Você está na página 1de 4

EQUAÇÃO DE CLAPEYRON

GÁS IDEAL

Gás ideal ou perfeito é um gás cujas moléculas são representadas por pequenas esferas (sem volume
próprio), onde o volume ocupado pelo gás corresponde aos “vazios” entre estas moléculas. Outra característica
do gás ideal é a inexistência de forças entre suas moléculas.
Um gás real tem um comportamento que se aproxima do modelo ideal, quando rarefeito (poucas moléculas
por unidade de volume) em altas temperaturas.

EQUAÇÃO DE CLAPEYRON (EQUAÇÃO DE ESTADO DE UM GÁS IDEAL)

A pressão P, o volume V e a temperatura absoluta T (Kelvin) de uma dada massa gasosa, contendo n mols
do gás, estão relacionados pela equação.

P.V = n.R.T
Onde: R é a constante universal dos gases perfeitos (independe do gás).
O valor de R depende apenas das unidades usadas nas medidas de P e V.
2
p(atm) P(N/m )
atm.l J
 V(m )  R = 8,31
3
V (I) R = 0,082
T (K) mol.K T(K) mol.K

m
n=
M
m: massa molecular [g]
M: massa molar [g/mol]

Um gás está em condições normais de temperatura e pressão quando:

Temperatura: 0ºC = 273K


5
Pressão 1atm = 10 N/m
2  CNTP

Na CNTP, um mol de gás ocupa um volume de 22,4 ℓ.

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS

o
01. Temos 3,0 mols lacrados num recipiente cujo volume de 4,1 l e a temperatura de 127 C. Qual é a pressão
exercida pelo gás perfeito nas paredes do recipiente?

Resolução:

São dados: n = 3,0 mols, V = 4,1 l,  = 127 C (Atenção: no estudo de gases, devemos utilizar a
o

temperatura absoluta (Kelvin))

T =  + 273  T = 127 + 273  T = 400 K

portanto, substituindo os dados na equação de Clapeyron, temos

98,4
P.V = n.R.T  p.4,1 = 3,0.0,082.400  p.4,1 = 98,4  p =  p = 24 atm
4,1

1
o
02. Certa massa de um gás ocupa o volume de 49,2 litros sob pressão de 3 atmosferas e temperatura de 27 C.
 atm.l 
 R  0,082  . Determine:
 mol.K 

a) o número de mols n do gás;


b) a massa do gás, sendo a molécula-grama M = 28 g;
c) o volume de um mol (volume molar) desse gás nas condições de pressão e temperatura consideradas.

Resolução:

a) Na equação de Clapeyron p.V = n.R.T são dados,


p = 3 atm
V = 49,2 l
atm.l
R = 0,082
mol.K
T = 27 + 273 = 300 K

Portanto:

147,6
a) p.V = n.R.T  3.49,2 = n.0,082.300  n =  n = 6 mols
24,6

b) O número de mols pode ser expresso por n = m/M. Assim, m = n.M, onde n = 6 mols e M = 28 g. Então,
m = 6.28  m = 168 g

c) Na equação de Clapeyron,

24,6
p.V = n.R.T  3.V = 1.0,082.300  V   V = 8,2 l
3

Leitura do Livro Recomendado: pg 234, 239, 240 e 241.

Exercícios de aprendizagem: Pg. 241 (ex. 100; 101; 103 e 105),

Exercícios complementares: Pg. 241 (ex. 102 e 104),


Pg. 242 (ex. 106; 107 e 108).

2
LEI GERAL DOS GASES PERFEITOS
LEI GERAL DOS GASES PERFEITOS

A equação P.V = n.R.T pode ser escrita na forma

P.V
 n.R
T
Portanto, para uma dada massa gasosa (n = constante), e como R também é constante, concluímos que
(P.V/T) = constante. Assim, se a massa gasosa passar de um estado (1), caracterizado por P1, V1 e T1, para
outro estado (2) definido por P2, V2 e T2, podemos relacionar estes dois estados pela equação:

P1V1 P2V2

T1 T2

Quando há mistura de dois (ou mais) gases, sem que haja reação química entre eles, a lei geral dos
gases perfeitos pode ser generalizada na forma:

n = nA + nB + ...

PV PAV A PBVB
   ...
T TA TB

TRANSFORMAÇÕES GASOSAS

Um gás sofre uma transformação de estado quando se modificam ao menos duas das variáveis de
estado (P, V e T). Vamos estudar as transformações em que variam duas delas, mantendo-se a outra constante.

 TRANSFORMAÇÃO ISOCÓRICA (ISOMÉTRICA, ISOVOLUMÉTRICA)  VOLUME CONSTANTE

P1V1 P2V2
Na lei geral dos gases perfeitos  , sendo o volume constante (V1 = V2), a expressão anterior se
T1 T2
reduz a:
P1 P2

T1 T2

 TRANSFORMAÇÃO ISOBÁRICA  PRESSÃO CONSTANTE


P1V1 P2V2
Na lei geral dos gases perfeitos  , sendo a pressão constante (P1 = P2), a expressão anterior se
T1 T2
reduz a:
V1 V2

T1 T2

 TRANSFORMAÇÃO ISOTÉRMICA  TEMPERATURA CONSTANTE


P1V1 P2V2
Na lei geral dos gases perfeitos  , sendo a temperatura constante (T1 = T2), a expressão anterior
T1 T2
se reduz a:

P1V1  P2V2

3
EXERCÍCIOS RESOLVIDOS

o
01. Certa massa gasosa sob pressão de 3 atm ocupa o volume de 20 litros à temperatura de 27 C (300 K).
Determine:
o
a) o volume ocupado pelo gás a 127 C, sob a mesma pressão;
o
b) a pressão que o gás atinge a 27 C quando ocupa o volume de 40 litros;
c) em que temperatura o volume de 20 litros do gás exerce a pressão de 5 atm.

Resolução:

P1V1 P2V2
a) De acordo com a lei geral dos gases: 
T1 T2
V1 V2
como a pressão se mantém constante, P1 = P2 , vem: 
T1 T2
onde,

V1 = 20 l
T1 = 300 K
T2 = 127 + 273  T2 = 400 K .

20 V 80
Portanto: = 2  V2 =  V2  26,7 l
300 400 3

b) A temperatura é a mesma, relativamente às condições iniciais: T1 = T2 = 300 K

Assim: P1V1 = P2V2

onde,

V1 = 20 l
V2 = 40 l
P1 = 3 atm.
60
Portanto: 3.20 = P2.40  P2   P2 =1,5atm
40

P1 P2
c) O volume se mantém constante, V1 = V2 = 20 l. Portanto, 
T1 T2
onde,

P1 = 3 atm
T1 = 300 K
P2 = 5 atm
3 5 1500
logo, =  T2 =  T2 = 500K
300 T2 3

Leitura do Livro Recomendado: pg 234 a 238.

Exercícios de aprendizagem: Pg. 236 (ex. 83 e 85),


Pg. 237 (ex. 87 e 90),
Pg. 238 (ex. 92 e 94).

Exercícios complementares: Pg. 236 (ex. 84 e 86),


Pg. 237 (ex. 88; 89 e 91),
Pg. 238 (ex. 93 e 95),
Pg. 239 (ex. 96; 97; 98 e 99).