavouras e a dos consumidores em geral e do meio ambiente. onde são exigidos testes e análises rigorosos. Não-recolhimento de impostos e taxas. aparentemente atrativo.

não se tem. compra um produto pensando ser ele um fosforado e. que não têm a quem reclamar.Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: O QUE SÃO AGROTÓXICOS ILEGAIS E POR QUE COMBATÊ-LOS ? Tópico: Danos ambientais e para a saúde humana Adquirir agrotóxicos ilegais é comprar gato por lebre. dificultando o tratamento ou as medidas de auxílio imediato. esta prática irresponsável expõe o meio ambiente. Portanto. além da sonegação fiscal. causando enormes prejuízos aos agricultores. Outro dano causado por esta prática ilícita. informações sobre o produto. com segurança. e assim. por exemplo. sem saber. Os produtos à base de mercúrio são proibidos no Brasil porque provocam deformações genéticas e contaminam o meio ambiente. a saúde humana e animal a riscos consideráveis. recebe um mercurial. Ocorre que o produtor. seres humanos e meio ambiente. é o risco de que o produto contrabandeado pode não funcionar. Em caso de intoxicação de seres humanos ou contaminação do meio ambiente. não há um responsável técnico pela correta aplicação do mesmo e pelos efeitos sobre a lavoura. . não há a emissão de receita agronômica. Como o agrotóxico contrabandeado não é recomendado por um técnico especializado.

etc. além de multa. fornecido. se for usado. dispõe: “Aquele que produzir. aplicar. e determina a interdição da lavoura agrícola e sua destruição. guardado ou tiver em depósito produto ou substância tóxica em desacordo com as exigências estabelecidas em lei ou regulamentos do Brasil. devendo a autoridade divulgar nos meios de comunicação o fato. com redação atualizada pelo artigo 5º da Lei n° 9. comercialização.974/2000. em descumprimento às exigências estabelecidas na legislação pertinente estará sujeito à pena de reclusão.) envolvidos com o uso. etc. O artigo 56 da Lei nº 9. seus componentes e afins. aplicação." O texto da lei é claro: todos (agricultores.605/98 – Lei dos Crimes Ambientais determina pena de reclusão de um a quatro anos à pessoa física envolvida. der destinação a resíduos e embalagens vazias de agrotóxicos. transportar. de dois a quatro anos. funcionários. transportado. agrônomos. transportadores. .Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: O QUE SÃO AGROTÓXICOS ILEGAIS E POR QUE COMBATÊ-LOS ? Tópico: Responsabilidade da prática ilícita O art. de agrotóxicos ilegais. transporte.802/89. estão sujeitos à aplicação das sanções estabelecidas na legislação. inclusive à pena de reclusão. 15 da Lei n° 7. comercializar. prestar serviço.

conforme veremos abaixo.Lei 7802/89 . Portanto. o destino final dos resíduos e embalagens. exportem ou comercializem. qualquer importação e uso de agrotóxicos que sejam feitos com produtos não-registrados no Brasil. seus componentes e afins. dispõe sobre a pesquisa. o transporte. a classificação. Veja a lei em sua íntegra. nesta aula. e dá outras providências. ficam obrigadas a promover os seus registros nos órgãos competentes. No Art. sujeito à pena de reclusão de 2 a 4 anos mais multa.802/89 – Lei de Agrotóxicos • Lei n° 9. a embalagem e rotulagem. o controle. do meio ambiente e da agricultura. a comercialização. Para isso. 4º encontramos o seguinte texto : “As pessoas físicas e jurídicas que sejam prestadoras de serviços na aplicação de agrotóxicos.Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: LEGISLAÇÃO BRASILEIRA O combate ao uso de agrotóxicos ilegais será eficaz se todos aqueles que querem inibir esta prática conhecerem a legislação brasileira e dela fizerem uso. a produção. sujeitando o importador e o usuário (agricultor) às sanções administrativas e criminais previstas na lei. Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: LEGISLAÇÃO BRASILEIRA Tópico: Lei nº 7. o armazenamento. a importação. atendidas as diretrizes e exigências dos órgãos federais responsáveis que atuam nas áreas da saúde. Vamos destacar alguns artigos que se relacionam diretamente com a questão do combate ao uso de agrotóxicos ilegais. propomos o estudo das leis abaixo relacionadas: Tópicos abordados: • Lei nº 7. seus componentes e afins. caracteriza um ato ilegal. . de 11 de julho de 1989. importem.802/89 – Lei de Agrotóxicos A Lei nº 7802.605/98 – Lei dos Crimes Ambientais • Crime de Sonegação Fiscal Contrabando ou Descaminho – Código Penal Lei dos Agrotóxicos . pratica crime. a inspeção e a fiscalização de agrotóxicos. a utilização. ou que os produzam. a propaganda comercial. a experimentação.Artigo 15 determina que: aquele que comercializa. a exportação. do Estado ou do Município. o registro. transporta ou usa agrotóxicos não registrados no País e em desacordo com a citada Lei.

compreendidos: • a) os possíveis efeitos prejudiciais sobre a saúde do homem. • b) o intervalo de segurança. e a semeadura ou plantação do cultivo seguinte. a época em que a aplicação deve ser feita. incluídas. • f) o número do lote ou da partida. aos animais domésticos. incluindo sintomas de alarme. expressa em unidades de peso ou volume. que contenham. conforme o caso. fauna. os seguintes dados: I . uso ou consumo. • b) precauções para evitar danos a pessoas que os aplicam ou manipulam e a terceiros. padronizados. • e) os números de registro do produto e do estabelecimento fabricante ou importador. primeiros socorros. • c) a quantidade de agrotóxicos. antídotos e recomendações para os médicos. • g) um resumo dos principais usos do produto. • b) o nome e a percentagem de cada princípio ativo e a percentagem total dos ingredientes inertes que contém.Outro destaque é o Artigo 7º: “Para serem vendidos ou expostos à venda em todo território nacional. o número de aplicações e o espaçamento entre elas. flora e meio ambiente.instruções para utilização. • c) informações sobre o modo de utilização. entre outras: a indicação de onde ou sobre o que deve ser aplicado. redigidos em português. • h) a classificação toxicológica do produto. • d) informações sobre os equipamentos a serem utilizados e sobre o destino final das embalagens. de acordo com a classificação toxicológica do produto. • c) símbolos de perigo e frases de advertência. as doses e os limites de sua utilização. • d) instruções para o caso de acidente. • d) o nome e o endereço do fabricante e do importador. II . assim entendido o tempo que deverá transcorrer entre a aplicação e a colheita. se for o caso.indicações para a identificação do produto. a semeadura ou plantação. compreendendo: • a) o nome do produto. o nome comum da praga ou enfermidade que se pode com ele combater ou os efeitos que se podem obter. entre outros. III .informações relativas aos perigos potenciais. dos animais e sobre o meio ambiente. conforme o caso. componentes ou afins. . os agrotóxicos e afins ficam obrigados a exibir rótulos próprios. que compreendam: • a) a data de fabricação e de vencimento. que a embalagem contém.

nos quais tenha havido a aplicação de agrotóxicos de uso não-autorizado no Brasil (contrabandeados). que aquele que comercializa. trigo. sendo a ausência de receita agronômica um indício de que o agrotóxico envolvido possivelmente é ilegal. Em caso de culpa. Além do mais. o mesmo artigo. descumprindo as exigências estabelecidas nas leis e nos seus regulamentos. e alimentos processados com os referidos vegetais. também importante. além de multa de 100 (cem) a 1.802/89 determina. tanto o vendedor como o comprador (agricultor) estarão cometendo ilegalidade. portanto. será punido com pena de reclusão de 1 (um) a 3 (três) anos.000 (mil) MVR. Assim. diz: “A venda de agrotóxicos e afins aos usuários será feita através de receituário próprio. da Lei 7. comercializar. profissional responsável ou o prestador de serviço. determina que. que deixar de promover as medidas necessárias de proteção à saúde e ao meio ambiente. em seu parágrafo único. estará sujeito à pena de reclusão de 2 (dois) a 4 (quatro) anos. seus componentes e afins. “Artigo 16. além de multa de 50 (cinquenta) a 500 (quinhentos) MVR”. além de ser processado criminalmente por receptação de contrabando e crime ambiental. Mais ainda. Com relação às penalidades os artigos 15 e 16 fazem as seguintes referências: “Artigo 15. ficará sujeito à pena de reclusão de 2 (dois) a 4 (quatro) anos. através de incineração. a critério do órgão competente. A partir da leitura do Artigo 7º acima referido.recomendação para que o usuário leia o rótulo antes de utilizar o produto. e posteriormente destruída.802/89. poderá ter sua lavoura interditada (de imediato não poderá vender sua safra). aplicar ou prestar serviços na aplicação de agrotóxicos. Aquele que produzir.000 (mil) MVR. algodão. transportar. é possível fazer a distinção entre um agrotóxico legal e um ilegal. . Desse modo. Em caso de culpa. o item IX. prescrito por profissionais legalmente habilitados. O Artigo 13. o agricultor que comprar e usar agrotóxico contrabandeado. além da multa de 50 (cinquenta) a 500 (quinhentos) MVR. feijão. manda que a autoridade fiscalizadora faça a divulgação das sanções impostas aos infratores desta lei. sejam destruídos os vegetais (soja. pratica crime. do artigo 17. será punido com pena de reclusão de 1 (um) a 3 (três) anos. O agrotóxico ilegal em geral vem escrito em língua estrangeira e não segue a maioria das determinações da referida legislação.IV .” O artigo 15 da Lei 7. salvo casos excepcionais que forem previstos na regulamentação desta Lei”. quando houver compra e venda de agrotóxico sem a emissão da necessária receita agronômica. além da multa de 100 (cem) a 1. Essas penalidades impostas ao agricultor infrator deverão ser divulgadas pela imprensa em geral. etc). transporta ou usa agrotóxicos não-registrados no País e em desacordo com a citada Lei. sujeito à pena de reclusão de 2 a 4 anos mais multa. O empregador.

importar.605. perigosa ou nociva à saúde humana ou ao meio ambiente. Seu artigo 56 diz: “Produzir. § 1º Nas mesmas penas incorre quem abandona os produtos ou substâncias referidos no caput. embalar. fornecer. transportar. exportar. ter em depósito ou usar produto ou substância tóxica. em desacordo com as exigências estabelecidas em leis ou nos seus regulamentos: Pena .605/98 – Lei dos Crimes Ambientais A Lei nº 9. de 12 de fevereiro de 1998. processar. . comercializar. dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente e dá outras providências.reclusão de um a quatro anos e multa. armazenar.Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: LEGISLAÇÃO BRASILEIRA Tópico: Lei n° 9. ou os utiliza em desacordo com as normas de segurança. guardar.

729. o pagamento de direito ou imposto devido pela entrada. o transportador e todos os que. de qualquer maneira.Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: LEGISLAÇÃO BRASILEIRA Tópico: Crime de Sonegação Fiscal Aquele que vender ou transportar mercadorias sem a emissão de notas fiscais poderá ser autuado pela Receita Federal por sonegação fiscal. pela saída ou pelo consumo de mercadoria: Pena . DE 14 DE JULHO DE 1965 Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: LEGISLAÇÃO BRASILEIRA Tópico: Contrabando ou Descaminho – Código Penal Previsto no Art. Leitura Crime de Sonegação Fiscal . contribuíram para a prática do crime enquadram-se no mesmo dispositivo penal. . Leia abaixo o artigo: Art. 334 do Código Penal com pena de reclusão de 1 a 4 anos: o agricultor.reclusão de um a quatro anos. no todo ou em parte.LEI Nº 4.Importar ou exportar mercadoria proibida ou iludir. 334 .

nesta aula iremos aprofundar este conhecimento. Argentina e Bolívia.Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: IDENTIFICANDO AGROTÓXICOS ILEGAIS Na 4ª aula iniciamos os estudos a respeito da identificação de uma embalagem de agrotóxico ilegal. são produzidos na China e introduzidos no Brasil. Para isso. são as regiões mais sujeitas ao contrabando de agrotóxicos ilegais. Há ainda. As vias e meios de transporte mais utilizados para escoar a mercadoria ilegal são: VIAS VEÍCULOS Terrestres Caminhões. clique nos tópicos abaixo selecionados: Tópicos abordados: • Principais Regiões e Rotas • Origem dos produtos ilegais e transporte mais utilizado • Culturas e períodos do ano que é preciso estar alerta • Produtos mais falsificados/contrabandeados • Como reconhecer um agrotóxico ilegal • Exemplo de embalagem de agrotóxicos ilegais Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: IDENTIFICANDO AGROTÓXICOS ILEGAIS Tópico: Principais Regiões e Rotas As regiões Sul e Centro-Oeste e os Estados de São Paulo. via contrabando. Uruguai. em geral. Minas Gerais e Bahia. ônibus de excursão e automóveis para quantidades pequenas Aérea Aviões de pequeno e grande porte Fluvial Navios e pequenas embarcações . fabriquetas de produtos falsificados de fundo de quintal. através do Paraguai. Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: IDENTIFICANDO AGROTÓXICOS ILEGAIS Tópico: Origem dos produtos ilegais e transporte mais utilizado Os produtos ilegais.

arroz e milho. cuja incidência de uso ilegal de agrotóxicos é bem maior. algodão. Nestas ocasiões é fundamental averiguar se há indícios de transporte e uso de agrotóxicos ilegais. Guarde bem estes nomes: Agrura Palinuro Chloryl 25 WP Clorimusol Clotyl Clorinor Flash Herbex Huron Herbinet Koan Parisud Metsulfuron Agrotec Sinochem Hebei Meturon Naok Poker Spin 25 Terriz Etheflor Mustang 10 SL Tebutec 250 SC Imyl 70 WS Dimet Cletonova Guapo 70 Corona Agrosol 80 WP Orsal Haloxinova Ace-Max Imazen . preste atenção na tabela abaixo: Aula: IDENTIFICANDO AGROTÓXICOS ILEGAIS Tópico: Produtos mais falsificados/contrabandeados Preste bem atenção nos produtos abaixo relacionados porque são eles os mais falsificados ou contrabandeados. Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: IDENTIFICANDO AGROTÓXICOS ILEGAIS Tópico: Culturas e períodos do ano que é preciso estar alerta É preciso ficar alerta principalmente na época das culturas da soja. Os períodos mais propícios para a fiscalização abrangem os da comercialização. trigo. Por isso. os do transporte e os da aplicação de agrotóxicos para as culturas mencionadas acima.

• peso líquido gira em torno de 10 a 200 gramas. • caixas de papelão cartão sem identificação de fabricantes nacionais. • não possui registro em órgão competente.Foliplus Baron 80 WP Cyperex Bypex Clomanex Agribac-S20PM Libertador 48FE K-Cique Galecur Lancer Gold 500 WP Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: IDENTIFICANDO AGROTÓXICOS ILEGAIS Tópico: Como reconhecer um agrotóxico ilegal Para reconhecer um agrotóxico ilegal é preciso observar alguns aspectos de fácil identificação: • preço muito convidativo. • embalagens são do tipo de plásticos metalizados. • rótulos não estão escritos em língua portuguesa. • não possui receita agronômica. • não possui nota fiscal. na maioria dos casos estão em espanhol. Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: IDENTIFICANDO AGROTÓXICOS ILEGAIS Tópico: Exemplo de embalagem de agrotóxicos ilegais Observe com atenção as imagens de EMBALAGENS APREENDIDAS de agrotóxicos ilegais: imagens gentilmente cedidas pelo IBAMA .

Tópicos abordados: • Enquadramento Legal • Procedimento após identificação • Alguns casos de apreensões Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: ENQUADRAMENTO LEGAL E PROCEDIMENTOS APÓS IDENTIFICAÇÃO Tópico: Enquadramento Legal Ao ser atuado. Nota: descaminho é a forma com que juridicamente é designado o ingresso de produtos sem o recolhimento de impostos aduaneiros. além da lavoura. Nesta aula. Contrabando ou Descaminho .O artigo 17 da Lei 7802/89 no item IX prevê. dos alimentos processados com estes referidos vegetais. o comerciante. contrabando é o termo aplicado a situações envolvendo a entrada sem o recolhimento de impostos aduaneiros de produtos proibidos de ingressarem no país. interditando a safra.Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: ENQUADRAMENTO LEGAL E PROCEDIMENTOS APÓS IDENTIFICAÇÃO Como já vimos. seja o agricultor. Crime de Sonegação Fiscal . a critério dos órgãos competentes. . O usuário (agricultor). de 12 de fevereiro de 1998. Destruição da Lavoura . é processado criminalmente por receptação de contrabando e crime ambiental. submetidos à aplicação de agrotóxicos contrabandeados. Os infratores estão sujeitos a multas de até R$ 2 milhões a serem aplicadas pelo IBAMA e à pena de reclusão de 1 a 4 anos.previsto no artigo 56 da Lei 9605. após a identificação de agrotóxicos ilegais. e as penalidades atribuídas deverão ser divulgadas pela imprensa. o condutor do veículo que transporta o produto ilegal ou mesmo qualquer outro que esteja diretamente envolvido com uso de agrotóxicos ilegais.Aquele que vender ou transportar mercadorias sem a emissão de notas fiscais poderá ser atuado pela Receita Federal por sonegação fiscal. o transportador e todos os que de qualquer maneira contribuíram para a prática do crime enquadram-se no mesmo dispositivo penal. a destruição dos vegetais. poderá ser enquadrado nas seguintes leis: Crime Ambiental . retomaremos mais uma vez o estudo da legislação e ampliaremos a nossa discussão em relação aos procedimentos legais.previsto no artigo 334 do Código Penal com pena de reclusão de 1 a 4 anos. O agricultor perde a lavoura. o Brasil conta com diversas leis que coíbem o uso de agrotóxicos ilegais.

Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: ENQUADRAMENTO LEGAL E PROCEDIMENTOS APÓS IDENTIFICAÇÃO Tópico: Procedimento após identificação Além dos procedimentos de rotina da autoridade que localiza o produto ilegal. 31. Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: ENQUADRAMENTO LEGAL E PROCEDIMENTOS APÓS IDENTIFICAÇÃO Tópico: Alguns casos de apreensões 1º Caso: PF apreende sete toneladas de agrotóxicos no oeste do Paraná Agentes da Delegacia de Polícia Federal. Evanil Begui. bem como não possui autorização legal do Ministério da Agricultura. poderão receber uma pena de até quatro anos de reclusão. 38. Diversos documentos. • comunicar o fato à Secretaria da Agricultura Estadual. tratando-se assim. Toda a mercadoria estava na carroceria de um caminhão. • apreender os agrotóxicos ilegais e o veículo onde estes estão sendo transportados. sendo um Fiat Strada. produto industrializado na Argentina. foram apreendidos. os produtos seriam vendidos a produtores da região de Cascavel. folhas de cheques de valores altos. para autuação em flagrante. os policiais apreenderam três veículos. A primeira apreensão do agrotóxico resultou em pistas que ajudaram os agentes federais a apreender mais sete toneladas do produto. quando 60 quilos de herbicida da marca Orsal. Ainda de acordo com os policiais. escondido em um depósito em Juranda. fizeram a maior apreensão de agrotóxicos contrabandeados já registrada de uma só vez no Paraná. e Edivaldo Pereira. de produto contrabandeado. Evanil Begui e Edivaldo Pereira foram encaminhados à Delegacia de Polícia Civil em Ubiratã. • comunicar às autoridades fazendárias da região (Receita Federal). • comunicar ao IBAMA da região. e sua comercialização é proibida em território nacional. foi trazido ao Brasil ilegalmente. Na mesma ocasião.5 milhão. dinheiro e um revólver calibre 38 foram encontrados com os acusados. A carga apreendida está avaliada em aproximadamente R$ 1. em Guarapuava. utilizado nas plantações de soja. 2º Caso: PF apreende descaminho de agrotóxico no Chuí . Ronaldo Corgi. 41. na região de Ubiratã. • comunicar o fato à Polícia Civil Estadual. um GM Astra e uma caminhonete Ford F-250. Se condenados. A assessoria da Delegacia de Polícia Federal informou que o herbicida Orsal. A nova investida da Polícia Federal resultou na prisão em flagrante de Ronaldo Aparecido Corgi. A ação policial foi a segunda etapa de um trabalho realizado no início da semana. esta deve: • comunicar o fato à Delegacia da Polícia Federal da região.

Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: PROCEDIMENTO PARA A FISCALIZAÇÃO NA ÁREA RURAL Na área rural a fiscalização sobre a compra e venda e uso de agrotóxicos é feita pelos fiscais do IBAMA e das Secretarias Estaduais de Agricultura. No local foi encontrado apenas o guarda. em convênio com o Ministério da Agricultura. um homem de 30 anos. agora. mediante ofício. morador em Santa Vitória do Palmar. munidos de um mandado da Justiça. . e. os policiais revistaram o local e descobriram as cerca de oito toneladas do produto. era proveniente da China e ingressou ilegalmente no Brasil. recebida há três dias. cujo valor está estimado em R$ 4 milhões. Em caso de condenação a pena varia de três a cinco anos de reclusão. o mesmo deverá ser apreendido e lavrado auto de infração contra o proprietário da fazenda. A descoberta do produto se deu por volta do meio-dia. em Brasília. deveria ser distribuído nos estados do Paraná e Mato Grosso do Sul. 4º passo: o produto ilegal apreendido deverá ser entregue à repartição local da Receita Federal. o fato deve ser comunicado à Delegacia de Polícia Federal da região. na Barra do Chuí. para abertura de Boletim de Ocorrência e investigação sobre a possibilidade de crime de contrabando e crime ambiental. A entrega ilegal no país teria como objetivo reduzir custos através do não-pagamento de impostos (o que caracteriza o descaminho). resultou na apreensão de 899 caixas do defensivo agrícola Chlorimuron-Ethyl. usado para tratamento de soja. algodão. seus funcionários e demais envolvidos na comercialização e transporte do produto ilegal. 3º passo: encontrado produto ilegal. cometido pelo proprietário da fazenda. que acabou preso. A carga. e deve seguir os seguintes procedimentos: 1º passo: vistoriar o depósito onde são armazenados os agrotóxicos e/ou colher amostras das lavouras (soja. etc) para análise de qual produto foi aplicado na mesma. que não é utilizado no Rio Grande do Sul. Amostras da lavoura deverão ser recolhidas e enviadas para análise no Instituto Nacional de Criminalística . A carga estava armazenada na garagem de uma casa. na manhã de segunda-feira.INC. Veja a relação de algumas imagens de produtos contrabandeados logo abaixo no Tópico Agrotóxicos Ilegais. Uma pessoa foi presa em flagrante pelo crime de descaminho. milho. Na manhã de segunda. Segundo a PF a comercialização do Chlorimuron-Ethyl não é proibida no Brasil. quem seriam os demais envolvidos no crime. A PF investiga. órgão do Departamento de Polícia Federal. acompanhado por uma cópia do auto de infração. Uma operação da Polícia Federal (PF) do Chuí. Os agentes chegaram à carga após uma denúncia. no Balneário do Alvorada. O defensivo. 2º passo: solicitar a apresentação da receita agronômica dos produtos encontrados no depósito e verificar a presença de algum produto ilegal.

poderão entrar em contato como o SINDAG (www. a critério da autoridade competente. utilizando os serviços de empresas de logística com experiência no transporte de produtos perigosos. Veja a lei em sua íntegra.br). Anote os números: LINHA VERDE IBAMA: 0800 618080 DISQUE DENÚNCIA AGROTÓXICOS ILEGAIS: 0800 9407030 Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: DESTINAÇÃO FINAL DE PRODUTOS APREENDIDOS Os produtos ilegais apreendidos precisam ter uma destinação final e a Lei 7. serão inutilizados ou poderão ter outro destino. A Polícia Federal. Estas empresas possuem equipamentos para controle de emissão de poluentes. sendo emitidos documentos comprobatórios da destruição dos produtos.802 de 11/07/89 – Lei dos Agrotóxicos indica alguns caminhos a saber: O artigo 17 no item IV diz que é preciso inutilizar o produto apreendido e o artigo 18 esclarece: “Após a conclusão do processo administrativo. pelos telefones (11) 5094-5533 e fax (11) 5094-5534. Os agrotóxicos ilegais após a conclusão dos processos administrativos são encaminhados para as empresas licenciadas ambientalmente para proceder à incineração. após consentimento das autoridades envolvidas com a questão. . transporta ou usa agrotóxicos não registrados no País e em desacordo com a citada Lei. os agrotóxicos e afins apreendidos como resultado da ação fiscalizadora.Lei 7802/89 .Artigo 15 determina que: aquele que comercializa. sujeito à pena de reclusão de 2 a 4 anos mais multa.sindag. que poderá prestar informações ou auxílio para a incineração dos agrotóxicos ilegais apreendidos.” O IBAMA e o InpEV firmaram convênio para garantir o recolhimento dos produtos apreendidos.org. segundo a Lei.Todas as Autoridades envolvidas nos procedimentos acima. apesar de o ônus da destruição. sendo a incineração uma operação de alto custo. ser de responsabilidade do infrator. o IBAMA e as Secretarias Estaduais de Agricultura também disponibilizam dois telefones para denúncias totalmente anônimas e sigilosas. ou pelo referido site. pratica crime. Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: DESTINAÇÃO FINAL DE PRODUTOS APREENDIDOS Tópico: Leitura Complementar Lei dos Agrotóxicos .

TRANSPORTE E USO DE AGROTÓXICOS ILEGAIS Tópico: Responsabilidade do Agricultor O agricultor que se envolver com o transporte e uso de agrotóxicos ilegais. e multa. armazenar. Este assunto não apresenta nenhuma novidade. TRANSPORTE E USO DE AGROTÓXICOS ILEGAIS Esta última aula discutirá o assunto da responsabilidade daqueles que se envolvem com o contrabando. cujo texto estabelece penalidades criminais e administrativas. guardar. ou os utiliza em desacordo com as normas de segurança. transportar. de seis meses a um ano. conforme for o caso.802/89 – Lei dos Agrotóxicos. e multa A outra é a Lei 7. que capitulam como crime o transporte e o uso. aplicar.detenção. exportar. é de extrema importância destacar. prestar serviço. processar. de agrotóxicos ilegais. embalar. transporte e uso de agrotóxicos ilegais. § 1º Nas mesmas penas incorre quem abandona os produtos ou substâncias referidos no caput. está sujeito a outras 2 (duas) leis especiais. conforme os seguintes artigos: Penalidade criminal “Artigo 15 – Aquele que produzir. em desacordo com as exigências estabelecidas em leis ou nos seus regulamentos: Pena . seus componentes e afins. Produzir. a pena é aumentada de um sexto a um terço. fornecer. a questão das responsabilidades penais e administrativas para quem se envolve com agrotóxicos ilegais. perigosa ou nociva à saúde humana ou ao meio ambiente. Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: RESPONSABILIDADES PELO CONTRABANDO. em descumprimento às exigências estabelecidas na legislação pertinente. § 2º Se o produto ou a substância for nuclear ou radioativa. § 3º Se o crime é culposo: Pena . comercializar. previstos no Código Penal. Uma delas é a Lei 9. comercializar. mais uma vez. .605/98 – Lei dos Crimes Ambientais – cujo artigo 56 capitula como crime ambiental: Art. com o crime de contrabando ou receptação de contrabando. por parte do agricultor.reclusão. importar. porque já o vimos em aulas anteriores. 56. No entanto. de um a quatro anos. além de se enquadrar. transportar. ter em depósito ou usar produto ou substância tóxica. Acesse os tópicos abaixo para conhecer os detalhes: Tópicos abordados: • Responsabilidade do Agricultor • Responsabilidade do Agrônomo ou Técnico Agrícola • Responsabilidade do Condutor do Veículo Transportador • Responsabilidade da Revenda • Casos Relevantes de Apreensão Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: RESPONSABILIDADES PELO CONTRABANDO. der destinação a resíduos e embalagens vazias de agrotóxicos.

Parágrafo Único – A autoridade fiscalizadora fará a divulgação das sanções impostas aos infratores desta lei. sem a emissão de receita agronômica. Além desses processos criminais. a critério do órgão competente. de dois a quatro anos. sujeito à pena de reclusão de 2 a 4 anos mais multa. aplicável em dobro em caso de reincidência. partes de vegetais e alimentos. até prova de descontaminação dos mesmos agrotóxicos ilegais.. Ou seja.. colaborarem para a prática destes crimes. o governo passará a ser o proprietário do veículo (caminhão. ficando o solo interditado para novas lavouras. Obviamente. poderá ser processado criminalmente por receptação de contrabando. ou seja. serem enquadrados no crime de formação de quadrilha. TRANSPORTE E USO DE AGROTÓXICOS ILEGAIS Tópico: Responsabilidade do Agrônomo ou Técnico Agrícola A lei 7802/89 – Lei dos Agrotóxicos . nos quais tenha havido aplicação de agrotóxico de uso não- autorizado. a infração de disposições desta lei. se o agricultor comprar e utilizar em sua lavoura agrotóxicos ilegais. além da prática de contrabando ou receptação de contrabando e crime ambiental. Além disso.. nos termos previstos em regulamento. as penalidades administrativas sofridas serão divulgadas pela imprensa na localidade. Todas as despesas com a destruição dos vegetais e descontaminação do solo deverá ser suportada pelo agricultor. etc.regulamenta e pune os engenheiros agrônomos e técnicos agrícolas. IX – destruição de vegetais. processo disciplinar no CREA deverá ser formalizado. independente das medidas cautelares de embargo do estabelecimento e apreensão do produto ou alimentos contaminados. além da prática de formação de quadrilha. esta multa é aplicada pelo IBAMA. II – multa de 1.. O veículo utilizado na prática do contrabando e crime ambiental deverá ser apreendido e sua propriedade ser perdida em favor do poder público. de qualquer forma.Decreto Lei 2848 de 7 de dezembro de 1940 Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: RESPONSABILIDADES PELO CONTRABANDO. Lei dos Crimes Ambientais . crime ambiental ou uso de produto ilegal. que recomendem ou orientem a aplicação de agrotóxicos ilegais. camionete. todos os vizinhos.. crime ambiental e o crime previsto na Lei dos Agrotóxicos.Artigo 15 determina que: aquele que comercializa. acarretará. ainda. além de multa” Artigo 17 – Sem prejuízo das responsabilidades civil e penal cabíveis. Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: RESPONSABILIDADES PELO CONTRABANDO..Quem estiver transportando e/ou utilizando agrotóxicos ilegais pode ser enquadrado no artigo 56.).Lei 7802/89 . podendo.. e pena de reclusão de 1 a 4 anos. se. se comprovada a participação de engenheiro agrônomo nestes crimes. qual seja..estará sujeito à pena de reclusão. Os infratores estão sujeitos a multa de até R$ 1 milhão. às penalidades da referida lei. isolada ou cumulativamente. pratica crime. TRANSPORTE E USO DE AGROTÓXICOS ILEGAIS Tópico: Responsabilidade do Condutor do Veículo Transportador O condutor de veículos que transportam agrotóxicos ilegais também será responsabilizado criminalmente por contrabando.” Portanto. amigos e conhecidos saberão que o agricultor estava usando agrotóxicos ilegais e foi penalizado por tal fato.Lei 9605 de 12/02/1998 . .. Veja a lei em sua íntegra.000 (mil) vezes o Maior Valor de Referência-MVR. transporta ou usa agrotóxicos não registrados no País e em desacordo com a citada Lei. trator. Lei dos Agrotóxicos .. Código Penal .. . que desrespeitem as determinações da referida lei. sua lavoura será interditada e posteriormente destruída. ficando assim. por ação ou omissão. a aplicação das seguintes sanções: I .

38. que prendeu 29 pessoas. A formação de quadrilha também deverá ser imputada às revendas envolvidas com o contrabando de agrotóxicos ilegais. produtores rurais. comerciantes de insumos agrícolas. sob pena de seus proprietários ou vendedores envolvidos nessas revendas serem também processados pelos crimes acima mencionados. Na carroceria do veículo. os agentes federais abordaram um caminhão com placa de São Miguel do Oeste/SC. Eles contrabandeavam e falsificavam agrotóxicos. juntamente com o material apreendido em 49 mandados de busca e apreensão e 41 mandados de sequestro de veículos. TRANSPORTE E USO DE AGROTÓXICOS ILEGAIS Tópico: Casos Relevantes de Apreensão Em setembro de 2005 a Polícia Federal divulgou mais uma apreensão de agrotóxicos ilegais realizada na região oeste do Paraná. 36. Esta é considerada a maior apreensão do produto já realizada de uma só vez. Rapidamente.Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: RESPONSABILIDADES PELO CONTRABANDO. Os presos. Após um período de observação em pontos estratégicos. As ações da Polícia Federal (PF) resultaram na interceptação de nove toneladas do produto. a 280 quilômetros de Porto Alegre. Roberto Carlos Nogueira. 41. estelionato. principalmente o Standak. 29. 38. havia uma mobília ocultando centenas de pacotes de herbicida. foram conduzidos ao presídio regional de Carazinho. a Operação Caá-Ete. Os policiais federais encontraram o produto em Juranda. havia a denúncia de que contrabandistas de agrotóxicos poderiam passar pela região. foi iniciado um trabalho conjunto envolvendo policiais da delegacia da PF do Paraná e do Mato Grosso do Sul. e Edivaldo Pereira. contra o meio ambiente. Na operação. que resultou também na prisão em flagrante de cinco pessoas. foram presos em flagrante. Foram presos: Claudir Franco. em Passo Fundo. Marsal Remowicz. formação de quadrilha. . falsidade ideológica. DENUNCIE Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: RESPONSABILIDADES PELO CONTRABANDO. e Conrado Cristiano Nogueira Binati. Zoltir Guerino Brandini. Evanil Begui. Segundo informou a assessoria da PF em Guaíra. entre agrônomos. TRANSPORTE E USO DE AGROTÓXICOS ILEGAIS Tópico: Responsabilidade da Revenda A revenda não pode comercializar produtos não-registrados legalmente no Brasil. Após serem indiciados pelos crimes de contrabando. aconteceu nas proximidadesde Terra Roxa. 35. foram mobilizados 200 policiais federais. segundo o delegado regional de Combate ao Crime Organizado. Outra apreensão ocorrida no mesmo período resultou na interceptação de um caminhão que transportava mais de sete toneladas de agrotóxicos ilegais. na região de Ubiratã. Foram duas apreensões somente no final de semana. A abordagem. A superintendência da Polícia Federal no Rio Grande do Sul coordenou em agosto de 2005. seis auditores da Receita Federal e funcionários do Ibama. em quatro estados. policiais e um empresário encarregado da lavagem do dinheiro da quadrilha. Ronaldo Aparecido Corgi. pondo em risco a saúde das pessoas que consumissem produtos tratados com esse inseticida. foram reunidos no Ginásio de Esportes Teixeirinha. 46. contra marcas e produção e transporte de agrotóxicos descumprindo exigências estabelecidas em diversas leis e regulamentos. 31.

sitescola.074/2002 – Regulamenta a Lei nº 7802 Lei n° 7.com.974/2000 – Altera a Lei de Agrotóxicos Lei n° 9. Elaboração de conteúdo. plataforma de ensino a distância e administração de turmas por: SitEscola . Regulamento Aduaneiro – Decreto n° 4.802/89 – Lei de Agrotóxicos Lei n° 9.543. 127 – Cambuí – Campinas/SP CEP 13015-330 (19) 32554237 skype = sitescola www.Centro de Estudos Prospectivos de Educação e Cultura Rua Coronel Quirino.Cursando: Combatendo Agrotóxicos Ilegais Aula: BIBLIOGRAFIA Bibliografia utilizada Código Penal Decreto nº 4. de 26 de dezembro de 2002 em seu artigo 556.Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renovais – IBAMA – Brasília/2005.com sitescola@sitescola.605/98 – Lei dos Crimes Ambientais Manual de Procedimento para Fiscalização de Agrotóxicos Ilegais .br .