Você está na página 1de 85

CIÊNCIA DOS MATERIAIS

SEMESTRE 2021 – 1

AULA DIA: 02/09/2021

Profa. Gisélia Cardoso


CONTEÚDO DA AULA

 1. Átomo e ligações químicas.

 2. Estrutura e propriedade.

 3. Atividade
ESTRUTURA E PROPRIEDADES
ÁTOMOS E LIGAÇÕES QUÍMICAS
Introdução
As propriedades macroscópicas dos materiais dependem
essencialmente do tipo de ligação entre os átomos.
O tipo de ligação depende fundamentalmente dos
elétrons (camada de valência).
Os elétrons são influenciados pelos prótons e nêutrons
que formam o núcleo atômico.
Os prótons e nêutrons caracterizam quimicamente o
elemento e seus isótopos.
CONSTITUIÇÃO DA MATÉRIA

• Basicamente toda matéria é constituída de Moléculas;


• o átomo é a unidade fundamental do material;
• a estrutura do átomo segue o modelo de Bohr:
Z = 1 - 118
átomos

atômico

átomos

átomos
raio

PF e PE
Covalente
• Elétrons sendo compartilhados com
átomos adjacentes (hidrogênio,
ametais e semimetais). Esse tipo de
ligação é comum em compostos
orgânicos, por exemplo em materiais
poliméricos e diamante.

• Quando os átomos se unem por ligação covalente formam


as substâncias covalentes ou moleculares.
compartilha
No
LIGAÇÃO METÁLICA

 Um metal é formado por um conjunto de átomos


iguais, dispostos em camadas superpostas.
Ligação Metálica

• Elétrons sendo compartilhados pelos átomos


adjacentes;
LIGAÇÃO METÁLICA

 O que mantém os átomos unidos em um metal é a


atração elétrica entre o conjunto dos elétrons
praticamente livres e o conjunto dos cátions.

 As substâncias que se ligam através de ligações


metálicas são os metais, e estes apresentam as
propriedades de ductibilidade, maleabilidade e
condutividade elétrica
LIGAÇÃO METÁLICA

 Forma-se com átomos de baixa eletronegatividade


(apresentam no máximo 3 elétrons de valência)

 Os elétrons de valência são divididos com todos os


átomos (não estão ligados a nenhum átomo em
particular) e assim eles estão livres

 A ligação metálica não é direcional porque os


elétrons livres protegem o átomo carregado
positivamente das forças repulsivas eletrostáticas
Nº de átomos

Nº de
abaixo.

Figura
ASSOCIAÇÃO DE ÁTOMOS
Van Der Waals
• São ligações secundárias ou físicas

• A polarização (formação de dipolos) devido a estrutura da


ligação produz forças atrativas e repulsivas entre átomos
e moléculas

• A ligação é fraca

• Exemplo desse tipo de ligação acontece entre átomos de


H e em estruturas moleculares polares
REDES BRAVAIS

• O modelo resultante dessa disposição típica dos átomos


é chamado reticulado;
• Estes sistemas admitem 14 combinações conhecidas
como Rede de Bravais.
AS 14 REDES DE BRAVAIS

•Dos 7 sistemas cristalinos


podemos identificar 14 tipos
diferentes de células unitárias,
conhecidas com redes de Bravais.
•Cada uma destas células unitárias
tem certas características que
ajudam a diferenciá-las das outras
células unitárias.
•Estas características também
auxiliam na definição das
propriedades de alguns materiais.
REDES BRAVAIS

• As redes cristalinas mais importantes:


 Cúbica:
- Cúbica de corpo centrado (CCC);
- Cúbica de face centrada (CFC).

 Hexagonal:
- Hexagonal compacta (HC).
REDE CÚBICA DE CORPO CENTRADO (CCC)

• A rede cúbica de corpo centrado é uma rede cúbica na


qual existe um átomo em cada vértice e um átomo no
centro do cubo. Os átomos se tocam ao longo da
diagonal.
REDE CÚBICA DE CORPO CENTRADO (CCC)

NC: Número de Coordenação,


que corresponde ao número de
átomos vizinhos mais próximos.
REDE CÚBICA DE CORPO CENTRADO (CCC)
• Fator de empacotamento atômico (APF= atomic
packing factor)
2a 2  a 2  16r 2
4r
a
3

Exemplos:
 Cr, V, Mo, Na, W,
 Fe-a (até 912ºC e de 1394ºC a
1538ºC)
 Tungstênio
REDE CÚBICA DE FACE CENTRADA (CFC)

• A rede cúbica de face centrada é uma rede cúbica na


qual existe um átomo em cada vértice e um átomo no
centro de cada face do cubo. Os átomos se tocam ao
longo das diagonais das faces do cubo.
REDE CÚBICA DE FACE CENTRADA (CFC)
REDE CÚBICA DE FACE CENTRADA (CFC)

a 2  a 2  ( 4. r ) 2
2 a 2  ( 4. r ) 2
2a  4 r
a=r a  4r / 2

Em metais ocorre mais cfc que a estrutura ccc


Exemplos: Cu, Al, Pb, Ag, Ni, NaCl, Au, Fe-g (de 912ºC à 1394ºC)
REDE HEXAGONAL COMPACTA (HC)

• A rede hexagonal compacta pode ser representada por


um prisma com base hexagonal com átomos na base e
no topo e um plano de átomos no meio da altura.
• O sistema Hexagonal Compacto é mais comum nos
metais (ex: Mg, Zn, Be, Cd).
REDE HEXAGONAL COMPACTA (HC)
REDE HEXAGONAL COMPACTA (HC)
CÁLCULO DA DENSIDADE

 O conhecimento da estrutura cristalina


permite o cálculo da densidade ():
 = nA /VcNA

n= número de átomos da célula unitária


A= massa atômica
Vc = Volume da célula unitária
NA= Número de Avogadro (6,02 x 1023 átomos/mol)
EXEMPLO

O cobre têm raio atômico 0,1278nm (1,278 Å), uma estrutura


CFC, um massa atômico de 63,5 g/mol. Calcule a densidade
do cobre.

= 0,361 nm

8,98

O valor experimental da densidade volumétrica do cobre é 8,96 g/cm3


TABELA RESUMO PARA O SISTEMA CÚBICO

Átomos Número de Parâmetro Fator de


por célula coordenação de rede empacotamento

CCC 2 8 4R/(3)1/2 0,68


CFC 4 12 4R/(2)1/2 0,74
ALOTROPIA DO FERRO PURO

A temperaturas acima de 912° o Fe apresenta-se na


forma alotrópica (CCC); Acima de 912° até
1394° (CFC); Acima de 1394° até 1538° (CCC).

A alotropia do Fe é importante porque a forma


alotrópica pode dissolver o Carbono (C) até 2,11% a
1148o, o que tem grande significado no tratamento
térmico dos aços.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA:
1. Rethwisch, David G., Callister William D. Ciência e Engenharia de
Materiais: Uma Introdução, 9ª Edição, LTC – Livros Técnicos e Científicos
S.A., 2016.
2. Shackelford, James F., Ciência dos Materiais. Editora Pearson
Universidade, 6ª Ed, 2008.
3. Smith, Willians F., Hashemi, Javad. Fundamentos de Engenharia e
Ciência dos Materiais. 5a Edição. Editora Mc Graw-Hill, 2012.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:
1. Van Vlack, L. H. Princípios de Ciência dos Materiais. Edgard Blucher,
1970.
2. Chiaverini, V. Tratamentos Térmicos das Ligas Ferrosas. ABM, 1987.
3. Donald R. Askeland, Pradeep P. Phulé. Ciência e Engenharia dos
Materiais. São Paulo: CENGAGE Learning, 2008.
4. Guy, A. G. Ciência dos Materiais, Edusp, 1980.
5. Padilha, A. F. Materiais de Engenharia, 2ª Ed., São Paulo: Hemus, 2007.
Unidade 1 Aula dia 02 – 09 - 2021

ATIVIDADE
1. Sabendo que a força atrativa entre o par de íons Mg2 + e S 2 - é 1,49 x 10 -8 N e que o raio do
íon S 2- é 0,184 nm. Calcule o valor do raio iônico do íon Mg2+, em nanômetro.
2. Calcule a força Coulombiana atrativa e o valor da constante b entre o par de íons K+ x e Cl- ,
que se tocam. Admita que o raio iônico do íon K+ é 0,133 nm e o do íon Cl- x é 0, 181 nm e,
n = 9 para o KCl.
3. Qual a diferença entre estrutura atômica e estrutura cristalina?
4. Calcule a densidade volumétrica teórica do ouro, nióbio e zinco. Compare e justifique os
valores obtidos com os respectivos valores os respectivos valores tabelados.
5. Calcule o tamanho do interstício nos reticulados CCC e CFC em função do raio atômico (R)

Célula unitária CFC Célula unitária CCC


Unidade 1 Aula dia 02 – 09 - 2021

ATIVIDADE

6. Em aquecimento, o ferro sofre, a 912oC, transformação polimórfica passando de estrutura


CCC para estrutura CFC. Calcule a percentagem de variação de volume associada. A 912oC, a
célula unitária do ferro CCC tem parâmetro de rede a=0,293 nm e a célula unitária CFC a=0,363
nm.

7. Calcule o volume da célula unitária da estrutura cristalina do zinco, utilizando os seguintes


dados: o zinco puro tem estrutura cristalina HC, com os parâmetros de rede a = 0,2665 nm e c =
0,4946 nm.

8. A 20oC, o nióbio tem estrutura cristalina CCC sendo o parâmetro de rede 0,33007 nm e a
densidade 8,60 g/ cm3. Calcule o valor da massa atômica do nióbio.
Bom estudo!

E-mail: giselia@academico.ufs.br

Você também pode gostar